Competências Parentais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Competências Parentais"

Transcrição

1 ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Guia do Formador drmadorr1manda Competências Parentais

2 Autor: Inês Eugénio Título: Competências Parentais Coordenação da Mala Formativa: Graça Pinto, PERFIL Psicologia e Trabalho

3 Índice Enquadramento e Objectivos do módulo 1 Objectivos 2 Competências finais, conteúdos programáticos e cargas horárias 3 Tema 1 Apresentação / Expectativas 3 Competências finais 3 Conteúdos programáticos 4 Tema 2 Vivência da sexualidade 5 Competências finais 5 Conteúdos programáticos 5 Tema 3 Vivência da gravidez 6 Competências finais 6 Conteúdos programáticos 7 Tema 4 Desenvolvimento e estimulação infantil 8 Competências finais 10 Conteúdos programáticos 10 Tema 6 Promoção da saúde 11 Competências finais 11 Conteúdos programáticos 11 Tema 7 Projecto de vida e planeamento familiar 13 Competências finais 13 Conteúdos programáticos 13 Tema 8 Avaliação 14 Competências finais 14 Conteúdos programáticos 14 Planos de Sessão 15 Exercício: Linha da Vida I 29 Exercício: Linha da Vida II 30 Competências finais 8 Conteúdos programáticos 8 Tema 5 Massagens para bebés 10

4 Capítulo 1 Enquadramento e Objectivos do módulo Curso: Formação em ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Módulo: Competências Parentais População Alvo: Participantes no Projecto Humanus CAM Pré-requisitos: Não existem pré-requisitos específicos Local: Parque de Saúde Lisboa Tempo: 69 Horas Nº de participantes: 15 1

5 Objectivos Objectivo geral: Desenvolver competências parentais com vista a um pleno exercício da maternidade de uma forma positiva e saudável. Objectivos específicos: Contribuir para uma vivência positiva e saudável da Sexualidade. Facilitar e promover um processo positivo e saudável da gravidez. Ter conhecimentos sobre o Desenvolvimento na Primeira Infância. Intensificar os cuidados com o bebé e a relação precoce através do toque e da relaxação. Ter conhecimentos sobre os cuidados de Saúde na Primeira Infância. Intensificar os cuidados com o bebé e a relação precoce através da multiculturalidade. Promover a construção de um projecto de vida pessoal, com especial ênfase no Planeamento Familiar. 2

6 Capítulo 2 Competências finais, conteúdos programáticos e cargas horárias Tema 1 Apresentação / Expectativas Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter uma visão geral das matérias a ministrar neste módulo e perceber a sua utilidade para o exercício da maternidade/paternidade e de uma vivência positiva e saudável da Sexualidade. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Identificar as matérias que serão ministradas ao longo do módulo; Verbalizar e debater as suas expectativas quanto ao módulo. 3

7 Conteúdos programáticos Apresentação dos formadores e dos formandos. Apresentação por parte das formandas das suas expectativas face ao módulo. Apresentação dos objectivos gerais e específicos. Apresentação dos conteúdos programáticos. A importância das matérias a ministrar. Carga horária 3 Horas 4

8 Tema 2 Vivência da sexualidade Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter adquirido conhecimentos sobre o tipo de atitudes, comportamentos e competências requeridas para uma vivência positiva e saudável da Sexualidade. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Fazer escolhas livres e conscientes no âmbito da sexualidade; Reflectir sobre a vivência da sexualidade, valores e atitudes numa perspectiva de desenvolvimento pessoal; Conhecer e defender os seus direitos em Saúde Sexual e Reprodutiva; Entender a importância e defender a igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres. Conteúdos programáticos Conceito e dimensões da sexualidade. Expressões da sexualidade. Valores e atitudes em sexualidade. Relações afectivas. Intimidade e vivência da sexualidade. Carga horária 12 Horas 5

9 Tema 3 Vivência da gravidez Competências finais Gerais No final do tema as participantes deverão ter adquirido competências que lhes permitam desenvolver um processo positivo e saudável da gravidez. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Compreender a gravidez, quer ao nível psicológico, quer inserida num programa de cuidados pré-natais adequados. Conhecer o desenvolvimento fetal. Ter informação sobre o bem-estar da grávida. Compreender a importância da estimulação durante a gravidez. Reflectir sobre o nascimento da vinculação. Promover o desenvolvimento de uma relação precoce segura. 6

10 Conteúdos programáticos Desenvolvimento fetal. Bem-estar e posições fetais. Estimulação durante a gravidez. Nascimento da vinculação (notícia da gravidez, ecografias, movimentos fetais, noções de genética, bebé imaginário/bebé real...). Relação precoce (gravidez, puerpério). Amamentação e pós-parto. Revisões. O papel do pai. Sinais do parto. Fases do parto e procedimentos médicos. Carga horária 9 Horas 7

11 Tema 4 Desenvolvimento e estimulação infantil Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter adquirido conhecimentos sobre o desenvolvimento na Primeira Infância. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Ter noção das fases do desenvolvimento psíquico até aos 3 anos; Ter noção dos tipos de desenvolvimento e mudança; Caracterizar os 3 tipos de desenvolvimento: Físico, Cognitivo e Psicossocial; Compreender os factores que contribuem para a personalidade e desenvolvimento; Ter noção das fases do ciclo de vida do indivíduo e sua caracterização; Compreender o brincar, os brinquedos e qual a sua função no desenvolvimento; Perceber a importância das rotinas e das regras e qual a sua função. Conteúdos programáticos Noção sobre Desenvolvimento. Tipos de Desenvolvimento. Mudanças no Desenvolvimento. Desenvolvimento Físico. Desenvolvimento Cognitivo. Desenvolvimento Psicossocial. 8

12 Factores para o Desenvolvimento: Vinculação segura (Responsividade parental, interacção precoce); Relações afectivas; Protecção física, segurança e disciplina; Adequação das experiências ao desenvolvimento. A linguagem do bebé: Choro (pontos de referência, significado do choro das crianças); Sorriso; Linguagem corporal. Fases do Ciclo de Vida. Brincar e Brinquedos. Importância das Regras / Rotinas: Os fundamentos da disciplina: os primeiros 6m; 7m-8m: necessidade de limites; 9m-12m: importância do comportamento não verbal dos pais; 12m-24m: disciplina e mobilidade; Disciplina e o desenvolvimento emocional da criança; Da disciplina à autodisciplina. As Punições e Gratificações: Adaptar a disciplina às diferentes personalidades; O que pode resultar, o que vale a pena experimentar e o que é inútil; Interpretar o comportamento da criança; Problemas de disciplina mais comuns. Carga horária 18 Horas 9

13 Tema 5 Massagens para bebés Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter adquirido conhecimentos sobre os cuidados com o bebé e a relação precoce através do toque e da relaxação. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Conhecer o corpo saudável do bebé, de forma a avaliar melhor as situações de doença; Ajudar no alívio de determinados sintomas de doença, como, por exemplo, cólicas; Contribuir para o desenvolvimento saudável e harmonioso do bebé; Contribuir para a promoção de relações vinculativas seguras; Ajudar o bebé a distinguir o bom toque e o mau toque ; Dominar a técnica da massagem infantil. Conteúdos programáticos Condições necessárias para a massagem do bebé. Técnica da massagem do bebé: Pés e pernas; Braços e mãos; Tronco; Face. Prática da massagem. Carga horária 6 Horas 10

14 Tema 6 Promoção da saúde Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter adquirido conhecimentos sobre os cuidados de Saúde na Primeira Infância. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Conhecer os acidentes mais frequentes e saber como os evitar; Saber intervir num primeiro socorro; Compreender quais os cuidados de higiene mais importantes, principalmente no que concerne ao Banho e mudança de fraldas; Conhecer formas de fazer o treino da higiene e quais os pontos de referência nesta área; Conhecer os problemas de higiene mais comuns; Conhecer as doenças contagiosas; Compreender o estado de saúde da mãe; Compreender os sinais de alerta para levar às urgências ou ao Centro de Saúde; Compreender os pontos de referência do sono; Conhecer os problemas de sono mais comuns e algumas formas de os ultrapassar; Compreender os cuidados com a Alimentação; Conhecer as Etapas da Alimentação; Conteúdos programáticos Prevenção de acidentes na 1ª infância: Acidentes mais frequentes; Cuidados a ter; Segurança em Casa. 11

15 Primeiros socorros: Queimaduras; Traumatismos; Feridas; Hemorragias; Asfixia; Ficha de Contacto para o Centro de Saúde. Cuidados de higiene: Preparação do Biberão; Alimentação; Higiene Genital (mudança de fralda/banho); Saúde dos Bebés e das suas Famílias; Treino de higiene; Problemas de higiene mais comuns. Problemas de saúde mais comuns: Febre; Vómitos; Diarreia, Cólicas e Obstipação; Dentição. Doenças transmissíveis: Ezantema Súbito; Varicela; Papeira; Sarampo. Interpretação dos sinais de alerta. Sono: Pontos de referência do sono; Problemas mais comuns e formas de os ultrapassar. Alimentação: Leite Materno; Preparação do Biberão; Como administrar o Biberão; Diversificação Alimentar; 3 Meses; 6 Meses; 9 Meses; 12 Meses. Carga horária 12 Horas 12

16 Tema 7 Projecto de vida e planeamento familiar Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão ter reflectido sobre a construção de um projecto de vida pessoal, com especial ênfase no Planeamento Familiar. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Reflectir sobre os projectos de vida e o planeamento a curto, médio e longo prazo; Reflectir sobre o projecto familiar; Ter conhecimentos sobre a Sexualidade e Planeamento Familiar, promovendo a discussão e reflexão; Prevenir comportamentos de risco na esfera sexual, numa perspectiva da mudança de atitudes; Demonstrar comportamentos informados e responsáveis face à contracepção e conducentes à prevenção das I.S.T e à vivência saudável da sexualidade. Conteúdos programáticos Projecto de vida. Comportamentos sexuais seguros e Planeamento Familiar: Contracepção; Infecções sexualmente transmissíveis e formas de prevenção. Carga horária 6 Horas 13

17 Tema 8 Avaliação Competências finais Gerais No final deste tema, as participantes deverão conseguir reflectir sobre a importância deste módulo na vivência da sexualidade e da maternidade. Específicas No final deste tema, as participantes serão capazes de: Avaliar o cumprimento dos conteúdos e objectivos do módulo. Conteúdos programáticos Conteúdos do módulo. Métodos do módulo. Objectivos do módulo. Importância da avaliação. Carga horária 3 Horas 14

18 Planos de Sessão Sessão 1 Tema 1: Apresentação / Expectativas Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Apresentar o formador e conhecer as formandas Apresentação do/a formador/a Apresentação das formandas Eco dos nomes 30 Realizar o levantamento das expectativas individuais das participantes face ao módulo Apresentação por parte das formandas das suas expectativas face ao módulo Uso de fotografias para expor as expectativas face ao módulo Fotografias Mesa para exposição das fotografias 90 Contextualizar o módulo e apresentar objectivos gerais e específicos do módulo Apresentação dos objectivos gerais e específicos Apresentação dos conteúdos programáticos A importância das matérias a ministrar neste módulo Método expositivo Diapositivos Videoprojector Computador 60 Debate 15

19 Sessão 2 Tema 2: Vivência da sexualidade Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Contribuir para escolhas livres e conscientes no âmbito da sexualidade Reflectir sobre a vivência da sexualidade, valores e atitudes numa perspectiva de desenvolvimento pessoal Contribuir para a promoção dos direitos em saúde sexual e reprodutiva e da igualdade de direitos e oportunidades entre homens e mulheres Conceito e dimensões da sexualidade Expressões da sexualidade Valores e atitudes em sexualidade Brainstorming sobre sexualidade com base na 1ª letra do nome das formandas Apresentação da definição da Sexualidade da OMS e suas dimensões Barómetro de atitudes Quadro/flipchart Diapositivos Videoprojector Computador Cartazes Concordo, Discordo, Não concordo, nem discordo Frases para debate Reflectir sobre as relações afectivas e a intimidade Relações afectivas Intimidade e vivência da sexualidade Debate com recurso a excertos da telenovela Morangos com Açúcar Gravação de excertos de Morangos com Açúcar Vídeo Televisão 240 Diapositivos Desenvolver competências sociais, de comunicação, de tomada de decisão e de resolução de problemas Os estilos de comunicação A comunicação assertiva Apresentação dos estilos de comunicação existentes Debate com recurso ao vídeo Histórias de vida Videoprojector Computador Vídeo Histórias de Vida 180 Vídeo e Televisão 16

20 Sessão 2 Tema 2: Vivência da sexualidade Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Treino de competências sociais, de comunicação, de tomada de decisão e de resolução de problemas Role-play Situações para roleplay

21 Sessão 3 Tema 3: Vivência da gravidez Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Desenvolvimento fetal Exploração da exposição CENAS Exposição CENAS Guia de utilização da Exposição CENAS 60 Compreender a gravidez, quer ao nível psicológico, quer inserida num programa de cuidados pré-natais adequados Conhecer o desenvolvimento fetal Informar sobre o bem-estar da grávida Compreender a importância da estimulação durante a gravidez Reflectir sobre o nascimento da vinculação Promover o desenvolvimento de uma relação precoce segura Bem-estar e posições fetais Estimulação durante a gravidez Nascimento da vinculação (notícia da gravidez, ecografias, movimentos fetais, noções de genética, bebé imaginário/bebé real...) Relação precoce (gravidez, puerpério) Amamentação e pós-parto Agrupar e corresponder fotos das barrigas das jovens nas várias fases da gravidez (trabalho de grupo) Jogo dos sons familiares Trabalho individual sobre as emoções experienciadas em 3 momentos diferentes da relação mãe/bebé Corresponder fotografias de pais e bebés Debate com base no Vídeo Amamentação Fotos de barrigas de grávidas Vendas para os olhos Papéis de 3 cores diferentes Fotografias de pais e bebés Vídeo Amamentação Vídeo Televisão Revisões Trabalhos de grupo para organização de um folheto sobre vigilância pré-natal e revisões pós-parto Material de pesquisa sobre vigilância prénatal e revisões pósparto 60 18

22 Sessão 3 Tema 3: Vivência da gravidez Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Vídeo Papá para sempre Reflectir sobre o papel da paternidade O papel do pai Debate de excertos do filme Papá para sempre Vídeo Televisão 120 Guião de análise do filme Diminuir as inseguranças e medos relativos ao parto e ao exercício da maternidade/paternidade Conhecer o processo de parto Sinais do parto Fases do parto e procedimentos médicos Partilha de histórias das formandas que já são mães 90 19

23 Sessão 4 Tema 4: Desenvolvimento e estimulação infantil Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Ter noção das fases do desenvolvimento psíquico até aos 3 anos Noção sobre Desenvolvimento Organização de uma Roda do desenvolvimento Material de pesquisa sobre desenvolvimento infantil 90 Tipos de Desenvolvimento Ter noção dos tipos de desenvolvimento e mudança Caracterizar os 3 tipos de desenvolvimento: Físico, Cognitivo e Psicossocial Mudanças no Desenvolvimento Desenvolvimento Físico Desenvolvimento Cognitivo Apresentação de casos para distinção dos diferentes tipos de desenvolvimento Diapositivos Videoprojector Computador 60 Desenvolvimento Psicossocial Factores para o Desenvolvimento Compreender os factores que contribuem para a personalidade e desenvolvimento Vinculação segura (Responsividade parental, interacção precoce) Relações afectivas Protecção física, segurança e disciplina Adequação das experiências ao desenvolvimento A linguagem do bebé Choro (pontos de referência, significado do choro das crianças) Sorriso Observação de bebés Vídeo de bebés em interacção Grelha de observação e registo 180 Linguagem corporal 20

24 Sessão 4 Tema 4: Desenvolvimento e estimulação infantil Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Ter noção das fases do ciclo de vida do indivíduo e sua caracterização Fases do Ciclo de Vida Debate 60 Brainstorming sobre o brincar e a função do brincar Quadro/flipchart 30 Compreender o brincar, os brinquedos e qual a sua função no desenvolvimento Brincar e Brinquedos Observação de crianças a brincar e análise da sua função (trabalho de grupo) Vídeo com crianças a brincar Grelha de observação e registo 90 Brinquedos seguros e inseguros e adequação à idade Brinquedos variados 60 Importância das Regras / Rotinas Perceber a importância das rotinas e das regras e qual a sua função Os fundamentos da disciplina: os primeiros 6m 7m-8m: necessidade de limites 9m-12m: importância do comportamento não verbal dos pais 12m-24m: disciplina e mobilidade Disciplina e o desenvolvimento emocional da criança Apresentação de casos Trabalho de grupo sobre a melhor atitude a tomar Debate Diapositivos Videoprojector Computador 180 Da disciplina à autodisciplina 21

25 Sessão 4 Tema 4: Desenvolvimento e estimulação infantil Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação As Punições e Gratificações Adaptar a disciplina às diferentes personalidades O que pode resultar, o que vale a pena experimentar e o que é inútil Interpretar o comportamento da criança Problemas de disciplina mais comuns 22

26 Sessão 5 Tema 5: Massagens para bebés Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Contribuir para um melhor conhecimento do corpo saudável do bebé, de forma a avaliar melhor as situações de doença Ajudar no alívio de determinados sintomas de doença, como, por exemplo, cólicas Condições necessárias para a massagem do bebé Técnica da massagem do bebé Técnica da massagem do bebé Pés e pernas Visionamento de vídeo de massagens Vídeo sobre massagens Vídeo Televisão Contribuir para o desenvolvimento saudável e harmonioso do bebé Promover o desenvolvimento de competências parentais Contribuir para a promoção de relações vinculativas seguras Técnica da massagem do bebé Braços e mãos Técnica da massagem do bebé Tronco Método demonstrativo Uso da canção Colchões Óleo/creme Bebés e/ou bonecos Ajudar o bebé a distinguir o bom toque e o mau toque Criar um espaço de debate, esclarecimento de dúvidas e de entreajuda Técnica da massagem do bebé Face 60 Prática da massagem 60 23

27 Sessão 6 Tema 6: Promoção da saúde Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Conhecer os acidentes mais frequentes e saber como os evitar Saber intervir num primeiro socorro Prevenção de acidentes na 1ª infância Acidentes mais frequentes Cuidados a ter Segurança em Casa Primeiros socorros Queimaduras; Traumatismos; Feridas; Hemorragias; Asfixia; Ficha de Contacto para o Centro de Saúde Compreender quais os cuidados de higiene mais importantes, principalmente no que concerne ao Banho e mudança de fraldas Conhecer formas de fazer o treino da higiene e quais os pontos de referência nesta área Conhecer os problemas de higiene mais comuns Conhecer as doenças contagiosas Compreender o estado de saúde da mãe Cuidados de higiene Preparação do Biberão Alimentação Higiene Genital (mudança de fralda/banho) Saúde dos Bebés e das suas Famílias Treino de higiene Problemas de higiene mais comuns Método demonstrativo 90 24

28 Sessão 6 Tema 6: Promoção da saúde Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Problemas de saúde mais comuns Febre; Vómitos; Diarreia, Cólicas e Obstipação; Dentição Doenças transmissíveis Ezantema Súbito; Varicela; Papeira; Sarampo Compreender os sinais de alerta para levar às urgências ou ao Centro de Saúde Interpretação dos sinais de alerta Apresentação de casos Debate 60 Compreender os pontos de referência do sono Conhecer os problemas de sono mais comuns e algumas formas de os ultrapassar Sono Pontos de referência do sono Problemas mais comuns e formas de os ultrapassar Debate de casos sobre a hora de dormir Diapositivos Videoprojector Computador 90 Compreender os cuidados com a Alimentação Conhecer as Etapas da Alimentação Alimentação Leite Materno Preparação do Biberão Como administrar o Biberão Diversificação Alimentar 3 Meses; 6 Meses; 9 Meses; 12 Meses Treino na cozinha do CAM Organização de um livro de receitas Alimentos Roda dos alimentos Receitas Imagens Computador

29 Sessão 7 Tema 7: Projecto de vida e planeamento familiar Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Reflectir sobre os projectos de vida e o planeamento a curto, médio e longo prazo Projecto de vida Reflexão sobre a vida no espaço de 1, 5 e 10 anos em termos pessoais, familiares e profissionais 120 Reflectir sobre o projecto familiar Jogo dos cartões Cartões Post-it 60 Melhorar e aprofundar os conhecimentos sobre a Sexualidade e Planeamento Familiar, promovendo a discussão e reflexão Prevenir comportamentos de risco na esfera sexual, numa perspectiva da mudança de atitudes Promover comportamentos informados e responsáveis face à contracepção e conducentes à prevenção das I.S.T e à vivência saudável da sexualidade Comportamentos sexuais seguros e Planeamento Familiar Contracepção Infecções sexualmente transmissíveis e formas de prevenção Trabalho de grupo sobre comportamentos de risco Trabalho de grupo sobre métodos contraceptivos Tabela Frases Guião para trabalho sobre Métodos contraceptivos Kit contraceptivo Material informativo Papel Cola Tesouras Marcadores 26

30 Sessão 8 Tema 8: Avaliação Unidade Competências Parentais Objectivos Conteúdos Métodos / Actividades Recursos Tempo Avaliação Escrever em 3 papéis um ponto forte, um aspecto a melhorar e uma dúvida que subsista (anónimo) Papéis de 3 cores 20 Conteúdos do módulo Análise das avaliações em grupo Avaliações em papéis de 3 cores 60 Avaliar o cumprimento dos conteúdos e objectivos do módulo Métodos do módulo Objectivos do módulo Debate sobre a importância deste módulo 30 Importância da avaliação Análise dos produtos do módulo Produtos do módulo 40 Preenchimento das fichas de avaliação Fichas de avaliação 30 27

31 Anexos 28

32 Exercício: Linha da Vida I Coloca, por favor, um círculo (da cor correspondente) à volta da idade em que cada uma das seguintes situações aconteceu/achas que vai acontecer na tua vida: Deixar de estudar Perder a virgindade Começar a namorar Sair de casa dos pais Começar a trabalhar Juntar-se/casar Ter o 1º filho Ter o 2º filho, 3º filho, Ser avó 29

33 Exercício: Linha da Vida II Coloca, por favor, um círculo (da cor correspondente) à volta da idade em que gostarias que cada uma das seguintes situações tivesse acontecido/venha a acontecer na tua vida: Deixar de estudar Perder a virgindade Começar a namorar Sair de casa dos pais Começar a trabalhar Juntar-se/casar Ter o 1º filho Ter o 2º filho, 3º filho, Ser avó 30

34 31

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Guia do Formador drmadorr1manda. Aprender a Relação Humana

ExpressARTE. Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais. Guia do Formador drmadorr1manda. Aprender a Relação Humana ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Guia do Formador drmadorr1manda Aprender a Relação Humana Autor: Micaela Ramos Título: Aprender a Relação Humana Coordenação da Mala Formativa:

Leia mais

Serra do Saber. Noções básicas de infância

Serra do Saber. Noções básicas de infância Noções básicas de infância Fundamentação Os espaços frequentados por crianças abrangem, cada vez mais profissionais de diferentes áreas. Esta mudança implica maior rigor e um melhor conhecimento de tudo

Leia mais

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo

ESCOLA DE PAIS.nee. Programa Escola de Pais.nee Formadora: Celmira Macedo 1 PROGRAMA DA ESCOLA DE PAIS I. Introdução A escola de pais apresenta-se com um espaço de formação para famílias (preferencialmente famílias de crianças com necessidades especiais), estando igualmente

Leia mais

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio:

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio: Projeto Educativo Creche Humanus C.A.M. 1 de 11 Índice Introdução... 3 Quem somos?...3 As Dimensões do Projeto Educativo Dimensão Global da Criança.. 5 Dimensão Individual.... 6 Dimensão das Aquisições..

Leia mais

ANEXO I (DO REGULAMENTO INTERNO DO COLÉGIO BOM JESUS) CRECHE ARTIGO PRIMEIRO. Destinatários

ANEXO I (DO REGULAMENTO INTERNO DO COLÉGIO BOM JESUS) CRECHE ARTIGO PRIMEIRO. Destinatários ANEXO I (DO REGULAMENTO INTERNO DO COLÉGIO BOM JESUS) CRECHE ARTIGO PRIMEIRO Destinatários A idade mínima para a frequência da Creche é de 3 meses de idade. ARTIGO QUARTO Áreas da Creche 1. A valência

Leia mais

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física

Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Levantamento de projetos locais no âmbito da alimentação saudável e atividade física Concelho Nome do projeto Identificação da instituição promotora Equipa de trabalho/ dinamizadora Parceiros Enquadramento/

Leia mais

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO PROGRAMAÇÃO METODOLÓGICA DO DO CURSO DESIGNAÇÃO DO CURSO FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES DURAÇÃO DO CURSO 90 HORAS LOCAL E DATAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO INSTALAÇÕES B-TRAINING, CONSULTING

Leia mais

Projecto Educação Para a Saúde

Projecto Educação Para a Saúde AGRUPAMENTO VERTICAL FERNANDO CASIMIRO Escola Básica Integrada Fernando Casimiro Introdução Projecto Educação Para a Saúde No seguimento do Ofício-Circular nº 69 de 20 de Outubro de 2006 procedente do

Leia mais

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06 Para: Contacto na DGS: Todos os médicos e enfermeiros que exerçam

Leia mais

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa.

Crescer Saudável. Promover e proteger a saúde e prevenir a doença na comunidade educativa. Administração Regional de Saúde do Alentejo, IP Centro de Saúde de Montemor-o-Novo Crescer Saudável O Programa de Educação para a Saúde Crescer Saudável surge no âmbito do Programa Nacional de Saúde r

Leia mais

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE

FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO FORMULÁRIO E RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO DO PESSOAL DOCENTE IDENTIFICAÇÃO Unidade Orgânica: Docente avaliado: Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão

AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO. Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão AVALIAÇÃO INTERNA DO AGRUPAMENTO Agrupamento de Escolas nº2 de Beja - Mário Beirão Índice Introdução Objectivos Metodologia de Trabalho Áreas de Trabalho/ Conclusões Estruturas Formais Estruturas FísicasF

Leia mais

PROGRAMA DE PSICOLOGIA

PROGRAMA DE PSICOLOGIA PROGRAMA DE PSICOLOGIA 12ª Classe 2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Disciplina Opcional Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Introdução ao Psicologia - 12ª Classe EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica, S.A. TIRAGEM:

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES. Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto ASSEMBLEIA LEGISLATIVA REGIONAL DOS AÇORES Decreto Legislativo Regional Nº 18/2000/A de 8 de Agosto Planeamento Familiar e Educação Afectivo-sexual No quadro normativo nacional, aplicável à Região Autónoma

Leia mais

Modelo Dinâmico de Avaliação e Intervenção Familiar: Uma acção transformativa em Cuidados de Saúde Primários

Modelo Dinâmico de Avaliação e Intervenção Familiar: Uma acção transformativa em Cuidados de Saúde Primários Modelo Dinâmico de Avaliação e Intervenção Familiar: Uma acção transformativa em Cuidados de Saúde Primários Modelo Dinâmico de Avaliação e Intervenção Familiar: DIMENSÃO DE DESENVOLVIMENTO Áreas de atenção

Leia mais

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Arraiolos Outubro 2008 Introdução O presente documento apresenta

Leia mais

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Saída(s) Profissional(is): Operador de Fotografia (nível 2)

INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL. Saída(s) Profissional(is): Operador de Fotografia (nível 2) INSTITUTO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL REFERENCIAL DE FORMAÇÃO Área de Formação: 213. AUDIOVISUAIS E PRODUÇÃO DOS MÉDIA Itinerário de Qualificação: 21305. FOTOGRAFIA

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

Componente de Formação Técnica. Disciplina de

Componente de Formação Técnica. Disciplina de CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO Técnico de Apoio à Infância PROGRAMA Componente de Formação Técnica Disciplina de Saúde Infantil Direcção-Geral de Formação Vocacional 2006 Parte I Orgânica Geral

Leia mais

ENFERMAGEM HUMANITÁRIA COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO

ENFERMAGEM HUMANITÁRIA COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO S. Tomé e Príncipe ENFERMAGEM HUMANITÁRIA COOPERAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO São Tomé e Príncipe A República Democrática de São Tomé e Príncipe, é um estado insular localizado no Golfo da Guiné. Composto

Leia mais

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz

Escola Secundária Dr. Joaquim de Carvalho, Figueira da Foz PLANO ANUAL DE TRABALHO 205/206 9ºAno Código 40470 Educação para a Cidadania 9º Ano Ano Letivo: 205/ 206 Plano Anual Competências a desenvolver Conteúdos Temas/Domínios Objetivos Atividades / Materiais

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt

REGULAMENTO INTERNO. Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt REGULAMENTO INTERNO Av. Costa Pinto, nº 440 2750-329 Cascais Tel: 21 482 15 21 Email: achupeta@sapo.pt OBJECTIVOS DA CHUPETA "Proporcionar o atendimento individualizado da criança num clima de segurança

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL ASSISTENTE DE ACÇÃO EDUCATIVA (M/F)

PERFIL PROFISSIONAL ASSISTENTE DE ACÇÃO EDUCATIVA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL ASSISTENTE DE ACÇÃO EDUCATIVA (M/F) PERFIL PROFISSIONAL Assistente de Acção Educativa Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE - SERVIÇOS DE APOIO A CRIANÇAS

Leia mais

Aprender com o scratch. E.B. 2,3 José Afonso, Alhos Vedros Filomena Benavente e Ricardo Costa 5.º ano matemática

Aprender com o scratch. E.B. 2,3 José Afonso, Alhos Vedros Filomena Benavente e Ricardo Costa 5.º ano matemática Aprender com o scratch Filomena Benavente e Ricardo Costa 5.º ano matemática 2012 Aprender com o scratch Filomena Benavente e Ricardo Costa 2012 Designação: Aprender com o scratch Enquadramento curricular

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche. Maria Teresa de Matos

OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche. Maria Teresa de Matos OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche Maria Teresa de Matos Projecto Pedagógico de Sala Creche Princípios Orientadores Projecto Pedagógico de Sala * Projecto Curricular

Leia mais

Rua Camilo Castelo Branco, N. 4, (a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal), Lisboa

Rua Camilo Castelo Branco, N. 4, (a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal), Lisboa Programa de Formação Código - Designação Ajudante de Acção Directa A atitude perante o idoso Local Rua Camilo Castelo Branco, N. 4, (a cerca de 100 metros do Marquês de Pombal), Lisboa Projecto n.º: N/a

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011

PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 PLANO DE FORMAÇÃO SETEMBRO A DEZEMBRO 2011 INDICE: Quem somos? Oferta formativa Curso Acções Formativas CURSO DE FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ESTES MIÚDOS SÃO IMPOSSÍVEIS!!! - GESTÃO DE COMPORTAMENTOS

Leia mais

Casa do Povo de Óbidos - Creche e Jardim de Infância Ano lectivo de 2011/2012 1

Casa do Povo de Óbidos - Creche e Jardim de Infância Ano lectivo de 2011/2012 1 PROJECTO DE VALÊNCIA DE CRECHE Ano lectivo de 2011/2012 1 Índice 1-INTRODUÇÃO... 1 2-PRINCÍPIOS GERAIS E OBJECTIVOS PEDAGÓGICOS DA CRECHE... 2 3-ÁREAS DE CONTEÚDO... 4 3.1 - ÁREA DE FORMAÇÃO PESSOAL E

Leia mais

Projecto PES - Educação Sexual 2010-2011 /2011-2012. Agrupamento Vertical de Escolas nº2 de Elvas. Projecto PES. Educação Sexual

Projecto PES - Educação Sexual 2010-2011 /2011-2012. Agrupamento Vertical de Escolas nº2 de Elvas. Projecto PES. Educação Sexual Projecto PES Educação Sexual Ano Lectivo 2010-2011 / 2011-2012 Índice PREÂMBULO...3 Enquadramento Legal...4 OBJECTIVOS GERAIS...6 LOCAL DE REALIZAÇÃO DO PROJECTO...6 PLANIFICAÇÕES...7 PLANIFICAÇÃO DA EDUCAÇÃO

Leia mais

Programa Educativo Individual

Programa Educativo Individual Programa Educativo Individual Ano Lectivo 2008/2009 1. Identificação do Aluno 2.1. Nome: 2.2. Data de Nascimento: 2.3. Morada: 2.4. Concelho: 2.5. Código Postal: 2.6. Telefone: 2.7. Email: 2.8. Situação

Leia mais

12º ANO. Competências procedimentais Actividades sugeridas Tempo previsto Conceitos. - Análise do ciclo de vida humano com esquema em power point.

12º ANO. Competências procedimentais Actividades sugeridas Tempo previsto Conceitos. - Análise do ciclo de vida humano com esquema em power point. 12º ANO Valorizar os conhecimentos sobre reprodução humana para compreender o funcionamento do próprio corpo, de modo a adoptar comportamentos promotores de saúde Competências procedimentais Actividades

Leia mais

ACIDENTES NA ÁREA DA PEDIATRIA

ACIDENTES NA ÁREA DA PEDIATRIA ACTIVIDADE AVALIATIVA 1 ACIDENTES NA ÁREA DA PEDIATRIA Ana Patrícia Silva n.º 1886 Ana Margarida n.º 1885 Bárbara Santos n. º 1993 Carolina Lobo n.º 1867 Cláudia Mendes n.º 1873 Diogo Sousa n.º 1683 Joana

Leia mais

FICHA DE CURSO DESIGNAÇÃO. DURAÇÃO 128 Horas + 3 horas de exame. ÁREA TEMÁTICA DA FORMAÇÃO 862 Segurança e Higiene no Trabalho

FICHA DE CURSO DESIGNAÇÃO. DURAÇÃO 128 Horas + 3 horas de exame. ÁREA TEMÁTICA DA FORMAÇÃO 862 Segurança e Higiene no Trabalho FICHA DE CURSO Neste documento poderá encontrar as principais informações sobre o curso pretendido, nomeadamente a duração, área temática, destinatários, objetivo geral e objetivos específicos, estrutura

Leia mais

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE

PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE PSICOLOGIA (CEF) - PLANIFICAÇÃO MÓDULO 1 - CRESCER E DESENVOLVER-SE COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS ACTIVIDADES/ - Apresentar comportamentos que promovam um melhor crescimento saudável de si, dada a compreensão

Leia mais

Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S).

Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S). Higiene, Saúde e Segurança no Trabalho Trabalhador Designado Público-Alvo Trabalhadores designados pelas empresas (microempresas e PME S). OBJECTIVOS Formação direccionada para cumprimento da legislação

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE

PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE PROJECTO EDUCATIVO DA CRECHE Uma proposta educativa própria de uma instituição e a forma global como se organiza para proporcionar às crianças o desenvolvimento do seu potencial, a experienciá-lo e a vivenciá-lo.

Leia mais

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência.

KIT CICLO PEDAGÓGICO ESTUDO DO MEIO. Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência. KIT_PEDA_EST_MEIO_5:FERIAS_5_6 09/12/28 15:07 Page 1 1. o CICLO KIT PEDAGÓGICO Pedro Reis ESTUDO DO MEIO 5 Propostas para planeamento, exploração e avaliação de visitas a museus e centros de ciência ISBN

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano Anual de Atividades de Animação 2015/2016

Agrupamento de Escolas de Santiago do Cacém Plano Anual de Atividades de Animação 2015/2016 Calendarização / Mês Tema Objetivos Responsáveis pela Atividade Outubro Outono - Desenvolver o gosto pelo saber; Halloween - Valorizar diferentes formas de conhecimento, Dia Mundial da Alimentação comunicação

Leia mais

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Agrupamento de Vale de Ovil Escola Básica e Secundária do Vale de Ovil Código 345702 CONSELHO DE DOCENTES DO PRÉ-ESCOLAR CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é qualitativa e contínua com o objectivo de reconhecer

Leia mais

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO?

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? 1. O que é Deficiência Intelectual ou Atraso Cognitivo? Deficiência intelectual ou atraso cognitivo é um termo que se usa quando uma pessoa apresenta certas

Leia mais

http://obaudoeducador.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/profeducespecialfatimagomes CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES

http://obaudoeducador.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/profeducespecialfatimagomes CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES OBJETIVOS DA UFCD Reconhecer a importância dos vários fatores que condicionam o desenvolvimento da criança; Identificar teorias do desenvolvimento infantil

Leia mais

PROJETO. Saúde, um direito Cívico

PROJETO. Saúde, um direito Cívico PROJETO Saúde, um direito Cívico Projeto Mexa-se - Ano de 2014-2015 Página 1 " A manutenção da saúde assenta no contrariar a tendência para a redução de exercício. Não existe nenhuma forma de substituir

Leia mais

FORMAÇÃO 2013/ 2014 1. ACESSO A ESTRUTURAS. 1.2. Acesso a Estruturas c/ Resgate e Salvamento. 1.7. Acesso a Estruturas e Instalador de Linhas de Vida

FORMAÇÃO 2013/ 2014 1. ACESSO A ESTRUTURAS. 1.2. Acesso a Estruturas c/ Resgate e Salvamento. 1.7. Acesso a Estruturas e Instalador de Linhas de Vida FORMAÇÃO 2013/ 2014 1. ACESSO A ESTRUTURAS 1.1. Acesso a Estruturas 1.2. Acesso a Estruturas c/ Resgate e Salvamento 1.3. Verificação de Acesso a Estruturas 1.4. Acesso a Espaços Confinados 1.5. Instaladores

Leia mais

1. Identificação 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação 1

1. Identificação 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação 1 1. Identificação Agrupamento de Escolas Zona Urbana de Viseu Nº de crianças e idades abrangidas: 20 (3 aos 6 anos) Ano letivo: 2012/2013 2. Contextualização/Caracterização do grupo/justificação da planificação

Leia mais

ÍNDICE. 1. Finalidade Pág. 3. 2. Objectivos Gerais Pág. 3. 3. Objectivos Operacionais Pág. 3. 4. Perfil dos Formadores Pág. 4

ÍNDICE. 1. Finalidade Pág. 3. 2. Objectivos Gerais Pág. 3. 3. Objectivos Operacionais Pág. 3. 4. Perfil dos Formadores Pág. 4 ÍNDICE 1. Finalidade Pág. 3 2. Objectivos Gerais Pág. 3 3. Objectivos Operacionais Pág. 3 4. Perfil dos Formadores Pág. 4 5. Equipa Formativa Pág. 4 6. Perfil dos Formandos Pág. 4 7. Recursos Didácticos

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO-2009

PLANO DE FORMAÇÃO-2009 PLANO DE FORMAÇÃO-2009 - Associação Vicentina- Formação Modular Certificada (Destinatários: ) UFCD 4278- Animador- Perfil e Estatuto Profissional (25H) UFCD 4279- Animação Sociocultural- Áreas de Intervenção

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO

AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO (A PREENCHER PELA COMISSÃO DO PAA) Atividade Nº AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DE FRAGOSO Clube de adrez Professor Responsável Carlos Magalhães Ano letivo 2014/2015 Índice 1. Introdução 3 2. Objetivos

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Agrupamento de Escolas Serra da Gardunha - Fundão Ano Lectivo 2010/2011 Ensino Básico A avaliação escolar tem como finalidade essencial informar o aluno, o encarregado de educação e o próprio professor,

Leia mais

Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto -

Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto - Jornadas para a Cidadania Activa em Rede 2011 - Etapas de Construção de um Projecto - Instituto da Segurança Social, I.P. DDS/UQFT/Sector da Rede Social 30 de Junho de 2011 1 Construção de um projecto

Leia mais

CONCURSO. A nossa escola pela não violência

CONCURSO. A nossa escola pela não violência CONCURSO A nossa escola pela não violência O concurso A nossa escola pela não violência pretende premiar produtos e acções de sensibilização produzidos por alunos e alunas do 3º Ciclo do Ensino Básico

Leia mais

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública Universidade Atlântica 4.º Ano - Investigação Aplicada AVALIAÇÃO DO GRAU DE SENSIBILIZAÇÃO PARA A AMAMENTAÇÃO Projecto de Investigação Docente: Ana Cláudia

Leia mais

Educação Formação Avançada

Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada Unidade Científico- Pedagógica de Ciências da Educação

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Educação Pré-Escolar 2014/15 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em cada nível de educação e

Leia mais

Vínculo entre mãe e bebê

Vínculo entre mãe e bebê Vínculo mãe/bebê Vínculo entre mãe e bebê Tenha uma idéia audaciosa hoje. Amanhã ela já não será nova. O bebê precisa reconhecer quem cuida dele, por isso, precisa ser cuidado sempre pela mesma pessoa.

Leia mais

Planificação Disciplina de HSCG 2.º ano Módulos 5, 6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde

Planificação Disciplina de HSCG 2.º ano Módulos 5, 6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde Objetivos gerais: Planificação Disciplina de HSCG 2.º ano Módulos 5, 6 Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde 2015/2016 Explicar que as tarefas que se integram no âmbito de intervenção do/a técnico/a

Leia mais

PROJECTO EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE

PROJECTO EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE PROJECTO EDUCAÇÃO PARA A SAÚDE 2009/2010 Índice ÍNDICE... 1 1. IDENTIFICAÇÃO... 2 2. FUNDAMENTAÇÃO... 2 3. FINALIDADES/OBJECTIVOS... 3 4. ESTRATÉGIA OPERATIVA/METODOLOGIA... 3 4.1. PÚBLICO-ALVO... 3 4.2.

Leia mais

346. Secretariado e Trabalho Administrativo

346. Secretariado e Trabalho Administrativo 346. Secretariado e Trabalho Administrativo 346034 - Assistente Administrativo/a 6225 Técnicas de normalização documental 25 0628 Língua inglesa - técnicas de escrita 25 0632 Acolhimento e encaminhamento

Leia mais

Aos 4 anos. Desenvolvimento Psicológico. i dos Pais

Aos 4 anos. Desenvolvimento Psicológico. i dos Pais i dos Pais Aos 4 anos Aos 4 anos de idade várias competencias intelectuais e emocionais surgem mais integradas dando à criança um acréscimo de autonomia e iniciativa no contexto das relações com os adultos

Leia mais

Atividades do Projeto Educação para a Saúde

Atividades do Projeto Educação para a Saúde Atividades do Projeto Educação para a Saúde A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera que a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, não consistindo somente numa ausência de

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Critérios de Avaliação Educação Pré Escolar Departamento Educação Pré Escolar Ano letivo 2013/2014 A avaliação do processo permite reconhecer a pertinência e sentido

Leia mais

natura Campo de ferias surf adventures acampamento Verao 2010 Programa de Ocupação de Tempos Livres naturasines actividades de ar livre

natura Campo de ferias surf adventures acampamento Verao 2010 Programa de Ocupação de Tempos Livres naturasines actividades de ar livre acampamento Verao 2010 naturasines actividades de ar livre Programa de Ocupação de Tempos Livres Vem apanhar umas ondas connosco! A Naturasines, propõe um Programa de Férias em regime de acampamento, a

Leia mais

CARTA DE DIREITOS E DEVERES DA COMUNIDADE ACADÉMICA DA U.PORTO

CARTA DE DIREITOS E DEVERES DA COMUNIDADE ACADÉMICA DA U.PORTO Regulamentos CARTA DE DIREITOS E DEVERES DA COMUNIDADE ACADÉMICA DA U.PORTO Secção Permanente do Senado de 16 de Novembro de 2005 Exposição de Motivos O desenvolvimento de um projecto de qualidade educativa

Leia mais

Educação para os Media e Cidadania

Educação para os Media e Cidadania Educação para os Media e Cidadania Sara Pereira Instituto de Estudos da Criança Universidade do Minho Com este artigo procura-se reflectir sobre a educação para os media como uma forma e uma via de educar

Leia mais

NOTA INTRODUTÓRIA 2 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 3

NOTA INTRODUTÓRIA 2 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 3 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA 2 1. ENQUADRAMENTO LEGAL 3 1.1 Formação do Pessoal Docente 3 1.2 Formação do Pessoal Não Docente 4 1.3 Formação orientada para os alunos 4 1.4 Formação orientada para os pais e

Leia mais

CAFAP Traços e Trajetos Serviço de Desenvolvimento para a Autonomia REGULAMENTO INTERNO

CAFAP Traços e Trajetos Serviço de Desenvolvimento para a Autonomia REGULAMENTO INTERNO CAFAP Traços e Trajetos Serviço de Desenvolvimento para a Autonomia REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º (Disposições gerais) A Associação para o Planeamento da Família (APF) - Instituição

Leia mais

Plano Anual de Actividades

Plano Anual de Actividades 2015 2015 CENTRO SOCIAL DA SÉ CATEDRAL DO PORTO Plano Anual de Actividades Resposta Social: Centro Comunitário Porto, 2015 1. INTRODUÇÃO O presente plano tem o intuito de programar estrategicamente a intervenção

Leia mais

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses No Marco Sabemos Mais Sobre @ Doenças Sexualmente Transmissíveis / Métodos Contracetivos (SMS@DST) Dia iagnóstico de Situação na Escola Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses Realizado pela: ASSOCIAÇÃO

Leia mais

DEPARTAMENTO DA IGUALDADE E COMBATE

DEPARTAMENTO DA IGUALDADE E COMBATE DEPARTAMENTO DA IGUALDADE E COMBATE ÀS DISCRIMINAÇÕES Plano de Trabalho 2006/2007 PELA DIVERSIDADE! CONTRA AS DISCRIMINAÇÕES NOS LOCAIS DE TRABALHO Fevereiro de 2006 2 ÍNDICE TEMA Nº. PÁG. Introdução 3

Leia mais

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016

FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 FORMAÇÃO ACREDITADA PARA PROFESSORES 2015/2016 QUEM SOMOS A APF Associação para o Planeamento da Família, é uma Organização Não Governamental com estatuto de IPSS (Instituição Particular de Solidariedade

Leia mais

Plano de Contingência UCP

Plano de Contingência UCP Universidade Católica Portuguesa Plano de Contingência UCP Lisboa Sede Campus de Sintra Residência Universitária Feminina Pandemia de Gripe A (H1N1) Lisboa-Versão02-28 Setembro 09 Índice 1. LISTA DE SIGLAS

Leia mais

FICHA DO PROJECTO. Desporto para todos. Fundação Aragão Pinto - IPSS

FICHA DO PROJECTO. Desporto para todos. Fundação Aragão Pinto - IPSS FICHA DO PROJECTO Desporto para todos Nome do Projecto: Sport For All - Desporto e Inovação Objectivos do projecto:. Envolvimento de jovens na criação de um programa inovador de prevenção e integração

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR MÊS Setembro TEMA Adaptação das Crianças PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR ACTIVIDADES PEDAGÓGICAS

Leia mais

JOVENS TÉCNICOS PARA O AMBIENTE

JOVENS TÉCNICOS PARA O AMBIENTE 1. Apresentação JOVENS TÉCNICOS PARA O AMBIENTE O INOV-JOVEM, é um programa destinado a estimular o processo de inovação e desenvolvimento nas PME portuguesas, permitindo assim, a promoção de um emprego

Leia mais

PORTEFÓLIO. Escola Secundária José Saramago - Mafra

PORTEFÓLIO. Escola Secundária José Saramago - Mafra PORTEFÓLIO Ana Lúcia Reis Ferreira Cardoso ana.ferreiracardoso1@sapo.pt 917606856 Mafra Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos nº. 5347 Certificado de Competências Pedagógicas de Formador EXPERIÊ CIA PROFISSIO

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância nº2 ( Brejo ) Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Agrupamento de Escolas de Samora Correia Direcção Executiva Conselho

Leia mais

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM

CURRÍCULO 1º ANO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM CURRÍCULO do ENSINO UNDAMENTAL LINGUAGEM ORALIDADE Formar frases com seqüência e sentido. Relacionar palavras que iniciam com vogais. Associar primeira letra/som em palavras iniciadas por vogal. Falar

Leia mais

PROJECTO ESCOLA ACTIVA

PROJECTO ESCOLA ACTIVA PROJECTO ESCOLA ACTIVA INTRODUÇÃO A obesidade infantil tornou-se, desde os princípios dos anos 80 a doença nutricional pediátrica mais prevalente a nível mundial, não atingindo apenas os países desenvolvidos

Leia mais

PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO

PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO 1 PLANO DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS 2012 FORMAÇÃO DE TREINADORES FEDERAÇÃO PORTUGUESA DO PENTATLO MODERNO 2 1. Introdução O processo de adaptação e ajustamento ao PNFT entra em 2012 na sua fase terminal

Leia mais

Dados Pessoais. Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - E - mail: Outros contactos:

Dados Pessoais. Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - E - mail: Outros contactos: Errata Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E - mail: Outros contactos: 1 Edição Instituto da Segurança Social, I.P. Coordenação e Supervisão Técnica Departamento

Leia mais

Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania. Adelina Machado João Carlos Sousa

Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania. Adelina Machado João Carlos Sousa Ciências / TIC na Escola Dimensões de Cidadania Adelina Machado João Carlos Sousa Ser cidadão hoje... é algo de complexo... integra na construção da sua identidade duas dimensões: uma referente às pertenças

Leia mais

Enquadramento Legal. Obrigações do Empregador (Código do Trabalho, artigo 273.º)

Enquadramento Legal. Obrigações do Empregador (Código do Trabalho, artigo 273.º) Emergência Acontecimento não planeado que pode causar mortes e danos significativos em Colaboradores, Clientes, Público e Infraestruturas da empresa. Poderá afectar temporariamente determinadas áreas da

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Profissional Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de Matemática

Leia mais

dores do parto parto É muito importante estarem conscientes da origem natural e saudável das dores que estão a sentir entrevista

dores do parto parto É muito importante estarem conscientes da origem natural e saudável das dores que estão a sentir entrevista doresde1:layout 1 11/19/08 10:32 PM Page 24 dores do As dores de constituem um dos maiores medos para as futuras mães. Saber o que fazer e como lidar com as dores pode ajudá-la a enfrentar o trabalho de

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais

PROJETO DE ACOMPANHAMENTO DE DESPORTO ESCOLAR

PROJETO DE ACOMPANHAMENTO DE DESPORTO ESCOLAR UNIVERSIDADE TÉCNICA DE LISBOA FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA ESCOLA SECUNDÁRIA FERNANDO NAMORA Ano Letivo 2012/2013 PROJETO DE ACOMPANHAMENTO DE DESPORTO ESCOLAR - Badminton - Orientadores: Professor

Leia mais

O paradoxo da creche: lugar de acolhimento, lugar de separação A influência das práticas institucionais na creche sobre a saúde mental dos bebês

O paradoxo da creche: lugar de acolhimento, lugar de separação A influência das práticas institucionais na creche sobre a saúde mental dos bebês O paradoxo da creche: lugar de acolhimento, lugar de separação A influência das práticas institucionais na creche sobre a saúde mental dos bebês Regina Orth de Aragão Sumário Breve histórico. O acolhimento

Leia mais

Palestras. Manuseio de Cargas - Levantamento Correto de Peso - Posicionamento - Orientações posturais no ambiente de trabalho.

Palestras. Manuseio de Cargas - Levantamento Correto de Peso - Posicionamento - Orientações posturais no ambiente de trabalho. Palestras Comitê de Ergonomia Dicas de Ergonomia e Bem-Estar - Saúde Ocupacional áreas de atuação - Ergonomia (definição) - Comitê de ergonomia (definição) - Criação do comitê - Missões - Intervenção ergonômica

Leia mais

Plano Anual de Actividades

Plano Anual de Actividades 2016 2016 CENTRO SOCIAL DA SÉ CATEDRAL DO PORTO Plano Anual de Actividades Resposta Social: Centro Comunitário Porto, 2016 1. INTRODUÇÃO O presente plano tem como objectivo definir e delinear estratégias

Leia mais

Ficha Técnica. TÍTULO Plano de Formação 2014-2015 EDIÇÃO COORDENAÇÃO TÉCNICA REVISÃO, DESIGN E PAGINAÇÃO PERIODICIDADE DATA

Ficha Técnica. TÍTULO Plano de Formação 2014-2015 EDIÇÃO COORDENAÇÃO TÉCNICA REVISÃO, DESIGN E PAGINAÇÃO PERIODICIDADE DATA Ficha Técnica TÍTULO Plano de Formação 2014-2015 EDIÇÃO Divisão de Gestão de Recursos Humanos Rua Dr. Manuel de Arriaga nº 7 2674-501 Loures Telefone: 21 115 12 51 E-mail: dgrh@cm-loures.pt www.cm-loures.pt

Leia mais

C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico

C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico Plano de Formação para a Certificação de Competências TIC Nível 2-2010 C406. Ensino e Aprendizagem com TIC na Educação Pré-Escolar e no 1.º Ciclo do Ensino Básico - TURMA C - Formadores: Eunice Macedo

Leia mais

Despertar os sentidos!

Despertar os sentidos! Despertar os sentidos! Tudo o que conhecemos chega-nos, de uma forma ou de outra, através de sensações sobre as realidades que nos rodeiam. Esta consciência sensorial pode e deve ser estimulada! Quanto

Leia mais

762. Trabalho Social e Orientação. 762191_RFA - Agente em Geriatria. Qualificação de Pessoas com Deficiência ou Incapacidade

762. Trabalho Social e Orientação. 762191_RFA - Agente em Geriatria. Qualificação de Pessoas com Deficiência ou Incapacidade REFERENCIAL DE FORMAÇÃO ADAPTADO (RFA) Pessoas com Deficiências e Incapacidades (PCDI) EM VIGOR Área de Educação e Formação Código e Designação do Referencial de Formação 762. Trabalho Social e Orientação

Leia mais

2010/2011. Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L.

2010/2011. Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L. Plano de 2010/2011 Instituto de S. Tiago, Cooperativa de Ensino C.R.L. Plano de de Pessoal Docente e Não Docente 2010/11 INTRODUÇÃO O Plano de do Instituto de S. Tiago surge da cooperação entre todas as

Leia mais