Curso Gestão da Qualidade Qualidade de Serviços

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Curso Gestão da Qualidade Qualidade de Serviços"

Transcrição

1 Gestão da Qualidade Qualidade em Serviços Clientes Diferentes... Expectativas Diferentes Resultados Diferentes 1

2 Parte 1 Serviços: Definições e Características Gerais O Crescimento dos Serviços País USA CANADA JAPÃO FRANÇA ISRAEL ITALIA CHINA Brasil

3 Estados Unidos Primeira economia de serviços do mundo; 74% do PIB corresponde a serviços (1997) 73% dos empregos corresponde a serviços (1993) 30% das exportações são relativas a empresas de serviços; Superávit nos Serviços Déficit nos produtos. Bens versus Serviços Bens Serviços 100% % I...Postos de gasolina com auto-atendimento...i I...Computador Pessoal......I I...Fotocópia...I I......Restaurantes fast-food.. I I.Restaurantes a la carte..i I..Oficinas de automóveis...i I...Transporte aéreo...i...cabeleireiros...i 3

4 Bens versus Serviços Bens na maioria Serviços na maioria Facilidade de Avaliar Roupas Jóias Móveis Casas Automóveis Refeições fora Férias Cortes de Cabelo Creches Bens na maioria Consertos Televisão Serviços Públicos Tratamento Dentário Conserto Automóveis Consultas Médicas Dificuldade de Avaliar Necessidade de pesquisa Necessidade de experimentação Necessidade de credibilidade Bens versus Serviços BENS SERVIÇOS Tangibilidade Sim Não Participação do Cliente Não Sim Produção e Consumo Distintos Simultâneos Esforço pela Qualidade No Produto Com o Cliente Expectativas dos Clientes Estáticas Dinâmicas Patente Sim Muito Difícil Padronização Fácil Muito Difícil 4

5 Marketing versus Operações Na Manufatura Marketing Produção Operações Nos Serviços Front Office Mktg e Operações Back Room Operações Integração Marketing e Operações Marketing Operações Expectativa do serviço a ser prestado Percepção do serviço prestado Avaliação do serviço pelo cliente 5

6 Sistema de Operações de Serviço Front Office (Linha de frente) Alto contato com o cliente Incerteza Variabilidade Difícil controle Back Room (Retaguarda) Baixo contato com o cliente Previsibilidade Padronização Melhor controle Salão de Restaurante Cozinha de Restaurante Como classificar Op de Serviços? Parâmetros Ênfase dada as pessoas ou equipamentos no processo Ênfase no Front Office ou no Back Room Ênfase no Produto ou no Processo Grau de contato com o cliente Grau de personalização Grau de Autonomia dos funcionários 6

7 Classificação Ênfase em Pessoas Front Office Processo Alto Grau de Contato Personalização Autonomia Ênfase em Equipamentos Back Room Produto Baixo Grau de Contato Personalização Autonomia Serviços Profissionais Consultoria Banco (pessoa Jurídica) Serviço Médico Assistência Técnica Loja de Serviços Banco (pessoa física) Restaurantes Hotelaria Varejo em geral Serviços em Massa Transporte Urbano Cartão de Crédito Telefonia Varejo de Revistas Baixo Médio Grande Número de Clientes processados por dia Parte 2 Qualidade em Serviços 7

8 Dimensões da Qualidade Produto Desempenho Características Conformidade Durabilidade Assistência Técnica Estética Qualidade Observada Serviço Confiabilidade Responsabilidade/ Prestabilidade Garantia Empatia Tangebilidade 15 Momentos da Verdade Ciclo de Serviço = Momentos da verdade 8

9 Fim do ciclo 17 Sair do estacionamento 13 Pagar pela Compra 12 Registrar os Produtos no Caixa 16 Guardar Compras 15 Levar as Compras até o Carro 14 Empacotar as Compras Ciclo do Serviço Início de ciclo 1 Entrar no estacionamento 2 Encontrar lugar para estacionar 3 - Entrar no supermercado 4 Conseguir um carrinho 11 Esperar a vez 10 Escolher e entrar em uma fila 9 Conferir Lista de Compras 5 Obter informações na seção do cliente 6 Decidir itinerário 7 Escolher os Produtos 8 Pedir ajuda a um funcionário Necessidades Versus Expectativas Comunicação boca a boca Experiência anterior Comunicações externas Necessidades pessoais EXPECTATIVAS DO CLIENTE 9

10 Processo de Avaliação Expectativas antes da compra EXPECTATIVAS Excedidas QUALIDADE Ideal Percepção do cliente Atendidas Não Atendidas Satisfatória Inaceitável Comunicação Boca a Boca Necessidades Pessoais Experiências Passadas Cliente PERCEPÇÃO do Cliente Fornecedor Prestação do serviço Comunicações Externas aos Consumidores Tradução das Percepções em especificações de Serviços Percepções da Gerência sobre as expectativas do Consumidor MODELO CONCEITUAL SERVQUAL 10

11 Comunicação Boca a Boca Necessidades Pessoais Experiências Passadas Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes Cliente Fornecedor Gap 3 Prestação do Serviço Gap 4 Comunicações Externas aos Consumidores Gap 1 Tradução das Percepções em especificações de Serviços Gap 2 Percepções da Gerência sobre as expectativas do Consumidor SERVQUAL modelo dos Gaps Gap 5 A Falha na Qualidade Percebida do Serviço Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes Possíveis Razões: Qualidade confirmada negativamente (má qualidade) e problemas com a qualidade. Má comunicação boca-a-boca. Negócios perdidos 11

12 ANALISE DAS EXPECTATIVAS Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes A Excelentes Empresa Empresas XXXXXXXXXX de YYYYYYYYYY Discordo totalmente Discordo em parte É indiferente Concordo em parte Concordo totalmente 1 Possuem equipamentos e sistemas modernos. 2 Possuem instalações físicas visualmente atraentes. 3 Têm funcionários com boa aparência bem vestidos e limpos. 4 Cumprem sempre à risca (sem adiantamentos ou atrasos) todos os prazos a que se comprometem. 5 São solidárias e prestativas quando os seus clientes enfrentam dificuldades em questões burocráticas relativas à sua compra. 6 Preocupam-se em manter os cadastros e informações de seus clientes de forma correta e atualizada. 7 Operam sempre nos horários mais convenientes aos seus clientes. 8 Têm funcionários de apoio que entendem as necessidades de seus clientes Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes ANALISE DA PERCEPÇÃO A Empresa XXXXXXXXXX Discordo totalmente Discordo em parte É indiferente Concordo em parte Concordo totalmente 1 Possuem equipamentos e sistemas modernos. 2 Possuem instalações físicas visualmente atraentes. 3 Têm funcionários com boa aparência bem vestidos e limpos. 4 Cumprem sempre à risca (sem adiantamentos ou atrasos) todos os prazos a que se comprometem. 5 São solidárias e prestativas quando os seus clientes enfrentam dificuldades em questões burocráticas relativas à sua compra. 6 Preocupam-se em manter os cadastros e informações de seus clientes de forma correta e atualizada. 7 Operam sempre nos horários mais convenientes aos seus clientes. 8 Têm funcionários de apoio que entendem as necessidades de seus clientes 12

13 Dimensões da SERVQUAL Tangibilidade a aparência das instalações físicas, dos equipamentos, do pessoal e dos materiais. Confiabilidade a capacidade de prestar o serviço prometido com confiança e exatidão. Responsabilidade a disposição para auxiliar os clientes e fornecer o serviço prontamente. Segurança o conhecimento e a cortesia dos funcionários e a sua capacidade de transmitir confiança e confidencialidade. Empatia a demonstração de atenção personalizada aos clientes. Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes PONDERAÇÃO das Dimensões da Qualidade de Serviços Tangibilidade Confiabilidade Responsabilidade Segurança Empatia DIMENSÃO A aparência das instalações, dos equipamentos, do pessoal e dos materiais da empresa A capacidade da empresa de realizar os serviços de forma confiável e precisa. O desejo e a disponibilidade da empresa para ajudar os seus clientes e prestar serviços. O conhecimento e a cortesia dos funcionários da empresa e sua habilidade de inspirar confiança e segurança O cuidado e atenção individual que a empresa fornece aos seus clientes Grau de Importância Atribui-se valor ao Grau de Importância, com a condição de que se totalize 100 pontos 13

14 Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes As Dimensões escondidas... TANGIBILIDADE CONFIABILIDADE RESPONSABILIDADE 1 Possuem equipamentos e sistemas modernos. 2 Possuem instalações físicas visualmente atraentes. 3 Têm funcionários com boa aparência bem vestidos e limpos. Cumprem sempre à risca (sem adiantamentos ou atrasos) todos 4 os prazos a que se comprometem. São solidárias e prestativas quando os seus clientes enfrentam 5 dificuldades em questões burocráticas relativas à sua compra. Preocupam-se em manter os cadastros e informações de seus 6 clientes de forma correta e atualizada. Operam sempre nos horários mais convenientes aos seus 7 clientes. Têm funcionários de apoio que entendem as necessidades de 8 seus clientes Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes Caso Real Escola de Idiomas Escolas de Idiomas Expec Percepção P - E Possuem equipamentos e sistemas modernos. 4,13 4,17 0,03 Possuem instalações físicas visualmente atraentes. 4,50 4,83 0,33 Tangibilidade Têm professores e funcionários com boa aparência 4,73 5,00 0,27 bem vestidos e limpos. 4,46 4,67 0,21 Escolas de Idiomas Cumprem sempre à risca (sem adiantamentos ou atrasos) todos os prazos a que se comprometem. São solidárias e prestativas quando os alunos Confiabilidade enfrentam dificuldades no aprendizado de idiomas ou em questões burocráticas relativas à escola. Preocupam-se em manter seus cadastros e informações relativas aos alunos corretas e atualizadas. Expec Percepção P - E 4,47 4,70 0,23 4,70 4,67 (0,03) 4,90 4,73 (0,17) 4,69 4,70 0,01 14

15 Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes Caso Real Escola de Idiomas Professores de Escolas de Idiomas Expec Percepção P - E Inspiram segurança aos alunos em função de seu Empatia comportamento. 4,77 4,93 0,17 São sempre educados com os alunos. 5,00 4,97 (0,03) Dão atenção individualizada aos alunos. 4,27 4,50 0,23 4,68 4,80 0,12 Gap 5 PERCEPÇÃO dos Clientes Caso Real Escola de Idiomas Dimensão Direção Prof Func Alunos Tangibilidade 2,00 2,00 2,00 1,93 Confiabilidade 2,00 1,67 1,75 1,97 Responsabilidade 2,00 1,33 3,00 1,67 Segurança 2,00 3,00 1,75 2,30 Empatia 2,00 2,00 1,50 2,07 15

16 Quais as possíveis causas destes outros Gaps? Cliente Fornecedor Gap 3 Prestação do Serviço Gap 4 Comunicações Externas aos Consumidores Gap 1 Tradução das Percepções em especificações de Serviços Gap 2 Percepções da Gerência sobre as expectativas do Consumidor Gap 1 A Falha na Percepção Gerencial Cliente Gap 1 Fornecedor Percepções da Gerência sobre as expectativas do Consumidor Questionário especifico: 9 questões Possíveis Causas: Orientação Equivocada de Pesquisas de Marketing Comunicação Deficiente (entre a interface da empresa com os clientes e o nível gerencial superior) Excesso de níveis organizacionais 16

17 Gap 1 - A Falha na Percepção Gerencial Excelentes Empresas de XXXXXXXXXX (Clientes) Discordo totalmente Discordo em parte É indiferente Concordo em parte Concordo totalmente Nossos clientes gostariam que Excelentes Empresas de XXXXXXXXXX (Gerentes) 1 Possuem equipamentos e sistemas modernos. 2 Possuem instalações físicas visualmente atraentes. 3 Têm funcionários com boa aparência bem vestidos e limpos. 4 Cumprem sempre à risca (sem adiantamentos ou atrasos) todos os prazos a que se comprometem. 5 São solidárias e prestativas quando os seus clientes enfrentam dificuldades em questões burocráticas relativas à sua compra. 6 Preocupam-se em manter os cadastros e informações de seus clientes de forma correta e atualizada. 7 Operam sempre nos horários mais convenientes aos seus clientes. 8 Têm funcionários de apoio que entendem as necessidades de seus clientes Gap 2 A Falha na Especificação da Qualidade Gap 2 Tradução das Percepções em especificações de Serviços Percepções da Gerência sobre as expectativas do Consumidor Questionário especifico: 11 questões Possíveis Causas: Falta de estabelecimento de metas claras na organização. Padronização de Tarefas Deficiente 17

18 Gap 3 A Falha na Prestação do Serviço Gap 3 Prestação do Serviço Tradução das Percepções em especificações de Serviços Questionário especifico: 24 questões Possíveis Causas: Falta de Espírito de Time Adequação do Empregado a Tarefa Adequação do Empregado a Tecnologia Percepção de Controle Sistemas de Supervisão Conflito de Papéis Ambigüidade de Papéis Gap 3 - A Falha na Prestação do Serviço Questionário a ser Respondido pelos Funcionários Discordo totalmente Discordo em parte É indiferente Concordo em parte Concordo totalmente 1 Sinto que faço parte de uma equipe na XXXXXX 2 Todos na XXXXXX contribuem no esforço da equipe em servir bem nossos clientes 3 Sinto responsabilidade em ajudar meus companheiros em realizar seus serviços bem. 4 Meus companheiros e eu cooperamos, mais do que competimos entre nós. 5 Sinto que sou importante na XXXXXX. 6 Tenho liberdade, em meu trabalho, para verdadeiramente satisfazer nossos clientes 7 Às vezes sinto falta de controle sobre meu trabalho, pois muitos clientes exigem minha atenção ao mesmo tempo. 8 Uma de minhas frustrações no trabalho é que dependo de outros funcionários para servir os clientes. 9 Na XXXXXX, fazer um esforço extra para satisfazer os clientes traz benefícios e reconhecimento. Na XXXXXX, os funcionários que realizam bem seu trabalho 10 provavelmente serão melhor recompensados do que aqueles que não trabalham bem. 18

19 Gap 3 - A Falha na Prestação do Serviço Possíveis Causas da Falha Trabalho em Equipe Percepção de Controle Sistemas de Supervisão Sinto que faço parte de uma equipe na XXXXXX Todos na XXXXXX contribuem no esforço da equipe em servir bem nossos clientes Sinto responsabilidade em ajudar meus companheiros em realizar seus serviços bem. Meus companheiros e eu cooperamos, mais do que competimos entre nós. Sinto que sou importante na XXXXXX.. Tenho liberdade, em meu trabalho, para verdadeiramente satisfazer nossos clientes Às vezes sinto falta de controle sobre meu trabalho, pois muitos clientes exigem minha atenção ao mesmo tempo. Uma de minhas frustrações no trabalho é que dependo de outros funcionários para servir os clientes. Na XXXXXX, fazer um esforço extra para satisfazer os clientes traz benefícios e reconhecimento. Na XXXXXX, os funcionários que realizam bem seu trabalho provavelmente serão melhor recompensados do que aqueles que não trabalham bem. Gap 3 Trabalho em Equipe Percepção de Controle Sistemas de Supervisão Prestação do Serviço Tradução das Percepções em especificações de Serviços Caso Real Escola de Idiomas F P Sinto que sou parte de uma equipe na... 4,00 5,00 Todos na... contribuem no esforço da equipe em servir bem nossos alunos. 3,00 4,67 Sinto responsabilidade em ajudar meus companheiros em realizar seus serviços bem. 5,00 5,00 Meus companheiros e eu cooperamos, mais do que competimos entre nós. 4,50 4,67 Sinto que sou importante na... 3,00 4,67 Tenho liberdade, em meu trabalho, para verdadeiramente satisfazer nossos alunos. 2,00 3,67 Às vezes sinto falta de controle sobre meu trabalho, pois muitos alunos exigem minha atenção ao mesmo tempo. Uma de minhas frustrações no trabalho é que dependo de outros funcionários/professores para servir os alunos. Na..., fazer um esforço extra para satisfazer os alunos traz benefícios e reconhecimento. Na..., os professores/funcionários que realizam bem seu trabalho provavelmente serão melhor recompensados do que aqueles que não trabalham bem. 1,00 2,50 3,00 4,00 3,00 4,67 3,50 2,67 19

20 Gap 4 A Falha na Comunicação com o mercado Prestação do Serviço Gap 4 Comunicações Externas aos Consumidores Questionário especifico: 6 questões Possíveis Razões: Coordenação inexistente ou deficiente entre o marketing tradicional e as operações. Prometer demais e fazer de menos. 20

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 03 Projeto de Serviço

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços 03 Projeto de Serviço Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 3 Projeto de Serviço BENS VERSUS SERVIÇOS BENS SERVIÇOS Tangibilidade Sim Não Participação do Cliente Não Sim Produção e Consumo Distintos Simultâneos Esforço

Leia mais

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços

(LOQ4208) Processos da Indústria de Serviços Processos da Indústria de Serviços (LOQ4208) 10 Síntese Curso CRONOGRAMA - CURSO Data Assunto Detalhamento 8/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 15/mar Op. Serviço EC: Cumbuca 2 grupos (10%) 22/mar

Leia mais

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

XXVI$ENANGRAD$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ XXVIENANGRAD AVALIAÇÃO DA QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA AMAZÔNIA SETENTRIONAL: UM LEVANTAMENTO ACERCA DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA REGIÃO CENTRAL DE BOA VISTA Juliana Matos Eduardo Codevilla Soares

Leia mais

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes

Desempenho de Operações. EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Desempenho de Operações EAD 0763 Aula 2 Livro Texto Cap.2 Leonardo Gomes Agenda da aula 1 Desempenho de operações 2 Estudo de caso Capítulo 2- Desempenho de Operações Desempenho de operações Como avaliar

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei

GESTÃO DE SERVIÇOS. Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Prof. Líslei GESTÃO DE SERVIÇOS Os serviços são responsáveis por um crescimento de 79% no total de empregos. Conceito de Serviço Serviço é qualquer ato ou desempenho, essencialmente intangível, que uma parte pode oferecer

Leia mais

ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA

ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA ANÁLISE IMPORTÂNCIA-DESEMPENHO APLICADA À AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE SERVIÇO DE UMA ACADEMIA DE GINÁSTICA Carolina Gimenes Ferreira (USP) carolina.gf@outlook.com Catharina Teston Vasconcelos (USP) catharinavas@gmail.com

Leia mais

Projeto em Gestão da Produção PROJETO DE PROCESSOS TIPOS DE PROCESSOS Cap 4 Slack

Projeto em Gestão da Produção PROJETO DE PROCESSOS TIPOS DE PROCESSOS Cap 4 Slack AULA 7 ADMINSTRAÇÃO DA PRODUÇÃO Projeto em Gestão da Produção PROJETO DE PROCESSOS TIPOS DE PROCESSOS Cap 4 Slack Localizacao Capacidade Pessoal Layout Tecnologia Fornecedores Produtos Processos Estoques

Leia mais

4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS

4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS 4. QUALIDADE PERCEBIDA EM SERVIÇOS O CONCEITO DE QUALIDADE Existem várias definições para o termo qualidade na literatura, não havendo um consenso entre os diversos autores. Garvin (1984) agrupou as várias

Leia mais

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal

Síntese do Relatório. Avaliados Gerente Parceiro Colaborador Cliente Você Mesmo Subtotal Síntese do Relatório Avaliados Parceiro Colaborador Cliente Subtotal Respondido 1 3 2 1 1 8 Convidado 1 4 4 4 1 14 Escala de Classificação Escala Discordo Plenamente 1 Discordo 2 Neutro 3 Concordo 4 Concordo

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE: DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS

ATENDIMENTO AO CLIENTE: DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS Visa a ampliar a visão de empresários quanto à necessidade de aperfeiçoar o atendimento a clientes como forma de construir

Leia mais

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0

Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos 3D.ACDEMY.COM.BR COMO GERAR RENDA COM PROJETO VERSÃO 1.0 Aprenda a Gerar Renda Utilizando Seus Conhecimentos em Promob e Projetos CAIO HENRIQUE TEODORO DOS SANTOS Página 1 Versão 1.0 2013 Esforcei-me ao máximo para transmitir em poucas páginas algumas dicas

Leia mais

Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço

Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço Marketing de Serviços Parte 02 O envolvimento do cliente em encontros de serviço Os tipos de encontro de serviço Um encontro de serviço é um período de tempo durante o qual clientes interagem diretamente

Leia mais

Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados

Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados Centro Universitário Fundação Santo André Faculdade de engenharia Eng. Celso Daniel Relatório Final Gestão da qualidade em serviços: Aplicação do instrumento SERVQUAL em supermercados Aluna: Fabiana Miki

Leia mais

Para se construir um Negócio Online de Sucesso, você precisa definir muito bem a BASE da sua empresa, para depois, partir para o planejamento e

Para se construir um Negócio Online de Sucesso, você precisa definir muito bem a BASE da sua empresa, para depois, partir para o planejamento e Para se construir um Negócio Online de Sucesso, você precisa definir muito bem a BASE da sua empresa, para depois, partir para o planejamento e estruturação do seu negócio. A Base bem definida é como o

Leia mais

REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011

REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011 REMUNERAÇÃO ESTRATÉGICA SETEMBRO 2.011 AS EMPRESAS Mapa Estratégico Menos níveis hierárquicos Foco no Cliente Novas Lideranças Gestão por processos O RH parceiro da estratégia Terceirizações Foco no core

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE PERCEBIDA EM EMPRESAS DE TELECOMUNICAÇÕES DA CIDADE DO RECIFE: UM ESTUDO DE CASO Rebecca Pires dos Santos (UFPE) rebecca.piress@hotmail.com Marcella Brito Galvao (UFPE) marcella_brito@yahoo.com.br

Leia mais

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente?

Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? Revista da ESPM -101 Varejo: será que o foco está mesmo no cliente? FÁTIMA MOTTA Graduada em Administração de Empresas (FMU) e Comunicação (ECA/USP) Pós -Graduada em Administração de Empresas (PUC/SP)

Leia mais

Gustavo Malavota Administrador Vendedor Palestrante Professor de Marketing

Gustavo Malavota Administrador Vendedor Palestrante Professor de Marketing Gustavo Malavota Administrador Vendedor Palestrante Professor de Marketing Gustavo Malavota Módulo Consultoria Diretor de Planejamento Experiência Profissional: SENAC-Rio em 2007 como especialista e coordenador

Leia mais

XXXIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO

XXXIII ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUCAO VALORAÇÃO DA PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO URBANO, EM TERMOS DE QUALIDADE EM SERVIÇOS PRESTADOS POR UMA EMPRESA DE VIAÇÃO, NA CIDADE DE ARACAJU - SE: UM ESTUDO DE CASO

Leia mais

Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto

Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto Universidade Federal de Santa Catarina Programa de Pós-Graduação em Eng. e Gestão do Conhecimento Um Modelo de Indicadores de Desempenho em e-commerce Pré-projeto Rafael Tezza Introdução Clientes de e-commerce

Leia mais

Estoque. Como controlar o estoque

Estoque. Como controlar o estoque Estoque Como controlar o estoque Por que é necessário controlar o estoque? Reduzir custos Se há excesso em estoque A empresa terá custos operacionais para manter o estoque, isto significa capital empatado

Leia mais

1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO?

1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO? 1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO? Depende de cada caso. De acordo com o art. 52, 1, do CDC - Código de Defesa do Consumidor, quando o fornecimento de produtos

Leia mais

Pesquisa sobre a Demanda Atual

Pesquisa sobre a Demanda Atual Pesquisa sobre a Demanda Atual Perfil 01. Nome completo do respondente: 02. Telefone de contato (DDD): 03. E-mail: 04. Estado da Empresa: 05. Cidade da Empresa: 06. Sexo: 1. Masculino 2. Feminino 07. Qual

Leia mais

Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas

Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas Método servqual: um estudo de satisfação em uma escola de idiomas Leonardo Francisco Figueiredo Neto (UFMS) lffneto@nin.ufms.br Leandro Sauer (UFMS) sauer@uol.com.br Gerusa Rodrigues Cruvinel Borges (UFMS)

Leia mais

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL

RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL RECURSOS HUMANOS COMO FATOR DE EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Por quê o lado humano dos negócios está emergindo como uma indispensável vantagem competitiva? Era Industrial Taylor e Fayol Era do Conhecimento Tecnologia

Leia mais

Sob as lentes de. Cristina Buzatto

Sob as lentes de. Cristina Buzatto Sob as lentes de Cristina Buzatto O Laboratório Technopark completou dois anos de operação em abril de 2011, uma das primeiras grandes investidas da Essilor neste setor, no Brasil. Falamos com Cristina

Leia mais

Objetivos. Produto da Consultoria. Consolidação do Profissional como Consultor. Prof. Carlos William de Carvalho. Produto:

Objetivos. Produto da Consultoria. Consolidação do Profissional como Consultor. Prof. Carlos William de Carvalho. Produto: Consolidação do Profissional como Consultor Prof. Carlos William de Carvalho Objetivos Quais aspectos a serem considerados para que uma pessoa se torne consultor empresarial? Como definir e qual a importância

Leia mais

QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: ESTUDO EM MICROEMPRESAS DE JOÃO PESSOA UTILIZANDO A ESCALA SERVQUAL

QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: ESTUDO EM MICROEMPRESAS DE JOÃO PESSOA UTILIZANDO A ESCALA SERVQUAL Grupo Temático: Estratégias e Políticas de Gestão QUALIDADE NO ATENDIMENTO AO CLIENTE: ESTUDO EM MICROEMPRESAS DE JOÃO PESSOA UTILIZANDO A ESCALA SERVQUAL UFPB - Universidade Federal da Paraíba Cidade

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino.

ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. 1 ANÁLISE DA QUALIDADE DE SERVIÇO PERCEBIDA: aplicação do modelo SERVQUAL em uma Instituição de Ensino. RESUMO Camila Rezende Bambirra 1 Ronaldo Maciel Guimarães 2 Este artigo tem como objetivo Identificar

Leia mais

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos

Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Princípios Gerais de Negócios da ARCADIS Logos Conteúdo 1 Página Capítulo 2 1. Introdução 3 2. Nossos Compromissos 3! Compromissos com a sociedade 3! Compromissos para com os clientes 4! Compromissos para

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção

Curso de Engenharia de Produção. Noções de Engenharia de Produção Curso de Engenharia de Produção Noções de Engenharia de Produção Histórico: - Um dos registros mais antigos de produção gerenciada data de cerca de 5.000 a.c.: monges sumérios já contabilizavam seus estoques,

Leia mais

Pesquisa: Estratégias para o varejo brasileiro Reflexões sobre os anseios do consumidor

Pesquisa: Estratégias para o varejo brasileiro Reflexões sobre os anseios do consumidor Pesquisa: Estratégias para o varejo brasileiro Reflexões sobre os anseios do consumidor A pesquisa revela que o consumidor brasileiro está cada vez mais exigente. Com isso, o varejista precisa estar atento

Leia mais

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes.

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Administração de Vendas Planejamento, direção e controle

Leia mais

8. Atividades, projetos ou processos em que se desdobram as ações:

8. Atividades, projetos ou processos em que se desdobram as ações: FORMULÁRIO DO PLANO DE TRABALHO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 1. CICLO DE AVALIAÇÃO: 2. UNIDADE ORGANIZACIONAL (UNIDADE DE AVALIAÇÃO): CHEFE DA UNIDADE 3. NOME: CHEFE DO PLANO DE TRABALHO 4. MATRÍCULA: 5.

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

LOJAS VIRTUAIS COMPLETAS

LOJAS VIRTUAIS COMPLETAS COMPLETAS Bem vindo! Conheça a Easy. O futuro é agora. Somo uma poderosa ferramenta que transforma ideias e oportunidades em ação e resultado. Com colaboradores com mais de 12 anos de mercado, atuando

Leia mais

Faces da Classe Média. Fevereiro de 2014

Faces da Classe Média. Fevereiro de 2014 Faces da Classe Média Fevereiro de 2014 Nos últimos anos o Brasil passou por uma das mais profundas mudanças de sua história 2 Pirâmide Losango AB AB Alta C DE Crescimento da Classe Média C DE Média Baixa

Leia mais

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por Seminário OEP/INPI Apresentado por José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções Em colaboração com: Bissau, 21 de Dezembro

Leia mais

Survey Response Summary Report. 051 Fairfield District Generated on 11/03/2014 01:41:29 PM Page 1 of 14

Survey Response Summary Report. 051 Fairfield District Generated on 11/03/2014 01:41:29 PM Page 1 of 14 051 Fairfield District Generated on Page 1 of 14 Survey Response Summary Report Survey: 2014 Climate Survey-N.Stratfield-Parent Portuguese Number of Responses: 1 1. Meu filho gosta da escola dele. Total

Leia mais

Programa. Erro Zero Atraso Zero

Programa. Erro Zero Atraso Zero Programa Erro Zero Atraso Zero Introdução O caso de sucesso da Fatto Soluções Contábeis em parceria com o Nibo A Fatto iniciou suas atividades em 2012 e, desde o início, tinha como objetivo oferecer um

Leia mais

1 + AGÊNCIA DE NEGÓCIOS

1 + AGÊNCIA DE NEGÓCIOS + 1 AGÊNCIA DE NEGÓCIOS Sua independência financeira; Um futuro sólido e confortável; Liberdade e segurança para produzir; Autoridade para decidir. Porque nós trocaremos experiências e participaremos dos

Leia mais

Empreendedorismo. Prof. Lucas Pacheco lucapachecos@hotmail.com

Empreendedorismo. Prof. Lucas Pacheco lucapachecos@hotmail.com Empreendedorismo Prof. Lucas Pacheco lucapachecos@hotmail.com "Olhar é uma coisa, ver o que se olha é outra, entender o que se vê é uma outra, aprender o que você entende é uma coisa a mais, mas agir sobre

Leia mais

Conceitos e Fundamentos de Gestão

Conceitos e Fundamentos de Gestão 2º/2015 Conceitos e Fundamentos de Gestão Valdecir J. De Lara Entrada (input) Processo Saída (output) Conceitos e definições sobre processos e produtos; Fundamentos da gestão; Importância da gestão baseada

Leia mais

O QUE É QUALIDADE. Profa. Flávia Guimarães

O QUE É QUALIDADE. Profa. Flávia Guimarães O QUE É QUALIDADE Profa. Flávia Guimarães Considerações iniciais O que você entende por qualidade? Qual a importância da gestão pela qualidade total e sua influência para a organização? Mas afinal, o que

Leia mais

PROPOSTA PARA UM MODELO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL NO GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS INTERNOS

PROPOSTA PARA UM MODELO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL NO GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS INTERNOS ISSN 1984-9354 PROPOSTA PARA UM MODELO DE GESTÃO SUSTENTÁVEL NO GERENCIAMENTO DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS INTERNOS Andrea Cristina Costa (LATEC/UFF) andreacristina.costa@gmail.com Resumo: Este artigo sugere

Leia mais

Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização. Gilson de Souza Lima

Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização. Gilson de Souza Lima Qualidade no Atendimento ao Cliente uma ferramenta de Fidelização Gilson de Souza Lima USUÁRIOS X CONSUMIDORES X CLIENTES USUÁRIOS Tratam-se das pessoas cujo contato com o produto é acidental. CONSUMIDORES

Leia mais

DEFINIÇÃO DA FUNÇÃO COMPRAS

DEFINIÇÃO DA FUNÇÃO COMPRAS GESTÃO DE COMPRAS DEFINIÇÃO DA FUNÇÃO COMPRAS Obtenção no mercado o abastecimento de produtos e serviços necessários a operação da empresa. Fornecedor extensão da empresa COMPRAS DENTRO DA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior

Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Disciplina: Gestão Estratégica de TI Profº: João Carlos da Silva Junior Conceitos Por que eu preciso deste curso? Não sou de TI Sou de TI conteúdo utilizado exclusivamente para fins didáticos 2 Não sou

Leia mais

se o tratamento foi adequado, ficaremos curados e felizes por termos solucionado a doença que estava nos prejudicando. No campo empresarial a

se o tratamento foi adequado, ficaremos curados e felizes por termos solucionado a doença que estava nos prejudicando. No campo empresarial a Gestão Financeira Quando temos problemas de saúde procuramos um médico, sendo ele clínico geral ou especialista, conforme o caso. Normalmente, selecionamos um médico bastante conhecido e com boas referências

Leia mais

PAPEL DO ADMINISTRADOR. Henri Fayol

PAPEL DO ADMINISTRADOR. Henri Fayol PAPEL DO ADMINISTRADOR Henri Fayol DISCIPLINA: Introdução à Administração FONTE: MAXIMIANO, Antonio Cesar Amaru. Teoria Geral da Administração Da Revolução Urbana à Revolução Digital. IA_05_PAPEL DO ADMINISTRADOR

Leia mais

Os 4 P s. P de PRODUTO

Os 4 P s. P de PRODUTO Os 4 P s P de PRODUTO O que é um Produto? Produto é algo que possa ser oferecido a um mercado para aquisição, uso ou consumo e que possa satisfazer a um desejo ou necessidade. Os produtos vão além de bens

Leia mais

Profª. Carolina Perez Campagnoli

Profª. Carolina Perez Campagnoli Profª. Carolina Perez Campagnoli Já não basta simplesmente satisfazer clientes. É preciso encantá-los. Marketing Marketing não é propaganda e nem publicidade; Marketing não é vendas; Marketing não é espetáculo;

Leia mais

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles

Marketing de Serviços e de Relacionamento. MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles Marketing de Serviços e de Relacionamento MBA em Gestão de Marketing Prof.: Alice Selles O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR DE SERVIÇOS As características de pesquisa, de experiência e de credibilidade P. Nelson,

Leia mais

A determinação da classe social foi baseada na visão IBGE/ FGV, ou seja, considerando a renda familiar em número de salários mínimos.

A determinação da classe social foi baseada na visão IBGE/ FGV, ou seja, considerando a renda familiar em número de salários mínimos. Objetivo: Levantar informações sobre o uso das redes sociais, característica de seus usuários, motivações de acesso, interação com amigos e marcas, etc. Metodologia: pesquisa quantitativa online com 484

Leia mais

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa?

Elton Moraes. O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Elton Moraes O que Clima Organizacional tem a ver com resultados da empresa? Sobre o Hay Group O Hay Group é uma consultoria mundial em gestão: Trabalhamos com líderes para transformar estratégias em realidade.

Leia mais

EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Carol Oliveira Diretora de Vendas Independente Mary Kay

EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Carol Oliveira Diretora de Vendas Independente Mary Kay EDUCAÇÃO FINANCEIRA Carol Oliveira Diretora de Vendas Independente Mary Kay COMO A REALIDADE ENSINA... DESPESAS MENSAIS Aluguel Empréstimos Água, luz e internet Despesas com alimentação Despesa com filhos

Leia mais

Design de Produtos. Marketing Prof. Donizete de Camargo. Posicionamento da oferta. Posicionamento da oferta. Vamos analisar:

Design de Produtos. Marketing Prof. Donizete de Camargo. Posicionamento da oferta. Posicionamento da oferta. Vamos analisar: Marketing Prof. Donizete de Camargo Design de Produtos Posicionamento da oferta Vamos analisar: Quais são os principais atributos diferenciadores de um produto? Como definir e comunicar um posicionamento

Leia mais

Estes postos não permitem mais nenhuma adição de ordens novas, sendo, portanto assumidos como as restrições de capacidade para TODA a operação.

Estes postos não permitem mais nenhuma adição de ordens novas, sendo, portanto assumidos como as restrições de capacidade para TODA a operação. Fascículo 8 Planejamento e controle da capacidade Prover a capacidade produtiva para satisfazer a demanda atual e futura é uma responsabilidade fundamental da atividade de administração da produção. Um

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE GESTÃO DA QUALIDADE E CERTIFICAÇÕES FUNDAMENTOS DA QUALIDADE Roteiro Visão sobre Qualidade Cinco abordagens da Qualidade Expectativa e percepção Possíveis lacunas (GAPs) O que dizem os gurus da Qualidade

Leia mais

Como Atender. Bem. Clientes em Farmácias e Drogarias. Dr Juan Carlos Becerra Ligos

Como Atender. Bem. Clientes em Farmácias e Drogarias. Dr Juan Carlos Becerra Ligos Bem Vindos! Como Atender Bem Clientes em Farmácias e Drogarias Dr Juan Carlos Becerra Ligos Juan@sincofarma.org.br VALE A PENA Sensação negativa Marketing para a empresa Fidelização (diferencial sustentável)

Leia mais

.:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais. Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br

.:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais. Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br .:. Aula 2.:. Educação Corporativa e Mudanças Organizacionais Profª Daniela Cartoni daniela_cartoni@yahoo.com.br Definições Treinamento e Qualificação: não dependem de políticas de Educação Corporativa,

Leia mais

Uma avaliação de Paula Modelo para o cargo de Gerente Comercial. Preparada para DEMO Caliper Human Strategies Brasil 24 de agosto de 2015

Uma avaliação de Paula Modelo para o cargo de Gerente Comercial. Preparada para DEMO Caliper Human Strategies Brasil 24 de agosto de 2015 Uma avaliação de para o cargo de Gerente Comercial Preparada para DEMO Caliper Human Strategies Brasil 24 de agosto de 205 Perfil Caliper concluído em 24 de agosto de 205 Caliper Estratégias Humanas do

Leia mais

http://www.comoorganizarcasamento.com

http://www.comoorganizarcasamento.com Como Planejar seu Casamento Sem Stress Copyright 2014 Este e- book é protegido pela Lei dos Direitos Autorais (Lei 9.610/98), é proibida a reprodução do livro por meio eletrônico ou impresso. O e- book

Leia mais

1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2015

1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2015 1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2013-2015 1.1 Metodologia O Planejamento Estratégico (PE) é definido através de reuniões períódicas, a cada dois anos, com par cipação de colaboradores de todas as áreas e unidades

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho Individual Cedido

Formulário de Avaliação de Desempenho Individual Cedido e Identificação Dados do ciclo Ciclo de avaliação: Período avaliativo: 01/07/2014 a 30/06/2015 Unidade organizacional: Nome da equipe: Chefe da equipe: IDENTIFICAÇÃO DO AVALIADOR Matrícula: Nome: Cargo:

Leia mais

Cenários & Oportunidades 2012. QuorumBrasil 1

Cenários & Oportunidades 2012. QuorumBrasil 1 Cenários & Oportunidades 2012 QuorumBrasil 1 Com quem falamos? 1.100 entrevistas, distribuídas nas cidades de São Paulo, Porto Alegre, Fortaleza, Goiânia e Belém. 800 clientes com mais de 12 meses de relacionamento,

Leia mais

Contador 2.0 CONTADOR 2.0: MODELOS DE NEGÓCIOS CONTÁBEIS DE ALTO VALOR. Imagens: depositphotos.com. Roberto Dias Duarte

Contador 2.0 CONTADOR 2.0: MODELOS DE NEGÓCIOS CONTÁBEIS DE ALTO VALOR. Imagens: depositphotos.com. Roberto Dias Duarte Contador 2.0 CONTADOR 2.0: MODELOS DE NEGÓCIOS CONTÁBEIS DE ALTO VALOR Imagens: depositphotos.com www.robertodiasduarte.com.br facebook.com/imposticida contato@robertodiasduarte.com.br Nossa "prosa" SPED

Leia mais

A LIDERANÇA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA GESTÃO DE PESSOAS. WANCLEI BENEDITO SAID Condor Super Center São Paulo, 03/mai/2016

A LIDERANÇA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA GESTÃO DE PESSOAS. WANCLEI BENEDITO SAID Condor Super Center São Paulo, 03/mai/2016 A LIDERANÇA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA GESTÃO DE PESSOAS WANCLEI BENEDITO SAID Condor Super Center São Paulo, 03/mai/2016 Dados Gerais do CONDOR SUPER CENTER 41 Lojas 3,9 Milhões Média/ mês 3.8 Bilhões

Leia mais

Desejamos a você um completo sucesso, construindo sua verdadeira riqueza.

Desejamos a você um completo sucesso, construindo sua verdadeira riqueza. PROGRAMA MASTER 72h MASTER 72h Prezado Consultor, Nós da família Hinode preparamos esse material com muito carinho para você, pois temos um sonho de fazer desse mundo, um mundo melhor. Nosso objetivo é

Leia mais

CAPÍTULO 4 Sabe quanto você vai poder pagar? É hora de sentar na mesa com o credor.

CAPÍTULO 4 Sabe quanto você vai poder pagar? É hora de sentar na mesa com o credor. E-BOOK COMO SE PREPARAR PARA A NEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS CAPÍTULO 4 Sabe quanto você vai poder pagar? É hora de sentar na mesa com o credor. Com dívidas em quase 20 instituições diferentes, Joana fez uma lista

Leia mais

Contabilidade de Custos para o Setor de Serviços. Prof. Jediel Mendes

Contabilidade de Custos para o Setor de Serviços. Prof. Jediel Mendes Contabilidade de Custos para o Setor de Serviços Prof. Jediel Mendes Introdução Um serviço é um beneficio intangível, como consultoria, projeto, cuidados pessoais, transporte e entretenimento. Ele não

Leia mais

INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO GERÊNCIA DE GESTÃO E AVALIAÇÃO DA REDE DE ENSINO INSTRUMENTOS DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO GOIÂNIA 2010 SEDUC/GO Matrícula

Leia mais

CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, R.J.

CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros, R.J. Aline Clark 2006 Copyright 2006 by Aline Clark Projeto gráfico e capa: Pedro Costa Diagramação: Pedro Costa Revisão: João Pinheiro CIP-Brasil. Catalogação-na-fonte Sindicato Nacional dos Editores de Livros,

Leia mais

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes Gerência de Projetos e Fabiana Costa Guedes 1 Agenda O que é um Projeto O que é Gerenciamento de Projetos O Contexto da Gerência de Projetos PMI Project Management Institute Ciclo de Vida do Projeto Áreas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA 1ª Avaliação do Curso de Especialização em Projetos e Obras Públicas de Edificações do Programa

Leia mais

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III MARKETING DE VAREJO E. Profa. Cláudia Palladino Unidade III MARKETING DE VAREJO E NEGOCIAÇÃO Profa. Cláudia Palladino Compras, abastecimento e distribuição de mercadorias Os varejistas: Precisam garantir o abastecimento de acordo com as decisões relacionadas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO SOCIAL PRO-EDUCA- INSTITUTO SOCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

ORGANIZAÇÃO SOCIAL PRO-EDUCA- INSTITUTO SOCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE ORGANIZAÇÃO SOCIAL PRO-EDUCA- INSTITUTO SOCIAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE CNPJ N 05.303.355/0001-73 REGISTRO EM RCPJ- BARUERI/SP 222857 REGULAMENTO DE COMPRAS, CONTRATAÇÕES DE

Leia mais

Movendo para a Carreira. Josiane Barbosa Diretora Executiva Elite de Vendas Independente

Movendo para a Carreira. Josiane Barbosa Diretora Executiva Elite de Vendas Independente Movendo para a Carreira Josiane Barbosa Diretora Executiva Elite de Vendas Independente O que te move a fazer Mary Kay? Josiane Barbosa Diretora Executiva Elite de Vendas Independente SONHOS Quais são

Leia mais

CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique

CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique CURSO: Desenvolvimento Web e Comércio Eletrônico DISCIPLINA: Gestão da Qualidade Professor: Ricardo Henrique UNIDADE 6 GERENCIAMENTO DA ROTINA 1 INTRODUÇÃO 3 O GERENCIAMENTO DA ROTINA 4 CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

AULA 11 Marketing de Serviços

AULA 11 Marketing de Serviços AULA 11 Marketing de Serviços Pessoal de serviço da linha de frente: fonte de fidelidade de clientes e vantagem competitiva A linha de frente é uma fonte importante de diferenciação e vantagem competitiva.

Leia mais

MOTIVOGRAMA (PERFIL DO MOTIVOGRAMA INDIVIDUAL)

MOTIVOGRAMA (PERFIL DO MOTIVOGRAMA INDIVIDUAL) MOTIOGRAMA (PERFIL DO MOTIOGRAMA INDIIDUAL) Instruções ocê encontrará nas páginas seguintes 30 proposições diferentes para ler e avaliar. Cada uma delas apresenta duas alternativas possíveis. ocê deverá

Leia mais

SÃO DEVERES ATRIBUÍDOS AOS SUPERVISORES:

SÃO DEVERES ATRIBUÍDOS AOS SUPERVISORES: SUPERVISÃO Dá-se o nome de supervisão à ação de orientação, inspeção e controle que assegure a perfeita compreensão de diretrizes, normas, ordens e instruções emanadas de escalão superior. É uma atividade

Leia mais

Mensuração e avaliação do desempenho logístico e nível de serviços. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP Curso de Gestão de Políticas Públicas

Mensuração e avaliação do desempenho logístico e nível de serviços. Prof. José Carlos Vaz EACH-USP Curso de Gestão de Políticas Públicas Mensuração e avaliação do desempenho logístico e nível de serviços Prof. José Carlos Vaz EACH-USP Curso de Gestão de Políticas Públicas Medição de desempenho no processo gerencial informações para decisão

Leia mais

OPERADOR DE CAIXA PARTE I - O OPERADOR DE CAIXA... PARTE II - SEGMENTO: SUPERMERCADOS... PARTE III - SEGMENTO: BARES E RESTAURANTES...

OPERADOR DE CAIXA PARTE I - O OPERADOR DE CAIXA... PARTE II - SEGMENTO: SUPERMERCADOS... PARTE III - SEGMENTO: BARES E RESTAURANTES... OPERADOR DE CAIXA OPERADOR DE CAIXA ÍNDICE: PARTE I - O OPERADOR DE CAIXA... PARTE II - SEGMENTO: SUPERMERCADOS... PARTE III - SEGMENTO: BARES E RESTAURANTES... PARTE IV - PRÁTICA ATRAVÉS DE PERGUNTAS

Leia mais

Palavras de Quem Entende

Palavras de Quem Entende DUMBA Amigo(a) Eu me chamo Silvio Damásio e venho te convidar para participar deste negócio comigo. Eu acredito que estamos diante de uma incrível forma de ganhar dinheiro em quantidade e honestamente.

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso:

PLANO DE NEGÓCIOS. Causas de Fracasso: PLANO DE NEGÓCIOS Causas de Fracasso: Falta de experiência profissional Falta de competência gerencial Desconhecimento do mercado Falta de qualidade dos produtos/serviços Localização errada Dificuldades

Leia mais

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte

Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Estratégico Previsão do Negócio Estrutura Hierárquica de Planejamento e Controle da Produção Estratégico Entradas Ações Saídas Fonte Mercados e demandas de longo prazo. Competidores. Fatores econômicos,

Leia mais

PADARIA CASA DO PÃO. Atividade J04: Entrega virtual do Projeto do Semestre. P25 -Amanda Monteiro. P15-Consuelo Del Valle. P22- Ingrid Magalhães

PADARIA CASA DO PÃO. Atividade J04: Entrega virtual do Projeto do Semestre. P25 -Amanda Monteiro. P15-Consuelo Del Valle. P22- Ingrid Magalhães PADARIA CASA DO PÃO Atividade J04: Entrega virtual do Projeto do Semestre P25 -Amanda Monteiro P15-Consuelo Del Valle P22- Ingrid Magalhães P26 - Luiza Fleury ÍNDICE 1. A empresa... 2 2. Objetivo da empresa:...

Leia mais

QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE CURSO?

QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE CURSO? Palestra: Comunicação e Marketing Pessoal: Dicas para Valorizar a sua Imagem. Prof. Adm. Esp. Juliana Pina Bomm E-mail: professorajulianapina@yahoo.com.br QUAL O NOSSO DESAFIO: O QUE VOCÊS ESPERAM DESTE

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

SELECIONANDO PROFISSIONAIS POR COMPETÊNCIAS

SELECIONANDO PROFISSIONAIS POR COMPETÊNCIAS Recrutamento e seleção de pessoas dentro de uma organização são de extrema importância, pois as pessoas compõem o principal ativo de uma empresa. Falhas nesse processo comprometem na produtividade do trabalho

Leia mais

sobre o autor para mais informações acesse: www.darlanevandro.com.br Este ebook foi escrito por Darlan Evandro. ou siga-me nas redes sociais.

sobre o autor para mais informações acesse: www.darlanevandro.com.br Este ebook foi escrito por Darlan Evandro. ou siga-me nas redes sociais. sobre o autor para mais informações acesse: www.darlanevandro.com.br Este ebook foi escrito por Darlan Evandro. ou siga-me nas redes sociais. introdução ao INBOUND marketing Como você já deve ter lido

Leia mais

As características e elementos dos serviços

As características e elementos dos serviços Estratégia da empresa. As características e elementos dos serviços Capítulo 2 Ambiente Outros atores Concorrentes Parceiros Estratégia de operações Preço O famoso framework Lucratividade de Corrêa & Caon

Leia mais

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO?

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? 1. O que é Deficiência Intelectual ou Atraso Cognitivo? Deficiência intelectual ou atraso cognitivo é um termo que se usa quando uma pessoa apresenta certas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE ENGENHARIA. Engenharia de Produção. Ênfase em Serviços. Projeto de Iniciação Científica:

CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE ENGENHARIA. Engenharia de Produção. Ênfase em Serviços. Projeto de Iniciação Científica: CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ FACULDADE DE ENGENHARIA Engenharia de Produção Ênfase em Serviços Projeto de Iniciação Científica: Estratégia de Operações de Serviços: uma análise dos critérios

Leia mais

QUALIDADE PERCEBIDA EM UM SERVIÇO DE SAÚDE: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO SOCIAL

QUALIDADE PERCEBIDA EM UM SERVIÇO DE SAÚDE: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO SOCIAL QUALIDADE PERCEBIDA EM UM SERVIÇO DE SAÚDE: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO SOCIAL André Luiz M. de Souza Leão, Mestre Faculdade Boa Viagem (FBV) e PROPAD/UFPE Universidade Federal de Pernambuco (Núcleo de Pesquisas

Leia mais

Club Survey Varejo 2014. 22 de Maio de 2014

Club Survey Varejo 2014. 22 de Maio de 2014 Club Survey Varejo 2014 22 de Maio de 2014 1 Agenda 01 02 Fluxo do Projeto Escopo do Projeto ❶ Sobre o Hay Group 03 ❷ Tendências de RH ❸ Pesquisa de Eficiência ❹ Sobre 04 o Estudo ❺ Escopo do Projeto ❻

Leia mais

EMPREENDEDORISM O. CCE Características do Comportamento Empreendedor. Prof. Cícero Wilrison Alves Carneiro

EMPREENDEDORISM O. CCE Características do Comportamento Empreendedor. Prof. Cícero Wilrison Alves Carneiro EMPREENDEDORISM O CCE Características do Comportamento Empreendedor Prof. Cícero Wilrison Alves Carneiro Eng Mecânico e de Segurança do Trabalho Especialista em Gestão Empresarial 1. Estabelecimento de

Leia mais