Relatório De Estágio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório De Estágio"

Transcrição

1

2 Instituto Politécnico Da Guarda Escola Superior De Tecnologia e Gestão Relatório De Estágio Tiago Valente Vieira Outubro de 2010 Relatório Final para a obtenção do Grau De Licenciatura em Marketing

3 Ficha de Identificação Aluno Nome: Tiago Valente Vieira Curso: Marketing Número de Estudante: 7683 Morada: Rua das Teixugueiras, nº 4, Pardilhó Contacto: Orientadora de Estágio do IPG: Estér Amorim Empresa Nome: Cine Teatro de Estarreja (CTE) Morada: Rua Visconde Valdemouro Estarreja Telefone: Orientador de Estágio do CTE: Abílio Silveira/ Pedro Fernandes Duração do Estágio Início do Estágio: Conclusão do Estágio: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing I

4 Aprenda com o ontem, viva o hoje, tenha esperança no amanhã. O importante é não parar de questionar. Albert Einstein Relatório de estágio Licenciatura de Marketing II

5 Plano de Estágio O plano das actividades desenvolvidas durante o meu estágio foram definidas por mim e pela minha orientadora Estér Amorim, tendo vindo a sofrer algumas alterações no decorrer do mesmo, devido as reuniões que ia realizando com os meus orientadores de estágio na empresa. De entre as actividades que desenvolvi, destaco: Participação e acompanhamento das tarefas de Gestão do espaço e dos Recursos Humanos. Divulgação e promoção de eventos e do espaço do Cine Teatro de Estarreja. Estabelecer contacto com os media locais. Acompanhamento do canal de distribuição de publicidade. Desenvolver as mais variadas tarefas referentes ao Cine Teatro de Estarreja de forma a obter a melhor noção possível do funcionamento do mesmo. Tentar desenvolver parcerias. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing III

6 Agradecimentos Ao longo da nossa vida e da nossa formação académica, passamos pelas mais diversas dificuldades e alegrias que nos ajudam a evoluir e desenvolver enquanto pessoas. Como seres sociais que somos, ao longo deste caminho estamos rodeados de pessoas. Pessoas essas que nos apoiam nas alturas difíceis e com as quais também partilhamos as nossas alegrias. Assim sendo, agora que estou a terminar a minha licenciatura em Marketing, gostaria de agradecer às pessoas que me acompanharam e que me ajudaram nesta fase tão importante da minha vida. Em primeiro lugar, agradeço à minha família que me formaram como pessoa e que sempre me apoiaram. Aos meus pais pelo esforço que fizeram para me dar esta oportunidade na esperança de que eu possa ter um futuro melhor. A eles, que tanto se esforçaram por este momento e a quem devo o que tenho e o que sou, o meu muito obrigado. Aos amigos que fiz na cidade da Guarda. Pessoas fantásticas que jamais me esquecerei e com quem sempre pude contar. Pelos momentos de alegria, pela inter-ajuda nos trabalhos, no estudo e nas horas difíceis aqui fica o meu profundo agradecimento. De igual modo, agradeço também às pessoas que me acolheram no Cine Teatro de Estarreja e com as quais adquiri conhecimentos e travei amizade. Por fim, mas não menos importante, gostaria de agradecer à professora Estér Amorim por ter aceitado ser minha orientadora, pelo seu apoio e disponibilidade ao longo deste processo. Bem como, a todos os professores que ao longo destes anos me transmitiram os seus conhecimentos e permitiram que obtivesse esta licenciatura. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing IV

7 Relatório de estágio Licenciatura de Marketing V

8 Índice Introdução... Erro! Marcador não definido. 1.1 Localização Geográfica... Erro! Marcador não definido Actividades Sócio-Económicas... Erro! Marcador não definido Agricultura... Erro! Marcador não definido Indústria... Erro! Marcador não definido Unidades Comerciais... Erro! Marcador não definido Equipamento Social... Erro! Marcador não definido Cultural... Erro! Marcador não definido Análise Demográfica... Erro! Marcador não definido População Residente e Densidade Populacional... Erro! Marcador não definido Faixa Etária... Erro! Marcador não definido A HISTÓRIA DO CINE-TEATRO... Erro! Marcador não definido. 2.2 REMODELAÇÃO TÉCNICA... Erro! Marcador não definido. 2.3 PROGRAMAÇÃO CULTURAL... Erro! Marcador não definido. 2.4 Estrutura orgânica do Cine Teatro de Estarreja Plano de Estágio... Erro! Marcador não definido Actividades Desenvolvidas... Erro! Marcador não definido Participação no canal de distribuição de publicidade.... Erro! Marcador não definido Comunicação com as rádios... Erro! Marcador não definido Actualizações do site do Cine Teatro de Estarreja Erro! Marcador não definido Participação na equipa de Front-Office... Erro! Marcador não definido Campanha de Marketing da Optimus... Erro! Marcador não definido Outras actividades realizadas... Erro! Marcador não definido Catering... Erro! Marcador não definido. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing V

9 3.3.2 Montagem e Preparação dos espectáculos Actualização dos contactos da base de dados Actividade proposta Conclusão Índice de Anexos Relatório de estágio Licenciatura de Marketing VI

10 Índice de Figuras Ilustração 1 - Logótipo da Câmara Municipal de EstarrejaErro! Marcador não definido. Ilustração 2 - Brasão da cidade de Estarreja... Erro! Marcador não definido. Ilustração 3 - Localização Geográfica de Estarreja... Erro! Marcador não definido. Ilustração 4 - Pirâmide Etária da População Residente 2001 (Censos) Estarreja... Erro! Marcador não definido. Ilustração 5 - Cine Teatro de Estarreja... Erro! Marcador não definido. Ilustração 6 - Prof. Egas Moniz numa das frisas do Cine-Teatro, numa homenagem que lhe foi prestada, na Páscoa de Erro! Marcador não definido. Ilustração 7 Auditório do Cine Teatro... Erro! Marcador não definido. Ilustração 8 - Bar do Cine-Teatro (Foyer)... Erro! Marcador não definido. Ilustração 9 - Sala de palco com bancada telescópica recolhida (vista a partir da lateral direita da plateia)... Erro! Marcador não definido. Ilustração 10 Camarim... Erro! Marcador não definido. Ilustração 11 - Pedro Tochas e Tangos & Tragédias, no Só(r)Rir 2007Erro! Marcador não definido. Ilustração 12 - Teatro-Ópera Auto da Fonte dos Amores, no FesTeatro Erro! Marcador não definido. Ilustração 13 - Concerto de encerramento do Workshop EstarreJazz 2006, com Carlos Azevedo na direcção... Erro! Marcador não definido. Ilustração 14 - Toques do Caramulo no Bar CTE, no OuTonalidades Erro! Marcador não definido. Ilustração 15 - Sérgio Godinho e Sara Tavares, no ciclo Concertos Íntimos Erro! Marcador não definido. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing VII

11 Introdução A sede pelo conhecimento é o motor de todo o desenvolvimento, perspectivando a aplicação de teorias em termos práticos do que foi anteriormente aprendido e apreendido. Esta nova etapa representa uma antevisão do futuro que nos aguarda, do que o mercado de trabalho exige, onde nos é permitido saber se em termos profissionais a formação que obtivemos nos permite vencer e transpor os demais obstáculos. O estágio foi realizado no Cine Teatro de Estarreja, fazendo este parte do Departamento da Cultura da Câmara Municipal de Estarreja. Quando iniciei o estágio avisaram-me que teria de ser polivalente, pois no mundo do espectáculo as pessoas têm de ser bastante flexíveis. Assim tive a oportunidade de trabalhar em vários sectores deste serviço, que englobou a parte de produção, a parte técnica, promoção e publicidade das actividades desenvolvidas. Durante o estágio tomei conhecimento da realidade laboral, da rotina, do stress, do trabalho, da competitividade nela envolvente e encarei tudo isto como uma verdadeira lição de vida e um desafio profissional. Apesar de o estágio ter sido apenas de 3 meses, acho que foi uma experiência bastante enriquecedora, como pretendo demonstrar ao longo deste trabalho. Assim, para melhor explicitar o trabalho desenvolvido durante o estágio no Cine Teatro de Estarreja, optei por dividir o relatório em 3 capítulos. No primeiro capítulo irei fazer uma apresentação de Estarreja, cidade onde está sedeada esta instituição. No segundo capítulo apresento o Cine Teatro de Estarreja e a sua evolução, assim como a sua importância na sociedade local. Por fim, no terceiro capítulo, descrevo as actividades que realizei ao longo do estágio, o trabalho termina com a conclusão, onde faço uma breve reflexão acerca desta experiência, da minha integração e do meu desempenho no Cine Teatro de Estarreja. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 1

12 Caracterização do Concelho de Estarreja Ilustração 1 - Logótipo da Câmara Municipal de Estarreja Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 2

13 Ilustração 2 - Brasão da cidade de Estarreja Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 3

14 1.1 Localização Geográfica O Concelho de Estarreja (fig.3), pertence administrativamente ao distrito de Aveiro (Beira Litoral), localiza-se na sub-região do Baixo Vouga e integra-se numa individualidade regional - a Ria; caracteriza-se pela existência de estreitos e canais em todas as freguesias, esta influência marinha constitui nela e ao seu redor, uma diversidade de biótopos (águas livres, ilhas com vegetação, vasas e lodos, sapais, salinas e campos agrícolas), com grande importância do ponto de vista ecológico. Ilustração 3 - Localização Geográfica de Estarreja Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 4

15 1.2. Actividades Sócio-Económicas Agricultura O concelho é, essencialmente, agrícola (a maior fonte produtiva vem do sector animal e da cultura do milho), sem contudo deixar de ser um centro industrial de grande importância no distrito de Aveiro. Para ilustrar esta afirmação, transcreve-se um excerto de um texto de Eduardo Alberto da Costa: "...Domina no concelho (...) a pequena propriedade. A agricultura, apesar de se notar um certo incremento do sector industrial (...), continua a ser uma actividade com predominância no quotidiano das gentes do concelho. Os operários na sua grande maioria, quase que só o são (...) nas horas vagas (...), já que terminado o trabalho fabril há o regresso à recolha do pasto pare os animais, à rega do milho, ou à sementeira das batatas, trabalhos que já foram adiantados pelas mulheres ou demais familiares (...). Fonte: < url: Indústria O concelho tem um Parque Industrial, onde têm sede algumas das empresas químicas mais importantes do nosso País, como por exemplo, Cires, Dow, Quimigal, Uniteca, Prozinco, entre outras. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 5

16 Unidades Comerciais No concelho de Estarreja impera o pequeno comércio, no entanto são já existentes, algumas superfícies de média/grande dimensão, como Intermarché, Jumbo, Lidl, Mini- Preço entre outros. Na sede do concelho, todas as 3ª feiras e sábados realiza-se uma feira tradicional, onde como o nome indica, se pode encontrar artigos produzidos tradicionalmente e de uso regional, tendo também a possibilidade de encontrar uma grande diversidade de outro tipo de produtos Equipamento Social Cultural De entre os equipamentos sociais referentes à cultura, no concelho de Estarreja são de destacar a existência da Biblioteca Municipal, a Casa da Cultura, o Museu do Prémio Nobel da Medicina, Museu Professor Dr. Egas Moniz e o Cine-Teatro Análise Demográfica Quanto mais pormenorizado é o conhecimento da realidade demográfica de uma área ou território melhor se pode decidir como actuar em muitos aspectos da vida quotidiana. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 6

17 Os valores aqui apresentados e que têm como fonte o I.N.E. (Instituto Nacional de Estatística, Censos 2001), mostram como se distribui actualmente a população no espaço físico do município. A população residente no concelho de Estarreja é de habitantes (Censos, 2001) cerca de 1440 habitantes a mais que em 1991 (Censos, 1991). A densidade populacional do concelho é bastante elevada, sendo de 260 hab/km 2 (subida de 13 hab/km 2 de 1991 para 2001) População Residente e Densidade Populacional Em 2001, pela comparação dos censos realizados em 1991, verificou-se que a freguesia de Beduído continua a ser a mais populosa do concelho, com 7794 habitantes. A freguesia de Avanca possui 6474 habitantes, não registando alterações significativas, e as freguesias de Pardilhó, Canelas e Fermelã registaram um decréscimo populacional, passando o passivo populacional a cifrar-se em 4175, 1498 e 1580 respectivamente. A freguesia de Veiros registou um acréscimo no seu efectivo populacional passando a residir nesta freguesia 2618 habitantes. As freguesias com densidade populacional próxima da média do concelho (261 hab/km 2 ), são Avanca, Pardilhó, Salreu e Veiros com 300 hab/km 2, 265 hab/km 2, 252 hab/km 2 e 234 hab/km 2, respectivamente. A freguesia de Canelas em 2001 registou 140 hab/km 2 e a freguesia de Fermelã registou 120 hab/km 2. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 7

18 Faixa Etária Verifica-se através da Figura 4 que o maior número de população de Estarreja encontrase na faixa etária entre os 15 e os 45 anos, tanto no sexo feminino como no sexo masculino. Ilustração 4 - Pirâmide Etária da População Residente 2001 (Censos) Estarreja Fonte: INE Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 8

19 Caracterização da Instituição onde decorreu o Estágio Ilustração 5 - Cine Teatro de Estarreja Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 9

20 2. 1 A HISTÓRIA DO CINE-TEATRO Com o início da década de 40 e a instalação da primeira fábrica, actualmente conhecida como Parque Químico de Estarreja, assiste-se, na então Vila, a uma profunda transformação, até aí dependente da actividade comercial e agrícola. Existia nessa altura uma sala de Cine Teatro, instalada num barracão, onde hoje funciona a Casa Ezequiel. Apesar de possuir algumas condições para a projecção de filmes, lentamente foi perdendo a sua importância, até que, em 1949, o seu proprietário pôs à venda todo o recheio da casa. Entretanto, em 1947, começara a construção dum moderno e grandioso Cine-Teatro, promovido pela Empresa Cinematográfica Aveirense que, pela sua capacidade e condições para a apresentação de Teatro e Revista, bem como projecção de filmes, só era suplantado pelas Salas existentes na Cidade de Aveiro. Foi tal o impacto desta obra que a Câmara Municipal chegou a tentar o alargamento da Rua Visconde de Valdemouro para 14 metros, o que não logrou concretizar. Em 12 de Março de 1950 dá-se a inauguração do edifício com a projecção do filme" As Aventuras do Príncipe Charlie. Em Estarreja havia já uma forte tradição e gosto pelo Teatro. Por isso, o Grupo Cénico do Centro Recreativo de Estarreja aproveitou a construção do Cine Teatro para preparar a apresentação de uma Revista de Costumes Regionais, intitulada Nada de Confusões" que teve a sua estreia no dia 1 de Abril desse mesmo ano. O êxito foi estrondoso o que obrigou a várias récitas sempre com lotação esgotada. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 10

21 Ilustração 6 - Prof. Egas Moniz numa das frisas do Cine-Teatro, numa homenagem que lhe foi prestada, na Páscoa de Fonte: Alguns dos lindos cenários feitos para essa Revista duraram até ao encerramento da casa já nos anos 90. As condições que o Cine Teatro oferecia bem como um público interessado, fizeram com que nesse primeiro ano viessem até cá a Companhia de Teatro Variedades de Lisboa (com Vasco Santana e Maria Matos) e, ainda, a Companhia de Teatro do Sá da Bandeira (Porto). Durante muitos anos o Cine-Teatro de Estarreja foi palco de grandes espectáculos de Teatro e Revista bem como de exibições cinematográficas. A profunda transformação do modo de vida da sociedade, ocorrida a partir da década de 70 e a reformulação do conceito inerente às salas de espectáculo foram, lentamente, afastando a população deste edifício. Neste novo ciclo de vida do histórico Cine Teatro, agora mais atraente e confortável, espera-se que o público Estarrejense recupere os antigos hábitos e volte a frequentá-lo nas várias propostas que lhe serão colocadas. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 11

22 2.2 REMODELAÇÃO TÉCNICA Todos os equipamentos de mecânica de cena propostos foram projectados exclusivamente para o tipo de solução adoptada para a especificidade deste edifício reconstruído para o efeito. Uma sintonia total entre o projecto, fabricação, montagem e instalação dos equipamentos permitiu uma solução de excelente qualidade e de um funcionamento optimizado prático e eficiente. Máquinas de Precisão, Lda., proporcionou aos meios humanos a correspondente experiência para garantir esta coesão necessária. Este projecto apresenta uma solução de forma a contemplar a versatilidade dos tipos diferenciados de espectáculos, isto é, Teatro, Música, Cinema, Vídeo, Dança, Canto, etc., bem como o seu funcionamento como Auditório, garantindo a sua funcionalidade e segurança para os fins a que se destina. Com equipamentos e infra-estruturas instalados de qualidade, ilustra o indicado anteriormente, nomeadamente: Instalada uma Teia e Contra Teia com capacidade para qualquer utilização das cargas das infra-estruturas actuais e de possível expansão; Sistemas de varas manuais para instalação da cena preta; Sistema de contrapesagens que permite uma variedade de utilizações quer na iluminação quer em cenários; Sistemas de varas motorizadas que dá a este Auditório uma versatilidade moderna e eficiente; Iluminação cénica de grande variedade e capacidade, com controle computorizado de programação; Projectores para função de Fresnel, Plano Convexo, Spot, Ciclorama e Follow Spot; Infra-estruturas electrificadas distribuídas pela área cénica dando grande versatilidade e iluminação para qualquer espectáculo pretendido; Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 12

23 Écran móvel de fácil utilização com dimensões adequadas para as projecções pretendidas; Capacidade de exibição de filmes de 35mm nos formatos de Normal/Panorâmico - Vista VISION/Cinemascope; - Capacidade de descodificação de filmes gravados em DOLBY ''A, "SR" e Digital EX e sonorização a 8 Canais; Capacidade de projecção de vídeo com sinais provenientes de computadores, suporte digital vídeo (DVD), analógico S-VHS, VHS e TV; Capacidade de realização de conferências com sistema de tradução simultânea com capacidade de 2 línguas e 50 receptores e microfones emissores; Capacidade para realização de som de pequenos espectáculos com microfones vocais e de instrumentos. O espaço do Cine-Teatro recuperado torna-se atractivo pela remodelação do auditório principal, dos camarins e dos foyers, a criação de uma segunda sala (no próprio palco do auditório com bancada periscópica), de um bar/ café-concerto e das áreas para os serviços de gestão, produção e técnicos. O auditório do Cine Teatro de Estarreja tem capacidade de 508 lugares (312 plateia,incluindo 6 para PMR, e 196 balcão), e dispõe de um palco de maior dimensão. É destinado para a ópera, bailado, teatro, dança e música. Ilustração 7 Auditório do Cine Teatro Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 13

24 O bar do Cine Teatro é um espaço de convívio e entretenimento, que para além de prestar assistência durante os espectáculos que decorrem no auditório, também recebe espectáculos de música, sendo já uma referência na cidade. No bar são disponibilizados jornais, revistas, livros, informações culturais e outras publicações. Ilustração 8 - Bar do Cine-Teatro (Foyer) Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 14

25 Ilustração 9 - Sala de palco com bancada telescópica recolhida (vista a partir da lateral direita da plateia) Fonte: Ilustração 10 Camarim Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 15

26 2.3 PROGRAMAÇÃO CULTURAL O Cine-Teatro de Estarreja reabriu no dia 18 de Junho de 2005 com a premissa de se tornar um local de encontro, de oferta cultural diversificada, de aprendizagem, de discussão, de apoio aos eventos e artistas da comunidade, de cruzamento de propostas e formas de criação artística. A programação de espectáculos é o aspecto mais relevante para o público. Visando o desenvolvimento de públicos (sua captação, qualificação e fidelização), a programação do Cine-Teatro conta prioritariamente com propostas culturais enriquecedoras ao nível individual e colectivo (evitando pactuar exclusivamente com a facilidade de determinados produtos culturais, ainda que assumam largas audiências), devidamente complementadas com actividades paralelas (workshops, colóquios, exposições, etc.). Esta programação, apesar de aparentemente aleatória, tenta ser realizada com sentido de oportunidade, e sempre que possível integrada em redes de programação que permitam racionalizar os custos envolvidos. Assim, evitando que a programação não seja apenas uma manta de retalhos sem sentido, promove-se no Cine-Teatro a realização dos seguintes principais eventos ao longo do ano: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 16

27 - Só(r)Rir Festival de Humor ocorre em Fevereiro/ Março no seguimento do calendário do tradicional Carnaval de Estarreja; Ilustração 11 - Pedro Tochas e Tangos & Tragédias, no Só(r)Rir 2007 Fonte: - FesTeatro Festival de Teatro ocorre em Abril/ Maio, após a Páscoa, com o objectivo de trazer teatro de qualidade a Estarreja; Ilustração 12 - Teatro-Ópera Auto da Fonte dos Amores, no FesTeatro 06 Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 17

28 - EstarreJazz Festival de Jazz de Estarreja ocorre em Novembro; Ilustração 13 - Concerto de encerramento do Workshop EstarreJazz 2006, com Carlos Azevedo na direcção Fonte: - OuTonalidades integração do Bar CTE no circuito regional de música ao vivo nos bares, uma parceria do Cine-Teatro com a D Orfeu Associação Cultural, que se inicia em Outubro e prolonga até Dezembro. Ilustração 14 - Toques do Caramulo no Bar CTE, no OuTonalidades 05 Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 18

29 Também são integrados vários espectáculos na programação regular do Cine-Teatro decorrentes de ciclos programáticos do Município, como sejam as tradicionais Festas de Sto. António, da Cidade e do Município de Estarreja, em Junho; a Festarreja Festa das Artes e da Juventude, que se realiza em Setembro; ou o Festival Sénior, que se realiza em Outubro, entre outros. Os próximos anos seguirão a mesma tónica na consolidação de uma actividade regular e consistente com os princípios atrás referidos. Isto é, a realização de uma programação com sentido de oportunidade, desafiadora para o público, capaz não só de o atrair mas também de o qualificar e fidelizar. No entanto, como também a mudança é parte deste processo poderão no futuro ser introduzidos novos conceitos programáticos, como por exemplo sucedeu no início de 2007 com o ciclo Concertos Íntimos, que compreendeu três grandes espectáculos musicais espaçados no tempo. Com o objectivo de fidelização à casa, disponibilizou-se a compra em pacote de entrada para mais do que um espectáculo com evidentes benefícios ao nível do custo. Esta aposta nestes grandes espectáculos adveio da constatação do enorme poder de captação do Cine-Teatro para uma vasta região, conjugada com a capacidade que a arquitectura do espaço tem de oferecer grande intimidade entre o público presente e os artistas. Ilustração 15 - Sérgio Godinho e Sara Tavares, no ciclo Concertos Íntimos 2007 Fonte: Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 19

30 Além de espectáculos, o cinema ocupa os Domingos e Segundas-feiras com um Filme em Cartaz, e as Sextas-feiras com um Filme Alternativo. No primeiro domingo de cada mês, promove-se uma sessão de cinema para a infância / família, e no terceiro domingo de cada mês um sessão de cinema sénior, com grandes clássicos da sétima arte. É intenção do Cine-Teatro extrapolar o sucesso destas iniciativas, porque são de carácter mediático relativamente fácil e acessível, para a apresentação de artes de palco também elas dirigidas a estes públicos, impulsionadoras de um mais consistente desenvolvimento de hábitos culturais. O Cine-Teatro, além dos espectáculos e da exibição de filmes, desenvolve um conjunto de actividades reunidas sob o mote de Serviço Educativo. O Serviço Educativo tem por finalidade desenvolver hábitos culturais através de estratégias lúdico-pedagógicas. A partir do conceito, do espaço e da programação do Cine-Teatro, este serviço pretende estimular competências criativas, críticas e expressivas no mundo das artes para novos públicos. A Formação Contínua de Teatro/ Espressão Dramática, a realização de Workshops, Visitas Guiadas, etc. são alguns exemplos dessas actividades, para além dos espectáculos e exibição de filmes que regularmente são propostos a estes novos públicos. Toda esta formulação conceptual da programação, realizada com sentido de oportunidade no espaço e no tempo, é essencial para através de diferentes propostas artísticas, criar permanente diálogo entre artistas e públicos conduzindo-os à descoberta e aprendizagem de novas linguagens, novas emoções. Nesta nova fase de funcionamento, o Cine-Teatro tem conseguido desenvolver uma actividade regular, consistente e com uma crescente captação de públicos. A marca qualidade, a par com a regularidade de apresentação de propostas é o ponto fundamental não só da captação de público, mas também da sua qualificação e fidelização. Acresce a oferta de actividades paralelas (workshops, colóquios, exposições, etc.) que tem por finalidade precisamente desenvolver hábitos culturais através de estratégias lúdicopedagógicas. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 20

31 O Cine-Teatro de Estarreja é para todos, embora não seja, evidentemente, para todos ao mesmo tempo. A oferta é variada e diversificada visando precisamente atingir diversos públicos-alvo diferentes em momentos também eles diferenciados. Têm-se realizado inúmeros eventos entre sessões de cinema - Filme em Cartaz e Filme Alternativo - e espectáculos de diferentes formas de arte de palco, seja o teatro, a música, a dança, o novo circo, incluindo as diferentes facetas de cada uma destas áreas da produção amadora à vanguarda, do tradicional ao erudito, do clássico ao contemporâneo, e envolvendo regularmente as colectividades locais. O Cine-Teatro reforça Estarreja no mapa cultural nacional e são exactamente cada vez mais as cidades médias, que revelam capacidades de uma apropriação justa das suas iniciativas, as fomentadoras da cultura como um motor de desenvolvimento integrado e sustentado, transversal a todos os sectores da sociedade 2.4 Estrutura orgânica do Cine Teatro de Estarreja O Cine Teatro de Estarreja é composto por 11elementos, sendo apenas 5 deles interinos e que ocupam os cargos a seguir indicados: Director 1 Gestor 1 Bilheteira Técnicos Design Professora Segurança Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 21

32 A minha principal função no Cine Teatro de Estarreja era de divulgação/promoção dos eventos e do próprio Cine Teatro, mas dada a minha disponibilidade e a minha vontade acabei por contactar com todas as áreas. Se por um lado, o número reduzido de funcionários que colaboram com o Cine Teatro exige um maior esforço e polivalência da parte de cada um, por outro lado, contribui para o reforço das relações inter-pessoais e para a criação de um espírito de cooperação entre todos os sectores Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 22

33 O Estágio Curricular Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 23

34 3.1 Plano de Estágio O plano das actividades desenvolvidas durante o meu estágio foram definidas pelo meu orientador Pedro Fernandes e pelo responsável do Cine Teatro de Estarreja o Dr. Abílio Silveira, tendo vindo a sofrer algumas alterações no decorrer do mesmo. De entre as actividades que desenvolvi, destaco: Participação e acompanhamento das tarefas de Gestão do espaço e dos Recursos Humanos. Divulgação e promoção de eventos e do espaço do Cine Teatro de Estarreja. Estabelecer contacto com os media locais. Acompanhamento do canal de distribuição de publicidade. Desenvolver as mais variadas tarefas referentes ao Cine Teatro de Estarreja de forma a obter a melhor noção possível do funcionamento do mesmo. Tentar desenvolver parcerias. Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 24

35 3.2. Actividades Desenvolvidas No meu primeiro dia ao chegar ao Cine Teatro de Estarreja foi me dado a conhecer as instalações e a equipa de trabalho, tendo-me sentido desde logo bastante á vontade. Depois desta apresentação do espaço e das pessoas tive uma reunião com o meu orientador de estágio, Pedro Fernandes e com o responsável do Cine Teatro o Dr. Abílio Silveira. Nesta reunião foi decidido o meu plano de estágio e foi-me comunicado que iria desenvolver trabalho em áreas diversas o que me deixou bastante satisfeito, pois para além de ter uma grande admiração e curiosidade por este mundo do espectáculo também penso que para se ter um bom conhecimento de uma empresa/entidade nada melhor que experienciar os vários sectores desta. Isto seria uma mais-valia para mim visto que tal como nos diz o Marketing, um bom conhecimento do interior da empresa/entidade é uma grande base para uma melhor e mais acertada comunicação/inter-acção com o exterior Participação no canal de distribuição de publicidade. A minha chegada coincidiu com o lançamento da agenda cultural que continha a programação de Março e Abril. Para quem tem registo na base de dados do Cine Teatro de Estarreja, registo este que pode ser feito via net, no próprio Cine Teatro ou enviado por escrito, estas agendas são enviadas para casa, embora também seja feita uma distribuição em espaços públicos por parte do Cine Teatro. Durante estes dois meses ia-se realizar o festival Soluções Irreverentes Revelam ao Espectador Novos Estilos Sonoros ( S.I.R.E.N.E.S), que se trata de um festival musical, e o festival SÓ(R)RIR, referente a espectáculos teatrais de cariz cómico. Estes dois Relatório de estágio Licenciatura de Marketing 25

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com

Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Ciência na Cidade de Guimarãeswww.ciencianacidade.com Cidade de Guimarães Faixas Etárias do Concelho 65 ou mais 24-64 anos 15-24 anos 0-14 anos 0 20000 40000 60000 80000 100000 População do Concelho 159.576

Leia mais

Ficha de Caraterização de Práticas Inspiradoras

Ficha de Caraterização de Práticas Inspiradoras Ficha de Caraterização de Práticas Inspiradoras Nota: Se pretende que a S/ prática seja integrada na Base de Dados de Práticas Inspiradoras dinamizada pelo ACM, I.P., deverá enviar esta ficha devidamente

Leia mais

Memorando Rock no Sado. Conceito

Memorando Rock no Sado. Conceito Memorando Rock no Sado Conceito O festival Rock no Sado teve origem no ano de 2013 e foi pensado com diversos intuitos em mente. Colmatar a falta de eventos do mesmo tipo e/ou dimensão na região fazendo

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

14-5-2010 MARIA JOÃO BASTOS AUTOBIOGRAFIA. [Escrever o subtítulo do documento] Bruna

14-5-2010 MARIA JOÃO BASTOS AUTOBIOGRAFIA. [Escrever o subtítulo do documento] Bruna 14-5-2010 MARIA JOÃO BASTOS AUTOBIOGRAFIA [Escrever o subtítulo do documento] Bruna Autobiografia O meu nome é Maria João, tenho 38 anos e sou natural da Nazaré, onde vivi até há sete anos atrás, sensivelmente.

Leia mais

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior

Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Rede de Informação do INE em Bibliotecas do Ensino Superior Francisco Correia Departamento de Difusão e Promoção Instituto Nacional de Estatística Avenida António José de Almeida 1000-043 Lisboa Tel: 218426143

Leia mais

Relatório de Estágio

Relatório de Estágio Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Tecnologia e Gestão Relatório de Estágio CRISTIANO DIAMANTINO CLARA NUNES NÚMERO: 1010094 RELATÓRIO DE ESTÁGIO PARA OBTENÇÃO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo

Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Entrevista ao Engº José Carlos Ramos, Director de Franchising da Explicolândia Centros de Estudo Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos anos, uma

Leia mais

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA

AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA AGENDA 21 LOCAL CONDEIXA-A-NOVA PLANO DE COMUNICAÇÃO E DIVULGAÇÃO Deliverable 4 Fase 2 Novembro 2008 1 P á g i n a Índice 1. Objectivos... 3 2. Públicos-alvo... 4 3. Estratégia de Comunicação... 5 3.1

Leia mais

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Um bom plano de divulgação deverá assegurar que todos os envolvidos estão a par do que está a ser proposto e do que irá acontecer

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA CASA MUNICIPAL DA JUVENTUDE DE AVEIRO CAPÍTULO I Art. 1º - Definição a. A Casa Municipal da Juventude de Aveiro é um equipamento que a Câmara Municipal de Aveiro coloca ao dispor

Leia mais

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto

APRESENTAÇÃO AEFCUP. Informações. AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto APRESENTAÇÃO AEFCUP Informações AEFCUP Associação de Estudantes da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto Rua do Campo Alegre, 1021 4150 180 Porto GPS: 41º 11'10.25'' N 8º41'25.32''W Tlf. AEFCUP

Leia mais

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

RELATÓRIO DE ESTÁGIO INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO CÉSAR PAULO DUARTE BARATA RELATÓRIO PARA A OBTENÇÃO DO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM GESTÃO DE VENDAS

Leia mais

Teatro Aveirense Palco de Conhecimento, Saber e Actualidade Artística

Teatro Aveirense Palco de Conhecimento, Saber e Actualidade Artística DOSSIER DE PATROCÍNIO TEATRO AVEIRENSE PALCO DE CONHECIMENTO, SABER E ACTUALIDADE ARTÍSTICA Rua Belém do Pará 3810 066 Aveiro tlf: 234 400 920 / fa: 234 400 921 marketing@teatroaveirense.pt www.teatroaveirense.pt

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação

Projeto Pedagógico e de Animação Projeto Pedagógico e de Animação 1 - Memória Descritiva 2 Identificação e Caracterização da Instituição Promotora 3 - Objetivos Gerais 4 - Objetivos Específicos 5 - Princípios educacionais 6 Metodologias

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente

Grupo Pestana. suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O Cliente Grupo Pestana suporta crescimento da área de venda directa no CRM. O trabalho de consolidação de informação permitiu desde logo abrir novas possibilidades de segmentação, com base num melhor conhecimento

Leia mais

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/02916 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Instituto Politécnico De Lisboa

Leia mais

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Alojamento no ensino superior Bruno Pereira João Costa Marcelo Leite Miguel Morais Pedro Querido Pedro Oliveira Relatório do Trabalho Prático realizado

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá

Leia mais

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA

CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA CARTA DE QUALIDADE EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA DAS CASAS BRANCAS DO LITORAL ALENTEJANO E COSTA VICENTINA I. CRITÉRIOS IMPERATIVOS Comprometo me a cumprir todos os critérios aqui descritos como imperativos,

Leia mais

Apresentação ecoinside

Apresentação ecoinside Documento compatível com caracteres ecofont - reduzindo o consumo do seu tinteiro em mais de 20%. Mais informações e download gratuito em www.ecofont.com Apresentação ecoinside Eco-Empreendedorismo: Ideias

Leia mais

Ficha de Identificação. Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA. Questões. 1.

Ficha de Identificação. Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA. Questões. 1. Ficha de Identificação Nome: Sónia Joaquim Empresa: Universidade de Aveiro Cargo/Função: Produtora Programa: 3810-UA Questões 1. O Programa Com a reestruturação da televisão pública portuguesa em 2003,

Leia mais

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria

SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria. guião de exploração dos. serviços SIG na web AM RIA. Associação de Municípios da Ria SIGRIA. sistema de informação geográfica dos municípios da ria guião de exploração dos serviços SIG na web Associação de Municípios da Ria 02 GUIA WEB ÍNDICE Introdução O que é um SIG? 03 O que é SIGRia?

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL

INTRODUÇÃO. Projecto Curricular de Turma SALA DO ATL INTRODUÇÃO A Educação não formal distingue-se, nas últimas décadas da Educação formal ou ensino tradicional, uma vez que confere outro tipo de reconhecimento, organização, qualificação e estrutura. A Educação

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS

TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS Saída Profissional 03.01 TÉCNICO DE ARTES GRÁFICAS O Técnico de Artes Gráficas é um profissional qualificado, conhecedor do fluxo de produção gráfica, e apto para o exercício de profissões ligadas à composição,

Leia mais

Condeixa Aqua Clube. Proposta de patrocínio

Condeixa Aqua Clube. Proposta de patrocínio Condeixa Aqua Clube Proposta de patrocínio Indice 1. Apresentação do Clube 3 2. Modalidades.... 4 3. Corpos Sociais..... 5 4. Técnicos 6 5. Atletas... 7 6. Instalações. 8 7. Estatutos e Regulamentos......

Leia mais

Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho do Curso de Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos

Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho do Curso de Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Relatório da Componente de Formação em Contexto de Trabalho do Curso de Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos Relatório Final de Estagio Luís Manuel Nogueira Marques Município de Fafe

Leia mais

Género e Actividades com as TIC

Género e Actividades com as TIC Género, Cidadania e Intervenção Educativa: Sugestões Práticas q Actividade Género e Actividades com as TIC Objectivos Sugestões Reconhecer que a interpretação da realidade é influenciada por expectativas

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS

ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS ANEXO III PROGRAMAÇÃO ARTÍSTICA LINHAS ORIENTADORAS E OBJETIVOS CENTRO CULTURAL VILA FLOR A programação do Centro Cultural Vila Flor deverá assentar em critérios de qualidade, diversidade, contemporaneidade

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

NEUBI Plano de actividades. Índice. Pag.1.Introdução Pag.2 a 5.Actividades previstas Pag.6.Conclusão Pag.7.Créditos

NEUBI Plano de actividades. Índice. Pag.1.Introdução Pag.2 a 5.Actividades previstas Pag.6.Conclusão Pag.7.Créditos 1 Índice Pag.1.Introdução Pag.2 a 5.Actividades previstas Pag.6.Conclusão Pag.7.Créditos 2 Introdução O núcleo de Estudantes de Engenharia Electromecânica da Universidade da Beira Interior (NEUBI) é uma

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012

PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 PROGRAMA DE VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 VOLUNTARIADO SERRALVES EM FESTA 2012 Preparado para mais um Serralves em Festa? É já nos dias 2 e 3 de Junho que se realiza mais uma edição do Serralves

Leia mais

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS

VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS VAMOS PROCURAR A ARQUITETURA 2ª Edição I ESPAÇOS PÚBLICOS A Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (OASRN) convida todas as Instituições de Ensino da Região Norte, a participar na 2ª edição

Leia mais

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas

Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes. Algumas considerações estratégicas Projecto de criação de uma escola de Gestão das Artes Algumas considerações estratégicas António Jorge Monteiro Abril de 1992 2 I. A História II. O Mercado III. Os Cursos IV. Os Professores V. Os Alunos

Leia mais

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Arraiolos Outubro 2008 Introdução O presente documento apresenta

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e recriar

Leia mais

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 37 38 3.1. Introdução Para a interpretação dos dados de saúde, quer de morbilidade quer de mortalidade, e nomeadamente para, com base nesses dados, se fazer o planeamento

Leia mais

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados

Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Cursos de Formação em Alternância na Banca Quarto Estudo de Follow up dos Diplomados Relatório Cursos terminados entre 2006 e 2009 Projecto realizado em parceria e financiado pelo Instituto de Emprego

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000

Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Salário de E-commerce Director pode chegar aos 75.000 Outras conclusões: Recrutamento na área de Marketing Digital registou crescimento de 15%. Área de E- commerce cresceu 6% Remuneração dos profissionais

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

Semente de Futuro Cooperativa de Solidariedade Social, IPSS Relatório de Actividades de 2014

Semente de Futuro Cooperativa de Solidariedade Social, IPSS Relatório de Actividades de 2014 Semente de Futuro Cooperativa de Solidariedade Social, IPSS Relatório de Actividades de 2014 Introdução No ano de 2014, foi consensual que todo o trabalho se realizasse na dupla perspectiva de empreendedorismo

Leia mais

b. Promover a contribuição das artes e humanidades, assim como das ciências, na educação para sustentabilidade.

b. Promover a contribuição das artes e humanidades, assim como das ciências, na educação para sustentabilidade. Integrar, na educação formal e na aprendizagem ao longo da vida, os conhecimentos, valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável. b. Promover a contribuição das artes e humanidades,

Leia mais

CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011

CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011 CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA PARA O ANO LECTIVO 2010/2011 Responsável pelo Clube de Francês Profª Ana Serra CLUBE DE FRANCÊS PROPOSTA - ANO LECTIVO 2010/2011 INTRODUÇÃO O Francês, como língua estrangeira

Leia mais

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação VOLUNTARIADO Guia de Inscrição Perfis Sentido de Responsabilidade Capacidade de Comunicação Paciente Amável Sentido Prático Capacidade de Comunicação Versátil Motivado Mentalidade Prática Dinamico Desembaraçado

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

Regulamento das Consultas Externas. Índice

Regulamento das Consultas Externas. Índice Índice CAPÍTULO I...4 DISPOSIÇÕES GERAIS...4 ARTIGO 1º...4 (Noção de Consulta Externa)...4 ARTIGO 2º...4 (Tipos de Consultas Externas)...4 ARTIGO 3º...4 (Objectivos do Serviço de Consulta Externa)...4

Leia mais

Europass Curriculum Vitae

Europass Curriculum Vitae Europass Curriculum Vitae In pessoal Apelido(s) / Nome(s) próprio(s) Morada Institucional Rosa, Julieta Alves () Faculdade de Economia CIEO 8005 139 Faro Telefone(s) 289 800 900 (ext. 7161) 289 244 406

Leia mais

todos fôssemos jardineiros"

todos fôssemos jardineiros ALEGAÇÕES FINAIS JARDIM BOTÂNICO DA AJUDA, EM LISBOA "O País era mais feliz se todos fôssemos jardineiros" INÊS BANHA jardineiro há nove anos no Jardim Botânico da Ajuda, em Lisboa, que este fim de semana

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

cultural, nas suas variadas vertentes. Uma comunidade deve encontrar o equilíbrio entre a Tradição e a Modernidade.

cultural, nas suas variadas vertentes. Uma comunidade deve encontrar o equilíbrio entre a Tradição e a Modernidade. A Cultura está muito próxima de uma ideia de civilização, porquanto através dela nos concebemos, como cidadãos, membros de uma comunidade, onde, partillhamos e descobrimos valores e representações, inteiramente

Leia mais

Regulamento de Cedência e Utilização do Auditório da FEUP

Regulamento de Cedência e Utilização do Auditório da FEUP Regulamento de Cedência e Utilização do Auditório da FEUP Serviços de Imagem, Comunicação e Cooperação Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto 11 de Maio de 2005 Capitulo I - Disposições Gerais

Leia mais

Projectos aprovados recebem um apoio de dois milhões de euros

Projectos aprovados recebem um apoio de dois milhões de euros NOTA DE IMPRENSA Projectos aprovados recebem um apoio de dois milhões de euros PROGRAMAÇÃO CULTURAL EM REDE A NORTE RECEBE NOVOS APOIOS DO ON.2 A autoridade de gestão do ON.2 O Novo Norte (Programa Operacional

Leia mais

Migração, Interculturalidades e Género

Migração, Interculturalidades e Género 2. PROJECTO Migração, Interculturalidades Projecto: Debates sobre assuntos europeus Antecedentes e justificação O Projecto Migração, Interculturalidades surge da reflexão emergente a partir de algumas

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Luís Miguel Nicolau Valente.

INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO. Luís Miguel Nicolau Valente. INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO RELATÓRIO DE ESTÁGIO Luís Miguel Nicolau Valente Julho de 2008 RELATÓRIO FINAL PARA A OBTENÇÃO DO GRAU DE NÍVEL IV EM DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Apresentação do Projeto

Apresentação do Projeto (imagem provisória) Apresentação do Projeto Associação Recreativo Cultural INTRODUÇÃO Havendo inúmeros estudos onde as Artes na Educação são apresentadas como um fator essencial no desenvolvimento social,

Leia mais

PROJECTO MOVING CINEMA

PROJECTO MOVING CINEMA PROJECTO CICLO DE PROJECÇÕES CONVERSA DEDICADO AOS JOVENS E SEMINÁRIO 11 e 12 de Maio de 2015 Moagem Cidade do Engenho e das Artes (Fundão) Este projecto pretende desenvolver estratégias inovadoras para

Leia mais

ALGUNS BREVES TEXTOS SOBRE A LIBERDADE. Performáticos07 ESTAL

ALGUNS BREVES TEXTOS SOBRE A LIBERDADE. Performáticos07 ESTAL ALGUNS BREVES TEXTOS SOBRE A LIBERDADE Performáticos07 ESTAL IDENTIFICAÇÃO DO PROMOTOR DO PROJECTO Estal Escola Superior de Tecnologias e Artes de Lisboa www.estal.pt Rua de Sto. Amaro nº 34 1200-803 Lisboa

Leia mais

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento

Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento AGRUPAMENTO DE ESCOLAS MOSTEIRO E CÁVADO Plano de Promoção de Leitura no Agrupamento 1. Apresentação do plano 2. Objectivos gerais 3. Orientações 4. Objectivos específicos 5. Actividades 6. Avaliação 1

Leia mais

Normas de funcionamento e utilização do Mercado de Sant Ana Centro Cultural 1

Normas de funcionamento e utilização do Mercado de Sant Ana Centro Cultural 1 1 6 Normas de funcionamento e utilização do Mercado de Sant Ana Centro Cultural 1 I Disposições Gerais 1. Objecto O presente regulamento tem por finalidade estabelecer as condições gerais a que ficam sujeitos

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis,

No pavilhão 2, com 108 stands, estavam representadas as regiões de turismo, câmaras municipais, associações e juntas de turismo, para além de hotéis, VIII Legislatura II Sessão Plenária Horta, 26 de Janeiro de 2005 Grupo Parlamentar do Partido Socialista Deputada Ana Isabel Moniz Assunto: Bolsa de Turismo de Lisboa Senhor Presidente da Assembleia, Senhoras

Leia mais

O PLANO DE COMUNICAÇÃO INTERNA

O PLANO DE COMUNICAÇÃO INTERNA O PLANO DE COMUNICAÇÃO INTERNA O plano de Comunicação Interna è a tradução operacional da estratégia. É um instrumento de gestão cujo objectivo é traduzir a política de comunicação interna da empresa num

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR +

APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + APRESENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA DE INCENTIVOS 2014-2020 SISTEMA DE INCENTIVOS PARA A COMPETITIVIDADE EMPRESARIAL COMPETIR + Ponta Delgada, 28 de Abril de 2014 Intervenção do Presidente do Governo Regional

Leia mais

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES

GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES GUIA INFORMATIVO PARA ORGANIZAÇÕES FICHA TÉCNICA Organização: Câmara Municipal da Amadora, Gabinete de Acção Social Equipa Técnica: Ana Costa, Rute Gonçalves e Sandra Pereira Design/Paginação: Estrelas

Leia mais

Portal da Diversidade Cultural. www.spla.pro MUTUALIZAÇÃO DA BASE DE DADOS

Portal da Diversidade Cultural. www.spla.pro MUTUALIZAÇÃO DA BASE DE DADOS Portal da Diversidade Cultural www.spla.pro MUTUALIZAÇÃO DA BASE DE DADOS Sulplaneta, uma base de dados para partilhar 2 Sulplaneta, site consagrado às artes e culturas dos países ACP (África, Caraíbas

Leia mais

Planificação de uma viagem de negócios

Planificação de uma viagem de negócios Planificação de uma viagem de negócios Página de Rosto Grupo: Joana Fernandes, Nuno Silva, Paulo Martins e Tânia Marlene Silva Ano/Turma: 12º ano do curso profissional de Secretariado Escola: Secundaria/3

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA

PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA PROGRAMA OPERACIONAL DA CULTURA Relatório de 2000 1. Introdução e enquadramento. 1.1 Apresentação e síntese do documento O relatório de 2000 do Programa Operacional da Cultura, constitui o 1º relatório

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE

A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE A PARTICIPAÇÃO PÚBLICA E A REGIÃO NORTE Autores: 1 Gabriela Azevedo e Rita Ramos Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte INTRODUÇÃO E OBJECTIVOS No âmbito dos procedimentos da Avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS ÀS ASSOCIAÇÕES MUSICAIS, RECREATIVAS, CULTURAIS DO CONCELHO

CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS ÀS ASSOCIAÇÕES MUSICAIS, RECREATIVAS, CULTURAIS DO CONCELHO Doc. A (anexo ao PMC) CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS PARA ATRIBUIÇÃO DE SUBSÍDIOS ÀS ASSOCIAÇÕES MUSICAIS, RECREATIVAS, CULTURAIS DO CONCELHO A atribuição de subsídios às coletividades musicais, recreativas

Leia mais

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26931 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Centro

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades Objetivos Atividades Responsáveis Datas Recursos Avaliaçõe s Promover o convívio entre os elementos da comunidade educativa Proporcionar momentos de alegria e partilha Recepção

Leia mais

ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE

ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE ACEF/1314/03672 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Outras

Leia mais

COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS

COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS COMPETÊNCIAS DA DAG / RELAÇÕES PÚBLICAS Tendo em conta a necessidade de o ISA, como qualquer outro prestador de serviços, responder cada vez melhor às expectativas do seu público estratégico, conhecendo-o

Leia mais

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés.

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés. O estudo do desenvolvimento musical da criança é um campo de trabalho privilegiado pela CMT, tendo em conta o perfil curricular de alguns dos seus elementos, com ligações ao meio universitário. Um pouco

Leia mais

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores

Marketing de Feiras e Eventos: Promoção para Visitantes, Expositores e Patrocinadores Gestão e Organização de Conferências e Reuniões Organização de conferências e reuniões, nos mais variados formatos, tais como reuniões educativas, encontros de negócios, convenções, recepções, eventos

Leia mais

(Aprovado pelaassembleia Geral a 13/05/2012)

(Aprovado pelaassembleia Geral a 13/05/2012) Regulamento Interno www.tone.pt (Aprovado pelaassembleia Geral a 13/05/2012) Introdução www.tone.pt A Tone Music Lda encontra-se sediada em Coimbra, circunscrevendo actualmente o seu raio de acção a este

Leia mais

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE

ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE ACEF/1314/21732 Relatório final da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de Ensino Superior / Entidade Instituidora: Universidade De Lisboa A.1.a. Outras Instituições

Leia mais

Apoio à Preparação de Voluntários de Leitura Um projeto de cidadania Missão Potenciar o desenvolvimento de uma rede nacional de volutariado na área da promoção da leitura. Objectivos centrais Apoiar iniciativas;

Leia mais

A Exchange é uma marca da empresa Changebiz Rede de Consultores Financeiros, SA.

A Exchange é uma marca da empresa Changebiz Rede de Consultores Financeiros, SA. Exchange A EXCHANGE Quem somos A Exchange é uma marca da empresa Changebiz Rede de Consultores Financeiros, SA. Resulta de uma Parceria de Sucesso entre o Grupo Onebiz, referência no desenvolvimento de

Leia mais

as s FESTIVAL DE ARTES

as s FESTIVAL DE ARTES as s ARTES MÚSICA WORKSHOPS SOLIDÁRIO FESTIVAL DE ARTES Festival ASAS Apresentação: ATB e Município de Penela Conceito Método Objetivos Cronograma/programação Projetos de intervenção social A região de

Leia mais

10. Equipamentos e Serviços Sociais

10. Equipamentos e Serviços Sociais 68 10. Equipamentos e Serviços Sociais A rede de equipamentos e serviços sociais existentes no concelho de Vidigueira constitui uma realidade resultante do esforço e envolvimento de entidades de diversa

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS

CARTA EUROPEIA DO ENOTURISMO PRINCIPIOS GERAIS PRINCIPIOS GERAIS I. OS FUNDAMENTOS DO ENOTOURISMO 1. Por enotourismo queremos dizer que são todas as actividades e recursos turísticos, de lazer e de tempos livres, relacionados com as culturas, materiais

Leia mais

Documentação, Divulgação e Vídeo. > Relatório <

Documentação, Divulgação e Vídeo. > Relatório < Projecto Aldeia das Amoreiras Sustentável Documentação, Divulgação e Vídeo > Relatório < - 1 - RELATÓRIO DA DOCUMENTAÇÃO, DIVULGAÇÃO E VÍDEO Organização: Centro de Convergência/ GAIA Alentejo Data e local:

Leia mais

Programa de Acção da Candidatura a Presidente

Programa de Acção da Candidatura a Presidente Programa de Acção da Candidatura a Presidente do Instituto Politécnico de Beja de Manuel Alberto Ramos Maçães 1 Índice I. O Porquê da Candidatura II. III. IV. Intenção Estratégica: Visão, Envolvimento

Leia mais

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.

Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M. Câmara Municipal Presidência Cerimónia Oficial da XIII - Edição do Festival Músicas do Mundo 22 de Julho 2011. Caros Sineenses Visitantes e participantes do F.M.M de Sines Bem vindos à nossa grande festa

Leia mais

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA

Lisboa 2014 FICHA DE CANDIDATURA Lisboa 2014 Refª: 148 Janela 1750 Grupo de Trabalho dos Bairros e Zonas de Intervenção Prioritária (BIP/ZIP) Rua Nova do Almada, nº 2-3º Andar 1100-060 Lisboa Telefone: 21 322 73 60 Email - bip.zip@cm-lisboa.pt

Leia mais

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Enquadramento geral Os Programas de Educação para a Sustentabilidade têm como principal objectivo promover a educação e a sensibilização ambiental de todos

Leia mais

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO DR

INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO DR INTERVENÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO DR. RUI MARIA DE ARAÚJO POR OCASIÃO DA XIII REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DOS MINISTROS DO TRABALHO E DOS ASSUNTOS SOCIAIS DA CPLP A extensão da Protecção Social

Leia mais