Caixas Band Pass Em Regime De Potência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Caixas Band Pass Em Regime De Potência"

Transcrição

1 Caixas Band Pass Em Regime De Potência Homero Sette Silva, Eng. Rosalfonso Bortoni, MSc UNIVERSIDADE FEDERAL ELETRÔNICA SELENIUM S.A. DE SANTA CATARINA Quatro caixas acústicas para subgraves (três do tipo BP e uma BR), utilizando falantes de 18 e 15 polegadas, foram testadas no que diz respeito às curvas de resposta e de distorção harmônica, com potências de 1 a 400 Watts RMS, em ambiente anecóico. O objetivo do presente trabalho é tornar esses dados acessíveis aos profissionais de áudio para que possam analisar o desempenho desses sistemas inclusive quando operando em altas potências. Neste trabalho, serão apresentadas as curvas de resposta e de distorção harmônica, obtidas em câmara anecóica, com potências de 1, 50, 100, 00 e 400 Watts RMS em 3 caixas do tipo Band Pass e uma Bass Reflex sendo esta para fins de comparação. O objetivo é tornarmos esses dados acessíveis, de modo que os profissionais de PA possam deles dispor com facilidade, para que tenham elementos em mão para analisar e avaliar o desempenho e as possibilidades desses sistemas operando, inclusive, com elevados níveis de potência. O equipamento de medida utilizado foi o Analisador de Áudio marca Brüel, modelo 01, e o ambiente a Câmara Anecóica da ELETRÔNICA SELENIUM. As curvas obtidas pelo Brüel foram importadas pelo LMS, da LINEARX, para maior flexibilidade no processamento. As caixas submetidas aos testes estão descritas abaixo, cada uma tendo recebido um número de identificação, para facilitar a referência no texto. Não foram utilizados materiais absorventes no interior de nenhuma das caixas aqui avaliadas e os níveis de potência a que as curvas se referem são eficazes, e pôr alto-falante. Desse modo, as caixas 1 e 4 receberam, sempre, o dobro da potência aplicada naquelas de números e 3. Tabela 1 - CAIXAS USADAS NOS TESTES N Tipo Volume Total Volume Individual Falantes Quantidade de Falantes 1 Bass Reflex 344 L 181 % 17 L 11 % WPU 1807 Band Pass de 4 a Ordem 190 L 100 % 190 L 134 % WPU Band Pass de 6 a Ordem 61 L 137 % 61 L 184 % WPU Band Pass de 6 a Ordem 85 L 150 % 14 L 100 % WPU 1507

2 Fig. - CAIXA Fig. 1 - CAIXA 1 Fig. 4 - CAIXA 4 Fig. 3 CAIXA 3

3 Fig. 5 CAIXA 1 - Curvas de Resposta Fig. 6 CAIXA 1 - Curvas de Distorção Fig. 7 CAIXA - Curvas de Resposta Fig. 8 CAIXA - Curvas de Distorção Tabela - CARACTERISTICAS RESUMIDAS DOS FALANTES Falante SPL (db) Potência Musical (W) Potência RMS (W) Fs (Hz) VAS (L) Qts Imp. (Ω) Diâmetro (Pol.) WPU WPU WPU Os falantes WPU 1807 e WPU 1507 utilizam cones de QCF, resistentes à umidade

4 Fig. 9 CAIXA 3 - Curvas de Resposta Fig. 10 CAIXA 3 - Curvas de Distorção Fig. 11 CAIXA 4 - Curvas de Resposta Fig. 1 CAIXA 4 - Curvas de Distorção Nas Figs. 5 a 1 vemos as curvas de resposta de freqüência e de distorção harmônica total (THD%) para cada uma das quatro caixas acústicas ensaiadas, recebendo potências de 1, 50, 100, 00 e 400 Watts RMS. Já as Figs. 13 a mostram as curvas agrupadas pelo nível de potência, o que facilita a comparação do desempenho das caixas entre si, no que diz respeito à resposta de freqüência e à distorção harmônica. Para que a eficiência de cada caixa pudesse ser comparada, subtraímos 6 db das respostas produzidas pelas caixas 1 e 4, que utilizam dois alto-falantes. Assim, estamos compensando o acréscimo de 3 db, devido ao fato de terem sido ensaiadas com o dobro da potência das demais, e dos outros 3 db ganhos com o acoplamento entre os falantes. Essas curvas estão mostradas nas Figs. 3 a 7.

5 Fig Curvas de Resposta com 1 Watt Fig Curvas de Distorção com 1 Watt

6 Fig Curvas de Resposta com 50 Watt Fig Curvas de Distorção com 50 Watt

7 Fig Curvas de Resposta com 100 Watts Fig Curvas de Distorção com 100 Watts

8 Fig Curvas de Resposta com 00 Watts Fig. 0 - Curvas de Distorção com 00 Watts

9 Fig. 1 - Curvas de Resposta com 400 Watts Fig. - Curvas de Distorção com 400 Watts

10 Fig. 3 - Curvas de Resposta a 1 Watt com as Caixas 1 e 4 atenuadas em 6 db Fig. 4 - Curvas de Resposta a 50 Watt com as Caixas 1 e 4 atenuadas em 6 db

11 Fig. 5 - Curvas de Resposta a 100 Watt com as Caixas 1 e 4 atenuadas em 6 db Fig. 6 - Curvas de Resposta a 00 Watt com as Caixas 1 e 4 atenuadas em 6 db

12 Fig. 7 - Curvas de Resposta a 400 Watt com as Caixas 1 e 4 atenuadas em 6 db Distorção Harmônica Total THD DEFINIÇÃO Segundo a norma IEC 68-5 Sound System Equipment, Part 5: Loudspeakers (1989), a Distorção Harmônica Total (THD Total Harmonic Distortion) deve ser calculada através das equações abaixo: THD = P f n i= + P if n i = P if Eq. 01 THD n Pif i= % = 100 = THD n Pf + Pif i= 100 Eq. 0 THD% THD db = 0 Log10 ( THD) = 0 Log10 Eq

13 onde n i = P if = P f + P3 f + P4 f Pnf é a soma dos quadrados da pressão sonora de cada harmônico de freqüência if ( i =,3,4,..., n ) e P f é a pressão sonora da fundamental de freqüência f. A raiz quadrada da soma dos quadrados nada mais é que o valor RMS (Root Mean Square) das componentes harmônicas. A Eq. 0 expressa a THD em porcentagem, e a Eq. 03 o faz em decibel. Um outro método para o cálculo da THD é encontrado na norma IHF A 0 Standard Methods of Measurement for Audio Amplifier (1978), que aqui é adaptado para pressão acústica e citado para fins de comparação (Eq. 04). THD = n i = P f P if Eq. 04 THD n Pif i= % = 100 = THD Pf 100 Eq. 05 THD% THD db = 0 Log10( THD) = 0 Log10 Eq O que difere um método do outro é o fato de que, no primeiro (Eq. 01), a pressão sonora total dos harmônicos é relacionada com a pressão total de todas as componentes do espectro (fundamental + harmônicos) e, no segundo (Eq. 04), a pressão sonora total dos harmônicos é relacionada apenas com a pressão sonora da fundamental. Dessa forma, a THD calculada a partir da Eq. 0 nunca será maior que 100%, o que não ocorre com a Eq. 05 (Figs. 8 e 9). As Figs. 33 e 34 mostram as curvas de THD, em % e db, calculadas a partir das Eqs. 0 e 05 e Eqs. 03 e 06, respectivamente. No eixo das abcissas está a razão harmônicos/fundamental, indo de 0,001 a 10 (o que corresponde a 0,1% e 1000% de THD, calculada a partir da Eq. 05). Na Tabela 4 está a equivalência entre THD em % e em db. Nota-se que para a razão harmônicos/fundamental menor ou igual a 0,1 as duas curvas se confundem, de onde pode-se afirmar que para THD 10 % % os resultados das Eqs. 0 e 05 são praticamente os mesmos; a partir deste ponto é percebida a diferença (Figs. 30 e 31, Tabela 5). Tabela 3 Equivalência entre THD (%) e THD (db) 1000 % +0 db 100 % 0 db 10 % -0 db 1 % -40 db 0,1 % -60 db 0,01 % -80 db 0,001 % -100 db

14 Fig. 8 Curvas da Distorção Harmônica % dadas pelas equações 0 e 05. Fig. 9 Curvas de Distorção Harmônica em db dadas pelas equações 03 e 06.

15 Fig. 30 Detalhe da THD para a razão harmônicos/fundamental maior que 0,1 (em %). Fig. 31 Detalhe da THD para a razão harmônicos/fundamental maior que 0,1 (em db).

16 THD % (Eq. 05) = (Harm / Fund)x100 Tabela 4 Comparação entre as Equações 0 e 05 THD % (Eq. 0) Erro % 0,1 0, , , ,9996 0, ,9987 0, ,9968 0, ,9938 0, ,989 0, ,989 0, ,9745 0, ,9638 0, ,9504 0, ,834 1, ,61 1, ,54 3, ,735 4, ,035 5, ,139 7, ,036 9, ,71 11, ,19 14, ,450 16, ,499 19, ,346, ,000 5, ,470 8, ,765 31, ,896 34, ,875 37, ,711 41, ,994 48, ,8 56, ,6 64, ,373 7, ,05 80, ,800 88, ,193 97, , , ,49 114, ,443 13, ,868 16, ,014 31, , , , , , , ,8 706, , , , ,99

17 F:\EP\CAIXAS\WPU1805Q Des.: Thomé 01/1/98 Fig. 3 CAIXA 1 - Desenho Técnico

18 A DUTO WPU 1805 DUTO B B A CORTE A-A 109 L 81 L ALTO-FALANTES MEDIDAS EM "cm" DUTO CORTE B-B Fig. 33 CAIXA - Desenho Técnico

19 MEDIDAS DA CAIXA EM "cm" MADEIRA: COMPENSADO 0mm WOOFER: WPU F:\EP\CAIXAS\AMPLIFIC Fig. 34 CAIXA 3 - Desenho Técnico

20 Fig. 35 CAIXA 4 - Desenho Técnico F:\EP\CAIXAS\WPU1505J Des.: Thomé 18/06/99

21 Tabela 5 - RESULTADO COMPARATIVO CAIXA 1 CAIXA CAIXA 3 CAIXA 4 x WPU 1807 WPU 1805 WPU 1805 x WPU 1507 Maior Volume Total 344 L Volume Individual 17 L Menor Volume Total 190 L Volume Individual 190 L Volume Total 61 L Maior Volume Individual 61 L Volume Total 85 L Menor Volume Individual 14 L Maior SPL 100 db W/1m SPL 96 1W/1m Menor SPL 93 db 1W/1m SPL 97 W/1m Eficiência 95 db 1W/1m Maior Eficiência 96 db 1W/1m Eficiência 94 db 1W/1m Menor Eficiência 90 db 1W/1m Maior Distorção Menor Distorção Banda Passante 47, Hz - Banda Passante 55,5 15,5 Hz Menor Banda Passante 45,5 13,0 Hz Maior Banda Passante 45,5 147,5 Hz Analisando as diversas curvas apresentadas podemos concluir que a distorção harmônica total é perfeitamente aceitável, assumindo valores relativamente baixos mesmo com elevados níveis de potência dentro da faixa de resposta da caixa. Os elevados valores de distorção, próximos de 100%, mostrados abaixo dos 30 Hz, acontecem em virtude da amplitude da fundamental ser reduzida nesta região, que está fora da banda passante. Para ilustrar, na Fig., a Caixa apresenta altos valores de distorção entre 30 e 60 Hz. Conforme a Fig. 1, podemos constatar que esta caixa começa a responder de 55 Hz em diante, ou seja, abaixo disso o sinal produzido pela fundamental é cada vez menor. Na Tabela 5, onde temos um resumo comparativo dos resultados obtidos nos testes, vemos que todas as caixas Band Pass apresentaram banda passante superior a uma oitava, o que demonstra a preocupação do projetista em se conseguir uma reposta de freqüência que viesse a facilitar o cruzamento com a via subsequente, o que reduz a eficiência dentro da faixa de trabalho. Nenhuma das caixas ensaiadas foi assistida pôr filtros o que, provavelmente, teria sido muito benéfico para aumentar os níveis de pressão acústica e reduzir a distorção, principalmente fora da banda passante.

22 Fig Curva de Resposta do Amplificador Usado O amplificador usado neste trabalho, é o compacto SX 1400 Heavy Duty da STUDIO R, um classe AB/B com polarização variável e 1400 Watts RMS de potência. Este amplificador pode ser usado na configuração estéreo (maneira convencional) com dois canais de 700 Watts RMS, capazes de fornecer uma tensão máxima de saída igual a 37,5 Volts, quando alimentando cargas de Ohms por canal ou em ponte (DUO AB) conforme foi usado nos trabalhos de avaliação destas caixas. Segundo o fabricante, o SX 1400 (assim como os demais amplificadores da linha Heavy Duty), foi concebido para operar, também, no modo DUO AB, situação em que os dois canais trabalham juntos, transformando-o em um potente amplificador mono, com 1400 Watts RMS, onde a tensão máxima de saída chega a 74 Volts, sobre uma carga de 4 Ohms resistivos, ou dois falantes de impedância nominal igual a 8 Ohms, em paralelo, o que não é a mesma coisa que uma resistência equivalente de 4 ohms, devido à complexidade da curva de impedância do alto-falante e à tendência desta exibir valores inferiores à impedância nominal declarada. As entradas são balanceadas e protegida contra sinais de linha superiores a 10 Volts RMS. Também no circuito de entrada existe um circuito passa altas de 18 db por oitava, com o corte ajustável e Q variável, para limitador a resposta em baixa freqüência e assim diminuir o deslocamento do cone dos alto-falantes. Embora esta característica seja extremamente desejável, na prática, no caso do presente trabalho, este circuito foi ajustado para produzir uma queda de 3dB na freqüência de 14Hz, e sem introduzir nenhum reforço, conforme podemos ver na curva de resposta mostrada na Fig. 36. Em um próximo trabalho pretendemos elevar este corte um pouco acima dos 30 Hz, para verificar a sua influência no deslocamento do cone, em baixas freqüências, e sua implicação na distorção harmônica. Nas altas frequências, o processador oferece um filtro Low Pass de 18 db por oitava, ajustável, e um circuito equalizador de Q variável que serve para limitar a resposta de agudos permitir a equalização dos

23 drivers. No caso deste trabalho, este circuito foi ajustado para uma queda de 3dB em 0KHz, tendo a equalização sido mantida plana, conforme mostra a curva de resposta. O limitador ajustável da potência de saída (proteção para o falante) foi mantido na posição de máxima potência. DISCUSSÕES E CONCLUSÕES Analisando as Figs. 14, 16, 18, 0 e podemos ver que a THD aumenta com o acrescimo da potência e com a diminuição da freqüência (abaixo da banda passante), chegando a 100% em 0 Hz, onde se nota um comportamento de "compressão" da THD em freqüências abaixo de 30 Hz, o que sugere terem sidos os cálculos feitos a partir das Equações. 01 e 0, o que foi confirmado consultando-se o manual do equipamento utilizado na medição. Nas Equações 01 e 0 os harmônicos são relacionados pela fundamental somada a eles mesmos, e fica claro que, se a fundamental possuir uma amplitude menor que a dos harmônicos, a THD tenderá a 100%. Essa situação pode facilmente ocorrer em baixas freqüências devido às próprias limitações dos sistemas alto-falantes + caixas acústicas (Figs. 13, 15, 17, 19 e 1), e dessa forma, os elevados valores de THD encontrados não são apenas conseqüência do aumento da distorção (harmônicos), mas também devido à pequena presença da fundamental, visto que os sinais para análise foram obtidos acusticamente, via microfone. Para exemplificar o exposto acima, considerando-se uma THD média igual a 5% (Figs. 14, 16, 18, 0 e ) e uma atenuação de 35 db em 0 Hz, sendo ambos os valores relativos à banda passante (Figs. 13, 15, 17, 19 e 1). A partir das Eqs. 01 e 0 podemos determinar o quanto os harmônicos estão abaixo da fundamental, na banda passante: Valor eficaz dos Harmônicos Valor eficaz da Fundamental = n i= P f P if = 1 1 THD 1 Considerando 5% de THD, temos: Log Log db = THD 0,05 - Para efeito de simplificação, e sem perda da generalidade, considera-se, aqui, apenas a presença do terceiro harmônico ( 3 f ). Assim, 5% de THD significa que o terceiro harmônico está 6 db abaixo da fundamental. Supondo-se, agora, a fundamental em 0 Hz, o microfone irá captá-la com uma atenuação de 35 db, devido a resposta do sistema, mas o terceiro harmônico, em 60 Hz, será medido sem sofrer qualquer atenuação, pois este está dentro da banda passante (Figs. 13, 15, 17, 19 e 1). Assim, a THD, devido ao deslocamento da fundamental para 0 Hz, é dada por: ( 6 35) , % Ou seja, a THD aumentou devido a atenuação da fundamental e não pelo aumento da distorção (terceiro harmônico). Podemos concluir que um sistema alto-falante + caixa acústica deve ser excitado com sinais cujo espectro de freqüências esteja dentro da banda passante do sistema, pois com isso pode-se evitar elevados níveis de distorção, sendo assim possível a obtenção de níveis abaixo de 1%, mesmo com elevados valores de potência aplicada. É claro que para isso ser verdadeiro, tanto o amplificador quanto a caixa acústica devem ser escolhidos com critério.

24 Homero Sette Silva é consultor da ELETRÔNICA SELENIUM S.A. Rosalfonso Bortoni, Mestre em Engenharia Elétrica pela UFSC, cursa o Doutorado nesta universidade. Os Autores desejam registrar seus agradecimentos (não necessariamente pela ordem em que estão expressos), a: Elias Rosa da Cunha, Técnico de Laboratório da ELETRÔNICA SELENIUM e Gustavo Pigatto Bohn, Treinee da Eng. de Produto na ELETRÔNICA SELENIUM pela operação do Analisador de Áudio marca BRÜEL, modelo 01; André Pi Corrente, Gerente Técnico da AUDIO COMPANY, pela construção das caixas utilizadas neste trabalho. Tadeslau Antonio da Silva Souza, Analista de Produto da ELETRÔNICA SELENIUM. ELETRÔNICA SELENIUM S. A., pelo apoio prestado, que permitiu a elaboração do presente trabalho. Elias Rosa da Cunha é Técnico de Laboratório da SELENIUM. Gustavo Pigatto Bohn é Trainee da Eng. de Produto da SELENIUM. André Pi é Gerente Técnico da AUDIO COMPANY.

DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, COM ATENUAÇÃO

DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, COM ATENUAÇÃO DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, COM ATENUAÇÃO omero Sette Silva, Eng. Revisão 2 8 3 A utilização correta de drivers e tweeters não só implica no uso de divisores de freqüência

Leia mais

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência

MÓDULOS PLUG & PLAY. MÓDULO ADL Manual de referência MÓDULOS PLUG & PLAY MÓDULO ADL Manual de referência Parabéns pela aquisição de um produto STUDIO R! Eles foram projetados para anos de operação confiável sob as mais rigorosas condições. Seu STUDIO R deverá

Leia mais

INFLUÊNCIA DA IMPEDÂNCIA DO ALTO-FALANTE NA POTÊNCIA DO AMPLIFICADOR.

INFLUÊNCIA DA IMPEDÂNCIA DO ALTO-FALANTE NA POTÊNCIA DO AMPLIFICADOR. INFLUÊNCIA DA IMPEDÂNCIA DO ALTO-FALANTE NA POTÊNCIA DO AMPLIFICADOR. A maneira como utilizamos os alto-falantes pode implicar em ganhos ou perdas de potência de um amplificador. Um ganho de potência pode

Leia mais

Curso de Caixas Acústicas Parte 4 capacitores, divisores de frequência e atenuadores

Curso de Caixas Acústicas Parte 4 capacitores, divisores de frequência e atenuadores Curso de Caixas Acústicas Parte 4 capacitores, divisores de frequência e atenuadores Autor: Fernando A. B. Pinheiro Entrar em uma loja e escolher os falantes é facílimo. Conseguir um marceneiro para fabricar

Leia mais

Limitando a Potência em Drivers e Alto-Falantes

Limitando a Potência em Drivers e Alto-Falantes Limitando a otência em Drivers e lto-alantes O uso de crossovers eletrônicos em sistemas profissionais não constitui, hoje, nenhuma novidade, mas o emprego de processadores eletrônicos é algo que, somente

Leia mais

Sociedade de Engenharia de Áudio Artigo de Convenção Apresentado na XV Convenção Nacional

Sociedade de Engenharia de Áudio Artigo de Convenção Apresentado na XV Convenção Nacional Sociedade de Engenharia de Áudio Artigo de Convenção Apresentado na XV Convenção Nacional 17 a 19 de Maio de 2011, São Paulo, SP Este artigo foi reproduzido do original entregue pelo autor, sem edições,

Leia mais

Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais

Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais Relação entre os diversos níveis na amplificação de sinais Caros amigos, Um sistema de sonorização têm basicamente a função de transformar energias. Capta-se a energia acústica, através dos microfones

Leia mais

MU240 75 Watts RMS 1 Falante 12 e Drive Piezo Equalização ativa 3 vias (Bass, Middle e Treble) Canal 1 : Guitarra ou Violão (Entrada Low e High)

MU240 75 Watts RMS 1 Falante 12 e Drive Piezo Equalização ativa 3 vias (Bass, Middle e Treble) Canal 1 : Guitarra ou Violão (Entrada Low e High) MU100 25 Watts RMS 1 Falante 6 com difusor Equalização ativa 2 vias (Bass,Treble) Canal 1 : Microfone ou Guitarra Canal 2 : BLUETOOTH, USB, SD Card, FM Teclado, Auxiliar e Controle remoto Largura 290mm

Leia mais

DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, SEM ATENUAÇÃO

DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, SEM ATENUAÇÃO DIVISOR DE FREQÜÊNCIA CAPACITIVO PARA DRIVERS & TWEETERS, SEM ATENUAÇÃO omero Sette Silva Revisão 06 12 0 homero@selenium.com.br A utilização de capacitores, desempenhando a função de filtros passa-altas,

Leia mais

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada

Manual de Instruções. Crossover 4 Vias HD-X4W. Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada Especificações Técnicas (Crossover 4 Vias) Nível máximo de entrada 9V RMS Tweeter CH Crossover /octave 2K, 4K, 6K, 8K Mid CH Crossover /octave Low: 0, 0, 0Hz em Flat High:,, 1,Hz Mid Bass Crossover /octave

Leia mais

Filtros de sinais. Conhecendo os filtros de sinais.

Filtros de sinais. Conhecendo os filtros de sinais. Filtros de sinais Nas aulas anteriores estudamos alguns conceitos importantes sobre a produção e propagação das ondas eletromagnéticas, além de analisarmos a constituição de um sistema básico de comunicações.

Leia mais

G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o

G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o C r o C r s o s o s v o v e e r r E l e t r ô n i c i c o o 2 2 V i V a s i a s G u i a R á p i d o d e I n s t a l a ç ã o Se desejar um rápido esclarecimento sobre a instalação do crossover eletrônico

Leia mais

Nova linha. Tudo o que você gostaria está aqui!

Nova linha. Tudo o que você gostaria está aqui! Nova linha Multiuso Voxstorm Tudo o que você gostaria está aqui! Multiuso USB Multiuso USB * Códigos 289/291/389/388/389 não tem conexão bluetooth. PSG 120 potência: 20 Watts RMS 01 alto falante de 6 02

Leia mais

Por favor, leia atentamente este manual para obter detalhes quanto o correto equipamento.

Por favor, leia atentamente este manual para obter detalhes quanto o correto equipamento. TIME USB MP3 / WMA PLAYER MODE FD - FD+ MIC 1 LEVEL MIC 2 LEVEL LINE LEVEL L / R MIC2 INPUT LINE INPUT TREBLE BASS MP3/WMA LEVEL LINE OUT CLIP CORD AUTOMATIC VOLTAGE SELECTOR 100-240Vac 50 / 60Hz Nur Sicherung

Leia mais

SERIES MANUAL TÉCNICO M112D

SERIES MANUAL TÉCNICO M112D SERIES MANUAL TÉCNICO M112D High Power Stage Monitor Dimensões: Peso: Construção: Acabamento: Tela de proteção: Conexão de áudio: Conexão de AC: 382mm x 485mm x 660mm (AxLxP) 36kg MadeFibra Poliéster preto

Leia mais

Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1

Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1 Amplificadores, Falantes, Caixas Acústicas e uma tal de Impedância Parte 1 Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro Um dos trabalhos do operador de som é tirar o máximo proveito do seu sistema de sonorização,

Leia mais

RETIFICAÇÃO Nº 1 DO EDITAL Nº 18/2015

RETIFICAÇÃO Nº 1 DO EDITAL Nº 18/2015 Câmara Municipal de Blumenau Estado de Santa Catarina Blumenau, 07 de agosto de 2015. RETIFICAÇÃO Nº 1 DO EDITAL Nº 18/2015 O Presidente da Câmara Municipal de Blumenau faz saber que o Edital 18/2015 foi

Leia mais

A Empresa. Missão: Visão:

A Empresa. Missão: Visão: A Empresa Criada em 15 de dezembro de 1993, com sede na Av. Julio Borella, 1418, em Marau-RS, a Eco Som iniciou suas atividades a partir da idéia dos sócios e músicos Valter Bido e Ademar de Oliveira,

Leia mais

Filtros Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto

Filtros Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto Filtros Prof. Eng Luiz Antonio Vargas Pinto Passivos e Ativos Passivos São associações elétrica que respondem a variação de freqüência, podendo produzir resultados satisfatórios em eliminar ou apenas filtrar

Leia mais

Subwoofer Compacto para uso com Dodecaedros

Subwoofer Compacto para uso com Dodecaedros Subwoofer Compacto para uso com Dodecaedros Swen Müller Pesquisador do Laboratório de Ensaios Acústicos da DIAVI (INMETRO), e-mail: smuller@inmetro.gov.br Rosana Ribeiro Pontes Estagiária do Laboratório

Leia mais

Audio Control. Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL!

Audio Control. Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL! Audio Control Enhanced Stereo Audio Equalizer and 3 way crossover LEIA COM ATENÇÃO ESTE MANUAL! APRESENTAÇÃO: Parabéns! Você adquiriu um produto SounDigital de ótima qualidade! Obrigado por confiar na

Leia mais

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los 1/ 9 Imprimir PROJETOS / Energia 20/08/2012 10:20:00 Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los Na primeira parte deste artigo vimos que a energia

Leia mais

Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004-2007 For Evaluation Only.

Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004-2007 For Evaluation Only. Edited by Foxit PDF Editor Copyright (c) by Foxit Software Company, 2004-2007 For Evaluation Only. BUG - Mini transmissor FM Os transmissores são as montagens favoritas dos rádios aficcionados: Temos um

Leia mais

O Ouvido Humano e a Audição

O Ouvido Humano e a Audição 36 Capítulo 4 O Ouvido Humano e a Audição Neste capítulo faremos um estudo sobre o ouvido humano, a fisiologia da audição e a sensibilidade do nosso sistema auditivo. 1. Conceitos básicos sobre a anatomia

Leia mais

Número PE042/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega

Número PE042/2013. Fornecedor. Pregão. Item Descrição do Material UF Quantidade Preço Unitário Preço Total Marca / Modelo Prazo Entrega Folha 1 UNIVERSIDADE DO SUDOESTE DA - CAMPUS VITORIA DA C 1 CAIA, de som, bi-amplificadanas. - Duas vias para alta potencia (ativo e passivo); - Chave seletora ativo/passivo; - Ressonancia: 40 Hz; - Conexao:

Leia mais

ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA

ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA ANALISE DE CORRENTE ELÉTRICA 1. INTRODUÇÃO A manutenção preditiva tem sido largamente discutida nos últimos anos, e sem dúvida é um procedimento moderno de gerenciamento, que comprovadamente vem diminuindo

Leia mais

catálogo de produtos

catálogo de produtos catálogo de produtos Caixas Acústicas PS2TWA Caixa bi-amplificada com 150 watts (EIAJ), 2 altofalantes de 8, resposta 65Hz-20KHz, 118dB SPL máximo. PS2TW Caixa acústica passiva 150W 2 vias, 2 alto-falantes

Leia mais

Introdução 5. Amplificação com FET 6. Polarização do FET 6 Polarização do terminal dreno 7 Polarização do terminal porta 7

Introdução 5. Amplificação com FET 6. Polarização do FET 6 Polarização do terminal dreno 7 Polarização do terminal porta 7 Sumário Introdução 5 Amplificação com FET 6 Polarização do FET 6 Polarização do terminal dreno 7 Polarização do terminal porta 7 Estágio amplificador com FET 8 Princípio de funcionamento 9 Características

Leia mais

EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH MID MID MID MID MID MID MID MID LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW

EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ EQ HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH HIGH MID MID MID MID MID MID MID MID LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW LOW POWEED MIXE POWEED MIXE MID MID MID MID MID MID MID MID ET IM db 2 3 -db -db -db -db MASTE INE INE INE INE HI-Z (Guitar) HI-Z (Bass) MASTE OUT PHONES MIC 1 MIC 2 MIC 3 MIC 4 MIC 5 MIC 6 MIC 7 MIC 8 IN

Leia mais

860w 1060w 1062w 1260w 1262w

860w 1060w 1062w 1260w 1262w DEUTSCH ENGLISH R E F E R E N C E 860w 1060w 1062w 1260w 1262w DANSK SVENSK ITALIANO NEDERLANDS ESPAÑOL FRANÇAIS SUOMI Русский POLSKI R E F E R E N C E Obrigado por ter adquirido os subwoofers Série Reference

Leia mais

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento

Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos e de vibrações e Certificado de Calibração do Equipamento RELATÓRIO TÉCNICO Código RT-020.00/RA2/004 Emissão O.S. 15/08/13 Folha 10 de 12 Rev. A Emitente Resp. Técnico Emitente 15/08/13 Verificação / São Paulo Transporte Anexo VIII - Fichas de medições de ruídos

Leia mais

Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo

Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo Sinais Desbalanceados/Balanceados e Sinais Mono/Estéreo - Introdução Compilado por: Eng. Adriano uiz Spada Attack do Brasil Os sinais s s possuem características bem diferenciadas, o que nos permite identificá-los

Leia mais

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência

Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência Experimento 8 Circuitos RC e filtros de freqüência 1. OBJETIVO O objetivo desta aula é ver como filtros de freqüência utilizados em eletrônica podem ser construídos a partir de um circuito RC. 2. MATERIAL

Leia mais

SERIES MANUAL TÉCNICO

SERIES MANUAL TÉCNICO SERIES MANUAL TÉCNICO F112D Compact High Power Loudspeaker Dimensões: Peso: Construção: Acabamento: Tela de proteção: Conexão de áudio: Conexão de AC: 606mm x 400mm x 357mm (AxLxP) 31,5kg MadeFibra Poliéster

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE TRANSFORMADOR SOB CARGAS NÃO-LINEARES

DIMENSIONAMENTO DE TRANSFORMADOR SOB CARGAS NÃO-LINEARES DIMENSIONAMENTO DE TRANSFORMADOR SOB CARGAS NÃO-LINEARES Cairo Rezende dos SANTOS; Paulo César M. MACHADO; Luiz Roberto LISITA Escola de Engenharia Elétrica e de Computação UFG cairorezende@hotmail.com,

Leia mais

Eletrônica II. Amplificadores de Potência. Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr.

Eletrônica II. Amplificadores de Potência. Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr. Eletrônica II Amplificadores de Potência Notas de Aula José Maria P. de Menezes Jr. Amplificadores Amplificador é um equipamento que utiliza uma pequena quantidade de energia para controlar uma quantidade

Leia mais

habro.com.br/alto habro.com.br/alto

habro.com.br/alto habro.com.br/alto habro.com.br/alto Caixas Acústicas PS2TWA* Caixa bi-amplificada com 150 watts (EIAJ), 2 alto-falantes de 8, resposta 65Hz-20KHz, 118dB SPL máximo. MS154* Caixa passiva 3 vias, 2 alto-falantes de 15, DSP

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Externa. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007

Sistema de Gerenciamento de Externa. Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007 CL-10 Sistema de Gerenciamento de Externa Manual de Instalação e Operação Versão 1.0 Março de 2007 SELECT MODE PORTUGUÊS TALK RETURN CL-10 Line Communication System INSTALAÇÃO! A Billy Broadcasting comunica

Leia mais

APOSTILA MÓDULO - 4. figura 2 HALL. figura 3. tomada de entrada balanceada CANON

APOSTILA MÓDULO - 4. figura 2 HALL. figura 3. tomada de entrada balanceada CANON APOSTILA MÓDULO 4 AULA 4 AMPLIFICADORES OPERACIONAIS 2 Amplificação de sinais diferenciais bobina magnética e HALL O circuito Schmitt Trigger analisado detalhadamente Os pontos NSD e NID (Nível Superior

Leia mais

Introdução aos circuitos seletores de frequências. Sandra Mara Torres Müller

Introdução aos circuitos seletores de frequências. Sandra Mara Torres Müller Introdução aos circuitos seletores de frequências Sandra Mara Torres Müller Aqui vamos estudar o efeito da variação da frequência da fonte sobre as variáveis do circuito. Essa análise constitui a resposta

Leia mais

Ruído. 1) Introdução. 2) Principais grandezas e parâmetros definidores do som

Ruído. 1) Introdução. 2) Principais grandezas e parâmetros definidores do som 1) Introdução A movimentação mecânica de cargas pode ser definida como o conjunto de ações, de materiais e de meios que permitem, de um modo planeado e seguro, movimentar cargas de um determinado local

Leia mais

Bobinas Móveis e as suas principais características:

Bobinas Móveis e as suas principais características: Bobinas Móveis e as suas principais características: Iniciarei aqui um breve estudo dos alto-falantes, e dos seus principais componentes. Irei escrever alguns textos relacionados ao assunto, tentando detalhar

Leia mais

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA

TRANSMISSÃO DE TV 1 TRANSMISSÃO COM POLARIDADE NEGATIVA STV 18 ABR 2008 1 TRANSMISSÃO DE TV método de se transmitir o sinal de imagem modulado em amplitude a amplitude de uma portadora de RF varia de acordo com uma tensão moduladora a modulação é o sinal de

Leia mais

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO

AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES 2 MEDIÇÃO DE VALORES MÉDIO E EFICAZ COM MULTÍMETRO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE ELETRÔNICA CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA Eletrônica Básica AULA LAB 04 PRINCÍPIOS DE CORRENTE ALTERNADA E TRANSFORMADORES

Leia mais

GSW 212 ACTIVE SUBWOOFER

GSW 212 ACTIVE SUBWOOFER GSW 212 ACTIVE SUBWOOFE +4dBu 80 10dBV 100 120 6 2 20dBV 40 Hz 150 0 db +8 ICENSED BY: VOTAGE SEECT O 4 MADE BAZI PHASE ISK OF EECTIC SHOCK DO NOT OPEN DATE CODE / SUB PUT SPEAKE EVE SPEAKE EVE OUT SENSITIVITY

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES

INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1 INSTRUMENTAÇÃO INDUSTRIAL 1. INTRODUÇÃO / DEFINIÇÕES 1.1 - Instrumentação Importância Medições experimentais ou de laboratório. Medições em produtos comerciais com outra finalidade principal. 1.2 - Transdutores

Leia mais

Laboratório de Circuitos Elétricos 1 2015/2. Experiência N o 02: Medidas AC

Laboratório de Circuitos Elétricos 1 2015/2. Experiência N o 02: Medidas AC Laboratório de Circuitos Elétricos 1 2015/2 Experiência N o 02: Medidas C I - Objetivos Familiarização com os equipamentos de laboratório: gerador de funções, osciloscópio e multímetro. II - Introdução

Leia mais

Antena Escrito por André

Antena Escrito por André Antena Escrito por André Antenas A antena é um dispositivo passivo que emite ou recebe energia eletromagnéticas irradiada. Em comunicações radioelétricas é um dispositivo fundamental. Alcance de uma Antena

Leia mais

CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO. REV. A - Pg 1

CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO. REV. A - Pg 1 CJ50TUBE AMPLIFIER MANUAL DO USUÁRIO REV. A - Pg 1 APRESENTAÇÃO Agradecemos a aquisição de um produto da Rotstage. O amplificador CJ50 foi desenvolvido para o guitarrista que tem estilo e faz estilos.

Leia mais

O decibel e seus mistérios - Parte II

O decibel e seus mistérios - Parte II O decibel e seus mistérios - Parte II Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro Já aprendemos como podemos relacionar decibéis e potências, e já vimos como isso é legal para compararmos potências de sistemas

Leia mais

PRÉ - AMPLIFICADOR JG T5

PRÉ - AMPLIFICADOR JG T5 PRÉ - AMPLIFICADOR JG T5 O JG T5 é um pré - amplificador concebido para uma escuta de alta qualidade, devendo ser combinado exclusivamente com equipamentos de nível audiófilo. O T5 é um equipamento invulgar

Leia mais

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL

APRENDIZAGEM INDUSTRIAL CETEL- Centro Tecnológico de Eletroeletrônica César Rodrigues APRENDIZAGEM INDUSTRIAL Disciplina: Fundamentos de Telecomunicações Filtros Filtros de frequência Conceitos Definição São circuitos para fornecer

Leia mais

G 086 - BALDE. fibrasom@fibrasom.com.br Fone: (11) 4075.4476

G 086 - BALDE. fibrasom@fibrasom.com.br Fone: (11) 4075.4476 G 086 - BALDE Impedância Nominal: 8 Ohms Potência Musical: 200 Watts Potência RMS : 100 Watts Resposta de Freqüência: 100 Hz a 19 Khz 01 Falante 6' 01 Tweeter 3' Altura: 305 mm Largura: 360 mm Profundidade:

Leia mais

p. 1/2 Resumo Especificação de Filtros Filtro de Butterworth Filtro de Chebyshev Filtros de Primeira Ordem Filtros de Segunda Ordem

p. 1/2 Resumo Especificação de Filtros Filtro de Butterworth Filtro de Chebyshev Filtros de Primeira Ordem Filtros de Segunda Ordem p. 1/2 Resumo Especificação de Filtros Filtro de Butterworth Filtro de Chebyshev Filtros de Primeira Ordem Filtros de Segunda Ordem Introdução Os primeiros filtros construídos eram circuitos LC passivos.

Leia mais

Amplificadores Misturadores AMG 5EC

Amplificadores Misturadores AMG 5EC Matrizes Oferecemos uma gama de produtos concebidos para a realização de instalações bastante versatéis, destinados a tratar os sinais de áudio, comutação e gestão de prioridades e, controlo das instalações.

Leia mais

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE

Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Eletrônica Aula 07 CIN-UPPE Amplificador básico Amplificador básico É um circuito eletrônico, baseado em um componente ativo, como o transistor ou a válvula, que tem como função amplificar um sinal de

Leia mais

Equalização: Corrigir ou Criar

Equalização: Corrigir ou Criar Equalização: Corrigir ou Criar Equalizar Equalizar O termo equalizar pode ser entendido como "tornar igual". Mas, o que isso quer dizer exatamente? Se tomarmos como ponto de partida o comportamento do

Leia mais

q = (Unidade: 1 C = 1A) t I m

q = (Unidade: 1 C = 1A) t I m 1 Corrente Elétrica Como visto no modulo anterior, os materiais condutores, devido as suas características físicas, formam elétrons livres quando de suas ligações atômicas. Contudo essas partículas que

Leia mais

Tutorial sobre db: O decibel

Tutorial sobre db: O decibel Tutorial sobre db: O decibel Logo que os sistemas de comunicação utilizando sinais elétricos começaram a desenvolver-se, surgiu a necessidade de se calcular e expressar a atenuação introduzida pelo meio

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Informática

Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Informática Universidade Federal da Paraíba Centro de Ciências Exatas e da Natureza Departamento de Informática Francisco Erberto de Sousa 11111971 Saulo Bezerra Alves - 11111958 Relatório: Capacitor, Resistor, Diodo

Leia mais

INTRODUÇÃO: Apesar de basicamente simples para operar e ter sido projetado para ser resistente, o uso indevido deste equipamento pode ser perigoso!

INTRODUÇÃO: Apesar de basicamente simples para operar e ter sido projetado para ser resistente, o uso indevido deste equipamento pode ser perigoso! INTRODUÇÃO: Parabéns pela aquisição da caixa Studio R SKY Sound Bass! Nossos produtos foram projetados para muitos anos de operação confiável em instalações móveis ou fixas, sob as mais rigorosas condições

Leia mais

Filtros e equalizadores

Filtros e equalizadores Filtros e equalizadores É muito comum realizarmos o processamento de um sinal de áudio em unção de sua reqüência, isto acontece tanto nos iltros e equalizadores do canal de entrada de uma mesa de som quanto

Leia mais

AMPLIFICADOR HD 1600 HD 2200 HD 2800 MANUAL DE INSTRUÇÕES INTRODUCÃO INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO - 1 - 1 CANAL - CLASSE D - 2 Ohms

AMPLIFICADOR HD 1600 HD 2200 HD 2800 MANUAL DE INSTRUÇÕES INTRODUCÃO INSTRUÇÕES DE INSTALAÇÃO - 1 - 1 CANAL - CLASSE D - 2 Ohms INTRODUCÃO AMPLIFICADOR MANUAL DE INSTRUÇÕES HD 1600 HD 2200 HD 2800 Nós da HURRICANE agradecemos pela escolha dos nossos produtos. Nossos amplificadores são projetados para oferecer a mais alta performance.

Leia mais

Índice 01. FC Series Falcon Components FC 260 M 5" MID BASS FC 260 M 6" MID BASS FC 260 Q 5" QUADRIAXIAL FC 260 Q 6" QUADRIAXIAL

Índice 01. FC Series Falcon Components FC 260 M 5 MID BASS FC 260 M 6 MID BASS FC 260 Q 5 QUADRIAXIAL FC 260 Q 6 QUADRIAXIAL Índice 01 FC Series Falcon Components FC 260 M 5" MID BASS FC 260 M 6" MID BASS FC 260 Q 5" QUADRIAXIAL FC 260 Q 6" QUADRIAXIAL FC 160 Q 5" QUADRIAXIAL FC 160 Q 6" QUADRIAXIAL FC 6910 Q 6X9" QUADRIAXIAL

Leia mais

Utilizando o Calculador Etelj para Limiters dos DSPs

Utilizando o Calculador Etelj para Limiters dos DSPs Utilizando o Calculador Etelj para Limiters dos DSPs Original 19 03 2013 Homero Sette Modificado 03 05 2013 Este utilitário permite o cálculo dos níveis a serem aplicados nas entradas threshold dos limiters

Leia mais

Capítulo. Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal.

Capítulo. Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal. 9 Osciladores Capítulo a Cristal Meta deste capítulo Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal. objetivos Entender o princípio de funcionamento de osciladores a cristal; Analisar osciladores

Leia mais

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004)

(Versão revista e atualizada do tutorial original publicado em 15/03/2004) Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

Lista de Exercícios A1

Lista de Exercícios A1 1 a QUESTÃO: A figura abaixo mostra simplificadamente um sistema de televisão inter-oceânico utilizando um satélite banda C como repetidor. O satélite tem órbita geoestacionária e está aproximadamente

Leia mais

TSA TSA TSA TSA 7.- ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: DIMENSÕES: A B C TSA 210 590 405 420 TSA 420 660 430 445 ACTIVE STAGE MONITOR ACTIVE STAGE MONITOR

TSA TSA TSA TSA 7.- ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: DIMENSÕES: A B C TSA 210 590 405 420 TSA 420 660 430 445 ACTIVE STAGE MONITOR ACTIVE STAGE MONITOR Designed by Gil Santos 212 POWE VOTAGE SEECTO 22 T A 2V T A 2V SE S/N BA/ MIC BAANCED INPUTS. ESPECIFICAÇÕES FÍSICAS PESO: 21 42 1, Kg 22,Kg DIMENSÕES: A B C 21 4 42 42 4 44 A B Medidas em mm ACTIVE STAGE

Leia mais

Experiência 06 Resistores e Propriedades dos Semicondutores

Experiência 06 Resistores e Propriedades dos Semicondutores Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Engenharia Elétrica Laboratório de Materiais Elétricos EEL 7051 Professor Clóvis Antônio Petry Experiência 06 Resistores e Propriedades dos Semicondutores

Leia mais

2 Materiais e Métodos

2 Materiais e Métodos 1 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DE VIGAS REFORÇADAS POR ACRÉSCIMO DE CONCRETO À FACE COMPRIMIDA EM FUNÇÃO DA TAXA DE ARMADURA LONGITUDINAL TRACIONADA PRÉ-EXISTENTE Elias Rodrigues LIAH; Andréa Prado Abreu REIS

Leia mais

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente

Fonte: Ruído e a Cidade Instituto do Ambiente Ruído Como se define Define-se ruído, como sendo um som sem interesse ou desagradável para o auditor. O ruído (som) pode ser mais ou menos intenso, composto por uma só tonalidade ou composto por várias

Leia mais

Índice. Midbass. Woofer. Subwoofer. Acessórios ES258MB... 3 ES412MB... 4 ES612MB... 5 ES212W... 6 ES215W... 7 ES312W... 8 ES315W... 9 ES818SW...

Índice. Midbass. Woofer. Subwoofer. Acessórios ES258MB... 3 ES412MB... 4 ES612MB... 5 ES212W... 6 ES215W... 7 ES312W... 8 ES315W... 9 ES818SW... Índice Midbass ES258MB... 3 ES412MB... 4 ES612MB... 5 Woofer ES212W... 6 ES215W... 7 ES312W... 8 ES315W... 9 Subwoofer ES818SW... 10 ES1218SW... 11 Acessórios Divisores de frequência... 12 Chapas perfuradas...

Leia mais

Casamento de Impedância

Casamento de Impedância Disciplina: Ondas e ropaação Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnolóicas CCT Departamento de Enenharia Elétrica aboratório de Eletromanetismo E-3 Casamento de Impedância O casamento

Leia mais

Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org

Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP. Prof. Cassiano Rech cassiano@ieee.org Controle de Conversores Estáticos Controle de um conversor boost CCM para correção do FP cassiano@ieee.org 1 Operação como PFP Como a freqüência de comutação do interruptor S é muito maior que a freqüência

Leia mais

Manual de Instruções TUBE CONDENSER MICROPHONE T-47. Vacuum Tube Condenser Microphone

Manual de Instruções TUBE CONDENSER MICROPHONE T-47. Vacuum Tube Condenser Microphone Manual de Instruções TUBE CONDENSER MICROPHONE T-47 Vacuum Tube Condenser Microphone 2 TUBE CONDENSER MICROPHONE T-47 Manual de Instruções Instruções de Segurança Importantes Aviso! Terminais marcados

Leia mais

Filtro Passa-Baixa. Figura 1 Circuito do Filtro Passa Baixa

Filtro Passa-Baixa. Figura 1 Circuito do Filtro Passa Baixa ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADE DE ENGENHARIA DE RESENDE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETRÔNICA Disciplina: Laboratório de Circuitos Elétricos Circuitos em Corrente Alternada 1. Objetivo Entre os filtros

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA

MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA MANUAL DE INSTRUÇÕES E CERTIFICADO DE GARANTIA AB 2200 PLUS AMPLIFICADOR DE POTÊNCIA ESTÉREO PARA AUTOS Car Stereo Booster 360W POTÊNCIA DE SAÍDA (PMPO) CARACTERÍSTICAS 1 Estando conectado à saída para

Leia mais

1 Problemas de transmissão

1 Problemas de transmissão 1 Problemas de transmissão O sinal recebido pelo receptor pode diferir do sinal transmitido. No caso analógico há degradação da qualidade do sinal. No caso digital ocorrem erros de bit. Essas diferenças

Leia mais

Manual de Instruções Versão 1.0 novembro 2002 www.behringer.com PORTUGUÊS Bem Vindo à BEHRINGER! Agradecemos a confiança que depositou nos produtos da BEHRINGER ao adquirir a ULTRA-DI DI20. Quer seja no

Leia mais

HEADPHONE MONITOR. Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio.

HEADPHONE MONITOR. Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio. MONTOR Monitor de áudio para uso com headphone. Modelo individual (1 headphone), para monitoração de 2 sinais de áudio. O Power Click modelo MC 01 é indicado para cantores e locutores que necessitem de

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 6

Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 6 Universidade Federal de Juiz de Fora Laboratório de Eletrônica CEL 037 Página 1 de 6 1. Titulo: Prática 12 Filtros ativos 2. Objetivos: Estudo de montagem de filtros ativos passa-baixa e passa-alta. 3.

Leia mais

dv dt Fig.19 Pulso de tensão típico nos terminais do motor

dv dt Fig.19 Pulso de tensão típico nos terminais do motor INFLUÊNCIA DO INVERSOR NO SISTEMA DE ISOLAMENTO DO MOTOR Os inversores de freqüência modernos utilizam transistores (atualmente IGBTs) de potência cujos os chaveamentos (khz) são muito elevados. Para atingirem

Leia mais

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA

BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA BADISCO PROFISSIONAL PT-1000 EQUIPAMENTO DE TESTE DE LINHA DISCAGEM POR PULSO E TOM INDICAÇÃO DE POLARIDADE DE LINHA MEMORIZA ÚTIMO NÚMERO DISCADO MONITORAÇÃO EM ALTA IMPEDÂNCIA PROTEÇÃO CONTRA REDIOINTERFERÊNCIA

Leia mais

ADS2002IP. Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular

ADS2002IP. Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular ADS2002IP Sistema de Aquisição de Dados Integrado, compacto e modular Imagem ilustrativa do ADS2002IP-B-3 (SF2034) Versatilidade ³ O ADS2002IP é um sistema de aquisição de dados modular e compacto da série

Leia mais

Introdução... 2. Características das placas de som... 2

Introdução... 2. Características das placas de som... 2 á Placa de som: principais características... 2 Introdução... 2 Características das placas de som... 2 Conversores ADC e DAC... 2 Resolução das placas de som... 2 Taxa de amostragem... 3 Resposta de freqüência...

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA

ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA ANÁLISE DA QUALIDADE DA ENERGIA ELÉTRICA EM CONVERSORES DE FREQUENCIA Nome dos autores: Halison Helder Falcão Lopes 1 ; Sergio Manuel Rivera Sanhueza 2 ; 1 Aluno do Curso de Engenharia Elétrica; Campus

Leia mais

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO

TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO TRC-340 MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE SOM 2.0 CANAIS HI-FI ÍNDICE Prefacio...2 Conteúdo da Embalagem...2 Informações de segurança...3 Funções do Painel Frontal...4 Funções Painel Traseiro...4 Conexões do

Leia mais

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas

Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas Sistemas de Distribuição de CATV e Antenas Coletivas O objetivo deste tutorial é conhecer os componentes utilizados em sistemas de distribuição de CATV (TV à cabo) e antenas coletivas, usadas para a recepção

Leia mais

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno

Os termômetros de resistência podem ser isolados de altas tensões. Todavia, na prática, o espaço de instalação disponível é frequentemente pequeno ProLine P 44000 Medições Precisas de Temperatura em Altas Tensões, até 6,6 kv Quando as temperaturas precisam ser medidas com termômetros de resistência Pt100 em ambientes sob altas tensões, os transmissores

Leia mais

Implementação do Protótipo do. RHM operando com Corrente CA de. Alimentação de 12 Pulsos Imposta

Implementação do Protótipo do. RHM operando com Corrente CA de. Alimentação de 12 Pulsos Imposta Capítulo 7 Implementação do Protótipo do RHM operando com Corrente CA de Alimentação de 12 Pulsos Imposta 7.1 Introdução Durante os estudos realizados em laboratório, três protótipos do RHM proposto, operando

Leia mais

Engenheiro de Telecomunicações pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM (Belém, Pará).

Engenheiro de Telecomunicações pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia IESAM (Belém, Pará). Transmissão Digital em Banda Base: Modelagem do Canal Este tutorial apresenta a implementação da formatação de um pulso para transmissão digital em banda base que simule a resposta ao impulso de um canal

Leia mais

AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA

AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA AMPLIFICADORES DE POTÊNCIA AMPLIFICADORES Recebem sinais de pequeno valor e amplificam esses sinais para alimentar algum dispositivo ou outro estágio amplificador. AMPLIFICADORES DE PEQUENOS SINAIS Como

Leia mais

Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real. Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real. Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real

Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real. Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real. Símbolo Curva aproximada Curva próxima do real Amplificadores operacionais como filtros Filtros são circuitos eletrônicos projetados para permitir, ou não, a passagem de um sinal, cujo espectro esteja dentro de um valor preestabelecido pelo projetista.

Leia mais

A NATUREZA DO SOM. Diogo Maia

A NATUREZA DO SOM. Diogo Maia A NATUREZA DO SOM Diogo Maia "SE UMA ÁRVORE CAÍSSE NA FLORESTA E NÃO HOUVESSE NINGUÉM LÁ PARA OUVIR, ELA FARIA BARULHO...? "SE UMA ÁRVORE CAÍSSE NA FLORESTA E NÃO HOUVESSE NINGUÉM LÁ PARA OUVIR, ELA FARIA

Leia mais

Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José

Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José MANUAL DO USUÁRIO Agradecemos a colaboração no desenvolvimento deste produto aos seguintes parceiros: Cláudio - Revolusom - MG Gustavo - Representante - CE e RN José Virgílio - Acusticar - BA Romério -

Leia mais

Seu manual do usuário EXAUDI A 5000 HE http://pt.yourpdfguides.com/dref/708330

Seu manual do usuário EXAUDI A 5000 HE http://pt.yourpdfguides.com/dref/708330 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para EXAUDI A 5000 HE. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a EXAUDI A 5000

Leia mais

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria

CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria CINEMA SB100 alto-falante de barra de som com energia própria Manual de consulta rápida Obrigado por escolher este produto da JBL O alto-falante de barra de som energizado JBL Cinema SB100 é um sistema

Leia mais

Potência uma coisa mais que complicada - Parte VI - Conclusão

Potência uma coisa mais que complicada - Parte VI - Conclusão Potência uma coisa mais que complicada - Parte VI - Conclusão Autor: Fernando Antônio Bersan Pinheiro Após termos estudado vários tópicos sobre potência, acredito ser interessante dar uma revisada geral

Leia mais

Caixa Duas Vias, com Falantes SELENIUM e Crossover Dedicado da EAM

Caixa Duas Vias, com Falantes SELENIUM e Crossover Dedicado da EAM Caixa Duas Vias, com Falantes SELENIUM e Crossover Dedicado da EAM Vitorio Felipe Massoni eam@eam.com.br Homero Sette Silva homero@selenium.com.br Uma caixa trapezoidal, de pequenas dimensões, que pode

Leia mais