RELATÓRIO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA, MEGAEVENTOS ESPORTIVOS E PROMOÇÃO DA IMAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA, MEGAEVENTOS ESPORTIVOS E PROMOÇÃO DA IMAGEM"

Transcrição

1 INFRAESTRUTURA TURÍSTICA, MEGAEVENTOS ESPORTIVOS E PROMOÇÃO DA IMAGEM DO BRASIL NO EXTERIOR RELATÓRIO RELATÓRIO DO SEMINÁRIO INFRAESTRUTURA TURÍSTICA, MEGAEVENTOS ESPORTIVOS E PROMOÇÃO IMAGEM 16 e 17 de DA Agosto de 2011 Auditório Ministro Pereira Lira DO BRASIL NO EXTERIOR Sede do TCU Brasília/DF Brasil, nação de todas as nações. (onde todos os povos se encontram) Brasília/DF dezembro/2011 Brasília - Dezembro / 2011

2

3 SUMÁRIO Apresentação... 5 Contextualização Sugestões de providências Ações do tribunal Conclusão Encaminhamento ANEXO - Resumo das palestras proferidas

4

5 APRESENTAÇÃO Em Sessão do dia 23/3/2011 levei comunicação ao Plenário do Tribunal propondo a realização de um seminário para discutir o atual estágio da infraestrutura turística no Brasil considerando a crescente preocupação da sociedade quanto ao planejamento e à execução da Copa do Mundo de Futebol de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos do Rio de Janeiro de Na condição de Coordenador do evento, cerca de oito meses após aquela comunicação, venho apresentar o relatório do seminário Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior, que se realizou nos dias 16 e 17/8/2011, com grande repercussão nos meios de comunicação social. Ao examinar preliminarmente a situação atual da infraestrutura turística nacional, viu-se que seria impraticável fazer isso sem abordar os temas relativos às necessidades de investimentos na adequação dos serviços de receptivo e hospedagem, na implantação de novos meios de transporte coletivo, na segurança pública, nas obras de construção ou reforma de portos, aeroportos, arenas esportivas, na área de mobilidade urbana e também quanto às ações coordenadas de controle e fiscalização exercidos pelo Tribunal de Contas da União, Controladoria-Geral da União, Tribunais de Contas Estaduais e Ministério Público. Todos esses temas foram então inseridos na programação do evento, e felizmente tiveram grande receptividade por parte dos jornalistas em geral, tanto da grande imprensa quanto de mídias especializadas. De acordo com clipping fornecido pela Secretaria de Comunicação Social do Tribunal, apenas nos dias em que transcorreu o seminário, foram publicadas cerca de sessenta matérias, com notícias de destaque em veículos como O Estado de São Paulo, O Globo, Folha de São Paulo, Correio Braziliense, Estado de Minas, Diário de Pernambuco, entre outros. O evento também foi objeto de menção nos principais noticiários de TV e programas esportivos da televisão brasileira. Ainda na primeira fase do planejamento do seminário, uma das primeiras iniciativas da coordenação foi estabelecer parceria com o Ministério do Turismo e o Ministério das Relações Exteriores, representado pela Fundação Alexandre de Gusmão, que fazem parte da lista de unidades jurisdicionadas sob minha relatoria. A propósito, registra-se que os dirigentes de ambos os Ministérios não mediram esforços para fornecer todo apoio material e logístico necessários à realização do evento. 5

6 A partir desse ponto, foram feitos convites aos Ministros da Casa com trabalhos realizados em áreas afins, a Ministros de Estado e autoridades de governo, além de destacadas personalidades da sociedade civil, para participarem do seminário e, através da abordagem aos temas propostos, possibilitar a composição mais realista possível do planejamento e organização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos. Vale registrar que a ideia de realização do seminário nasceu de uma preocupação decorrente das prováveis dificuldades que teria um turista, seja ele japonês, alemão ou italiano, chegando ao Brasil para ver a Copa do Mundo ou a Olimpíada. Principalmente porque, em comparação com os grandes destinos turísticos do mundo, fazer turismo no Brasil ainda é bastante caro. Mantidas as condições atuais, devido ao aquecimento da demanda causado pela chegada de 600 mil turistas estrangeiros para a Copa do Mundo, pode-se esperar o aumento dos preços das tarifas e diárias de hotel, tornando-se proibitivas para a maior parte dos turistas nacionais, cujo movimento, no mês da competição, é estimado pela Embratur em três milhões de pessoas. A ampliação da oferta e da competitividade com redução dos preços de tarifas aéreas e de hospedagem no Brasil é um objetivo válido de ser alcançado inclusive no contexto das políticas de integração do Mercosul, visto que Argentina, Uruguai, Chile, Colômbia e Paraguai podem ser grandes emissores de turistas para a Copa no Brasil por causa da inegável tradição futebolística desses países em torneios mundiais e da proximidade geográfica. Evidentemente que as autoridades públicas responsáveis pela organização da Copa e das Olimpíadas, aqui em Brasília e no resto do país, estão trabalhando ativamente para encontrar meios de reduzir os custos dos bens e serviços de turismo. Mas, além disso, há outros fatores que necessitam serem cuidados para que o turista estrangeiro possa levar do Brasil as melhores recordações. Um fator bastante crítico em relação ao visitante situa-se no setor Saúde. Os surtos de dengue em zonas urbanas precisam ser debelados; os estoques dos bancos de sangue precisam ser repostos e ampliados; as frotas de ambulância precisam ser renovadas; os índices de contaminação hospitalar, na rede pública e privada, precisam ser rebaixados e os dependentes químicos de álcool e drogas que perambulam pelas ruas precisam receber abrigo e tratamento médico. O ideal seria que tais providências fossem tomadas pelos governantes independentemente da Copa, tão somente visando ao suprimento das demandas médicas, hospitalares ou de assistência social da população. 6

7 Mas, pelo menos em função dos eventos esportivos, a rede hospitalar nas cidades-sede necessita estar aparelhada suplementarmente com um serviço de atendimento preferencial ao turista, dotado de equipamento e pessoal treinado, inclusive em línguas estrangeiras, para atender a visitantes estrangeiros. Para abordagem das questões afetas à segurança pública e inteligência de Estado foram convidados os titulares da Secretaria de Segurança para Grandes Eventos, da Polícia Federal e da Agência Brasileira de Inteligência. De fato, há grande preocupação quanto ao fator Segurança. Foi muito gratificante notar o comprometimento demonstrado por essas autoridades com a segurança das pessoas que virão ao Brasil durante as competições. De forma integrada, os órgãos de segurança estão empregando todos os esforços para prover segurança nas áreas de aglomeração de fãs do esporte, atletas, dirigentes, turistas e jornalistas, tais como, saguão de hotel, dentro e fora dos estádios, praças públicas com telões, zonas de acesso, rotas de transporte ou outros lugares visados. O governador Sérgio Cabral, que esteve participando do seminário, está construindo o que chamou de Cidade da Polícia, consistente de um centro de comando e controle que integrará as polícias civil, militar e rodoviária. Até 2014 o governo do Rio assumiu compromisso de levar Unidades de Polícia Pacificadora a todas as comunidades do estado onde haja o controle armado do território por traficantes e malfeitores. Um assunto não menos preocupante, com relação aos turistas que visitarão o Pais por ocasião dos megaeventos esportivos é a infraestrutura aeroportuária, apontada no seminário como um dos principais gargalos para a Copa do Mundo de 2014, embora o presidente da Infraero tenha defendido que as obras transcorrem dentro da normalidade. Segundo dados do Ipea apresentados no seminário pelo Prof. Carlos Campos, mantidos os prazos médios de duração das obras, receia-se que, dos treze terminais aeroportuários que estão recebendo investimentos, dez não sejam concluídos a tempo da realização da Copa do Mundo. Para ter uma idéia da gravidade da situação aeroportuária no Brasil, basta notar que entre os vinte maiores aeroportos brasileiros, dezessete deles se encontram acima do limite de eficiência operacional. Chama atenção o fato de aeroportos fundamentais para a Copa do Mundo, tais como Guarulhos, Viracopos e Brasília, que respondem por 30% do tráfego aéreo nacional, hoje trabalharem com taxas de ocupação superiores a 140%. 7

8 No que diz respeito ao modo de atuar do Tribunal - e, nessa matéria, o Ministro Valmir Campelo tem uma atuação que considero visionária houve ocasião de salientar que, em relação à execução das obras da Copa do Mundo, a postura do TCU tem sido pautada pelo espírito cooperativo e pedagógico, ao invés de punitivo. Conforme ressaltado pelo Presidente desta Corte de Contas, Ministro Benjamin Zymler, em palestra de abertura do seminário, desde a época em que foi assinado o protocolo de intenções que criou a Rede de Controle, ainda na presidência do Ministro Ubiratan Aguiar, isto é, em 11 de maio de 2010, o Tribunal já elaborou 31 relatórios de produção de conhecimento sobre Copa do Mundo. Além disso, Ministros do TCU, assessorados por auditores, já visitaram várias vezes as cidades-sede para verificação in loco das obras de ampliação e modernização das arenas, sendo que todas essas visitas se caracterizaram pelo clima cooperativo e pedagógico. Ao longo dos dois dias de duração do seminário, expôs-se com bastante clareza a delimitação das competências e responsabilidades do TCU em relação às demais instâncias de controle interno e externo em território nacional, com especial relevo para a atuação estratégica do Tribunal na coordenação da Rede de Controle. Em várias entrevistas concedidas aos meios de comunicação social, os ministros da Casa, de forma praticamente uníssona, destacaram a essencialidade da transparência nos processos de execução de obras de infraestrutura para a Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos de Ressalta-se a afirmação do empresário Jorge Gerdau, que participou do seminário na condição de presidente da Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade da Presidência da República, de que está faltando uma visão de futuro para o país. O fato é que o governo deveria se aplicar mais fortemente na melhoria da gestão pública e no planejamento dos investimentos de longo prazo. As dificuldades que assolam os setores de rodovias, portos e aeroportos, mobilidade urbana e geração e distribuição de energia elétrica, decorrem da inaptidão das autoridades públicas, nas diversas esferas de governo, quanto ao planejamento estratégico. Embora a possibilidade de apagão aeroportuário durante a Copa do Mundo tenha sido amplamente abordada no seminário, não houve oportunidade de se discutir a eventualidade da ocorrência de outro tipo de apagão, o de natureza energética, isto é, o risco de black-out em alguma das cidades-sede, passível de ocorrer durante os jogos, com graves prejuízos para a imagem do País no exterior. 8

9 A realização da Copa do Mundo impõe aos governantes a missão de dotar o Brasil dos meios necessários para receber condignamente cerca de 600 mil turistas estrangeiros e 15 mil jornalistas vindos de todas as partes do mundo, além das delegações esportivas. Para isso, é necessário construir arenas e centros de mídia, aparelhar campos de treinamento para as equipes, ampliar a capacidade dos terminais aeroportuários, modernizar os hotéis e desenvolver estratégias de transporte integrado para melhoria da mobilidade urbana nas cidades-sede. Enfim, trata-se de um colossal esforço que o Governo deve fazer em parceria com o setor privado para atingir o objetivo de projetar para o mundo a imagem de um grande país que se caracteriza pela estabilidade econômica, social e política, que progride nas políticas públicas de distribuição de renda, com inclusão social, sem prejuízo do meio ambiente equilibrado, e, sobretudo, um país que sempre recebe os visitantes de braços abertos. Assim, em termos de preparação para Copa do Mundo, um dos resultados importantes do seminário foi mostrar a magnitude dos investimentos que o País necessita fazer nas áreas de infraestrutura, rede hoteleira, mobilidade urbana, segurança e formação de mão de obra. À parte das considerações de caráter geral, o presente relatório aponta as principais ações de controle até aqui realizadas pelo TCU em função da Copa do Mundo, relaciona um conjunto de sugestões extraídas das explanações e debates acontecidos no seminário e apresenta anexo com o resumo das palestras proferidas. Os subsídios contidos no relatório podem ser enviados para os órgãos e entidades constituintes da Rede de Controle, e também para os principais órgãos e entidades, públicos e privados, federais e estaduais, atuantes na preparação, organização e promoção da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Por fim, apresento meus melhores agradecimentos pelo apoio e contribuição de todos na realização do seminário, especialmente ao Presidente do Tribunal, Ministro Benjamin Zymler, aos demais Ministros e servidores das várias instâncias do Tribunal, bem como ao Ministério do Turismo e à Fundação Alexandre Gusmão, do Ministério das Relações Exteriores, órgãos parceiros, com os quais deve ser compartilhado o êxito da empreitada. Brasília, 7 de dezembro de Ministro Augusto Nardes Vice-Presidente 9

10

11 CONTEXTUALIZAÇÃO As ações de planejamento e organização do seminário tomaram por base o reconhecimento do considerável esforço que os governos federal, estadual e municipal vêm fazendo em prol da indústria do turismo em função da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Porém, através do seminário viu-se que esse esforço pode e deve ser mais abrangente. Em termos de incremento do turismo durante a Copa, o Brasil poderia seguir o tratamento dado pelo governo norte-americano em relação aos turistas brasileiros. O Departamento de Comércio dos Estados Unidos verificou que os gastos de turistas brasileiros em território norte-americano, que eram crescentes, simplesmente explodiram, isto é, aumentaram 250% nos últimos oito anos. As autoridades norte-americanas, ao verificarem que cada brasileiro que vai aos Estados Unidos gasta, em média, dólares, estabeleceram que os consulados dos Estados Unidos em São Paulo, Brasília e no Rio de Janeiro passassem a realizar mutirões para atender, inclusive aos sábados, a crescente quantidade de brasileiros que deseja obter visto americano. Diante disso, talvez pudesse o Ministério das Relações Exteriores cogitar em agir do mesmo modo dos norte-americanos, ou seja, organizando também mutirões nos postos diplomáticos sediados nos países com reconhecida tradição futebolística visando facilitar e incentivar a vinda de torcedores estrangeiros ao Brasil durante a Copa do Mundo e as Olimpíadas. Embora a representante do Ministério das Relações Exteriores tenha explicado no seminário as providências tomadas pelo órgão em função da Copa do Mundo e das Olimpíadas, não houve oportunidade de discutir, em detalhes, os mecanismos e procedimentos capazes de acelerar o processo de concessão de vistos para estrangeiros virem ao Brasil assistir aos megaeventos esportivos. Na área de Segurança Pública verificou-se, durante o seminário, que é necessário um grande esforço na contenção da violência urbana atualmente presente em quase todo o país. As forças de segurança estão desenvolvendo estratégias para coibir a difundida prática 11

12 de arrastões e retirar de circulação quadrilhas especializadas em sequestro-relâmpago e em delitos relacionados com as chamadas saidinhas de banco. O governo do Estado do Rio de Janeiro está realizando desde 2008 uma corrida contra o relógio para pacificar bairros carentes da cidade controlados por traficantes e milícias paramilitares antes do Mundial de Futebol de 2014 e dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de A ocupação por forças policiais da região da Comunidade da Rocinha, na madrugada de 12/11/2011, ilustra bem o esforço concentrado do governo do Rio para reprimir o tráfico de entorpecentes e diminuir ocorrências de outros tipos de crimes tão freqüentes na Cidade Maravilhosa, como assaltos, roubos e furtos. Com o mesmo fito, as autoridades responsáveis pelas demais cidades-sede deveriam adotar as ações afirmativas de semelhante teor para debelar a violência urbana. Cumpre assinalar que a onda de violência urbana não atinge somente a capital carioca. Varre o país de norte a sul. De Manaus ao Recife, de Salvador a São Paulo, de Cuiabá a Porto Alegre, os problemas na área de Segurança Pública se multiplicam. O Deputado Federal Romário enfatizou, em sua palestra no seminário, a questão da acessibilidade para portadores de necessidades especiais, e mencionou a questão de drogas como o crack e o óxi, as quais denominou pragas, em virtude delas se alastrarem dramaticamente no Brasil inteiro, vitimando milhares de crianças, jovens e adultos, arruinando lares e enlutando famílias, completamente à margem do alcance das autoridades encarregadas da repressão ao tráfico de entorpecentes. Importante acentuar que o Conselho Federal de Medicina denomina epidemia a dependência química de drogas como álcool, maconha, cocaína, crack e óxi, porque atualmente essa doença social está causando mais mortes de brasileiros que Aids ou acidentes de trânsito. Às portas da Copa do Mundo, a crescente onda de violência que acomete as cidades brasileiras é muito preocupante. Vale registrar o crescimento assustador do número de roubos e furtos envolvendo turistas que desembarcam no Aeroporto Internacional de Guarulhos/SP, com grande parte dessas ocorrências registradas no próprio estacionamento. Devido à gravidade da situação, convém chamar atenção para o fato de que o Brasil tem como dever de casa mais urgente o combate ao tráfico de entorpecentes e a redução 12

13 da violência urbana para que a Copa do Mundo venha a ser, do ponto de vista do turista nacional e estrangeiro, uma viagem de sonho, e não de pesadelo. Ressalta-se que as imagens do momento em que as forças policiais hastearam a bandeira do Brasil e cantaram o Hino Nacional, dando por concluída a ocupação da Rocinha, foram imediatamente transmitidas para o mundo inteiro. Da mesma forma, quaisquer turbulências durante a Copa serão instantaneamente noticiadas nos quatro cantos do mundo, em prejuízo da imagem do Brasil. Com a finalidade de encantar o visitante, as autoridades brasileiras devem produzir melhorias na qualidade dos serviços de hotelaria e nas demais vertentes relacionadas à infraestrutura turística, que abarcam o momento do desembarque, trajeto do turista do aeroporto até o hotel e o deslocamento para os locais de competição ou pontos turísticos. Deve-se notar que, logo no desembarque, o turista já se defronta com uma injustificada demora de uma ou duas horas, para conseguir receber as malas e se desvencilhar da fiscalização. Logicamente que esse problema tende a se agravar com o considerável aumento de afluxo de turistas durante eventos de grande porte. As autoridades nas cidades-sede precisam atuar urgentemente na qualificação de motoristas e prestadores de serviço de transporte coletivo, ônibus e metrô quanto ao domínio de idiomas estrangeiros, e também para que o motorista de táxi cobre do turista a tarifa autorizada, medida em taxímetro que esteja funcionando regularmente. Com relação à Segurança Pública, foi levantada a questão do terrorismo internacional em função da possibilidade, mesmo que remota, de alguma das delegações de atletas que virão ao Brasil sofrer algum tipo de ameaça terrorista. Acredita-se que o Brasil, em si, não constitui alvo para ataques terroristas. A essa altura dos acontecimentos, é impossível antever se haverá ou não ações terroristas durante a Copa do Mundo Acerca dessa matéria, surpreende o fato de o Brasil ainda não possuir uma lei que defina criminalmente o que seja atividade terrorista, principalmente porque no art. 4º, inciso VIII, da Carta Magna está fixado que o povo brasileiro repudia o terrorismo, juntamente com o racismo. Já foi feita lei para punir o racismo, assim como já se fez lei para punir a prática de tortura. Recentemente assistiu-se a uma grande mobilização pela feitura de lei para punição da homofobia. No entanto, mesmo às portas da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, negligencia-se a elaboração de lei para punir ações terroristas. 13

14 Há consenso de que o terrorismo é um fenômeno que solapa os fundamentos do Estado Democrático de Direito e a dignidade da pessoa humana, além de ameaçar os pilares do ordenamento jurídico das modernas democracias. Convém lembrar que a Resolução 1.373/2001 do Conselho de Segurança da ONU, promulgada no Brasil por meio do Decreto 3.976, de 18/10/2001, determina que os Estados tomem medidas de prevenção ao cometimento de atos terroristas; que criminalizem o financiamento, planejamento, preparo ou perpetração de atos terroristas; que se auxiliem mutuamente no combate ao terrorismo; e que impeçam a movimentação de grupos terroristas por meio do efetivo controle das zonas de fronteiras. Considera-se preocupante, e ao mesmo tempo incompreensível, que, às vésperas da Copa do Mundo e das Olimpíadas, o Brasil ainda não tenha adotado as salvaguardas necessárias para evitar que nossas fronteiras se tornem campo aberto para articulação de grupos terroristas, e que, até o presente momento, não haja no arcabouço jurídico brasileiro sequer a definição do crime de terrorismo. Faz-se necessária edição de lei para definir e punir o crime de terrorismo, e dotar o Judiciário e as Forças de Segurança de aparato legal eficaz ao pronto enfrentamento do terrorismo em território nacional, em primeiro plano visando ao aumento da repressão do Estado, em sentido amplo, em face destes atos atentatórios da liberdade e da vida, e, em segundo plano, para assegurar a integridade física e a tranquilidade de atletas e fãs do esporte que virão de todas as partes do mundo participar da Copa e das Olimpíadas. Há informação de que aguarda parecer na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado (CSPCCO), da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 1.558/2011, que dispõe sobre as organizações terroristas, os meios de prevenção, investigação, obtenção de prova, o procedimento criminal e dá outras providências. Espera-se que esse PL, ou outra proposição de semelhante teor, se transforme em lei com a maior brevidade possível. Por estas razões, é oportuno mobilizar o Senado Federal, a Câmara dos Deputados, a Casa Civil da Presidência da República e o Ministério da Justiça para aprovação de projeto de lei para tipificação penal do terrorismo como modalidade criminal autônoma, em consonância com o disposto no art. 5º, inciso XLIII, da Constituição Federal. Outro aspecto a motivar preocupação é a volubilidade dos números relativos ao custo da Copa, visto que no balanço divulgado pelo governo federal em setembro de 2011, o custo desse megaevento esportivo está estimado em 27,1 bilhões de reais, significando 14

15 aumento de 14% em relação aos 23,1 bilhões de reais do balanço de janeiro de 2011 e de 26% sobre os 21,5 bilhões de reais da previsão feita em 13/1/2010, ocasião em que o expresidente Lula da Silva assinou a Matriz de Responsabilidades. Porém, os 27,1 bilhões de reais estão muito aquém da estimativa feita pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), que participou do seminário na pessoa de seu Vice-Presidente Executivo, ao avaliar o custo da Copa em 112 bilhões de reais. O estudo da Abdib inclui também gasto com hotelaria, segurança, tecnologia e saúde, entre outros. Mesmo assim, a diferença é grande, pois o balanço do governo acrescenta apenas R$ 10,3 bilhões para esses itens. Recentemente, em 14/10/2011, o governo divulgou que a conta baixou de 27,1 bilhões para 26,1 bilhões de reais. Entretanto, no mesmo dia, a Controladoria Geral da União (CGU), ao inaugurar nova ferramenta no Portal da Transparência (www.portaldatransparência.gov.br) - que permite acompanhar os custos estimados, por área de investimento - informou que o valor da soma dos gastos com estádios, portos e aeroportos e mobilidade urbana será de 24,024 bilhões de reais. A instabilidade orçamentária também acomete a área de mobilidade urbana, cujos gastos totais aumentaram 760 milhões de reais, em relação à previsão inicialmente feita em janeiro de Nota-se que, desde então, o BRT da Avenida Cristiano Machado, em Belo Horizonte, saltou de 51,2 milhões de reais para 135,3 milhões de reais, o que representa acréscimo equivalente a 164,3%, e que os custos da obra de prolongamento da Avenida Severo Dullius, em Porto Alegre, elevaram-se em 70%. No conjunto dos estádios que vão receber jogos da Copa do Mundo, as variações percentuais são expressivas, devido a aditivos contratuais e mudanças nos projetos. O caso de Brasília atinge as raias da ficção orçamentária, pois o valor do novo estádio Mané Garrincha caiu de 745,3 milhões para 688,3 milhões, sendo que a conta não inclui a cobertura, catracas, gramado, nem as traves, itens que foram excluídos porque serão licitados à parte. Ou seja, o valor final do estádio Mane Garrincha é uma incógnita. O povo brasileiro guarda viva lembrança do ocorrido nos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro, em 2007, quando o valor final do evento superou em dez vezes o orçamento original. À época, o Tribunal prolatou várias determinações dando conta de graves irregularidades, a exemplo do Acórdão 876/2007-TCU-Plenário, de 16/5/2007, e do Acórdão 2101/2008-TCU-Plenário, de 24/9/2008, que se referem a relatório de acompanhamento das obras relacionadas aos jogos Pan-Americanos. 15

16 Em 30 de outubro completou-se quatro anos que o Brasil foi anunciado como sede da Copa do Mundo Desde então, algumas obras foram feitas, mas há muito ainda por fazer. As arenas provavelmente ficarão prontas a tempo, até mesmo a Arena Corinthians, cuja obra se desenvolve em ritmo acelerado. Agora faltam 918 dias para abertura da Copa do Mundo, a ocorrer na cidade de São Paulo, na Arena Corinthians. Entretanto, apenas 8 dos 49 projetos de obras de infraestrutura para transportar turistas e torcedores nas 12 cidades-sede tiveram contratos assinados, e 24 deles sequer lançaram edital de licitação. De fato, a área de mobilidade urbana é a mais preocupante no universo de obras financiadas com recursos públicos por representar a maior fatia de investimentos por conta da União, ou seja, 7,9 bilhões de reais, considerando somente os financiamentos concedidos pela Caixa Econômica Federal (CEF), segundo a Matriz de Responsabilidades. Até o momento, pouco se sabe a respeito do real custo total da Copa para os cofres públicos, tampouco é possível assegurar que o torneio será superavitário para a União e para os entes federativos envolvidos com o megaevento esportivo. A única certeza que se pode ter é que, assim como ocorrido em 2010, na África do Sul, a Copa do Mundo de 2014, no Brasil, será bastante lucrativa para a Fifa. Tal entidade tem total controle sobre a organização do maior evento esportivo do planeta, os direitos da Copa do Mundo lhe pertencem, e 100% dos recursos aplicados na organização do evento são gerados por ela própria, dado que o torneio é inteiramente custeado por empresas multinacionais. O modelo de negócios que norteia a Fifa está ancorado na venda de cotas de publicidade. Por isso a entidade defende ferrenhamente o lucro dos patrocinadores oficiais, mesmo que isso se dê ao arrepio da legislação brasileira, a exemplo da liberação de bebida alcoólica nos estádios para favorecer a marca da fabricante de cerveja patrocinadora oficial da Copa. Apesar da calorosa polêmica sobre a interferência excessiva da Fifa nas leis brasileiras que vão vigorar na Copa de 2014, é preciso notar que tais exigências fazem parte dos contratos de candidatura negociados pelo Brasil. A Lei nº , de 20/12/2011, concede isenção de tributos federais incidentes nas importações de bens ou mercadorias promovidas pela Fifa e seus parceiros comerciais 16

17 domiciliados no exterior, para uso ou consumo exclusivo na organização e realização da Copa das Confederações 2013 e da Copa do Mundo A mais impositiva e polêmica exigência feita pela Fifa ao governo brasileiro é a edição da Lei da Copa. Com a edição dessa lei, as marcas e patentes da Fifa estarão protegidas e ser-lhe-á concedida a exclusividade para comercializar e distribuir as imagens do evento, bem como dar e negar credenciais a jornalistas. União, Estados e Municípios assumiram compromisso de colaborar para que a Fifa e seus patrocinadores tenham exclusividade sobre atividades de comércio dentro e fora dos estádios, bem como exclusividade na realização de atividades promocionais e publicidade de produtos e serviços. No intuito de garantir lucros extraordinários para si e para seus parceiros a Fifa exerce pressão sobre o Brasil para que o Caderno de Encargos da Copa seja cumprido rigorosamente. O encargo da União restringe-se praticamente às dotações de infraestrutura, ou seja, a União deve colaborar para que as arenas, mesmo as privadas e estaduais, fiquem prontas e em condições de uso pela Fifa, bem assim um centro de imprensa no Rio de Janeiro tecnologicamente apto a gerar imagens e divulgar as marcas dos patrocinadores para o mundo inteiro. Conforme acentuou o Governador do Distrito Federal na abertura do seminário, o lado positivo dessas questões é que governadores e prefeitos aproveitam a oportunidade da Copa do Mundo no Brasil para realizarem as obras de infraestrutura e mobilidade urbana que as cidades-sede necessitam. Além de tudo, durante a Copa o Brasil terá inegavelmente um ganho excepcional de exposição na mídia internacional. No seminário foram discutidas as providências necessárias para consolidar a imagem do Brasil como um país amigável e rico em belezas naturais, com possibilidade de agregar outros atributos, tais como competência, organização, desenvolvimento tecnológico, além de estabilidade política, econômica e social. Na questão da Matriz de Responsabilidades, merece inteira solidariedade o Ministro Valmir Campelo no entendimento de que o aprimoramento desse instrumento irá possibilitar 17

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa

Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014. O que o Brasil já ganhou com a Copa Diálogos Governo -Sociedade Civil COPA 2014 O que o Brasil já ganhou com a Copa 2 O que o Brasil já ganhou com a Copa Investimentos A Copa do Mundo é um grande investimento para todos brasileiros Os únicos

Leia mais

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012

Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P0 Síntese do planejamento do Governo Federal para a Copa do Mundo 2014 Brasília, Setembro de 2012 Code-P1 O Brasil recebe os grandes eventos esportivos em um contexto favorável COPA OLIMPÍADAS Brasil

Leia mais

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo

O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo O TCU E A COPA 2014 Ministro-Relator: Valmir Campelo Adalberto Santos de Vasconcelos Coordenador-Geral da Área de Infraestrutura e da Região Sudeste Rafael Jardim Assessor do Ministro Valmir Campelo Brasília

Leia mais

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República

O que o Brasil já ganhou com a Copa. Secretaria-Geral da Presidência da República O que o Brasil já ganhou com a Copa COPA DO MUNDO NO BRASIL um momento histórico e de oportunidades A Copa do Mundo é um momento histórico para o Brasil, que vai sediar, em conjunto com as Olimpíadas em

Leia mais

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014

AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Code-P0 AGENDA DE MEIO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE COPA 2014 Agenda de Trabalho Junho 2011 Claudio Langone Code-P1 OPORTUNIDADE PARA O BRASIL 2011 - Jogos Militares Mundiais 2012 - RIO + 20 - Cúpula das

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior. Ministro Augusto Nardes

Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior. Ministro Augusto Nardes Infraestrutura Turística, Megaeventos Esportivos e Promoção da Imagem do Brasil no Exterior Ministro Augusto Nardes TEMA 2: Geração de emprego e renda na economia nacional 1. Frente Parlamentar e a micro

Leia mais

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016

MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 MANUAL DA AVIAÇÃO Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2016 Pela primeira vez, o setor de aviação está lançando todas as diretrizes operacionais com mais de 300 dias de antecedência, o que contribui decisivamente

Leia mais

PORTARIA Nº 572, DE 22 DE MARÇO DE 2010

PORTARIA Nº 572, DE 22 DE MARÇO DE 2010 PORTARIA Nº 572, DE 22 DE MARÇO DE 2010 O MINISTRO DE ESTADO DO CONTROLE E DA TRANSPARÊNCIA, no uso das atribuições que lhe confere o inciso II do parágrafo único do art. 87 da Constituição, nos termos

Leia mais

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP

ESPORTE. Foto: Fabio Arantes/ Secom/ PMSP ESPORTE O partido Solidariedade está atento à necessidade do esporte na vida da população. Entendemos que ele é uma importante ferramenta para retirar crianças das ruas e assim, reduzir a violência e o

Leia mais

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp

Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil. Marcelo Weishaupt Proni Unicamp Projeções dos Impactos Econômicos da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos no Brasil Marcelo Weishaupt Proni Unicamp A discussão sobre os megaeventos ainda é feita com base em informações precárias Sem dúvida,

Leia mais

O que são as diretrizes para Discussão Temática?

O que são as diretrizes para Discussão Temática? O que são as diretrizes para Discussão Temática? As diretrizes para Discussão Temática apresentam conteúdos exclusivos desenvolvidos por meio de pesquisas para a Fundação 1º de Maio. As informações aqui

Leia mais

Caio Luiz de Carvalho Presidente

Caio Luiz de Carvalho Presidente Caio Luiz de Carvalho Presidente Os desafios do Brasil Deixar de ser espectador e se tornar ator do processo. Todos os brasileiros. Profissionais ou espectadores, envolvidos diretamente ou não. Muitas

Leia mais

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos!

ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! ESPORTE NÃO É SÓ PARA ALGUNS, É PARA TODOS! Esporte seguro e inclusivo. Nós queremos! Nós podemos! Documento final aprovado por adolescentes dos Estados do Amazonas, da Bahia, do Ceará, do Mato Grosso,

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil Ações do Governo de Minas Gerais 27 de Outubro de 2009 Roteiro Estratégia de Execução Modernização do Mineirão Reforma dos Estádios Alternativos Mobilidade

Leia mais

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações

Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Aeroportos no Brasil: investimentos recentes, perspectivas e preocupações Carlos Campos Neto carlos.campos@ipea.gov.br Frederico Hartmann de Souza frederico.souza@ipea.com.br Abril de 2011 Objetivos Avaliar

Leia mais

Estádios. 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br. Por Sen. Demóstenes Torres *

Estádios. 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br. Por Sen. Demóstenes Torres * 1 Revista LIBERDADE e CIDADANIA Ano IV n. 15 janeiro / março, 2012 www.flc.org.br ARTIGO COPA 2014 - Falta tudo para o Brasil Por Sen. Demóstenes Torres * No dia 30 de outubro, completou-se quatro anos

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos

Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014. Preparativos: sorteio final e venda de ingressos Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos socioeconômicos 2006-2014 Preparativos: sorteio final e venda de ingressos O legado já começou Conclusão Introdução: função do COL Oportunidade: efeitos

Leia mais

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa

Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH. escolha das cidades-sede. Copa Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Copa em Minas já começou Pontapé inicial: Planejamento Integrado Governo de Minas e PBH 31 de maio de 2011 dois anos de escolha das cidades-sede 2014 BH/MG modelo

Leia mais

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal

Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal BRA-MEB001-091126-1 Copa do Mundo no Brasil: oportunidades, desafios e atuação do Governo Federal Brasília, 26 novembro de 2009 BRA-MEB001-091126-2 Conteúdo do documento O que é a Copa do Mundo Atuação

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 214 vai movimentar o Turismo Brasileiro 9 dias O estudo As empresas Principais conclusões a 9 dias da Copa 1 principais emissores 1 Desempenho das cidades-sede Chegadas internacionais

Leia mais

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013 IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA Industria hoteleira brasileira JUNHO 2013 ENTIDADE ABIH NACIONAL Fundada em 09/11/1936 3.500 associados 35 escritórios 26 capitais + DF 08 regionais ENTIDADE 25.500 meios de

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Maio de 2010 Paulo Moreira da Fonseca Agenda Introdução Arenas Hotéis Mobilidade Urbana Demais Investimentos Agenda Introdução Arenas Hotéis Mobilidade

Leia mais

MENSAGEM N o 557, DE 2006

MENSAGEM N o 557, DE 2006 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 557, DE 2006 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Acordo de Cooperação no Domínio do Turismo entre a República Federativa

Leia mais

P E R S P E C T I V A S D O T U R I S M O

P E R S P E C T I V A S D O T U R I S M O P E R S P E C T I V A S D O T U R I S M O Brasil JULHO 2011 P E R S P E C T I VA S D O T U R I S M O b r a s i l Introdução Com a realização de megaeventos esportivos como a Copa do Mundo FIFA 2014 e os

Leia mais

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça

Esfera: 10 Função: 06 - Segurança Pública Subfunção: 122 - Administração Geral UO: 30101 - Ministério da Justiça Programa 1127 Sistema Único de Segurança Pública - SUSP Numero de Ações 12 Ações Orçamentárias 2272 Gestão e Administração do Programa Produto: - Unidade de Medida: - Esfera: 10 Função: 06 - Segurança

Leia mais

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL

UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL UM POUCO SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL Julho/2013 Em 2014, o Brasil sediará a Copa do Mundo e em 2016 as Olimpíadas. Os brasileiros efetivamente são apaixonados por futebol e quando foi divulgado que

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo)

MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo) CÂMARA DOS DEPUTADOS MENSAGEM N.º 671, DE 2009 (Do Poder Executivo) Aviso nº 603/2009 C. Civil Submete à deliberação do Congresso Nacional o Texto do Acordo Geral de Cooperação entre o Governo da República

Leia mais

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA

BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA BRASIL 2015: O VERDADEIRO RESULTADO DA COPA Brasil, 2007 PIB R$ 1,8 trilhão Alfabetização 88,6% Expec. de Vida 71,7 anos PIB per capita US$ 8.402 Fonte: ONU e IBGE Brasil, 2015 PIB R$ 2,1 trilhões Alfabetização

Leia mais

Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA

Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA Gabinete de Secretário de Estado Extraordinário da Copa do Mundo/SECOPA RELATÓRIO DE EXECUÇÃO 2ª ETAPA DO ACORDO DE RESULTADOS PERÍODO DE REFERÊNCIA: 2011 Belo Horizonte, maio de 2012 SUMÁRIO ITEM PÁGINA

Leia mais

As lições de Vancouver

As lições de Vancouver As lições de Vancouver O sucesso das Olimpíadas de Inverno realizadas na cidade canadense ensina diversas lições sobre como organizar eventos desse porte Com a proximidade das duas grandes competições

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010

INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 INSTRUÇÃO NORMATIVA - TCU Nº 63, DE 1º DE SETEMBRO DE 2010 Estabelece normas de organização e de apresentação dos relatórios de gestão e das peças complementares que constituirão os processos de contas

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS 1 de 6 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIAGERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2010 PROCESSO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA LICITAÇÃO DE AGÊNCIA DE EVENTOS 1. Objeto: 1.1.1. Contratação de empresa para prestação, sob demanda, de serviços de planejamento, organização, coordenação, execução, fiscalização e avaliação de eventos com a viabilização de infra-estrutura

Leia mais

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA

CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA CARTILHA DA LEI GERAL DA MICROEMPRESA E DA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO MUNICÍPIO DE CURITIBA Curitiba tem se mostrado uma cidade dinâmica e de grandes oportunidades para os trabalhadores e empreendedores.

Leia mais

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB.

PARECER. Senhor Presidente da Comissão de Direito Penal do IAB. PARECER Referências: Indicações nos 055/2007, de autoria do Deputado Celso Russomano e 097/2006, do Deputado Milton Monti, referentes, respectivamente, aos Projetos de Lei n''s. 1.017, de 2007 e 7.284,

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DO SETOR METAL MECÂNICO DO GRANDE ABC TERMO DE REFERÊNCIA Nº 002/2009 SERVIÇOS DE CONSULTORIA DE COORDENAÇÃO DO PROJETO Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Relações Institucionais)

Leia mais

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÔES A. PRIMEIRA RODADA DE ANÁLISE 1.1. (a) Levando em consideração

Leia mais

PROC. Nº 0268/09 PR Nº 001/09 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. Nº 0268/09 PR Nº 001/09 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A criação da Comissão Especial de Acompanhamento e Apoio à Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre faz-se necessária, tendo em vista a grande mobilização e investimentos que deverão

Leia mais

O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo

O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo O Controle Interno no Âmbito do Poder Executivo Contextualização Sumário - O Controle na Administração Pública - O Controle Externo - O Controle Interno O Controle Interno do Poder Executivo do Estado

Leia mais

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP Fortaleza, 25 de novembro de 2015 combate à corrupção na gestão dos serviços

Leia mais

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para

Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para Code-P0 Preparação do país para a Copa do Mundo 2014 e a herança para a engenharia brasileira O Mundial e o Desenvolvimento Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) Manaus, 30 de março de 2012 Code-P1

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014

INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 INFORMAÇÕES SOBRE A COPA FIFA 2014 Por Milton Karam 06.outubro.2010 COPA FIFA 2014 CRONOLOGIA 2003 03 de junho - a Confederação Sul-Americana de Futebol CONMEBOL anuncia Argentina, Brasil e Colômbia 2006

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 A ATIVIDADE TURÍSTICA E O SEGMENTO DE EVENTOS. PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO GRAÇAS À COPA

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO CONSULTORIA E ASSESSORAMENTO LEGISLATIVO ESTUDO TÉCNICO 1 Nº 2/2015/CAL/MD/CMRJ Assunto: Competência legislativa municipal para dispor sobre comercialização e consumo

Leia mais

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo)

GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO. (Secopa São Paulo) GILMAR TADEU ALVES RIBEIRO (Secopa São Paulo) O maior evento mundial Copa do Mundo Fifa Transmissão para todos os países e territórios do mundo, inclusive a Antártida e o Círculo Polar Ártico; Primeiro

Leia mais

A GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL E SEUS CONTROLES INTERNO E EXTERNO RESUMO

A GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL E SEUS CONTROLES INTERNO E EXTERNO RESUMO A GESTÃO PÚBLICA NO BRASIL E SEUS CONTROLES INTERNO E EXTERNO RESUMO O presente estudo é resultado de uma revisão bibliográfica e tem por objetivo apresentar a contextualização teórica e legislativa sobre

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES

MINISTÉRIO DAS CIDADES MINISTÉRIO DAS CIDADES Mobilidade Urbana Sustentável Seminário Infraestrutura turística, megaeventos e promoção da imagem do Brasil no exterior 16 e 17 de agosto de 2011 MINISTÉRIO DAS CIDADES MISSÃO Combate

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI COMPLEMENTAR Nº 97, DE 9 DE JUNHO DE 1999 Dispõe sobre as normas gerais para a organização, o preparo e o emprego das Forças Armadas.

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009

COPA. Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL. Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC. 29 de Outubro 2009 COPA Copa de 2014, Desafios e Oportunidades JOÃO ALBERTO VIOL Vice-Presidente Nacional ABECE - ABCIC 29 de Outubro 2009 1 SINAENCO Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva

Leia mais

Copa 2014 Desafios e Oportunidades

Copa 2014 Desafios e Oportunidades Copa 2014 Desafios e Oportunidades A Copa 2014 tem dono... A Copa é da FIFA Exigências atribuladas no caderno de encargos Com a Copa de 2010, o único continente que ainda não sediou o evento foi a Oceania

Leia mais

Copa do Mundo FIFA 2014 Vistos

Copa do Mundo FIFA 2014 Vistos Copa do Mundo FIFA 2014 Vistos Subsecretaria-Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior Departamento de Imigração e Assuntos Jurídicos Divisão de Imigração A Lei 12.663 (Lei Geral da Copa), de 05/06/2012,

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal Programa 1127 Sistema Único de Segurança Pública - SUSP Ações Orçamentárias 12OM Ações Preventivas de Segurança Pública para a Copa do Mundo de 2014 Produto: Ação im plem entada Num ero de Ações 13 Desenvolver

Leia mais

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008.

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre as ações de comunicação do Poder Executivo Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº., DE 2015. (Do Sr. Roberto de Lucena)

PROJETO DE LEI Nº., DE 2015. (Do Sr. Roberto de Lucena) PROJETO DE LEI Nº., DE 2015 (Do Sr. Roberto de Lucena) Altera a Lei nº 11.343 de 23 de agosto de 2006, que institui o Sistema Nacional de Políticas Públicas sobre Drogas - Sisnad; prescreve medidas para

Leia mais

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012)

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Benefícios Fiscais relacionados à Copa do Mundo no âmbito Federal RECOPA Lei nº

Leia mais

O TCU e a Copa de 2014

O TCU e a Copa de 2014 O TCU e a Copa de 2014 Presidente: Benjamin Zymler Ministro Relator: Valmir Campelo Copa 2014: Objetos de Fiscalização do TCU Gestão da Copa pelo Min. Esporte Atuação dos demais Ministérios Aplicação de

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO https://app.cgu.gov.br/ativa/paginas/funcionalidades/relatoriosos/relato... 20/11/2015 08:36 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO

Leia mais

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional

Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Valorização e Globalização da Marca Brasil Plano Aquarela, Megaeventos e Marketing Turístico Internacional Tribunal de Contas da União, 17 de agosto de 2011 Plano Aquarela Desde 2005 é a base metodológica

Leia mais

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística

1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014. Logística 1ª Avaliação Parlamentar Copa do Mundo 2014 Logística Economia Brasileira Gráfico 1 Crescimento Econômico Brasileiro e Mundial PIB 2002 a 2016 (em %) 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0-2,0 7,5 61 6,1 5,7 4,6 5,3 5,2

Leia mais

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade

Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade Subvenção aos Núcleos Estaduais ODM do Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade EDITAL 2015 PROJETO BRA/11/023 Desenvolvimento de capacidades, de justiça econômica sustentável e promoção de boas

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES. A. PRIMEIRA RODADA DE ANÁLISE: a) IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO NOS NÍVEIS ESTADUAL E MUNICIPAL

SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES. A. PRIMEIRA RODADA DE ANÁLISE: a) IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO NOS NÍVEIS ESTADUAL E MUNICIPAL MECANISMO DE ACOMPANHAMENTO DA IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO INTERAMERICANA CONTRA A CORRUPÇÃO SEÇÃO I: PROGRESSOS NA IMPLEMENTAÇÃO DAS RECOMENDAÇÕES A. PRIMEIRA RODADA DE ANÁLISE: a) IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇÃO

Leia mais

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1

White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 White Paper - Impacto Econômico da Copa de 2014 no Brasil 1 A Casual Auditores Independentes, empresa de auditoria especializada em entidades desportivas estuda as informações financeiras dos clubes de

Leia mais

3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012

3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012 Code-P0 3º Balanço das ações do Governo Brasileiro para a Copa- Abril 2012 Brasília, Maio de 2012 Code-P1 Conteúdo do documento Visão geral das ações Visão por tema 1 Code-P2 Ciclos dos preparativos do

Leia mais

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine Turismo de (bons) negócios 26 KPMG Business Magazine Segmento ganha impulso com eventos internacionais e aumento da demanda interna Eventos mobilizaram mais de R$ 20,6 bilhões em 2011 A contagem regressiva

Leia mais

SUMÁRIO. Apresentação... IX Prefácio... XI

SUMÁRIO. Apresentação... IX Prefácio... XI SUMÁRIO Apresentação... IX Prefácio... XI 1. INTRODUÇÃO À GESTÃO DE FROTAS... 1 1.1. Introdução... 1 1.2. Considerações sobre a Estrutura do Transporte Rodoviário no Brasil... 2 1.3. A Estrutura Organizacional

Leia mais

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO

ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO ELEIÇÃO 2014 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA BRASIL 27 DO BRASIL QUE TEMOS PARA O BRASIL QUE QUEREMOS E PODEMOS DIRETRIZES GERAIS DE GOVERNO CUMPRIR E FAZER CUMPRIR A CONSTITUIÇÃO 1. Cumprir e fazer cumprir a

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS TRABALHOS NO 1 SEMESTRE DE 2012.

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS TRABALHOS NO 1 SEMESTRE DE 2012. PROJETO: 13 - VOLUNTÁRIOS PARA A COPA DO MUNDO 2014. Objetivo: Acompanhar junto ao COL/FIFA (Comitê Organizador Local da FIFA) a seleção e recrutamento dos voluntários para atuarem na Copa do Mundo 2014.

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Itanhangá CNPJ: 07.209.225/0001-00 Gestão 2013/2016 LEI Nº 325/2013 Data: 04 de Novembro de 2013 SÚMULA: Dispõe sobre o Plano Municipal de Políticas Públicas Sobre Drogas, que tem por finalidade fortalecer e estruturar o COMAD como órgão legítimo para coordenar,

Leia mais

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013

57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 Araxá, 08/03/13 57º Fórum Mineiro de Gerenciadores de Transporte e Trânsito 07 e 08 de Março de 2013 O Futuro do Transporte Urbano nas Cidades de Pequeno e Médio Porte Compete à União: XX instituir diretrizes

Leia mais

Rede de Defesa e Segurança

Rede de Defesa e Segurança Rede de Defesa e Segurança 1 PROGRAMA ALIANÇA PELA VIDA Objetivo: Estruturar ações integradas de prevenção, acolhimento e tratamento dos usuários e dependentes de álcool e outras drogas e seus familiares,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO

PREFEITURA MUNICIPAL DE NEPOMUCENO LEI N 495, DE 21 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE ESPORTES E DO FUNDO MUNICIPAL DE ESPORTES E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O Povo do Município de Nepomuceno, Minas Gerais,

Leia mais

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 4ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PORTARIA Nº 3.870 DE 15 DE JULHO DE 2014. Regulamenta as atribuições da Secretaria de Controle Interno do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região e dá outras providências. A PRESIDENTE DO, no uso de

Leia mais

Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas

Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas Seminário: O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas Palestra: O controle Interno no Brasil - situação atual e perspectivas futuras. Valdir Agapito Teixeira Secretário

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

Há mais de 22 anos no mercado, os serviços da FAROL são reconhecidos como os mais profissionais e eficientes na área de Mídia Exterior.

Há mais de 22 anos no mercado, os serviços da FAROL são reconhecidos como os mais profissionais e eficientes na área de Mídia Exterior. Há mais de 22 anos no mercado, os serviços da FAROL são reconhecidos como os mais profissionais e eficientes na área de Mídia Exterior. O Amazonas é o maior estado brasileiro e um dos locais mais

Leia mais

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC

Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional Subfunção: 128 - Formação de Recursos Humanos UO: 52201 - Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC Programa 0630 Desenvolvimento da Aviação Civil Numero de Ações 14 Ações Orçamentárias 0B09 Apoio a Aeroclubes e Escolas de Aviação Civil Produto: Entidade apoiada Esfera: 10 Função: 05 - Defesa Nacional

Leia mais

CONTEXTO OLÍMPICO LIMITAÇÕES ÀS ATIVIDADES DE MARKETING EM EVENTOS ESPORTIVOS

CONTEXTO OLÍMPICO LIMITAÇÕES ÀS ATIVIDADES DE MARKETING EM EVENTOS ESPORTIVOS CONTEXTO OLÍMPICO LIMITAÇÕES ÀS ATIVIDADES DE MARKETING EM EVENTOS ESPORTIVOS Lei Geral da Copa e Ato Olímpico 1. Introdução Com a proximidade dos eventos esportivos que serão realizados no Brasil, como

Leia mais

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO LEI Nº 3095, de 17 de Novembro de 2006 DISPÕE sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo no âmbito do Estado do Amazonas, e dá outras providências O GOVERNADOR

Leia mais

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br

Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional. Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Medida Provisória 652: Novo cenário para a Aviação Regional Ana Cândida de Mello Carvalho amcarvalho@tozzinifreire.com.br Sumário 1. Dados da SAC sobre o Setor Aeroportuário 2. Plano Geral de Outorgas

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PROGRAMA DE METAS Gestão 2013/2016 APRESENTAÇÃO... 2 I - VISÃO DO MUNICÍPIO... 3 II COMPROMISSO... 3 III PRINCÍPIOS DE GESTÃO... 3 IV DIRETRIZES ESTRATÉGIAS... 4 PROGRAMA DE METAS DESENVOLVIMENTO URBANO...

Leia mais

Acórdão 2066/2006 - Plenário

Acórdão 2066/2006 - Plenário Acórdão 2066/2006 - Plenário Acórdão VISTOS, relatados e discutidos estes autos que cuidam de Relatório Consolidado das auditorias realizadas em ajustes celebrados entre Organizações Não-Governamentais

Leia mais

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014

DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.243, DE 23 DE MAIO DE 2014 Institui a Política Nacional de Participação Social - PNPS e o Sistema Nacional de Participação

Leia mais

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008

100 vezes Boletim. nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 nº 100 - Brasília, 05 de Setembro de 2008 100 vezes Boletim Você acaba de receber o Boletim Digital de número 100. Esse veículo vem contando, há quase dois anos e meio, a história da consolidação da Infra

Leia mais

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013

O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo. Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 O setor hoteleiro do Brasil às portas da Copa do Mundo Roberto Rotter 20 de setembro de 2013 Panorama atual da hotelaria - Brasil Total de hotéis: 10 mil Total de UH s: 460 mil Fonte: Hotelaria em Números

Leia mais

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações.

ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. ERRATA: Na página 5, onde se lê relevar nenhuma das tentações, leiase reavivar nenhuma das tentações. Declaração à imprensa da Presidenta da República, Dilma Rousseff, após a VI Reunião de Cúpula Brasil-União

Leia mais

CPI das ONGs PLANO DE TRABALHO

CPI das ONGs PLANO DE TRABALHO CPI das ONGs PLANO DE TRABALHO Presidente: Senador Raimundo Colombo (DEM-SC) Vice-Presidente: Senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO) Relator: Senador Inácio Arruda (PC do B CE) Outubro de 2007 1 PLANO DE TRABALHO

Leia mais

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro

Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro Como a Copa do Mundo 2014 vai movimentar o Turismo Brasileiro O estudo Destaques Os 10 principais emissores 10 Chegadas internacionais Viagens domésticas Cidades sedes Viagens dos brasileiros ao exterior

Leia mais

TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT E CMA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 8 DE AGOSTO DE 2012

TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT E CMA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 8 DE AGOSTO DE 2012 TELEFONIA MÓVEL AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT E CMA SENADO FEDERAL EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 8 DE AGOSTO DE 2012 Telefonia móvel jun/2012 256 milhões 1998 7,4 milhões 1 ativação por segundo em 2012 Fonte: Telebrasil

Leia mais

TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016.

TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016. TERMO PÚBLICO, ABERTO À ADESÃO, DE COMPROMISSO PELO EMPREGO E TRABALHO DECENTE NA COPA DO MUNDO FIFA DE 2014 E NOS JOGOS OLÍMPICOS DE 2016. O Ministério do Trabalho e Emprego, o Tribunal Regional do Trabalho,

Leia mais

Quer tirar seu projeto do fundo do baú?

Quer tirar seu projeto do fundo do baú? Quer tirar seu projeto do fundo do baú? Sumário 1. PATROCÍNIO... 2. SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL... 3. INSTITUTO BRASILEIRO DE TURISMO... 4. FUND. COORD. DE APERF. DE PESSOAL

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.102, DE 6 DE SETEMBRO DE 2013 Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções

Leia mais

Política Nacional de Meio Ambiente

Política Nacional de Meio Ambiente Política Nacional de Meio Ambiente O Brasil, maior país da América Latina e quinto do mundo em área territorial, compreendendo 8.511.996 km 2, com zonas climáticas variando do trópico úmido a áreas temperadas

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba

ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE INCLUSIVA EM CURITIBA. Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura Municipal de Curitiba ESTA PARA NASCER UM MODELO INOVADOR DE EDUCACAO INFANTIL INCLUSIVA EM CURITIBA VEJA COMO SUA EMPRESA PODE TRANSFORMAR ESTA IDEIA EM REALIDADE { Solicitação de doação por incentivo fiscal COMTIBA Prefeitura

Leia mais