Rui-Rádio. e a sua luta contra as células más

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rui-Rádio. e a sua luta contra as células más"

Transcrição

1 Rui-Rádio e a sua luta contra as células más

2

3 Rui-Rádio e a sua luta contra as células más

4 Texto original holandês: Radio-Robin en zijn gevecht tegen de slechte kankercellen Texto e ideia: Estudantes de Hogeschool Eindhoven 1ª Edição: Vereniging Ouders Kinderen en Kanker, Março 1998 Achterdijk LA Werkhoven - Holanda ISBN: Edição Portuguesa: Acreditar-Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro Rua Professor Lima Basto, Lisboa Traduzido por - Cristina Sequeira Ilustrações: Carla Antunes Execução Gráfica: Espaço Gráfico, Lda. Depósito Legal N.º /99 5.ª Edição Tiragem: Ex. Março

5 Olá! Vou-te contar uma história. Uma história sobre o Rui-Rádio e a sua luta contra as células más. Sabes o que são células más? Não?. Eu vou-te explicar. 3

6 4

7 Primeiro olha bem para estes desenhos. Já olhaste?? Então vou continuar. O teu corpo é como uma casa. À sua volta existe a pele, como as paredes de uma casa. Tal como numa casa, existem na tua pele quartos e corredores. Assim, existe um quarto onde entra a comida que tu comes: é o teu estômago. Há outros pequenos quartos que limpam o teu sangue: são os teus rins e o teu fígado. Também o teu coração é um quarto. Através dele é bombeado o sangue por todo o teu corpo. O sangue corre através de corredores e tubos. Alguns são grandes, outros muito pequeninos: são as veias e as artérias. Tu não consegues olhar sem mais nem menos para dentro do teu corpo, mas podes ouvir o que se passa dentro dele. Já ouviste com certeza o teu estômago de vez em quando a fazer barulho quando tens fome. E consegues ouvir o teu coração? Sentes as suas batidas? 5

8 6

9 Tal como as paredes de uma casa são constituídas por tijolos, também o teu corpo é constituído por células. As células são portanto os tijolos do teu corpo. Tudo no teu corpo é composto por células. A tua pele por células cutâneas, o teu cabelo por células capilares e o teu sangue por células sanguíneas. As células são mesmo muito pequeninas. Tão pequenas que tu não as consegues ver. Por isso é muito difícil perceber o que são células. Por essa razão desenhei-te algumas para saberes como são. As tuas células cutâneas são tão fortes e estão tão juntas umas às outras como os tijolos de uma casa. Mas as células nos teus vasos sanguíneos e nas tuas veias nadam livremente umas sobre as outras. Já tiveste com certeza uma pequena ferida que deitou sangue. Nesse sangue havia, portanto, células. 7

10 8

11 Como podes ver no desenho, as células são muito alegres. Dão-se muito bem umas com as outras. Ajudam-se umas às outras para que cada célula se sinta bem. Vês que há também células muito pequenas, células bebés. Estas apareceram mesmo agora. Estas células tornam-se grandes e por sua vez produzem outras células pequenas. A isso chama-se crescer. Portanto tu cresces, porque cada vez aparecem mais células. 9

12 10

13 Às vezes há células que gostam de pregar partidas. São más e arreliam as outras células porque não querem viver com elas no mesmo corpo. A estas células más nós chamamos células cancerosas. Vê lá como ela tem cara de má! 11

14 12

15 As outras células estão zangadas com ela, porque ela as empurra sem mais nem menos para o canto. Está sempre a aborrecê-las e não as deixa em paz. A célula má não quer saber das outras células. Não se rala absolutamente com nada. E sabes o que é mais aborrecido? É que a célula má, tal como as outras células, também fabrica novas células. E essas pequenas células más já são tão más como as grandes. Passado pouco tempo, já existem muitas células más. 13

16 14

17 As células más juntam-se num grupinho e não deixam as outras células chegar perto. As outras células acham isso muito aborrecido, mas podem fazer muito pouco contra isso porque as células más são muito fortes. Por vezes um grupo de células más torna-se tão grande que o médico tem de o extrair. A isto chama-se uma operação. 15

18 16

19 Felizmente há células sanguíneas com ferramentas especiais. Com elas podem destruir-se as células más. Vê no desenho como é que uma célula sanguínea luta com uma célula má. Se a célula sanguínea vence, então as células boas ficam naturalmente muito contentes.. Mas, por vezes, as células más são mais fortes do que as células sanguíneas. Então é necessária ajuda. Essa ajuda vem do Rui-Rádio! É sobre ele que vamos falar. Ora ouve... 17

20 18

21 O Rui-Rádio vive no hospital. É lá que ele tem a sua casinha. Ele vive lá com a sua família e amiguinhos: o Rádio-Rick, a Rádio-Rosinha, o Rádio- Ronaldo, o Rádio-Raul e muitos outros. Ele gosta muito de lá viver. Um certo dia o médico aproxima-se do Rui- Rádio e diz-lhe: Rui-Rádio, nós temos aqui uma menina que precisa da tua ajuda. Ela tem tantas células más no seu corpo que as células boas já não as conseguem vencer. Isso não pode ser, diz o Rui-Rádio, Vamos fazer alguma coisa para a ajudar. Vem, vamos deitar mão à obra. 19

22 20

23 O médico leva a casinha do Rui-Rádio para um quarto especial. Junto com os seus amiguinhos, o Rui-Rádio espera até poder ajudar. Ele está em primeiro lugar na linha de partida. 21

24 22

25 A menina pequena está deitada numa cama no quarto especial e espera pelo médico. Ela chama-se Maria. A Maria acha isto tudo muito divertido. O médico disse que Rui-Rádio e os seus amiguinhos não a iam magoar. 23

26 24

27 O médico já lá está. Ele coloca a casa do Rui-Rádio junto da cama da Maria e pega numa caneta. Agora, com esta caneta vou fazer-te uma cruz na barriga, diz o médico. Assim, o Rui-Rádio sabe exactamente onde tem de actuar. 25

28 26

29 O Rui-Rádio tem de actuar na barriga da Maria. Mas às vezes ele tem de actuar noutras partes do corpo. Depende do sítio onde estão as células más. Quando tem de actuar na cabeça, põe-se uma máscara. A máscara é para fazer com que a cabeça não se mexa para o Rui-Rádio poder trabalhar no sítio certo. Talvez seja um pouco esquisito, mas não dói. 27

30 28

31 A Maria tem de estar deitada muito quietinha porque, se ela se mexer, o Rui-Rádio podese enganar no sítio. O médico vai para o quarto ao lado porque o Rui-Rádio é muito envergonhado. Não gosta muito que estejam lá outras pessoas quando está a lutar. Mas o médico, o pai e a mãe, que naturalmente também estão lá, podem falar com a Maria. E a Maria pode ouvi-los. Eles também podem ver a Maria através de uma janelinha. Por isso a Maria não está sozinha! Ela só não pode responder porque tem de estar muito quieta. 29

32 30

33 Agora uma luz ilumina a barriga da Maria. É a luz da pista de aterragem. É mesmo aí que o Rui-Rádio tem de aterrar. A Maria tem curiosidade de saber se o Rui- Rádio é, na realidade, tão rápido que ela nem o consegue ver. O médico diz ao microfone que vai começar. A Maria esforça-se por se manter quieta. 31

34 32

35 O Rui-Rádio e os seus amiguinhos estão aos saltos na pista de lançamento. Então é dado o sinal de partida. Vês?... Aí vão eles. As células más assustam-se quando vêem o Rui-Rádio e os seus amiguinhos. Como são rápidos e como parecem fortes! Uma grande célula má grita: Rápido, tentem esconder-se! Mas as células boas bloqueiam o caminho de modo a que elas não possam escapar. O Rui- Rádio e os seus amiguinhos vão apanhando as células más uma a uma. 33

36 34

37 O Rui-Rádio e os seus amiguinhos lutaram muito. Conseguiram destruir muitas células más. Só não arrumaram a casa e está tudo virado do avesso. Não está lá muito bem Felizmente as células boas começaram logo a pôr tudo nos seus lugares. Mas não é um trabalho muito fácil. Por isso a Maria se sente tão cansada depois de o Rui-Rádio e os seus amiguinhos a terem ajudado. 35

38 36

39 Ainda há um problema. Como o Rui-Rádio voa muito depressa, às vezes tem dificuldade em travar. Ele choca com a tua garganta quando tem de ir para a tua cabeça ou para o teu pescoço. Então, comer pode não ser tão agradável e, às vezes, faz doer ao engolir. Ou então, choca com as tuas células capilares e os teus cabelos podem começar a cair. Mas os cabelos voltam a crescer! 37

40 38

41 A Maria fica admirada quando, passados uns minutos, o médico entra no quarto. Ele disse que não ia demorar muito tempo, mas isto foi, na realidade, muito rápido. Ela já pode ir, novamente, ter com o pai e com a mãe. Eles esperaram por ela no quarto ao lado. A Maria ainda tem de voltar algumas vezes, porque o Rui-Rádio e os seus amiguinhos cansam-se rapidamente de tanto lutar e não aguentam muito tempo. Para conseguir apanhar todas a células, eles têm de lutar mais vezes. Mas a Maria não acha isso assim tão mau, porque até nem lhe custou muito. 39

42 40

43 O médico diz à Maria que também ele tem de verificar se todas as células más desapareceram. Às vezes, algumas células cancerosas escondem-se bem escondidas. Neste caso, ainda é necessária a ajuda do Rui-Rádio e dos seus amiguinhos mais algumas vezes. E quando, às vezes, o Rui-Rádio não as consegue vencer sozinho, então pede a ajuda do seu amiguinho, o Gaspar-Químio. Mas isso, é uma outra história... 41

44 Anotações 42

45 Para Colorir 43

46 44 Para Colorir

47 Para Colorir 45

48 46

49

50

51 Quando os nossos filhos têm cancro Testemunhos de pais para pais sobre a experiência vivida. Porquê, Charlie Brown, porquê? Charlie Brown é confrontado com a doença através de uma amiga da aula

52 A ACREDITAR agradece: à Carla Antunes pela ilustração e à Cristina Sequeira pela tradução.

53

54

55

56 A ACREDITAR É MEMBRO FUNDADOR DO ICCCPO CONFEDERAÇÃO INTERNACIONAL DAS ASSOCIAÇÕES DE PAIS DAS CRIANÇAS COM CANCRO.

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

A CURA DE UM MENINO Lição 31

A CURA DE UM MENINO Lição 31 A CURA DE UM MENINO Lição 31 1 1. Objetivos: Mostrar o poder da fé. Mostrar que Deus tem todo o poder. 2. Lição Bíblica: Mateus 17.14-21; Marcos 9.14-29; Lucas 9.37-43 (Leitura bíblica para o professor)

Leia mais

A.C. Ilustrações jordana germano

A.C. Ilustrações jordana germano A.C. Ilustrações jordana germano 2013, O autor 2013, Instituto Elo Projeto gráfico, capa, ilustração e diagramação: Jordana Germano C736 Quero-porque-quero!! Autor: Alexandre Compart. Belo Horizonte: Instituto

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 Era domingo e o céu estava mais azul que o azul mais azul que se pode imaginar. O sol de maio deixava o dia ainda mais bonito

Leia mais

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu

L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu 5 L0NGE, atrás em monte, sol cair e céu ficar em fogo. Fraco, Eu subir monte, pés d Eu molhados em erva fria. Não haver erva em cima em monte. Só haver terra, em volta, monte como cabeça de homem sem cabelo.

Leia mais

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno.

Os dois foram entrando e ROSE foi contando mais um pouco da história e EDUARDO anotando tudo no caderno. Meu lugar,minha história. Cena 01- Exterior- Na rua /Dia Eduardo desce do ônibus com sua mala. Vai em direção a Rose que está parada. Olá, meu nome é Rose sou a guia o ajudara no seu projeto de história.

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

Programa de Português Nível A2 Ensino Português no Estrangeiro. Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, IP

Programa de Português Nível A2 Ensino Português no Estrangeiro. Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, IP Português A2 Programa de Português Nível A2 Ensino Português no Estrangeiro Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, IP Direção de Serviços de Língua e Cultura Composição Gráfica: Centro Virtual Camões

Leia mais

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens.

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens. Os Serviços de Saúde Amigos das Crianças Crianças e Jovens: digam-nos o que pensam! O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome:

1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: Leia o texto com ajuda do professor. EU QUERO! EU QUERO! A Júlia é pequenininha, mas quando quer alguma coisa grita mais do que qualquer pessoa grandona. Esta

Leia mais

[E-F@BULATIONS / E-F@BULAÇÕES] 2/ JUN 2008. Uma História de Cão

[E-F@BULATIONS / E-F@BULAÇÕES] 2/ JUN 2008. Uma História de Cão Uma História de Cão Nuno Júdice Ilustrações de Evelina Oliveira Era uma vez era uma vez. E era uma vez quantas vezes era uma vez. Às vezes é que não podia ser uma vez. Numa dessas vezes encontrei um cão.

Leia mais

LIÇÃO 2 AMOR: DECIDIR AMAR UNS AOS OUTROS

LIÇÃO 2 AMOR: DECIDIR AMAR UNS AOS OUTROS LIÇÃO 2 AMOR: DECIDIR AMAR UNS AOS OUTROS RESUMO BÍBLICO I João 4:7-21; Jo 13:35 Tudo começou com o amor de Deus por nós. Ele nos amou primeiro e nós precisamos responder a isso. Ele provou seu amor, através

Leia mais

As Bandeiras JORNALINHO DO CAMPO. Outubro/Novembro 2009 Edição on-line nº 9 Carlos Caseiro (Autor) Sara Loureiro Correia (Revisão de textos)

As Bandeiras JORNALINHO DO CAMPO. Outubro/Novembro 2009 Edição on-line nº 9 Carlos Caseiro (Autor) Sara Loureiro Correia (Revisão de textos) As Bandeiras D esde que o primo Manuel tinha ido à cidade e comprado uma bandeira de Portugal que hasteava todos os domingos e dias de feriado, que a Tété andava muito admirada e até já comentara com os

Leia mais

Ajuda para os familiares

Ajuda para os familiares Por isso, é preciso expulsar estas células daninhas do nosso corpo, simplesmente tirar de alguma maneira. Para se conseguir isto, os médicos desenvolveram várias possibilidades. A mais fácil é simplesmente

Leia mais

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só

Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só Acorda, seu Zé Preguiça, hoje é domingo. Dia do Senhor. A sua mãe tá passando a roupa que você separou ontem, e o seu café já está pronto, só esperando a sua boa vontade. Felipe tentou voltar a dormir,

Leia mais

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62

PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 PREGAÇÃO DO DIA 08 DE MARÇO DE 2014 TEMA: JESUS LANÇA SEU OLHAR SOBRE NÓS PASSAGEM BASE: LUCAS 22:61-62 E, virando- se o Senhor, olhou para Pedro, e Pedro lembrou- se da palavra do Senhor, como lhe havia

Leia mais

Mensagem de Prem Rawat

Mensagem de Prem Rawat Mensagem de Prem Rawat na Conferência de Paz Nórdica 2012 Conf. Nórdica, Página 1 Gostaria de falar-vos sobre paz. Eu sei que quase toda a gente tem a sua interpretação do que é a paz. Para mim, a paz

Leia mais

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial

MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial MOVIMENTO FAMILIAR CRISTÃO Equipe Dia/mês/ano Reunião nº Ano: Local: Tema: QUEM MEXEU NO MEU QUEIJO Acolhida Oração Inicial Esta é uma história de mudança que ocorre em um labirinto em que quatro personagens

Leia mais

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS

Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Capítulo II O QUE REALMENTE QUEREMOS Neste inicio de curso de Formação em Coaching e Mentoring do Sistema ISOR, eu quero fazer a seguinte pergunta: o que vocês mais querem da vida hoje? Alguém pode começar?

Leia mais

Coragem, Solidariedade, Confiança, Justiça.

Coragem, Solidariedade, Confiança, Justiça. Valores: Coragem, Solidariedade, Confiança, Justiça. Competências -chave: Saber reagir a atentados à integridade física ou psicológica; Saber medir consequências de um segredo; Ser capaz de confiar e pedir

Leia mais

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também.

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também. Entrevistas: Por escrito: A_5: 1ª - É fazer uma música sozinha, como eu gosto, com a ajuda do computador. Abrimos a Ableton Live, criamos as faixas que precisamos, escolhemos a forma e como é que cada

Leia mais

AS CRIANÇAS E A MISSA DOMINICAL

AS CRIANÇAS E A MISSA DOMINICAL Crianças na Missa AS CRIANÇAS E A MISSA DOMINICAL 1. É desejável que, na medida do possível, os pais possam participar juntos e com os filhos na Santa Missa dominical. É muito aconselhável que as crianças

Leia mais

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria,

Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, O Afonso levantou-se de um salto, correu para a casa de banho, abriu a tampa da sanita e vomitou mais uma vez. Posso ajudar? perguntou a Maria, preocupada, pois nunca tinha visto o primo assim tão mal

Leia mais

Rezar, cantar e crescer

Rezar, cantar e crescer Rezar, cantar e crescer Thereza Ameal e João Ameal Acordes A Mãe Eu gosto tanto da mãe (mãe) A mais querida, querida, querida (dizer rápido) (bonita também) E poder dar-lhe beijinhos m É a melhor coisa

Leia mais

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor.

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor. Capítulo 2 Ela representa um desafio. O simbolismo existe nas imagens coloridas. As pessoas apaixonam-se e desapaixonam-se. Vão onde os corações se abrem. É previsível. Mereces um lugar no meu baloiço.

Leia mais

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer.

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. CAPITULO 3 Ele não é o Homem que eu pensei que era. Ele é como é. Não se julga um Homem pela sua aparência.. Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. Eu costumava saber como encontrar

Leia mais

Anexo II - Guião (Versão 1)

Anexo II - Guião (Versão 1) Anexo II - Guião (Versão 1) ( ) nº do item na matriz Treino História do Coelho (i) [Imagem 1] Era uma vez um coelhinho que estava a passear no bosque com o pai coelho. Entretanto, o coelhinho começou a

Leia mais

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura.

Palavras do autor. Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Palavras do autor Escrever para jovens é uma grande alegria e, por que não dizer, uma gostosa aventura. Durante três anos, tornei-me um leitor voraz de histórias juvenis da literatura nacional, mergulhei

Leia mais

Casa Templária, 9 de novembro de 2011.

Casa Templária, 9 de novembro de 2011. Casa Templária, 9 de novembro de 2011. Mais uma vez estava observando os passarinhos e todos os animais que estão ao redor da Servidora. Aqui onde estou agora é a montanha, não poderia ser outro lugar.

Leia mais

INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por ser filho de pais portugueses?

INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por ser filho de pais portugueses? Transcrição da entrevista: Informante: nº15 Célula: 5 Data da gravação: Agosto de 2009 Geração: 2ª Idade: 35 Sexo: Masculino Tempo de gravação: 10.24 minutos INQ Já alguma vez se sentiu discriminado por

Leia mais

GRITO CONTRA AS DROGAS

GRITO CONTRA AS DROGAS 7.º A GRITO CONTRA AS DROGAS As drogas são boas no início mas no fim, apanhas o vicio. Ficas intoxicado não te preocupes eu estou ao teu lado. Não tomes drogas ou ficas nas lonas não queiras ficar pedrado

Leia mais

CD UM NOVO DIA. Um Novo Dia Autor: Paulo Cezar

CD UM NOVO DIA. Um Novo Dia Autor: Paulo Cezar CD UM NOVO DIA Um Novo Dia Autor: Paulo Cezar Quantos momentos da vida. Me fazem ver. O que aqui dentro existe. Ouvi dizer. Luto pra conseguir, corro só pra fugir, faço o que posso, mas já não sou vencedor,

Leia mais

História Para as Crianças. A menina que caçoou

História Para as Crianças. A menina que caçoou História Para as Crianças A menina que caçoou Bom dia crianças, feliz sábado! Uma vez, do outro lado do mundo, em um lugar chamado Austrália vivia uma menina. Ela não era tão alta como algumas meninas

Leia mais

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim?

este ano está igualzinho ao ano passado! viu? eu não falei pra você? o quê? foi você que jogou esta bola de neve em mim? viu? eu não falei pra você? o quê? este ano está igualzinho ao ano passado! foi você que jogou esta bola de neve em mim? puxa, acho que não... essa não está parecendo uma das minhas... eu costumo comprimir

Leia mais

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante

Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante Anexo F Grelha de Categorização da Entrevista à Educadora Cooperante CATEGORIAS SUBCATEGORIAS INDICADORES 1.1. Tempo de serviço docente ( ) 29 anos (1) 1.2. Motivações pela vertente artística ( ) porque

Leia mais

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 1º Ciclo. Título: Reencarnação

Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 1º Ciclo. Título: Reencarnação Plano de Aula 12 Centro Espírita Ismênia de Jesus Evangelização Espírita Ismênia de Jesus Plano de Aula 1º Ciclo Educadora: Andréa, Rafael e Erenilton Dia: 04/05/2015 Horário: 20 às 21hs Título: Reencarnação

Leia mais

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava

Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava O Príncipe das Histórias Era uma vez um príncipe que morava num castelo bem bonito e adorava histórias. Ele gostava de histórias de todos os tipos. Ele lia todos os livros, as revistas, os jornais, os

Leia mais

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé

MÚSICAS. Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé MÚSICAS Hino da Praznik Sempre Quando vens p ras colónias Sei de alguém Menino de Bronze Tenho Vontade VuVu & ZéZé Hino da Praznik Do Fá Gosto de aqui estar Sol Do E contigo brincar E ao fim vou arranjar

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos

LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos Lição 3: Alegria LIÇÃO 8 MANSIDÃO: Agir com mansidão com todos RESUMO BÍBLICO Gálatas 5:23; Gálatas 6:1; 2 Timóteo 2:25; Tito 3; 1 Pedro 3:16 Como seres humanos estamos sempre à mercê de situações sobre

Leia mais

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE?

POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? POR QUE O MEU É DIFERENTE DO DELE? Rafael chegou em casa um tanto cabisbaixo... Na verdade, estava muito pensativo. No dia anterior tinha ido dormir na casa de Pedro, seu grande amigo, e ficou com a cabeça

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Este testemunho é muito importante para os Jovens.

Este testemunho é muito importante para os Jovens. Este testemunho é muito importante para os Jovens. Eu sempre digo que me converti na 1ª viagem missionária que fiz, porque eu tinha 14 anos e fui com os meus pais. E nós não tínhamos opção, como é o pai

Leia mais

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:...

ALEGRIA ALEGRIA:... TATY:... ALEGRIA PERSONAGENS: Duas amigas entre idades adolescentes. ALEGRIA:... TATY:... Peça infanto-juvenil, em um só ato com quatro personagens sendo as mesmas atrizes, mostrando a vida de duas meninas, no

Leia mais

Desarrumar. Margarida Fonseca Santos. Inês do Carmo

Desarrumar. Margarida Fonseca Santos. Inês do Carmo Desarrumar Margarida Fonseca Santos Inês do Carmo Números em palco Nuno Crato 1 O ensino, talvez em especial o da matemática, não pode ser deixado exclusivamente à escola. Pais, professores, jornalistas,

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Glaucus Saraiva - poeta gaúcho

Glaucus Saraiva - poeta gaúcho Um dia, ao retornar da escola, Felipe tentou explicar ao pai que o professor havia falado sobre o chimarrão, que é uma bebida saudável e símbolo do Rio Grande do Sul, entre outras coisas. Armando, seu

Leia mais

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos

DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69. 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos DANIEL EM BABILÔNIA Lição 69 1 1. Objetivos: Ensinar que devemos cuidar de nossos corpos e recusar coisas que podem prejudicar nossos corpos 2. Lição Bíblica: Daniel 1-2 (Base bíblica para a história e

Leia mais

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012.

MALDITO. de Kelly Furlanetto Soares. Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. MALDITO de Kelly Furlanetto Soares Peça escritadurante a Oficina Regular do Núcleo de Dramaturgia SESI PR.Teatro Guaíra, no ano de 2012. 1 Em uma praça ao lado de uma universidade está sentado um pai a

Leia mais

Animação Sociocultural. No PAís do Amor

Animação Sociocultural. No PAís do Amor No PAís do Amor Há muito, muito tempo, num reino que ficava Mais Longe que Bué Bué longe, vivia-se com muito amor e alegria. Os dias eram passados em festa e eram todos muito amigos. Nesse reino havia

Leia mais

Segunda-feira. Querido, está na hora de acordar! Querido, já é noite, você precisa se levantar!

Segunda-feira. Querido, está na hora de acordar! Querido, já é noite, você precisa se levantar! Segunda-feira Hummm! Querido, está na hora de acordar! Hummm... o quê? Querido, já é noite, você precisa se levantar! Ah, mãe, preciso mesmo? Precisa, sim. Aqueles aldeões não vão se assustar sozinhos.

Leia mais

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal

O Tomás, que não acreditava no Pai Natal O Tomás, que não acreditava no Pai Natal Era uma vez um menino que não acreditava no Pai Natal e fazia troça de todos os outros meninos da escola, e dos irmãos e dos primos, e de qualquer pessoa que dissesse

Leia mais

Viagem de Santo António

Viagem de Santo António Ficha de transcrição / São Pedro do Sul / Viagem de Santo António Viagem de Santo António Classificação: Conto Assunto: No tempo das ceifas, em Manhouce, dois lavradores vão juntos colher o centeio confiando

Leia mais

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a CENTRO DE PSICOLOGIA APLICADA DO EXÉRCITO NÚCLEO DE APOIO PSICOLÓGICO E INTERVENÇÃO NA CRISE Edição - Julho 2014

Leia mais

O LAVA JATO MACABRO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA

O LAVA JATO MACABRO. Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA O LAVA JATO MACABRO Por JULIANO FIGUEIREDO DA SILVA Rua alameda dom Pedro II n 718 Venda da cruz São Gonçalo. e-mail:jfigueiredo759@gmail.com TEL: (21)92303033 EXT.LAGE DA CASA.DIA Renam está sentado na

Leia mais

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos

Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Draguim, Badão e companhia - Guia de leitura - Livro 1 Dragões, Duendes e Outros Bichos Apresentação da obra Sempre me disseram que os dragões eram todos maus e que devíamos fugir deles a sete pés. Mas,

Leia mais

(DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina. -Marcadores de várias cores

(DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina. -Marcadores de várias cores (DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina -Marcadores de várias cores -Folhas cada qual com a sua letra ocantinhodasao.com.pt/public_html Página

Leia mais

chuva forte suas filhas não estavam em casa, decidiram chamar moradores vizinhos a ajudar a encontrá-las. Procuraram em cada casa, loja e beco que

chuva forte suas filhas não estavam em casa, decidiram chamar moradores vizinhos a ajudar a encontrá-las. Procuraram em cada casa, loja e beco que As Três Amigas Em 1970, em uma cidade pequena e calma, havia três amigas muito felizes, jovens e bonitas. O povo da cidade as conhecia como um trio de meninas que não se desgrudavam, na escola só tiravam

Leia mais

João e o pé de feijão ESCOLOVAR

João e o pé de feijão ESCOLOVAR João e o pé de feijão ESCOLOVAR Era uma vez um rapaz chamado João que vivia com a sua mãe numa casa muito modesta. A mãe era desempregada e só tinha uma pequena horta onde cultivava todo o tipo de legumes.

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

Narrar por escrito a partir de um personagem

Narrar por escrito a partir de um personagem Narrar por escrito a partir de um personagem Aproximação das crianças as ao literário rio Emilia Ferreiro Ana Siro Vozes narrativas e pontos de vista em relatos de ficção: possibilidades discursivas de

Leia mais

Objectivos PLANEAR 2/90. O que se pretende comunicar ou expor. Queremos:

Objectivos PLANEAR 2/90. O que se pretende comunicar ou expor. Queremos: Objectivos O que se pretende comunicar ou expor Queremos: De todos os passos deste e-book, começamos pelo maior desafio: ter boas ideias. Estas estão só à espera que alguém as tenha, e até há técnicas

Leia mais

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil.

SAMUEL, O PROFETA Lição 54. 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. SAMUEL, O PROFETA Lição 54 1 1. Objetivos: Ensinar que Deus quer que nós falemos a verdade, mesmo quando não é fácil. 2. Lição Bíblica: 1 Samuel 1 a 3 (Base bíblica para a história o professor) Versículo

Leia mais

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015

1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 1º Domingo de Julho Conexão Kids -05/07/2015 Sinalizar o Amor de Deus através da obediência e do respeito! Objetivo: Mostrar a importância de respeitar as regras e obedecer aos pais e responsáveis. Reforçar

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 24 Discurso na solenidade de entrega

Leia mais

Categorias Subcategorias Unidades de registo. Situação. Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Experiência de assalto

Categorias Subcategorias Unidades de registo. Situação. Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Experiência de assalto Categorias Subcategorias Unidades de registo Experiência de assalto Situação Sai da escola e ia para casa da minha mãe (F1) Estava a ir para a escola (F2) Estava a sair da escola e quando cheguei à porta

Leia mais

18/11/2005. Discurso do Presidente da República

18/11/2005. Discurso do Presidente da República Discurso do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de entrega de certificado para os primeiros participantes do programa Escolas-Irmãs Palácio do Planalto, 18 de novembro de 2005

Leia mais

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2

Bartolomeu Campos Queirós. Agradecemos aos parceiros que investem em nosso projeto. I SBN 85-7694 - 111-2 Ficava intrigado como num livro tão pequeno cabia tanta história. O mundo ficava maior e minha vontade era não morrer nunca para conhecer o mundo inteiro e saber muito da vida como a professora sabia.

Leia mais

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS

Navegar NA NET SEM PROBLEMAS r Navegar NA NET a SEM PROBLEMAS rr r rrr r rr r REDES SOCIAIS Atualmente a Internet faz parte das nossas vidas e todos utilizamos ou conhecemos alguém que utiliza uma ou várias Redes Sociais, que são

Leia mais

curiosidade. Depois desta aula toda, só posso dizer que também

curiosidade. Depois desta aula toda, só posso dizer que também James recém havia saído de férias. Seu pai havia prometido que, se fosse bem aplicado na escola, passaria alguns dias na companhia do vô Eleutério. O avô de James era um botânico aposentado que morava

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12

SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 SALVAÇÃO não basta conhecer o endereço Atos 4:12 A SALVAÇÃO É A PRÓPRIA PESSOA DE JESUS CRISTO! VOCÊ SABE QUAL É O ENDEREÇO DE JESUS! MAS ISSO É SUFICIENTE? Conhecer o endereço de Jesus, não lhe garantirá

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Nome: n.º 4ª série ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª SÉRIE. Três conselhos

Nome: n.º 4ª série ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª SÉRIE. Três conselhos Disciplina: Língua Portuguesa Professora: Barueri: / 08 / 2010 2ª postagem Nome: n.º 4ª série ATIVIDADES DE LÍNGUA PORTUGUESA 4ª SÉRIE Orientações: - Leia tudo com atenção; - Não cole as atividades no

Leia mais

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos

Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Conteúdos: Pronomes possessivos e demonstrativos Habilidades: Reconhecer os pronomes demonstrativos como marca em relação à posição, ao espaço e ao tempo no texto; Habilidades: Compreender os pronomes

Leia mais

Obedecer é sempre certo

Obedecer é sempre certo Obedecer é sempre certo Obedecer. Palavra fácil de entender, mas muitas vezes difícil de colocar em prática. Principalmente quando não entendemos ou concordamos com a orientação dada. Crianças recebem

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida

1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida 1.000 Receitas e Dicas Para Facilitar a Sua Vida O Que Determina o Sucesso de Uma Dieta? Você vê o bolo acima e pensa: Nunca poderei comer um doce se estiver de dieta. Esse é o principal fator que levam

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

Gaspar e o bebé Naquele dia, os pais do Gaspar pareciam um pouco atrapalhados. O que teriam eles? - perguntava-se o nosso amigo, vendo que o pai estava sempre a andar de um lado para o outro e que a mãe

Leia mais

Mu: Continente Perdido Capítulo 2

Mu: Continente Perdido Capítulo 2 Mu: Continente Perdido Capítulo 2 Minissérie de William Soares da Costa Escrita por William Soares da Costa Personagens deste capítulo NICOLAS GUILHERME WERA JEAN FELIPE Participação especial MARCUS, DOIS

Leia mais

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO NA LOJA DE CHAPÉUS De Karl Valentin Personagens Vendedora Valentin ATO ÚNICO Bom dia, senhor. O que deseja? Um chapéu. Que tipo de chapéu? Um chapéu pra botar na cabeça. Certamente, meu senhor, um chapéu

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

I. CRIAÇÃO DE GOLFINHO/ BARBATANA PESSOAL

I. CRIAÇÃO DE GOLFINHO/ BARBATANA PESSOAL ESCOLA EB1 GÂMBIA I. CRIAÇÃO DE GOLFINHO/ BARBATANA PESSOAL Barbatana Roída Joana Barbatana Surf Ana Faria Barbatana Rio José Barbatana Finalonga Anónimo Barbatana Tubarão João Aleluia Barbatana Água Francisco

Leia mais

Dia da Criança é a 1 de Junho

Dia da Criança é a 1 de Junho 1 de 5 24-05-2016 21:05 Versão web Actualizar preferências Remover subscrição Gostar Tweet Reenviar Dia da Criança é a 1 de Junho Apesar do trabalho que dão, as crianças são o melhor que o mundo tem para

Leia mais

Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011. Brincando

Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011. Brincando Aprender... Verónica & Ricardo 29 Outubro 2011 Brincando A Cigana - Caravaggio Vamos colorir??? Reparaste qual o tema do nosso casamento? Estavas desatento? Pois é, hoje falámos de pintura. Que tal fazermos

Leia mais

Sinopse I. Idosos Institucionalizados

Sinopse I. Idosos Institucionalizados II 1 Indicadores Entrevistados Sinopse I. Idosos Institucionalizados Privação Até agora temos vivido, a partir de agora não sei Inclui médico, enfermeiro, e tudo o que for preciso de higiene somos nós

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem SENTIDOS (principal) Gosto de informações que eu posso verificar. Não há nada melhor para mim do que aprender junto

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

O que é um bom instrutor? Que percurso deve ter? Sobretudo como se reconhece um bom instrutor? etc...

O que é um bom instrutor? Que percurso deve ter? Sobretudo como se reconhece um bom instrutor? etc... Instrutor Colocado por jeremias - 16 Out 2011 08:50 Muito se fala sobre o melhor estilo mas parece-me que a preocupaçao essencial para quem procura um sitio para treinar devia ser a qualidade do instrutor.

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Como Passar em Química Geral*

Como Passar em Química Geral* 1 Como Passar em Química Geral* por Dra. Brenna E. Lorenz Division of Natural Sciences University of Guam * traduzido livremente por: Eder João Lenardão; acesse o original em : http://www.heptune.com/passchem.html

Leia mais

Escola EB1 de Brunheiras

Escola EB1 de Brunheiras Escola EB1 de Brunheiras O dia dos namorados Era uma vez uma princesa chamada Francesca que estava apaixonada pelo príncipe Marco. Um dia o príncipe foi salvar a Francesca que estava presa na torre do

Leia mais

Ficar velho é obrigatório, crescer é opcional.

Ficar velho é obrigatório, crescer é opcional. Ficar velho é obrigatório, crescer é opcional. No primeiro dia de aula nosso professor se apresentou aos alunos, e nos desafiou a que nos apresentássemos a alguém que não conhecêssemos ainda. Eu fiquei

Leia mais

Psicologia Educacional I. Violência nas escolas

Psicologia Educacional I. Violência nas escolas Psicologia Educacional I Violência nas escolas Objectivos Analisar algumas das causas que levam à violência nas escolas. Analisar a forma como esta se manifesta, nomeadamente nas relações professor/aluno,

Leia mais