Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio Mello, demais autoridades presentes, Senhoras e Senhores:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio Mello, demais autoridades presentes, Senhoras e Senhores:"

Transcrição

1 Brasília, 26 de novembro de Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio Mello, demais autoridades presentes, Senhoras e Senhores: Conectas Direitos Humanos i vem trazer a esta Audiência Pública sobre o Programa Mais Médicos a perspectiva global dos Direitos Humanos. A nosso juízo, ela foi praticamente esquecida no debate nacional, embora nos pareça decisiva para aferir a constitucionalidade do Programa Mais Médicos. Abordarei aqui três vertentes do assunto: o direito humano de migrar, o imperativo do direito à saúde e os princípios constitucionais das relações internacionais do Brasil. Nossa primeira questão é: por que aqui no Brasil este tipo de litígio não surgiu antes? Desde os anos 1970, a literatura especializada estuda o fenômeno da migração internacional de médicos e enfermeiras, especialmente sua motivação para buscar trabalho no exterior ii. A Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE, que é uma espécie de clube dos países desenvolvidos, estima que 10,7% das enfermeiras e 18,2% dos médicos que trabalham em 24 de seus Estados-membros iii são estrangeiros iv. No Reino Unido, os médicos estrangeiros seriam 37,7%; nos Estados Unidos, 24,4%. Grande parte destes profissionais viria da África e da Ásia. Esse fenômeno, também conhecido como Brain Drain ou como fuga de capital humano, agrava a carência de profissionais da saúde nos países mais pobres. A assimetria da distribuição dos profissionais da saúde no Brasil, portanto faz parte de um fenômeno global. Em nosso país, porém, ele ainda se manifesta modestamente. Do total de médicos com registro profissional ativo no Brasil, apenas são estrangeiros, representando, portanto, menos de 0,62% do total de médicos em atividade em nosso território v.

2 Por outro lado, não é novidade que há anos gestores estrangeiros vêm ao Brasil reunirse com profissionais de saúde brasileiros a fim de recrutá-los para trabalhar no exterior. Exemplo disso é a intensa política de recrutamento de médicos e de enfermeiras promovida pela região canadense do Québec vi. De fato, a Organização Mundial da Saúde, a OMS estima que o déficit de profissionais da saúde hoje, no mundo, alcance a cifra de 7,2 milhões vii. Tamanho é o vulto do fenômeno que em maio de 2010 a Assembleia Mundial da Saúde, órgão máximo da OMS, adotou o Código Global de Práticas de Recrutamento de Recursos Humanos, com o objetivo de estabelecer ou melhorar o quadro jurídico e institucional dos seus 194 Estados-membros no que se refere ao recrutamento internacional de pessoal de saúde. Ora, a opinião pública brasileira desconhece quase inteiramente esta dimensão global do litígio. O Brasil testemunhou, nos últimos meses, um debate rude, cruamente polarizado, do tipo que pouco contribui em nosso modo de ver para a consolidação da democracia e do Estado de Direito em nosso país. Adianto que, por esta razão, Conectas Direitos Humanos não tomará posição contrária ou favorável aos aspectos técnicos do Programa Mais Médicos. O que está em discussão nesta Egrégia Corte é a constitucionalidade de tal Programa. Consideramos um dano irreparável à saúde pública brasileira que um programa deste tipo seja encaixado à fórceps na clivagem partidária da situação versus oposição. Também alertamos para as tentativas de disseminação em solo brasileiro de uma das piores chagas da humanidade que é a xenofobia. Por isto, Conectas recusa qualquer abordagem binária ou simplista, e chama a atenção para a aguda complexidade do tema. Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurélio Mello, demais autoridades presentes Senhoras e Senhores: após cuidadosa consulta a atores sociais e a especialistas adeptos das mais diversas posições a respeito do Programa Mais Médicos amadurecemos a

3 convicção de que três elementos são imprescindíveis à análise da sua constitucionalidade. Trata-se: - da compreensão do fenômeno da mobilidade humana; - do imperativo de dar efetividade ao direito à saúde no Brasil; - e dos princípios que regem a nossa cooperação internacional. Em primeiríssimo plano, trago à baila a mobilidade humana, que constitui um dos maiores desafios globais do século XXI, especialmente para o Direito. Porque migrar é um direito humano, jamais cansemos de repeti-lo. Em virtude do artigo XIII.2 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, toda pessoa tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar. O caput do artigo 5º da Constituição Federal brasileira assegura que Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Portanto, os juristas devem desconfiar daqueles que tratam as migrações como um problema, um temor ou uma desordem. Migrar é parte da experiência humana. O povoamento do território brasileiro, entre tantos outros exemplos, é fruto desta ousadia. Aliás, crescente ousadia. Segundo a Organização das Nações Unidas, a ONU em 1995, 100 milhões de pessoas viviam fora do país em que nasceram, o que representava, na época, cerca de 1,8% da população total do planeta. Neste ano de 2013, este número se elevou a cerca de 232 milhões de pessoas, ou seja, em torno de 3% da população mundial. Isto significa que um em cada 33 seres humanos vive fora do país em que nasceu. Mas muito além da dimensão quantitativa, as migrações internacionais são causadas por, e também são capazes de causar, transformações profundas nas dinâmicas de vida, tanto individuais como coletivas.

4 Os países chamados de emergentes paulatinamente vão tomando o lugar da Europa e dos Estados Unidos como destino principal de migração. Neste sentido, poderíamos dizer ao Brasil: - bem-vindo aos desafios de países emergentes ou desenvolvidos; - e adeus à adolescência em matéria de relações internacionais. Enquanto 130 milhões de pessoas partem do Sul em direção ao Norte, mais de 110 milhões vêm do Norte rumo ao Sul, ou transitam entre países do Sul. A massa dos migrantes internacionais é de trabalhadores, que viajam com ou sem suas famílias em busca de emprego e de uma vida digna. Não se sabe o que é pior: se as políticas migratórias restritivas dos países do Norte ou a ausência de política migratória nos Estados do Sul. Ambas engendram uma dimensão adicional de vulnerabilidade aos trabalhadores migrantes que se veem privados dos direitos mais elementares. No Brasil, ainda vige o Estatuto do Estrangeiro do regime militar, a Lei de 1980, que limita inclusive os direitos políticos dos migrantes, tornando remota qualquer possibilidade de exercício de cidadania. Daí a importância da Convenção Internacional sobre a Proteção dos Direitos de todos os Trabalhadores Migrantes e de seus Familiares, aprovada pela Assembleia Geral da ONU, em 18/12/1990, que estabelece normas de tratamento igualitário entre trabalhadores nacionais e estrangeiros e atribui direitos humanos fundamentais a todos os trabalhadores migrantes, sejam eles considerados em situação migratória regular ou não. O Brasil assinou esta Convenção, mas sua aprovação inexplicavelmente se arrasta há anos no Congresso Nacional. Assim, em qualquer país do mundo, as regras sobre o acesso a cargos públicos e o debate sobre a revalidação de diplomas e títulos, não podem representar um retrocesso na luta pelo reconhecimento do direito de migrar. Nenhum mecanismo de revalidação de diplomas ou de controle do exercício profissional poderá ser considerado conforme à Constituição Federal brasileira e aos tratados internacionais ratificados pelo Brasil caso ele institua um óbice ilegítimo ao direito de migrar que beneficia todo e qualquer ser

5 humano, inclusive os profissionais da saúde. A lógica do mercado não pode suplantar a dos direitos humanos. Também nos cabe cerrar fileiras na luta pela efetividade do direito à saúde. Segundo o artigo 196 da Constituição Federal, a saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Esta norma constitucional específica sobre saúde pública, é que deve perfazer o parâmetro da constitucionalidade do Programa Mais Médicos. Para realização deste comando constitucional, a Constituição Federal outorgou ao povo brasileiro um de seus maiores acervos: o Sistema Único de Saúde, o SUS, regulado pela Lei n. 8080, de 19/09/1990. Em virtude do Art. 198, inciso III, da Constituição Federal, a participação social é uma diretriz deste Sistema. O Brasil possui uma profícua experiência das Conferências e Conselhos de Saúde, instituídos pela Lei n. 8142, de 28/12/1990. Logo, é preciso mover estas engrenagens participativas, e consultar especialmente a população usuária do SUS não apenas sobre o Programa Mais Médicos mas sobre a saúde pública em seu conjunto. Ao dar voz aos milhões de brasileiros que vivem o SUS em seu cotidiano, os Poderes da República descobririam que o nosso sistema de saúde está ameaçado, não por médicos estrangeiros, mas há muito tempo pelas elites brasileiras. Sob tal prisma, o Programa Mais Médicos é pouco. Trata-se de um programa emergencial. Reivindicamos soluções estruturais e duradouras. O SUS não sobreviverá sem a criação de carreiras públicas de saúde dignamente remuneradas e racionalmente estruturadas; sem recursos tecnológicos, sem pesados investimentos, sem uma corajosa e inadiável devassa no mercado dos planos de saúde. À guisa de conclusão, a Conectas Direitos Humanos evoca os princípios que devem reger nossa cooperação internacional, consagrados pelo artigo 4 da Constituição Federal. Destacamos especialmente o inciso II, que assegura a prevalência dos direitos

6 humanos nas relações internacionais do Brasil. Neste sentido, entre os aspectos mais polêmicos do Programa Mais Médicos encontra-se o termo de cooperação entre o Brasil e a Organização Panamericana da Saúde, a OPAS. Alertamos para o fato de que o Brasil deve dotar-se de garantias de que os direitos humanos arrolados em nossa Constituição Federal sejam devidamente respeitados no âmbito de todos os compromissos internacionais que subscreve. Por outro lado, não podemos deixar de mencionar as obrigações do Brasil em relação ao direito dos refugiados. São preocupantes os rumores de que o Estado brasileiro recusaria a acolhida a estrangeiros recrutados no âmbito do Programa Mais Médicos que aqui solicitassem refúgio. Sublinhamos que o direito, tanto o internacional como o interno, o impede taxativamente de recusar tal estatuto àqueles que, independentemente de sua nacionalidade, atendam às condições estipuladas pela Lei nº 9.474/97, em particular o fundado temor à perseguição política. Excelentíssimo Senhor Ministro Marco Aurelio Mello, demais autoridades presentes, Senhoras e Senhores: a Conectas Direitos Humanos espera ter contribuído por meio desta brevíssima exposição para uma compreensão do Programa Mais Médicos à altura do complexo mundo em que vivemos, e do lugar que o Brasil nele pretende ocupar. Muito obrigada. i Conectas agradece o auxílio da Professora Deisy Ventura, especialista em saúde e migração ii Por exemplo, Mejia A. Migration of physicians and nurses: a worldwide picture. International journal of Epidemiology. 1978; 7 (3): iii Hoje a OCDE tem 34 membros. O estudo foi feito em 24 Estados, tabela ao final. iv Organisation for Economic Cooperation and Development. International Migration Outlook part III: Immigrant Health Workers in OECD Countries in the Broader Context of Highly Skilled Migration. 2007, available in v Demografia Médica no Brasil, v. 2 / Coordenação de Mário Scheffer; Equipe de pesquisa: Alex Cassenote, Aureliano Biancarelli. São Paulo: Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo: Conselho Federal de Medicina, 2013.http://www.cremesp.org.br/pdfs/DemografiaMedicaBrasilVol2.pdf vi Canadá busca no Brasil profissionais que estão em falta no Quebec, O Globo, 2011,

7 vii Dados apresentados pela OMS no III Fórum Global de Recursos Humanos para a Saúde, ocorrido em Recife, em 10/11/2013.

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau

PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau XII CONGRESSO BRASILEIRO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DE MEIO AMBIENTE PROTEÇÃO DOS BENS AMBIENTAIS: PELA CRIAÇÃO DE UMA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE (OME). Brasília, 20/04/2012 Sandra Cureau FUNDAMENTOS

Leia mais

COMUNICACAO NA ABORDAGEM DOS APATRIDAS: DA PERSPECTIVA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA COMUNIDADE, CEDEAO.

COMUNICACAO NA ABORDAGEM DOS APATRIDAS: DA PERSPECTIVA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA COMUNIDADE, CEDEAO. COMUNICACAO NA ABORDAGEM DOS APATRIDAS: DA PERSPECTIVA DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA COMUNIDADE, CEDEAO. APRESENTADO POR Veneranda Juíza Presidente Maria do Céu Monteiro Silva DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA COMUNIDADE,CEDEAO

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

Presidência da República Federativa do Brasil. Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Presidência da República Federativa do Brasil Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial A SEPPIR CRIAÇÃO A Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial)

Leia mais

(REPRESENTANTE DA CONECTAS DIREITOS HUMANOS) Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente; ilustríssimos

(REPRESENTANTE DA CONECTAS DIREITOS HUMANOS) Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente; ilustríssimos A SRA. HELOÍSA MACHADO DE ALMEIDA (REPRESENTANTE DA CONECTAS DIREITOS HUMANOS) Excelentíssimo Senhor Ministro Presidente; ilustríssimos representantes dos Estados, senhoras e senhores. Em primeiro lugar,

Leia mais

Demografia Médica no Brasil. Vol 2

Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Mário Scheffer Conselho Federal de Medicina, 6 de fevereiro 2013 Equipe da pesquisa Mário Scheffer (coordenador) Alex Cassenote Aureliano Biancarelli Cooperação acadêmica

Leia mais

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Senhor Ministro Chris Alexander, Senhoras e senhores, Primeiramente, gostaria cumprimentar a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

Leia mais

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana

Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana Declaração de Brasília: Rumo à Cidadania Sul- Americana XI Conferência Sul-Americana sobre Migrações Brasília, de 19 a 21 de outubro de 2011 Declaração de Brasília Rumo à Cidadania Sul-Americana Os representantes

Leia mais

Realizar exames supletivos com o apoio da representação diplomática brasileira

Realizar exames supletivos com o apoio da representação diplomática brasileira Propostas da Comunidade Brasileira na Bélgica para a II Conferência Brasileiros no mundo, Palácio do Itamaraty, Rio de Janeiro, dias 14, 15 e 16 de Outubro de 2009 Considerando os Documentos propositivos

Leia mais

IGUALDADE RACIAL. 146 políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 ipea

IGUALDADE RACIAL. 146 políticas sociais acompanhamento e análise 7 ago. 2003 ipea IGUALDADE RACIAL Constituição da República Federativa do Brasil (CRFB) 1988 Artigo 5 o Caput Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros

Leia mais

NOTA TÉCNICA SEJUR nº 078/2014 (Aprovada em Reunião de Diretoria em 04/11/2014)

NOTA TÉCNICA SEJUR nº 078/2014 (Aprovada em Reunião de Diretoria em 04/11/2014) NOTA TÉCNICA SEJUR nº 078/2014 (Aprovada em Reunião de Diretoria em 04/11/2014) Referência: Expediente n.º 3896/2014 Origem: Câmaras Técnicas EMENTA: RESOLUÇÃO CONTRAN Nº 460/13. EXAME TOXICOLÓGICO DE

Leia mais

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato *

A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL. Fábio Konder Comparato * A RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA EM MATÉRIA DE POLÍTICA INTERNACIONAL Fábio Konder Comparato * Dispõe a Constituição em vigor, segundo o modelo por nós copiado dos Estados Unidos, competir

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 219/VIII

PROJECTO DE LEI N.º 219/VIII PROJECTO DE LEI N.º 219/VIII CONSIDERA O TEMPO DE SERVIÇO PRESTADO NA CATEGORIA DE AUXILIAR DE EDUCAÇÃO PELOS EDUCADORES DE INFÂNCIA HABILITADOS COM CURSOS DE FORMAÇÃO A EDUCADORES DE INFÂNCIA PARA EFEITOS

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I

TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I TREINAMENTO EM PROTEÇÃO INTERNACIONAL DE REFUGIADOS DECLARAÇÃO DE CARTAGENA 1 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES I Recordando as conclusões e recomendações adotadas pelo Colóquio realizado no México sobre Asilo

Leia mais

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE

DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE DISCURSO SOBRE LEVANTAMENTO DA PASTORAL DO MIGRANTE FEITO NO ESTADO DO AMAZONAS REVELANDO QUE OS MIGRANTES PROCURAM O ESTADO DO AMAZONAS EM BUSCA DE MELHORES CONDIÇÕES DE VIDA DEPUTADO MARCELO SERAFIM

Leia mais

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 VOTO EM SEPARADO

COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 VOTO EM SEPARADO COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA PROJETO DE LEI Nº 309 DE 2011 Altera o art. 33 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino religioso nas redes públicas de ensino

Leia mais

Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**)

Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**) Declaração de Princípios sobre a Tolerância * (**) Os Estados Membros da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura reunidos em Paris em virtude da 28ª reunião da Conferência

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 297, DE 2006 Inclui as doações aos Fundos controlados pelos Conselhos de Assistência Social na permissão para dedução do imposto de renda devido pelas pessoas físicas e jurídicas.

Leia mais

As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial

As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial Introdução Este documento foi elaborado e aprovado pela Equipe de País do Sistema das Nações Unidas no Brasil em resposta ao interesse

Leia mais

EDITAL nº 001/2013. Convocação de Audiência Pública

EDITAL nº 001/2013. Convocação de Audiência Pública EDITAL nº 001/2013 Convocação de Audiência Pública O Presidente do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), no exercício da competência fixada no artigo 130-A, parágrafo 2º, inciso II, da Constituição

Leia mais

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas

Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Sugestão de Projeto de Lei de Municipalização das 30 Horas Texto construído com base em diversos trabalhos acadêmicos, dados do Cofen, dados do Coren, Fórum Nacional das 30 horas, Aben e do artigo Jornada

Leia mais

AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais

AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais AULA 01 Direitos e Deveres Fundamentais Um projeto de vida começa com um sonho, grande ou pequeno, não importa! Na vida temos que ter a capacidade de sonhar, sonhar sempre, sonhar para viver! Meu nome

Leia mais

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina da USP - FMUSP Núcleo de Pesquisa em Direito

Leia mais

Acesso à anticoncepção de emergência: direito das mulheres e dever do Estado Beatriz Galli

Acesso à anticoncepção de emergência: direito das mulheres e dever do Estado Beatriz Galli Acesso à anticoncepção de emergência: direito das mulheres e dever do Estado Beatriz Galli A anticoncepção, ou contracepção de emergência é um método contraceptivo que pode evitar a gravidez após a relação

Leia mais

Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar

Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar Projeto de Lei nº 213/2015 - O Ingresso das Mulheres no Serviço Militar Lívia Aragão de Melo 1 O Projeto de Lei nº 213/2015, de autoria da senadora Vanessa Grazziotin, pretende alterar a Lei do Serviço

Leia mais

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008 MEDIDA PROVISÓRIA Nº 416, DE 2008 NOTA DESCRITIVA FEVEREIRO/2008 Nota Descritiva 2 2008 Câmara dos Deputados. Todos os direitos reservados. Este trabalho poderá ser reproduzido ou transmitido na íntegra,

Leia mais

RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015.

RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. RESOLUÇÃO CNAS Nº 11, DE 23 DE SETEMBRO DE 2015. Caracteriza os usuários, seus direitos e sua participação na Política Pública de Assistência Social e no Sistema Único de Assistência Social, e revoga a

Leia mais

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial da União Europeia. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) 18.3.2004 L 80/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) REGULAMENTO (CE) N. o 491/2004 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 10 de Março de 2004 que estabelece um programa de assistência

Leia mais

As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial

As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial As Nações Unidas e as Políticas de Redução da Desigualdade Racial Introdução Este documento foi elaborado e aprovado pela Equipe de País do Sistema das Nações Unidas no Brasil em resposta ao interesse

Leia mais

A proteção dos refugiados e a migração mista: O Plano de Ação de 10 Pontos

A proteção dos refugiados e a migração mista: O Plano de Ação de 10 Pontos Introdução A proteção dos refugiados e a migração mista: O Plano de Ação de 10 Pontos Conteúdo 1. Cooperação entre parceiros chaves 2. Coleta de informações e análise 3. Sistemas de entrada sensíveis à

Leia mais

No referido termo de ajuste é possível verificar as atribuições das partes, o valor a ser despendido, metas pretendidas e as obrigações recíprocas.

No referido termo de ajuste é possível verificar as atribuições das partes, o valor a ser despendido, metas pretendidas e as obrigações recíprocas. EMENTA: ANÁLISE TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA ENTRE A UNIÃO (MINISTÉRIO DA SAÚDE E FUNDO NACIONAL DE SAÚDE) E A ORGANIZAÇÃO PAN- AMERICANA DA SAÚDE/ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE PROGRAMA MAIS MÉDICOS, TENDO

Leia mais

Documento temático Sessão 3

Documento temático Sessão 3 ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO Fórum da OIT sobre Trabalho Digno para uma Globalização Justa FDW Lisboa 31 de Outubro 2 de Novembro de 2007 Documento temático Sessão 3 Migração laboral interna e

Leia mais

Migrações Alguns números

Migrações Alguns números Migrações Alguns números Dados gerais: Mundo» Há 232 milhões de migrantes internacionais no mundo (ONU, 2013), ou 3.2% da população mundial» Os migrantes internacionais compõem 10.8% da população das regiões

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 93 Exposição na abertura do encontro

Leia mais

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador WALDEMIR MOKA

PARECER Nº, DE 2015. RELATOR: Senador WALDEMIR MOKA PARECER Nº, DE 2015 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 544, de 2013, do Senador Vicentinho Alves, que altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998,

Leia mais

*50425D34* Mensagem n o 342. Senhores Membros do Congresso Nacional,

*50425D34* Mensagem n o 342. Senhores Membros do Congresso Nacional, ** Mensagem n o 342 Senhores Membros do Congresso Nacional, Nos termos do disposto no art. 49, inciso I, combinado com o art. 84, inciso VIII, da Constituição, submeto à elevada consideração de Vossas

Leia mais

Remuneração de expatriados aspectos tributários e previdenciários. Wagner Balera Professor titular e coordenador da Pós-graduação da PUC/SP

Remuneração de expatriados aspectos tributários e previdenciários. Wagner Balera Professor titular e coordenador da Pós-graduação da PUC/SP Remuneração de expatriados aspectos tributários e previdenciários Wagner Balera Professor titular e coordenador da Pós-graduação da PUC/SP Carência Estrutura da Norma a) Critério Material Hipótese Conseqüente

Leia mais

O organizador. Thesaurus Editora 2008. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG

O organizador. Thesaurus Editora 2008. Revisão: Fundação Alexandre Gusmão - FUNAG Thesaurus Editora 2008 O organizador Amado Luiz Cervo Professor emérito da Universidade de Brasília e Pesquisador Sênior do CNPq. Atua na área de relações internacionais e política exterior do Brasil,

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br O direito à saúde na Constituição Federal de 1988: caracterização e efetividade Alexandre Gonçalves Lippel* 1. Caracterização do direito à saúde O direito à saúde emerge no constitucionalismo

Leia mais

OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO

OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO OS OBJETIVOS DO DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NA PERSPECTIVA DE GÊNERO Conjuntura Para além de enfrentarem a discriminação social e familiar, muitas mulheres ainda lutam para ultrapassar os obstáculos ao

Leia mais

Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental (CGVAM )

Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental (CGVAM ) Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental (CGVAM ) LÍDERES Curso Internacional sobre Saúde, Desastres e Desenvolvimento Brasília DF 26 de novembro a 07 de dezembro de 2007 Ministério da Saúde

Leia mais

2009 A CRISE DOS MODELOS DE INTEGRAÇÃO DOS MIGRANTES: UMA COMPARAÇÃO INTERNACIONAL

2009 A CRISE DOS MODELOS DE INTEGRAÇÃO DOS MIGRANTES: UMA COMPARAÇÃO INTERNACIONAL Fórum Gulbenkian Migrações 2009 A CRISE DOS MODELOS DE INTEGRAÇÃO DOS MIGRANTES: UMA COMPARAÇÃO INTERNACIONAL Sessão de Abertura, 25 Novembro, 10h00, Aud. 2 Senhores Deputados Senhores Embaixadores Caros

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Michael Haradom - www.shalomsalampaz.org - ssp@shalomsalampaz.org tel (11) 3031.0944 - fax (11)

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora da República infra-assinada, com fundamento no art. 129, inc. II e inc.

Leia mais

Profissionais da Saúde e provimento em áreas remotas

Profissionais da Saúde e provimento em áreas remotas I Fórum Internacional sobre Cobertura e Sistemas Universais em Saúde Profissionais da Saúde e provimento em áreas remotas Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde Departamento de Planejamento

Leia mais

Estabelecer a ligação entre o desenvolvimento de competências e o trabalho digno Academia sobre o Desenvolvimento de Competências Centro de Turim

Estabelecer a ligação entre o desenvolvimento de competências e o trabalho digno Academia sobre o Desenvolvimento de Competências Centro de Turim Estabelecer a ligação entre o desenvolvimento de competências e o trabalho digno Academia sobre o Desenvolvimento de Competências Centro de Turim Girma Agune Chefe a.i. Serviço das Competências e da Empregabilidade

Leia mais

Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário

Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário 201 Trabalho de Conclusão do Curso de Direito Sanitário Débora Maria Barbosa Sarmento 1 Apesar de o homem desde a Antiguidade reconhecer a importância da saúde, o Estado Moderno, na consagração das declarações

Leia mais

MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica

MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica MAIS MÉDICOS MP 621 Uma visão jurídica Em 8 de julho de 2013, entrou em vigor no sistema jurídico posto a Medida Provisória 621 Mais Médicos - com a finalidade de formar recursos humanos na área médica

Leia mais

Projeto de Lei do Senado nº., de 2007. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

Projeto de Lei do Senado nº., de 2007. O CONGRESSO NACIONAL decreta: 1 Projeto de Lei do Senado nº., de 2007 Dispõe sobre a obrigatoriedade de patrocínio, pela União, de traslado de corpo de brasileiro de família hipossuficiente falecido no exterior. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

RIO+20: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE RESULTADOS E PERSPECTIVAS DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

RIO+20: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE RESULTADOS E PERSPECTIVAS DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL RIO+20: AVALIAÇÃO PRELIMINAR DE RESULTADOS E PERSPECTIVAS DA CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Carlos Henrique R. Tomé Silva 1 Durante dez dias, entre 13 e 22 de julho de

Leia mais

Legislação. A criança no séc. XXI: direitos e riscos. Decreto-Lei nº 91/2009 de 9 de Abril DR.IS, nº 70, 09/04/2009

Legislação. A criança no séc. XXI: direitos e riscos. Decreto-Lei nº 91/2009 de 9 de Abril DR.IS, nº 70, 09/04/2009 www.gep.mtss.gov.pt Legislação A criança no séc. XXI: direitos e riscos Decreto-Lei nº 91/2009 de 9 de Abril DR.IS, nº 70, 09/04/2009 Estabelece o regime jurídico de protecção social na parentalidade no

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XIV EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL João e José são pessoas com deficiência física, tendo concluído curso de nível superior. Diante da abertura de vagas para preenchimento de cargos vinculados ao Ministério

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988...

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988... CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO VIII DOS ÍNDIOS Art. 231. São reconhecidos aos índios sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições,

Leia mais

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros

Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Acesso ao Tribunal Constitucional: Possibilidade de ações movidas por estrangeiros Os direitos fundamentais previstos na Constituição brasileira de 1988 são igualmente garantidos aos brasileiros e aos

Leia mais

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça Intervenção do Ministro da Justiça Sessão comemorativa do 30º Aniversário da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos do Homem Supremo Tribunal de Justiça 10 de Novembro de 2008 Celebrar o

Leia mais

Perguntas e Respostas

Perguntas e Respostas DECLARAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE OS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS Perguntas e Respostas I - Introdução O Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, comemora a adoção da Declaração dos Direitos dos

Leia mais

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012

BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 BOLETIM DO LEGISLATIVO Nº 11, DE 2012 Educação e Sustentabilidade Tatiana Feitosa de Britto A Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) tem como tema o futuro que queremos,

Leia mais

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO

A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO A MULHER COMO CONSTRUTORA E OPERADORA DO DIREITO DO TRABALHO José Carlos Batista - Auditor Fiscal do Trabalho da SRTE-ES RESUMO: a mulher teve e tem uma grande participação na construção do direito do

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa

Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Curso de Especialização em Saúde da Pessoa Idosa Módulo Unidade 01 Tópico 01 Políticas na Atenção do Idoso Introdução as Políticas Públicas Políticas Públicas Ao longo do tempo o papel do Estado frente

Leia mais

RECOMENDAÇÃO 002/2011

RECOMENDAÇÃO 002/2011 RECOMENDAÇÃO 002/2011 OFÍCIO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO E SOCIAL O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, por intermédio do Procurador da República signatário, no uso de suas atribuições legais e constitucionais, com

Leia mais

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006

Diálogo 5 + 5. Quinta Conferência Ministerial. sobre a Migração no Mediterrâneo Ocidental Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Diálogo 5 + 5 Quinta Conferência Ministerial sobre a "Migração no Mediterrâneo Ocidental" Algeciras, 12 e 13 de Dezembro de 2006 Conclusões da Presidência Nos dias 12 e 13 de Dezembro de 2006 teve lugar

Leia mais

II Seminário sobre a Democracia Local As Assembleias Municipais: Escolas de Democracia e de Cidadania 06.04.2013

II Seminário sobre a Democracia Local As Assembleias Municipais: Escolas de Democracia e de Cidadania 06.04.2013 II Seminário sobre a Democracia Local As Assembleias Municipais: Escolas de Democracia e de Cidadania 06.04.2013 1. O Provedor de Justiça é recortado pela Constituição e pela lei como um órgão do Estado

Leia mais

Ilustríssimo Senhor Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina

Ilustríssimo Senhor Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina Ilustríssimo Senhor Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina SIMESC SINDICATO DOS MÉDICOS DO ESTADO DE SANTA CATARINA, entidade sindical representante legal da categoria

Leia mais

45ª Semana de Serviço Social. OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade. 14 a 16 de maio de 2014

45ª Semana de Serviço Social. OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade. 14 a 16 de maio de 2014 45ª Semana de Serviço Social OS MEGA EVENTOS E MOVIMENTOS SOCIAIS: discutindo o direito à cidade 14 a 16 de maio de 2014 Na Copa, comemorar o quê?. É com este mote criativo e provocativo que o Conjunto

Leia mais

Definição pela ONU da água e saneamento como Direitos Humanos Fundamentais

Definição pela ONU da água e saneamento como Direitos Humanos Fundamentais Definição pela ONU da água e saneamento como Direitos Humanos Fundamentais Luiz Otávio Rodrigues Coelho, advogado coelho@capadvocacia.com.br (27) 3314-3585 Duas informações prévias: O que é a ONU? A importância

Leia mais

1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que:

1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que: P á g i n a 1 PROVA DAS DISCIPLINAS CORRELATAS DIREITO INTERNACIONAL 1. Sobre a teoria geral do direito internacional, é correto afirmar que: A) O Direito Internacional Público tem como um de seus pilares

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL Seção II Da Saúde Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS BR/1998/PI/H/4 REV. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Brasília 1998 Representação

Leia mais

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Considerando ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, A Declaração Universal dos Direitos Humanos é um dos documentos básicos das Nações Unidas e foi assinada em 1948. Nela, são enumerados os direitos que todos os seres humanos possuem. Preâmbulo Considerando

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS UNIC / Rio / 005 - Dezembro 2000 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: DIREITO FUNDAMENTAL AO SER HUMANO

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: DIREITO FUNDAMENTAL AO SER HUMANO 1 DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: DIREITO FUNDAMENTAL AO SER RESUMO HUMANO Luísa Arnold 1 Trata-se de uma apresentação sobre a preocupação que o homem adquiriu nas últimas décadas em conciliar o desenvolvimento

Leia mais

O papel das Migrações Internacionais na Construção do Cooperativismo Sul-Americano em Perspectiva Comparada

O papel das Migrações Internacionais na Construção do Cooperativismo Sul-Americano em Perspectiva Comparada O papel das Migrações Internacionais na Construção do Cooperativismo Sul-Americano em Perspectiva Comparada Ana Luiza Bravo e Paiva Cintiene Sandes Monfredo 1 Resumo: O presente estudo se insere na compreensão

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 5.237, DE 2013 (Apenso: Projeto de Lei nº 385, de 2015)

PROJETO DE LEI Nº 5.237, DE 2013 (Apenso: Projeto de Lei nº 385, de 2015) PROJETO DE LEI Nº 5.237, DE 2013 (Apenso: Projeto de Lei nº 385, de 2015) Acrescenta inciso V ao art. 3º da Lei 9.474, de 22 de agosto de 1997, e inciso VI e parágrafo único ao art. 7º da Lei nº 6.815,

Leia mais

MENSAGEM AOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE FMU

MENSAGEM AOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE FMU MENSAGEM AOS ALUNOS DA UNIVERSIDADE FMU OS REFUGIADOS: * A MAIOR TRAGÉDIA HUMANA DA NOSSA ÉPOCA * A AMEAÇA DE MORTE VIOLENTA DOS REFUGIADOS * E A MORTE CERTA PELA MISÉRIA E PELA FOME * DESAFIO DE UMA UNIVERSIDADE

Leia mais

O direito humano ao envelhecimento e o impacto nas políticas públicas

O direito humano ao envelhecimento e o impacto nas políticas públicas Seminário Nacional Envelhecimento e Subjetividade: Desafios para uma cultura de compromisso social O direito humano ao envelhecimento e o impacto nas políticas públicas Comunicação: instrumento de formação

Leia mais

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012

11º GV - Vereador Floriano Pesaro PROJETO DE LEI Nº 128/2012 PROJETO DE LEI Nº 128/2012 Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, com a finalidade de incluir no Calendário Oficial de Eventos da Cidade de São Paulo o Dia Municipal de Combate a Homofobia, a

Leia mais

Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos

Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos Estes são os direitos de: Atribuídos em: Enunciados pela Organização das Naões Unidas na Declaração Universal dos Direitos Humanos No dia 10 de dezembro de 1948, a Assembléia Geral das Nações Unidas adotou

Leia mais

Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1

Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1 Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL O DIREITO HUMANO À ALIMENTAÇÃO ADEQUADA Nº 1 Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social Coordenadoria da Proteção

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 067, DE 2011 Regulamenta o exercício das profissões de transcritor e de revisor de textos em braille. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Art. 1º Na produção de textos no sistema

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 15-1999 5 APRESENTAÇÃO. O presente número dos Cadernos de Sociomuseologia, reúne um conjunto de documentos sobre museologia e património que se encontram dispersos e muitas

Leia mais

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO

COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO COMUNICADO CONJUNTO DOS PRESIDENTES DOS ESTADOS PARTES DO MERCOSUL E DOS ESTADOS ASSOCIADOS DECLARAÇÃO DE OURO PRETO Os Presidentes dos Estados Partes do MERCOSUL e dos Estados Associados, reunidos na

Leia mais

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate

Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate Aracaju: em foco o modelo Saúde Todo Dia. A Residência Multiprofissional em Saúde Coletiva em debate ALEXANDRE DE SOUZA RAMOS 1 Saúde como direito de cidadania e um sistema de saúde (o SUS) de cunho marcadamente

Leia mais

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente :

Observação: De acordo com o art.2º da Lei 8.069/90 Estatuto da Criança e Adolescente : TRABALHO É toda atividade humana, remunerada ou não, sistemática, obrigatória, que pode ou não exigir conhecimentos específicos sobre determinado tema, arte ou ofício, cujo objetivo é o alcance de uma

Leia mais

Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1

Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1 Estratégias atuais para a mudança na graduação das profissões da saúde Laura C.M. Feuerwerker 1 A mudança na graduação das profissões da saúde segue sendo um tema fundamental para todos aqueles preocupados

Leia mais

CONCEITO Meio ambiente (Lei 6.938/81 art. 3 , I) Visão antropocêntrica

CONCEITO Meio ambiente (Lei 6.938/81 art. 3 , I) Visão antropocêntrica DIREITO AMBIENTAL CONCEITO Meio ambiente (Lei 6.938/81 art. 3, I) conjunto de condições, leis, influências e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas

Leia mais

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras DISCURSO PRESIDENTE SCIF XVIII CONGRESSO

Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização Serviço de Estrangeiros e Fronteiras DISCURSO PRESIDENTE SCIF XVIII CONGRESSO DISCURSO PRESIDENTE SCIF XVIII CONGRESSO 16 DN SCIF2015 DE 29/05/2015 EXCELÊNCIAS A 14 de Junho de 1985 foi assinado entre a Alemanha, a Bélgica, a França, o Luxemburgo e a Holanda, o Acordo de Schengen,

Leia mais

Declaração Universal dos. Direitos Humanos

Declaração Universal dos. Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Ilustrações gentilmente cedidas pelo Fórum Nacional de Educação em Direitos Humanos Apresentação Esta é mais uma publicação da Declaração Universal dos Direitos

Leia mais

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é:

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: Atividade extra Fascículo 3 Sociologia Unidade 5 Questão 1 Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: a. Isolamento virtual b. Isolamento físico c.

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

Preâmbulo. Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações,

Preâmbulo. Considerando essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembleia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Preâmbulo DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Considerando que o reconhecimento da

Leia mais

Ministério da Saúde SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: SAÚDE NA RIO + 20

Ministério da Saúde SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: SAÚDE NA RIO + 20 Ministério da Saúde SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: SAÚDE NA RIO + 20 INTRODUÇÃO A Organização das Nações Unidas realizará em junho de 2012, no Rio de Janeiro, a Conferência das Nações Unidas sobre

Leia mais

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA Juliana Fabbron Marin Marin 1 Ana Maria Dietrich 2 Resumo: As transformações no cenário social que ocorreram

Leia mais

PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO

PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO PROTEÇÃO E ASSISTÊNCIA EM SÃO PAULO UNHCR ACNUR QUEM SOMOS ACNUR O ACNUR foi criado para proteger e assistir às vítimas de perseguição, da violência e da intolerância. Desde então, já ajudou mais de 50

Leia mais

MENSAGEM Nº 110, DE 2007

MENSAGEM Nº 110, DE 2007 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM Nº 110, DE 2007 Submete à consideração do Congresso Nacional, o texto do Memorando de Entendimento sobre Cooperação Trilateral em Agricultura

Leia mais