ABERTURA DO MERCADO DE SAÚDE AO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO. Novas Oportunidades de Negócios sob o aspecto jurídico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABERTURA DO MERCADO DE SAÚDE AO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO. Novas Oportunidades de Negócios sob o aspecto jurídico"

Transcrição

1 ABERTURA DO MERCADO DE SAÚDE AO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO Novas Oportunidades de Negócios sob o aspecto jurídico

2 Pacheco Neto, Sanden, Teisseire Advogados é um escritório com atuação empresarial full service e extensa experiência multicultural. Com alto nível de especialização jurídica, atende clientes nacionais e estrangeiros, especialmente originários da Alemanha, França, Escandinávia, Estados Unidos e China. Presente em São Paulo e com escritórios de apoio no Rio de Janeiro, Brasília e Salvador, é membro atuante em diversas Câmaras de Comércio e alianças jurídicas estratégicas, locais e internacionais. Claudio Zalaf Advogados Associados une experiência e inteligência estratégica conquistada em 48 anos de história. Dois escritórios integrados, localizados no Estado de São Paulo, em Limeira e Campinas, formam uma equipe de mais de 80 colaboradores. Profissionais com visão empresarial multidisciplinar, orientação voltada para resultados e alto nível técnico atuam de forma full service. Certificado em gestão (ISO 9001:2008), o escritório segue construindo e renovando a cada dia sua história de sucesso no mercado corporativo. 2.

3 Número Brasil Apresentação O presente boletim retrata resumidamente e de forma não exaustiva os múltiplos aspectos jurídicos e organizacionais a serem considerados pelas instituições hospitalares, clínicas e laboratoriais brasileiras, de modo a se prepararem adequadamente para auditorias jurídicas com vistas a atraírem e receberem investimento externo tal qual autorizado pela Lei de janeiro de Abertura do Mercado de Saúde ao Investimento Estrangeiro. Novas Oportunidades de Negócios - sob o aspecto jurídico é um boletim com finalidade estritamente informativa e não deve ser considerado como orientação jurídica. A distribuição é gratuita e limitada. Todos os direitos autorais pertencem a Pacheco Neto, Sanden, Teisseire Advogados e a Cláudio Zalaf Advogados Associados. A reprodução, no todo ou em parte, de seu conteúdo é permitida desde que citada a fonte. Índice O Mercado de Serviços de Saúde no Brasil: Novas Oportunidades de Negócios Abertura e competitividade Otimizando resultados Definindo objetivos Protegendo interesses Calculando riscos Mitigando responsabilidades Capital humano Valorizando o estabelecimento Licenças e autorizações Parcerias operacionais Reduzindo a carga fiscal Combinando sinergias O que significa LoI, MoU e NDA? Desmistificando o processo de Due Diligence Concluindo a operação O sucesso na fase pós-aquisição Melhores Práticas em Saúde, Qualidade e Acreditação não se responsabiliza pelo conteúdo e conceitos emitidos neste documento. 4.

4 O Mercado de Serviços de Saúde no Brasil: Novas Oportunidades de Negócios Por motivos diversos como demografia e renda, e notadamente em virtude da estrutura precária em face de uma demanda crescente, o mercado de serviços de saúde brasileiro é reconhecido como um dos mais atraentes do mundo, tendo sido o país, nos últimos anos, um dos principais alvos para fusões e aquisições no segmento. Este recente ciclo de investimentos tornou-se viável tão somente após a abertura parcial do mercado de saúde ao capital estrangeiro, no segmento de planos e seguros privados de assistência médica, nos termos da Lei de junho de Se atualmente no Brasil aproximadamente metade do capital privado investido em serviços de saúde tem origem estrangeira, esta proporção tende a se acentuar dada a ampliação da abertura do mercado de saúde à iniciativa privada internacional, desta vez no segmento de serviços hospitalares, clínicos e laboratoriais conforme permite a Lei de janeiro de Nesse cenário, em que a competitividade é crucial, a busca pela sustentabilidade financeira exige eficiência e otimização de resultados. Abertura e competitividade A abertura do mercado de saúde ocorre em momento oportuno. A atual crise econômica nacional conjuga custo excessivo no financiamento privado e insuficiência de recursos do setor público para atender às crescentes demandas sociais, dificultando a necessária expansão do número de leitos hospitalares e a modernização do setor. As dificuldades tendem a se acentuar sobretudo se considerarmos os relativamente escassos investimentos locais em pesquisa, desenvolvimento e formação, relegando as estruturais locais à prestação de serviços de menor valor agregado. Ao mesmo tempo que a participação de capital externo pode viabilizar em parte os investimentos no setor, por outro lado, coloca as instituições locais, muitas delas pouco familiarizadas com os padrões de gestão internacionais, em competição direta com estruturas de referência, mais eficientes e competitivas

5 Otimizando resultados O mercado de serviços de saúde brasileiro é complexo, altamente regulamentado, fragmentado e assimétrico, havendo discrepâncias importantes entre os concorrentes em termos de infraestrutura, tecnologia, organização, treinamento, processos e recursos humanos. Atenta às mudanças do mercado e visando o aprimoramento de seus serviços, significativa parte das instituições hospitalares, clínicas e serviços laboratoriais, aproveitando a oportunidade oferecida pela Lei , buscará atrair investidores externos para melhorar seu posicionamento no mercado. Deste modo, a tendência de consolidação do setor por meio de fusões e aquisições tende a aumentar significativamente. A participação neste processo recomenda uma preparação jurídica que valorize os ativos tangíveis e intangíveis da instituição, não apenas eliminando riscos e passivos que depreciem seu valor, mas também prevenindo o surgimento de novas contingências, de modo a otimizar os resultados e tornar o empreendimento interessante ao investidor internacional. Neste contexto, a reformulação da organização pode ser determinante e passa necessariamente pela estruturação financeira do modelo de negócios e por uma criteriosa análise jurídica dos pontos vulneráveis da instituição. Definindo objetivos Previamente a uma reestruturação é essencial definir os objetivos que a nortearão. Sócios, acionistas ou o próprio Conselho, com o respaldo dos executivos, definirão se a inclusão de novo parceiro será efetuada por meio de subscrição de novas quotas ou ações e correspondente aumento de capital, de modo a capitalizar o empreendimento, ou se farão a cessão parcial ou integral de suas participações mediante simples procedimento de aquisição, com vistas a reduzir suas alocações de recursos na instituição. O empreendimento será integralmente negociado, ou haverá cisão em duas estruturas para futura negociação de apenas uma delas? É considerada a possibilidade de absorção do empreendimento por uma entidade estrangeira, tornando-se os sócios ou acionistas parceiros diretos do incorporador? Em qualquer configuração, aceitariam os sócios ocupar uma posição minoritária? Quanto ao plano de negócios, haverá expansão do escopo de atividade da instituição, ou redução a um nicho de excelência? Serão explorados outros setores afins, como centros de diagnósticos, instituições para pacientes de longa permanência ou clínicas especializadas? Em casos extremos, a alienação exclusiva de ativos é uma alternativa aceitável? As respostas a estas e outras questões, e seus respectivos impactos financeiros e estratégicos, delimitarão a preparação jurídica necessária à operação de Fusão e Aquisição (M&A)

6 Protegendo interesses São diversos os mecanismos jurídicos à disposição dos sócios para estabelecer uma nova relação societária que atenda e resguarde seus interesses, sobretudo como minoritários de multinacionais. A instituição a ser cedida pode adotar, por exemplo, a forma de uma sociedade anônima, que dispõe de um leque de ferramentas jurídicas interessantes, tais como ações preferenciais de diferentes classes e espécies permitindo a construção de mecanismos de proteção eficazes. Em caso de absorção por uma entidade estrangeira, devem ser considerados as leis societárias e os mecanismos estatutários da empresa incorporadora, o que requer uma análise mais detalhada da estrutura jurídica do próprio investidor. Em qualquer configuração, a elaboração e a adesão a um pacto de acionistas com regras de governança corporativa são recomendadas previamente à formalização da operação. Em empresas familiares não é diferente. A prévia definição dos papéis dos membros da família e sobretudo a segregação do patrimônio da família e do negócio é essencial. A adoção de um projeto de governança integrada, desenhado sob medida, garante uma gestão profissionalizada, harmonia nas relações familiares e agrega valor ao negócio, além de mitigar eventuais riscos de desentendimentos entre os sócios no momento da venda. A observância das regras de compliance recentemente adotadas no Brasil será também requisito essencial à atração do investidor estrangeiro. Calculando riscos Em se tratando de atrair investidores estrangeiros, a gestão deve ser preferencialmente profissionalizada, com foco em resultados e atenta ao cumprimento das normas e regulamentos do setor, especialmente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A observância das regras de compliance recentemente adotadas no Brasil será também requisito essencial à atração do investidor estrangeiro, por ser determinante na avaliação de risco do empreendimento e, por conseguinte, de seu valor. Isto se aplica tanto ao sistema de saúde suplementar, típico da contratação de natureza privada oferecido ao consumidor pelos planos de saúde, quanto ao sistema de saúde complementar, em que o nível de exigência de compliance é ainda maior em virtude dos contratos e convênios firmados com entidades que compõem o Sistema Único de Saúde (SUS). A não observância dessas regras desestimula o interesse do investidor, especialmente em se tratando de multinacionais com dever legal de seguir políticas anticorrupção em seus países de origem. Neste contexto, pode o investidor, face ao risco excessivo, optar pela aquisição de outra estrutura melhor organizada, ou ainda, decidir por um investimento direto em um novo empreendimento, Em qualquer configuração, a elaboração em concorrência à estrutura local. e a adesão a um pacto de acionistas com regras Desta forma, as políticas de compliance tendem a mitigar os custos, reduzir provisionamentos nos balanços e otimizar de governança corporativa são recomendadas os resultados financeiros. previamente à formalização da operação

7 Mitigando responsabilidades A avaliação de um empreendimento e de seus resultados é afetada especialmente pelo risco de responsabilidade civil, penal e trabalhista. Nestes casos, ainda que sejam realizados os devidos provisionamentos, a alocação de recursos para fins não produtivos onera o fluxo de caixa da instituição. Na esfera cível, a contratação de seguros deve ser considerada, sobretudo na área médica em que é frequente a responsabilidade solidária das instituições e seu corpo técnico, por vezes recriminados por negligência. A assunção dos custos de contratação de tais seguros dependerá em grande parte do modelo de contratação dos colaboradores, que poderão ser tanto empregados quanto profissionais autônomos, organizados ou não em cooperativas médicas. Em qualquer hipótese, deve o empreendimento ser o beneficiário da cobertura. Quanto à responsabilidade trabalhista, convém à instituição gerir com diligência seus colaboradores, seja previamente à contratação por meio de uma verificação da idoneidade do contratado, seja no decorrer da relação pelo controle de rotinas e solicitação periódica de comprovantes de pagamento das verbas e tributos devidos. A inserção de cláusulas estabelecendo o direito de regresso em caso de responsabilização da contratante também é uma medida a ser adotada. Tais precauções não eliminam o risco, mas minimizam seus impactos e demonstram a adoção de práticas de compliance na gestão de pessoas. Capital humano O capital humano é o elemento primordial no segmento de serviços de saúde. Dependendo da localização e do escopo de atuação do empreendimento, este recurso se revela escasso e volátil. Esta especificidade do mercado médico de saúde é, senão o mais grave, um dos maiores gargalos do setor. Desta forma, a adequada gestão e fidelização do capital humano é estratégica e determinante na viabilidade e na rentabilidade do empreendimento, notadamente nos nichos de mercado em que os serviços ofertados possuem maior complexidade e valor agregado. Esta realidade deve ser conhecida e adequadamente equacionada previamente a qualquer operação societária. A questão se torna crucial e deve ser objeto de precificação quando o sócio cedente é, pessoalmente, a referência no mercado em sua área de atuação ou em sua localidade. Em tais circunstâncias, é usual o investidor estrangeiro condicionar a operação à permanência do sócio cedente por um período mínimo de transição, condicionando o pagamento de parte do preço ao cumprimento da obrigação. Em caso de desligamento antecipado, o investidor fica liberado do pagamento, sem prejuízo de outras consequências contratuais. Há, ainda, casos em que acontece exatamente o oposto. A operação é condicionada ao afastamento de pessoas estratégicas do mercado por determinado período de tempo e mediante retribuição prevista para esse fim

8 Valorizando o estabelecimento Assim como o capital humano, a correta gestão imobiliária também é determinante na avaliação da instituição. Pertencendo o imóvel aos sócios diretamente, o custo de seu uso deve ser devidamente contabilizado quando da apuração do resultado da operação, sob pena de criar expectativas equivocadas que irão impactar diretamente no valor do negócio. Nesse caso, a locação deve ser formalizada em contrato, garantindo a permanência da atividade hospitalar no local ainda que realizada a troca de controle da sociedade. Nos casos em que a unidade hospitalar é proprietária do imóvel, a operação de sale leaseback pode ser uma alternativa para captação de recursos. O hospital vende o imóvel ao terceiro que, por sua vez, aluga ao hospital por meio de contrato de longo prazo. Sendo o imóvel em que o empreendimento opera alugado, a remodelagem do funcionamento da estrutura e a expansão de suas operações podem ser obstadas ou se tornar excessivamente onerosas. Por isso, contratos de locação garantindo a possibilidade de expansão e a realização de benfeitorias, bem como prevendo a cláusula de vigência em caso de alienação a terceiros são imprescindíveis. Além disso, assim como a valorização imobiliária e a ocupação do entorno por moradores com planos de saúde são diferenciais para o negócio, a manutenção de um mesmo endereço e o valor intangível de um hospital para uma determinada comunidade também não podem ser desprezados. Licenças e autorizações Vale acrescentar, a respeito dos imóveis, que além das licenças e autorizações habituais de funcionamento, há diversas normas e regulamentos técnicos específicos emitidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e pelas autoridades estaduais, que devem ser observados para viabilizar a operação de determinadas atividades dentro das unidades hospitalares, tais como medicina nuclear, obstétrica e neonatal, unidades de terapia intensiva, saúde mental, centros cirúrgicos, serviços de apoio aos centros cirúrgicos, entre outros. Tanto o hospital quanto eventuais empresas terceirizadas localizadas nas instalações da unidade hospitalar deverão observar fielmente a regulamentação da ANVISA e das demais autoridades competentes em todas as esferas governamentais, Corpo de Bombeiros e Polícia Federal. O Conselho Regional de Medicina também determina a obrigatoriedade de ocupação do cargo de Diretor Técnico por médico devidamente inscrito no local. Igualmente importantes são as obrigações de natureza ambiental, como o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos PGRSS, além das autorizações necessárias junto ao CNES, IBAMA, CETESB, Prefeitura Municipal, DAEE, entre outras. Em vista da alta regulação do setor, eventual reformulação da estrutura societária ou reorganização do empreendimento deve ser precedida de análise técnico-jurídica, tendo em vista o impacto de tais modificações na validade das licenças ambientais e sanitárias

9 Parcerias Operacionais O mercado de serviços de saúde é fortemente dependente do fornecimento regular e sistemático de insumos como remédios, próteses e utensílios de segurança, muitos deles importados. Ocorre que tais relações de fornecimento de insumos médicos são muitas vezes atreladas à contratos de comodato de máquinas e equipamentos utilizados pelos hospitais e clínicas, de modo que a troca do fornecedor implica em substituição da tecnologia utilizada pelo estabelecimento. Desta forma, a flexibilidade na manutenção ou na substituição de tais equipamentos e fornecedores deve ser avaliada, tendo em vista o modelo de negócios desejado e as futuras parcerias suscetíveis de aportarem novos materiais e tecnologias. Ainda, quando são os próprios sócios os fornecedores ou prestadores de serviços ao empreendimento, diretamente ou por intermédio de pessoa jurídica relacionada, convém reforçar tais vínculos contratuais previamente à cessão do empreendimento, evitando-se assim incertezas e desgastes desnecessários com o novo sócio estrangeiro. A não solução de continuidade no fornecimento de materiais e a disponibilidade de tecnologia adequada são de suma importância se considerarmos os compromissos assumidos contratualmente pela instituição frente às operadoras de planos de saúde responsáveis por parte significativa senão essencial da receita dos hospitais, clínicas e laboratórios. A ruptura no fornecimento de serviços é suscetível de implicar em quebra de compromissos e prejudicar o relacionamento entre os envolvidos. Reduzindo a carga fiscal As associações comprovadamente beneficentes, sem fins lucrativos, gozam de imunidade tributária sobre patrimônio, renda e serviços. Nesta configuração, os associados empreendedores não percebem lucro, mas tão somente remuneração pelos serviços que prestam. Não sendo a entidade beneficente, sua carga fiscal pode ser mantida sob controle mediante o enquadramento dos serviços clínicos e laboratoriais em serviços hospitalares, optando simultaneamente pelo lucro presumido, o que demandará ajustes na estrutura operacional. Nesta configuração, as alíquotas de imposto de renda e de contribuição sobre lucro líquido serão reduzidas. Um estudo pontual se faz necessário para determinar as vantagens efetivas para cada projeto, em função de suas peculiaridades

10 Combinando sinergias O que significa LoI, MoU e NDA? Definidos os objetivos a serem alcançados, observados e saneados os pontos sensíveis da estrutura, e implementada Identificado um potencial investidor, inicia-se uma fase a reestruturação jurídica adequada, estarão os sócios em de mútuo conhecimento, enquadrada por documentos condições objetivamente favoráveis para iniciarem tratativas preliminares. com potenciais investidores. Neste contexto, é usual as partes firmarem uma Nesta etapa deve ser feita a identificação do alvo, ou Target, Carta de Intenção ( LoI ), estabelecendo os objetivos cuja visão do futuro do empreendimento melhor corresponda comuns, os pontos centrais a serem analisados, aos anseios dos sócios locais. A forma da estruturação algumas obrigações vinculantes como negociar de societária, tanto quanto a potencial sinergia existente entre as boa-fé, vedação de cooptação de empregados e instituições, serão essenciais ao sucesso da empreitada. É nesse confidencialidade das informações reveladas. A Carta momento que serão analisados, entre outros fatores, a aderência de Intenção inaugura e formaliza a fase de negociação, entre as empresas, o potencial de expansão do negócio e o protegendo as partes em caso de seu insucesso. ganho em escala. Um documento subsequente, que muitas vezes É relevante observar, todavia, que em se tratando de faz às vezes e substitui a LoI, é o Memorando de investidores estrangeiros, a diversidade cultural pode afetar o Entendimento ( MoU ), que de regra estabelece as bases ritmo, a forma e o conteúdo das tratativas, podendo ocasionar e premissas da transação, indicando os pontos básicos ruídos de comunicação. sobre os quais as tratativas evoluirão. Entender a cultura e os hábitos do investidor, bem como Tanto no escopo da LoI quanto do MoU, é habitual falar seu idioma, faz diferença para estabelecer uma relação a inclusão de dispositivos de confidencialidade. de confiança durante as negociações visando o fechamento Todavia, em se tratando de troca sistemática e do negócio. Igualmente essencial é estar assessorado do aprofundada de informações, notadamente em caso de ponto de vista técnico, financeiro e jurídico por profissionais auditoria jurídica ( Due Diligence ), se recomenda a familiarizados com operações desta natureza, que entendam as celebração de um Acordo de Confidencialidade especificidades do setor, dominem o vocabulário do sistema e ( NDA ), cuja abrangência e proteção possam agregar valor por meio de uma postura colaborativa. tendem a ser reforçadas. Implementada a reestruturação jurídica adequada, estarão os sócios em condições objetivamente favoráveis para iniciarem tratativas com potenciais investidores

11 A disponibilidade de documentos organizados e completos para uma análise transparente do investidor favorece a conclusão da operação e uma avaliação positiva do empreendimento. Desmistificando o processo de Due Diligence O processo de Due Diligence consiste em uma auditoria. Seu escopo engloba tanto aspectos jurídicos quanto contábeis e financeiros. Seu objetivo consiste principalmente na identificação de passivos e riscos não contabilizados suscetíveis de afetar o valor do empreendimento e, portanto, seu preço. Não raras vezes o passivo potencial identificado é de monta tão significativa que acarreta a desistência do investidor. De fato, não se espera que as vantagens estratégicas na aquisição do empreendimento sejam inferiores aos riscos a ele inerentes. Desta forma, é aconselhável que os sócios se antecipem e preparem o seu negócio para uma Due Diligence. Toda a vida jurídica da empresa deve ser levantada e revisada, incluindo práticas contábeis e fiscais, contratos de qualquer natureza envolvendo empregados, terceirizados, fornecedores, operadoras de planos de saúde e seguro saúde, locações, bem como litígios em geral, compliance especialmente com a legislação ambiental e sanitária, entre outros. Eventuais deficiências devem ser sanadas, fatores geradores de risco devem ser eliminados, e toda documentação deve ser organizada para comprovação da adequação da empresa à legislação. Concluindo a operação Concluída a Due Diligence e as negociações sob o ponto de vista societário e financeiro, devem os entendimentos ser formalizados a fim de garantir a segurança jurídica das partes. Neste contexto, o fechamento da operação, ou Closing, consiste na prática de diversos atos, simultâneos ou sucessivos, listados no contrato de compra e venda de quotas ou outro documento que melhor retrate a operação. Muitas vezes a validade efetiva da operação é condicionada ao sucesso e à tempestividade de tais atos, como obtenção de autorizações necessárias, ratificação de acordo de acionistas, ratificação de plano de negócios, quitação de eventuais débitos e depuração de balanço, obtenção de garantias, linha de financiamento ou transferência da propriedade de certos ativos ao empreendimento. Também há operações em que parte do valor a ser pago pelo investidor fica depositado em conta-garantia, a Escrow Account, condicionada ao cumprimento de determinada obrigação contratual ou para garantia do investidor no caso de vir a responder futuramente por débitos do vendedor. Em determinados casos, as operações devem ser submetidas previamente à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica CADE, que analisa o potencial anticompetitivo da operação pretendida. A observância de todas as condições contratuais e a assinatura e registro dos atos societários conclui a operação, dando início à fase de pós-aquisição

12 O sucesso na fase pós-aquisição A execução de um bom planejamento estratégico de pósvenda atento especialmente ao capital humano evita a queda na produtividade e mitiga impactos adversos aos sócios e ao público consumidor, preservando a imagem da instituição. Uma operação bem negociada e formalizada de modo pormenorizado facilita a implementação das mudanças previamente planejadas, discutidas e acordadas entre os sócios. Convém, todavia, estabelecer tanto em estatuto quanto em pacto de acionistas e em contrato de compra e venda que eventuais controvérsias serão solucionadas consensualmente ou, não sendo possível, por intermédio de métodos não adversariais de solução de conflitos, como a mediação. A adoção de mecanismos que mantenham o controle do resultado nas mãos dos sócios possibilita uma melhor condução do diálogo e, consequentemente, do negócio. Em último caso, não sendo a controvérsia solucionada, é recomendada a adoção da arbitragem, em exclusão à tutela judicial. Isto porque não interessa nem aos sócios de boa-fé, nem à instituição, a perenização de desentendimentos suscetíveis de prejudicar o foco na atividade final consistente em fornecer ao mercado serviços de saúde de qualidade

13 CONTATOS PNST Andreas Sanden Jean François Teisseire Juliana G. Meyer Gottardi Patricia Freitas Fuoco Renato Pacheco Neto PACHECO NETO, SANDEN, TEISSEIRE ADVOGADOS Alameda Franca, º e 11º andar São Paulo SP Brasil ZALAF Claudio Felippe Zalaf Felipe Schmidt Zalaf Henrique Schmidt Zalaf Jano Freire Lucas Ciarrocchi Malavasi CLAUDIO ZALAF ADVOGADOS ASSOCIADOS Rua José Ferreira de Camargo, Campinas SP - Brasil

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

Apresentação institucional

Apresentação institucional Apresentação institucional 2010 Institucional Quem somos Nossos valores Áreas de atuação Equipe Parcerias Contato Quem somos Sociedade de advogados com foco de atendimento em direito empresarial, compreendendo

Leia mais

Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam

Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam Senise, Moraes & Maggi Sociedade de Advogados surgiu da união de advogados com diversos anos de experiência e sólida formação jurídica que perceberam as necessidades dos clientes na realidade hipercomplexa

Leia mais

Áreas de Atuação Societário

Áreas de Atuação Societário SC Advogados Apresentação A Salomão Cateb Advogados foi fundada em 1963 na cidade de Belo Horizonte por Salomão de Araújo Cateb. Os mais de 40 anos de atividade conferiram à empresa o reconhecimento e

Leia mais

C O N S U L T O R I A. T r i b u t á r i a & F i n a n c e i r a. Serviços

C O N S U L T O R I A. T r i b u t á r i a & F i n a n c e i r a. Serviços C O N S U L T O R I A Consultoria Tributária Serviços Os serviços de consultoria tributária oferecidos pela GT Consultoria são extremamente abrangentes e com perfis diferenciados para cada demanda. Entre

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014 APRESENTAÇÃO CORPORATIVA SÃO PAULO, 2014 BRIGANTI ADVOGADOS é um escritório brasileiro de advogados, de capacidade e experiência reconhecidas, que nasce com um propósito distinto. Nosso modelo de negócio

Leia mais

Desde 1993 a confiança e credibilidade conquistada é resultado do trabalho constante em comunicação objetiva e atendimento especializado.

Desde 1993 a confiança e credibilidade conquistada é resultado do trabalho constante em comunicação objetiva e atendimento especializado. ESCRITÓRIO DE ADVOCACIA COM SÓLIDA EXPERIÊNCIA E CONHECIMENTO EM NEGÓCIOS, QUE PELO ATENDIMENTO ESPECIALIZADO, CLARO E ÁGIL, TORNOU-SE UMA MARCA DE EXCELÊNCIA. MSCB Advogados possui uma visão moderna de

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO CONDOMÍNIO HOTEL TATUAPÉ ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME DO

Leia mais

Private Equity ADVISORY

Private Equity ADVISORY Private Equity ADVISORY Private Equity Excelentes profissionais que trabalham em equipe, transformando conhecimento em valor, em benefício de nossos clientes. Private Equity 1 Qualidade e integridade são

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Credenciais da 2Finance -Rápida análise da situação da empresa, elaborando relatórios que permitam ao empreendedor e seus dirigentes compreenderem a real situação da empresa

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Setembro 2007 PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO EM SOCIEDADES DE PROPÓSITO ESPECÍFICO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO NA VENDA DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Credenciais da 2Finance -Rápida análise da situação da empresa, elaborando relatórios que permitam ao empreendedor e seus dirigentes compreenderem a real situação da empresa

Leia mais

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria A Íntegra é uma empresa de auditoria e consultoria, com 25 anos de experiência no mercado brasileiro. Cada serviço prestado nos diferentes

Leia mais

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE

OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE OFERTA PÚBLICA DE UNIDADES AUTÔNOMAS IMOBILIÁRIAS HOTELEIRAS OBJETO DE CONTRATOS DE INVESTIMENTO COLETIVO ( CIC ) NO EMPREENDIMENTO CONDOMÍNIO EDIFÍCIO IBIRAPUERA ( OFERTA ) DECLARAÇÃO DO ADQUIRENTE NOME

Leia mais

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados.

Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social. Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Terceiro Setor, Cultura e Responsabilidade Social Mattos Filho, Veiga Filho, Marrey Jr. e Quiroga Advogados. Todos os direitos reservados. Nossos serviços Nossa equipe atende empresas que investem em responsabilidade

Leia mais

BRITCHAM RIO AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638

BRITCHAM RIO AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638 BRITCHAM RIO 2009 AGIO NA AQUISICAO DE INVESTIMENTOS LEI 11638 JUSTIFICATIVAS DO TEMA Permanente movimento de concentração Aumento da Relevância dos Intangíveis Convergência/Harmonização/Unificação de

Leia mais

INCORPORAÇÃO, FUSÃO, CISÃO, JOINT- VENTURE O QUE É, QUANDO FAZER, QUANDO NÃO FAZER

INCORPORAÇÃO, FUSÃO, CISÃO, JOINT- VENTURE O QUE É, QUANDO FAZER, QUANDO NÃO FAZER INCORPORAÇÃO, FUSÃO, CISÃO, JOINT- VENTURE O QUE É, QUANDO FAZER, QUANDO NÃO FAZER Breve Análise de cada Situação Por: Antonio Carlos Nasi Nardon, Nasi Auditores e Consultores 1. INCORPORAÇÃO A incorporação

Leia mais

INTERPRETAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

INTERPRETAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade III INTERPRETAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Prof. Walter Dominas Objetivos da disciplina Essa disciplina tem dois objetivos principais: O primeiro objetivo é a determinação do valor da empresa.

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores

Lei nº 13.003/2014. Jacqueline Torres Gerente Executiva. GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores Lei nº 13.003/2014 Jacqueline Torres Gerente Executiva GERAR Gerência Executiva de Aprimoramento do Relacionamento entre Operadoras e Prestadores O porquê de uma nova lei O mercado de planos de saúde organiza-se

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

AVALIAÇÃO E REVISÃO DE ESTUDOS AMBIENTAIS

AVALIAÇÃO E REVISÃO DE ESTUDOS AMBIENTAIS AVALIAÇÃO E REVISÃO DE ESTUDOS AMBIENTAIS Freire, Lagrotta & Gimenez Advogados 2014 ESTUDOS AMBIENTAIS REVISÃO E AVALIAÇÃO A ascensão do Licenciamento como principal mecanismo jurídico-ambiental de controle

Leia mais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica Apresentação de Serviços Profissionais SOBRE A Hafra Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica tem atuação no mercado empresarial do Rio de Janeiro e

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Prezado Cooperado, Em 2012 a economia brasileira apresentou forte desaceleração, tendo uma das mais baixas taxas de crescimento da América Latina, inferior até as pessimistas

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional A Empresa Atuamos como Gestores da Mudança Organizacional, introduzindo urgência e foco nas empresasde nossosclientes, lidandoprioritariamentecom a áreafinanceira, mas entendendo

Leia mais

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL

LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL LEI N 12.973/14 (CONVERSÃO DA MP N 627/13) ALTERAÇÕES RELEVANTES NA LEGISLAÇÃO TRIBUTÁRIA FEDERAL A Lei n 12.973/14, conversão da Medida Provisória n 627/13, traz importantes alterações à legislação tributária

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880

Avenida Jamaris, 100, 10º e 3º andar, Moema São Paulo SP 04078-000 55 (11) 5051-8880 APRESENTAÇÃO DA EMPRESA E DOS SERVIÇOS AUDITORIA CONSULTORIA EMPRESARIAL CORPORATE FINANCE EXPANSÃO DE NEGÓCIOS CONTABILIDADE INTRODUÇÃO A FATORA tem mais de 10 anos de experiência em auditoria e consultoria

Leia mais

DIFERENCIAIS. da LCF ADVOGADOS

DIFERENCIAIS. da LCF ADVOGADOS UMA NOVA PROPOSTA NA ÁREA JURÍDICA Sócios Fundadores da LCF ADVOGADOS A LCF ADVOGADOS tem uma proposta de advocacia diferenciada mediante a prestação de consultoria e assessoria jurídica empresarial especializada

Leia mais

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável

Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Assistência Jurídica para a Construção de um Mundo dos Negócios Novo e Sustentável Quem Somos Somos uma sociedade de advogados dedicada à assistência e orientação jurídica as empresas nacionais e estrangeiras.

Leia mais

A vocação da Pires Terra Pinto é criar parcerias duradouras e sólidas fundadas em um novo conceito de prestação de serviços, com estrutura e equipe

A vocação da Pires Terra Pinto é criar parcerias duradouras e sólidas fundadas em um novo conceito de prestação de serviços, com estrutura e equipe A vocação da Pires Terra Pinto é criar parcerias duradouras e sólidas fundadas em um novo conceito de prestação de serviços, com estrutura e equipe voltadas para ter e exercer esses valores diariamente.

Leia mais

CPC 15. Combinações de Negócios. Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT

CPC 15. Combinações de Negócios. Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT CPC 15 Combinações de Negócios Conselho Regional de Contabilidade - CE AUDIT Agenda Introdução e Objetivos Alcance Definições e Escopo Tipos de Aquisições Aplicação do Método de Aquisição Ativos e Passivos

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - Estudo técnico

TRANSFERÊNCIA DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - Estudo técnico TRANSFERÊNCIA DE INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR - Estudo técnico 1. - Necessidade de existência de mantenedoras das instituições educacionais No Brasil é obrigatório que uma escola, tanto de educação

Leia mais

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA A IMPLANTAÇÃO DE CONSELHO CONSULTIVO EM SOCIEDADES LIMITADAS COMO FORMA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Ana Carolina Rovida de Oliveira Especialista em Direito da Economia e Empresarial I INTRODUÇÃO A estabilização

Leia mais

Material Institucional. accent. consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre

Material Institucional. accent. consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre Material Institucional accent consultoria. auditoria. estratégia. caixa livre Sobre a Accent Somos uma empresa brasileira que possui conhecimento especializado em auditoria, impostos, consultoria de gestão

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL www.idevanlopes.com.br

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL www.idevanlopes.com.br APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL www.idevanlopes.com.br INTRODUÇÃO Idevan Lopes Advocacia & Consultoria Empresarial é um escritório especializado em Direito Empresarial, integrado por profissionais com cursos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.638, DE 28 DEZEMBRO DE 2007. Mensagem de veto Altera e revoga dispositivos da Lei n o 6.404, de 15 de dezembro de 1976, e

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA

PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA PORQUE E COMO ABRIR O CAPITAL DE UMA EMPRESA! Os custos! As vantagens! Os obstáculos! Os procedimentos Francisco Cavalcante (francisco@fcavalcante.com.br) Sócio-Diretor da Cavalcante & Associados, empresa

Leia mais

Os Contratos no Mercado de Empresa: fusão, cisão, aquisição e DueDiligence. Grupo de Estudos de Direito Empresarial

Os Contratos no Mercado de Empresa: fusão, cisão, aquisição e DueDiligence. Grupo de Estudos de Direito Empresarial Os Contratos no Mercado de Empresa: fusão, cisão, aquisição e DueDiligence DueDiligence MARCO A MILITELLI Engenheiro Agrônomo Administração de empresas especializada em Administração Financeira Master

Leia mais

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos.

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. 12.08.2015 Henrique Frizzo 2015 Trench, Rossi e Watanabe Advogados 1 Conceitos Gerais da Lei de Inovação Conceitos Gerais da Lei de Inovação

Leia mais

PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1

PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1 PROCESSOS DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA 1 1.1 - Aspectos Introdutórios 1.1.1 - Objetivos Básicos Tais operações tratam de modalidades de reorganização de sociedades, previstas em lei, que permitem às empresas,

Leia mais

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m.

F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. F r e i t a s L e i t e S o l u ç õ e s t ã o e x c l u s i v a s q u a n t o s e u s d e s a f i o s w w w. f r e i t a s l e i t e. c o m. b r Fundado em 1997, FreitasLeite possui grande experiência

Leia mais

M&A: Alguns Pontos relevantes para Contratos de Aquisição ou Venda de Negócios

M&A: Alguns Pontos relevantes para Contratos de Aquisição ou Venda de Negócios M&A: Alguns Pontos relevantes para Contratos de Aquisição ou Venda de Negócios Apresentação para a Comissão Jurídica da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil Alberto Mori Sócio do Grupo de

Leia mais

$VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6. 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV

$VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6. 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV $VVRFLDomR%UDVLOHLUDGH 7HFQRORJLDGH/X] 6tQFURWURQ$%7/X6 'HPRQVWUDo}HVILQDQFHLUDVHP GHGH]HPEURGHHGHH SDUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV 3DUHFHUGRVDXGLWRUHVLQGHSHQGHQWHV 17 de janeiro de 2003 Aos Administradores

Leia mais

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA

PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA PROJETO SETORIAL DO POLO DE TI&C DE SÃO CAETANO DO SUL E REGIÃO TERMO DE REFERÊNCIA Prestação de Serviços em Assessoria, Consultoria e Treinamento na área de Recursos Humanos. 1. OBJETIVO Os objetivos

Leia mais

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS

DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS 01 02 Apresentação DE LÉO, PAULINO E MACHADO ADVOGADOS é um escritório que foi constituído para atuar nas mais diversas áreas do Direito Empresarial, tendo como principal objetivo a prestação de serviços

Leia mais

Joint Venture Considerações gerais 1

Joint Venture Considerações gerais 1 Joint Venture Considerações gerais 1 Características Aliança estratégica entre duas ou mais empresas 2, de diferentes naturezas (públicas ou privadas), nacionalidades e finalidades, para realizar um projeto

Leia mais

ADVOGADOS E CONSULTORES

ADVOGADOS E CONSULTORES ADVOGADOS E CONSULTORES QUEM SOMOS Com mais de 25 anos de experiência nas áreas jurídica e ambiental, o escritório DIAS LOPES ADVOGADOS E CONSULTORES está focado em atender as necessidades do mercado em

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

A D V O G A D O S. Apresentação

A D V O G A D O S. Apresentação Apresentação O Escritório de Advocacia Gomes e Mello Frota Advogados destaca-se no meio jurídico como uma forte referência em função da equipe que o compõe, e da respeitabilidade que a mesma possui. Este

Leia mais

M&A NO BRASIL NAS EMPRESAS DE ENERGIA, PETRÓLEO, GÁS, TRANSPORTE, SANEAMENTO E CONSTRUÇÃO. Abril 2011

M&A NO BRASIL NAS EMPRESAS DE ENERGIA, PETRÓLEO, GÁS, TRANSPORTE, SANEAMENTO E CONSTRUÇÃO. Abril 2011 M&A NO BRASIL NAS EMPRESAS DE ENERGIA, PETRÓLEO, GÁS, TRANSPORTE, SANEAMENTO E CONSTRUÇÃO Abril 2011 1 M&A PRINCIPAIS ETAPAS DE OPERAÇÃO DE M&A Etapa 1 Acordos Preliminares Elaboração, revisão e negociação

Leia mais

Diretrizes de Governança Corporativa

Diretrizes de Governança Corporativa Diretrizes de Governança Corporativa DIRETRIZES DE GOVERNANÇA CORPORATIVA DA BM&FBOVESPA Objetivo do documento: Apresentar, em linguagem simples e de forma concisa, o modelo de governança corporativa da

Leia mais

Encontre connosco as respostas que procura. Venha conhecer a nossa equipa e o nosso trabalho. P O R T O P O R T U G A L

Encontre connosco as respostas que procura. Venha conhecer a nossa equipa e o nosso trabalho. P O R T O P O R T U G A L Encontre connosco as respostas que procura. Venha conhecer a nossa equipa e o nosso trabalho. P O R T O P O R T U G A L Bem-vindo ao escritório de advogados global, vocacionado para o apoio jurídico a

Leia mais

Building, Construction & Real Estate

Building, Construction & Real Estate KPMG no Brasil Building, Construction & Real Estate FINANCIAL SERVICES kpmg.com/br Quem somos Constituída na Suíça e com sede em Amsterdã, a KPMG International Cooperative (KPMG International) é uma rede

Leia mais

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas O Bovespa Mais, um dos segmentos especiais de listagem administrados pela BM&FBOVESPA, foi idealizado para tornar o mercado acionário brasileiro

Leia mais

Fusão & Aquisição para uma Vantagem Competitiva Melhores Práticas

Fusão & Aquisição para uma Vantagem Competitiva Melhores Práticas Competitiva Melhores Práticas A consolidação e a convergência estão intensificando a concretização de operações de - FA (tradicionalmente conhecidas como MA mergers and acquisitions) considerada uma das

Leia mais

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros.

Índice. 4. Princípios Os seguintes princípios norteiam as ações de Responsabilidade Socioambiental da Chevrolet Serviços Financeiros. Índice 1. Objetivo... 1 2. Escopo e Partes Afetadas... 1 3. Definições... 1 4. Princípios... 1 5. Objetivos, metas e programas... 2 6. Papéis e Responsabilidades... 5 7. Regulamentação Aplicável... 6 1.

Leia mais

O Papel do Conselho de Administração em Fusões e Aquisições

O Papel do Conselho de Administração em Fusões e Aquisições O Papel do Conselho de Administração em Fusões e Aquisições Richard Blanchet Fone: (11) 9 8426-1866 rblanchet@uol.com.br São Paulo, 11 de novembro de 2013 São Paulo, 06 de outubro de 2011 Material elaborado

Leia mais

Áreas de Atuação. Direito Administrativo

Áreas de Atuação. Direito Administrativo Atento à dinâmica evolução do mercado globalizado, a HG Advocacia surge com uma nova proposta em advocacia e assessoria jurídica, propondo soluções inovadoras e eficazes no planejamento e na defesa de

Leia mais

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS

UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS UMA ASSOCIAÇÃO GLOBAL PARA ALIANÇAS ESTRATÉGICAS Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores

Leia mais

Contratos de Tecnologia: A segurança jurídica nas parcerias e negócios tecnológicos

Contratos de Tecnologia: A segurança jurídica nas parcerias e negócios tecnológicos Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-ND Contratos de Tecnologia: A segurança jurídica nas parcerias e negócios tecnológicos Gabriel Leonardos KASZNAR LEONARDOS PROPRIEDADE INTELECTUAL São Paulo,

Leia mais

Jornada de Valor. Novembro de 2010

Jornada de Valor. Novembro de 2010 Jornada de Valor Novembro de 2010 Planejando o crescimento O valor da empresa em uma transação está diretamente relacionado à percepção de valor de investidores, à governança corporativa, transparência

Leia mais

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação.

Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. Tipos de Empresas, Requisitos e Passos para Abertura, Abertura Empresas Virtuais, Tributação. 1) Tipos de Empresas Apresenta-se a seguir, as formas jurídicas mais comuns na constituição de uma Micro ou

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10. Pagamento Baseado em Ações

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10. Pagamento Baseado em Ações COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 10 Pagamento Baseado em Ações Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 2 Descrição Item Objetivo 1 Escopo 2 6 Reconhecimento

Leia mais

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas

LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas LEI 13003 Manual Perguntas e Respostas APRESENTAÇÃO A Federação Baiana de Hospitais e a Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia, cumprindo com a função de orientar e assessorar hospitais,

Leia mais

Gestão estratégica em finanças

Gestão estratégica em finanças Gestão estratégica em finanças Resulta Consultoria Empresarial Gestão de custos e maximização de resultados A nova realidade do mercado tem feito com que as empresas contratem serviços especializados pelo

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados

ALMEIDA GUILHERME Advogados Associados REORGANIZAÇÃO SUCESSÓRIA E SEUS ASPECTOS por Luiz Fernando do Vale de Almeida Guilherme Sócio de Almeida Guilherme Advogados e Maria Eugênia Gadia Ulian Advogada de Almeida Guilherme Advogados I. Introdução

Leia mais

Consolidado como um Escritório de Advogados Consultores de Negócios, caracterizado pela sua paixão na defesa do Direito das organizações e na

Consolidado como um Escritório de Advogados Consultores de Negócios, caracterizado pela sua paixão na defesa do Direito das organizações e na Consolidado como um Escritório de Advogados Consultores de Negócios, caracterizado pela sua paixão na defesa do Direito das organizações e na facilitação no desenvolvimento de projetos bem sucedidos. Um

Leia mais

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos.

Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. Visão Geral da Lei de Inovação: Avanços e Desafios após 10 anos. 10.09.2014 Henrique Frizzo 1 Conceitos Gerais da Lei de Inovação Conceitos Gerais da Lei de Inovação Lei 10.973/2004 - Lei de Inovação:

Leia mais

::PORTFOLIO PORTFOLIO

::PORTFOLIO PORTFOLIO PORTFOLIO ::PORTFOLIO :: A EMPRESA Cesar e Cesar Sociedade de Advogados, é um escritório de advocacia e de assessoria jurídica formado por uma equipe de profissionais com experiência nas áreas relacionadas

Leia mais

Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário

Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário Bovespa Mais: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário O Bovespa Mais é um dos segmentos especiais de listagem administrados pela Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA)

Leia mais

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L

A P R E S E N T A Ç Ã O D I G I T A L APRESENTAÇÃO DIGITAL APRESENTAÇÃO Investimento contínuo em qualificação. Adequação às necessidades do cliente. Ética e Gestão Profissional. Esses são os principais pilares que nortearam a fundação do Escritório

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais

Por que abrir o capital?

Por que abrir o capital? Por que abrir capital? Por que abrir o capital? Vantagens e desafios de abrir o capital Roberto Faldini Fortaleza - Agosto de 2015 - PERFIL ABRASCA Associação Brasileira de Companhias Abertas associação

Leia mais

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010

Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde. Atibaia, 21 de abril de 2010 Regulação da ANS ANS entre hospital, planos e seguros saúde Atibaia, 21 de abril de 2010 Cenário atual DESAFIOS Desafios da Sustentabilidade Pressão constante sobre os custos Incorporação de novas tecnologias

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 O Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN institui o NORMATIVO DE CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

SCATOLINI ADVOGADOS. SCATOLINI Advogados

SCATOLINI ADVOGADOS. SCATOLINI Advogados ADVOGADOS Um escritório dinâmico, focado nas necessidades e anseios de seus clientes e que reúne profissionais especializados em ampla gama de assuntos jurídicos. Proporcionamos aos nossos clientes atendimento

Leia mais

153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 153 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 4 de outubro de 2013 Tema 5.2 da Agenda Provisória CE153/5 (Port.) 30 de setembro

Leia mais

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI

CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI CERTIFICADO DE RECEBÍVEIS IMOBILIÁRIOS CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários CRI vem caminhando

Leia mais

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010

SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS RESOLUÇÃO Nº 06/2010 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA SECRETARIA DE ÓRGÃOS COLEGIADOS Campus Universitário Viçosa, MG 36570-000 Telefone: (31) 3899-2127 - Fax: (31) 3899-1229 - E-mail: soc@ufv.br RESOLUÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 30/10/2014 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 4 4 Princípios... 4 5 Diretrizes... 5 5.1 Identificação dos riscos...

Leia mais

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures

Julho/2008. Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Julho/2008 Abertura de Capital e Emissão de Debêntures Principal instrumento de captação de recursos de médio e longo prazos, a debênture representa para muitas companhias a porta de entrada no mercado

Leia mais

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26

6 Balanço Patrimonial - Passivo - Classificações das Contas, 25 Exercícios, 26 Prefácio 1 Exercício Social, 1 Exercícios, 2 2 Disposições Gerais, 3 2.1 Demonstrações financeiras exigidas, 3 2.2 Demonstrações financeiras comparativas, 4 2.3 Contas semelhantes e contas de pequenos,

Leia mais

Click to edit Master title style

Click to edit Master title style 26/05/2014 1 NOSSO ESCRITÓRIO Criado em 2008 em Recife, Pernambuco, Vasconcelos, Coutinho, Almeida & Gesteira Costa Advogados tem por objetivo a prestação de serviços de advocacia com excelência, agilidade

Leia mais

I - BOVESPA MAIS: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário

I - BOVESPA MAIS: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário I - BOVESPA MAIS: pavimentando o caminho das futuras blue chips do mercado acionário O BOVESPA MAIS é o segmento de listagem do mercado de balcão organizado administrado pela BOVESPA idealizado para tornar

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015

Lei nº 13.003/2014. Novembro de 2015 Lei nº 13.003/2014 Novembro de 2015 Informações Gerais 1173 operadoras com beneficiários cadastrados 72 milhões de beneficiários - planos de assistência médica e/ou planos odontológicos Receita bruta de

Leia mais

O processo de conversão pode ser complexo e trabalhoso - Procure ajuda de quem tem experiência. Planejamento do projeto

O processo de conversão pode ser complexo e trabalhoso - Procure ajuda de quem tem experiência. Planejamento do projeto O processo de conversão pode ser complexo e trabalhoso - Procure ajuda de quem tem experiência Conversão para IFRS - Enfrentando o desafio A conversão para IFRS é um processo complexo e multifacetado.

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência

Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Guia de Boas Práticas para a elaboração de uma Concorrência Comitê de Agências Gestão 2008 ÍNDICE OBJETIVO DO DOCUMENTO... 3 DEFINIÇÕES... 4 PONTOS PARA A ELABORAÇÃO DE UMA CONCORRÊNCIA... 5 RFI: Quando

Leia mais

Apresentação Britcham. Due Diligence. Advisory Services * Setembro de 2010. *connectedthinking. Transaction Services PricewaterhouseCoopers

Apresentação Britcham. Due Diligence. Advisory Services * Setembro de 2010. *connectedthinking. Transaction Services PricewaterhouseCoopers Advisory Services * Due Diligence *connectedthinking Agenda Introdução Crescimento Motivações para as aquisições Processo de negociação Questões estratégicas Tipos de investidores Fase de negociação Due

Leia mais

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.

PATACÃO DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA. 1. CONTEXTO OPERACIONAL A Patacão Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. ( Distribuidora ) tem como objetivo atuar no mercado de títulos e valores mobiliários em seu nome ou em nome de terceiros.

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI Diversos veículos podem ser utilizados para securitizar recebíveis imobiliários, entretanto o uso dos Certificados de Recebíveis Imobiliários -CRI- vem caminhando

Leia mais

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH

Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Pessoas no centro da estratégia Soluções para desafios em RH Os papéis do executivo de RH Pessoas são os principais ativos de uma empresa e o executivo de Recursos Humanos (RH), como responsável por administrar

Leia mais

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE RENAR MAÇÃS S/A

POLÍTICA DE DIVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE RENAR MAÇÃS S/A POLÍTCA DE DVULGAÇÃO DE ATO OU FATO RELEVANTE RENAR MAÇÃS S/A A Política estabelece diretrizes e procedimentos a serem observados na divulgação de ato ou fato relevante e na manutenção do sigilo de tais

Leia mais

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO

152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 152 a SESSÃO DO COMITÊ EXECUTIVO Washington, D.C., EUA, 17 a 21 de junho de 2013 Tema 7.3 da Agenda Provisória CE152/INF/3 (Port.) 26 de

Leia mais

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos.

POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. POLÍTICA DE COMPRAS E CONTRATAÇÕES INVEPAR. A melhor forma de usar nossos recursos. 1. OBJETIVO Este documento tem a finalidade de estabelecer diretrizes para a aquisição de bens e serviços nas empresas

Leia mais