FISIOPATOLOGIA DAS ALGIAS PERIFÉRICAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FISIOPATOLOGIA DAS ALGIAS PERIFÉRICAS"

Transcrição

1 FISIOPATOLOGIA DAS ALGIAS PERIFÉRICAS A Medicina Ocidental refere que os mais diversos fatores podem provocar dor: ferimentos, contusões, exposição ao calor, ao frio, a produtos químicos, etc. Esses fatores estimulam os nociceptores, daí vão para a medula espinhal: 90% dos estímulos cruza a linha média e, através do trato espino-talâmico, chegam à região somestésica, onde ocorre a sensação da dor, que pode ser aguda, localizada, superficial ou crônica, difusa, profunda. Na MTC, há o Calor externo e o Frio externo (que são energias celestes perversas), o Calor interno e o Frio interno. Sensação de Calor interno: pode ser pelo estado febril, levando a mialgias (como a cervicalgia e a lombalgia, por ex.) ou sem febre, com sensação de calor (como o fogacho, por ex.). Sensação de Frio interno: pode aparecer em alguns tipos de dor, principalmente nos ossos.existem outras formas de dor, relativamente frequentes, sem causa aparente. Significam geralmente a existência de deficiência no órgão que é responsável pelo local doloroso: sabe-se que o CEP faz a formação do membro e mantém a sua Função, quando o Qi do CEP está normal. Se houver anormalidade do Qi, essa energia pode estar baixa, com a presença de energias perversas. Por ex., lavando louça em situação em que a energia do CEP do P está fraca o Frio da água (energia perversa) começa a penetrar em direção ao P. Como dentro do corpo está quente, o Frio que penetra vai se transformar em Calor e pode levar a uma congestão da garganta (avermelhamento). Exemplo da Natureza que pode ser aplicado ao ser humano: um rio circula normalmente no verão, pode diminuir a quantidade de água e a sua velocidade tende a diminuir. A água tem a tendência de estagnar nos cotovelos (curvas) do rio. No corpo humano, a diminuição de energia em um CEP pode levar à diminuição de seu fluxo. Nos pontos naturais onde existem dobras (articulações), há tendência de diminuição de velocidade do fluxo energético. Por isto, as dores começam próximo das articulações (só começam entre as articulações se houver trauma localizado). Quando a energia chega a parar nas articulações, o trecho a montante (antes) vai ficando cheio e a juzante (depois) vai ficando vazio. Como a alteração na quantidade e no fluxo energético são dependentes da energia dos Zang Fu, considera-se que a Fisiologia Energética dos órgãos e vísceras se reflete nas articulações. Quando ocorre uma diminuição do Qi, geralmente abre-se um espaço para a penetração da energia perversa (imagine-se a água pura que é normal e a água suja que não é normal): passa a haver uma energia turva. Todas as articulações são regidas pelos órgãos/vísceras, ou seja, cada articulação está na dependência dos órgãos/vísceras. Exemplos: Punho regido pelo Coração. Cotovelo regido pelo Pulmão. Ombro regido pelo Rim + Fígado. Dedos da mão regidos pelo Rim. Tornozelo regido pelo Rim. Joelho regido pelo Fígado. Quadril regido pela Vesícula Biliar + Bexiga. Coluna lombar regida pelo Rim. Coluna cervical regida pelo Rim + Fígado. ATM regida pela Vesícula Biliar + Triplo Aquecedor. O punho é como uma válvula de escape na doença do C. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

2 Quando os órgãos estão alterados, as articulações específicas também vão estar alteradas. Graças a esta compreensão, deve-se desconsiderar o chamado mau jeito que é muito comum entre os médicos, para justificar dores no pescoço, na coluna, no ombro, etc. CARACTERÍSTICAS DA DOR Dor superficial é Yang dor profunda é Yin. Dor em articulação no lado direito é Yin dor em articulação no lado esquerdo é Yang. Dor Yang tem relação com fibras A delta dor Yin tem relação com fibras C. O lado dominante do homem é o esquerdo doença à esquerda é mais fácil de tratar, enquanto doença à direita é mais difícil. O lado dominante da mulher é o direito doença à direita é mais fácil de tratar, enquanto doença à esquerda é mais difícil.. Ex.: homem com dor ciática à esquerda faz ACP e a dor começa a se manifestar à direita: é IATROGENIA (cuidado). Homem com dor ciática à direita faz ACP e a dor começa a se manifestar à esquerda: a doença está se tornando superficial (está melhorando). Ex.: dor na articulação do cotovelo dor no lado medial é CEP do C; dor no lado lateral é CEP do P; dor na parte posterior, no meio é CEP do TA + P; dor na parte anterior, no meio é CEP do C + CS. O Qi diminuído facilita a penetração de energia perversa proporcional: esta energia perversa que penetra vai se juntar à energia boa, podendo chegar a uma situação de bloqueio da energia dentro do CEP. Normalmente as energias perversas estão penetrando pelos poros, porém nem todos ficam doentes. Se o órgão está com energia normal, o seu CEP também estará com energia normal. Além disso, dos pontos Ting saem os Canais Tendino Musculares, por onde circula o Wei Qi que faz proteção abaixo da pele. Wei Qi maior que a energia perversa existe a normalidade. Wei Qi igual à energia perversa esta fica concentrada (acumulada ou englobada ou encapsulada). Os reumatologistas fazem diagnóstico de nódulos reumáticos: são nódulos dolorosos que podem aparecer em qualquer parte do corpo. Trata-se de forma latente que pode permanecer meses ou anos. Wei Qi menor que a energia perversa esta começa a penetrar pelo CEP e pode levar à doença, caso o órgão por onde penetrar esteja doente. Ex.: se o P estiver doente, o CEP do P vai tender a estagnar e se manifestará a dor ou doença nas regiões correspondentes ao órgão P. SITUAÇÃO ESPECÍFICA DA MULHER o ponto F3 (ponto IU) do CEP do Fígado é ponto de penetração da energia perversa diretamente, não passando por pele nem por Canais Tendino Musculares. Portanto, nessa região (pés) é preciso haver proteção (daí vem o conceito de não molhar os pés na água fria quando estiver menstruada). Outro ponto de penetração direta de energia perversa é o VG16 ( mar dos canais Yang ), devendo as mulheres proteger o pescoço nos períodos de menstruação. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

3 FISIOPATOLOGIA DA PENETRAÇÃO DE ENERGIA PERVERSA DE CARACTERÍSTICA YANG As energias perversas de natureza Yang são Calor, Vento e Secura. No local do bloqueio, vai ocorrer polaridade positiva fora e negativa dentro do CEP. Com a alteração da polaridade dos nociceptores, ocorre a despolarização, com estímulo das fibras A delta. A localização da dor é superficial (que é característica Yang) e o paciente costuma apontar o local exato da dor. Ex.: indivíduo que acorda com dor no punho, está com bloqueio em CEP do C. Em relação às células, ao redor do ponto de ACP: uma célula tem polaridade positiva (+) externa e polaridade negativa ( ) interna. O aumento da polaridade positiva fora da célula, no interstício, vai condicionar o organismo a procurar um meio de neutralizar. Como a polaridade negativa é água, aumenta a quantidade de água que vai para o local. Na Medicina Ocidental, tem-se o edema extracelular, que representa para a MTC a presença de energia perversa Yang. Ao mesmo tempo, como é um processo de difusão, a polaridade positiva penetra na célula: no interior da célula, ocorre o mesmo fenômeno, com aumento de líquido (polaridade negativa) no local, para neutralizar e ocorre o edema intracelular. A nutrição e a oxigenação dentro da célula diminuem, o que leva a mais polaridade positiva, tornando o meio celular mais Yang e, portanto, aumentando o Yang e diminuindo proporcionalmente o Yin. Esse Yang vai aumentando até chegar ao máximo e começa a se transformar em Yin, levando à necrose (ou morte) celular. Na transformação do Yang para Yin, aparece o chamado Yang jovem que é o responsável pelo neoformação celular. Caso deixe de existir o bloqueio no CEP, o Yang jovem vai levar à formação de fibroblastos: é o processo de fibrose. Portanto, se, ao exame de Ultrasonografia ou anátomopatológico, houver fibrose, é indicativo de ter ocorrido todo o processo referido. FISIOPATOLOGIA DA PENETRAÇÃO DE ENERGIA PERVERSA COM CARACTERÍSTICA YIN As energias perversas de natureza Yin são Frio e Umidade. No local do bloqueio, vai ocorrer aumento da polaridade negativa ( ) fora do CEP. Alterando a polaridade dos nociceptores, ocorre a despolarização, com estímulo das fibras C. A localização da dor é difusa, regional, não localizada, profunda. Em relação às células, como há predomínio da polaridade negativa no seu interior, não vai aparecer água para neutralizar. Como esse estado dificulta o processo de difusão celular (entrada de oxigênio e nutrientes), a água também não entra e não ocorre o edema intracelular. Polaridade negativa = Yin = matéria = forma. Aumentando o Yin, aumenta a matéria e aumenta a forma: as células ficam maiores. Ao exame anátomo-patológico, tem-se a hipertrofia celular. Como a característica Yin é concentrar (enquanto o Yang se expande), vão se formar vacúolos intracelulares (células vacuolizadas são características Yin). Com a predominância de Yin no interior da célula (o semelhante atrai o semelhante), vai chamar células com característica negativa (com polaridade negativa). Portanto, uma das substâncias que se forma é a lipoproteína, levando a acúmulo de gordura. O exame anátomo-patológico evidencia degeneração gordurosa. Na MTC, significa que houve penetração da energia perversa com característica Yin. Não ocorre morte celular. FISIOPATOLOGIA DE PENETRAÇÃO DE ENERGIA PERVERSA COM CARACTERISTICAS YIN E YANG JUNTAS. Em caso de Umidade e Calor (juntos), tem-se uma forma híbrida das 2 situações apresentadas. Pode haver estímulos das fibras A delta e das fibras C. Neste caso, podem ocorrer dores ora localizadas ora difusas. Existe tanto polaridade positiva quanto polaridade negativa aumentadas. Na célula, pode se manifestar edema pelo fator Yang e hipertrofia por conta do Yin, porém nem um nem outro é acentuado. Como o Calor intracelular não é muito Yang, ocorre o estado morno (nem quente nem frio). Este estado morno promove a multiplicação celular. O exame anátomo-patológico vai evidenciar hiperplasia celular. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

4 Em caso de Umidade excessiva e Calor excessivo (juntos), a multiplicação celular pode se tornar anômala. Desta forma, podem se manifestar vários graus de multiplicação celular, o que corresponde à displasia celular que, inicialmente, ainda pode ser de forma benigna. Quanto mais aumenta a displasia celular, mais irregular se torna a multiplicação celular, não obedecendo a qualquer critério e podendo chegar à neoplasia.. MANIFESTAÇÃO DE DOR Pode ser em vários níveis: no início do processo, só existe dor com pressão no local ou com movimentos muito intensos. Todo este processo é a 1ª manifestação de dor e corresponde à estagnação no canal de energia. Trata-se da fase energética, onde o tratamento por ACP evidencia ótimos resultados. Caso não seja feito o tratamento, surgem as manifestações Funcionais, acompanhadas geralmente de processo inflamatório. Este processo é a 2ª manifestação de dor, piorando com os movimentos e mesmo em repouso. Trata-se da fase Funcional, onde o tratamento por ACP ainda pode trazer bons resultados. Evoluindo o processo patológico, vão se evidenciar as lesões instaladas. Trata-se da 3ª fase, orgânica, sem resultado satisfatório com a ACP. Se a dor tiver característica Yang: 1ª manifestação: piora com movimentos, calor, claridade, etc. 2ª manifestação: piora mesmo sem manifestações de natureza Yang e já existe processo inflamatório instalado. 3ª manifestação: ocorre necrose e posterior fibrose. Se a dor tiver característica Yin: 1ª manifestação: piora com repouso, frio, escuro, etc. 2ª manifestação: piora mesmo sem manifestações de natureza Yin e passa a iniciar a hipertrofia celular. 3ª manifestação: ocorrem a hipertrofia celular e a degeneração gordurosa. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

5 CEFALÉIAS Uma dor periférica (algia periférica) é uma algia que aparece na região externa do corpo. Esta é a definição que a MTC considera, mesmo que a causa seja interna. Nas cefaléias, não há tecido muscular somático (como está manifestando externamente, é considerada periférica). A MTC faz essa diferença porque a Fisiopatologia nas cefaléias utiliza o tratamento periférico. Essa dor periférica vai aparecer e persistir em 2 condições básicas: acontece porque existe Vazio de energia ou acontece porque existe estagnação de energia. Vazio de energia A região manifesta dor porque não há os substratos necessários para ela Funcionar. Se considerarmos a energia equivalente ao sangue, o Vazio corresponde à dor isquêmica. Na realidade, não há uma isquemia energética. Estagnação de energia A região manifesta dor porque, no ponto de estagnação, a energia não passa e começa a ocorrer um aumento exagerado da pressão antes do ponto, estimulando as terminações nervosas da região é a dor da Plenitude. Dependendo do que fez parar essa energia, as características dessa Plenitude podem ser diferentes. Para que a energia sofra uma estagnação, deve haver alguma anomalia que é a energia perversa (que pode ser Yang ou Yin). Geralmente, as dores de estagnação costumam ter característica Yang. Depois do ponto de estagnação, ocorre o Vazio: então, é comum ter as 2 características muito próximas, cada uma com os seus sintomas característicos. IMPORTANTE: para haver Vazio, não é obrigatório ocorrer estagnação no canal de energia o órgão pode estar produzindo energia insuficiente. ÓRGÃOS / VÍSCERAS QUE CUIDAM DA CABEÇA QUANTO ÀS DORES Região anterior. região frontal BP/E. sobrancelhas e Fundo do olho F. seios da face E. região temporal (como uma máscara) F e VB Região posterior. região occipital R. região paríeto-temporal VB. vértice (ou vértix) F Região lateral. região temporal/parietal VB. vértice F CANAIS DE ENERGIA QUE CUIDAM DA CABEÇA QUANTO À NUTRIÇÃO Região anterior CEP da B CEP do VG (DU MAI) CEP do E (atravessa a região por um canal secundário) Região lateral CEP da VB Região posterior CEP do VG (DU MAI) CEP da B CEFALÉIA FRONTAL YIN BP Trata-se de cefaléia na região frontal com as seguintes características: crônica, pouco intensa, com sensação de peso, dolorimento, piora com gelados, piora com o escuro. Está associada ao fator alimentar. Se o BP estivar em Vazio, tem-se a cefaléia do jejum (come e melhora). Se o BP APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

6 estiver em Plenitude, tem-se a cefaléia pelo excesso de alimento ou por comer à noite, por alimentação muito condimentada ou por bebidas fermentadas (ex.: ressaca de cerveja). : Como o CEP do BP não passa na cabeça, não há sentido em fazer tratamento desse canal: devese tonificar o órgão BP estimulando os pontos BP3 BP6 E25 VC12 E36 E44. Em seguida, deve-se fazer a energia do BP subir para a região encefálica pela estimulação do ponto E9 ( janela do céu ). Existem ainda pontos que se fazem em todos os casos de cefaléia (ancoram a energia na região que se deseja): no caso da cefaléia frontal, são os pontos B2 e VB14. CEFALÉIA FRONTAL YANG F Trata-se de cefaléia frontal supra-orbitária com as seguintes características: sensação de dor dentro do olho, que piora com a luz e com os movimentos. Costuma, em geral, ser horizontal, como se acompanhasse a sobrancelha. Tem componente emocional e também componente digestivo (o procedimento digestivo é feito pelo BP, com a ajuda do F). Em geral, tem a característica de vômito associado (parece enxaqueca) porque o F com aumento do Yang provoca distúrbio na Função do BP. Diagnóstico diferencial com a cefaléia do BP: é mais localizada, não tem a sensação de peso, tem a influência da luz, da emoção. Ela é mais Yang se apertar, dói porque tem excesso de Yang no local : Tirar o Fogo do F que está subindo para a cabeça, utilizando os pontos VG20 (ponto que tira o Fogo do F) VB20 VB14 VB34 VB43 F3 Yin Tang. Se houver vômitos e náuseas, acrescentar CS6 E44 BP4. Se a fotofobia incomodar muito, acrescentar ainda o ponto Tai Yang (pontuar em direção ao olho). CEFALÉIA FRONTAL YANG BP Trata-se de cefaléia do tipo ressaca, que piora com os movimentos, mais localizada na região frontal, com início mais definido, com característica em peso. É uma cefaléia do tipo falso Yang, sob a responsabilidade do BP, que costuma aparecer principalmente com alimentação excessiva. Neste caso, une as características Yang + peso (que costuma ser Yin). : Acrescentar os pontos CS6 E40 BP4 aos pontos apresentados no exemplo da cefaléia Yin do BP. CEFALÉIA FRONTAL YANG B Trata-se de cefaléia latejante, localizada, com irradiação para a região occipital. Deve-se pensar em CEP da B doente. Se irradiar do ponto B2 para o ponto B10, confirma-se o diagnóstico. : Circular o Tai Yang (porque é estagnação da víscera) com os pontos B66 B65 ID2 ID3. CEFALÉIA FRONTAL YANG VG (DU MAI) Trata-se de cefaléia Yang que se irradia para a parte alta da cabeça, caracterizando alteração do Du Mai. : Circular o Du Mai com os pontos ID3 VG20 VG14 R3 R7 B62 pontos locais. CEFALÉIA FRONTAL YANG E Trata-se de cefaléia frontal transfixante relacionada com o alimento, principalmente com sensação de plenitude gástrica (empachamento, eructação). : Palpar ID18 se for doloroso, deve-se fazer dispersão nesse ponto e fazer E45 com um pique para tirar uma gota de sangue E44 VB18 B2. Palpar E8 se for doloroso, fazer dispersão. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

7 CEFALÉIA DO VÉRTICE VG (DU MAI) Trata-se de cefaléia que irradia do vértice para a frente ou da região occipital para o vértice. A característica primordial do Du Mai bloqueado é a contratura paravertebral da região cervical. : Fazer os pontos ID3 VG20 VG14 R3 R7 B62. Fazer o ID3 com grande estímulo; às vezes, só este ponto pode ser suficiente. Há ainda 4 pontos extras que podem ajudar, todos situados a 1TSUN em torno do ponto VG20 (são os chamados 4 cavaleiros ). CEFALÉIA DO VÉRTICE F É mais localizada no alto da cabeça. Tem todos os dados propedêuticos próprios do F: emoção reprimida, raiva, alimentação ou bebidas destiladas, parte hormonal nas mulheres. Recebe o nome de cefaléia em capacete. : Deve-se circular o CEP do F (é o único CEP Yin que circula na cabeça) F2 F3 CS6 CS7 BP3 F5 F8 YIN TANG VG20 VB20. CEFALÉIA OCCIPITAL YIN R É difusa, com dolorimento e, em geral, mal definida. Corresponde à deficiência do R. : Tonificar o R. CEFALÉIA OCCIPITAL YANG B Em geral, tem o ponto B10 muito doloroso e se irradia para a frente. : Circular o CEP da B: B66 B65 ID2 ID3 e pontos locais da região occipital VG15 VB20 B10 VG20 VG14. CEFALÉIA OCCIPITAL YANG VB Em geral, o ponto VB20 é muito doloroso e se irradia para a região temporal. : Circular o CEP da VB: VB43 VB41 TA2 TA3 TA5 e pontos locais da região occipital VG15 VB20 B10 VG20 VG14. OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: em todos os casos de cefaléia em Vazio, utilizar os pontos janela do Céu que fazem a energia se direcionar para a cabeça: E9 P3 B10 IG18 VG20. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

8 CEFALÉIA SHAO YANG Trata-se de cefaléia na parte lateral da cabeça, também conhecida como enxaqueca ou hemicrânia. A VB é víscera e, portanto, tem característica Yang por isso, a dor também tem característica Yang (superficial, aguda, localizada e pulsátil). Sendo dor Yang, tem fatores de piora: são os fatores que aumentam o Yang, como a luz (claridade) que leva à fotofobia, o barulho que leva à fonofobia, o movimento, o calor, etc. Ainda como dor Yang, tem fatores de melhora (que aumentam o Yin), como o repouso, o local escuro, a ausência de barulho, compressas frias no local, etc. A VB é víscera do F, ou seja, o F alterado vai provocar alteração da VB que sofre estagnação em seu Canal de Energia, o que vai provocar a dor. Como víscera é Yang, a parte Yang do F é que está alterada. Geralmente, o que faz alterar o Yang do F é a raiva (emoção reprimida). Considerando os 5 Movimentos: VB/F doente o F manifesta-se no olho, com Função muito Yang (por isso tem fotofobia) o F é mãe do C (consciência), o que leva à ansiedade e à dor latejante no local porque o C é responsável pelos vasos sanguíneos o F é avô do BP/E, o que provoca náuseas, vômitos, empachamento, por dominância excessiva. Ainda neste processo, pode ir do BP/E para o R, podendo o paciente ficar com os pés frios durante a crise dolorosa e também levar à fonofobia porque o R é responsável pela audição. Ainda, existe comunicação entre o Canal de Energia Principal da VB e o ponto VG20 nos dois lados da cabeça: portanto, a dor pode ser uni ou bilateral. Deve-se promover a circulação do Canal Unitário Shao Yang, tonificar os pontos locais para ancorar a energia boa na região afetada, tonificar o Yin do F que está diminuído e aliviar o Yang excessivo do F. VB43 VB41 TA2 TA3 pontos que circulam Iong/Iu do Shao Yang. VB14 VB20 VB8 B10 B7 VG20 Tai Yang pontos locais. F3 F8 pontos que tonificam o Yin do F. VB34 VG20 (já feito) pontos que aliviam o Yang excessivo do F. Existe uma cefaléia Shao Yang específica, relacionada à mulher e ao aparelho ginecológico. É a CEFALÉIA SHAO YANG CATAMENIAL: o F relaciona-se com a matriz (útero e ovários) através do seu Canal de Energia Principal e do Canal de Energia Principal da VB nesta situação, quando a matriz está bloqueada, a energia da VB começa a subir (em vez de ser eliminada pela matriz) e vai para a região lateral da cabeça, acima da orelha, nos pontos VB3, VB4 e VB5. O diagnóstico é feito pela história ginecológica e pela palpação no ponto VB3: se for muito doloroso, deve-se substituir os pontos locais por VB3, VB4 e VB5, para o tratamento. Comentário: como o F está relacionado com a matriz, uma alteração na energia do F leva à alteração nas Funções do útero, como dismenorréia, TPM, endometriose, corrimentos, infecções, cancer do colo e do corpo uterino. Na verdade, a alteração do F leva o excesso de energia Yang para ser eliminado pela matriz enquanto está eliminando este excesso é que surgem as doenças ginecológicas. Para o tratamento da matriz, existem 3 pontos Fundamentais, que são B32, BP6 e VC3. Além disso, deve-se tonificar o Yin do F. VB43 VB41 TA2 TA3 pontos que circulam o Shao Yang. VB3 VB4 VB5 pontos locais. B32 BP6 VC3 pontos Fundamentais para tratamento da matriz. F3 F8 pontos que tonificam o Yin do F. VG20 VB34 pontos que aliviam o Yang excessivo do F. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

9 ARTICULAÇÃO TÊMPORO-MANDIBULAR ( ATM ) DOLOROSA A ATM está ligada ao Shao Yang (TA + VB). Pode-se considerar que a alteração na ATM está mais ligada à VB, que, por sua vez, está ligada à energia do F. A VB é a parte Yang do F e, portanto, os indivíduos que têm mais dor na ATM são os que têm aumento do Yang do F. Na primeira fase, pode apresentar dor sem qualquer anormalidade em exames complementares. Persistindo o aumento do Yang do F, passa a ocorrer o processo inflamatório e a mobilidade da ATM vai diminuir. A abertura normal da boca é de 5 a 7 cm: para saber se o paciente não está abrindo a boca adequadamente, deve-se fazer o teste da frouxidão ligamentar congênita. Este teste é feito elevando-se o polegar para trás normalmente, vai até 30º. Caso seja menor, existe endurecimento ligamentar e, consequentemente, é mais difícil abrir a boca: se esta dificuldade for unilateral, o indivíduo fica com o queixo torto, podendo ocorrer esse desvio, mesmo com a boca fechada. Como o processo inflamatório é aumento do Yang, pode chegar à necrose, evoluir para fibrose e artrose. Nestes indivíduos, predomina a emoção de irritação, raiva, tensão. Em Função desse estado raivoso, diz-se que a dor da ATM é de origem emocional. Estes indivíduos costumam ter também dor de cabeça lateral (enxaqueca) e dor de cabeça posterior (nucalgia) porque estão ligadas à VB (que é Yang do F). Por se tratar de acometimento do mesmo canal de energia da enxaqueca, é o mesmo tratamento: Existe um ponto muito importante que é E5. A ATM se situa na região ântero-lateral da face e toda manifestação ântero-lateral da face também corresponde ao CEP do E. Por isso, é que se deve usar o ponto E5 assim como o ponto E44 (este ponto é para puxar para baixo a energia estagnada no local). Na ATM com dor, existe aumento do Yang do F é como se fosse Calor preso na ATM e este Calor produz inflamação. O ponto E5, na verdade, quando estimulado, promove aumento do Wei Qi no local e faz diminuir o Yang. A agulha deve ser direcionada para o local afetado (se colocar a agulha perpendicularmente, o resultado não vai ser tão bom). Outro ponto importante é o VC23, que se localiza sobre o osso hióide. Este ponto, além de concentrar a energia do R, também aumenta o Wei Qi na região, por se tratar de local de entrada e saída desta energia. Para localizar esse ponto, pede-se para o paciente encaixar a mão na mandíbula, com o polegar voltado para baixo: o ponto fica onde o polegar termina. Ainda como pontos importantes, existem os que são relacionados diretamente com a ATM: são os pontos E6 e E7. Na fossa pré-auricular, há 3 pontos que são TA21, ID19 e VB2. Em vez de colocar 3 agulhas, pode-se colocar 1 agulha de baixo para cima, atingindo os 3 pontos: é a chamada técnica de transfixação. Às vezes, a ATM se associa com a contratura do músculo masseter. Para este tipo de tratamento, usa-se o ponto VB34, que tem o efeito de relaxar músculos de qualquer lugar do corpo. VB43 VB41 TA2 TA3 pontos que circulam o Shao Yang. E5 E44 pontos que puxam a energia estagnada. O ponto E5 ainda aumenta o Wei Qi no local. VC23 ponto que concentra a energia do R e estimula a entrada e saída de Wei Qi. E6 E7 pontos relacionados com a ATM. VB2 ID19 TA21 pontos locais. F3 F8 pontos que tonificam o Yin do F. VG20 VB34 pontos que aliviam o excesso de Yang do F. O ponto VB34 ainda relaxa a contratura do músculo masseter (tem o efeito de relaxar músculos em qualquer local do corpo). APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

10 ODONTALGIA O dente, na MTC, é considerado excedente de osso. O osso é proveniente do R; portanto, na odontalgia, ocorre deficiência de energia do R. Os dentes incrustados são incrustados na mandíbula. Entre os dentes e os ossos, existem estruturas que dão um espaço. Com o enfraquecimento do osso, esse espaço se retrai. O R ficando fraco, não dá substrato para o osso e, então, o espaço fica maior: ocorre a dor de dente por frouxidão dentária. O quadro mais acentuado pode levar à diminuição do tamanho da mandíbula (atrofia óssea) e tem-se a impressão que os dentes crescem. Se o dente está normal, é porque a energia do R está normal. A parte da gengiva está relacionada ao E e este está ligado ao BP. Então, se a energia do BP diminui, pode haver aumento da Umidade. Isto pode levar a uma hipertrofia gengival, que também causa dor. Quando o aumento da Umidade se transforma em Umidade e Calor, corresponde ao mofo (lembrar de roupa molhada guardada no guarda-roupa que provoca a formação do mofo). Este Calor pode vir do Yang do F ou da estagnação da Umidade e, quando esta Umidade chega na gengiva, manifesta-se a gengivite. Pode ocorrer situação de não ter gengivite, mas somente uma inflamação que é a perialveolite (também é Umidade e Calor na região de implantação do dente). Se a dor piora com a raiva, trata-se de dor provocada pelo aumento do Yang do F. O Canal de Energia que comanda os dentes é o CEP do IG, que se estende até o ponto E1. Portanto, dor de dente é doença do canal unitário Yang Ming (IG+E). Circular o Yang Ming com os pontos Iong/Iu. Para tratar o BP, associa-se um ponto importante que é o BP6 (onde ocorre a união de BP, F e R e, portanto, está-se tratando os 3 órgãos). Pontos locais inserir nos pontos IG19 e IG20 do mesmo lado da dor. Como o Wei Qi está baixo, usa-se o ponto E5 direcionado para o local da dor. Se a dor de dente for na arcada inferior (parte mandibular), usar o E6 do outro lado. Se a dor de dente for na arcada superior (parte maxilar), usar o E7 do outro lado. Existe uma regra simples, que é inserir a agulha no local doloroso, mesmo que não seja ponto de ACP. No caso de alteração no osso, deve-se tratar a deficiência de energia do R. No caso de gengivite: B23 B52 VG4. Fazer moxa em B20 e B21. E44 E43 IG2 IG3 IG4 pontos que circulam o Yang Ming. P11 ponto Ting do CEP do P que alivia a dor. BP6 ponto de união dos CEP do BP, F e R. CS6 E40 pontos que retiram Umidade/Calor de qualquer local do corpo. E5 IG19 IG20 pontos locais. O ponto E5 leva Wei Qi para o local. E6 inserir contralateral, caso a dor seja na arcada inferior. E7 inserir contralateral, caso a dor seja na arcada superior. R3 R7 pontos que tonificam o Yin do R, se houver alteração óssea. F13 B23 técnica Shu/Mo para harmonizar o R, se houver alteração óssea. Moxa em B20 B49 B21 B50 B22 B51 B23 B52 VG4 pontos que tratam BP, E, Aquecedor Inferior e R. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

11 TRIGEMEALGIA O nervo trigêmeo dá a sensibilidade da face e região anterior da cabeça. É predominantemente sensitivo e isto significa que é nervo aferente. Portanto, tem muito em comum com o mecanismo da ACP, onde as vias aferentes são de Fundamental importância. Em geral, a trigemealgia tem características próprias (muito Yang): dor aguda, de intensidade muito grande, localização mais definida em hemi-face, rapidez muito grande para a resolução (ocorre em picos) e ponto gatilho (aparece com determinados estímulos, como a mastigação, por ex.). É dor que provoca sensação extremamente desagradável e emocional, levando o paciente a sentir medo e insegurança. É dor muito Yang e costuma ocorrer em mulheres com mais de 50 anos de idade, porque o F é que rege a mulher. Órgãos responsáveis pelo Yang: C F E (são estruturas Fogo). O E é responsável pela região que nutre o nervo trigêmeo. O F é responsável pela doença do nervo (o F é responsável pelos nervos). Tanto o F quanto o E estão cheios de Fogo. Ocorre mais após os 50 anos porque a mulher se torna mais Yang. A energia do R cai na velhice, ocorrendo desarmonia, que se torna mais evidente com aumento do Yang (pela queda do Yin do R). O F e o E em desarmonia (F em Fogo e E estagnado) levam à Plenitude Yang. O nervo trigêmeo é um nervo profundo que se exterioriza através de determinados pontos nos ossos da face (forame mental, forame infraorbital, etc.) esses são os pontos de ACP. Etiologia provável 1 Causas que podem promover o Fogo no F: diminuição do Yin do F e aumento do Yang por fator emocional, uso de substâncias tóxicas (medicamentos) que diminuem o Yin do F, idade (envelhecimento), fadigas, distúrbios hormonais. 2 Causas que podem bloquear o CEP do E: energias perversas que penetram pelo CEP do E (a MTC considera que ocorreria no Canal Tendino Muscular do E e não no Canal de Energia Principal), como a Mucosidade, que é bastante frequente. Esta Mucosidade pode ocorrer em doenças inflamatórias, infecciosas, tumorais. Como a Mucosidade determina a formação de doenças, também pode provocar o bloqueio do CEP do E. O diabetes gera mucosidade, o alcoolismo gera mucosidade. Em geral, os pontos gatilhos devem ser extremamente respeitados, no tratamento: o paciente costuma procurar o médico depois da crise se for feita ACP nos pontos, pode-se desencadear nova crise de dor. Portanto, deve-se obedecer à regra da MTC: nas dores agudas, faça o tratamento ao oposto com isto, se evita o risco de atingir o ponto gatilho. Portanto, como se manifesta em hemiface, fazer o tratamento do lado oposto. IMPORTANTE : quando existe doença em Plenitude, com a introdução de energia boa pela ACP, pode-se acentuar a dor, pelo aumento da quantidade de energia no local. Portanto, se for feito o tratamento nos pontos contralaterais, leva-se a energia boa a expulsar a energia perversa de forma mais suave (ocorre uma limpeza menos contundente). Pode-se ter casos de dor aguda, com queixas recentes e casos de crises de repetição há vários anos (crises recorrentes). Tratar o Canal Tendino Muscular do E ponto ID 18 (ponto com sensibilidade dolorosa acentuada) em dispersão. Lembrar sempre de fazer ACP do lado oposto. Se o paciente tiver crise de dor no consultório, fazer sangria no ponto da dor. Se o paciente não tiver crise de dor, fazer ACP no ponto contralateral. Para sangrar, deve-se utilizar agulha de injeção: Furar, colocar uma seringa comum cortada e fazer uma ventosa para sugar. Deve-se fazer o ponto Ting do E, do mesmo lado da sintomatologia dolorosa, com sangramento, independente de haver dor ou não quando se está tratando. Deve-se ainda harmonizar o F e tonificar o Yin do F. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

12 ID18 ponto de reunião dos CTM Yang do pé contralateral. E45 ponto Ting do E. Este ponto deve ser sangrado E44 E36 E25 pontos para fazer descer a energia perversa do E, do mesmo lado da dor. E2 E3 E5 E6 E7 IG20 pontos locais, contralateral. F3 F8 pontos para tonificar o Yin do F, bilateral. F14 B18 B47 sistema Shu/Mo do F, bilateral. VB34 VB43 pontos que dispersam o Yang excessivo do F. Os pontos locais da face e ID18 (contralaterais) devem ser feitos com sedação. Todos os demais devem ser feitos com tonificação. Se for um paciente com crises recorrentes, deve-se tratar com os pontos F3 F8 IG2 IG3 E43 E44, bilateral e pontos contralaterais E2 E3 E5 E6 E7 IG20. Como a pontuação é só para alívio da sintomatologia dolorosa, deve-se tomar outras medidas para tentar cuidar da etiologia : se for componente emocional, acrescentar o Yin Tang Tai Yang VC17 CS6 C7. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

13 CERVICALGIA CERVICOBRAQUIALGIA A MTC não divide as dores da coluna por segmentos. Considera todo o conjunto, com diferentes períodos de sintomatologia dolorosa. AFECÇÃO DO CANAL TENDINO MUSCULAR DO CANAL CURIOSO DU MAI O Du Mai passa pela coluna vertebral. Na ponta do cóccix, existe o ponto VG1 que é o primeiro ponto desse Canal. É como se fosse o ponto Ting (na realidade não é): a partir desse ponto, sai um Canal Tendino Muscular que vai se espalhando pela pele e tecido celular subcutâneo adjacente, até o ponto VG16. O Canal Tendino Muscular é a primeira barreira contra a penetração das energias perversas (circula Wei Qi em seu interior). Caso as energias perversas superem o Wei Qi, pode ocorrer a sua penetração pelo Du Mai. Estas energias perversas podem ser o Calor (Yang) ou o Frio (Yin). Qualquer das energias perversas que penetre, vai provocar alteração muscular. Penetração de energia perversa Calor (Yang) O músculo se contrai e diminui de comprimento. Se ocorrer só de um lado, o músculo se contrai desse lado e ocorre a escoliose. Se acometer dos dois lados, com a diminuição do comprimento bilateral dos músculos, o indivíduo vai perder as curvaturas normais (cifose e lordose). Se chegar à coluna cervical, perde a lordose normal, ocorrendo a retificação da coluna cervical. Se for na coluna dorsal, perde a cifose normal e fica como tábua. Penetração de energia perversa Frio (Yin) Existe enrijecimento muscular, mas não há contração muscular e, portanto, não ocorre diminuição do comprimento. Neste caso, se acomete a coluna lombar, embora haja o enrijecimento, não ocorrem nem a perda da cifose normal nem a escoliose porque não há retração muscular. As dores sempre começam pela região lombar. Daí, atingem a região dorsal e, posteriormente é que vão atingir a região cervical: então, uma cervicalgia aguda nada mais é do que uma cervicalgia crônica agudizada, ou seja, o indivíduo já tem a forma crônica de comprometimento da coluna total (já houve penetração de energias perversas há tempos) e, com certeza, já teve dor lombar em alguma época. Se o indivíduo se queixar de dor em toda a coluna, o primeiro diagnóstico é o comprometimento de todo o Du Mai. Se o paciente se queixar de dor cervical, deve-se investigar se já manifestou dor lombar anteriormente: geralmente, a resposta é positiva. Se o paciente responder que nunca teve dor lombar anteriormente, então provavelmente não se trata de penetração de energias perversas pelo Du Mai, a partir do ponto VG1. Para fazer o diagnóstico diferencial entre energia perversa Yin ou Yang, deve-se questionar os fatores de melhora e de piora da sintomatologia dolorosa. É necessário fortalecer o ponto VG1 com moxa, para não haver mais penetração de energias perversas. Para aumentar a energia circulante em toda a coluna vertebral, usa-se o ponto VG16. Deve-se fazer ainda a abertura do Du Mai/Yang Qiao Mai. Resumo de tratamento VG1 VG16 pontos que evitam a penetração de mais energias perversas e fortalecem a energia da coluna. ID3 B62 pontos de abertura do sistema Du Mai/Yang Qiao Mai. AFECÇÃO DO CANAL CURIOSO DU MAI (é direta, não penetrando pelo ponto VG1) O organismo está em contato direto com as energias perversas de origem celeste (chuva, calor excessivo, vento frio, etc.) que podem atingir a face (é a parte descoberta do corpo humano). APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

14 Uma via de entrada pode ser o CEP do E, através do ponto E1 daí, vai para o ponto B1 e segue o trajeto do CEP da B, chegando em B10 e VG16. A partir do ponto VG16, vai penetrar no Du Mai e descer pela coluna (é trajeto oposto ao anterior). Outra via de entrada da energia perversa pode ser o Canal Unitário Shao Yang (TA+ VB), pelo ponto VB20. Daí, segue para os pontos B10 e o VG16. Outra via de entrada pode ser diretamente no CEP da B, através do ponto B1. Daí, vai para B10 e VG16. As energias perversas que penetram por estas vias atingem diretamente o Du Mai e a coluna vai ser afetada, mas não necessariamente os músculos paravertebrais. Portanto, o paciente pode ficar com o pescoço duro, com dificuldade para a flexão, mas sem contratura muscular, à palpação. Característica importante: quando afeta o primeiro segmento da coluna cervical (C1), demora 1 dia para afetar o segmento seguinte (C2) e daí por diante. Portanto, demora 7 dias para afetar toda a coluna cervical e provocar sintomatologia dolorosa. Para atingir toda a coluna dorsal, vai demorar mais 12 dias. : Deve-se circular o Du Mai com os pontos de abertura No caso de cervicalgia, é necessário canalizar a energia para a região cervical, apontando a agulha para essa região. ID3 B62 pontos de abertura do sistema Du Mai/Yang Qiao Mai. VG16 VG14 o ponto VG16 deve ser direcionado para baixo, enquanto o ponto VG14 deve ser direcionado para cima, objetivando a concentração de energia boa na coluna cervical. IMPORTANTE: sempre que houver dor em coluna vertebral, qualquer que seja a localização ou a origem, usar os pontos B62 e ID3. O ponto ID3 é Fundamental em casos de contratura cervical. Quando o Wei Qi for igual à energia perversa, pode ocorrer de esta ficar encapsulada. Podem se formar nódulos localizados (que os reumatologistas chamam de nódulos reumáticos) ou pontos de contração: são os chamados PONTOS ASHI ou pontos de dor. Pode-se ter, então, vários pontos Ashi ao longo do trajeto da coluna. Esses pontos costumam ser de tamanhos diferentes, com sintomatologia dolorosa proporcional ao seu tamanho. Às vezes, ao se tratar a dor maior, esta melhora e começa a se evidenciar uma dor menor (que antes o paciente não percebia) e daí por diante. O tratamento deve ser de analgesia. CERVICALGIA TAI YANG Acometimento do Canal Unitário Tai Yang (ID+B). A penetração de energia perversa se origina no CEP da B. Também pode subir pelo Du Mai, atingir VG16 e daí para B10, chegando ao CEP da B. Pode haver contratura muscular porque o CEP da B se situa na musculatura paravertebral. Há dificuldade para os movimentos de flexão, melhorando com a extensão da cabeça. Ao R-X, pode haver aumento da lordose cervical devido à retração do CEP da B, que encurta. Os movimentos laterais ficam preservados. Apesar de ser uma afecção da parte muscular, a parte óssea começa a sofrer um processo de isquemia que leva a um processo inflamatório (diagnóstico de bursite) pode ocorrer degeneração e diminuição do espaço interósseo, frouxidão dos ligamentos e protrusão discal. Na região lombar, pode ocorrer aumento da lordose. Consiste em circular o Tai Yang e o Du Mai, com a finalidade de circular energias boas nesses canais, APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

15 B66 B65 ID2 ID3 B62 pontos que circulam o Tai Yang e o sistema Du Mai/Yang Qiao Mai. B40 (antigo B54) ponto Ho de União Inferior da B, para levar qualquer energia perversa para baixo. B10 B60 pontos para empurrar e puxar energias perversas, respectivamente. CERVICALGIA SHAO YANG Acometimento do Canal Unitário Shao Yang (TA + VB). A penetração de energia perversa se origina em CEP de VB (pelo ponto VB20). Atinge a parte lateral do pescoço, provocando retração da musculatura lateral e levando ao torcicolo. Há limitação de movimentos laterais. O movimento de flexo-extensão costuma ser livre. É frequente em pessoas nervosas, devido à ligação da VB com o F. Circular o Shao Yang, tonificar o Yin do F, harmonizar o Qi do F. VB43 VB41 TA2 TA3 TA5 pontos que circulam o Shao Yang. F3 F7 pontos que tonificam o Yin do F. VG20 VB34 pontos que aliviam o excesso de Yang do F. F14 B18 B47 sistema Shu/Mo do F. PRÁTICA: se não melhorar com o ponto VB34, usar o ponto B40 porque deve se tratar de Cervicalgia Tai Yang. COMENTÁRIO: a energia perversa, ao penetrar pelo ponto B10, pode seguir outras vias. Pode descer pelo CEP da B e chegar a provocar ciatalgia. Pode ir para o ponto VB20, levando à cefaléia Shao Yang. Pode seguir o trajeto do CEP do TA, provocando uma braquialgia. Pode seguir o trajeto do CEP da VB para baixo, atingindo a parte lateral do quadril, coxa, perna e pé. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

16 CERVICOBRAQUIALGIAS A Medicina Ocidental considera a cervicobraquialgia como uma doença independente. Na verdade, está obedecendo ao trajeto dos CEP, principalmente do ID e da VB. Estes 2 canais, quando afetados por energias perversas, podem provocar dor. O Yang corresponde ao exterior, enquanto o Yin corresponde ao interior. Trazendo esta noção em relação aos CEP, sabe-se que o ID tem o CEP mais externo e, portanto, mais Yang. Além disso, tem conexão com o Intestino Delgado, que está na parte inferior e, portanto, na parte Yin. A energia perversa vem do exterior e promove o bloqueio no CEP e, com isso, a dor. Ex.: indivíduo que trabalha com produtos congelados (como o peixeiro, por ex.) o Frio está continuamente penetrando, sendo o Tai Yang o primeiro Canal Unitário afetado, por ser o mais externo. Dentro do Tai Yang existe muita água: por isto, é chamado de Canal Grande Água. Esta situação ocorre com o objetivo de combater a energia perversa Calor que vem do exterior. Desta forma, as energias perversas que têm mais possibilidade de penetrar e chegar ao interior do corpo são o Frio e a Umidade. O Shao Yang tem média Água e o Yang Ming tem pouca Água. Observação: a Água mencionada refere-se à energia de natureza Yin. Ex.: colocar a mão na água quente e na fria quando se retira a mão da água quente, o calor da mão logo melhora, enquanto que, quando se retira a mão da água fria, o frio demora mais para melhorar. Ex.: é mais fácil ocorrer bloqueio em um rio com correnteza lenta do que em um rio com correnteza rápida. Frente a uma queixa de cervicobraquialgia em que não houve exposição à energia perversa Calor nem à energia perversa Frio, exclui-se o fator externo. Deve-se perguntar ao paciente a respeito de doenças dos órgãos internos (não necessariamente deve ser do Intestino Delgado ou da Vesícula Biliar). Ex.: um paciente com tristeza, tosse, dificuldade respiratória, história de infecções de vias aéreas tem deficiência em CEP do P. Como este está diretamente ligado à energia do C, pode atingir o ID e daí ocorrer o bloqueio no Tai Yang. CERVICOBRAQUIALGIA TAI YANG Às vezes, pode ocorrer o seguinte fenômeno: a dor é de origem externa, devido à energia perversa que penetra pelas mãos ou pelas pernas. Vai subir e se irradiar para o Tai Yang. Se a obstrução do Tai Yang for muito grande, a energia perversa pode, por exemplo, parar no ombro, não conseguindo progredir e a estagnação pode até refluir: é dor centrípeta (dor de ombro que está voltando para o braço). Dor com irradiação contrária ao fluxo de energia de um canal é centrípeta. Dor em canal Yang da mão (centrípeto), onde foi feito tratamento e voltou, é iatrogenia. Quando se trata o canal Yang do pé (centrífugo) por lombalgia e passa a ter dor ciática, é bom sinal (porque está no mesmo sentido do fluxo de energia do canal). Quando se trata o canal Yin do pé (centrípeto) por lombalgia e passa a ter dor ciática, é mau sinal (porque está no sentido contrário ao fluxo de energia do canal). Em qualquer trajeto do ID, pode-se ter dores: no punho (ID + C), no cotovelo (ID + P), no ombro (ID + F + R), etc. A dorsalgia do ID manifesta-se mais na região da escápula. Devido a conexão com o CEP da B, a dor tende a descer acompanhando a coluna. Quando se fala em cervicobraquialgia, na realidade é braquiocervicalgia. Resumindo: a energia perversa entra pelo CEP do ID, acometendo o ID e em seguida o B: dor cervical. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

17 Em termos de tratamento e prognóstico, a braquiocervicalgia é melhor porque segue o fluxo normal. Caso não seja feito o tratamento, vai atingir o canal mais profundo que é o Shao Yang. Circular o Canal Unitário Tai Yang. Se não houver melhora, deve-se fazer analgesia em P5. B66 B65 ID2 ID3 pontos que circulam o Tai Yang. P5 ponto Ho (ponto Água) do CEP do P, para analgesia. CERVICOBRAQUIALGIA SHAO YANG Outro canal semelhante é o CEP da VB. Também tem o trajeto passando pelo dorso, onde tem um ponto importante que é o VB21. A dorsalgia do VB se localiza na fossa supraespinhal da escápula: inicialmente a dor pode começar em VB21 e ocorrer bloqueio nesse ponto, mas a dor continua a subir, indo para a região anterior do torax (grande peitoral): o paciente pode sentir dor precordial. Palpar VB21: se tiver muita dor, é do CEP da VB; se tiver pouca dor, provavelmente é do CEP do ID. Então, palpa-se B10 ou ID9 (este ponto é profundo), devendo o paciente sentir dor. Circular o Canal Unitário Shao Yang e fazer pontos locais. VB43 VB41 TA2 TA3 pontos que circulam o Shao Yang. VB21 B10 ID9 pontos locais. APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

18 INTERCOSTALGIA As dores intercostais (partes antero-laterais e póstero-laterais) dividem-se em superficial e profunda. INTERCOSTALGIA SUPERFICIAL Palpando o local, manifesta-se a dor (existe região limitada de algia). Sempre é patologia do CEP da VB, senso diagnosticada pela palpação dolorosa dos pontos VB21 VB22 até VB26 e daí vai seguindo até VB41 (este ponto é o que melhor dá o diagnóstico de comprometimento do CEP da VB e deve ser palpado com a lateral do dedo porque é profundo). Costuma ocorrer o comprometimento do CEP da VB por penetração de Umidade/Calor que atinge o trajeto do nervo intercostal e se irradia segundo esse trajeto. Para confirmar, palpa-se o ponto JIAJI correspondente (meia distância entre o ponto B19 e a linha mediana) e o paciente vai sentir dor. Devido à Umidade/Calor, pode haver proliferação do vírus da varicela latente no gânglio espinhal e se manifestar o Herps Zoster. É igual ao da cervicobraquialgia Shao Yang + pontos locais. Estes pontos locais podem ser feitos da seguinte forma: delimita-se o local e se coloca uma agulha em cada extremidade, com a ponta da agulha voltada para o local da dor. Estes pontos locais só devem ser feitos por quem tem experiência. As agulhas sempre devem ser colocadas em sentido oblíquo e com esparadrapo, para evitar o risco de pneumotórax. Quando houver neurite associada à dor lateral, deve-se fazer também dispersão no ponto JIAJI (no mínimo, 3 pontos JIAJI do mesmo lado). Usa-se ainda, na fase aguda do Herps Zoster, os pontos CS6 e E40, para retirar Umidade/Calor. VB43 VB41 TA2 TA3 pontos que circulam o Shao Yang. Pontos locais em torno do ponto mais doloroso (agulhas inseridas obliquamente e presas com esparadrapo). CS6 E40 pontos que retiram Umidade/Calor. OBSERVAÇÃO: os chamados pontos JIAJI foram descobertos recentemente e situam-se a meia distância entre o processo espinhoso das vértebras e os pontos SHU dorsais, desde a região cervical até a região sacra. Não são pontos de canais de energia: são pontos extras. INTERCOSTALGIA PROFUNDA Ocorre sempre por comprometimento do CEP da VB, que é o que energiza a parte lateral do corpo. O CEP da VB tem trajeto profundo que circula dentro do torax, iniciando em VB22 e voltando a se exteriorizar em VB23. Este trajeto profundo é circular, indo da parte anterior para a posterior. Quando ocorre bloqueio nesse trajeto interno, surge dor característica: bilateral, profunda (o paciente não sabe definir o local doloroso, mostrando uma área interna que não consegue definir), sem dor à palpação superficial (à palpação da parte somática). A palpação é dolorosa apenas nos pontos VB22 e VB23 e é extremamente importante para o diagnóstico. Comentário: o CEP da VB é um canal associado a uma víscera muito particular que é a Vesícula Biliar (alguns autores consideram como víscera curiosa). É considerado, junto com o TA, um canal charneira (Shao Yang) que une a parte interna à parte externa. Sendo um canal de muito movimento de energia (comparado com o trânsito, onde muito movimento pode congestionar), está mais sujeito a ter bloqueio e dor (na MTC, o congestionamento leva a bloqueio e dor). Outra característica é a ligação com o TA que representa, para o corpo, uma estrutura energética que faz os órgãos Funcionarem e, ao mesmo tempo, conduz a água relacionada à manutenção do padrão morno. O TA é acoplado do CS que, por sua vez, é protetor do C (é como se fosse um ministro do C). O Fogo ministerial existente no CS (canal Yin), quando chega na periferia, transmuta em Água no TA (canal Yang). Desta forma, o TA é responsável pela Água que está APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

19 esfriando o CEP da VB. Por outro lado, como o C guarda o Shen mental, um distúrbio na esfera psíquica pode desarmonizar o sistema Fogo-Água e se refletir em Secura no Shao Yang, o que favorece o bloqueio e a dor. Então, trata-se de um distúrbio de origem interna (como a alteração do psiquismo, por exemplo) que leva à Secura do CEP da VB (lembrar que o que é mais seco, é mais fácil de se estragar). Como toda dor periférica em MTC (relacionada aos canais de energia), deve-se sempre a um bloqueio da energia, sendo, portanto, necessário desbloquear e fazer a circulação do Qi. Em primeiro lugar, deve-se abrir os pontos, ou seja, dispersar VB22 e VB23, para que o CEP da VB possa ser bombardeado com mais energia. Para fazer a energia circular melhor no SHAO YANG, faz-se os pontos Iong/Iu. Deve-se também acalmar o Shen mental. Deve-se, ainda, fazer a harmonização da energia do Fogo ministerial com moxa. A moxa, nestes pontos, harmoniza o Fogo ministerial, colocando Água (aumentando o Yin) e corrigindo a Secura que provoca o bloqueio no CEP da VB. VB22 VB23 fazer dispersão para abrir estes pontos. VB43 VB41 TA2 TA3 TA5 pontos que circulam o Shao Yang. VG20 Yin Tang Tai Yang VC17 CS6 C7 pontos que acalmam o Shen mental. B14 B43 B15 B44 B22 B51 B23 B52 moxa nos pontos Shu dorsais de CS, C, TA e R, respectivamente. DOR NÃO ESPECIFICADA COMO INTERCOSTALGIA Existe uma outra dor no torax que não é intercostalgia. É profunda e representa uma situação propedêutica grave. Pode aparecer de duas formas: iniciar como dor inter-escapular que se irradia para a parede anterior do torax ou iniciar como uma epigastralgia que se irradia para a região inter-escapular. Não tem trajeto intercostal, é mais como uma dor transfixante, indo de um ponto para outro diretamente. Trata-se do trajeto SHU/MO do Coração e a dor é mais definida onde aparece o bloqueio: se for no ponto SHU, é dor interescapular inicial e, se for no ponto MO, é dor epigástrica inicial. Ambas são graves. O ponto MO inicial é mais grave porque o MO é mais interno (é mais Yin): significa comprometimento do órgão, mais profundo. O ponto SHU inicial pode ser grave, mas o tratamento apresenta melhor resultado, se diagnosticado rapidamente. Diagnostico: a dor, em geral, é de caráter repetitivo, e o paciente costuma prestar bastante atenção por incomodar bastante. Não tem o caráter intercostal (o paciente pode fazer analogia, como uma punhalada) e tem o ponto de partida bem definido. A dor não é pulsátil e não dói à palpação somática. Tem o caráter mais constante de bloqueio. No entanto, o Imperador dos órgãos (C) não pode ficar bloqueado continuamente: ocorrem períodos de melhora e piora alternadamente (o paciente refere dor com períodos de acalmia e mostra o ponto B15 ou o ponto VC14). Se referir dor inicial no ponto B15 (SHU), palpando-se o ponto VC14 (MO) evidencia dor. Se referir dor inicial no ponto VC14 (MO), palpando o ponto B15 (SHU) evidencia dor. Conduta encaminhar imediatamente ao cardiologista para proteger o Coração orgânico. Como se trata geralmente de alteração energética precedendo alteração orgânica, pode ser um diagnóstico precoce de infarto do miocárdio, que vai ocorrer em época não determinada, mas que pode ser muito breve. Técnica de harmonização Shu/Mo: tratar os pontos Shu e Mo, mas, antes, deve-se proteger o Coração. Toda vez que for tratar o Imperador, deve-se pedir licença ao Ministro: fazer o ponto CS6, podendo até aliviar a dor no início da sintomatologia. A seguir, deve-se mandar energia para o C: ponto Ting (poço onde brota energia). Como o C não faz nada e não fabrica energia, o seu ponto fonte de energia (não é o ponto IU) é o que leva energia. O ponto Ting deve ser limpo APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

20 (provavelmente está sujo, com impurezas): deve-se sangrar para limpá-lo. Tirar em média 1 gota de sangue (sangrar pouco porque o C é delicado, não manipula energia). Se o sangue estiver muito escuro, pode-se tirar no máximo 2 gotas. Às vezes, pode-se Furar mais, inadvertidamente neste caso, deve-se fazer pressão no local para não sair mais do que deve. Independente de haver dor ou não, faz-se a técnica Shu/Mo. Deve-se fazer a moxa nos pontos Shu do C e do P porque são interdependentes. CS6 ponto Luo do CEP do CS para proteger o C. C9 (sangrar) ponto Ting do C para energizar. VC14 (agulha) B15 (moxa) pontos Mo e Shu do C, respectivamente. B13 (moxa) ponto Shu do P. O ponto Mo (VC14) pode estar doloroso por Plenitude ou por Vazio (o Vazio é por falta de energia). Quando o ponto Mo está em Vazio, a dor não é espontânea e a palpação não costuma ser dolorosa: não se deve pontuar. Como regra geral, se o ponto Mo estiver doloroso, coloca-se agulha e, se não estiver doloroso, não se coloca agulha. IMPORTANTE: todas as vezes que se tratar o C, deve-se tratar o R. A rigor, sempre que se fizer o ponto Shu do C, deve-se fazer também o ponto Shu do R (B23) e tonificar o R com R3 e R7. Um ponto que não é do R, mas fortalece a sua energia é o E36. Este ponto E36 também mobiliza o Yang ancestral do R. Usa-se VC4 (tônico energético/yang) quando o R está com boa energia. Usa-se E36 (tônico orgânico/yin) quando o R não está com boa energia. COMENTÁRIO como existe desarmonia C/R, há aumento do Fogo pelo fato de o R estar fraco neste caso, o paciente pode referir insônia (Fogo na cabeça). DOR DO LUO DO ESTÔMAGO Existe ainda uma outra dor interna do torax: é a dor do Luo do Estômago (não tem nada a ver com o ponto LUO do CEP do E). É uma dor típica de Coração e o paciente tem convicção de que vai ter infarto. O trajeto interno do CEP do E passa pelo Coração e termina no PONTO E17 (no mamilo), mas não é dor no Coração. Diagnóstico: trata-se dor em crises, parecida com a angina, sempre pós-prandial e o paciente costuma ter queixas gástricas associadas, como empachamento, eructação, pirose, náuseas. Fazer a técnica Shu/Mo do E; dispersar o ponto E18 e energizar o CEP do E. VC12 (agulha) B21 (moxa) pontos Mo e Shu do E, respectivamente. E18 fazer dispersão somente do lado esquerdo (a 1 E.I.C. abaixo do mamilo). E36 BP6 pontos de suporte para o CEP do E. Atenção nunca deve ser feito qualquer tratamento no ponto E17. DORSALGIA / DORSOLOMBALGIA Em geral, está associada aos órgãos internos (na MTC, sempre se deve pensar em algum órgão doente, quando houver dorsalgia ou dorsolombalgia). Deve-se analisar como uma patologia que está vindo de outro lugar e se expressando na coluna torácica/lombar. Costuma ser indício de patologia energética: por isto, é recomendável a pesquisa de órgãos internos deficientes que exteriorizam a sua Função Yang nos pontos SHU. Pode APOSTILA DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO EM MEDICINA CHINESA-ACUPUNTURA DO CENTER AO

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS

ATM CERVICALGIAS DORSALGIAS Center-AO Centro de Pesquisa e Estudo da Medicina Chinesa Universidade Federal de São Paulo Departamento de Ortopedia e Traumatologia Disciplina de Ortopedia Setor de Medicina Chinesa-Acupuntura ATM CERVICALGIAS

Leia mais

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1

LOMBALGIA. Segundo Bernard Auteroche. instituto de acupuntura tradicional 1 LOMBALGIA Segundo Bernard Auteroche instituto de acupuntura tradicional 1 instituto de acupuntura tradicional 2 Fisiologia Energética n A MTC, através da acupuntura, nos ensina que o corpo humano é recoberto

Leia mais

ESTUDO DOS TRAJETOS DOS CANAIS DE ENERGIA TENDINO-MUSCULARES

ESTUDO DOS TRAJETOS DOS CANAIS DE ENERGIA TENDINO-MUSCULARES 1 ESTUDO DOS TRAJETOS DOS CANAIS DE ENERGIA TENDINO-MUSCULARES. Os Canais de Energia Tendino-Musculares não acompanham a alternância do Yang e do Yin, nem a relação Interior-Exterior, mas sim o sistema

Leia mais

PONTOS DE ACUPUNTURA CONCEITO LOCALIZAÇÃO INSERÇÃO e MANIPULAÇÃO DAS AGULHAS MÉTODOS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO CLASSIFICAÇÃO TE Qi

PONTOS DE ACUPUNTURA CONCEITO LOCALIZAÇÃO INSERÇÃO e MANIPULAÇÃO DAS AGULHAS MÉTODOS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO CLASSIFICAÇÃO TE Qi PONTOS DE ACUPUNTURA CONCEITO LOCALIZAÇÃO INSERÇÃO e MANIPULAÇÃO DAS AGULHAS MÉTODOS DE TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO CLASSIFICAÇÃO TE Qi Dr. Henrique Sidi CONCEITO ENERGÉTICO - representação mais exterior dos

Leia mais

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA

AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA AULA DE HÉRNIA DE DISCO: TTO. ATRAVÉS DA ACUPUNTURA A doença não é uma Entidade mas uma condição flutuante do corpo do paciente, uma batalha entre a substância da doença e a tendência natural do corpo

Leia mais

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA

EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA EMBRIOLOGIA ENERGÉTICA FECUNDAÇÃO: ovócito + espermatozóide multiplicação celular durante os primeiros dias o embrião tem forma arredondada (fase de mórula) por volta do 12 º dia, vai passando para uma

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07. Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 07 QUESTÃO 17 Acerca da história da Acupuntura, todas as afirmativas estão corretas, EXCETO: a) Há 3.000 anos, agulhas de bronze e a pedra bian eram usadas como

Leia mais

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional

Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Centro Brasileiro de Acupuntura Acupuntura Aplicada a Ginecologia e Obstetrícia Prof.: Marcelo Brum Elementos de Fisiologia Feminina Tradicional Aparelho Genital Feminino: Abrange: Útero; Ovários; Trompas

Leia mais

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Quais as funções do esqueleto? 2. Explique que tipo de tecido forma os ossos e como eles são ao mesmo tempo rígidos e flexíveis. 3. Quais são as células ósseas e como

Leia mais

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO ACUPUNTURA NO TRATAMENTO DE CEFALÉIAS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO Se o problema tem solução, não esquente a cabeça, porque tem solução. Se o problema não tem solução, não esquente a cabeça,

Leia mais

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES

MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES MEDICINA TRADICIONAL CHINESA, ACUPUNTURA E TERAPIAS AFINS INDICAÇÕES www.shenqui.com.br Na década de 80, após 25 anos de pesquisas, em renomadas instituições do mundo, a OMS publicou o documento Acupuncture:

Leia mais

Acupuntura Escalpeana Craniopuntura de Yamamoto. Escola Chinesa Escola Japonesa. Professora Tânia Mara Flores Email: taniamaraflores@gmail.

Acupuntura Escalpeana Craniopuntura de Yamamoto. Escola Chinesa Escola Japonesa. Professora Tânia Mara Flores Email: taniamaraflores@gmail. Acupuntura Escalpeana Craniopuntura de Yamamoto Escola Chinesa Escola Japonesa Professora Tânia Mara Flores Email: taniamaraflores@gmail.com A craniopuntura divide-se em duas escolas: Chinesa e Japonesa

Leia mais

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO)

FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) FLUIDOS CORPÓREOS (JIN YE) OU FLUIDOS ORGÂNICOS JIN = ÚMIDO = ALGO LÍQUIDO YE = FLUIDO DE ORGANISMOS VIVOS (DAS FRUTAS, POR EXEMPLO) JIN - FLUIDOS YE - LÍQUIDOS PUROS, CLAROS, AQUOSOS, DILUÍDOS TURVOS,

Leia mais

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA

dr-cesar TERAPIAS ENERGÉTICAS CURSOS AMBULATÓRIO E CONSULTORIA CRANIOPUNTURA DE YAMAMOTO - YNSA Dr. Wu Tou Kwang www.ceata.com.br Na YNSA, como em qualquer outro microssistema, não existem pontos, nem regiões delimitadas, mas apenas áreas com limites dinâmicos, variando

Leia mais

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson.

** Pessoas jovens com má alimentação e estresse emocional que também geram vento no Fígado também estão propícios a ter Parkinson. Doença de Parkinson A Doença de Parkinson é uma síndrome caracterizada por lentidão de movimento, rigidez e tremor resultante de disfunção nos glânglios da base, com diminuição da dopamina e aumento da

Leia mais

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações

A Lesão. A Lesão. A lesão provoca congestão local causada por obstrução de QiE XUE nas articulações Acupuntura Acupuntura e Traumatologia e Traumatologia É o estudo das patologias próprias do sistema esquelético, causadas principalmente por traumatismos utilizando a especialidade de acupuntura como recurso

Leia mais

Problemas Gastro-Intestinais

Problemas Gastro-Intestinais Problemas Gastro-Intestinais Parâmetros Ocidentais Vômito; Dor na região abdominal, gástrica, etc. Gastrite, Úlcera, Diarréia, Prisão de ventre (constipação) Cólica, Vermes. Anamnese: Tipo de dor ou desconforto:

Leia mais

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura

Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Rafael Vercelino Fisioterapeuta Especialista em Dor e Acupuntura Neuropatias sob a visão da Medicina Chinesa Revisão da neurofisiologia da dor, Revisão da fisiopatologia

Leia mais

C u r s o d e Dr. Alex da Silva Santos

C u r s o d e Dr. Alex da Silva Santos C u r s o d e Dr. Alex da Silva Santos 1 Dr Alex da Silva Santos Diretor do Centro Brasileiro de Acupuntura Clínica e Medicina Chinesa www.centrobrasileiro.com.br Dr Alex da Silva Santos O Dr. Alex da

Leia mais

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO

PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS. Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO PONTOS ESPECIAIS PARA DIVERSOS TRATAMENTOS Camille Elenne Egídio INSTITUTO LONG TAO "A saúde é o resultado não só de nossos atos como também de nossos pensamentos." (Mahatma Gandhi) SHIATSU TERAPIA Terapia

Leia mais

CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA CHINESA EBRAMEC- SP julho/2012. Palestra: ACUPUNTURA DO BALANCEAMENTO Prof. Silvia Ferreira

CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA CHINESA EBRAMEC- SP julho/2012. Palestra: ACUPUNTURA DO BALANCEAMENTO Prof. Silvia Ferreira CONGRESSO BRASILEIRO DE MEDICINA CHINESA EBRAMEC- SP julho/2012 Palestra: ACUPUNTURA DO BALANCEAMENTO Prof. Silvia Ferreira Método desenvolvido pelo prof Wang Wen Yuan, da província de Shandong China.

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães

de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães O Tui Na como método terapêutico e de avaliação Paulo Minoru Minazaki Junior Palestra supervisionado pelos professores Edgar Cantelli e Helena Guimarães Shiatsu Técnica japonesa; An Fa; Trabalha em uma

Leia mais

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura

Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura Algumas das Doenças Tratáveis com Acupuntura REGIÃO CERVICAL, OMBROS E MEMBROS SUPERIORES Dor muscular dor decorrente de traumatismo esportivo, por erro de postura e/ou tensão emocional. Exemplo: dor no

Leia mais

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento MARINA VERAS Reumatologia REUMATISMOS DE PARTES MOLES INTRODUÇÃO Também denominado de reumatismos extra-articulares Termo utilizado para definir um

Leia mais

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais.

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais. R.P.G. E A MECÂNICA DA NOSSA COLUNA VERTEBRAL * Dr. Gilberto Agostinho A coluna vertebral, do ponto de vista mecânico é um verdadeiro milagre. São 33 vértebras (7 cervicais + 12 torácicas + 5 lombares

Leia mais

Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol

Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol A locomoção depende da ação conjunta e integrada dos ossos e dos músculos; Os seres humanos tem coluna vertebral, que é o eixo do nosso esqueleto interno; O esqueleto

Leia mais

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo

FADIGA, NEURASTENIA ou. Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo FADIGA, NEURASTENIA ou TRANSTORNOS SOMATOFORMES Paulo Lessa IAMMG Instituto de Acupuntura Médica de Minas Gerais IVN SP Instituto Van Nghi São Paulo Sinais e sintomas relatados por pacientes com fadiga

Leia mais

Constituição do Esqueleto

Constituição do Esqueleto O ESQUELETO HUMANO Funções do Esqueleto O esqueleto humano constitui a estrutura que dá apoio ao corpo, protege os órgãos internos e assegura a realização dos movimentos, juntamente com o sistema muscular.

Leia mais

Dor segundo a Medicina Chinesa

Dor segundo a Medicina Chinesa XII Simpósio Brasileiro de Aperfeiçoamento em Acupuntura e Terapias Orientais Dor segundo a Medicina Chinesa Introdução Definição A IASP- International Association for the Study of Pain (Associação Internacional

Leia mais

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA

ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA HISTÓRIA DA MEDICINA CHINESA Teoria da Acupuntura ACUPUNTURA TRADICIONAL CHINESA A Medicina Tradicional Chinesa tem obtido um desenvolvimento através do tempo, pelo menos a 3000 anos. A Acupuntura promove diversas funções, ela controla

Leia mais

Acupuntura no tratamento de Lombalgias

Acupuntura no tratamento de Lombalgias Acupuntura no tratamento de Lombalgias Ana Fátima Coutinho Mello 1 Dayana Priscila Maia Mejia 2 e-mail: anafatima_mello@yahoo.com.br Pós-graduação em Acupuntura Faculdade Ávila Resumo De acordo com a medicina

Leia mais

DORES RECORRENTES MOMENTO II Abril 2010 DORES RECORRENTES - DENOMINADOR COMUM ETIOLOGIA: Maioria - dores primárias; Dicotomia: Orgânico x Emocional. Associação de vários tipos de dores; Presença de dores

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 01. Ossos da coluna vertebral A coluna vertebral é formada por um número de 33 ossos chamados vértebras. Estas se diferenciam pela sua forma e função. Vértebras semelhantes se agrupam em regiões

Leia mais

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16

DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA Sex, 28 de Agosto de 2009 19:57 - Última atualização Sáb, 21 de Agosto de 2010 19:16 DORES DE CABEÇA E ENXAQUECA A tensão do dia a dia é a causa mais freqüente das dores de cabeça mas, elas poderem aparecer por diversas causas e não escolhem idade e sexo. Fique sabendo, lendo este artigo,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO Articulação Sinovial Forma de sela Três graus de liberdade Posição de Repouso Posição de aproximação

Leia mais

Capsulite Adesiva ou Ombro Congelado Congelado

Capsulite Adesiva ou Ombro Congelado Congelado 1 Consiste em uma articulação do ombro com dor e rigidez que não pode ser explicada por nenhuma alteração estrutural. Obs: Embora seja comum o uso destes termos nas aderências pós traumáticas do ombro,

Leia mais

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL

DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira DOENÇAS DA COLUNA CERVICAL A coluna cervical é o elo flexível entre a plataforma sensorial do crânio

Leia mais

4 0 0 /2 2 0 A D A IS V E R O Ã IÇ D pelo E V L T H O L E P O Ã Ç C E F - IN E T N IE C A P O D L A U N A M

4 0 0 /2 2 0 A D A IS V E R O Ã IÇ D pelo E V L T H O L E P O Ã Ç C E F - IN E T N IE C A P O D L A U N A M MANUAL DO PACIENTE - INFECÇÃO PELO HTLV EDIÇÃO REVISADA 02/2004 pelo Este manual tem como objetivo fornecer informações aos pacientes e seus familiares a respeito da Infecção pelo HTLV. Sabemos que as

Leia mais

3.4 Deformações da coluna vertebral

3.4 Deformações da coluna vertebral 87 3.4 Deformações da coluna vertebral A coluna é um dos pontos mais fracos do organismo. Sendo uma peça muito delicada, está sujeita a diversas deformações. Estas podem ser congênitas (desde o nascimento

Leia mais

Acupuntura e o Diafragma

Acupuntura e o Diafragma Observações sobre Acupuntura e o Diafragma Mikael Ikivesi Tao Tao Project (Finlândia) http://kiinalainenlaaketiede.fi/taotao Tradução e Adaptação para Português Leo Silveira Projeto Medicina Chinesa Clássica

Leia mais

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao

TRATAMENTO PARA MIOMA. INSTITUTO Long Tao TRATAMENTO PARA MIOMA INSTITUTO Long Tao Mioma Uterino DEFINIÇÃO: É UM TUMOR BENIGNO QUE SURGE QUANDO UMA CÉLULA DO ÚTERO DA MULHER COMEÇA A SE MULTIPLICAR DE FORMA DESORDENADA. Definição na MTC: O mioma

Leia mais

CIRCULAÇÃO-SEXO Meridiano do PERICÁRDIO (MP) ou Mestre do Coração (MC) Estação: Verão Horário: 19 às 21 h Elemento: Fogo Yin CARACTERÍTICAS GERAIS Também conhecido como Mestre do Coração (MC), possui 9

Leia mais

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO)

CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) CANAIS E COLATERAIS (JING-LUO) A TEORIA DE JING-LUO ESTUDA AS ALTERAÇÕES FISIOPATOLÓGICAS DOS CANAIS E COLATERAIS E A RELAÇÃO ENTRE ESTES E OS ÓRGÃOS INTERNOS DO CORPO JING-LUO É O NOME DADO AO CONJUNTO

Leia mais

Título Resumido. Poço (Jing)

Título Resumido. Poço (Jing) Analgesia Tendinomuscular pelo Ponto Poço (Jing) Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Dr. Reginaldo de Carvalho

Leia mais

ESCOLA DE TERAPIAS ORIENTAIS DE SÃO PAULO SUSILAINE MORAES AQUINO 35 - B

ESCOLA DE TERAPIAS ORIENTAIS DE SÃO PAULO SUSILAINE MORAES AQUINO 35 - B 1 ESCOLA DE TERAPIAS ORIENTAIS DE SÃO PAULO SUSILAINE MORAES AQUINO 35 - B PRINCÍPIOS DA MAGNETOTERAPIA APLICADA À ACUPUNTURA São Paulo 2011 2 SUMÁRIO 1. HISTÓRICO... 3 2. TEORIA GERAL... 4 3. INDICAÇÕES...

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 14 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ACREDITE EM VOCÊ Profª Elaine Terroso Esse material foi elaborado

Leia mais

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA

AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA AVALIAÇÃO DE ACUPUNTURA E MEDICINA TRADICIONAL CHINESA Ficha No.: Data: Nome: Data Nasc.: Naturalidade: Estado civil: Filhos: Endereço: Profissão: Fone(s): 1. Queixa Principal (QP): 2. História da Moléstia

Leia mais

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde

Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Mantra tibetano para chamar o Buda da saúde Om muni muni maha muni sakya muni soha Om tare tutare turê soha... 1 Pulsologia Chinesa os vinte e oito pulsos patológicos" Delvo Ferraz da Silva 2 Teorias de

Leia mais

Patologias da coluna vertebral

Patologias da coluna vertebral Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias da coluna vertebral Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Escoliose idiopática Dorso curvo Cervicobraquialgia Lombalgia e lombociatalgia

Leia mais

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG)

11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) O Pulmão (FEI) 11 pontos bilaterais Natureza YIN Elemento Metal Acoplado ao Intestino Grosso (DACHANG) 1 O Pulmão (FEI) QI Pulmão (FEI) tem a função de dirigir o QI e a Respiração. O QI do ar junta-se

Leia mais

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS

LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS LESÕES DOS ISQUIOTIBIAIS INTRODUÇÃO Um grande grupo muscular, que se situa na parte posterior da coxa é chamado de isquiotibiais (IQT), o grupo dos IQT é formado pelos músculos bíceps femoral, semitendíneo

Leia mais

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares)

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares) SACRO CBES ANATOMIA Osso O sacro é formado por 5 vértebras fundidas. Os forâmens de conjugação se transformam em forâmens sacrais anteriores e posteriores. Sua face anterior é côncava e lisa Sua face posterior

Leia mais

Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Muscular - Professor Raphael Varial. Sistema Muscular

Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Muscular - Professor Raphael Varial. Sistema Muscular Introdução Sistema Muscular Os músculos representam cerca de 50 a 60% do peso do corpo, quando eles se contraem afetam o movimento de todo o corpo, do sangue, do alimento e da respiração por exemplo. Existem

Leia mais

MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2

MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2 MERIDIANO DO PULMÃO 11 PONTOS PONTO LOCALIZAÇÃO FUNÇÃO P1 NA PARTE SUPERIOR LATERAL DA PAREDE TORÁCIA ANTERIOR, 1 CUN ABAIXO DE P2 P2 P3 NA PARTE SUPERIOR LATERAL DA PAREDE TORÁCICA ANTERIOR, ACIMA DA

Leia mais

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função.

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função. Lesões Meniscais Introdução O menisco é uma das estruturas mais lesionadas no joelho. A lesão pode ocorrer em qualquer faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é bastante resistente e elástico,

Leia mais

Que tal dar um up em seu visual e melhorar sua auto-estima? Promover sua saúde sem o cigarro aproveitando os sabores da vida e recuperar seu fôlego?

Que tal dar um up em seu visual e melhorar sua auto-estima? Promover sua saúde sem o cigarro aproveitando os sabores da vida e recuperar seu fôlego? Você que está tentando largar o vício do cigarro e não consegue encontrar forças para se livrar desse mal. Anda sentindo dores nas costas, cansaço e/ou inchaço nas pernas, problemas com acnes ou querendo

Leia mais

Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente".

Uma Definição: Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente. ERGONOMIA: palavra de origem grega. ERGO = que significa trabalho NOMOS = que significa regras Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente". Tríade básica da Ergonomia:

Leia mais

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide

Fibro Edema Gelóide. Tecido Tegumentar. Epiderme. Epiderme. Fisiopatologia do FibroEdema Gelóide Lipodistrofia Ginóide Estria Discromia Distúrbios inestéticos O termo "celulite" foi primeiro usado na década de 1920, para descrever uma alteração estética da superfície cutânea (ROSSI & VERGNANINI, 2000)

Leia mais

ALGIAS VISCERAIS Considerando órgãos ou vísceras, o que causa esses distúrbios é um desequilíbrio Yin/Yang desse órgão ou dessa víscera, que se manifesta por algia: pode se manifestar no próprio Zang Fu,

Leia mais

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo

Acupuntura do. Acupuntura do 2 Metacarpo Acupuntura do Material elaborado pelo corpo docente da EBRAMEC / CIEFATO Para os cursos da Escola Brasileira de Medicina Chinesa Direção Geral: Reginaldo de Carvalho Silva Filho Introdução Apresentação

Leia mais

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO POSTURA INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO *Antigamente : quadrúpede. *Atualmente: bípede *Principal marco da evolução das posturas em 350.000 anos. *Vantagens: cobrir grandes distâncias com o olhar, alargando seu

Leia mais

Alterações. Músculo- esqueléticas

Alterações. Músculo- esqueléticas Alterações Músculo- esqueléticas Sistema Neurológico Alteração no tempo de reação e equilíbrio. A instabilidade articular. Alteração da visão Sensibilidade da córnea. c Aumento ou diminuição dos sentidos

Leia mais

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO

BIOTIPOLOGIA CONSTITUCIONAL TIPO I AR YANG SUPREMO TIPO I AR YANG SUPREMO TAI YANG Características físicas: fronte larga, brilho intenso nos olhos, tórax bem desenvolvido (devido a hiperplasia do parênquima pulmonar), ombro largo, cintura proporcionalmente

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1

CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CURSO DE ACUPUNTURA CORPO ENERGÉTICO. Elaborado por Profa. Romana de Souza Franco. 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL CORPO ENERGÉTICO 1 CENTRO DE ESTUDOS FIRVAL INTRODUÇÃO: O corpo energético humano, às vezes chamado de corpo etéreo permeia e cerca o corpo físico sólido. É a soma dos campos de

Leia mais

APOSTILA DE CIÊNCIAS

APOSTILA DE CIÊNCIAS Escola D. Pedro I Ciências - 2ª Unidade Carla Oliveira Souza APOSTILA DE CIÊNCIAS Órgão dos Sentidos Assunto do Teste SALVADOR BAHIA 2009 Os cinco sentidos fundamentais do corpo humano: O Paladar identificamos

Leia mais

Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC. Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012

Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC. Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012 Tratamento das patologias vestibulares segundo a MVTC Carolina C. T. Haddad Congresso da ABRAVET Março de 2012 Sistema Vestibular Introdução Função: transmitir a informação do ouvido interno até o cérebro

Leia mais

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça Cinthya Natel Baer Cristiane Schwarz Gelain Isabella Mauad Patruni Laila Djensa S. Santos Laiza Tabisz Mariana Escani Guerra Paula Moreira Yegros Veronica Dalmas Padilha Ana Paula Trotta Aline Sudoski

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES

Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. FORTALECENDO SABERES 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I Conteúdo: Partes do corpo humano. Atividade física eleva a qualidade de vida. Cuidando das articulações. 3 CONTEÚDO

Leia mais

OITO PRINCÍPI P O I S

OITO PRINCÍPI P O I S OITO PRINCÍPIOS TEM COMO FUNÇÃO IDENTIFICAR, ATRAVÉS DOS DADOS OBTIDOS DO PACIENTE: A LOCALIZAÇÃO DA DESARMONIA A NATUREZA DA DESARMONIA AS CONDIÇÕES DOS FATORES PATOGÊNICOS E DE RESISTÊNCIA DO ORGANISMO

Leia mais

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Osteologia Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Ossos Ossos são orgãos esbranquiçados, muito duros, que unindo-se aos outros por meio de junturas ou articulações, constituem o esqueleto.

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

HIPNOSE. Como funciona a Hipnose?

HIPNOSE. Como funciona a Hipnose? REIKI O Reiki é uma técnica japonesa de canalização de energia, passada através do toque das mãos para a harmonização dos corpos físico, emocional, mental e energético e baseia-se na ideia de que uma "energia

Leia mais

PARQVE Projeto Artrose Recuperando Qualidade de Vida pela Educação

PARQVE Projeto Artrose Recuperando Qualidade de Vida pela Educação PARQVE Projeto Artrose Recuperando Qualidade de Vida pela Educação Dra. Márcia Uchoa de Rezende Dr. Alexandre Felício Pailo Dr. Gustavo Constantino de Campos Dr. Renato Frucchi Dr. Thiago Pasqualin O que

Leia mais

O DIAFRAGMA. 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado.

O DIAFRAGMA. 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado. Respiração O DIAFRAGMA 1. Descrição: É um músculo que separa o tórax do abdômen. Tem formato de sino, côncavo, para baixo. É altamente enervado e vascularizado. Sofre ação tônica do sistema nervoso simpático

Leia mais

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE.

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE. OBJETIVOS: O aluno deverá ser capaz de identificar as principais doenças da coluna lombar assim como avaliação e prescrição de conduta fisioterápica pertinente. LER: O que é Hérnia de disco? A coluna vertebral

Leia mais

Câncer. Claudia witzel

Câncer. Claudia witzel Câncer Claudia witzel Célula Tecido O que é câncer? Agente cancerígeno Órgão Célula cancerosa Tecido infiltrado Ozana de Campos 3 ESTÁGIOS de evolução da célula até chegar ao tumor 1 Célula 2 Tecido alterado

Leia mais

O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras. O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras?

O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras. O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? O que é a Terapia das Pedras? Terapia das Pedras Professora: Debora Clinicamente é a aplicação de termoterapia, usando-se pedras aquecidas de efeito permanente e alternando com pedras extremamente frias.

Leia mais

CANAIS DE ENERGIA UNITÁRIOS

CANAIS DE ENERGIA UNITÁRIOS CANAIS DE ENERGIA UNITÁRIOS Um canal de energia tem a sua parte Yang, que é a mão, e a sua parte Yin, que é o pé. As 2 partes têm a mesma Função e formam um Canal de Energia Unitário. Portanto, os 12 Canais

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 A coluna vertebral, assim como qualquer articulação, apresenta movimentos que possuem tanto grande como pequena amplitude articular. Estes recebem o nome de Macromovimentos e Micromovimentos,

Leia mais

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares

artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares artrite reumatoide Um guia para pacientes e seus familiares A artrite reumatoide não é o único desafio na vida dos pacientes. Mas muitos problemas

Leia mais

PADRÕES DO FÍGADO (GAN)

PADRÕES DO FÍGADO (GAN) PADRÕES DO FÍGADO (GAN) ESTAGNAÇÃO DO QI DO FÍGADO (GAN) SENSAÇÃO DE DISTENSÃO E DOR NOS HIPOCÔNDRIOS - NO NÍVEL FÍSICO A ESTAGNAÇÃO DE FÍGADO SE MANIFESTA PRINCIPALMENTE NESTA REGIÃO, EM AMBOS OS LADOS.

Leia mais

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes*

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* * Fisioterapeuta. Pós-graduanda em Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica e Reumatológica. CREFITO 9/802 LTT-F E-mail: laisbmoraes@terra.com.br Osteoporose

Leia mais

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE

O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE O TUI NA NO TRATAMENTO DA ANSIEDADE ANSIEDADE A ansiedade é uma reação ligada ao instinto de sobrevivência frente a situações e momentos de medo, perigo ou de tensão, que prepara a pessoa para o que poderá

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

Distrofias Musculares de Duchenne e de Becker

Distrofias Musculares de Duchenne e de Becker Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Distrofias Musculares de Duchenne e de Becker As distrofias musculares de Duchenne e de Becker as

Leia mais

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura Cuidando da Coluna e da Postura Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Coluna e Postura A coluna vertebral possui algumas curvaturas que são normais, o aumento, acentuação ou diminuição destas curvaturas

Leia mais

É responsável pelo movimento do corpo

É responsável pelo movimento do corpo É responsável pelo movimento do corpo O sistema locomotor é formado pelos ossos, músculos e articulações. O sistema esquelético sustenta, protege os órgãos internos, armazena minerais e íons e produz células

Leia mais

Análise de experiências em nucleoplastia

Análise de experiências em nucleoplastia Análise de experiências em nucleoplastia A execução da nucleoplastia ou ablação do núcleo pulposo do disco intervertebral por meio de agulha com ponta emissora de radiofreqüência tem nos proporcionado

Leia mais

A região lombar e o método Ehrenfried

A região lombar e o método Ehrenfried A região lombar e o método Ehrenfried Motivação Patrícia Lacombe Conhecer o método Ehrenfried e estabelecer suas relações com uma única região torna-se muito dificil. Teríamos que aliar a melhora da dor

Leia mais

Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza

Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza Informações Básicas sobre o Novo Tipo de Influenza 1 O que é o Novo Tipo de Influenza É o nome dado à doença causada pela presença do vírus da influenza A/H1N1, de origem suína, no corpo humano. Diz-se

Leia mais

Sonolência Excessiva Diurna (SED)

Sonolência Excessiva Diurna (SED) Sonolência Excessiva Diurna (SED) A sonolência é queixa comum, principalmente, entre adolescentes, quase sempre por não desfrutarem de sono satisfatório. Eles dormem poucas horas à noite e, no dia seguinte,

Leia mais

Exame Fisico do Quadril Celso HF Picado

Exame Fisico do Quadril Celso HF Picado Exame Fisico do Quadril Celso HF Picado Introdução A cintura pélvica é composta pela articulação sacro-ilíaca, pela sínfise púbica e pela articulação coxo-femoral. Esta última corresponde à articulação

Leia mais

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS

conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS conhecer e prevenir DIABETES MELLITUS 2013 Diretoria Executiva Diretor-Presidente: Cassimiro Pinheiro Borges Diretor Financeiro: Eduardo Inácio da Silva Diretor de Administração: André Luiz de Araújo Crespo

Leia mais