aula Redação do Projeto de Pesquisa VERSÃO DO PROFESSOR Metodologia Científica Autoras Célia Regina Diniz Iolanda Barbosa da Silva D I S C I P L I N A

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "aula Redação do Projeto de Pesquisa VERSÃO DO PROFESSOR Metodologia Científica Autoras Célia Regina Diniz Iolanda Barbosa da Silva D I S C I P L I N A"

Transcrição

1 VERSÃO DO PROFESSOR D I S C I P L I N A Metodologia Científica Redação do Projeto de Pesquisa Autoras Célia Regina Diniz Iolanda Barbosa da Silva aula 12 Material APROVADO (conteúdo e imagens) Data: / / Nome:

2 Governo Federal Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação Fernando Haddad Secretário de Educação a Distância SEED Carlos Eduardo Bielschowsky Universidade Federal do Rio Grande do Norte Reitor José Ivonildo do Rêgo Vice-Reitora Ângela Maria Paiva Cruz Secretária de Educação a Distância Vera Lúcia do Amaral Universidade Estadual da Paraíba Reitora Marlene Alves Sousa Luna Vice-Reitor Aldo Bezerra Maciel Coordenadora Institucional de Programas Especiais - CIPE Eliane de Moura Silva Coordenador de Edição Ary Sergio Braga Olinisky Projeto Gráfico Ivana Lima (UFRN) Revisora Tipográfica Nouraide Queiroz (UFRN) Ilustradora Carolina Costa (UFRN) Editoração de Imagens Adauto Harley (UFRN) Carolina Costa (UFRN) Diagramadores Bruno de Souza Melo (UFRN) Dimetrius de Carvalho Ferreira (UFRN) Ivana Lima (UFRN) Johann Jean Evangelista de Melo (UFRN) Mariana Araújo (UFRN) Revisora de Estrutura e Linguagem Rossana Delmar de Lima Arcoverde (UFCG) Revisora de Língua Portuguesa Maria Divanira de Lima Arcoverde (UEPB) Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Central - UEPB D585 Diniz, Célia Regina. Metodologia científica / Célia Regina Diniz; Iolanda Barbosa da Silva. Campina Grande; Natal: UEPB/UFRN - EDUEP, ISBN: Metodologia científica I. Título. 21. ed. CDD Copyright 2008 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste material pode ser utilizada ou reproduzida sem a autorização expressa da UFRN - Universidade Federal do Rio Grande do Norte e da UEPB - Universidade Estadual da Paraíba.

3 Apresentação O Projeto de Pesquisa é uma ferramenta técnica que conduz as ações que serão desenvolvidas, corrigindo os desvios indesejáveis durante a realização da pesquisa. Dar início ao desenvolvimento de uma pesquisa, sem um projeto prévio, é arremeter-se à improvisação, tornando o trabalho confuso, aumentando esforços debalde. Com a elaboração de um projeto, haverá uma maior probabilidade de desenvolver uma pesquisa eficaz, coerente e que certamente contribuirá efetivamente com a produção do conhecimento. Devido aos vários tipos de pesquisa existentes, a elaboração de um projeto de pesquisa não deve ter um roteiro rígido, mas deve apresentar os principais elementos, essenciais à sua execução. A presente aula conclui a disciplina e trata de um roteiro sobre como organizar a fase inicial da investigação científica: a elaboração de um projeto de pesquisa. Serão discutidas a escolha do tema e a definição do problema; a formulação das hipóteses e dos objetivos e a construção da revisão da literatura, a metodologia, o cronograma de atividades, orçamento que são elementos textuais e, as referências, apêndices e anexos que representam elementos pós-textuais. As orientações, referentes ao roteiro para elaboração do projeto de pesquisa, foram elaboradas com o propósito de esclarecer as fases pelas quais deve passar um pesquisador na elaboração de um projeto exeqüível, com base nas normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas ABNT (15287/2005). Desse modo: acompanhe o caminho traçado para elaboração de um Projeto de Pesquisa, analise os exemplos apresentados na aula e realize as atividades sugeridas de forma intensa e prazerosa; procure, mediante consulta bibliográfica, localizar material potencialmente importante para aprofundar seus conhecimentos e realize sua auto-avaliação da aula. 1

4 Objetivos Pretende-se, ao final desta aula, que você se sinta capaz de: 1 traçar um caminho eficaz que conduza ao fim que se pretende atingir, livrando o pesquisador de realização de esforços desnecessários ou perda de tempo na realização da pesquisa; 2 escolher um tema, formular um problema, enunciar suas hipóteses, justificativas, objetivos, utilizando corretamente os procedimentos técnico-metodológicos, e produzir um projeto de pesquisa; 3 trabalhar com critérios da ciência durante a realização de pesquisas que lhes serão solicitadas durante seu curso de graduação. Passos para elaboração de um Projeto de Pesquisa Pense nisto!!! O Projeto de Pesquisa começa a ser elaborado quando são formuladas as perguntas: O quê? Por quê? Para quê? Onde? Quando? Como? Quem? Com quanto? Qualquer tipo de pesquisa necessita da elaboração antecedente de um projeto. Segundo a NBR 15287/05 da ABNT, o projeto de pesquisa compreende uma das fases da pesquisa e significa a descrição da sua estrutura (ABNT, 2005). 2

5 O projeto faz a previsão e a provisão dos recursos necessários apara atingir o objetivo proposto de solucionar um problema e estabelece a ordem e a natureza das diversas tarefas a serem executadas dentro de um cronograma a ser observado (CERVO; BERVIAN; DA SILVA, 2006, p. 69). Como toda atividade racional e sistemática, a pesquisa exige que as ações desenvolvidas ao longo da execução do projeto, sejam efetivamente planejadas. Esse planejamento envolve a formulação do problema, a construção das hipóteses e dos objetivos. A elaboração de um projeto é feita mediante a consideração das etapas necessárias ao desenvolvimento da pesquisa (GIL, 2002). Serve para guiar a pesquisa e seus principais elementos são: capa; folha de rosto; sumário; introdução; justificativa; revisão da literatura; metodologia; orçamento; cronograma de atividades; referências; apêndices e anexos. De acordo com a NBR 15287/05 da ABNT, a estrutura de um projeto de pesquisa é formado de partes pré-textuais (elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização do trabalho), textuais (parte do projeto em que é exposta a matéria) e pós-textuais (elementos que complementam o trabalho) (ABNT, 2005). A capa apresenta as informações transcritas na seguinte ordem: nome da entidade para a qual deve ser submetido, quando solicitado; nome(s) do(s) autor(es); título e subtítulo (se houver, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título, precedido de dois-pontos (:), ou distinguido tipograficamente); local (cidade) da entidade, onde deve ser apresentado; ano de depósito (entrega). A folha de rosto é um elemento obrigatório e apresenta as informações transcritas na seguinte ordem: nome(s) do(s) autor(es); título; subtítulo (se houver, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título, precedido de dois-pontos (:), ou distinguido tipograficamente); tipo de projeto de pesquisa e nome da entidade a que deve ser submetido; nome do orientador (quando for o caso) local (cidade) da entidade onde deve ser apresentado; ano de depósito (entrega). Nota segundo a NBR 15287/05 da ABNT (2005) a partir da folha de rosto, todas as páginas do projeto devem ser contadas seqüencialmente, mas não numeradas. A numeração é colocada, a partir da primeira folha da parte textual, em algarismos arábicos, no canto 3

6 superior direito da folha, a 2 cm da borda superior, ficando o último algarismo a 2 cm da borda direita da folha. Havendo apêndice e anexo, as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal. O sumário é elemento obrigatório que deve ser elaborado conforme a NBR 6027 (ABNT, 2003). É a enumeração das divisões do projeto na mesma ordem e grafia em que nele aparece. Deve ser localizado como último elemento pré-textual. A palavra sumário deve ser centralizada e com a mesma tipologia da fonte utilizada para as seções primárias. A subordinação dos itens do sumário deve ser destacada pela apresentação tipográfica utilizada no texto. Os elementos pré-textuais do projeto não devem constar no sumário. A paginação deve ser apresentada sob uma das formas abaixo: número da primeira página (exemplo: 13); números das páginas inicial e final, separadas por hífen (exemplo: 14-21); Atividade 1 Leia com atenção o fragmento de texto abaixo e responda: O homem, no desenvolvimento de suas atividades diárias (sociais, residenciais, comerciais e industriais, dentre outras), gera e descarta uma grande quantidade de resíduos. Mesmo diminuindo e controlando a produção de lixo ele sempre irá produzi-lo (PEREIRA NETO, 1999). Portanto a necessidade de se fazer manejo e gerenciamento adequado dos resíduos sólidos é um grande e persistente desafio. Nesse contexto, os aterros sanitários constituem-se em peças de fundamental importância. Segundo a disponibilidade de áreas para a disposição de resíduos é cada vez mais escassa, à medida que cresce a urbanização e a taxa de geração de resíduos sólidos, requerendo a seleção de locais cada vez mais precisa e criteriosa [...] (TSUHAKO, 2004 apud CALIJURI et al., 2007). 1 2 Qual a temática abordada no fragmento? Com base no tema abordado no fragmento acima, formule um problema social, um problema sanitário e um problema econômico.

7 1. sua resposta 2. Reflita!!! A pergunta o que? Representa o que fazer ou que pretende descobrir, ou seja, constitui a formulação do problema.

8 Como formular o título e o tema-problema de pesquisa? Conforme a NBR 15287/05 da ABNT (2005) os elementos textuais devem ser constituídos de uma parte introdutória, na qual devem ser expostos o tema do projeto, o problema a ser abordado, a(s) hipótese(s), quando couber(em), bem como o(s) objetivo(s) a ser(em) atingido(s) e a(s) justificativa(s). É necessário que sejam indicados o referencial teórico que o embasa, a metodologia a ser utilizada, assim como os recursos e o cronograma necessários à sua consecução. O título do projeto de pesquisa deve ser sucinto e especificar de que se trata o recorte realizado sobre o tema escolhido. Na introdução, se expõe o tema como um todo. A introdução deve responder a um O quê? Nela devem ser contextualizados o tema e o problema, incluindo informações sobre as hipóteses (quando for o caso) para a realização da pesquisa. Na introdução pode estar contida a revisão de literatura, no caso em que se justifique, não devendo incluir as conclusões. A escolha do tema é o primeiro passo no planejamento de uma pesquisa. À primeira vista, aparentemente fácil, a escolha do tema é uma tarefa complexa que exige reflexão. Alguns parâmetros devem nortear a escolha: definição precisa do tema; compreensão clara; familiaridade ou afinidade intelectual com o tema e existência ou não de informação sobre o tema escolhido (SÁ et al. 1994). Geralmente, o aluno escolhe um tema amplo e genérico. Mas, é necessário encontrar dentro desse tema amplo, um assunto mais específico, ou a sua delimitação. Delimitar significa estabelecer limites, determinar a abrangência e extensão do assunto. A escolha do tema deve ainda satisfazer ao interesse do pesquisador. Escolhido e delimitado o tema, transforma-se o tema em problema. De acordo com (BUENO, 1996, p. 529) problema é uma proposta para ser solucionada. O problema é uma questão que envolve uma dificuldade teórica ou prática, para a qual se deve encontrar uma solução (CERVO; BERVIAN; DA SILVA, 2006). Porém, nem todo problema é passível de tratamento científico. Ele só será considerado científico, quando envolver variáveis que podem ser testáveis. Problemas que envolvem variáveis suscetíveis de observação ou de manipulação. O problema pode ser formulado na forma de perguntas, de forma clara, precisa e além de definir os termos é necessário que sua aplicação esteja delimitada e seja suscetível de solução. Ao formular perguntas sobre o tema, provoca-se sua problematização.

9 Exemplo 1 Pesquisar sobre qualidade de água. Que fatores provocam a contaminação da água? (proposição de um problema). O problema científico deve ser empírico e não se referir a valores. Segundo Gil (2002, p. 28) seria muito difícil investigar se filhos de camponeses são melhores que filhos de operários, estes problemas envolvem julgamentos morais. Atividade 2 Agora que você estudou como elaborar um problema da pesquisa, analise se os problemas seguintes estão formulados, de acordo com as recomendações apresentadas anteriormente. 1 2 Como se comportam as pessoas que ficam expostas, em local fechado, a motores que liberam monóxido de carbono? Quais as conseqüências da eliminação da mata ciliar em corpos aquáticos? 3 Como se comportam os nordestinos? sua resposta

10 Atividade 3 Analise a charge 1 abaixo e elabore o problema e ofereça uma possível solução.1 Verificar o exemplo de procedimento para a inserção de nota de rodapé, de acordo com as normas da ABNT. Reflita!!! A hipótese é uma suposta resposta dada ao seu problema de investigação. 1 Jornal da Ciência nº 616, 7/3/2008. Disponível em <http://www.jornaldaciencia.org.br/charges.jsp>. Acesso em: 02 maio 2008.

11 E as hipóteses de uma pesquisa? Você sabia que o vocábulo hipótese tem origem no grego hypótesis e no latim hypothese e significa suposição, conjectura, acontecimento incerto, eventualidade, caso (SANTOS, 2001, p. 105). De acordo com Andrade (2006), a hipótese é uma solução provisória proposta para equacionar o problema formulado. Exemplo 2 Considere o seguinte problema: Por que aumentou o número de pessoas com dengue? A hipótese pode ser: Muitas pessoas mantém depósitos de água parada, acumulada em quintais ou dentro de suas casas. Suponha que após a realização da pesquisa, a hipótese tenha sido confirmada, então o problema foi solucionado porque a questão formulada pôde ser respondida. Entretanto, pode ser que a hipótese formulada não possa ser confirmada, não solucionando o problema. As hipóteses podem estar explícitas ou implícitas na pesquisa (GIL, 2002). A hipótese sempre necessita ser confirmada ou rejeitada por meio de estudo sistemático (SANTOS, 2001, p. 107). Não existem regras fixas na elaboração de hipóteses. Sua formulação exige habilidade, criatividade e conhecimento do tema estudado. Um mesmo problema pode apresentar várias hipóteses que são soluções possíveis para a sua resolução. Para Cervo, Bervian e Da Silva (2006), a hipótese não deve contradizer nenhuma verdade já aceita ou explicada; deve ser simples e deve ser sugerida e verificável pelos fatos. As hipóteses podem ser classificadas (SANTOS, 2001; GIL, 2002) em: Casuística: afirma que pessoa, objeto ou fato tem determinada característica. Freqüência de acontecimentos: mostra antecipadamente determinadas característica ocorre com maior ou menor freqüência em determinado grupo, sociedade ou cultura. Associação entre as variáveis (GIL, 2002): muitas hipóteses estabelecem a existência de associação entre variáveis 2. Verificar o exemplo de procedimento para a inserção de nota de rodapé, de acordo com as normas da ABNT. 2 São características observáveis do fenômeno a ser estudado e existem em todos os tipos de pesquisa. No entanto, enquanto nas pesquisas quantitativas elas são medidas, nas qualitativas elas são escritas ou explicadas (TRIVIÑOS, 1987).

12 Atividade 4 Leia atenciosamente o resumo abaixo e tente, a partir dos resultados apresentados, formular: um titulo e os objetivos para o estudo realizado. No atual estágio do conhecimento científico, a única medida de controle disponível para as infecções causadas pelo vírus da dengue é a eliminação do seu principal vetor urbano, o Aedes aegypti. O Brasil há muitas décadas desenvolve programas de combate a este mosquito; entretanto, observa-se desde o início dos anos oitenta uma expansão geográfica da infestação do seu território e circulação progressiva e intensa deste vírus, com registro de grandes epidemias e de transmissão endêmica em diferentes centros urbanos. Esta situação epidemiológica evidencia a existência de dificuldades para o controle destas infecções. Foi utilizado um desenho prospectivo, procedendo-se a inquéritos sorológicos de uma população amostral de indivíduos residentes em 30 distintos espaços da cidade - áreas sentinelas. Os resultados revelaram elevadas soroprevalência (67,7%) e soroincidência (70,6%) para os sorotipos circulantes (DEN-1 e DEN-2), com grande variabilidade nos valores entre as 30 áreas estudadas. Verificou-se que a efetividade das medidas de combate vetorial é muito reduzida e, embora tenha sido encontrada uma Fração Prevenível de 29,7 %, mesmo em áreas sentinelas com Índices de Infestação Predial <3%, a incidência de infecções nestas áreas era ainda muito elevada (55,4%). Os autores apontam para a necessidade de revisão das estratégias técnicas e operacionais do referido programa com vistas ao alcance de índices de infestação incompatíveis com a circulação do vírus da dengue [...] (TEIXEIRA et al, 2002). sua resposta 10

13 Como construir os objetivos e a justificativa nos projetos de pesquisa? Pense nisto!!! O mundo abre caminho para homens e mulheres que sabem para onde estão indo (EMERSON, 2008). Os objetivos são obrigatórios em qualquer tipo de pesquisa. Eles devem sintetizar o que se pretende alcançar com a pesquisa. Podem ser divididos em geral e específicos e devem ser claros, sucintos e diretos e estar coerentes com o problema e a justificativa. O objetivo geral é a síntese do que se pretende alcançar, oferecendo uma resposta ao problema, testando a veracidade da hipótese de trabalho. Os objetivos específicos ocupamse dos detalhes e serão desdobramentos do objetivo geral. Geralmente os objetivos vêm expressos através de verbos no infinitivo. Se os objetivos forem muitos, ou de alguma forma imprecisos, talvez não tenha sido bem definido o tema a ser investigado. Alguns dos verbos utilizados na elaboração dos objetivos: Analisar; avaliar; compreender; constatar; demonstrar; descrever; elaborar; estudar; examinar; explicar; caracterizar; monitorar; identificar; mensurar; verificar etc. A justificativa constitui uma parte fundamental do projeto de pesquisa. É nessa etapa que você convence o leitor de que seu estudo tem relevância e os fatores que determinaram a escolha do tema. É nesta etapa que você responde a um porquê? Refere-se aos motivos que impulsionaram você a pesquisar sobre determinado tema. Para tanto, ela deve abordar os seguintes elementos: a delimitação, a relevância e a viabilidade. Nesse texto o que vale é o seu poder de convencimento, portanto devem ser evitadas as citações, aparecendo apenas quando for extremamente necessária. Deve ficar claro também quais as contribuições para o conhecimento advindas do seu estudo. 11

14 Atividade 5 1 Observe a charge 3 abaixo, reflita e elabore um problema que possa ser investigado e, formule hipóteses que possam oferecer possíveis soluções para o problema levantado. Verificar o exemplo de procedimento para a inserção de nota de rodapé, de acordo com as normas da ABNT. 2 Se você fosse realmente elaborar um projeto de pesquisa para investigar esta temática, quais os objetivos propostos? 3 Geografia geral e do Brasil. Disponível em:<http://www.geografiaparatodos.com.br/index.php?pag=humor>. Acesso em: 02 maio

15 3 Leia com atenção o fragmento abaixo intitulado Estudo da camada limite superficial do Pantanal Sul Matogrossense (MANZI, 1998) e procure identificar frases que elencam as razões (justificativa) que levaram ao autor estudar esta temática. O Pantanal, conhecido como uma das maiores planícies de sedimentação do globo, ocupa grande parte do centro oeste brasileiro. O Pantanal brasileiro localiza-se em parte dos Estados do Mato Grosso e do Mato Grosso do Sul, abrangendo uma área de Km 2 (VILA DA SILVA; ABDON, 1998 apud MANZI, 1998). A região do Pantanal Matogrossense, de grande importância sócio-econômica e ecológica, destaca-se pela sua grande biodiversidade, pelo regime hidrológico peculiar, com épocas inundadas e secas, e por possuir climatologia ainda pouco estudada e mal compreendida. Seu papel como fonte de metano de origem biológica, CO 2 e outros gases do efeito estufa, ainda é pouco conhecido. Assim, o Pantanal constitui-se numa região única no Brasil, com dois regimes sazonais hidrometeoro-logicamente diferentes. As características da dispersão dos aerossóis no Pantanal também despertam muito interesse científico e o conhecimento de seu regime é de grande aplicação prática. Elas proporcionam uma clara descrição da circulação geral na região e indicam como o escoamento troposférico, proveniente da Amazônia e defletido pela Cordilheira dos Andes (JAMES; ANDERSON, 1984 apud MANZI, 1998), influencia a estrutura da atmosfera na região central do Brasil e determina algumas das características básicas de seu clima. Qualquer elemento de impacto maior, como é o caso dos incêndios na região central do Brasil, também pode introduzir aerossóis na atmosfera, aumentando sua concentração local. Isto influi na física das nuvens e na fotoquímica da atmosfera acima da região em questão, fatores estes de considerável relevância na determinação de mudanças climáticas de longo prazo, de alteração nos padrões de precipitação e, conseqüentemente, nas características da cobertura vegetal da região. Portanto, torna-se necessário obter um conjunto de dados micrometeorológicos que permitam melhor conhecer as variações do tempo e do clima, além de desenvolver metodologias que possam medir e identificar, tão rápido quanto possível, os efeitos que as atividades antrópicas, ou fatores naturais, possam ter sobre as diferentes questões ambientais da região. Este experimento inédito, ora proposto, visa obter subsídios para melhor compreender a camada limite superficial sobre a região. Busca também uma melhor caracterização dos regimes turbulentos na atmosfera pantaneira. Assim sendo, obterse-á um aperfeiçoamento dos parâmetros de entrada de modelos numéricos de previsão de tempo regional. Outro aspecto relevante a se ressaltar é o das muitas aplicações práticas dos dados dos fluxos de umidade e, conseqüentemente, dos de evapotranspiração, a serem medidos no Pantanal. No que se refere à Hidrologia, estas informações, juntamente com as de precipitação, são importantes para determinar o escoamento superficial e subsuperficial da água. No que se refere à Meteorologia Aplicada, as informações poderão servir para melhorar modelos de previsão de secas na região, além de contribuírem com subsídios para uma política de previsão e prevenção de incêndios. Uma questão particularmente importante e pouco compreendida sobre a climatologia da região central do Brasil, refere-se à origem da água que precipita sobre ela. Outra 13

16 questão, também relevante, concerne ao destino que a mesma terá após evaporada nesta região. Estas questões, por sua vez, associam-se também ao problema de explicar por que processos a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS) é provida de água nos períodos em que ela permanece estacionária sobre áreas da região sudeste do Brasil durante o verão austral. Estes problemas importantes ainda permanecem mal compreendidos e poucos são os dados disponíveis para seus estudos. Seus resultados certamente servirão como subsídios para a formulação de uma política de proteção ambiental mais efetiva para a região [...]. sua resposta 14

17 E a Revisão da Literatura? A revisão de literatura objetiva resumir, de forma clara, as várias idéias arroladas em estudos anteriores que serviram de base à investigação que está sendo realizada. São analisados os trabalhos científicos mais recentes que tratam do assunto ou que dão embasamento teórico e metodológico para o desenvolvimento da pesquisa. É aqui também que são explicitados os principais conceitos e termos técnicos a serem utilizados na pesquisa. São sinônimas as expressões: revisão bibliográfica, marco teórico, estado da arte, entre outras, e demonstra que o pesquisador está atualizado nas últimas discussões no campo de conhecimento em investigação (UNIVILE, 2006). Há uma tendência atual a limitar a revisão da literatura apenas às contribuições mais importantes diretamente ligadas ao tema, dando ênfase às mais recentes (SÁ et al. 1994). Atividade 6 Procure, mediante consulta em material bibliográfico, selecionar um tema de pesquisa do seu interesse, conhecimento ou afinidade intelectual. Procure a partir daí, elaborar uma revisão de literatura sobre a temática em foco. sua resposta 15

18 Procedimentos a serem seguidos na condução da pesquisa: metodologia Pense nisto!!! A palavra método é de origem grega e significa o conjunto de etapas e processos a serem vencidos ordenadamente na investigação dos fatos ou na procura da verdade (RUIZ, 2002, p. 137). Dentro dos elementos textuais de um projeto de pesquisa, destaca-se a metodologia ou material e métodos. Representa o instrumental empregado e a descrição das técnicas adotadas, incluindo-se a experimentação detalhada. Deve ser escrita de maneira precisa e clara, possibilitando a repetição do experimento com a mesma precisão (SÁ et al., 1994). Proporciona suporte para o projeto de pesquisa, definindo o tipo de pesquisa que se pretende fazer e os pressupostos teórico-metodológicos que serão empregados. Deve ser apresentada na ordem cronológica em que o estudo foi conduzido. Compreende a descrição formal dos métodos e técnicas a serem utilizados na pesquisa, esclarecendo o tipo de pesquisa, definindo o caminho a ser percorrido, o método de abordagem e método de procedimentos; os instrumentos de coleta de dados, universo da pesquisa e a seleção da amostra. 16

19 Na metodologia deve ficar claro Onde?, Quem? Deve ficar claro o local ou campo de observação; a população investigada com suas características ou, se for o caso, a delimitação da amostra e o modo como será feita sua seleção e as variáveis investigadas. As pesquisas que trabalharem com seres humanos devem elaborar um termo de consentimento livre e esclarecido, o modelo deve vir como apêndice ou anexo, preservando eticamente os participantes através do sigilo das informações confidenciais, participação voluntária e da desistência em participar do estudo em qualquer fase da pesquisa. Na metodologia devem ser descritos os procedimentos utilizados na pesquisa (Como? Com que?) para obtenção dos dados, a descrição das técnicas a serem usadas e os instrumentos de coleta de dados: questionários, formulários, roteiros de entrevistas, ficha de observação, registro fotográfico, etc. Os modelos de questionários, roteiros de entrevistas ou fichas de observação também devem vir como apêndices ao projeto. Também deve evidenciar o tratamento dos resultados, ou seja, deve mostrar como será feita a tabulação, a análise e tratamento dos dados. Faz-se necessário que sejam especificados os recursos técnicos e humanos serão usados no desenvolvimento do estudo. Deve ser conhecido também o período de tempo necessário para execução da pesquisa (Quando????). Para executar a pesquisa sem atropelos deve ser elaborado um cronograma onde serão descritas as atividades e será indicado o tempo gasto para a sua realização. As pesquisas onde serão liberados recursos para seu financiamento, devem elaborar um orçamento detalhado contendo os custos para a realização do estudo (Com Quanto????). Deve contemplar custos com material de consumo e permanente e, ser for o caso, custo com pessoal, incluindo despesas de deslocamento. Elementos Pós-textuais: referências, apêndices e anexos Entre os elementos pós-textuais, destacam-se segundo a NBR da ABNT (2005): as referências, os apêndices e os anexos. As referências devem seguir as orientações apresentadas na 10ª aula, elaboradas conforme NBR 6023 da ABNT (2002). Apêndice: trata-se de um texto ou documento elaborado pelo autor do projeto, para complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do projeto. Elemento opcional, que é identificado por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente, utilizam-se letras maiúsculas dobradas na identificação dos apêndices, quando esgotadas as letras do alfabeto. 17

20 Exemplo 1: Apêndice Anexo: texto ou documento não elaborado pelo autor do projeto, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Elemento opcional. O anexo éidentificado por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Excepcionalmente, utilizam-se letras maiúsculas dobradas na identificação dos anexos, quando esgotadas as letras do alfabeto. Exemplo 2: Anexo 18

21 Sugestões de Leitura Recomenda-se como leitura complementar a NBR 15287/2005 que estabelece os princípios gerais para apresentação de projetos de pesquisa. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 1527: Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação. Rio de Janeiro, Também são indicadas como leituras complementares as obras abaixo que esclarecem de forma objetiva a condução na elaboração de um projeto de pesquisa, explorando a formulação de problema e hipóteses. CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A.; DA SILVA, R. Fases da elaboração da pesquisa. In:. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Pretice Hall, 2007, p GIL, A. C. Como encaminhar uma pesquisa. In:. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002, p Como formular um problema de pesquisa. In:. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002, p Como construir hipóteses?. In:. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002, p RUDIO, F. V. O projeto de pesquisa. In:. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 32. ed. Petrópolis: Vozes, 2004, p Concluindo a aula!!!!! Nesta aula, foram focalizados os princípios básicos para a elaboração de um projeto de pesquisa, de forma simples, para que o estudante de nível universitário possa estar apto à sua elaboração. Iniciou-se discutindo a importância da elaboração de um projeto antes da execução de uma pesquisa, detalhando suas principais etapas: introdução com a definição do temaproblema; formulação das hipóteses. Ao longo desta aula, foram apresentadas orientações detalhadas sobre os objetivos, a justificativa, revisão da literatura, metodologia, cronograma de atividades, referências, apêndices e anexos. A aula foi ilustrada com exemplos e foram propostas atividades práticas para auxiliar o aluno no processo ensino/aprendizagem. 19

22 Auto-avaliação Com os conhecimentos adquiridos até agora, acredita-se que você terá mais condições de utilizar corretamente os procedimentos técnico-metodológicos de organização e produção de, após a escolha de um tema, elaborar um projeto de pesquisa. Utilize o espaço abaixo para apresentar seu tema-problema; objetivos e hipóteses metodologia de sua pesquisa. Concluindo a disciplina As aulas possibilitam o conhecimento e a aplicação das três dimensões da Metodologia Científica como um caminho para o pensamento científico dimensão epistemológica, uma forma de sistematizar o pensamento e saber produzido com a pesquisa dimensão metodológica do estudo e da redação científica, e por fim um modo de pesquisar e produzir o saber dimensão metodológica da pesquisa. A redação das aulas, em alguns momentos, diferiu de outros textos de disciplinas já cursadas, devido à especificidade do conteúdo de Metodologia Científica. A comunicação escrita foi marcada pela impessoalidade, objetividade e uso de terminologias da linguagem científica, convidandoo a pesquisar termos e conceitos desconhecidos da linguagem informal. Nesse momento, nos despedimos esperando que o material possa contribuir com a sua formação acadêmica ao longo dos próximos semestres. Foi um prazer percorrer esse caminho metodológico junto com você, porém sua caminhada continua... Boa sorte!!!!! As autoras 20

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Universidade Federal de Pernambuco Centro de Ciências da Saúde Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Av. Av. Prof. Moraes Rego s/n - Cidade Universitária - CEP: 50739-970 Recife PE Fone: (81)21268538

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

ELEMENTOS DO PROJETO DE PESQUISA ROTEIRO DO PROJETO

ELEMENTOS DO PROJETO DE PESQUISA ROTEIRO DO PROJETO ELEMENTOS DO PROJETO DE PESQUISA ELEMENTO EXTERNO Capa (seguir modelo em anexo); ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS Folha de rosto e sumário (seguir modelo em anexo); TEXTUAIS itens 1 a 8 do roteiro do projeto

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE ALTA FLORESTA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIODIVERSIDADE E AGROECOSSISTEMAS

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS. FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FAIBI Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga Ibitinga/ SP 2010 SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 REGRAS GERAIS... 3 2.1 DAS FINALIDADES... 3 2.2

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

Metodologia do Trabalho Científico

Metodologia do Trabalho Científico Metodologia do Trabalho Científico Diretrizes para elaboração de projetos de pesquisa, monografias, dissertações, teses Cassandra Ribeiro O. Silva, Dr.Eng. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Porque escrever

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1)

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Administração de Empresas Decision/FGV RESUMO Este

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS Elaborado por Prof. Dr. Rodrigo Sampaio Fernandes Um projeto de pesquisa consiste em um documento no qual

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03.

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO RESUMO. Palavras-chave: Artigo Científico. Normalização. NBR 6022/03. ARTIGO CIENTÍFICO Texto com autoria declarada que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados de diversas áreas do conhecimento (ABNT/NBR 6022:2003). 2.1.1 Modelo de artigo COMO

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE 1 COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO (1) HOW TO ELABORATE A SCIENTIFIC ARTICLE SOBRENOME, Nome Aluno 1 Graduando em Educação Artística Unifadra / Dracena SOBRENOME, Nome Aluno 2 Graduando em Educação Artística

Leia mais

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA

1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Roteiro para projeto de pesquisa Gildenir Carolino Santos, 2005. 1 ROTEIRO PARA PROJETO DE PESQUISA Antes de passar para a construção ou montagem de um projeto de pesquisa, é importante saber que esse

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS

NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS NORMAS TÉCNICAS PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS FACULDADE LUTERANA SÃO MARCOS Núcleo Docente Estruturante Prof. Álvaro Antônio Dal Molin Flores Prof. Carlos André Junqueira Prof. Cilane da Rosa

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

Metodologia Científica. César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato

Metodologia Científica. César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato Metodologia Científica César de Paula Diego Vilela Elisane Silva Fabrício Aranda Wesley Sato Metodologia Científica Introdução Métodos Introdução Metodologia científica é a forma como se conduz uma pesquisa,

Leia mais

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA

ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DO PROJETO/ARTIGO 1. O PROJETO DE PESQUISA A primeira etapa para a organização do TCC nos cursos de pós-graduação lato sensu a distância consiste na elaboração do projeto de pesquisa,

Leia mais

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica:

Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Apresentação e formatação de artigo em publicação periódica científica: Conforme NBR 6022:2003 Seção de atendimento ao usuário - SISBI Outubro 2013 Normas técnicas Norma técnica é um documento estabelecido

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Faculdade de Jussara FAJ Curso de Direito Coordenação de Trabalho de Conclusão de Curso MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PRÉ-PROJETOS DE MONOGRAFIA DO CURSO DE DIREITO/FAJ Jussara 2013 APRESENTAÇÃO Este manual

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DO MARANHÃO - FACEMA MANUAL DE NORMALIZAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Caxias MA 2012 1. INTRODUÇÃO Conforme regulamento do núcleo de trabalho de conclusão de curso da

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Andersown Becher Paes de Barros * Ideraldo Bonafé ** RESUMO Este trabalho apresenta

Leia mais

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO SISTEMA DE BIBLIOTECAS Dr. JALMAR BOWDEN PROJETO DE PESQUISA NOEME VIANA TIMBÓ

UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO SISTEMA DE BIBLIOTECAS Dr. JALMAR BOWDEN PROJETO DE PESQUISA NOEME VIANA TIMBÓ UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO SISTEMA DE BIBLIOTECAS Dr. JALMAR BOWDEN PROJETO DE PESQUISA NOEME VIANA TIMBÓ MANUAL PARA PROJETO DE PESQUISA: SEGUNDO ABNT NBR 15287 AGOSTO DE 2002 SÃO BERNARDO DO

Leia mais

Tópico 7 Planejamento e Projetos. O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 7 você deverá:

Tópico 7 Planejamento e Projetos. O que você deverá saber. Ao final do estudo do Tópico 7 você deverá: Tópico 7 Planejamento e Projetos n. O que você deverá saber Ao final do estudo do Tópico 7 você deverá: - ser capaz de elaborar e orientar projetos de serviços e projetos de pesquisa; - ter adquirido conhecimentos

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO UNIDADE DE ENSINO DE SÃO CARLOS ESTRUTURA DE TRABALHO ACADÊMICO MANUAL PARA O ALUNO São Carlos 2009 2 CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO

Leia mais

NORMAS PARA ESTRUTURA DE DISSERTAÇÕES E TESES MODELO CLÁSSICO E MODELO EM FORMATO DE ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ESTRUTURA DE DISSERTAÇÕES E TESES MODELO CLÁSSICO E MODELO EM FORMATO DE ARTIGO CIENTÍFICO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NORMAS PARA ESTRUTURA DE DISSERTAÇÕES E TESES MODELO CLÁSSICO E MODELO EM FORMATO DE ARTIGO CIENTÍFICO

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009.

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009. FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI CAMPO GRANDE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO INTEGRADOR 2009.2 Campo Grande, outubro de 2009. Versão 2/2009 1/18 SUMÁRIO:

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS

PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS PROCEDIMENTOS PARA CONSTRUÇÃO DE PROJETOS CIENTÍFICOS Procedimentos para utilização na disciplina de Prática Profissional I Este documento é parte integrante das Normas Técnicas para Elaboração de Trabalhos

Leia mais

Universidade Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS ROSY MARA OLIVEIRA (ORG.)

Universidade Presidente Antônio Carlos REDE DE BIBLIOTECAS ROSY MARA OLIVEIRA (ORG.) ROSY MARA OLIVEIRA (ORG.) Colaboração: Dirlhê Maria Lima Pereira Bibliotecária FUPAC Itabirito ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA BARBACENA SUMÁRIO 1 PROJETO DE PESQUISA...2 1.1 Capa...2 1.2

Leia mais

CAPA elemento obrigatório.

CAPA elemento obrigatório. CAPA elemento obrigatório. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA NOME DO SETOR DO CURSO NOME DO DEPARTAMENTO OU COORDENAÇÃO NOME DO CURSO Nome da Instituição, do Setor, do Departamento e do Curso. Fonte

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO OESTE DONA LINDU GUIA PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA UFSJ DIVINÓPOLIS MG 2009 O Trabalho de

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA Estrutura do Projeto de Pesquisa CAPA FOLHA DE ROSTO SUMÁRIO 1. RESUMO 2. PROBLEMA DE PESQUISA OU INTRODUÇÃO 3. REFERENCIAL TEÓRICO (REVISÃO DE

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA CURSO DE DIREITO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA RIO DE JANEIRO MÊS - ANO NOME DO AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao orientador

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO NORMAS PARA ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Rosangela Alves de Oliveira * Nome do (s) autor (s) RESUMO Este trabalho estabelece as orientações para apresentação de um artigo científico. Todas as informações

Leia mais

CURSO: TÍTULO DO TRABALHO. Nome do Aluno

CURSO: TÍTULO DO TRABALHO. Nome do Aluno CURSO: TÍTULO DO TRABALHO Nome do Aluno ESTRELA 2015 FACULDADE LA SALLE ESTRELA DISCIPLINA... CURSO... NOME DO ALUNO (MAIÚSCULO) Trabalho da Disciplina, do Curso da Faculdade La Salle Estrela. Professor:

Leia mais

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R

As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R As Etapas da Pesquisa D R. G U A N I S D E B A R R O S V I L E L A J U N I O R INTRODUÇÃO A pesquisa é um procedimento reflexivo e crítico de busca de respostas para problemas ainda não solucionados. O

Leia mais

Instrumentação para o Ensino de Geografia II DISCIPLINA. Um pouco mais sobre a Água. Autora. Sandra Kelly de Araújo. aula

Instrumentação para o Ensino de Geografia II DISCIPLINA. Um pouco mais sobre a Água. Autora. Sandra Kelly de Araújo. aula DISCIPLINA Instrumentação para o Ensino de Geografia II Um pouco mais sobre a Água Autora Sandra Kelly de Araújo aula 10 Governo Federal Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DE ACORDO COM AS NORMAS DE DOCUMENTAÇÃO DA ABNT

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DE ACORDO COM AS NORMAS DE DOCUMENTAÇÃO DA ABNT MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DE ACORDO COM AS NORMAS DE DOCUMENTAÇÃO DA ABNT HELENA DE CARVALHO SICSÚ 1 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura de um artigo

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Araranguá MÊS /ANO 2 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO...3 2- OBJETIVOS...4 3- JUSTIFICATIVA...5 4- REVISÃO TEÓRICA...6 5- METODOLOGIA...7 6- CRONOGRAMA...8 7- BIBLIOGRAFIA...9

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO

ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO ORIENTAÇÕES SOBRE O CONTEÚDO DO PROJETO ESCOLHA DO TEMA - Seja cauteloso na escolha do tema a ser investigado. Opte por um tema inserido no conteúdo programático da disciplina pela qual teve a maior aptidão

Leia mais

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa

Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Etapas para a elaboração de um Pré- Projeto de Pesquisa Estrutura de um projeto de pesquisa: 1. TEMA E TÍTULO DO PROJETO 2. DELIMITAÇÃO DO PROBLEMA 3. INTRODUÇÃO 4. RELEVÂNCIA E JUSTIFICATIVA 5. OBJETIVOS

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Segunda edição 17.03.2011 Válida a partir de 17.04.2011 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA - 2008

ORIENTAÇÕES SOBRE O PROJETO DE INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA NA ESCOLA - 2008 SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS E PROGRAMAS EDUCACIONAIS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL Orientação nº 02/2008 PDE/SEED Curitiba, 27 de maio

Leia mais

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA PESQUISA CIENTÍFICA Toda pesquisa deve passar por uma fase preparatória de planejamento devendo-se estabelecer certas diretrizes de ação e fixar-se uma estratégia global.

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA

FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU DISCIPLINA DE MONOGRAFIA JURÍDICA Texto de Apoio Instrucional Nº. 1 PROJETO DE PESQUISA NA ÁREA JURÍDICA: UM ROTEIRO BÁSICO Bauru 2009 FIB MJ O Projeto de Pesquisa: Orientações

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO)

3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 3 c m FACULDADE DE COLIDER-FACIDER ( NOME) 3 cm (TÍTULO DO PROJETO) 2 cm (arial / times roman 12 ) TIRAR NUMERAÇÃO PARA IMPRESSAO CAPA CIDADE/ESTADO 2 c m ANO (NOME) TÍTULO DO PROJETO) (arial / times roman

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTIFÍCA «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTIFÍCA « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTIFÍCA «21. Constituem-se de iniciação científica, fomentadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), concedidas

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA 2 O PROJETO DE PESQUISA DEVE, ESSENCIALMENTE, RESPONDER ÀS PERGUNTAS:

PROJETO DE PESQUISA 2 O PROJETO DE PESQUISA DEVE, ESSENCIALMENTE, RESPONDER ÀS PERGUNTAS: 1 PROJETO DE PESQUISA 1 CONCEITO O Projeto de pesquisa é um intento, um plano mais ou menos detalhado das atividades que se pretende empreender num trabalho de natureza investigativa, explicitando-se as

Leia mais

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ

CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO OSWALDO CRUZ Introdução Quando se pretende elaborar um trabalho acadêmico e sua respectiva comunicação científica, é necessário que se faça inicialmente um planejamento, no qual devem constar os itens que permitirão

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA. Nome do(s) autor(es)

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA. Nome do(s) autor(es) 1 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS LICENCIATURA PLENA EM QUÍMICA Nome do(s) autor(es) TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO (SE HOUVE) LOCAL Ano 2 Nome do(s) autor(es) TÍTULO DO TRABALHO:

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

REGULAMENTO PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO PARA TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO CAPÍTULO I Da Finalidade e Objetivos Artigo 1º - Este regulamento tem a finalidade de orientar os alunos dos cursos da Faculdade Apogeu, no processo de

Leia mais