Aplicação de Estatísticas de Ensino Superior

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aplicação de Estatísticas de Ensino Superior"

Transcrição

1 Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso de Engenharia Informática Disciplina de Linguagens de Programação Aplicação de Estatísticas de Ensino Superior Linguagem: Python Docente: José Jasnau Caeiro Discente: Fábio Miguel Vitória Carreto N.º

2 Conteúdo Capítulo 1 Página 3 Introdução Capítulo 2 Página 5 Análise Teórica Capítulo 3 Página 7 Análise Experimental Capítulo 4 Página 10 Conclusões 2

3 Capítulo 1 Introdução 1.1 Contexto do Trabalho Este trabalho corresponde ao primeiro trabalho da disciplina de Linguagens de Programação, trabalho esse desenvolvido na linguagem de desenvolvimento Python. O objectivo primordial do mesmo consiste no desenvolvimento de uma aplicação que permita a obtenção dos dados presentes no site Rebides (dados correspondentes a informações de docentes e instituições do ensino superior) desde o ano 2000 ao ano 2009 (utilizando o parser BeatifulSoup). Após a obtenção dos dados, estes serão guardados numa base de dados sqlite e a aplicação deverá permitir a execução de algumas estatísticas. A aplicação deve ainda gerar algumas listas a partir desses dados, sendo posteriormente estas guardadas num ficheiro CSV. Deve ser possível a iniciação de um servidor local http através da aplicação, servidor esse que permitirá consultar as listas e estatísticas geradas, sendo ainda que as estatísticas devem ser mostradas num gráfico utilizando para tal a biblioteca matplotlib. Em relação aos objectivos principais da aplicação apenas há que referir que esta deve apresentar uma interface gráfica para com o utilizador utilizando para tal o WxGlade. 1.2 Trabalho do Autor Em relação ao trabalho desenvolvido pelo autor são seguidamente descritos os passos sucessivos realizados aquando do desenvolvimento da aplicação: 1- Inicialmente foi estudado algum código fornecido pelo docente a fim de ter uma compreensão mais clara do funcionamento do parser BeatifulSoup, da biblioteca urllib, das acções com base de dados e da escrita de ficheiros em csv. 2- Após isso foram criadas algumas classes que separavam acções minimamente independentes, tendo sido criada uma classe para obter os dados de um estabelecimento (tipo de instituição e estabelecimento respectivo), classe essa que utilizava ainda outra que efectuava a obtenção de dados pelo parser BeautifulSoup. 3- Posteriormente foi criada a interface gráfica recorrendo ao WxGlade, interface essa que sofreu algumas alterações ao longo do desenvolvimento, alterações essas já efectuadas por mim sem recurso ao WxGlade. 4- Após isso foram definidos os eventos para cada widget e foi a partir dai que se partiu para o resto do desenvolvimento. 5- Foi então desenvolvido o código e as classes que efectuavam as operações na base de dados, sempre com uma ligação às classes anteriormente focadas para a obtenção da informação, tendo ainda sido criada uma outra classe relativa à informação do docente. 6- Após a estruturação da base de dados e o preenchimento de dados da mesma, processo algo moroso, foram encetadas as consultas que permitiam obter as listas com os dados para cada estatística e lista. 7- Após a verificação dos dados passou-se à inserção destes em ficheiros CSV e HTML, tendo já anteriormente sido desenvolvida a classe que permita a inicialização de um servidor http local. 3

4 8- Após o correcto funcionamento do anterior referido, procedeu-se ao desenvolvimento dos gráficos que iriam demonstrar o resultado das estatísticas. 9- Por fim foram melhorados alguns aspectos ao nível da interface dom programa e do desempenho do mesmo, nomeadamente a estruturação de algumas pastas para uma melhor consulta dos ficheiros CSV e dos gráficos, ao mesmo tempo que foi efectuada uma melhoria ao nível do servidor e do aspecto dos ficheiros HTML mostrados. 1.3 Estrutura do Documento O presente capítulo demonstra sucintamente qual os objectivos e em que consiste o trabalho bem como todo o processo de desenvolvimento levado a cabo pelo autor. No capítulo 2 serão explicitados alguns aspectos teóricos considerados relevantes, nomeadamente ao nível da clarificação do funcionamento de algumas das bibliotecas utilizadas ao longo do desenvolvimento da aplicação. Serão ainda clarificados alguns aspectos relativos à base de dados desenvolvida e à interface gráfica com recurso ao WxGlade, bem como em relação a algumas opções tomadas aquando da realização das estatísticas e das listas. No capítulo 3 serão demonstrados os resultados experimentais, mais propriamente ao nível da interface gráfica do programa, além da clarificação do resultado das estatísticas e das listas em forma de CSV, HTML e gráfico. O capítulo 4 corresponderá às conclusões finais sobre todo o processo de desenvolvimento sobre os resultados experimentais. 4

5 Capítulo 2 Aspectos teóricos Bibliotecas e outros auxiliares utilizados e a sua importância Ao longo do desenvolvimento da aplicação foram empregues algumas bibliotecas essenciais e que sem elas não seria possível a realização da aplicação. SQLITE3 A biblioteca sqlite3 permitiu a aplicação de todos os conhecimentos de bases de dados, uma vez que permitiu todas as tarefas possíveis e pretendidas neste contexto, nomeadamente a conexão a uma base de dados, a criação de tabelas e a inserção de dados nas mesmas. Além disso sem esta, mão seria possível executar as consultas necessárias uma vez que esta biblioteca permitiu a execução de consultas e a respectiva obtenção dos dados pretendidos para as estatísticas. Matplotlib Esta biblioteca utilizada na geração de dados de estatísticas revelou-se bastante versátil e eficiente, nomeadamente aquando da formatação de qualquer gráfico ao nosso gosto, além de permitir várias tarefas com o mesmo, nomeadamente guardá-los em formato desejado. WxGlade Esta ferramenta utilizada para o desenvolvimento de uma interface gráfica permite uma grande amplitude de widgets além de uma excelente personalização de qualquer interface ao nosso gosto, o que simplifica bastante esta parte de desenvolvimento, já que todo o desenvolvimento visual da interface efectuado é gerado em código, podendo então ser alterado, permitindo assim uma grande flexibilidade naquilo que se pretende realmente fazer. SimpleHTTPServer, SocketServer, threading e webbrowser Estes módulos foram utilizados aquando do desenvolvimento do servidor http. Foi após uma pesquisa efectuada que alguns deles foram clarificados, mas o que á que emancipar em relação a isto é a simplicidade no desenvolvimento de um servidor http recorrendo a estes módulos. O módulo threading foi empregue juntamente com o servidor já que o thread do programa era bloqueado quando o servidor era iniciado (uma vez que este começaria a correr no mesmo thread). Assim foi possível criar um thread a parte para o servidor aumentando assim o desempenho da aplicação. Relativamente ao webbrowser, basicamente este módulo permitiu a execução do browser quando o servidor inicia, numa página inicial à escolha. csv, urllib e BeautifulSoup Em relação ao csv há apenas a referir que este módulo permite facilmente a geração de ficheiros em formato csv. O beautifulsoup em conjunto com o urllib foram módulos bastante importantes, pois foi a partir destes que foi possível aceder a um dado url e obter todo o HTML que compunha a página desse mesmo url, sendo assim possível obter toda a informação de qualquer página. 5

6 Estatísticas e Listas Opções tomadas Estatística 1 Numero total de docentes no ensino superior nos diferentes anos Esta estatística gera para cada ano a contagem do número de docentes que se encontrava no ensino superior. Estatística 2 Número de docentes por tipo de instituição e por ano Esta estatística gera o número total de docentes em cada ano num tipo de instituição. Por exemplo, se for fornecido como parâmetro o tipo de instituição Ensino Superior Público Politécnico, a estatística devolve o número de docentes em cada ano neste tipo de instituição. Estatística 3 Número de docentes por estabelecimento e por ano Esta estatística gera o número total de docentes em cada ano num estabelecimento. Por exemplo, se for fornecido como parâmetro o estabelecimento Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja, a estatística devolve o número de docentes em cada ano neste estabelecimento. Estatística 4 Número de docentes por grau e por ano Esta estatística gera o número total de docentes em cada ano com um determinado grau académico. Por exemplo, se for fornecido como parâmetro o grau Licenciatura, a estatística devolve o número de docentes em cada licenciados. Estatística 5 Número de docentes por grau, por estabelecimento e por ano Esta estatística gera o número total de docentes em cada ano com um determinado grau a leccionarem num determinado estabelecimento. Por exemplo, se for fornecido como parâmetro o estabelecimento Universidade de Évora e grau Mestrado, a estatística devolve o numero de docentes em cada ano com grau Mestrado na Universidade de Évora. Lista 1 Lista de tipos de instituição por ano Esta lista devolve em cada ano os tipos de instituição que existiam. Lista 2 Lista de Tipos de instituição/estabelecimento por ano Esta lista devolve para cada ano e para um determinado tipo de instituição, quais os estabelecimentos que correspondiam a esse mesmo tipo. Por exemplo para o tipo Ensino Superior Público Universitário devolveria o nome de todos os estabelecimentos que corresponderiam a esse tipo no ano 2000, 2001, etc. Lista 3 Lista de titulares de um grau por ano Esta lista devolve todos os nomes dos titulares de um determinado grau académico ao longo dos anos. Por exemplo para o grau Mestrado devolveria o nome de todos os docentes mestrados no ano 2000, 2001, etc. 6

7 Capítulo 3 Analise Experimental Interface gráfica do programa desenvolvido Aspecto inicial do programa Figura 1 Aparência inicial Resultados da estatística 1 - Número Total de Docentes no ensino superior em cada ano Figura 2 Resultado em CSV Stat1 Figura 3 Resultado em gráfico Stat1 Figura 4 Resultado em HTML Stat1 Resultados da estatística 2 Número de docentes no Ensino Superior Público Politécnico em cada ano Figura 5 Resultado em CSV Stat2 Figura 6 Resultado em gráfico Stat2 Figura 7 Resultado em HTML Stat2 Resultados da estatística 3 Número de docentes na Universidade de Évora em cada ano Figura 8 Resultado em CSV Stat3 Figura 9 Resultado em gráfico Stat3 7 Figura 10 Resultado em HTML Stat3

8 Resultados da estatística 4 Numero de docentes licenciados em cada ano Figura 11 Resultado em CSV Stat4 Figura 12 Resultado em gráfico Stat4 Figura 13 Resultado em HTML Stat4 Resultados da estatística 5 Número de docentes mestrados na Universidade de Évora nos diferentes anos Figura 16 Resultado em HTML Stat5 Figura 14 Resultado em CSV Stat5 Figura 15 Resultado em gráfico Stat5 Resultados da lista 1 Tipos de instituição em cada ano Figura 17 Resultado em CSV List1 Figura 18 Resultado em HTML List1 Resultados da lista 2 Estabelecimentos do tipo Ensino Superior Público Politécnico Figura 19 Resultado em CSV List2 Figura 20 Resultado em html List2 8

9 Resultados da lista 3 Docentes com o grau Mestrado ao longo dos anos Figura 21 Resultado em CSV List3 Página inicial do Servidor Figura 22 Servidor 9

10 Capítulo 4 Conclusões Resumo das Conclusões Em relação às conclusões relativamente aos dados obtidos das estatísticas, o que salta mais à vista é que o número de docentes no ensino superior tem vindo a diminuir ao longo dos anos. Em relação aos dados tenho também a concluir que as consultas não são mais credíveis pois os dados presentes no site Rebides não são consistentes, sendo que, por exemplo, para um mesmo grau existem várias denominações diferentes, originado resultados que não são os reais (como a não existência de docentes com grau licenciatura a partir de um certo ano). Trabalho Futuro Em relação ao trabalho futuro há apenas um aspecto que me vem mais à mente neste momento. Esse aspecto prende-se com a criação de vários threads no programa para cada acção desempenhada. Como é possível observar, as consultas efectuadas para as estatístisticas ou listas demoram algum tempo e requerem do sistema uma resposta rápida e eficiente. Como tal, como trabalho futuro, penso que era relevante a criação de threads diferentes do thread principal da aplicação para assim melhorar o desempenho e rapidez da aplicação Bibliografia [1] - [2] - [3] - [4]

Trabalho prático 2011/2012 Linguagens de programação. João Caixinha Nº5946

Trabalho prático 2011/2012 Linguagens de programação. João Caixinha Nº5946 Trabalho prático 2011/2012 Linguagens de programação João Caixinha Nº5946 1 INTRODUÇÃO... 3 1. CPYTHON-INTERFACE GRÁFICA... 3 1.1 DESCARGA DE REGISTOS PARA A BASE DE DADOS... 3 1.2 VISUALIZAÇÃO DE DADOS

Leia mais

Curso de Eng. Informática Linguagens de Programação. C Sharp University Data Processing. (C Sharp Universidade de Processamento de Dados) Docente:

Curso de Eng. Informática Linguagens de Programação. C Sharp University Data Processing. (C Sharp Universidade de Processamento de Dados) Docente: Trabalho elaborado por: Carlos Palma nº5608 Curso de Eng. Informática Linguagens de Programação C Sharp University Data Processing (C Sharp Universidade de Processamento de Dados) Docente: José Jasnau

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Curso Introdução à Informática Ano/Semestre Ano Lectivo Área Científica Dpt. EMP 1ºAno / 1ºS 2005/06 Informática DSI Professor Responsável da Disciplina Miguel Boavida Docente Co-Responsável Martinha Piteira

Leia mais

De Arte a Ciência: Regras para o Desenho de Software

De Arte a Ciência: Regras para o Desenho de Software De Arte a Ciência: Regras para o Desenho de Software Neste artigo é apresentado um conjunto de regras de desenho um padrão de desenho universal associado ao princípio fundamental e aos requisitos axiomáticos.

Leia mais

estiglp-11/12-5946-csharp e Fsharp 1 Relatório Linguagens de programação 11/12 João Caixinha nº5946

estiglp-11/12-5946-csharp e Fsharp 1 Relatório Linguagens de programação 11/12 João Caixinha nº5946 estiglp-11/12-5946-csharp e Fsharp 1 Relatório Linguagens de programação 11/12 João Caixinha nº5946 1 estiglp-11/12-5946-csharp e Fsharp 2 Resumo - Este relatório relata as soluções encontradas para a

Leia mais

Introdução à Programação B Licenciatura em Engenharia Informática. Enunciado do trabalho prático. Quem quer ser milionário? 20 de Dezembro de 2007

Introdução à Programação B Licenciatura em Engenharia Informática. Enunciado do trabalho prático. Quem quer ser milionário? 20 de Dezembro de 2007 Introdução à Programação B Licenciatura em Engenharia Informática Enunciado do trabalho prático Quem quer ser milionário? 20 de Dezembro de 2007 1. Introdução Quem quer ser milionário? é um jogo televisivo

Leia mais

Universidade Fernando Pessoa

Universidade Fernando Pessoa UMA PROPOSTA PARA A AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO MEDIADA POR COMPUTADOR Luís Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Centro de Recursos Multimediáticos Universidade Fernando Pessoa motivação " em 20 anos, as universidades

Leia mais

Ao redigir este pequeno guia pretendi ser conciso, indo directamente ao essencial.

Ao redigir este pequeno guia pretendi ser conciso, indo directamente ao essencial. Introdução O referenciamento é hoje um componente indispensável para ter um site ou blog de sucesso na Internet. Porquê? Simplesmente porque se inicialmente as primeiras visitas do seu site ou blog são

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Tecnologia e Gestão

Instituto Politécnico de Beja. Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão Curso de Engenharia Informática Disciplina de Estrutura de dados e Algoritmos 2º Ano - 1º Semestre Relatório Connected Component Labeling

Leia mais

Departamento de Informática

Departamento de Informática Departamento de Informática Licenciatura em Engenharia Informática Sistemas Distribuídos 1ª chamada, 9 de Janeiro de 2009 1º Semestre, 2009/2010 NOTAS: Leia com atenção cada questão antes de responder.

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto.

Projecto de Modelação, Engenharia de Software e Sistemas Distribuídos 2008-09. Requisitos para a 3ª entrega do projecto. Departamento de Engenharia Informática Modelação, Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos Requisitos para a 3ª entrega do projecto Test O Matic 10 de Maio de 2009 1 Índice 1 Índice... 1 2 Sumário...

Leia mais

Engenharia Informática. Projecto de Gestão de presenças de Alunos e Docentes

Engenharia Informática. Projecto de Gestão de presenças de Alunos e Docentes Engenharia Informática Projecto de Gestão de presenças de Alunos e Docentes Engenharia de Software Docente: Isabel Sofia Brito Alunos: Pedro Miguel Sameiro Serrano nº 3958 Ana Filipa Farinha Isidro nº

Leia mais

7 Mudanças Realizadas

7 Mudanças Realizadas 7 Mudanças Realizadas Este capítulo tem o objetivo de detalhar as mudanças realizadas no ambiente de trabalho da equipe estudada. Ele cita as alterações no produto de software utilizado pela equipe, que

Leia mais

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade

Livro de Ponto Automático e Controlo de Assiduidade Instituto Superior Politécnico Gaya Disciplina de Seminário Engenharia Informática 2006/2007 cms@ispgaya.pt spss@ispgaya.pt Manual de administração e Controlo de Assiduidade Outubro de 2007 Índice Introdução...

Leia mais

Elaborado por: Fábio Paulino 38060 Gonçalo Prendi 38047 Marco Carvalho 39746 Tiago Gonçalves 38090. MEI-SIGCA1 DAAM 2013/2014 Prof.

Elaborado por: Fábio Paulino 38060 Gonçalo Prendi 38047 Marco Carvalho 39746 Tiago Gonçalves 38090. MEI-SIGCA1 DAAM 2013/2014 Prof. MEI-SIGCA1 DAAM 2013/2014 Prof. Carlos Serrão Elaborado por: Fábio Paulino 38060 Gonçalo Prendi 38047 Marco Carvalho 39746 Tiago Gonçalves 38090 Índice Motivação... 2 Porquê Android... 2 Ambiente de Desenvolvimento

Leia mais

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Departamento de Informática Curso de Engenharia Informática Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais Ano Lectivo de 2005/2006

Leia mais

Licenciatura em Eng.ª Informática Redes de Computadores - 2º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 1 - Ethereal

Licenciatura em Eng.ª Informática Redes de Computadores - 2º Ano - 2º Semestre. Trabalho Nº 1 - Ethereal 1. Objectivos do Trabalho Trabalho Nº 1 - Ethereal Tomar conhecimento com um analisador de pacotes o Ethereal Realizar capturas de pacotes e analisá-los o TCP / UDP o IP o Ethernet o HTTP / DNS 2. Ambiente

Leia mais

Manual de Introdução da Bomgar B100

Manual de Introdução da Bomgar B100 Manual de Introdução da Bomgar B100 Este guia irá ajudá-lo durante a configuração inicial da sua Bomgar Box. Se tiver alguma questão, ligue para o número +01.601.519.0123 ou envie uma mensagem para support@bomgar.com.

Leia mais

[EIC0110] Concepção e Análise de algoritmos 2010-2011. Trabalho de Grupo 2: Tema 4. Auto-Complete. Turma 3 Grupo 13. Maio de 2011

[EIC0110] Concepção e Análise de algoritmos 2010-2011. Trabalho de Grupo 2: Tema 4. Auto-Complete. Turma 3 Grupo 13. Maio de 2011 [EIC0110] Concepção e Análise de algoritmos 2010-2011 Trabalho de Grupo 2: Tema 4 Auto-Complete Turma 3 Grupo 13 Maio de 2011 Trabalho realizado por: Maria Antonieta Dias Ponce de Leão e Oliveira 070509157

Leia mais

Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia

Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia Instituto Superior Politécnico Gaya Escola Superior de Ciência e Tecnologia Engenharia Informática Interligação e Gestão de Sistemas Informáticos 2006/2007 Interface WEB para Gestão de Máquinas Virtuais

Leia mais

Conference For You C4U v. 0.13

Conference For You C4U v. 0.13 Departamento de Informática Conference For You C4U v. 0.13 Projecto Integrador 2012/2013 Licenciatura em Engenharia Informática Preparado por: João Regateiro nº 28994 Miguel Silva nº 28508 Ricardo Monteiro

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 )

R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) R E L A T Ó R I O D E E N G E N H A R I A D E S O F T W A R E ( 2 0 0 5 / 2 0 0 6 ) Tendo iniciado no presente ano lectivo 2005/2006 o funcionamento da plataforma Moodle na Universidade Aberta, considerou-se

Leia mais

Webservices. O que é um web service? Características. Por que web services? Tipos de web services

Webservices. O que é um web service? Características. Por que web services? Tipos de web services Webservices O que é um web service? Solução utilizada na integração de sistemas e na comunicação entre aplicações diferentes Permite que um código rodando em uma máquina (cliente) interaja com um código

Leia mais

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Utilizador do IBM SmartCloud Engage e IBM SmartCloud Connections

IBM SmartCloud para Social Business. Manual do Utilizador do IBM SmartCloud Engage e IBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Utilizador do IBM SmartCloud Engage e IBM SmartCloud Connections IBM SmartCloud para Social Business Manual do Utilizador do IBM SmartCloud Engage e IBM SmartCloud

Leia mais

iseries Configuração de TCP/IP de Funcionamento em Rede

iseries Configuração de TCP/IP de Funcionamento em Rede iseries Configuração de TCP/IP de Funcionamento em Rede iseries Configuração de TCP/IP de Funcionamento em Rede Copyright International Business Machines Corporation 1998, 2001. Todos os direitos reservados.

Leia mais

DotNetNuke. Gestão de Conteúdos. Módulos - II. Inserção de conteúdos nos módulos. Módulo de Text/HTML. Módulo de Sre-Notícias. Módulo de Sre-Formação

DotNetNuke. Gestão de Conteúdos. Módulos - II. Inserção de conteúdos nos módulos. Módulo de Text/HTML. Módulo de Sre-Notícias. Módulo de Sre-Formação Gestão de Conteúdos DotNetNuke Módulos - II Inserção de conteúdos nos módulos Módulo de Text/HTML Módulo de Sre-Notícias Módulo de Sre-Formação Conteúdos dos módulos Na lição: Módulos-I já foi dito que

Leia mais

Guia da Internet. Página 1

Guia da Internet. Página 1 Guia da Internet Utilização da Internet Introdução... 2 Alguns conceitos básicos... 2 Endereços (URL)... 2 Páginas Web... 3 Abrir o Internet Explorer... 3 O ecrã do Internet Explorer... 4 A Barra de Ferramentas

Leia mais

Manual do Fénix. Gestão de Curriculum. SI 11-10-2010 (Versão 1.0)

Manual do Fénix. Gestão de Curriculum. SI 11-10-2010 (Versão 1.0) Manual do Fénix Gestão de Curriculum SI 11-10-2010 (Versão 1.0) Este manual tem como objectivo auxiliar a tarefa de gestão do portal curriculum por parte dos docentes. Índice Abreviaturas... 3 1. Entrar

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA DOURADO, LUÍS Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho. Palavras

Leia mais

Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas

Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas As Palavras Ferramenta de Apoio ao Jogo 2 (Ensino da Leitura) incluído nos Jogos da Mimocas 1. Introdução A Associação Portuguesa de Portadores de Trissomia 21 (APPT21) e a Escola Superior de Gestão de

Leia mais

Adessowiki. Visão Geral do Sistema. Roberto A. Lotufo e Rubens C. Machado. Abril de 2009 UNICAMP / CTI

Adessowiki. Visão Geral do Sistema. Roberto A. Lotufo e Rubens C. Machado. Abril de 2009 UNICAMP / CTI Adessowiki Visão Geral do Sistema Roberto A. Lotufo e Rubens C. Machado UNICAMP / CTI Abril de 2009 1 Adessowiki Características Literate Programming (Knuth) > Em um ambiente colaborativo É uma wiki que

Leia mais

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional

Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Autoria Multimídia: o uso de ferramentas multimídia no campo educacional Douglas Vaz, Suelen Silva de Andrade Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {doug.vaz,

Leia mais

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho. INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.pt Este trabalho tem como objectivo descrever uma experiência pedagógica

Leia mais

Catálogo Nacional de Compras Públicas. Manual de Fornecedores

Catálogo Nacional de Compras Públicas. Manual de Fornecedores 10 de Julho de 2009 Índice 1. Introdução... 3 1.1. Objectivo... 3 2. Fornecedor... 4 2.1. AQs/CPAs... 4 2.2. Contratos... 4 2.3. Grupos AQ/CPA... 5 3. Carregamento e Actualização do Catálogo... 7 3.1.

Leia mais

Concepção Centrada no Utilizador

Concepção Centrada no Utilizador Concepção Centrada no Utilizador Projeto - Watch the Cloud Grupo 6 Célia Carvalho nº 59061 António Alves nº 65873 Miguel Santos nº 68169 Sondas Os utilizadores estão minimamente bem informados dos perigos.

Leia mais

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área

Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Descritivo completo Pessoal 2008 Controle e execute tudo o que está relacionado com Pessoal e Salários com um software eficaz e preparado para completar todas as tarefas nesta área Benefícios Solução completa;

Leia mais

Manual de Procedimentos POSI-E3

Manual de Procedimentos POSI-E3 Manual de Procedimentos POSI-E3 13 de Abril de 2012 1 Índice 1. INTRODUÇÃO 3 2. COORDENAÇÃO GERAL 5 3. DOCENTES E DISCIPLINAS 7 3.1 INFORMAÇÃO AOS ALUNOS 7 3.2 RELAÇÕES ALUNOS / DOCENTES 8 4.1 ÁREA PEDAGÓGICA

Leia mais

Análise e Projeto Orientados a Objeto

Análise e Projeto Orientados a Objeto Análise e Projeto Orientados a Objeto Objetivos Comparar e contrastar Análise e Projeto Definir O que vamos fazer na disciplina? Saber uma linguagem de programação orientada a objeto (OO) não é suficiente

Leia mais

2.1. PHP - Introdução

2.1. PHP - Introdução Programação para Internet II 2.1. PHP - Introdução Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Um pouco de história Inicialmente, as páginas dinâmicas eram construídas em C. O C não foi desenvolvido

Leia mais

Turma 10º ano C/D. Período: 2º Nº de alunos: 27 Local: A1 Data: 01/02/2010 Hora: 11:40 Duração: 90. 14 Bolas de rítmica

Turma 10º ano C/D. Período: 2º Nº de alunos: 27 Local: A1 Data: 01/02/2010 Hora: 11:40 Duração: 90. 14 Bolas de rítmica Escola Secundária Frei Heitor Pinto da Covilhã PLANO DE AULA Turma 10º ano C/D Aula nº: 34 Unidade Didáctica Atletismo lançamento do peso Período: 2º Nº de alunos: 27 Local: A1 Data: 01/02/2010 Hora: 11:40

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Oficina da Internet

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Oficina da Internet COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina da Internet Utilização Educativa da Internet Guião de iniciação à consulta e pesquisa de informação na Web Índice Introdução... 2 Alguns conceitos básicos...2

Leia mais

Ajax não é dependente dos servidores Web, e como tal poderá ser usado com PHP, JSP, ASP e ASP.NET.

Ajax não é dependente dos servidores Web, e como tal poderá ser usado com PHP, JSP, ASP e ASP.NET. 1 2 Ajax não é dependente dos servidores Web, e como tal poderá ser usado com PHP, JSP, ASP e ASP.NET. 3 Por todo o documento subentende-se: todos os seus componentes já anteriormente carregados: imagens,

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º e 8º Anos de escolaridade)

2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º e 8º Anos de escolaridade) Escola Básica e Secundária de Velas Linhas de Exploração do Quadro de da Disciplina de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) Oferta de Escola 2ºCiclo (5º e 6º Anos de escolaridade) 3ºCiclo (7º

Leia mais

Departamento de Informática

Departamento de Informática Departamento de Informática Licenciatura em Engenharia Informática Sistemas Distribuídos época de recurso, 28 de Janeiro de 2009 1º Semestre, 2008/2009 NOTAS: Leia com atenção cada questão antes de responder.

Leia mais

Relatório do trabalho: My Site Of Bookmarks

Relatório do trabalho: My Site Of Bookmarks Relatório do trabalho: My Site Of Bookmarks Filipa Ramalho ci05020 Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Ciência da Informação Rua Roberto Frias, s/n, 4200-465 Porto, Portugal

Leia mais

Estruturando o Pré Projeto

Estruturando o Pré Projeto 1 Estruturando o Pré Projeto Deve ter uma capa padrão, como nome da UNESP na parte superior, o título da pesquisa centralizado no meio da página, a cidade e o ano no rodapé da página e entre o título no

Leia mais

Instalação do Aparelho Virtual Bomgar. Base 3.2

Instalação do Aparelho Virtual Bomgar. Base 3.2 Instalação do Aparelho Virtual Bomgar Base 3.2 Obrigado por utilizar a Bomgar. Na Bomgar, o atendimento ao cliente é prioridade máxima. Ajude-nos a oferecer um excelente serviço. Se tiver algum comentário

Leia mais

Criação de Páginas Web - MS Word 2000

Criação de Páginas Web - MS Word 2000 Gestão Comercial e da Produção Informática I 2003/04 Ficha de Trabalho N.º 9 Criação de Páginas Web - MS Word 2000 1. Criação de uma página Web (HTML): Escreva o seu texto e introduza as imagens pretendidas

Leia mais

GereComSaber. Desenvolvimento de Sistemas de Software. Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática

GereComSaber. Desenvolvimento de Sistemas de Software. Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática Universidade do Minho Conselho de Cursos de Engenharia Licenciatura em Engenharia Informática Desenvolvimento de Sistemas de Software Ano Lectivo de 2009/10 GereComSaber Ana Duarte, André Guedes, Eduardo

Leia mais

Procedimentos de Segurança

Procedimentos de Segurança Procedimentos de Segurança Proteger o seu computador Utilize um anti-vírus para proteger o seu sistema e os seus dados Mantenha-o constantemente ligado e actualizado, e sempre configurado com protecção

Leia mais

Gescom isales. Aplicação Mobile Profissional para Vendedores

Gescom isales. Aplicação Mobile Profissional para Vendedores Aplicação Mobile Profissional para Vendedores Indíce Introdução... 3 Aplicação... 4 Produtos... 4 Categorias... 4 Produtos... 5 Carrinho de Vendas... 6 Encomendas... 7 Clientes... 10 Sincronização... 11

Leia mais

UMA PROPOSTA PARA A AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO MEDIADA POR COMPUTADOR

UMA PROPOSTA PARA A AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO MEDIADA POR COMPUTADOR UMA PROPOSTA PARA A AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO MEDIADA POR COMPUTADOR Luís Manuel Borges Gouveia 1 CEREM, Centro de Recursos Multimediáticos Universidade Fernando Pessoa Praça 9 de Abril, 349-4200 Porto Tel.:

Leia mais

4.1. UML Diagramas de casos de uso

4.1. UML Diagramas de casos de uso Engenharia de Software 4.1. UML Diagramas de casos de uso Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Utilizados para ajudar na análise de requisitos Através da forma como o utilizador usa o sistema

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA CampusdeIlhaSolteira Licenciatura em Física 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE ENGENHARIA DO CAMPUS DE ILHA SOLTEIRA REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE

Leia mais

REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA)

REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA) REGULAMENTO SOBRE INSCRIÇÕES, AVALIAÇÃO E PASSAGEM DE ANO (RIAPA) CAPÍTULO I REGIME DE FUNCIONAMENTO Artigo 1º - Âmbito O disposto no presente Regulamento aplica-se apenas aos cursos de graduação da Universidade

Leia mais

Regulamento Setembro de 2013

Regulamento Setembro de 2013 Regulamento Setembro de 2013 1. ÂMBITO E ESTRUTURA A Biblioteca da Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão é uma unidade documental que adquire, processa e disponibiliza informação especializada

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o d a d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a Digibody's Caricature

Leia mais

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre.

Manual de Utilizador. Caderno. Recursos da Unidade Curricular. Gabinete de Ensino à Distância do IPP. http://eweb.ipportalegre.pt. ged@ipportalegre. Manual de Utilizador Caderno Recursos da Unidade Curricular Gabinete de Ensino à Distância do IPP http://eweb.ipportalegre.pt ged@ipportalegre.pt Índice RECURSOS... 1 ADICIONAR E CONFIGURAR RECURSOS...

Leia mais

Sistema de formação e certificação de competências

Sistema de formação e certificação de competências Sistema de Formação e Certificação de Competências Portal das Escolas Manual de Utilizador Docente Referência Projecto Manual do Utilizador Docente Sistema de formação e certificação de competências Versão

Leia mais

Volta a Portugal. Relatório. Algoritmos e Estruturas de Dados 2º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação

Volta a Portugal. Relatório. Algoritmos e Estruturas de Dados 2º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Volta a Portugal Relatório Algoritmos e Estruturas de Dados 2º ano do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Elementos do Grupo: João Carlos Figueiredo Rodrigues Prudêncio 070509111

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Programação para Internet II

Programação para Internet II Programação para Internet II Aulas 01 e 02 Prof. Fernando Freitas Costa http://professor.fimes.edu.br/fernando nando@fimes.edu.br Prof. Fernando 1 Ementa Instalação e configuração básica do NetBeans e

Leia mais

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação

A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação A Internet, ou apenas Net, é uma rede mundial de computadores ligados, entre si, através de linhas telefónicas comuns, linhas de comunicação privadas, satélites e outros serviços de telecomunicação. Hardware

Leia mais

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador

Avaliação do Desempenho do. Pessoal Docente. Manual de Utilizador Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente Manual de Utilizador Junho de 2011 V6 Índice 1 ENQUADRAMENTO... 4 1.1 Aspectos gerais... 4 1.2 Normas importantes de acesso e utilização da aplicação... 4 1.3

Leia mais

FIND ME APLICAÇÃO ANDROID

FIND ME APLICAÇÃO ANDROID FIND ME APLICAÇÃO ANDROID Relatório Sistemas Distribuídos - EIC0036-2S 3º Ano do Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Elementos do Grupo: Carlos Gouveia 080509148 ei08148@fe.up.pt

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTE. Regulamento de Estágio

CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTE. Regulamento de Estágio CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTE Regulamento de Estágio 1. Objectivo Na unidade curricular Estágio, que consta do 6º semestre do plano de estudos da Licenciatura em Engenharia Ambiente, pretende-se que o estudante

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) http://curriculum.degois.pt Março de 2012 Versão 1.5 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador

Leia mais

Actualizaç ões e novas funcionalidades. Inoxnet. Versã o 1.70. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com

Actualizaç ões e novas funcionalidades. Inoxnet. Versã o 1.70. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com Actualizaç ões e novas funcionalidades Inoxnet Versã o 1.70 (c) EBASE Lda www.inoxnet.com Índice PORTAL DO INOXNET...3 Modelos... 3 Suporte... 3 Links ú teis... 3 BACK-OFFICE DO WEBSITE...3 Menu... 3 Editor

Leia mais

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1.

Unidade 4 Concepção de WEBSITES. Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Unidade 4 Concepção de WEBSITES Fundamentos do planeamento de um website 1.1. Regras para um website eficaz 1.1.1. Sobre o conteúdo 1 Regras para um website eficaz sobre o conteúdo Um website é composto

Leia mais

1. Criar uma nova apresentação

1. Criar uma nova apresentação MANUAL DO Baixa da Banheira, 2006 1. Criar uma nova apresentação Para iniciar uma sessão de trabalho no PowerPoint é necessário criar uma nova apresentação para depois trabalhar a mesma. Ao iniciar uma

Leia mais

Manual do Utilizador GESTFOR Gestão da Formação

Manual do Utilizador GESTFOR Gestão da Formação Manual do Utilizador GESTFOR Gestão da Formação 1. INTRODUÇÃO...1 2. MÓDULO DE GESTÃO...2 2.1. ENTIDADES...3 2.1.1. TERCEIROS...4 2.1.1.1. CONSULTAR OS TERCEIROS...4 2.1.1.2. CRIAR UM TERCEIRO...5 2.1.1.3.

Leia mais

Licenciatura em Informática. - Análise e Conceção de Sistemas de Informação. Gestão de Condómino. Documento de Análise.

Licenciatura em Informática. - Análise e Conceção de Sistemas de Informação. Gestão de Condómino. Documento de Análise. Licenciatura em Informática - Gestão de Condómino Documento de Análise Realizado por: José Marcos, Nº 100118005 Pedro Santo, Nº 130118025 Marius Seres, Nº 130118012 Santarém, 20 de Janeiro 2015 Índice

Leia mais

Simplifique o seu trabalho. Tudo é mais fácil com o Microsoft Office 2008 para Mac.

Simplifique o seu trabalho. Tudo é mais fácil com o Microsoft Office 2008 para Mac. Simplifique o seu trabalho Tudo é mais fácil com o Microsoft Office 2008 para Mac. Todos vão querer saber... Como o fez. Quando o fez. Quem o fez. Microsoft Office 2008 para Mac simples e poderoso. Tão

Leia mais

Análise dos inquéritos

Análise dos inquéritos Análise dos inquéritos Denis Encarnação 25077 Tiago Rodrigues 25092 De forma a apurar se as características que pretendemos incluir no nosso projecto são ou não as mais indicadas e se eventualmente poderia

Leia mais

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc.

Ferramentas como, por exemplo, linhas de conexão, formas automáticas, sombras pendentes, WordArt, etc. Ambiente de trabalho Ambiente de trabalho Porquê criar páginas web? A World Wide Web é a melhor forma das pessoas comunicarem umas com as outras. Nos dias de hoje, é importante poder comunicar com outras

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ISVOUGA

REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ISVOUGA REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS DOCENTES DO ISVOUGA PG.02.05/A Página 1 de 13 O Estatuto de Carreira do Pessoal Docente do Ensino Superior Politécnico (ECPDP), na redação do Decreto Lei n.º

Leia mais

Software Adobe DreamWeaver. Requisitos para criar aplicações Web

Software Adobe DreamWeaver. Requisitos para criar aplicações Web Software Adobe DreamWeaver O Dreamweaver é uma ferramenta de desenvolvimento de sites que suporta diversas linguagens de scritpting para construir sites dinâmicos. Suporta várias linguagens como por exemplo:

Leia mais

1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura. A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que

1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura. A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que Guia IRS 2015 E-Factura 1. Passo-a-passo para validar as despesas no E-fatura A partir deste ano, o contribuinte pode consultar on-line todas as deduções que vão constar no seu IRS referente ao ano de

Leia mais

Universidade da Beira Interior

Universidade da Beira Interior Universidade da Beira Interior Relatório Apresentação Java Server Pages Adolfo Peixinho nº4067 Nuno Reis nº 3955 Índice O que é uma aplicação Web?... 3 Tecnologia Java EE... 4 Ciclo de Vida de uma Aplicação

Leia mais

UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009)

UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009) GESTÃO DE PROCESSOS UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009) 1. O QUE É PROCESSO? Processos têm sido considerados uma importante ferramenta de gestão, um instrumento capaz de aproximar

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I REGULAMENTO DA BIBLIOTECA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS: Art. 1 - A Biblioteca da FACSETE Faculdade Sete Lagoas, tem como objetivo, a disseminação da informação através da aquisição, organização, e conservação

Leia mais

Guia de Candidatura. Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt

Guia de Candidatura. Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt Av. Duque D Ávila, 137 1069-016 Lisboa PORTUGAL Tel: 213 126 000 Fax: 213 126 001 www.dges.mctes.pt Recomendações Gerais para Preenchimento do Formulário de Candidatura: Reunir informação: Para o correcto

Leia mais

O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo

O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo Filipa Rente Ramalho O Acto Administrativo: Conceito, estrutura, objecto e conteúdo Trabalho para a Disciplina de Direito Administrativo Orientador: Professor António Francisco de Sousa UNIVERSIDADE DO

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA

ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA ESCOLA SECUNDÁRIA DA BAIXA DA BANHEIRA Ano lectivo 2010 / 2011 Introdução De modo a dar cumprimento à legislação em vigor, tendo como base os objectivos do Projecto Educativo: Diminuir o Insucesso e abandono

Leia mais

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico;

5. Ler cuidadosamente as mensagens de correio electrónico; Segundo o Guia para ambientes de aprendizagem digitais quer alunos, quer professores, precisam de novas competências ao nível da literacia digital à medida que cada vez mais recursos estão presentes na

Leia mais

USABILIDADE NA WEB E EM INTERFACES. Tutora: Aline Yuri Ieiri (UAB UFABC - PACC)

USABILIDADE NA WEB E EM INTERFACES. Tutora: Aline Yuri Ieiri (UAB UFABC - PACC) USABILIDADE NA WEB E EM INTERFACES. Tutora: Aline Yuri Ieiri (UAB UFABC - PACC) Definição do conceito O que é Usabilidade? Usabilidade é um termo usado para definir a facilidade com que as pessoas podem

Leia mais

Abordagem do Salto em Comprimento Trabalho Final

Abordagem do Salto em Comprimento Trabalho Final Centro de Formação de Associação de Escolas de Matosinhos Escola-Sede: Escola Secundária com 3º Ciclo do E. Básico Augusto Gomes C304. Abordagem Multidisciplinar do Atletismo Curso, 50 horas Abordagem

Leia mais

Relatório de projecto

Relatório de projecto Relatório de projecto 9ºB 2005/2006 Página 1 de 12 1) Projecto inicial O projecto proposto é fruto de uma proposta independente que se integrou num dos projectos a integrar e desenvolver na disciplina

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB

18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB 18º Congresso de Iniciação Científica IMPLEMENTAÇÃO DE UM MODELO DE TESTE DE APLICAÇÕES WEB Autor(es) HARLEI MIGUEL DE ARRUDA LEITE Orientador(es) PLÍNIO ROBERTO SOUZA VILELA Apoio Financeiro PIBIC/CNPQ

Leia mais

Expansão de Imagem #2

Expansão de Imagem #2 Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Engenharia Electrotécnica e de Computadores Expansão de Imagem #2 Televisão Digital António Alberto da Silva Marques Pedro Ricardo dos Reis Porto, 2004

Leia mais

Front-End: corresponde ao que será visualizado pelo utilizador via web. Deve ser acessível para todo e qualquer utilizador.

Front-End: corresponde ao que será visualizado pelo utilizador via web. Deve ser acessível para todo e qualquer utilizador. Projecto Final Introdução O objectivo do projecto final da disciplina de Computação na Internet é colocar em prática todos os conhecimentos adquiridos na disciplina e, assim, desenvolver um sistema que

Leia mais

DOCUMENTO TÉCNICO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

DOCUMENTO TÉCNICO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DOCUMENTO TÉCNICO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ALÉM DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Para Além da Segurança da Informação 1 ACTUALMENTE O TRUSTED PLATFORM MODULE (TPM) REPRESENTA A MAIS INOVADORA

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO

REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO REGULAMENTO DO MESTRADO EM TEATRO, ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO ENCENAÇÃO INTRODUÇÃO O Mestrado em Teatro, área de especialização Encenação, é um programa de segundo ciclo, constituído por quatro semestres e

Leia mais

Construção de um WebSite. Luís Ceia

Construção de um WebSite. Luís Ceia Construção de um WebSite Para a construção de um WebSite convém ter-se uma planificação cuidada. Para tal podemos considerar seis etapas fundamentais: 1. Planeamento 2. Desenvolvimento de Conteúdos 3.

Leia mais

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura

Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 0 APROVADO POR: Conselho Técnico-Científico 20 10 2010 Data: / / 20 10 2010 Normas Regulamentares do Curso de Jornalismo Comunicação e Cultura 1. INTRODUÇÃO As presentes normas aplicam se aos cursos de

Leia mais