Assunto: Emissão de Tempo de Contribuição/Serviço e Averbação de Tempo de Contribuição/Serviço

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assunto: Emissão de Tempo de Contribuição/Serviço e Averbação de Tempo de Contribuição/Serviço"

Transcrição

1 OFÍCIO CIRCULAR N.º 017/2009/S/SUBG/CRH/CAP Rio de Janeiro, 17 de agosto de Assunto: Emissão de Tempo de Contribuição/Serviço e Averbação de Tempo de Contribuição/Serviço INTRODUÇÃO: Este trabalho tem o objetivo de orientar os Órgãos locais de Recursos Humanos e dirimir dúvidas dos servidores quanto à expedição de Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço, bem como na contagem de tempo para averbação, sem a pretensão de esgotar o assunto. É um esclarecimento que visa facilitar a operacionalização desses institutos, com uma abordagem geral, observando-se que os casos excepcionais não contemplados devem ser analisados particularmente. CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO/SERVIÇO Conceito: Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço é o documento emitido para averbação de tempo de serviço do (ex) servidor junto a outros órgãos públicos ou junto à Previdência Social, observados os requisitos e condições estabelecidas na legislação de regência da matéria. Informações Gerais: A Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço prestado à Prefeitura do Rio de Janeiro somente será emitida para o requerente que tiver o seu vínculo encerrado com o Município do Rio de Janeiro. A apuração do tempo de contribuição/serviço será feita em dias (artigo 63, da Lei nº. 94, de 14 de março de 1979). Importante ressaltar que de acordo com a Emenda Constitucional nº. 20 de 15/12/1998, o tempo de serviço anterior à Emenda será contado como tempo de contribuição (artigo 4º, da EC nº. 20).

2 A competência para expedir essa Certidão, via de regra, é do órgão para onde as contribuições previdenciárias foram vertidas, ou seja, será emitida: a) pelo setor competente da administração direta do Município do Rio de Janeiro, relativamente ao tempo de contribuição para o regime próprio de previdência social; b) pelo setor competente da administração federal, estadual, municipal ou do Distrito Federal, suas autarquias e fundações, relativamente ao tempo de contribuição para o respectivo regime próprio de previdência social; ou c) pelo setor competente do INSS, relativamente ao tempo de contribuição para o Regime Geral de Previdência Social. A Instrução Normativa n.º 84, do INSS estabelece uma exceção a essa regra geral. A mencionada Instrução preceitua no seu artigo 321: Art. 321 Será permitida a emissão de CTC, pelo INSS, para o período em que os servidores públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios estiveram vinculados ao RGPS, somente se, por ocasião de transformação para Regime Próprio de Previdência, esse tempo não tiver sido averbado automaticamente pelo respectivo órgão. Parágrafo único. O Ente Federativo deverá certificar todos os períodos vinculados ao RGPS, prestados pelo servidor ao próprio ente e que tenham sido averbados automaticamente, observado o disposto no 2º, art. 10 do decreto n.º 3.112/99, mesmo que a emissão seja posterior ao início do benefício naquele órgão. É o caso dos servidores inicialmente admitidos pelo regime da Consolidação das Leis Trabalhistas, na forma da Lei nº , de 18 de janeiro de 2000 Agentes de Administração, Auxiliares de Enfermagem etc que tiveram seus empregos transformados em cargos, com validade de 17/05/2002, pela Lei nº , de 16 de maio de Uma vez averbado o tempo de contribuição originário do INSS, deverá ser comunicado o fato à respectiva Agência que emitiu a certidão, para as anotações nos registros funcionais.

3 Restrições: Não será admitida a contagem de tempo de serviço em dobro ou em outras condições especiais. Preceitua o artigo 40, 10º da Constituição Federal, que não poderá ser considerado qualquer forma de tempo de contribuição fictício (CRFB/88, com redação dada pela EC nº. 20). É vedada a contagem cumulativa de tempo de serviço prestado concomitantemente em mais de uma atividade, pública ou privada. O requerimento para obtenção da Certidão de Tempo de Contribuição / Serviço deverá ser apresentado ao Protocolo do PREVI-RIO Rua Afonso Cavalcanti, nº. 455, Térreo Prédio Anexo. Documentação Necessária para Instruir o Processo de Certidão de Tempo de Contribuição / Serviço: 1. Requerimento de Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço. 2. A Certidão de Contagem de Tempo/Contribuição deverá conter as seguintes informações: a) nome do servidor; b) o fim a que se destina a Certidão, ou seja, para qual órgão ela será levada; c) nº. do CNPJ da PCRJ; d) órgão expedidor; e) denominação do cargo do servidor e sua situação; f) tempo de efetivo serviço, em dias; g) discriminação de freqüência indicando as várias alterações tais como faltas, suspensões, licenças e outras ocorrências do período; h) soma do tempo líquido de freqüência, sendo considerada a freqüência apurada; i) assinatura do servidor responsável pela informação constante da certidão, visada pelo superior imediato; j) regime jurídico a que o interessado era subordinado. OBS: A Certidão, em papel timbrado com logomarca da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, não pode conter rasuras ou emendas.

4 AVERBAÇÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO/SERVIÇO Conceito: Averbar significa anotar, registrar. Averbação é o registro, na pasta funcional do servidor, do tempo de contribuição/serviço prestado a outra instituição, pública ou privada, comprovado através de Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço, fornecida pelo órgão competente. Informações Gerais: O tempo de serviço prestado a órgãos públicos será atestado por Certidão expedida pelos setores competentes desses órgãos, onde foi exercido o cargo ou emprego ou para onde foram vertidas as contribuições. Nos demais casos, deverá ser comprovado mediante certidão do INSS. Importante esclarecer que, os órgãos públicos que não possuem regime próprio de previdência, não dispõe de competência para emitir Certidões de Tempo de Contribuição/Serviço. Por conseqüência, na hipótese da contribuição do ente público ser vertida para o Regime Geral de Previdência, os documentos necessários à instrução do processo de averbação são a certidão de tempo de contribuição/serviço, expedida pelo INSS, juntamente com a declaração emitida pelo ente público esclarecendo o cargo ocupado e as suas atribuições, bem como o período do vínculo e o regime jurídico a que se submeteu o servidor. É possível a contagem recíproca de tempo de contribuição/serviço público e privado, vedada a contagem cumulativa. O requerimento para Averbação de Tempo de Contribuição / Serviço deverá ser apresentado ao respectivo Protocolo. Em se tratando de Unidade Orçamentária, situado no próprio Hospital. Nos demais casos, na Coordenadoria de Área correspondente. Documentação Necessária para Instruir o Processo de Averbação de Tempo de Contribuição / Serviço: 1. Requerimento do servidor; 2. Certidão de Tempo de Contribuição/Serviço (original), expedida pelo órgão competente, onde conste: a) nome do servidor/empregado;

5 b) o fim a que se destina a Certidão; c) órgão expedidor; d) denominação do cargo ou emprego ocupado; e) regime jurídico a que o interessado era subordinado; f) tempo de efetivo serviço; g) soma de tempo líquido corrido; h) faltas e licenças ocorridas no período. 3. No caso de Serviço Militar obrigatório poderá ser aceita cópia do Certificado de Reservista (que deverá conter autenticação da administração, ou melhor, a expressão confere com o original, ou outra equivalente, que atribua à cópia características de autenticidade) desde que contenha o início e o término do serviço. Caso o documento não especifique o tempo de serviço prestado, será exigida certidão original, emitida pelo órgão no qual o servidor prestou o Serviço Militar. OBS: A Certidão para fins de averbação de tempo de serviço deverá ser original, sem rasuras ou emendas, em papel timbrado e logomarca (quando houver). Importante!!!!! Uma vez averbado o tempo de contribuição/serviço, a certidão a que se refere este período NÃO PODERÁ SER RETIRADA DO PROCESSO.

6 Fluxo da Tramitação do Processo Início ABERTURA DO PROCESSO - Servidor apresenta o requerimento para averbação de tempo de serviço juntamente com a documentação necessária ORGINAL DA CERTIDÃO DE TEMPO DE SERVIÇO. PROTOCOLO LOCAL (CAP ou UO) - Autua o processo administrativo e encaminha ao S/SUBG/CRH/DCP, certificando-se que o servidor já não possui processo de Averbação autuado naquela matrícula. - Confere a documentação. Acumulação de cargos? Servidor já possui processo de Averbação? A Certidão é original? SIM - Retorna o processo em diligência para que o servidor apresente Declaração do órgão em que acumula esclarecendo se aquele tempo foi por lá averbado. SIM - Retorna o processo em diligência para que seja providenciada a JUNTADA ou APENSAÇÃO do outro processo de averbação já autuado. NÃO - Retorna o processo em diligência para anexar ao processo o ORGINAL da Certidão. SERVIDOR E UNIDADE DE SAÚDE - Servidor atende a(s) diligência(s). - O processo é devolvido ao S/SUBG/CRH/CAP/DCP. 1

7 1 - Analisa o processo e os requisitos de admissibilidade do pedido formulado, consideradas as exigências legais. Deferir / Indeferir - Elabora proposta de concessão/indeferimento do benefício e, em seguida, encaminha lauda para publicação em Diário Oficial. IMPRENSA DA CIDADE - Publica em Diário Oficial a Ordem de Serviço da Divisão de Direitos e Vantagens, conforme lauda enviada. - Implanta a averbação e altera a précontagem, tudo no Sistema ERGON; - Promove a apostila no original da Certidão apresentada; - Quanto se trata de certidão emitida pelo INSS, encaminha Ofício ao Instituto comunicando a averbação; - Por fim, o processo é enviado à Unidade do lotação do servidor para ciência e arquivamento. SERVIDOR - Registra ciência da concessão / indeferimento, com posterior arquivamento no núcleo de pessoal da Unidade. Fim

8 DESAVERBAÇÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO/SERVIÇO Conceito: Desaverbação é o ato pelo qual se subtrai do tempo de contribuição/serviço um certo período averbado anteriormente, solicitado pelo interessado, para fins de averbação em outro órgão, desde que não tenha surtido efeito jurídico. Se houver algum benefício financeiro, advindo do tempo a ser desaverbado, esse benefício deverá ser excluído para que o respectivo tempo possa ser desaverbado. Este período não pode ser integrante do cargo no qual o servidor esteja em exercício na instituição. Informações Gerais: Para que ocorra uma desaverbação necessariamente deve ter ocorrido anteriormente uma averbação, ou seja, é necessário que o servidor possua tempo de serviço averbado na Instituição para que ele possa desaverbá-lo. Todo tempo desaverbado exclui o benefício que ele gerou, o que deverá ser verificado e preliminarmente comunicado ao requerente para manifestação. O pedido de desaverbação deverá ser promovido no mesmo processo que deu causa à averbação. Documentação Necessária para Instruir o pedido: 1. Requerimento do interessado, justificando os motivos do pedido de desaverbação do tempo de serviço. O requerimento será elaborado pelo interessado no próprio processo que deu causa à averbação, e deve incluir: a) período a ser subtraído (início e término); b) órgão onde o tempo será averbado. consideração. Aproveito o ensejo para reiterar meus protestos de alta estima e distinta LEONARDO SOUTO DE CASTILHO Coordenador

Prefeitura Municipal de Porto Alegre

Prefeitura Municipal de Porto Alegre Prefeitura Municipal de Porto Alegre DECRETO Nº 14.330, de 28 de outubro de 2003. Regulamenta o inc. VIII do art. 17, os arts. 107, 108, 109 e 110, da Lei Complementar nº 478, de 26 de setembro de 2002,

Leia mais

Nota Técnica nº 446/2010/COGES/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Averbação de tempo de serviço. Referência: Processo Administrativo nº 10176.

Nota Técnica nº 446/2010/COGES/DENOP/SRH/MP. ASSUNTO: Averbação de tempo de serviço. Referência: Processo Administrativo nº 10176. MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos Departamento de Normas e Procedimentos Judiciais Coordenação-Geral de Elaboração, Sistematização e Aplicação das Normas Nota

Leia mais

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009.

PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. PORTARIA RIOPREVIDÊNCIA Nº. 148 DE 09 DE FEVEREIRO DE 2009. ALTERA O MODELO DE CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO - CTC, DISCIPLINA PROCEDIMENTOS QUANTO À SUA EXPEDIÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PRESIDENTE

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 Edital de convocação de Pessoas Jurídicas para inscrição e atualização do Cadastro de Fornecedores do Município de Itaúna.

Leia mais

AVERBAÇÃO Salvador, Agosto/2010 1

AVERBAÇÃO Salvador, Agosto/2010 1 AVERBAÇÃO Salvador, Agosto/2010 1 I) AVERBAÇÃO. CONCEITO E NOÇÕES INTRODUTÓRIAS. Conceito: É o registro, nos assentamentos do servidor, de determinado tempo de serviço/contribuição. Noções genéricas, que

Leia mais

CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO/SERVIÇO E DECLARAÇÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO (AUTUAÇÃO E INSTRUÇÃO DE PROCESSO)

CERTIDÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO/SERVIÇO E DECLARAÇÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO (AUTUAÇÃO E INSTRUÇÃO DE PROCESSO) PREFEITURA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO PMSP SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SEMPLA COORDENADORIA DE GESTÃO DE PESSOAS COGEP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DERH CERTIDÃO DE TEMPO

Leia mais

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO A

Poder Judiciário JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Paraná 1ª TURMA RECURSAL JUÍZO A JUIZADO ESPECIAL (PROCESSO ELETRÔNICO) Nº200870580000930/PR RELATORA : Juíza Ana Beatriz Vieira da Luz Palumbo RECORRENTE : INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS RECORRIDO : DIRCÉLIA PEREIRA 200870580000930

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO. Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008

SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO. Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008 SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E GESTÃO Publicada no D.O. de 15.05.2008 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 109 DE 09 DE MAIO DE 2008 INSTITUI O MANUAL PARA ANÁLISE DE ACUMULAÇÃO DE CARGOS, EMPREGOS E FUNÇÕES PÚBLICOS

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO CRMV-RJ Nº 47/2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RESOLUÇÃO CRMV-RJ Nº 47/2015 RESOLUÇÃO CRMV-RJ Nº 47/2015 Ementa: Estabelece requisitos a serem observados para obtenção de apoio financeiro e/ou institucional junto ao CRMV-RJ. O - CRMV-RJ, no uso das atribuições que lhe são conferidas

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N. ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.º 058/2010 O Município de Vitória, por intermédio da Secretaria de Administração

Leia mais

Circular 407/2011 São Paulo, 06 de Dezembro de 2011.

Circular 407/2011 São Paulo, 06 de Dezembro de 2011. Circular 407/2011 São Paulo, 06 de Dezembro de 2011. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) REORGANIZAÇÃO DO CADASTRO MUNICIPAL ÚNICO DE ENTIDADES PARCEIRAS DO TERCEIRO SETOR - CENTS Diário Oficial da Cidade Nº

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ATENDIMENTO IT. 14 16 1 / 23 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento realizado pelo Crea GO ao profissional, empresa e público em geral. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 5.194 24 de dezembro

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA CAPTAÇÃO DE PATROCÍNIO PROJETO DE INFRAESTRUTURA DO CENTRO CULTURAL DAVID RIBEIRO - MERCADO VELHO 1 OBJETO 1.1 O presente chamamento público tem por objeto a captação

Leia mais

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8

Luiz A. Paranhos Velloso Junior Presidente da Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro ID. 1919046-8 PORTARIA JUCERJA N.º 1.408, DE 25 DE AGOSTO DE 2015. APROVA REGULAMENTO DE CREDENCIAMENTO DE PERITOS GRAFOTÉCNICOS, NO ÂMBITO DA JUCERJA. O PRESIDENTE DA JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, no

Leia mais

Edital de Convocação. Processo Seletivo Simplificado 019/2016 Contratação temporária de excepcional interesse público

Edital de Convocação. Processo Seletivo Simplificado 019/2016 Contratação temporária de excepcional interesse público Edital de Convocação Processo Seletivo Simplificado 019/2016 Contratação temporária de excepcional interesse público A PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMANDUCAIA - MG, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

Coordenação Geral: Eliane Bastos Martins. Realização: José Hamilton Maldonado

Coordenação Geral: Eliane Bastos Martins. Realização: José Hamilton Maldonado 1 COORDENADORIA GERAL DO SUBSISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Coordenação Geral: Eliane Bastos Martins Realização: José Hamilton Maldonado Colaboração: Alexandre

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N. ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.º 178/2006 O Município de Vitória, por intermédio da Secretaria de

Leia mais

CONTAGEM DE TEMPO NO SIGPEC MANUAL DE PROCEDIMENTOS

CONTAGEM DE TEMPO NO SIGPEC MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTAGEM DE TEMPO NO SIGPEC MANUAL DE PROCEDIMENTOS Elaboração: DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DERH Vigência: agosto/2011 Dúvidas sobre a utilização deste manual poderão ser dirimidas por e-mail, enviados

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ATENDIMENTO IT. 14 13 1 / 20 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento realizado pelo Crea GO ao profissional, empresa e público em geral. 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA Lei n 5.194 24 de dezembro

Leia mais

Realização: Alexandre Araújo Ednéa Pacheco Lima Equipe A/CSGI/CMP Equipe E/DGRH/DPE

Realização: Alexandre Araújo Ednéa Pacheco Lima Equipe A/CSGI/CMP Equipe E/DGRH/DPE COORDENADORIA GERAL DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Coordenação Geral e Realização: Eliane Bastos Realização: Alexandre Araújo Ednéa Pacheco Lima Equipe

Leia mais

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO

APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO APOSENTADORIA ESPECIAL DO SERVIDOR PÚBLICO Dra. Thais Riedel Apresentação Palestrante Formação Acadêmica: Faculdade de Direito Faculdade de Ciências Políticas Especialização em Processo Civil Especialização

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 109, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 109, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS DEPARTAMENTO NACIONAL DE REGISTRO DO COMÉRCIO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 109, DE 28 DE OUTUBRO DE 2008. Dispõe

Leia mais

Sobre o Cancelamento de Gravames

Sobre o Cancelamento de Gravames Sobre o Cancelamento de Gravames Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/RS Procedimentos para solicitação do desbloqueio de cancelamento de gravame. De acordo com a portaria 246 de 13 de Outubro

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 - O discente ingressante no Curso de Direito da Faculdade Zumbi dos Palmares deverá cumprir obrigatoriamente 240 (duzentas e quarenta) de atividades complementares.

Leia mais

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos

MUNICÍPIO DE PORTO FERREIRA Estado de São Paulo DIVISÃO DE SUPRIMENTOS Seção de Licitações e Contratos INSTRUÇÕES GERAIS PARA OBTENÇÃO DO C.R.C. (CERTIFICADO DE REGISTRO CADASTRAL), CONFORME DISPOSTO NA LEI Nº 8.666/93 1. CADASTRAMENTO 1.1 PROCEDIMENTO 1.1.1 A empresa interessada em obter o Certificado

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Data 1 BIM Boletim de Inspeção Médica Nome JOÃO DA SILVA Matrícula 10/012.345-6 Diretoria SMSDC Faltando ao serviço? SIM Cargo Agente de Administração Divisão S/SUBPAV,

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1 Anexo I da Resolução do Conselho Superior nº 46/2011, de 13/09/2011. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO DOS CURSOS

Leia mais

O que é? virtuais O que mudou com o processo eletrônico?

O que é? virtuais O que mudou com o processo eletrônico? Início Janeiro/2016 O que é? Processo eletrônico é o processo no qual todas as peças processuais (petições, certidões, despachos, etc.) são virtuais, ou seja, foram digitalizadas em arquivos para visualização

Leia mais

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e

DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais, e ALTERADA PELO DECRETO SP N 48.919/2004 DECRETO Nº 47.400, DE 04 DE DEZEMBRO DE 2002 (*) Regulamenta dispositivos da Lei Estadual nº 9.509, de 20 de março de 1997, referentes ao licenciamento ambiental,

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N. ESTADO DO ESPÍRITO SANTO PREFEITURA MUNICIPAL DE VITÓRIA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL N.º 006/2014 O Município de Vitória, por intermédio da Secretaria de Administração

Leia mais

AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO MUNICIPAL E EXTRAMUNICIPAL

AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO MUNICIPAL E EXTRAMUNICIPAL PREFEITURA DO MUNICIPIO DE SÃO PAULO PMSP SECRETARIA MUNICIPAL DE GESTÃO SMG COORDENADORIA DE GESTÃO DE PESSOAS COGEP DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS DERH AVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO MUNICIPAL E EXTRAMUNICIPAL

Leia mais

Publicada no D.O. de 27.08.2014 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 1183 DE 25 DE AGOSTO DE 2014

Publicada no D.O. de 27.08.2014 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 1183 DE 25 DE AGOSTO DE 2014 Publicada no D.O. de 27.08.2014 RESOLUÇÃO SEPLAG Nº 1183 DE 25 DE AGOSTO DE 2014 FIXA A ROTINA-PADRÃO PREVISTA NO ART. 1º, CAPUT, DO DECRETO N.º 44.789, DE 13 DE MAIO DE 2014 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O

Leia mais

PORTARIA Nº 102 DE 14 DE JUNHO DE 2011

PORTARIA Nº 102 DE 14 DE JUNHO DE 2011 ESTADO DE PERNAMBUCO PROCURADORIA GERAL DO ESTADO PORTARIA Nº 102 DE 14 DE JUNHO DE 2011 O PROCURADOR GERAL DO ESTADO, no exercício de suas atribuições legais, para fins de uniformizar procedimentos relativos

Leia mais

DECRETO Nº 35334, DE 30 DE OUTUBRO DE 2013

DECRETO Nº 35334, DE 30 DE OUTUBRO DE 2013 DECRETO Nº 35334, DE 30 DE OUTUBRO DE 2013 REGULAMENTA A PROGRESSÃO POR QUALIFICAÇÃO DOS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE BETIM, DE ACORDO COM A LEI Nº 2886, DE 24 DE JUNHO DE 1996. O Prefeito Municipal

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL DE JANUÁRIA ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO - EDITAL 001/2010 RESPOSTA DE RECURSO Candidato: Genilson Dias Custódio N de Inscrição: 05966 Cargo: Técnico Administrativo

Leia mais

RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014

RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO RESOLUÇÃO PRESI 28 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta o expediente e a jornada de trabalho do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, institui o controle eletrônico

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO RESOLUÇÃO N o. 01, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014. Institui o Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Direito da Universidade Federal de Lavras O Colegiado do Curso de Direito da Universidade Federal

Leia mais

DECRETO Nº 2.108/2009

DECRETO Nº 2.108/2009 DECRETO Nº 2.108/2009 Súmula: Estabelece Procedimentos e critérios para os atestados médicos dos Servidores Públicos Municipais. O Prefeito Municipal de Colombo, no uso de suas atribuições que lhe são

Leia mais

DAS INSCRIÇÕES. II - Ter, na data da chamada para escolha de vagas, a idade mínima de 18 (dezoito) anos completos;

DAS INSCRIÇÕES. II - Ter, na data da chamada para escolha de vagas, a idade mínima de 18 (dezoito) anos completos; EDITAL Nº 001/2013 Estabelece normas para realização Processo seletivo simplificado de seleção e contratação em Regime de Designação Temporária de professores habilitados e não habilitados para o exercício

Leia mais

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ

Coordenadoria da Moralidade Administrativa INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12/CMA/2008 ÁREA: ADMINISTRAÇÃO DIRETA, FUNDOS E FUNDAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ITAJAÍ ASSUNTO: INSTRUMENTO NORMATIVO HISTÓRICO DELIBERAÇÃO VIGÊNCIA PROTOCOLO Nº DESCRIÇÃO Nº DATA A PARTIR

Leia mais

CONSIDERANDO o disposto no 1º, do art. 30, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993;

CONSIDERANDO o disposto no 1º, do art. 30, da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993; Publicado no D.O.U nº 056, de 21/03/2012 Seção 1 págs. 164 e 165. RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA N.º 420, 1º DE MARÇO DE 2012 Padroniza os Procedimentos para Certificação de Atestados de Capacidade Técnica, Visto

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988

CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1988 MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MPS SECRETARIA DE POLÍTICAS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL SPPS DEPARTAMENTO DOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO DRPSP COORDENAÇÃO-GERAL DE AUDITORIA, ATUÁRIA, CONTABILIDADE

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 36 DO CONSELHO SUPERIOR, DE 20 DE JULHO DE 2015. O Presidente do Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, no uso de suas atribuições

Leia mais

Colaboração: Antonieta do Carmo Pereira Carlos Eduardo Teixeira Moura

Colaboração: Antonieta do Carmo Pereira Carlos Eduardo Teixeira Moura 1 COORDENADORIA GERAL DO SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Coordenação Geral: Eliane Bastos Martins Realização: Maria do Carmo Santana Colaboração: Antonieta

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA VETERINÁRIA DE PERNAMBUCO Resolução nº 004, de 25 de março de 2015 Estabelece requisitos a serem observados para obtenção de apoio financeiro ou institucional junto ao CRMV-PE.

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER N 16.001

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROCURADORIA-GERAL DO ESTADO PARECER N 16.001 PARECER N 16.001 hà SARH. DIVAN. DESAVERBAÇÃO DE TEMPO DE SERVIÇO PRIVADO. TEMPO COMPUTADO PARCIALMENTE. ABONO E GRATIFICAÇÃO DE PERMANÊNCIA. Vêm a esta Equipe de Consultoria da Procuradoria de Pessoal

Leia mais

a importância de um sistema de auditoria independente como suporte indispensável ao órgão regulador;

a importância de um sistema de auditoria independente como suporte indispensável ao órgão regulador; 1) INTRODUÇÃO Ref.: Instrução CVM Nº 308, de 14 de maio de 1999, que dispõe sobre o registro e o exercício da atividade de auditoria independente no âmbito do mercado de valores mobiliários, define os

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Administração do Centro Universitário Salesiano de São Paulo Unidade de Ensino de Americana

Regulamento das Atividades Complementares do Curso de Administração do Centro Universitário Salesiano de São Paulo Unidade de Ensino de Americana Regulamento das Atividades Complementares do de Administração do Centro Universitário Salesiano de São Paulo Unidade de Ensino de Americana Aprovado na Reunião de Colegiado do em 21/01/2015. Janeiro -

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal,

O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe confere a Lei Orgânica Municipal, DECRETO N.º 060 /2013. REGULAMENTA A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NO MUNICÍPIO DE ARACATI E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL DE ARACATI, no uso de suas atribuições legais, conforme lhe

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01 TCE-TO de 07 de março de 2012. Dispõe sobre o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Contas do Estado do Tocantins. O TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO TOCANTINS, no uso de

Leia mais

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL

USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL USUCAPIÃO EXTRAJUDICIAL DOCUMENTOS: Requerimento com a qualificação completa dos interessados, firmado por advogado devidamente constituído. Não há necessidade de reconhecimento de firma (item 2.1 da Circular

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA n.º 11, de 21 de maio de 2012.

INSTRUÇÃO NORMATIVA n.º 11, de 21 de maio de 2012. INSTRUÇÃO NORMATIVA n.º 11, de 21 de maio de 2012. INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DO MUNICÍPIO DE CARAGUATATUBA CARAGUAPREV Regulamenta as atribuições do Serviço de Saúde Ocupacional da Divisão de Medicina e

Leia mais

Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SMADRH Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos SMARH

Secretaria Municipal de Administração e Recursos Humanos SMADRH Secretaria Municipal Adjunta de Recursos Humanos SMARH SEQÜÊNCIA DE DOCUMENTOS/INFORMAÇÕES NOS PROCESSOS DE APOSENTADORIA Voluntária Compulsória Laudo médico Unid. Resp. pela inclusão 1. Requerimento para aposentadoria voluntária (ARHRP 00604049) X UCP 2.

Leia mais

DECRETO Nº 42.992, DE 20 DE MARÇO DE 2003. MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei,

DECRETO Nº 42.992, DE 20 DE MARÇO DE 2003. MARTA SUPLICY, Prefeita do Município de São Paulo, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei, DECRETO Nº 42.992, DE 20 DE MARÇO DE 2003 Regulamenta disposições da Lei n 13.478, de 30 de dezembro de 2002, alterada pela Lei nº 13.522, de 19 de fevereiro de 2003, que instituiu a Taxa de Resíduos Sólidos

Leia mais

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas registradas

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral PROJETO DE LEI No. 104/08 Dispõe sobre a criação de empregos de Agente Comunitário de Saúde, junto ao Quadro de Pessoal da Prefeitura do Município de Piracicaba, nos termos da Lei Federal nº 11.350/06

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO MARANHÃO

SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO SESC ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO MARANHÃO 1 1. DA SEDE, PERÍODO E OBJETIVOS 1.1 A programação Pastor do Menino Jesus é uma das ações da Atividade Trabalho com Grupos Trabalho Social com Idosos, que ao longo de 20 anos caracteriza manifestação

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 9-CEPE-CAD/UNICENTRO, DE 21 DE MAIO DE 2009. Aprova o Regulamento do Protocolo Geral da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço saber que o Conselho

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA PORTARIA Nº 173, DE 5 DE MARÇO DE 2015. Revogada pela Portaria PGR/MPF nº 239, de 31 de março de 2015. Regulamenta a avaliação pericial administrativa

Leia mais

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005.

DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. DECRETO Nº 7.622, DE 20 DE MAIO DE 2005. Regulamenta o Sistema de Registro de Preços previsto no artigo 15, 3º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993 e artigo 11 da Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho

Leia mais

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES DECRETO Nº 8.407 DE 18/12/2014 REGULAMENTA O CADASTRAMENTO DE PESSOAS FÍSICAS E JURÍDICAS NA DIVISÃO DE CADASTRO DE FORNECEDORES E PRESTADORES DE SERVIÇOS DICAD, SETOR INTEGRANTE DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA FAETEC.

REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA TÉCNICA FAETEC. Publicada no D. O. de 27/06/11 PORTARIA FAETEC/PR Nº 327 DE 20 DE JUNHO DE 2011 REGULAMENTA A CONCESSÃO DO ADICIONAL DE QUALIFICAÇÃO AOS TITULARES DOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO DA FUNDAÇÃO DE APOIO À ESCOLA

Leia mais

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS

INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS INCENTIVO À QUALIFICAÇÃO SERVIDORES TÉCNICO-ADMINISTRATIVOS O Incentivo à Qualificação é um benefício, na forma de retribuição financeira, calculado sobre o padrão de vencimento percebido pelo servidor,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.TC-11/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA N.TC-11/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA N.TC-11/2011 Dispõe sobre a remessa, por meio eletrônico, de informações e documentos necessários ao exame da legalidade de atos de admissão de pessoal e de concessão de aposentadoria,

Leia mais

Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família JUSTIFICATIVAS PARA MANUTENÇÃO OU ALTERAÇÃO DE NOTAS PRELIMINARES DA PROVA DE TÍTULOS

Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família JUSTIFICATIVAS PARA MANUTENÇÃO OU ALTERAÇÃO DE NOTAS PRELIMINARES DA PROVA DE TÍTULOS Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família JUSTIFICATIVAS PARA MANUTENÇÃO OU ALTERAÇÃO DE NOTAS PRELIMINARES DA PROVA DE TÍTULOS PARA LOCALIZAR SEU RECURSO PRESSIONE OS BOTÕES CTRL+F DO TECLADO

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONCÓRDIA Secretaria Municipal de Administração

MUNICÍPIO DE CONCÓRDIA Secretaria Municipal de Administração EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PÚBLICO Nº 2/2014 O MUNICÍPIO DE CONCÓRDIA, pela SEMAD, considerando o disposto nas Leis Complementares nºs. 151, de 15 de dezembro de 1998 e 464, de 22 de setembro de 2006

Leia mais

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex Capítulo II TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS IMPORTAÇÕES -Seção I. Licenciamento das Importações

Leia mais

Orientação Normativa nº 03/2015 Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas

Orientação Normativa nº 03/2015 Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas Orientação Normativa nº 03/2015 Pró-Reitoria de Gestão com Pessoas Padroniza os procedimentos no âmbito da Unifesp para o fluxo de documentos para promoção à Classe E, com denominação de Professor Titular,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 28, DE 6 DE JULHO DE 2012

RESOLUÇÃO N 28, DE 6 DE JULHO DE 2012 RESOLUÇÃO N 28, DE 6 DE JULHO DE 2012 Dispõe sobre o registro e sobre a alteração e a baixa de registro de pessoa jurídica de Arquitetura e Urbanismo nos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados

Leia mais

Orientação de Serviço SEPLAG/DCCTA e SEE/SNP nº001/2015

Orientação de Serviço SEPLAG/DCCTA e SEE/SNP nº001/2015 Orientação de Serviço SEPLAG/DCCTA e SEE/SNP nº001/2015 Assunto: Situação previdenciária dos servidores públicos estaduais efetivados pela Lei Complementar Estadual nº100, de 2007, à vista da decisão proferida

Leia mais

2.2.1. Caso seja protocolado mais de 01 (um) projeto, será aceito o último projeto protocolado.

2.2.1. Caso seja protocolado mais de 01 (um) projeto, será aceito o último projeto protocolado. EDITAL DE CONCURSO N 002/2015 8 EDITAL DO FUNDO MUNICIPAL DE APOIO À CULTURA A FUNDAÇÃO CULTURAL DE BRUSQUE, inscrita no CNPJ sob o nº 04.894.677/0001-71, com sede na Rua Germano Schaefer, 110 Praça da

Leia mais

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 85.064, DE 26 DE AGOSTO DE 1980. Regulamenta a Lei nº 6.634, de 2 de maio de 1979, que dispõe sobre a Faixa de Fronteira O PRESIDENTE

Leia mais

DECRETO Nº 034/2013. O Prefeito do Município de Sertanópolis, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais e considerando:

DECRETO Nº 034/2013. O Prefeito do Município de Sertanópolis, Estado do Paraná, no uso de suas atribuições legais e considerando: DECRETO Nº 034/2013 SÚMULA: Dispõe sobre a jornada de trabalho em Regime de Trabalho em Turnos RTT e Regime de Trabalho de Sobreaviso RPS no âmbito da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo

Leia mais

ACESSO AO SISTEMA Por certificado digital Exceção - Ato urgente

ACESSO AO SISTEMA Por certificado digital Exceção - Ato urgente ACESSO AO SISTEMA Por certificado digital Art. 5º Para acesso ao PJe-JT é obrigatória a utilização de assinatura digital a que se refere o inciso II, alínea a, do artigo 3º desta resolução, nas seguintes

Leia mais

MSG Nº 46/09 CGCSP/DIREX Brasília, de dezembro de 2009

MSG Nº 46/09 CGCSP/DIREX Brasília, de dezembro de 2009 MSG Nº 46/09 CGCSP/DIREX Brasília, de dezembro de 2009 Senhores Superintendentes, Delegados Regionais Executivos, Chefes de DELESP, Presidentes de Comissão de Vistoria, servidores da Coordenação- Geral

Leia mais

O CONGRESSO NACIONAL decreta: II somente perderão seus mandatos nos casos de:

O CONGRESSO NACIONAL decreta: II somente perderão seus mandatos nos casos de: PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2007 Complementar Dispõe sobre a nomeação e demissão do Presidente e diretores do Banco Central do Brasil e sobre a organização de seu quadro funcional. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DECRETO Nº 1.153, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2015. Aprova o Regimento Interno do Conselho Gestor do Programa de Parcerias Público-Privadas do município de Palmas. O PREFEITO DE PALMAS, no uso das atribuições

Leia mais

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares)

MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO. (para servidores militares) TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO FISCAL MÓDULO DELIBERAÇÃO nº 260/2013 ARQUIVOS DE IMPORTAÇÃO (para servidores militares) VERSÃO 2014 Layout para a importação

Leia mais

1º Excetuam-se da remuneração integral as vantagens indenizatórias, eventuais e transitórias.

1º Excetuam-se da remuneração integral as vantagens indenizatórias, eventuais e transitórias. DECRETO Nº 1.863, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013 Regulamenta o afastamento do servidor público efetivo para frequentar curso de pós-graduação e estabelece outras providências. O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07

Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07 Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07 Estabelece procedimentos de credenciamento de funcionários de entidades autorizadas a emitir certificados de origem, para fins de acesso ao sistema

Leia mais

1. A expressão averbação, no sentido que possui

1. A expressão averbação, no sentido que possui NOTA JURÍDICA N.º 002/2006 Cuiabá/MT, 25 de agosto de 2006. A AVERBAÇÃO DE TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO DAS CERTIDÕES EMITIDAS PELOS DIVERSOS REGIMES DE PREVIDÊNCIA. 1. A expressão averbação, no sentido que possui

Leia mais

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10

PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10 PROCESSO DE RECRUTAMENTO, SELEÇÃO E ADMISSÃO DE PESSOAL TÉCNICO-ADMINISTRATIVO E D I T A L Nº 018/VR - SM0/10 O Vice-Reitor da Universidade do Oeste de Santa Catarina Campus de São Miguel do Oeste SC,

Leia mais

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA

CT03.07 - Departamento de Gestão Social Fevereiro/2013 Atualizado em março/2014 CARTA TÉCNICA CARTA TÉCNICA Nome do Certificado: INSCRIÇÃO NO CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL ENTIDADES QUE DEVEM REALIZAR O REGISTRO: Entidades de Assistência Social ORGÃO RESPONSÁVEL PELA EMISSÃO: Conselho

Leia mais

Manual de Averbação de Tempo de Serviço

Manual de Averbação de Tempo de Serviço Manual de Averbação de Tempo de Serviço Coordenação: Alexandre Araújo Oliveira Elaboração: Daniel Baptista Jussara Stuart Claudete Vitor Revisão: José Hamilton Lúcia Scofano SMA Dezembro / 2010 Versão

Leia mais

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO

PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS E COMPUTACIONAIS ADICIONAL DE TEMPO DE SERVIÇO 1 CONCEITO O adicional por tempo de serviço - ATS é uma vantagem pecuniária concedida a cada 3 (três) anos de efetivo exercício,

Leia mais

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de

DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de DECRETO Nº 50.077, DE 6 DE OUTUBRO DE 2008 Regulamenta o artigo 50 da Lei nº 14.223, de 26 de setembro de 2006, o qual dispõe sobre a celebração de termos de cooperação com a iniciativa privada, visando

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO E MONITORAMENTO DE PROJETOS DO FMDCA EDITAL N 02/2014 EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO COM RECURSOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007

RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007 Rua Governador Luiz Cavalcante, S/N, TELEFAX (82) 3530-3382 CEP: 57312-270 Arapiraca-Alagoas RESOLUÇÃO Nº. 002 - CONSU DE 29 DE MAIO DE 2007 Regulamenta, no âmbito da Uneal, os afastamentos dos servidores

Leia mais

Os procedimentos a seguir estão baseados na nova configuração legal (alteração do art. da Lei nº

Os procedimentos a seguir estão baseados na nova configuração legal (alteração do art. da Lei nº FLUXOGRAMA DE PROCEDIMENTO PARA ENTREGA DE ATESTADO DE SAÚDE OCUPACIONAL Vigência a partir de 02/Jan/2012 Os procedimentos a seguir estão baseados na nova configuração legal (alteração do art. da Lei nº

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013

RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 RESOLUÇÃO Nº. 066 CONSUPER/2013 Dispõe sobre o Regulamento sobre Movimentação de servidores no âmbito do Instituto Federal Catarinense. O Presidente do do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

INFORMAÇÃO IMPORTANTE

INFORMAÇÃO IMPORTANTE INFORMAÇÃO IMPORTANTE CONTRIBUIÇÕES JANEIRO/1989 A DEZEMBRO/1995. INSTRUÇÃO NORMATIVA RFB Nº 1.343/2013 Entre o período de janeiro de 1989 a dezembro de 1995, as contribuições efetuadas pelos participantes

Leia mais

ATOS DA ESCOLA SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL - DPU/DITED DPGU - Nº 01/2016

ATOS DA ESCOLA SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL - DPU/DITED DPGU - Nº 01/2016 ATOS DA ESCOLA SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO EDITAL - DPU/DITED DPGU - Nº 01/2016 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO E ESPECIALIZAÇÃO DE DEFENSORES PÚBLICOS FEDERAIS E SERVIDORES PARA CURSOS DE LONGA DURAÇÃO.

Leia mais

SERVIÇOS. Serviços Relacionados à Pessoa Física

SERVIÇOS. Serviços Relacionados à Pessoa Física SERVIÇOS Serviços Relacionados à Pessoa Física Atenção: Documentos apresentados em fotocópia devem ser autenticados em cartório ou acompanhados dos originais para receberem autenticação do CREA. Documentos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2015 EDITAL Nº 001

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2015 EDITAL Nº 001 PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO Nº 001/2015 EDITAL Nº 001 Abre inscrições para o processo seletivo simplificado destinado à contratação temporária de excepcional interesse público de Professor de Educação

Leia mais

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional...

RESPOSTAS A PERGUNTAS MAIS FREQUENTES DA SOCIEDADE (inciso VI do art. 8º da Lei nº 12.527/2011) SUMÁRIO. 1. Registro Profissional... SUMÁRIO 1. Registro Profissional... 2 2. Isenção de Anuidade... 3 3. Transferência de Regional... 4 4. Cancelamento de Registro (Pessoa Física)... 5 5. Reativação de Registro Profissional... 6 6. Parcelamento

Leia mais

CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA

CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO I - PROPÓSITO E ABRANGÊNCIA Art. 1º - O presente Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para as Atividades Conveniadas ( Código ) estabelece normas relativas à atuação da ANBIMA Associação

Leia mais