Processos Ágeis Certificados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Processos Ágeis Certificados"

Transcrição

1 Aplicação e integração do SCRUM e CMMI/ MPS.BR A experiência prática da Powerlogic. 30 de outubro de 2007 Processos Ágeis Certificados Aplicando Scrum e Powerlogic jalm para Certificações CMMI/MPS.Br Outubro 2007 Paulo Alvim 1

2 Roteiro Apresentação Sobre a Powerlogic Métodos Ágeis e Scrum CMMI e MPS.Br Powerlogic jalm Estudo de Caso: Certificação Powerlogic Políticas Organizacionais Ágeis Explicadas Gerência de Projetos Ágil Certificada Gerência de Requisitos Ágil Certificada Garantia da Qualidade de Produto Garantia da Qualidade de Processo Medição e Análise Apresentação Prática - Ferramentas Do requisito ao código com Powerlogic jalm Perguntas & Debate Sobre a Powerlogic Paulo Alvim 2

3 Powerlogic - Timeline 1994: Fundação, em Minas Gerais : Cliente/Servidor e Downsizing 1998: Início de Atuação com Java App Servers 1999: ecompany Portal/Project : Maturidade em ebusiness 2002: Início em J2EE Open-Source. 2003: jcompany Developer 1.0. Foco em Produtos. 2004: Powerlogic SA (BNDES Pró-Soft) : Atuação Nacional. Crescimento (Junho): Certificação MPS.Br Nivel F (Dezembro): Powerlogic ALM Powerlogic - Timeline (Processos) : Quadro diretor com expertise em MDS e ferramentas CASE (Projeto de Ferramentas CASE, OO, Análise Essencial, Engenharia da Informação) : Uso do Processo Unificado e MDS diversas em Projetos de Clientes 2002: Uso esporádico de SCRUM e técnicas ágeis durante a formação da área de Produtos da Powerlogic. 2003: Palestra Gestão Ágil de Projetos SCRUM na prática, no congresso Extremme Programming Brasil. 2004: Suporte ao SCRUM pelo ecompany Process. Expansão do uso de SCRUM. 2005: Processo empírico estabelecido, com incorporação de Disciplinas PMBOK complementares. jcompany QA suportando Integração Contínua. Automação e Gerência de Configuração. 2006: Formalização e expansão do processo, segundo MPSbr (Junho): Certificação MPS.Br Nivel F 2007 (Dezembro): Início Evolução para MPS.Br Nivel C. 3

4 Powerlogic - Crescimento ,000 Análise de Crescimento - Powerlogic S.A Faturamento Anual Powerlogic (MIL) Crescimento Vol. Investimentos TI Serviços (BI) Crescimento Brasil PIB (TRI) 9.544, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , Colaboradores (30 Área de Produto) 4.000, , , , , , , , , , , , Powerlogic Solution Providers 4

5 Projetos Nacionais Sudeste e Centro Oeste 5

6 Sudeste e Centro Oeste Sudeste e Centro Oeste 6

7 Norte e Nordeste Sul 7

8 Powerlogic Casos de Sucesso Mais de 400 sistemas em produção: Aplicações Internacionalizadas: Alemanha, Kuala Lumpur, México, Bolívia, França. Foco corporativo de Missão Crítica: Segurança, Disponibilidade (24 x7), Performance e Escalabilidade. Verticais Diversas: Indústria, Educação, Governo Executivo (Municipal, Estadual e Federal), Governo Judiciário, Financeira, Comércio, Cooperativa, Saúde, etc. Mais de uma centena de aplicações em tecnologias ebusiness Java EE Open-Source. Métodos Ágeis e Scrum Paulo Alvim 8

9 O Manifesto da Agilidade: Valores Values of Agile Alliance individuals and interactions over processes and tools working software over comprehensive documentation customer collaboration over contract negotiation responding to change over following a plan While there is value in the items on the right, we value the items on the left more. Uma questão de ênfase não de ruptura! O Manifesto da Agilidade: Origens The New, New Product Development Game* Lean Mngt Iterative, Incremental Development Smalltalk Engineering Tools Scrum, XP * Harvard Business Review, Jan. 1986, Takeuchi and Nonaka 9

10 O Manifesto da Agilidade: Super-ênfase em Iteratividade! O framework do Processo Unificado é Iterativo em sua concepção, mas tende a produzir implantações em Cascata, na prática! Scrum Básico Abordagem Empírica It is typical to adopt the defined (theoretical) modeling approach when the underlying mechanisms by which a process operates are reasonably well understood. When the process is too complicated for the defined approach, the empirical approach is the appropriate choice. Process Dynamics, Modeling, and Control, Ogunnaike and Ray, Oxford University Press,

11 Scrum Básico Teoria do Caos Requirement Instable Anarchy Complicated Complex Stable Simple Complicated Known Technology Unknown Scrum Básico Teoria do Caos Processes States: Ideal: Inputs, Outputs and Process Variables Stables Software Development is never in this state! Threshold: Process Reasonably Statistically Controllable. Number of Variances small, predictable and manageble. Software Development is eventually in this state! Edge of Chaos! Severe noises. Out of acceptable tolerances. Predictive and Planning almost ineffective. Continuous observation can delivery convergent products! Software Development usually is in this state! Chaos! Process not producing conforming products and is not controllable. O Scrum é realístico quanto às This may sound familiar to many software expectativas developers! por isto evidencia problemas mais cedo! 11

12 Scrum Básico Definição Empirical management and control process Inspect and adapt feedback loops Used to manage complex projects since 1990 Delivers business functionality in 30 days Scalable to distributed, large and long projects CMMI Level 3 and ISO 9001 compliant Extreme simple but very hard Scrum Básico Processo Iterativo 12

13 Scrum Básico Processo Iterativo Most projects deliver software every 6 to 18 months. Scrum reduces this to many 1 month deliveries to increase control via inspect/adapt. This puts stress on the team and organization, exposing underlying problems and limitations. The Scrum Master s job is to prioritize these problems and help the organization overcome them to get better at software development, managing software investments, and becoming a community to work in. Scrum Básico - Papéis Activity Owner Responsibilities Manage the vision Manage the ROI Manage the development iteration Manage the process Manage the release Product Owner Product Owner Team Scrum Master Product Owner The Product Owner establishes, nurtures and communicates the product vision. He achieves initial and on-going funding for the project by creating initial release plans and the initial Product Backlog. The Product Owner monitors the project against its ROI goals and an investment vision. He updates and prioritizes the Product Backlog to ensure that the most valuable functionality is produced first and built upon. He prioritizes and refines the Product Backlog and measures success against expenses. During an iteration the team selects and develops the highest-priority features on the Product Backlog. Collectively, the team expands Product Backlog items into more explicit tasks on a Sprint Backlog and then manages its own work and self-organizes around how it desires to complete the iteration. The team manages itself to its commitments. The Scrum Master is responsible for setting the team up for success by ensuring the project and organizational culture are optimized for meeting the ROI goals of the project. This involves organizing a Sprint Planning Meeting (during Adicionais which the team expands Powerlogic: Product Backlog into Sprint Backlog), a Sprint Review Meeting (during which the newly developed functionality is demonstrated), shielding the team from outside disturbances, - Stackholder holding brief Daily Scrum meetings, and removing obstacles to progress. - QA Master The Product Owner makes decisions about when to create an official release. For a variety of reasons it may not be desirable to release at the conclusion of every increment. Similarly, if an official release is planned for after the fifth - increment QA Team it may be released (with fewer features) after the fourth increment in order to respond to competitive moves or capture early market share. The Product Owner makes these decisions in a manner consistent with the investment vision that has been established for the project. 13

14 Scrum Básico Comunicação Scrum Básico Agile Radiator 14

15 Scrum Básico Agile Radiator Scrum Básico Agile Radiator 15

16 Scrum Básico Agile Radiator Scrum Básico Agile Radiator Adicionais Powerlogic: - Retrospective Boxes - www (what went well) - wcbi (what can be improved) - Indicadores do Processo e Release Plan 16

17 Scrum Básico Agile Radiator Scrum Básico Agile Radiator 17

18 Scrum Básico Agile Radiator Scrum Básico Comunicação 18

19 Scrum Básico Comunicação Tácita Scrum Básico Reuniões Formais Sprint Planning 1 (Pre-Planning) Sprint Planning 2 Daily Scrum Sprint Review Sprint Retrospective Adicionais Powerlogic: - Release Planning (Pre-Game) - Release Review (Post-Game) 19

20 CMMI & MPS.Br Paulo Alvim Compatibilidade Scrum & CMMI Level Key Practice Area Rating 2 Requirements management 2 Software project planning 2 Software project tracking and oversight 2 Software subcontract management 2 Software quality assurance 2 Software configuration management 3 Organization process focus 3 Organization process definition 3 Training program 3 Integrated software management 3 Software product engineering 3 Intergroup coordination 3 Peer review 20

21 Compatibilidade Scrum & CMMI Os 5 (cinco) desafios maiores: GPR: Como gerenciar com base em planejamento contínuo (planning) em lugar do grande plano inicial (big-bang plan)? GPR: Como abraçar a mudança e controlá-la ao mesmo tempo? GRE: Como estimar requisitos que são parcialmente conhecidos? GQA: Como averiguar qualidade de produto em um processo iterativo com tempo fechado (time-boxed)? MED: O que são indicadores importantes em um processo ágil? Obs.: A Gerência de Configuração (GCO) é complexa, mas não é conflitante com princípios ágeis. Deve ser automatizada, e o conceito de Integração Contínua apoia decisivamente. Powerlogic jalm Paulo Alvim 21

22 Powerlogic jalm Comunicação e Colaboração Processos Corporativos e Gerência de Projetos Desenvolvimento Java EE Open-Source Controle de Qualidade Java EE Open-Source Segurança e Monitoria em Produção Java EE Open-Source Powerlogic jalm 22

23 Powerlogic jalm Gestor Processo, Produtos, Componentes, Projetos, Requisitos Feecback: Erros (bugs), Dúvidas, Sugestões de Melhorias, Novos Requisitos,... Planejamento ecompany Process Elaboração CASE Requisitos,... ecompany Contact-Center Suporte Java, Modelos,... Aplicação Monitorada: Contabilização de Uso, Auditoria, Estatísticas, Disponibilidade,... Aplicação Contextualizada Para Usuários, Apoiada por Utilitários De Colaboração,... jcompany Monitor Monitoria Construção Qualidade jcompany Developer jcompany QA Aplicação Executável, Códigos Fontes,... Aplicação e Práticas Averiguadas,... ecompany Portal Produção jcompany Security Pré-Produção Cliente Aplicação Averiguada e Segura (Curva de Retorno do Investimento) Powerlogic jalm Segundo Scott Ambler, o Manifesto da Agilidade, em 2001, não previu que ferramentas (automação) seriam tão importantes para o sucesso de métodos ágeis. 23

24 Estudo de Caso: Certificação Powerlogic Paulo Alvim Políticas Organizacionais Ágeis São motivos para a aderência a métodos ágeis, que sigam o Manifesto da Agilidade (http://agilemanifesto.org) com ênfase principal no Scrum (www.controlchaos.com): O altíssimo índice de incorporação de tecnologia de ponta dos produtos Powerlogic, implicando em um aumento importante da Imprevisibilidade; Exigências de criatividade em granularidade fina, para diferenciação com a concorrência, exigindo construção com base em Exploração e Adaptação (planejamento constante e evolucionário, e não antecipado e prescritivo); Exigências de liberação para o mercado (time-to-market) agressivas, com filosofia de entrega em "prazo fixo", via desenvolvimento iterativo com tempo definido (Time-Boxed); Monitoramento e adaptação ágil a mudanças estratégias que gerem benefícios, em taxas notadamente altas (Embrace Change); Presença do cliente (Product Owner) em constante contato com a equipe (Scrum Team), já que na área de produtos os requisitos são definidos e priorizados pela Powerlogic, em última instância. (Colaboração com o cliente). 24

25 Políticas Organizacionais Ágeis Políticas Organizacionais Ágeis 25

26 Políticas Organizacionais Ágeis Políticas Organizacionais Ágeis 26

27 Políticas Organizacionais Ágeis Formalidade não é sinônimo de Conformidade Informalidade não é sinônimo de Agilidade Políticas Ágeis para a Área GPR - Gerência de Projetos GPR Gerência de Projetos Ágil a) As práticas de Gerência de Projetos devem prever e garantir que se esteja trabalhando de forma verdadeiramente iterativa, (...); b) As iterações de desenvolvimento devem ter durações fixas de 30 dias, com restrição principal em tempo (Time-Boxed). As iterações subsequentes de Garantia da Qualidade (QA) devem durar 15 dias, também com restrição principal em tempo (Time-Boxed); c) As datas dos projetos e iterações da família jcompany devem ser defasadas em 15 dias das datas dos projetos e iterações da família ecompany, (...); d) O processo deve privilegiar e estimular, com primeira técnica de acompanhamento do andamento dos projetos, a inspeção frequente do produto de software em si, pelo líder das equipes (Scrum Master) e entre os membros da equipe, eventualmente utilizando-se programação em pares. Como segunda técnica, o processo deve prever e garantir que reuniões diárias de 15 minutos, conhecidas como Daily Scrum, estejam sendo feitas, garantindo feedback face-a-face (tácito), diário, inter-equipe. Como terceira prioridade, deve prever acompanhamento via indicadores indiretos de progresso (apropriações, percentual de andamento, etc.); e) O processo deve prover espaço para que o Scrum Master e o Scrum Team possam realizar adaptações em granularidade fina durante um ciclo, sem entraves formais neste nível (micro-gestão), implementando uma política de "solicitação de mudança formal" leve (lightweight change request). Ainda assim, deve garantir rastreamento de todas as modificações que ocorram após o "compromisso" (commitment), e formalização em situações críticas (ameaça a objetivos fundamentais, alteração de versão de item de configuração, etc.); f) O processo deve prover reunião formal de reflexão das equipes (Retrospective Meeting), com frequencia de uma ou duas vezes por iteração, de modo a apontar "o que foi bem" (WWW - What Went Well) e "o que pode ser melhorado" (WCBI - What Could Be Improved); g) Os colaboradores (Scrum Team) trabalham em regime de 40 horas semanais, sem horas extras e com custo fixo. (...) 27

28 GRE Gerência de Requisitos Ágil Políticas Ágeis para a Área GRE - Gerência de Requisitos a) As práticas de Gerência de Requisitos devem prover e garantir técnicas de elicitação de requisitos evolucionárias (planejamento contínuo), evitando um longo plano inicial, conforme preconizado por práticas ágeis. Ainda assim, devem garantir uma previsão razoável de escopo e prazo que seja factível para um "plano de projeto" (release plan) inicial, como consenso entre o Product Owner (representante do cliente) e o Scrum Team (Equipe). b) Requisitos devem ser mantidos em listas textuais, descritas em linguagem do usúario (bom português), seguindo os preceitos de Estórias de Usuários (User Stories) do XP e também de Product Backlog do Scrum. Estas listas devem ser priorizadas por "valor para o negócio" (business value), pelo Product Owner. c) Requisitos devem ser refinados em reuniões de planejamento coletivas, incluindo o Product Owner e o Scrum Team. Somente o Scrum Team deve ter habilitação para fazer previsões de tamanho, e sua opinião deve soberana. Para dimensionar tamanho, o Scrum Team deve seguir técnicas ágeis e unidade em Ideal Days. A ordenação das lista de requisitos pode sofrer ajustes pelo Scrum Team, para refletir dependências técnicas e ajustes de custo/benefício, uma vez que o "tamanho" do requisito for definido. O objetivo da priorização deve ser maximizar o "business value" liberado, em cada iteração. d) Para facilitar a consolidação de interesses de clientes, prospects e interesses estratégicos da Powerlogic, o processo deve prover facilidades de coleta de lista de requisitos do mercado (Product Backlog), que podem receber contribuições de qualquer Stackholder. e) Para o sucesso do processo de planejamento contínuo e para a agilidade em remoção de impedimentos, o processo deve considerar a presença forte do representante do Cliente (Product Owner), para solucionamento de dúvidas microscópicas em requisitos, além de tomadas rápidas de decisão. GCO Gerência de Configuração Ágil Políticas Ágeis para a Área GCO - Gerência de Configuração a) As práticas de Gerência de Configuração para a área de produtos da Powerlogic devem ser especialmente rigorosas e completas, por se tratarem de produtos de mercado, com grande diversidade de empresas usuárias e exigências especiais de controle de versão. Estas práticas devem utilizar automação e controles presentes nos produtos da Powerlogic, sempre que possível, de modo a serem implementadas de forma produtiva; b) Os itens de configuração devem ser definidos em nível de Produto, e não Projeto, já que tendem a se manter os mesmos ao longo de vários projetos. Em cada projeto, deve-se definir os registros de versão de cada item e atualizações eventuais. Para cada projeto subsequente, deve-se definir somente alterações em versões de itens anteriores, deste modo a evitar redundância desnecessaria; c) Deve-se possuir um conceito de "Configuração Global", que reuna um único número de versão que consolide os demais números gerados pelos diversos repositórios que se façam necessários (Subversion para fontes e documentos, Continuum para executáveis, ecompany Process para Planos e Processos, etc.); d) Alterações de versões de itens de configuração devem ser realizadas formalmente, via "Solicitação de Mudança" a ser analisada e aprovada por Comitê, de modo a se evitar falta de sincronismo e integridade provocada por modificações não controladas. 28

29 GQA Gerência de Qualidade Ágil Políticas Ágeis para a Área GQA Gerência de Qualidade de Produto e Processo a) As práticas de Gerência de Qualidade para Produto devem prever ciclos de averiguação de 15 dias, após a interação padrão de 30 dias, e serem realizadas também em filosofia de restrição de tempo (Timed-Boxed); b) O processo deve prever o uso do QA Team de forma compartilhada (em pool) para todos os projetos. Este deve testar de forma priorizada e limitado ao tempo disponível; c) O processo deve prever uso dos produtos de automação da Powerlogic, e garantir solução de automação para execução de "testes de regressão" continuamente (integração contínua); d) As práticas de Gerência de Qualidade para Processo devem auditar o desempenho do processo, os produtos de trabalho e atividades previstas em todas as áreas. Ao identificar problemas, deve apresentar proposições de soluções e melhorias, e acompanhar suas deliberações até o despacho final pela empresa; e) Deve garantir que os radiadores ágeis estão sendo utilizados, além de promover a visibilidade adequada de suas próprias averiguações, dando retorno ao Scrum Master, Scrum Team e QA Team (de Produto); f) Deve fornecer relatório à Diretoria Técnica da Powerlogic, contendo os resultados das revisões e auditorias, atráves do Relatório de GQA. Customer.java v1. Customer.java v2. Customer.java v3 Product.java v1. Product.java v2 Invoice.java v1 Source-Code Repository sales.jar v3.0 (Customer.java v2, Product.java v1,...). sales.jar v3.01. sales.jar v3.02. sales.jar v.4 salesutils.war v1.0. salesutils.war v1.1 hibernate.jar v3.2 Maven Maven Proxy Proxy Component Repository (Maven) salesapp.ear v5.0 (sales.jar v3.0, salesutil.war v1.0, hibernate.jar 3.2,...). salesapp v5.1. salesapp v6.0 Application Repository Subversion Subversion (SVN) (SVN) Repositórios de Gerência de Configuração do jcompany QA Suite Maven Maven Advanced Advanced Continuum Continuum... Maven Maven Maven Maven Maven Maven Maven Maven Developer 1 Developer 2 Developer N Tester 29

30 MED Medição e Análise Ágil Políticas Ágeis para a Área MED Medição e Análise a) As práticas de Medição e Análise do processo devem coletar e armazenar informações que auxiliem a Diretoria de Tecnologia da Powerlogic a acompanhar, de forma quantificada, os resultados esperados do processo, observando e enfatizando as questões estabelecidas nas presentes Políticas Organizacionais para o Processo; b) Os indicadores obtidos pela medição devem contemplar prioritariamente a performance de equipes com um todo, e não somente indicadores individuais, dentro do espírito do Scrum; c) Os indicadores devem ser coletados de modo que estejam disponíveis para divulgação durante reuniões de retrospectivas (Retrospective Meeting), e possam ser analisados pelas equipes coletivamente; d) Os indicadores devem ficar visíveis junto aos radiadores ágeis, e também em relatório consolidado de GQA, para a Diretoria Técnica; e) Os indicadores, sempre que possível, e ao longo do tempo, devem ser automatizados pelos produtos Powerlogic. Apresentação Prática: Ferramentas Paulo Alvim 30

31 Objetivo: Simular um Projeto Scrum incluindo Gestão, Levantamento, Especificação, Construção e QA para uma aplicação de ebusiness (MVC Java EE 5, Design Patterns, Mapeamento OO x SGBD-R, performance, segurança e GUIs sofisticadas, etc.), do zero absoluto, utilizando o processo da Powerlogic. 31

32 Perguntas & Debate Paulo Alvim Fim Paulo Alvim 32

Programa. 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm)

Programa. 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm) Programa 04/12/2008 1. Relato de experiência Integração de modelos CMMI, MPS.BR e ISO 9000 na 7COMm Sergio Esmério (7COMm) 2. A importância do fator humano no desenvolvimento de software Daniel Dystyler

Leia mais

Processo Ágil Certificado MPS.BR Nível C

Processo Ágil Certificado MPS.BR Nível C Processo Ágil Certificado MPS.BR Nível C A experiência da Powerlogic Paulo Alvim (alvim@powerlogic.com.br) Roteiro 2:00 Sobre a Powerlogic 1:00 Por que Agile? 1:00 Por que MPS.BR? 5:00 Principais Desafios

Leia mais

Utilizando Metodologias Ágeis para atingir MPS.BR nível F na Powerlogic

Utilizando Metodologias Ágeis para atingir MPS.BR nível F na Powerlogic Utilizando Metodologias Ágeis para atingir MPS.BR nível F na Powerlogic Ana Cláudia Grossi de Oliveira, Fernanda Alves Guimarães, Isabella de Araújo Fonseca Powerlogic Consultoria e Sistemas Rua Paraíba,

Leia mais

Scrum Certificado (MPS.Br F)

Scrum Certificado (MPS.Br F) Scrum Certificado (MPS.Br F) A experiência da Powerlogic Paulo Alvim (alvim@powerlogic.com.br) Sobre a Powerlogic Paulo Alvim (alvim@powerlogic.com.br) Sobre a Powerlogic Quadro Diretor v 1987: Graduação

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

Desenvolvimento Ágil 1

Desenvolvimento Ágil 1 Desenvolvimento Ágil 1 Just-in-Time Custo = Espaço + Publicidade + Pessoal De que forma poderiamos bater a concorrência se um destes factores fosse zero? 2 Just-in-time Inventory is waste. Custo de armazenamento

Leia mais

Desenvolvimento Ágil com XP e Scrum. Guilherme Chapiewski guilherme.chapiewski@gmail.com http://gc.blog.br

Desenvolvimento Ágil com XP e Scrum. Guilherme Chapiewski guilherme.chapiewski@gmail.com http://gc.blog.br Desenvolvimento Ágil com XP e Scrum Guilherme Chapiewski guilherme.chapiewski@gmail.com http://gc.blog.br WTF?!? Porque ágil? Quem usa isso? Google Yahoo! Electronic Arts Lockheed Martin Phillips Siemens

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Desenvolvimento ágil de Software

Desenvolvimento ágil de Software Desenvolvimento ágil de Software Joaquim Lopes Júnior joaquim@f6sistemas.com.br Diretor PHPrime Training e F6 Sistemas Bacharel em C. Da Computação UFMG 2006 Mestrado (em andamento) UFMG 2009 Desenvolvimento

Leia mais

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes Instituto Federal do Rio Grande do Norte IFRN Graduação Tecnologia em Analise e Desenvolvimento de Sistema Disciplina: Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson

Leia mais

Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis. Implementing CMMi using a Combination of Agile Method

Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis. Implementing CMMi using a Combination of Agile Method Implementando CMMi utilizando uma combinação de Métodos Ágeis Implementing CMMi using a Combination of Agile Method Rhavy Maia Guedes IN1149 Qualidade, Processo e Gestão de Software Agenda 2 Introdução

Leia mais

ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software

ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software Uso de práticas ágeis para projetos desenvolvidos por fábrica de software Artur Mello artur.mello@pitang.com Uma empresa C.E.S.A.R Fábrica de Software O termo software factory foi empregado pela primeira

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

Os Desafios da Segurança no Desenvolvimento com Métodos Ágeis. OWASP Education Project. The OWASP Foundation http://www.owasp.org

Os Desafios da Segurança no Desenvolvimento com Métodos Ágeis. OWASP Education Project. The OWASP Foundation http://www.owasp.org Os Desafios da Segurança no Desenvolvimento com Métodos Ágeis Education Project Rafael Dreher Porto Alegre Chapter - Co-founder Security Consultant @ Dell dreher@owasp.org Copyright 2007 The Foundation

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Um pouco de história

Um pouco de história SCRUM Um pouco de história 1950 Taiichi Ohno Um pouco de história 1986 1950 Takeuchi & Nonaka Taiichi Ohno Um pouco de história 1993 1986 1950 Ken Schwaber Takeuchi & Nonaka Taiichi Ohno Um pouco de história

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI

Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Desafios no Uso do Scrum em Ambientes CMMI Teresa Maria de Medeiros Maciel UFRPE/INES/UFPE tmmaciel@gmail.com Base de conhecimento disponível Maior controle ISO9001 MPS BR Padronização processual

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G

Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G Implementando maturidade e agilidade em uma fábrica de software através de Scrum e MPS.BR nível G Fernando Szimanski 1, Jones Albuquerque 2, Felipe Furtado 2 1 CRIATIVA tecnologia - 77.410-020 - Gurupi

Leia mais

Métodos Ágeis de Desenvolvimento de Software

Métodos Ágeis de Desenvolvimento de Software Conteúdo Métodos Ágeis de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Profa. Elisa Yumi Nakagawa 2. Semestre 2005 Material inicialmente elaborado por André Figueiredo e mantido por pesquisadores

Leia mais

III Workshop INLAND UFV - 2010

III Workshop INLAND UFV - 2010 III Workshop INLAND UFV - 2010 Desenvolvimento de software para pesquisa e desenvolvimento: desafios e possiveis soluções Prof. José Luis Braga Departamento de Informática - UFV Contexto Sistemas Organizacionais

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P.

2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. 2006 Hewlett-Packard Development Company, L.P. A implementação de processos Ágeis em uma organização CMMI 5 Lúcia Mazoni Couto - luciamazoni.couto@hp.com Líder do Escritório de Projetos e Processos HP

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015

Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence. Trilha da Indústria - 2015 Adoção de Práticas Ágeis no Desenvolvimento de Soluções de Business Intelligence Trilha da Indústria - 2015 Palestrante Graduação Ciência da Computação UFAL/2008 Mestre em Ciência da Computação UFPE/2011

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

Mapeamento GRH. 1. Introdução

Mapeamento GRH. 1. Introdução Mapeamento GRH 1. Introdução 1.1. Finalidade Este documento tem duas finalidades principais: a) Averiguar semelhanças e diferenças entre modelos, normas e guias de boas práticas para gestão de recursos

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Diego R. Marins 1,2, José A. Rodrigues Nt. 1, Geraldo B. Xexéo 2, Jano M. de Sousa 1 1 Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ 2 Departamento

Leia mais

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br

Comparativo entre Processos Ágeis. Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br Comparativo entre Processos Ágeis Daniel Ferreira dfs3@cin.ufpe.br O que discutiremos: Histórico Os Princípios Ágeis Comparação Do ponto de vista incremental Do ponto de vista funcional Vantagens e Desvantagens

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Palavras-chaves: SCRUM, Melhoria de Processo de Software, Qualidade de Software.

Palavras-chaves: SCRUM, Melhoria de Processo de Software, Qualidade de Software. Blucher Mechanical Engineering Proceedings May 2014, vol. 1, num. 1 www.proceedings.blucher.com.br/evento/10wccm TECHNICAL SOFTWARE DEVELOPMENT WITH THE ADOPTION OF AGILE METHODOLOGY T. M. R. Dias 1, P.

Leia mais

V Simpósio Internacional de Recife, PE - Brasil 3-5/11/2003. O Processo de Garantia da Qualidade CMM Nível 2: Da Implantação à Melhoria

V Simpósio Internacional de Recife, PE - Brasil 3-5/11/2003. O Processo de Garantia da Qualidade CMM Nível 2: Da Implantação à Melhoria 2003 O Processo de Garantia da Qualidade CMM Nível 2: Da Implantação à Melhoria Denise Lazzeri Gastaldo, Alfredo Tsukumo, Luiz Cruz Resumo O segmento Transport Information olutions da ALTOM em ão Paulo

Leia mais

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Abstract. Resumo. 1. Introdução Vinicius A. C. de Abreu 1 Departamento de Ciência da Computação - DCC Universidade

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4.

Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4. 1 de 8 20/04/2012 13:45 www.devmedia.com.br [versão para impressão] Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4. Esse artigo faz parte da revista

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G

INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G INTEGRANDO GERÊNCIA DE PROJETOS ÁGEIS COM SCRUM E OS PROCESSOS MPS.BR NÍVEL G Claudinei Martins da Silva 1 RESUMO: Com o aumento da dependência tecnológica nas organizações para a tomada de decisões, ocorreu

Leia mais

Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum

Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum João Paulo Domingos Silva PUC Minas X Semana de Entretenimento, Jogos e Animação PUC Minas, 2013 Prazer em conhecer!

Leia mais

Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR

Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR SCIENTIA PLENA VOL 6, NUM 3 2010 www.scientiaplena.org.br Uma análise das Metodologias Ágeis FDD e Scrum sob a Perspectiva do Modelo de Qualidade MPS.BR F. G. Silva; S. C. P. Hoentsch, L. Silva Departamento

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

SCRUM. Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

SCRUM. Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos SCRUM Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Introdução Quais as desvantagens das metodologias tradicionais? Introdução Manifesto Ágil Indivíduos e interações Software que funciona Colaboração do

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

Praticando o Scrum. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web

Praticando o Scrum. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Praticando o Scrum Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Créditos de Conteúdo: Left (left@cesar.org.br) Certified Scrum Master Preparação Agrupar os membros

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

Reuse in a Distributed Environment

Reuse in a Distributed Environment Reuse in a Distributed Environment É possível aplicar APF em um Ambiente Ágil? Alcione Ramos, MSc, CFPS, PMP, CSD Cejana Maciel, MSc, Scrum Master, ITIL, COBIT Ponto de função é coisa dos anos 70. É uma

Leia mais

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos:

Scrum How it works. Há quatro grupos com papéis bem definidos: Scrum É um processo de desenvolvimento iterativo e incremental. É utilizado quando não se consegue predizer tudo o que irá ocorrer. Em geral, utiliza-se em projetos complexos, de difícil abordagem pela

Leia mais

Análise de Negócios com Agilidade Uma Combinação de Sucesso! por Luiz Claudio Parzianello

Análise de Negócios com Agilidade Uma Combinação de Sucesso! por Luiz Claudio Parzianello Análise de Negócios com Agilidade Uma Combinação de Sucesso! por Luiz Claudio Parzianello Sobre o palestrante Engenheiro Eletricista pela PUCRS e Mestre em Sistemas Eletrônicos pela USP. Possui mais de

Leia mais

Implementação de Software utilizando

Implementação de Software utilizando Motivação: Dilemas da Construção de Software Implementação de Software utilizando Métodos Ágeis Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães Palestra PUC-PR 10/06/2011 Fracassos são frequentes em projetos de software:

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE COM SCRUM

QUALIDADE DE SOFTWARE COM SCRUM 1 QUALIDADE DE SOFTWARE COM SCRUM Rafael de Figueiredo Grzebieluka * RESUMO Este artigo aborda o Scrum alinhado com a Qualidade de Software, são várias as melhorias no processo de qualidade de equipes

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

Desmistificando Agile & Scrum Desenvolvimento de Software Sem Stress. Teamware do Brasil 2009

Desmistificando Agile & Scrum Desenvolvimento de Software Sem Stress. Teamware do Brasil 2009 1 Desmistificando Agile & Scrum Desenvolvimento de Software Sem Stress Quem somos? 2 Teamware do Brasil Pioneira no Brasil em melhoria de processos com foco exclusivo em Abordagens Ágeis Fundadora da Agile

Leia mais

CURSO DE ANÁLISE DE SISTEMAS. ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Giuliano Prado de Morais Giglio

CURSO DE ANÁLISE DE SISTEMAS. ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Giuliano Prado de Morais Giglio UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA CURSO DE ANÁLISE DE SISTEMAS ENGENHARIA DE SOFTWARE Prof. Giuliano Prado de Morais Giglio UNIDADE 03 MÉTODOS ÁGEIS DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE O Desafio do Desenvolvimento

Leia mais

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: 2001. Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: 2003. Edição:

Leia mais

Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br)

Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br) Francielle Santos (francielle@deinfo.ufrpe.br) Gerência de Projetos; Gerência de Configuração; Gestão do Conhecimento. francielle@deinfo.ufrpe.br 2 O Perfil do gerente Papéis envolvidos Planejar versus

Leia mais

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software ADRIANA TAVARES FIGUEIREDO Graduaçao em Licenciatura para Computação UNILASALLE RJ / 2006 Pós Graduada em Design Estratégico e MKT Management ESPM RJ

Leia mais

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência

Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Scrum e CMMI no C.E.S.A.R Relato de Experiência Felipe Furtado Engenheiro de Qualidade Izabella Lyra Gerente de Projetos Maio/2008 Agenda Motivação Pesquisas Adaptações do Processo Projeto Piloto Considerações

Leia mais

PGP - Aula T 4 Modelos Ágeis

PGP - Aula T 4 Modelos Ágeis PGP - Aula T 4 Modelos Ágeis 5 - Outubro - 2015 Carlos Duarte, FCUL, Departamento de Informática Revisão dos principais modelos tradicionais Modelo em cascata Communication project initiation requirement

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP

Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP Gestão Ágil de Projetos e a certificação PMI-ACP Apresentação Roberto Gil Espinha Mais de 15 anos de experiência em Projetos Bacharel em Administração de Empresas pela UNIVILLE Pós-Graduado em Gestão Empresarial

Leia mais

CONTEXTUALIZAÇÃO Agilidade X CMMI

CONTEXTUALIZAÇÃO Agilidade X CMMI Uso do SCRUM em Ambiente CMMI Teresa M. de Medeiros Maciel Ana Sofia C. Maçal Felipe Furtado Bruno Freitas Mariana Xavier CONTEXTUALIZAÇÃO Agilidade X CMMI 1 Em 2001... Over Instead of http://www.agilemanifesto.org

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas.

Tópicos. Métodos Ágeis. Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Referências Bibliográficas. Métodos Ágeis Edes Garcia da Costa Filho edes_filho@dc.ufscar.br 1 Tópicos Histórico; Valores; Métodos Ágeis x Modelos Tradicionais; Exemplo: Extreme Programming (XP). Referências Bibliográficas. 2 Histórico

Leia mais

PROPOSTA DE SISTEMÁTICA PARA GESTÃO DE PROJETOS BASEADA NA METODOLOGIA ÁGIL SCRUM

PROPOSTA DE SISTEMÁTICA PARA GESTÃO DE PROJETOS BASEADA NA METODOLOGIA ÁGIL SCRUM XXX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Maturidade e desafios da Engenharia de Produção: competitividade das empresas, condições de trabalho, meio ambiente. São Carlos, SP, Brasil, 12 a15 de outubro

Leia mais

Ferramenta para Gerenciamento de Requisitos em Metodologias Ágeis

Ferramenta para Gerenciamento de Requisitos em Metodologias Ágeis Ferramenta para Gerenciamento de Requisitos em Metodologias Ágeis Eduardo dos Santos Gonçalves 1, Heitor Boeira dos Reis Filho 1 1 Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Av. Itacolomi, 3.600 Bairro São

Leia mais

Desmistificando a Gestão, Desenvolvimento e Melhoria Ágil de Projetos com Scrum Campinas - 27 de Novembro de 2007

Desmistificando a Gestão, Desenvolvimento e Melhoria Ágil de Projetos com Scrum Campinas - 27 de Novembro de 2007 1 Desmistificando a Gestão, Desenvolvimento e Melhoria Ágil de Projetos com Scrum Campinas - 27 de Novembro de 2007 2 Quem somos? Teamware do Brasil Pioneira no Brasil em melhoria de processos com foco

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios USP UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SÃO PAULO Métodos Ágeis Alunos: Rogério Guaraci dos Santos - rgsantos@ime.usp.br Giulian Dalton Luz - gdaltonl@ime.usp.br Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações

Leia mais

GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM MÉTODOS ÁGEIS

GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM MÉTODOS ÁGEIS GESTÃO DO CONHECIMENTO PARA O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM MÉTODOS ÁGEIS Jeandro Maiko Perceval 1 Carlos Mario Dal Col Zeve2 Anderson Ricardo Yanzer Cabral ² RESUMO Este artigo apresenta conceitos sobre

Leia mais

Versionamento Ágil com Git

Versionamento Ágil com Git Versionamento Ágil com Git Como paramos de nos preocupar e aprendemos a amar versionamento ágil Brazil Scrum Gathering São Paulo, 13 de Maio de 2009 Quem? Tiago M. Jorge Agile Coach, WebCo Internet Ronaldo

Leia mais

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO Um pouco de história... Década de 50: a gestão de projetos é reconhecida como disciplina,

Leia mais

Resumo. 1. Introdução. Abstract. 2. Motivação

Resumo. 1. Introdução. Abstract. 2. Motivação Um Estudo para a Definição de Processos das Gerências da Qualidade e da Configuração em um Ambiente Integrado para Apoio ao Desenvolvimento e Gestão de Projetos de Software Abdala, Martha A. D.; Lahoz,

Leia mais

Curso Certified ScrumMaster (CSM)

Curso Certified ScrumMaster (CSM) e Curso Certified ScrumMaster (CSM) 1. Perfil do Instrutor MICHEL GOLDENBERG (CSM, CSPO, CSP, CST) Michel Goldenberg é co-fundador do Grupo de usuário Scrum de Montreal, um dos maiores grupos de usuários

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Tecnologias Atuais de. Desenvolvimento de Software

Tecnologias Atuais de. Desenvolvimento de Software Tecnologias Atuais de Desenvolvimento de Software Scrum + XP Prof. Luiz Antônio lpereira@uninet.com.br Scrum - Agenda aracterísticas Papéis Práticas O Processo Scrum com XP 2/21 Scrum aracterísticas: Desenvolvido

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações

Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações 79 Proposta de processo baseado em Scrum e Kanban para uma empresa de telecomunicações Luís Augusto Cândido Garcia Afonso Celso Soares Centro de Ensino Superior em Gestão, Tecnologia e Educação FAI garcialac@yahoo.com.br

Leia mais

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade Fernando Wanderley Apresentação Líder Técnico em Projetos Java (~ 9 anos) (CESAR, Imagem, CSI, Qualiti Software Process) Consultor de Processos de Desenvolvimento

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

Cultura da Entrega Diária com EVDnC

Cultura da Entrega Diária com EVDnC Cultura da Entrega Diária com EVDnC Um Estudo de Caso Marcos Garrido Rafael Sabbagh Um Exemplo Real Empresa de Desenvolvimento de Software Monitoramento de Frotas de Ônibus cinco times rodando "Scrum"!

Leia mais