GESTÃO DE RISCOS DE INCÊNDIO E OUTROS DANOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESTÃO DE RISCOS DE INCÊNDIO E OUTROS DANOS"

Transcrição

1 ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE SEGURADORES CONFERÊNCIA APSEI 30 SETEMBRO 2014 GESTÃO DE RISCOS DE INCÊNDIO E OUTROS DANOS

2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Um indispensável elogio ao papel do seguro 2. GESTÃO DE RISCOS E SUBSCRIÇÃO DE SEGUROS INCÊNDIO Análise do risco Controlo do risco (prevenção e proteção) Avaliação e financiamento do risco Plano de seguros e conceito de PML 3. ENQUADRAMENTO NORMATIVO E DE MERCADO DOS SEGUROS DE INCÊNDIO Legislação e regulamentação Soluções de cobertura 4. CARACTERIZAÇÃO ESTATÍSTICA DO RISCO DE INCÊNDIO NOS SEGUROS 5. NOTAS FINAIS Um indispensável apelo à contratação do seguro.2

3 1 INTRODUÇÃO

4 1 PIRÂMIDE DE NECESSIDADES (MASLOW).4

5 1 / Seguros são resposta racional da sociedade às preocupações de segurança: Um instrumento Um suporte financeiro Um elemento de baseado na à perda de rendimentos estabilização e mutualização do risco ou património viabilização da atividade / E crescem naturalmente com o desenvolvimento económico e social:.5

6 1 / Virtudes do modelo segurador: Mutualização financeira do risco INDEPENDENTEMENTE DO SINISTRO Controlo racional do risco Seguro Risco convertido em custo Seleção e avaliação do risco.6

7 1 / Virtudes do modelo segurador: EM FUNÇÃO DO SINISTRO.7

8 1 / Virtudes do modelo segurador: EM FUNÇÃO DO SINISTRO.8

9 1 / SEGURO É UM INSTRUMENTO RACIONAL E PRIVILEGIADO NA PROTEÇÃO DE RENDIMENTOS E PATRIMÓNIO FACE A EVENTOS ADVERSOS IMPREVISÍVEIS MAS / É APENAS UMA COMPONENTE DE UM PROCESSO DE GESTÃO DE RISCOS Que, de forma mais ou menos estruturada, está na presente nas opções de segurança de famílias e empresas ( e do próprio Estado) mas que, no caso das empresas, deve ser mais cuidado e sistemático e que envolve várias etapas até à decisão final sobre a retenção ou transferência dos riscos e, neste último caso, sobre as soluções para o efeito.9

10 2 GESTÃO DE RISCOS E SUBSCRIÇÃO DE SEGUROS DE INCÊNDIO

11 2 GESTÃO DE RISCOS / DEFINIÇÕES: A Gestão de Riscos é o processo destinado à conservação dos ativos e do poder de criação de lucros, mediante a minimização dos efeitos financeiros ocasionados pelas perdas acidentais. A Gestão de Riscos é um conjunto de técnicas e de reflexos, que concorrem para a proteção do património da empresa contra riscos acidentais. / OBJETIVOS: A planificação objetiva dos recursos necessários para recuperar o equilíbrio financeiro e a efetividade operacional após uma perda fortuita e, desta forma, obter, a curto prazo, estabilidade no custo dos riscos e, a longo prazo, a minimização destes riscos A Gestão dos Riscos deve proporcionar à empresa a informação sobre os seus riscos, facilitando aos seus dirigentes a tomada de decisões mais adequadas e sugerindo a sistematização a seguir no controlo dos riscos..11

12 2 O PROCESSO DE GESTÃO DE RISCOS ANÁLISE DO RISCO Inventariação sistemática, qualitativa e quantitativa dos riscos CONTROLO DO RISCO Ponderação de medidas de prevenção e proteção que influenciem a frequência, a gravidade e/ou o custo de eventos aleatórios adversos AVALIAÇÃO E FINANCIAMENTO DO RISCO Avaliação integral da exposição, decisão sobre retenção e transferência e definição do plano de seguros e outras medidas de mitigação dos riscos Plano de recuperação.12

13 2 ANÁLISE DO RISCO / INFORMAÇÃO PRELIMINAR EM GERAL Identificação do proponente/segurado Atividade Local de risco Descrição valorativa dos objetos a segurar Processos, equipamentos e produtos Meios de prevenção e proteção instalados / INVENTÁRIO DOS RISCOS Em função do tipo de danos possíveis Em função da frequência/probabilidade Em função da gravidade/intensidade Em função da correlação com outros PARA O INCÊNDIO Tipo de bem Material de construção e estado Destino e o uso do bem; Natureza e uso de edifícios adjacentes Armazenamento de objetos mobiliários Tipo de energia utilizada Incorporação de potenciais fatores ampliadores ou inibidores Quantificação de perdas potenciais.13

14 2 EXEMPLO DE CLASSIFICAÇÃO DE MATERIAIS REAÇÃO AO FOGO INCOMBUSTÍVEL (M0) COMBUSTÍVEL NÃO INFLAMÁVEL (M1) INFLAMÁVEL CLASSE M0 MATERIAIS NÃO COMBUSTÍVEIS CLASSE M1 MATERIAIS NÃO INFLAMÁVEIS CLASSE M2 MATERIAIS DIFICILMENTE INFLAMÁVEIS CLASSE M3 MATERIAIS MODERADAMENTE INFLAMÁVEIS CLASSE M4 MATERIAIS FACILMENTE INFLAMÁVEIS (M2) (M3) (M4).14

15 2 CONTROLO DO RISCO PREVENÇÃO ELIMINAR Muito difícil CONTROLAR Solução PROTEÇÃO / PREVENÇÃO Conjunto de medidas, meios e equipamentos destinados a conter (significativamente) a frequência e/ou gravidade dos acidentes ou eventos adversos (segurança preventiva) / PROTECÇÃO Conjunto de medidas, meios e equipamentos atuantes após a ocorrência do acidente destinados a minimizar os seus efeitos e a circunscrever o seu raio de ação.15

16 2 PREOCUPAÇÕES NO CONTROLO DO RISCO / SENSIBILIZAÇÃO E FORMAÇÃO Dos quadros decisores da empresa Dos quadros especializados afetos a esta função Do restante quadro pessoal / ORGANIZAÇÃO Elaboração do Plano de Segurança Criação de meios para a execução do plano Testes periódicos e ajustamentos ao plano / EQUIPAMENTOS Para prevenção (câmaras, sensores, sistemas de alerta, ) Para proteção passiva (paredes e portas corta-fogo, bacias de retenção, ) Para proteção ativa (extintores, sprinklers, ).16

17 2 AVALIAÇÃO E FINANCIAMENTO DO RISCO PREVENÇÃO PROTEÇÃO AVALIAÇÃO INTEGRAL DO RISCO Ponderação de: Dimensão das perdas potenciais Probabilidade de ocorrência Vulnerabilidade estratégica Capacidade financeira Recursos disponíveis Oferta de soluções Custo das soluções RETENÇÃO Assunção Auto-seguro TRANSFERÊNCIA Seguros Outras soluções.17

18 2 AVALIAÇÃO E FINANCIAMENTO DO RISCO PREVENÇÃO PROTEÇÃO AVALIAÇÃO INTEGRAL DO RISCO Ponderação de: Dimensão das perdas potenciais Probabilidade de ocorrência Vulnerabilidade estratégica Capacidade financeira Recursos disponíveis Oferta de soluções Custo das soluções RETENÇÃO Assunção Auto-seguro TRANSFERÊNCIA Seguros Outras soluções.18

19 2 RETENÇÃO / ASSUNÇÃO DO RISCO: Incorporação consciente de riscos na atividade da organização. / AUTO-SEGURO: Envolve um programa de compensação de possíveis perdas, com um planeamento financeiro que pode passar por: Criação de uma seguradora cativa Constituição de fundos de reserva próprios Negociação prévia de créditos bancários condicionados Negociação prévia de apoio financeiro de clientes, fornecedores, acionistas TRANSFERÊNCIA / SOLUÇÕES NÃO SEGURADORAS: Técnicas de securitização (como a ART), por exemplo, mas pouco aplicáveis a unidades empresariais individuais..19

20 2 TRANSFERÊNCIA / SEGUROS: Perspetiva da subscrição 100% Gravidade (PML) Aceitação condicionada: prevenção e proteção; limites; agravamentos Aceitação simplificada Recusa ou aceitação fortemente condicionada Aceitação condicionada: prevenção; franquias Frequência 100%.20

21 2 AVALIAÇÃO DO RISCO / MPL (Maximum Possible Loss) Perda Máxima Possível: É a perda num contexto de conjugação excecional dos possíveis eventos de risco e das circunstâncias mais adversas. Para o risco de incêndio, seria um fogo apenas contido por carência de material combustível ou por obstáculos inultrapassáveis, como o distanciamento entre edifícios ou uma barreira que torne, de facto, impossível qualquer propagação das chamas. / PML (Probable Maximum Loss) Perda Máxima Provável É a perda que se pode razoavelmente estimar como resultado da ocorrência dos possíveis eventos de risco em condições normais de funcionamento da organização. A sua extensão é apreciada considerando todos os fatores internos e externos à instalação, incluindo os mecanismos de proteção, suscetíveis de agravar ou reduzir o montante dos danos, mas excluindo a concorrência de circunstâncias excecionais que, embora possíveis, sejam significativamente improváveis. Normalmente medidos em percentagem do total dos valores expostos ao risco.21

22 2 PML MÉTODO DA MÁXIMA EXTENSÃO POSSÍVEL 1. PONDERAR (PARA O RISCO DE INCÊNDIO): Fatores gerais: tipo de risco dimensão do risco agregação/segregação de riscos Fatores geradores: produtos perigosos, fontes de ignição e operações sistemas de aquecimento e exaustão instalação elétrica combustíveis manutenção envolvente exterior ação humana Fatores propagadores: materiais de construção revestimentos interiores compartimentações verticais e horiz. combustibilidade dos conteúdos carga térmica condições de armazenagem ventos dominantes Fatores inibidores: acessos proximidade de socorros proximidade de recursos hídricos sistemas de proteção.22

23 2 PML MÉTODO DA MÁXIMA EXTENSÃO POSSÍVEL 2. ESTIMATIVAS DE VALORES AFETADOS: Para cada uma das áreas segmentadas 3. COMPARAÇÃO DAS ESTIMATIVAS: Considerar a mais elevada 4. RELACIONAR COM VALORES EM RISCO: PML como percentagem dos valores em risco PML é medida fundamental da gravidade do risco. É um elemento essencial das politicas de subscrição das seguradoras. Um input indispensável para a gestão do resseguro..23

24 2 PLANO DE SEGUROS / IMPORTÂNCIA DO PLANO Otimização do financiamento do risco Negociação articulada e integrada dos riscos e coberturas Deteção de duplicações ou lacunas Ponderação de medidas de controlo do risco e de histórico de sinistralidade / MEDIDAS DE COMBINAÇÃO DE SEGUROS COM RETENÇÃO Limitação de bens Limitação de coberturas Co-seguro Franquias Limites de indemnização Excesso de perdas (excess of loss) Excesso de sinistralidade (stop loss) Agravamento de tarifas.24

25 3 ENQUADRAMENTO NORMATIVO E DE MERCADO DOS SEGUROS DE INCÊNDIO

26 3 ACESSO E EXERCÍCIO DA ATIVIDADE SEGURADORA (DL 94-B/98) Artigo 123.º Ramos «Não vida» Os seguros «Não vida» incluem os seguintes ramos: 8) «Incêndio e elementos da natureza», que abrange os danos sofridos por outros bens que não os referidos nos ramos a que se referem os números 3) a 7) [Veículos e mercadorias transportadas], causados pela verificação de qualquer dos seguintes riscos: a) Incêndio, raio ou explosão; b) Tempestades; c) Outros elementos da natureza; d) Energia nuclear; e) Aluimento de terras; Artigo 128.º Grupos de ramos ou modalidades Às empresas de seguros é admitida a exploração dos seguintes grupos de ramos ou modalidades previstos no artigo 123.º: e) Ramos referidos nos n.os 8) e 9) [Outros danos em coisas], sob a denominação «Seguro de incêndio e outros danos»..26

27 3 LEI DO CONTRATO DE SEGURO (DL 72/2008) Artigo 149.º Noção O seguro de incêndio tem por objecto a cobertura dos danos causados pela ocorrência de incêndio no bem identificado no contrato. Artigo 150.º Âmbito 1 A cobertura do risco de incêndio compreende os danos causados por acção do incêndio, ainda que tenha havido negligência do segurado ou de pessoa por quem este seja responsável. 2 O seguro de incêndio garante igualmente os danos causados no bem seguro em consequência dos meios empregados para combater o incêndio, assim como os danos derivados de calor, fumo, vapor ou explosão em consequência do incêndio e ainda remoções ou destruições executadas por ordem da autoridade competente ou praticadas com o fim de salvamento, se o forem em razão do incêndio ou de qualquer dos factos anteriormente previstos. 3 Salvo convenção em contrário, o seguro de incêndio compreende ainda os danos causados por acção de raio, explosão ou outro acidente semelhante, mesmo que não seja acompanhado de incêndio. Artigo 151.º Apólice Além do disposto no artigo 37.º, a apólice de seguro de incêndio deve precisar: a) O tipo de bem, o material de construção e o estado em que se encontra, assim como a localização do prédio e o respectivo nome ou a numeração identificativa; b) O destino e o uso do bem; c) A natureza e o uso dos edifícios adjacentes, sempre que estas circunstâncias puderem influir no risco; d) O lugar em que os objectos mobiliários segurados contra o incêndio se acharem colocados ou armazenados..27

28 3 EM RESUMO Seguros de DANOS Seguros de INCÊNDIO E OUTROS DANOS Seguros de INCÊNDIO E ELEMENTOS DA NATUREZA eguros de OUTROS DANOS EM COISAS Seguros de INCÊNDIO Seguros de OUTROS DANOS EM COISAS.28

29 3 SEGUROS OBRIGATÓRIOS DE INCÊNDIO O seguro de Incêndio é obrigatório para diversas atividades ou patrimónios concretos, entre os quais: Movimentação de cargas em áreas portuárias (DL 324/94); Exploração de jogos de fortuna ou azar (DL 10/95); Exploração e funcionamento das salas do jogo do bingo (Portaria 128/2011); Imóveis afetos a obrigações hipotecárias (DL 125/90); Cooperação habitacional (DL 730/74); Edifícios em regime de propriedade horizontal: - Código Civil Capítulo VI (Propriedade horizontal), Artigos 1414º a 1438º-A; - DL 268/94 Normas regulamentares do regime de propriedade horizontal; - Norma Regulamentar do ISP 16/2008-R Parte Uniforme das Condições Gerais e Condições Especiais Uniformes da Apólice de Seguro Obrigatório de Incêndio..29

30 3 SEGURO OBRIGATÓRIO DE INCÊNDIO EM PROPRIEDADE HORIZONTAL CÓDIGO CIVIL: Artigo 1429º Seguro obrigatório 1. É obrigatório o seguro contra o risco de incêndio do edifício, quer quanto às frações autónomas, quer relativamente às partes comuns. 2. O seguro deve ser celebrado pelos condóminos; o administrador deve, no entanto, efetuá-lo quando os condóminos o não hajam feito dentro do prazo e pelo valor que, para o efeito, tenha sido fixado em assembleia; nesse caso, ficará com o direito de reaver deles o respetivo prémio. Artigo 1436º Funções do administrador São funções do administrador, além de outras ( ) verificar a existência do seguro contra o risco de incêndio, propondo à assembleia o montante do capital seguro. DL 268/94: Artigo 5.º Actualização do seguro 1. É obrigatória a actualização anual do seguro contra o risco de incêndio. 2. Compete à assembleia de condóminos deliberar o montante de cada actualização. 3. Se a assembleia não aprovar o montante da actualização, deve o administrador actualizar o seguro de acordo com o índice publicado trimestralmente pelo Instituto de Seguros de Portugal..30

31 3 SEGURO OBRIGATÓRIO DE INCÊNDIO EM PROPRIEDADE HORIZONTAL CONDIÇÕES UNIFORMES DA APÓLICE: O seguro de incêndio só cobre os danos sofridos no bem seguro, ou seja, os danos sofridos na fração segura e nas partes comuns afetas proporcionalmente a essa fração, independentemente do local de origem do evento. É por isso essencial que todos os proprietários/condóminos celebrem o contrato de seguro. Em alternativa, por decisão da assembleia de condóminos, a administração pode contratar um único seguro que garanta a totalidade do edifício. O seguro obrigatório de incêndio cobre os elementos construtivos (as chamadas paredes ) das frações autónomas e das partes comuns dos edifícios. Não cobre os bens móveis, vulgarmente designados por conteúdos ou recheio. O seguro obrigatório de incêndio cobre: danos causados por incêndio ainda que tenha havido negligência do segurado ou de pessoa por quem este seja responsável; salvo convenção em contrário, danos causados por ação mecânica de queda de raio, explosão ou outro acidente semelhante, mesmo que não acompanhado de incêndio..31

32 3 SEGURO OBRIGATÓRIO DE INCÊNDIO EM PROPRIEDADE HORIZONTAL O seguro obrigatório de incêndio não cobre/exclui (não exaustivo): A simples ação do calor (sem chamas); O contacto direto e imediato com as chamas (objeto caído na lareira, por exemplo); As perdas ou danos sofridos nos bens seguros que originaram a explosão, exceto se a explosão decorrer de causa externa garantida pelo contrato; Os danos que derivem de efeitos diretos de corrente elétrica em aparelhos, instalações elétricas e seus acessórios, nomeadamente sobretensão e sobreintensidade; Danos que derivem de guerra, invasão, insurreição, rebelião, revolução, levantamento militar; greves, tumultos, alterações da ordem pública, atos de terrorismo, vandalismo, atos maliciosos; Confiscação, requisição, destruição ou danos produzidos nos bens seguros, por ordem do governo ou de qualquer autoridade instituída, salvo se com o fim de salvamento; Atos ou omissões dolosas do tomador do seguro, do segurado ou de pessoas por quem estes sejam civilmente responsáveis Incêndio decorrente de fenómenos sísmicos; Explosão, libertação do calor e irradiações provenientes de cisão de átomos ou radioativas e ainda os decorrentes de radiações provocadas pela aceleração artificial de partículas; Lucros cessantes ou perda semelhante..32

33 3 SEGURO OBRIGATÓRIO DE INCÊNDIO EM PROPRIEDADE HORIZONTAL Cláusulas de relevo: Prestação do segurador (seguro de danos / seguros de coisas) Capital seguro e cálculo do capital; Sobresseguro; Subseguro (regra proporcional); Atualização do capital seguro; Redução automática do capital seguro; Reposição do capital seguro; Sinistro; Franquia; Obrigações do tomador do seguro ou do segurado; Obrigações do segurador; Formas de pagamento da indemnização..33

34 1 NA PRÁTICA OFERTA DE SEGUROS DE INCÊNDIO NO MERCADO Apólices de INCÊNDIO E ELEMENTOS DA NATUREZA Apólices de MULTIRRISCOS.34

35 1 APÓLICES DE INCÊNDIO E ELEMENTOS DA NATUREZA Para além do risco de Incêndio, cobrem geralmente, como riscos principais, os danos que resultem de: Tempestades; Inundações; Fenómenos sísmicos; Aluimentos de terra. Podem cobrir, como riscos acessórios ou complementares, os danos que resultem de: Demolição e remoção de escombros; Responsabilidade civil emergente de incêndio e/ou explosão; Riscos elétricos; Danos por água; Pesquisa de avarias; Queda de Aeronaves; Privação temporária de uso da habitação; Greves, Tumultos e Alterações da Ordem Pública; Atos de vandalismo..35

36 3 APÓLICES DE MULTIRRISCOS As apólices de Multirriscos permitem alargar ainda mais o leque de coberturas em relação às de Incêndio e Elementos da Natureza. É uma modalidade sem definição legal que agrupa, por simplificação e economia (para o segurador e o segurado), um conjunto de riscos a que estão sujeitos os bens seguros. Com diferentes amplitudes em cada seguradora, as coberturas são normalmente estruturadas nas apólices em: Cobertura base: conjunto mínimo de coberturas, contratável em bloco, a que corresponde um prémio único; Coberturas complementares: adicionais à cobertura base e contratáveis individualmente, mediante o pagamento de um prémio adicional..36

37 3 APÓLICES DE MULTIRRISCOS COBERTURA BASE (típica): Incêndio, explosão e queda de raio; Inundações; Tempestades; Danos por água; Furto ou roubo; Quebra de vidros, espelhos, ( ); Quebra ou queda de antenas ou painéis; Choque ou impacto de veículos; Queda de aeronaves; Responsabilidade civil; Privação temporária da habitação. COBERTURAS COMPLEMENTARES (típicas): Aluimento de terras; Fenómenos sísmicos; Riscos elétricos; Equipamento informático; Assistência ao lar; Veículos em garagem; Proteção jurídica; Atos de vandalismo, Greves, tumultos e alterações da ordem pública..37

38 3.38

39 4 CARACTERIZAÇÃO ESTATÍSTICA DO RISCO DE INCÊNDIO NOS SEGUROS

40 4.40

41 4.41

42 4.42

43 4.43

44 4.44

45 4.45

46 4.46

47 4.47

48 5 NOTAS FINAIS

49 5 / Seguros de incêndio estão a crescer em Portugal Em apólices de Multirriscos e com um peso crescente da habitação / Mas a penetração dos seguros Não Vida é relativamente escassa em Portugal / Incluindo nos seguros patrimoniais. Incluindo na cobertura de incêndio..49

50 OBRIGADO

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias?

Podem ser contratadas outras coberturas, para além das obrigatórias? SEGURO HABITAÇÃO Qual a importância do Seguro de Habitação? Os bens imóveis, tal como os móveis, estão sujeitos à ocorrência de eventos que lhes podem causar danos. Se não possuir um seguro válido, terá

Leia mais

Ficha de Produto Condominio DECO

Ficha de Produto Condominio DECO Ficha de Produto Condominio DECO Generali Companhia de Seguros S.A. Sede: Rua Duque de Palmela, n.º 11 1269-270 Lisboa Tel.: 213 112 800 Fax: 213 563 067 Email: generali@generali.pt www.generali.pt Capital

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

CLÁUSULAS DE SEGURO DE TRANSPORTES CLÁUSULA DE SEGURO DE CARGAS CLÁUSULA (A)

CLÁUSULAS DE SEGURO DE TRANSPORTES CLÁUSULA DE SEGURO DE CARGAS CLÁUSULA (A) CLÁUSULAS DE SEGURO DE TRANSPORTES CLÁUSULA DE SEGURO DE CARGAS CLÁUSULA (A) Este seguro cobre todos os riscos de perda ou dano sofrido pelo objeto seguro com exceção dos casos abaixo referidos nas «EXCLUSÕES»

Leia mais

ficha de produto multirriscos habitação

ficha de produto multirriscos habitação ficha de produto multirriscos habitação O que é? O Seguro de multirriscos habitação é um seguro que visa garantir os edifícios ou fracções de edifícios destinados à habitação permanente do Segurado e construídos

Leia mais

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor

uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor uma vasta protecção para quem encontra a melhor solução para as avarias motor motor segurtrade motor Segurtrade - Motor é uma solução de protecção para a sua empresa, direccionada para pequenas e médias

Leia mais

CA COMÉRCIO E SERVIÇOS

CA COMÉRCIO E SERVIÇOS CA COMÉRCIO E SERVIÇOS Condições Gerais e Especiais Crédito Agrícola Seguros Companhia de Seguros de Ramos Reais, SA Rua de Campolide, 372-3.º Dt.º 1070-040 Lisboa tel: (+351) 213 806 000 (dias úteis das

Leia mais

ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL. Manual do Segurado. Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43

ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL. Manual do Segurado. Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43 ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL Manual do Segurado Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43 ÍNDICE 1. DEFINIÇÕES GERAIS 2. ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL 2.1. ENVIO DE CHAVEIRO POR ROUBO

Leia mais

CA HABITAÇÃO. Condições Gerais e Especiais

CA HABITAÇÃO. Condições Gerais e Especiais CA HABITAÇÃO Condições Gerais e Especiais Crédito Agrícola Seguros Companhia de Seguros de Ramos Reais, SA Rua de Campolide, 372-3.º Dt.º 1070-040 Lisboa tel: (+351) 213 806 000 (dias úteis das 8:30 h

Leia mais

Benefícios coletivos. Benefício de Seguros. Assistência Flex Domiciliar

Benefícios coletivos. Benefício de Seguros. Assistência Flex Domiciliar Benefícios coletivos 15.01.14 Benefício de Seguros Assistência Flex Domiciliar A Assistência Flex Domiciliar disponibiliza assistência 24 horas para contenção e reparação de danos na residência do Associado

Leia mais

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços

uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços uma vasta protecção para quem lhe exige sempre o melhor serviço serviços segurtrade serviços Segurtrade - Serviços é uma solução de protecção, desenvolvida para pequenas e médias empresas que exercem

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO AÇOREANA CONFORTO TOTAL PROTECÇÃO LAR

PROPOSTA DE SEGURO AÇOREANA CONFORTO TOTAL PROTECÇÃO LAR PROPOSTA DE SEGURO AÇOREANA CONFORTO TOTAL LAR Proposta N.º Apólice N.º Seguro Novo Alteração à Apólice N.º de Titular É OU FOI CLIENTE DA COMPANHIA DE SEGUROS AÇOREANA? (A preencher pela Companhia) Os

Leia mais

CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas

CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas CLÁUSULA 959 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas 1. Riscos Cobertos A cobertura Assistência 24 horas apresenta um conjunto de serviços oferecidos ao Segurado, titular da apólice de seguro ou ao

Leia mais

EmpresariAll SCR - Serviços, Comércio e Restauração

EmpresariAll SCR - Serviços, Comércio e Restauração Seguro Multi Riscos mpresariall SR - Serviços, omércio e Restauração Guia do liente www.allianz.pt Allianz. Soluções de onfiança. ompanhia de Seguros Allianz Portugal, S.A. R. Andrade orvo, 32 1069-014

Leia mais

Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas.

Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas. Adegas & Lagares O prazer de provar! Adegas & Lagares é uma solução integrada, especificamente dirigida à atividade de produção de vinho, azeite e outras bebidas. Garante os riscos que dão origem a perdas

Leia mais

RESUMO DAS CONDIÇÕES GERAIS EM PODER DA UNICRE SEGURO ONCOLOGIA APÓLICE Nº 3052 - DOENÇA GRUPO ARTIGO PRELIMINAR

RESUMO DAS CONDIÇÕES GERAIS EM PODER DA UNICRE SEGURO ONCOLOGIA APÓLICE Nº 3052 - DOENÇA GRUPO ARTIGO PRELIMINAR RESUMO DAS CONDIÇÕES GERAIS EM PODER DA UNICRE SEGURO ONCOLOGIA APÓLICE Nº 3052 - DOENÇA GRUPO ARTIGO PRELIMINAR O contrato de seguro estabelecido entre a GROUPAMA SEGUROS, S.A., adiante designada por

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO OBRIGATÓRIO DE ACIDENTES DE TRABALHO PARA TRABALHADORES INDEPENDENTES

APÓLICE DE SEGURO OBRIGATÓRIO DE ACIDENTES DE TRABALHO PARA TRABALHADORES INDEPENDENTES APÓLICE DE SEGURO OBRIGATÓRIO DE ACIDENTES DE TRABALHO PARA TRABALHADORES INDEPENDENTES LUSITANIA, COMPANHIA DE SEGUROS, S.A. 2/2 Rua de LUSITANIA S. Domingos COMPANHIA à Lapa, 35 1249-130 DE SEGUROS Lisboa

Leia mais

Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro Estaleiros Temporários ou Móveis Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro 1. INTRODUÇÃO A indústria da Construção engloba um vasto e diversificado conjunto de características, tais como: Cada projecto

Leia mais

CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas

CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas CLÁUSULA 958 - COBERTURA ADICIONAL ASSISTÊNCIA 24 Horas 1. Riscos Cobertos A cobertura Assistência 24 horas apresenta um conjunto de serviços oferecidos ao Segurado, titular da apólice de seguro ou ao

Leia mais

Simulação de Crédito Imobiliário

Simulação de Crédito Imobiliário Simulação de Crédito Imobiliário Data de Impressão: 16-02-2015 19:40 Número de Simulação: 14616112 / x944719 Gestor de Projeto: MIGUEL VELEZ (211126702) Resumo Prestação inicial Prestação Comissão manutenção

Leia mais

Zurich Condomínio Condições gerais e especiais

Zurich Condomínio Condições gerais e especiais Zurich Condomínio Condições gerais e especiais Cláusula preliminar Entre a Zurich Insurance plc - Sucursal em Portugal, o Segurador, adiante designado por Zurich, e o Tomador do Seguro mencionado nas condições

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR. Relatório de auditoria para efeitos de supervisão prudencial das empresas de seguros

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR. Relatório de auditoria para efeitos de supervisão prudencial das empresas de seguros PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR Relatório de auditoria para efeitos de supervisão prudencial das empresas de seguros O revisor oficial de contas (ROC) é reconhecido na legislação e regulamentação em vigor

Leia mais

SEGURO TRANQUILIDADE NO GOLF

SEGURO TRANQUILIDADE NO GOLF PROPOSTA SEGURO TRANQUILIDADE NO GOLF Produto: HOLE1 - Hole in One NOVO ALTERAÇÃO TOMADOR DO SEGURO: - Dados Obrigatórios Nome Título/Sigla Nacionalidade Morada N.º Andar Código Postal Localidade N.º Contribuinte

Leia mais

Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares

Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares Título 1 Projecto de SCIE e medidas de autoprotecção em lares de idosos e edifícios hospitalares 2 Sumário Breve caracterização do risco de incêndio Medidas de segurança de natureza física Projecto de

Leia mais

APÓLICEDESEGURO MULTIRRISCOCONDOMÍNIO CONDIÇÕES GERAIS

APÓLICEDESEGURO MULTIRRISCOCONDOMÍNIO CONDIÇÕES GERAIS APÓLICEDESEGURO MULTIRRISCOCONDOMÍNIO CONDIÇÕES GERAIS CLÁUSULA PRELIMINAR 1. Entre a Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A., adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro mencionado nas Condições

Leia mais

Anexo 7 Apólices de Seguros

Anexo 7 Apólices de Seguros Anexo 7 Apólices de Seguros A CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter vigentes durante todo o prazo da CONCESSÃO as seguintes apólices de seguros: 1. Riscos Nomeados, para cobertura dos bens patrimoniais

Leia mais

Segura bem, o teu sonho. >> Seguro Automóvel

Segura bem, o teu sonho. >> Seguro Automóvel Segura bem, o teu sonho. >> Seguro Automóvel >> Mercedes-Benz Seguros A opção mais segura. Optares por um seguro smart é seguramente uma boa escolha. Afinal, os nossos automóveis já são conhecidos por

Leia mais

Transportes. Condições gerais. Pela protecção dos valores da vida. 1060267-03.2004

Transportes. Condições gerais. Pela protecção dos valores da vida. 1060267-03.2004 Condições gerais 1060267-03.2004 Pela protecção dos valores da vida. Liberty Seguros, S.A. Av. Fontes Pereira de Melo, nº 6 1069-001 Lisboa Fax 21 355 33 00 Pessoa Colectiva n.º 500 068 658 Cons. Reg.

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Nota Justificativa

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Nota Justificativa Regulamento de Concessão de Incentivos ao Investimento REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Nota Justificativa A elaboração do presente Regulamento tem como objetivo criar um conjunto

Leia mais

A QUEM COMPETE FAZER O SEGURO DE INCÊNDIO?

A QUEM COMPETE FAZER O SEGURO DE INCÊNDIO? 2 Seguro Obrigatório de Incêndio para Imóveis em Regime de Propriedade Horizontal É proprietário de um imóvel ou fracção em regime de propriedade horizontal? É administrador de um condomínio? Sabe que

Leia mais

Assim, o Instituto de Seguros de Portugal considera essencial que os seguradores cumpram os seguintes princípios e regras:

Assim, o Instituto de Seguros de Portugal considera essencial que os seguradores cumpram os seguintes princípios e regras: CIRCULAR N.º 2/2012, DE 1 DE MARÇO DEVERES LEGAIS DE DILIGÊNCIA DOS SEGURADORES RELATIVAMENTE AOS SEGUROS DE PROTEÇÃO AO CRÉDITO Importa reconhecer a relevância e a função económica e social dos designados

Leia mais

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 149 (Novembro/Dezembro de 2003) KÉRAMICA n.º 264 (Janeiro/Fevereiro de 2004)

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 149 (Novembro/Dezembro de 2003) KÉRAMICA n.º 264 (Janeiro/Fevereiro de 2004) TÍTULO: Atmosferas explosivas risco de explosão AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 149 (Novembro/Dezembro de 2003) KÉRAMICA n.º 264 (Janeiro/Fevereiro de 2004) INTRODUÇÃO A protecção contra

Leia mais

INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PORTADORES DE ARMAS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril)

INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PORTADORES DE ARMAS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) 25032010 INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO OBRIGATÓRIO DE RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PORTADORES DE ARMAS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008, de 16 de Abril) SEGURADOR MAPFRE Seguros Gerais S. A. Sede Social:

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo

PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO. Preâmbulo PROJETO DE REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Preâmbulo A elaboração do presente Regulamento tem como objetivo criar um conjunto de regras e princípios que permitam dotar o Município

Leia mais

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013

SEGUROS PATRIMONIAIS. www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGUROS PATRIMONIAIS www.sindsegsc.org.br PDES Programa de Desenvolvimento dos Executivos do Seguro Agosto/2013 SEGURO INCÊNDIO TRADICIONAL Valmor Venâncio Membro Comissão Ramos Diversos www.sindsegsc.org.br

Leia mais

Zurich seguro grossista

Zurich seguro grossista Zurich seguro grossista Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente Apólice nº. Regulado pela Lei Portuguesa: Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Linha

Leia mais

Liberty Comércio & Serviços

Liberty Comércio & Serviços Liberty Comércio & Serviços Coberturas Incêndio/Queda de Raio/Explosão/Fumaça e Queda de Aeronaves; Danos elétricos; Vendaval; LIBERTY SEU NEGÓCIO COMÉRCIO E SERVIÇOS Roubo de Bens; Roubo de Valores; +

Leia mais

Zurich cabeleireiro seguro

Zurich cabeleireiro seguro Zurich cabeleireiro seguro Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento

Leia mais

SEGURO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO VANTAGENS PARA QUEM? UM SEGURO À MEDIDA SEGURO INOVADOR PROTEÇÃO BASE PROTEÇÃO ALARGADA OPCIONAIS PROTEÇÃO SENHORIO

SEGURO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO VANTAGENS PARA QUEM? UM SEGURO À MEDIDA SEGURO INOVADOR PROTEÇÃO BASE PROTEÇÃO ALARGADA OPCIONAIS PROTEÇÃO SENHORIO VANTAGENS MAIS PROTEÇÃO E INOVAÇÃO Reembolso de despesas com o IMI e Quotas de Condomínio em caso de Desemprego, Hospitalização e Incapacidade por Acidente ou Doença. MAIS ABRANGENTE Os Objetos Especiais

Leia mais

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG)

Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Requisitos do Sistema de Gestão de Segurança para a Prevenção de Acidentes Graves (SGSPAG) Política de Prevenção de Acidentes Graves Revisão Revisão Identificação e avaliação dos riscos de acidentes graves

Leia mais

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Regulamento Administrativo nº 24/2003

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU. Regulamento Administrativo nº 24/2003 1 REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU Regulamento Administrativo nº 24/2003 Condições da Apólice Uniforme do Seguro Obrigatório de Responsabilidade Civil das Embarcações de Recreio O Chefe do Executivo,

Leia mais

MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro

MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro MULTIRRISCO ITAÚ Apólice de Seguro Nº de Apólice: 1-18-4547338-0 Vigência: 18/09/2011 A 18/09/2012 Nº da Proposta: 92114084 Dados do CONCESSIONARIA DA ROD OSORIO S/A 1.654.604/0001-14 Segurado RUA GOMES

Leia mais

CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE SEGUROS.

CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE SEGUROS. - - a, À MUNICÍPIO DE CHAVES CONTRATO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA ÁREA DE SEGUROS. No dia 13 de janeiro de dois mil e dezasseis, celebram o presente contrato para prestação de serviços na área de seguros

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES TRABALHOS DA COMISSÃO TRABALHOS DA COMISSÃO A Subcomissão Permanente de Economia reuniu no dia 16 de junho de 2015, na Sede da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, na cidade da Horta, a fim de analisar e dar

Leia mais

capítulo Enforcement

capítulo Enforcement capítulo 4 4.1 Considerações iniciais No quadro da atividade de enforcement, o ISP (i) dirige recomendações e determinações específicas às entidades supervisionadas visando a correção de eventuais irregularidades

Leia mais

POPULAR CONDOMÍNIO. Ano de construção

POPULAR CONDOMÍNIO. Ano de construção Popular Seguros Companhia de Seguros, S.A. Sede Social: 1099090 Lisboa Portugal CRCL 507 592 034 Pes. Col. / Capital Social 7.500.000 Euro Proposta de Seguro Novo Alteração à Apólice nº 32/ Alteração à

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 2ª REGIÃO/SP ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO ELETRÔNICO Nº. TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO 1.1. Contratação de empresa especializada para cobertura de Seguro, tipo Primeiro Risco Absoluto, com franquia, para o edifício sede da Procuradoria Regional do Trabalho

Leia mais

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS SEGURO CASA - PACK RECHEIO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO

INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS SEGURO CASA - PACK RECHEIO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO A. SEGURADOR PROTEÇÃO DE BENS INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS SEGURO CASA - PACK RECHEIO MULTIRRISCOS HABITAÇÃO Fidelidade - Companhia de Seguros, S.A., entidade legalmente autorizada para a exploração do

Leia mais

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃOE DE FISCALIZAÇÃO DA CAIXA ECONÓMICA MONTEPIO GERAL

POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃOE DE FISCALIZAÇÃO DA CAIXA ECONÓMICA MONTEPIO GERAL POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃOE DE FISCALIZAÇÃO DA CAIXA ECONÓMICA MONTEPIO GERAL 1. Introdução 1.1. Nos termos e para efeitos do n.º 4 do artigo 115.º-C do Regime Geral

Leia mais

CONDIÇÕES ESPECIAIS SEGURO TERRORISMO COBERTURA DE INTERRUPÇÃO DE NEGÓCIOS

CONDIÇÕES ESPECIAIS SEGURO TERRORISMO COBERTURA DE INTERRUPÇÃO DE NEGÓCIOS 1. RISCO COBERTO Fica entendido e acordado que, de acordo com os termos destas Condições Especiais e com as Condições Gerais e Especificação da presente apólice, o Limite Máximo de Garantia nela estabelecido,

Leia mais

Consulta pública. Sistema de Cobertura do Risco de Fenómenos Sísmicos

Consulta pública. Sistema de Cobertura do Risco de Fenómenos Sísmicos MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Consulta pública Sistema de Cobertura do Risco de Fenómenos Sísmicos - Fundo Sísmico - Fundo de Solidariedade Outubro de 2010 1 ÍNDICE 1. Enquadramento

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R7 18-03-2014 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Lista de Distribuição: Direções e Unidades do Centro Corporativo Empresas

Leia mais

REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO NA FREGUESIA DA MISERICÓRDIA

REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO NA FREGUESIA DA MISERICÓRDIA REGULAMENTO PARA A CONCESSÃO DE APOIOS SOCIAIS A CIDADÃOS RESIDENTES NA FREGUESIA DA MISERICÓRDIA Artigo 1.º (Objeto) O presente Regulamento define a natureza, os objetivos e as condições de atribuição

Leia mais

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro

Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro Portaria n.º 1276/2002 de 19 de Setembro O artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 410/98, de 23 de Dezembro, que aprovou o Regulamento de Segurança contra Incêndio em Edifícios de Tipo Administrativo, determina

Leia mais

N.º contribuinte / Pessoa colectiva

N.º contribuinte / Pessoa colectiva Zurich pharma Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente n.º Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento Alvo Contrato

Leia mais

SEGURO DE EMPREITADA

SEGURO DE EMPREITADA Page 1 SEGURO DE EMPREITADA Sede: Av. 25 de Setembro, n.º 1230, 2.º Andar, Porta 201, Prédio 33 Andares Assinatura:... Page 2 APÓLICE Nº. A Companhia de Seguros Indico, SA abreviadamente designada por

Leia mais

Novo Alteração Código Cliente Proposta nº 48/ Data de Início Apólice nº Agente - - / Nº ISP. Vencimento anual - Campanha Comercial Nº BCN

Novo Alteração Código Cliente Proposta nº 48/ Data de Início Apólice nº Agente - - / Nº ISP. Vencimento anual - Campanha Comercial Nº BCN Av. Fontes Pereira de Melo, nº 6-11º 1069-001 Lisboa Fax: 21 355 33 00 Centro de Contacto Liberty Seguros: 808 243 000 / +351 213 124 300 (no estrangeiro) http://www.libertyseguros.pt PROPOSTA DE SEGURO

Leia mais

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático

Figura 2.1 Localização de uma APU em aeronave e seu sistema pneumático 1 Capítulo 2 - Seleção do local para a APU Os passos que devem ser dados desde a concepção de uma aeronave são: 1) No Planejamento: Admitir que a seleção e a instalação da APU são tão importantes quanto

Leia mais

POLÍTICA DE SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO

POLÍTICA DE SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO POLÍTICA DE SELEÇÃO E AVALIAÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS DE ADMINISTRAÇÃO E DE FISCALIZAÇÃO E DOS TITULARES DE FUNÇÕES ESSENCIAIS DA POPULAR GESTÃO DE ACTIVOS, S.A. ( PGA ) Introdução A presente Política

Leia mais

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI

Análise da proposta de. condições gerais do. Contrato de Uso das Redes - RARI Análise da proposta de condições gerais do Contrato de Uso das Redes - RARI Junho de 2006 Rua Dom Cristóvão da Gama n.º 1-3.º 1400-113 Lisboa Tel: 21 303 32 00 Fax: 21 303 32 01 e-mail: erse@erse.pt www.erse.pt

Leia mais

Regulamento Municipal para a Concessão de Apoios ao Associativismo. Preâmbulo

Regulamento Municipal para a Concessão de Apoios ao Associativismo. Preâmbulo MUNICIPIO DE ARCOS DE VALDEVEZ Regulamento Dr. Francisco Rodrigues de Araújo, Presidente da Câmara Municipal de Arcos de Valdevez: Faz público que a Assembleia Municipal de Arcos de Valdevez, na sua sessão

Leia mais

Pessoa Segura os Clientes do Grupo EDP enquanto aderentes ao edp5d.

Pessoa Segura os Clientes do Grupo EDP enquanto aderentes ao edp5d. Seguro de Assistência edp5d Guia de benefícios DEFINIÇÕES Para efeitos do presente contrato, entende-se por: Segurador a entidade legalmente autorizada para a exploração do SEGURO ASSISTÊNCIA EDP5D que,

Leia mais

Condições Gerais para Seguros Obrigatórios de Responsabilidade Civil

Condições Gerais para Seguros Obrigatórios de Responsabilidade Civil Uma solução integrada para profissionais. Podemos proporcionar-lhe um ou todos os módulos de cobertura a seguir descritos: i. Profissional ii. iii. Módulo de Gestão: a. Administradores e Diretores (D&O)

Leia mais

Responsabilidade Civil Profissional para Consultores e Empresas de Tecnologia e Informática Proposta de Seguro

Responsabilidade Civil Profissional para Consultores e Empresas de Tecnologia e Informática Proposta de Seguro O propósito desta proposta de seguro é conhecê-lo a si e ao seu negócio. O seu preenchimento não vincula nenhuma das partes à contratação deste seguro. Um seguro é um contrato de confiança entre duas partes.

Leia mais

APÓLICEDEPROTECÇÃOJURÍDICA AGREGADOFAMILIAR CONDIÇÕES GERAIS

APÓLICEDEPROTECÇÃOJURÍDICA AGREGADOFAMILIAR CONDIÇÕES GERAIS APÓLICEDEPROTECÇÃOJURÍDICA AGREGADOFAMILIAR CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO PRELIMINAR Entre a Companhia de Seguros Tranquilidade, S.A., adiante designada por Tranquilidade e o Tomador do Seguro mencionado nas

Leia mais

REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO

REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Regulamento do Auditório da Casa do Estudante 2012 REGULAMENTO DO AUDITÓRIO DA CASA DO ESTUDANTE DA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO Preâmbulo O Auditório da Casa do Estudante constitui um

Leia mais

Segurança e saúde no trabalho

Segurança e saúde no trabalho Segurança e saúde no trabalho A empresa tem a responsabilidade legal de assegurar que os trabalhadores prestam trabalho em condições que respeitem a sua segurança e a sua saúde. A empresa está obrigada

Leia mais

Seguro Embarcações de Recreio

Seguro Embarcações de Recreio Seguro Embarcações de Recreio CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO PRELIMINAR Entre a NOSSA NOVA SOCIEDADE DE SEGUROS DE ANGOLA, S.A., adiante abreviadamente referida por Seguradora, e o Tomador do Seguro mencionado

Leia mais

Zurich Comércio Tradicional

Zurich Comércio Tradicional Zurich Comércio Tradicional Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas a tracejado a preencher pela Zurich. Assinale com uma cruz X os casos aplicáveis. Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo

Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo Exposição dos Motivos Do conjunto das atribuições que estão confiadas aos Municípios destacam-se as intervenções nas áreas de tempos livres e

Leia mais

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012

VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 VICE-PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL, S.R. DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL Despacho n.º 1009/2012 de 20 de Julho de 2012 O Decreto Regulamentar n.º 84-A/2007, de 10 de dezembro, alterado pelos Decretos

Leia mais

AVISO (20/GAOA/2015)

AVISO (20/GAOA/2015) AVISO (20/GAOA/2015) Humberto Fernando Leão Pacheco de Brito, Presidente da Câmara Municipal de Paços de Ferreira, submete a consulta pública, para recolha de sugestões, por um período de 30 dias, a contar

Leia mais

PROJETO DE RELATÓRIO

PROJETO DE RELATÓRIO PARLAMENTO EUROPEU 2009-2014 Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários 25.9.2013 2013/2174(INI) PROJETO DE RELATÓRIO sobre os seguros contra catástrofes naturais ou de origem humana (2013/2174(INI))

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

2.O contrato de seguro pode garantir, nos termos e limites para o efeito fixados nas condições especiais e particulares, a seguinte cobertura:

2.O contrato de seguro pode garantir, nos termos e limites para o efeito fixados nas condições especiais e particulares, a seguinte cobertura: Seguro de Internamento ACP INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS - A entregar ao Titular do Seguro A - SEGURADOR Groupama Seguros, S.A., entidade legalmente autorizada para a exploração do seguro de Saúde. B - PRODUTO

Leia mais

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais).

(1) Inclui o capital de Responsabilidade Civil Obrigatória: 6.000.000 (Danos Materiais/Danos Corporais). 1 FICHA DE PRODUTO Produtos Automóvel A N Seguros tem à sua disposição coberturas que são realmente indispensáveis para a segurança do seu Automóvel, construindo uma proteção à sua medida. Esta ficha de

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Análise financeira e gestão de riscos no setor segurador

Análise financeira e gestão de riscos no setor segurador Análise financeira e gestão de riscos no setor segurador Intervenção do Presidente do ISP, Professor Doutor José Figueiredo Almaça, na Entrega de Diplomas do 11º Curso de Pós Graduação em Análise Financeira,

Leia mais

Dossiê de Preços de Transferência

Dossiê de Preços de Transferência Dossiê de Preços de Transferência Fiscalidade 2011 3 Índice Pág. 1. Preços de Transferência 03 1.1 Conceito 03 1.2 O que são Preços de Transferência 03 1.3 Porquê os Preços de Transferência? 03 1.4 Entidades

Leia mais

Relatório de Atividade do Serviço de Provedoria do Cliente. Companhia de Seguros Allianz Portugal. Ano de 2015

Relatório de Atividade do Serviço de Provedoria do Cliente. Companhia de Seguros Allianz Portugal. Ano de 2015 Relatório de Atividade do Serviço de Provedoria do Cliente Companhia de Seguros Allianz Portugal Ano de 2015 Durante o ano que findou voltou a ser evidente a confiança que os clientes e lesados da Seguradora

Leia mais

COMISSÃO DE VENCIMENTOS DA SONAE - SGPS, SA

COMISSÃO DE VENCIMENTOS DA SONAE - SGPS, SA Ponto n.º 4 Exmo. Senhor Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Sonae - SGPS, SA Lugar do Espido, Via Norte 4471-909 Maia A Comissão de Vencimentos propõe à Assembleia Geral que delibere aprovar, nos

Leia mais

APÓLICE DE SEGURO MULTIRRISCO HABITAÇÃO

APÓLICE DE SEGURO MULTIRRISCO HABITAÇÃO APÓLICE DE SEGURO MULTIRRISCO HABITAÇÃO APÓLICE DE SEGURO MULTIRRISCO HABITAÇÃO ÍNDICE Pág. CONDIÇÕES GERAIS:............................................................................... 1 CLÁUSULAS

Leia mais

ASSISTÊNCIA 24 HS CONDIÇÕES GERAIS

ASSISTÊNCIA 24 HS CONDIÇÕES GERAIS ASSISTÊNCIA 24 HS CONDIÇÕES GERAIS ARTIGO 1 - DEFINIÇÕES A) USUÁRIO: entende-se por Usuário o titular do Certificado, desde que tenha residência habitual no Brasil e esteja cadastrado em nossa base de

Leia mais

ÍNDICE OBJETIVO DO PROGRAMA DEFINIÇÕES E COBERTURAS COBERTURAS ASSISTÊNCIA AO VEÍCULO ASSISTÊNCIA A PESSOAS EXCLUSÕES

ÍNDICE OBJETIVO DO PROGRAMA DEFINIÇÕES E COBERTURAS COBERTURAS ASSISTÊNCIA AO VEÍCULO ASSISTÊNCIA A PESSOAS EXCLUSÕES 02 ÍNDICE OBJETIVO DO PROGRAMA DEFINIÇÕES E COBERTURAS COBERTURAS ASSISTÊNCIA AO VEÍCULO ASSISTÊNCIA A PESSOAS EXCLUSÕES 03 03 04 04 06 07 03 OBJETIVO DO PROGRAMA Este programa objetiva prestar um atendimento

Leia mais

ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA

ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA ANEXO XV DIRETRIZES PARA CONTRATAÇÃO DE SEGUROS DE RESPONSABILIDADE DA CONCESSIONÁRIA Durante o prazo da CONCESSÃO, a CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter em vigor no mínimo as apólices de seguro a

Leia mais

NOTA TÉCNICA nº 08 Complementar do Regime Jurídico de SCIE

NOTA TÉCNICA nº 08 Complementar do Regime Jurídico de SCIE NOTA TÉCNICA nº 08 Complementar do Regime Jurídico de SCIE RESUMO Definir o tempo de resposta exigido ao socorro e os meios humanos e materiais adequados ao combate a incêndios (grau de prontidão), para

Leia mais

1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE?

1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE? Regime Extraordinário da Regularização de Atividades Económicas RERAE Perguntas Frequentes 1 Que tipo de atividades estão sujeitas ao RERAE? Podem apresentar pedido de regularização das atividades económicas

Leia mais

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006)

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) PREÂMBULO O presente regulamento define as normas relacionadas com a actividade financeira a observar

Leia mais

B. O mercado de seguros de doença

B. O mercado de seguros de doença B. O mercado de seguros de doença 1. Tipos de coberturas associadas ao risco de doença Os seguros de doença e algumas coberturas específicas de outros riscos com eles intimamente relacionados têm vindo

Leia mais

Modelo Regional de Apoios ao Desporto

Modelo Regional de Apoios ao Desporto 1 Introdução Esta proposta é um draft para o trabalho que se segue. Daí o seu conteúdo não ser nem pretender ser exaustivo nem definitivo. Poderão ser produzidas várias versões, à medida que se introduzem

Leia mais

Condições Gerais Generali Acidentes de Trabalho Trabalhadores Independentes

Condições Gerais Generali Acidentes de Trabalho Trabalhadores Independentes Condições Gerais Generali Acidentes de Trabalho Trabalhadores Independentes Generali Companhia de Seguros S.A. Sede: Rua Duque de Palmela, n.º 11 1269-270 Lisboa Tel.: 213 112 800 Fax: 213 563 067 Email:

Leia mais

FORMULÁRIO PARA EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS / FACILITIES REPORT

FORMULÁRIO PARA EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS / FACILITIES REPORT CEDÊNCIA TEMPORÁRIA DE BENS CULTURAIS MÓVEIS FORMULÁRIO PARA EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS / FACILITIES REPORT 1. IDENTIFICAÇÃO ENTIDADE REQUERENTE Nome: Morada: Localidade: Telefone: Fax: E-mail: Diretor/Responsável:

Leia mais

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos

Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Regulamento da CMVM n.º 9/2007 Comercialização Pública de Contratos Relativos ao Investimento em Bens Corpóreos Ao abrigo do disposto no n.º 5 do artigo 9.º, no n.º 2 do artigo 10.º, nos artigos 11.º e

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967.

DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. DECRETO Nº 61.867, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1967. Regulamenta os seguros obrigatórios previstos no artigo 20 do Decreto-lei nº 73, de 21 de novembro de 1966, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

FICHA COMERCIAL. Seguro. como. O seguro Auto da Tranquilidade foi pensado para vida privada assim como na sua vida profissional.

FICHA COMERCIAL. Seguro. como. O seguro Auto da Tranquilidade foi pensado para vida privada assim como na sua vida profissional. Seguro Março 2015 : 25 Junho 2015 como O seguro Auto da Tranquilidade foi pensado para vida privada assim como na sua vida profissional na sua Produto individual com : Essencial Valor: Responsabilidade

Leia mais

Prefeitura Municipal de Limeira Secretaria de Urbanismo

Prefeitura Municipal de Limeira Secretaria de Urbanismo ANEXO 6 CONDIÇÕES GERAIS DAS APÓLICES DE SEGUROS A CONCESSIONÁRIA deverá contratar e manter vigentes durante todo o prazo da CONCESSÃO as seguintes apólices de seguros: 1. Riscos Nomeados, para cobertura

Leia mais

Zurich agência de viagens

Zurich agência de viagens Zurich agência de viagens Proposta de eguro (preencher com maiúsculas) Zonas de cor a preencher pela Zurich Cliente nº. Cliente Associado Mediador Gestor de egócio Apólice nº. Linha de egócio egmento Alvo

Leia mais

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR N.º /2008-R, DE...DE...

PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR N.º /2008-R, DE...DE... PROJECTO DE NORMA REGULAMENTAR N.º /2008-R, DE...DE... SEGURO DE RESPONSABILIDADE CIVIL PROFISSIONAL DOS CONSULTORES PARA INVESTIMENTO EM VALORES MOBILIÁRIOS Com as alterações introduzidas no Código dos

Leia mais