RESUMO PARA O EXAME PSM I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMO PARA O EXAME PSM I"

Transcrição

1 RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: MSN: Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)... 3 Scrum Master (SM)... 3 Development Team... 3 Artifacts... 4 Product Backlog... 4 Sprint Backlog... 5 Sprint Burndown... 5 Release Burndown... 5 User Stories... 5 Events... 6 Visão geral dos eventos... 6 Sprint... 6 Sprint Planning Meeting... 7 Daily Scrum... 8 Sprint Review... 8 Sprint Retorspective... 8 Revisão... 9

2 Referências: 2 Referências: Todas informações detalhadas no documento foram retiradas das seguintes referências: /livros-e-referencias/scrum/ Os conteúdos que se encontram sublinhados, representam pontos importantes para a realização do exame. O Scrum É um framework para gerenciamento que segue os princípios do desenvolvimento ágil de software. Não se trata de um processo detalhado e prescritivo onde se conhece todas as variáveis, não sendo processos repetitivos e são imprevisíveis. É considerado um guia para planejamento, definição dos papéis e forma de trabalho; O Foco principal são as pessoas envolvidas e relacionamentos do que processo, e os usuários estão envolvidos durante todo o ciclo de desenvolvimento e não somente no início e fim; Mais utilizado para trabalhos complexos; Baseado em desenvolvimento iterativo e incremental, onde deve ser apenas detalhado o suficiente para iniciar a construção do software: o Iterativo: quando construímos um esboço, depois avaliamos e fazemos as alterações, ou seja, é desenvolvido e refinado constantemente; o Incremental: adiciona funcionalidades (features) ou partes a cada vez de uma maneira incremental. Processo que permite que os requisitos mudem ao longo do tempo; Visa remover ou diminuir restrições (problemas) de negócio, priorizando o que tem maior potencial de gerar valor para o negócio; Trabalha com times auto-organizaveis, onde o time de desenvolvimento planeja como fazer, qual o melhor momento para fazer, e quem vai fazer o que; Trabalha com times multifuncionais, onde cada pessoa pode atuar naquilo que é melhor, porém pode executar outros tipos de tarefas, tornando a equipe mais flexível e rápida; Possui ciclos menores de desenvolvimento permitindo o melhor gerenciamento de riscos, identificando com mais facilidade os problemas com no máximo 30 dias; Aprende-se progressivamente sobre o produto, ou seja, o conhecimento é adquirido com a experiência, onde tomamos decisões são baseadas em conhecimentos obtidos, trabalhando com três princípios básicos: adaptação, inspeção e transparência: o Adaptação: Realizar ações parar que não aconteçam desvios indesejados e desnecessários, caso seja notado algum desvio no planejamento. o Inspeção: Os usuários frequentemente devem inspecionar os artefatos e progresso do Scrum. Deve ser avaliado: Como está sendo feito e qual está sendo o resultado. Os eventos dentro do Scrum que trabalham com inspeção são: Sprint Planning Meeting; Daily Scrum; Sprint Review; Sprint Retrospective. o Transparência: Os aspectos significativos devem estar visíveis para os responsáveis pelos resultados; Realizar as estimativas de acordo com aquilo que você realmente acredita; Utilizar definições claras para todos os participantes, por exemplo, definir o que significa a palavra pronto.

3 Papéis 3 Visão de Pronto : o Significa que não há nenhum trabalho remanescente, e que é potencialmente utilizável; o Todos que veem o incremento devem ter o mesmo entendimento; Papéis Product Owner (PO) Ele representa o cliente e usuário ou qualquer parte interessara (steakeholders), comunicando a visão do produto e tendo conhecimento do negócio; É responsável pelo macro gerencia do projeto, não devendo ser o chefe do time; Deve ter conhecimento sobre Scrum e como a equipe trabalha; Assume um papel ativo tendo responsabilidades e atividades; Deve sempre estar disponível; Pode estabelecer restrições em relação ao prazo para uma liberação; É necessário apenas um Product Owner para cada Product Backlog e ele deve ser uma única pessoa, não um comitê de pessoas, porém, se outras pessoas desejam mudar o planejamento ou itens do Product Backlog, devem convencer o Product Owner; É responsável por responder para os interessados qual status do projeto; É a única pessoa responsável por gerenciar o Product Backlog, e isso inclui: o Define o que terá no Product Backlog, e em qual ordem será desenvolvido, definindo sua prioridade; o Responsável por aceitar ou reprovar, e dar feedback para as funcionalidades apresentadas; O que gostou? O que não gostou? O que espera que seja melhorado? Scrum Master (SM) Remove os impedimentos, sendo um facilitador do processo e evitando as interferências externas; Não é quem desenvolve; O Scrum Master é uma posição de gerenciamento, mas não de pessoas e sim de processos; Guardião das regras do Scrum, deve garantir que o Scrum seja entendido e aplicado para Scrum Team; Ele não é responsável por tomar decisões técnicas pela equipe quando esta não tiver tempo para fazer isto; Mentor para o Product Owner o ensina como fazer; Mediador entre o Product Owner e o Development Team; Ajuda a implantar o Scrum na empresa; Tem como objetivo, fazer com o que o Development Team trabalhe sem que ele precise agir; Development Team É quem realiza e define todas as atividades necessárias para entregar o software ao final do Sprint. É responsável por desenvolver, testar, criar e desenhar interfaces gráficas, ou seja, realiza tudo que é necessário para transformar os itens do Product Backlog em incremento de software funcionando e potencialmente utilizável, sabendo o que fazer, quando e qual a melhor forma. O time deve ser formado por generalistas não especialistas, ou seja, os membros devem ter habilidades para fazer outras tarefas e todos são responsáveis; Equipes multifuncionais (cross-fimctional). Todos são denominados como DESENVOLVEDORES;

4 Artifacts 4 O ideal para uma equipe de desenvolvimento é no máximo 9 desenvolvedores. Os papéis Product Owner e Scrum Master não são incluídos nesta conta, a menos que eles também executem trabalho no Sprint Backlog. Não tem autoridade para mudar a ordem em que os itens do Product Backlog que serão desenvolvidos; Não precisa de que o Scrum Master diga como transformar o Product Backlog em incrementos; Escalar o Scrum (Scrum of Scrum): o É utilizado quando temos que escalar o Scrum, criando assim, mais equipes Scrum; o É uma maneira de manter todos do time Scrum atualizados através da reunião chamada Reunião scrum of scrum, onde um representante de cada time de desenvolvimento participa (deve ser alguém do time de desenvolvimento). o Cada time, deve ter um Product Owner e um Scrum Master, mas cada um deles pode fazer parte de mais de um time. Artifacts Product Backlog Todos os itens que precisam ser desenvolvidos no software; Pode ser formado por: o Requisitos funcionais (user stories); o Requisitos não funcionais; o Correções; o Manuais, e outros. Cada item do Product Backlog pode ser representado por: o Estórias de usuários; o Caso de uso; o Descrições contextuais. Cada item deve ser priorizado e organizado com base em: o Valor estimado; o Dependências; o Necessidades; o Riscos, e outros. Para o Item do Product Backlog estimamos pontos de complexidade, e pode utilizar a técnica do Planning Poker para isso; Ele pode sofrer alterações ao longo do projeto; Cada item do Product Backlog deve ser escrito na linguagem do negócio e estar disponível para todas as partes interessadas; Os itens do Product Backlog que ainda não entraram em um Sprint Backlog, devem estar preparados para isto, caso isso não aconteça, o Scrum Master deve impedir que o Product Owner vá para Sprint Planning. Grooming é o termo utilizado para a preparação e refinamento do Product Backlog, e ele é realizado pelo Product Owner, porém, pode contar com o apoio de toda a equipe para realização desta tarefa. Ele pode ser realizado a qualquer momento, sempre que houver a necessidade identificada pela equipe scrum. É recomendado que o time de desenvolvimento reserve 10% do tempo para realização desta tarefa dentro do Sprint, e este tempo não deve ser contabilizado como horas de produtividade do desenvolvimento da sprint.

5 Artifacts 5 Sprint Backlog São os itens selecionados do Product backlog mais as tarefas necessárias para transformá-los em incremento e software pronto; É o artefato resultante da segunda parte da reunião de planejamento do sprint; Sprint Burndown Pode representar o gerenciamento das atividades da Sprint ou dos itens do Sprint Backlog, sendo representado por horas ou por pontos das atividades; Representa o status real da Sprint, mostrando a quantidade de trabalho restante ao longo do tempo da Sprint; O gráfico deve ter duas linhas: o Linha do Planejado ideal: soma-se todo o trabalho que foi levantado e precisa ser realizado para a Sprint, subtraindo a cada dia o valor que deve ser realizado por dia. o Linha do Restante: representa o trabalho realizado, representando quantas horas de valor agregado já foi entregue. Representa também o quanto de trabalho ainda falta para terminar. Representa a soma das estimativas das tarefas, dividido pela quantidade de dias uteis da Sprint; Release Burndown Planejamento das liberações do Software; Não significa que necessariamente ao final de cada Sprint, o software será liberado; É o Product Owner que define o plano de release, cria e mantém o plano de liberação; É uma visão do produto em relação a linha do tempo, estabelece uma data de entrega e custos prováveis. Os custos são calculados em cima de quantas Sprints farão parte da liberação; É um evento time-box porém é opcional, pode ser estimado conforme a velocidade do time e a estimativa de complexidade; Deve-se atualizar o plano de releases quando novos itens são incluídos ou modificados no Product Backlog; O gráfico Burndown da Release representa as atividades das Sprints restantes, a soma dos pontos de cada item do Product Backlog pelos Sprints definidos no Release; Para saber uma média de quantos Sprints serão necessário, some os pontos de todos os itens do Product Backlog e divida pela velocidade média do Development Team, o resultado é a quantidade de Sprints restantes para serem desenvolvidos; Velocidade do time representa quantos pontos um time consegue entregar em cada Sprint (velocidade de medida de produtividade de cada sprint). User Stories Forma de documentar requisitos e funcionalidades no Backlog do Produto; Só deve fornecer detalhes suficientes para se chegar no entendimento necessário; Não deve ser descrito os detalhes técnicos; É um lembrete das principais características de cada funcionalidade; Pode-se ter a necessidade de quebrar a estória do usuário em outras, caso seja grande de mais; Devem ser escritas na voz ativa, ex: Um candidato pode enviar um currículo.

6 Events 6 Events Utiliza o conceito de eventos time-boxed, aonde cada evento tem uma duração máxima e imutável, sendo definido um tempo limite. São eventos time-boxed: o Sprint Planning; o Sprint (podendo ser finalizado antes do tempo planejado); o Daily Scrum; o Sprint Review; o Sprint Retrospective. Cada evento no Scrum é uma forma de inspecionar e adaptar algo. Visão geral dos eventos Sprint Planning (Parte 1): O que desenvolver Sprint Planning (Parte 2): Como desenvolver Daily Scrum: Progresso / Andamento Sprint Review: Apresentar o Resultado Sprint Retrospective: Melhorar o Resultado Sprint É o coração do scrum, é o principal evento; É considerado um evento time-box onde é determinado um prazo para se realizar algo; O time-box pode ser de 2 á 4 semanas, ou seja um mês ou menos; Nela é desenvolvido todo o trabalho para transformar os itens do Backlog do Produto em funcionalidades do software; As Sprints são compostos por: o 1º. Sprint planning meeting; o 2º. Daily Scrum; o 3º. Sprint review; o 4º. Sprint retrospective. Todos os eventos fazem parte da sprint; Deve-se seguir as regras durante o sprint: o Nenhuma mudança é feita que possa afetar a meta do sprint; o As metas de qualidade não diminuem; o O escopo pode ser renegociado entre o Product Owner e o Development Team. Cancelamento do Sprint: o Sprints podem ser cancelados antes do time-box do sprint finalizar e somente o Product Owner tem autoridade para realizar esta ação; o Um Sprint pode ser cancelado se a meta dele se tornar absoleta; o Quando um sprint é cancelado, todos os itens do Product Backlog que foram concluídos são revisados, e todos os itens que não foram completados são re-estimados e colocados no Product Backlog. o Os Sprints cancelados consomem recursos e devem ser reagrupados em outros Sprint Planning Meeting para serem iniciados em outro Sprint; O Product Owner não deve realizar mudanças do itens dentro da sprint, caso isso seja necessário ele deve esperar a próxima sprint, isso poderia levar a uma baixa produtividade do time e um produto com má qualidade;

7 Events 7 O Developmento Team é o dono da Sprint Backlog, e somente eles podem adicionar ou remover tarefas deste Backlog; Qualquer membro do Developmento Team pode adicionar ou remover tarefas sempre que for necessário, a qualquer momento; Sprint Planning Meeting É uma reunião onde é planejado o próximo sprint, onde toda Scrum Team deve participar. As principais atividades realizadas são: o Revisão do backlog do produto; o Acordar a próxima sprint; o Definir o objetivo da sprint; o Definir e estimar o Sprint Backlog. Sprint Planning Meeting é um evento time-boxed e seu tempo de duração é determinado pelo tempo que o escopo do Sprint irá levar: o Para Sprints de 4 semanas, a Sprint Planning Meeting deve levar 8 horas; o Para Sprints de 3 semanas, a Sprint Planning Meeting deve levar 6 horas; o Para Sprints de 2 semanas, a Sprint Planning Meeting deve levar 4 horas. Além do tempo de duração, ela é dividida em duas etapas: o Se a Sprint Planning Meeting levar 8 horas, a reunião deverá ser dividida em duas etapas de 4 horas cada; o Se a Sprint Planning Meeting levar 6 horas, a reunião deverá ser dividida em duas etapas de 3 horas cada; o Se a Sprint Planning Meeting levar 4 horas, a reunião deverá ser dividida em duas etapas de 2 horas cada; Para 1ª etapa, é necessário determinar o que será entregue no próximo sprint; o O Product Owner deve ir preparado para a reunião com todo Product Backlog organizado e priorizado, e ele deve explicar os itens mais importantes para o Development Team; o O objetivo está no que se deve fazer, não como fazer (o que será entregue como resultado); o É realizada uma avaliação dos itens do Product Backlog, podendo também o Development Team ajudar o Product Owner a refinar ainda mais o Product Backlog, melhorando as descrições e quebrando em itens menores, ou ajudando ele a repriorizar os itens do Product Backlog; o É definido uma meta da Sprint (baseado na vivencia e esforço estimado); o O Product Owner deve explicar o suficiente para o entendimento da sprint atual, não tendo necessidade de explicar item a item do Backlog da Sprint; o Ainda que haja negociação com o Product Owner, somente o Development Team pode dizer e se comprometer com a quantidade de itens que é capaz de entregar na Sprint; o Os itens selecionados pelo Development Team do Product Backlog são chamados de (Selected Product Backlog), e é por eles que se define a meta do Sprint (Sprint Goal); o Deve ter a presença de todo Scrum Team; Para 2ª etapa, o Como o trabalho será feito para atingir as metas da sprint? o Onde é criado e dividido as tarefas do Sprint, atribuindo as horas de estimativa para cada uma delas; o A presença do Product Owner é opcional; o Identificar as tarefas que precisam ser feitas para transformar os itens do backlog em um incremento de software funcionando e potencialmente utilizavel pelos usuários;

8 Events 8 o o São discutidos todos os tipos de atividades que podem ser necessários: Análise, construção, testes, desenho de interface, criação de banco de dados, entre outras. É uma decomposição dos itens do backlog em tarefas menores; Se o Development Team identificar que haverá um excesso de trabalho depois de determinar todas as tarefas e estima-las, pode-se negociar com o Product Owner; Product Owner é o dono do Product Backlog enquanto o Team é dono do Sprint Backlog. Daily Scrum Deve ter duração máxima de 15 minutos, e é ideal para que o Development Team sincronize e inspecione as atividades; Somente o Development Team e o Scrum Master devem participar desta reunião; É uma forma de inspecionar o trabalho desde a última Daily Scrum, e deve ser realizada todos os dias no mesmo horário e no mesmo lugar; Durante a reunião, cada membro do Development Team explica de forma objetiva, transparente e rápida: o O que fez desde ontem? o O que vai fazer hoje? o Há Impedimentos? Quais são? O Development Team deve avaliar se a meta do Sprint será cumprida. Case esteja claro que isso não irá acontecer, imediatamente deve-se conversar com o Scrum Master e se necessário, envolver o Product Owner, buscando a melhor alternativa para a situação; Os membros dos times devem falar para os membros dos times, e não para o Scrum Master; Deve ser realizada com todos ao mesmo tempo; Antes de irem para reunião, os membros do time devem atualizar os status de suas atividades; O Scrum Master só entra em ação quando solicitado ou se houver a necessidade de remover algum impedimento, sendo assim, não é obrigatória a parecença delo, porém, ele deve garantir que a reunião aconteça; Sprint Review Onde é demonstrado o uma demo do software, onde o foco e o produto; Onde é analisado se é aceitável ou não o que foi desenvolvido para o Product Owner, obtendo seu feedback no final de cada Sprint; O Development Team não deve mostrar os itens que não estão prontos ou potencialmente utilizáveis; Todo o trabalho que não foi acabado na Sprint, deve voltar para o Product Backlog, e deve ser dado outra prioridade para estes itens novamente pelo Product Owner; Esta reunião pode ter a participação do Development Team (todos do time de desenvolvimento), o Product Owner, e quem mais o Product Owner convidar; O time de desenvolvimento é quem conduz a apresentação do software ao Product Owner; As sugestões de alterações ou novas features devem ser incluídas no Product Backlog para futura priorização; Também é um evento Time-Boxed de 4 horas realizado ao final da Sprint para um Sprint de 30 dias. Sprint Retorspective Onde é levantado: o O que deu certo? o O que precisamos melhorar?

9 Revisão 9 o Como implementar as ações para melhorar? Tem foco no processo e não no produto e é fundamental para se obter uma melhora na equipe; É um evento time-boxed de 3 horas para um Sprint de 30 dias; Devem estar presentes o Development Team e Scrum Master. A presença do Product Owner é opcional. O Scrum Master neste momento é fundamental para encorajar a equipe para falar sobre coisas boas e ruins que aconteceram durante a Sprint; Cada membro do time deve falar sobre o que achou que foi bem e o que deve ser melhorada, e o Scrum Master é o responsável por anotar os itens de melhoria. Quando estes itens estiverem anotados, o próprio Development Team prioriza estes itens para os mais importantes e discutem um plano para novos resultados. Revisão Quem determina se foi atribuído trabalho suficiente para o Development Team é ele mesmo; O Development Team deve entregar ao final de cada Sprint um incremento de produto 'pronto' e potencialmente utilizável para o cliente; O Scprint Burndown Chart ilustra o trabalho restante em horas durante uma Sprint; O Development Team é o responsável por atualizar a estimativa de trabalho durante o Sprint; O Scrum Master não precisa estar presente na reunião diária, mas ele deve garantir que o Development Team a faça; Para garantir que o Development Team continue trabalhando no seu maior nível de produtividade, o Scrum Master deve ser um facilitador, removendo os impedimentos; Não é importante que um incremento do produto seja lançado para produção no final de cada Sprint; Um Sprint finaliza quando o seu tempo time-boxed expira; Todas as Development Teams devem ter uma mesma definição de pronto; Uma finalização anormal do Sprint acontece quando o Product Owner determina que não faz mais sentido para termina-lo; Se for necessário rever a quantidades de itens do Sprint Backlog caso o Development Team note que não irá dar conta de finalizar todos os itens, deve ser realizada uma revisão e adaptação do trabalho selecionado e nesta reunião devem estar presentes o Product Owner e o Development Team; A melhor descrição para a Sprint Review é quando o Scrum Team e Stakeholders inspecionam o resultado da Sprint, e descobrem o que deve ser realizado no próximo; Scrum Team é composto por: Scrum Master, Product Owner e Development Team; Se o Scrum Master tiver uma lista de impedimentos grande de mais que não esteja conseguindo dar conta, ele deve consultar o Development Team, priorizar os itens da lista ou alertar a gestão sobre os impedimentos e seu impacto; No Scrum não há uma função chamada Project Management; Scrum é um processo empírico; O tamanho do Development Team pode variar de ou -3

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

Objetivos do Módulo 3

Objetivos do Módulo 3 Objetivos do Módulo 3 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Conceitos do Scrum O que é um Sprint Decifrando um Product backlog Daily Scrum, Sprint Review, Retrospectiva

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Outubro de 2011. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Outubro de 2011 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Índice O propósito do Guia do Scrum... 3 Visão geral do Scrum...

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Guia do Scrum. Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo. Julho de 2013. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Guia do Scrum Um guia definitivo para o Scrum: As regras do jogo Julho de 2013 Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Í ndice O propósito do Guia do Scrum... 3 Definição do Scrum...

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260

Workshop. Workshop SCRUM. Rildo F Santos. rildo.santos@etecnologia.com.br. Versão 1 Ago 2010 RFS. www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Workshop www.etcnologia.com.br (11) 9123-5358 (11) 9962-4260 Rildo F Santos twitter: @rildosan skype: rildo.f.santos http://rildosan.blogspot.com/ Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010

Leia mais

Manifesto Ágil - Princípios

Manifesto Ágil - Princípios Manifesto Ágil - Princípios Indivíduos e interações são mais importantes que processos e ferramentas. Software funcionando é mais importante do que documentação completa e detalhada. Colaboração com o

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr.

Processo de Desenvolvimento de Software Scrum. Prof. Antonio Almeida de Barros Jr. Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Manifesto da Agilidade Quatro princípios Indivíduos e interações mais que processos e ferramentas Software funcionando mais que documentação compreensiva Colaboração

Leia mais

Quais são as características de um projeto?

Quais são as características de um projeto? Metodologias ágeis Flávio Steffens de Castro Projetos? Quais são as características de um projeto? Temporário (início e fim) Objetivo (produto, serviço e resultado) Único Recursos limitados Planejados,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland O Guia do Scrum O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo Julho 2011 Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Traduzido para o Português por José Eduardo Deboni (eduardodeboni.com)

Leia mais

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes

Fundamentos do Scrum aplicados ao RTC Sergio Martins Fernandes Workshop Scrum & Rational Team Concert (RTC) Sergio Martins Fernandes Agilidade Slide 2 Habilidade de criar e responder a mudanças, buscando agregar valor em um ambiente de negócio turbulento O Manifesto

Leia mais

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900

Metodologia SCRUM. Moyses Santana Jacob RM 63484. Stelvio Mazza RM 63117. Tiago Pereira RM 63115. Hugo Cisneiros RM 60900 Metodologia SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484 Stelvio Mazza RM 63117 Tiago Pereira RM 63115 SCRUM? O que é isso? SCRUM é um modelo de desenvolvimento ágil de software que fornece

Leia mais

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA

TUTORIAIS. Framework SCRUM. Rafael Buck Eduardo Franceschini. MSc., PMP, CSM MBA TUTORIAIS Framework SCRUM Rafael Buck Eduardo Franceschini MSc., PMP, CSM MBA SCRUM vs. PMBOK SCRUM vs. PMBOK ESCOPO Restrições de um projeto (Tripla Restrição) TEMPO CUSTO Modelo de Contrato de projetos

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades

Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Objetivos da Aula 1 Após completar este módulo você deverá ter absorvido o seguinte conhecimento: Uma ampla visão do framework Scrum e suas peculiaridades Entendimento sobre os processos essenciais do

Leia mais

Scrum. Gestão ágil de projetos

Scrum. Gestão ágil de projetos Scrum Gestão ágil de projetos Apresentação feita por : Igor Macaúbas e Marcos Pereira Modificada por: Francisco Alecrim (22/01/2012) Metas para o o Metas para treinamento seminário Explicar o que é Scrum

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster

Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Desenvolvimento Ágil sob a Perspectiva de um ScrumMaster Danilo Sato e Dairton Bassi 21-05-07 IME-USP O que é Scrum? Processo empírico de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

Praticando o Scrum. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web

Praticando o Scrum. Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Praticando o Scrum Prof. Wylliams Barbosa Santos wylliamss@gmail.com Optativa IV Projetos de Sistemas Web Créditos de Conteúdo: Left (left@cesar.org.br) Certified Scrum Master Preparação Agrupar os membros

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM -

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - André Roberto Ortoncelli ar_ortoncelli@hotmail.com 2010 Organização da Apresentação Introdução as Metodologias Ágeis Scrum Conceitos Básicos Artefatos Papeis Cerimônias Estórias

Leia mais

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto

O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR. Em seu próprio Projeto O Guia Passo-a-Passo para IMPLANTAR Em seu próprio Projeto Aprenda como Agilizar seu Projeto! A grande parte dos profissionais que tomam a decisão de implantar o Scrum em seus projetos normalmente tem

Leia mais

GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009

GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 GUIA DO SCRUM Por Ken Schwaber, Maio de 2009 Tradução Heitor Roriz Filho Michel Goldenberg Rafael Sabbagh Revisão Anderson Marcondes Ânderson Quadros Ari do

Leia mais

MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM

MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL SCRUM CEETEPS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA PAULA SOUZA FATEC DE TAUBATÉ HABILITAÇÃO: ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TEMA MODELO DE DESENVOLVIMENTO ÁGIL:

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education

[Agile] Scrum + XP. Wagner Roberto dos Santos. Agilidade extrema. Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com. Globalcode open4education [Agile] Scrum + XP Agilidade extrema Wagner Roberto dos Santos Arquiteto Java EE / Scrum Master wrsconsulting@gmail.com 1 Apresentação Arquiteto Java EE / Scrum Master Lead Editor da Queue Arquitetura

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação

ScRUM na prática. Scrum no dia-a-dia. V Semana de Tecnologia da Informação ScRUM na prática Scrum no dia-a-dia V Semana de Tecnologia da Informação Agenda Manifesto Ágil; O Scrum; Os papéis do Scrum; Quem usa Scrum; O Scrum na Tray; Cerimônias; Artefatos. Qualidade. era uma vez

Leia mais

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum

Módulo de projetos ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Scrum Módulo de Projetos Ágeis Fevereiro 2015 Versão Módulo de Projetos Ágeis O nome vem de uma jogada ou formação do Rugby, onde 8 jogadores de cada time devem se encaixar para formar uma muralha. É muito importante

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo!

Frederico Aranha, Instrutor. Scrum 100 Lero Lero. Um curso objetivo! Scrum 100 Lero Lero Um curso objetivo! Napoleãããõ blah blah blah Whiskas Sachê Sim, sou eu! Frederico de Azevedo Aranha MBA, PMP, ITIL Expert Por que 100 Lero Lero? Porque o lero lero está documentado.

Leia mais

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks

Agradecimento. Adaptação do curso Scrum de Márcio Sete, ChallengeIT. Adaptação do curso The Zen of Scrum de Alexandre Magno, AdaptaWorks S C R U M Apresentação Tiago Domenici Griffo Arquiteto de Software na MCP, MCAD, MCSD, MCTS Web, Windows e TFS, ITIL Foundation Certified, MPS.BR P1 Experiência internacional e de offshoring Agradecimento

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br

Agilidade parte 3/3 - Scrum. Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br Agilidade parte 3/3 - Scrum Prof. Dr. Luís Fernando Fortes Garcia luis@garcia.pro.br 1 Scrum Scrum? Jogada do Rugby Formação de muralha com 8 jogadores Trabalho em EQUIPE 2 Scrum 3 Scrum Scrum Processo

Leia mais

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum

Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Análise comparativa entre a engenharia de requisitos e o método de desenvolvimento ágil: Scrum Patrícia Bastos Girardi, Sulimar Prado, Andreia Sampaio Resumo Este trabalho tem como objetivo prover uma

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE?

É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE HARDWARE? É POSSÍVEL SER ÁGIL EM PROJETOS DE Doubleday K. Francotti v 1.0 Onde foi parar os requisitos? Trabalhando 30h por dia! Manda quem pode... Caminho das pedras Hum... Acho que deu certo... Onde foi parar

Leia mais

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum

Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Estudo sobre Desenvolvimento de Software Utilizando o Framework Ágil Scrum Andre Scarmagnani 1, Fabricio C. Mota 1, Isaac da Silva 1, Matheus de C. Madalozzo 1, Regis S. Onishi 1, Luciano S. Cardoso 1

Leia mais

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software

Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Análise da aplicação da metodologia SCRUM em uma empresa de Desenvolvimento de Software Carolina Luiza Chamas Faculdade de Tecnologia da Zona Leste SP Brasil carolchamas@hotmail.com Leandro Colevati dos

Leia mais

EXIN Agile Scrum Fundamentos

EXIN Agile Scrum Fundamentos Exame Simulado EXIN Agile Scrum Fundamentos Edição Fevereiro 2015 Copyright 2015 EXIN Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser publicado, reproduzido, copiado ou armazenada

Leia mais

Gerenciamento de Equipes com Scrum

Gerenciamento de Equipes com Scrum Gerenciamento de Equipes com Scrum Curso de Verão 2009 IME/USP www.agilcoop.org.br Dairton Bassi 28/Jan/2009 O que é Scrum? Processo de controle e gerenciamento Processo iterativo de inspeção e adaptação

Leia mais

O Guia do Scrum. O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo

O Guia do Scrum. O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo O Guia do Scrum O decisivo guia Scrum: As regras do Jogo Outubro 2011 Índice Propósito do Guia Scrum... 3 Scrum visão global... 3 A Estrutura Scrum... 3 Teoria do Scrum... 4 Scrum... 5 A equipa Scrum...

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: SCRUM na prática. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: SCRUM na prática Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Construindo Product Backlog } O product backlog é o coração do Scrum. } É basicamente uma lista de requisitos, estórias,

Leia mais

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado

Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Gestão de Projetos com Métodos Ágeis - Avançado Caxias do Sul, 16 de Agosto 2013 Gustavo Casarotto Agenda O Scrum Planejamento da Sprint 1 Execução da Sprint 1 Revisão da Sprint 1 Retrospectiva da Sprint

Leia mais

Gestão de Projetos com Scrum

Gestão de Projetos com Scrum Gestão de Projetos com Scrum Curso de Verão - Jan / 2010 IME/USP - São Paulo Dairton Bassi dbassi@gmail.com Processo de gerenciamento de projetos. Processo iterativo de inspeção e adaptação. Usado para

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO

um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO um framework para desenvolver produtos complexos em ambientes complexos Rafael Sabbagh, CSM, CSP Marcos Garrido, CSPO Um pouco de história... Década de 50: a gestão de projetos é reconhecida como disciplina,

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Curso de Engenharia da Computação RAFAEL HIDEMASA FURUKAWA

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Curso de Engenharia da Computação RAFAEL HIDEMASA FURUKAWA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Curso de Engenharia da Computação RAFAEL HIDEMASA FURUKAWA ESTUDO DE APLICAÇÃO DE PRÁTICAS DO PMBOK EM PROJETOS DE SOFTWARE BASEADOS EM SCRUM Itatiba 2012 UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO

Leia mais

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum

Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Scrum-Half: Uma Ferramenta Web de Apoio ao Scrum Diego R. Marins 1,2, José A. Rodrigues Nt. 1, Geraldo B. Xexéo 2, Jano M. de Sousa 1 1 Programa de Engenharia de Sistemas e Computação - COPPE/UFRJ 2 Departamento

Leia mais

Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho

Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho Caso Prático: Java como ferramenta de suporte a um ambiente realmente colaborativo no método Scrum de trabalho UOL Produtos Rádio UOL Julho 2008 André Piza Certified Scrum Master Agenda Scrum como método

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados

Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados Disciplina: Engenharia de Software Tópico: Metodologias Ágeis Prof. Rodolfo Miranda de Barros rodolfo@uel.br O que é agilidade? Agilidade: Rapidez,

Leia mais

Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil

Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil Quando a análise de Pontos de Função se torna um método ágil Carlos Oest carlosoest@petrobras.com.br Time Box: 60 minutos Backlog da apresentação: Apresentação do assunto 1 SCRUM 2 Estimativa com Pontos

Leia mais

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse

Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse SOFTWARE PARA GERENCIAMENTO DE AUTO PEÇAS Renan Malavazi Mauro Valek Jr Renato Malavazi Metodologia Scrum e TDD Com Java + Flex + Svn Ambiente Eclipse Sistema de Gerenciamento de AutoPeças A aplicação

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

Método Aldeia de Projetos

Método Aldeia de Projetos MAP Método Aldeia de Projetos Como surgiu o MAP? Em mais de 15 anos de atuação experimentamos distintas linhas de pensamento para inspirar nosso processo e diversas metodologias para organizar nossa forma

Leia mais

SCRUM Experience. SCRUM Experience = Tutorial SCRUM. Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br

SCRUM Experience. SCRUM Experience = Tutorial SCRUM. Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br SCRUM Experience Rildo F Santos rildosan@uol.com.br rildo.santos@companyweb.com.br Twitter: http://twitter.com/rildosan Blog: http://rildosan.blogspot.com/ versão: 16 Rildo F. Santos, CSM, CSPO Tem mais

Leia mais

www.plathanus.com.br

www.plathanus.com.br www.plathanus.com.br A Plathanus Somos uma empresa com sede na Pedra Branca Palhoça/SC, especializada em consultoria e assessoria na criação e desenvolvimento de estruturas e ambientes especializados com

Leia mais

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com.

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com. ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS (CASE STUDY: SCRUM AND PMBOK - STATES IN PROJECT MANAGEMENT) Aline Maria Sabião Brake 1, Fabrício Moreira 2, Marcelo Divaldo Brake 3, João

Leia mais

Curso Certified ScrumMaster (CSM)

Curso Certified ScrumMaster (CSM) e Curso Certified ScrumMaster (CSM) 1. Perfil do Instrutor MICHEL GOLDENBERG (CSM, CSPO, CSP, CST) Michel Goldenberg é co-fundador do Grupo de usuário Scrum de Montreal, um dos maiores grupos de usuários

Leia mais

Aplicando Scrum no. Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza

Aplicando Scrum no. Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Aplicando Scrum no Vítor E. Silva Souza (vitor.souza@ufes.br) http://www.inf.ufes.br/~vitorsouza Departamento de Informática Centro Tecnológico Universidade Federal do Espírito Santo Licença para uso e

Leia mais

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS

INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS WESLLEYMOURA@GMAIL.COM INTRODUÇÃO AOS MÉTODOS ÁGEIS ANÁLISE DE SISTEMAS Introdução aos métodos ágeis Metodologias tradicionais Estes tipos de metodologias dominaram a forma de desenvolvimento de software

Leia mais

SCRUM. Ricardo Coelho

SCRUM. Ricardo Coelho SCRUM Ricardo Coelho AGILE 2 Scrum Scrum- ban ( ) Kanban AGILE ( ) Extreme Programming Lean 3 Scrum Scrum- ban ( ) Kanban AGILE ( ) Extreme Programming Lean ADAPTIVE vs. PREDICTIVE 4 Scrum Scrum- ban (

Leia mais

SCRUM com Equipes Inexperientes

SCRUM com Equipes Inexperientes SCRUM com Equipes Inexperientes Cicero Tadeu Pereira Lima França 1, Antonio de Barros Serra 2, Robério Gomes Patricio 3, Isydório Alves Donato 4 Resumo A constante busca dos projetos de TI por um produto

Leia mais

Dinâmica em Grupo com o Framework SCRUM

Dinâmica em Grupo com o Framework SCRUM Dinâmica em Grupo com o Framework SCRUM Contextualização: O grupo foi convidado a desenvolver um projeto de um Sistema de informação, que envolve a área de negócio: compras (cadastros de fornecedores,

Leia mais

Versão 7 TraceGP Ágil

Versão 7 TraceGP Ágil Versão 7 Cadastro de Produtos Será possível cadastrar todos os produtos da empresa bem como descrever suas características particulares através da seleção de atributos dinâmicos para cada produto. Manutenção

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Metodologia de Trabalho

Metodologia de Trabalho FUNDAMENTOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Projeto Prático de Desenvolvimento de Software Metodologia de Trabalho Teresa Maciel UFRPE/DEINFO FASES DO PROJETO PLANEJAMENTO DESENVOLVIMENTO CONCLUSÃO ATIVIDADES

Leia mais

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes

Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson Costa Marcelo Guedes Instituto Federal do Rio Grande do Norte IFRN Graduação Tecnologia em Analise e Desenvolvimento de Sistema Disciplina: Processo de Desenvolvimento de Software Scrum Alexandre Lima Guilherme Melo Joeldson

Leia mais

Workshop Scrum Agenda

Workshop Scrum Agenda Scrum na sua empresa A verdade sobre projetos Scrum Visão Geral Escalando Scrum Sprints O papel de Time Workshop Scrum Agenda O papel de ScrumMaster Visibilidade O papel de Product Owner Release Planning

Leia mais

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

Fevereiro 2010. Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Fevereiro 2010 Scrum: Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Agradecimentos Geral Scrum é baseado nas melhores práticas aceitas pelo mercado, utilizadas e provadas por décadas. Ele é

Leia mais

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br

SCRUM. Otimizando projetos. Adilson Taub Júnior tecproit.com.br SCRUM Otimizando projetos Adilson Taub Júnior tecproit.com.br Sobre mim Adilson Taub Júnior Gerente de Processos Certified ScrumMaster; ITIL Certified; Cobit Certified; 8+ anos experiência com TI Especialista

Leia mais

Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum

Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum Pequenas Equipes, Grandes Projetos Desenvolvimento de Jogos Digitais utilizando Scrum João Paulo Domingos Silva PUC Minas X Semana de Entretenimento, Jogos e Animação PUC Minas, 2013 Prazer em conhecer!

Leia mais

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda. [Highsmith, 2001]

Ou seja, mesmo havendo valor nos itens à direita, valorizamos mais os itens à esquerda. [Highsmith, 2001] 14 2 Métodos Ágeis 2.1. Manifesto Ágil Em fevereiro de 2001, dezessete representantes de diversas práticas e metodologias de desenvolvimento se reuniram em uma estação de esqui, em Utah nos EUA para discutir

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA UNISERPRO modalidade à distância

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA UNISERPRO modalidade à distância UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA UNISERPRO modalidade à distância EDVANESSA FLORÊNCIO E SILVA ESTUDO DE CASO: A MUDANÇA ORGANIZACIONAL

Leia mais

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G.

UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. UMA ABORDAGEM PARA VIABILIZAR A ADERÊNCIA DA METODOLOGIA SCRUM AO MODELO MPS.BR NÍVEL G. Magda A. Silvério Miyashiro 1, Maurício G. V. Ferreira 2, Bruna S. P. Martins 3, Fabio Nascimento 4, Rodrigo Dias

Leia mais

Utilizando Scrum em projetos off-shore

Utilizando Scrum em projetos off-shore Utilizando Scrum em projetos off-shore Jônathas Diógenes Castelo Branco 1,2, Ciro Carneiro Coelho 2, Carlo Giovano S. Pires 1,2 1 Secrel International, Rua Chico Lemos, 946, 60822-780 - Fortaleza CE, Brasil

Leia mais

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos. Apresentação Executiva Treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos Apresentação Executiva 1 O treinamento Scrum Master Gerenciamento Ágil de Projetos tem como premissa preparar profissionais para darem início às

Leia mais

Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4.

Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4. 1 de 8 20/04/2012 13:45 www.devmedia.com.br [versão para impressão] Artigo Engenharia de Software 4 - Por que SCRUM? Artigo da Revista Engenharia de Software edição 4. Esse artigo faz parte da revista

Leia mais

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley

SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade. Fernando Wanderley SCRUM Discussão e reflexão sobre Agilidade Fernando Wanderley Apresentação Líder Técnico em Projetos Java (~ 9 anos) (CESAR, Imagem, CSI, Qualiti Software Process) Consultor de Processos de Desenvolvimento

Leia mais

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES

UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES UTILIZAÇÃO DAS METODOLOGIAS ÁGEIS XP E SCRUM PARA O DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DE APLICAÇÕES Marcelo Augusto Lima Painka¹, Késsia Rita da Costa Marchi¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil

Leia mais

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis

Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Expresso Livre Módulo de Projetos Ágeis Desenvolvedor / Orientador Rafael Raymundo da Silva Guilherme Lacerda Out / 2010 1 Sumário 1.Conhecendo a ferramenta...3 2.Gerência de projetos ágeis...3 2.1Product

Leia mais

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software Metodologias Ágeis para Desenvolvimento de Software ADRIANA TAVARES FIGUEIREDO Graduaçao em Licenciatura para Computação UNILASALLE RJ / 2006 Pós Graduada em Design Estratégico e MKT Management ESPM RJ

Leia mais