ABC DO INVESTIDOR. Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ABC DO INVESTIDOR. Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos."

Transcrição

1 ABC DO INVESTIDOR Ação Título negociável, que representa a parcela do capital de uma companhia. Ação Cheia (com) Título em que os direitos (dividendos, bonificação e subscrição) ainda não foram exercidos. Ação com valor nominal Que possui valor impresso, definido no estatuto da companhia que a emitiu. Ação escritural É uma ação nominativa sem emissão de certificados, mantida em conta de depósito do titular. Ação nominativa Que identifica o nome do proprietário, registrado no Livro de Registros de Ações Nominativas da companhia. Ação ordinária Título que oferece participação do investidor nos resultados econômicos de uma sociedade anônima, bem como o direito do voto em assembleia. Ação preferencial Dá prioridade ao titular no recebimento de dividendos e/ou no reembolso de capital, no caso de dissolução da empresa. Ao contrário da ação ordinária, não dá direito ao voto em assembleia. Ação sem valor nominal Não é utilizada para convencionar valor de emissão. Baseia-se no preço do mercado. Ação vazia (ex) Denominação para identificar que os direitos do título (dividendo, bonificação e subscrição) já foram exercidos. Ação-objeto É o valor mobiliário ao qual uma opção se refere. Acionista majoritário Investidor que tem determinada quantidade de ações com direito a voto, o que lhe dá o direito de manter o controle acionário da empresa.

2 Acionista minoritário Aquele que possui uma quantidade pouco expressiva de ações com direito a voto em relação ao controle acionário da sociedade anônima. Ágio Diferença para mais do que sobra entre o valor pago e o valor nominal de um título. Alavancagem Instrumento para tentar manter o controle de um lote de ações, utilizando parte do valor destes títulos (no mercado de opções, a termo e futuro). Assim, o aplicador tira proveito da valorização dos papéis, o que implica na elevação da taxa de retorno. Aplicação Emprego de recursos para comprar ações ou valores mobiliários com o objetivo de obter maiores rendimentos. Arbitragem Operação em que o investidor faz negociações simultâneas no mesmo mercado ou em outros, caracterizando um lucro sem risco. A arbitragem também possibilita a liquidação física e financeira de operações em bolsas diferentes pelo mesmo investidor. No mercado à vista, ele poderá comprar a mesma quantidade de ações em uma bolsa e vender em outra se houver convênio entre elas. Assembleia Geral Extraordinária (AGE) Reunião de acionistas, realizada conforme especificado na lei e estatuto da companhia. A convocação não é obrigatória. Assembleia Geral Ordinária (AGO) É convocada obrigatoriamente pela diretoria da sociedade com o objetivo de verificar resultados, discutir e votar relatórios, além eleger o conselho fiscal da diretoria. A Assembleia deve ser realizada até quatro meses depois do encerramento do exercício social. Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) Representante das instituições que atuam no mercado, atua como agente regulador privado, em conjunto com a atividade das instituições públicas, e ainda promove pesquisas e estatísticas sobre o setor. Foi constituída em 2009, após integração da Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima) e Associação Nacional dos Bancos de Investimentos (Anbid). Ativo Título que representa parte do patrimônio ou dívida.

3 Aumento de capital Referente às reservas e/ou novos recursos incorporados ao capital de uma companhia através de bonificação, aumento do valor nominal das ações, direito de subscrição pelos acionistas ou pela incorporação de outras empresas. Aumento de valor nominal Modifica o valor nominal de uma ação decorrente do aumento de reservas ao capital da empresa sem haver emissão de novos papéis. Aviso de Negociação de Ações (ANA) Trata-se do comprovante de operação enviado pela bolsa de valores ao investidor. Balanço Documento demonstrativo dos valores do ativo, passivo e patrimônio líquido de uma companhia com base em um exercício social. Banco Central do Brasil Órgão executivo do Sistema Financeiro Nacional, responsável pela política monetária do governo e reservas internacionais. Benefícios Relação de dividendos, bonificações e direitos de subscrição distribuídos pelas companhias aos acionistas. Block-trade Leilão de um grande lote de ações no mercado. Bloqueio de posição Operação através da qual o investidor impede o exercício da posição com a compra de uma opção da mesma série da anteriormente lançada por ele no mesmo pregão. Blue chip Ações de empresas consolidadas, de grande porte, liquidez e procura no mercado acionário. Bolsa de valores Associação civil sem fins lucrativos com o objetivo de garantir as transações de compra e venda de títulos e valores mobiliários, através do sistema de negociação eletrônico, e ainda divulgar as operações exercidas.

4 Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) Composição da Bovespa Holding S.A. e da BM&F S.A.. A empresa é listada no Novo Mercado, com registro de companhia aberta na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Desenvolve modelo integrado de negócios, com ações, derivativos, ativos e câmbio. As negociações são feitas via pregão eletrônico e internet. Bolsa em alta Elevação do índice de fechamento de um pregão em relação ao fechamento anterior. Bolsa em baixa O índice de fechamento do pregão é inferior ao índice do fechamento anterior. Bolsa estável O índice de fechamento de um pregão para o outro permanece no mesmo nível. Bonificação A bonificação em ações, também chamada de filhote, refere-se aos títulos emitidos por uma empresa por conta do aumento de capital, através da incorporação de reservas ou recursos, distribuídos aos acionistas de acordo com a quantidade de ações que cada um possui. Também pode ser feita a bonificação em dinheiro, na qual os acionistas recebem, além dos dividendos, um valor em dinheiro referente às novas reservas. Bônus de subscrição Trata-se de um título negociável. Dá direito à subscrição de novas ações emitidas pela empresa, dentro do limite de aumento de capital autorizado no estatuto. Brazilian Depositary Receipt (BDR) Certificados de depósitos de ações, que podem ser patrocinados, equivalendo-se a ações de empresas sediadas em outro país e negociados no pregão brasileiro. A própria companhia traz os papéis para serem negociados com o objetivo de captar recursos. Já o BDR não-patrocinado é emitido por um banco, sem envolvimento da companhia estrangeira. Caixa de registro e liquidação Empresa que efetua a liquidação e compensação das negociações nos mercados à vista, a termo e de opções. Câmbio Operação de compra ou venda de moeda estrangeira. Capital Soma dos recursos, bens e valores que mantêm uma empresa ed capital aberto, que tem suas ações registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e distribuídas a um grupo de acionistas. Os papéis podem ser negociados na bolsa de valores ou mercado de balcão. Já a empresa de capital fechado possui propriedade restrita e as ações não podem ser negociadas.

5 Capitalização Ampliação do patrimônio de uma companhia através da emissão de ações, pela reinversão de resultados ou captação de recursos. Carteira de ações Conjunto de ações de empresas diferentes. Carteira de títulos Conjunto de títulos de rendas fixa e variável. Casamento de opções (straddle) Quando um mesmo aplicador compra ou vende número igual de opções de compra (call) e de venda (put) de ações sobre a mesma ação-objeto e com preço idêntico ao preço de exercício e data de vencimento igual. Certificado de Depósito Bancário (CDB) Título emitido pelos bancos de investimento e comerciais, representativo de depósito a prazo. Clearing Identifica instituições prestadoras de serviços de compensação e liquidação de operações efetuadas em bolsas de valores ou demais mercados. Elas são responsáveis pelo cálculo das obrigações dos envolvidos no mercado para a liquidação das operações. Clube de investimentos Grupo formado por pessoas físicas que aplicam recursos em uma carteira de ações, administrada por uma instituição financeira. Colocação direta Aumento de capital diretamente da empresa através da subscrição de ações, pelos atuais acionistas. Colocação indireta Aumento de capital via subscrição, em que as ações são adquiridas por uma instituição financeira ou por um grupo composto em consórcio. Combinação de opções Compra ou venda de duas ou mais séries de opções sobre a mesma ação-objeto. Os preços de exercício e as datas de vencimento devem ser diferentes. Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Órgão federal que regula e fiscaliza o mercado de valores mobiliários.

6 Comitente Pessoa que determina que outra compre, venda ou pratique algum ato, mediante remuneração identificada como comissão. Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia (CBLC) Sociedade anônima com capital fechado, que presta serviços de compensação, liquidação e controle de risco das operações, além de prestar o Serviço de Custódia Fungível de ativos e administrar o Banco de Títulos CBLC BTC. É supervisionada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Compra em margem O investidor adquire financiamento com uma sociedade corretora e compra ações à vista com estes recursos. É uma operação da conta margem. Conselho Monetário Nacional (CMN) Órgão integrante do Sistema Financeiro Nacional responsável pela formulação da política da moeda e do crédito. Também regulamenta e controla as atividades financeiras no País. Conta margem Opção de negociação de ações em que o aplicador pode obter financiamento na corretora para a compra de títulos ou empréstimo de papéis para venda. As operações são feitas apenas no mercado à vista na bolsa de valores. O investidor e a corretora definem de que forma será efetuado o custo de liquidação do financiamento, remuneração do empréstimo dos títulos e a devolução dos mesmos. Conversão Alteração das características de um título. No caso de uma ação, por exemplo, pode mudar de nominativa para escritural, espécie ordinária ou preferencial, conforme a deliberação em assembleia geral extraordinária ou no estatuto social. Corretagem Taxa de remuneração do intermediário financeiro na compra ou venda de títulos. Corretora Instituição que participa do sistema de intermediação de venda de ações e outros títulos no mercado primário ao público. Cotação Preço registrado na negociação com títulos em bolsa de valores. Crack Declínio acentuado para níveis baixos das cotações de ações.

7 Custódia fungível e infungível O primeiro é um serviço no qual os valores mobiliários retirados não precisam ser os mesmos depositados, ainda que da mesma espécie e quantidade. Na custódia infungível, os valores mobiliários depositados são mantidos discriminadamente. Data de exercício e vencimento da opção Data registrada em pregão para efetuar a operação de compra ou venda da ação-objeto. No vencimento, o direito da opção é extinto. Day-trade Operações de compra e venda dos mesmos títulos, ao mesmo comitente, por uma mesma corretora, realizadas no mesmo dia. Debênture Título emitido por uma sociedade anônima para captar recursos para o investimento ou financiamento de capital de giro. Derivativos Valores mobiliários com valores e características de negociação atrelados aos ativos de referência. Deságio Diferença a menos entre o valor pago e o valor nominal de um título. Disclosure Divulgação de informações por parte de uma empresa, que possibilita uma decisão consciente e mais segura por parte do investidor. Dividendo Valor distribuído aos acionistas, em dinheiro, de acordo com a quantidade de ações que cada um já possui. Costuma ser o resultado dos lucros obtidos pela companhia no exercício atual ou passado. O dividendo pode ser cumulativo, sendo transferido para outro exercício social. No dividendo pro rata, é distribuído às ações emitidas no exercício social proporcionalmente ao tempo corrido até o encerramento dele. Emissão Quando é colocado dinheiro ou títulos em circulação. Especulação Negociação no mercado com a expectativa de obter ganho

8 Ex-direitos Ação cujos direitos concedidos pela empresa foram exercidos. Fechamento de posição Operação em que o lançador compra, no pregão, outra opção da mesma série da qual por ele antes lançada. Ou ainda operação na qual o titular encerra a posição ou parte dela na venda das opções adquiridas. Fundo de pensão Recursos adquiridos a partir da contribuição de funcionários e da própria empresa e administrados por uma entidade a ela vinculada. A aplicação é feita em carteira diversificada de ações, títulos mobiliários e imóveis. Fundo imobiliário Fundo no qual o patrimônio é destinado a aplicações em empreendimentos do setor. As quotas não podem ser resgatadas, são registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e podem ser negociadas na bolsa de valores ou mercado de balcão. Fundo mútuo de ações Recursos administrados por uma distribuidora de valores, corretora, banco de investimento ou banco múltiplo com carteira de investimento. São aplicados em uma carteira diversificada de ações, com distribuição de resultados aos cotistas. Há ainda o fundo mútuo de ações com carteira livre, na qual os recursos são destinados à aplicação em carteira diversificada de títulos e valores mobiliários. Pelo menos 51% do patrimônio devem ser aplicados em ações de emissão das companhias abertas, opções de ações, índices de ações e opções sobre índices de ações. Fundo mútuo de investimentos em empresas emergentes Reúne recursos destinados à aplicação em carteira diversificada de valores mobiliários de emissão de empresas emergentes. Holding Empresa que tem como atividade principal a participação acionária de uma ou mais companhias. Home broker Canal entre investidores e as corretoras que agiliza a negociação no mercado acionário. Através dele, são enviadas ordens de compra e venda de ações pela internet, acesso às cotações e acompanhamento do desempenho da carteira de ações. Índice Bovespa (Ibovespa) Um dos índices mais importantes da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), medindo a lucratividade de uma carteira teórica de ações.

9 Índice de Preço/Lucro (P/L) Quociente da divisão do preço da ação no mercado pelo lucro líquido anual dela. É o número de anos que se leva para reaver o capital aplicado ao comprar a ação pelo recebimento do lucro gerado pela companhia. IPO Iniciais em inglês de Oferta Pública de Ações (Initial Public Offering). Primeiro lançamento de ações ao público feito por uma companhia. Lançador Investidor no mercado de opções que vende a opção de compra ou venda. Ele assume ao titular a obrigação de exercer a compra ou venda do lote de ações-objeto na data de exercício. Lançamento de opções Operação de venda que origina uma negociação de opção de compra ou venda no mercado de opções. Leilão especial Negociação no pregão previamente determinada para ser realizada. Letra de câmbio Título que pode ser utilizado pelo investidor para o financiamento de crédito. Liquidez Facilidade, maior ou menor, de negociar determinado ativo e converte-lo em dinheiro. Lote Quantidade de títulos que possuem as mesmas características. No lote fracionário, o número de ações é inferior ao lote-padrão, que reúne títulos iguais com quantidade determinada pela bolsa de valores. Lucratividade É o ganho líquido gerado por um título a partir da valorização no pregão e pelo recebimento de benefícios (dividendos, bonificação ou direitos de subscrição) distribuídos pela empresa. Mega Bolsa Sistema de negociação que possibilita que as corretoras enviem ordens de compra ou venda de escritórios distribuídos pelo Brasil à BM&FBovespa. São reproduzidos os registros de ofertas introduzidas pelos participantes e dispostas em ordem cronológica, com prioridade à que oferece melhor preço. Mercado a termo Onde são feitas operações de liquidação de títulos a um tempo determinado, geralmente após 30, 60 ou 90 dias da data da realização do negócio.

10 Mercado de ações Compreende a colocação primária de ações novas emitidas pelas empresas e colocação secundária bolsas de valores e mercado de balcão das ações que já estão em circulação. Mercado de balcão Ambiente de negociação de títulos sem lugar físico especificado. As transações costumam ser via telefone entre instituições financeiras, que negociam papéis de empresas não registradas em bolsas. No mercado de balcão organizado, o sistema de negociação de títulos e valores mobiliários de renda variável é administrado por uma instituição autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Mercado de capitais Refere-se às operações nas quais se transferem recursos financeiros entre os principais participantes deste mercado, agentes poupadores e aplicadores, através dos intermediários financeiros. Mercado de opções Compreende a compra ou venda de um lote de valores mobiliários com data de exercício e pagamento previamente definidos. Para ter o direito de comprar ou vender uma ação-objeto, o titular deve pagar por um prêmio, e pode exercer a posição até a data de vencimento ou revende-la no mercado. Mercado financeiro Transferência de recursos entre agentes econômicos. As transações de títulos costumam ser destinadas ao financiamento de capital de giro e fixo. Mercado futuro Nele são registradas operações de lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros para serem liquidados em data específica. Mercados primário e secundário O primário reúne novas emissões de empresas que pretendem financiar projetos de expansão. No secundário é feita a negociação de títulos adquiridos no mercado primário. Negociação comum Ocorre no pregão entre representantes de corretoras diferentes a um valor ajustado entre eles. Negociação indireta É feita sob normas especiais pelo representante de uma corretora para diversos comitentes. Neste caso, os investidores participantes devem especificar que estejam atuando como comprador e vendedor ao mesmo tempo. Oferta de direitos Quando a empresa possibilita que os acionistas adquiram ações por um preço determinado, mas que pode ser abaixo do preço corrente do mercado.

11 Oferta pública Pode ser de compra, em que há intenção de comprar um lote de ações a um valor determinado, ou de venda, na qual é feita proposta ao público referente ao um número de ações da companhia. Opção Sob prazo e condições determinados, é um contrato que estabelece direitos de obrigações sobre títulos negociados. Opção de compra e venda Na primeira, o titular adquire o direito de comprar um lote-padrão de uma ação. Na venda, o titular pode vender ao lançador um lote-padrão, também a um preço e data determinados. Ordem É a instrução dada pelo cliente à corretora para compra ou venda de valores mobiliários. Ordem a mercado Quando são determinadas apenas quantidade e características do título ou valor mobiliário a ser adquirido. Ordem administrada Especificadas quantidade e características do valor mobiliário, ou direito que se pretende comprar ou vender, a execução fica a critério da corretora. Ordem casada Compreende ordem de compra e venda de um título. Só é efetivada se as duas ordens puderem ser exercidas. Ordem de financiamento Envolve ordem de compra, ou venda, de um valor mobiliário em um mercado e ordem de venda, ou compra, do mesmo valor mobiliário em mercado igual ou não, com prazos diferentes. Ordem discricionária Após a execução da ordem de um ou mais clientes, a pessoa física ou jurídica que administra a carteira de títulos ou valores mobiliários indica o nome dos investidores, quantidade de ativos para cada um e o preço, referentes à operação. Ordem limitada Só pode ser executada a um preço igual ou melhor do que o estabelecido pelo cliente. Ordem on-stop Nela o investidor determina o preço mínimo e executada quando o preço for igual ou maior no caso de compra ou igual ou menor no caso de venda.

12 Prazo de subscrição Tempo determinado pela companhia para que o acionista exerça o direito de preferência na subscrição das ações por ela emitidas. Preço de exercício da opção Valor de cada ação a ser pago pelo titular com direito de comprar ou vender a totalidade das ações-objeto da opção. Pregão Sessão diária onde são feitos negócios com papéis registrados na bolsa de valores. No pregão eletrônico, a negociação é feita pelo sistema de terminais ao qual estão integradas operadores e corretoras credenciadas no mercado a vista, a termo e de opções. Os papéis e horários são definidos pela BM&FBovespa. Prêmio Preço de garantia pago no mercado de opções por ação-objeto que se pretende comprar ou vender. Quota Parte do fundo ou clube de investimentos em que o valor representa a divisão do patrimônio líquido pelo número existente de quotas. Registro em bolsa Condição que permite que as ações de uma companhia possam ser cotadas na bolsa de valores, atendendo às especificações do mercado. Série de opções Compreende opções do mesmo tipo, ação-objeto, mês de vencimento e preço de exercício. Sociedade anônima Empresa com capital composto por ações. A participação dos acionistas é proporcional ao valor de emissão das ações subscritas e adquiridas. Split Aumento da quantidade de ações do capital de uma empresa pelo desdobramento e redução do valor nominal. Subscrição Lançamento de novas ações por uma companhia com o objetivo de obter recursos para novos investimentos. Titular de opção Investidor que compra uma opção e adquire os direitos de comprar, vender ou negociá-la.

13 Underwriters Instituição financeira que faz o lançamento de ações no mercado primário. Underwritting Lançamento de ações através de subscrição pública por meio de um intermediário financeiro, responsável pela colocação da empresa no mercado. Valor de exercício da opção Preço de exercício de cada ação, multiplicado pela quantidade de ações do lote-padrão de uma opção. Valor intrínseco da opção Diferença a mais entre o preço à vista da ação-objeto e o de exercício da opção, no caso da opção de compra, e diferença entre o preço de exercício e o à vista no caso de opção de venda. Volatilidade Grau médio de variação das cotações do título em determinado período. Warrant Confere ao detentor da opção de comprar o ativo ao qual o título faz referência. É uma opção não-padronizada, emitida por instituições que possuem posições expressivas de valores mobiliários. Yeld O mesmo que taxa interna de retorno. Refere-se à taxa de retorno anual do investimento de capital. Yuan Moeda oficial da China. Zerar Liquidar uma posição em títulos ou obrigação de pagar.

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação ao portador Desde 1990 este tipo de ação não existe mais. Esse tipo de ação não trazia o

Leia mais

REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS

REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS MERCOSUL/CMC/DEC. N 8/93 REGULAÇÃO MÍNIMA DO MERCADO DE CAPITAIS TENDO EM VISTA: o Art. 1 do Tratado de Assunção, a Decisão N 4/91 do Conselho do Mercado Comum e a Recomendação N 7/93 do Subgrupo de Trabalho

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI

Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Renda Fixa Cédula de Crédito Imobiliário - CCI Títulos Imobiliários Cédula de Crédito Imobiliário Instrumento que facilita a negociabilidade e a portabilidade do crédito imobiliário

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS INTRODUÇÃO

MERCADO DE CAPITAIS INTRODUÇÃO MERCADO DE CAPITAIS INTRODUÇÃO ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS NO SISTEMA

Leia mais

Unidade IV. Mercado Financeiro e de Capitais. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade IV. Mercado Financeiro e de Capitais. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade IV Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros - Resumo encontro anterior Sistema Financeiro Nacional Órgãos, entidades e operadoras Estrutura do Sistema

Leia mais

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas.

Holding (empresa) - aquela que possui, como atividade principal, participação acionária em uma ou mais empresas. Glossário de A a Z A Ação - título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação listada em Bolsa - ação negociada no pregão de uma Bolsa de Valores.

Leia mais

Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati

Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati Conhecimentos bancários Profº Rodrigo Ocampo Barbati 1) O Conselho Monetário Nacional (CMN), que foi instituído pela Lei 4.595, de 31 de dezembro de 1964, é o órgão responsável por expedir diretrizes gerais

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture

Renda Fixa Debêntures. Renda Fixa. Debênture Renda Fixa Debênture O produto A debênture é um investimento em renda fixa. Trata-se de um título de dívida que gera um direito de crédito ao investidor. Ou seja, o mesmo terá direito a receber uma remuneração

Leia mais

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da RESOLUCAO 3.506 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do

Leia mais

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima.

Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação Título negociável, que representa a menor parcela em que se divide o capital de uma sociedade anônima. Ação cheia (com) Ação cujos direitos - dividendos, bonificação, subscrição - ainda não foram

Leia mais

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos

CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES 1. Aspectos gerais 1.1 Apresentação de documentos PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES

Leia mais

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações Renda Variável O produto O, também conhecido como Exchange Traded Fund (ETF), é um fundo de índice, considerado investimento em renda variável. O produto representa uma comunhão de recursos destinados

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO A OLIVEIRA FRANCO SOCIEDADE CORRETORA DE VALORES E CÂMBIO LTDA, em atenção ao quanto disposto na Instrução CVM n. 505, de 27/09/2011, define por este documento, suas regras e parâmetros relativos ao recebimento,

Leia mais

Clube de Investimento - Investidores PE -

Clube de Investimento - Investidores PE - O que são clubes de investimento São instrumentos de participação de pequenos e médios investidores no mercado de ações. Pode ser administrado por uma sociedade corretora, distribuidora, banco de investimentos

Leia mais

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Mês/Ano: 31 de março de 2016 Nome do Fundo: Alfa I - Fundo Mútuo de CNPJ: 03.919.892/0001-17 Administrador: Banco Alfa de Investimento S.A. CNPJ:

Leia mais

Letra Financeira - LF

Letra Financeira - LF Renda Fixa Letra Financeira - LF Letra Financeira O produto A Letra Financeira (LF) é um título de renda fixa emitido por instituições financeiras com a finalidade de captar recursos de longo prazo. Tem

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CAPITAIS Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br MERCADO DE CAPITAIS É um sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o propósito

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO Esta Sociedade Corretora, em atenção ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03 da CVM e demais normas expedidas pela BM&F BOVESPA, define através deste documento, suas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO ESTE FOLHETO FAZ REFERÊNCIA AO PREGÃO À VIVA VOZ, FORMA DE NEGOCIAÇÃO UTILIZADA ATÉ 30/9/2005. A PARTIR DESSA DATA, TODAS AS OPERAÇÕES FORAM CENTRALIZADAS

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA «21. O sistema de intermediação financeira é formado por agentes tomadores e doadores de capital. As transferências de recursos entre esses agentes são

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec

e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec e$tratégia acionária p a r a v e n c e r n a bolsa de valores Rivadavila S. Malheiros Novatec capítulo 1 Mercado de ações na bovespa 1.1 Mercado de ações Tudo começa com uma grande idéia que se transforma

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA CM CAPITAL MARKETS CORRETORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA CM CAPITAL MARKETS CORRETORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA CM CAPITAL MARKETS CORRETORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA A CM Capital Markets Corretora de Títulos e Valores Mobiliários LTDA, em atenção ao disposto no art.

Leia mais

NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA ATUAÇÃO EM BOLSAS DA CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO CORRETORA DE VALORES S.A.

NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA ATUAÇÃO EM BOLSAS DA CREDIT SUISSE HEDGING-GRIFFO CORRETORA DE VALORES S.A. As normas de procedimento descritas a partir desta página, são para conhecimento do cliente, não sendo obrigatório o envio para a Credit Suisse Hedging-Griffo. NORMAS DE PROCEDIMENTO PARA ATUAÇÃO EM BOLSAS

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON"

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO NOVO LEBLON ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO "NOVO LEBLON" I - Denominação e Objetivo ARTIGO 1º - O Clube de Investimento Novo Leblon, doravante designado Clube é constituído por número limitado de membros

Leia mais

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa.

MERCADO À VISTA. As ações, ordinárias ou preferenciais, são sempre nominativas, originando-se do fato a notação ON ou PN depois do nome da empresa. MERCADO À VISTA OPERAÇÃO À VISTA É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação,

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Mercado Financeiro Prof. Cid Roberto Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Leia mais

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA

COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA COMPRAR E VENDER AÇÕES MERCADO A VISTA ATENÇÃO Este texto não é uma recomendação de investimento. Para mais esclarecimentos, sugerimos a leitura de outros folhetos editados pela BOVESPA. Procure sua Corretora.

Leia mais

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV

COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV COMPANHIA DE BEBIDAS DAS AMÉRICAS - AMBEV 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2007 Companhia de Bebidas das Américas - AMBEV 1ª Emissão de Debêntures Relatório

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS Janeiro de 2007 GLOSSÁRIO... 9 CAPÍTULO I - CADASTRO DE PARTICIPANTES E INVESTIDORES... 14 1. ASPECTOS GERAIS... 14 1.1 APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS... 14 2. CADASTRO DE PARTICIPANTES...

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA CÂMARA DE COMPENSAÇÃO, LIQUIDAÇÃO E GERENCIAMENTO DE RISCOS DE OPERAÇÕES NO SEGMENTO BOVESPA, E DA CENTRAL DEPOSITÁRIA DE ATIVOS (CBLC) Março 2011 GLOSSÁRIO ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012):

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): O mercado monetário Prof. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): Mercado Atuação

Leia mais

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO

POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO POLÍTICA DE DIREITO DE VOTO Superintendência de Riscos e Compliance Página 1 Índice 1. Introdução e Objetivo... 3 2. Exclusões... 3 3. Vigência... 4 4. Princípios Gerais... 4 5. Conflito de Interesse...

Leia mais

Fundos de Investimento. Prof. Esp. Lucas Cruz

Fundos de Investimento. Prof. Esp. Lucas Cruz Fundos de Investimento Prof. Esp. Lucas Cruz Fundos de Investimento Fundos de Investimento são condomínios constituídos com o objetivo de promover a aplicação coletiva dos recursos de seus participantes.

Leia mais

Caixa Econômica Federal

Caixa Econômica Federal Turma Exercícios 01) Em relação ao Sistema Financeiro Nacional, analise as afirmativas a seguir: I - Compete ao Conselho Monetário Nacional Regular o valor externo da moeda e o equilíbrio do balanço de

Leia mais

DICIONÁRIO DE FINANÇAS

DICIONÁRIO DE FINANÇAS DICIONÁRIO DE FINANÇAS Fonte: http://www.rico.com.vc/educacional/dicionario-de-financas Acessado em 2802/2015 as 07h30min ABE (ABERTURA) Preço de abertura: valor em que ocorreu o primeiro negócio do dia

Leia mais

AS OPERAÇÕES DE DERIVATIVOS NO MERCADO DE BALCÃO

AS OPERAÇÕES DE DERIVATIVOS NO MERCADO DE BALCÃO REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Adriana Maria Gödel Stuber e Walter Douglas Stuber Adriana Maria Gödel Stuber é Sócia de Stuber Advogados Associados. Mestra em Direito das Relações Sociais

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING)

POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) Documento: Política de Exercício de Direito de Voto em Assembléias Gerais (Política de Proxy Voting) POLÍTICA DE EXERCÍCICO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLÉIAS GERAIS (POLÍTICA DE PROXY VOTING) A, doravante

Leia mais

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III

AULA 04. Estrutura do Sistema Financeiro Nacional. Subsistema Operativo III AULA 04 Estrutura do Sistema Financeiro Nacional Subsistema Operativo III SCTVM As sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários (SCTVM) são pessoas jurídicas auxiliares do Sistema Financeiro

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO PALO ALTO ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO MULHER & NEGOCIOS ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016 MARATONA PROGRAMADO FIA BDR NIVEL I 21.363.225/000182 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MARATONA PROGRAMADO FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento SINERGIA é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Índice. 1. Ações. 2. Termo. 3. Aluguel de Ações. 4. Opções. Quantidade de Ações. Subscrição de Direito de Subscrição. Custos.

Índice. 1. Ações. 2. Termo. 3. Aluguel de Ações. 4. Opções. Quantidade de Ações. Subscrição de Direito de Subscrição. Custos. Índice 1. Ações Quantidade de Ações Subscrição de Direito de Subscrição Custos Tributação Fatores de Risco Liquidação Leilão 2. Termo Mais sobre Termo Ordens Margens e Garantias Liquidação Fatores de Risco

Leia mais

Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas

Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas Reformulação dos Meios de Pagamento - Notas Metodológicas Apresentação A institucionalização da série Notas Técnicas do Banco Central do Brasil, cuja gestão compete ao Departamento Econômico (Depec), promove

Leia mais

Política Institucional

Política Institucional ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA E ESCOPO... 2 3. DIRETRIZES E PRINCIPIOS GERAIS... 2 4. PROCEDIMENTOS RELATIVOS A POTENCIAIS CONFLITOS DE INTERESSE... 3 5. PROCESSO DECISÓRIO DE VOTO... 3 6. EXERCÍCIO

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Conhecimentos Bancários Item 3.5.4 - Mercado de Capitais Sistema de distribuição de valores mobiliários, que tem o objetivo de proporcionar liquidez

Leia mais

Regras e Parâmetros de Atuação

Regras e Parâmetros de Atuação Regras e Parâmetros de Atuação A Renascença Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda, ora designada Renascença, em atendimento ao disposto no art. 6º da Instrução nº 387/03, de 28 de abril de

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PETRA ASSET GESTÃO DE INVESTIMENTOS LTDA. Publicação 30/12/2015 - versão 001 Responsável: PETRA Asset Gestão de Investimentos Ltda. Documento - PÚBLICO

Leia mais

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A.

REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. REGRAS E PARÂMETROS DE ATUAÇÃO DA J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. A J.P. MORGAN CORRETORA DE CÂMBIO E VALORES MOBILIÁRIOS S.A. (a Corretora ), em atenção ao disposto no art.

Leia mais

PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES DE EMISSÃO DA VIA VAREJO S.A.

PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES DE EMISSÃO DA VIA VAREJO S.A. PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES DE EMISSÃO DA VIA VAREJO S.A. 1 ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 3 2 PARTICIPANTES... 3 3 ADMINISTRAÇÃO DO PLANO... 3 4 AÇÕES OBJETO DESTE PLANO... 5 5 OUTORGA DA OPÇÃO... 5 6 EXERCÍCIO

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade BANCO DO BRASIL Profº Agenor paulino Trindade PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL Prof. AGENOR PAULINO TRINDADE MERCADO DE CAPITAIS DIRETITOS E PROVENTOS DAS AÇÕES: - Direito de Retirada Reembolso de Capital;

Leia mais

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO

MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO MANUAL PARA REGISTRO DE CERTIFICADO DE DEPÓSITO DE VALORES MOBILIÁRIOS - BDR NÍVEL I NÃO PATROCINADO Artigo 1º. Para registro do Certificado de Depósito de Valores Mobiliários - BDR Nível I Não Patrocinado

Leia mais

a) operações cobertas de venda de ações ou de lançamento de opções;

a) operações cobertas de venda de ações ou de lançamento de opções; Dispõe sobre a Constituição de funcionamento de Clubes de Investimento. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS torna público que o Colegiado, em sessão realizada nesta data, e de acordo com o

Leia mais

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo

Política de Divulgação de Informações Relevantes e Preservação de Sigilo Índice 1. Definições... 2 2. Objetivos e Princípios... 3 3. Definição de Ato ou Fato Relevante... 4 4. Deveres e Responsabilidade... 5 5. Exceção à Imediata Divulgação... 7 6. Dever de Guardar Sigilo...

Leia mais

Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING

Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING WebTranding Índice BM&FBOVESPA S/A. BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS MERCADO FUTURO WEBTRADING BM&FBOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS BM&FBOVESPA S/A Sociedade anonima, que organiza,

Leia mais

3.1 - Estrutura do SFN

3.1 - Estrutura do SFN 1 3. Sistema Financeiro Nacional 3.1 Estrutura do SFN 3.2 Subsistema normativo 3.3 Subsistema de intermediação 3.4 Títulos públicos negociados no MF 3.5 Principais papéis privados negociados no MF 3/4/2012

Leia mais

BANCO ABC BRASIL S.A. CNPJ/MF nº 28.195.667/0001-06 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL MEDIANTE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES

BANCO ABC BRASIL S.A. CNPJ/MF nº 28.195.667/0001-06 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL MEDIANTE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES BANCO ABC BRASIL S.A. CNPJ/MF nº 28.195.667/0001-06 Companhia Aberta AVISO AOS ACIONISTAS AUMENTO DE CAPITAL MEDIANTE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES Banco ABC Brasil S.A. ( Companhia ), vem a público comunicar

Leia mais

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são

atividade a prática de operações de arrendamento As sociedades de arrendamento mercantil são Arrendamento mercantil ou leasing é uma operação em que o proprietário de um bem cede a terceiro o uso desse bem por prazo determinado, recebendo em troca uma contraprestação. No que concerne ao leasing,

Leia mais

Renda Fixa. Letra Financeira

Renda Fixa. Letra Financeira Renda Fixa Letra Financeira Captação de recursos no longo prazo com as melhores rentabilidades O produto A (LF) é um título de renda fixa, emitido por instituições financeiras com a finalidade de captar

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373

Lex Garcia Advogados http://lexlab.esy.es. Dr. Alex Garcia Silveira OABSP 285373 Alex Garcia Silveira Cartilha: Direito do Comercio Internacional São Paulo Junho de 2015 SUMÁRIO RESUMO... 5 ABSTRACT... 5 PARTES E AUXILIARES DO COMÉRCIO... 6 EXPORTADOR E IMPORTADOR... 6 SELEÇÃO DE MERCADO...

Leia mais

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO

ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO ITAÚ PERSONNALITÉ RENDA FIXA FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO CNPJ 00.832.424/0001-12 MENSAGEM DO ADMINISTRADOR Prezado Cotista, Este FUNDO, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

CETIP. Segundo o BACEN - CETIP

CETIP. Segundo o BACEN - CETIP Professor Luiz Antonio de Carvalho Central de Liquidação Financeira e de Custódia de Títulos - lac.consultoria@gmail.com 1 2 A Cetip é a integradora do mercado financeiro. É uma companhia de capital aberto

Leia mais

Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011

Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011 Setembro de 2011 Ano 02 nº 011 Principais alterações na Lei das Sociedades por Ações introduzidas pela Lei nº 12.431, de 27 de junho de 2011 Em 27 de junho de 2011, o Congresso Nacional publicou a Lei

Leia mais

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento

Comitê Consultivo de Educação Programa TOP XI Regulamento Apresentação: O Programa TOP é uma iniciativa conjunta das instituições que formam o Comitê Consultivo de Educação, criado pela Deliberação CVM n 498/06, que tem os seguintes objetivos: - propor e apoiar

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO

FUNDOS DE INVESTIMENTO FUNDOS DE INVESTIMENTO O QUE É FUNDO DE INVESTIMENTO? O Fundo de Investimento é um mecanismo organizado e tem a finalidade de captar e investir recursos no mercado financeiro, transformando-se numa forma

Leia mais

FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.)

FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.) FGP FUNDO GARANTIDOR DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS CNPJ: 07.676.825/0001-70 (Administrado pelo Banco do Brasil S.A.) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE AGOSTO DE 2006 (Em milhares de

Leia mais

CARTA-CIRCULAR Nº 854. DEPARTAMENTO DO MERCADO DE CAPITAIS Iran Siqueira Lima CHEFE. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CARTA-CIRCULAR Nº 854. DEPARTAMENTO DO MERCADO DE CAPITAIS Iran Siqueira Lima CHEFE. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. Às Entidades de Previdência Privada CARTA-CIRCULAR Nº 854 Em decorrência das normas baixadas pela Resolução nº 794, de 11.01.83, que trata das aplicações das reservas, fundos e provisões das entidades

Leia mais

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado.

Empresas de Capital Fechado, ou companhias fechadas, são aquelas que não podem negociar valores mobiliários no mercado. A Ação Os títulos negociáveis em Bolsa (ou no Mercado de Balcão, que é aquele em que as operações de compra e venda são fechadas via telefone ou por meio de um sistema eletrônico de negociação, e onde

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL. Parágrafo 3 Poderão ser emitidas ações preferenciais até 2/3 (dois terços) do total de ações.

ESTATUTO SOCIAL. Parágrafo 3 Poderão ser emitidas ações preferenciais até 2/3 (dois terços) do total de ações. ESTATUTO SOCIAL Pettenati S/A Indústria Têxtil Atualizado até 29/10/2010 ESTATUTO SOCIAL I Denominação, sede, objeto e duração da sociedade Art. 1º - A sociedade terá por denominação social Pettenati S/A

Leia mais

A CBLC atua como contraparte central nas Operações de Empréstimo de Ativos.

A CBLC atua como contraparte central nas Operações de Empréstimo de Ativos. C A P Í T U L O V I - S E R V I Ç O D E E M P R É S T I M O D E A T I V O S - B T C O Serviço de Empréstimo de Ativos da CBLC (BTC) permite: O registro de ofertas e o fechamento de Operações contra as

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 2 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Sistema de negociação da Bovespa e Home Broker Mega Bolsa Sistema implantado em 1997, é responsável por toda

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

PRINCIPAIS TÍTULOS NEGOCIADOS NO MERCADO FINANCEIRO

PRINCIPAIS TÍTULOS NEGOCIADOS NO MERCADO FINANCEIRO PRINCIPAIS TÍTULOS NEGOCIADOS NO MERCADO FINANCEIRO 1. Classificação dos Títulos 1.1. Títulos públicos e privados 1.2. Títulos de crédito e de propriedade 1.3. Títulos de renda fixa e de renda variável

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário - FII

Fundo de Investimento Imobiliário - FII Renda Variável Fundo de Investimento Imobiliário - FII Fundo de Investimento Imobiliário O produto O Fundo de Investimento Imobiliário (FII) é uma comunhão de recursos destinados à aplicação em ativos

Leia mais

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES 1. OBJETIVOS DO PLANO BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ nº 06.977.745/0001-91 PLANO DE OPÇÃO DE COMPRA DE AÇÕES 1.1. Os objetivos do Plano de Opção de Compra de Ações da BR Malls Participações S.A. ( Companhia

Leia mais

INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS

INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS INVESTIMENTOS EM AÇÕES, TÍTULOS PRIVADOS e TÍTULOS PÚBLICOS Formas de investir em ações. Individualmente Coletivamente Clubes de Investimentos Fundos de Investimentos Ações Ação é a menor fração do capital

Leia mais

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com

Concurso 2011. Prof. Cid Roberto. As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. prof.bancario@gmail.com Concurso 2011 Prof. Cid Roberto prof.bancario@gmail.com Bolsa de Valores As bolsas de valores são instituições administradoras de mercados. Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) 8ª aula Início da

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIA Conformidade ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento Versão 2015/2 Editada em novembro de 2015 SUMÁRIO 1.

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO.

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. MERCADO DE CAPITAIS 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS PARA OS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. PROFESSOR FIGUEIREDO SÃO PAULO 2007 Mercado de Capitais

Leia mais

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015

Versão Revisada em 1º de Outubro de 2015 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO E COMPANHIAS EMISSORAS DE ATIVOS FINANCEIROS QUE CONTEMPLEM O DIREITO DE VOTO E INTEGREM AS CARTEIRAS DOS FUNDOS

Leia mais

VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII)

VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII) VOTORANTIM ASSET MANAGEMENT D.T.V.M. LTDA. POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS PARA FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO (FII) I) OBJETO: A presente política de voto trata do exercício

Leia mais

O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS

O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS O ÍNDICE I) CARACTERÍSTICAS GERAIS O Índice Carbono Eficiente (ICO2) Brasil, registrado sob o código ISIN BRECOOCTF008, é um índice de mercado que mede o retorno de um investimento em uma carteira teórica

Leia mais

Simulado CPA 20 Gratis

Simulado CPA 20 Gratis 1 Simulado CPA 20 Gratis Question 1. O risco de crédito está associado a capacidade do emissor de um título em não honrar os pagamentos: ( ) Somente dos Juros ( ) Dos juros e do principal da dívida ( )

Leia mais

PLANO DE OPÇÕES DE COMPRA DE AÇÕES DA WEG S.A.

PLANO DE OPÇÕES DE COMPRA DE AÇÕES DA WEG S.A. PLANO DE OPÇÕES DE COMPRA DE AÇÕES DA WEG S.A. 1. OBJETIVO DO PLANO O Plano de Opções de Compra de Ações ( Plano ) tem por objetivo a outorga de Opções de compra de ações de emissão da WEG S.A. ( Companhia

Leia mais

PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO DA MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. Aprovado em reunião do Conselho de Administração realizada em 29 de julho de 2015 PLANO DE INCENTIVO DE LONGO PRAZO O presente

Leia mais

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT

EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT EDITAL DE CREDENCIAMENTO N 001/2016 - IPMT CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES FINANCEIRAS E SIMILARES, SOCIEDADES CORRETORAS, DISTRIBUIDORAS DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS E PESSOAS JURÍDICAS QUE ATUEM COMO

Leia mais

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO

POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO POLÍTICA DE VOTO 1. INTRODUÇÃO E OBJETIVO A BRAM Bradesco Asset Management S.A DTVM ( BRAM ) aderiu ao Código de Autorregulação de Fundos de Investimento ( Código ) da Associação Brasileira das Entidades

Leia mais

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS No último dia 3, a Receita Federal do Brasil ("RFB") expediu a Instrução Normativa ("IN/RFB") nº 1.571/2015, instituindo a

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

OS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA: UM ESTUDO DO MERCADO BRASILEIRO 1. Maicon Lambrecht Kuchak 2, Daniel Knebel Baggio 3.

OS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA: UM ESTUDO DO MERCADO BRASILEIRO 1. Maicon Lambrecht Kuchak 2, Daniel Knebel Baggio 3. OS FUNDOS DE PREVIDÊNCIA: UM ESTUDO DO MERCADO BRASILEIRO 1 Maicon Lambrecht Kuchak 2, Daniel Knebel Baggio 3. 1 Resultados do Projeto de Pesquisa de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq 2 Bolsista PIBIC/CNPq,

Leia mais