DIMENSIONAMENTO, GERENCIAMENTO DE RISCO, INSPEÇÃO E INVESTIGAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DIMENSIONAMENTO, GERENCIAMENTO DE RISCO, INSPEÇÃO E INVESTIGAÇÃO"

Transcrição

1 DIMENSIONAMENTO, GERENCIAMENTO DE RISCO, INSPEÇÃO E INVESTIGAÇÃO GEORG THOMAS ISCHAKEWITSCH RESUMO Dimensionamento de sistemas de impermeabilização em um projeto. Seleção de áreas objetos de impermeabilização no projeto. Obtenção de informações sobre as solicitações físicas, químicas, atmosféricas, térmicas e outras (Estáticas Dinâmicas e Futuras). Expectativa de vida útil do sistema de impermeabilização. A importância dos critérios de sustentabilidade do projeto. Gerenciamento de risco. O risco da decisão de impermeabilizar ou não uma determinada área. Inspeção e investigação. Acompanhamento em campo da execução da obra: Formulários de qualidade, Boletins de Vistoria. Conformidade com o projeto. Controle tecnológico. Palavras Chave Dimensionamento; Gerenciamento; Inspeção; Investigação. Introdução A disciplina impermeabilização é uma das poucas onde as falhas não são absolutamente permitidas nem sequer em um mínimo percentual. Qual o caminho então dentro das reais condições técnicas e econômicas para se obter um resultado satisfatório? São muitas considerações e hipóteses. Pretende dar este trabalho uma ordenação que ajude os entes envolvidos (projetistas, engenheiros, arquitetos, proprietários, gerenciadores e técnicos) a fazer a melhor aproximação para sua melhor expectativa. Conteúdo Dando de certa forma continuidade ao tema apresentado no 9º Simpósio Brasileiro de Impermeabilização/1º Congresso Latino Americano (SETEMBRO, 1995) : Projeto; Acompanhamento e Controle: Caminho da qualidade, este trabalho objetiva se aprofundar um pouco mais no assunto baseado em experiências vivenciadas neste intervalo de tempo.

2 1. DIMENSIONAMENTO É dever do projetista de impermeabilização dimensionar o sistema mais adequado ao projeto em que está trabalhando. Para isso ele foi contratado devendo atender aos requisitos desejados pelo contratante. O momento ideal para o especialista de impermeabilização participar de um projeto é no seu precoce início. Caso os projetos de arquitetura, estrutura, urbanismo e outros já estiverem definidos, o projeto de impermeabilização somente poderá confeitar o bolo. De posse do projeto de arquitetura básico, onde estão identificadas em plantas baixas as áreas que o compõem e em conjunto com o líder do projeto, devem ser eleitas áreas que deverão receber impermeabilização. Para tal se faz necessário o conhecimento mais exato possível das solicitações a que estará sujeita cada uma destas áreas. Descartando qualquer relação de comprometimento comercial com fabricantes e aplicadores de sistemas de impermeabilização, o dimensionamento do sistema mais adequado para uma determinada área não é simples como se aplicar uma fórmula matemática para obter a seção de ferro de uma peça estrutural ou cálculo de vazão de um duto hidráulico. São muitos os fatores que levam a determinação do sistema de impermeabilização mais adequado. Fatores a considerar na escolha do sistema de impermeabilização: Localização Substrato Uso Ações: Químicas/Mecânicas/Físicas Intemperismo Isolamento térmico Trânsito Obra Projeto Sobrecargas Acústica Estética Paisagismo Instalações Acabamentos Pavimentação Sistemas usuais O árduo trabalho de normalização junto a ABNT antecede 1975, ano em que foi editada a primeira Norma que abrangia todos os sistemas, NB 279, e em que foi fundado o Instituto Brasileiro de Impermeabilização IBI formado pelo grupo de profissionais que participou deste Comitê.

3 Entretanto, existem sistemas que estão em fase de estudo pelo Comitê do CB-22, outros já com Projeto de Norma e ainda sistemas mais modernos frutos da evolução tecnológica que não podem deixar de ser considerados em função das características da obra. Por outro lado existem sistemas de impermeabilização tradicionais, consagrados, normalizados, que tiveramnuma época uma participação importante no mercado que por motivos diversos acham-se praticamente em desuso. Adiante segue uma tabela com os sistemas de impermeabilização mais usuais e suas principais características elencadas neste trabalho.

4 Tabela 1: Tabela com os sistemas de impermeabilização mais usuais e suas principais características Nota: Os valores e propriedades contidos nesta tabela são meramente ilustrativos, não devendo se levar em conta como absolutamente verdadeiros. O valor correto de cada propriedade e condições específicas deverão ser obtidos por ocasião do desenvolvimento do projeto. Fatores a considerar na escolha dos materiais de impermeabilização: Tamanho da Obra; Condição do substrato; Possibilidade de Caldeira; Aplicação quente / frio; Tempo de execução; Mobilização de equipamentos; Produção; Acabamentos; Sustentabilidade; Agentes degradantes; Logística; Cronograma da obra. Seguramente existirão condições específicas que exigirão maior atenção do projetista para o correto dimensionamento do sistema de impermeabilização. Segue abaixo uma explicitação da escolha de um sistema de impermeabilização. Solicitação exigida: Impermeabilizar o submarino atômico brasileiro em Sorocaba-SP (Protótipo e construção). Dados fornecidos no projeto: Pressão hidrostática positiva de 100mca (metros de coluna d água) com manta asfáltica. Não há na NBR 9952-ABNT, nenhuma referência a cargas estáticas permanentes. Portanto, foi necessário criar um modelo que atendesse a esta condição. Então, foi desenvolvido este modelo em Milão, Itália, que definiu uma manta asfáltica de 5 mm de espessura, com massa asfáltica polimérica especial e com armadura de fretagem de tecido de vidro. Devem-se aliar a tudo o que foi exposto à experiência do projetista e as informações estatísticas de desempenho dos mais diversos sistemas de impermeabilização. Outro fator que deve ser levado em consideração em um projeto é a simplificação do mesmo, ou seja, deve-se procurar arrumar as especificações dentro de um número limitado de opções que facilite no futuro um controle de qualidade dos materiais. 2. GERENCIAMENTO DE RISCO A decisão do que impermeabilizar em uma obra ou projeto cabe ao projetista, proprietário, incorporador e ao construtor. Esta decisão certamente envolve um risco calculado. Cabe ao projetista de impermeabilização ou consultor especializado orientar quanto ao risco que se corre desde não impermeabilizar nada ou impermeabilizar tudo. Este é um assunto bastante polêmico, pois de um lado está o mercado produtor e aplicador buscando se ampliar e por outro lado o empreendedor buscando redução de custos.

5 A impermeabilização de uma estrutura não deve ser vista apenas como uma barreira quanto aos incômodos causados por infiltrações mais também como uma proteção à mesma evitando desgastes prematuros causados por umidade. Fazendo-se uma analogia com a atividade de seguros, se uma grande empresa possui milhares de veículos para a entrega de cargas fizesse seguro total contra tudo dos mesmos, o prêmio seria um valor astronômico que inviabilizaria os custos. Desta forma estas empresas contratam firmas especializadas de Gerenciamento de Risco para definir o perfil do seguro a ser contratado. Para tanto, o melhor instrumento para aferição é a estatística. Diversas construtoras se dedicam ao estudo das patologias em edificações e na maioria dos casos as infiltrações tanto oriundas de falhas de impermeabilização como de instalação hidráulica são líderes nas estatísticas. Assim como as falhas, o sucesso é contabilizado e acabam criando uma cultura da empresa. Baseada nestas estatísticas, o profissional de impermeabilização auxilia o empreendedor ou construtor a tomar a decisão mais adequada, levando em consideração a qualidade, o custo e o tamanho do risco que se vai correr em Impermeabilizar ou Não Impermeabilizar. Exemplificação de dois casos polêmicos: A cozinha de um apartamento residencial deve ser impermeabilizada? A cozinha normalmente não possui ralos de esgoto sanitário, os revestimentos tanto de piso quanto de parede são cerâmicos, mármores ou granitos, porcelanatos e outros por si que não absorvem água. A limpeza dos pisos normalmente é feita com panos úmidos e produtos químicos, nunca com água em abundância. O histórico estatístico da maioria das construtoras não registra casos importantes de infiltração ligados a impermeabilização. Certamente esta é uma área passível de não ser impermeabilizada. O Box de um banheiro residencial deve ser impermeabilizado? Em um Box chove abundantemente em média cinco vezes ao dia. A impermeabilização do mesmo não deve envolver qualquer risco. Assim como nestes exemplos outras áreas tais como sacadas, varandas, áreas de serviço, estacionamento descoberto, dentre outras, poderão ser objeto de avaliação quanto à necessidade da aplicação de produtos impermeabilizantes. Caberá ao especialista de impermeabilização esclarecer qual o tamanho do risco que correrá para que seja formado um consenso com o empreendedor. 3. INSPEÇÃO E INVESTIGAÇÃO Uma vez definido o projeto, eleita as áreas à impermeabilizar, dimensionado os sistemas, contratada a empresa executora, antes de se iniciar os trabalhos de impermeabilização propriamente ditos devem ser estabelecidos os procedimentos de acompanhamento e controle dos mesmos. Estes controles se baseiam em ensaiar os materiais de impermeabilização, que serão utilizados na obra, por um laboratório credenciado e a execução de um plano de acompanhamento do andamento dos serviços, a ser elaborado pela empresa contratante dos mesmos. Este controle deve abranger formulários, relatórios e etc. Contudo tem se verificado que apenas este controle, não sempre é suficientemente conclusivo. O advento de novos materiais e sistemas, uma boa parte deles constituído de membranas poliméricas moldadas in loco, seja a frio manualmente com rolos, com bombas tipo airless, em sistema tipo hotspray, mono, bi ou até tricomponentes (adição de filler mineral no campo), exigem que sejam feitas inspeções e verificações nos sistemas aplicados. Exemplo: Verificação da espessura de uma membrana através de testes de arrancamento.

6 FOTO: Teste de arrancamento para verificação de espessura. FOTO: Teste de arrancamento para verificação de espessura.

7 FOTO: Membrana de epóxi, com espessura muito inferior a 1,00 mm, conforme especificado em projeto. FOTO: Membrana de polyurea, que além de mal aderida possuía espessura inferior a 0,3 mm num local onde a especificação pedia 2,5 mm.

8 Também se faz necessária a observação do substrato para a liberação dos serviços referentes a sua limpeza, desinfecção de óleos e outros contaminantes, regularidade, umidade e porosidade necessária para ancoragem das membranas. A inspeção meramente visual com registros fotográficos atestando a conformidade da arquitetura da impermeabilização com o que foi projetado não consegue detectar outros requisitos que são fundamentais para o desempenho do sistema aplicado. Dentre eles: Espessura da impermeabilização; Alongamento da manta ou membrana; Dureza; Existência de porosidade (pinholes); Absorção de água; Aderência ao substrato. Para que possam ser feitas estas inspeções antes, durante e depois da aplicação dos sistemas de impermeabilização, se torna necessária uma avaliação mais científica do que apenas visual. Instrumentos para aferição deverão ser utilizados para este fim tais, como: Extrator de amostras para verificação de espessura e ancoragem das membranas: Dinamômetro FOTO: Extrator de amostras para verificação de espessura e ancoragem das membranas. Fonte: site FOTO: Dinamômetro Fonte: site

9 FOTO: Dinamômetro Fonte: site Higrômetro FOTO: Higrômetro. Fonte: site Durômetro; FOTO: Durômetro

10 Termômetro; Extensômetro; Pacômetro; FOTO: Pacômetro Ultrassom; Câmera termográfica FOTO: Câmera termográfica Fonte: arquivo pessoal Holliday Detector; FOTO: Equipamento Holliday Detector

11 Métodos não destrutivos para detecção de infiltrações. FOTO: EFVM Eletric Field Vector Mapping Fonte: site A atividade da investigação é um tanto ingrata, pois para o leigo, o engenheiro especialista em impermeabilização é o médico dos vazamentos e infiltrações, o que gera uma expectativa falsa mediante ao laudo que se espera. Os procedimentos necessários para se chegar a um diagnóstico são precários e não se pode mandar o portador da patologia para um laboratório de exames clínicos, nem para centros de imagem. Apesar de alguns avanços de tecnologia que disponibilizam alguns instrumentos de avaliação, cada patologia é única, e requer uma coleta importante de informações para que se dê o primeiro passo na direção de um diagnóstico. 4. BIBLIOGRAFIA IBI Instituto Brasileiro de Impermeabilização Anais do 9º Simpósio Brasileiro de Impermeabilização Setembro de Projeto, Acompanhamento e Controle O Caminho da Qualidade. Georg Thomas Ischakewitsch Monografia de Heraldo Barbosa dos Santos Ensaio de aderência de argamassas e revestimentos UFMG Coletânea de Normas Brasileiras dos CB-2 (Construção Civil); CB 18 (Cimento, Concreto e Agregados); CB-22 ABNT Comitê Brasileiro de Impermeabilização e CB-164 (Tintas e Vernizes).

Edifício Varadero Residencial

Edifício Varadero Residencial Edifício Varadero Residencial MEMORIAL DESCRITIVO PADRÃO 1. Infra-Estrutura: 2. Supra-Estrutura: 3. Alvenarias: Movimentação de Terra: Será realizada a limpeza do terreno, removendo todo o obstáculo que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL! Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL Construção Civil II 1 0 Semestre de 2015 Professoras Heloisa Campos e Elaine Souza EXERCÍCIO IMPERMEABILIZAÇÃO A seguir está modificado um

Leia mais

Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos

Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos Manual de Projeto de Sistemas Drywall paredes, forros e revestimentos 1 Prefácio Este é o primeiro manual de projeto de sistemas drywall publicado no Brasil um trabalho aguardado por arquitetos, engenheiros,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

Universidade Católica de Petrópolis. Materiais de Construção 2011 Prof. Robson Luiz Gaiofatto, D.Sc.

Universidade Católica de Petrópolis. Materiais de Construção 2011 Prof. Robson Luiz Gaiofatto, D.Sc. Universidade Católica de Petrópolis Engenharia Civil Parte X Materiais de Construção 2011 Prof. Robson Luiz Gaiofatto, D.Sc. UCP Mateco - Civil Programa: 1. Aglomerantes; Asfaltos, cal, gesso e cimentos;

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada.

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada. MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Este PRÉDIO terá uso exclusivo RESIDENCIAL e terá 12 (doze) pavimentos, sendo que o 1º PAV SUB SOLO terá 26 espaços de garagem cobertos; o 2 PAV terá o hall de

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1)

AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) AVALIAÇÃO DA ADERÊNCIA DAS ARGAMASSAS COLANTES ACIII SOBRE SISTEMAS ACRÍLICOS E ACRÍLICOS CIMENTÍCIOS SERGIO MAROSSI (1) (1) Responsável Técnico da Citimat Impermeabilizantes Ltda. Citimat Impermeabilizantes

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

Indústria da Construção Civil

Indústria da Construção Civil Indústria da Construção Civil Grupo de Materiais de Construção 1 Construção Civil É uma indústria? Indústria: toda atividade humana que, através do trabalho, transforma matéria-prima em outros produtos,

Leia mais

2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS

2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS 2.1 Condições gerais 1 2 2QUALIDADE DAS ESTRUTURAS As estruturas de concreto devem atender aos requisitos mínimos de qualidade, durante sua construção e serviço, e aos requisitos adicionais estabelecidos

Leia mais

Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização

Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização Diretrizes de desempenho para produtos de impermeabilização Primeiro autor (Maria Amélia Silveira); Segundo autor (José Eduardo Granato). (1) Viapol, amelia@vqs.com.br (2) Viapol, granato@viapol.com.br

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE Rua Clemente Pinto, 146. Pág. 1 / 9 1 GENERALIDADES E DISPOSIÇÕES GERAIS O presente memorial descritivo tem por objetivo especificar o tipo, qualidade e

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE VEDAÇÃO E IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS PRÉ FABRICADAS EM CONCRETO

ORIENTAÇÃO DE VEDAÇÃO E IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS PRÉ FABRICADAS EM CONCRETO ORIENTAÇÃO DE VEDAÇÃO E IMPERMEABILIZAÇÃO DE ESTRUTURAS PRÉ FABRICADAS EM CONCRETO Resumo A utilização de estruturas pré fabricadas em concreto está numa crescente nesses últimos anos. Para a ABCIC (Associação

Leia mais

PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO. Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda.

PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO. Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. PROJETO COM FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO Erick Nogueira dos Santos Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. Firmino Soares de Siqueira Filho Firmino Siqueira Consultores Associados Ltda. Tatiane Lara

Leia mais

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS

PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS . PINTURA DE PISOS INDUSTRIAIS MANUAL DE BOAS PRÁTICAS DICAS PARA UMA PINTURA EFICIENTE DE PISO Sempre que desejamos fazer uma pintura de piso, Industrial ou não, devemos ter em mente quais são os objetivos

Leia mais

Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns

Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns Piso novo Como ocorrem e como evitar patologias em pisos de concreto? Veja as recomendações para escolha de materiais e reparo de falhas mais comuns Método "extremo" de recuperação, o overlay é praticamente

Leia mais

GARANTIA. Introdução. Prezado Cliente,

GARANTIA. Introdução. Prezado Cliente, GARANTIA Introdução Prezado Cliente, Este Termo tem como objetivo lhe orientar sobre os prazos de garantia dos componentes e s de seu imóvel, e como solicitar a Assistência Técnica Venax Construtora. Os

Leia mais

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho

Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO. Profº Joel Filho Tecnologia da Construção IMPERMEABILIZAÇÃO Profº Joel Filho Introdução: Impermeabilização NBR 9575/2003 - Elaboração de Projetos de Impermeabilização Item 6 Projeto 6.1. Elaboração e responsabilidade técnica

Leia mais

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS

MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS MEMBRANAS DE POLIURETANO DE ALTO DESEMPENHO SISTEMA A BASE DE POLIURETANO PARA LAJES C/ TRANSITO DE PEDESTRE E TRANSITO DE VEÍCULOS Angelo Derolle Filho SISTEMA VULKEM PRINCIPAIS VANTAGENS Sistema Impermeável

Leia mais

APLICAÇÃO POLIKOTE 100 REVESTIMENTO EM SUBSTRATO DE CONCRETO

APLICAÇÃO POLIKOTE 100 REVESTIMENTO EM SUBSTRATO DE CONCRETO Sistema da Qualidade Páginas: 1 de 11 APLICAÇÃO POLIKOTE 100 REVESTIMENTO EM SUBSTRATO DE CONCRETO Sistema da Qualidade Páginas: 2 de 11 SUMÁRIO Página 1. OBJETIVO... 03 2. PREPARAÇÃO DAS SUPERFÍCIES...

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE

TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE TERMO DE REFERÊNCIA IMPERMEABILIZAÇÃO DE LAJE DO 14º ANDAR DO EDIFÍCIO-SEDE 1. OBJETO Contratação de empresa especializada em engenharia para execução de impermeabilização da laje de cobertura no 14º andar

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012 TERMO DE REFERÊNCIA Nº 01 /2012 Projeto: RESERVA BIOLÓGICA UNIÃO UMA ÁREA NATURAL PROTEGIDA DE MATA ATLÂNTICA ACESSÍVEL AOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS. Protocolo nº: 20120523121243128 Assunto:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA

MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA Este documento de Memorial Descritivo de Especificação do Empreendimento RESIDENCIAL PETRA situado à Rua Limeira nº 566, bairro Piratininga, lotes 12, 13, 14, 15,

Leia mais

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA.

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO EDIFÍCIO SEIBEL 906 Rua Luiz Antunes nº 906, Bairro Panazzolo, Caxias do Sul INCORPORAÇÃO: BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. Rua Alcides Longhi, 333 Sala 01 Villaggio Iguatemi -

Leia mais

SUCESSO EM PROJETOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO

SUCESSO EM PROJETOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO SUCESSO EM PROJETOS DE IMPERMEABILIZAÇÃO NO RIO DE JANEIRO JOÃO CASSIM JORDY (1) (1) Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), Rua São Bento nº 1, 16º andar, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, e-mails:

Leia mais

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO: O Empreendimento seguirá as características constantes do memorial abaixo descrito. 1- Especificação Técnica: 1.1 - Fundações: Serão executadas de acordo com sondagem a ser realizada

Leia mais

INFORMAÇÕES BÁSICAS. Nome do Empreendimento: Enseada Manguinhos Residencial Clube

INFORMAÇÕES BÁSICAS. Nome do Empreendimento: Enseada Manguinhos Residencial Clube INFORMAÇÕES BÁSICAS Nome do Empreendimento: Enseada Manguinhos Residencial Clube Endereço : ROD. ES 010, ESQUINA COM A RUA DOMINEU RODY SANTANA MANGUNHOS SERRA - ES - CEP 29.164-574 Construção: DE MARTIN

Leia mais

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA RESIDENCIAL PRIMA SONATA Rua Ernesto Marsiaj, Bairro Petrópolis, Caxias do Sul INCORPORAÇÃO: BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA Rua: Alcides Longhi, 333 sala 01 Villagio Iguatemi Caxias do Sul O presente

Leia mais

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas

Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Impermeabilização de edificações residenciais urbanas Serviços Reparo - Proteção Impermeabilização - Graute Atuação em todo território nacional em obras de infraestrutura www.rossetiimper.com.br Aplicador

Leia mais

Quadra 5 Piscina x x x Ver tabela 6 Solidez/ Segurança x Ver tabela da Edificação 3

Quadra 5 Piscina x x x Ver tabela 6 Solidez/ Segurança x Ver tabela da Edificação 3 Sistema 6 meses 1 ano 2 anos 3 anos 5 anos Observações Esquadrias de x x x Ver tabela Alumínio 3 Esquadrias de x Ver tabela Madeira 3 Esquadrias de x Ver tabela Ferro 3 Revestimentos x x x Ver tabela de

Leia mais

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície

Linha P05 Cime. Endurecedor mineral de superfície Linha P05 Cime Endurecedor mineral de superfície 1 Descrição. Composto granulométrico à base de cimento e agregados selecionados de origem mineral e/ou mineral metálica, para aplicações em sistema de aspersão

Leia mais

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA.

BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO EDIFÍCIO INFINITY Rua Clóvis Antônio Sperandio, Nros. 51 e 55, Bairro Charqueadas, Caxias do Sul INCORPORAÇÃO: BWB CONSTRUTORA E INCORPORADORA LTDA. Rua Alcides Longhi, 333 Sala 01

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA

LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA SUMÁRIO 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Dos dados 1.2 Identificação do imóvel 1.3 Tipologia 2. OBJETIVOS 2.1 Critérios utilizados 2.2 Nível de inspeção

Leia mais

Manual Técnico de Coberturas Metálicas

Manual Técnico de Coberturas Metálicas Manual Técnico de Coberturas Metálicas Coberturas Metálicas Nas últimas décadas, as telhas produzidas a partir de bobinas de aço zincado, revolucionaram de maneira fundamental, a construção civil no Brasil,

Leia mais

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA

ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA ELASTEQ 7000 ARGAMASSA POLIMÉRICA Impermeabilizante à base de resinas termoplásticas e cimentos com aditivos e incorporação de fibras sintéticas (polipropileno). Essa composição resulta em uma membrana

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES DE SPDA PREFEITURA MUNICIPAL DE CANOAS/SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL TANCREDO DE ALMEIDA NEVES SETEMBRO DE 2012 STE004-R-PE-SPD-01-01

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 PORTO ALEGRE - RS 10/04/2012 ÍNDICE 1 - ACABAMENTOS APARTAMENTOS TIPO 2- ÁREAS CONDOMINIAIS 2.1 - ÁREAS DE

Leia mais

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D

3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D 3. O projeto fornecido para a modelagem paramétrica 3D Com finalidade de avaliar alguns aspectos da metodologia BIM e algumas das ferramentas computacionais envolvidas, buscou-se um projeto de engenharia

Leia mais

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA A San Juan Empreendimentos Imobiliários Ltda responderá pelo prazo de 05 (cinco) anos a contar término da obra, pela solidez e segurança da edificação. Portanto,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO RESIDENCIAL PETHRUS

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO RESIDENCIAL PETHRUS MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO RESIDENCIAL PETHRUS Acabamento De Unidades Autônomas SALA JANTAR/ ESTAR E CIRCULAÇÃO INTERNA Piso : Cerâmica Eliane, Cecrisa, Portinari, ou similar. Paredes : Revestimento

Leia mais

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO

ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO ABNT NBR 15.575 NORMA DE DESEMPENHO O que é uma Norma Técnica? O que é uma Norma Técnica? Documento estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido, que fornece, para uso repetitivo,

Leia mais

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS

TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TRABALHO DE GESTÃO DE REVESTIMENTOS TEMA Ensaio de aderência de revestimentos de argamassa, gesso e cerâmica. OBJETIVO Analisar o grau de aderência dos revestimentos utilizados, em relação à norma técnica

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUTORA TARJAB NA ADOÇÃO DA NORMA DE DESEMPENHO OUTUBRO 2014

A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUTORA TARJAB NA ADOÇÃO DA NORMA DE DESEMPENHO OUTUBRO 2014 A EXPERIÊNCIA DA CONSTRUTORA TARJAB NA ADOÇÃO DA NORMA DE DESEMPENHO OUTUBRO Apresentação dos trabalhos Porque devemos atender à Norma de Desempenho? O Contexto da normalização no Brasil A experiência

Leia mais

MONITORAMENTO DE NORMALIZAÇÃO FEVEREIRO

MONITORAMENTO DE NORMALIZAÇÃO FEVEREIRO 1) ABNT/CB-02 - COMITÊ BRASILEIRO DA CONSTRUÇÃO CIVIL ABNT NBR 5476 - Requisitos para o sistema de gestão de manutenção. Reunião 17 de fevereiro Houve uma mudança no escopo onde se define a necessidade

Leia mais

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DO EDIFÍCIO O Recanto dos Poetas será constituído de: 6 (seis) blocos, cada um com 1 (um) pavimento pilotis e 4 (quatro) pavimentos

Leia mais

MASSA LISA PROTEC. Embalagem: Saco de 20 kg Consumo: 1,0 a 1,3 kg/m² por milímetro de espessura

MASSA LISA PROTEC. Embalagem: Saco de 20 kg Consumo: 1,0 a 1,3 kg/m² por milímetro de espessura MASSA LISA Massa extra-lisa para revestimento de paredes e tetos. Substitui a massa corrida e o gesso, reduzindo o uso de lixas. Sem desperdício e de rápida aplicação; Reduz o uso de lixas; Aplicação sobre

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. RESERVATÓRIO SUPERIOR: Este pavimento abrigará os reservatórios de água conforme projeto específico aprovado pelo SAMAE e PPCI.

MEMORIAL DESCRITIVO. RESERVATÓRIO SUPERIOR: Este pavimento abrigará os reservatórios de água conforme projeto específico aprovado pelo SAMAE e PPCI. MEMORIAL DESCRITIVO MAGNO RESIDENCIAL Rua José Caberlon, lote 18, quadra 3878, Bairro Bela Vista, Caxias do Sul INCORPORAÇÃO: SUPREMA INCORPORADORA Rua Alfredo Chaves, 927/505 Centro Caxias do Sul. O presente

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis

Wood Frame CONCEITO. O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis CONCEITO O Wood-Frame é um sistema composta por perfis de madeira que em conjunto com placas estruturais formam painéis estruturais capazes de resistir às cargas verticais (telhados e pavimentos), perpendiculares

Leia mais

Blumenau, maio de 2010.

Blumenau, maio de 2010. INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE ORÇAMENTOS E CRONOGRAMAS Blumenau, maio de 2010. 1. RESUMO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. INTRODUÇÃO... 3 4. COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO... 4 4.1. SERVIÇOS PRELIMINARES/TÉCNICOS...

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

Emprego da Termografia na inspeção preditiva

Emprego da Termografia na inspeção preditiva Emprego da Termografia na inspeção preditiva Rafaela de Carvalho Menezes Medeiros* Resumo A prática de manutenção preditiva corresponde hoje a um meio eficaz de antever uma parada do equipamento por motivo

Leia mais

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável

VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável VENCENDO OS DESAFIOS DAS ARGAMASSAS PRODUZIDAS EM CENTRAIS DOSADORAS argamassa estabilizada e contrapiso autoadensável Juliano Moresco Silva Especialista em Tecnologia do Concreto juliano.silva@azulconcretos.com.br

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO SEYCHELLES RESIDENCE

MEMORIAL DESCRITIVO SEYCHELLES RESIDENCE MEMORIAL DESCRITIVO SEYCHELLES RESIDENCE Este Memorial Descritivo trata de uma edificação residencial, propriedade de CONSTRUFORTE EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA, a ser edificado na Rua Reinaldo Scherner,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 7 REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442

BOLETIM TÉCNICO. Primeira linha em impermeabilizante acrílico. Rua Moisés Marx nº. 494 Vila Aricanduva, SP CEP 03507-000 -Fone / Fax : (11) 6191-2442 1 SELOFLEX R Primeira linha em impermeabilizante acrílico BOLETIM TÉCNICO Como qualquer tipo de impermeabilização flexível, a estrutura deverá estar seca, mínimo de 7 dias após a regularização, limpa de

Leia mais

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim

UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso. INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim UNEMAT Universidade do Estado de Mato Grosso INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS E PREDIAIS Professora: Engª Civil Silvia Romfim INSTALAÇÕES PREDIAIS DE ÁGUAS PLUVIAIS 2 INTRODUÇÃO A água da chuva é um dos elementos

Leia mais

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO

La Bella Città MEMORIAL DESCRITIVO. Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO La Bella Città Informações Gerais: INCORPORAÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA CONSTRUÇÃO IGUASSU ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA PROJETO ARQUITETÔNICO ARQUITETA CARMEN LUCIA PEZZETTE

Leia mais

Papel da administradora junto aos condomínios para atendimento às exigências de modo a não comprometer as garantias. Sergio Meira de Castro Neto

Papel da administradora junto aos condomínios para atendimento às exigências de modo a não comprometer as garantias. Sergio Meira de Castro Neto Papel da administradora junto aos condomínios para atendimento às exigências de modo a não comprometer as garantias. Sergio Meira de Castro Neto Sumário 1. Condomínio em números 2. Gestão das manutenções

Leia mais

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO SALAS COMERCIAIS E ESTACIONAMENTOS 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO...03 1.1. O EMPREENDIMENTO...03 1.2. PROJETOS E ÁREAS...03 1.3. - LOCAÇÃO DA OBRA...04

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DO ENGENHEIRO ESPECIALISTA EM PERÍCIA DE ESTRUTURAS RESUMO

CONTRIBUIÇÃO DO ENGENHEIRO ESPECIALISTA EM PERÍCIA DE ESTRUTURAS RESUMO CONTRIBUIÇÃO DO ENGENHEIRO ESPECIALISTA EM PERÍCIA DE ESTRUTURAS RESUMO O presente trabalho refere-se à análise estrutural de placas de concreto para piso elevado, fornecidos a uma construtora para estacionamento

Leia mais

SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE

SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE 1 SUA FAMÍLIA MERECE ESSE PRIVILÉGIO SQNW 106, BLOCO B - NOROESTE Imagem meramente ilustrativa. 2 3 Um novo estilo de vida para o seu dia a dia O Noroeste é a última área residencial do Plano Piloto, que

Leia mais

MANUAL PURIFICADOR DE AR

MANUAL PURIFICADOR DE AR 1 MANUAL PURIFICADOR DE AR Parede / Portátil Ambientes Públicos *fotos meramente ilustrativas. atendimento@oxipower.com.br 1 2 MANUAL DE INSTRUÇÕES PURIFICADORES DE AR Modelos Parede e Portátil versão

Leia mais

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA

MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA MUNÍCIPIO DE CONSELHEIRO LAFAIETE - MG SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E MEIO AMBIENTE Administração 2.013/2.016 TERMO DE REFERENCIA REFORMA E AMPLIAÇÃO DA ESCOLA MUNICIPAL PEDRO REZENDE DOS SANTOS 1 - OBJETO:

Leia mais

Assentar pisos e azulejos em áreas internas.

Assentar pisos e azulejos em áreas internas. CAMPO DE APLICAÇÃO Direto sobre alvenaria de blocos bem acabados, contrapiso ou emboço desempenado e seco, isento de graxa, poeira e areia solta, para não comprometer a aderência do produto. Indicado apenas

Leia mais

Piso epóxico Solución para estacionamientos. Viafloor EP 250. Objetivo:

Piso epóxico Solución para estacionamientos. Viafloor EP 250. Objetivo: Viafloor EP 250 Piso epóxico Solución para estacionamientos Objetivo: Revestir o piso com uma camada protetora a fim de garantir uma maior vida útil, corrigindo pequenos buracos, evitando o desgaste do

Leia mais

MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS

MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS MEMORIAL DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS LAS OLAS ÍNDICE 1. DEPENDÊNCIAS DE USO PRIVATIVO - ESPECIFICAÇÕES 2. DEPENDÊNCIA DE USO COMUM - ESPECIFICAÇÕES 3. URBANIZAÇÃO 4. OBSERVAÇÕES FINAIS 1. DEPENDÊNCIAS DE

Leia mais

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia

Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia Assuma o controle com as soluções SKF para o setor de siderurgia O Poder do Conhecimento em Engenharia A única coisa mais intensa que o calor é a sua concorrência Poucos ambientes industriais têm condições

Leia mais

ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento

ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS. Comunidade da Construção Sistemas à base de cimento ENCUNHAMENTO DE ALVENARIA DE VEDAÇÃO ANÁLISE DE SOLUÇÕES PRÁTICAS Carmo & Calçada COMPONENTES: Amaury Costa Maurício Brayner Paulo Roberto Marques Carmo & Calçada TITULO Soluções Para Encunhamento Entre

Leia mais

CONSULTORIA e PERÍCIAS em ENGENHARIA CIVIL

CONSULTORIA e PERÍCIAS em ENGENHARIA CIVIL CONSULTORIA e PERÍCIAS em ENGENHARIA CIVIL 1. CONSULTORIA / PERÍCIA DE ACOMPANHAMENTO NAS DIVERSAS ETAPAS DA CONSTRUÇÃO CIVIL O acompanhamento das etapas da execução de um empreendimento imobiliário, por

Leia mais

Fun House Empreendimentos Imobiliários Ltda

Fun House Empreendimentos Imobiliários Ltda Fun House Empreendimentos Imobiliários Ltda Residencial Montclair Sala de Estar Academia Playground Implantação Planta Baixa Pavimento Tipo Planta Baixa Apto 201 a 1001 Planta Baixa Apto 202 a 1002 Planta

Leia mais

Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. ampla. Construções & Reformas

Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. ampla. Construções & Reformas Na hora de reduzir os custos da sua reforma, não adianta só subtrair. É preciso também somar experiência. Quem Somos Ampla é uma empresa focada em execução de obras com estrutura própria e qualidade. Oferecemos

Leia mais

Steel frame - fechamento (parte 3)

Steel frame - fechamento (parte 3) Página 1 de 6 Steel frame - fechamento (parte 3) Hotel Villa Rossa, fechamento em steel frame No segundo artigo desta série sobre steel frame, abordamos a estrutura da edificação. Nela são aplicadas as

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE 3.ª SÉRIE

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO 1.ª SÉRIE 2.ª SÉRIE 3.ª SÉRIE MATRIZ CURRICULAR CURSO: GRADUAÇÃO: REGIME: DURAÇÃO: INTEGRALIZAÇÃO: ARQUITETURA E URBANISMO BACHARELADO SERIADO ANUAL - NOTURNO 05 (CINCO) ANOS LETIVOS MÍNIMO: 05 (CINCO) ANOS LETIVOS A) TEMPO TOTAL:

Leia mais

PROCESSO IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA Nº I - APRESENTAÇÃO II - INFORMAÇÕES GERAIS III - ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS IV - PLANTAS HUMANIZADAS E FACHADAS

PROCESSO IDENTIFICAÇÃO VERSÃO FOLHA Nº I - APRESENTAÇÃO II - INFORMAÇÕES GERAIS III - ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS IV - PLANTAS HUMANIZADAS E FACHADAS MD - Memorial Descritivo do João Machado MD 005 7 1 / 14 S U M Á R I O I - APRESENTAÇÃO II - INFORMAÇÕES GERAIS III - ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS IV - PLANTAS HUMANIZADAS E FACHADAS Elaborado/revisado por:

Leia mais

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II

IMPERMEABILIZAÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II IMPERMEABILIZAÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II SISTEMAS DE IMPERMEABILIZAÇÃO Conjunto de produtos e serviços destinados a conferir

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo FIPAI FUNDAÇÃO PARA O INCREMENTO DA PESQUISA E DO APERFEIÇOAMENTO INDUSTRIAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENGENHARIA DE SÃO CARLOS Departamento de Arquitetura e Urbanismo Relatório Avaliação pós-ocupação

Leia mais

Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto. Públio Penna Firme Rodrigues

Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto. Públio Penna Firme Rodrigues Tratamento de Superfície de Pisos de Concreto Públio Penna Firme Rodrigues Públio Penna Firme Rodrigues Graduado em Engenharia Civil pela Escola de Engenharia Mauá, Mestre em Engenharia pela EPUSP (Escola

Leia mais

SOBERANO RESIDENCE MEMORIAL DESCRITIVO

SOBERANO RESIDENCE MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO CONDIÇÕES GERAIS: Estas especificações fazem parte integrante dos Contratos de Compra e Venda das unidades do Prédio Residencial denominado Soberano Residence. 1- DADOS INICIAIS: 1.1

Leia mais

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas

Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas Maio 2011 Recife Fabio Villas Bôas 1 FULL SERVICE - INCORPORAÇÃO / CONSTRUÇÃO / VENDAS 34 ANOS DE MERCADO; 1851 COLABORADORES PRÓPRIOS; 6415 COLABORADORES TERCEIROS; MAIS DE 2,7 MILHÃO DE M 2 LANÇADOS

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q.

MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. MEMORIAL DESCRITIVO DE PAVIMENTAÇÃO ASFÁLTICA C.B.U.Q. Inter.: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CATANDUVA. 1. PESQUISA: Os logradouros contemplados com a pavimentação asfáltica deverão ser objeto de análise

Leia mais

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA

1. NORMAS DE PROJETO E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O PROJETO DE ARQUITETURA NORMAS TÉCNICAS E QUE INCIDEM SOBRE ESPECIFICAÇÃO 1 DE 15 DESCRIÇÃO 1. NORMAS DE E ESPECIFICAÇÃO DE MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS 1.1. NORMAS QUE INCIDEM SOBRE O DE ARQUITETURA 1.1.1. Projeto de arquitetura

Leia mais

Id Nome da tarefa Trabalho Duração Início Término Predecessoras Nomes dos recursos

Id Nome da tarefa Trabalho Duração Início Término Predecessoras Nomes dos recursos 0 Cronograma A CASA 16.263 hrs 654 dias Ter 01/09/09 Qui 12/04/12 1 1 Gerenciamento do Projeto 904 hrs 56,5 dias Ter 01/09/09 Seg 23/11/09 2 1.1 Gerenciamento de Integrações 32 hrs 2 dias Ter 01/09/09

Leia mais

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo.

Argamassa TIPOS. AC-I: Uso interno, com exceção de saunas, churrasqueiras, estufas e outros revestimentos especiais. AC-II: Uso interno e externo. Especificações Técnicas Argamassa INDUSTRIALIZADA : Produto industrializado, constituído de aglomerantes e agregados miúdos, podendo ainda ser adicionados produtos especiais (aditivos), pigmentos com a

Leia mais

ATERRAMENTO ELÉTRICO 1 INTRODUÇÃO 2 PARA QUE SERVE O ATERRAMENTO ELÉTRICO? 3 DEFINIÇÕES: TERRA, NEUTRO, E MASSA.

ATERRAMENTO ELÉTRICO 1 INTRODUÇÃO 2 PARA QUE SERVE O ATERRAMENTO ELÉTRICO? 3 DEFINIÇÕES: TERRA, NEUTRO, E MASSA. 1 INTRODUÇÃO O aterramento elétrico, com certeza, é um assunto que gera um número enorme de dúvidas quanto às normas e procedimentos no que se refere ao ambiente elétrico industrial. Muitas vezes, o desconhecimento

Leia mais

Memorial Descritivo de Acabamentos

Memorial Descritivo de Acabamentos Memorial Descritivo de Acabamentos Nome do Empreendimento: CRISRETELI RESIDENCE Endereço: AVENIDA COPACABANA ESQUINA COM A RUA OURO PRETO, S/N PRAIA DO MORRO GUARAPARI / ES Incorporação: AS FILHOS CONSTRUÇÕES

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares - Vários tipos de lavagem e limpeza podem ser utilizados no processo de fabricação e manutenção industrial, requerem atenção na localização devido aos produtos utilizados e na condição de execução do serviço;

Leia mais

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA

Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA Assessoria de Arquitetura e Engenharia MEMORIAL DESCRITIVO DE PROJETO DE REFORMA CENTRO DE APOIO PSICOSOCIAL CASA VERDE - CAPS E CENTRO DE ESTUDOS A ATENÇÃO AO ALCOOLISMO E OUTRAS DEPENDÊNCIAS CEAAD COMPLEXO

Leia mais

Manual de Colagem Silicone Glazing

Manual de Colagem Silicone Glazing Sumário Sumário... 2 1. Introdução... 3 2. Tipos de Selante Estrutural... 3 2.1. Selante estrutural monocomponente... 3 2.2. Selante estrutural bi componente... 3 3. Antes de Começar a Colar... 4 4. Procedimento

Leia mais

Dias 12 e 13 de setembro de 2009 (sábado e domingo)

Dias 12 e 13 de setembro de 2009 (sábado e domingo) Dias 12 e 13 de setembro de 2009 (sábado e domingo) Reforma ecológica de casas, apartamentos, escritórios e indústrias 2º Módulo Curso inédito do IDHEA Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES EM APARTAMENTOS

PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES EM APARTAMENTOS PROCEDIMENTOS PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES EM APARTAMENTOS Para solicitar modificações nos apartamentos, o cliente deverá vir até a empresa em horário comercial no setor de Projetos com sua carta de

Leia mais

Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi

Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi Concreto e Postes de Concreto Diego Augusto de Sá /Janaína Rodrigues Lenzi INTRODUÇÃO: Neste trabalho será apresentado um apanhado sobre as diversas formas de concreto e agregados bem como o seu uso, dando

Leia mais

SIGMA IMPERMEABILIZANTE 1

SIGMA IMPERMEABILIZANTE 1 1 A manta líquida SIGMA foi especialmente desenvolvida para ser aplicada nas áreas da construção civil formando uma camada impermeável e elástica, impedindo a umidade e infiltração de água em materiais

Leia mais