As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação. Compartilhe este guia:"

Transcrição

1 As 5 grandes tendências em tecnologia para Educação 1

2 Introdução: A educação iniciou o século XXI de maneira bastante disruptiva. Uma série de inovações por parte de educadores e alunos fez com que os responsáveis pelas instituições de ensino em todo o mundo precisassem rever os conceitos e os métodos educacionais, com foco em um um novo mundo conectado e interativo. Isso aconteceu devido à introdução da tecnologia em escolas primárias, secundárias, de educação especial e especialmente universidades. Com soluções de áudio, vídeo, materiais disponíveis online, entre outras possibilidades que são criadas todos os dias na sala de aula, os educadores encontraram maneiras de transformar o ensino e renovar o interesse dos alunos em uma época onde a disputa por atenção é constante. Confira as 5 grandes tendências em tecnologia para Educação neste e-book que a Comstor preparou para você. 2

3 Índice 3 Novas Estruturas e Modelos de Financiamento 6 Relação entre professores, pais e alunos Processos de aprendizagem Interativos Evolução das avaliações educacionais com base nas novas tecnologias Tecnologia, inovação e educação

4 Novas Estruturas e Modelos de Financiamento O uso de tecnologias de ponta na educação tem como foco a amplificação básica de atividades de ensino e aprendizado que já existem. Evoluções importantes estão desafiando as estruturas tradicionais da escola, tanto em termos de quando e onde a aprendizagem ocorre, como a forma de receber apoio e financiamento. Já é possível que estudantes e professores trabalhem em conjunto, ultrapassando as barreiras comuns e restrições da educação formal e tradicional. Isso porque a tecnologia está possibilitando uma revolução na educação padronizada do século passado. Por exemplo, em uma pesquisa feita pela Common Sense Media, 96% dos professores americanos afirmaram que a tecnologia na educação aumenta bastante o engajamento dos estudantes na sala de aula. Além disso, quase 90% dos professores também concordam que o uso de novas tecnologias na educação é absolutamente essencial em sala de aula. Isso vem permitindo a formação de novos grupos de estudo em volta dos interesses de cada aluno ou a partir de uma filosofia de ensino específica. Essa tendência de estruturar uma sala de aula ou grupo de estudos por interesses e vocações é o que pode ser chamado de personalização da educação. Um exemplo interessante para ilustrar esse conceito de personalização da educação, com base em interesses individuais dos alunos, é a comunidade global Rafi.ki, que possui membros de mais de 1700 escolas em mais de 120 países, com diversos fusos-horários. 3

5 Novas Estruturas e Modelos de Financiamento perceber como a tecnologia está unindo interesses e preocupações globais e locais, algo definido como glocalization. Essas iniciativas dão ênfase ao valor do conhecimento local e da sensibilidade com relação às preocupações locais, enquanto o trabalho é feito em uma escala global, através da Internet e de todas as conexões que estão sendo criadas entre as pessoas. E para que as escolas e universidades possam usufruir das conexões e do compartilhamento de conhecimentos que a Internet proporciona, é preciso que a infraestrutura tecnológica seja desenvolvida e eficiente. Para isso, as escolas e universidades precisam renovar seus sistemas, de modo a preparar toda a infraestrutura para as novas tecnologias que estão surgindo ou que já estão consolidadas. Nessa rede, os colaboradores exploram importantes conceitos de educação global como direitos humanos, mudanças climáticas e a cidadania da comunidade global (global community citizenship), que funciona como uma rede de compartilhamento de informações, trabalho e ajuda humanitária entre nações. Através dessa comunidade virtual podemos Algumas das principais opções de financiamento para educação são os subsídios governamentais, que dão suporte para iniciativas de TI em educação a nível local ou estadual, e financiamentos privados de empresas de TI, que oferecem opções competitivas e flexíveis para melhorar as infraestruturas tecnológicas das escolas e 4

6 Novas Estruturas e Modelos de Financiamento universidades. Através dessas opções, é possível implementar as novas tecnologias nas salas de aula e nas instituições, trazendo eficiência tanto para a equipe de docentes quanto para os alunos, que terão um aproveitamento muito maior das aulas. Em resumo, os principais desafios que as novas estruturas e modelos de financiamento trazem são: - Adequar ou adaptar novos locais para a aprendizagem; - Modificar as formas de ensino e aprendizado, fora dos padrões tradicionais; - Dar suporte aos alunos na criação grupos de estudo sobre áreas de interesse comum; - Desenvolver novas maneiras para captar recursos, compartilhando as responsabilidades tradicionais do governo com relação à educação com outras empresas privadas. 5

7 Relação entre professores, pais e alunos Após inúmeras experiências feitas em vários países, algumas escolas e universidades estão adotando novas abordagens de ensino, nas quais professores e estudantes se tornam co-alunos, transformando as salas de aula em um local de aprendizado colaborativo. A ideia é fazer com que os estudantes participem mais das aulas e não sejam apenas direcionados ou instruídos por um docente, dando a eles oportunidades de agir como mentores, auxiliando outros alunos e, em alguns casos, os próprios professores. Esse novo cenário pode oferecer aos alunos um panorama mais atual sobre o sistema educacional e maior independência no aprendizado. Um exemplo interessante sobre isso é o da Consolarium, empresa que cria métodos de aprendizagem baseados em jogos. Ela testou seus produtos em algumas escolas da Escócia e conseguiu inverter a relação professor/aluno oferecendo às crianças a oportunidade de se tornarem especialistas nos jogos e atuarem como mentores para os seus colegas e professores. A ideia foi transformar alunos em pesquisadores envolvidos em todo processo de aprendizado, passando pelos seus objetivos pessoais, até na participação na escolha de um professor. Esse conceito é chamado de Flipped Classroom, que fornece uma personalização na abordagem do conteúdo. 6

8 Relação entre professores, pais e alunos O que devemos observar também é que a relação aluno/professor vem se transformando nos últimos anos devido ao Blended Learning. Esse tipo de aprendizado tem como princípio básico a utilização de gadgets por parte dos alunos para modificar e complementar o aprendizado. No ensino tradicional, o aluno assiste a aula e faz exercícios sobre o conteúdo em casa. Hoje, já é possível fazer o caminho contrário, ou seja, assistir a aula em algum dos gadgets e fazer exercícios em sala de aula, com auxílio do professor e dos colegas de classe. Esse é o futuro do ensino nas escolas e universidades, visto que 96% dos professores acreditam que a tecnologia em sala de aula aumenta o engajamento do aluno com o conteúdo. Além disso, 87% das crianças americanas preferem receber conteúdo digital ao invés de livros impressos. Outro ponto interessante, este já mais relacionado à participação dos pais no aprendizado da criança, mostra que alunos que possuem pais mais presentes em sua educação costumam adquirir um desempenho mais alto na escola. A tecnologia entra aqui como fator determinante. Com sistemas educacionais conectados e portais personalizados dedicados exclusivamente aos pais, é possível que eles se informem sobre as avaliações de seus filhos, notas, participação em aula, comportamento, e muitas outras informações. Além disso, é muito mais fácil participar de reuniões com professores e diretores, através de ferramentas de vídeochamada. 7

9 Processos de aprendizagem Interativos Os processos de aprendizagem que ocorrem dentro e fora das salas de aula estão cada vez mais integrados, seja em casa, no interior das comunidades, ou mundo afora. Esse aprendizado pode ser formal ou informal, refletindo tanto padrões curriculares preestabelecidos pelas instituições de ensino, quanto o aprendizado iniciado pelo interesse e entusiasmo do próprio aluno. Como já foi dito, a educação vem se transformando muito nos últimos 20 anos, através das tecnologias da comunicação. Com essa transformação, os educadores estão enfrentando um novo desafio pedagógico: resgatar o interesse e o estímulo dos estudantes. A Flipped Classroom ou classe invertida, por exemplo, é um retrato dos novos formatos de ensino que têm como base a interatividade para atrair os estudantes. Eles já cresceram acostumados a um mundo mais dinâmico, cercado de dispositivos móveis, Internet, TV a cabo, que permitem uma troca de informações muito mais rápida. Isso significa que para estimular o aluno na sala, o método de ensino deve estar pautado na interatividade e na participação ativa do estudante. 8

10 Processos de aprendizagem Interativos Alguns educadores perceberam isso e passaram a transformar o método de ensino de uma maneira ainda mais dinâmica, através de jogos online. Especialistas apontam que os novos modelos de ensino tendem a aproveitar experiências online, por meio de fóruns de discussão e jogos de RPG em mundo virtuais, por exemplo. Essas experiências buscam não apenas o método do aprender fazendo, mas também o aprender interpretando, com o intuito de explorar o potencial de novos contextos e um aprendizado alternativo, que mistura vários formatos de transmissão de conhecimento. A ideia é que este tipo de jogo estimula um raciocínio globalizante, muito importante para a atualidade. Ele deixa para trás o raciocínio linear da maioria dos jogos para assimilar um raciocínio muito maior que busca unir ao mesmo tempo o cenário onde se encontra, os acontecimentos passados, as pessoas a sua volta, suas ações e intenções; os possíveis desdobramentos de cada um desses elementos e as consequências das suas ações e das de seus companheiros. Tudo isso é bastante importante para criar um senso crítico e social nos jovens e prepará-los para um mundo que está se tornando totalmente interativo e conectado. Também é importante observar alguns desafios que os modelos de aprendizado mais sofisticados e abrangentes, baseados em experiências de interpretação podem apresentar, como por exemplo: Garantir que não exista exclusão digital para os estudantes; 9

11 Processos de aprendizagem Interativos Garantir a segurança na Internet com abordagens diferenciadas de desenvolvimento baseadas em atitudes culturais diferentes das mais variadas partes do mundo; Avaliação e aprovação desses modelos de ensino; Desenvolver uma programação de ensino que utilize essas novas oportunidades de aprendizagem; Valorizar o aprendizado que não é, de maneira alguma, parecido com o modelo tradicional, mas talvez corresponda mais às necessidades dos alunos do século XXI. Um exemplo interessante de aprendizado por meio dos jogos de RPG (Role Playing Games), é a utilização deles em projetos de gestão participativa de recursos naturais, através de pesquisas e do apoio às negociações dos conflitos socioambientais. Diversos estudos indicam que esta metodologia é extremamente adequada para lidar com temas mais complicados por meio de um processo de Educação participativa. Por ser mais lúdico, o jogo pode despertar sentimentos e perspectivas que uma reunião tradicional não despertaria com a mesma facilidade. Jogos online de estratégia como Sim City e Age of Empires (o primeiro ensina princípios básicos de administração de cidades e o segundo ensina sobre a história das grandes civilizações do mundo), também se utilizam da Internet como ambiente colaborativo e de conexão para compartilhar conteúdo. Todos esses pequenos exemplos, se utilizados da forma correta e com bom senso, podem se tornar ferramentas dinâmicas nas escolas, utilizando um método mais disruptivo e mais direcionado aos interesses dos alunos hiperconectados do século XXI. Os estudantes 10

12 Processos de aprendizagem Interativos de hoje estão sempre conectados e sempre informados ou buscando informações na Internet, e dificilmente conseguirão prestar atenção total a uma aula com o formato tradicional e padronizado de um professor transmitindo conteúdo de forma estática na lousa. A dinâmica dentro da sala de aula se tornou necessária para que o aluno consiga não só apreender o conteúdo, como também adicionar seus pontos de vista sobre o assunto abordado, além de compartilhar coisas interessantes que possam ter relação com a matéria estudada. Os dispositivos móveis e a conectividade já fazem parte da vida dos estudantes de todas as idades e oferecem coerência ao ambiente multimídia das lousas interativas, criando novas experiências que utilizam a tecnologia como suporte. O que parece claro, a priori, é que o equilíbrio entre o virtual e as aulas presenciais, e entre o aprendizado formal e informal é bastante importante para aproveitar os benefícios dos métodos de ensino mais sofisticados e conectados. 11

13 Evolução das avaliações educacionais com base nas novas tecnologias É evidente que provas avaliatórias possuem um papel importante no processo de aprendizado, para identificar possíveis falhas e dificuldades que o estudante esteja encontrando. No entanto, em muitos casos, as avaliações feitas em escolas e universidades servem apenas para responder às necessidades do sistema educacional, deixando de lado o fornecimento de informações para os alunos que buscam melhorar sua própria performance de aprendizado. Em algumas instituições, uma abordagem mais sofisticada em relação às avaliações já está sendo desenvolvida. Elas estão dando mais ênfase a uma avaliação formativa com base em competências. Isso significa que os alunos estão passando por um processo de avaliação bidirecional, no qual professor e aluno aprimoram, regulam e orientam a forma como aprendem o conteúdo. É o chamado feedback de aprendizagem. Esse processo pode ajudar os estudantes a reconhecerem seus próprios modelos de aprendizagem e a tecnologia tem um papel crucial nesse contato e compartilhamento de feedback entre professor e aluno. 12

14 Evolu;áo das avaliações educacionais com base nas novas tecnlogias Esse formato é capaz de melhorar a habilidade de localizar as realizações e as falhas que precisam ser corrigidas, com mais confiabilidade, precisão e freqüência. Ele possibilita também que estudantes possam controlar mais o que é avaliado, quando essa avaliação acontece e como os resultados delas são utilizados. Um exemplo interessante é da estudante colegial norte-americana Sierra Goldstein, que abandonou o colegial tradicional para se matricular em uma instituição baseada em um novo formato de ensino, que busca individualizar o aprendizado e torná-lo mais acessível e móvel. Para Sierra, o método clássico de transmissão de conhecimento e avaliação educacional era lento e muitas vezes não conseguia trazer resultados positivos para os estudantes do século XXI. Monika Hardy, uma das professoras do instituto Be You Innovation Lab, a escola em que Sierra se matriculou, explica melhor o conceito: A questão aqui não é como melhorar o ensino de matemática para crianças, mas questionar se elas realmente precisam aprender matemática a partir de um certo momento de suas vidas. A ideia é utilizar os dispositivos móveis e seus aplicativos para conectar os alunos com pessoas que já estudam assuntos de mesmo interesse. A busca pela individualidade, senso crítico e personalização do ensino são algumas das características que representam esse novo modelo disruptivo de ensino e avaliação educacional. Essa mudança do paradigma educacional se deve, em grande parte, ao fato de que as novas gerações já nasceram conectadas a dispositivos móveis e à Internet. Essas gerações conectadas exigem um método de ensino muito mais dinâmico e interativo do que o método tradicional. Da mesma forma, o método de avaliação deve ser renovado, através da 13

15 Evolu;áo das avaliações educacionais com base nas novas tecnlogias utilização da tecnologia e da Internet para criar portfólios de trabalhos online dos estudantes, trabalhos que podem ser editados em conjunto, o que possibilitaria uma consciência muito maior de trabalho em grupo, testes online com feedback imediato dos professores. Esses modelos mais livres permitem que uma escola primária deixe suas crianças definirem seus próprios objetivos de estudo e criem projetos significativos tanto para elas quanto para a sociedade. A partir dessa construção diferenciada, os resultados desse formato de avaliação e ensino oferecem ideias valiosas para o processo avaliatório. Essas novas ferramentas também permitem que escolas, professores, mentores e estudantes possam ver os relatórios de avaliação de várias maneiras, fornecendo informações úteis sobre as realizações e as necessidades dos estudantes. Um outro exemplo que pode ilustrar esse cenário é o projeto de avaliação feito em escolas secundárias na Dinamarca. O projeto possibilita o acesso à Internet durante os exames, o que logo pode parecer estranho. No entanto, as provas nessas escolas deixam de ser apenas um instrumento de medição de capacidade de recordar o conteúdo apreendido, e se tornam uma oportunidade de avaliar as habilidades associadas à busca, análise e sintetização de informações que respondam os problemas do mundo real. 14

16 Tecnologia, inovação e educação A inovação na educação não requer necessariamente soluções complexas e super tecnológicas. Ela comumente está ligada a uma nova ideologia ou mudança cultural. O uso de redes sociais, games e fóruns de discussão, por exemplo, são inovações que há pouco tempo ainda não eram aceitas nas escolas e hoje se tornaram parte importante do processo de aprendizado. Alguns estudos sugerem que a utilização de tecnologias as quais os estudantes estejam familiarizados pode aumentar substancialmente o engajamento desses alunos com o aprendizado, bem como a confiança deles com relação às próprias habilidades. Essa utilização de tecnologias pode trazer benefícios, especialmente para estudantes que talvez não tenham alcançado bons resultados em métodos mais tradicionais de ensino. Nos Estados Unidos, por exemplo, um dos países pioneiros no uso de novas tecnologias na Educação, 91% das faculdades já incorporaram as redes sociais no método de ensino e delas já permitem a utilização das redes sociais na própria sala de aula, mostrando um panorama ainda mais amplo para a o uso desses novos recursos educacionais. 15

17 Tecnologia, inovação e educação Esse panorama explicita a relação entre educação e tecnologia e mostra que ela tem mudado bastante nos últimos anos. Até há pouco tempo, ainda existia uma certa dúvida por parte das escolas se a tecnologia realmente promoveria mudanças na educação. Atualmente essa noção já se alterou e as instituições de ensino passaram a entender que a educação e a tecnologia coexistem lado a lado e alteram todo o processo educacional de uma maneira unificada, ou seja, a tecnologia só altera o método de ensino se este se utilizar dela para modificar o processo. Na NotSchool, por exemplo, uma escola inglesa que funciona como alternativa ao método tradicional de ensino, a tecnologia foi implementada no processo de aprendizado desempenhando um papel não disruptivo e sim de suporte. Isso significa que as tecnologias utilizadas lá têm um papel importante de suporte para mudanças no método tradicional de aprendizado dos alunos. 16

18 Tecnologia, inovação e educação É importante enxergar a tecnologia como uma aliada da educação para transformar todo o método de ensino. Especialmente pelo fato de que a nova geração está o tempo todo conectada a diversos dispositivos móveis. Essa conexão constante está mudando toda a concepção de ensino. Isso porque uma parte dos novos estudantes pode até conseguir ser bem sucedida estudando através do método tradicional de ensino, mas ainda assim, eles buscarão novas abordagens, mais interativas e interessantes sobre os assuntos que realmente são importantes para cada um deles. Com o surgimento da Internet, o acesso à informação se tornou simplesmente uma questão de interesse. Por isso, as instituições de ensino tradicionais vêm enfrentando algumas dificuldades. Os estudantes estão buscando as informações por eles mesmos e não mais dependendo apenas da escola para aprender. Algumas escolas e universidades perceberam essa transformação e passaram a adotar algumas tecnologias para auxiliar e trazer mais dinamicidade para as aulas. De outubro de 2010 a outubro de 2012, por exemplo, houve um aumento de 100% no número de estudantes americanos que utilizavam aplicativos do Google voltados para educação. O interessante é observar que na maior parte dos casos, os apps do Google não são usados para ensinar conteúdo e sim como uma plataforma conectada para ensinar, aprender e compartilhar conteúdo, tanto entre alunos quanto entre professores e alunos. Esse crescimento mostra que 20 milhões de alunos americanos utilizam aplicativos do Google para educação. 17

19 Tecnologia, inovação e educação Mesmo com essa mudança no método de ensino das escolas e universidades, ainda existem desafios quanto à introdução de tecnologias na educação. Veja algum deles: Desenvolver uma cultura de inovação Disponibilizar ferramentas como as redes sociais, Internet e novas mídias como suporte para um processo de aprendizado mais profundo, desenhado a partir das necessidades de cada estudante Apoiar um crescimento sustentável do aprendizado de cada aluno a partir de seu próprio desenvolvimento Desenvolver novas práticas de ensino com alto nível de excelência. 18

20 19

21 20

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem

Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Contribuição das Tecnologias da Informação e Comunicação no Processo Ensino-Aprendizagem Prof. Dr. Luis Paulo Leopoldo Mercado Programa de Pós-Graduação em Educação Universidade Federal de Alagoas Conteúdos

Leia mais

Aprimoramento através da integração

Aprimoramento através da integração Aprimoramento através da integração Uma parceria para implementar uma solução de aprendizagem em tempo recorde Visão Geral Com mais de 70 anos de excelência na produção de conhecimento no Brasil, a Fundação

Leia mais

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET

INCLUSÃO TECNOLÓGICA ATRAVÉS DE CONSTRUÇÃO COMPARTILHADA NA INTERNET 110. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

REDES SOCIAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EAD

REDES SOCIAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EAD REDES SOCIAIS NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM NA EAD Curitiba PR - Setembro 2014 Luís Fernando Lopes Centro Universitário UNINTER luis.l@grupouninter.com.br Cecília de Souza Pestana Centro Universitário

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER C. Bringhenti, M. Eng.* E. M. Lapolli, Dra.** G. M. S. Friedlaender, M. Eng* * Doutorandos do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa

Leia mais

II Encontro Nacional de Formação Profissional. Avaliação nos Processos de Ensino e Aprendizagem

II Encontro Nacional de Formação Profissional. Avaliação nos Processos de Ensino e Aprendizagem II Encontro Nacional de Formação Profissional Avaliação nos Processos de Ensino e Aprendizagem Conselho Federal de Nutricionistas Profa. Dra. Maria Antonia Ramos de Azevedo UNESP- Rio Claro UNIVERSIDADE

Leia mais

Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o

Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o Perspectivas das TDIC na Educação Superior Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas - Brasil o Sumário da Intervenção Formatos Digitais para a Educação Superior MOOCs na Educação Superior

Leia mais

Educação, Tecnologias e Formação de Professores

Educação, Tecnologias e Formação de Professores Educação, Tecnologias e Formação de Professores Luís Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas Coordenadoria Institucional de Educação a Distância Universidade Aberta do Brasil Aula Inaugural

Leia mais

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios

Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Educação à Distância: Possibilidades e Desafios Resumo André Alves Freitas Andressa Guimarães Melo Maxwell Sarmento de Carvalho Pollyanna de Sousa Silva Regiane Souza de Carvalho Samira Oliveira Os cursos

Leia mais

Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning

Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning ABRIL/2004 Curso Técnicas de Eletricidade Predial/EaD Uma Experiência em Blended Learning Maria Antonieta Pires dos Santos mariaps@firjan.org.br Ana Beatriz Lima Guedes Monteiro aguedes@firjan.org.br Alexandre

Leia mais

PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA

PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI LAUREATE INTERNACIONAL EDUCATION Klaibert Miranda Jacqueline Cícera Florêncio dos Santos Valter Garoli Mariana Estima do Nascimento PRONTO EDUCAÇÃO PLANO DE GESTÃO DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Tribunais Gestão de Pessoas Aprendizagem Organizacional Educação Corporativa Keyvila Menezes

Tribunais Gestão de Pessoas Aprendizagem Organizacional Educação Corporativa Keyvila Menezes Tribunais Gestão de Pessoas Aprendizagem Organizacional Educação Corporativa Keyvila Menezes 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL Para

Leia mais

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação

Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação Porvir, programa do Instituto Inspirare, lança guia temático Tecnologia na Educação ü Em cinco capítulos, o guia Tecnologia na Educação aborda a importância da tecnologia para a educação; os principais

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

Guia do Facilitador. Aprendizagem Baseada em Projetos. http://www.intel.com/educacao. Série Elementos Intel Educar Aprendizagem Baseada em Projetos

Guia do Facilitador. Aprendizagem Baseada em Projetos. http://www.intel.com/educacao. Série Elementos Intel Educar Aprendizagem Baseada em Projetos Série Elementos Intel Educar Guia do Facilitador http://www.intel.com/educacao Copyright 2010 Intel Corporation. Página 1 de 19 Termos de Uso para o Guia do Facilitador da Série Elementos Intel Educar

Leia mais

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 369 PROJETO SOCIAL CITY PETRÓPOLIS: NOVOS HORIZONTES NA APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Jorge Leonardo Garcia (Uni-FACEF) Sílvia Regina Viel Rodrigues (Uni-FACEF) O Ensino da Matemática Hoje As aulas típicas

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.

O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência. Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com. O papel das TIC acessíveis para a educação inclusiva das Pessoas com Deficiência Rita Bersch Assistiva Tecnologia e Educação www.assistiva.com.br Educação e Desenho Universal FATO: NA ESCOLA SOMOS TODOS

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes 1) O que é o projeto Inovaeduc? O projeto Inovaeduc é um projeto pedagógico / educacional que contempla um conjunto de soluções tecnológicas educacionais que objetivam

Leia mais

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo SILVEIRA, Lisiane Fernandes da 1 - UFPR FINK, Rosane 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 A GESTÃO ESCOLAR E O POTENCIAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP

UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CENTRO DE EDUCAÇÃO ABERTA E A DISTANCIA PROJETO BÁSICO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM PRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDO NA EAD CURSO PARA DOCENTES DA UFOP 2007 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM CIÊNCIAS ATRAVÉS DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS

A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM CIÊNCIAS ATRAVÉS DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM CIÊNCIAS ATRAVÉS DE ATIVIDADES INVESTIGATIVAS TÓFFOLO, M.M.; de OLIVEIRA, S.S.; VAN-DAL, P.C. 1 A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM CIÊNCIAS ATRAVÉS DE

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

Coleção Dois. Blended. Learning. potencializando a aprendizagem por meio da tecnologia

Coleção Dois. Blended. Learning. potencializando a aprendizagem por meio da tecnologia Blended Learning potencializando a aprendizagem por meio da tecnologia 4 Coleção Dois Olá! A experiência do LAB SSJ em desenvolver soluções de aprendizagem nos mostra que estamos vivenciando uma nova

Leia mais

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Marília DALENOGARE 2 Aline MARTINS 3 Camila Pilla de Azevedo e SOUZA 4 Dieison MARCONI 5 Josafá Lucas ROHDE 6 Luciano MIRANDA 7 Universidade Federal de

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE COMPUTAÇÃO: UM GAME PARA O ENSINO DE ALGORITMOS

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE COMPUTAÇÃO: UM GAME PARA O ENSINO DE ALGORITMOS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO ENSINO DE COMPUTAÇÃO: UM GAME PARA O ENSINO DE ALGORITMOS Guilherme Roberty Goulart 1 Renato Oliveira Abreu 2 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Educação Integral Inovadora na Perspectiva do Inspirare

Educação Integral Inovadora na Perspectiva do Inspirare Educação Integral Inovadora na Perspectiva do Inspirare Cenário: A concepção de Educação Integral Inovadora defendida pelo Inspirare parte de três fenômenos que impactam o futuro do mundo e, consequentemente,

Leia mais

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE Diogo Cabral de Sousa (1); Augusto José Silva Firmo (1); Lucas de Luna Lima (2); Rafaela Quinto da Costa Melo (3); José Luiz Cavalcante

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES 1 A LDB, no Titulo VI, trata dos Profissionais da Educação, considerando sob essa categoria não só os professores, que são responsáveis pela gestão da sala de aula, mas

Leia mais

Educação a Distância. Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira. Resumo

Educação a Distância. Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira. Resumo Educação a Distância Arthur Rocha Palmeira Mariana Marques Pinheiro Michelle Dias Alves Rafael Fonseca Ferreira Resumo Educação a distância é uma modalidade de educação mediada por tecnologias e ocorre

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 PERCEPÇÃO DOS ALUNOS SOBRE SUA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Brasília - DF- Fevereiro 2013 Priscila Alessandra da Silva Universidade Federal de Brasília priscilaalesilva@gmail.com Fernanda Carla Universidade

Leia mais

Curso: Formação de Formadores em Educação a Distância

Curso: Formação de Formadores em Educação a Distância Curso: Formação de Formadores em Educação a Distância Data de início: 28 de março de 2012 Data de término: 6 de maio de 2012 CARGA HORÁRIA: 40 horas DESCRIÇÃO: O curso de Formação de Formadores em Educação

Leia mais

FORMAÇÃO ON-LINE DE PROFESSORES PARA APRENDIZAGEM POR MEIO DE PROJETOS. São Paulo 05/2011

FORMAÇÃO ON-LINE DE PROFESSORES PARA APRENDIZAGEM POR MEIO DE PROJETOS. São Paulo 05/2011 1 FORMAÇÃO ON-LINE DE PROFESSORES PARA APRENDIZAGEM POR MEIO DE PROJETOS São Paulo 05/2011 Claudia Stippe Rodrigues Instituto Paramitas claudiastippe@institutoparamitas.org.br Mary Grace Pereira Andrioli

Leia mais

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino Unidade III ESPECIALIZAÇÕES DO MARKETING Profa. Cláudia Palladino Marketing social Atuação das empresas hoje e a Responsabilidade social: Obtenção de insumos e processamento de matéria prima de maneira

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Nilson Duarte Rocha 1 Lúcio Jorge Hammes 2 Resumo Este artigo apresenta a epistemológica para a efetivação de uma educação ambiental transformadora do sujeito-aluno

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE PARA O ENSINO DE MATRIZES E DETERMINANTES

UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE PARA O ENSINO DE MATRIZES E DETERMINANTES UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE PARA O ENSINO DE MATRIZES E DETERMINANTES Jailson Lourenço de Pontes Universidade Estadual da Paraíba jail21.jlo@gmail.com Renata Jacinto da Fonseca Silva Universidade Estadual

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ A Revolução do Ensino a Distância Enir da Silva Fonseca Coordenador de Pólo EAD Campus Guarujá UNAERP - Universidade de Ribeirão Preto

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL A língua espanhola na Educação Básica A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161, que diz respeito à sua oferta

Leia mais

Rua Baronesa do Engenho Novo, 189 Eng. Novo - Rio de Janeiro - RJ. Rua Buenos Aires, 12 / 12 o andar Centro - Rio de Janeiro - RJ

Rua Baronesa do Engenho Novo, 189 Eng. Novo - Rio de Janeiro - RJ. Rua Buenos Aires, 12 / 12 o andar Centro - Rio de Janeiro - RJ Manual do Cursista Copyright COP EDITORA LTDA. Todos os direitos reservados a COP EDITORA LTDA. Essa é uma co-edição entre a COP EDITORA LTDA e a FUNAGER - Fundação Nacional de Apoio Gerencial. Proibida

Leia mais

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA

REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA REFLEXÃO SOBRE 10 INOVAÇÕES NA EDUCAÇÃO SUPERIOR MUNDIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS PARA A GESTÃO UNIVERSITÁRIA NO BRASIL RYON BRAGA 2 PREVISÕES ANTERIORES SEMINÁRIO ABMES DE 2005 1 CRESCIMENTO DAS CLASSES C

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Prof. Cassimiro Nogueira Junior PESSOAS CAPITAL HUMANO CAPITAL INTELECTUAL GRAU DE CONHECIMENTO: PRODUTIVOS E RECONHECIDOS

Leia mais

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com

CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com CLOUD COMPUTING NAS EMPRESAS: NUVEM PÚBLICA OU NUVEM PRIVADA? nubeliu.com SUMÁRIO Introdução... 4 Nuvem pública: quando ela é ideal... 9 Nuvem privada: quando utilizá-la... 12 Alternativas de sistemas

Leia mais

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE

ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE ANÁLISE DE PERFIL E NECESSIDADES DOS ALUNOS: FATORES DETERMINANTES PARA A MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM NA TUTORIA DA EAD SEBRAE Florianópolis - SC Abril 2015 Aline Linhares F. Silveira. IEA e-learning- aline.silveira@iea.com.br

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância

Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância 1 Uso da Telefonia Móvel: Uma Ferramenta de Interação para a Aprendizagem a Distância 05/2008 Maria de Fátima Rodrigues de Lemos Núcleo de Educação a Distância - NEAD / Unidade Estratégica de Desenvolvimento

Leia mais

profunda. São questões que nortearam a pesquisa: Como o aluno se percebe no processo de interatividade do curso? Como se dá o acesso ao conhecimento?

profunda. São questões que nortearam a pesquisa: Como o aluno se percebe no processo de interatividade do curso? Como se dá o acesso ao conhecimento? EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA: A CULTURA (DE) ORGANIZADORA DO REAL THOMAZ, Sueli Barbosa UNIRIO BITTENCOURT, Cristiane UNIRIO GT-11: Política de Educação Superior I Introdução Este texto é parte integrante

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância.

Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância. 1 Facebook utilizado como um Objeto de aprendizagem para ajudar os estudantes do Instituto Federal do Paraná, no formato de educação a distância. Outubro/ 2014 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal

Leia mais

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador

TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E DA INFORMAÇÃO: novos desafios para o educador Maceió AL, maio/2009 Luis Paulo Leopoldo Mercado Universidade Federal de Alagoas lpmercado@oi.com.br Categoria: B- Conteúdos e

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

GUIA DO PROGRAMA INTEL EDUCAR

GUIA DO PROGRAMA INTEL EDUCAR GUIA DO PROGRAMA INTEL EDUCAR ÍNDICE O que é o Programa Intel Educar...3 Fundamentos Básicos......4 Fórum de Liderança......9 Série Elementos...15 Aprendizagem Baseada em Projetos......17 Avaliação na

Leia mais

PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE

PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE PRÁTICAS, EXPERIÊNCIAS, CULTURA ESCOLAR: QUESTÕES QUE ENVOLVEM A PRÁTICA DOCENTE DAMKE, Anderléia Sotoriva - UFMS anderleia.damke@yahoo.com SIMON, Ingrid FADEP ingrid@fadep.br Resumo Eixo Temático: Formação

Leia mais

Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional. A EAD na Educação Profissional

Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional. A EAD na Educação Profissional Curso de Especialização em Docência para Educação Profissional A EAD na Educação Profissional Globalização O Cenário Internacional Mudanças socioeconômicas: intensificação dos processos de integração e

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA

GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA www.uniube.brpropepmestradorevista GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA SILVA, Eduardo Alex Carvalho Ribeiroi Lívia Rodrigues Acadêmico do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas do Centro Federal

Leia mais

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar

A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar A Aplicação das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) no Ambiente Escolar Tatiana Medeiros Cardoso Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de Maio, 141 95.520-000 Osório RS Brasil tati.info@gmail.com

Leia mais

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem.

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem. ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Débora Janaína Ribeiro e Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba debora_jr10@yahoo.com.br Resumo Este trabalho teve como

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: AS NOVAS TECNOLOGIAS E O PAPEL DO TUTOR NA PERSPECTIVA DA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: AS NOVAS TECNOLOGIAS E O PAPEL DO TUTOR NA PERSPECTIVA DA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: AS NOVAS TECNOLOGIAS E O PAPEL DO TUTOR NA PERSPECTIVA DA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Campo Grande MS abril de 2011 Ari Gonçalves Silva Universidade Anhanguera Uniderp laquicho13@yahoo.com.br

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA

WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA WEBQUEST: UM RECURSO TECNOLÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÃTICA Patrícia Sândalo Pereira UNIOESTE Foz do Iguaçu patriciasandalop@uol.com.br Cleonice Salateski Colégio Estadual Alberto Santos Dumont maucleo@seed.pr.gov.br

Leia mais

Que as novas tecnologias de

Que as novas tecnologias de Resenha A teoria e a prática de EAD GIUSTA, Agnela da Silva; FRANCO, Iara Melo (orgs.). Educação a Distância: uma articulação entre a teoria e a prática Paulo Roberto Salles Garcia Mestre em Comunicação

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA - 1 - A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA Tecnologias e Mídias Educacionais Marilei Andrade S. Bülow Mestranda em Educação PUCPR Elizete Lúcia Matos

Leia mais

Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais.

Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais. Crescimento: uma nova abordagem para levar o sistema educacional de Salvador a um avanço e uma transformação radicais. DAVID ALBURY Diretor, Innovation Unit (UK) www.innovationunit.org Diretor de Projetos

Leia mais

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA Tema debatido na série Integração de tecnologias, linguagens e representações, apresentado no programa Salto para o Futuro/TV Escola, de 2 a 6 de maio de 2005 (Programa 1) INTEGRAÇÃO DE MÍDIAS E A RECONSTRUÇÃO

Leia mais

EaD = O futuro é agora!

EaD = O futuro é agora! Objetivos EaD = O futuro é agora! Apresentar e discutir os princípios fundamentais da EaD; Mostrar a evolução desta tecnologia no Brasil; Apresentar a proposta de EaD para os Formadores do Saber. Prof.

Leia mais

O USO DOS DISPOSITIVOS MÓVEIS E FACEBOOK NO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DO TIPO ETNOGRÁFICO.

O USO DOS DISPOSITIVOS MÓVEIS E FACEBOOK NO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DO TIPO ETNOGRÁFICO. O USO DOS DISPOSITIVOS MÓVEIS E FACEBOOK NO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DO TIPO ETNOGRÁFICO. Jessica Kelly Sousa Ferreira PPGFP-UEPB jessicaferreiraprofe@gmail.com INTRODUÇÃO Este estudo busca analisar como a

Leia mais

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA

ESCOLA DE APLICAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO. 24 de outubro de 2010. Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará ------/UFPA Serviço Público Federal Universidade Federal do Pará Concurso Público para a Carreira do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico ESCOLA DE APLICAÇÃO ------/UFPA 24 de outubro de 2010 INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

Leia mais

Guia para líderes em educação

Guia para líderes em educação Guia para líderes em educação Índice O que é o Duolingo?...3 Como funciona o Duolingo?...4 Mantendo a motivação dos alunos...5 Aprender e ensinar...6 Ideias fáceis para a sala de aula...7 Aproveitando

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ DIOSKELLY ABDO² LORHANNY RODRIGUES SANTOS³ LILIANA ARAUJO⁴ MARCO AURÉLIO CAIXETA⁵ PEDRO

Leia mais

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web

2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web 2 Ergonomia aplicada na EAD em ambiente web A eficiência da educação a distância (EAD) depende da contribuição de diversas disciplinas. É comum encontrarmos estudos nas áreas da ciência da computação,

Leia mais

TIC como instrumento de apoio ao Acesso a Informação: novas demandas e oportunidades

TIC como instrumento de apoio ao Acesso a Informação: novas demandas e oportunidades TIC como instrumento de apoio ao Acesso a Informação: novas demandas e oportunidades Prof. José Carlos Vaz Universidade de São Paulo Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH-USP) TIC como instrumento

Leia mais

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi 140 Saber Digital O USO DA TECNOLOGIA EM PROL DA EDUCAÇÃO: IMPORTÂNCIA, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO E DOCENTES COM A INTEGRAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS À EDUCAÇÃO. Gabriela

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1

SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 QUEIROZ, Antônia Márcia Duarte Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais- IFSULDEMINAS Universidade

Leia mais

Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ

Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ Implantação de um Laboratório de Trabalho Colaborativo e de Simulação no CEFET-RJ Antonio José C. Pithon (CEFET-RJ) pithon@cefet-rj.br Marina Rodrigues Brochado (CEFET-RJ) marina@cefet-rj.br Resumo Atualmente

Leia mais

OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO

OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO Resumo FIALHO, Neusa Nogueira FACINTER neusa_nf@yahoo.com.br Área Temática: Educação: Teorias, Metodologias e Práticas. Não contou com financiamento A falta

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino.

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino. AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS DISCIPLINAS TÓPICOS ESPECIAIS EM MATEMÁTICA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA Maria da Conceição Alves Bezerra Universidade Federal da Paraíba UFPB VIRTUAL

Leia mais

Bom dia, Formar cidadãos éticos, com

Bom dia, Formar cidadãos éticos, com Gestão Pedagógica capa Por Carolina Mainardes carolina@humanaeditorial.com.br Bom dia, Escolas assumem o desafio de ensinar valores e formar cidadãos completos, em cenário que contempla famílias compenetradas

Leia mais

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS

Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Linha de Pesquisa 1: ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUAS Tem como objetivo o estudo dos processos de ensino e aprendizagem de línguas materna e estrangeiras e, em especial, do papel da linguagem no desenvolvimento

Leia mais

A Educação Artística na Escola do Século XXI

A Educação Artística na Escola do Século XXI A Educação Artística na Escola do Século XXI Teresa André teresa.andre@sapo.pt Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Caldas da Rainha, 1 de Junho de 2009 1. A pós-modernidade provocou

Leia mais

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação.

Palavras chave: texto, gêneros textuais, ensino, PCN, educação. Karen Alves de Andrade 1 RESUMO A inserção dos gêneros textuais no ensino vem mudando a dinâmica da educação em língua portuguesa em nosso país. A importância de se trabalhar a língua em uso, através de

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais

O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais O que aprendi sobre avaliação em cursos semipresenciais José Moran Pesquisador, Professor, Conferencista e Orientador de projetos inovadores na educação. Publicado em: SILVA, Marco & SANTOS, Edméa (Orgs).

Leia mais

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs O USO DO BLOG NO PROCESSO EDUCACIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA CÂNDIDA ZASSO DE NOVA PALMA. Franciele Liliane Vendruscolo 1 Kássia Quadros Ferreira 2

Leia mais

RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ

RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ Débora Patrícia Miranda 1 Letícia dos Santos Marangoni Sigoli Ronaldo Celso Viscovini Vanessa de Araújo Zanquetta INTRODUÇÃO

Leia mais

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br

Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Rua Pinto Bandeira, 292 - Centro Histórico 51.3076.0660 fag@faculdadegaucha.com.br Índice Quem é o Pedagogo?... Qual a duração do curso?... Quais os objetivos do curso?... E os campos de atuação?... Que

Leia mais

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL

ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL ESTRATÉGIAS PARA O DESENVOLVIMENTO DE UM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM: UM ESTUDO DE CASO REALIZADO NA UNISUL VIRTUAL DAFNE FONSECA ARBEX 1 DÊNIA FALCÃO DE BITTENCOURT 2 UNISUL VIRTUAL RESUMO O objetivo

Leia mais

Informações gerais Colégio Decisão

Informações gerais Colégio Decisão 1 Informações gerais Colégio Decisão 2 Carta da Diretora Colégio Decisão Venha, que estamos de portas abertas para você. Carta da Direção Prezados país e responsáveis, A Organização de uma escola pede

Leia mais

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS Letícia Luana Claudino da Silva Discente de Psicologia da Universidade Federal de Campina Grande. Bolsista do Programa de Saúde. PET/Redes

Leia mais

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA Maria Antônia Tavares de Oliveira Endo mariantonia@cead.ufop.br Curso de Geografia 1900 Paulo

Leia mais

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento

Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Planejamento e Gestão das disciplinas na modalidade a distância em Cursos de Graduação Presencial: Conteúdo, Aprendizagem e Construção do Conhecimento Maio/2010 AMARAL, Rita de Cássia Borges de Magalhães

Leia mais