Progestágenos na anticoncepção: Desogestrel e Levonorgestrel

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Progestágenos na anticoncepção: Desogestrel e Levonorgestrel"

Transcrição

1 PRO MATRE Progestágenos na anticoncepção: Desogestrel e Levonorgestrel Isabel L.A.Corrêa

2 FARMACOLOGIA CLÍNICA Derivados da 19 Nortestosterona 1ª geração - NORENTINODREL 2ª geração NORETISTERONA e metabólitos LEVONORGESTREL e derivados 3ª geração DESOGESTREL/ETONOGESTREL GESTODENO Sitruk-Ware, Maturitas, 2004

3 FARMACOLOGIA CLÍNICA Afinidade aos receptores androgênicos - bioensaios: Testosterona-100% Levonorgestrel-70% Desogestrel-40% Kumar et al, Steroids, 2000

4 Apresentações comerciais LEVONORGESTREL ( LNG) Oral Combinado 100 µg + Etinil Estradiol 20 µg ( Level ) 150 µg + Etinil Estradiol 30 µg ( Nordette, Ciclo 21, Microvlar ) 250 µg + Etinil Estradiol 50 µg (Evanor, Neovlar ) 500 µg + Etinil Estradiol 50 µg ( Anfertil ) Trifásico (Trinordiol, Triquilar ) Progestágeno isolado (minipílula) 30 µg (Nortrel, Minipil ) 75 µg ( Postinor,Pozatto ) DIU medicado 20 µg/ dia ( Mirena ) Implante subdérmico 216µg ( Norplant )

5 Apresentações comerciais DESOGESTREL (DSG) Oral Combinado 150 µg + Etinil Estradiol 20 µg ( Mercilon, Primera 20, Femina, Minian ) 150 µg + Etinil Estradiol 30 µg (Microdiol,Primera30 ) Bifásico ( Gracial ) Progestágeno isolado (minipílula) 75 µg /dia ( Cerazette ) Implante subdérmico 68 mg Etonogestrel ( Implanon ) Anel Vaginal 120 µg /dia Etonogestrel+Etinil Estradiol 15 µg /dia( NuvaRing )

6 TROMBOEMBOLISMO VENOSO

7 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Uso de ACO com DSG risco de 9,1 em relação às não usuárias Uso de ACO com LNG risco de 3,5 em relação às não usuárias Uso de ACO com DSG risco de 2,6 em relação às usuárias de ACO com LNG WHO Collaborative Study of Cardiovascular Disease and Steroid Hormone Contraception, Lancet, 1995

8 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Uso de ACO com DSG risco de 3,2 em relaçao às não usuárias Uso de ACO com DSG risco de 2,6 em relação às usuárias de ACO com LNG Spitzer et al, 1996

9 TROMBOEMBOLISMO VENOSO RR de 1,9 de TEV com DSG em relação ao LNG ( COORTE) RR de 2,2 de TEV com DSG em relação ao LNG ( CASO-CONTROLE) Jick et al, 1995

10 TROMBOEMBOLISMO VENOSO CASO-CONTROLE RR 1,3 de TEV com DSG em relação ao LNG Risco aumenta com dose de EE Risco declina com o uso Lidegaard et al, 2002

11 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Menor androgenicidade Não oposição aos efeitos estrogênicos induzidos pelo Etinil Estradiol: Maior aumento do SHBG hepático Maior aumento dos marcadores inflamatórios Maior aumento fatores coagulação ( atividade Fator VII, Proteína S, agregação plaquetária) Sitruk-Ware, 2006

12 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Aumento do SHBG proporcional ao aumento de risco de TEV. Menor aumento para os monofásicos contendo LNG. Odlind et al, 2002/ Sitruk-Ware R et al, 2004/Barkfeldt et al, 2001 DSG > efeitos protrombóticos do que LNG. Aumento do SHBG 280% X 60%. Van Rooijen et al, 2004 Aumento de 4 X o risco de TEV entre usuárias Acetato de Ciproterona em relação às usuárias de LNG. Van Rooijen et al, 2002

13 TROMBOEMBOLISMO VENOSO ACO combinado contendo DSG : maior resistência à proteína S do que LNG. Rosing et al, 1995/ Kemmeren et al, 2004 Progestágenos de 3ª geração diminuem os efeitos pró fibrinolíticos do componente estrogênico do ACO. Levi et al, 1998 Estado de hipercoagulação maior entre usuárias de ACO com DSG em relação ao LNG. Vasilakis et al, 2001

14 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Efeito antagonista do LNG no aumento induzido pelo Etinil estradiol em alguns marcadores da inflamação e coagulação. Wiegratz et al, 2004 Estudo com 11 pacientes usando ACO com 20 µg EE + 150µg DSG = Efeito pró-coagulante. Ferreira et al, 2000

15 TROMBOEMBOLISMO VENOSO Estudo caso-controle : RR de 1,7 de TEV não fatal entre usuárias de DSG em relação ao LNG Jick et al, 2006 >Taxa de incidência (2,7 X 0,7/ mulheres ano) de trombose do seio venoso com DSG do que LNG Jick et al, 2006 (in press)

16 TROMBOEMBOLISMO VENOSO ACO contendo 75 µg DSG e 30 µg LNG : Redução atividade coagulação Redução atividade fator VII Redução fragmento 1+2 protrombina Winkler et al, 1998/ Schindler, 2003

17 TROMBOEMBOLISMO VENOSO- Controvérsias Sem aumento do risco entre usuárias de 3ª x 2ª geração. 7 esquemas de ACO com 707 pacientes. Houve pequena elevação do risco Farmer et al, 1997/ Farmer et al, 1998/ Suissa et al, 1997 / Lewis et al, 1999 / Todd et al, 1999/Heinemann et al, 2002 trombótico PARA TODOS os esquemas estudados. Oral Contraceptive and Hemostasis Study Group (Organon), 2003

18 TROMBOEMBOLISMO VENOSO- Conclusões Risco de TEV maior, mas manifestado preferencialmente nos 1º anos de uso. Influenciado pela dose do EE. Fumo maior impacto no risco de trombose arterial. ACO contendo Progestágeno isolado não aumenta o risco. Diferença entre os ACO de 2ª/3ª geração?

19 ACNE

20 ACNE-Estudos não controlados Melhora na acne em usuárias de ACO combinado com LNG Upton et al, 1983/ Loudon et al, 1983 Melhora na acne em usuárias de ACO combinado com DSG Bilotta et al, 1988 / Vree ML et al, 2001/Prilepskaya et al,2003 / Falsetti at al, 1991/Kranzlin et al, 2006

21 ACNE-Estudos placebo controle LEVONORGESTREL 96 ACO X 105 Placebo Thiboutot et al, ACO X 186 Placebo Leyden et al, 2002 Melhora das lesões inflamatórias e não inflamatórias em 6 meses ( p<0,05)

22 ACNE-Estudos placebo controle DESOGESTREL 41 ACO X 41 Placebo- Melhora das lesões acneicas e oleosidade em 6 meses Katz HI et al, 2000

23 Cochrane Database of Systematic Reviews-ACNE. Acetato ciproterona superior ao DSG e ao LNG. LNG X DSG- resultados conflitantes. Anticoncepcionais benéficos no tratamento da acne. Escolha do ACO com menor dose de Etinil Estradiol

24 DENSIDADE ÓSSEA

25 Densidade Óssea ACO combinado efeito positivo sobre massa óssea e risco de fratura em mulheres pós-menopausa. Kleerekoper et al, 1991 / Michelsson et al, 1999 Pré menopausa efeito negativo sobre massa óssea. Polatti et al, 1995/Elgan et al, 2004/Almstedt et al, 2005/Hartard et al, 2004 Atividade androgênica do progestágeno utilizado efeito benéfico. Naessen et al, 1995 / Kuhl et al,1996/jansson et al, 1983/Kasperk et al, 1997

26 Densidade Óssea ACO 20 µg EE µg DSG X ACO 20 µg EE µg LNG X Placebo Perda de massa óssea significativa no grupo com DSG após 1 ano de uso. Hartard et al, 2006 / Berenson et al, 2004

27 CONTROLE DO CICLO

28 Controle do ciclo-aco combinado Sangramento intermenstrual semelhante entre ACO de 20 µg EE e 75 µg Gestodeno e 150 µg DSG = 48,8% X 43,4% no 1º ciclo Endrikat et al, 2001 Mudança do Progestágeno mais importante no controle do sangramento intermenstrual do que o aumento da dose do EE Edelman et al, 2006

29 Controle do ciclo-aco combinado 404 pacientes ACO 20 µg EE/150 µg DSG X 384 pacientes ACO 20 µg EE/100 µg LNG Grupo com LNG : Maior taxa de sangramento irregular e spotting. Maior taxa de discontinuidade por sangramento intenso. Winkler et al, 2004

30 Controle do ciclo-minipílula Sangramento irregular e Tolerabilidade: SEMELHANTE 30 µg LNG X 75 µg DSG Barkfeldt et al, 2001

31 Controle do ciclo- Cochrane Database of Systematic Reviews LNG maior taxa de sangramento intermenstrual do que Gestodeno Eficácia semelhante entre DSG e Gestodeno Gestodeno melhor controle do ciclo que DSG DSG > Taxa de continuidade Maitra et al, 2006

32 EFEITOS ADVERSOS

33 Efeitos adversos-aco combinado 404 pacientes ACO 20 µg EE/150 µg DSG X 384 pacientes ACO 20 µg EE/100 µg LNG Redução semelhante na dismenorréia e na TPM, melhora qualidade de vida, efeitos adversos semelhantes Winkler et al, 2004

34 Efeitos adversos-aco combinado 355 Placebo X 349 pacientes ACO 20 µg EE/100 µg LNG Aumento de peso semelhante ( 0,56 X 0,72 +/- 2,64Kg) Coney et al, 2001

35 Efeitos adversos-minipílula 403 pacientes com intolerância oral ao estrogênio : uso por 3 mêses 75 µg DSG 93% melhora dismenorréia 90% melhora mastalgia 92% melhora náusea 74% melhora edema 84% melhora cefaléia Karck et al, XVII FIGO World Congress: 2003

36 METABOLISMO LIPÍDICO

37 Metabolismo lipídico Propriedades Androgênicas do Progestágeno utilizado e dose do EE Meade et al, 1980/ Wynn et al, 1982/ Skouby et al,2000 ACO combinado com 150 µg DSG perfil lipídico favorável ( HDL, LDL estável) Klipping et al, 2005/ Gaspard et al, 2004 / Crook et al, 1993 ACO combinado com 150 µg LNG perfil lipídico desfavorável ( HDL, LDL) Oelkers et al,1995/ Godsland et al, 1990/ Notclovitz et al, 1989/ Kauppinen et al, 1992

38 Metabolismo lipídico DSG 75 µg isolado melhor perfil lipídico do que LNG 30 µg isolado Barkfeldt et al, 2001

39 METABOLISMO GLICÍDICO

40 Metabolismo Glicídico ACO combinado com 150 µg DSG sem efeitos deletérios. Klipping et al, 2005/Shoupe et al,1993/ludicke et al, 2002/Gaspard et al,1996 Anormalidades subclínicas nos ACO combinados com LNG. Godsland et al, 1992/Godsland et al, 1998

41 Síndrome dos Ovários Policísticos ACO combinado com DSG : sensibilidade à insulina em pacientes com SOP Diminui hiperandrogenismo Cagnacci et al,2003/mastorakos et al, 2006 Mastorakos et al, 2002

42 Obrigada!!

PADRÕES DE SANGRAMENTO COM OS NOVOS CONTRACEPTIVOS

PADRÕES DE SANGRAMENTO COM OS NOVOS CONTRACEPTIVOS XXIII JORNADA PARAIBANA DE GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA V CURSO DE ATUALIZAÇÃO EM PATOLOGIA DO TRATO GENITAL INFERIOR E COLPOSCOPIA PADRÕES DE SANGRAMENTO COM OS NOVOS CONTRACEPTIVOS Prof. Dr. José Maria

Leia mais

UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani. Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime

UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani. Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime UNISA Núcleo de Ginecologia e Obstetrícia Dr Andre Cassiani Chefe de núcleo: Prof Dra Lucia Hime O começo de tudo... 1996, O planejamento familiar é um direito assegurado na Constituição Federal. Consiste

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Profa. Dra. Rosângela F. Garcia

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Profa. Dra. Rosângela F. Garcia MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Profa. Dra. Rosângela F. Garcia Métodos Comporta mentais Métodos de Barreira Métodos Hormonais Outros Métodos Químicos Métodos Cirúrgicos Tabelinha Camisinha masculina Pílula oral

Leia mais

Dosagem Hormonal de Contracetivo Oral Combinado (COC) Progestativo

Dosagem Hormonal de Contracetivo Oral Combinado (COC) Progestativo Nome comercial Estrogénio Etinilestradiol Valerato estradiol Dosagem Hormonal de Contracetivo Oral Combinado (COC) Derivado 19-nortestosterona 3ª geração 2ª geração Progestativo Derivado 17-OHprogesterona

Leia mais

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN

Terapia hormonal de baixa dose. Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Terapia hormonal de baixa dose Elvira Maria Mafaldo Soares UFRN/SOGORN Alterações endócrinas no Climatério pg/ml mui/ml mui/ml 150 FSH 80 60 100 50 0-8 -6-4 -2 0 2 4 6 8 anos Menopausa LH Estradiol 40

Leia mais

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados.

MÉTODOS HORMONAIS. São comprimidos que contêm estrogênio e progestogênio associados. MÉTODOS HORMONAIS 1 - ANTICONCEPCIONAIS HORMONAIS ORAIS (PÍLULAS) É o método mais difundido e usado no mundo. As pílulas são consideradas um método reversível muito eficaz e o mais efetivo dos métodos

Leia mais

O rastreamento do câncer de colo uterino

O rastreamento do câncer de colo uterino PROFAM O rastreamento do câncer de colo uterino Dr. Eduardo Durante Fundación MF Para el desarrollo de la Medicina Familiar y la Atención Primaria de la Salud Objetivos Discutir o uso de métodos contraceptivos

Leia mais

Anexo II. Conclusões científicas e fundamentos para a recusa apresentados pela Agência Europeia de Medicamentos

Anexo II. Conclusões científicas e fundamentos para a recusa apresentados pela Agência Europeia de Medicamentos Anexo II Conclusões científicas e fundamentos para a recusa apresentados pela Agência Europeia de Medicamentos 5 Conclusões científicas Resumo da avaliação científica do Etinilestradiol-Drospirenona 24+4

Leia mais

De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 96/2008 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária declaro que:

De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 96/2008 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária declaro que: De acordo com a Norma 1595/2000 do Conselho Federal de Medicina e a Resolução RDC 96/2008 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária declaro que: Sou conferencista eventual para Aché, Bayer, GSK, Libbs,

Leia mais

ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO

ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO ANTICONCEPÇÃO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE DA OMS E OS MÉTODOS SEM ESTROGÊNIO PROFA.DRA. MARTA EDNA HOLANDA DIÓGENES YAZLLE Responsável pelo Setor de Anticoncepção do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia

Leia mais

Cuidados de armazenamento Conservar em temperatura ambiente (entre 15 C e 30 C). Proteger da umidade.

Cuidados de armazenamento Conservar em temperatura ambiente (entre 15 C e 30 C). Proteger da umidade. Diclin etinilestradiol + acetato de ciproterona FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos Estojo-calendário contendo 21 ou 63 comprimidos. USO ORAL - ADULTO COMPOSIÇÃO Cada comprimido revestido

Leia mais

Efeitos do implante contraceptivo de etonogestrel sobre o sistema hemostático de mulheres hígidas

Efeitos do implante contraceptivo de etonogestrel sobre o sistema hemostático de mulheres hígidas UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE MEDICINA DE RIBEIRÃO PRETO CAROLINA SALES VIEIRA MACEDO Efeitos do implante contraceptivo de etonogestrel sobre o sistema hemostático de mulheres hígidas RIBEIRÃO

Leia mais

GONADOTROFINAS, ESTERÓIDES SEXUAIS

GONADOTROFINAS, ESTERÓIDES SEXUAIS GONADOTROFINAS, ESTERÓIDES SEXUAIS E CONTRACEPTIVOS Síntese e secreção de gonadotrofinas HIPOTÁLAMO opiódes dopamina GABA somatostatina GnRH + adrenalina noradrenalina NPY glutamato circulação porta-hipofisária

Leia mais

Depomês 25mg acetato de medroxiprogesterona 5mg cipionato de estradiol

Depomês 25mg acetato de medroxiprogesterona 5mg cipionato de estradiol Depomês 25mg acetato de medroxiprogesterona 5mg cipionato de estradiol Biolab Sanus Farmacêutica Ltda. Suspensão Injetável Depomês acetato de medroxiprogesterona cipionato de estradiol IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Farlutal acetato de medroxiprogesterona

Farlutal acetato de medroxiprogesterona Farlutal acetato de medroxiprogesterona I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Nome comercial: Farlutal Nome genérico: acetato de medroxiprogesterona APRESENTAÇÕES Farlutal 10 mg em embalagens contendo 10 ou

Leia mais

INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO

INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO INSTITUTO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE PARECER TÉCNICO-CIENTÍFICO Anticoncepcionais Orais Combinados Brasil Julho/2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS INSTITUTO

Leia mais

Hipogonadismo Feminino

Hipogonadismo Feminino Hipogonadismo Feminino Hipogonadismo Feminino Luíz Antônio de Araújo Diretor do Departamento de Neuroendocrinologia da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Presidente do Clube da Hipófise

Leia mais

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco

Amenorréia Induzida: Indicações. XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco Amenorréia Induzida: Indicações XIX Jornada de Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Norte XVI Jornada da Maternidade Escola Januário Cicco I. Amenorréia Amenorréia secundária é um distúrbio que se

Leia mais

Primosiston. Bayer S.A. Comprimidos 2 mg acetato de noretisterona + 0,01 mg etinilestradiol

Primosiston. Bayer S.A. Comprimidos 2 mg acetato de noretisterona + 0,01 mg etinilestradiol Primosiston Bayer S.A. Comprimidos 2 mg acetato de noretisterona + 0,01 mg etinilestradiol 1 Primosiston acetato de noretisterona etinilestradiol APRESENTAÇÃO Primosiston é apresentado na forma de comprimidos

Leia mais

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ZOLADEX acetato de gosserrelina Atenção: seringa com sistema de proteção da agulha APRESENTAÇÃO Depot de 3,6

Leia mais

Apresentação: Cartucho contendo 3 blísteres com 10 comprimidos Cartucho contendo frasco de vidro com 30 comprimidos

Apresentação: Cartucho contendo 3 blísteres com 10 comprimidos Cartucho contendo frasco de vidro com 30 comprimidos Primosiston acetato de noretisterona etinilestradiol Informação importante! Leia com atenção! Forma farmacêutica: Comprimido Apresentação: Cartucho contendo 3 blísteres com 10 comprimidos Cartucho contendo

Leia mais

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina)

ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina) ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg (acetato de gosserrelina) I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO ZOLADEX acetato de gosserrelina APRESENTAÇÃO Atenção: seringa com sistema de proteção da agulha Depot de 3,6

Leia mais

Éna adolescência que a maioria dos jovens inicia a

Éna adolescência que a maioria dos jovens inicia a Recomendaçõs das Sociedades/Societies Guidelines Contraception in adolescence Recommendations for counselling Contraceção na adolescência Recomendações para o aconselhamento contracetivo Autores: Sílvia

Leia mais

LADOGAL danazol USO ADULTO USO ORAL

LADOGAL danazol USO ADULTO USO ORAL LADOGAL danazol SANOFI-AVENTIS USO ADULTO USO ORAL Forma farmacêutica e de apresentação LADOGAL 100mg - cartucho contendo 50 cápsulas. LADOGAL 200mg - cartucho contendo 30 cápsulas. Composição Cada cápsula

Leia mais

o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula

o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula o estado da arte em 2015 Amália Martins Ana Fatela Ermelinda Pinguicha Tereza Paula WHI, DOPS, KEEPS, ELITE DOPS 2012 E2 trifasico NETA E2 16 1006 45-58 (49,7) >3>24M (7) morte, EAM risco mortalidade,

Leia mais

TEXTO DE BULA DE TOTELLE. Cartucho contendo 1 envelope contendo 1 blister com 28 drágeas contendo 1 mg de estradiol e 0,125 mg de trimegestona.

TEXTO DE BULA DE TOTELLE. Cartucho contendo 1 envelope contendo 1 blister com 28 drágeas contendo 1 mg de estradiol e 0,125 mg de trimegestona. I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Totelle estradiol, trimegestona APRESENTAÇÃO TEXTO DE BULA DE TOTELLE Cartucho contendo 1 envelope contendo 1 blister com 28 drágeas contendo 1 mg de estradiol e 0,125 mg

Leia mais

ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot. 3,6 mg e 10,8 mg

ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot. 3,6 mg e 10,8 mg ZOLADEX (acetato de gosserrelina) AstraZeneca do Brasil Ltda. Depot 3,6 mg e 10,8 mg ZOLADEX 3,6 mg e ZOLADEX LA 10,8 mg acetato de gosserrelina I) IDENTIFICAÇÃO DO ZOLADEX acetato de gosserrelina Atenção:

Leia mais

HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO

HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO HIRSUTISMO E HIPERANDROGENISMO Prof. Dr. Marcos Felipe Silva de Sá Setor de Reprodução Humana Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto USP CONCEITO Síndrome HIPERANDROGÊNICA

Leia mais

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE

Kavit fitomenadiona. Solução Injetável 10 mg/ml. Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE Kavit fitomenadiona Solução Injetável 10 mg/ml Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda. MODELO DE BULA PARA O PACIENTE IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO KAVIT fitomenadiona APRESENTAÇÃO Caixa contendo

Leia mais

Simpósio Coração da Mulher: Antigo Desafio, Novos Conhecimentos. Anticoncepção. Nilson Roberto de Melo

Simpósio Coração da Mulher: Antigo Desafio, Novos Conhecimentos. Anticoncepção. Nilson Roberto de Melo Simpósio Coração da Mulher: Antigo Desafio, Novos Conhecimentos Anticoncepção Nilson Roberto de Melo Critérios Médicos de Elegibilidade para Métodos Anticoncepcionais (OMS) 3 4 Condição sem restrição para

Leia mais

Planejamento Familiar: Um Manual Global para Profissionais e Serviços de Saúde

Planejamento Familiar: Um Manual Global para Profissionais e Serviços de Saúde Planejamento Familiar: Um Manual Global para Profissionais e Serviços de Saúde : / Instruções sobre a atualização do manual Se está atualizando a partir de uma impressão de, considere todas as alterações

Leia mais

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 1 mg de estradiol e 0,5 mg de acetato de noretisterona. Embalagem com 28 comprimidos revestidos.

APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 1 mg de estradiol e 0,5 mg de acetato de noretisterona. Embalagem com 28 comprimidos revestidos. NATIFA PRO estradiol + acetato de noretisterona MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA APRESENTAÇÕES Comprimidos revestidos com 1 mg de estradiol e 0,5 mg de acetato de noretisterona.

Leia mais

Contracepção Hormonal e Sistema Cardiovascular

Contracepção Hormonal e Sistema Cardiovascular Contracepção Hormonal e Sistema Cardiovascular Hormonal Contraception and Cardiovascular System Milena Bastos Brito, Fernando Nobre, Carolina Sales Vieira Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade

Leia mais

Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar

Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar Uso do Dímero D na Exclusão Diagnóstica de Trombose Venosa Profunda e de Tromboembolismo Pulmonar 1- Resumo O desequilíbrio das funções normais da hemostasia sangüínea resulta clinicamente em trombose

Leia mais

Acontracepção engloba um conjunto de métodos

Acontracepção engloba um conjunto de métodos Review article/artigo de revisão Hormonal contraception and female sexuality Contracepção hormonal e sexualidade feminina Ana Machado*, Fatima Serrano** Centro Hospitalar Lisboa Central Maternidade Dr.

Leia mais

TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL. Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com.

TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL. Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com. TERAPIA DE REPOSIÇÃO HORMONAL Prof. Eduardo J. Campos Leite Universidade Federal de Pernambuco Disciplina de Ginecologia campolei@terra.com.br Estrogênios? O que existe por trás desta linda mulher? T R

Leia mais

ANTICONCEPÇÃO HORMONAL

ANTICONCEPÇÃO HORMONAL ANTICONCEPÇÃO HORMONAL Aula disponível no site: www.rodrigodiasnunes.com.br Rodrigo Dias Nunes Contracepção hormonal Anticoncepção hormonal oral combinada Monofásica Bifásica Trifásica Anticoncepção hormonal

Leia mais

Resumo Os progestógenos são esteroides que podem ser sintéticos ou naturais.

Resumo Os progestógenos são esteroides que podem ser sintéticos ou naturais. revisão Progestógenos: farmacologia e uso clínico Progestagens: pharmacology and clinical use Francieli Vigo 1 Jaqueline Neves Lubianca 2 Helena von Eye Corleta 3 Palavras-chave Progesterona Progestina

Leia mais

Contraceção na adolescência

Contraceção na adolescência Contraceção na adolescência Secção de Medicina do Adolescente Sociedade Portuguesa de Pediatria Recomendações para o aconselhamento contracetivo Sociedade Portuguesa de Contracepção Autores: Sílvia Neto,

Leia mais

O que é a contracepção oral de emergência, pílulas disponíveis, sua composição e aspectos práticos de utilização.

O que é a contracepção oral de emergência, pílulas disponíveis, sua composição e aspectos práticos de utilização. FARMÁCIA 29 PRÁTICA bimestral junho 10 Especial Contracepção Oral Compreender Contracepção a diabetes oral para compreender emergência a sua terapêutica Contracepção em situações especiais pág.04 pág.03

Leia mais

Priscilla Alves Tavares dos Santos 1, Tania Maria Vieira Fortes 2, Marlos Cesar Bomfim Cabral 3, Sônia Maria Alves Novaes 4

Priscilla Alves Tavares dos Santos 1, Tania Maria Vieira Fortes 2, Marlos Cesar Bomfim Cabral 3, Sônia Maria Alves Novaes 4 R. Periodontia - Março 2008 - Volume 18 - Número 01 INFLUÊNCIA DOS HORMÔNIOS SEXUAIS SOBRE OS TECIDOS PERIODONTAIS EM USUÁRIAS DE CONTRACEPTIVOS HORMONAIS Influence of sexual hormones on periodontal tissues

Leia mais

Contracepção Resumo de diretriz NHG M02 (dezembro 2011)

Contracepção Resumo de diretriz NHG M02 (dezembro 2011) Contracepção Resumo de diretriz NHG M02 (dezembro 2011) Anke Brand, Anita Bruinsma, Kitty van Groeningen, Sandra Kalmijn, Ineke Kardolus, Monique Peerden, Rob Smeenk, Suzy de Swart, Miranda Kurver, Lex

Leia mais

TEMA: Enoxaparina 80mg (Clexane ou Versa) para tratamento de embolia ou trombose venosa profunda

TEMA: Enoxaparina 80mg (Clexane ou Versa) para tratamento de embolia ou trombose venosa profunda Data: 08/03/2013 NTRR 12/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Solicitante: Juiz de Direito: MARCO ANTONIO MACEDO FERREIRA Número do processo: 0334.14.000024-4 Impetrato: Estado de Minas Gerais

Leia mais

Contracepção hormonal

Contracepção hormonal 29 Contracepção hormonal Maria Gil Varela 1. INTRODUÇÃO Desde 1960, altura em que pela primeira vez foi utilizada a contracepção estroprogestativa (EP), que a investigação nesta área se tem desenvolvido

Leia mais

Paciente de Alto Risco

Paciente de Alto Risco Paciente de Alto Risco Novas Fronteiras do Bloqueio Estrogênico na Prevenção do Câncer de Mama Não há conflitos de interesse. Nunca recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade

Leia mais

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes

OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES. Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes OS 5 PASSOS QUE MELHORAM ATÉ 80% OS RESULTADOS NO CONTROLE DO DIABETES Mônica Amaral Lenzi Farmacêutica Educadora em Diabetes TER DIABETES NÃO É O FIM... É o início de uma vida mais saudável, com alimentação

Leia mais

PARECER TÉCNICO SOBRE A SEGURANÇA DO USO DE IMPLANTES DE POLIDIMETILSILOXANO (SILASTIC ) POR PERÍODO PROLONGADO

PARECER TÉCNICO SOBRE A SEGURANÇA DO USO DE IMPLANTES DE POLIDIMETILSILOXANO (SILASTIC ) POR PERÍODO PROLONGADO Página 1 de 23 PARECER TÉCNICO SOBRE A SEGURANÇA DO USO DE IMPLANTES DE POLIDIMETILSILOXANO (SILASTIC ) POR PERÍODO PROLONGADO Página 2 de 23 Parecer técnico sobre segurança do uso prolongado de implante

Leia mais

Tenag. Vitex agnus-castus

Tenag. Vitex agnus-castus Tenag Vitex agnus-castus MEDICAMENTO FITOTERÁPICO Nome científico: Vitex agnus-castus Família: Verbenaceae Parte da planta utilizada: fruto Nomenclatura popular: Chaste tree APRESENTAÇÃO Comprimidos revestidos

Leia mais

Marta Francis Benevides Rehme. Declaração de conflito de interesse

Marta Francis Benevides Rehme. Declaração de conflito de interesse Marta Francis Benevides Rehme Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Primolut Nor, 10 mg, comprimidos Acetato de noretisterona Leia atentamente este folheto antes de tomar o medicamento. -Conserve este folheto. Pode ter

Leia mais

ANTICONCEPÇÃO. Manual de Orientação. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia

ANTICONCEPÇÃO. Manual de Orientação. Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia ANTICONCEPÇÃO Manual de Orientação Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia ANTICONCEPÇÃO Manual de Orientação Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Comissão

Leia mais

COMPOSIÇÃO Cada um g do gel contém 17-β estradiol... 0,6 mg; excipientes q.s.p...1 g. (carbômero 980, trolamina, álcool etílico 96% e água)

COMPOSIÇÃO Cada um g do gel contém 17-β estradiol... 0,6 mg; excipientes q.s.p...1 g. (carbômero 980, trolamina, álcool etílico 96% e água) Oestrogel estradiol FORMA FARMACÊUTICA E APRESENTAÇÃO Gel - Embalagem contendo 80 g + uma régua dosadora. USO ADULTO VIA TRANSDÉRMICA COMPOSIÇÃO Cada um g do gel contém 17-β estradiol... 0,6 mg; excipientes

Leia mais

Sobre o tromboembolismo venoso (TVE)

Sobre o tromboembolismo venoso (TVE) Novo estudo mostra que a profilaxia estendida com Clexane (enoxaparina sódica injetável) por cinco semanas é mais efetiva que o esquema-padrão de 10 dias para a redução do risco de Tromboembolismo Venoso

Leia mais

Lista de Tabelas. Tabela 1 Estrogênios: doses e vias de administração

Lista de Tabelas. Tabela 1 Estrogênios: doses e vias de administração Lista de Tabelas Tabela 1 Estrogênios: doses e vias de administração Estrogênios / doses e vias Via oral / dose Estrogênios conjugados (EC) 0,5-0,45 0,625 1,25mg/dia 17-β-estradiol micronizado (E 2 ) 1

Leia mais

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste:

Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais Contra-indicações à realização do teste: Teste para a Pesquisa de Receptores Hormonais Ilícitos nas Glândulas Supra- Renais O teste consiste na dosagem dos níveis séricos de cortisol e ACTH, após um estímulo hormonal ou farmacológico in vivo

Leia mais

TEXTO DE BULA DE PREMARIN DRÁGEAS RESOLUÇÃO 47/09 I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Premarin estrogênios conjugados naturais APRESENTAÇÕES

TEXTO DE BULA DE PREMARIN DRÁGEAS RESOLUÇÃO 47/09 I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO. Premarin estrogênios conjugados naturais APRESENTAÇÕES TEXTO DE BULA DE PREMARIN DRÁGEAS RESOLUÇÃO 47/09 I. IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Premarin estrogênios conjugados naturais APRESENTAÇÕES Premarin 0,3 mg cartucho com 28 drágeas. Premarin 0,625 mg cartucho

Leia mais