EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO"

Transcrição

1 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/8 Págs. Duração da prova: 120 minutos ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B Identifique claramente os grupos e os itens a que responde. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta azul ou preta. É interdito o uso de «esferográfica-lápis» e de corrector. Em caso de engano, este deve ser riscado e corrigido, à frente, de modo bem legível. Se apresentar mais do que uma resposta ao mesmo item, apenas é classificada a resposta apresentada em primeiro lugar. As cotações da prova encontram-se na página 8. Nos itens de escolha múltipla Na sua folha de respostas, indique claramente o NÚMERO do item e a LETRA da alternativa pela qual optou. É atribuída a classificação de zero pontos às respostas em que apresente: mais do que uma opção (ainda que incluindo a opção correcta); o número e/ou a letra ilegíveis. V.S.F.F. 703/1

2 GRUPO I 1. Considere os conceitos que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que corresponde a características ou componentes da interactividade. A. Comunicação, linearidade e actualização. B. Adaptabilidade, tempo de resposta e feedback. C. Adaptabilidade, feedback e actualização. D. Comunicação, linearidade e adaptabilidade. 2. Analise as afirmações que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que identifica correctamente o nível de interactividade proactivo. A. O utilizador não tem controlo sobre a estrutura do ambiente virtual. B. O utilizador tem um controlo limitado do conteúdo do ambiente virtual. C. O utilizador tem controlo do conteúdo do ambiente virtual. D. O utilizador não tem controlo sobre a sequência das acções a serem executadas sobre o ambiente virtual. 3. Analise as afirmações que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que caracteriza correctamente um nível de interactividade segundo o tipo reactivo. A. Uma página Web que permite a definição, por parte do utilizador, do tipo de ambiente gráfico que pretende obter. B. Uma página Web que permite o preenchimento de um formulário e o seu envio. C. Uma página Web que permite a definição, por parte do utilizador, do ambiente gráfico com que quer trabalhar, bem como a criação e a apresentação de alguns dos conteúdos. D. Uma página Web que permite a interacção com outros utilizadores. 4. Considere os dispositivos que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que identifica correctamente o conjunto de dispositivos de hardware utilizados para simular a realidade imersiva. A. Monitor e rato. B. Joystick e teclado. C. Capacete de visualização e luvas de dados. D. Auscultadores e scanner. 703/2

3 GRUPO II 1. Escreva na sua folha de respostas as expressões adequadas ao preenchimento dos espaços assinalados abaixo (1, 2,..., 5), num texto relativo à teoria da cor. O modelo de cores RGB cria cada cor a partir da combinação de três cores. As três cores combinadas no seu máximo geram a cor 1, pois trata-se de um modelo 2 de cor. Já o modelo de cores 3 baseia-se num modelo 4 de cor, sendo usado em impressoras. Teoricamente, neste modelo, a cor 5 é conseguida através da combinação, no seu máximo, das outras cores do modelo. 2. Com o objectivo de fazer a correcção de cor nos olhos de uma pessoa, numa fotografia digital, foi executada uma sequência de operações. Indique a sequência das operações seguintes, que lhe permitiram realizar esta tarefa, colocando por ordem as letras que as identificam. A. Fazer uma ampliação (zoom) para poder manipular melhor a imagem. B. Corrigir a cor dos olhos, utilizando a ferramenta apropriada. C. Abrir o programa de tratamento de imagem. D. Clicar no botão de selecção e seleccionar a área da imagem que pretende tratar. E. Abrir o ficheiro que contém a imagem que se pretende corrigir. F. Gravar a imagem, escolhendo a opção do menu correspondente. 3. A Maria pretende compactar as músicas existentes em três CD, no formato CDA, passando-as para o formato MP3, de modo a poder gravá-las num só CD. Pretende também alterar o nome dos ficheiros, de acordo com o nome da respectiva música. O conjunto de aplicações de software de que dispõe só converte de CDA para WAV e de WAV para MP3, atribuindo aos ficheiros convertidos o nome dos ficheiros originais. Indique uma sequência de operações que permita à Maria proceder à compactação das músicas, colocando por ordem as letras que as identificam. A. Alterar o nome dos ficheiros. B. Abrir o programa de gravação de CD, seleccionar os ficheiros convertidos, que estão no formato MP3 e gravá-los. C. No programa próprio, abrir e ler, individualmente, os ficheiros de música do formato CDA e convertê-los para WAV, gravando-os no disco rígido. D. Abrir os programas necessários para efectuar a conversão (CDA para WAV e WAV para MP3). E. No programa próprio, abrir ficheiros que foram convertidos para formato WAV e convertê- -los no formato MP3. V.S.F.F. 703/3

4 4. Sabendo que a cada elemento do quadro 1 corresponde um elemento do quadro 2, estabeleça a relação de cada Profundidade de cor com o Número de cores possíveis. Profundidade de cor (bits) 1) 1 2) 2 3) 4 4) 8 5) 16 Quadro 1 Número de cores possíveis A) B) 1 C) 4 D) 2 E) F) 256 G) H) 16 Quadro 2 5. Considere os três dispositivos de armazenamento seguintes: pen drive, disco rígido e DVD Classifique cada um dos dispositivos anteriores relativamente à tecnologia usada na leitura/escrita dos dados Classifique um DVD relativamente ao tipo de informação que pode conter Dê dois exemplos de sistemas de ficheiros usados em CD e DVD. 6. Um sinal áudio, de baixa qualidade, adequado a transmitir voz humana pode ser correctamente representado por um conjunto de amostras tomadas com uma frequência de 8 KHz (8 mil vezes por segundo) e codificadas em 12 bits. Compare este sinal áudio com o sinal áudio de alta-fidelidade, quanto à frequência de amostragem e respectiva codificação de cada amostra, apresentando uma vantagem da utilização de cada sinal. 7. Classifique como verdadeira (V) ou falsa (F) cada uma das seguintes afirmações relativas à formatação de texto. A. A tabela ASCII permite representar 512 caracteres. B. O número de caracteres definidos pelo Unicode é superior ao representado na tabela ASCII. C. As fontes TrueType pertencem ao grupo de fontes bitmapped. D. O espaçamento e a largura dos caracteres são duas das características das fontes. E. As fontes escaladas podem ser dimensionadas sem perda de qualidade. F. A utilização de fontes OpenType permite a portabilidade de documentos entre sistemas Windows e Apple. G. Existem aplicações que permitem fazer a gestão de fontes, podendo, ou não, fazer parte do sistema operativo. H. As fontes bitmapped são as que garantem a maior qualidade de impressão. 703/4

5 8. Suponha que pretende fazer a aquisição de um vídeo sobre a sua escola, com o objectivo de, depois de tratado, ser disponibilizado na respectiva página, na Internet. A este vídeo poderá aceder- -se livremente, ficando guardado no computador do visitante. Para o efeito, irá usar uma máquina de filmar digital, ficando o vídeo gravado em formato AVI Depois de transferir o vídeo para o seu computador, pretende efectuar a sua edição, reprodução e conversão. Indique que software poderia usar para, relativamente ao vídeo, fazer: a edição; a conversão; a reprodução Justifique a necessidade de efectuar a compressão do vídeo Indique um codec que pode usar para efectuar a compressão do vídeo Existem diferentes métodos de distribuição de vídeo na Internet. Qual desses métodos seria inadequado utilizar na situação descrita? Justifique a sua resposta. V.S.F.F. 703/5

6 GRUPO III 1. Na figura 1, estão representadas informações sobre as classificações internas obtidas por um aluno em várias disciplinas. N.º do Aluno: 2336 Nome: Carla Sofia Ferreira da Silva Morada: Praça da República Localidade: Portalegre Data de Nascimento: Código Curso: 23 Nome Curso: Ciências e Tecnologias Disciplinas Código Disciplina Disciplina Ano de Conclusão Classificação 635 Matemática A Português Aplicações Informáticas B Figura Apresente a estrutura não normalizada da figura 1, utilizando a notação de De Marco Elabore um conjunto de tabelas (nomes e respectivos campos) a incluir numa base de dados que dê suporte à ficha apresentada na figura 1, respeitando o modelo relacional (tabelas normalizadas). 2. Considere os componentes que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que identifica correctamente componentes usados na construção de um Diagrama de Fluxo de Dados. A. Fluxo de dados e entidades. B. Ficheiros e eventos. C. Relações e processos. D. Grau de associação e atributos. 3. Analise os objectivos que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que identifica o objectivo do desenho de um Diagrama Entidade Associação. 703/6 A. Identificar as entidades externas e os processos de um sistema de informação. B. Identificar os processos e as relações de um sistema de informação. C. Identificar os fluxos e o grau de associação de um sistema de informação. D. Identificar todas as relações e o grau de associação entre as entidades de um sistema de informação.

7 4. Analise as afirmações que se seguem. Seleccione, depois, a alternativa que define correctamente Dicionário de Dados. A. É uma descrição detalhada do Sistema Informático. B. É uma colecção organizada de dados sobre dados. C. É o lugar onde os dados são armazenados. D. É a descrição dos processos. 5. Analise as afirmações que se seguem, relativas ao Diagrama de Contexto representado na figura 2. Seleccione, depois, a alternativa que contenha uma afirmação correcta. Pedido_de_encomenda Detalhe_encomenda _fornecedor CLIENTE P0 Sistema de gestão de encomendas FORNECEDOR Detalhe_guia_de_remessa Figura 2 Encomenda_a_fornecedor A. CLIENTE e FORNECEDOR são entidades externas. B. P0 e Detalhe_guia_de_remessa são arquivos. C. O conteúdo dos fluxos de dados Pedido_de_encomenda e Encomenda_a_fornecedor têm de ser iguais. D. P0 é o arquivo geral. FIM V.S.F.F. 703/7

8 COTAÇÕES GRUPO I 1. a (4 5) pontos 20 pontos GRUPO II pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos 121 pontos GRUPO III pontos pontos 2. a (4 5) pontos 59 pontos TOTAL pontos 703/8

9 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA703/C/6 Págs. Duração da prova: 120 minutos ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B COTAÇÕES GRUPO I 1. a (4 5) pontos 20 pontos GRUPO II pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos pontos 121 pontos 1. GRUPO III pontos pontos 2. a (4 5) pontos 59 pontos TOTAL pontos V.S.F.F. 703/C/1

10 1. CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO Quando o examinando responder ao mesmo item mais do que uma vez, deve ter eliminado, inequivocamente, a(s) resposta(s) que considerou incorrecta(s). No caso de tal não acontecer, é classificada a resposta que surge em primeiro lugar. Nos itens de resposta fechada de escolha múltipla, é atribuída a classificação total à resposta correcta. As respostas incorrectas são classificadas com zero pontos. Também deve ser atribuída a classificação de zero pontos às respostas em que o examinando apresente: mais do que uma opção (ainda que incluindo a opção correcta); o número do item e/ou a letra da alternativa escolhida ilegíveis. Nos itens de resposta fechada curta, é atribuída a classificação total à resposta correcta. É classificada com zero pontos qualquer outra situação. Nos itens de resposta fechada de ordenamento, só é atribuída a classificação total se a sequência apresentada estiver integralmente correcta. Nos itens de resposta fechada de verdadeiro/falso, de associação, de completamento e de correspondência, a classificação a atribuir tem em consideração o nível de desempenho revelado na resposta. Nos itens de verdadeiro/falso, são classificadas com zero pontos as respostas em que todas as afirmações sejam avaliadas como verdadeiras ou como falsas. Não são classificadas as afirmações: consideradas simultaneamente verdadeiras e falsas; com o número do item, a letra da afirmação e/ou a sua classificação (V/F) ilegíveis. Nos itens de associação, considera-se incorrecta qualquer correspondência de mais do que um elemento da chave a uma afirmação. Nos itens de resposta aberta, a classificação a atribuir tem em consideração o nível de desempenho revelado na resposta. As classificações a atribuir às respostas dos examinandos devem ser expressas, obrigatoriamente, em números inteiros. 703/C/2

11 2. CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE CLASSIFICAÇÃO GRUPO I 1. Resposta correcta pontos Chave: B 2. Resposta correcta pontos Chave: C 3. Resposta correcta pontos Chave: B 4. Resposta correcta pontos Chave: C GRUPO II pontos N.º de respostas correctas Cotações 4 ou ou ou 1 0 Resolução: 1 branca Resolução: 2 aditivo Resolução: 3 CMYK Resolução: 4 subtractivo Resolução: 5 preta 2. Apresentação da sequência correctamente ordenada pontos Chave: C E A D B F 3. Apresentação da sequência correctamente ordenada pontos Chaves possíveis: D C E A B Chaves possíveis: D C A E B V.S.F.F. 703/C/3

12 pontos N.º de correspondências correctas Cotações 4 ou ou ou 1 0 Chave: 1) D) Chave: 2) C) Chave: 3) H) Chave: 4) F) Chave: 5) E) pontos Classificação correcta de cada dispositivo face à tecnologia usada... Solução: 2 x 3 pontos Dispositivo Pen drive Disco rígido DVD Tecnologia usada Semicondutor Magnético Óptico pontos Classificação correcta do DVD: Áudio... 2 pontos Vídeo e Dados... 2 pontos pontos Indicação de dois sistemas de ficheiros... Solução possível: ISO9660 e UDF 2 x 2 pontos pontos Comparação relativamente à frequência... 3 pontos Comparação relativamente à codificação... 3 pontos Identificação das vantagens... 2 x 4 pontos Resolução possível: Para áudio de alta-fidelidade é necessário amostrar o sinal com uma frequência mais elevada e codificar cada amostra com mais bits. Uma das vantagens do áudio de alta-fidelidade é a melhor qualidade de som, pois as amostras são retiradas com intervalos de tempo mais reduzidos. Uma das vantagens da utilização de um sinal de áudio de baixa qualidade é o reduzido espaço em disco que este tipo de ficheiros ocupa. 703/C/4

13 pontos N.º de afirmações assinaladas correctamente Cotações 7 ou ou ou ou 1 ou 2 0 Chave: A. Falsa Chave: B. Verdadeira Chave: C. Falsa Chave: D. Verdadeira E. Falsa F. Verdadeira G. Verdadeira H. Falsa pontos Indicação de software para: edição de vídeo... 2 pontos conversão de vídeo... 2 pontos reprodução de vídeo... 2 pontos Resolução possível: edição de vídeo Adobe Premiere reprodução de vídeo Windows Media Player conversão de vídeo DivX Converter Deverá ser considerada como certa a indicação de um software que, simultaneamente, execute mais do que uma função. Por exemplo, se o aluno indicar o software Windows Movie Maker para a edição, conversão e reprodução de vídeo, a resposta deve ser considerada certa pontos Justificação explícita ou implícita de: limitação no espaço de armazenamento... 5 pontos limitação da capacidade de transmissão... 6 pontos Resolução possível: A distribuição do vídeo na Internet está condicionada por dois factores: o espaço ocupado no servidor e a capacidade de transmissão. Um vídeo em formato AVI sem compressão, se tiver uma duração razoável, ocupa muito espaço em disco, sendo este muitas vezes um factor crítico num servidor web, ao mesmo tempo que exige uma elevada capacidade de transmissão. Estes problemas são (quase) ultrapassáveis com a compressão do vídeo, uma vez que o ficheiro fica consideravelmente mais pequeno, dependendo do algoritmo de compressão usado Indicação de um codec... 3 pontos Resolução possível: MPEG pontos Identificação do método inadequado de distribuição... 5 pontos Justificação... 7 pontos Resolução possível: O método de distribuição do vídeo na Internet que nesta situação não poderia ser usado é o streaming, uma vez que se pretende que o ficheiro de vídeo seja armazenado no computador. Este armazenamento é possível nos outros dois métodos download e download progressivo mas não no streaming. V.S.F.F. 703/C/5

14 1. GRUPO III pontos Utilização da notação referida... 4 pontos Identificação do grupo principal... 4 pontos Identificação do grupo repetitivo... 4 pontos Correcção na apresentação... 2 pontos Solução: Aluno = N.º do Aluno + Nome + Morada + Localidade + Data de Nascimento + Código Curso + Nome Curso + {Código Disciplina + Disciplina + Ano de conclusão + Classificação} pontos Identificação correcta da tabela aluno... 3 pontos dos campos que a constituem... 5 pontos Identificação correcta da tabela curso... 3 pontos dos campos que a constituem... 2 pontos Identificação correcta da tabela disciplina... 3 pontos dos campos que a constituem... 2 pontos Identificação correcta da tabela aluno/disciplina... 3 pontos dos campos que a constituem... 4 pontos Resolução: ALUNO N.º do Aluno Nome Morada Localidade Data de Nascimento Código Curso DISCIPLINA Código Disciplina Disciplina CURSO Código Curso Nome Curso ALUNO/DISCIPLINA N.º do Aluno Código Disciplina Ano de conclusão Classificação 2. Resposta correcta pontos Chave: A 3. Resposta correcta pontos Chave: D 4. Resposta correcta pontos Chave: B 5. Resposta correcta pontos Chave: A 703/C/6

Nos itens de resposta fechada curta, é atribuída a classificação total à resposta correcta. É classificada com zero pontos qualquer outra situação.

Nos itens de resposta fechada curta, é atribuída a classificação total à resposta correcta. É classificada com zero pontos qualquer outra situação. 1. CRITÉRIOS GERAIS DE CLASSIFICAÇÃO Quando o examinando responder ao mesmo item mais do que uma vez, deve ter eliminado, inequivocamente, a(s) resposta(s) que considerou incorrecta(s). No caso de tal

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/7 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 1.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 10 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/1.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B

Prova Escrita de Aplicações Informáticas B EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Aplicações Informáticas B 12.º Ano de Escolaridade Prova 703/2.ª Fase 11 Páginas Duração da Prova: 120 minutos.

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B PLANIFICAÇÕES SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B 12º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Introdução à Programação Introdução Linguagens naturais e formais Algoritmos

Leia mais

Aplicações Informáticas B

Aplicações Informáticas B Prova de Exame Nacional de Aplicações Informáticas B Prova 703 2008 12.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Para: Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspecção-Geral

Leia mais

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º

Ano letivo 2014/2015. Planificação Anual. Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS B - Ano: 12º Código 401470 Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico Dr. Joaquim de Carvalho DIRECÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DO CENTRO Ano letivo 2014/2015 Planificação Anual Disciplina: APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA. Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015

INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA. Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA FINAL DE CICLO A NÍVEL DE ESCOLA Aplicações Informáticas B 12º Ano - Prova 303 2014/2015 1. Introdução Este documento dá a conhecer, aos diversos intervenientes no processo de exames,

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES CURSO Científico - Humanístico de Ciências e Tecnologias ATIVIDADES ESTRATÉGIAS

ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES CURSO Científico - Humanístico de Ciências e Tecnologias ATIVIDADES ESTRATÉGIAS SECUNDÁRIO ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES CURSO Científico - Humanístico de Ciências e Tecnologias DISCIPLINA: Aplicações Informáticas B Turma: 12ºA;12ºB;12ºC ANO 2011 /2012 COMPETÊNCIAS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Informação - Prova de Equivalência à Frequência da disciplina de Aplicações Informáticas B

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PORTELA E MOSCAVIDE. Informação - Prova de Equivalência à Frequência da disciplina de Aplicações Informáticas B Prova 303 2015 Informação - Prova de Equivalência à Frequência da disciplina de Aplicações Informáticas B 12º Ano de Escolaridade Despacho normativo n.º 6-A/2015 1. Introdução O presente documento visa

Leia mais

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O Grupo I (Utilização de Sistemas Multimédia) 1. Indique os atributos elementares das imagens 2. Complete as seguintes afirmações de forma a torná-las verdadeiras: a. A resolução de uma imagem digital é

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA FONTES PEREIRA DE MELO Aplicações Informáticas B. 2006/2007 Grupo II

ESCOLA SECUNDÁRIA FONTES PEREIRA DE MELO Aplicações Informáticas B. 2006/2007 Grupo II ESCOLA SECUNDÁRIA FONTES PEREIRA DE MELO Aplicações Informáticas B 2006/2007 Grupo II 1. Defina o conceito de multimédia. 2. No quadro1, estabeleça a ligação entre os tipos de media e a sua classificação,

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Noções Básicas de Informática Componentes de hardware Monitor : permite visualizar informação na forma de imagem ou vídeo; todo o trabalho desenvolvido com o computador pode ser

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO PROVA 835/13 Págs. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) Duração da prova: 150 minutos 2007 2.ª FASE PROVA ESCRITA DE

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Correcção da ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

Manual. Nero MediaHome. Nero AG

Manual. Nero MediaHome. Nero AG Manual Nero MediaHome Nero AG Informações sobre copyright e marcas comerciais O manual do Nero MediaHome e a totalidade do respectivo conteúdo estão protegidos por copyright e são propriedade da Nero AG.

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Tecnologias da Informação e Comunicação UNIDADE 1 Tecnologias da Informação e Comunicação: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico 1º Período Elementos básicos da interface gráfica do Windows (continuação).

Leia mais

Introdução à Multimédia conceitos

Introdução à Multimédia conceitos 1. Introdução à Multimédia conceitos Popularidade mercado potencial aparece nos anos 90 Avanços Tecnológicos que motivaram o aparecimento/ desenvolvimento da MULTIMÉDIA Indústrias envolvidas - Sistemas

Leia mais

Disciplina: Aplicações Informáticas B Ano Letivo: 2011/2012

Disciplina: Aplicações Informáticas B Ano Letivo: 2011/2012 Disciplina: Aplicações Informáticas B Ano Letivo: 2011/2012 Professora: Angélica Vieira Realizado por: Miguel Sandim nº21 e Susana Ribeiro nº24 12ºF Índice Introdução... 3 Resumo... 4 Conceito Multimédia...

Leia mais

Introdução às Tecnologias da Informação e da Comunicação Parte Teórica

Introdução às Tecnologias da Informação e da Comunicação Parte Teórica Comunicação Parte Teórica Prova de Exame de Equivalência à : Comunicação Parte Teórica Prova n.º 24 2011 9.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de Janeiro 1. Introdução O presente documento

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16

Informática. Prof. Macêdo Firmino. Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Informática Prof. Macêdo Firmino Representação da Informação Macêdo Firmino (IFRN) Informática Setembro de 2011 1 / 16 Introdução Estamos acostumados a pensar nos computadores como mecanismos complexos,

Leia mais

Prova Prática de Desenho A

Prova Prática de Desenho A Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Prática de Desenho A 12.º Ano de Escolaridade Prova 706/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 150 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010

Oficina de Multimédia B. ESEQ 12º i 2009/2010 Oficina de Multimédia B ESEQ 12º i 2009/2010 Conceitos gerais Multimédia Hipertexto Hipermédia Texto Tipografia Vídeo Áudio Animação Interface Interacção Multimédia: É uma tecnologia digital de comunicação,

Leia mais

Guia do utilizador Ulead Systems, Inc. Janeiro de 2005. DVD MovieFactory

Guia do utilizador Ulead Systems, Inc. Janeiro de 2005. DVD MovieFactory Guia do utilizador Ulead Systems, Inc. Janeiro de 2005 DVD MovieFactory Ulead DVD MovieFactory versão 4 2000-2005 Ulead Systems, Inc. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

Referencial do Módulo B

Referencial do Módulo B 1 Referencial do Módulo B Liga, desliga e reinicia correctamente o computador e periféricos, designadamente um scanner; Usa o rato: aponta, clica, duplo-clique, selecciona e arrasta; Reconhece os ícones

Leia mais

Escola Secundária de Emídio Navarro

Escola Secundária de Emídio Navarro Escola Secundária de Emídio Navarro Curso Secundário de Carácter Geral (Agrupamento 4) Introdução às Tecnologias de Informação Ficha de trabalho N.º 1 1. Refere algumas das principais áreas das Tecnologias

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Configuração do computador com o sistema operativo de interface gráfico O Windows permite configurar o computador de várias maneiras, quer através do Painel de controlo

Leia mais

Tecnologias da Informação e Comunicação 9º ANO. Escola Básica José Afonso. Professora Marta Caseirito

Tecnologias da Informação e Comunicação 9º ANO. Escola Básica José Afonso. Professora Marta Caseirito Tecnologias da Informação e Comunicação 9º ANO Escola Básica José Afonso Professora Marta Caseirito Grupo 1 1. As questões seguintes são de escolha múltipla. Nas afirmações seguintes assinale com X aquela

Leia mais

Subunidade 6: publicação

Subunidade 6: publicação Disciplina de Aplicações Informáticas B Subunidade 6: publicação Professor: Miguel Candeias Aluno: Francisco Cubal, nº11 12ºA Ano lectivo 2010/2011 1. Divulgação de vídeos e som via rede 1.1. A Internet

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS - Grupo 550 INFORMÁTICA Planificação Anual /Critérios de avaliação DOMÍNIOS (Unidades) UNIDADE 1 INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO Introdução Conteúdos Objetivos Estratégias/ recursos Conceitos fundamentais Teste e controlo de erros em algoritmia Estruturas de controlo Arrays

Leia mais

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes

Microsoft Access. Nível I. Pedro Fernandes Microsoft Access Nível I Introdução Objectivos Introdução; Criar tabelas; Fazer consultas; Elaborar formulários; Executar relatórios. 2 Introdução aos Sistemas de Gestão de Bases de Dados (SGBD) Desde

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS ESCOLA SECUNDÁRIA DE MANUEL DA FONSECA Curso Profissional: Técnico de Gestão e Equipamentos Informáticos PLANIFICAÇÃO ANUAL DE CONTEÚDOS GRUPO 550 CICLO DE FORMAÇÃO 2012/2015 ANO LECTIVO 2012/2013 DISCIPLINA:

Leia mais

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames)

Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) 6.2. Compressão 6.3. Software Visualização de um vídeo = movimento sequencial de um conjunto de imagens (fotogramas ou frames) FRAME RATE = nº de frames por segundo (fps) Os valores mais utilizados pelas

Leia mais

Acer econsole Manual do Utilizador

Acer econsole Manual do Utilizador Acer econsole Manual do Utilizador 1 Informações sobre software de outras empresas ou software gratuito O software pré-instalado, integrado ou distribuído com os produtos fornecidos pela Acer contém programas

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 712/13 Págs. Duração

Leia mais

Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/

Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/ Crie uma pasta (0) no ambiente de trabalho com o seu nome. Inicie o Internet Explorer através do: W O R K S H O P Menú Iniciar -> Programas -> Internet Explorer Entre no site da uarte: http://www.uarte.mct.pt/ajuda/manuais/

Leia mais

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS

INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS INFORMAÇÃO - PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS 2015 3.º CICLO DO ENSINO BÁSICO (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho)» INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.4. Áudio. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt

Sistemas e Conteúdos Multimédia. 4.4. Áudio. Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Sistemas e Conteúdos Multimédia 4.4. Áudio Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt O som é um fenómeno físico causado pela vibração da matéria (p. ex. a pele de um tambor) A vibração provoca

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA712/C/11 Págs. Duração

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 Este programa permite gerir toda a sua colecção de músicas, vídeos e até mesmo imagens, estando disponível para download no site da Microsoft, o que significa que mesmo quem

Leia mais

ZS Rest. Manual de Iniciação. BackOffice

ZS Rest. Manual de Iniciação. BackOffice Manual de Iniciação BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 a) BackOffice:... 4 b) Acesso BackOffice:... 4 4. Zonas... 6 c) Criar Zona:... 7 d) Modificar Zona:... 8 e) Remover

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

Escola Secundária de Ribeira Grande. Cotação

Escola Secundária de Ribeira Grande. Cotação Escola Secundária de Ribeira Grande plicações Informáticas 1º Período Ficha diag. 03 2009 / 2010 Curso Tecnológico de Informática Nome: Nº: Turma: 11.º G Cotação Classificação: Docente: 1 2 3 4 5 6 7 8

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Mídias Contínuas. Mídias Contínuas

Mídias Contínuas. Mídias Contínuas Mídias Contínuas Processamento da Informação Digital Mídias Contínuas Mídias Contínuas (dinâmicas ou dependentes do tempo) Digitalização de Sinais Áudio Vídeo 1 Digitalização de Sinais Codificadores de

Leia mais

Conteúdo. 1 Introdução 5. 2 Pré-configuração 6. 3 Configurar a Interface do Utilizador 7. 4 Configurar as opções internas 9

Conteúdo. 1 Introdução 5. 2 Pré-configuração 6. 3 Configurar a Interface do Utilizador 7. 4 Configurar as opções internas 9 Esta documentação foi convertida a partir da Base de Utilizadores do KDE para o K3b a 2011-01-20. Actualização para o 2.1 pela Equipa de Documentação do KDE Tradução: José Pires 2 Conteúdo 1 Introdução

Leia mais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10.º/11.º Anos ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade Prova 835/1.ª Fase

Leia mais

Versão 2. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 2. Utiliza apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Matemática Versão 2 Teste Intermédio Matemática Versão 2 Duração do Teste: 90 minutos 29.02.2012 8.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro Identifica claramente,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos

Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas. Óbidos Curso EFA Técnico/a de Informática - Sistemas Óbidos MÓDULO 769 Arquitectura interna do computador Carga horária 25 Objectivos No final do módulo, os formandos deverão: i. Identificar os elementos base

Leia mais

Windows Live Movie Maker

Windows Live Movie Maker Windows Live Movie Maker Passo-a-passo para Professores Criar um filme com o Windows Live Movie Maker Descarregue o programa 1. Visite o site http://explore.live.com/windows-live-movie-maker e descarregue

Leia mais

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest/ZSPos FrontOffice... 4 4. Produto... 5 Activar gestão de stocks... 5 5. Armazém... 7 a) Adicionar Armazém... 8 b) Modificar Armazém... 8 c)

Leia mais

Realizado por: Fábio Rebeca Nº6. Iuri Santos Nº8. Telmo Santos Nº23

Realizado por: Fábio Rebeca Nº6. Iuri Santos Nº8. Telmo Santos Nº23 Realizado por: Fábio Rebeca Nº6 Iuri Santos Nº8 Telmo Santos Nº23 1 Tutorial de instalação e partilha de ficheiros no Ubuntu Índice Índice... 1 Introdução... 2 Material que iremos utilizar... 3 Instalação

Leia mais

SAFT para siscom. Manual do Utilizador. Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01. Data criação: 21.12.2007

SAFT para siscom. Manual do Utilizador. Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01. Data criação: 21.12.2007 Manual do Utilizador SAFT para siscom Data última versão: 07.11.2008 Versão: 1.01 Data criação: 21.12.2007 Faro R. Dr. José Filipe Alvares, 31 8005-220 FARO Telf. +351 289 899 620 Fax. +351 289 899 629

Leia mais

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00

Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Manual de Utilizador Aplicação Cliente Web Versão 1.0.00 Edição 1 Agosto 2011 Elaborado por: GSI Revisto e Aprovado por: COM/ MKT Este manual é propriedade exclusiva da empresa pelo que é proibida a sua

Leia mais

Informação Prova de Equivalência à Frequência

Informação Prova de Equivalência à Frequência Ano letivo 2014/2015 Ensino Secundário - 1ª e 2ª Fase Disciplina de ESPANHOL (INICIAÇÃO BIENAL) - 375 Informação Prova de Equivalência à Frequência 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características

Leia mais

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo

MÓDULO 1 - Folha de Cálculo ANUAL ANO LETIVO DE 2013/2014 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Gestão Desportiva Curso Profissional de Técnico de Restauração Cozinha - Pastelaria Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação

Leia mais

Microsoft PowerPoint. Prof. Rafael Vieira

Microsoft PowerPoint. Prof. Rafael Vieira Microsoft PowerPoint Prof. Rafael Vieira Características do Microsoft PowerPoint O que é? Éuma aplicação utilizada sobretudo para criar apresentações Permite utilizar animação, efeitos de transição entre

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares

SENAI São Lourenço do Oeste. Introdução à Informática. Adinan Southier Soares SENAI São Lourenço do Oeste Introdução à Informática Adinan Southier Soares Informações Gerais Objetivos: Introduzir os conceitos básicos da Informática e instruir os alunos com ferramentas computacionais

Leia mais

MICROSOFT WINDOWS XP Sistema Operativo

MICROSOFT WINDOWS XP Sistema Operativo MICROSOFT WINDOWS XP Sistema Operativo Índice 1. O que é o Windows XP 1 2. Para que serve o Windows XP 1 3. O Ambiente de Trabalho 2 4. Menu Iniciar 3 5. Janelas 4 6. Vistas 5 7. Iniciar 10 8. Encerrar

Leia mais

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação

INGLÊS Cont. Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO. 11º Ano de Escolaridade. Prova 367 2015. Pág. 1 de 5. 1. Objeto de avaliação Ano Letivo 2014/2015 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA A À FREQUÊNCIA INGLÊS Cont. Prova 367 2015 11º Ano de Escolaridade Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho 1. Objeto de avaliação A prova a que esta

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO PROVA 835/13 Págs. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) Duração da prova: 150 minutos 2007 1.ª FASE PROVA ESCRITA DE

Leia mais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10.º/11.º anos ou 11.º/12.º anos de Escolaridade Prova 835/1.ª Fase

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 703/8 Págs. Duração da prova: 120 minutos 2007 2.ª FASE PROVA PRÁTICA DE APLICAÇÕES INFORMÁTICAS

Leia mais

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e do programa da disciplina.

As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação em vigor e do programa da disciplina. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEIRO ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA INFORMAÇÃO- EXAME PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE FÍSICA ENSINO SECUNDÁRIO 12º ANO 2011/2012 1- INTRODUÇÃO O presente documento visa

Leia mais

Aplicações Informáticas B 12º Ano

Aplicações Informáticas B 12º Ano Aplicações Informáticas B 12º Ano Prof. Adelina Maia 2013/2014 AIB_U3B 1 Para o desenvolvimento e a execução de conteúdos e aplicações multimédia, existe um conjunto de recursos de hardware, software e

Leia mais

FICHEIROS COM EXEMPLOS

FICHEIROS COM EXEMPLOS FICHEIROS COM EXEMPLOS Envie um e-mail* para software@centroatlantico.pt para conhecer os endereços de Internet de onde poderá fazer o download dos ficheiros com os exemplos deste livro. Reservados todos

Leia mais

Conceitos, tabelas e consultas

Conceitos, tabelas e consultas MICROSOFT ACCESS Conceitos, tabelas e consultas 1. CONCEITOS Base de Dados é um conjunto de dados organizados SGBD (Sistema de Gestão de Base de Dados) programa que permite fazer a gestão da base de dados.

Leia mais

Capítulo 1: Introdução

Capítulo 1: Introdução Capítulo 1: Introdução 1.1 Conteúdo da embalagem Quando receber a sua TVGo A03, certifique-se que os seguintes itens se encontram na embalagem da Mini Super TV USB. TVGo A03 CD do controlador Controlo

Leia mais

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT

Ferramentas Web, Web 2.0 e Software Livre em EVT E s t u d o s o b r e a i n t e g r a ç ã o d e f e r r a m e n t a s d i g i t a i s n o c u r r í c u l o da d i s c i p l i n a d e E d u c a ç ã o V i s u a l e T e c n o l ó g i c a AnimatorDV M a

Leia mais

Escola Secundária de Camarate

Escola Secundária de Camarate Escola Secundária de Camarate Ano Lectivo 2014/2015 Planificação da Disciplina de Tecnologias da Informação e Comunicação Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde e Técnico de Restauração e Bar

Leia mais

DISCIPLINA: Biologia CÓDIGO DA PROVA: 302

DISCIPLINA: Biologia CÓDIGO DA PROVA: 302 DISCIPLINA: Biologia CÓDIGO DA PROVA: 302 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º 1. INTRODUÇÃO O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do ensino

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Física Código da Prova: 315 2014 12.º Ano de Escolaridade

Informação - Prova de Equivalência à Frequência. Física Código da Prova: 315 2014 12.º Ano de Escolaridade Disciplina - Física Código - 315 2013/2014 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Física Código da Prova: 315 2014 12.º Ano de Escolaridade 1. Introdução As informações sobre a prova apresentadas

Leia mais

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista

PORTUGUÊS. Mesa Digitalizadora. Manual do Utilizador. Windows 2000 / XP / Vista Mesa Digitalizadora Manual do Utilizador Windows 2000 / XP / Vista 1 I. Informação Geral 1. Visão Geral Bem-vindo ao mundo das canetas digitais! Irá descobrir que é muito fácil controlar o seu computador

Leia mais

Como Fazer um Vídeo no Windows Movie Maker

Como Fazer um Vídeo no Windows Movie Maker Como Fazer um Vídeo no Windows Movie Maker Versão deste documento: 1 1 Data de edição deste documento: 20 de Julho de 2011 1. Vá ao Iniciar -> Todos os Programas -> Movie Maker 2..Este é o aspecto do Movie

Leia mais

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL Fevereiro/2002 - Portalegre Introdução A necessidade de efectuar cálculos complexos de uma forma mais rápida e fiável,

Leia mais

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia

Multimídia. Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia. Tópico. Hardware e Software para Multimídia Multimídia Hardware/Software para Multimídia (Parte I) Sistemas Multimídia Tópico Hardware e Hardware para Multimídia Com a popularização dos sistemas multimídia foi criado o padrão MPC (PC Multimídia)

Leia mais

MP3 Manager Software for Sony Network Walkman

MP3 Manager Software for Sony Network Walkman MP3 Manager Software for Sony Network Walkman Instruções de funcionamento WALKMAN é uma marca comercial registada da Sony Corporation para representar os produtos com auscultadores estéreo. é uma marca

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO

DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS (GRUPO INFORMÁTICA) Ano Letivo de 2014/2015 MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO Ensino Regular Diurno Disciplina: T.I.C. Professores: Margarida Afonso Curso Profissional - Técnico de Auxiliar de Saúde Ano: 10.º Turma(s): TAS MÓDULO 1 FOLHA DE CÁLCULO OBJECTIVOS Indicar as principais

Leia mais

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ciências Naturais Código da Prova: 10/2015 9º Ano de Escolaridade

Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ciências Naturais Código da Prova: 10/2015 9º Ano de Escolaridade Disciplina Ciências Naturais Código 10 2014/2015 Informação - Prova de Equivalência à Frequência Ciências Naturais Código da Prova: 10/2015 9º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho,

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca

Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo de Manuel da Fonseca Exame a Nível de Escola Ao abrigo do Decreto-Lei n.º 357/2007, de 29 de Outubro Prova Escrita Aplicações Informáticas B 11º Ano Curso Científico-Humanistícos

Leia mais

As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida, e do Programa da disciplina.

As informações sobre a prova apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida, e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA EDUCAÇÃO MUSICAL Abril de 2015 Prova 12 2015 2.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Tipo de Prova: Escrita e Prática Duração:

Leia mais

COTAÇÕES. 2... 88 pontos 2.1... 16 pontos 2.2. 2.2.1... 16 pontos 2.2.2... 24 pontos 2.3. 3... 24 pontos. 4... 16 pontos

COTAÇÕES. 2... 88 pontos 2.1... 16 pontos 2.2. 2.2.1... 16 pontos 2.2.2... 24 pontos 2.3. 3... 24 pontos. 4... 16 pontos Teste Intermédio Física e Química A Teste Intermédio Física e Química A Duração do Teste: 90 minutos 16.01.2008 11.º ou 12.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março COTAÇÕES 1....

Leia mais

Manual de Utilizador MP-209/509/1009

Manual de Utilizador MP-209/509/1009 ALL RIGHTS RESERVED COPY RIGHT DENVER ELECTRONICS A/S www.denver-electronics.com Manual de Utilizador MP-209/509/1009 Aviso: Obrigado por escolher os nossos produtos! Leia atentamente o manual de utilizador

Leia mais

404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA

404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA POrtuguês Portuguese 404 CAMCORDER CAMCORDER E CÂMARA FOTOGRÁFICA Suplemento do Manual do Utilizador do ARCHOS 404 Versão 1.1 Visite o site www.archos.com/manuals para transferir a versão mais recente

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015. Duração: 90 minutos

INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015. Duração: 90 minutos INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA CIÊNCIAS NATURAIS Abril de 2015 Prova 10 2015 3.º Ciclo do Ensino Básico (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) Tipo de Prova: Escrita Duração: 90 minutos

Leia mais

Plano de Aula - Windows 8 - cód.5235 24 Horas/Aula

Plano de Aula - Windows 8 - cód.5235 24 Horas/Aula Plano de Aula - Windows 8 - cód.5235 24 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Windows 8 Aula 2 1 - Introdução ao Windows 8 1.1. Novidades da Versão...21 1.2. Tela de Bloqueio...21 1.2.1. Personalizar

Leia mais

Fluxo de trabalho no Picasa

Fluxo de trabalho no Picasa Fluxo de trabalho no Picasa Neste bloco serão abordados: Download e Instalação Aquisição de imagens Tratamento básico de imagem digital fotográfica Opções de impressão Tratamento para envio para a web

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011 Manual Avançado Gestão de Stocks Local v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest FrontOffice... 4 4. Produto... 5 b) Activar gestão de stocks... 5 i. Opção: Faz gestão de stocks... 5 ii.

Leia mais

Informática. Informática. Valdir

Informática. Informática. Valdir Informática Informática Valdir Questão 21 A opção de alterar as configurações e aparência do Windows, inclusive a cor da área de trabalho e das janelas, instalação e configuração de hardware, software

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo Conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior; Windows: sistema operativo mais utilizado nos

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO FOTOGRAFIA DIGITAL E PÓS-PRODUÇÃO DE IMAGEM EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Fotografia Digital e Pós-produção de imagem. 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER O "Curso de Fotografia

Leia mais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais

Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Matemática Aplicada às Ciências Sociais 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 835/2.ª Fase 12 Páginas Duração

Leia mais