Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO Com a colaboração de

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014. Com a colaboração de"

Transcrição

1 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014 Com a colaboração de

2 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014

3 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom 2014

4 4 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014

5 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom Os maiores destaques do Relatório Tecnocom foi um ano caracterizado pelo lançamento de massa de tecnologias de pagamentos sem contato. Se na edição passada indicávamos que os pilotos estavam concentrados em tecnologias com um grau de maturidade ainda incipiente, como NFC e os diversos ecossistemas de wallets, este ano fica constatada sua subida para uma dimensão comercial por grande parte das entidades dos dois lados do Atlântico. Comprovam isso os vários lançamentos de carteiras digitais, tanto na Espanha (BBVA Wallet, iupay) como na América Latina, onde encontramos Mi Dinero Seguro (Brasil) e mpeso (República Dominicana), entre outros, que posicionam a carteira móvel como o meio cada dia mais apto, tanto em ambientes emergentes (instrumento de inclusão financeira) como naqueles mais desenvolvidos (onde se destacam a comodidade e a agilidade no momento do pagamento). O interesse pela soluções de terminal de ponto de venda em dispositivos móveis (mpos) consolida-se graças ao aumento da aceitação, impulsionada pela adoção de pequenos comerciantes e profissionais liberais, junto com as inovações incorporadas pelos fornecedores. Observamos que as autoridades em geral mantêm um firme compromisso com a promoção do desenvolvimento dos meios de pagamento eletrônico de forma segura e includente, motivo pelo qual têm ocorrido inovações também no âmbito regulatório, que permitem atender mais e melhor as necessidades da população sejam novas necessidades de população já usuária, ou necessidades existentes de população desatendida aproveitando os benefícios derivados dos contínuos avanços tecnológicos que a regulamentação procura acompanhar. No caso da Europa, que nos próximos dois anos experimentará um crescimento das contas de poupança básicas conceito já estendido em Brasil, Colômbia, México e Peru motivado pela nova normativa do Parlamento Europeu que obrigará as entidades financeiras a oferecê-las a todos os residentes de forma gratuita ou a um custo razoável. Neste contexto europeu, destacamos que a Espanha foi pioneira na transposição para a normativa nacional (Real Decreto Lei 8/2014, de 4 de julho, que estabelece os limites para as taxas de intercâmbio em operações de pagamento com cartão) da Diretiva Europeia de Serviços de Pagamento (PSD2) aprovada em Por sua vez, na América Latina foram aprovados importantes projetos normativos, como a Lei de Inclusão Financeira na Colômbia, centrada nos meios de pagamento eletrônico como ferramenta para a inclusão financeira, o projeto de lei de emissores não bancários de meios de pagamento com provisão de fundos no Chile e as disposições para regulamentar os serviços relacionados com as redes de meios de disposição, cotas de intercâmbio e comissões de meios de pagamento eletrônico no México. O Banco Central do Equador criou um novo Sistema de Dinheiro Eletrônico operado pelo telefone celular, que entrará em funcionamento no próximo ano. Uma tendência constatada é que as diferenças entre as duas regiões diminuem a cada ano. Dito isso, são muitas as particularidades nacionais e regionais referidas pelos dirigentes de meios de pagamento entrevistados, constatadas com dados oficiais e informadas pelos usuários, que serão descritas e analisadas. A maior parte delas, no entanto, enfatizam as duas grandes forças indicadas anteriormente, que, na opinião deles, estão incidindo de forma decisiva no desenvolvimento dos meios de pagamento: a ação dos governos e a importância crescente da tecnologia na definição de novos modelos de negócios. Do ponto de vista da oferta, globalmente são as transferências de crédito que exibem protagonismo absoluto no universo dos meios de pagamento varejistas, observado o valor das transações. Na América Latina, representam 80,7% do valor das operações de pagamento registradas em 2013 (USD 9,9 bilhões). Os débitos diretos continuam sem terminar de decolar e alcançar cotas de representação como as que encontramos na Espanha e em Portugal; é um meio de pagamento ainda pouco estendido na região, apesar de seu uso ter crescido nos últimos cinco anos em países como Colômbia e México, embora esteja estagnado em outros, como Brasil e República Dominicana. 5

6 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014 Figura I: Valor das operações de pagamento na América Latina entre 2008 e 2013, por instrumento, em bilhões de dólares ,1 1,6% ,9 22,1% 1,4% 3,0% 13,2% 4,3% Dinheiro (M0) Cheques Pagamentos com cartões ,3% 80,7% Débitos diretos Transferências de crédito Fonte: bancos centrais e superintendências de bancos. Bank of International Settlements (BIS) para os dados de Brasil Por sua vez, a evolução dos cartões de crédito e débito na América Latina experimentou um ritmo ascendente, de tal forma que, em 2013, representam 4,3% do montante total das transações, frente aos 3,0% registrados em Utilizados em 71,6% do total de transações, os cartões destacam-se dos outros meios de pagamento, mostrando uma tendência ininterrupta de crescimento sustentado em termos globais, como se pode observar na Figura II. O cheque registra de novo uma contração no número de operações (11,8% do total), resultado de sua substituição gradual pelas transferências eletrônicas (16,1%), que ocupam a segunda posição como meio de pagamento mais utilizado. Os débitos diretos na América Latina, como já adiantávamos, continuam sendo reduzidos, registrando inclusive uma queda relativa no número de operações no conjunto da região durante o último quinquênio (0,73% do total de operações diferentes de dinheiro em 2008 vs 0,55% em 2013), embora o crescimento no número de operações em termos absolutos tenha sido próximo a 12%. Nesse ramo, existe uma ampla margem de manobra para a intensificação de seu uso na região. Figura II: Número de operações de pagamento na América Latina, , em milhões Pagamentos com cartões Transferências de crédito Cheques Débitos diretos Fonte: bancos centrais e superintendências de bancos. 6 Em Espanha e Portugal, os meios de pagamento seguem uma evolução similar à da América Latina quanto à substituição dos instrumentos baseados em papel, mas vemos que o valor total das operações diminuiu 21,2% acumulados entre 2008 e 2013, porque o aumento no uso de transferências de crédito, débitos diretos e pagamentos com cartões não compensa a queda registrada no uso dos cheques e os títulos de crédito. Em matéria de débitos diretos, a Espanha é um caso singular em nossa amostra de países devido à sua ampla representatividade, na medida em que este tipo de transações representa 17,2% do valor das operações de pagamento registradas na Espanha em 2013, como mostra a Figura III. Sua concepção como mecanismo de controle do gasto (conciliação fácil dos lançamentos registrados nos extratos de conta) e de automação de pagamentos representa um atrativo maior, especialmente nos pagamentos recorrentes e cotidianos (serviços básicos, telefonia, serviços financeiros, parcelas, assinaturas, etc.), cujo desconto automático por meio de um mandato ou autorização

7 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom 2014 de débito em conta converte-o em um instrumento de pagamento ágil, seguro e eficiente. É por isso que tanto débitos diretos como transferências de crédito e cartões ganharam relevância entre os meios de pagamento disponíveis, em parte pela extensão da disponibilidade e uso de canais remotos ou virtuais, como Internet ou serviços bancários por celular, que liberam o usuário de ir à agência bancária para realizar este tipo de operações. Em relação a dinheiro, aumentou 4,6% em 2013, contabilizando EUR 108 bilhões, embora o ritmo de crescimento registrado envolva uma grande redução com relação aos movimentos contabilizados pelo Banco de Espanha em exercícios anteriores a 2010, superiores a 10%. Figura III: Valor das operações de pagamento na Espanha em 2008 e 2013, em bilhões de euros ,7 0,2% 7,8% 1.711,8 25,0% 0,1% 14,5% 4,5% 5,8% 16,8% 17,2% 3,0% Dinheiro (M0) Resto Títulos de crédito* Cheques Pagamentos com cartões Débitos diretos ,1% 53,1% Transferências de crédito * "Efectos" são títulos de crédito que podem ser cobrados (quando são a receber) ou que devem ser pagos (quando são a pagar) até a data de vencimento. Fonte: Banco de España. A Espanha registrou um pequeno aumento do número de cartões em circulação no último ano (+1,1%, cerca de unidades), repercutindo positivamente na proporção de número de cartões por mil habitantes no caso dos cartões de crédito, que havia diminuído desde 2008, pelo que se poderia falar de uma recuperação da tendência de crescimento. Os cartões de débito por habitantes diminuíram 3,9%. Tomando como referência o recorde de 76,4 milhões de cartões existentes em 2008, a contração no consumo privado e o encarecimento de sua contratação reduziram esse número para 69,7 milhões em 2013, o que corresponde a mais de 6,5 milhões de cartões de débito a menos: algumas entidades financeiras aumentaram as comissões para compensar a redução de receitas de intermediação financeira, reduzindo o estoque individual de cartões disponíveis. Em conjunto, o número de operações de compra realizadas na Espanha com cartões espanhóis aumentou em 2013 (3,6%) a taxas de crescimento superiores às registradas no período anterior (1,4%), segundo dados do Banco de Espanha. Tabela I: Número de cartões de débito e crédito em circulação, 2013 Cartões de débito Cartões de crédito Brasil Chile* Colômbia México* Peru República Dominicana Espanha Portugal * Não inclui cartões de crédito de casas comerciais Fonte: bancos centrais e superintendências de bancos. 7

8 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014 A distribuição de cartões entre débito e crédito é desigual em nossos países objeto de estudo, predominando as primeiras praticamente na totalidade, com exceção do Chile (considerando os cartões retail). Neste contexto, destaca-se o bom comportamento generalizado dos cartões de débito, cuja ascensão continua se destacando com relação à evolução dos cartões de crédito, especialmente no Chile (crescimento anual composto de 15,1% no período ) e México (12,4%). Também se pode apreciar um crescimento mais pronunciado no parque de cartões de crédito com relação aos de débito nos últimos cinco anos tanto na Colômbia como no Peru, onde a proporção entre débito e crédito se reduziu a 1,6 (de 2,9 registrada em 2008) e 2,0, respectivamente. Em relação ao tíquete médio dos pagamentos realizados com cartões de débito e crédito, observamos que em todos os países do estudo, com exceção da Colômbia, o gasto com cartões de débito apresenta um comportamento similar, na faixa entre os USD 27,64 no Brasil até USD 39,02 no Chile. O comportamento do gasto com cartões de crédito neste sentido é mais desigual entre os países da região. Figura IV. Tíquete médio em cartões de débito e crédito em 2013, USD 140 Débito Crédito Brasil Colômbia* Chile México Peru Rep. Dominicana Espanha Portugal * Os dados de Colômbia e Peru correspondem a Fonte: bancos centrais e superintendências de bancos, Visa e Mastercard. A Figura V evidencia a tendência de crescimento dos pontos de acesso de caixas automáticos (ATM) por milhão de habitantes na América Latina. Esta tendência é claramente oposta à experimentada do outro do Atlântico desde o início da crise financeira internacional, cujos efeitos neste parâmetro foram acusados no último ano, especialmente em relação aos caixas automáticos, em grande medida fruto do processo de emagrecimento da rede de agências dos sistemas financeiros de Espanha e Portugal. O Peru continua sendo o país que contabiliza um maior crescimento de caias no período, passando de unidades em 2008 para em 2013, o que representa uma taxa de crescimento anual composto de 15,4%, que duplica a registrada pelos outros países, que se situaram na faixa entre 5% (Brasil, Chile, México e República Dominicana) e 10% (Colômbia). O aumento do número de pontos de acesso (tanto ATM como POS) contribuiu para elevar a uma taxa incremental o número e o valor das transações na região, em contraste com a tendência observada em Espanha e Portugal que, sem deixar de crescer, apresentam ritmo menor. 8

9 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom 2014 Figura V. Número de caixas automáticos por milhão de habitantes, Brasil Chile Colômbia México Peru República Dominicana Espanha Portugal Fonte: bancos centrais e superintendências de bancos. Em termos de correspondentes não bancários, que não existem em Espanha e Portugal, observamos que a liderança é mantida por Brasil, seguido por Colômbia e Peru, com maior atraso no crescimento por parte do México, apesar da recente implementação da figura dos correspondentes com capacidade de abrir contas de processo simplificado aptas para receber e realizar pagamentos eletrônicos. Os correspondentes não bancários são elementos essenciais na implementação de muitas das políticas de inclusão financeira na região, sustentadas em grande medida nos meios de pagamento eletrônico, como indicamos anteriormente. Deste modo, o desenvolvimento dos pagamentos eletrônicos realizados pelos governos às pessoas (G2P), e mais concretamente aqueles que distribuem benefícios sociais (subsídios) aos segmentos vulneráveis da população na América Latina, é essencial para melhorar o alcance, a eficiência e a administração dos recursos públicos. Os G2P em geral, e os subsídios em particular, representam um importante volume de recursos e, sobretudo, um imenso número de transações de baixo valor, com periodicidade muito elevada. Observamos dois cenários diferenciados regionalmente: enquanto o uso de meios eletrônicos para pagamentos G2P, fundamentalmente através de transferências bancárias (salários, pensões), encontra-se muito arraigado na administração pública espanhola, na América Latina ainda é predominante o uso de dinheiro e/ou cheque no âmbito das transferências sociais. Esta predominância deve-se fundamentalmente à dificuldade de alcançar a última milha na distribuição de pagamentos G2P em setores de população excluídos dos serviços financeiros formais por seu status socioeconômico e/ou localização geográfica. Em geral, e embora existam programas sociais que fazem distribuição de produtos em espécie (alimentos, medicamentos, livros escolares, combustíveis), os programas de transferências sociais utilizam três modalidades para o pagamento dos benefícios aos beneficiários: (i) pagamento em dinheiro, cheques ou cupões, ainda majoritário em grande parte dos países; (ii) cartão de carteira eletrônica ou pré-pago; e/ou (iii) contas de poupança com ou sem cartão associado, essas duas últimas apoiadas nos meios de pagamento eletrônico e que enfrentam ainda hoje importantes desafios, como analisaremos em detalhes no monográfico desta edição do relatório. 9

10 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014 Figura VI. Tipologia de pagamentos G2P Subsídios Empréstimos Reembolso de impostos Salários Pensões Compras / Viagens Apoios Subsídios a empresas Empréstimos G2P G2B Pessoas Governo Empresas P2G B2G Pagamentos de impostos Débitos por serviços Infrações e multas Pagamentos de impostos, taxas, licenças Fonte: Afi e Tecnocom. Os maiores desafios derivam de fatores jurídicos, operacionais e inclusive culturais. Assim, encontramos o desafio de acordar uma definição adequada, projeto e implementação de mecanismos de entrega de dinheiro que tenham eficácia de custos e benefícios para as três partes participantes no processo (governo, entidade financeira e recebedora). Também identificar, para posteriormente eliminar ou reduzir as restrições existentes jurídicas, operacionais, culturais ao uso de meios de pagamento eletrônico que viabilizem as operações de forma bem-sucedida e sustentável. Por último, garantir níveis adequados de educação financeira entre os recebedores dos pagamentos, assim como de transparência e proteção ao usuário, para que os benefícios sejam entendidos pelos destinatários finais e, na medida do possível, alavancados para outros âmbitos da inclusão financeira. Neste diagnóstico, concordam os executivos do setor que incursionaram neste tipo de inovações, indicando também o enorme desafio operacional envolvido em transportar dinheiro para áreas remotas. Como também viemos analisando neste Relatório, destacamos a tendência dos bancos por Internet, que cada vez tem uma maior presença e protagonismo no conjunto de transações de pagamento de baixo valor para os dois lados do Atlântico, provocado principalmente pelo aumento do uso de dispositivos móveis como canal de acesso e início das ordens de transações de pagamento, um hábito que facilita para os usuários realizar diferentes operações a partir do lugar onde se encontrem, sem necessidade de chegar ao ponto de atendimento físico da entidade financeira. A importância da Internet e dos serviços bancários pelo celular impulsiona a retroalimentação existente entre o setor TIC e o negócio bancário, que oferece imensas oportunidades de colaboração entre os operadores dos dois setores. Neste sentido, a partir do fim de 2013 somos testemunhas de importantes alianças entre bancos e operadoras de telecomunicações para desenvolver novos negócios digitais e de serviços bancários pelo celular, como no caso de Claro e Bradesco no Brasil, ampliando o serviço Near Field Communication (NFC) no país, ou do Banco de Brasil, com a operadora Oi e Visa, que lançaram uma nova solução de pagamentos sem contato; na República Dominicana, o Banco Popular Dominicano e Orange lançaram o mpeso; na España, Caixabank, Santander e Telefónica criaram novos serviços digitais de pagamento (Yaap Money). O comércio eletrônico experimenta um crescimento exponencial nos cinco últimos anos na América Latina, onde se quadruplicou o faturamento realizado por este canal, em linha com a melhoria dos índices de inclusão financeira (índices de bancarização e de penetração dos meios de pagamento eletrônicos) e a maior segurança do canal que, segundo os executivos do setor, é um dos cavalos de batalha da indústria de meios de pagamento. Esta tendência evidencia a crescente importância que, para o desempenho da vida diária, estão adquirindo outros meios de pagamento diferentes do dinheiro em espécie na América Latina. De fato, entre internautas há mais peso da população bancarizada do que entre não internautas, mantendo-se a desigualdade detectada em anos anteriores, destacando especialmente nos países com menor nível de bancarização, entre os quais a proporção de bancarizados entre os internautas é maior, como ocorre em México, Peru, Chile e República Dominicana. O meio de pagamento que mais usuários empregam nas compras online são os cartões de crédito, seguidos pelos de débito, dinheiro (seja no momento do recebimento ou pagamento direto) e PayPal, como ficou refletido na edição anterior deste Relatório. A exceção mantém-se para o caso do Peru, onde o pagamento em dinheiro e o depósito ou transferência bancária são os meios com maior número de usuários. 10

11 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom 2014 Na Espanha, o comércio eletrônico que mais duplicou o volume de negócios nos últimos cinco anos, principalmente graças ao aumento do número de internautas e a maior proporção dos mesmos que fazem compras online. Os números publicados pela Comissão Nacional dos Mercados e da Concorrência relativos ao exercício de 2013, que contabiliza as compras realizadas por Internet com cartão de crédito ou débito, comprovam este comportamento: foram registrados 190 milhões de operações de comércio eletrônico, que envolveram um volume de negócios de USD 16,9 bilhões, 24,7% mais do que em Cartão de débito e Paypal posicionam-se como os meios de pagamento preferidos pelos consumidores online. Os atributos do comprador online frequente concorrem em todos os países analisados; homens com menos de 40 anos, com um equipamento tecnológico mais avançado do que a média, o que favorece seu pertencimento a um segmento socioeconômico médio-alto e alto, residente em grandes cidades ou áreas metropolitanas, com uma maior presença de cartões de débito e crédito bancário. Isso deriva em uma tipologia de compra frequente associada ao perfil: produtos e serviços relacionados com viagens, lazer, eletrônicos e moda são os mais adquiridos através de internet com cartão em qualquer dos países considerados. Em linha com as edições anteriores, a última parte do relatório inclui uma análise da demanda de meios de pagamento em Brasil, Chile, Colômbia, México, Peru, República Dominicana e Espanha. Os resultados obtidos permitem identificar uma tendência de desaceleração dos cartões de crédito em boa parte dos países, com aumento da presença do débito em vários deles. Do conjunto de países (ver Figura VII), destaca-se o comportamento do Brasil, onde duas em cada três pessoas dispõem de algum plástico, o que faz dele o país da região com mais titulares de cartões. De fato, consolida-se como o grande país da América Latina em sua relação com o setor bancário, seguido por Chile e Colômbia, onde a metade da população dispõe deste meio de pagamento. A certa distância, poderíamos enquadrar um terceiro grupo de países, composto por México, Peru e República Dominicana, onde uma maioria da população ainda não está bancarizada. O Peru apresenta um retrocesso em bancarização (como o Chile), enquanto República Dominicana destaca-se pelo notável crescimento da bancarização nos últimos dois anos, superior a 5 pontos. Figura VII. Posse de cartões de débito e/ou crédito, por país (2012 vs 2014) ,4% 58,9% 53,0% 54,5% 47,4% 28,9% 50,2% 39,1% 31,3% 39,6% 29,4% 26,6% 33,0% 26,2% 15,8% 24,4% 18,4% 14,9% 84,1% 54,2% 73,7% Brasil Chile Colômbia México Peru República Dominicana Espanha 70,8% 60,1% 53,6% 51,7% 44,8% 29,1% 50,9% 39,8% 38,8% 39,7% 30,5% 29,0% 30,9% 26,0% 19,2% 29,5% 24,1% 18,6% 81,2% 55,5% 71,0% Total de cartões Cartões de crédito Cartões de débito n = total por país 400 Fonte: elaboração própria a partir de pesquisa. Entre os titulares de cartões, domina a preferência do uso para gastos grandes, exceto em Colômbia e Chile, onde a maioria opta por dinheiro em espécie, sendo líder o Brasil, pela maior preferência por realizar todos os tipos de pagamentos com cartão. Por sua vez, México e Peru, em linha com as preferências dominantes, também apresentam uma proporção substancial de titulares (25%) que evitam ao máximo possível usar o cartão, em linha com o refletido pelos titulares de cartões na República Dominicana. A Espanha é o país em que um menor número de titulares de cartões as consideram como um método de pagamento a 11

12 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2014 evitar, e o segundo, após o Brasil, onde mais preferem utilizá-lo para todos os tipos de pagamentos. De fato, é na Espanha, país com a mais elevada penetração de plásticos, onde se faz um menor uso do cartão, mas onde, quando é usado, são realizados pagamentos de maior valor. Isso nos leva a estimar que as mudanças normativas recentemente inauguradas limites para as taxas de intercâmbio certamente contribuirão para modificar este comportamento nos próximos anos, permitindo observar um uso mais intenso do cartão para pagamentos de menor valor. O Relatório deste ano analisa, a partir de um estudo quantitativo, quais elementos podem incentivar o uso dos cartões de crédito entre os titulares, e quais podem fomentar a contratação entre aqueles que ainda não os têm. Assim, a eliminação de parcelas de manutenção e a redução das taxas de juros são os elementos que mais estimulariam o uso dos cartões de crédito, enquanto os seguros contra roubo ou perda nas compras é o elemento que mais animaria aqueles que ainda não possuem a contratá-los. Para incentivar um maior uso dos cartões, destaca-se na América Latina a proposta relacionada com a oferta de um maior controle da informação dos gastos realizados, o que evidencia a existência de uma demanda não plenamente coberta de facilitar a gestão das finanças pessoais, especialmente em Chile, México, Peru e República Dominicana. Também se evidencia um interesse (especialmente em Colômbia, República Dominicana e Espanha) pela obtenção de benefícios econômicos imediatos, cuja ausência atualmente é um freio ao uso deste meio de pagamento. Por sua vez, entre os incentivos à contratação entre as pessoas que não dispõem de um plástico atualmente destacam-se os seguros - a motivação é a falta de experiência que se traduz em um temor de que um produto de financiamento possa ser roubado ou perdido especialmente em Colômbia e República Dominicana - seguidos por reembolsos de gastos, isenção do pagamento das parcelas de manutenção e redução das taxas de juros. Neste cenário (contratação), a informação sobre os gastos não desperta interesse. Em conjunto, destacam-se Colômbia e em menor medida República Dominicana como os países em que as propostas a priori poderiam ter maior incidência tanto para incentivar a contratação como o uso de cartões. Figura VIII. Avaliação de propostas para incrementar o uso de cartões de crédito com valor máximo, mínimo e médio (escala 0-10) 9,0 8,5 8,0 7,5 7,0 6,5 Máx. 8,3 7,4 Mín. 7,1 Máx. 7,6 Máx. 7,6 Máx. 7,6 6,8 6,7 6,9 Máx. 7,2 6,7 Máx. 7,9 7,3 Mín. 6,8 6,0 5,5 Mín. 5,8 Mín. 6,0 Mín. 5,8 5,0 Mín. 5,0 4,5 4,0 Conseguir melhorias ao usar o cartão (não pagar parcelas, reduzir taxas) Ter informações sobre os gastos realizados (datas, valores, tipos de compra e comparações) Seguro para as compras realizadas em caso de roubo ou dano Presentes ao acumular pontos pelo uso do cartão de crédito Cupões de desconto por uso mais habitual Devolução dos gastos com os cartões de crédito em determinados estabelecimentos n = Dispõem de cartão de crédito bancário ou privado Fonte: elaboração própria a partir de pesquisa. Os serviços bancários por celular duplicaram o número de usuários no último ano em Colômbia e México, graças à expansão do smartphone. Este crescimento tão significativo tendeu a igualar o nível de acesso ao sistema bancário através do terminal móvel, hoje em níveis próximos a 50% dos bancarizados que acessam a Internet pelo celular em todos os países com exceção de Brasil e Chile, que apresentam uma certa estagnação, explicada pelo maior incremento no número de usuários de Internet em relação aos usuários de serviços bancários por celular. 12

13 1. Os maiores destaques do Relatório Tecnocom 2014 O Indicador Tecnocom de demanda por meios de pagamento eletrônicos (Figura IX) apresenta algumas melhorias em alguns países e evidencia uma piora da situação em outros. Segundo este indicador, que permite a comparação direta entre o nível de desenvolvimento dos meios de pagamento eletrônicos nos países analisados, a Espanha é o país com maior pontuação; ainda que, com quase meio ponto de retrocesso em relação ao ano anterior, sem dúvida amortize a sua queda, principalmente devido à estabilidade de seus dados de meios de pagamento em relação ao ano passado (sobretudo débito) e à compra online, embora o pagamento móvel ainda não tenha conseguido se consolidar até o momento como alternativa aos outros meios de pagamento eletrônico. Em segundo lugar, está o Brasil, embora apresentando uma certa estagnação com relação ao exercício anterior. Depois do crescimento da penetração e do uso durante os últimos anos, ocorreu uma redução, apesar de que continua mantendo uma posição muito sólida dentro do mercado latino-americano. É seguido por Chile e Colômbia, estreitando as distâncias entre eles. Enquanto o Chile também melhora em dois pontos seu resultado em relação a devido ao crescimento moderado da frequência de uso dos cartões e da compra online, apesar da perda de peso detectada nos cartões de crédito não bancários - a Colômbia melhora em quase quatro pontos, registrando o maior crescimento no indicador este ano, devido ao aumento no número de usuários de cartões, sobretudo de débito, assim como a melhoria da compra online. O México registra um crescimento de dois pontos no indicador, provocado principalmente pelo maior uso dos plásticos, enquanto o Peru cresce menos de um ponto, favorecido pela extensão no pagamento com celular, mas afetado por uma estagnação na penetração e no uso dos cartões. Por último, a República Dominicana mantém um crescimento sustentado e positivo de um pouco mais de dois pontos, com origem em três elementos: melhoria da presença dos diferentes cartões, uma relativa extensão de seu uso e maior extensão do pagamento com celular e a compra online. Figura IX. Indicador Tecnocom de demanda por pagamentos eletrônicos Espanha Brasil Chile Colômbia México Peru República Dominicana 77,3 66,3 54,0 50,0 37,4 33,2 26,8 74,2 73,8 69,1 69,4 56,4 58,1 51,4 47,6 35,0 37,0 31,0 31,9 28,4 30,6 n 400 por país (2.800 no total) Fonte: elaboração própria a partir de pesquisa

14 Madrid Josefa Valcárcel, Madrid Tlf: (+34) / Att. Comercial Fax: (+34)

TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2015

TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2015 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2015 Com a colaboração de Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO 2015 Relatório Tecnocom sobre TENDÊNCIAS EM MEIOS DE PAGAMENTO

Leia mais

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País.

Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. OBJETIVOS A Pesquisa

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2013 O Setor Bancário em Números Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil

Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Nota de Imprensa Emilio Botín: O objetivo é nos tornarmos o banco privado número um do Brasil Presidente mundial do Banco Santander apresenta em São Paulo o Plano Estratégico 2008-2010 para o A integração

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

Financiamento de Veículos Posicionamento

Financiamento de Veículos Posicionamento Financiamento de Veículos Posicionamento Market Share de Produção em % Ranking Novos Financiamentos (3º Trim 14) 15,5% 1º 13,8% 14,5% 2º 2º 3º 1ºT 14 2ºT 14 3ºT 14 Pesados Autos Novos Motos Autos Usados

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil

PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS. Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil PRODUTOS E SERVIÇOS BANCÁRIOS Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários no Brasil Programa de Remessas e Capacitação para Emigrantes Brasileiros e seus Beneficiários

Leia mais

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador

Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador Impactos da nova regulação de meios de pagamento para o setor supermercadista Em 3 aspectos principais: aceitação, emissor e empregador 25 de Abril de 2014 1 Somos uma consultoria especializada em Varejo

Leia mais

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014

* Dados referentes ao PIB estimado para o ano de 2014 A Cielo é uma credenciadora de pagamentos eletrônicos. Talvez você a conheça pelas suas máquinas de cartão, presentes no comércio de Norte a Sul do Brasil. Essa é mesmo a função primordial da companhia:

Leia mais

BANCO CENTRAL DE VENEZUELA

BANCO CENTRAL DE VENEZUELA BANCO CENTRAL DE VENEZUELA AVISO OFICIAL O Banco Central de Venezuela, em exercício das faculdades que lhe conferem os artigos 21 (numeral 26) e 50 da Lei Especial que o rege, em concordância com o disposto

Leia mais

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos

APTRA PASSPORT DA NCR. Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos APTRA PASSPORT DA NCR Um núcleo empresarial para captura remota de depósitos Uma maneira melhor para os seus clientes depositarem cheques Bancos e instituições financeiras continuam a enfrentar os desafios

Leia mais

Intercâmbio de experiencias sob instrumentos de aplicação financeira para populações de baixa renda

Intercâmbio de experiencias sob instrumentos de aplicação financeira para populações de baixa renda Presidente Ejecutivo Intercâmbio de experiencias sob instrumentos de aplicação financeira para populações de baixa renda Arturo Villanueva Lama CEO Banco de la Nación agenda AGÊNDA 1. Estratêgia de Incluçao

Leia mais

Infoestrutura: Pagamento Eletrônico

Infoestrutura: Pagamento Eletrônico Infoestrutura: Pagamento Eletrônico 1. Introdução O advento do comércio eletrônico significou que os sistemas de pagamento precisavam lidar com estas novas exigências. Com a ampla utilização da Internet,

Leia mais

Bancarização no Brasil

Bancarização no Brasil Bancarização no Brasil 18 de setembro de 2009 1 Bancarização Mensagem inicial O índice de bancarização no Brasil ainda é muito baixo, com grande potencial a ser explorado Felaban (Federação Latino-Americana

Leia mais

A nova classe média vai às compras

A nova classe média vai às compras A nova classe média vai às compras 18 KPMG Business Magazine Cenário é positivo para o varejo, mas empresas precisam entender o perfil do novo consumidor Nos últimos anos o mercado consumidor brasileiro

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Senado Federal 23.jun.2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Senado Federal 23.jun.2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Senado Federal 23.jun.2009 O que representa a indústria de cartões... 38 bancos emissores 500 milhões de plásticos e 5,5 bi de transações mais de 60% dos domicílios

Leia mais

Balanço do Crédito do Comércio Varejista

Balanço do Crédito do Comércio Varejista Receitas de Vendas A vista (cartão de débito, dinheiro e cheque) Vendas a Prazo (cartão de crédito, cheque pré-datado, etc.) Total Formas de vendas a prazo que a empresa aceita Cheque Cartão de Crédito

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014 Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária Um sistema financeiro saudável, ético e eficiente é condição essencial para o desenvolvimento econômico, social e sustentável do País. Objetivos A Pesquisa FEBRABAN

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO

PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO L2 6 PRODUTOS E SERVIÇOS CARTÕES BRADESCO Em março, o Bradesco firmou parceria com a American Express Company, pela qual assumiu suas operações de cartões de crédito e atividades correlatas no Brasil,

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O VALENTINE S DAY 2015 Hórtica Consultoria Neste sábado do Carnaval de 2015, 14 de fevereiro, comemora-se em boa parte do mundo especialmente nos Estados Unidos da

Leia mais

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1

II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 II - Evolução do crédito, da taxa de juros e do spread bancário 1 Desde março do ano passado, a partir da reversão das expectativas inflacionárias e do início da retomada do crescimento econômico, os juros

Leia mais

Guia Americanas Itaucard International com chip

Guia Americanas Itaucard International com chip Guia Americanas Itaucard International com chip Índice Seu cartão 2 Para desbloquear seu cartão 3 Na hora de comprar 3 Na hora de pagar a fatura 4 Conheça a fatura 6 Mais conveniência para você 8 Programa

Leia mais

relativas às listas provisórias nacionais dos serviços mais representativos associados a contas de pagamento e sujeitos a comissões

relativas às listas provisórias nacionais dos serviços mais representativos associados a contas de pagamento e sujeitos a comissões EBA/GL/2015/01 11.05.2015 Orientações da EBA relativas às listas provisórias nacionais dos serviços mais representativos associados a contas de pagamento e sujeitos a comissões 1 Obrigações em matéria

Leia mais

Fortaleza, 4 de novembro de 2013.

Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Fortaleza, 4 de novembro de 2013. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, no V Fórum Banco Central sobre Inclusão Financeira Senhoras e senhores, boa tarde a todos.

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento

4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 4º Congresso brasileiro de meios eletrônicos de pagamento Solução Made by Um cartão à medida de cada cliente, São Paulo - Brasil, 15/10/2009 São Paulo, 15-10-2009 1 Agenda Overview Os mercado de meios eletrônicos de pagamento em Portugal Posicionamento da Caixa

Leia mais

Canais Alternativos de Atendimento

Canais Alternativos de Atendimento Canais Alternativos de Atendimento PAGAMENTO DE CONTAS RECEBIMENTO DE BENEFÍCIOS TRANSFERÊNCIA DE DINHEIRO Posso fazer essas operações bancárias nos Canais Alternativos de Atendimento? Veja aqui como fazer

Leia mais

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM.

TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. TARIFAS BANCÁRIAS VOCÊ VALORIZA CADA CENTAVO DO SEU DINHEIRO. E A CAIXA TAMBÉM. Por norma do Conselho Monetário Nacional (CMN), foram padronizados os Serviços Prioritários e os serviços isentos para Pessoa

Leia mais

O futuro dos meios de pagamento

O futuro dos meios de pagamento O futuro dos meios de pagamento Ilnort Rueda Saldivar Partner 18.8.2014 A situação no Brasil... A.T. Kearney xx/00000/unique Identifier 2 Brasil possui uma matriz de meios de pagamentos madura e bem diversificada...

Leia mais

COMPUTADOR CELULAR/TABLET CAIXA ELETRÔNICO SMART TV. os benefícios da cooperativa estão sempre por perto.

COMPUTADOR CELULAR/TABLET CAIXA ELETRÔNICO SMART TV. os benefícios da cooperativa estão sempre por perto. Com o os benefícios da cooperativa estão sempre por perto. Veja o que o cooperado pode fazer usando o celular, o computador e os caixas eletrônicos. Com o SicoobNet, o associado tem acesso a conta de onde

Leia mais

2002 - Serviços para empresas

2002 - Serviços para empresas 2002 - Serviços para empresas Grupo Telefónica Data. Resultados Consolidados 1 (dados em milhões de euros) Janeiro - Dezembro 2002 2001 % Var. Receita por operações 1.731,4 1.849,7 (6,4) Trabalho para

Leia mais

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC).

Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). São Paulo, 21 de março de 2013. Discurso do presidente Alexandre Tombini na comemoração dos 30 anos da Associação Brasileira de Bancos Comerciais (ABBC). Senhoras e senhores É com grande satisfação que

Leia mais

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú.

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú. O Plano de Vantagens Itaú oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento e a sua utilização dos

Leia mais

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento

Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Sistema Financeiro e os Fundamentos para o Crescimento Henrique de Campos Meirelles Novembro de 20 1 Fundamentos macroeconômicos sólidos e medidas anti-crise 2 % a.a. Inflação na meta 8 6 metas cumpridas

Leia mais

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico

TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico TIC Domicílios 2007 Comércio Eletrônico DESTAQUES 2007 O Estudo sobre Comércio Eletrônico da TIC Domicílios 2007 apontou que: Quase a metade das pessoas que já utilizaram a internet declarou ter realizado

Leia mais

Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil

Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil Associação Brasileira de Automação GS1 Brasil Estudo o uso do código de barras no Brasil 30 de junho de 2015 Consumidor e o Código de Barras 2 Consumidor e o Código de Barras - Perfil 45% - HOMENS 55%

Leia mais

Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1

Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1 Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1 Glossário de Termos Técnicos Bases operacionais de cartões são as alternativas de captura de dados que os estabelecimentos podem utilizar para efetivar as

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira

CORRESPONDENTES. Uma Inovação Brasileira CORRESPONDENTES Uma Inovação Brasileira JUNHO - 2007 Brasil Desafio das dimensões continentais ÁREA Brasil Desafio das dimensões continentais DENSIDADE DEMOGRÁFICA Brasil Desafio das dimensões continentais

Leia mais

SAC: Fale com quem resolve

SAC: Fale com quem resolve SAC: Fale com quem resolve A Febraban e a sociedade DECRETO 6523/08: UM NOVO CENÁRIO PARA OS SACs NOS BANCOS O setor bancário está cada vez mais consciente de seu papel na sociedade e deseja assumi-lo

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s

SeminárioADI-2012. Inclusão financeira inovação para as MPE s SeminárioADI-2012 Inclusão financeira inovação para as MPE s Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Barcelona Outubro 2012 1. Diagnóstico Não

Leia mais

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados?

1.8. Cartões emitidos para pagamento de benefícios ou repasse de programas sociais devem ser considerados? PAGAMENTOS DE VAREJO E CANAIS DE ATENDIMENTO Perguntas freqüentes 1. Arquivo ESTATCRT.TXT Informações relativas aos cartões com função saque e e-money 1.1. Devo informar os saques efetuados sobre linhas

Leia mais

Apresentação dos Resultados 3T06

Apresentação dos Resultados 3T06 Apresentação dos Resultados 3T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Uniclass Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú Uniclass.

Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Uniclass Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú Uniclass. Regulamento do Plano de Vantagens Itaú Uniclass Mais benefícios para quem mantém relacionamento com o Itaú Uniclass. O Plano de Vantagens Itaú Uniclass oferece benefícios de acordo com o seu relacionamento

Leia mais

REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago

REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago REGULAMENTO DO CARTÃO BOM+ Funcionalidade Pré-Pago O BOM+ é um cartão pré-pago que oferece aos seus clientes as funcionalidades de pagamento de compras em toda a rede MasterCard e também pagamento de tarifas

Leia mais

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito 25 de junho de 2010 Sobre este estudo Este estudo foi desenvolvido no início de 2009 e atualizado parcialmente em junho de 2010 2 A operação do cartão

Leia mais

PESQUISA: BANCOS. AMOSTRA: 3770 pessoas usuárias de Iphone. Brasil - pelo pinion

PESQUISA: BANCOS. AMOSTRA: 3770 pessoas usuárias de Iphone. Brasil - pelo pinion PESQUISA: BANCOS AMOSTRA: 3770 pessoas usuárias de Iphone. Brasil - pelo pinion O Brasil ainda apresenta uma gama da população que é considerada desbancarizada (39,5%), nesta pesquisa buscamos entender

Leia mais

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL

NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL fevereiro 2010 NOTA SOBRE O COMÉRCIO EXTERIOR NA AMÉRICA DO SUL Paulo Roberto Delgado * Gracia Maria Viecelli Besen* Na presente década, verificou-se forte expansão do comércio externo nos países da América

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Desafios globais para alavancar inclusão financeira via pagamentos G2P. Outubro 2012

Desafios globais para alavancar inclusão financeira via pagamentos G2P. Outubro 2012 Desafios globais para alavancar inclusão financeira via pagamentos G2P Outubro 2012 O que temos feito globalmente? Buscamos oportunidades para alavancar programas de pagamentos governo-para-pessoas ou

Leia mais

Mensurar a inclusão financeira Uma abordagem focada no cliente. Caitlin Sanford

Mensurar a inclusão financeira Uma abordagem focada no cliente. Caitlin Sanford Mensurar a inclusão financeira Uma abordagem focada no cliente Caitlin Sanford 2 O caminho em direção a uma mensuração da inclusão financeira Mensurar a EXISTÊNCIA dos serviços financeiros em um país (

Leia mais

DICAS PARA PAGAMENTO MÓVEL NA 7SUA EMPRESA

DICAS PARA PAGAMENTO MÓVEL NA 7SUA EMPRESA DICAS PARA PAGAMENTO MÓVEL NA 7SUA EMPRESA ÍNDICE INTRODUÇÃO O QUE É PAGAMENTO MÓVEL CONCLUSÃO PG. 3 PG. 4 PG. 6 PG. 17 INTRODUÇÃO Os meios de pagamento eletrônico estão cada vez mais fortes no Brasil.

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito Instituto HSBC Solidariedade Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA: INCLUSÃO FINANCEIRA JUNHO/2012 Pesquisa CNI-IBOPE CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA - CNI Presidente: Robson Braga de Andrade DIRETORIA DE POLÍTICAS E ESTRATÉGIA José

Leia mais

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população

Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Painel II: Marco regulatório para inclusão financeira Mesa 3: Adequação de serviços financeiros e dos canais de acesso às necessidades da população Agenda Missão do Banco Central do Brasil Inclusão Financeira

Leia mais

Investimento no exterior: MORTGAGE

Investimento no exterior: MORTGAGE Investimento no exterior: MORTGAGE 01. Overview Crise do Subprime 2 01. Overview Crise Subprime Entendendo a Crise do Subprime Baixas taxas de juros levaram ao aquecimento do mercado imobiliários nos EUA

Leia mais

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes

A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes A pergunta de um trilhão de dólares: Quem detém a dívida pública dos mercados emergentes Serkan Arslanalp e Takahiro Tsuda 5 de março de 2014 Há um trilhão de razões para se interessar em saber quem detém

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

Brasil, potência no e-commerce

Brasil, potência no e-commerce Brasil, potência no e-commerce CONTEXTO GLOBAL E REGIONAL 10º mercado em termos mundiais Maior e mais maduro mercado da AL Potencial de crescimento elevado Um país que compra cada vez mais online CONTEXTO

Leia mais

Correspondente Bancário: A Expansão do Acesso aos Serviços Financeiros e de Pagamento

Correspondente Bancário: A Expansão do Acesso aos Serviços Financeiros e de Pagamento Correspondente Bancário: A Expansão do Acesso aos Serviços Financeiros e de Pagamento 1 14/março/2014 Agenda Apresentação da MFS Zuum Vivo MasterCard Mercado Alvo Funcionalidades Estratégia de Distribuição

Leia mais

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov.

7.000 6.500 6.000 5.500 5.000 4.500 4.000 3.500 3.000 2.500 2.000 1.500 1.000 500 - -500-1.000 fev./2010. ago./2011. fev./2012. nov. 4 SETOR EXTERNO As contas externas tiveram mais um ano de relativa tranquilidade em 2012. O déficit em conta corrente ficou em 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB), mostrando pequeno aumento em relação

Leia mais

O outro lado da dívida

O outro lado da dívida O outro lado da dívida 18 KPMG Business Magazine A crise de endividamento na Europa abalou a economia global como a segunda grande onda de choque após a ruptura da bolha imobiliária nos Estados Unidos,

Leia mais

São Paulo, 25 de abril de 2013.

São Paulo, 25 de abril de 2013. São Paulo, 25 de abril de 2013. Discurso do diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania, Luiz Edson Feltrim, na SME Banking Conference 2013 1 Dirijo saudação especial a Sra. Ghada Teima, IFC Manager

Leia mais

A serviço da Credicard Citi Corporate

A serviço da Credicard Citi Corporate A serviço da Credicard Citi Corporate Renato Pinheiro Executivo de Contas (041) 9151-4623/renato.pinheiro@bighost.com.br CTA Descrição O CTA é um meio de pagamento eletrônico, exclusivamente desenvolvido

Leia mais

CARTÃO DE CRÉDITO CARTÃO DE DÉBITO

CARTÃO DE CRÉDITO CARTÃO DE DÉBITO TIPOS DE CARTÃO CARTÃO DE CRÉDITO Instrumento de pagamento que possibilita ao portador adquirir bens e serviços nos estabelecimentos credenciados mediante um determinado limite de crédito. O cliente poderá

Leia mais

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos)

Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda. (Oportunidades & Riscos) Projeto: O Crédito & o Endividamento do Consumidor de Baixa Renda (Oportunidades & Riscos) 1 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA

MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA SERVELOJA A Serveloja soluções empresariais é uma empresa de tecnologia, especialista em consultoria, serviços financeiros e softwares. Disponibilizamos diversas soluções de cobranças

Leia mais

Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil. FELABAN, julho de 2011

Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil. FELABAN, julho de 2011 Bancarização e Inclusão Financeira no Brasil FELABAN, julho de 2011 Agenda Panorama da economia brasileira : 2006 a 2010 Questões fundamentais Definindo conceitos Indicadores de bancarização : 2006 a 2010

Leia mais

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014

Mercado de Crédito Consignado. Agosto 2014 Mercado de Crédito Consignado Agosto 2014 EMPRÉSTIMO CONSIGNADO EM FOLHA DE PAGAMENTO O empréstimo consignado é o melhor produto financeiro de crédito do país e seu desenvolvimento só foi possível por

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES REGULAMENTO DO SERVIÇO DE MENSAGEM INFOCELULAR BRADESCO CARTÕES O BANCO BRADESCO CARTÕES S.A., com sede na Cidade de Osasco, Estado de São Paulo, no núcleo administrativo denominado Cidade de Deus, Prédio

Leia mais

Reflexões sobre o modelo de cartões no Brasil e comparativos com outros países

Reflexões sobre o modelo de cartões no Brasil e comparativos com outros países Reflexões sobre o modelo de cartões no Brasil e comparativos com outros países Introdução Ações regulatórias em cartões no mundo são variadas e podem ser bem vistas, desde que permitam o atingimento de

Leia mais

Público Alvo. Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas;

Público Alvo. Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas; . Público Alvo Faculdades; Universidades; Escolas de Ensino Fundamental e Médio; Cursos Especializados; Escolas de Idiomas; Professores, funcionários e alunos. Educação Produtos Diferenciados Parceria

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

A nova bandeira Elo acaba de chegar nas máquinas da Cielo.

A nova bandeira Elo acaba de chegar nas máquinas da Cielo. (3,1) -1-48889_2 cieloinfor630x275.indd 6/15/11 5:44 PM A NÚMERO 1 EM VENDAS. NADA SUPERA ESSA MÁQUINA. Informativo EDIÇÃO 1 TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE A CIELO PARA O SEU NEGÓCIO. *Estabelecimentos

Leia mais

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros 1 Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros Tomás Awad Analista senior da Itaú Corretora Muito se pergunta sobre como ficariam os bancos num cenário macroeconômico

Leia mais

O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS

O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS A economia mundial, em 2011, ficou marcada pela crise da dívida soberana de países da zona euro, pela desalavancagem do setor bancário devido a maiores exigências

Leia mais

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim.

98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% 3º trimestre/2014. das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 3º trimestre/2014 das empresas avaliaram o sistema 80,7% tributário brasileiro qualitativamente como ruim ou muito ruim. 98,3% 90,3% 64,2% 38% 63,3% das indústrias gaúchas avaliam que o número de tributos

Leia mais

I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas

I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas I Congreso LatinoAmericano de Bancarizacion, Micrhofinanzas Y Remesas História da CAIXA O dia 12 de janeiro de 1861 marcou o início da história da CAIXA e de seu compromisso com o povo brasileiro. Foi

Leia mais

Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina?

Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina? Policy Brief Ano 2010 No. 1 Telefonia móvel: São acessíveis os serviços na América Latina? A telefonia móvel teve um crescimento espectacular em América Latina, e hoje alcança um nível de penetração próximo

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

TREINAMENTO BRADESCARD. Lojas BP

TREINAMENTO BRADESCARD. Lojas BP TREINAMENTO BRADESCARD Lojas BP 1 Cartão BradesCard O BradesCard facilita a realização dos seus clientes de forma prática e flexível. Especializado no Varejo, oferece um portfólio completo de produtos

Leia mais

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014 Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014 Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014 Sumário 1. Apresentação...4 2. Crescimento do setor e do acesso da população aos serviços bancários... 7 3.

Leia mais

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia.

Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. Guia Prático para você. O Besc é Banco do Brasil. Veja a diferença que isso faz no seu dia-a-dia. guia_pf.indd 1 3/24/09 10:53:08 AM Índice Introdução...02 Relacionamento com o Banco do Brasil...03 Conta

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011 AGENDA DE TRABALHO PARA O CURTO PRAZO Indústria brasileira de bens de capital mecânicos Janeiro/2011 UMA AGENDA DE TRABALHO (para o curto prazo) A. Financiamento A1. Taxa de juros competitiva face a nossos

Leia mais

Pagamentos de varejo e canais de atendimento. Detalhamento para o envio de informações

Pagamentos de varejo e canais de atendimento. Detalhamento para o envio de informações Pagamentos de varejo e canais de atendimento Detalhamento para o envio de informações 1 Objetivos da pesquisa Vigilância dos sistemas e dos instrumentos de pagamentos de varejo do Sistema de Pagamentos

Leia mais

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC

Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do HSBC Leia estas informações importantes para aproveitar todas as vantagens do seu novo cartão de crédito. Resumo do Contrato de seu Cartão de Crédito do

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos)

A Baixa Renda & O Crédito. (Oportunidades & Riscos) A Baixa Renda & O Crédito (Oportunidades & Riscos) Mar / 2006 Histórico A TNS Interscience desenvolve regularmente Estudos Institucionais cujo objetivo é o de identificar tendências que estimulem o pensamento

Leia mais

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior

Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior Este regulamento está em vigor a partir do 11/07/2007 (inclusive) substituindo e cancelando o anterior REGULAMENTO DE ACÚMULO DE PONTOS NO PROGRAMA BRADESCO COM TRANSFERÊNCIA PARA O PROGRAMA FIDELIDADE

Leia mais

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas

As MPE s como eixo central de cadeias produtivas As MPE s como eixo central de cadeias produtivas Guilherme Lacerda Diretor de Infraestrutura Social, Meio Ambiente, Agropecuária e Inclusão Social Madrid Outubro 2012 MPEs Importância, Desafios e Contribuições

Leia mais

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015

PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015 PERSPECTIVAS DE VENDAS DE FLORES PARA O DIA DAS MÃES DE 2015 SINDIFLORES Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo Hórtica Consultoria- Inteligência de Mercado

Leia mais

Cartões Private Label

Cartões Private Label Cartões Private Label Quando implementar? Como ativar? Por que ir além? Walter Rabello Quando Implementar Como Ativar Por que Ir além O que é Private Label? Para quem trabalha no mercado de cartões: Cartão

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014

Teleconferência de Resultados 1T14 8 de maio de 2014 Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2014 Destaques do Expressivo crescimento em vendas mesmas lojas (25,4%) com rentabilidade Crescimento da receita líquida total: 28,5% versus 1T13 R$2,3 bilhões

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Mobile Payments: projeto piloto

Mobile Payments: projeto piloto Mobile Payments: projeto piloto Sustentabilidade Maio, 2013 AGENDA ENQUADRAMENTO PILOTO MOBILE PAYMENTS RESULTADOS ENQUADRAMENTO Já assumida como uma tendência, o sistema de pagamento pelo telemóvel começa

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais