Resultados 1º Trimestre de 2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados 1º Trimestre de 2008"

Transcrição

1 O BANCO CRUZEIRO DO SUL ANUNCIA SEUS DO 1T08 São Paulo, 12 de Maio de 2008 O Banco Cruzeiro do Sul (Bovespa - CZRS4), banco múltiplo privado operando principalmente no mercado de crédito pessoal com desconto em folha de pagamento para funcionários públicos e pensionistas do INSS. Atua também no segmento de crédito para empresas de pequeno e médio porte (middle market), oferecendo crédito de curto prazo, usualmente atrelado a recebíveis, anuncia hoje os resultados do 1T08. As demonstrações financeiras auditadas do Banco são elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, baseada na Lei das Sociedades Anônimas, nas regras e regulamentos da CVM e nos padrões e regras de contabilidade estabelecidas pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil ( GAAP Brasileiro ). DESTAQUES DO PERÍODO Teleconferências 1T08 14 de maio de 2008 Português 10h00 (horário de Brasília) 09h00 (horário NY) Tel: +55 (11) Replay: +55 (11) Código: BCSul Inglês 12h00 (horário de Brasília) 11h00 (horário de NY) Tel: +1 (973) Replay: +1 (706) Código: Relações com Investidores Fausto Vaz Guimarães Neto Superintendente de RI João de Lacerda Soares Gerente de RI Roberto Coutinho Gerente de RI Tel: +55 (11) No 1T08 o lucro foi de R$ 110,6 milhões, 424,2% superior ao 1T07. No 1T08 a produção de crédito pessoal consignado somou R$ 680,7, sendo R$ 628,8 milhões de forma direta e R$ 51,9 milhões através de cartão de crédito. A média mensal no trimestre foi de R$ 226,9 milhões. A carteira de crédito alcançou R$ 3,58 bilhões divididos em: R$ 3,0 bilhões de crédito pessoal consignado, R$ 167,4 milhões de operações financiadas através do cartão de crédito consignado e R$ 382,6 milhões no segmento de pequenas e médias empresas. A carteira de crédito para pequenas e médias empresas teve crescimento de 6,8% em relação ao 4T07 e de 81,5% comparado ao 1T07. A receita bruta de intermediação financeira apresentou crescimento de 128,3% em relação ao 4T07 e de 59,8% em relação ao 1T07. Os depósitos totais cresceram 8,3% quando comparado ao 4T07, e 30,9% quando comparado ao 1T07. Emissão de notas no exterior de USD 100 milhões, ocorrida durante o mês de fevereiro de Site de Relações com Investidores: 1

2 Destaques do Período (R$ '000) 1T08 4T07 1T07 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Resultado Operacional ,1% 328,7% Lucro Liquido ,6% 425,3% Retorno anualizado sobre o patrimônio líquido medio 41,6% 55,5% 28,0% -25,0% 48,9% Retorno anulalizado sobre o ativo medio 10,1% 13,7% 3,5% -26,5% 188,0% Carteira de credito pessoal consigando em folha ,9% 98,4% Carteira de credito "Middle Market" ,8% 81,5% Indice de eficiência 34,4% 29,8% 50,6% 15,5% -31,9% Indice de Basiléia 27,6% 30,0% 18,0% -8,0% 53,3% Lucro por ação (R$)¹ 0,76 0,97 0,18 115,6% 781,8% 1 Calculado em lotes de ações sobre um total de ações exceto 1T07 ( ações) COMENTÁRIOS DA ADMINISTRAÇÃO O primeiro trimestre de 2008 apresentou um lucro de R$ 110,6 milhões, sendo impactado por receitas e despesas não recorrentes advindas principalmente da alienação de participação Societária detida na Telecomunicações do Brasil S.A. TELEBRÁS, e reversão de provisões fiscais resultantes da decisão final e irrecorrível do Superior Tribunal Federal em favor do banco, totalizando um montante liquido de R$ 43,9 milhões. Assim sendo o lucro recorrente no período foi de R$ 66,7 milhões, 102,1% superior ao 4T07 (Lucro normalizado anulando o efeito de cessões, receitas e despesas não recorrentes R$ 33 milhões) e 216,1% se comparado ao mesmo período de 2007 (R$ 21,1 milhões), e em linha com nossa meta para o ano. O Patrimônio Líquido no período alcançou R$ 1.111,9 milhões, 6,1% superior ao 4T07, e 162,5% superior ao 1T07. O lucro representa um retorno anualizado sobre o capital médio do período (R$ 1.062,8 milhões) de 41,6% (25,1% considerando o lucro recorrente). Neste período a nossa produção de crédito pessoal consignado somou R$ 680,7 (R$ 628,8 de forma direta e R$ 51,9 milhões através de cartão de crédito) com média mensal no trimestre de R$ 226,9 milhões. A produção de credito consignado que é relativamente mais baixa no primeiro trimestre devido ao período de férias do funcionalismo publico e menor dias úteis no período, porém foi também impactada negativamente por ocorrências alheias a nossa rotina como: A mudança tributária ocorrida no início de janeiro, que aboliu a CPMF e incluiu o IOF, com uma alíquota maior, a operações financeiras nas quais este tributo não incidia, e também nas mudanças de regra ocorridas em fevereiro para os empréstimos consignados a beneficiários do INSS. Ambas as medidas demandaram ajustes de sistema para atualização às novas regras, e no caso das mudanças do INSS a Dataprev ficou paralisada impedindo uma originação de operações com aposentados e pensionistas dentro dos montantes esperados nos referidos meses. Este fato pode ser observado no baixo índice de originação de operações no INSS, apenas 8 total contra uma média histórica de 18% aproximadamente. Porém em março, nossa originação de empréstimo consignado, apenas na forma direta, retornou aos patamares aceitáveis para o período alcançando R$ 258,7 milhões, em abril a produção direta superou R$ 350 milhões, recorde em toda a história do Banco. O Cruzeiro do Sul manteve sua estratégia de continuar aumentando sua carteira de crédito mantida no balanço. Desta vez se ateve à manutenção dos ativos oriundos de seu cartão de crédito consignado, que obtiveram expressivo aumento no valor financiado de 44,9% no 1T08, conforme já esperado após as novas regras de consignação do INSS que destinaram 10 valor do benefício, para utilização em operações com cartão de crédito, como Reserva de Margem Consignável RMC. Assim sendo nossa carteira de crédito contabilizada no balanço alcançou R$ 3,58 bilhões divididos em: R$ 3,0 bilhões de crédito pessoal consignado, R$ 167,4 milhões de operações financiadas através do cartão de crédito consignado e R$ 382,6 milhões no segmento de pequenas e médias empresas. Além do incremento acima mencionado de nossas operações de cartão de crédito, destacamos: O crescimento da carteira de crédito para pequenas e médias empresas de 6,8% em relação ao quarto 2

3 trimestre de 2007 e de 81,5% se comparado ao mesmo período do ano anterior; e nossa receita bruta de intermediação financeira que apresentou um crescimento em relação ao quarto trimestre de 2007 de 128,3% e de 59,8% em relação a mesmo período do ano anterior, devido à alienação de participação societária em companhias abertas, conforme acima mencionado. Nossos depósitos totais cresceram 8,3% quando comparados ao 4T07, e 30,9% quando comparados ao 1T07. Destacamos a emissão de notas no exterior no valor de USD 100 milhões, ocorrida durante o mês de fevereiro, que mesmo durante a crise de liquidez bancária corrente no período, teve excelente receptividade por parte dos investidores internacionais. COMENTÁRIOS DE DESEMPENHO Lucro Líquido O lucro no 1T08 foi de R$ 110,6 milhões, um incremento de 424,2% quando comparado ao mesmo período de 2007 (R$ 21,1 milhões). Cabe, porém salientar que o lucro líquido do 1T08 foi impactado por receitas e despesas não recorrentes, conforme demonstrativo abaixo: Lucro Líquido 1T08 (R$ mm) 110,6 Receitas líquidas não recorrentes 49,7 Telebrás PN 19,8 Reversão de provisões fiscais 29,3 Outras 0,6 Despesas líquidas não recorrentes (5,8) MtM títulos do governo (vcto 11/2012) (2,6) Impostos sobre reversões de perdas (2,7) Outras (0,5) Lucro Líquido recorrente 1T08 66,7 Assim sendo o lucro líquido recorrente no 1T08 foi de R$ 66,7 milhões um crescimento de 216,1% se comparado ao 1T07. Lucro Líquido (R$ milhões) 141,1 110,6 236,1 21,1 1T07 4T07 1T08 34,1 26,4 41,

4 O lucro representa um retorno anualizado sobre o capital médio do período (R$ 1.062,8 milhões) de 41.6% (25,1% considerando o lucro recorrente). Resultado de Intermediação Financeira No 1T08, o resultado da intermediação financeira após a provisão para créditos de liquidação duvidosa, foi de R$ 226,3 milhões, com um crescimento de 59,8% comparado ao mesmo período de Este aumento foi influenciado por um aumento de receita de intermediação financeira de 105,1% se comparado ao 4T07, devido principalmente, ao aumento da receita em operações de crédito e de títulos e valores mobiliários. Margem Intermediação Financeira (R$ '000) 1T08 4T07 1T07 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Resultado da Intermediação Financeira (a) ,9% 59,8% Provisão para perdas com crédito de liquidação duvidosa ,1% 60,9% Resultado da Intermediação Financeira após provisão ,3% 59,8% Ativos Rentáveis Médios (b) ,2% 86,2% Aplicações Interfinanceiras de Liquidez ,2% 327,1% Títulos e Valores Mobiliários ,0% 77,4% Instrumentos financeiros derivativos ,1% -8,6% Operações de Crédito ,6% 111,6% Títulos e Créditos a Receber ,4% -50,5% Margem da Intermediação financeira anualizada antes da provisão(%) (a/b) 23,2% 11,3% 27,0% 105,0% -14,1% Resultado da Intermediação Financeira (R$ milhões) 226,3 141,6 99,1 588,3 1T07 4T07 1T08 340,9 128,8 176, Títulos e Valores Mobiliários A carteira de títulos e valores mobiliários do Banco totalizou R$ 3.339,6 milhões, um aumento de 60,7% se comparado ao mesmo período de Onde, as cotas subordinadas de fundos de investimento em direitos creditórios FIDC representam um montante de R$ 2.958,3, que representam 88,6 total, e estão incorporados em nossa carteira própria conforme abaixo (1T07 - R$ 1.513,8 / 72,9%). 4

5 Carteira de Títulos e Valores Mobiliários (R$ '000) 1T08 4T07 1T07 1T08 1T08 x 4T07 x 1T07 Carteira própria bancada ,9% 70,3% Vinculados a compromissos de recompra ,5% 15,7% Instrumentos financeiros derivativos ,6% -25,0% Vinculados à prestação de garantias ,6% -41,4% Moedas de privatização ,0% 0,0% Total ,2% 60,7% Originação da Carteira de Crédito Consignado A operação de crédito pessoal consignado na forma direta atingiu um montante de originação de R$ 628,8 milhões no 1T08, com média mensal de R$ 209,6 milhões. Com a inclusão do cartão de crédito consignado nossa produção somou R$ 680,7 (R$ 628,8 milhões de forma direta e R$ 51,9 milhões através de cartão de crédito) com média mensal no trimestre de R$ 226,9 milhões. Nossa produção foi impactada pela mudança tributária ocorrida no início de janeiro, que aboliu o CPMF e incluiu, com uma alíquota maior, o IOF a operações financeiras nas quais este tributo não incidia, e também nas mudanças de regra ocorridas em fevereiro para os empréstimos consignados a beneficiários do INSS. Ambas as medidas demandaram ajustes de sistema para atualização às novas regras, e no caso das mudanças do INSS a Dataprev ficou paralisada impedindo uma originação de operações com aposentados e pensionistas dentro dos montantes esperados nos referidos meses. A proporção da originação entre funcionários públicos e aposentados e pensionistas do INSS foi 92% e 8% do total, refletindo a ocorrência acima mencionada e dentro da política estratégica do Banco Cruzeiro do Sul de manter a originação de créditos consignados para aposentados e pensionistas do INSS abaixo dos 25% da originação total. Cabe salientar que em março, nossa originação de crédito consignado apenas na forma direta retornou aos patamares normais para o período alcançando R$ 258,8 milhões. Originação da Carteira de Crédito (R$ milhões) T05 2T05 3T05 4T05 1T06 2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T Servidores Públicos INSS 5

6 Carteira de Crédito A carteira de crédito, incluindo avais e fianças, títulos e créditos a receber e cotas subordinadas de FIDC existentes na rubrica de TVM, atingiu R$ 3.575,4 milhões em 31 de março de 2008, um crescimento de 96,5% comparado ao mesmo período de 2007 (R$ 1.819,7 milhões) e de 8,7% comparado ao 4T07 (R$ 3.289,5 milhões). O volume de crédito total, contando com os montantes cedidos para outras instituições financeiras, alcançou um valor de R$ 4.741,1 milhões, apresentando um crescimento de 60,8% se comparado ao mesmo período de 2007 (R$ 2.948,6 milhões). O saldo de cessão de crédito para outras instituições financeiras representou 24,6% da carteira total no 1T08 (R$ 1.165,7 milhões), contra 38,3% no 1T07. Estes montantes encontram-se em linha com a estratégia do Banco Cruzeiro do Sul pós IPO de manter em seu balanço a maior parte dos ativos originados, apresentando um crescimento da carteira registrada no balanço de 96,5% no 1T08 (R$ 3.575,4 milhões) comparada com o 1T07 (R$ 1.819,7 milhões). Cabe também destacar que o montante cedido sem co-obrigação sofreu uma redução de 34,0%, contra um aumento de 29,8 montante com co-obrigação se comparando o 1T08 com o 1T07. Esta variação reflete positivamente no custo da cessão de crédito para outras instituições financeiras reduzindo o custo total dos recursos captados, bem como a confiança do Banco Cruzeiro do Sul na qualidade de sua carteira de crédito. Carteira de Crédito (R$ '000) 1T08 total 4T07 total 1T07 total 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Crédito Consignado¹ ,8% ,7% ,7% 7,5% 98,5% Cartão de Crédito Consignado ,5% ,6% ,9% 44,9% 96,8% Middle Market ,1% ,1% ,1% 6,8% 81,5% SubTotal On-balance ,4% ,4% ,7% 8,7% 96,5% Cessão com co-obrigação ,1% ,1% ,4% 1,3% 29,8% Cessão sem co-obrigação ,5% ,5% ,9% 7,6% -34,0% SubTotal Off-balance ,6% ,6% ,3% 2,9% 3,3% Total ,0% ,0% ,0% 7,2% 60,8% ¹ Contém Cotas Subordinadas dos FIDCs Crédito Consignado A carteira de crédito consignado, que inclui cotas subordinadas de FIDCs (R$ 2.958,3 milhões) existentes na rubrica de TVM, atingiu R$ 3.025,4 milhões no 1T08, um aumento de 98,5% comparado com o mesmo período de 2007 e de 7,5% comparado com o 4T07. Cartão de Crédito Consignado O cartão de crédito consignado apresentou um crescimento no número de cartões emitidos de 56,1% se comparado o 1T07 (422,8 mil) com o 1T08 (659,8 mil). Entre o 4T07 (604,1 mil) e 1T08 (659,8 mil) o crescimento foi de 9,2%. Já o número de clientes ativos cresceu 33,3% entre o 1T07 (174,7 mil) e o 1T08 (232,9 mil), enquanto o crescimento entre o 4T07 (218,7 mil) e o 1T08 (232,9 mil) foi de 6,5%. O valor financiado alcançou R$ 167,4 milhões apresentando crescimento de 44,9% em relação ao 4T07 (R$ 115,5 milhões), enquanto o crescimento comparado ao 1T07 (R$ 85,1 milhões) foi de 96,8%. O investimento do Banco Cruzeiro do Sul na implantação do cartão consignado desde 2005 vem ratificar a pró-atividade do banco na busca de novos instrumentos para a distribuição do crédito consignado nos segmentos de negócio existentes, comprovado pela nova estrutura de consignação do INSS que divide o montante consignável em 20% através de empréstimos diretos e 10% através do cartão de crédito consignado. 6

7 Middle Market No 1T08 a carteira de crédito para clientes pessoa jurídica no segmento de pequenas e médias empresas (middle market) atingiu um montante de R$ 382,6 milhões, apresentando um crescimento de 81,5% comparado ao mesmo período de 07 (R$ 210,8 milhões). Se comparado ao 4T07 o crescimento é de 6,8% (R$ 358,4 milhões). O Banco visando preservar sua liquidez mediante a crise de liquidez internacional causada pelo Sub-prime e seus possíveis reflexos no Brasil, não atendeu totalmente a demanda por novos créditos no Middle Market. Middle Market (R$ milhões) 358,4 382,6 210,8 1T07 4T07 1T08 Os números acima refletem o foco do Banco Cruzeiro do Sul no segmento de crédito consignado, tanto de maneira direta, como através do cartão de crédito consignado, e também o investimento para o crescimento dos ativos no segmento de pequenas e médias empresas, visando à diversificação do portfólio de crédito do banco. Qualidade da Carteira de Crédito O foco na originação, agilidade e segurança na aprovação e na execução das operações de crédito são fundamentais para o desenvolvimento dos negócios e a manutenção da qualidade da carteira de crédito. As aprovações dos novos convênios com entes municipais, estaduais e federais, para desenvolvimento de operações de crédito pessoal consignado à folha para funcionários públicos são formalizadas respeitando rigorosamente todos os normativos dos Órgãos Reguladores, bem como obedecendo todos os cuidados para que os riscos inerentes à operação, quais sejam, os jurídicos, os de imagem e os operacionais, estejam minimizados. Todos esses procedimentos têm o intuito de evitar quaisquer problemas que porventura possam surgir em relação à vinculação dos créditos às folhas de pagamento de salários de cada entidade pública. Para isso três pilares são observados: 1. Se a entidade esta enquadrada na lei de responsabilidade fiscal (Lei complementar nº 101 de 4 de maio de 2000); 2. Se a entidade possui lei para permissão de vínculo das obrigações devidas pelo empréstimo vinculado à folha de pagamento dos seus servidores, aprovada e adequada a operações de crédito pessoal consignado à folha para funcionários públicos; 3. Plataforma de tecnologia de informática compatível para operacionalização de contratos de empréstimo via Web (Internet). A eficiência da gestão é demonstrada pela alta qualidade da carteira, na qual, 94,1% da carteira é classificada entre AA e C, de acordo com a Res do Banco Central do Brasil. 7

8 Qualidade da Carteira de Crédito 1% 25% 43% 31% AA A B C Ao final do 1T08 a provisão para crédito de liquidação duvidosa era de R$ 20,5 milhões, apresentando um aumento de 26,5% em relação ao 4T07 (R$ 16,2 milhões), representando 3,3% da carteira de crédito (R$ 617,1 milhões) e dentro dos parâmetros normais de mercado. O aumento das provisões deveu-se ao aumento do volume da carteira e reclassificação na carteira de middle market. Captação A captação de recursos do Banco Cruzeiro do Sul no mercado nacional ocorre através de Certificados de Depósito Bancário (CDBs), através de cessões de crédito para outras instituições financeiras e Fundos de Investimentos de Direitos Creditórios (FIDCs) e é feita junto a investidores institucionais, pessoas físicas e jurídicas para captações no mercado local A captação de recursos do Banco Cruzeiro do Sul no mercado internacional é feita através de programa para emissão de papéis de curto e médio prazo (Short & Medium Term Notes).Destacamos emissão de notas com prazo de 1,5 anos feita no exterior com valor de USD 100 milhões, ocorrida durante o mês de fevereiro de 2008, com taxa de 7,25% aa.. As fontes de captação do Banco Cruzeiro do Sul no 1T08 permaneceram de forma diversificada entre: Depósitos a prazo de pessoas físicas e jurídicas 35,7% (24,4% - 1T07), e também adequadas em prazo para nossas linhas de negócio; Cessões de crédito a outras instituições financeiras 21,8% (23,7% - 4T07); Captações no exterior (STN & MTN) 18,8% (26,7% - 1T07); Cessões de crédito a FIDCs cotas sênior 16,2% (15,6% - 4T07). Depósitos Interfinanceiros 7,5% (7,2% - 4T07) Na estrutura de capital do Banco Cruzeiro do Sul já se faz notar a redução do volume de cessão para outras instituições financeiras, e também o crescimento nos depósitos a prazo, conforme acima demonstrado. O total de recursos captados no 1T08 atingiu R$ 4.191,7 milhões, apresentando um crescimento de 30,9% comparado ao 1T07, e 8,3% comparado ao 4T07. Cabe destacar o aumento da carteira de depósitos a prazo, que foi de 91,7% se comparado ao 1T07, e 11,5% se comparada ao 4T07. 8

9 O prazo médio da carteira de depósitos a prazo é de aproximadamente 313 dias a um custo médio de 105,5 CDI, enquanto que da nossa carteira de títulos emitidos no exterior é de 615 dias a uma taxa de 8,363% aa., excluindo-se os custos de hedge. Captação (R$ '000) 1T08 1T08 1T08 4T07 1T07 Total Total Total x 4T07 x 1T07 Depósitos a prazo ,7% ,7% ,4% 11,5% 91,7% Depósitos interfinanceiros ,5% ,2% ,1% 11,9% 93,1% Captações externas ,8% ,7% ,7% 8,6% -7,8% SubTotal On-balance ,9% ,6% ,1% 10,6% 44,5% Cessões de crédito ,8% ,7% ,0% -0,4% 10,2% Cotas sêniores dos FIDCs ,2% ,6% ,9% 12,4% 18,4% SubTotal Off-balance ,1% ,4% ,9% 4,7% 13,5% Total ,0% ,0% ,0% 8,3% 30,9% 1 Depósitos interfinanceiros, Depósitos à vista e Outros depósitos. ESTRUTURA DE CAPITAL Patrimônio Liquido O Patrimônio Líquido atingiu R$ 1.111,9 milhões no 1T08. Um crescimento de 6,1% em comparação ao 4T07, e 162,5% em relação ao 1T07. O patrimônio médio no período foi de R$ 1.062,8 milhões. PL (R$ milhões) 1.047, ,9 423, ,6 1T07 4T07 1T08 100,8 119,7 254, Ações do Banco Cruzeiro do Sul (Bovespa CZRS4) O Banco Cruzeiro do Sul possui ações do tipo ON, e ações do tipo PN, destas (81,6%), em poder do mercado, totalizando ações. O valor de mercado do Banco Cruzeiro do Sul em 31 de março de 2007 era de R$ 1.096,4 milhões, sendo suas ações (Bovespa - CZRS4) negociadas a R$ 7,55/ação. 9

10 Índice de Adequação de Capital BIS No 1T08, o índice de adequação de capital do Banco Cruzeiro do Sul atingiu 27,6%, abaixo dos 30,0 4T07 e melhor que os 18,0 1T07. Este índice está acima do limite mínimo de 11% exigido pelo Banco Central do Brasil. Este índice já reflete o maior volume de ativos contabilizados em balanço, conforme estratégia adotada após o IPO, que elevou o patrimônio de referência para cálculo do índice de adequação de capital de R$ 1.046,5 milhões no 4T07 para R$ 1.113,3 milhões no 1T08. Apesar do maior volume de ativos contabilizados no balanço, destacamos que ainda há espaço para crescimento de nossos ativos no futuro, visto que o índice mínimo exigível para o BIS pelo Banco Central do Brasil é de 11%. BIS 30,0% 27,6% 18,0% 30,0% 1T07 4T07 1T08 19,0% 14,7% 15,7% Despesas Administrativas As despesas administrativas no 1T08 somaram R$ 49,9 milhões contra R$ 61,2 milhões no 4T07, apresentando uma redução de 18,5%. Comparando-se com os R$ 42,9 milhões do 1T07, registramos um crescimento de 16,3%, principalmente devido ao aumento das despesas de pessoal, que sofreu uma evolução de 118,3% entre o 1T07 (R$ 8,6 milhões) e o 1T08 (R$ 18,8 milhões). Esta evolução das despesas administrativas deve-se a reestruturação do quadro de diretores, contratação de gerentes de relacionamento para o segmento de middle market, e novos colaboradores na área de processamento das operações de credito consignado. Salientamos que o aumento da despesa de pessoal, 118,3% entre o 1T08/1T07, foi inferior ao aumento do lucro recorrente no mesmo período, 216,1% entre o 1T08/1T07. Despesa de Pessoal e Administrativa R$ 000 1T08 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07 Despesa de Pessoal ,7% 118,3% Despesa Administrativa ,4% -9,3% Total ,5% 16,3% 10

11 Índice de Eficiência O controle de custos, aliado aos consistentes investimentos em informática e a maior resultado bruto de intermediação financeira, proporcionou um índice de eficiência de 34,4% no 1T08, uma evolução de 15,5% quando comparado ao 4T07, 29,8% excluindo-se o resultado não recorrente (R$ 69,3 milhões). Este índice apresenta uma queda de 31,9% quando comparado ao 1T07 (50,6%). Índice de Eficiência R$ 000 1T08 3 4T07 1T07 1T08/4T07 1T08/1T07 Despesas operacionais ¹ (a) ,5% 16,3% Receitas ² (b) ,5% 70,8% Índice (a/b) 34,4% 29,8% 50,6% 15,5% -31,9% ¹ Despesas de pessoal e Outras despesas administrativas ² Resultado Bruto da Intermediação Financeira, Receita de Prestação de Serviços, Outras Receitas Operacionais (-) Outras Despesas Operacionais + Resultado não Operacional 3 Considerando resultado não recorrente Rede de Distribuição Para originação das operações de crédito pessoal consignado a folha de pagamento, tanto a funcionários públicos como para pensionistas e aposentados do INSS, o Banco Cruzeiro do Sul apresentava uma rede de 291 correspondentes bancários no 1T08 distribuídos conforme gráfico abaixo em todo o território nacional, contra 297 no 4T07, e 280 no 1T07. Concentração de correspondentes por região 41,6% 15,5% 18,9% 9,3% 14,8% A redução no número de correspondentes deveu-se à rigorosa forma de avaliação dos acordos operacionais com agentes que exigem montantes mínimos de produção mensal. Estes correspondentes bancários se utilizam de terceiros, seus empregados ou não, para atingir as pessoas que pretendem tomar empréstimos. Essa força de venda teve, a sua disposição no 1T08, 310 acordos, uma evolução de 10 novos códigos em relação ao 4T07, e de 31 códigos em relação ao 1T07, atingindo mais de secretarias, fundações, departamentos de polícia, bombeiros etc, para concessão de crédito consignado com órgãos públicos federais, estaduais e municipais, inclusive INSS. O crescimento do número de códigos se encontra em linha com a estratégia de crescimento anual de aproximadamente 30 novos códigos por ano, o que proporciona às nossas equipes de venda uma maior penetração no mercado potencial de crédito consignado a funcionários públicos. No 1T08 possuíamos 1.018,7 mil clientes ativos, um crescimento de 22,2 mil clientes em relação ao 4T07, e de 169,2 mil clientes em relação ao 1T07. Abaixo segue gráfico com a quebra desta base de clientes entre INSS, Funcionários Públicos e Cartão de Crédito Consignado. 11

12 Clientes Ativos 849,5 174,7 327,5 996, ,7 218, ,1 374,4 347,3 411,7 411,3 1T07 4T07 1T08 797,3 996,5 218,7 549,1 72,8 152,4 318,2 366,1 234,1 239,2 209,8 237,1 326,7 411,7 24, INSS Servidor Público Cartão Adicionalmente, aos 1.018,7 mil clientes ativos no 1T08 acima mencionados, somam-se os portadores de nosso cartão de crédito consignado que ainda não se encontra ativado, que monta aproximadamente 426,8 mil clientes compromissados com o Banco Cruzeiro do Sul para futuras operações de crédito consignado à folha de pagamentos. Assim sendo, nossa base de clientes sobe para 1.445,5 mil clientes. No segmento de empresas médias, a rede de distribuição está organizada em plataformas comerciais próprias, localizadas nas cidades de São Paulo, Campinas, Ribeirão Preto, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Macaé, Belo Horizonte e Salvador, composta por uma base de 188 clientes ativos. Recursos Humanos O capital humano é fator fundamental, e a sua qualidade é diferencial para a continuidade da empresa. No 1T08, o quadro do Banco Cruzeiro do Sul era composto de 674 colaboradores, apresentando um crescimento de 17,0% em relação ao 4T07 (576) e um crescimento de 48,1% em relação à 1T07 (455). O incremento de funcionários ocorreu nas áreas operacionais de crédito consignado e cartão de crédito, devido ao aumento do volume de operações nos dois segmentos, bem como a contratação da nova equipe de gerentes de produção no segmento de pequenas e médias empresas. Gestão de Risco Operacional Foram desenvolvidas ações visando a implementação de estrutura de gerenciamento de risco operacional, em conformidade com a Resolução CMN 3.380, que alcançam o modelo de gestão, o conceito, as categorias e política de risco operacional, os procedimentos de documentação e armazenamento de informações, os relatórios de gerenciamento do risco operacional e o processo de disclosure. Foi implementado um conjunto de medidas para garantir o completo alinhamento da Instituição ao disposto na Resolução. 12

13 Gestão de Risco de Mercado O gerenciamento de risco de mercado é efetuado de forma centralizada, por uma área de controle, que mantém independência com relação à mesa de operações. A Instituição se encontra apta a atender as exigências da Resolução CMN 3.464/07 que trata da estrutura de gerenciamento do risco de mercado, nos prazos estabelecidos. Políticas Sociais No campo social, o Banco Cruzeiro do Sul continuou incorporando às atividades práticas os princípios éticos e de responsabilidade social, apoiando programas de inclusão social de jovens carentes e cidadãos da terceira idade, com o oferecimento de cursos e atividades culturais. Além disso, patrocinou eventos esportivos e realizou doações a organizações culturais. Ouvidoria O componente organizacional de ouvidoria encontra-se em funcionamento e a sua estrutura atende às disposições estabelecidas por meio da resolução CMN 3.477, de 26 de julho de

14 DEMONSTRAÇÕES DE (R$ `000) Demonstrações de Resultado (R$ '000) 1T08 4T07 1T08/4T07 1T07 1T08/1T07 Receitas da intermediação financeira ,1% ,8% Operações de crédito ,2% ,3% Resultado de títulos e valores mobiliários ,9% ,5% Resultado com instrumentos financeiros derivativos (25.796) (49.226) -47,6% (61.326) -57,9% Resultado de aplicações compulsórias ,2% - 0,0% Despesas da intermediação financeira (63.281) (42.095) 50,3% (19.409) 226,0% Operações de captação no mercado (57.908) (35.847) 61,5% (16.073) 260,3% Operações de empréstimos e repasses (6) ,0% Provisão para créditos de liquidação duvidosa (5.367) (6.248) -14,1% (3.336) 60,9% Resultado bruto da intermediação financeira ,3% ,8% Outras receitas(despesas) operacionais (65.104) (89.068) -26,9% ( ) -37,4% Receitas de prestação de serviços ,6% ,1% Despesas de pessoal (18.760) (17.741) 5,7% (8.595) 118,3% Outras despesas administrativas (31.105) (43.454) -28,4% (34.293) -9,3% Despesas tributárias (5.704) (3.923) 45,4% (4.820) 18,3% Resultado de participações em controladas ,3% ,7% Outras receitas operacionais ,0% 692 0,0% Outras despesas operacionais (60.794) (83.343) -27,1% (61.826) -1,7% Resultado operacional ,0% ,7% Resultado não operacional (1) ,0% Resultado antes da tributação sobre o lucro ,3% ,7% Imposto de renda e contribuição social (46.306) (36.939) 25,4% (16.011) 189,2% Provisão para imposto de renda (24.668) (36.827) -33,0% (7.311) 237,4% Provisão para contribuição social (8.947) (13.453) -33,5% (2.667) 235,5% Ativo fiscal diferido (12.691) ,1% (6.033) 110,4% Participações no lucro - Empregados (4.350) (16.973) -74,4% (551) 689,5% Participação minoritária nas controladas ,0% Lucro (prejuízo) líquido do período ,6% ,3% Juros sobre o capital próprio ,0% - 0,0% 14

15 EFEITO DA CONSOLIDAÇÃO CVM NA DRE (R$ 000) EFEITO DA CONSOLIDAÇÃO CVM NA DRE (R$ '000) 1T08 4T07 1T08/4T07 1T07 1T08/1T07 Receitas da intermediação financeira ,9% ,5% Operações de crédito ,6% ,4% Operações de crédito - impacto FIDCs (84.547) (78.548) 7,6% ( ) -19,9% Resultado de títulos e valores mobiliários ,5% ,1% Resultado com instrumentos financeiros derivativos (25.818) (49.259) -47,6% (61.479) -58,0% Resultado de aplicações compulsórias ,0% - 0,0% Despesas da intermediação financeira (74.095) (31.446) 135,6% (39.747) 86,4% Operações de captação no mercado (69.237) (19.815) 249,4% (32.619) 112,3% Operações de empréstimos e repasses (6) - 0,0% - 0,0% Provisão para créditos de liquidação duvidosa (6.085) (12.843) -52,6% (8.898) -31,6% PDD -Impacto FIDCs ,7% ,3% Resultado bruto da intermediação financeira ,1% ,2% Outras receitas(despesas) operacionais (51.901) ( ) -50,2% (77.494) -33,0% Prêmios retidos ,0% ,7% Sinistros retidos (4.885) (2.507) 94,9% (4.083) 19,6% Receitas de prestação de serviços ,1% ,3% Despesas de pessoal (20.730) (19.408) 6,8% (9.151) 126,5% Outras despesas administrativas (40.670) (49.281) -17,5% (42.288) -3,8% Despesas tributárias (6.775) (4.925) 37,6% (5.867) 15,5% Outras receitas operacionais ,4% ,9% Outras despesas operacionais (63.774) (87.770) -27,3% (63.792) 0,0% Outras despesas operacionais - Impacto FIDC ,9% ,8% Resultado operacional ,9% (32.918) -415,3% Resultado não operacional (1) ,0% ,2% Resultado antes da tributação sobre o lucro ,7% (32.410) -420,2% Imposto de renda e contribuição social (27.042) (56.683) -52,3% ,4% Provisão para imposto de renda (10.575) (52.010) -79,7% (7.826) 35,1% Provisão para contribuição social (3.881) (18.958) -79,5% (2.859) 35,7% Ativo fiscal diferido (32.986) ,1% (5.895) 459,6% Ativo fiscal diferido - Impacto FIDCs ,9% ,9% Participações no lucro - Empregados (4.357) (17.005) -74,4% (551) 690,7% Participação minoritária nas controladas (161) ,0% (63) 155,6% Lucro (prejuízo) líquido do período (CVM) ,1% (24.764) -391,6% Juros sobre o capital próprio ,0% - 0,0% Reconciliação Rendas de operação de crédito ,6% ,9% Provisão para créditos e liquidação duvidosa (1.233) (1.212) 1,7% (1.770) -30,3% Despesas de comissões sobre créditos cedidos (24.545) (52.103) -52,9% (33.067) -25,8% Impostos (IR, CS, PIS e COFINS) (20.400) (8.991) 126,9% (24.840) -17,9% Lucro (prejuizo) líquido do período (banco) ,6% ,3% 15

16 BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (R$ 000) Ativo (R$ '000) 1T08 Total 4T07 Total 1T07 Total 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Circulante ,2% ,3% ,1% 6,6% 63,0% Disponibilidades ,0% ,1% ,0% -33,9% 60,4% Aplicações interfinanceiras de liquidez ,4% ,3% ,2% 377,4% 4,2% Títulos e valores mobiliários e inst. financ. derivativos ,4% ,3% ,0% 4,2% 60,8% Relações interfinanceiras ,6% ,4% ,1% 56,3% 759,0% Operações de crédito ,9% ,3% ,7% 23,9% 86,5% Outros créditos ,7% ,7% ,5% -22,2% 82,6% Outros valores e bens ,2% ,3% ,6% -16,6% -39,5% Realizável a longo prazo ,0% ,7% ,0% -5,7% 146,5% Aplicações interfinanceiras de liquidez ,8% ,8% ,2% -22,6% 289,5% Títulos e valores mobiliários e inst. financ. derivativos 11 0,0% 11 0,0% ,0% 0,0% -99,0% Operações de crédito ,2% ,3% ,0% 1,5% 289,5% Outros créditos ,7% ,4% ,4% 111,3% -11,1% Outros valores e bens ,2% ,2% ,5% 19,0% -20,9% Permanente ,8% ,0% ,9% 1,7% 63,4% Investimentos ,3% ,5% ,2% 1,6% 72,0% Imobilizado de uso ,2% ,2% ,4% -2,1% -9,7% Diferido ,3% ,2% ,3% 8,2% 40,4% Total do ativo ,0% ,0% ,0% 5,5% 66,4% 16

17 BALANÇO PATRIMONIAL PASSIVO (R$ 000) Passivo (R$ '000) 1T08 Total 4T07 Total 1T07 Total 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Circulante ,8% ,1% ,3% 29,5% 91,2% Depósitos ,6% ,1% ,6% 20,2% 60,6% Captações no mercado aberto ,0% ,6% ,1% 44,4% 16,9% Recursos de aceites e emissão de títulos ,4% ,0% ,8% 132,9% 229,7% Relações interfinanceiras ,0% - 0,0% ,1% 0,0% -12,1% Obrigações por repasses do país - Instituições oficiais - 0,0% - 0,0% - 0,0% 0,0% 0,0% Instrumentos financeiros derivativos ,5% ,5% ,1% 6,8% 136,6% Outras obrigações ,3% ,9% ,8% -21,9% 157,3% Exigível a longo prazo ,8% ,6% ,2% -34,4% -13,5% Depósitos ,2% ,6% ,9% -5,7% 281,1% Recursos de aceites e emissão de títulos ,9% ,8% ,5% -79,4% -86,4% Instrumentos financeiros derivativos ,1% ,4% ,8% -6,7% 92,8% Outras obrigações ,6% ,8% ,1% -30,0% 4,5% Resultados de exercícios futuros 64 0,0% 34 0,0% 88 0,0% 88,2% -27,3% Patrimônio líquido ,4% ,3% ,5% 6,1% 162,5% Total do passivo ,0% ,0% ,0% 5,5% 66,4% 17

18 EFEITO DA CONSOLIDAÇÃO CVM NO BALANÇO PATRIMONIAL (R$ 000) EFEITO DA CONSOLIDAÇÃO CVM NO BALANÇO Ativo (R$ '000) 1T08 Total 4T07 Total 1T07 Total 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Disponibilidades ,0% ,1% ,1% -39,5% -40,5% Aplicações interfinanceiras de liquidez ,0% ,9% ,9% 7,6% 106,3% TVM e instrumentos financeiros derivativos ,1% ,5% ,2% -5,0% -5,5% Relações interfinanceiras ,6% ,4% ,1% 56,3% 759,0% Operações de crédito ,6% ,6% ,4% 6,6% 79,1% Impacto FIDCs - estorno do resultado de crédito (84.547) -1,8% (78.548) -1,7% ( ) -3,6% 7,6% -19,9% Impacto FIDCs - PDD ,0% ,0% ,1% 1,7% -30,3% Outros créditos ,6% ,8% ,4% 1,8% 40,5% Impacto FIDCs - efeito da constituição do Crédito Tributário ,4% ,2% ,8% 126,9% -17,9% Outros valores e bens ,0% ,2% ,4% 22,0% 121,8% Impacto FIDCs - Estorno das despesas de Comissão ,5% ,1% ,1% -52,9% -25,8% Permanente ,0% ,0% ,1% 2,8% -25,5% Total do ativo ,0% ,0% ,0% 5,2% 60,6% EFEITO DA CONSOLIDAÇÃO CVM NO BALANÇO Passivo (R$ '000) 1T08 Total 4T07 Total 1T07 Total 1T08 x 4T07 1T08 x 1T07 Depósitos ,3% ,0% ,7% 13,3% 111,6% Captações no mercado aberto ,7% ,4% ,5% 44,4% 16,9% Recursos de aceites e emissão de títulos ,5% ,0% ,7% 8,6% -7,8% Relações interfinanceiras ,0% - 0,0% ,1% 0,0% -12,1% Instrumentos financeiros derivativos ,4% ,7% ,6% -1,5% 109,0% Outras obrigações ,9% ,4% ,4% -8,0% 35,3% Resultados de exercícios futuros ,0% ,0% ,1% 2,0% 0,9% Participação minoritária nas controladas ,1% ,1% ,2% 35,2% 35,7% Patrimônio líquido ,7% ,7% ,2% 5,1% 197,1% Efeito da eliminação de cessões de créditos aos FIDC consolidados no PL (38.369) -0,8% (16.242) -0,4% (45.814) -1,5% 136,2% -16,3% Total do passivo ,0% ,0% ,0% 5,2% 60,6% Resultados acumulados 1,2% 0,0% Efeito da eliminação de cessões de créditos aos FIDC consolidados -0,7% -0,7% Efeito da eliminação de cessões de créditos aos FIDC consolidados anteriores -1,9% -2,0% 18

Banco Cruzeiro do Sul. Apresentação Pública Investidores & Analistas

Banco Cruzeiro do Sul. Apresentação Pública Investidores & Analistas Banco Cruzeiro do Sul Apresentação Pública Investidores & Analistas Maio 2008 História Banco Cruzeiro do Sul O Banco foi adquirido pela família Indio da Costa em 1993. A família Indio da Costa já possuía

Leia mais

Release de Resultado 4T14

Release de Resultado 4T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 4T14 São Paulo, 12 de fevereiro de 2015 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período

Leia mais

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 4T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas

1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas resultados 1T14 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Índice Análise Gerencial da Operação 3 Sumário Executivo 5 Análise do Resultado 15 Margem Financeira Gerencial 16 Receitas

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. 31 de dezembro de 2014 e 2013 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Auditadas Banco ABC Brasil S.A. com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras

Leia mais

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A.

4T15. Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. 4T15 Análise Gerencial da Operação e Demonstrações Contábeis Completas Itaú Unibanco Holding S.A. ÍNDICE 03 Análise Gerencial da Operação 05 Sumário Executivo 15 Análise do Resultado e Balanço 16 18 22

Leia mais

Earnings Release 1s14

Earnings Release 1s14 Earnings Release 1s14 1 Belo Horizonte, 26 de agosto de 2014 O Banco Bonsucesso S.A. ( Banco Bonsucesso, Bonsucesso ou Banco ), Banco múltiplo, de capital privado, com atuação em todo o território brasileiro

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006

Resultados 3T06 8 de novembro de 2006 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 49% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 35% MARGEM DE EBITDA ATINGIU 29% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 3T06. As demonstrações financeiras

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

1. CONTEXTO OPERACIONAL

1. CONTEXTO OPERACIONAL BANCO TRIÂNGULO S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 30 DE JUNHO DE 2002 E 2001 (Em milhares de reais) 1. CONTEXTO OPERACIONAL O Banco Triângulo S.A. é uma sociedade privada que opera

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010.

CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. CA 02-303/2010 São Paulo - SP, 19 de março de 2010. À Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Membros do Ministério Público de São Paulo PROMOCRED. Diretoria-Executiva São Paulo SP Assunto: Auditoria

Leia mais

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões

Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões 2T07 Estácio Registra Crescimento de 166% no Lucro Líquido Ajustado EBITDA ajustado aos impostos cresceu R$ 17,2 milhões Rio de Janeiro, de 2007 A Estácio Participações (BOVESPA: ESTC11), maior organização

Leia mais

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL REAL LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL INCORPORADO POR SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 3T06 Eusébio CE, 09 de novembro de 2006 A M. Dias Branco S.A. (Bovespa: MDIA3), empresa líder nos mercados de biscoitos e de massas no Brasil, anuncia hoje seus resultados do terceiro

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2T15 SENHORES ACIONISTAS Crédito Pessoal A Administração do Pan S.A. ( Pan, ou Companhia ) e suas subsidiárias submetem à apreciação dos Senhores o Relatório da Administração

Leia mais

Rodobens Locação de Imóveis Ltda.

Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Rodobens Locação de Imóveis Ltda. Demonstrações contábeis referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e relatório dos auditores independentes Approach Auditores Independentes Relatório dos

Leia mais

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES

PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES PLANO DE CONTAS E CÁLCULO DE ÍNDICES Introdução Em abril de 2009, a Fitch Ratings modificou a estrutura dos demonstrativos sintéticos que acompanham os relatórios dos bancos analisados, adotando um novo

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008

AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008 AGÊNCIA ESPECIAL DE FINANCIAMENTO INDUSTRIAL FINAME RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 31 DE DEZEMBRO DE 2008 Senhor acionista e demais interessados: Apresentamos o Relatório da Administração e as informações

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 11.363 8.987 Disponibilidades 30 37 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 8.069 6.136 Operações de Crédito

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 48.622 31.823 Disponibilidades 684 478 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 24.600 15.766 Operações de Crédito 6 22.641 15.395 Outros

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 1º Trimestre, 2014 Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015

Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores. Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Fernando Foz Relações com Investidores Belém 21/07/2015 Ciclo Apimec 2015 Itaú Unibanco Holding S.A. A apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas,

Leia mais

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques

1T05. Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005. Resultado do 1 o trimestre de 2005. Principais Destaques Celesc apresenta lucro líquido de R$ 23 milhões no 1 o trimestre de 2005 Divulgação Imediata Cot. da Ação PNB CLSC6) em 31/03/05: R$ 0,90/ação Valoriz. No 1T05: -16% Valor de Mercado R$ : 694 milhões US$

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

Relatório da Administração

Relatório da Administração Ecosol Petrolina Relatório da Administração 1. Identidade organizacional Missão: Fortalecer e estimular a interação solidária entre agricultores e cooperativas através do crédito orientado e da educação

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO Explicativas CIRCULANTE 63.224 47.422 Disponibilidades 423 429 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 31.991 23.380 Relações Interdependências

Leia mais

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A.

LOJAS RENNER S.A. RESULTADOS DO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2015 (2T15 ) LOJAS RENNER S.A. Resultados 2T15 LOJAS RENNER S.A. Companhia constituída em 1965 e de capital aberto desde 1967. Capital totalmente pulverizado desde 2005, com 100% de free float, sendo considerada a primeira corporação

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 4 o Trimestre de 2011 São Paulo, 22 de março de 2012 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis

Leia mais

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL

BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL BV LEASING S/A ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2008 1 RELATÓRIO ANUAL

Leia mais

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A.

4 trimestre de 2010. Sumário Executivo. Itaú Unibanco Holding S.A. 4 trimestre de 2010 Sumário Executivo Apresentamos, abaixo, informações e indicadores financeiros do (Itaú Unibanco) do quarto trimestre de 2010 e do exercício findo em 31 de dezembro de 2010. (exceto

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota ATIVO Explicativa CIRCULANTE 19.098 15.444 Disponibilidades 98 90 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 13.053 9.797 Operações de Crédito 6 5.760 5.518 Outros

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012.

Palestra. Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) e Demonstração do Valor Adicionado (DVA) - Novas Normas Contábeis. Março 2012. Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Divulgação de Resultados de 2007

Divulgação de Resultados de 2007 Divulgação de Resultados de 2007 Lançamentos totais de R$ 773,5 milhões em 2007 Rio de Janeiro, 12 de março de 2008 A CR2 Empreendimentos Imobiliários S.A. (Bovespa: CRDE3), anuncia os resultados do quarto

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012

RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA. Setembro de 2012 RELATÓRIO DE GESTÃO DE RISCO, DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA EXIGIDO E DO PATRIMÔNIO DE REFERÊNCIA Setembro de 2012 SUMÁRIO 1 Introdução 03 1.1 O Banco do Nordeste 03 2 Gestão de Risco do BNB 05 2.1 Risco

Leia mais

Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013

Demonstrações financeiras consolidadas em 31 de dezembro de 2013 KPDS 83595 Conteúdo Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas 3 Balanços patrimoniais consolidados 5 Demonstrações de resultados consolidadas 6 Demonstrações

Leia mais

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD

Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD PRESS RELEASE Bovespa: BBDC3, BBDC4 Latibex: XBBDC NYSE: BBD Segunda-feira, 3/5/2004 Divulgação dos Resultados do 1 º trimestre 2004 O Banco Bradesco apresentou Lucro Líquido de R$ 608,7 milhões no 1 º

Leia mais

Notas explicativas da administração às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2011 Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma

Notas explicativas da administração às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2011 Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma Índice das Notas Explicativas Página Nota 1 Contexto Operacional... 2 Nota 2 Apresentação das demonstrações contábeis... 2 Nota 3 Principais práticas contábeis... 4 Nota 4 Caixa e equivalentes de caixa...

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES. Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social - BNDES Demonstrações financeiras Individuais e Consolidadas 30 de junho de 2013 e 2012 KPMG Auditores Independentes Agosto de 2013 Relatório dos auditores

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

Divulgação do Balanço 1º Semestre 2007

Divulgação do Balanço 1º Semestre 2007 1º Semestre 2007 Balanço Patrimonial ATIVO jun-07 jun-06 Var R$ Var % Circulante e realizável a longo prazo 64.448,1 48.889,2 15.558,9 32% Disponibilidades 1.231,1 665,7 565,4 85% Aplicações interfinanceiras

Leia mais

SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL

SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL SANTANDER LEASING S.A. ARRENDAMENTO MERCANTIL 5ª Emissão Pública de Debêntures Não Conversíveis Ações em Série Única da Espécie Subordinada Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício 2010 1 RELATÓRIO

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009

ASSOCIAÇÃO PRÓ-HOPE APOIO À CRIANÇA COM CÂNCER CNPJ 02.072.483/0001-65 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DEZEMBRO DE 2010 E 2009 ATIVO 31/12/2010 31/12/2009 PASSIVO 31/12/2010 31/12/2009 CIRCULANTE 2.067.853,08 1.156.034,03 CIRCULANTE 1.444.697,99 375.899,34 DISPONIBILIDADES 1.284.699,22

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - VIX LOGÍSTICA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 2013 Explicativas CIRCULANTE 39.466 27.437 Disponibilidades 221 196 Relações Interf. / Aplicações R.F. 5 27.920 18.274 Operações de Crédito 6 11.138

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Derivativos e outras receitas não ligadas a volumes direcionaram o crescimento na receita total Crescimento do lucro líquido ajustado 1 resultou,

Leia mais

PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A)

PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A) PÉROLA FUNDO DE INVESTIMENTO EM DIREITOS CREDITÓRIOS (CNPJ nº 19.388.423/0001-59) (ADMINISTRADO PELA SOCOPA SOCIEDADE CORRETORA PAULISTA S/A) DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 DE AGOSTO DE 2014 PÉROLA FUNDO

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/9/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013

Magazine Luiza S.A. Divulgação de Resultados do 1º Trimestre de 2013 . São Paulo, 13 de maio de 2013 - Magazine Luiza S.A. (BM&FBOVESPA: MGLU3), uma das maiores redes varejistas com foco em bens duráveis e com grande presença nas classes populares do Brasil, divulga seus

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento DI Institucional Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20)

Leia mais

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures

VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA EM MEIOS DE PAGAMENTO E IDENTIFICAÇÃO S.A. 1ª Emissão Pública de Debêntures Relatório Anual do Agente Fiduciário Exercício de 2011 VALID SOLUÇÕES E SERVIÇOS DE SEGURANÇA

Leia mais

Relatório de Gestão de Riscos - Circular 3477/2009 Dez/12. Aspectos Qualitativos

Relatório de Gestão de Riscos - Circular 3477/2009 Dez/12. Aspectos Qualitativos 1 Relatório de Gestão de Riscos - Circular 3477/2009 Dez/12 Aspectos Qualitativos I - Introdução O objetivo deste relatório é divulgar informações referentes à gestão de risco, ao Patrimônio de Referência

Leia mais

a) O resultado é apurado segundo o regime de competência e inclui:

a) O resultado é apurado segundo o regime de competência e inclui: 1 - A INSTITUIÇÃO E SUAS OPERAÇÕES. A ASSOCIAÇÃO DE POUPANÇA E EMPRÉSTIMO POUPEX, organizada sob a forma de sociedade civil, de acordo com as Leis nº. 6.855, de 18.11.1980, e 7.750, de 13.04.1989, e demais

Leia mais

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_...

http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... http://www.econeteditora.com.br/boletim_imposto_renda/ir-11/boletim-19/cont_demonstracoes_... Página 1 de 14 CONTABILIDADE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Considerações ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

Leia mais

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013

BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. Demonstrações Contábeis em 30 de junho de 2014 e 2013 BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A. BV LEASING - ARRENDAMENTO MERCANTIL S.A. Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos as demonstrações

Leia mais

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins

Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins Demonstrações Financeiras Associação Ame Jardins com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras Índice Relatório dos auditores independentes... 1 Demonstrações financeiras auditadas

Leia mais

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil)

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE 2013 (Valores expressos em R$ mil) COOPERATIVA CENTRAL DE CRÉDITO URBANO - CECRED CNPJ: 05.463.212/0001-29 Rua Frei Estanislau Schaette, 1201 - B. Água Verde - Blumenau/SC NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS DO EXERCICIO DE

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - CYRELA BRAZIL REALTY SA EMPRS E PARTS Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Índice Relatório dos auditores independentes sobre as

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015.

BRASIL INSURANCE ANUNCIA OS RESULTADOS DO 4 TRIMESTRE E ANO DE 2015. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Bruno Carobrez Diretor de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com Investidores (55 11) 3175-2920

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis BNB Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento Renda Fixa Curto Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 02091-5 MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. 08.343.492/0001-20 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 31/3/21 EMPRESA COMERCIAL, INDUSTRIAL E OUTRAS O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil)

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Notas ATIVO 2014 Explicativas CIRCULANTE 4.414 Disponibilidades 26 Relações Interfinanceiras / Aplicações R.F. 4 2.566 Operações de Crédito 5 1.800 Outros Créditos

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42

HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42 HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações

Leia mais

Demonstrações financeiras intermediárias Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. - BDMG

Demonstrações financeiras intermediárias Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. - BDMG Demonstrações financeiras intermediárias Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A. - BDMG com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras intermediárias RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes

BR Towers SPE1 S.A. Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2012 e relatório dos auditores independentes Demonstração do resultado Exercício/período findo em 31 de dezembro Receita líquida (Nota 14) 13.913 Custo

Leia mais

Release de Resultados do 1T14

Release de Resultados do 1T14 São Paulo, 07 de maio de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados, divisórias

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques

Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9. Destaques Prolagos S.A. Companhia Aberta CNPJ nº 02.382.073/0001-10 NIRE: 33.300.167.285 Código CVM 2346-9 Receita Líquida¹ no 1T16 atinge R$69,6 milhões, alta de 24,8% em comparação ao mesmo período do ano anterior

Leia mais

Release de Resultado 2T14

Release de Resultado 2T14 BANCO BMG ANUNCIA SEUS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO 2T14 São Paulo, 07 de agosto de 2014 O Banco BMG S.A. e suas controladas ( BMG ou Banco ) divulgam seus resultados consolidados referentes ao período encerrado

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III

Publicação. BB Leasing. Balanço do Exercício/2014. Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III Publicação BB Leasing Balanço do Exercício/2014 Contadoria Gesub - Gerência de Subsidiárias/Subsi III 1 Relatório da Administração Senhor Acionista, Apresentamos as demonstrações contábeis da BB Leasing

Leia mais

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32

Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal 1 de 32 Plano de Contas Referencial da Secretaria da Receita Federal após a Lei 11638/07 Quando informado o registro: as instituições sujeitas

Leia mais

Proposta de Administração

Proposta de Administração Proposta de Administração São Paulo, 19 de março de 2010. A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros vem, por meio deste, submeter às Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária, a serem

Leia mais

LOJAS AMERICANAS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Em milhares de Reais, exceto os valores por quantidades de ações

LOJAS AMERICANAS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Em milhares de Reais, exceto os valores por quantidades de ações LOJAS AMERICANAS S.A. NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Em milhares de Reais, exceto os valores por quantidades de ações 1 CONTEXTO OPERACIONAL A Companhia se dedica ao comércio

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 4 Trimestre de 2013 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 4.1 Definição... 3 4.2 Gestão

Leia mais

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO

COMENTÁRIO DE DESEMPENHO 1. DESTAQUES O ano de 2016 começou com o cenário macroeconômico muito parecido de 2015, uma vez que o mercado continua com tendências negativas em relação a PIB, inflação e taxa de juros. Novamente a Ouro

Leia mais

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0%

(Os números financeiros estão em Reais e baseados nas demonstrações financeiras consolidadas da Embrapar) EBITDA 464,6 354,2 527,7 13,6% 49,0% Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 26 de abril de 2006 Embratel Participações S.A. (Embratel Participações ou Embrapar ) (NYSE:EMT;BOVESPA:EBTP4, EBTP3) detém 99,0 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações

Leia mais

Teleconferência Resultados 1T10

Teleconferência Resultados 1T10 Teleconferência Resultados 1T10 18 de maio de 2010 Visão Geral da Administração Venda da estrutura de Varejo + Foco no segmento de crédito a Empresas Transferência das atividades de originação e crédito

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados 3º Trimestre, 2014 Aviso Importante: esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados

Leia mais

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL

Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Contabilistas e Corretores de Seguros da Grande Belo Horizonte Ltda. SICOOB CREDITÁBIL BALANÇOS PATRIMONIAIS PARA OS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DEZEMBRO DE 2015 E 2014 A T I V O 31/12/2015 31/12/2014 Circulante 16.397.472,20 12.860.303,16 Disponibilidades 290.217,28 156.007,88 Relações Interfinanceiras

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T05

Divulgação de Resultados 3T05 Localiza Anuncia EBITDA de R$70,8 milhões no 3T05 Receita Líquida cresce 49,1% e EBITDA cresce 31,1% Belo Horizonte, 8 de novembro de 2005 - A Localiza Rent A Car S.A. (Bovespa: RENT3), a maior rede de

Leia mais

BRB - BANCO DE BRASÍLIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 (Em milhares de Reais)

BRB - BANCO DE BRASÍLIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 (Em milhares de Reais) BRB - BANCO DE BRASÍLIA S.A. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2005 E 2004 (Em milhares de Reais) Nota 1. Contexto operacional O BRB - Banco de Brasília

Leia mais

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração

Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Informações Trimestrais 4º trimestre e exercício de 2015 (4T15 e 2015) Relatório da Administração Prezados acionistas A administração da WLM Indústria e Comércio S.A. (WLM), em conformidade com as disposições

Leia mais