PREFÁCIO. Vampiro violentou 45 moças manchete do jornal Notícias Populares, de São Paulo, em 05/04/1971.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREFÁCIO. Vampiro violentou 45 moças manchete do jornal Notícias Populares, de São Paulo, em 05/04/1971."

Transcrição

1 PREFÁCIO Vampiro violentou 45 moças manchete do jornal Notícias Populares, de São Paulo, em 05/04/1971. Queda do dólar afeta o bolso de catadores manchete do jornal Diário Gaúcho, de Porto Alegre, em 12/08/2005. Trinta e quatro anos separam essas manchetes. O mercado dos jornais populares cresceu, mudou e quem só conhece o chavão sensacionalista para tratar do tema, precisa se atualizar. Os jornais destinados às classes B, C e D integram um novo mercado a ser analisado, caracterizado por um público que não quer apenas histórias incríveis e inverossímeis, mas compra jornais em busca também de prestação de serviço e entretenimento. Os veículos usam como estratégia de sedução do público leitor a cobertura da inoperância do poder público, da vida das celebridades e do cotidiano das pessoas do povo. Os assuntos que interessam são prioritariamente os que mexem de imediato com a vida da população. Na pauta, o atendimento do SUS e do INSS, a segurança pública, o mercado de trabalho, o futebol e a televisão. O livro aborda um segmento de jornais que busca se aproximar de camadas mais amplas da população e, por isso, tem como diferencial uma entonação mais popular, que varia de veículo para veículo, mas os enquadra numa interessante segmentação. Dos oito jornais de maior circulação no país em 2005, três eram destinados a públicos mais populares: o Extra (RJ), O Dia (RJ) e o Diário Gaúcho (RS).

2 Vendidos somente em bancas, os jornais conhecidos como populares seguem com capas chamativas e a violência permanece como assunto, mas os cadáveres são cada vez mais raros. No lugar da linguagem chula, da escatologia e das matérias inventadas, os jornais buscam a linguagem simples, o didatismo, a prestação de serviços e, pasmem, a credibilidade. São jornais que atendem às regiões metropolitanas, apostam nas editorias de Cidades e dificilmente se tornarão nacionais. A temática política, até há bem pouco tempo ausente, hoje ocupa um lugar mais expressivo. Jornais populares publicam matérias exclusivas, dão furos e ganham prêmios. No Prêmio Esso de 2004, por exemplo, O Dia venceu na categoria Fotografia e foi finalista nas categorias Reportagem, Criação Gráfica e Primeira Página (com o Extra). Em 2005, o jornalista Fábio Gusmão, do Extra, ganhou o Prêmio Esso de Reportagem pelo trabalho Janela Indiscreta. A série de reportagens mostrou como a aposentada Dona Vitória, de 80 anos, registrou o dia-a-dia do tráfico na ladeira dos Tabajaras, no Rio de Janeiro. A reportagem provocou uma operação da Polícia Militar no local e ajudou na prisão de bandidos e policiais militares envolvidos com o tráfico. O Dia venceu, em 2005, a categoria Fotografia do XXII Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo, concedido pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos e pela Ordem dos Advogados do Brasil seccional Rio Grande do Sul (OAB-RS). A foto, intitulada Guerra na Rocinha Que futuro é esse?, do repórter-fotográfico Carlo Wrede, foi feita durante operação policial na favela da Rocinha, em junho de É uma imagem de um garoto fingindo dar tiros com um cabo de vassoura nas mãos. Enfim, os jornais desse segmento têm assumido maior importância social. Evidentemente, essa mudança de rumo não significa que os jornais populares agora sejam de qualidade ou não mereçam uma análise crítica, mas indica que precisam ser vistos com outros olhos. Meu interesse pelo assunto surgiu no trabalho realizado nas assessorias de imprensa sindicais nos anos Enquanto alguns jornais populares comerciais vendiam muito e os programas televisivos popularescos tinham enorme audiência, os produtos informativos sindicais eram tediosos e pouco atraentes. Perguntava-me por que, afinal, os jornais sindicais pareciam tão distantes de seu público. Concluí sobre 10

3 a necessidade de estudar como os jornais se aproximam dos leitores de baixa renda e pouco hábito de leitura. Na década de 1990, ao fazer dissertação de mestrado na área de comunicação rural, descobri o sentido do termo comunicabilidade, costumeiramente ignorado pelos jornalistas, com base em estudos sobre como a compreensão das mensagens jornalísticas está ligada à cultura dos setores populares. Quando uma notícia, um folder ou um vídeo são produzidos de acordo com a linguagem e os hábitos de agricultores do interior de Minas Gerais, dificilmente serão entendidos por produtores do Nordeste e vice-versa. Com o passar dos anos, já como professora de jornalismo, percebi o aumento do mercado de trabalho no segmento popular da grande imprensa, mas na universidade era evidente a falta de profundidade das considerações sobre programas e jornais populares, pois os comentários sobre o tema nunca ultrapassavam a mera condenação. Expressões como degradação cultural, lixo e antijornalismo sempre foram usadas para desqualificar os produtos informativos populares comerciais, o que também os exclui do rol de objetos dignos de serem estudados e pesquisados. Daí para fazer o doutorado sobre o tema foi um passo. A Rede Brasil Sul (RBS) lançava no mercado um jornal popular fora do esquema espreme que sai sangue, rótulo pelo qual ficou conhecido o jornal Notícias Populares, editado em São Paulo de 1963 a O Diário Gaúcho, lançado em 2000 pela Rede Brasil Sul, na Grande Porto Alegre, com tiragens polpudas, foi escolhido como objeto de pesquisa. Na pesquisa, enfoquei uma estratégia utilizada pela publicação: a intensa fala do leitor popular em suas páginas. A tese, intitulada O lugar de fala do leitor no Diário Gaúcho, defendida na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, faz uma ampla articulação teórica para explicar o segmento popular da grande imprensa e seus vínculos com o leitor. Este livro surgiu após a tese, fruto da necessidade de divulgar uma abordagem mais arejada da imprensa popular, de apontar suas conexões culturais e tendências e de mostrar um pouco do que vem sendo feito no país. A temática merece muitos estudos críticos, mas o objetivo do livro é discutir o velho conceito de sensacionalismo e mostrar a evolução de um mercado importante para a mídia impressa hoje. 11

4 O texto foi escrito com o desafio de trazer contribuições da academia para uma realidade pautada pelas necessidades do mercado. A intenção é mostrar no que essa imprensa se diferencia e como pode se qualificar. Minha idéia não é ser advogada de defesa do gênero, mas fornecer elementos para que a discussão saia do achismo e tenha uma base em sólida pesquisa. Escolhi como fio condutor da reflexão o segmento popular da grande imprensa, embora o texto resgate, com o objetivo de ilustrar, alguns programas de televisão e algumas revistas populares mais significativas. Não me refiro ao rádio, precursor de muitas fórmulas populares, pela dificuldade de sistematizar os diversos programas espalhados pelo país, o que demandaria uma pesquisa específica. Mesmo assim, indico, ao final do livro, um roteiro de leitura para quem se interessa pelos produtos jornalísticos populares nos vários veículos. O livro se intitula Jornalismo popular, mesmo que, por vezes, a prática dos produtos populares não se configure em jornalismo. Embora pareça óbvio, fazer jornalismo deve ser a meta de todo jornalista, e o texto aponta para essa direção. Acredito que uma imprensa popular de qualidade só é viável se conseguir desenvolver um tipo de jornalismo ético que aperfeiçoe suas técnicas de comunicação com o leitor popular sem ficar refém dos requisitos do mercado. Pensar em um jornalismo voltado à maioria da população é uma experiência sempre tomada por questionamentos e críticas, pois, quando se trabalha com jornalismo numa perspectiva popular, percebe-se o quanto são tênues os limites entre a responsabilidade pública e a sedução do leitor. Do ponto de vista da relevância social, é muito produtivo analisar como a imprensa se faz popular. É tarefa do jornalista informar setores mais amplos da população e, por isso, não é recomendável ficar circunscrito a uma única forma de se fazer jornalismo. Os jornais populares devem ser observados para que seja possível captar suas estratégias e, num movimento crítico, incorporá-las ou descartá-las no sentido de criar bases técnicas para um jornalismo popular diferenciado. Também é importante deixar claro que o leitor popular não é passivo em relação aos jornais. Nem o segmento popular da imprensa é simplesmente fruto de interesses empresariais, nem seu público res- 12

5 ponde cegamente aos chamados do produto. Se os jornais, programas e revistas fazem sucesso, é porque há recompensas para esse leitor. Assim, existe uma complexa relação entre a produção e o consumo dos produtos populares. O livro é construído de modo que os capítulos possam ser lidos de maneira aleatória. O primeiro capítulo aborda o tema do ponto de vista conceitual e histórico. Explica por que uso o termo popular e não o sensacionalista e conta um pouco da história do sensacionalismo na imprensa. Muitos recursos de popularização citados são utilizados por toda a imprensa, mas são prioritariamente encontrados nos jornais que se destinam às classes B, C e D. No segundo capítulo, o leitor encontrará uma contextualização da nova fase em que os jornais populares se encontram. Nele, apresento os principais jornais populares do país e relato brevemente o que está ocorrendo com os produtos jornalísticos populares na televisão e no mercado de revistas. Quem optar por ler de início uma reflexão mais densa sobre o tema pode ir diretamente ao capítulo O leitor do mundo e o mundo do leitor, em que há uma reflexão sobre a existência de diferentes imprensas e sobre como elas falam de mundos diferentes. Um tipo de jornal sobrevive prioritariamente de um discurso sobre questões de interesse público e outro é pautado em primeiro lugar pelo interesse do público. A imprensa considerada mais séria, destinada às classes A e B, precisa legitimar-se entre os formadores de opinião e, por isso, aborda temas classificados como mais relevantes. A imprensa que pretende conquistar o leitor das classes C, D e E dá mais atenção às temáticas de interesse desse público. O capítulo aborda o que é notícia no segmento popular e cita exemplos de como predominam as notícias próximas do público, que têm capacidade de ser útil e de entreter. Abordo o jornalismo popular pelo enfoque da cultura. Trago as raízes históricas do melodrama e do folhetim para explicar o quanto são antigas as estratégias da imprensa popular usadas na atualidade. Apresento o caso do jornal Diário Gaúcho no quarto capítulo. Contextualizo esse veículo em termos de sua organização editorial e do perfil do seu leitor, mostro como ele se diferencia da cobertura de Zero Hora e aponto algumas características dramáticas presentes no jornal. 13

6 Aqueles que preferirem ir direto para os aspectos mais práticos do jornalismo popular podem dedicar-se ao último capítulo. O capítulo aborda as necessidades dos jornalistas de: conhecerem seu público, mudarem os pontos de vista de acordo com as posições sociais, econômicas e culturais desse leitor, adotarem linguagem simples e didática e tornarem os jornais essenciais para o leitor. Alerto para os perigos desse caminho de popularização, principalmente no que se refere à excessiva dramatização, à priorização do interesse do público em detrimento do interesse público e à representação das pessoas do povo como vítimas ou meros consumidores. Exponho algumas características do perfil do profissional desse segmento, mostro as possibilidades de um jornalismo popular de qualidade e indico alguns parâmetros para a definição de jornalismo popular na grande imprensa. Ao final do texto, reproduzo as capas de alguns jornais citados e apresento um roteiro de leitura sobre produtos jornalísticos populares e uma bibliografia complementar. O livro tem o objetivo de introduzir o jornalista à realidade desse mercado apresentando ao profissional algumas reflexões sem lugarescomuns e clichês. Afinal, esse é um segmento importante porque democratiza a informação jornalística para setores da população com baixa escolaridade e amplia as oportunidades de trabalho para jornalistas. Embora o segmento dos jornais populares não seja recente, houve uma ampliação do mercado de trabalho com o surgimento de veículos como o Extra (RJ), o Diário Gaúcho (RS) e o Agora São Paulo (SP) e, mais recentemente, o Meia-Hora (RJ), o Expresso (RJ), o Aqui! (MG) e o Super Notícia (MG). São jornais que atendem a nichos de mercado pouco explorados e provocam um debate fundamental no campo jornalístico: Afinal, o que interessa aos leitores? Entre os assuntos que interessam aos leitores, o que pode ser considerado jornalismo? No que os jornais populares se diferem dos demais? É hora de nós, jornalistas, pensarmos em padrões de qualidade para essa imprensa. Quantos de nós saberíamos o que fazer com nossas críticas na hora de trabalhar num veículo jornalístico popular? Que pontos, precisamente, criticamos e que cuidados devemos ter na produção de um jornal popular de qualidade? Pretendo que a leitura gere novas idéias para contribuir com a construção dessa prática. 14

Plano Editorial Julho 2006

Plano Editorial Julho 2006 Plano Editorial Julho 2006 Missão Uma agência que noticia processos ocorridos no espaço público político (governo, Estado e cidadania), com foco nos interesses do cidadão brasileiro. Público-Alvo Cidadãos

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Por que foca?

APRESENTAÇÃO. Por que foca? APRESENTAÇÃO Por que foca? O foca, jornalista iniciante, tem grande dificuldade de encontrar um guia entre os textos técnicos publicados no Brasil. Com a pauta lhe queimando as mãos, ele se inquieta: por

Leia mais

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC

FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC FACULDADE SATC CURSO DE JORNALISMO PROJETO EDITORIAL PORTAL SATC 1. Contexto A transmissão e o acesso às informações é uma preocupação constante do ser humano. Ser bem informado e informar bem são, portanto,

Leia mais

Resenha. Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação)

Resenha. Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação) Resenha Interesses Cruzados: A produção da cultura no jornalismo brasileiro (GADINI, Sérgio Luiz. São Paulo: Paulus, 2009 Coleção Comunicação) Renata Escarião PARENTE 1 Parte do resultado da tese de doutoramento

Leia mais

TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET

TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET ATAS - Seminário Ensinar com Pesquisa (Ensinar, Pesquisar e Aprender) - ANO V 1 TEMAS AMBIENTAIS NA INTERNET Ana C. B. da Silva 1, Natália F. da Silva², Maria R. D. Kawamura 3 1 Instituto de Física/Ensino/USP,

Leia mais

REVISTA INOVAÇÃO EM PAUTA

REVISTA INOVAÇÃO EM PAUTA II Simpósio Nacional de Jornalismo Científico Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF) Campos dos Goytacazes RJ 28 e 29/11/2012 REVISTA INOVAÇÃO EM PAUTA Resumo A revista Inovação

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MCH0761 A PERCEPÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE JORNALISMO DO VALE DO PARAÍBA

Leia mais

História da Mídia Impressa na Educação

História da Mídia Impressa na Educação História da Mídia Impressa na Educação LUSTOSA, Elem Acadêmica do Curso de Pedagogia Iniciação Científica MACIEL, Margareth de Fátima Doutorado em Educação UNICENTRO - PARANÁ RESUMO Esse texto aborda a

Leia mais

Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos

Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos 44 5. Percursos da pesquisa de campo: as rodas de conversas e a caracterização dos jovens e seus contextos As rodas de conversa tiveram como proposta convidar os participantes a debater o tema da violência

Leia mais

Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes

Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes Doze pontos-chave acerca da cobertura de imprensa brasileira sobre leitura literária. Os desafios da imprensa na formação

Leia mais

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político Jairnilson Paim - define o SUS como um sistema que tem como característica básica o fato de ter sido criado a partir de um movimento

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

Sustentabilidade na imprensa

Sustentabilidade na imprensa sa i u q s Pe clusiva ex Sustentabilidade na imprensa Sustentabilidade e a presença na mídia - Pesquisa 2008 O I Fórum Internacional de Comunicação e Sustentabilidade foi o motivador para uma análise da

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL NA MÍDIA CONTEMPORÂNEA: CRISE E TRANSFORMAÇÃO

JORNALISMO CULTURAL NA MÍDIA CONTEMPORÂNEA: CRISE E TRANSFORMAÇÃO Paulo Augusto Emery Sachse Pellegrini: PROJETO RUMOS JORNALISMO CULTURAL 2009-2010 JORNALISMO CULTURAL NA MÍDIA CONTEMPORÂNEA: CRISE E TRANSFORMAÇÃO Abordar o tema Jornalismo Cultural pode significar,

Leia mais

Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras

Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras Entrevista Margarida Kunsch Margarida Maria Krohling Kunsch, entrevistada desta edição da Revista Comunicação & Informação, é uma das principais pesquisadoras no campo das relações públicas e da comunicação

Leia mais

O Lugar de fala do povo nos jornais populares

O Lugar de fala do povo nos jornais populares O Lugar de fala do povo nos jornais populares Flávio Martins Oliveira Fraga Universidade Federal de Minas Gerais Introdução Nosso trabalho pretende verificar a constituição de povo proposta pelos jornais

Leia mais

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional

40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional 40 dicas para tornar seu site mais eficiente e funcional Essas 40 dicas são ótimas e assino embaixo. Foram passadas para mim pelo amigo Luiz Rodrigues, aluno também do Curso Online de Design Web. A fonte

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI O SR. GUILHERME CARBONI (Instituto de Direito do Comércio Internacional e Desenvolvimento): Gostaria de

Leia mais

Agricultura Familiar: merenda saudável para as crianças 1

Agricultura Familiar: merenda saudável para as crianças 1 RESUMO Agricultura Familiar: merenda saudável para as crianças 1 Ailanda Ferreira Tavares 2 Alciane Ayres da Mota 3 Raimunda Monteiro 4 Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, Pará O livro-reportagem

Leia mais

O REFÚGIO DA SUA LAVOURA

O REFÚGIO DA SUA LAVOURA O REFÚGIO DA SUA LAVOURA Campanha de conscientização dos produtores de soja, milho e algodão para o uso do refúgio em suas lavouras, com a finalidade de manter vivas as tecnologias de combate às pragas,

Leia mais

Pesquisa x Pesquisa. do Setor Editorial Brasileiro revelou uma venda de quatro bilhões de reais em livros, com

Pesquisa x Pesquisa. do Setor Editorial Brasileiro revelou uma venda de quatro bilhões de reais em livros, com A Bíblia Sagrada já vendeu, aproximadamente, 3,9 bilhões de cópias. O livro Ágape, do Padre Marcelo Rossi, já vendeu 8 milhões de exemplares. O livro erótico, Cinquenta Tons de Cinza, chegou ao número

Leia mais

O papel do jornalismo e dos meios de comunicação do Brasil no desenvolvimento social da América Latina e do Caribe

O papel do jornalismo e dos meios de comunicação do Brasil no desenvolvimento social da América Latina e do Caribe O papel do jornalismo e dos meios de comunicação do Brasil no desenvolvimento social da América Latina e do Caribe ENGEL PASCHOAL Cepal - Cidade do México 8 novembro 2006 Otavio Frias Filho* O noticiário

Leia mais

A presente proposta tem alinhamento intencional com os prêmios de comunicação e marketing da Unimed do Brasil e Aberje.

A presente proposta tem alinhamento intencional com os prêmios de comunicação e marketing da Unimed do Brasil e Aberje. CASE DE MELHORES PRÁTICAS DO SISTEMA UNIMED PARANAENSE O objetivo dos Cases de Melhores Práticas do Sistema Unimed Paranaense é aproximar as Cooperativas do Estado através de exemplos de trabalhos realizados

Leia mais

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança.

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. Jaquelaine SOUSA 1 Dalva Borges de SOUZA 2 Programa de Pós-Graduação em Sociologia/Faculdade de Ciências

Leia mais

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE 2013 Temos lido e ouvido muitos comentários nos últimos dias sobre o processo de formação de Atletas no Brasil, emitidas

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS SUMÁRIO INTRODUÇÃO 03 CONTROLE DE CONTAS 04 ENTENDER E CONTROLAR AS DESPESAS FIXAS E VARIÁVEIS 05 DEFINIR PRIORIDADES 07 IDENTIFICAR

Leia mais

Mundaú: além da margem 1

Mundaú: além da margem 1 Mundaú: além da margem 1 Eduardo Leite VASCONCELOS 2 Rhamayana Barros BARRETO 3 Amanda Régia Amorim Morais dos SANTOS 4 Almir GUILHERMINO 5 Universidade Federal de Alagoas, Maceió, AL RESUMO Reportagem

Leia mais

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil

A experiência da Engenharia Clínica no Brasil Página 1 de 5 Sobre a Revista Ed 24 - fev 04 Home Medical Infocenter Med Atual Edição Atual Serviços Global Home Brasil Home Busca Mapa do Site Fale Conosco Edição Atual Edição Atual Matéria de Capa Artigo

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

Profissão: Estudantes de Jornalismo

Profissão: Estudantes de Jornalismo Profissão: Estudantes de Jornalismo Gus Vieira O jornalista tem uma função social bem clara: disponibilizar para a sociedade informação ética, de qualidade e democrática, atendendo ao interesse público.

Leia mais

Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE

Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE O COLE nasceu criado. Parece contraditório dizer a expressão nascer criado, mas a idéia é de que o COLE, ao nascer, não

Leia mais

Rita FigueiRas * O seu mais recente livro, publicado em 2004, intitula-se Taking Journa- lism Seriously

Rita FigueiRas * O seu mais recente livro, publicado em 2004, intitula-se Taking Journa- lism Seriously Comunicação & Cultura, n.º 4, 2007, pp. 177-183 Entrevista a Barbie Zelizer Rita Figueiras * Barbie Zelizer é uma das mais notáveis investigadoras da actualidade na área do jornalismo e cultura. É professora

Leia mais

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Marília DALENOGARE 2 Aline MARTINS 3 Camila Pilla de Azevedo e SOUZA 4 Dieison MARCONI 5 Josafá Lucas ROHDE 6 Luciano MIRANDA 7 Universidade Federal de

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc

Como citar este artigo Número completo Mais artigos Home da revista no Redalyc Diálogos - Revista do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História ISSN: 1415-9945 rev-dialogos@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Castanho, Sandra Maria POLÍTICA E LUTAS

Leia mais

BLOG DE EDUCAÇÃO FÍSICA: APRESENTANDO O PIBID AO MUNDO

BLOG DE EDUCAÇÃO FÍSICA: APRESENTANDO O PIBID AO MUNDO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Imagem Institucional Julho/2003

Imagem Institucional Julho/2003 Imagem Institucional Recorte de notícias editado pela Assessoria de Imprensa Matérias no Caderno de Empregos da Folha e Meio & Mensagem são destaques Oretorno de imagem da Unimed do Brasil, medido com

Leia mais

Homofobia Como Fator De Exclusão Escolar 1

Homofobia Como Fator De Exclusão Escolar 1 Homofobia Como Fator De Exclusão Escolar 1 Joaquim Clemente da Silva NETO 2 Aline Paiva dos SANTOS 3 Eliana da Silva LOPES 4 Marta Bezerra PEREIRA 5 Clivia Andriely Cardoso Silva 6 Antonio Carlos SARDINHA

Leia mais

Relato de Experiência: Iniciativas Acadêmicas PRIMEIRO PASSO. Elaboração de um jornal de bairro em comunidade do interior do Rio Grande do Sul

Relato de Experiência: Iniciativas Acadêmicas PRIMEIRO PASSO. Elaboração de um jornal de bairro em comunidade do interior do Rio Grande do Sul Relato de Experiência: Iniciativas Acadêmicas PRIMEIRO PASSO Elaboração de um jornal de bairro em comunidade do interior do Rio Grande do Sul PARZIANELLO, Geder Universidade Federal do Pampa RESUMO Projeto

Leia mais

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro 1 www.oxisdaquestao.com.br Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro Texto de CARLOS CHAPARRO A complexidade dos confrontos da atualidade, em especial nos cenários políticos, justificaria

Leia mais

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010

RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 RELATÓRIO FINAL ALFABETIZAÇÃO 2010 Débora Rana Introdução Participar da seleção do Prêmio Victor Civita, pela segunda vez, é uma experiência bastante interessante, pois permite estabelecer relações entre

Leia mais

O processo da pauta do Programa Ade!

O processo da pauta do Programa Ade! 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO

TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO TV UNIVERSITÁRIA: TELEJORNALISMO ALTERNATIVO Fabiana Piccinin 1 Esse artigo faz uma crítica ao modelo de telejornalismo adotado pelas Tvs comerciais brasileiras, apresentando uma nova proposta de jornalismo

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

Introdução redes sociais mulheres Digg

Introdução redes sociais mulheres Digg O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres. (Tsvi Bisk, Center for Strategic Futurist Thinking, 2008) A Sophia Mind,

Leia mais

Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo

Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo 1 www.oxisdaquestao.com.br Só as razões da Ética dão rigor ao jornalismo Texto de CARLOS CHAPARRO Em outubro de 2007, estouraram em jornais e telejornais as primeiras reportagens sobre um suposto escândalo

Leia mais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais "LETRAR É MAIS QUE ALFABETIZAR" Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais Nos dias de hoje, em que as sociedades do mundo inteiro estão cada vez mais centradas na escrita,

Leia mais

A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23. Prevenir ainda é melhor que remediar 47

A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23. Prevenir ainda é melhor que remediar 47 Sumário Introdução Pauta do livro 13 1 Empregos fixos freelance Quem mexeu no nosso queijo? 17 2 Empreendedorismo A era das carreiras acabou: os sobreviventes serão orientados por projetos 23 3 Terceirização

Leia mais

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005.

RESENHA. SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. 1 RESENHA Mónica Santos Pereira Defreitas 1 SANTAELLA, L. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Paulus, 2005. O livro de Lúcia Santaella, Por que as comunicações e as artes estão

Leia mais

Rádio CBN. - Ribeirão Preto. Jovem Pan. - Ribeirão Preto. - Araraquara. Jornal impresso e Portal. - Ribeirão Preto. - Araraquara.

Rádio CBN. - Ribeirão Preto. Jovem Pan. - Ribeirão Preto. - Araraquara. Jornal impresso e Portal. - Ribeirão Preto. - Araraquara. 4 emissoras afiliadas Rede Globo - Campinas - Ribeirão Preto - Central - Sul de Minas Portais G1 e Globoesporte.com - Campinas - Piracicaba - Ribeirão Preto - São Carlos - Sul de Minas Programas - Campinas

Leia mais

Principais números do mês 82,2% das notícias foram neutras; e 17,8% positivas. Análise Qualitativa

Principais números do mês 82,2% das notícias foram neutras; e 17,8% positivas. Análise Qualitativa Abril de 20 2 R e l a t ó r i o A n a l í t i c o d e R e t o r n o d e M í d i a e P ú b l i c o Principais números do mês 82,2% das notícias foram neutras; e 7,8% positivas. R$ 76 mil em retorno de mídia

Leia mais

Educação Financeira: mil razões para estudar

Educação Financeira: mil razões para estudar Educação Financeira: mil razões para estudar Educação Financeira: mil razões para estudar Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola de Administração

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral

Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral Cartilha da FIJ Os Jornalistas e o Direito Autoral Esta é uma publicação que tem como tema o direito autoral dos jornalistas. Um tema intimamente ligado aos direitos dos cidadãos e da cidadania. Mas este

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL

PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL ABRAPCH: notícia e presença no Interior 781 JORNAIS do Interior do Brasil 3,5 MILHÕES de exemplares/ semana 22 MILHÕES de leitores/ semana 1ª Etapa 1ª Etapa 1ª Etapa

Leia mais

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues Faccat Faculdades Integradas de Taquara Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Disciplina: Planejamento e Assessoria em Comunicação Profª Me. Taís Vieira ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material

Leia mais

8 Conclusões, recomendações e desdobramentos

8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 136 8 Conclusões, recomendações e desdobramentos 8.1. Introdução Finalmente inicia-se a etapa conclusiva deste trabalho. Com base nos resultados da pesquisa

Leia mais

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo 27/11/2014 - Teletime Rezende alerta que se escolherem ir à Justiça, teles saem perdendo O presidente da Anatel, conselheiro João Rezende, afirmou nesta quinta, 27, que a agência não concorda com a tese

Leia mais

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural Marcos Santos Figueiredo* Introdução A presença dos sindicatos de trabalhadores

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA Introdução O Plano Setorial da Superintendência da Leitura e do Conhecimento do Estado do Rio de Janeiro é fruto

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7

Sumário. Introdução - O novo hábito... 1. Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3. Sobre o vocabulário... 4. Benefícios... 7 Sumário Introdução - O novo hábito... 1 Capítulo 1 - Pra que serve tudo isso?... 3 Sobre o vocabulário... 4 Benefícios... 7 Perguntas Frequentes sobre o Orçamento Doméstico... 10 Capítulo 2 - Partindo

Leia mais

SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p.

SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p. 219 SILVA, Mylton Severiano da. Realidade - História da revista que virou lenda. Florianópolis: Editora Insular, 2013. 320 p. 220 Não é lenda; é Realidade It's not legend; it's Reality Joaquim Francisco

Leia mais

Palavras-chave: mídia, sociedade de cultura, meios de comunicação de massa.

Palavras-chave: mídia, sociedade de cultura, meios de comunicação de massa. MÍDIA, IDENTIDADE CULTURAL E SOCIEDADE Viviane L Martins Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP Resumo Este artigo visa uma breve análise sobre o modo como a mídia interage com a sociedade de cultura.

Leia mais

Pedro Carrano e Thiago Hoshino Brasil de Fato (Curitiba (PR)

Pedro Carrano e Thiago Hoshino Brasil de Fato (Curitiba (PR) Nosso déficit não é de casas, é de cidade Raquel Rolnik defende que atualmente não há políticas para moradia, apenas políticas focadas no setor imobiliário e financeiro 22/10/2012 Pedro Carrano e Thiago

Leia mais

CRACK E OUTRAS DROGAS: UM DEBATE SOCIAL QUE SE IMPÕE PREVENÇÃO: PERSPECTIVAS PARA A COMUNICAÇÃO

CRACK E OUTRAS DROGAS: UM DEBATE SOCIAL QUE SE IMPÕE PREVENÇÃO: PERSPECTIVAS PARA A COMUNICAÇÃO CRACK E OUTRAS DROGAS: UM DEBATE SOCIAL QUE SE IMPÕE PREVENÇÃO: PERSPECTIVAS PARA A COMUNICAÇÃO Fernando Rossetti Porto Alegre, 7 de Julho de 2010 Índice Uma Idéia e Dois Conceitos Visão da Mídia e Imaginário

Leia mais

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Estou muito honrado com o convite para participar deste encontro, que conta

Leia mais

COMUNICAÇÃO E TECNOLOGIA: O VÍDEO COMO VEÍCULO DE

COMUNICAÇÃO E TECNOLOGIA: O VÍDEO COMO VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO E TECNOLOGIA: O VÍDEO COMO VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO RURAL. Cenira Almeida Sampaio Marta Rocha do Nascimento As tecnologias de comunicação sempre foram tidas como instrumentos facilitadores e

Leia mais

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR

O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Título do artigo: O COORDENADOR PEDAGÓGICO COMO FORMADOR: TRÊS ASPECTOS PARA CONSIDERAR Área: Gestão Coordenador Pedagógico Selecionadora: Maria Paula Zurawski 16ª Edição do Prêmio Victor Civita Educador

Leia mais

COMUNICAÇÃO. Relações Públicas: teoria, contexto e relacionamentos

COMUNICAÇÃO. Relações Públicas: teoria, contexto e relacionamentos Catálogo 2010 2011 COMUNICAÇÃO Relações Públicas: teoria, contexto e relacionamentos Destinado a profissionais, estudantes e professores das áreas de comunicação e relações públicas, o livro traz um compilado

Leia mais

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO.

TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: MEIOS DE COMUNICAÇÃO DIGITAIS E A REVOLUÇÃO NA DISSEMINAÇÃO DA INFORMAÇÃO. CATEGORIA: EM ANDAMENTO

Leia mais

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA?

Projeto. Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? Projeto Pedagógico QUEM MEXEU NA MINHA FLORESTA? 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Apresentação O livro tem como tema o meio ambiente em que mostra o homem e a destruição da natureza,

Leia mais

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1

O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 O Papel dos Meios de Comunicação na Formação da Imagem Empresarial importância do Assessor de Imprensa neste processo 1 Evelyn Nascimento Bastos 2 Palavras-chaves: Meios de Comunicação; Imagem Empresarial;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1

A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1 A IMPORTÂNCIA DO SUPORTE PARA A IDENTIFICAÇÃO DE UMA NOTÍCIA SATÍRICA* 1 Emanoel Barbosa de Sousa - UFC Maria Lourdilene Vieira Barbosa UFMG Resumo: Considerando os elementos responsáveis pela interpretação

Leia mais

Três exemplos de sistematização de experiências

Três exemplos de sistematização de experiências Três exemplos de sistematização de experiências Neste anexo, apresentamos alguns exemplos de propostas de sistematização. Estes exemplos não são reais; foram criados com propósitos puramente didáticos.

Leia mais

A interdisciplinaridade nos Programas de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFRJ: alguns problemas estruturais. Marcelo Jacques de Moraes

A interdisciplinaridade nos Programas de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFRJ: alguns problemas estruturais. Marcelo Jacques de Moraes A interdisciplinaridade nos Programas de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da UFRJ: alguns problemas estruturais Marcelo Jacques de Moraes Historicamente, os Programas de Pós-Graduação da Faculdade

Leia mais

Avaliação da cobertura da mídia impressa da epidemia de dengue no estado do Rio de Janeiro entre Janeiro e março de 2002

Avaliação da cobertura da mídia impressa da epidemia de dengue no estado do Rio de Janeiro entre Janeiro e março de 2002 Avaliação da cobertura da mídia impressa da epidemia de dengue no estado do Rio de Janeiro entre Janeiro e março de 2002 Sérgio de Souza França Júnior Evanildo Vieira dos Santos Wagner de Oliveira Fiocruz

Leia mais

Que as novas tecnologias de

Que as novas tecnologias de Resenha A teoria e a prática de EAD GIUSTA, Agnela da Silva; FRANCO, Iara Melo (orgs.). Educação a Distância: uma articulação entre a teoria e a prática Paulo Roberto Salles Garcia Mestre em Comunicação

Leia mais

Guia prático para dirigentes sindicais

Guia prático para dirigentes sindicais FALAR COM A IMPRENSA NÃO É UM BICHO DE SETE CABEÇAS Guia prático para dirigentes sindicais Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região www.sindmetalsjc.org.br APRESENTAÇÃO O Sindicato dos

Leia mais

O novo projeto do Diario de Pernambuco

O novo projeto do Diario de Pernambuco O novo projeto do Diario de Pernambuco Na mais radical mudança de sua história, jornal faz reforma gráfica, unifica redações, lança novo site, cria blogs e se renova para o futuro. O Diario de Pernambuco

Leia mais

Fotografia e Escola. Marcelo Valle 1

Fotografia e Escola. Marcelo Valle 1 Fotografia e Escola Marcelo Valle 1 Desde 1839, ano do registro da invenção da fotografia na França, quase tudo vem sendo fotografado, não há atualmente quase nenhuma atividade humana que não passe, direta

Leia mais

IBASE INSTITUTO BRASILEIRO DE ANÁLISES SOCIAIS E ECONÔMICAS

IBASE INSTITUTO BRASILEIRO DE ANÁLISES SOCIAIS E ECONÔMICAS A P R E S E N T A Ç Ã O 6 IBASE INSTITUTO BRASILEIRO DE ANÁLISES SOCIAIS E ECONÔMICAS A presente publicação consolida uma série de informações sobre os balanços sociais de empresas que atuam no Brasil

Leia mais

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES

ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL SUGESTÕES ELEIÇÕES 2008 A RELAÇÃO ENTRE VEREADORES, ADMINISTRAÇÕES PETISTAS E O MOVIMENTO SINDICAL 1) INTRODUÇÃO SUGESTÕES Ao longo dos seus vinte e oito anos e com a experiência de centenas de administrações que

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 43 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 Recentemente, escrevi uma crônica cujo texto apresentava algumas possíveis causas para que o processo de formação

Leia mais

A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA

A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA A GLOBALIZAÇÃO UM MUNDO EM MUDANÇA Que dimensões sociológicas existem numa passeio ao supermercado? A variedade de produtos importados que costumamos ver nos supermercados depende de laços econômicos

Leia mais

SE VOCÊ ESTÁ LENDO ESSA APRESENTAÇÃO, VOCÊ É A PROVA QUE A INTERNET ESTÁ PRESENTE NA SUA VIDA

SE VOCÊ ESTÁ LENDO ESSA APRESENTAÇÃO, VOCÊ É A PROVA QUE A INTERNET ESTÁ PRESENTE NA SUA VIDA VERSÃO 1.0 SE VOCÊ ESTÁ LENDO ESSA APRESENTAÇÃO, VOCÊ É A PROVA QUE A INTERNET ESTÁ PRESENTE NA SUA VIDA Assim como está na de 52% da população brasileira, que soma mais de 105 milhões de pessoas conectadas

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula

O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula O(s) Uso(s) de Documentos de Arquivo na Sala de Aula SEQUÊNCIA DIDÁTICA Milton Garcia Silva São Paulo 2012 TEMA Modos de Morar em São Paulo Séculos XIX e XX. JUSTIFICATIVA Nota-se que os alunos possuem

Leia mais

COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA. Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução. Prof. João Carlos Firpe Penna

COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA. Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução. Prof. João Carlos Firpe Penna COMUNICAÇÃO E APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Aula 1 - A comunicação corporativa e sua evolução Prof. João Carlos Firpe Penna Panorama da comunicação Até anos 1980 -Transformação lenta - Rádio, TV, jornais em

Leia mais

COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS

COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS COACHING: PARCERIA PARA O SUCESSO COM VINÍCIUS MATOS Nosso grande medo não é o de que sejamos incapazes. Nosso maior medo é que sejamos poderosos além da medida. É nossa luz e não nossa escuridão, que

Leia mais

10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR

10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR 10º PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR R E G U L A M E N T O 1. O PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR 1.1. O PRÊMIO IMPRENSA DE EDUCAÇÃO AO INVESTIDOR é uma iniciativa do Comitê Consultivo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca Lançamento da Campanha Contra a Poliomielite

Leia mais

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml Figura 96 - Trecho do desenho da paisagem local, formado por desenhos individuais colados justapostos um no outro, constituindo uma só peça, um extenso rolo A localização da escola, no tocante a sua topografia,

Leia mais

Cartilha de Vacinas. Para quem quer mesmo saber das coisas

Cartilha de Vacinas. Para quem quer mesmo saber das coisas Cartilha de Vacinas Para quem quer mesmo saber das coisas 1 Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde, 2003 Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Sobre Este Livro. O Que Você Não Lerá. 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição

Sobre Este Livro. O Que Você Não Lerá. 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição 2 Dieta Para Leigos, 2 a Edição depois do nascimento). Engordei e emagreci 110 quilos em meus 50 anos e passei 30 anos fazendo dietas. Mas não fiz mais dieta desde que meu filho se afastou, 11 anos atrás.

Leia mais

Fontes Operação Valores de Operação (R$) Unid. Habitacionais

Fontes Operação Valores de Operação (R$) Unid. Habitacionais Nota da Equipe de Pesquisa do IAU (USP-São Carlos) / PEABIRU sobre as matérias a respeito da modalidade Entidades do Programa Minha Casa Minha Vida publicadas no jornal O Estado de SP A equipe de pesquisa

Leia mais

UNITERMOS: Marketing esportivo, futebol, administração esportiva.

UNITERMOS: Marketing esportivo, futebol, administração esportiva. ARTIGO Paulo Lanes Lobato * RESUMO Considerando que o marketing é hoje integrante de grande parte das conversas relacionadas ao esporte e, principalmente, que se transformou na esperança do esporte em

Leia mais

O jornal-laboratório como instrumento de desenvolvimento local: a experiência do jornal A Notícia

O jornal-laboratório como instrumento de desenvolvimento local: a experiência do jornal A Notícia FÓRUM NACIONAL DE PROFESSORES DE JORNALISMO (FNPJ) XIII ENCONTRO NACIONAL DE PROFESSORES DE JORNALISMO IX CICLO NACIONAL DE PESQUISA EM ENSINO DE JORNALISMO MODALIDADE DO TRABALHO: Relato de Experiência

Leia mais