LER E PERTENCER. Justificativa:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LER E PERTENCER. Justificativa:"

Transcrição

1 1 LER E PERTENCER Justificativa: A Biblioteca Pública João XXIII possui mais de 70 anos de existência e funcionando desde 1981 no prédio da Casa da Cultura de Bom Jardim¹. O que durante um tempo foi uma grande novidade chegou aos meados dos anos 2000 como um lugar calmo e silencioso². Acessibilidade? Nenhuma³. Perguntando-se pelas ruas, muitas pessoas desconheciam se existia uma biblioteca pública e onde ela estava localizada!. Há também a questão do horário de funcionamento que não atende a muitos trabalhadores, como por exemplo, comerciários.observou-se a dificuldade de locomoção de pessoas idosas, adoentadas e portadoras de deficiência física. Dentro desse diagnóstico uma outra constatação: muitas pessoas não possuem o sentimento de pertencimento relacionado à leitura: não sei ler, não sou bom da cabeça, ou não sou bom leitor... o que vou fazer numa biblioteca?! Muitas perguntas precisavam ser respondidas: afinal, o que significa ler? Não são tantas as possibilidades de leitura? Como então, promover a inclusão das pessoas que não se reconhecem como leitoras? Como tornar a Biblioteca um espaço mais dinâmico, mas ao mesmo tempo acolhedor? Como aproximar os livros e produtos de leitura a quem não frequenta a biblioteca? Como promover a ideia de que a Biblioteca Pública é um local que pertence a todos? A partir da formação de uma nova equipe de trabalho e análise de aspectos físicos (acesso, arrumação, cuidado e conservação do acervo) e até conceituais (que o trabalho de uma biblioteca é também além-muros ) muitas transformações aconteceram. Este trabalho trata sobre a mudança que vem acontecendo de forma contínua e progressiva nos paradigmas da BPM João XXIII. ¹ A Casa da Cultura está localizada no centro de Bom Jardim, município do interior do Estado RJ, com 26 mil habitantes. O primeiro distrito sede do município possui uma população de cerca de 16 mil habitantes. ² Com o advento das pesquisas via internet e com abertura de um CIC (Centro de Internet Comunitária) numa sala ao lado, muitas vezes os estudantes não vinham para usar o material de pesquisa local, mas porque era um bom lugar para se reunir e com boas mesas para fazer cartazes. ³ A entrada do prédio possuía apenas degraus e não existia qualquer tipo de acervo ou material destinado a portadores de necessidades especiais.

2 2 Objetivos: - Utilizar a promoção da leitura em suas diversas formas como fator de inclusão das pessoas. - Aumentar o fluxo de frequência e de emprétimos de livros. - Tornar o ambiente da BPM João XXIII mais dinâmico, acolhecor e acessível. - Melhorar a comunicação com a comunidade. Metodologia Um plano e um conjunto de ações foram realizadas a partir de 2008, com os seguintes elementos: - Formação de uma nova equipe: a biblioteca contava com 2 funcionárias (Angela e Fátima) e passou a ter uma coordenação (Mª do Carmo) e a contar com colaboradores (funcionários da equipe da SM. de Cultura): uma profissional de arte-educação (Marisa), outro da área de mídias digitais (Marlon), outro da área de História (Déscio), outra com experiência em coordenação cultural (Joanna), um artista plástico (Délio), outro de área administrativa (Fernando). E ainda, dois voluntários da comunidade (Yvson e Ilo). Recentemente (início de 2014) a Biblioteca passou a ter uma bibliotecária (Lucianna). - Diagnóstico-ação-reflexão-ação: a partir de um problema levantado (diagnóstico), a equipe faz sugestões e propõe uma linha de ação. A partir dos primeiros resultados se faz uma avaliação (reflexão) que gera uma nova ação (a continuidade ou a correção). - Construção de parcerias entre instituições: Surgiram as parcerias com a APAE, o CAPs, o Instituto Benjamim Constant e a Fundação Dorina Nowill para Cegos. - Diversidade: Um dos ingredientes principais é justamente a diversidade de pessoas envolvidas cada uma trazendo uma seara de contribuições. Além das parcerias institucionais, buscou-se o envolvimento do comércio, das escolas, de outras bibliotecas, grupos de artistas, órgãos públicos além da colaboração do público em geral. - Comunicação: pessoal e virtualmente - entre os membros, com o público, com os parceiros, com os meios de comunicação (rádio, jornal, blogs, sites). Busca-se gerar material de registro (livros de assinatura, fotos e filmagens) e parte desse material serve para o trabalho de divulgação. O que foi realizado:

3 3 I - Revitalização do Acervo e do layoute do ambiente: Muitas ações trataram de melhorar o ambiente e o acervo da Biblioteca: mutirões melhoraram a disposição dos móveis, a iluminação, o arejamento, o acesso às obras. Aquisições, campanhas de doação e repasse de livros renovaram o acervo. Conceitualmente chegou-se ao consenso que o ambiente da biblioteca precisa ser flexível e constantemente, conforme a necessidade do evento promovido, muda-se sua arrumação. II Criação de uma programação sociocultural: para melhorar o fluxo de visitação à Biblioteca e fazer com que ela cumprisse sua função de promotora de leitora. Chegou-se também a um consenso que era preciso agregar valores socioculturais e que o trabalho de uma biblioteca não pode ficar restrito ao seu interior. A agenda hoje contém: sessões de contações de histórias ( Histórias Viajantes, Piquenique Literário ) campanhas de distribuição de livros ( Tarde do Livronauta, Perdidos e achados ) encontros com autores e lançamentos de livros festivais de poesia ( Um Jardim de Poesia, já na 5ª edição) saraus ( Quintas Poéticas ) oficinas de literatura e arte ( Literarte, Histórias Saborosas, etc) festas literárias (FLITS já na 2ª edição) palestras, exposições, exibição de filmes e fotos ( Lampejos do Século XX, etc) III Promoção da inclusão e da acessibilidade: um dos objetivos era melhorar o acesso tanto físico quanto conceitual ao livro e à leitura. Às vezes o impedimento é físico (uma deficiência, a falta de horário, a distância...). Outras vezes, o problema é mais simbólico e delicado (anafalbetismo, condição social, problemas psicológicos e psiquiátricos...) Mas, se existem várias formas de ler (e quem lê é a mente, através de diferentes veículos), por que não promover a leitura também a quem acha que não sabe/pode ler? Abaixo, as ações realizadas com os objetivos de inclusão e acessibilidade: a) Histórias Viajantes recebe o CAPs : esta atividade está completou dois anos, com encontros quinzenais. A contadora de histórias recebe um grupo de pessoas atendidas pelo CAPs (Centro de Atendimento Psicossocial). O grupo é adulto e heterogêneo e o ponto de encontro é a oportunidade de trocar experiências. O diálogo é provocado sempre a partir de histórias lidas ou contadas. b) Construção de rampa: na entrada do prédio onde está inserida a Biblioteca foi construída uma rampa de acesso, em c) Parceria com Fundação Dorina Nowill: a Fundação fornece, periodicamente, livros em braile, audiolivros e livros para baixa visão. O material é emprestado a portadores de deficiência visual, pessoas idosas, agentes de leitura, outras instituições.

4 4 d) Parceria com Instituto Benjamim Constant: além de orientações, o Instituto e a Biblioteca promoveram Cursos de Braille. Uma máquina para datilografar em braile também foi fruto dessa parceria e também fica à disposição para uso e empréstimo. e) 'Biblioteca vai até você': uma funcionária faz visitas nas tardes de quarta-feira, pelas ruas do centro da cidade emprestando livros da biblioteca no comércio e nos escritórios. Também atende as pessoas que estejam com dificuldades de locomoção (acamadas, por exemplo) em suas casas. Os leitores são cadastrados e consultados sobre algum título que gostariam de ler. Caso a biblioteca possua o livro, na semana seguinte a funcionária o leva até a pessoa. f) Parceria com a APAE: a Biblioteca atende aos alunos da APAE semanalmente, emprestando livros e contando histórias. IV Plano de comunicação e divulgação: outra necessidade era a de melhorar a comunicação com o público. Aos poucos a equipe implantou o uso de murais, notícias no jornal, entrevistas na rádio local, mala-direta por s, posts em blogs e redes sociais. O papel de cada parceria: a) APAE: facilita a visitação de seus alunos semanalmente e a Biblioteca disponibiliza atenção especial. Juntos organizam eventos. b) CAPs: facilita a visitação de seus atendidos quinzenalmente e a Biblioteca oferece sessões de leitura e contação de histórias. c) Imprensa local: o Jornal Mais BJ publica matérias da Biblioteca e fornece exemplares gratuitos do jornal. A Rádio Alternativa divulga e faz entrevistas. Diversas páginas (blogs, redes sociais) ajudam na divulgação. d) Comércio local: patrocina com brindes, material para oficinas. Recebe da Biblioteca a visita com empréstimos de livros. e) Autores: doam seus livros, dão entrevistas. Recebem espaço para divulgar seu trabalho. f) Conselho de Cultura: participa como colaborador, conselheiro e frequentador dos eventos. g) Secretarias Municipais: frequentemente trocam apoio as Secretarias de Educação, a de Cultura, a de Saúde e a de Promoção Social. h) Fundação Dorina Nowill: doação de livros em braile, audiolivros e livros para baixa visão. i) Instituto Benjamin Constant: cursos e orientação, doação da máquina de escrever e outros matérias para escrita em Braille. j) Superintendência Estadual da Leitura e do Conhecimento e Sistema Estadual de Bibliotecas (RJ): treinamentos e orientações k) Ponto de Cultura Arte na Serra e Oficinas de Teatro: participação em eventos, estimulam a leitura do acervo de textos teatrais da Biblioteca. Os alunos dessas oficinas tornam-se sócios frequentadores da Biblioteca.

5 5 Avaliação: São usadas as estatísticas feitas pelas funcionárias da biblioteca, os registros, a opinião dos frequentadores, as observações diretas dos eventos. O diagnóstico gera reflexões antes e depois das realizações. O material de registro (livros de assinatura, fotos e filmagens) é utilizado tanto para a avaliação quanto para a divulgação. Algumas mudanças foram mensuráveis como, por exemplo: - o fluxo de visitação: os registros mostram que quando acontecem atividades nas férias o fluxo de visitação anual amenta em cerca de 15%). (de 3 mil para visitações) - 10% do acervo foi revitalizado (cerca de 2 mil obras) - as ações das Histórias Viajantes atenderam a mais de 2 mil estudantes nos distritos; - a Biblioteca já distribuiu, como forma de doação ou premiação, mais de 2 mil itens (livros e revistas) - O acervo de fotos hoje conta com mais de 5000 fotos e foram produzidos cerca de 50 DVDs através do projeto Mídia Digital. - A Biblioteca já serviu como local para mais de 30 edições de eventos ( Quintas Poéticas, Dia Internacional da Animação, Encontro com o Autor, Lampejos do Séc. XX, etc) - Mais de 11 mil itens foram cadastrados no Programa Biblioteca Fácil Outras possuem uma avaliação qualitativa: - o ambiente da Biblioteca tornou-se mais claro, arejado e atrativo; - portadores de necessidades especiais passaram a ser atendidos com recursos e atenção especial; - a biblioteca passou a ter acervo em braile, audiolivros e materiais de acessibilidade; - os frequentadores oriundos do CAPs passaram a ter um novo grupo de apoio e troca de experiências nos encontros na Biblioteca. Para muitos, que não conseguem ou não sabem ler, a figura do contador e leitor de histórias foi quem propiciou essa rotina de contato com a leitura; - pessoas que não tem tempo ou condições para frequentar a Biblioteca passaram a receber a visita da Biblioteca em seu trabalho ou casa;

6 6 - mais pessoas passaram a conhecer a Biblioteca e o trabalho realizado graças à divulgação; - os funcionários, após treinamentos e orientações, melhoraram sua formação e o atendimento ao público; - foi criado um espaço especial, colorido e atrativo, para o acervo infantil e o atendimento às crianças menores; - as atividades de pró-memória ajudaram a conservar devidamente jornais, fotos, livros e documentos antigos; - os autores locais ganharam espaço para mostrar seu trabalho; - os Festivais de Poesia mobilizaram (e também premiaram) tanto autores locais quanto de outros estados do Brasil; - alunos das oficinas de teatro do município passaram a pegar emprestado literatura específica com frequência; - outras salas de leitura e bibliotecas escolares (no município e também fora dele) trocaram experiências, receberam orientação e se inspiraram no trabalho para também criar seus próprios projetos; - as oficinas geraram troca de saberes e incentivaram muitas pessoas a começarem a ler - a Biblioteca passou a ser um espaço dinâmico, democrático e flexível, espaço para atividades de poesia, teatro, música e artes plásticas. As dificuldades não foram poucas, mas a avaliação dos pontos fracos também ajudou a reordenar algumas ações. Ao longo deste período não só a equipe tem a percepção dos resultados, mas também muitos frequentadores (que inclusive nos forneceram depoimentos para fins de comprovação), quanto profissionais da imprensa e de diversas instiuições do município. O plano agora continua com a munutenção e ampliação do que foi realizado e uma nova fase, onde estamos discutindo o planejamento estratégico definindo a missão e a visão da BPM João XXIII para os próximos anos.

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Introdução A Seção de Leitura da IFLA tem o prazer de apresentar algumas sugestões práticas para as bibliotecas

Leia mais

Nome do Projeto: Compartilhando Livros por mais Cultura e Cidadania na Escola e na Comunidade

Nome do Projeto: Compartilhando Livros por mais Cultura e Cidadania na Escola e na Comunidade A escola é o lugar privilegiado da aprendizagem, planejado para educar pessoas mais participativas, solidárias, produtivas e felizes. GUIOMAR NAMO DE MELLO Diretora da EBRAP Escola Brasileira de Professores

Leia mais

Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania

Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania Instituto Nordeste Cidadania - INEC Projeto 1. Nome do Projeto: Leitura e cidadania 2. Apresentação: Em 1999, com o apoio do Banco do Nordeste, é lançado o Projeto: Leitura e Cidadania, que tem como principal

Leia mais

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema JUSTIFICATIVA

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema JUSTIFICATIVA JUSTIFICATIVA O projeto denominado LEITURA EM PROGRESSO é uma proposta do Ponto de Cultura NEC e Biblioteca Comunitária Orlando Miranda, localizados no Centro Cultural Fundição Progresso, Lapa - local

Leia mais

ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO

ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO ESCOLA LEITORA: UM CAMINHO A SER CONSTRUÍDO 1.JUSTIFICATIVA O Projeto Escola Leitora: um caminho a ser construído, elaborado e desenvolvido coletivamente desde 2013 em todas as modalidades de ensino que

Leia mais

Acerola Assessoria de Comunicação: Uma Vivência em Assessoria na Universidade 1

Acerola Assessoria de Comunicação: Uma Vivência em Assessoria na Universidade 1 Acerola Assessoria de Comunicação: Uma Vivência em Assessoria na Universidade 1 Ana Vitória Silva Matos 2 Joana D arc Pereira 3 Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE RESUMO O artigo apresenta o trabalho

Leia mais

PROJETO SARAU SABERES E SABORES

PROJETO SARAU SABERES E SABORES PROJETO SARAU SABERES E SABORES JUSTIFICATIVA Em Parintins, o acesso ao livro e a leitura é bastante limitado. Este Município tem apenas uma Biblioteca Pública e uma livraria (LUPA), há as bibliotecas

Leia mais

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura

Fomento a Projetos Culturais na Área do Livro e da Leitura Programa 0168 LIVRO ABERTO Objetivo Estimular o hábito da leitura, facilitando o acesso às bibliotecas públicas e propiciar a difusão do conhecimento científico, acadêmico e literário. Indicador(es) Taxa

Leia mais

Índice. 1 Resumo FORIND NE 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 Expositores 5 Visitantes 6 Marketing 7 Comunicação 8 Fotos 9 Próxima Edição

Índice. 1 Resumo FORIND NE 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 Expositores 5 Visitantes 6 Marketing 7 Comunicação 8 Fotos 9 Próxima Edição Índice 1 Resumo FORIND NE 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 Expositores 5 Visitantes 6 Marketing 7 Comunicação 8 Fotos 9 Próxima Edição A FEIRA Resumo 2013 A 5ª edição da FORIND NE bateu recordes de visitação

Leia mais

Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças!

Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças! Projeto educacional para empresas turbinarem a leitura na vida de muitas crianças! Incentivo à leitura com o objetivo de formar cidadãos capazes de mudar o mundo. O que é o projeto Oferecemos uma solução

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE PARATY INSTITUTO C&A DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL ASSOCIAÇÃO CASA AZUL EDITAL CONCURSO ESCOLA DE LEITORES PARATY - RJ 2009/2010 OBJETO: Seleção de projetos para o Concurso

Leia mais

Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos. Título do projeto em outra capa

Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos. Título do projeto em outra capa Logo do Alto Tietê, subcomitê e do 5 Elementos Título do projeto em outra capa Bacia Hidrográfica do Alto Tietê com destaque para a Sub-bacia Pinheiros-Pirapora Fortalecimento do Subcomitê Pinheiros-Pirapora

Leia mais

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural SENAR-AR/CE

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural SENAR-AR/CE Serviço Nacional de Aprendizagem Rural PROGRAMA AGRINHO: TEMA SAÚDE Qual a importância da discussão da saúde para nossa comunidade? A população da nossa comunidade tem problemas de saúde? Quais? Essa população

Leia mais

Ministério da Cultura e a Ong. Sol do Vale. Apresentam:

Ministério da Cultura e a Ong. Sol do Vale. Apresentam: Ministério da Cultura e a Ong. Sol do Vale Apresentam: Divino Encontro História Cultura Tradição Divino Encontro História, Cultura e Tradição A Sol do Vale O Divino Encontro Órgãos e entidades parceiras

Leia mais

Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi

Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi 50 Relato de experiência Projeto Leitura Viva na Vila Rubi Realizado pela Biblioteca do Centro Educacional Unificado CEU Vila Rubi Anselina Oliveira Soares Coordenadora da Biblioteca - Biblioteca CEU Vila

Leia mais

iii encontro nacional

iii encontro nacional educação - leitura - educomunicação - cultura - meio ambiente - saúde APRESENTAÇÃO O Encontro Nacional está em sua 3ª edição e tem como foco a troca de experiências e culturas entre os municípios atendicos

Leia mais

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS

REFLEXÕES PEDAGÓGICAS REFLEXÕES PEDAGÓGICAS A forma como trabalhamos, colaboramos e nos comunicamos está evoluindo à medida que as fronteiras entre os povos se tornam mais diluídas e a globalização aumenta. Essa tendência está

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DO COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIANCÓ- PIRANHAS-AÇU

PLANO DE COMUNICAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DO COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIANCÓ- PIRANHAS-AÇU PLANO DE COMUNICAÇÃO E MOBILIZAÇÃO DO COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIANCÓ- PIRANHAS-AÇU CAICÓ - RN COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO PIANCÓ-PIRANHAS-AÇU PLANO DE COMUNICAÇÃO E MOBILIZAÇÃO SOCIAL

Leia mais

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL

PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL PROGRAMA RADIOFÔNICO INFANTIL A FORMAÇÃO DO LEITOR E O PROTAGONISMO INFANTO-JUVENIL ATRAVÉS DO RÁDIO Área de implantação: Rádio comunidade Friburgo 104,9FM Responsável: Fernanda de Azevedo milanez Telefone:

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK

PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK PLANO DE COMUNICAÇÃO PLANO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA A VIRTUALLINK - Equipe de Comunicação Multimídia e Relações Públicas: Márcio Lobato Nayanne Pacheco 1. - OBJETIVO: A presente proposta objetiva estruturar

Leia mais

INDEX. Mapas Culturais

INDEX. Mapas Culturais Mapas Culturais INDEX Mapas Culturais Cadastrar agentes 13 Cadastrar espaços 28 Cadastrar projetos 38 Cadastrar eventos 48 Gestores e hierarquias 60 _Sobre Mapas Culturais A prefeitura de São Paulo e o

Leia mais

SISEB Informa Ano I Número 5 agosto 2014 7º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias

SISEB Informa Ano I Número 5 agosto 2014 7º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias Ano I Número 5 agosto 2014 7º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias página 5 5 Viagem Literária 2014 7 Biblioteca Dica de leitura: Cadernos de Prática do SisEB e Práticas da de

Leia mais

Ampliar os serviços prestados pelas bibliotecas públicas à comunidade. Integrar a biblioteca pública com sua comunidade.

Ampliar os serviços prestados pelas bibliotecas públicas à comunidade. Integrar a biblioteca pública com sua comunidade. CHAMAMENTO PARA AS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS PARA PARTICIPAREM DO PROJETO AGENDA CIDADÃ NAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO SISEB A Secretaria de Estado da Cultura torna público

Leia mais

Plano de Patrocínio. PROJETO: V Feira do Livro de Curitiba PRONAC: 09 1565

Plano de Patrocínio. PROJETO: V Feira do Livro de Curitiba PRONAC: 09 1565 Plano de Patrocínio PROJETO: PRONAC: 09 1565 o projeto Curitiba é a sétima cidade mais populosa do Brasil e a maior do sul do país, com uma população, aproximada, de 1.828.092 habitantes. É a principal

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

FORMULÁRIO PARA RECADASTRAMENTO DAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS

FORMULÁRIO PARA RECADASTRAMENTO DAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA SUPERINTENDÊNCIA DE BIBLIOTECAS PÚBLICAS E SUPLEMENTO LITERÁRIO FORMULÁRIO PARA RECADASTRAMENTO DAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS MUNICIPAIS DO

Leia mais

Caderno Virtual de Turismo E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil

Caderno Virtual de Turismo E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil E-ISSN: 1677-6976 caderno@ivt-rj.net Universidade Federal do Rio de Janeiro Brasil Siems Forte, Ana Maria A C, vol. 3, núm. 3, 2003, pp. 7-13 Universidade Federal do Rio de Janeiro Río de Janeiro, Brasil

Leia mais

PROJETO TÉCNICO. Associação ou federação comunitária Ponto de cultura

PROJETO TÉCNICO. Associação ou federação comunitária Ponto de cultura ANEXO IV CINE MAIS CULTURA BAHIA PROJETO TÉCNICO I. Identificação da Iniciativa 1. Nome da Proponente: 2. Esta ação é inscrita por: [Indique somente 1 (uma) alternativa] Organização da Sociedade Civil

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO

RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO RELATÓRIO FINAL DE AVALIAÇÃO DOS PROJETOS DE EXTENSÃO 1. Identificação e caracterização Título do Projeto Nome do Prof(s) Coordenador(es) do Projeto Centro Laboratório Período Início Término Término previsto

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2009 Transição de marca O Centro de Ação Voluntária de Curitiba completou 10 anos em março de 2008 e depois de ver consolidada uma etapa de vida da organização, iniciou um processo

Leia mais

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro 1 www.oxisdaquestao.com.br Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro Texto de CARLOS CHAPARRO A complexidade dos confrontos da atualidade, em especial nos cenários políticos, justificaria

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

BIBLIOTECA PARQUE VILLA-LOBOS

BIBLIOTECA PARQUE VILLA-LOBOS BIBLIOTECA PARQUE VILLA-LOBOS POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE COLEÇÕES É o conjunto de atividades que determina a conveniência de se adquirir, manter ou descartar materiais bibliográficos e

Leia mais

BRINQUEDOTECA DA FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ITUVERAVA (FFCL/FE)

BRINQUEDOTECA DA FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ITUVERAVA (FFCL/FE) BRINQUEDOTECA DA FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ITUVERAVA (FFCL/FE) REGULAMENTO DA BRINQUEDOTECA A Brinquedoteca é um espaço criado para ampliar as práticas de ensinar

Leia mais

1ª Feira de Troca de Livros - Colégio São Francisco Xavier

1ª Feira de Troca de Livros - Colégio São Francisco Xavier Powered by TCPDF (www.tcpdf.org) 1ª Feira de Troca de Livros - Colégio São Francisco Xavier Paulo Vitor Oliveira (CSFX - FSFX) - paulo.vitoroliveira@yahoo.com.br Resumo: A Biblioteca José Amilar da Silveira,

Leia mais

Relatório Abril 2016

Relatório Abril 2016 Relatório Abril 2016 Dados Gerais Data 30 e 31 de Março de 2016. Local Hotel Boulevard Plaza - Av. Getúlio Vargas, 1640 - Funcionários - Belo Horizonte - MG. Público Alvo Analistas das Superintendências

Leia mais

Uma alternativa para chegar mais perto dos clientes

Uma alternativa para chegar mais perto dos clientes PREMIO NACIONAL DE QUALIDADE EM SANEAMENTO PNQS 2012 Relatório de Descrição de Prática de Gestão Uma alternativa para chegar mais perto dos clientes Categoria: Inovação da Gestão em Saneamento IGS Setembro

Leia mais

Joseane Marques 1 Marcelli Alves 2. Faculdade Estácio de Sá - Campo Grande/MS RESUMO

Joseane Marques 1 Marcelli Alves 2. Faculdade Estácio de Sá - Campo Grande/MS RESUMO Joseane Marques 1 Marcelli Alves 2 Faculdade Estácio de Sá - Campo Grande/MS RESUMO A agência de Noticias da Faculdade Estácio de Sá já ganhou o primeiro lugar na expocom realizada no Rio de Janeiro, alem

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA SUMÁRIO 1 - INTRODUÇÃO... 3 2 - DO REGULAMENTO E SUA APLICAÇÃO... 3 3 - DAS INSCRIÇÕES... 3 4 - DO ACERVO... 3 5 - DO PRAZO DE EMPRÉSTIMO E QUANTIDADES DE VOLUMES... 4 6 - DA

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material elaborado por Taís Vieira e Marley Rodrigues Faccat Faculdades Integradas de Taquara Curso de Comunicação Social Publicidade e Propaganda Disciplina: Planejamento e Assessoria em Comunicação Profª Me. Taís Vieira ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO **Material

Leia mais

O guia completo para uma presença. online IMBATÍVEL!

O guia completo para uma presença. online IMBATÍVEL! O guia completo para uma presença online IMBATÍVEL! Sumário Introdução 3 Capítulo 1 - Produção de Conteúdo: Por que e Como produzir 5 Capítulo 2 - Distribuição e Divulgação 8 Capítulo 3 - Monitoramento

Leia mais

BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS?

BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS? BLOG: GÊNERO TEXTUAL OU SUPORTE PARA GÊNEROS? Daiane Eloísa dos Santos (G-CLCA-UENP/CJ) Geovana Lourenço de Carvalho (G-CLCA-UENP/CJ) Vera Maria Ramos Pinto (Orientadora-CLCA-UENP/CJ) Resumo: Com base

Leia mais

PROJETO DE ARBORIZAÇÃO

PROJETO DE ARBORIZAÇÃO PROJETO DE ARBORIZAÇÃO Pequenas ações. Grandes resultados. Iniciativa do Horto Municipal e Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Iguaba Grande Introdução e Justificativas Arborizar uma cidade não significa

Leia mais

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS

Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS Associação Beneficente Salvare ANEXO I FORMULÁRIO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS DADOS DA ORGANIZAÇÃO PROPONENTE Razão Social CNPJ Endereço Completo Inscrição Telefone Email Representante Legal

Leia mais

Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental

Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental 1 Análise de uma Experiência de Utilização de Recursos de Tecnologias da Informação e da Comunicação em Educação Ambiental Rio de Janeiro- RJ- Maio/2012 Educação Universitária Métodos de Pesquisa em EAD

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org documento inicial Portal do Fórum Social Mundial introdução Entendemos que um site como do Fórum

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO RONDÔNIA E ACRE

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO RONDÔNIA E ACRE PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO RONDÔNIA E ACRE GLOSSÁRIO DE METAS DO PLANO DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Versão: 1.0 Atualização: outubro/2013 Porto Velho

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 Nota Técnica nº /2009/SID/MinC Em, de abril de 2009 Ao Sr. Chefe de Gabinete CG/SE/MinC

Leia mais

Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE

Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE Na abertura de mais um COLE: compromissos e emoções - TEXTO DE ABERTURA 17º COLE O COLE nasceu criado. Parece contraditório dizer a expressão nascer criado, mas a idéia é de que o COLE, ao nascer, não

Leia mais

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS)

REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS) C Â M A R A D O S D E P U T A D O S COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA REQUERIMENTO Nº, DE 2008 (Do Sr. JOÃO MATOS) Senhor Presidente, Solicita que seja apreciada a implantação do Blog da Comissão de Educação

Leia mais

Índice. 1 Resumo FORIND Nordeste 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 - Conferências 5 Expositores 6 Visitantes 7 Marketing 8 Fotos 9 Próxima Edição

Índice. 1 Resumo FORIND Nordeste 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 - Conferências 5 Expositores 6 Visitantes 7 Marketing 8 Fotos 9 Próxima Edição Índice 1 Resumo FORIND Nordeste 2 A Feira 3 Eventos Simultâneos 4 - Conferências 5 Expositores 6 Visitantes 7 Marketing 8 Fotos 9 Próxima Edição A FEIRA Resumo 2014 A 6ª edição da FORIND NE bateu recordes

Leia mais

Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde

Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde Acessibilidade para Biblioteca do Ministério da Saúde Sociedade da Informação A exemplo das políticas adotadas pelas Nações Unidas, especialmente pela convenção das pessoas com deficiência, da qual o Brasil

Leia mais

O consumidor. e o direito. do autor. O que você pode e o que não pode reproduzir

O consumidor. e o direito. do autor. O que você pode e o que não pode reproduzir O consumidor e o direito do autor O que você pode e o que não pode reproduzir a lei de direitos autorais permite diversos tipos de cópias. Mas as restrições são muito exageradas. Direito autoral não quer

Leia mais

Fundada em 2010, a Tks! Eventos conta com a experiência de profissionais que estão há anos no mercado.

Fundada em 2010, a Tks! Eventos conta com a experiência de profissionais que estão há anos no mercado. Apresentação 2015 Quem somos Fundada em 2010, a Tks! Eventos conta com a experiência de profissionais que estão há anos no mercado. A empresa oferece desde a concepção planejamento, tema e identidade visual,

Leia mais

1. Responsabilidade. 2. Quem pode participar

1. Responsabilidade. 2. Quem pode participar Desafio O Desafio Mudanças Climáticas 2009, doravante denominado simplesmente Desafio, tem caráter exclusivamente educativo. De acordo com o disposto no artigo 3º, inciso II, da Lei nº. 5.768/71 e no art.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA CENTRO DE ARTES, HUMANIDADES E LETRAS CAHL CURSO DE LICENCIATURA EM HISTÓRIA ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - ATIVIDADE DE OBSERVAÇÃO ELABORAÇÃO DE DIAGNÓSTICO SOBRE

Leia mais

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD?

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? Índice SUA EMPRESA DE TREINAMENTOS ESTÁ PARADA NO TEMPO? Introdução 2 Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4 Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? 6 A gestão de cursos

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: projeto experimental; relações públicas, planejamento, terceiro setor, cultura. 1. INTRODUÇÃO

PALAVRAS CHAVE: projeto experimental; relações públicas, planejamento, terceiro setor, cultura. 1. INTRODUÇÃO Projeto Experimental em Relações Públicas: Associação Pró-Cultura - Casa das Artes Regina Simonis 1 Bruna Luisa Henn² Grazielle Betina Brandt³ Universidade de Santa Cruz do Sul RESUMO: O presente trabalho

Leia mais

INTREGRAPE PROJETO APE

INTREGRAPE PROJETO APE INTREGRAPE PROJETO APE Ações Preventivas na Escola Atua no fortalecimento e desenvolvimento do Eixo-Saúde no Programa Escola da Família, sistematizando ações de organização social, que qualifique multiplicadores

Leia mais

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Prezado participante, Como já explicado, iniciamos agora a etapa de diagnóstico do processo de desenvolvimento do Plano Municipal de

Leia mais

VIVALEITURA 2014 Rodas de leitura, uma forma de brincar

VIVALEITURA 2014 Rodas de leitura, uma forma de brincar VIVALEITURA 2014 Rodas de leitura, uma forma de brincar Dados Gerais 1. Nome da Organização Grupo Pirilampo 2. Razão Social Grupo Pirilampo 3. CNPJ 08.237.163/0001-02 3. CNPJ da Organização 4. Informação

Leia mais

6º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias. Projeto: Incentivo à Leitura e Literatura

6º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias. Projeto: Incentivo à Leitura e Literatura 6º Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias Projeto: Incentivo à Leitura e Literatura Realizado por meio de convênio entre a Prefeitura Municipal de Ourinhos e a Associação de Amigos

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA - INESC - CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC -

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA - INESC - CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR CENECISTA - INESC - CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC - PDI Rua Celina Lisboa Frederico, 142 Centro Unaí MG Tel (038) 3677.4747 inesc@inesc.br ANÁLISE DO RELATÓRIO

Leia mais

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS

CULTURA POPULAR E IDENTIDADE REGIONAL: A CONTRIBUIÇÃO DO SITE JORNALÍSTICO CULTURA PLURAL NOS CAMPOS GERAIS 110. ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) (X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CULTURA POPULAR E IDENTIDADE

Leia mais

RELATÓRIO de ATIVIDADES

RELATÓRIO de ATIVIDADES RELATÓRIO de ATIVIDADES 2005 SUMÁRIO Declaração da Equipe Missão Visão 1. Objetivo do relatório 2. Modelo Operacional em 2005 Captação de recursos Atividades Geradoras de Recursos Financeiros (Fund Raising)

Leia mais

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Anexo II ORIENTAÇÕES, CRITÉRIOS ESPECÍFICOS E DOCUMENTAÇÃO COMPLEMENTAR I Orientações Gerais (Qualquer área) a) Projeto com duração superior a seis meses deverá apresentar, pelo menos, 25% (vinte e cinco

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA Secretaria Municipal de Planejamento EXERCÍCIO: 20 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO ABRIL / MAIO / JUNHO

RELATÓRIO TÉCNICO ABRIL / MAIO / JUNHO RELATÓRIO TÉCNICO BANCO DO LIVRO SA - CURVELO / MG ABRIL / MAIO / JUNHO 2005 INTRODUÇÃO O Banco do Livro tem sua marca registrada pela dialogia. Nossos usuários gostam que seus nomes sejam lembrados nas

Leia mais

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL

REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL REGULAMENTO DAS BIBLIOTECAS: CENTRAL E INFANTIL DA NATUREZA Art. 1º - A Biblioteca do Colégio Catarinense, apresentando características inovadoras, alicerçada no conhecimento e na qualidade na prestação

Leia mais

Rio, uma cidade de leitores: Política Pública de leitura e de formação de leitores da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro.

Rio, uma cidade de leitores: Política Pública de leitura e de formação de leitores da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Rio, uma cidade de leitores: Política Pública de leitura e de formação de leitores da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Profª Simone Monteiro Secretaria Municipal de Educação 1.471 Unidades

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA

PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA PLANO ESTADUAL DE CULTURA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PLANO SETORIAL DO LIVRO E LEITURA Introdução O Plano Setorial da Superintendência da Leitura e do Conhecimento do Estado do Rio de Janeiro é fruto

Leia mais

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1

CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 CentralSul de Notícias: A Rotina Produtiva de uma Agência Experimental Online 1 COSTA 2 Daiane dos Santos; FONSECA 3 Aurea Evelise dos Santos; ZUCOLO 4 Rosana Cabral 1 Trabalho submetido ao SEPE 2011 Simpósio

Leia mais

RELATOS DE EXPERIÊNCIA DE INCLUSÃO ESCOLAR DE ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE PARACATU MG

RELATOS DE EXPERIÊNCIA DE INCLUSÃO ESCOLAR DE ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE PARACATU MG RELATOS DE EXPERIÊNCIA DE INCLUSÃO ESCOLAR DE ALUNOS DAS ESCOLAS PÚBLICAS DE PARACATU MG RELATO DE ETAPAS E PERCURSOS DA APAE DE PARACATU PARA INCLUSÃO DOS ALUNOS NAS ESCOLAS COMUM DO MUNICÍPIO Com o objetivo

Leia mais

O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista

O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista O Departamento de Comunicação na Igreja Adventista 26 Pontes de Esperança De Silver Springs a Puerto Williams A Igreja Adventista do Sétimo Dia é reconhecida mundialmente por sua organização. A descentralização

Leia mais

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1

Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Segunda Chamada: Jornalismo Digital e Educação 1 Marília DALENOGARE 2 Aline MARTINS 3 Camila Pilla de Azevedo e SOUZA 4 Dieison MARCONI 5 Josafá Lucas ROHDE 6 Luciano MIRANDA 7 Universidade Federal de

Leia mais

Planejar Para o Sucesso

Planejar Para o Sucesso Planejar Para o Sucesso Treinamento Especialistas de Estacas e Professores do PPS 27 MAR 2014 Iniciaremos o treinamento às 20 horas pontualmente (horário de Brasília). Por favor, aguarde alguns minutos.

Leia mais

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2

PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 PROJETO TV CEDRO ROSA: A GRANDE SÃO PAULO VISTA PELOS OLHARES DOS PEQUENOS 1 Marcelo Augusto Pereira dos Santos 2 Resumo Este artigo aborda o projeto TV Cedro Rosa, desenvolvido na Escola Municipal de

Leia mais

Glicélio Ramos Silva Coordenador do Setor Braille Gildete Veloso Diretora de Extensão e Ação Regionalizada

Glicélio Ramos Silva Coordenador do Setor Braille Gildete Veloso Diretora de Extensão e Ação Regionalizada Glicélio Ramos Silva Coordenador do Setor Braille Gildete Veloso Diretora de Extensão e Ação Regionalizada Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa Belo Horizonte Minas Gerais braille.sub@cultura.mg.gov.br

Leia mais

MENU DE MÍDIAS PROCESSOS SELETIVOS

MENU DE MÍDIAS PROCESSOS SELETIVOS MENU DE MÍDIAS PROCESSOS SELETIVOS Este documento tem o objetivo de apresentar algumas possibilidades de divulgação dos processos seletivos para ingresso de alunos no Instituto Federal do Espírito Santo.

Leia mais

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Andréa Pereira de Souza Gestora da Formação Permanente na Secretaria Municipal de Educação do município de Mogi das Cruzes. Cintia

Leia mais

ANEXO II PLANO DE TRABALHO

ANEXO II PLANO DE TRABALHO ANEXO II PLANO DE TRABALHO Objetivo: Inaugurado em 14 de março de 1877, o Centro Cultural José Bonifácio foi o primeiro colégio público da América Latina. Construído por ordem de D. Pedro II para a educação

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL

PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL PROPOSTA DE PARCERIA DE AÇÃO EDITORIAL ABRAPCH: notícia e presença no Interior 781 JORNAIS do Interior do Brasil 3,5 MILHÕES de exemplares/ semana 22 MILHÕES de leitores/ semana 1ª Etapa 1ª Etapa 1ª Etapa

Leia mais

MEMOSTRA! Quatro anos de um espaço de exibição alternativo e permanente de filmes paranaenses

MEMOSTRA! Quatro anos de um espaço de exibição alternativo e permanente de filmes paranaenses MEMOSTRA! Quatro anos de um espaço de exibição alternativo e permanente de filmes paranaenses Fabiana Maria Moro van Abbema 1 Fae Centro Universitário / Universidade Tuiuti do Paraná ISSN-2175-6554 Referência:

Leia mais

Exercício de cidadania

Exercício de cidadania 1 2 Exercício de cidadania Na década de 1980, tivemos no Brasil as primeiras experiências de Conselhos Comunitários de Segurança, sendo o Paraná precursor na constituição de CONSEGs e Mobilização Social.

Leia mais

Parceiros das atividades abaixo relacionadas:

Parceiros das atividades abaixo relacionadas: Iniciativas que contribuem para potencializar a comunicação e dar visibilidade à Estação Ecológica de Fechos (EEF), reforçando a campanha Fechos, eu cuido! pela preservação dessa área de máxima proteção

Leia mais

SisEB Informa. Festival da Mantiqueira. SisEB Itinerante Próximo encontro regional será em São Carlos.

SisEB Informa. Festival da Mantiqueira. SisEB Itinerante Próximo encontro regional será em São Carlos. Ano II Número 4 Abril 2015 Festival da Mantiqueira SisEB realiza oficina de mediação de leitura para profissionais de biblioteca. 6 7 SisEB Itinerante Próximo encontro regional será em São Carlos. 8 Programa

Leia mais

PRÊMIO COMUNICADOR PARCEIRO DA EDUCAÇÃO REGULAMENTO

PRÊMIO COMUNICADOR PARCEIRO DA EDUCAÇÃO REGULAMENTO PRÊMIO COMUNICADOR PARCEIRO DA EDUCAÇÃO REGULAMENTO O PRÊMIO COMUNICADOR PARCEIRO DA EDUCAÇÃO é uma iniciativa do Instituto Votorantim, por meio do projeto Parceria Votorantim pela Educação, que tem o

Leia mais

Maiêutica - Serviço Social

Maiêutica - Serviço Social A CIDADANIA NO PROCESSO DE EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES INTEGRADOS NO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL PETI: ABORDANDO A COOPERAÇÃO, RESPEITO, DIÁLOGO E SOLIDARIEDADE NA CONVIVÊNCIA

Leia mais

Perguntas e Respostas Mais Cultura nas Escolas

Perguntas e Respostas Mais Cultura nas Escolas Perguntas e Respostas Mais Cultura nas Escolas O que é "Mais Cultura nas Escolas"? O PROGRAMA MAIS CULTURA NAS ESCOLAS consiste em iniciativa interministerial firmada entre os Ministérios da Cultura (MINC)

Leia mais

EDUCAÇÃO. Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade ESCOLA PARA TODOS

EDUCAÇÃO. Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade ESCOLA PARA TODOS EDUCAÇÃO ESCOLA PARA TODOS Educação inclusiva, nova forma de ensino para pessoas especiais Oacesso à escola e à qualidade da educação são os eixos norteadores da política educacional do governo estadual,

Leia mais

II Concurso EDUCAR PARA LIBERTAR A Educação na Prevenção e Combate ao trabalho escravo no Estado do Piauí

II Concurso EDUCAR PARA LIBERTAR A Educação na Prevenção e Combate ao trabalho escravo no Estado do Piauí II Concurso EDUCAR PARA LIBERTAR A Educação na Prevenção e Combate ao trabalho escravo no Estado do Piauí O Fórum Estadual de Erradicação e Prevenção ao Trabalho Escravo realiza em 2015 o Primeiro Concurso

Leia mais

FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS CNPJ 11.848.735/0001-96 EDITAL DE ESTÁGIO

FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS CNPJ 11.848.735/0001-96 EDITAL DE ESTÁGIO EDITAL DE ESTÁGIO A FUNDAÇÃO PADRE JOSÉ KOOPMANS no uso de suas atribuições legais torna público e estabelece as normas do processo seletivo para o preenchimento de vaga para estagiário, nos termos a seguir

Leia mais

Rede de Soluções Criativas(Exitosas?) em Gestão Pública das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES)

Rede de Soluções Criativas(Exitosas?) em Gestão Pública das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SUB-SECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Rede de Soluções Criativas(Exitosas?) em Gestão Pública das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES)

Leia mais

Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes

Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes Resumo Executivo Mídia e promoção da leitura literária para crianças e adolescentes Doze pontos-chave acerca da cobertura de imprensa brasileira sobre leitura literária. Os desafios da imprensa na formação

Leia mais

Locais a serem visitados

Locais a serem visitados Apresentação Este projeto trata da elaboração de um livro, bilíngüe, que utilizará a fotografia como forma de expressão artística e que terá como tema central o Litoral do Ceará. A publicação, composta

Leia mais

Aplicação web para. Telecentros no Brasil»

Aplicação web para. Telecentros no Brasil» Aplicação web para A primeira unidade do projeto Casa Brasil em Manaus foi inaugurada no último dia 20/09 com a sala de leitura, auditório e sete salas equipadas com 20 computadores, que funcionarão como

Leia mais

XI FESTIVAL DE TEATRO NA ESCOLA Ano 2012 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO

XI FESTIVAL DE TEATRO NA ESCOLA Ano 2012 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO XI FESTIVAL DE TEATRO NA ESCOLA Ano 2012 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 1. SOBRE A INSTITUIÇÃO REALIZADORA A Fundação Athos Bulcão foi criada em 1992 e atua na promoção, documentação, pesquisa e difusão da obra

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais