FACULDADE NOVOS HORIZONTES Mestrado Acadêmico em Administração

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE NOVOS HORIZONTES Mestrado Acadêmico em Administração"

Transcrição

1 1 FACULDADE NOVOS HORIZONTES Mstrad Acadêmic m Administraçã MODELO PARA ANÁLISE DE RESULTADOS DE PROMOÇÕES COM COMPRAS COLETIVAS Fabríci Lana Pssa Bl Hriznt 2012

2 2 Fabríci Lana Pssa MODELO PARA ANÁLISE DE RESULTADOS DE PROMOÇÕES COM COMPRAS COLETIVAS Dissrtaçã aprsntada a curs d Mstrad Acadêmic m Administraçã da Faculdad Nvs Hriznts, cm rquisit parcial para a btnçã d títul d mstr m Administraçã. Orintadr: Prf. Dr. Wndl Alx Castr Silva Linha d Psquisa: Tcnlgias d Gstã Cmptitividad Ára d Cncntraçã: Organizaçã Estratégia Bl Hriznt 2012

3 3 P475m Pssa, Fabríci Lana Mdl para anális d rsultads d prmçõs cm cmpras cltivas. / Fabríci Lana Pssa. Bl Hriznt: FNH, f. Orintadr: Prf. Dr. Wndl Alx Castr Silva Dissrtaçã (mstrad) Faculdad Nvs Hriznts, Prgrama d Pós-graduaçã m Administraçã. 1. Cmérci ltrônic. 2. Cmprtamnt d cnsumidr. I. Silva, Wndl Alx Castr. II. Faculdad Nvs Hriznts, Prgrama d Pós-graduaçã m Administraçã. III. Títul CDD: Ficha labrada pla Biblitcária da Faculdad Nvs Hriznts

4 4

5 5

6 Ddic st trabalh a minha filha Mlissa, fnt d nva inspiraçã m minha vida. 6

7 7 AGRADECIMENTO Em primir lugar, a Dus, agradç pr prmitir qu tdas as cisas acntçam m minha vida, u nã; pr m fazr acrditar qu é pssívl, qu sms a msm tmp limitads, mas dtads d surprndnt capacidad d ir smpr um puc mais além. As mus pais, pla frmaçã ducaçã qu m prprcinaram, sm as quais, muit ants dst trabalh, nã cmprndria mund cm cidadã. A minha spsa, pl api incntiv nas hras difícis. À prfssra Dra. Kly Paiva, pr instigar m tds sus aluns vírus da psquisa sugrir tma. À prfssra Dra. Alixina Andaléci, pr acmpanhar rintar as discussõs iniciais sbr st trabalh. A prfssr Dr. Wndl Silva, pl acmpanhamnt rintaçã. As mus amigs, Alissn Brun, pl incntiv na psquisa plas discussõs sbr tma. As mus chfs, André Alncar Frdric Jabbur, pl api na difícil tarfa d cnciliar studs, trabalh família. A Bia, Wânia dmais funcináris da Faculdad Nvs Hriznts, smpr dispnívis para rintar auxiliar m nsss mmnts d ansidad cm s prcdimnts acadêmics.

8 8 É muit mlhr lançar-s m busca d cnquistas grandisas, msm xpnd-s a fracass, d qu alinhar-s cm s pbrs d spírit, qu nm gzam muit nm sfrm muit, prqu vivm numa pnumbra cinznta, nd nã cnhcm nm vitória nm drrta. Thdr Rsvlt

9 9 RESUMO Ns últims ans, s sits d cmpra cltiva aprsntaram grand crscimnt. Tal qual a própria intrnt, ss mdl d ngóci dsnvlvu-s ppularizu-s ntr cnsumidrs mprsas n Brasil. Tdavia, apsar d su crscimnt, as bass rsultads dss mcanism padcm ainda d uma rvisã cncitual, já qu as análiss sbr str trazm infrmaçõs cntraditórias pucas psquisas fram fitas a ss rspit. Est trabalh tv cm prpósit invstigar as variávis s rsultads d mcanism d cmpra cltiva, a partir da rvisã ds cnstruts framwrk dsnvlvid pr Dhlakia (2011a). Ess stud avaliu a manira pla qual valr ds cupns, dscnts, tmp da frta, rtrn d clints, gasts cmplmntars a cupm, rptiçã da cmpra stã rlacinads cm a lucratividad d uma prmçã ralizada pr mi d mcanism d cmpras cltivas. Para tal, ralizu-s um stud quantitativ, dscritiv xplicativ. A clta d dads crru através d qustinári struturad, aplicad a grnts dns ds stablcimnts qu ralizaram prmçõs cm cmpras cltivas n príd d Janir a Julh d 2012 ns sits Grupn, Pix Urban Clickn. Para tratamnt ds dads, fi ralizada anális dscritiva cnfirmatória, cm tsts d rgrssã múltipla linar. Os rsultads btids cnfirmam a ficiência d mcanism para atrair clints, qu ralizam gasts cmplmntars rtrnam as stablcimnts após as prmçõs. Além diss, mstram rlaçõs significativas ntr a lucratividad d mcanism d cmpras cltivas, a prática s prpósits das mprsas na ralizaçã d uma prmçã, a aquisiçã d nvs clints a ralizaçã d gasts cmplmntars. PALAVRAS-CHAVE: Cmpra cltiva, cupm, Grupn, prç, prmçã,

10 10 ABSTRACT In rcnt yars, grup buying sits shwd cnsidrabl grwth. Lik th Intrnt itslf, this businss mdl dvlpd and gt ppular amng cnsumrs and businsss in Brazil. Hwvr, dspit its grwth, th cncpts and rsults f this mchanism still nd a cncptual rviw, sinc sctr analysis shw cntradictry infrmatin and s much littl rsarchs was cnductd in this rgard. This study had a purps f invstigat th variabls and th rsults f th mchanism f cllctiv buying, starting frm a rviw f th cnstructs and framwrk dvlpd by Dhlakia (2011a). This study valuatd th way th cupns, discunts, ffr rdmptin duratin, custmrs rturn rats, spnding bynd cupn, rpat purchas, ar rlatd t th prfitability f a grup buying prmtin. Fr this purps, a quantitativ, dscriptiv and xplanatry rsarch was prfrmd. Th data was cllctd thrugh structurd qustinnair applid t wnrs and managrs f stablishmnts which dals with cllctiv purchass btwn January and July 2012, using Grupn, Pix Urban and ClickOn sits. Fr data prcssing wr prfrmd dscriptiv analysis and cnfirmatry tsts using linar and lgistic rgrssin. Th rsults cnfirm th cmmn sns f pprtunity assciatd with th mchanism t attract custmrs wh spnding bynd cupn valu and rpat purchas aftr th prmtins. Als shw significant rlatins btwn th prfitability, th purps f businsss in prmtin, nw custmrs and additinal spnding. KEY WORDS: grup buyinhg, cupn, Grupn, pric, prmtin

11 11 LISTA DE SIGLAS E ABREVIATURAS Anpad Caps Clickn -cmmrc EDI EUA Grupn NASDAQ Pix Urban Scil SPSS WEB WWW Assciaçã Nacinal d Psquisa Pós Graduaçã m Administraçã. A Crdnaçã d Aprfiçamnt d Pssal d Nívl Suprir. Fundaçã d Ministéri da Educaçã rspnsávl pr avaliar curss d pós-graduaçã strict snsu, divulgar a prduçã cintífica, prmvr a cpraçã cintífica intrnacinal. Sit d cmpra cltiva. Cmérci Eltrônic. Eltrnic Data Intrchang. Sistma ltrônic d trca d infrmaçõs, prcursr ds mdls d cmérci ltrônic atuais. Estads Unids da América Sit d cmpra cltiva. Natinal Assciatin f Scuritis Dalrs Autmatd Qutatins. Em Prtuguês, Assciaçã Nacinal Crrtra d Valrs Ctaçõs Autmatizadas. Blsa d Valrs Nrt Amricana nd sã ngciadas açõs d mprsas d tcnlgia. Sit d cmpra cltiva. Scintific Elctrnic Library Onlin. Clçã d rvistas artigs cintífics. Pssui uma grand varidad d tmas, cm artigs cmplts dispnívis para dwnlad. Statistical Packag fr th Scial Scinc. Sftwar utilizad para tratamnt statístic d dads. Palavra da língua inglsa qu significa tia. Utilizada n cntxt da intrnt, na sigla WWW, para dsignar a frma cm la s cnstitui intrliga tds s pnts qu nla stivrm cnctads. Cmunmnt utilizada para s rfrir a própria intrnt. Wrd Wid Wb Cnjunt d dcumnts cntúds dispnívis na rd intrnt, aprsntads principalmnt d frma gráfica u pr mi d hiprtxts. Cmunmnt utilizada para s rfrir a própria intrnt.

12 12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Objtivs Objtiv Gral Objtivs Espcífics Justificativas REFERENCIAL TEÓRICO Cmérci Eltrônic Cmpra Cltiva Origns d mcanism d Cmpras Cltivas Classificaçõs d Mdl d Cmpras Cltivas Princípi d Funcinamnt das Cmpras Cltivas Mdl para Avaliaçã d Rsultads m sits d Cmpra Cltiva METODOLOGIA Tip d psquisa quant a abrdagm Tip d psquisa quant as fins Tip d psquisa quant as mis Unidad d anális Técnicas d Clta d Dads Ppulaçã Amstra da Psquisa Técnicas d Anális d Dads HIPÓTESES DE ESTUDO Dtrminants da Lucratividad d Mdl d Cmpras Cltivas Efits das Variávis da Prmçã m Outras Variávis Dtrminants d Númr d Cupns Vndids d nã rsgatads Satisfaçã ds Emprgads Qualidad n Atndimnt Intnçõs d Rptir Rcmndar Mcanism...50

13 13 5 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DE RESULTADOS Caractrizaçã das Emprsas Prmçõs Avaliaçã ds Entrvistads sbr s Mcanisms d Cmpra Cltiva Anális xplratória multivariada Avaliaçã das hipótss da Psquisa Hipóts Hipóts Hipóts Hipóts Hipóts Hipóts Hipóts Mdl d Lucratividad para Cmpras Cltivas CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE...104

14 12 1 INTRODUÇÃO Tamanha a sua xpansã ppularizaçã, parc sr rdundant falar d pdr d crscimnt da intrnt ns últims ans. Tdavia, a sua história aprsnta númrs fats qu a trnaram prvavlmnt mair sistma d ngnharia já criad pla humanidad (KUROSE; ROSS, 2010, p.1). A intrnt surgiu ns Estads Unids n final da década d 60, a partir d um prjt militar difundiu-s para váris cntrs d psquisa nrt-amricans, transfrmand-s m uma rd acadêmica ns EUA (FONSECA; SAMPAIO, 2012). Cm passar d tmp, la s xpandiu, cnctu-s a utras univrsidads até qu, m 1990, cm a criaçã da Wrld Wid Wb (WWW), abriu dfinitivamnt as suas prtas para td mund. Dsd ntã, númr d cmputadrs cnctads crscu rapidamnt a mdsta rd das univrsidads amricanas s transfrmu m um fnômn mundial cm alcanc glbal, qu, cnfrm dads d institut d psquisa NIELSEN (2012), atingiu 2,4 bilhõs d usuáris m junh d N Brasil, a intrnt fi utilizada inicialmnt para cmpartilhamnt d infrmaçõs cintíficas (CARVALHO, 2006). Mas, a partir ds ans 90, a rd s ppularizu, atraiu intrss da ppulaçã m gral d divrss strs da scidad. Os sus prpósits dixaram, ntã, d sr stritamnt acadêmics passaram a abrangr tda a scidad, cntmpland bjtivs cmrciais, gvrnamntais utrs (FONSECA; SAMPAIO, 2012). Gradativamnt, a rd atingiu um númr cada vz mair d brasilirs, d md tal qu, m 1997, 1,15 milhõs d pssas já stavam cnctadas à intrnt, n final trcir trimstr d 2012, 94,2 milhõs d pssas acssavam a intrnt n Brasil (IBOPE, 2013). Td st crscimnt fi acmpanhad pl surgimnt d difrnts aplicaçõs srviçs, mudand a manira cm as pssas trabalham, s rlacinam fazm ngócis (CATALANI t al., 2006, p.18). O dsnvlvimnt da wb du nvs significads a lazr, ntrtnimnt cmérci ltrônic. Um númr cada vz mair d pssas passu a utilizar a rd para ralizar cmpras milhõs d rais

15 13 fram grads a partir das páginas da intrnt, d tal md qu, a final d primir smstr d 2012, já xistiam mais d 37 milhõs d usuáris d cmérci ltrônic n Brasil (WEBSHOPPERS, 2012). Esss númrs mstram qu cmprar pla intrnt vm s trnand um hábit. N Brasil, s ngócis n-lin mvimntaram, n primir smstr d 2012, R$ 10 bilhõs, crscimnt d 21% m rlaçã a 2011 (WEBSHOPPERS, 2012), tndência qu dv s rptir m Sgund dads d Intrnt Invstmnt Guid, d J.P.Mrgan, crscimnt d str dv cntinuar, sbrtud, impulsinad pla crscnt class média m td mund pla mair dispnibilidad da banda larga (UDA, 2012). Dntr as suas divrsas mdalidads, um ds sgmnts d cmérci ltrônic qu mais crscu fi d Cupns Cmpras Cltivas. Originads ns Estads Unids, ngóci chgu a Brasil s ppularizu ntr s cnsumidrs. Sgund dads da CmScr 1, país pssui atualmnt a mair quantidad d acsss a sits d cmpras cltivas na América Latina (BRASIL...,2012). Em númrs absluts, m dzmbr d 2010, crca d 13,2 milhõs d pssas visitaram a mns uma vz um sit d cmpra cltiva, um crscimnt d mais d 680% m rlaçã a junh d msm an (IBOPE, 2011). Em 2012, smnt ns sis primirs mss, mais d 12 milhõs d cupns fram vndids nsss sits (INFOSAVEME, 2012). Pr ssa razã, milhõs d dólars têm sid invstids m sits d cmpra cltiva (BALDWIN; BARR, 2011). Emprsáris d td mund têm mprndid n ram para abrir sus própris sits u ralizar ngócis pr mi dss mcanism. A magnitud dss nv ngóci é tal qu a abrtura d capital d Grupn 2 na NASDAQ m 2011 fi a trcira mair já ralizada ns EUA, dsd qu msm prcss fi fit cm a Ggl Facbk (BALDWIN; BARR, 2011). Dads d BIA/Klsy 3, institut d psquisa nrt amrican, apntam para uma xpctativa 1 Institut d Psquisa Nrt Amrican, spcializad m análiss sbr a intrnt cmérci ltrônic 2 O Grupn é um ds mairs sits d cmpra cltiva, ncntrand-s m praçã m difrnts paíss d mund. 3

16 14 d crscimnt anual d 36,7%, lvand faturamnt dsss sits ns EUA para 4,17 bilhõs m 2015 (BIA/KELSEY, 2013). N Brasil, str mvimntu R$731,7 milhõs só ns sis primirs mss d 2012 (WEBSHOPPERS, 2012). Tdavia, apsar ds númrs aprsntads, as análiss sbr str trazm infrmaçõs cntraditórias. Sgund Th Wall Strt Jurnal, citad pla rvista TI INSIDE 4, mrcad d cmpras cltivas cmça a dar sinais d insgurança crca d um trç ds sits d dscnts ns Estads Unids [...] já fram fchads u adquirids nst an (MERCADO...,2012). O própri Grupn, após captar R$700 milhõs na sua abrtura d capital m 2011, tv quda d até 50% m suas açõs m 2012 (AGUILHAR, 2012). O qu s pd inclusiv bsrvar é qu muitas mprsas nã btivram s rsultads sprads cm us d sistma (DHOLAKIA, 2011b). Estuds ralizads pr sits spcializads n mrcad sugrm qu str vai ainda s mdificar ncntrar um nv pnt d quilíbri. Sgund psquisa d prtal Blsa d Ofrtas (2012) 5, ds 1890 sits d cmpra cltiva xistnts n Brasil n mês d junh d 2011, 39% ncntravam-s dsativads, m funçã d, dntr utrs prblmas, dificuldads para cnstruir uma ba bas d usuáris, captar frtas qu mantivssm su intrss n sit transfrmar ftivamnt as iniciativas das prmçõs m rsultads lucrs para s anunciants d mdl. Cm s pd bsrvar, na dirçã psta m cntradiçã à vlcidad cm qu nvs sits têm surgid, muitas iniciativas nã têm btid sucss sprad. Há atualmnt cntradiçõs incrtzas sbr futur as prspctivas dss nv mcanism. Ess fat s dv às próprias cntradiçõs ds númrs aprsntads pl mrcad à carência d studs cintífics a rspit. Pr uma razã u utra, puc s sab sbr as suas bass, métricas u variávis para avaliar s sus rsultads. Dss pnt, aprsnta-s a qustã fundamntal qu s qur invstigar nst trabalh: quais as variávis dtrminants para a lucratividad 6 d mdl d Val rssaltar qu, nst trabalh, s trms lucr/lucratividad nã stã stritamnt rlacinads às suas dfiniçõs financiras u cntábis. Iss, prqu s rfrm, na vrdad, à prcpçã ds

17 15 cmpras cltivas d qu md las s rlacinam cm sucss u fracass dss mcanism? Para rspndr a sta qustã, Dhlakia (2011a) dsnvlvu um framwrk qu aprsnta rlaçõs ntr valr ds cupns, dscnts, tmp da frta, rtrn d clints, gasts cmplmntars a cupm, rptiçã da cmpra lucratividad, qu srvirã cm bas inicial para s studs dst trabalh, cnfrm aprsntad n capítul Objtivs Objtiv Gral Invstigar as variávis s rsultads d mcanism d cmpra cltiva a partir da rvisã ds cnstruts framwrk dsnvlvid pr Dhlakia (2011a) Objtivs Espcífics Partind da aplicaçã dss framwrk cm gstrs d mprsas qu utilizaram mcanism d cmpras cltivas, fram traçads s sguints bjtivs spcífics: Lvantar a prcpçã ds mprsáris sbr s rsultads d mcanism d cmpras cltivas para idntificar variávis d sistma, stablcr pssívis rlaçõs ntr su us rsultads nas vndas. Idntificar bnfícis u prblmas ncntrads plas mprsas usuárias d mcanism d cmpras cltivas, quand da ralizaçã d prmçõs cm as cmpras cltivas. Invstigar s, d qu manira, valr ds cupns, s dscnts, tmp da frta, rtrn d clints, s gasts cmplmntars a cupm a mprsáris, cm um td, sbr s rsultads u bnfícis btids cm us das cmpras cltivas, indpndntmnt da sua vrificaçã financira u cntábil.

18 16 rptiçã da cmpra stã rlacinads cm a lucratividad d uma prmçã ralizada pr mi d mcanism d cmpras cltivas. 1.2 Justificativa Apsar ds númrs sbr su crscimnt, s fundamnts s rsultads d mcanism d cmpras cltivas padcm d uma rvisã cncitual, já qu as análiss sbr str trazm infrmaçõs cntraditórias pucas psquisas fram fitas a ss rspit, sbrtud, n Brasil. Ns EUA, lcal d rigm d mcanism d cmpras cltivas, alguns studs pdm sr ncntrads. Dhlakia (2011a) dsnvlvu um mdl para avaliar qu trna ftivamnt lucrativa uma prmçã ralizada m um sit d cmpra cltiva. Dhlakia (2011c) avaliu s lucrs d uma mprsa ants, durant após a prmçã, m utr stud, avaliu s rtrns financirs d sistma, cmprtamnt ds cnsumidrs bm cm as suas rlaçõs cm sucss n us d mcanism (DHOLAKIA, 2011b). Também ns EUA, studs crrlats a tma fram fits para avaliar rsultad d açõs prmcinais d markting, tais quais as ralizadas pr mi ds sits d cmpras cltivas. Taylr (1965) stablcu cnstructs cm métricas rquisits para ssa avaliaçã. Alba t al. (1999), Blattbrg Nlsin (1990), Sctt (1976) Lwis (2006) dsnvlvram trabalhs qu mstram imprtants rlaçõs ntr prçs, dscnts rsultads d prmçõs. Chandn (2000) avaliu, na prcpçã ds clints, s bnfícis dcrrnts d uma prmçã d qu manira ls stã rlacinads cm s rsultads da açã prmcinal. Stwart (2009) stablcu rlaçõs ntr açõs d Markting sus rsultads financirs. Edlman, Jaff, Kminrs (2011) avaliaram s impacts ds dscnts agrssivs d sistma sbr s ngócis das mprsas. N Brasil, pucs studs acadêmics fram fits a ss rspit. Uma busca ns prtais da Caps, da Anpad d Scil, ralizada m julh d 2012, cm as palavras chav cmpra cltiva, rtrnu apnas 1 artig rlacinad a tma. Há,

19 17 prtant, cncmitant às cntradiçõs sbr s sus rsultads a mvimntaçã d milhõs d rais n str, lacunas na litratura cintífica prtunidads d stud sbr as bass d mdl d cmpras cltivas. A dspit da ufria trazida pls númrs a mrcad, é imprtant invstigar avaliar quais pssívis variávis stã rlacinadas a mdl d qu manira ssas variávis pdriam cntribuir para su sucss u fracass. Faz-s, prtant, prtuna a ralizaçã d psquisa sbr tma, na mdida m qu pd trazr infrmaçõs sbr s dsdbramnts d us dsss sits, variávis dircinadras d lucrs u prjuízs, suas prspctivas rais rsultads. A btnçã dssas infrmaçõs pd cntribuir cm nvs cnhcimnts para a litratura crrlata xistnt, bm cm, m uma ra d grand cmptitividad crscimnt d str, aprsntar cntribuiçõs para mrcad, ncntrand tndências, prtunidads riscs qu lvm a uma nva visã sbr as bass futur dss tip d ngóci Est trabalh fi dsnvlvid struturad a partir d 6 capítuls principais. A intrduçã traz, além da aprsntaçã d tma, s bjtivs justificativas para trabalh. O rfrncial tóric abrda s cncits d cmérci ltrônic cmpra cltiva aprsnta mdl qu srá utilizad cm rfrência para stud. Na squência, sã aprsntadas as pçõs mtdlógicas, as hipótss as técnicas utilizadas na psquisa, bm cm as justificativas para us sclha da abrdagm quantitativa. Pr últim, trabalh traz a aprsntaçã anális ds dads cltads na psquisa as cnsidraçõs finais.

20 18 2 REFERENCIAL TEÓRICO Sb uma platafrma d cmérci ltrônic, mcanism d cmpras cltivas s dsnvlvu, grand milhõs d dólars ngócis m td mund. Os difrnts mcanisms d cmérci ltrônic, cmpras cltivas mdls sã dscrits a sguir. 2.1 Cmérci Eltrônic Cm dsnvlvimnt da intrnt, milhõs d pssas pudram s cnctar m td mund nvas aplicaçõs d cmérci ltrônic surgiram para atndr ss nv cntingnt, utilizand difrnts cnfiguraçõs frmats. Para Albrtin (2007, p.15), cmérci ltrônic é a ralizaçã d tda a cadia d valr ds prcsss d ngóci num ambint ltrônic, pr mi da aplicaçã [...] das tcnlgias d cmunicaçã infrmaçã. O cmérci ltrônic rfr-s a prcss d cmpra, vnda trca d prduts, srviçs u infrmaçõs pr difrnts rds d cmputadrs u Intrnt (TURBAN; KING, 2005). Tdavia, ants msm d surgimnt da intrnt u d cnsumidr imaginar a pssibilidad d adquirir prduts n-lin, mprsas d difrnts áras tamanhs ralizavam ngócis ntr si utilizand EDI (Eltrnic Data Intrchang) utras tcnlgias (CATALANI, 2006). Pr mi dss sistma cm auxíli d uma pradra d tlcmunicaçõs, qu frncia as linhas para cnctar as mprsas, as rganizaçõs trcavam ntr si listas d prç, rdns bancárias, pdids d cmpra, ntas, aviss d mbarqu tc., muit ants qu s pudss imaginar a intrnt u -cmmrc, tal qual l é cnhcid utilizad hj (SOUZA, 1999). Sgund Chi t al. (1997), cmérci ltrônic pd s difrnciar d tradicinal, d acrd cm grau d digitalizaçã d prdut, d prcss ds agnts. Sgund autr, sss lmnts pdm sr físics u digitais, dand rigm às dimnsõs aprsntadas na FIG 1.

21 19 Figura 1 - Frmas d cmérci ltrônic Fnt: Chi t al. (1997, p. 18). Sgund ssa classificaçã, mrcad d cmérci ltrônic pd sr cmprndid a partir d três cmpnnts: agnts, prduts prcsss. Os agnts cmprndm cmpradrs, vnddrs intrmdiáris nvlvids nas transaçõs. Prduts rfrm-s as bns u srviçs qu sã trcads ntr sss agnts. Os prcsss crrspndm as difrnts tips d intraçõs transaçõs ralizadas ntr s agnts, incluind, pr xmpl, prduçã, pagamnt ntrga ds prduts. Cm aprsntad na FIG. 1, sss três cmpnnts aprsntam dimnsõs físicas u digitais, qu difrnciam cmérci tradicinal d cmérci ltrônic. N cmérci tradicinal, ára dstacada n cant infrir à squrda da figura, sss três cmpnnts sã físics. É qu crr, pr xmpl, na cmpra d um ltrdméstic ralizada m uma lja d dpartamnts d um shpping cntr da cidad. N cant suprir à dirita da figura, stá dstacada a ssência d cmérci ltrônic, na qual, prduts, agnts prcsss sã digitais, cm, pr xmpl, na cmpra d um sftwar u música pla intrnt. Nss cas, prdut

22 20 (música), agnt (lja wb) prcsss (pagamnt) sã virtuais, dand rigm a qu Turban King (2004) chamam d cmérci ltrônic pur. Nas dmais áras m branc da figura stã rprsntadas utras mdalidads cnfiguraçõs d cmérci ltrônic qu cmbinam, d difrnts frmas, prcsss, prduts agnts, físics u digitais. É qu crr, pr xmpl, n mcanism d cmpras cltivas u na cmpra d uma máquina ftgráfica via wb, na qual prcsss agnts sã digitais prdut u srviç sã físics. Outrs autrs utilizam-s d difrnt classificaçã para dscrvr cmérci ltrônic. Albrtin (2007), Catalani (2006) O Cnnl (2002) avaliam-n d acrd cm s agnts u participants nvlvids nas transaçõs. Nss sntid, pd-s bsrvar a ralizaçã d ngócis ltrônics ntr Gvrn, Emprsas Cnsumidrs m difrnts cnfiguraçõs tal qual aprsntad na FIG. 2. Figura 2 - Mdls d Cmérci Eltrônic Fnt: Albrtin (2007, p.215) adaptad pl autr.

23 21 Turban King (2004) utilizam-s d classificaçã smlhant d acrd cm a naturza ds participants m uma transaçã: a) G2G Gvrn t Gvrn. Rprsnta as rlaçõs ntr mmbrs d gvrn, cm, pr xmpl, prcsss ntr prfituras, autarquias difrnts mmbrs da administraçã pública. b) G2B Gvrn t Businsss B2G - Businsss t Gvrn. Crrspnd às rlaçõs d gvrn cm mprsas dstas cm própri Gvrn, cm, pr xmpl, crr nas cmpras ltrônicas pr mi d prgã ltrônic u na dclaraçã d impst d rnda das pssas jurídicas. c) G2C Gvrn t Citizn (Cnsumidr) C2G- Citizn t Gvrn. Nst cas, tm-s rlacinamnt virtual ntr gvrn cidadãs para adquirir prduts u prstar srviçs. d) B2B Businsss t Businsss. Crrspnd à mdalidad d cmérci ltrônic ralizad dirtamnt ntr as próprias mprsas. ) B2C Businsss t Clint C2B Clint t Businsss. Cmprnd s ngócis ntr mprsas cnsumidrs finais. f) C2C Clint t Clint. Rprsnta s ngócis ralizads dirtamnt ntr s própris cidadãs u cnsumidrs pr mi ltrônic. g) B2B2C Crrspnd as ngócis ralizads ntr mprsas clints intrmdiads pr utras mprsas. Cada uma dssas rlaçõs, nvlvnd s difrnts atrs citads, pd ainda crrr d difrnts maniras, d acrd cm md pl qual las s rganizam. Nss sntid, Albrtin (2007) dscrv quatr difrnts pssibilidads, ilustradas n Quadr 1.

24 22 Quadr 1 Mds d rganizaçã d cmérci ltrônic TIPO Mrcad Abrt DESCRIÇÃO/EXEMPLO Qualqur ds participants, mprsas, clints u gvrn, pdm s cnctar d frma dirta, sm a ncssidad d intrmdiadrs. Els s bnficiam da livr cncrrência, da liminaçã d intrmdiáris, qu tnd a lvar à diminuiçã d prçs custs nvlvids ns ngócis. Agrgaçã Uma ntidad intrmdia rlacinamnt ntr s váris participants agrga valr para as parts nvlvidas. Prdutrs, frncdrs clints passam a cntar cm um mrcad mair mais cnfiávl. Em cntrapartida, agrgadr rcb um prcntual d tdas as transaçõs ralizadas. Cadia d Valr Aliança Aprsnta a situaçã na qual uma ntidad intgradra crdna váris parcirs, s quais intragm ntr si, para a prduçã u frncimnt d um srviç para mrcad pr mi d intgradr. Est grncia a cadia d valr ncssária para a criaçã d um prdut u srviç. Os participants dsnvlvm um spaç, cnhcid cm marktplac, n qual clints frncdrs ralizam sus ngócis d frma livr dirta. O su bjtiv é prmitir a criaçã d um ambint, sm intrmdiaçã u cntrls spcífics, m qu s nvlvids pdm ralizar s sus ngócis livrmnt. Pd nvlvr váris participants a msm tmp. Fnt: Ticll, Lwy Kalakta, (1998) 7 citads pr Albrtin (2007), dsnvlvida pl autr A partir d utra prspctiva, Turban King (2004) trazm xmpls d utras variaçõs mdls d rganizaçã d cmérci ltrônic: Markting dirt, n-lin. Crrspnd a mdl d vndas dirtas ntr fabricant cnsumidr, sm intrmdiáris, n mrcad abrt. Em algumas situaçõs, pdm crrr cm a custmizaçã d prduts srviçs n-lin. É um xmpl típic d B2C d B2B. Sistma d prpsta d cncrrência Eltrônica. Um cmpradr publica su intrss na cmpra d dtrminad prdut s frncdrs aprsntam suas prpstas m lilã rvrs, até qu s atinja mnr prç. Esta mdalidad é bastant cmum nas rlaçõs G2B n B2B. 7 TICOLL, D.; LOWY, A. KALAKOTA, R. Jind at th bit: th mrgncy f th -businss cmmunity. In: TAPSCOTT, D.; LOWY, A., TICOLL,D. Bluprint t th digital cnmy: crating walth in th ra f - businss. Nw Yrk: McGraw-Hill, 1998.

25 23 Sistmas Esclha prç. Cmpradrs stablcm quant dsjam pagar pr dtrminad prdut um intrmdiári raliza cntat ntr clints frncdrs, qu passam a ngciar prç. Mcanisms d Busca u cmparaçã d prçs. Nst mdl, clint spcifica prdut qu dsja adquirir sit rlacina as frtas d difrnts frncdrs para prdut psquisad. Markting Afiliad. Uma rganizaçã faz anúncis u apnta para sit d utra mprsa, a qual rmunra su parcir pla indicaçã u cncrtizaçã d uma vnda. Markting Viral. Basia-s na transmissã d mnsagns d frma viral, ntr cada um ds intrnautas, tal qual spalhamnt d um vírus. Esta mdalidad ganhu spcial frça cm surgimnt das cmunidads rds sciais na intrnt. Lilõs n-lin. Os cmpradrs fazm frtas para váris prduts u srviçs qu sã adquirids pl mair lanc. Funcinam nrmalmnt pr mi d um intrmdiári qu clta s lancs stablc a rlaçã ds ptnciais cmpradrs cm vnddr. Também tm crscid rcntmnt s chamads lilõs d cntav u "pnny auctin". Nst mdl, prdut é vndid pl últim lanc frcid. Cada usuári faz sua frta d um m um cntav até qu tmp xibid m um crnômtr na tla s sgt. Cada vz qu um nv lanc é dad, a cntagm s rinicia. O lilã trmina, quand tmp s sgtar cmpradr é aqul qu fz a última frta (AUGENBLICK, 2009). Mrcads trcas ltrônicas. Prtal d livr ngciaçã ntr cmpradrs vnddrs, spcialmnt útil quand agrupam sgmnts spcífics d mrcad. Sã também cnhcids cm marktplacs, snd su xmpl mais antig as ngciaçõs ltrônicas da blsa d valrs, mrcadrias futurs. Dsnvlvdrs da cadia d suprimnts. Uma ntidad intrmdiária é utilizada para administrar grnciar a cadia d suprimnts a partir da sua intgraçã pr mi ltrônic.

26 24 Cmpras m grup. Ofrcm-s dscnts para as cmpras ralizadas m grup. Prmit a agrgaçã ltrônica d váris participants intrssads na cmpra d um msm prdut, tnd cm cnsquência imdiata mlhrs prçs m funçã d su vlum d ngócis. O ptncial dsta mdalidad fi rcntmnt rdscbrt para as rlaçõs ntr varj cnsumidrs. 2.2 Cmpra Cltiva Apsar d su rcnt crscimnt da natural assciaçã dst tip d ngóci cm cmérci ltrônic, cncit d cmpras cltivas nã é prpriamnt nv. Os próxims tópics aprsntarã suas rigns, classificaçõs princípis d funcinamnt Origns d mcanism d Cmpras Cltivas A primira idia d runir cmpradrs para cmpras m grup data d 1860 (DAMERON,1928 citad pr JIA WU, 2010, p. 28) 8. Dsd ntã, váris mcanisms smlhants s dsnvlvram, acmpanhand s difrnts mmnts cnômics d cnári mundial. Estuds d Jia Wu (2010) dscrvm mdls cm caractrísticas smlhants às cmpras cltivas qu, pssivlmnt, srviram d inspiraçã para dsnvlvimnt d sistma atual: Clubs d Cmpra, C-Ops, Clubs d Emprgads, Cupns. Sgund Damrn (1928), s grups u clubs d cmpra sã cnsidrads a frma mais antiga d cmpra cltiva. Els triam surgid pr vlta d an d 1860, quand dn d uma mprsa d café chá ns Estads Unids fz uma prpaganda para s clints, anunciand qu, runind-s m grups nviand pdids m grands quantidads para a mprsa, ls pdriam cmprar prduts 8 DAMERON, Knnth. Cprativ rtail buying f apparl gds. Harvard Businss Rviw. Bstn, v.6, n.4, p , july1928.

27 25 pr até um trç d su valr nrmal, snd qu, aquls qu iniciaram grup, ganhariam ainda uma quantidad adicinal d prdut. Os chamads c-ps, sã grups sm fins lucrativs rganizads pls própris cnsumidrs qu cmpartilham srviçs, m trca, cmpram alimnts pr prçs mais baixs. Essa iniciativa, muit smlhant às cprativas, tria surgid m mads d sécul XIX na Inglatrra dsnvlvu-s principalmnt ns Estads Unids, snd um xmpl atual dss sistma club SHARE 9 (COFLERILL, 1981). Ns clubs d mprgads, as mprsas rganizam uma lista d funcináris cm intrsss smlhants m adquirir dtrminads prduts fazm frtas cltivas para s frncdrs a fim d cnsguir prduts u srviçs pr prçs mais baixs (TAYLOR, 1937, citad pr JIA WU, 2010) 10. Os cupns sã, sm dúvida, a frma mais ppular d frcr dscnts ns Estads Unids. Est sistma, qu ganhu frça durant a grand cris da década d 1930, tria surgid m 1887, quand Asa Candlr, um ds parcirs da Cca Cla, utilizu mcanism para distribuir 8,5 milhõs d cps d rfrigrant gratuitamnt a partir da aprsntaçã d cupns distribuíds publicads m rvistas lcais. A stratégia d Candlr s ppularizu d md tal qu, m 1965, mtad da ppulaçã ds Estads Unids utilizava sistma. O dsnvlvimnt da intrnt acabu pr dar frça ainda mair a mcanism prmitiu qu s cupns stivssm dispnívis na wb para srm imprsss pls própris cnsumidrs. Atualmnt ls s trnaram part da vida das pssas ns Estads Unids sã rspnsávis pr aprximadamnt 3 bilhõs d dólars m ngócis (COUPON, 2012). Para muits, mdl d ngóci atual das cmpras cltivas é uma cmbinaçã ds mcanisms d cupm ds clubs d cmpra. Tal qual sã cnhcidas hj, as cmpras cltivas triam surgid ns Estads Unids m mads ds ans 1990 cm Mbshp.cm Mrcata.cm, s primirs TAYLOR, Hnry Dixn. Whlsal buying by cnsumrs. Jurnal f Markting, Chicag, v.2, n.2, p , ct

28 26 sits d gênr (KAUFFMAN; LAI; LIN, 2010). O Mrcata.cm fi criad m 1999 chgu a faturar 85 milhõs d dólars m su primir an d xistência. Mas nã s sab xatamnt pr qu, pssivlmnt, m funçã d stur da blha das mprsas ltrônicas n an 2000, nã vluiu. O autr rlata também utras iniciativas rcnts na Eurpa m váris paíss d mund, dstacand xmpl chinês cnhcid cm Tuangu. Est é um mdl cm cncits smlhants as tradicinais, mas n qual as iniciativas d cmpras cltivas sã rganizadas pls própris cnsumidrs, qu, através d chats, fóruns u rds sciais, rúnm pssas cm intrsss smlhants ralizam frtas cltivas d cmpra para s frncdrs Classificaçõs d Mdl d Cmpras Cltivas A partir ds cncits aprsntads quant a cmérci ltrônic, pd-s dizr qu s ngócis ralizads pr mi ds sits d cmpra cltiva s nquadram n mdl d agrgaçã. Iss, prqu sss sits atuam cm intrmdiáris ganham um prcntual d cada transaçã ralizada. Diz-s qu sã agrgadrs d ngócis ntr vnddrs cnsumidrs. Sgund Albrtin (2007), n mdl d agrgaçã, uma ntidad intrmdia adicina valr a rlacinamnt ntr váris participants, prprcinand-lhs bnfícis mútus, qu nã pdriam sr btids pr mi d rlacinamnt dirt. Est é inclusiv um ds mtivs d sucss d ngóci: frcr prduts cm dscnt, buscand uma quantidad mair d cmpradrs (FELIPINI, 2011b, p.6). Pr um lad, cmprand m grups m quantidads mairs, cnsumidrs pdm cnsguir prçs qu jamais sriam btids na cmpra tradicinal. Pr utr, vnddrs pdm praticar cndiçõs mais atrants, prqu alcançam, m um curt spaç d tmp, grand quantidad d clints ralizam vlums d ngócis sm quaisqur prcdnts n cmérci tradicinal (FELIPINI, 2011a). Pd-s dizr também qu ss mdl stá pautad nas rlaçõs d tip B2B (businss-t-businss) u mais spcificamnt n B2B2C (businss-t-businss-tcnsumr). N B2B2C, uma mprsa frc prduts u srviçs à utra

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas

Como se tornar fluente em Inglês em todas as áreas Cm s trnar flunt m Inglês m tdas as áras Tds s dias rcbms muits -mails pssas rm sabr pm fazr aprnr a falar ingls bm A fórmula xist sim funcina! Qur prvar iss dand minha própria xpriência cm aprndizad da

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico

PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015. Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Smstr/2015 Ensin Técnic Códig: 0262 ETEC ANHANGUERA Municípi: Santana d Parnaíba Cmpnnt Curricular: Gstã Emprsarial Módul: 1 Eix Tcnlógic: Sgurança C. H. Smanal: 2,5 Habilitaçã

Leia mais

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia

turismo corporate negócio noronha roma seul garopaba brasília são lu gramado brasília são paulo recife natal tóquio lisboa rio de janeiro capadócia brlim sã l brlim santg rcif curi sul punta dl st rma sul nrnha r rcif rcif garpabacapa nrnha mntvidéu r barilch punta dl st mació sã paul mació sul capadóc r mnt SUPER sã l ngóci gramad turism FÉRIAS crprat

Leia mais

Lista de Exercícios 4 Cálculo I

Lista de Exercícios 4 Cálculo I Lista d Ercícis 4 Cálcul I Ercíci 5 página : Dtrmin as assínttas vrticais hrizntais (s istirm) intrprt s rsultads ncntrads rlacinand-s cm cmprtamnt da funçã: + a) f ( ) = Ants d cmçar a calcular s its

Leia mais

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt

e-manual Premium FÍSICO-QUÍMICA 9.o ANO Experimente em espacoprofessor.pt FÍSICO-QUÍMICA 9. ANO Manual Tabla Priódica (frta a alun) Fichas (frta a alun) Apis Áudi (fichirs mp para dwnlad) Cadrn d Atividads (inclui Fichas d Labratóri) Cadrn d Labratóri Matriais Manipulávis Dssir

Leia mais

Numeração. Classificação. Doenças Assunto. Seguro Público para Assistência Médica Tema. "Kenko Hoken" Seguro de Saúde. 1 Exemplos de Situações

Numeração. Classificação. Doenças Assunto. Seguro Público para Assistência Médica Tema. Kenko Hoken Seguro de Saúde. 1 Exemplos de Situações Numraçã 8-4-2 Nívl d cnsulta 3 Classificaçã Dnças Assunt Sgur Públic para Assistência Médica Tma "Knk Hkn" Sgur d Saúd 1 Exmpls d Situaçõs Estu trabalhand m uma mprsa japnsa. Dsj sabr s há algum sgur para

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia

PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 2013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia C. Gouveia PROVA DE MATEMÁTICA APLICADA VESTIBULAR 013 - FGV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Profa. Maria Antônia C. Gouvia 1. A Editora Progrsso dcidiu promovr o lançamnto do livro Dscobrindo o Pantanal m uma Fira Intrnacional

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos:

INSTRUÇÕES. Os formadores deverão reunir pelo menos um dos seguintes requisitos: INSTRUÇÕES Estas instruçõs srvm d orintação para o trino das atividads planadas no projto Europu Uptak_ICT2lifcycl: digital litracy and inclusion to larnrs with disadvantagd background. Dvrão sr usadas

Leia mais

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG)

QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jeferson Teixeira (Grad /UEPG) Valeska Gracioso Carlos (UEPG) Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL QUE ESPANHOL É ESSE? Mariano Jfrson Tixira (Grad /UEPG) Valska Gracioso Carlos (UEPG) 1. Introdução Graças á rgulamntaçõs impostas por acordos

Leia mais

As Abordagens do Lean Seis Sigma

As Abordagens do Lean Seis Sigma As Abordagns do Lan Sis Julho/2010 Por: Márcio Abraham (mabraham@stcnt..br) Dirtor Prsidnt Doutor m Engnharia d Produção pla Escola Politécnica da Univrsidad d São Paulo, ond lcionou por 10 anos. Mastr

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 2º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício

OFICINA 9-2ºSementre / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Professores: Edu Vicente / Gabriela / Ulício OFICINA 9-2ºSmntr / MATEMÁTICA 3ª SÉRIE / QUESTÕES TIPENEM Profssors: Edu Vicnt / Gabrila / Ulício 1. (Enm 2012) As curvas d ofrta d dmanda d um produto rprsntam, rspctivamnt, as quantidads qu vnddors

Leia mais

Cleide Ane Barbosa da Cruz 1, Lângesson Lopes da Silva 2

Cleide Ane Barbosa da Cruz 1, Lângesson Lopes da Silva 2 MARKETING DIGITAL: MARKETING PARA O NOVO MILÊNIO Cli An Barbosa da Cruz 1, Lângsson Lops da Silva 2 O prsnt artigo busca analisar o markting digital, como um lmnto difusor da intração ntr clints organizaçõs,

Leia mais

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software

A Influência do Capital Intelectual sobre a Performance dos Projetos de Software Influência Intlctual sbr Prfrmanc s Prjt Sftwar MUNIÇÃ DS RESULTDS D drian r, ran B. T. Mrals, Dr. (rintar), Paul M. Slig, Dr. (crintar) PRGRM DE PÓS-GRDUÇÃ EM ENGENRI E GESTÃ D NEIMENT UNIVERSIDDE FEDERL

Leia mais

grandes empresas ajustados s às pequenas e médias empresas do Sector mobiliário nos concelhos de Paredes e Paços de Ferreira

grandes empresas ajustados s às pequenas e médias empresas do Sector mobiliário nos concelhos de Paredes e Paços de Ferreira MESTRADO EM CONTABILIDADE E FINANÇAS Os indicadrs d avaliaçã d dsmpnh utilizads plas grands mprsas ajustads s às pqunas médias mprsas d Sctr mbiliári ns cnclhs d Pards Paçs d Frrira CECÍLIA NATÁLIA ROCHA

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

Senado Federal maio/2008

Senado Federal maio/2008 Audiência Pública PL 213/2007 Difrnciação d Prços nas Vndas com Cartõs d Crédito José Antonio Marciano Brasília Snado Fdral maio/2008 1 Rgra d Não Sobr-pr prço - Dfinição Rgra contratual imposta plas socidads

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

Contrastes no desenvolvimento e África: um continente de contrastes

Contrastes no desenvolvimento e África: um continente de contrastes Ggrafia LIVR 8 valiaçã Capítuls 6 7 Cntrasts n dsnvlvimnt África: um cntinnt d cntrasts MP PR QUTÕ 1 1 distribuiçã d rnda n mund 18 15 12 9 6 3 3 6 9 12 15 18 Círcul Plar Ártic Trópic d Câncr TLÂNTIC PCÍFIC

Leia mais

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES

NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES NOTA SOBRE INDETERMINAÇÕES HÉLIO BERNARDO LOPES Rsumo. Em domínios divrsos da Matmática, como por igual nas suas aplicaçõs, surgm com alguma frquência indtrminaçõs, d tipos divrsos, no cálculo d its, sja

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA

UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA Encontro d Ensino, Psquisa Extnsão, Prsidnt Prudnt, 0 a 3 d outubro, 014 0 UMA INTRODUÇÃO A TOPOLOGIA TÍTULO DO TRABALHO EM INGLES Mário Márcio dos Santos Palhars 1, Antonio Carlos Tamarozzi² Univrsidad

Leia mais

A ferramenta de planeamento multi

A ferramenta de planeamento multi A frramnta d planamnto multi mdia PLANVIEW TELEVISÃO Brv Aprsntação Softwar d planamnto qu s basia nas audiências d um príodo passado para prvr asaudiências d um príodo futuro Avrsatilidad afacilidad d

Leia mais

WWW.CLICK-MENTAL.COM

WWW.CLICK-MENTAL.COM Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes WWW.CLICK-MENTAL.COM Criad pr: Click Mental - Sistemas de Infrmaçã, Lda. Fidelity Uma estratégia de fidelizaçã de clientes O que é? O Fidelity é um sftware

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

Uma introdução à Política de Coesão da UE para 2014-2020

Uma introdução à Política de Coesão da UE para 2014-2020 Uma intrduçã à Plítica d Csã UE para 2014-2020 Junh d 2014 Plítica d Csã O qu é a Plítica d Csã? A Plítica d Csã é a principal plítica d invstimnt UE Está dircina para ts as rgiõs cids Uniã Eurpia cm vista

Leia mais

Origem dos Jogos Olímpicos

Origem dos Jogos Olímpicos Natal, RN / /04 ALUNO: Nº SÉRIE/ANO: TURMA: TURNO: DISCIPLINA: TIPO DE ATIVIDADE: Profssor: TESTE º Trimstr º M INSTRUÇÕES: Vrifiqu s sua avaliação contém 6 qustõs ( objtivas 04 discursivas). Caso haja

Leia mais

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015

Apresentação Institucional e Estratégia. Março de 2015 Aprsntação Institucional Estratégia Março 2015 História História A Dot.Lib é uma mprsa brasilira dicada à dissminação da informação cintífica através do acsso onlin a livros digitais, priódicos ltrônicos

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais d Contas Sistma d Informação do Técnico Oficial d Contas IAS 24 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 24 Divulgaçõs d Parts Rlacionadas ÍNDICE Parágrafos Objctivo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL

PALAVRAS-CHAVE: CURRÍCULO DE PEDAGOGIA, FORMAÇÃO,EDUCAÇÃO INFANTIL, IDENTIDADE PROFISSIONAL Govrno do Estado do Rio Grand do Nort Scrtariado d Estado da Educação Cultura - SEEC UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - UERN Pró-Ritoria d Psquisa Pós-Graduação PROPEG Dpartamnto d Psquisa

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO

2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 1. ÁREA DO CONHECIMENTO CIÊNCIAS HUMANAS: PSICOLOGIA 2. NOME DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DAS RELAÇÕES HUMANAS NA ORGANIZAÇÃO 3. JUSTIFICATIVA: Prspctivas no Mrcado Amazonns: A cidad d Manaus possui

Leia mais

Como o voltímetro e o amperímetro são ideais, a resistência de terra no eletrodo de teste é calculada por:

Como o voltímetro e o amperímetro são ideais, a resistência de terra no eletrodo de teste é calculada por: Qustã nº a) Cm vltímtr amprímtr sã idais, a rsistência d trra n ltrd d tst é calculada pr: R x V/ I (valr: 8, pnts) b) Para rduzir a rsistência d trra, dvrã sr citadas duas ntr as sguints pssívis sluçõs:

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*)

PARECER HOMOLOGADO(*) PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Dspacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União d 17/07/2003 (*) Portaria/MEC nº 1.883, publicada no Diário Oficial da União d 17/07/2003 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

Identificação Veicular

Identificação Veicular >> O INSTITUTO DE INFORMÁTICA (INF) >> OS PROJETOS > SIGMA Sistma Infrmaçã Ggráfica para Mnitramnt Ambintal frma, srá invstigad as qustõs prtinnts a utilizaçã tiqutas RFID para rastramnt vículs, talhs

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Considerações sobre misturas de pós farmacêuticos

Considerações sobre misturas de pós farmacêuticos Cnsidraçõs sbr misturas d pós farmacêutics Cnsidratins abut pharmacutical mixing indxs Mari Labasti' RESUMO - Uma rvisã ds cncits d bas sbr misturas cm praçã é aprsntada. Os divrss tips d mistura, mdls

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO?

A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? A VARIAÇÃO ENTRE PERDA & PERCA: UM CASO DE MUDANÇA LINGUÍSTICA EM CURSO? Luís Augusto Chavs Frir, UNIOESTE 01. Introdução. Esta é uma psquisa introdutória qu foi concrtizada como um studo piloto d campo,

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO. Fábio Mamoré Conde

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO. Fábio Mamoré Conde FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA NÚCLEO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO Fábi Mamré Cnd Avaiaçã d Dsmpnh ds Prdutrs d Lit: Prpsta d Mtdgia Fundamntada

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA

CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA CUSTOS IRREVERSÍVEIS, LEIS DE CUSTOS E GERÊNCIA DE PROJETOS - A VIABILIDADE DE UM PROCESSO DE MUDANÇA Márcio Botlho da Fonsca Lima Luiz Buno da Silva Rsumo: Est artigo tm o objtivo d xpor a rlvância do

Leia mais

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos.

Augusto Massashi Horiguti. Doutor em Ciências pelo IFUSP Professor do CEFET-SP. Palavras-chave: Período; pêndulo simples; ângulos pequenos. DETERMNAÇÃO DA EQUAÇÃO GERAL DO PERÍODO DO PÊNDULO SMPLES Doutor m Ciências plo FUSP Profssor do CEFET-SP Est trabalho aprsnta uma rvisão do problma do pêndulo simpls com a dmonstração da quação do príodo

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006

Nome do programa, pesquisa ou produto: Projeto Censo GIFE 2005/2006 1 GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Dads da rganizaçã Data de elabraçã da ficha: Fev 2008 Nme: GIFE Grup de Instituts, Fundações e Empresas Endereç: Av. Brigadeir Faria Lima, 2.413 1º andar

Leia mais

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice)

Tabela 1 - Índice de volume de vendas no comércio varejista (Número índice) PESQUISA MENSAL DO COMÉRCIO JULHO DE 2012 A psquisa mnsal do comércio, ralizada plo IBGE, rgistrou um crscimnto positivo d 1,36% no comparativo com o mês d julho d 2012 para o volum d vndas varjista. Podmos

Leia mais

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal

Procedimento em duas etapas para o agrupamento de dados de expressão gênica temporal Procdimnto m duas tapas para o agrupamnto d dados d xprssão gênica tmporal Moysés Nascimnto Fabyano Fonsca Silva Thlma Sáfadi Ana Carolina Campana Nascimnto Introdução Uma das abordagns mais importants

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis.

Para verificar a atualização desta norma, como revogações ou alterações, acesse o Visalegis. 18/05/12 Anvisa - Lgislação - Portarias Lgislação Para vrificar a atualização dsta norma, como rvogaçõs ou altraçõs, acss o Visalgis. Portaria n º 27, d 13 d janiro d 1998 A Scrtária d Vigilância Sanitária,

Leia mais

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo.

Art. 1º Atualizar o Manual de Instruções Gerais (MIG) Cadastro, na forma apresentada no demonstrativo anexo. Atualiza o Manual d Instruçõs Grais (MIG) Cadastro. A Dirtoria Excutiva da Confdração Nacional das Cooprativas do Sicoob Ltda. Sicoob Confdração, com fulcro no art. 58 do Estatuto Social, basado na strutura

Leia mais

Terminologia em agropecuária: elaboração de glossários no par linguístico português-espanhol, voltados para o ensino da tradução técnica

Terminologia em agropecuária: elaboração de glossários no par linguístico português-espanhol, voltados para o ensino da tradução técnica Trminologia m agropcuária: laboração d glossários no par linguístico português-spanhol, voltados para o nsino da tradução técnica Introdução Francisca Prira da Silva - IFRR A psquisa intitulada Trminologia

Leia mais

O projeto Key for Schools PORTUGAL

O projeto Key for Schools PORTUGAL O prjet Key fr Schls PORTUGAL O teste Key fr Schls O teste Key fr Schls é cncebid para aplicaçã em cntext esclar e está de acrd cm Quadr Eurpeu Cmum de Referência para as Línguas O teste Key fr Schls permite

Leia mais

Artigo 12 Como montar um Lava Jato

Artigo 12 Como montar um Lava Jato Artig 12 Cm mntar um Lava Jat Antigamente era cmum bservar as pessas, n final de semana, cm seus carrs, bucha e sabã nas mãs. Apesar de ainda haver pessas que preferem fazer serviç suj szinhas, s lava

Leia mais

Emerson Marcos Furtado

Emerson Marcos Furtado Emrson Marcos Furtado Mstr m Métodos Numéricos pla Univrsidad Fdral do Paraná (UFPR). Graduado m Matmática pla UFPR. Profssor do Ensino Médio nos stados do Paraná Santa Catarina dsd 1992. Profssor do Curso

Leia mais

3 Proposição de fórmula

3 Proposição de fórmula 3 Proposição fórmula A substituição os inos plos juros sobr capital próprio po sr um important instrumnto planjamnto tributário, sno uma rução lgal a tributação sobr o lucro. Nos últimos anos, a utilização

Leia mais

ESTE CADERNO DE ATIVIDADES PERTENCE A. Lendo e Escrevendo. Anne Frank. com. Solte sua voz e escreva! Caderno de Atividades 2

ESTE CADERNO DE ATIVIDADES PERTENCE A. Lendo e Escrevendo. Anne Frank. com. Solte sua voz e escreva! Caderno de Atividades 2 ESTE CADERNO DE ATIVIDADES PERTENCE A Lnd Escrvnd Ann Frank cm Slt sua vz scrva! Cadrn d Atividads 2 Títul: 1929 A Vida d Ann Frank Acmpanh aqui a vida d Ann Frank. Prst atnçã scrva s títuls crrtamnt.

Leia mais

ANEXO. (d)define os requisitos contábeis para a elaboração de demonstrações

ANEXO. (d)define os requisitos contábeis para a elaboração de demonstrações ANEXO Objtivo 1.O objtivo dst Pronunciamnto é stablcr princípios para a aprsntação laboração d dmonstraçõs consolidadas quando a ntidad controla uma ou mais ntidads. Atingindo o objtivo 2.Para atingir

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Curso Profissional d Técnico d Markting Ano Ltivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL MARKETING 3º Ano Comptências Grais Colaborar na laboração ralização d studos d mrcado, bm

Leia mais

Custos das Operaçõ. ções no Brasil. Audiência Pública Câmara dos Deputados CFT dezembro de 2009

Custos das Operaçõ. ções no Brasil. Audiência Pública Câmara dos Deputados CFT dezembro de 2009 Cartão o d Crédito: Custos das Opraçõ çõs no Brasil Audiência Pública Câmara dos Dputados CFT dzmbro d 2009 Instrumntos d Pagamnto Quantidad d transaçõ çõs Evoluçã ção Milhõs d transaçõ çõs 2 Intrbancários

Leia mais

Encontro na casa de Dona Altina

Encontro na casa de Dona Altina Ano 1 Lagdo, Domingo, 29 d junho d 2014 N o 2 Encontro na casa d Dona Altina Na última visita dos studants da UFMG não foi possívl fazr a runião sobr a água. Houv um ncontro com a Associação Quilombola,

Leia mais

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015

Rio Grande do Norte terá maior oferta de energia eólica em leilão Agência Estado 17/04/2015 www.lmntos.com.br du dilignc slção d arogradors inspçõs d fábricas ngnharia do propritário projtos solars ntr outros 17 d abril d 2015 Sxta-Fira - # 1.528 Rio Grand do Nort trá maior ofrta d nrgia ólica

Leia mais

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (perguntas) em português e em espanhol

Pragmática intercultural e entoação: os enunciados interrogativos (perguntas) em português e em espanhol Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL Pragmática intrcultural ntoação: os nunciados intrrogativos (prguntas) m português m spanhol Lticia Rbollo Couto (UFRJ) 1 Natalia dos Santos

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

Concentraçã. ção o e Custos. Câmara dos Deputados - Comissão de Finanças e Tributação 8 de outubro de 2009

Concentraçã. ção o e Custos. Câmara dos Deputados - Comissão de Finanças e Tributação 8 de outubro de 2009 Cartão o d Crédito: Concntraçã ção o Custos Câmara dos Dputados - Comissão d Finanças Tributação 8 d outubro d 2009 Agnda 2 Indústria d cartõs d pagamntos Concntração Infra-strutura Estrutura d custos

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO CONTROLE INTERNO NO ESTADO DE SANTA CATARINA

A EXPERIÊNCIA DO CONTROLE INTERNO NO ESTADO DE SANTA CATARINA A EXPERIÊNCIA DO CONTROLE INTERNO NO ESTADO DE SANTA CATARINA Valdr Ângl Mntagna ALGUMAS DEFINIÇÕES GERAIS CONTROLE significa a fiscalizaçã xrcida sbr as atividads d pssas, órgãs, dpartamnts, u sbr prduts,

Leia mais

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5

Agenda: 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 3 2015 Sage Software, Inc. All rights reserved. 2/1/2016 5 Agenda: Event Sage AEBB Legislaçã inventári permanente (reduçã ds limites) Cnfigurações inventári permanente (ligaçã à CTB) O inventári a 31 de dezembr (imprtância d cntrl stcks, sage inventáris cntagem

Leia mais

Semana 3: Distribuição em Serviços

Semana 3: Distribuição em Serviços 1 Semana 3: Distribuiçã em Serviçs 1. Distribuiçã O prcess de distribuiçã da ferta da empresa insere-se n cntext d cmpst de marketing cm a funçã respnsável pr trnar prdut acessível a cnsumidr. Em serviçs

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas IAS 17 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 17 Locaçõs ÍNDICE Parágrafos Objctivo 1 Âmbito 2-3 Dfiniçõs 4-6 Classificação d locaçõs 7-19 Locaçõs nas dmonstraçõs financiras d locatários 20-35 Locaçõs

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

Logweb. revista. Peculiaridades do transporte de alimentos e bebidas. þ Supply Chain. Management. referência em logística

Logweb. revista. Peculiaridades do transporte de alimentos e bebidas. þ Supply Chain. Management. referência em logística rvista þ Lgística þ upply Chain þ Multimdal þ Cmérci Extrir þ Mvimntaçã þ Armaznagm þ Autmaçã Embalagm Lgwb þ www.lgwb.cm.br diçã nº88 junh 2009 rfrência m lgística Pculiaridas d transprt alimnts bbidas

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone

Confirmação dos dados cadastrais + Alerta de Documentos + Confirmação do telefone Tabla d Prços C PRODUTO Dscritivo Insumos Consultas d Balcão Consulta com imprssão d xtrato simplificado d rgistros, com composição idêntica à Dclaração Consumidor SóChqu Confirm PJ Confirmação dos dados

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos N N s U 11.033, npu U 10.865, U 9.779, U U Prsidência Rpública Casa Civil Subchfia para ssunts Jurídics HULEI NU DE 21 DE DEZEMBR DE 2004.UH ltra a tributaçã d mrcad financir capitais; institui Rgim Tributári

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO

POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Congrsso Intrnacional d Profssors d Línguas Oficiais do MERCOSUL POLÍTICAS PÚBLICAS E ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA NA REGIÃO DE LONDRINA: DESAFIOS PARA SUA IMPLEMENTAÇÃO Catya Marqus Agostinho

Leia mais

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de Dsintgração Radioativa Os núclos, m sua grand maioria, são instávis, ou sja, as rspctivas combinaçõs d prótons nêutrons não originam configuraçõs nuclars stávis. Esss núclos, chamados radioativos, s transformam

Leia mais

PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA

PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA PROPOSTA DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA A EDITORA E GRÁFICA ODORIZZI LTDA Mirian Magnus Machado 1 Jocaffi Albino Brda 2 RESUMO A organização Editora Gráfica Odorizzi Ltda, apsar d star a um longo tmpo

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais