Instruções de Utilização. Actuador de motor via rádio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instruções de Utilização. Actuador de motor via rádio 1187 00"

Transcrição

1 Instruções de Utlzação Actuador de motor va rádo

2 Índce Relatvamente a estas nstruções... 2 Esquema do aparelho... 3 Montagem... 3 Desmontagem... 3 Tensão de almentação... 4 Colocar as plhas... 4 Comportamento com a tensão da plha a dmnur... 4 Programar os actuadores de motor va rádo... 5 Apagar uma atrbução va rádo... 6 Consultar a posção da válvula (ndcação de curso)... 6 Compensação do valor real... 6 Conexão do sensor remoto... 6 Alterar o controlo do bnáro de fecho... 7 Ajustamento da temperatura... 7 Indcar o ajustamento da temperatura... 7 Regular o ajustamento da temperatura... 7 Função de dagnóstco... 8 Colocar a antena... 8 Informações sobre o funconamento va rádo... 9 Transmssão va rádo... 9 Dados técncos... 9 Garanta Relatvamente a estas nstruções Nestas nstruções encontra os seguntes símbolos e marcadores: 1. As nstruções de operação são numeradas sequencalmente. 3 Os resultados das operações estão dentfcados com este snal de vsto. As enumerações estão dentfcadas com este ponto. Nota! Informações sobre a utlzação económca do sensor de temperatura ambente va rádo estão dentfcadas com este snal. Atenção Informações sobre stuações que podem conduzr a danos pessoas ou a danos no aparelho, estão dentfcadas com este símbolo. 2

3 Esquema do aparelho O actuador de motor va rádo é um actuador controlado va rádo para acconar as válvulas de aquecmento vsando uma regulação de espaços ndvduas, em lgação com um aquecmento por pavmento radante, por radador ou por convecção. O actuador de motor va rádo a plhas é controlado através do sensor de temperatura ambente va rádo ou do controlador va rádo. Através de ambas as teclas, a temperatura desejada pode ser ajustada a qualquer momento. Montagem Para a montagem do actuador de motor va rádo, proceda do segunte modo: 1. Remova os termóstatos mecâncos de aquecmento exstentes. 2. Aparafuse o anel adaptador, ncluído, na válvula de aquecmento e aperte-o frmemente à mão Sensor de temperatura para detecção da temperatura real 2 Indcador LED, p. ex., de temperatura desejada, da posção da válvula 3 Tecla azul, p. ex., para reduzr a temperatura 4 Tecla vermelha, p. ex., para elevar a temperatura 5 Tampa com fecho 3. Coloque o actuador de motor va rádo na posção vertcal. 4. Empurre o actuador de motor va rádo contra o anel adaptador, até ele encaxar de forma audível. 5. De seguda, coloque as plhas e programe o respectvo emssor rádo no actuador de motor va rádo. Desmontagem Pode desmontar o actuador de motor va rádo do segunte modo: 1. Desbloquee a parte de baxo do nvólucro do actuador de motor va rádo com a chave especal ncluída e abra-a. 2. Pressone a alavanca vermelha para a esquerda. 3. Smultaneamente, puxe o actuador de motor va rádo do anel adaptador. 3

4 Tensão de almentação A tensão de almentação do actuador de motor va rádo é feta através de duas plhas alcalnas (do tpo Mgnon, AA, LR6, 1,5 V, 2600 mah). Colocar as plhas Esteja atento à polarzação das plhas! Ao colocar as plhas, tenha atenção à polarzação dentfcada na tampa. A tensão de almentação com a polarzação trocada, devdo à colocação errada das plhas, pode causar danos no aparelho. Utlze exclusvamente plhas alcalnas (do tpo Mgnon, AA, LR6, 1,5 V) Não utlze plhas recarregáves, já que estas têm uma curva de descarga mas acentuada do que as plhas descartáves. 1. Desbloquee a parte de baxo do nvólucro com a chave especal ncluída e abra-a. 2. Coloque ambas as plhas na tampa. Tenha atenção à correcta polarzação. 3. Feche a parte de baxo do nvólucro do actuador de motor va rádo rapdamente e bloquee-a com a ferramenta especal. 3 Todos os LED se acendem por breves nstantes. De seguda, nca-se automatcamente o percurso de calbração. 3 Se o actuador de motor va rádo anda não estver programado, quando termnar o percurso de calbração, va para a posção de emergênca (abertura da válvula 30%). 3 Se o actuador de motor va rádo já estver programado, é efectuada a regulação da temperatura desejada para os valores ntroduzdos Mau funconamento depos de mudar as plhas Ao fechar o compartmento das plhas de forma hestante, pode acontecer que a tensão de almentação seja, por breves nstantes, váras vezes lgada e deslgada. Isso pode causar um mau funconamento do actuador de motor va rádo. Neste caso, abra o compartmento das plhas durante aprox. 1 mnuto e feche-o rapdamente, num só movmento. Comportamento com a tensão das plhas a dmnur Se a tensão das plhas descer abaxo de um determnado valor o LED do meo psca de 10 em 10 mnutos ou depos de ter premdo uma de ambas as teclas (snal psca de forma ntermtente 5 vezes em 15 segundos). Neste estado, deve substtur ambas as plhas. Após surgr a ndcação "Snal de plha vaza" acconada manualmente com o premr de uma das teclas, a ndcação automátca "Snal de plha vaza" é desactvada por 24 horas. A lgação va rádo mantém-se A lgação va rádo já programada mantém-se, mesmo quando as plhas são substtuídas. No caso de querer executar uma operação (p. ex., para adaptação do valor desejado) no estado de "plha vaza", tem de esperar que o snal comece a pscar de forma ntermtente antes de poder efectuar qualquer operação através das teclas. Se a tensão das plhas descer tanto que a regulação da temperatura dexa de ser possível, o actuador de motor va rádo va para a posção de emergênca (abertura da válvula 30%). Este estado é ndcado através de um pscar permanente do LED em ntervalos de 3 segundos. Plhas Informações sobre rscos e elmnação As plhas devem ser mantdas fora do alcance das cranças. Substtua medatamente as plhas usadas e elmne-as de forma ecológca.

5 Programar os actuadores de motor va rádo Alcance de rádo lmtado No modo de programação o alcance de rádo do actuador de motor va rádo está lmtado a 5 m. 1. Ince o modo de programação no actuador de motor va rádo, premndo a tecla vermelha durante mas de 4 segundos. 3 O LED vermelho superor psca. O actuador de motor va rádo encontra-se no modo de programação durante aprox. 1 mnuto. 2. Abra no respectvo emssor rádo (sensor de temperatura ambente va rádo e controlador va rádo) o telegrama de programação. Consulte as nstruções de utlzação do emssor rádo. 3 O actuador de motor va rádo confrma a recepção do snal da programação e a memorzação da lgação va rádo acendendo permanente o LED superor. 3. O modo de programação termna automatcamente após 1 mnuto ou premndo por breves nstantes a tecla vermelha. Programar város actuadores de motor va rádo No caso de querer atrbur város actuadores de motor va rádo, deve prmero colocar todos os actuadores no modo de programação antes de ncar o processo de aprendzagem no emssor rádo. Se, posterormente, quser atrbur um actuador de motor va rádo a um grupo, tem prmero de apagar todas as lgações va rádo e depos atrbur todos os actuadores de motor va rádo smultaneamente. Atrbur um novo actuador de motor va rádo Ao programar um novo emssor rádo, as atrbuções já exstentes são substtuídas. Neste caso, o actuador de motor va rádo reage apenas ao últmo emssor rádo atrbuído. O actuador de motor va rádo encontra-se fora do alcance de programação No caso do actuador de motor va rádo estar montado fora do alcance de programação (aprox. 5 m), proceda do segunte modo: 1. Coloque as plhas antes de montar o actuador de motor va rádo na válvula de aquecmento. 3 Todos os LED se acendem por breves nstantes. De seguda, o actuador de motor va rádo executa os movmentos de percurso (percurso de calbração). 2. Poscone o actuador de motor va rádo próxmo do respectvo emssor rádo e programe-o. 3. Remova as plhas do actuador de motor va rádo (a lgação va rádo já programada mantém-se). 4. Monte o actuador de motor va rádo na válvula de aquecmento. 5. Após aprox. 1 mnuto coloque de novo as plhas no actuador de motor va rádo. 3 Todos os LED se acendem por breves nstantes. De seguda, nca-se automatcamente o percurso de calbração. O percurso de calbração tem de ser executado No caso de não ser executado um novo percurso de calbração, remova outra vez as plhas e volte a colocá-las após aprox. 1 mnuto. Se o actuador de motor va rádo não for calbrado para a válvula de aquecmento, não é possível uma regulação da temperatura correcta. 3 Com este procedmento, pode acontecer que depos da programação a regulação da temperatura ocorra de forma retardada, já que o actuador de motor va rádo necessta de algum tempo para se sncronzar com o emssor rádo. 5

6 Apagar uma atrbução va rádo Compensação do valor real 1. Prma a tecla vermelha durante cerca de 20 segundos. 3 Após aprox. 4 segundos, o LED superor vermelho começa a pscar, volvdos mas 20 segundos o pscar passa, durante aprox. 6 segundos, para uma luz ntermtente peródca. 2. Neste ntervalo de 6 segundos solte por nstantes a tecla vermelha e prma-a novamente durante aprox. 1 segundo. 3 Enquanto a atrbução é apagada, o LED vermelho superor acende-se permanentemente. Um rápdo pscar do LED vermelho superor ndca que a atrbução fo apagada com sucesso. 3 O pscar termna após aprox. 1 mnuto ou após um breve premr da tecla. Apagar através de uma nova programação Tal como com os outros componentes do sstema de bus va rádo Gra, também é possível apagar a atrbução através de uma nova programação do mesmo emssor. A temperatura real medda pode ser deslocada no potencómetro do actuador de motor va rádo (aprox. +6 a -2 Kelvn). Isso é necessáro, p. ex., para compensar erros de medção quando o actuador de motor va rádo é tapado por uma cobertura ou uma cortna. 1. Desbloquee o nvólucro com a chave especal e abra-o. 2. Corrja no potencómetro o valor real no sentdo desejado: se o compartmento estver demasado quente, no sentdo se a temperatura selecconada não tver sdo atngda, no sentdo + 3. Feche o nvólucro do actuador de motor va rádo rapdamente e bloquee-o com a ferramenta especal. + C + 0 Consultar a posção da válvula (ndcação de curso) Conexão do sensor remoto A ndcação de curso ndca a actual posção do actuador de motor va rádo. Esta função pode ser necessára, se, por ex., no compartmento estver demasado quente ou demasado fro e se pretender compensar o valor real através do potencómetro. 1. Ince a ndcação de curso, premndo ambas as teclas smultaneamente por breves nstantes. 3 Os LED acendem-se durante cerca de 3 segundos e ndcam a abertura actual da válvula em percentagem. Abertura da válvula: > 60% 40-60% 20-40% 0-20% 0% Se o actuador for montado num lugar onde fque tapado (p. ex., atrás de uma protecção do aquecedor ou de uma cortna), pode suceder que as medções de temperatura sejam falsas. Neste caso, é aconselhável conectar o sensor remoto e posconá-lo no compartmento, dstante do aquecmento. 1. Quebre, com uma pequena chave de fendas, a cobertura dos bornes na parte de trás do actuador de motor va rádo. 2. Conecte o cabo do sensor remoto ao borne agora acessível. 6

7 Alterar o controlo do bnáro de fecho Em determnadas crcunstâncas, pode suceder que os ajustes de fábrca no controlo do bnáro de fecho não sejam sufcentes para fechar completamente a válvula. Neste caso, pode alterar o método de determnação do bnáro de fecho. Exstem dos tpos de controlo do bnáro de fecho: Controlado pela posção: As posções de fecho são determnadas através de um percurso de calbração e são pressonadas em 0,4 mm (defnções de fábrca). Controlado pela força: O actuador de motor va rádo fecha a válvula de aquecmento, até a lmtação da corrente o deslgar. A comutação do bnáro é efectuada do segunte modo: 1. Prma ambas as teclas para ncar a ndcação de curso. 2. Durante a ndcação de curso, prma a tecla azul por mas de 3segundos. 3. Solte a tecla e prma a tecla vermelha para controlado pela posção, ou a tecla azul para controlado pela força. 3 O respectvo método do bnáro de fecho ajustado é ndcado pelo LED superor ou pelo LED nferor. 3 Depos de ter alterado o controlo do bnáro de fecho, o actuador de motor va rádo efectua um percurso de calbração. Controlado pela posção Controlado pela força Ajustamento da temperatura Para o ajustamento da temperatura do compartmento, pode alterar-se no actuador de motor va rádo o valor real do aquecmento em ±2 K. Indcar o ajustamento da temperatura Para ndcar o ajustamento da temperatura actual no actuador, proceda do segunte modo: 1. Para ncar o ndcador de estado, prma por breves nstantes a tecla vermelha. 3 O ajustamento da temperatura actual é ndcado durante 3 segundos através do LED. Regular o ajustamento da temperatura Para regular o ajustamento da temperatura, proceda do segunte modo. 1. Prmero consulte a ndcação do ajustamento da temperatura actual, premndo por breves nstantes a tecla vermelha. 3 O ajustamento da temperatura actual é ndcado durante 3 segundos através do LED. 2. No espaço destes 3 segundos prma a tecla vermelha para aumentar a temperatura desejada tecla azul para dmnur a temperatura desejada. Adaptação do valor desejado + 2K + 1K 0k - 1K - 2K Exemplo: + 22 C + 21 C Temperatura desejada 20 C + 19 C + 18 C O ajustamento da temperatura mantém-se O ajustamento da temperatura (±2 K) mantém-se mesmo depos de uma comutação da temperatura desejada (p. ex., de temperatura conforto para temperatura reduzda). 7

8 Função de dagnóstco Com a função de dagnóstco pode verfcar-se quantas vezes o actuador de motor va rádo recebeu os snas rádo do emssor atrbuído em determnados períodos de tempo. A função de dagnóstco é ncada do segunte modo: 1. Prma ambas as teclas para ncar a ndcação de curso. 2. Durante a ndcação de curso prma por breves nstantes a tecla vermelha. 3 A recepção do snal rádo é ndcada através do LED vermelho: Em stuações normas (todos os snas rádo foram recebdos correctamente), acendem-se os três LED vermelhos. Se, p. ex., os snas rádo tverem sdo correctamente recebdos nas últmas 24 horas mas na últma janela temporal de recepção não tverem sdo recebdos nenhuns snas rádo, acendem-se os três últmos LED vermelhos. Recepção do snal rádo OK na últma janela temporal de recepção nas últmas 8 horas nas últmas 24 horas Comportamento após uma nova programação ou Reset Uma nova programação do actuador de motor va rádo apaga as ndcações dos telegramas recebdos va rádo. Após um Reset acendem-se todos os LED vermelhos, embora não tenham anda decorrdo as 8 ou as 24 horas. Colocar a antena Se o alcance de rádo não for sufcente, pode encamnhar a antena do actuador de motor va rádo para o lado de fora. 1. Desbloquee a parte de baxo do nvólucro com a chave especal e abra-a. 2. Agora pode ver a antena enrolada (cabo branco com uma ponta preta). 3. Desenrole a antena e encamnhe-a através da pequena abertura do nvólucro para o lado de fora. 4. Feche o nvólucro do actuador de motor va rádo rapdamente e bloquee-o com a ferramenta especal. Não é permtda a utlzação de um repetdor va rádo A utlzação de um repetdor va rádo não é possível em vrtude da sncronzação da troca de telegramas entre o actuador de motor va rádo e o sensor de temperatura va rádo. 8 Funconamento com má recepção rádo Com uma recepção rádo nsufcente (p. ex., devdo a uma falha de energa no emssor) a regulação da temperatura é feta segundo o últmo valor desejado recebdo.

9 Informações sobre o funconamento va rádo A transmssão va rádo é feta através de uma va de transmssão não exclusva, razão pela qual não podem ser excluídas nterferêncas. A transmssão va rádo não é adequada para aplcações de segurança, tas como, p. ex., paragens de emergênca, chamadas de emergênca. O alcance da emssão de um emssor rádo (máx. 100 m no exteror) depende das característcas construtvas do edfíco. Materal seco Penetrabldade Madera, gesso, placas de gesso aprox. 90% Tjolos, panés de madera prensada aprox. 70% Betão armado aprox. 30% Metal, grades metálcas, revestmento a alumíno aprox. 10% Dados técncos Tensão de almentação: 3 V Plhas: 2 x 1,5 V Mgnon LR06 (AA), 2600 mah Curso da válvula: 7,5 mm Força de acconamento: 80 N Comprmento do cabo do sensor remoto: max. 3 m Protecção de bloqueo: 1 percurso/semana Temperatura do fludo: máx. 100 C Dmensões: (LxAxP) 51 x 80 x 60 mm Transmssão va rádo A nterconexão deste sstema de rádo com outras redes de comuncação só é permtda no âmbto da legslação naconal. O sstema de rádo não pode ser usado para comuncação fora dos lmtes da propredade. Na utlzação de acordo com a sua fnaldade, este aparelho satsfaz os requstos da Drectva R&TTE (1999/5/CE). Na Internet pode encontrar uma declaração de conformdade completa em: O actuador de motor va rádo pode ser operado em todos os Estados-membros da UE e da EFTA. 9

10 Garanta Os nossos produtos gozam de garanta em conformdade com as dsposções legas em vgor. Enve por favor o aparelho, sem despesas de envo, com uma descrção da avara para o nosso departamento central de apoo ao clente: Gra Gersepen GmbH & Co. KG Servce Center Dahlenstraße 12 D Radevormwald Gra Gersepen GmbH & Co. KG Sstemas de nstalaçãos eléctrcas Postfach 1220 D Radevormwald Tel. +49 (0) Fax +49 (0)

Instruções de Utilização. Rádio de encastrar

Instruções de Utilização. Rádio de encastrar Instruções de Utlzação Rádo de encastrar 0315.. 1 Utlzação Imagem 1: Elemento de comando As funções do rádo embutdo são controladas através das teclas do elemento de comando: premndo por breves nstantes,

Leia mais

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar?

Sistemas Robóticos. Sumário. Introdução. Introdução. Navegação. Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Sumáro Sstemas Robótcos Navegação Introdução Onde estou? Para onde vou? Como vou lá chegar? Carlos Carreto Curso de Engenhara Informátca Ano lectvo 2003/2004 Escola Superor de Tecnologa e Gestão da Guarda

Leia mais

Instruções de utilização

Instruções de utilização MONITOR DE GLICEMIA Instruções de utlzação 0088 ACCU-CHEK, ACCU-CHEK GO, ACCU-CHEK MULTICLIX, SOFTCLIX e SAFE-T-PRO são marcas da Roche. Roche Dagnostca Brasl Ltda Dabetes Care Av. Engenhero Bllngs 1729

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

Motores síncronos. São motores com velocidade de rotação fixa velocidade de sincronismo.

Motores síncronos. São motores com velocidade de rotação fixa velocidade de sincronismo. Motores síncronos Prncípo de funconamento ão motores com velocdade de rotação fxa velocdade de sncronsmo. O seu prncípo de funconamento está esquematzado na fgura 1.1 um motor com 2 pólos. Uma corrente

Leia mais

EUROSTAR ACU PLUS. Caldeira mural a gás com acumulador incorporado. Exaustão natural: ZWSE 23-4 MFK. Estanque: ZWSE 28-4 MFA

EUROSTAR ACU PLUS. Caldeira mural a gás com acumulador incorporado. Exaustão natural: ZWSE 23-4 MFK. Estanque: ZWSE 28-4 MFA 6 720 611 241-00.1O Caldera mural a gás com acumulador ncorporado EUROSTAR ACU PLUS Exaustão natural: ZWSE 23-4 MFK Estanque: ZWSE 28-4 MFA OSW Índce Índce Indcações de segurança 3 Explcação da smbologa

Leia mais

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20

Eletricidade 3. Campo Elétrico 8. Energia Potencial Elétrica 10. Elementos de Um Circuito Elétrico 15. Elementos de Um Circuito Elétrico 20 1 3º Undade Capítulo XI Eletrcdade 3 Capítulo XII Campo Elétrco 8 Capítulo XIII Energa Potencal Elétrca 10 Capítulo XIV Elementos de Um Crcuto Elétrco 15 Capítulo XV Elementos de Um Crcuto Elétrco 20 Questões

Leia mais

Introdução e Organização de Dados Estatísticos

Introdução e Organização de Dados Estatísticos II INTRODUÇÃO E ORGANIZAÇÃO DE DADOS ESTATÍSTICOS 2.1 Defnção de Estatístca Uma coleção de métodos para planejar expermentos, obter dados e organzá-los, resum-los, analsá-los, nterpretá-los e deles extrar

Leia mais

Associação de resistores em série

Associação de resistores em série Assocação de resstores em sére Fg.... Na Fg.. está representada uma assocação de resstores. Chamemos de I, B, C e D. as correntes que, num mesmo nstante, passam, respectvamente pelos pontos A, B, C e D.

Leia mais

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma.

TEORIA DE ERROS * ERRO é a diferença entre um valor obtido ao se medir uma grandeza e o valor real ou correto da mesma. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA AV. FERNANDO FERRARI, 514 - GOIABEIRAS 29075-910 VITÓRIA - ES PROF. ANDERSON COSER GAUDIO FONE: 4009.7820 FAX: 4009.2823

Leia mais

Eletricidade 3 Questões do ENEM. 8. Campo Elétrico 11 Questões do ENEM 13. Energia Potencial Elétrica 15 Questões do ENEM 20

Eletricidade 3 Questões do ENEM. 8. Campo Elétrico 11 Questões do ENEM 13. Energia Potencial Elétrica 15 Questões do ENEM 20 1 4º Undade Capítulo XIII Eletrcdade 3 Questões do ENEM. 8 Capítulo XIV Campo Elétrco 11 Questões do ENEM 13 Capítulo XV Energa Potencal Elétrca 15 Questões do ENEM 20 Capítulo XVI Elementos de Um Crcuto

Leia mais

Painel de controlo MPC-xxxx-B FPA-1200-MPC. Manual de operação

Painel de controlo MPC-xxxx-B FPA-1200-MPC. Manual de operação Panel de controlo MPC-xxxx-B FPA-1200-MPC pt Manual de operação 3 pt Índce remssvo Panel de controlo Índce remssvo 1 Para sua nformação 8 1.1 Ilustração dos passos 8 1.2 Chamar o menu ncal 8 1.3 Alterar

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Módulos de função xm10 para Caldeiras de aquecimento Murais, de Chão e para a parede. Para os técnicos especializados Leia atentamente antes da montagem 7 747 005 078 03/003 PT Prefácio

Leia mais

Montagem sobre o telhado. Colectores planos FK240. Para sistemas térmicos de energia solar Vulcano 6 720 612 250 PT (05.04) RS

Montagem sobre o telhado. Colectores planos FK240. Para sistemas térmicos de energia solar Vulcano 6 720 612 250 PT (05.04) RS Montagem sobre o telhado Colectores planos FK240 Para sstemas térmcos de energa solar Vulcano 6 720 62 250 PT (05.04) RS Acerca destas nstruções As presentes nstruções de montagem contêm nformações mportantes

Leia mais

Instruções Sistema Alarme sem Fios a Energia Solar Configuração básica

Instruções Sistema Alarme sem Fios a Energia Solar Configuração básica Instruções Sistema Alarme sem Fios a Energia Solar Configuração básica A bateria (principal incluído) O controlador remoto LX-FS-V (bateria incluída) Sensor PIR LX-AL8 (bateria incluída) Magneto de Porta

Leia mais

Instruções de Montagem e Utilização

Instruções de Montagem e Utilização Instruções de Montagem e Utilização Estação externa de aço inoxidável do vídeo 2551 20, 2552 20, 2553 20 2554 20, 2556 20, 2558 20 2559 20, 2560 20, 2562 20 Índice Descrição do aparelho...3 Funções e características

Leia mais

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético 1) A fgura mostra um prego de ferro envolto por um fo fno de cobre esmaltado, enrolado mutas vezes ao seu redor. O conjunto pode ser consderado um eletroímã quando as extremdades do fo são conectadas aos

Leia mais

G-Note Gravador de notas digital

G-Note Gravador de notas digital G-Note Gravador de notas dgtal Modelo: G-Note Seres Manual do utlzador Federal Communcatons Commsson (FCC) Declaração de nterferênca de frequênca de rádo Este equpamento fo testado e está em conformdade

Leia mais

GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Instruções de instalação e funcionamento

GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Instruções de instalação e funcionamento Labkotec Oy Myllyhaantie 6 FI-33960 PIRKKALA FINLAND Tel: +358 29 006 260 Fax: +358 29 006 1260 19.1.2015 Internet: www.labkotec.com 1/11 GA-1 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante Copyright

Leia mais

Instruções de Utilização. Pré-amplificador de 8 vias 0530 00

Instruções de Utilização. Pré-amplificador de 8 vias 0530 00 Instruções de Utilização Pré-amplificador de 8 vias 0530 00 Descrição das funções O pré-amplificador de 8 vias amplifica os sinais de áudio de 8 fontes como, p. ex., o rádio, o leitor de CD, etc., para

Leia mais

FKC-1. Instruções de instalação. Colectores planos Instalação sobre telhado. para sistemas térmicos de energia solar Vulcano

FKC-1. Instruções de instalação. Colectores planos Instalação sobre telhado. para sistemas térmicos de energia solar Vulcano Instruções de nstalação Colectores planos Instalação sobre telhado FKC- para sstemas térmcos de energa solar Vulcano 6 70 6 586 (006/0) SD Índce Generaldades..............................................

Leia mais

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou!

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou! A U A UL LA Hoje não tem vtamna, o lqudfcador quebrou! Essa fo a notíca dramátca dada por Crstana no café da manhã, lgeramente amenzada pela promessa de uma breve solução. - Seu pa dsse que arruma à note!

Leia mais

Válvulas de purga contínua BAE, ZKE

Válvulas de purga contínua BAE, ZKE Válvulas de Purga Contínua BAE, ZKE Válvulas de purga contínua BAE, ZKE Instruções de funcionamento 810525-00 Válvulas de purga contínua GESTRA Fig. 1 Fig. 2 EF 0,5 EF1, EF 2 Fig. 3 Fig. 4 Fig. 5 * BAE

Leia mais

Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano Colector plano FK240 Para sistemas térmicos de energia solar Junkers

Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano Colector plano FK240 Para sistemas térmicos de energia solar Junkers Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano Colector plano FK240 Para sstemas térmcos de energa solar Junkers 6 720 6 709 (04.0) RS Acerca destas nstruções A presente nstrução de montagem contem

Leia mais

Sumário Serra Fita FAM

Sumário Serra Fita FAM Sumário Serra Fita FAM 1 Componentes... 1 Painel de controle... 1 Sensores de segurança... 2 Especificações... 2 Instalação... 3 Condições Gerais do Local... 3 Rede Elétrica... 3 Instalação da Tomada...

Leia mais

Controle Estatístico de Qualidade. Capítulo 8 (montgomery)

Controle Estatístico de Qualidade. Capítulo 8 (montgomery) Controle Estatístco de Qualdade Capítulo 8 (montgomery) Gráfco CUSUM e da Méda Móvel Exponencalmente Ponderada Introdução Cartas de Controle Shewhart Usa apenas a nformação contda no últmo ponto plotado

Leia mais

Instruções de segurança VEGAWELL WL51/52.A********C/D* VEGAWELL WELL72.A*******- C/D*

Instruções de segurança VEGAWELL WL51/52.A********C/D* VEGAWELL WELL72.A*******- C/D* Instruções de segurança VEGAWELL WL51/52.A********C/D* VEGAWELL WELL72.A*******- C/D* NCC 13.2121 X Ex a IIC T6 Ga, Gb 0044 Document ID: 46341 Índce 1 Valdade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técncos... 3 4 Proteção

Leia mais

Características da Lt408

Características da Lt408 Lt408 Guia Rápido Características da Lt408 A Lt408 a geração de impressoras industriais robustas de alto rendimento com alta resolução. A Lt408 é uma impressora fácil de usar, com um rendimento e velocidade

Leia mais

Monitorização do sistema PT100U-NR

Monitorização do sistema PT100U-NR Monitorização do sistema PT100U-NR Manual de instalação PT100UNR-IPT083510 98-0016010 Versão 1.0 PT Índice Índice 1 Indicações sobre estas instruções.................... 5 1.1 Área de aplicação...................................

Leia mais

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA

Metodologia IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA Metodologa IHFA - Índce de Hedge Funds ANBIMA Versão Abrl 2011 Metodologa IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA 1. O Que é o IHFA Índce de Hedge Funds ANBIMA? O IHFA é um índce representatvo da ndústra de hedge

Leia mais

Ligue o seu eletrodoméstico ao futuro. Guia de Iniciação Rápida

Ligue o seu eletrodoméstico ao futuro. Guia de Iniciação Rápida Lgue o seu eletrodoméstco ao futuro. Gua de Incação Rápda 1 No seu lar, o futuro começa agora! Obrgado por utlzar a Home onnect * Mutos parabéns pelo seu eletrodoméstco do futuro que já hoje faclta e torna

Leia mais

1. Utilização correcta. 2. Indicações de segurança. Índice

1. Utilização correcta. 2. Indicações de segurança. Índice 310 248 LUNA 129 star-time Dämmerungsschalter Twilight switch Commutateur pénombre Schemerschakelaar Interruttori crepusculari Interruptor crepuscular Instruções de utilização Skumringsrelæ Bruksanvisning

Leia mais

Distribuição de Massa Molar

Distribuição de Massa Molar Químca de Polímeros Prof a. Dr a. Carla Dalmoln carla.dalmoln@udesc.br Dstrbução de Massa Molar Materas Polmércos Polímero = 1 macromolécula com undades químcas repetdas ou Materal composto por númeras

Leia mais

TBM220. Instruções de Serviço

TBM220. Instruções de Serviço Instruções de Serviço PT CARO CLIENTE! O berbequim de mesa PROXXON TBM 220 é uma máquina precisa e potente. As presentes instruções contêm: instruções de segurança manuseamento e manutenção lista de peças

Leia mais

Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano e fachada Colector plano FKT-1 para sistemas de aquecimento por energia solar Junkers

Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano e fachada Colector plano FKT-1 para sistemas de aquecimento por energia solar Junkers Instruções de montagem Montagem sobre telhado plano e fachada Colector plano FKT- para sstemas de aquecmento por energa solar Junkers 63043970.0-.SD 6 70 6 583 (006/04) SD Índce Generaldades..............................................

Leia mais

Série TVR Easy REGULADOR DE CAUDAL DE AR / ELÉCTRICO (CIRCULAR) Velocidade do ar na conduta (m/s) 1,2-12,2 1,4 125 1,2-12,2 1,7 160 1,2-12,2 2,2 200

Série TVR Easy REGULADOR DE CAUDAL DE AR / ELÉCTRICO (CIRCULAR) Velocidade do ar na conduta (m/s) 1,2-12,2 1,4 125 1,2-12,2 1,7 160 1,2-12,2 2,2 200 FICA TÉCNICA - ARI.16 Sére TVR Easy REGUADOR DE CAUDA DE AR / EÉCTRICO (CIRCUAR) APICAÇÃO Regulador de caudal de ar a baxa e méda velocdade. ajuste 1:. Caudal real nstantâneo (snal 0-Vcc) dsponível para

Leia mais

Aquecedores de água a gás

Aquecedores de água a gás Manual de nstalação e uso Aquecedores de água a gás GWH 350 COB GLP.. GWH 350 COB GN.. BR (06.11) SM Índce Índce Indcações de segurança 3 Explcação da smbologa 3 5 Afnações 14 5.1 Afnação do aparelho 14

Leia mais

Ari Jr 23-03-2012. Diogo DATA 23-03-2012. Folheto de Instruções / User Manual 811-09-05 23-03-2012. Liberação do Arquivo. Ari Jr.

Ari Jr 23-03-2012. Diogo DATA 23-03-2012. Folheto de Instruções / User Manual 811-09-05 23-03-2012. Liberação do Arquivo. Ari Jr. N MODIFICAÇÃO POR DATA 0 Liberação do Arquivo Ari Jr 23-03-2012 1 Alteração do Controle Remoto Ari Jr 05-04-2012 2 Acrescentado informação sobre não tocar as pás durante o funcionamento. Dieli 13-07-2012

Leia mais

GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante com dois sensores Instruções de instalação e funcionamento

GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante com dois sensores Instruções de instalação e funcionamento Labkotec Oy Myllyhaantie 6 FI-33960 PIRKKALA FINLAND Tel: + 358 29 006 260 Fax: + 358 29 006 1260 19.1.2015 Internet: www.labkotec.fi 1/12 GA-2 Dispositivo de Alarme de Separador de Massa Lubrificante

Leia mais

Instruções de segurança VEGASWING 61/63.CI*****Z*

Instruções de segurança VEGASWING 61/63.CI*****Z* Instruções de segurança VEGASWING 61/63.CI*****Z* NCC 14.03221 X Ex a IIC T* Ga, Ga/Gb, Gb 0044 Document ID: 41515 Índce 1 Valdade... 3 2 Geral... 3 3 Dados técncos... 4 4 Especfcações... 4 5 Proteção

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO CENTRAL DE ALARME COM FIO AW2 CONTROLE REMOTO CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado;

Leia mais

VACUUM TECHNOLOGY LC.25 LC.40 LC.60 LC.106 LC.151 LC.205 LC.305 LC.205HV LC.305HV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. www.dvp.it - info@dvp.

VACUUM TECHNOLOGY LC.25 LC.40 LC.60 LC.106 LC.151 LC.205 LC.305 LC.205HV LC.305HV MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. www.dvp.it - info@dvp. VACUUM TECHNOLOGY MANUAL DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO (Tradução das nstruções orgnas) BOMBAS DE VÁCUO LUBRIFICADAS A RECICULAÇÃO - nfo@dvp.t LC.25 LC.40 LC.60 LC.106 LC.151 LC.205 LC.305 LC.205HV LC.305HV

Leia mais

Termômetro Infravermelho (IV) com Laser Duplo

Termômetro Infravermelho (IV) com Laser Duplo Manual do Usuário Termômetro Infravermelho (IV) com Laser Duplo MODELO 42570 Introdução Parabéns pela sua compra do Termômetro Infravermelho Modelo 42570. Esse termômetro Infravermelho mede e exibe leituras

Leia mais

Instruções de Utilização e Montagem

Instruções de Utilização e Montagem Instruções de Utlzação e Montagem Coluna de almentação 1341 26/27/28 1347 26/27/28 Coluna de almentação com panel de lumnação 1342 26/27/28 1348 26/27/28 Coluna de lumnação 1343 26/27/28 Coluna de lumnação,

Leia mais

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal

Este manual de instruções é parte integrante do produto e deve ficar na posse do cliente final. Imagem 1: Vista frontal Painel de comando e sinalização N.º art. MBT 2424 Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas por electricistas especializados.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 7 BC DELPHI COM 93LC66B SR110064 CARGA 032. Evolution. www.chavesgold.com.br

MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 7 BC DELPHI COM 93LC66B SR110064 CARGA 032. Evolution. www.chavesgold.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 7 BC DELPHI COM 93LC66B SR110064 CARGA 032 www.chavesgold.com.br Evoluton 02 INDICE CODIFICAÇÃO 7 BC DELPHI COM 93LC66B BODY COMPUTER DELPHI Rotna Para Verfcação Delph...03

Leia mais

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna

Apostila de Estatística Curso de Matemática. Volume II 2008. Probabilidades, Distribuição Binomial, Distribuição Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna Apostla de Estatístca Curso de Matemátca Volume II 008 Probabldades, Dstrbução Bnomal, Dstrbução Normal. Prof. Dr. Celso Eduardo Tuna 1 Capítulo 8 - Probabldade 8.1 Conceto Intutvamente pode-se defnr probabldade

Leia mais

Instruções de instalação sobre telhado do colector plano FKT-1 para sistemas de aquecimento por energia solar Junkers

Instruções de instalação sobre telhado do colector plano FKT-1 para sistemas de aquecimento por energia solar Junkers Instruções de nstalação sobre telhado do colector plano FKT- para sstemas de aquecmento por energa solar Junkers 60966.0-.SD 6 70 6 58 PT (006/0) SD Índce Generaldades..............................................

Leia mais

Estimativa dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro.

Estimativa dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro. Estmatva dos fluxos turbulentos de calor sensível, calor latente e CO 2, sobre cana-de-açúcar, pelo método do coespectro. O. L. L. Moraes 1, H. R. da Rocha 2, M. A. Faus da Slva Das 2, O Cabral 3 1 Departamento

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4)

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4) REGULAMENTO GERAL (Modaldades 1, 2, 3 e 4) 1. PARTICIPAÇÃO 1.1 Podem concorrer ao 11º Prêmo FIEB de Desempenho Socoambental da Indústra Baana empresas do setor ndustral nas categoras MICRO E PEQUENO, MÉDIO

Leia mais

(MANUAL OU MOTORIZADA) PARA VENTILOCONVECTORES

(MANUAL OU MOTORIZADA) PARA VENTILOCONVECTORES FIH TÉNI - EZEMRO 1 S E 2 VIS (MNUL OU MOTORIZ) PR VENTILOONVETORES ORPO plcações............... rcutos fechados; Água quente, fra (glcol até %) Pressão Nomnal.......... PN Temperatura de Fludo...... +2

Leia mais

Aquecedores de água a gás

Aquecedores de água a gás Manual de nstalação e uso Aquecedores de água a gás GWH 420 CODB GLP.. GWH 420 CODB GN.. BR (06.11) SM Índce Índce Indcações de segurança 3 Explcação da smbologa 3 5 Afnações 14 5.1 Afnação do aparelho

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES FIAT CODE 2 3 MODELOS DE COMPUTADOR DE BORDO ATE ANO 2008 SR110040 CARGA 21. Evolution. www.chavesgold.com.br

MANUAL DE INSTRUÇÕES FIAT CODE 2 3 MODELOS DE COMPUTADOR DE BORDO ATE ANO 2008 SR110040 CARGA 21. Evolution. www.chavesgold.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES FIAT CODE 2 3 MODELOS DE COMPUTADOR DE BORDO ATE ANO 2008 SR110040 CARGA 21 www.chavesgold.com.br Evoluton 02 INDICE FIAT CODE 2 3 MODELOS DE COMPUTADOR DE BORDO ATE ANO 2008 FIAT

Leia mais

(note que não precisa de resolver a equação do movimento para responder a esta questão).

(note que não precisa de resolver a equação do movimento para responder a esta questão). Mestrado Integrado em Engenhara Aeroespacal Mecânca e Ondas 1º Ano -º Semestre 1º Teste 31/03/014 18:00h Duração do teste: 1:30h Lea o enuncado com atenção. Justfque todas as respostas. Identfque e numere

Leia mais

Índice Configuração do instrumento Operações Características técnicas Configurações Códigos de mensagens Cuidados e manutenção Garantia

Índice Configuração do instrumento Operações Características técnicas Configurações Códigos de mensagens Cuidados e manutenção Garantia Índce Confguração do nstrumento - - - - - - - - - - - - - - 2 Introdução - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - 2 Apresentação geral - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR. www.praxair-crd.pt. Sistema de Nebulização Pneumático Eletrónico eflow rapid 24 HORAS

MANUAL DO UTILIZADOR. www.praxair-crd.pt. Sistema de Nebulização Pneumático Eletrónico eflow rapid 24 HORAS MANUAL DO UTILIZADOR www.praxair-crd.pt Sistema de Nebulização Pneumático Eletrónico eflow rapid 24 HORAS 800 201 519 Sistema de Nebulização Pneumático Eletrónico eflow rapid 3 Sistema de Nebulização

Leia mais

Manual de instalação e uso Aquecedores de água a gás GWH 420 CODH GLP.. GWH 420 CODH GN.. 6 720 608 372 BR (06.11) SM

Manual de instalação e uso Aquecedores de água a gás GWH 420 CODH GLP.. GWH 420 CODH GN.. 6 720 608 372 BR (06.11) SM Manual de nstalação e uso Aquecedores de água a gás GWH 420 CODH GLP.. GWH 420 CODH GN.. BR (06.11) SM Índce Índce Indcações de segurança 3 Explcação da smbologa 3 5 Afnações 14 5.1 Afnação do aparelho

Leia mais

Manual de instruções. Vídeo-boroscópio com câmera de inspeção. Modelo BR80

Manual de instruções. Vídeo-boroscópio com câmera de inspeção. Modelo BR80 Manual de instruções Vídeo-boroscópio com câmera de inspeção Modelo BR80 Introdução Parabéns pela aquisição deste vídeo-boroscópio Extech BR80. Este instrumento foi concebido para utilização como aparelho

Leia mais

ELEMENTOS DE CIRCUITOS

ELEMENTOS DE CIRCUITOS MINISTÉRIO D EDUCÇÃO SECRETRI DE EDUCÇÃO PROFISSIONL E TECNOLÓGIC INSTITUTO FEDERL DE EDUCÇÃO, CIÊNCI E TECNOLOGI DE SNT CTRIN CMPUS DE SÃO JOSÉ - ÁRE DE TELECOMUNICÇÕES CURSO TÉCNICO EM TELECOMUNICÇÕES

Leia mais

Física. Física Módulo 1 Vetores, escalares e movimento em 2-D

Física. Física Módulo 1 Vetores, escalares e movimento em 2-D Físca Módulo 1 Vetores, escalares e movmento em 2-D Vetores, Escalares... O que são? Para que servem? Por que aprender? Escalar Defnção: Escalar Grandea sem dreção assocada. Eemplos: Massa de uma bola,

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA

MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA PURE CYCLING MANUAL DO UTILIZADOR BICICLETA DE ESTRADA 1 13 14 2 3 4 5 c a 15 16 17 6 7 8 9 10 11 12 e d b 18 19 20 21 22 23 24 25 Importante! Instruções de montagem pág. 12. Lea cudadosamente as págs.

Leia mais

Impresso. ZARGES GmbH Zargesstraße 7 82362 Weilheim, Germany

Impresso. ZARGES GmbH Zargesstraße 7 82362 Weilheim, Germany N TP-TG-PT pt Elevador de serviço ZARGES com guincho de tração e dispositivo de retenção da TRACTEL Greifzug Plano de verificação diário com protocolo de verificação Impresso ZARGES GmbH Zargesstraße 7

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DA FECHADURA TW3000

GUIA DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DA FECHADURA TW3000 GUIA DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO DA FECHADURA TW3000 Características Abertura por código e/ou chave mecânica; Teclado standard de 12 teclas; Resistente a água (chuvas e salpicos); Fechadura submetida a

Leia mais

Software para Furação e Rebitagem de Fuselagem de Aeronaves

Software para Furação e Rebitagem de Fuselagem de Aeronaves Anas do 14 O Encontro de Incação Centífca e Pós-Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Insttuto Tecnológco de Aeronáutca São José dos Campos SP Brasl Outubro 20 a 23 2008. Software para Furação e Rebtagem

Leia mais

CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO

CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO Head office: Via Catania 4, 00040 Pavona di Albano Laziale (Roma) Italy, Tel. +39 06 9349891 (8 lines) Fax +39 06 9343924 CÉLULA / SENSOR ION-SELETIVO CLORO LIVRE INORGÂNICO GUIA DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO SISTEMAS. O que é sistema? O que é um sistema de controle? O aspecto importante de um sistema é a relação entre as entradas e a saída

INTRODUÇÃO SISTEMAS. O que é sistema? O que é um sistema de controle? O aspecto importante de um sistema é a relação entre as entradas e a saída INTRODUÇÃO O que é sstema? O que é um sstema de controle? SISTEMAS O aspecto mportante de um sstema é a relação entre as entradas e a saída Entrada Usna (a) Saída combustível eletrcdade Sstemas: a) uma

Leia mais

Aquecedor à Óleo de Ambiente. Manual do Usuário

Aquecedor à Óleo de Ambiente. Manual do Usuário Aquecedor à Óleo de Ambiente Manual do Usuário Índice 1. Segurança... 5 1.1 Medidas Importantes de Segurança... 5 1.2 Segurança Elétrica... 6 2. Descrição dos Componentes... 7 3. Instalação... 7 4. Utilização...

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-201 CENTRAL DE ALARME COM FIO AW201 CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de 1 setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado; Tempo de

Leia mais

Manual de instruções Máquina de gelo

Manual de instruções Máquina de gelo P Manual de instruções Máquina de gelo 104.025 / 104.040 V2/0412 Mantenha este manual de instruções pronto a ser utilizado com o produto. - 1 - 1. Informações gerais 3 1.1 Informações sobre o manual de

Leia mais

Guia Rápido - Roma A800

Guia Rápido - Roma A800 Normas de Segurança Guia Rápido - Roma A800 A fim de garantir sua segurança e evitar quaisquer danos ou acidentes causados pelo uso impróprio do produto, por favor, leia com atenção antes de começar a

Leia mais

Ciências Física e química

Ciências Física e química Dretos Exclusvos para o autor: rof. Gl Renato Rbero Gonçalves CMB- Colégo Mltar de Brasíla Reservados todos os dretos. É probda a duplcação ou reprodução desta aula, com ou sem modfcações (plágo) no todo

Leia mais

Sistema de conexão VOSSForm SQR / VOSSForm SQR VA. Segurança Qualidade Rentabilidade

Sistema de conexão VOSSForm SQR / VOSSForm SQR VA. Segurança Qualidade Rentabilidade Sistema de conexão VOSSForm SQR / VOSSForm SQR VA Segurança Qualidade Rentabilidade Informação sobre o produto conexão pelo sistema VOSSForm SQR As exigências essenciais para conexões hidráulicas podem

Leia mais

SP/E. Instruções de Serviço

SP/E. Instruções de Serviço Instruções de Serviço PT CARO CLIENTE! O uso deste manual de instruções faculta-lhe o conhecimento do aparelho, evita falhas por um manuseamento inadequado e aumenta a duração do aparelho. Mantenha estas

Leia mais

Sempre que surgir uma dúvida quanto à utilização de um instrumento ou componente, o aluno deverá consultar o professor para esclarecimentos.

Sempre que surgir uma dúvida quanto à utilização de um instrumento ou componente, o aluno deverá consultar o professor para esclarecimentos. Insttuto de Físca de São Carlos Laboratóro de Eletrcdade e Magnetsmo: Transferênca de Potênca em Crcutos de Transferênca de Potênca em Crcutos de Nesse prátca, estudaremos a potênca dsspada numa resstênca

Leia mais

no sentido inverso ao da marcha Manual de utilização Grupo Peso Idade 0+/1 0-18 kg 6m-4a

no sentido inverso ao da marcha Manual de utilização Grupo Peso Idade 0+/1 0-18 kg 6m-4a no sentido inverso ao da marcha Manual de utilização ECE R44 04 Grupo Peso Idade 0+/1 0-18 kg 6m-4a 1 Obrigado por escolher Besafe izi Kid ISOfix. A BeSafe desenvolveu esta cadeira com muito cuidado, para

Leia mais

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 325ED +55 (16) 33833818

bambozzi Manual de Instruções Fonte de Energia para Soldagem MAC 325ED +55 (16) 33833818 A SSISTÊNCIAS T ÊCNICAS AUTORIZADAS acesse: www.bambozzi.com.br/assistencias.html ou ligue: +55 (16) 33833818 bambozzi Manual de Instruções BAMBOZZI SOLDAS LTDA. Rua Bambozzi, 522 Centro CEP 15990-668

Leia mais

14. Correntes Alternadas (baseado no Halliday, 4 a edição)

14. Correntes Alternadas (baseado no Halliday, 4 a edição) 14. orrentes Alternadas (baseado no Hallday, 4 a edção) Por que estudar orrentes Alternadas?.: a maora das casas, comérco, etc., são provdas de fação elétrca que conduz corrente alternada (A ou A em nglês):

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA COLEGIADO DO CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL CAMPUS I - SALVADOR

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA COLEGIADO DO CURSO DE DESENHO INDUSTRIAL CAMPUS I - SALVADOR Matéra / Dscplna: Introdução à Informátca Sstema de Numeração Defnção Um sstema de numeração pode ser defndo como o conjunto dos dígtos utlzados para representar quantdades e as regras que defnem a forma

Leia mais

www.halten.com.br 21-3095-6006

www.halten.com.br 21-3095-6006 NÍVEL: BÁSCO www.halten.com.br 21-3095-6006 ASSUNTO:CUROSDADES SOBRE RAOS E PROTEÇÃO O QUE É O RAO? O RAO É UM FENÔMENO DA NATUREZA, ALEATÓRO E MPREVSÍVEL. É COMO SE FOSSE UM CURTO CRCUÍTO ENTRE A NUVEM

Leia mais

Termostatos KP. Brochura técnica MAKING MODERN LIVING POSSIBLE. Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT.

Termostatos KP. Brochura técnica MAKING MODERN LIVING POSSIBLE. Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT. MAKING MODERN LIVING POSSIBLE Brochura técnica Termostatos KP Termostatos KP são interruptores elétricos ativados por temperatura com contatos SPDT. Um termostato KP pode ser conectado diretamente a um

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Lista de instrução de uso. Painel de controle. Introdução à estrutura. Instrução de Uso. Proteção e Manutenção. Solução de problemas. Referência. Obrigado

Leia mais

Instruções de utilização Balança de plataforma

Instruções de utilização Balança de plataforma KERN & Sohn GmbH Ziegelei 1 D-72336 Balingen E-Mail: info@kern-sohn.com Tel: +49-[0]7433-9933-0 Fax: +49-[0]7433-9933-149 Internet: www.kern-sohn.com Instruções de utilização Balança de plataforma KERN

Leia mais

P88 - Manual do Usuário - 01

P88 - Manual do Usuário - 01 P88 - Manual do Usuário - 01 Sumário I - Acessórios... 03 II - Especificações... 04 III - Perfil... 05 IV - Indicadores LED... 05 V - Instalação... 06 VI - Os requerimentos de conexão do aparelho... 07

Leia mais

Sistemas de Filas: Aula 5. Amedeo R. Odoni 22 de outubro de 2001

Sistemas de Filas: Aula 5. Amedeo R. Odoni 22 de outubro de 2001 Sstemas de Flas: Aula 5 Amedeo R. Odon 22 de outubro de 2001 Teste 1: 29 de outubro Com consulta, 85 mnutos (níco 10:30) Tópcos abordados: capítulo 4, tens 4.1 a 4.7; tem 4.9 (uma olhada rápda no tem 4.9.4)

Leia mais

Aviso antes da instalação

Aviso antes da instalação Aviso antes da instalação Desligue a Câmara de Rede se vir fumo ou sentir cheiros estranhos. Não coloque a câmara de rede próximo de fontes de calor como, por exemplo, um televisor ou um forno. Mantenha

Leia mais

- -Pressionando essa tecla podemos diminuir os valores a serem ajustados no menu de programação.

- -Pressionando essa tecla podemos diminuir os valores a serem ajustados no menu de programação. Apresentação 1 Display LCD 2 Tecla + (aumentar) 3 Tecla Seleção 4 Tecla (diminuir) 5 Tecla Motor manual 6 Tecla Reset contador 7 Led Indica painel ligado 8 Led resistência ligada 9 Led Prensa ligada 10

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 9 CAIXINHA CINZA SR110121 CARGA 059. Evolution. www.chavesgold.com.br

MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 9 CAIXINHA CINZA SR110121 CARGA 059. Evolution. www.chavesgold.com.br MANUAL DE INSTRUÇÕES CODIFICAÇÃO 9 CAIXINHA CINZA SR110121 CARGA 059 www.chavesgold.com.br Evoluton 02 INDICE CODIFICAÇÃO 9 CAIXINHA CINZA IMOBILIZADOR FIAT CODE 2 CAIXA CINZA 51792732 / 51819928 Rotna

Leia mais

NRGS 11-2 NRGS 16-2. Instruções de funcionamento 810336-00 Electrodo de nível NRGS 11-2 Electrodo de nível NRGS 16-2

NRGS 11-2 NRGS 16-2. Instruções de funcionamento 810336-00 Electrodo de nível NRGS 11-2 Electrodo de nível NRGS 16-2 NRGS 11-2 NRGS 16-2 Instruções de funcionamento 810336-00 Electrodo de nível NRGS 11-2 Electrodo de nível NRGS 16-2 Dimensões 173 173 500, 1000, 1500 140 500, 1000, 1500 240 140 337,5 Fig. 1 Fig. 2 2 Componentes

Leia mais

manual do cliente Manual do Cliente 409-10204-PT 30 de MAIO 2012 Rev E

manual do cliente Manual do Cliente 409-10204-PT 30 de MAIO 2012 Rev E Máqunas de Termnação AMP 3K/40* CE 2161400-[ ] e Máqunas de Termnação AMP 5K/40* CE 2161500-[ ] Manual do Clente 409-10204-PT 30 de MAIO 2012 manual do clente PRECAUÇÕES DE SEGURANÇA LEIA ISTO EM PRIMEIRO

Leia mais

Manual de instruções Forno para pizza Mini

Manual de instruções Forno para pizza Mini P Manual de instruções Forno para pizza Mini 203510 203500 V1/0813 PORTUGUÊS Tradução do manual de instruções original Antes de iniciar a utilização deve ler o manual de instruções e seguidamente guardá-lo

Leia mais

Aula 7: Circuitos. Curso de Física Geral III F-328 1º semestre, 2014

Aula 7: Circuitos. Curso de Física Geral III F-328 1º semestre, 2014 Aula 7: Crcutos Curso de Físca Geral III F-38 º semestre, 04 Ponto essencal Para resolver um crcuto de corrente contínua, é precso entender se as cargas estão ganhando ou perdendo energa potencal elétrca

Leia mais

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES 11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES ELIMINAÇÃO DE PROBLEMAS ASPIRADOR NÃO LIGA Verificar se a

Leia mais

Sistema Inversor. Modelos Tipo Parede. Localização e reparação de erros

Sistema Inversor. Modelos Tipo Parede. Localização e reparação de erros Sistema Inversor Modelos Tipo Parede Localização e reparação de erros 1- Quando a unidade apresenta algum problema (a lâmpada de operação e Timer não irá acender) 2- A função autodiagnóstico (a lâmpada

Leia mais

1 Indicações de segurança

1 Indicações de segurança Actuador regulador universal 1 canal, 50-210 W com entrada binária N.º art. 3210 UP Manual de instruções 1 Indicações de segurança A instalação e a montagem de aparelhos eléctricos apenas devem ser realizadas

Leia mais

Controlo do sistema PT100M-NR

Controlo do sistema PT100M-NR Controlo do sistema PT100M-NR Manual de instalação PT100MNR-IPT083510 98-0017910 Versão 1.0 PT Índice Índice 1 Indicações sobre estas instruções.................... 5 1.1 Área de aplicação...................................

Leia mais

Guia do usuário. Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22

Guia do usuário. Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22 Guia do usuário Sistema sem-fio UHF UWS-21 / UWS-22 Introdução O seu novo sistema sem-fio foi desenvolvido para lhe dar o melhor do mundo da sonorização: a liberdade de um sistema sem-fio, com excelente

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO MP3 AUTOMOTIVO DZ-6515 CÓD.: 651-5

MANUAL DO USUÁRIO MP3 AUTOMOTIVO DZ-6515 CÓD.: 651-5 MANUAL DO USUÁRIO MP3 AUTOMOTIVO DZ-6515 CÓD.: 651-5 IMPORTANTE Siga todas as instruções. Leia e compreenda todas as instruções antes de usar o equipamento. Caso ocorram danos causados pela não utilização

Leia mais

Manual de Instruções. Bicicleta Profissional - 359-359E - 360

Manual de Instruções. Bicicleta Profissional - 359-359E - 360 Manual de Instruções Bicicleta Profissional - 359-359E - 360 PREZADO CLIENTE Parabéns pela escolha! Você acaba de adquirir um equipamento EMBREEX, produzido dentro do mais rigoroso padrão de qualidade!

Leia mais

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações.

As tabelas resumem as informações obtidas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de informações. 1. TABELA DE DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA As tabelas resumem as normações obtdas da amostra ou da população. Essas tabelas podem ser construídas sem ou com perda de normações. As tabelas sem perda de normação

Leia mais

Capítulo 1. O plano complexo. 1.1. Introdução. Os números complexos começaram por ser introduzidos para dar sentido à 2

Capítulo 1. O plano complexo. 1.1. Introdução. Os números complexos começaram por ser introduzidos para dar sentido à 2 Capítulo O plano compleo Introdução Os números compleos começaram por ser ntrodudos para dar sentdo à resolução de equações polnomas do tpo Como os quadrados de números reas são sempre maores ou guas a

Leia mais