POLITICA DE INVESTIMENTOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "POLITICA DE INVESTIMENTOS"

Transcrição

1 MSD PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA POLITICA DE INVESTIMENTOS 2002 RUA ALEXANDRE DUMAS, º Andar CEP: CHACARA SANTO ANTONIO SÃO PAULO/SP TEL: (011) FAX: (011)

2 Índice 1. Finalidade da Política de Investimentos A MSD Prev Constituição da Política de Investimentos Funções da Política de Investimentos Início da vigência da Política de Investimentos Considerações Gerais do Plano e Pressupostos da Política de Investimentos Características da MSD Prev Pressupostos da Política de Investimentos da MSD Prev Condições de elegibilidade Característica do passivo e sua evolução Importância da obtenção de performance Tolerância ao risco na obtenção da performance desejada Metas Atuariais Limitações Legais Condições Político-Macroeconômicas Alocação das Responsabilidades na Administração dos Ativos da Entidade Responsabilidades da MSD Prev Processos de Contração de Atividades Terceirizadas Responsabilidades do(s) Administrador(es) de Recursos O Agente Custodiante O Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado Diretrizes da Política de Investimentos, Benchmarks das Carteiras e Objetivos de Performance do Fundo Tipo de Investidor Objetivo do Retorno de Longo Prazo para a Entidade Horizonte do Investimentos Veículo dos Investimentos Aplicação dos Recursos Composição das Carteiras/Fundos Limites para Exposição da Carteira da Entidade Limites para Exposição da Carteira da Entidade para cada Administrador de Recursos Rebalanceamento das Carteiras Target para Exposição da Carteira da Entidade Target para a Exposição da Carteira da Entidade para cada Administrador de 23 Recursos Limites para Investimentos em Títulos e Valores Mobiliários de Emissão e/ou coobrigação da mesma Pessoa Jurídica Gerenciamento de risco Limites de VaR Índice para Comparação de Rentabilidade ( benchmark ) e Tolerância a Risco dos Ativos Administrados da Entidade Estilo de Gestão Custos da Gestão dos Recursos Análise de Performance e Avaliação Quantitativa do(s) Administrador(es) de Recursos Avaliação Qualitativa do(s) Administrador(es) de Recursos Avaliação Qualitativa do Custodiante Penalização(ões) do(s) Administrador(es) de Recursos Penalizações do Custodiante Revisão de Política Conflitos de Interesse e Responsabilidades Anexo: Questionário para o Resumo da Política de Investimentos MSD Prev Sociedade de Previdência Privada i

3 I.1. Finalidade da Política de Investimentos Formatados: Marcadores e numeração 1.1. A MSD Prev Sociedade de Previdência Privada A MSD Prev Sociedade de Previdência Privada (Sociedade), pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, é uma entidade fechada de previdência privada instituída, sob a forma de Sociedade Civil, na forma da legislação em vigor. Constituem objetivos da Sociedade instituir planos privados de concessão de benefícios de pecúlio ou de renda, complementares ou assemelhados aos da Previdência Social; incumbir-se da prestação de serviços assistenciais; instituir programas assistenciais de natureza social e financeira; criar e manter outros planos de benefícios ou de assistência, expressamente autorizados por lei ou órgão governamental. Os planos e programas serão criados e mantidos para atender aos empregados da Merck Sharp & Dohme Farmacêutica Ltda., Patrocinadora Principal da Sociedade, bem como aos das outras empresas ou entidades, as quais serão denominadas Patrocinadoras, que vieram a integrá-los, mediante a celebração do competente convênio de adesão, que será submetido à aprovação da autoridade competente Constituição da Política de Investimentos Este documento de definição da Política de Investimentos e seus objetivos foi constituído em consideração ao Regulamento Geral, Regulamento do Plano de Aposentadoria e Estatuto da MSD Prev e em acordo com sua característica principal: plano de contribuição definida. O documento Questionário para o resumo da Política de Investimentos é parte integrante da presente Política de Investimentos Funções da Política de Investimentos Este documento estabelece as maneiras sobre as quais os ativos da MSD Prev deverão ser investidos e foi preparado para assegurar e garantir a continuidade do gerenciamento prudente e eficiente dos ativos da Entidade. Os investimentos deverão ser selecionados de acordo com os critérios e definições das seções seguintes e em acordo com a legislação em vigor (Resolução /Conselho Monetário Nacional (CMN)/Nº 2829, de 30 de março de 2001 e Nº 2850, de 02 de julho de 2001) Início da vigência da Política de Investimentos A data efetiva desse documento é 26 dezembro de MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 1

4 II.2. Considerações Gerais do Plano e Pressupostos da Política de Investimentos Formatados: Marcadores e numeração 2.1. Características da MSD Prev - Sociedade de Previdência Privada Constitui um plano de Contribuição Definida (CD). De acordo com o Art. 6º do Estatuto, constituem patrimônio da Sociedade: As contribuições periódicas das Patrocinadoras e, quando for o caso, dos Participantes dos Planos de benefícios e serviços, na forma que dispuserem os Regulamentos; As receitas de aplicações dos seus bens; As dotações, as doações, as subvenções, os legados, as rendas, os auxílios, as contribuições e os incentivos de qualquer natureza, que venham a ser feitos ou concedidos por pessoas físicas ou jurídicas, privadas, mistas, autárquicas ou estatais, nacionais ou estrangeiras. De acordo com o capítulo A.5 do Regulamento do Plano de Aposentadoria, os benefícios oferecidos pela MSD Prev - Sociedade de Previdência Privada são: Aposentadoria Normal; Aposentadoria Antecipada; Aposentadoria Postergada; Incapacidade; Pecúlio por Morte; Benefício Diferido por desligamento; Benefício Mínimo; Pressupostos da Política de Investimentos da MSD Prev - Sociedade de Previdência Privada Os pressupostos que norteiam a política de investimentos da MSD Prev - Sociedade de Previdência Privada são: Condições de elegibilidade De acordo com Regulamento do Plano de Aposentadoria, as condições de elegibilidade dos benefícios são: Aposentadoria Normal: ter pelo menos 60 (sessenta) anos de idade e no mínimo 5 (cinco) anos de Serviço Contínuo. Para o Participante Ativo que, na Data Efetiva do Plano, tenha idade superior a 55 anos, a primeira elegibilidade à Aposentadoria Normal ocorrerá após 5 (cinco) anos contados da Data Efetiva do Plano ou no mês em que completar 65 (sessenta e cinco) anos de idade, se anterior àquela. Aposentadoria Antecipada: ter pelo menos 55 (cinqüenta e cinco) anos de idade e no mínimo 5 (cinco) anos de Serviço Contínuo. A elegibilidade ao MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 2

5 benefício de Aposentadoria Antecipada cessará na data em que o Participante Ativo se tornar elegível ao benefício de Aposentadoria Normal. Aposentadoria Postergada: após decorridos 12 (doze) meses da data em que se tornou elegível a uma Aposentadoria Normal. A elegibilidade a uma Aposentadoria Postergada cessará aos 70 anos de idade. Incapacidade: 1 (um) ano de Serviço Contínuo e elegível a um benefício de aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença pela Previdência Social, e que sua Incapacidade seja atestada por clínico credenciado pela Sociedade, mas não antes do 16º (décimo sexto) dia de Incapacidade, observadas as restrições fixadas no item A.5.5 do Regulamento do Plano de Aposentadoria. Pecúlio por Morte: será concedido aos Beneficiários de Participante Assistido ou Ativo que vier a falecer, sendo exigido para este último, pelo menos 1 (um) ano de Serviço Contínuo (imediato em caso de acidente de trabalho) e tenha feito contribuições para este Plano. Benefício Diferido por Desligamento: desde que não opte em permanecer contribuindo para o Plano, ocorrendo o Término do Vínculo Empregatício de Participante Ativo, devido a qualquer motivo diferente de demissão por justa causa, após completar cumulativamente, no mínimo, 50 (cinqüenta) pontos, onde pontos é a soma da idade e Serviço Contínuo, antes, portanto, de ser elegível a um benefício de Aposentadoria Antecipada, o Participante Ativo será elegível a um Benefício Diferido por Desligamento, podendo tornar-se um Participante Vinculado, desde que deixe o saldo da Conta do Participante retido no Fundo, até ser elegível a uma Aposentadoria Antecipada, Normal ou Postergada na forma prevista no Regulamento. Não terão direito a qualquer parcela da Conta de Contribuição de Patrocinadora e receberá somente, na forma de pagamento único, o saldo da Conta de Contribuição de Participante o Participante Ativo que tiver perdido tal qualidade, por ter cessado o seu vínculo empregatício com Patrocinadora antes de completar, cumulativamente, no mínimo, 50 (cinqüenta) pontos, onde pontos é a soma da idade e Serviço Contínuo, bem como, aquele que for demitido por justa causa. Benefício Mínimo: quando o valor do benefício calculado conforme itens apresentados no item A do Regulamento do Plano de Aposentadoria, for menor do que o valor do Benefício Mínimo, o Participante Ativo que se aposentar ou se invalidar, ou seus Beneficiários no caso de falecimento do Participante Ativo, será elegível ao Benefício Mínimo. A seguir são apresentadas as classificações dos participantes ativos (contribuintes) da Entidade, em setembro de 2001, por faixas etárias e tempo de serviço. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 3

6 Nº de participantes Tabela de Nº de Participantes Tempo de Serviço Idade 0 a 4 5 a 9 10 a a a a a 34 Total 0 a a a a a a a a a ou mais Total Graficamente, a a a a a a a a a ou Faixa Etária do Participante mais Tempo de serviço 0 a 4 5 a 9 10 a a a a a 34 Resumo das características dos participantes ativos (contribuintes): Faixa Salarial (SM*) Nº Participantes Idade Média (anos) Nº Participantes < 25 anos Nº Participantes > 50 anos Até 10 SM 8 23, Entre 11 e 20 SM , Acima de 21 SM , Total , * SM: Salário Mínimo = R$180,00. Faixa Salarial (SM) Tempo de Serviço Médio (anos) Até 10 SM 1,00 Entre 11 e 20 SM 2,81 Acima de 21 SM 8,09 Total 5,91 MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 4

7 Resumo das características dos participantes ativos (com contribuições suspensas): Faixa Salarial (SM) Nº Participantes Idade Média (anos) Nº Participantes < 25 anos Nº Participantes > 50 anos Até 10 SM Entre 11 e 20 SM Acima de 21 SM 10 37, Total 13 34, Faixa Salarial (SM) Tempo de Serviço Médio (anos) Até 10 SM 1,00 Entre 11 e 20 SM 4,00 Acima de 21 SM 9,00 Total 7,62 Turn-over da população: 8,80% a.a., para todas as faixas salariais. A partir dos dados acima constata-se uma população jovem (idade média de 35,91 anos para os participantes ativos contribuintes) com tempo de serviço médio relativamente baixo (5,91 anos para os participantes ativos contribuintes). Associando-se esses fatores com um turn-over relativamente alto, espera-se uma baixa probalidade dos participantes, no futuro, atingirem as condições de elegibilidade aos benefícios do Plano de Aposentadoria da Entidade Vale ressaltar, que com o passar dos anos e se verificando a manutenção do atual nível de turn-over, dependendo da forma que a Portabilidade for regulamentada, a Entidade poderá se expor ao risco de liquidez. Existem 10 (dez) participantes com idade acima de 55 (cinqüenta e cinco anos) e com mais de 5 (cinco) anos de tempo de serviço, já com condições de elegibilidade atingidas ou por atingir, no curto prazo. Esse número é pequeno e não demanda nenhuma consideração especial na presente Política Característica do passivo e sua evolução Por ser o Plano do tipo de Contribuição Definida, o risco de oscilação no valor dos investimentos é sempre assumido pelo Participante. Para avaliar a tolerância a risco dos participantes, devemos observar a evolução de suas características. A tolerância a risco de um participante define até quanto de seus recursos podem ser investidos em segmentos de aplicação de maior volatilidade (risco) buscando rentabilidade. Participantes mais jovens possuem, a princípio, maior tolerância a risco. Participantes aposentados, ou próximos a aposentadoria, menor. Um outro conceito importando é o de percepção a risco. Ela é que potencializa a tolerância a risco e esta mais ligada ao nível de poupança acumulada do que a idade do participante. È bem verdade que participantes mais idosos possuem maior poupança. Quanto maior a percepção a risco, maior será a consciência da tolerância a risco que o participante possuirá. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 5

8 Para se avaliar e adequar os investimentos da Entidade às necessidades de seus participantes (tolerância e percepção a risco), duas variáveis devem ser monitoradas com um pouco mais de cuidado: tempo de contribuição e faixa salarial. Ambas variáveis são relacionadas com o volume de reservas acumulado e refletem as expectativas de aposentadoria dos participantes. A associação dessas variáveis com o turn-over da população propiciará condições mínimas de verificação do apetite ao risco da Entidade. Em setembro de 2001, a população de participantes ativos (contribuintes) da MSD - Prev possuía as seguintes características: Tabela de Nº de Participantes Tempo de Contribuição Idade até 1 ano De 1 a 2 de 2 a 3 anos de 3 a 4 anos Total anos 0 a a a a a a a a a ou mais Total Graficamente: Nº de pa rti cip an tes Tempo de contribuição de 0 a 1 de 1 a 2 de 2 a 3 de 3 a a a a a a a a a a ou mais Faixa Etária do Participante MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 6

9 Salário Médio (R$) Tabela de Salário Médio (R$) Tempo de Contribuição Idade até 1 ano de 1 a 2 anos de 2 a 3 anos de 3 a 4 anos Salário Médio por Idade 0 a , ,00 20 a , , , , ,41 25 a , , , , ,84 30 a , , , , ,60 35 a , , , , ,95 40 a , , , , ,43 45 a , , , , ,56 50 a , , , ,43 55 a , ,29 60 ou mais , ,10 Salário Médio por Tempo de Contrib , , , ,89 - Graficamente, Tempo de contribuição de 0 a de 1 a 2 de 2 a 3 de 3 a a a a a a a a a a ou Faixa Etária do Participante mais MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 7

10 Salário Médio (em R$) Tabela de Saldo Médio dos Participantes (R$) Tempo de Contribuição Idade Até 1 ano de 1 a 2 anos de 2 a 3 anos de 3 a 4 anos Saldo Médio por Idade 0 a , ,10 20 a , , , , ,36 25 a , , , , ,70 30 a , , , , ,06 35 a , , , , ,28 40 a , , , , ,83 45 a , , , , ,23 50 a , , , ,72 55 a , ,96 60 ou mais , ,25 Saldo Médio por Tempo de Serviço 4.690, , , ,92 - Graficamente, Tempo de contribuição de 0 a 1 de 1 a 2 de 2 a 3 de 3 a a a a a a a a a a ou mais Faixa Etária do Participante Dos dados podemos destacar a existência de 452 participantes (73% da população) com idade até 39 anos, distribuídos de forma relativamente homogênea ao longo de 10 anos, o que nos leva a acreditar que mesmo no longo prazo não deveremos ter uma massa de participantes aposentando na mesma época. Outro fato é a existência de 33 participantes (5% da população), com idade acima de 50 (cinqüenta) anos e salário médio de R$6.611,97, os quais MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 8

11 estarão aposentando em breve, o que demanda alguma liquidez, mesmo que pequena, devido ao pouco tempo de contribuição. No médio prazo, o turn-over da população, indica baixa probabilidade dos participantes atingirem as condições de elegibilidade e exercerem seus benefícios de aposentadoria. As características dos participantes aposentados da MSD - Prev em setembro de 2001 eram: Faixa de Benefício (SM) Nº Participantes Idade Média (anos) Até 10 SM 9 59,62 Entre 11 e 20 SM - - Acima de 21 SM - - Total 9 59,62 Faixa de Benefício (SM) Benefício Médio (R$) Menor Benefício (R$) Maior Benefício (R$) Até 10 SM 591,66 381,84 899,45 Entre 11 e 20 SM Acima de 21 SM Total 591, A característica do vesting da MSD-Prev em setembro de 2001 era: Nº Participantes Idade Média (anos) Nº Participantes > 50 anos 18 48,28 9 Saldo do Participante em R$ Saldo da Patrocinadora em R$ Saldo Total em R$ Participante , , ,68 Participante , , ,50 Participante , , ,38 Participante , , ,86 Participante , , ,75 Participante , , ,34 Participante , , ,96 Participante , , ,00 Participante , , ,21 Participante , , ,59 Participante , , ,07 Participante , , ,04 Participante , , ,81 Participante , , ,32 Participante , , ,20 Participante , , ,37 Participante , , ,85 Participante , , ,33 SOMA , , ,27 Média , , ,03 MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 9

12 A longo prazo, espera-se, como em qualquer Plano com muitos benefícios concedidos, maior dispersão das características dos participantes. Finalmente, segundo a característica do plano e participantes, notamos que a MSD-Prev possui liberdade na definição de estilo e modalidade de gestão de recursos Importância da obtenção de performance De acordo com o item A do Regulamento do Plano de Aposentadoria, as contribuições dos Participantes e da Patrocinadora para este plano serão pagas à Sociedade, que efetuará os investimentos e contabilizará em cada conta todos os valores e os rendimentos obtidos. Por ser um plano do tipo Contribuição Definida, o retorno dos investimentos constitui uma variável importante, juntamente com as contribuições dos participantes e da patrocinadora, à formação do saldo do participante e definirá o nível de renda esperado na concessão de benefícios Tolerância ao risco na obtenção da performance desejada A definição do apetite ao risco da Sociedade é função de suas metas de performance e de seus objetivos de benefícios. Neste sentido são levados em consideração a meta atuarial da Sociedade e as expectativas quanto a evolução de médio prazo dos investimentos autorizados ou que vieram a ser autorizados pela Regulamentação Nacional. Com relação a evolução de médio prazo dos investimentos cabe observar resultados de estudo desenvolvido pelo Departamento de Investment Consulting da William M. Mercer, no Brasil. O estudo apresentado baseou-se na composição de rentabilidades de carteiras de investimentos hipotéticas. Foram considerados dois segmentos de investimentos, (uma vez que a Legislação em vigor não permite que as Entidades invistam no exterior): Renda Fixa (taxa SELIC) e Renda Variável (IBOVESPA), deflacionados pelo IPC-FIPE. Vários asset mix foram analisados sob três períodos de maturação dos investimentos (médias móveis de 1ano, 5 anos e 10 anos), entre janeiro de 1975 e maio de Os resultados obtidos foram os seguintes: 1. Período de 1 ano com Rebalanceamento Mensal Quadro Resumo Com Rebalanceamento Mensal 1 ano Renda Fixa 100% 85% 77,5% 70% 60% Melhor 51,64% 74,62% 92,77% 112,05% 139,50% Média 9,17% 12,79% 14,57% 16,31% 18,60% Pior -37,82% -29,95% -32,80% -40,30% -49,24% Desvio 16,01% 19,33% 22,43% 26,18% 31,92% MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 10

13 2. Período de 5 anos com Rebalanceamento Mensal* Quadro Resumo Com Rebalanceamento Mensal 5 anos Renda Fixa 100% 85% 77,5% 70% 60% Melhor 26,60% 30,87% 33,65% 36,50% 41,46% Média 8,32% 12,11% 13,67% 15,00% 16,39% Pior -7,04% -7,90% -8,47% -9,18% -10,20% Desvio 10,19% 11,04% 11,72% 12,51% 13,64% *Rentabilidades Anualizadas 3. Período de 10 anos com Rebalanceamento Mensal* Quadro Resumo Com Rebalanceamento Mensal 10 anos Renda Fixa 100% 85% 77,5% 70% 60% Melhor 22,38% 25,50% 27,37% 29,45% 32,19% Média 8,17% 12,72% 14,57% 16,13% 17,73% Pior -1,29% 1,12% 2,07% 2,84% 3,61% Desvio 7,19% 7,32% 7,41% 7,50% 7,58% *Rentabilidades Anualizadas Dos resultados acima dois fatos se destacam: a importância da definição do horizonte de tempo dos investimentos e a associação da expectativa de retorno a níveis de volatilidade toleráveis. Com relação ao horizonte de tempo, nota-se que para o período com média móvel de 10 anos não se verificou a existência de retornos negativos para uma carteira segmentada em Renda Fixa e Renda Variável. Esse resultado favorece a definição de um asset mix com investimentos em Renda Variável. A determinação da quantidade a ser investida em Renda Variável, deve ser sempre uma função da expectativa de retorno e da volatilidade deste investimento. Considerando que o objetivo de retornos para uma Entidade Fechada de Previdência Complementar é o de longo prazo, recomenda-se que a MSD Prev Sociedade de Previdência Privada mantenha sempre em sua carteira de investimentos ações. 1, Evolução das Carteiras compostas de RF e RV deflacionadas pelo IGP-DI - Jan/90 Jan/91 Jan/92 Jan/93 Jan/94 Jan/95 Jan/96 Jan/97 Jan/98 Jan/99 Jan/00 Jan/01 100% RF 0% RV 75% RF 25% RV 50% RF 50% RV 25% RF 75% RV 0% RF 100% RV MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 11

14 No gráfico acima são apresentadas as evoluções dos rendimentos acumulados de cinco carteiras de investimentos (rebalanceadas mensalmente) deflacionados pelo Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI/FGV) entre janeiro de 1990 e maio de Em conformidade com o estudo anterior, as carteiras com alocações tanto em Renda Fixa como em Renda Variável apresentaram ao longo do período níveis de retornos acima das carteiras com alocação apenas em Renda Fixa ou Renda Variável. Entre as carteiras com recursos em Renda Variável destaca-se a evolução da carteira com 75% dos recursos em Renda Fixa e 25% dos recursos em Renda Variável cuja volatilidade apresentada é significativamente inferior às das demais carteiras. Desse modo, o ideal é se constituir um objetivo, de longo prazo, de alocação em renda variável que permita uma volatilidade de curto prazo, até um ano, tolerável. Das tabelas acima, ponderando-se os retornos de longo prazo (5, 10 anos) com a volatilidade de curto prazo (1 ano), uma alocação de 75% em Renda Fixa e 25% em Renda Variável, oferece uma boa relação entre os retornos de longo prazo e a volatilidade de curto prazo Metas Atuariais A meta atuarial para retorno dos investimentos estabelecida para o plano de aposentadoria MSD-Prev é IGP-DI + 6% a.a Limitações Legais As Resoluções nº 2829 e nº 2850 estabelecem, entre outros, os enquadramentos e limitações da alocação dos ativos das EFPC tanto a nível macro (alocação entre os segmentos) como a nível micro (alocação nos segmentos). Define, também, a responsabilidade de seus administradores e dos Administradores de Recursos da Entidade na gestão dos recursos. A presente política se submete à regulamentação vigente no País Condições Político-Macroeconômicas Variações nas condições político-macroeconômicas impactam na percepção da relação risco-retorno dos tipos de investimentos disponíveis. Portanto, qualquer alteração nestas condições, requer, no mínimo, uma revisão da presente Política. Para o ano de 2002, a Entidade trabalha com o seguinte cenário econômico: Item 2002 PIB 3,00% Inflação (IPCA/IBGE) 5,00% Inflação (INPC/IBGE) 5,35% Inflação (IGP-M/FGV) 6,50% Juros (SELIC) 16,50% Taxa de Câmbio R$/US$ 2,84 Variação Anual da Taxa de Câmbio 5,00% Transações Câmbio Correntes (%PIB) -3,50% Bolsa (Ibovespa) 16,00% Os pressupostos para a construção do cenário são: não haverá choque externo; descontinuidade na condução da política econômica e ruptura no governo devido as eleições de outubro de Ainda, a crise energética não se agravará, não afetando o nível de atividade econômica, inflação e juros. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 12

15 3. Alocação das Responsabilidades na Administração dos Ativos da Entidade A MSD Prev Sociedade de Previdência Privada é o administrador legal do Plano de Aposentadoria e, também, a responsável pelo gerenciamento de seus ativos. Neste sentido, a MSD Prev aloca as responsabilidades da administração de seu ativos da seguinte forma: 3.1. Responsabilidades da MSD Prev A MSD Prev deve: Estabelecer e adotar este documento na condução dos investimentos dos ativos da Sociedade. Revisar este documento no mínimo anualmente e confirmar ou adequar os pressupostos relacionados às expectativas dos retornos, à tolerância ao risco, ao horizonte de tempo e ao asset mix de longo prazo e seus impactos sobre os investimentos do Plano de Aposentadoria ou fluxo de contribuições. Determinar o(s) custodiante(s) para seus investimentos, caso opte pela contratação de custodiante. Determinar o(s) administrador(es) de recursos para gerenciar(em) os ativos da Sociedade. Informar o(s) administrador(es) de recursos em caso de mudanças significativas no fluxo de caixa. No mínimo a cada trimestre, revisar e analisar seu(s) administrador(es) de recursos e sua(s) performance(s) qualitativa e quantitativa, incluindo: Análise das taxas de retorno obtidas mediante comparação aos objetivos previamente estabelecidos; Monitoramento do grau de risco assumido para o nível de retorno obtido; Revisão das atividades e características do(s) administrador(es) de recursos conforme critérios determinados na sua(s) escolha(s). Selecionar opções de investimentos dos recursos da Sociedade. Determinar o(s) provedor(es) da análise de performance, consultor(es) de retirement e demais especialistas, quando necessário. Nomear Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado para mandatos de prazos indeterminados. Destituir Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado sempre que julgar pertinente. Neste caso um substituto deverá ser nomeado pelo Conselho imediatamente. Como administrador estatutário tecnicamente qualificado e responsável pela gestão, alocação, supervisão e acompanhamento dos investimentos dos recursos da Entidade, o Conselho da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada nomeia o Sr. João Ricardo Parolini, brasileiro, solteiro, contador, gerente de administração de vendas, titular da Cédula de Identidade nº , inscrito no CPF sob o nº MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 13

16 e domiciliado na cidade de São Caetano do Sul. Com um mandato de prazo indeterminado, a partir desta data Processos de Contratação de Atividades Terceirizadas: A Patrocinadora não é especialista em gestão de recursos e não possui interesse na implementação de modelo de gestão interno dos recursos. Assim, o Conselho da Sociedade julgou mais eficiente e prudente a contratação de administradores de recursos para administrar os recursos da Sociedade nos Segmentos de Renda Fixa e Renda Variável. O estilo de gestão adotado possui como meta a obtenção dos retornos necessários aos objetivos definidos nesta Política de Investimentos levando-se em consideração o nível de tolerância a risco da Sociedade. Instituições Financeiras: Os Administradores de Recursos são selecionados através de parâmetros de qualificação tais como: tradição, solidez, capacitação técnica ao atendimento dos objetivos da Sociedade, representatividade da carteira de clientes, manutenção da base de clientes, qualidade e manutenção do quadro de profissionais envolvidos na gestão dos recursos, entre outros. Para auxiliar a Sociedade na contratação e avaliação de Administrador(es) de Recursos, a Sociedade poderá contratar Consultoria Especializada. A seleção de ativos é realizada pelos administradores de recursos contratados, que, dentro dos critérios e limites impostos por esta Política de Investimentos e pela legislação em vigor, têm liberdade na escolha dos ativos a serem adquiridos. Atualmente a administração dos recursos da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada é realizada pelo seguinte Administrador de recursos: CITIGROUP (Rating braa+/bra-1, dado pela agência de classificação Standard&Poor s) Corretoras: Considerando a terceirização da gestão dos recursos, a Sociedade não participa da escolha das Corretoras. A escolha das Corretoras é realizada pelo(s) Administrador(es) de Recursos da Sociedade. Conforme item 3.2 desta Política, o(s) Administrador(es) de Recursos tem que informar a Sociedade sua política de corretagem, incluindo retenção de Soft Dollar ou seja, a retenção / repasse de quaisquer descontos nas taxas básicas de corretagem, obtidas pelo Asset Manager Agente Consolidador: A MSD Prev Sociedade de Previdência Privada é o agente responsável pela consolidação das informações de seus próprios investimentos. Para tanto, pode contratar consultoria, instituição financeira ou empresa para suporte nos serviços necessários ao atendimento das exigências relacionadas à consolidação das informações. A contratação de terceiros para a prestação dos serviços relacionados à consolidação das informações é realizada através de parâmetros de qualificação tais como: capacitação técnica, carteira de clientes, ausência de real e potencial conflito de interesses entre os serviços, qualidade e clareza das informações prestadas ( Value at Risk - VaR, preenchimento do MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 14

17 Demonstrativo Analítico dos Investimentos e Enquadramento das Aplicações DAIEA, verificação do enquadramento das aplicações dos recursos, entre outras) e comprometimento no cumprimento de prazos. A empresa selecionada e contratada para os serviços de consolidação das informações é a William M. Mercer Limitada. Auditor Independente: O auditor independente é selecionado através de parâmetros de qualificação tais como: tradição em auditoria, capacitação técnica e forma simples e objetiva de verificação do grau de conformidade dos investimentos realizados, adequação da metodologia e dos procedimentos de cálculo de valor em risco, enquadramento dos limites estabelecidos na política de investimentos e legislação vigente e cumprimento de prazos. Consultorias: As consultorias são selecionadas, respectivamente, através de parâmetros de qualificação tais como: tradição, capacitação técnica, atividades com foco no Investidor Institucional, representatividade da carteira de clientes, manutenção da base de clientes, qualidade e manutenção do quadro de profissionais, ausência de real ou potencial conflito de interesses entre os serviços, clientes e procedimentos da Consultoria de Investimentos e os interesses da Entidade. As atividades contratadas com consultorias são: formalização da Política de investimentos, análise de desempenho e performance dos investimentos, acompanhamento e assessoria nas reuniões de avaliação de desempenho do(s) administrador(es) de recursos e treinamentos Responsabilidades do(s) Administrador(es) de Recursos O(s) Administrador(es) de Recursos deve(m): Realizar a gestão dos ativos da Sociedade, conforme a legislação em vigor e as restrições e diretrizes contidas no Documento Mandato ao(s) Administrador(es) de Recursos e em qualquer outro Documento suplementar que a MSD Prev Sociedade de Previdência Privada vier a prover, com exceção do controle dos limites que incluem investimentos das Patrocinadoras; Aplicar os recursos ou parte dos recursos da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada em fundos de investimentos somente se os mesmos estiverem em conformidade com a legislação em vigor e as restrições e diretrizes contidas no Documento Mandato ao(s) Administradores e em qualquer outro Documento suplementar que a MSD Prev Sociedade de Previdência Privada vier a prover; Determinar a alocação de recursos no curto prazo e a seleção de títulos e valores mobiliários de acordo com seu(s) Mandato(s) de Investimentos; Preparar e apresentar uma política escrita para o uso de derivativos que esteja em acordo com as determinações deste documento; Reunir-se com a Sociedade, no mínimo trimestralmente, para apresentar suas análises da performance dos investimentos e para descrever suas estratégias de investimentos presente e futuras de acordo com seus mandatos de investimentos. As reuniões com o(s) Administrador(es) de Recursos podem ocorrer em qualquer MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 15

18 forma e tempo, conforme agenda determinada pela Sociedade em comum acordo com o(s) Administrador(es); Preparar e encaminhar Relatório de apoio à reunião trimestral, contendo informações sobre a composição, estratégia e performance da carteira; Preparar e entregar trimestralmente demonstrativos por escrito sobre a performance dos investimentos, expectativas de retornos futuros sobre as várias classes de ativos e propor estratégias de investimentos; Fornecer para a Sociedade relatórios mensais sobre a posição patrimonial administrada, segmentada em classes de ativos e taxas de retornos obtidas; Fornecer para a Sociedade relatórios semanais com o VaR da Carteira Total e dos Segmentos de Renda Fixa e Variável. O VaR fornecido deve ser calculado conforme parâmetros definidos no item 4.11 desta Política de Investimentos; Prontamente notificar a Sociedade caso, em algum momento, exista um investimento ou grupo de investimentos que estejam em desacordo com o Documento Mandato ao(s) Administrador(es) de Recursos ou disposições legais; Investir em fundos de investimento (FIFs e FAQs), criados e mantidos conforme a legislação em vigor aplicável a fundos de investimento, que possuam Política de Investimentos e Estatutos que não conflitem com este Documento; Identificar aspectos do Documento Mandato tangíveis às funções do(s) Administrador(es) e passíveis de revisão em virtude de novas estratégias de investimentos ou mudanças no mercado de capitais, caso o Administrador os julgue pertinentes; Explicar as características de outras classes de ativos a serem consideradas e como essas classes poderiam apoiar na determinação dos objetivos da Sociedade, obtenção de retornos ou redução de riscos; Informar prontamente a Sociedade caso da existência de algum elemento no Documento Mandato ao(s) Administrador(es) de Recursos que inviabilize a obtenção dos objetivos da Sociedade; Fornecer prontamente ao Agente Consolidador, todas compras e vendas de títulos e valores mobiliários individuais; Informar a Sociedade todos e quaisquer custos envolvidos na administração dos recursos, tais como: taxa de administração, taxa de performance, auditoria, corretagem, publicação; Informar a Sociedade sua política de corretagem, incluindo retenção de Soft Dollar ou seja, a retenção / repasse de quaisquer descontos nas taxas básicas de corretagem, obtidas pelo Asset Manager ; Reportar mensalmente todas as transações de investimentos para a Sociedade identificando o custo da transação; Responsabilizar-se por uma administração ética, transparente e objetiva; Administrar os recursos da Sociedade respeitando todos os limites e disposições legais como se fosse o único administrador de Recursos da Sociedade, com exceção dos limites que incluem investimentos das patrocinadoras; Assumir toda responsabilidade, incluindo o ressarcimento de multas ou perdas, provenientes do descumprimento de suas responsabilidades. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 16

19 3.3. O Agente Custodiante O agente custodiante, se houver, deve: Observar todos e quaisquer limites estabelecidos pela Resolução nº 2829 tanto a nível macro (alocação entre os segmentos) como a nível micro (alocação nos segmentos), comunicando imediatamente a Entidade a ocorrência de qualquer desenquadramento, ativo ou passivo. Informar ao(s) Administrador(es) de Recursos os limites que deverão ser observados para que a Carteira Total da Entidade não se desenquadre dos limites e determinações legais vigentes. Liquidar e registrar todas as operações da Entidade em contas segregadas e mantidas com o fim único de exercer serviços de custódia e liquidação de operações da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada. Responsabilizar-se pela verificação do cumprimento dos procedimentos adotados nos documentos Mandato ao(s) Administrador(es) de Recursos. Liquidar todas e quaisquer operações que estejam em acordo com os mandatos de cada Administrador de Recursos e com as determinações legais vigentes. Não liquidar as operações que não estejam em acordo com os mandatos de cada Administrador de Recursos e com as determinações legais vigentes. Verificar e garantir, diariamente, o cumprimento de limites e disposições legais, assim como os limites e disposições contidos nos mandatos aos Administradores de Recursos. Notificar, por escrito, a Entidade qualquer descumprimento dos Administradores de Recursos aos procedimentos adotados no documento Mandato ao(s) Administrador(es) de Recursos. Verificar se a composição de ativos da carteira de investimentos da MSD Prev está de acordo com os limites de risco admitidos pela Entidade. Emitir relatórios mensais sobre a composição patrimonial total e segmentada dos investimentos da Entidade e suas respectivas rentabilidades. Se responsabilizar por qualquer fato sob seu controle ou conhecimento que não tenha sido informado à Entidade e lhe venha causar alguma perda ou dano de qualquer natureza O Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado O Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado, conforme as disposições legais vigentes e desta Política de Investimentos, deve: Cumprir e fazer cumprir os princípios, limites e disposições desta Política de Investimentos. Acompanhar e monitorar o desempenho das carteiras e investimentos da Entidade. Gerenciar os riscos, inerentes ao mercado financeiro, das aplicações dos recursos da Entidade. Evitar condições de conflito de interesses entre a Entidade e a Patrocinadora. Zelar pela promoção de elevados padrões éticos na condução das operações relativas as aplicações dos recursos da Entidade MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 17

20 Conforme disposições legais vigentes, responder administrativa, civil e criminalmente pela gestão, alocação, supervisão e acompanhamento dos investimentos da Entidade, bem como pela prestação de informações relativas as aplicações desses recursos, sem prejuízo da responsabilidade solidária dos Diretores da Entidade e respectivos Administrador(es) de Recursos e custodiante (se houver). Propor alterações na presente Política de Investimentos sempre que ela ferir disposições legais vigentes, ou impossibilitar a obtenção dos desejados padrões técnicos e éticos. O Administrador Estatutário Tecnicamente Qualificado pode: Se opor a presente Política de Investimentos, ou revisões desta, apresentando em até 30 dias corridos, a partir da sua aprovação, parecer sobre pontos a que se opõe. Propor ao Conselho da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada alteração na presente Política de Investimentos, que deve ser avaliada pelo Conselho da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada em um prazo não superior a 30 dias. Se desligar de suas funções, com aviso prévio de 30 dias, quando: A presente Política de Investimentos o impossibilitar de executar suas atribuições. Quando não se chegue a um consenso sobre os pontos da Política de Investimentos que ele julgar impeditivos à execução de suas atribuições. Propor a nomeação, substituição e eliminação de Administradores de Recursos, conforme política definida neste documento. Propor a contratação de consultoria a fim de auxiliá-lo nas suas atribuições. Propor alteração nos Custodiantes. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 18

21 4. Diretrizes da Política de Investimentos, Benchmarks das Carteiras e Objetivos de Performance do Fundo As diretrizes que devem ser seguidas pelo(s) Administrador(es) de Recursos da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada são: 4.1. Tipo de Investidor Entidade Fechada de Previdência Complementar (Investidor Institucional) Objetivo do Retorno de Longo Prazo para Entidade A Entidade deve compor sua política de investimentos (mandatos, benchmarks, carteiras e fundos) a fim de obter, no longo prazo, retorno equivalente ou superior a sua Meta Atuarial (IGP-DI +6%a.a., líquido de todas e quaisquer taxas inclusive Imposto de Renda) Horizonte dos Investimentos Longo Prazo com monitoramento no curto prazo Veículo dos Investimentos Os recursos da Entidade serão investidos através de carteiras administradas e/ou fundos de investimentos ambos, definidos conforme legislação vigente Aplicação dos Recursos Em conformidade com as Resoluções 2829 e 2850, os recursos da MSD Prev Sociedade de Previdência Privada, deverão ser alocados em quaisquer dos seguintes segmentos de aplicação: Segmento de renda fixa; Segmento de renda variável Composição das Carteiras/Fundos As carteiras serão compostas, conforme definição do Comitê de Investimentos do Administrador, por ativos de renda fixa e renda variável abaixo descritos, respeitados os limites impostos pelas Resoluções 2829 e 2850 e os definidos pela MSD Prev Sociedade de Previdência Privada. Não serão permitidas operações com derivativos para fins de alavancagem. Não serão permitidos aluguéis de ativos financeiros da MSD Prev. Somente serão permitidas aplicações em fundos de investimento abertos que respeitem as restrições de investimentos impostos pela Resolução 2829 e 2850 e os definidos pela MSD PREV, sendo que os limites aplicáveis devem ser respeitados considerando-se os investimentos da carteira da MSD Prev como um todo. Os fundos isoladamente não precisam respeitar os limites impostos pelas Resoluções 2829 e 2850 e pela MSD Prev. O Administrador de Recursos contratado é responsável pela constante verificação da conformidade da carteira da MSD Prev com a presente política. Renda Fixa: Títulos Públicos Federais Pré e Pós-Fixados; MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 19

22 Títulos Privados de Emissão de Instituições Financeiras e Empresas Não Financeiras classificados como Baixo Risco de Crédito; Títulos Privados de Emissão de Instituições Financeiras e Empresas Não Financeiras classificados como Médio Risco de Crédito e aprovados pelo Comitê de Investimentos do Gestor de Recursos; Não são permitidas aplicações em Títulos Privados de Emissão de Instituições Financeiras e Empresas Não Financeiras classificados como de Alto Risco de Crédito pelo Comitê de Investimentos do Gestor de Recursos; Fundo de Investimento (FIF) e Fundos de Aplicação em Quotas de Fundo de Investimento Financeiro (FAQ); Outros Títulos de Renda Fixa. Derivativos ( Swap, Futuro, Termo e Opções) com o objetivo de hedge ou posicionamento (aumentar ou diminuir a exposição do fundo ao mercados de renda fixa permitidos na legislação aplicável e EFPC e neste documento). Ressaltamos que o valor nocional líquido de todos os derivativos empregados na gestão de carteiras e fundos não pode ser superior ao respectivo patrimônio líquido das carteiras ou fundos. Os Títulos Privados de Emissão de Instituições Financeiras e Empresas Não Financeiras ou seus respectivos emissores, conforme o caso, serão considerados como Baixo Risco de Crédito de acordo com a tabela abaixo, adotando-se como critério para referida classificação a data da respectiva aquisição para a CARTEIRA: Agência Classificadora de Risco "Rating" Mínimo Standard & Poor s brbbb- ou bra-3 Moody s A3.br ou BR-2 Atlantic Rating BBB- ou AR 2 SR Rating BBB- ou sra Austin Asis BBB FITCH BBB-(bra) ou F3(bra) Relativamente aos títulos e valores mobiliários abaixo será adotado, para fins da classificação prevista neste Item, o critério de classificação atribuída ao respectivo título ou valor mobiliário: Títulos de emissão de estados e municípios; debêntures; certificados de recebíveis imobiliários; certificados representativos de contratos mercantis de compra e venda a termos de mercadorias e de serviços (que atendam à Resolução 2801/00), e demais valores mobiliários de renda fixa de emissão de sociedades anônimas, inclusive as de objeto exclusivo, cuja distribuição tenha sido registrada na CVM. Relativamente aos títulos e valores mobiliários abaixo será adotado, para fins da classificação prevista neste Item, o critério de classificação atribuída ao respectivo emissor do título ou valor mobiliário: Certificados e recibos de depósito bancário e os demais títulos de emissão ou coobrigação de instituição financeira ou outra instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central, e depósitos de poupança em instituição financeira. MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 20

23 Fica esclarecido que o fato de uma instituição ser classificada com base no entendimento acima como Baixo Risco de Crédito, não implica necessariamente a aprovação pelo gestor do risco de crédito da referida instituição, nem a aquisição dos seus respectivos títulos e valores mobiliários. O Administrador somente adquirá para a carteira e para os fundos nos quais a carteira investe, títulos por ele considerados como Investment Grade. Renda Variável: Ações; Cotas de Fundo em Ações; Debêntures Conversíveis; Outros Valores Mobiliários; Direitos de subscrição; Bônus de Subscrição; Derivativos ( Swap, Futuro, Termo e Opções) com objetivo de hedge ou de posicionamento (como substituto para a compra efetiva de ativos). Ressaltamos que o valor nocional líquido de todos os derivativos empregados na gestão de carteiras e fundos não pode ser superior ao respectivo patrimônio líquido das carteiras ou fundos; Política para uso de Derivativos: Todas as operações de derivativos devem ser garantidas por Bolsa de Valores ou de Mercadorias e Futuros (BOVESPA Bolsa de Valores de São Paulo e BM&F Bolsa de Mercadorias e Futuros, respectivamente); Não serão permitidas operações de derivativos para fins de alavancagem ou seja, o valor nocional líquido de todos os derivativos empregados na gestão de carteiras e fundos não pode ser superior ao respectivo patrimônio líquido das carteiras ou fundos. Não serão permitidos lançamentos de opções a descoberto Limites para Exposição da Carteira da Entidade A exposição da carteira é definida como sendo a somatória de todos os investimentos em um determinado segmento, definido na Resolução 2829, com o valor líquido de todos os derivativos referenciados em ativos do segmento. Para as opções de compra, o valor nocional é definido como sendo a somatória dos prêmios (pagos ou recebidos) com o seu preço de exercício; para as de venda ele é definido como sendo a diferença entre os prêmios (pagos ou recebidos) e seu preço de exercício. Renda Fixa: mínimo de 65% e máximo de 75% dos recursos totais; Renda Variável: mínimo de 25% e máximo de 35% dos recursos totais Limites para Exposição da Carteira da Entidade para cada Administrador de Recursos CITIGROUP: Renda Fixa: mínimo de 65% e máximo de 75% dos recursos totais; Renda Variável: mínimo de 25% e máximo de 35% dos recursos totais Rebalanceamento das Carteiras Formatados: Marcadores e numeração MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 21

24 Quando a alocação dos ativos nos segmentos de renda fixa e variável romperem em 10% os limites determinados no item 4.7. do documento, para renda variável (renda fixa 77,50% máximo e 61,50% mínimo), o Administrador deverá reajustá-los, obrigatoriamente aos limites dispostos no item Target para a Exposição da Carteira da Entidade Renda Fixa: 70% dos recursos totais; Renda Variável: 30% dos recursos totais Target para a Exposição da Carteira da Entidade para cada Administrador de Recursos CITIGROUP: Renda Fixa: 70% dos recursos administrados; Renda Variável: 30% dos recursos administrados Limites para Investimentos em Títulos e Valores Mobiliários de Emissão e/ou coobrigação de uma mesma Pessoa Jurídica Os limites utilizados para investimentos em títulos e valores mobiliários de emissão e/ou coobrigação de uma mesma pessoa jurídica são aqueles definidos na Regulamentação pertinente Gerenciamento de Risco De acordo com a regulamentação em vigor, as Entidades Fechadas de Previdência Privada devem manter sistema de controle e avaliação do risco de mercado e dos demais riscos inerentes a aplicação de seus recursos, de forma a permitir o respectivo controle por plano ( Resolução 2829, art. 58). O risco de mercado dos investimentos deve ser gerenciado pelo administrador. O risco será medido pelo Tracking Error ex Ante ou Value at Risk (VaR) Relativo com intervalo de confiança de 95% Tracking Error ex Ante ou Value at Risk (VaR) Relativo Nenhuma carteira poderá ter um Tracking Error ex Ante ou Value at Risk (VaR) Relativo superior a: Renda Fixa: 140% do CDI para 21 dias úteis. Renda Variável: 40% do valor do índice IBX médio para 21 dias úteis, ou seja, espera-se uma probabilidade máxima de 5% para que o valor da carteira de Renda Variável seja menor que 60% do valor do índice IBX médio neste período Índice para Comparação de Rentabilidade ( benchmark ) e Tolerância a Risco dos Ativos Administrados da Entidade Renda Fixa: CDI; Renda Variável: IBX médio. O benchmark da carteira global é representado por meio da ponderação dos benchmarks em renda fixa (CDI) e renda variável (IBX médio) pelos targets definidos para cada segmento: Carteira Global: 70% CDI; 30% IBX médio Estilo de Gestão MSD Prev Sociedade de Previdência Privada 22

MSD PREV POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

MSD PREV POLÍTICA DE INVESTIMENTOS MSD PREV POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2012 ÍNDICE 1. Finalidade da Política de Investimentos 1 1.1. A MSD Prev 1 1.2. Constituição da Política de Investimentos 1 1.3. Funções da Política de Investimentos

Leia mais

Definição da Política de Investimentos e Objetivos

Definição da Política de Investimentos e Objetivos Definição da Política de Investimentos e Objetivos UNILEVERPREV- SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA Plano de Previdência Complementar UnileverPrev Programa de Assistência Médica para Aposentados UnileverPrev

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2012 Fortalecendo o Futuro! SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 2.1 OBJETIVO GERAL... 3 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 3 VIGÊNCIA... 4 4 MODELO

Leia mais

Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA

Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA Sociedade Previdenciária DuPont do Brasil Política de Investimentos 2015 a 2019 Plano DE GESTÃO AdministrativA 1 Sociedade Previdenciária DuPont do Brasil 2 Regulamento do Plano Administrativo Duprev ÍNDICE

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA MAUÁ PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA PARA O ANO DE 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA MAUÁ PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA PARA O ANO DE 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA MAUÁ PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA PARA O ANO DE 2010 1 Finalidade da Política de Investimentos: Este documento estabelece as maneiras pelas quais os ativos dos planos

Leia mais

Política de Investimentos PGA. 2011 a 2015

Política de Investimentos PGA. 2011 a 2015 Política de Investimentos PGA 2011 a 2015 Fundação Saelpa de Seguridade Social Plano de Gestão Administrativa Índice 1. Introdução... 3 2. Plano de Gestão Administrativa... 3 3. Alocação de recursos e

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. Av. Gabriel de Lara, 1307 Leblon Paranaguá PR Cep 83.203-550 - (041) 3425-6969 - CNPJ - 08.542.

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. Av. Gabriel de Lara, 1307 Leblon Paranaguá PR Cep 83.203-550 - (041) 3425-6969 - CNPJ - 08.542. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2008 ÍNDICE 1 Introdução 2 Objetivo 3 Estrutura Organizacional para Tomada de Decisões de Investimento 4 Diretrizes de Alocação dos Recursos 4.1. Segmentos de Aplicação 4.2. Objetivos

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2012 e 2011

Demonstrações financeiras em 31 de março de 2012 e 2011 CNPJ nᵒ 00.832.453/0001-84 (Nova denominação social do Credit Suisse DI Fundo de Investimento de Curto Prazo) (Administrado pela Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.) (CNPJ nᵒ 61.809.182/0001-30)

Leia mais

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO BRB FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA DI LONGO PRAZO 500 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Competência: 19/01/2016 CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA

Leia mais

NUCLEOS Instituto de Seguridade Social. Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI)

NUCLEOS Instituto de Seguridade Social. Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI) NUCLEOS Instituto de Seguridade Social Relatório de acompanhamento da Política de Investimento e resumo do Demonstrativo de Investimentos (DI) Maio, 2009 Índice Capítulo Página I Introdução...1 II Alocação

Leia mais

FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA

FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA POLÍTICA DE INVESTIMENTO FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA Vigência: 01/01/2008 a 31/12/2012 1 ÍNDICE GERAL 1 OBJETIVOS DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO...3 2 CRITÉRIOS

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352. FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO TRAVESSIA INVESTIMENTO NO EXTERIOR 23.352.186/0001-43 Mês de Referência: Novembro de 2015 CLASSIFICAÇÃO ANBIMA:

Leia mais

Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015

Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015 Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015 Citiprevi Entidade Fechada de Previdência Complementar Planos Citiprevi Saúde e de Gestão Administrativa Dezembro de 2014 Índice 1. Finalidade

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

Contribuir, mensalmente, para o Plano de Aposentadoria com:

Contribuir, mensalmente, para o Plano de Aposentadoria com: PLANO DE APOSENTADORIA - INSCRIÇÃO Nome Completo (em letra de forma): Empresa / Matrícula: Telefone p/ Contato: E-Mail: CPF: Instruções para Preenchimento O preenchimento de todos os campos é obrigatório;

Leia mais

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA Plano de Gestão Administrativa - PGA 1/17 Introdução Este documento formaliza os objetivos e restrições de investimento da gestão dos recursos, especificamente do Plano de Gestão Administrativa - PGA,

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

São Bernardo Previdência Privada

São Bernardo Previdência Privada POLÍTICA DE INVESTIMENTO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA São Bernardo Previdência Privada Vigência: 2015 a 2019 CONTEÚDO 1 INTRODUÇÃO E OBJETIVOS 3 1.1 Vigência da Política de Investimento 3 2 PROCEDIMENTOS

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2010/2012 1- OBJETIVOS A Política de Investimentos dos Recursos Garantidores do Plano de Benefícios Previdenciários dos Advogados - PBPA e do

Leia mais

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO

ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO PREVIDENCIÁRIO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 03.469.407/0001-50 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFAPREV MIX 25 - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento DI Institucional Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20)

Leia mais

PREVI - ERICSSON Sociedade de Previdência Privada. Política de Investimentos 2011/2015

PREVI - ERICSSON Sociedade de Previdência Privada. Política de Investimentos 2011/2015 PREVI - ERICSSON Sociedade de Previdência Privada Política de Investimentos 2011/2015 Plano de Aposentadoria Suplementar Plano de Aposentadoria Básico Plano de Gestão Administrativa (PGA) Política de Investimentos

Leia mais

1 - FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

1 - FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014 1 - FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 1.1. A Sociedade de Previdência Privada A Sociedade de Previdência Privada (Entidade), pessoa jurídica de direito privado, sem

Leia mais

1. A MSD PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA 2. OBJETIVOS DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 3. FILOSOFIA DOS INVESTIMENTOS

1. A MSD PREV SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA 2. OBJETIVOS DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 3. FILOSOFIA DOS INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014-2018 ÍNDICE 1. A MSD PREV Sociedade de Previdência Privada... 3 2. Objetivos da Política de Investimentos... 3 3. Filosofia dos Investimentos... 3 4. Diretrizes Gerais...

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras

31 de março de 2015 e 2014 com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Multi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

[POLÍTICA DE INVESTIMENTO PLANJUS] Vigência: 2014 a 2018

[POLÍTICA DE INVESTIMENTO PLANJUS] Vigência: 2014 a 2018 2014 [POLÍTICA DE INVESTIMENTO PLANJUS] Vigência: 2014 a 2018 ÍNDICE 1. Sobre a JUSPREV 3 2. Sobre a Política de Investimento 3 3. Sobre o Plano e os seus Benefícios 4 4. Responsabilidades 4 4.1. Colégio

Leia mais

Política de Investimentos 2014 a 2018

Política de Investimentos 2014 a 2018 Política de Investimentos 2014 a 2018 Fundação de Previdência dos Servidores do Instituto de Resseguros do Brasil PREVIRB Plano de Gestão Administrativa 1 Introdução A presente política de investimento

Leia mais

Material Explicativo. ABBprev Sociedade de Previdência Privada

Material Explicativo. ABBprev Sociedade de Previdência Privada Material Explicativo ABBprev Sociedade de Previdência Privada Este material explicativo tem como objetivo fornecer informações sobre um dos benefícios que as patrocinadoras ABB Ltda e Cooperativa de Crédito

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Cotistas e à Administradora do BRB Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento em Renda Fixa DI Longo Prazo 1 Milhão

Leia mais

Mensagem da Administradora

Mensagem da Administradora Mensagem da Administradora Prezados Cotistas: Submetemos à apreciação de V.S.as. a demonstração da composição e diversificação das aplicações da CSN Invest Fundo de Investimento em Ações, em 31 de dezembro

Leia mais

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO SERVIÇO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL Rua Monsenhor Soares nº. 65 Centro Itapetininga SP Fones (015)3271-0728 e 3271-7389(telefax) E-mail: seprem@uol.com.br POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Fundo de Aposentadoria Programada Individual Banrisul Conservador CNPJ 04.785.314/0001-06 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ 92.702.067/0001-96)

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES BANRISUL MERCADO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA LONGO PRAZO CNPJ/MF 15.283.719/0001-54 ESTE FORMULÁRIO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS AO ATENDIMENTO

Leia mais

HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42

HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42 HSBC Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Curto Prazo Over II - CNPJ nº 08.915.208/0001-42 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo CNPJ nº 01.701.201/0001-89) Demonstrações

Leia mais

1.1. A ABBprev Sociedade de Previdência 1.2. Constituição da Política de Investimentos plano de Contribuição Definida.

1.1. A ABBprev Sociedade de Previdência 1.2. Constituição da Política de Investimentos plano de Contribuição Definida. Dezembro de 2009 ii 1. Finalidade da Política de Investimentos... 1 1.1. A... 1 1.2. Constituição da Política de Investimentos... 1 1.3. Funções da Política de Investimentos... 1 1.4. Início da vigência

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.885/0001-45 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IRF - M Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Demonstrações financeiras em 31 de julho de 2014 KPDS 96085

Demonstrações financeiras em 31 de julho de 2014 KPDS 96085 Brasil Plural BBDC Feeder Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento CNPJ nº 18.602.310/0001-41 (Administrado pela BEM Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.) Demonstrações

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004.

INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004. Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. INSTRUÇÃO CVM N.º 411, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2004 Altera a Instrução CVM n o 409, de 18 de agosto de 2004. O PRESIDENTE DA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - CVM torna público que o Colegiado, em reunião

Leia mais

Ishares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice - Investimento no Exterior CNPJ nº 19.909.560/0001-91

Ishares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice - Investimento no Exterior CNPJ nº 19.909.560/0001-91 Ishares S&P 500 Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Índice - CNPJ nº 19.909.560/0001-91 (Administrado pela Citibank Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.) (CNPJ nº 33.868.597/0001-40)

Leia mais

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II A MUTUOPREV Entidade de Previdência Complementar - CNPJ nº 12.905.021/0001-35 e CNPB 2010.0045-74, aprovado pela portaria nº 763 de 27 de setembro

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016

FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24. Mês de Referência: Março de 2016 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES AUXILIAR I CNPJ nº 54.070.966/0001-24 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário contém um resumo das informações complementares

Leia mais

CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014. Prezados Senhores.

CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014. Prezados Senhores. À CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014 Prezados Senhores. Em atendimento ao art.21 inciso VIII da Instrução CVM 480/09, segue abaixo as

Leia mais

Política Anual de Investimentos (PAI)

Política Anual de Investimentos (PAI) Política Anual de Investimentos (PAI) 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 2.1 OBJETIVO GERAL... 3 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 3 VIGÊNCIA... 3 4 MODELO DE GESTÃO... 4 5 PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. UNISYS-PREVI Entidade de Previdência Complementar

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS. UNISYS-PREVI Entidade de Previdência Complementar POLÍTICA DE INVESTIMENTOS UNISYS-PREVI Entidade de Previdência Complementar 2012 ÍNDICE FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...3 PARTE I...3 1. DIRETRIZES GERAIS... 3 1.1. Empresas Patrocinadoras...4

Leia mais

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade.

ACEPREV Acesita Previdência Privada. Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. ACEPREV Acesita Previdência Privada Em todos os momentos, em cada oscilação da vida, a SOLIDEZ sustenta a tranquilidade. RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2008 M ENSAGEM DA DIRETORIA A Diretoria Executiva

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36 (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96)

Leia mais

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI

DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2004 E DE 2003 SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA FGV PREVI SOCIEDADE CIVIL FGV DE PREVIDÊNCIA PRIVADA - FGV PREVI DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis BNB Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento Renda Fixa Curto Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2007 1. PREMISSAS BÁSICAS Este documento, que passa a vigorar a partir de 21 de agosto de 2007, estabelece as bases sobre as quais os ativos do plano administrado pela APCDPREV

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 71 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência.

PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA COMPOSIÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO Mensal, até o dia 10 do mês subsequente ao de referência. NORTHVIEW FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO 11.806.097/0001-40 Mês de Referência: Março de 2016 Formulário de Informações Complementares O formulário

Leia mais

perfis de investimento

perfis de investimento perfis de investimento Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a gestão de investimentos da ELETROS? 5 Quais são os principais riscos associados aos investimentos? 6 Como são os investimentos em renda fixa?

Leia mais

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da

I - o modelo de gestão a ser adotado e, se for o caso, os critérios para a contratação de pessoas jurídicas autorizadas ou credenciadas nos termos da RESOLUCAO 3.506 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do

Leia mais

Política de Investimento. Plano de Benefícios Sebraeprev

Política de Investimento. Plano de Benefícios Sebraeprev Política de Investimento Plano de Benefícios Sebraeprev 2015 a 2019 Sumário 1. Introdução... 3 2. Abrangência... 4 3. Investimentos... 5 3.1. Alocação Estratégica... 6 3.2. Mandatos... 9 3.3. Avaliação

Leia mais

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36

Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo CNPJ: 16.844.894/0001-36 Demonstrações Financeiras Banrisul Foco IMA Geral Fundo de Investimento Renda Fixa Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul S.A. - CNPJ: 92.702.067/0001-96) e 2014 com Relatório

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras CNPJ : 09.195.701/0001-06 Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Cotistas e à Administradora do Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento em Ações BRB

Leia mais

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco

Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime Longo Prazo (CNPJ n 08.252.576/0001-58) (Administrado pelo Banco Sicredi Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Renda Fixa Prime (CNPJ n 08.252.576/0001-58) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2014 e relatório dos auditores independentes

Leia mais

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009

Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 Gestão de Riscos Circular 3.477/2009 1 Trimestre de 2012 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 3 2 PERFIL DO BANCO... 3 3 RESUMO DA ESTRUTURA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 4 RISCO DE CRÉDITO... 3 5 RISCO DE MERCADO... 8 6

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PREVICOKE SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA PLANO DE BENEFÍCIOS PREVICOKE 2009 Classified - Internal use ÍNDICE Finalidade da Política de Investimentos... 3 PARTE I... 3 1. Objetivos

Leia mais

Política de Investimento. 2015 a 2019

Política de Investimento. 2015 a 2019 Política de Investimento 2015 a 2019 Fundação Celpe de Seguridade Social - CELPOS Plano PGA Página 1 Índice 1 Introdução... 3 2 Diretrizes Gerais... 3 3 Plano de Benefícios... 4 4 Alocação de recursos

Leia mais

PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - CD

PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - CD CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA - CD 1. Introdução Esta política de investimento refere-se à utilização, por parte da CAFBEP, das diretrizes

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40 BENCHMARK RF:60.00% ( 100.00%CDI ) + RV:40.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 03/11/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/11/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTOS

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTOS INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE SANTOS O Presidente do Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos Municipais de Santos IPREV SANTOS, no uso de suas atribuições

Leia mais

Política de Investimento. Plano de Benefícios Sebraeprev

Política de Investimento. Plano de Benefícios Sebraeprev Política de Investimento Plano de Benefícios Sebraeprev 2014 a 2018 Sumário 1. Introdução... 4 2. Abrangência... 5 3. Sobre os Benefícios... 6 4. Investimentos... 7 4.1. Alocação Estratégica... 8 4.2.

Leia mais

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A.

FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO. ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. FIEX HSBC PREMIER FUNDO DE INVESTIMENTO NO EXTERIOR HSBC PREMIER PROSPECTO ADMINISTRAÇÃO e GESTÃO: HSBC BANK BRASIL S.A. BANCO MÚLTIPLO Atualizado em março de 2004 Fundo de Investimento no Exterior HSBC

Leia mais

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

CAPÍTULO I OBJETO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO RESOLUÇÃO NORMATIVA RN Nº 392, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2015 Dispõe sobre aceitação, registro, vinculação, custódia, movimentação e diversificação dos ativos garantidores das operadoras no âmbito do sistema

Leia mais

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50%

Gestão Ativa Perfil Renda Fixa Renda Variável Super Conservador 100% 0% Conservador 80% 20% Moderado 65% 35% Agressivo 50% 50% III) Plano de Benefícios de Contribuição Definida (Plano CD) 1) Administracão dos Recursos: A administração dos recursos da Fundação Previdenciária IBM é terceirizada, sendo prerrogativa do Conselho Deliberativo

Leia mais

Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015

Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015 Definição da Política de Investimentos e Objetivos de 2015 Citiprevi Entidade Fechada de Previdência Complementar Planos de Benefício Definido Dezembro de 2014 Índice 1. Finalidade da Política de Investimentos...

Leia mais

Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2008

Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2008 Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Município de Vitória INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2008 Institui a Política de Investimento para o exercício de 2008/2009. O Presidente do Instituto

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios Demonstração do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular Período: 015 e 0 zembro R$ Mil Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular / Período: 015 e

Leia mais

Sumário. Planos de Contribuição Variável

Sumário. Planos de Contribuição Variável Planos de Contribuição Variável Sumário Plano Sanasa Parecer atuarial sobre o balanço...2 Demonstrações patrimonial e de resultados de plano de benefícios de natureza previdencial...7 Demonstrativo de

Leia mais

Fundação Celpe de Seguridade Social - CELPOS Rua João Fernandes Vieira, 190 - Boa Vista - Recife - PE - CEP: 50050-200 PABX (81) 2128-4000 - FAX:

Fundação Celpe de Seguridade Social - CELPOS Rua João Fernandes Vieira, 190 - Boa Vista - Recife - PE - CEP: 50050-200 PABX (81) 2128-4000 - FAX: 1 2 Índice 1. Finalidade da Política de Investimentos... 1 1.1. A Fundação CELPE de Seguridade Social... 1 1.2. Constituição da Política de Investimentos... 1 1.3. Funções da Política de Investimentos...

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento Ações Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de 2014 com Relatório dos Auditores

Leia mais

Política de Investimentos. Plano de Benefícios

Política de Investimentos. Plano de Benefícios Política de Investimentos Plano de Benefícios 2012 Política de Investimentos 2012 Plano de Benefícios 1 1. Introdução A Futura - Entidade de Previdência Complementar por meio desta confirma a política

Leia mais

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL)

FUNDAÇÃO CELESC DE SEGURIDADE SOCIAL CELOS. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Em R$ MIL) NOTA 1 - CONTEXTO OPERACIONAL A Fundação Celesc de Seguridade Social CELOS, instituída pela Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. Celesc, nas Assembléias Gerais Extraordinárias AGE de acionistas realizadas

Leia mais

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 00.857.

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 00.857. Banpará Renda Fixa Tradicional Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento ongo Prazo (Administrado pela BB Gestão de Recursos Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. - BB DTVM)

Leia mais

Fundação Celpe de Seguridade Social - CELPOS Rua João Fernandes Vieira, 190 - Boa Vista - Recife - PE - CEP: 50050-200 PABX (81) 2128-4000 - FAX:

Fundação Celpe de Seguridade Social - CELPOS Rua João Fernandes Vieira, 190 - Boa Vista - Recife - PE - CEP: 50050-200 PABX (81) 2128-4000 - FAX: 1 2 Índice 1. Finalidade da Política de Investimentos... 1 1.1. A Fundação CELPE de Seguridade Social... 1 1.2. Constituição da Política de Investimentos... 1 1.3. Funções da Política de Investimentos...

Leia mais

PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2016 PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Aprovado pelo Conselho Deliberativo da Fundação Baneb de Seguridade Social Bases, no dia 27.11.2015, Ata nº 293. SUMÁRIO 1. DOS OBJETIVOS...

Leia mais

Política de Investimento. 2015 a 2019

Política de Investimento. 2015 a 2019 Política de Investimento 2015 a 2019 Plano de Gestão Administrativa Página 1 Índice 1 Introdução... 3 2 Governança Corporativa... 3 3 Diretrizes Gerais... 4 4 Plano de Benefícios... 5 5 Alocação de Recursos

Leia mais

Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos

Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos 2010 Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos Nota Técnica 01 de Apoio Técnico Previ-Rio 05/2010 Nota Técnica 01 Esta nota técnica, desenvolvida pela Equipe da de Apoio Técnico do Previ-Rio,

Leia mais

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa

BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) Nota. Explicativa BALANÇO PATRIMONIAL (Valores em R$ mil) ATIVO Nota Explicativa CIRCULANTE 39.755 68.651 Disponibilidades 522 542 Relações Interf./Aplicações R.F. 5 13.018 27.570 Relações Interdependências 6-1.733 Operações

Leia mais

Política de Investimentos 2016 a 2020

Política de Investimentos 2016 a 2020 Política de Investimentos 2016 a 2020 Plano Fundamental ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 3 Empresas Patrocinadoras 3 2. POLÍTICA DE TERCEIRIZAÇÃO DE GESTÃO E CUSTÓDIA 4 i. Seleção de Gestores 4 3. PLANO DE BENEFÍCIOS

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO PBD

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO PBD POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO PBD 2015 A presente Política de Investimentos do Plano de Benefício Definido PBD, administrado pela Previdência Usiminas, foi aprovada pelo Conselho

Leia mais

RaizPrev Entidade de Previdência Privada. Política de Investimentos Plano de Benefícios Raiz

RaizPrev Entidade de Previdência Privada. Política de Investimentos Plano de Benefícios Raiz RaizPrev Entidade de Previdência Privada Política de Investimentos Plano de Benefícios Raiz 2012 2 1 Introdução A RaizPrev Entidade de Previdência Privada por meio desta confirma a política de investimentos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital;

RESOLUÇÃO Nº 3.922. Da Alocação dos Recursos e da Política de Investimentos. I - as disponibilidades oriundas das receitas correntes e de capital; RESOLUÇÃO Nº 3.922 Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central do Brasil, na forma

Leia mais

Simaco. A Fundação Fecomercio sinaliza tornar-se um dos maiores fundos instituídos

Simaco. A Fundação Fecomercio sinaliza tornar-se um dos maiores fundos instituídos FPA Fundação Fecomércio de Previdência Associativa - FPA A Fundação Fecomercio sinaliza tornar-se um dos maiores fundos instituídos do País, já respondendo sozinha por mais de 60% dos planos dessa modalidade.

Leia mais

CAFBEP - CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ

CAFBEP - CAIXA DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA AOS FUNCIONÁRIOS DO BANPARÁ Aprovada pelo Conselho Deliberativo em 26/12/20 /2013 Vigência: 01/01/201 2014 a 31/12/2019 1 1. Introdução Esta política de investimento refere-se à utilização por parte da CAFBEP, das diretrizes presentes

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO DE INVESTIMENTO CAIXA BRASIL IDkA IPCA 2A TÍTULOS PÚBLICOS RENDA FIXA LONGO PRAZO Data de Competência: 07/06/2016 1. CNPJ 14.386.926/0001-71 2. PERIODICIDADE

Leia mais

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br

Sistema Integrado de Orçamento. Para EFPC SIOEFPC. (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) edson@fgv.br Sistema Integrado de Orçamento Para EFPC (Entidades Fechadas de Previdência Complementar) SIOEFPC edson@fgv.br Índice Página 1 - Exemplo Numérico... 2 2 - Relatório do 1º Plano... 3 3 - Programa Previdencial...

Leia mais

Política de Gestão de Risco Financeiro

Política de Gestão de Risco Financeiro Política de Gestão de Risco Financeiro Índice Introdução... 2 Objetivos... 2 Atribuições... 3 Descrição dos riscos financeiros... 4 Exposição às flutuações das taxas de juros... 4 Exposição às variações

Leia mais

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi

Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Quadro Comparativo das Alterações efetuadas no Regulamento do Plano de Aposentadoria CitiPrevi Página 1 do quadro comparativo das alterações efetuadas no Regulamento do CitiPrevi Capitulo 1 Do Objeto 1.1

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DA OABPREV-PR PARA O EXERCÍCIO DE 2007/2009 1- OBJETIVOS A Política de Investimentos dos Recursos Garantidores das Reservas Técnicas da OABPrev-PR, tem por objetivo a maximização

Leia mais

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras

Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Aos Cotistas e à Administradora do Lotus Fundo de Investimento em Renda Fixa Brasília - DF Examinamos as demonstrações financeiras

Leia mais

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908.

REGULAMENTO DO SANTANDER FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO INTELIGENTE RENDA FIXA CURTO PRAZO CNPJ/MF n.º 02.908. O presente Regulamento é parte integrante da Ata de Assembleia Geral de Cotistas do Santander Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Inteligente Curto Prazo, realizada em 29 de abril

Leia mais