BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES"

Transcrição

1 BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES

2 BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO O PAPEL DAS PPPs O PORTO

3 CENÁRIO GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO

4 CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Em 2009, o Rio de Janeiro apresentava um cenário de grandes desafios... Pior Taxa de Cobertura do Saúde da Família no Brasil (3,5%) Sistema de Aprovação Automática na Educação falido Sistema de Transportes caótico com pouca penetração do Transporte de Massa (18% cobertura) Ausência de Política Habitacional e a má conservação do bem público Isolamento Político

5 ...a situação fiscal também apresentava problemas CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Capacidade de investimento bastante restrita: R$160 Milhões (2% dos recursos do tesouro); Gasto elevado com pessoal: R$ 6,75 Bilhões (56% do orçamento total); Incapacidade de realizar novos empréstimos devido aos níveis já de endividamento; Dívida com custo extremamente elevado: 90% da dívida corrida por IGP-DI + 9%; Foram gatos, em 2009, R$ 715 Milhões com juros e R$ 425 Milhões em amortizações; Perda de R$ 750 Milhões no orçamento de 2009 devido a receita superestimada e despesa subestimada: Ex.: estimativa otimista em relação ao nível de atividade econômica (R$ 100 Milhões), inclusão dos gastos do TCM no orçamento do legislativo (R$ 100 Milhões), etc.; Crise Internacional

6 Foi feito um grande esforço para promover um ajuste fiscal e aumentar a receita do município sem aumentar impostos CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Controle de despesas: 40 decretos publicados no primeiro dia de governo reorganizando a administração; Forte redução do gasto com pessoal; Revisão dos custeios com corte de 20% dos contratos; Contingenciamento de 80% do orçamento (ficando fora apenas Saúde e Educação); Gestão orçamentária (no detalhe) centralizada e comandada exclusivamente pelo Prefeito (semanalmente); Aumento da receita: Nota Carioca; Medidas de inteligência fiscal sem aumento de alíquota (ex.: implantação de sistema que faz cruzamento de dados dos contribuintes do MRJ com Receita Federal); Renegociação da dívida (Banco Mundial); Metas de arrecadação vs. bônus; Revisão das políticas patrimoniais (receitas com caixa e imóveis). Proibição de aditivos, reajustes e reequilíbrio de contratos; Maior controle do restos a pagar.

7 CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Perfil de gastos da Prefeitura (% do orçamento total) 100% 100% 11.9% 5.8% 4.4% 18.6% Outros (1) Investimento +219,5% Principais mudanças no perfil de gastos da Prefeitura: Aumento de 219,5% da participação dos gastos com investimentos no orçamento municipal; Diminuição de 19,8% da participação dos gastos com pessoal no total de gastos da Prefeitura. Evolução dos gastos com pessoal considerando a Receita Corrente Líquida municipal (RCL 2008: R$ 9,7 MM e RCL 2012: R$ 15,8 MM (2) ) e as diretrizes da LRF para contabilidade das despesas com pessoal: 25.2% 31.3% Custeio Percentual dos gastos com pessoal sobre a RCL 51,7% 45,0% Legislativo 57.1% 45.8% Pessoal -19,8% Executivo (2)

8 Investimento PPP Investimento PPP Essas ações permitiram quintuplicar a capacidade de investimento do município entre 2008 e 2012 CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Investimentos (Bilhões R$) 4,4 1,3 5,2 1,8 35% +517% 3,1 3,1 3,4 0,6 0,3 1, Investimento sobre Orçamento total (%) 5,8% 2,9% 10,4% 16,9% 15,4% 14,6% Investimento Total per capita (R$/habitantes) 95,2 47,6 222,2 492,1 698,7 823,4 Investimento PPP per capita (R$/habitantes) 209,6 288,2 Orçamento total (Bilhões R$) 10,4 10,4 13,8 18,2 20,4 23,5

9 Rio na liderança Comparação dos investimentos por habitante Investimentos per capita - em R$ (2012) Curitiba Belo Horizonte CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO Vitória Florianópolis 218 Porto Alegre 235 São Paulo Rio de Janeiro 2012 Orçamento próprio + PPPs 2013 Orçamento próprio + PPPs Transferências correntes da União em R$/per capita Rio de Janeiro 452,6 Belo Horizonte 339 Porto Alegre ,3 150,3 130,4 Curitiba Florianópolis Vitória São Paulo

10 Após ajuste financeiro foi estabelecido o foco do governo através da elaboração do Planejamento Estratégico Em 2009 foi elaborado o Plano Estratégico da Prefeitura (Plano Executivo X Plano da Cidade) CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO O Plano foi concebido utilizando como base: Compromissos de Campanha Entrevista com 50 especialistas por área Pesquisa de Opinião com População (1200 pessoas) Apoio Técnico de Gestores e suas equipes da PCRJ O Plano Estratégico possui 2 partes: Visão para Cidade em 2020; Para cada Área de Resultado (10 áreas): Diagnóstico Diretrizes Metas Setoriais; Iniciativas Estratégicas com orçamento e prazo.

11 CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO A implantação do plano prevê o desdobramento das metas via acordo de resultados e o detalhamento de planos de trabalho das iniciativas estratégicas; 42 órgãos contemplados Mais de 200 metas RioFilme e Escolas Contemplados Pagamento de ~R$ 20 Milhões 19 órgãos contemplados 77 metas 80 % dos servidores da Prefeitura Pagamento de ~R$ 160 Milhões 39 órgãos contemplados Mais de 200 metas 83 % dos servidores da Prefeitura Pagamento de ~R$ 250 Milhões 84 % dos servidores Pagamento de ~R$ 250 Milhões 14º e 15º SALÁRIOS

12 CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO O Rio de Janeiro apresenta desafios ainda maiores para o período de As entregas previstas são ainda mais desafiadoras 3 BRT contra 1 BRT Construir + de 200 escolas para garantir 35% da rede em ensino integral Construir + 70 clínicas da família Prazos inadiáveis. Nós não gerenciamos as datas, pois elas são dadas Maiores possibilidades de grandes surpresas Ex. Projeto Olímpico (mudança de projetos, ordem de grandeza) Não podemos repetir o Modelo do PAN-2007 Entrega de novos equipamentos Produzir Legado Não parar a manutenção da cidade

13 Diversas medidas já foram tomadas caracterizando a 2ª onda da Gestão de Alto Desempenho CENÁRIO - GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO 1ª Onda ( ) 2ª Onda ( ) Ajuste Fiscal Redução de Despesa 40 decretos Ex. Corte 20% custeio, proibição de Aditivos Aumento de Receita Nota Carioca Renegociação da Dívida (Banco Mundial) PPPs Redução de Despesa 40 decretos Ex.Corte 10% custeio, corte 15% contratos de veículos Aumento de Receita PPI Carioca PAF (negociação com governo federal sobre endividamento) Modernização da Gestão Modelo de Planejamento, Execução e Controle 1º Plano Estratégico EGP e EGM Acordos de Resultado Gestão de Gente Líderes Cariocas (lançamento/fev 2012) Institucionalização dos avanços da 1ª Onda 2º Plano Estratégico Projeto de Lei Concurso AGPs Gestão de Gente Líderes Cariocas Cargos Estratégicos BIG DATA (Pensa - Sala de Ideias) Nudge Unit

14 BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO O PAPEL DAS PPPs O PORTO

15 O PAPEL DAS PPPs

16 O PAPEL DAS PPPs Principais marcos de PPPs e concessões no município: Criação da subsecretaria de PPP Lei de PPP Criação da Propar-Rio Leis do Porto Aterro de Seropédica Parceria com Banco Mundial Porto Maravilha Saneamento AP5 Parque Olímpico Transolímpica VLT Criação de Agência Reguladora do Rio Estudo de Novos Projetos Criação da CDURP

17 O PAPEL DAS PPPs ATERRO DE SEROPÉDICA Valor do contrato: R$ 1,02 bilhão Investimento realizado: R$ 220 milhões Cronograma: Início: Abr/2011 Encerramento de Gramacho: Jun/2012 Já foram destinadas 2,5 milhões de toneladas de resíduos até Jan/2013 Transferência gradativa dos resíduos de Gramacho, problema que estava há 34 anos sem solução na Cidade Tripla camada de impermeabilização do solo e sensores ligados a um software que indica qualquer anormalidade. O chorume vira água de reuso e o biogás será transformado em energia.

18 O PAPEL DAS PPPs SANEAMENTO ZONA OESTE AP5 Valor do contrato: R$ 3,0 bilhão Investimento: R$ 1,7 bilhão Cronograma: 76% do investimento nos 10 anos iniciais Estudos: EBP: R$14 milhões TIR: 8% a.a. Área conta com 2 milhões de habitantes Concessão apenas do serviço de esgotamento sanitário. A área conta hoje com cobertura de coleta de esgoto inferior a 50% e apenas 4% da população tem seu esgoto tratado. O contrato visa ampliar a coleta e o tratamento do esgoto para 80% em 10 anos e para 90% da população em 25 anos 222 elevatórias, 17 ETEs e km de rede

19 O PAPEL DAS PPPs PARQUE OLÍMPICO Valor do contrato: R$ 1,4 bilhão Investimento: R$ 1,1 bilhão Cronograma: Obras de Out/12 a Jun/15 Já executado: R$ 117 milhões Estudos: PMI: R$6,2 milhões TIR (com imob): 14% a.a. Concessionário construirá equipamentos olímpicos e manterá as áreas verdes, vias e redes de infraestrutura Pagamento de parte do investimento com o próprio terreno Garantia: o próprio terreno Pós Olimpíadas: áreas utilizadas pelos equipamentos Olímpicos provisórios serão destinados para construção de empreendimentos residenciais e comerciais

20 O PAPEL DAS PPPs TRANSOLÍMPICA Valor do contrato: R$ 840 milhões (VPL de 35% do inv + receitas da concessão) Investimento: R$ 1,6 bilhão Cronograma: Obras de Abr/12 a Jun/15 Já executado: R$300 milhões Estudos: PMI: R$5,9 milhões TIR: 9,5% a.a. Via pedagiada com corredor BRT ligando Deodoro à Barra 13 km de extensão na Concessão Estimativa de mais de 150 mil passageiros/dia com redução do tempo de deslocamento de 1:50h para 50 min Estimativa de 53 mil carros / dia em estações de BRT

21 O PAPEL DAS PPPs E o instrumento de PPPs e concessões é um caminho para superar estes desafios NOVOS PROJETOS CENTRAL ÚNICA DE ATENDIMENTO, com aperfeiçoamento do 1746 ESTACIONAMENTOS, de superfície e/ou subterrâneos SAÚDE SANEAMENTO, em outras regiões da cidade CEMITÉRIOS

22 O PAPEL DAS PPPs Ainda existe capacidade para suportar novos projetos LIMITE DA RECEITA CORRENTE LIQUIDA Com apenas duas PPPs (Parque Olímpico e VLT) está previsto consumir quase 1% da RCL Mas com nova Lei Municipal esse limite foi acrescido para 5%, assim como no Governo Federal 0,92% 0,85% 0,83% 0,63% CP Comprometida CP Disponível % RCL Esse incremento representa um potencial de investimento de aproximadamente R$ 14 bilhões ou um total de quase R$ 600 milhões anuais de contraprestação

23 BENEFÍCIOS E OPORTUNIDADES CENÁRIO GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO O PAPEL DAS PPPs O PORTO

24

25 O PORTO Aeroporto Internacional Tom Jobim 11km Localização Estratégica Maracanã 5km Aeroporto Santos Dumont 2km Corcovado Corcovado 7km 7 km Copacabana 8km

26 O PORTO Cidades voltam-se para suas áreas portuárias Resgate da história da Cidade Revitalização e fim da degradação Nova visão de desenvolvimento urbano Desenvolvimento imobiliário

27 O PORTO GRANDES NÚMEROS DO MERCADO IMOBILIÁRIO CARIOCA

28 O PORTO 2 Área Licenciada na Cidade (m ) milhões

29 O PORTO Compara'vo)dois)úl'mos)quadriênios:) Comparativo dois últimos quadriênios Área%Licenciada:% % Unidades%Licenciadas:% % % % 2005/2008% 2009/2012% 2005/2008% 2009/2012%

30 O PORTO Área%Total%Licenciada%na%Cidade%(m²)% 2 Área Total Licenciada na Cidade (m ) 5,1$milhões$ 4,9$milhões$ 5,3$milhões$ 5,2$milhões$ Até$agosto$2013$ 3,7%milhões%m²% 2009$ 2010$ 2011$ 2012$ 2013$

31 O PORTO 2 Área Licenciada na Zona Portuária (m ) Área%Licenciada%na%Zona%Portuária%(m²)%% Até$agosto$2013$ 453,9%mil%m²% 172,7$mil$ 17,3$mil$ 60,0$mil$ 79,5$mil$ 22,2$mil$ 2008$ 2009$ 2010$ 2011$ 2012$ 2013$

32 O PORTO Empregos diretos trabalhadores Cepacs negociados /3 do estoque Principais empreendimentos em construção 1 Residencial 1333 unidades 3 Hotéis 1000 quartos 3 Torres Comerciais

33 O PORTO Incremento de receita de IPTU Receita de IPTU em 2012 R$9.600 milhões Incremento gerado pelos projetos em execução ou já confirmados R$58 milhões/ano* Estimativa de incremento com a ocupação prevista pela Lei 101/2009 R$230 milhões/ano* (*) Valores estimados, obtidos com base nos índices praticados hoje nos bairros Tijuca e Botafogo.

34

35 BACKUP

36 RIO BUSINESS RIO DE JANEIRO: Momento Único anos Cidade do Rio de Janeiro

37 O PAPEL DAS PPPs VLT Valor do contrato: R$ 1,2 bilhão Investimento: R$ 1,5 bilhão Cronograma: Obras de Ago/13 a Dez/15 Estudos: PMI: R$1,5 milhões TIR: 6,5% a.a. Implantação, operação e manutenção de sistema de Veículos Leves sobre Trilhos na região portuária e central do Rio de Janeiro 28 km de extensão de linha singela 46 estações e paradas Estimativa de mais de 250 mil passageiros/dia Estimativa de 32 trens

38 RIO BUSINESS

39 HUB Econômico dos investimentos estaduais RIO BUSINESS Investimentos por setor Outros Turismo O&G 51%$ 1%$ 1%$ 4%$ Instalações Olímpicas US$113Bi 24%$ Infraestrutura Indústria Manufaturada 19%$ saneamento$ 8%$ Desenvolvimento$ urbano$ 21%$ energia$ 29%$ US$24Bi logís-ca$&$ transporte$ 42%$ Noroeste$ US$$0,5$Bi$ outros$ 7%$ estaleiro$ automobilís:ca$ 15%$ 38%$ 15%$ petroquímica$ Norte$ US$$13,9$Bi$ US$19Bi 25%$ siderurgia$ Investimentos por região Sul$$ US$$7,6$Bi$ Baixada $ US$$7,8$Bi$ Centro$ US$$0,5$Bi$ Leste$ US$$6.1B$ Diversos$(todo$o$estado)¹$ US$$58,2$Bi$ Cidade$do$Rio$ US$$18,4$Bi$

40 RIO BUSINESS Líder em Excelência Acadêmica # de Cursos - MEC (Graduação) Notas 4 e 5!150!! # de Cursos - CAPES (Pós Graduação) Notas 6 e 7!32!!!120!!!128!!!28!!!24!!!27!!!90!!!20!!!60!!!75!!!76!!!16!!!12!!!14!!!30!!!31!!!35!!!43!!!8!!!7!!!8!!!8!!!4!!!2!!!*!!!!!'!!!!

41 RIO BUSINESS Taxa de desemprego (Talento e Produtividade)

42 Ambiente de Negócios Dinâmico RIO BUSINESS Indústria* P&D* Hospitalidade* Escritórios/Sedes* Finanças* Saúde/*Laboratórios* Mídia/Audiovisual* Economia*Cria>va* Logís>ca* O&G* Densidade* +* F*

43 RIO BUSINESS Setores Estratégicos FOCO RN POR QUE O RIO!!!!!!!!!!!

44 Centro Latino-Americano de Tecnologia RIO BUSINESS USD1,6 bilhões em investimentos

45

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Gustavo Guerrante. 30 de novembro de 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Gustavo Guerrante 30 de novembro de 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES

Formas de Atuação. Operações Diretas. Operações Indiretas. Contratadas diretamente com o BNDES. Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES Julho de 2013 Formas de Atuação Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Operações Indiretas Instituições financeiras credenciadas pelo BNDES EMPRESÁRIO Informação e Relacionamento Instituição

Leia mais

COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS. Fernando Carlos Almeida

COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS. Fernando Carlos Almeida COMPETÊNCIAS E DESAFIOS DO SECRETÁRIO DE FINANÇAS Fernando Carlos Almeida A QUESTÃO Quais os compromissos do Secretário Municipal de Finanças com a gestão financeira moderna e responsável, com a execução

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente Atratividade do Brasil: avanços e desafios Fórum de Atratividade BRAiN Brasil São Paulo, 03 de junho de 2011 Luciano Coutinho Presidente O Brasil ingressa em um novo ciclo de desenvolvimento A economia

Leia mais

A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS*

A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS* A INSTITUIÇÃO TESOURO ESTADUAL EM TEMPO DE AMEAÇAS ÀS FINANÇAS CAPIXABAS* Marcos Bragatto O sucesso da gestão de qualquer instituição se fundamenta na eficiência do desempenho do tripé métodos, meios e

Leia mais

Abril/2016. Perspectivas para o setor de infraestrutura no Estado do Rio de Janeiro

Abril/2016. Perspectivas para o setor de infraestrutura no Estado do Rio de Janeiro Abril/2016 Perspectivas para o setor de infraestrutura no Estado do Rio de Janeiro Sumário Quem somos Cenário PPPs e Concessões Desafios do atual modelo Proposta da AEERJ Projetos do ERJ : pontos críticos

Leia mais

Alavancando Investimentos

Alavancando Investimentos Alavancando Investimentos 1 A CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2 GESTÃO DE ALTO DESEMPENHO (1ª onda) Ajuste Fiscal, Planejamento, Execução e Controle 3 OLHANDO PARA O FUTURO Gestão de Alto Desempenho (2ª onda)

Leia mais

TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31

TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31 TRANSFORMANDO O RIO! ADVANCING ENTREPRENEURSHIP AND INNOVATION 04/11/2013 1/31 QUEM SOMOS Empresa pública, vinculada ao gabinete do Prefeito; Criada em agosto de 2011 para coordenar os projetos da Prefeitura

Leia mais

A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP

A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP A Função da PPP na Operação Urbana Porto Maravilha Jorge Arraes Presidente da CDURP RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 Taxa de ocupação de imóveis

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035

11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 11. ESTIMATIVA DE VALOR DO PORTFÓLIO DE OPORTU- NIDADES DE INVESTIMENTO NO RN - QUANTIFICAÇÃO IN- DICATIVA 2016-2035 217 218 A partir da escolha do melhor cenário Um Pacto pelo Mais RN o Mais RN definiu

Leia mais

COPA 2014. 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo

COPA 2014. 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo COPA 2014 28º Reunião do Conselho Nacional de Turismo COPA 2014 CIDADES-SEDE Fortaleza Manaus Natal Recife Cuiabá Salvador Brasília Belo Horizonte Curitiba São Paulo Rio de Janeiro Porto Alegre PLANEJAMENTO

Leia mais

Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ

Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ O financiamento de sistemas de transporte coletivo público envolve: As fontes de recursos de capital para investimento e A recuperação do capital investido

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha

Operação Urbana Porto Maravilha Operação Urbana Porto Maravilha versão janeiro de 2016 Localização estratégica Aeroporto Internacional Tom Jobim 11 km Oceano Atlântico Maracanã 5 km Aeroporto Santos Dumont 2 km Corcovad o 7 km Copacabana

Leia mais

R E L A T Ó R I O R E S U M I D O D E G E S T Ã O C O N T R O L E D E M E T A S

R E L A T Ó R I O R E S U M I D O D E G E S T Ã O C O N T R O L E D E M E T A S R E L A T Ó R I O R E S U M I D O D E G E S T Ã O C O N T R O L E D E M E T A S Ao Sr. Gilmar Santa Catharina Chefe da Controladoria Geral do Município Prefeitura Municipal de Caxias do Sul No contexto

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp

Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Operação Urbana Porto Maravilha Permanências e Mudanças Alberto Silva Cdurp Rio de Janeiro, outubro, 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012 2013 2014 2015 2016 LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Planos e atitudes para tornar o Rio melhor para todos

Planos e atitudes para tornar o Rio melhor para todos Planos e atitudes para tornar o Rio melhor para todos No dia 31 de agosto de 2009, o prefeito Eduardo Paes encaminhou à Câmara Municipal o projeto do Plano Plurianual de Ação (PPA), o instrumento de planejamento

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS

PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA Subsecretaria de Política Fiscal Órgão da SEFAZ PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS RISCOS FISCAIS Breves reflexões sobre o tema. George Santoro BREVE HISTÓRICO: DO ESTADO BUROCRÁTICO

Leia mais

Cademp na Rede de Conveniadas GESTÃO PÚBLICA. CADEMP na Rede de Conveniadas Gestão Pública

Cademp na Rede de Conveniadas GESTÃO PÚBLICA. CADEMP na Rede de Conveniadas Gestão Pública GESTÃO PÚBLICA 2014 Área: Gestão Pública Nº. CURSOS C/H 1 Análise de Balanços Públicos 24 2 Análise de Viabilidade em Projetos Públicos 24 3 Auditoria Governamental 24 4 Avaliação de Desempenho no Setor

Leia mais

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs)

Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Fundamentos de Parcerias Público-Privadas (PPPs) Organização: Unidade de Parcerias Público-Privadas - Secretaria de Estado de Economia e Planejamento (SEP) Vitória, 26.11.2010 Objetivos do Curso Apresentar

Leia mais

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. MANAUS A Copa da Amazônia

Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. MANAUS A Copa da Amazônia Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 MANAUS A Copa da Amazônia Janeiro de 2009 ÍNDICE Agenda proposta a FIFA e CBF em 04/02 e 05/02/09 Introdução ao Amazonas ( Lima Projeto Básico de Arquitetura e Engenharia

Leia mais

PEDRANÓPOLIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00

PEDRANÓPOLIS. OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00 PEDRANÓPOLIS OBRAS E AÇÕES - Gestão 2007-2010 R$ 9.186.200,00 AGRICULTURA: Distribuição de leite: distribuídos 81.267 litros de leite, no período de Jan/2007 a Dez/2008 Custo: R$ 100 mil, beneficiando

Leia mais

Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva

Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva Operação Urbana Porto Maravilha: Transformações Urbanas, Sustentabilidade e Inclusão Socioprodutiva Rio de Janeiro, Setembro de 2012 RIO: MOMENTO ÚNICO Rio + 20 450 Anos da Cidade do Rio de Janeiro 2012

Leia mais

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014

BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 BALANÇO ECONÔMICO 2013 & PERSPECTIVAS 2014 Porto Alegre, 4 de fevereiro de 2014 a CENÁRIO INTERNACIONAL CRESCIMENTO ANUAL DO PIB VAR. % ESTADOS UNIDOS: Focos de incerteza Política fiscal restritiva Retirada

Leia mais

O mercado imobiliário no Rio de Janeiro

O mercado imobiliário no Rio de Janeiro O mercado imobiliário no Rio de Janeiro Índice 1- Potencial do Setor Imobiliário População Demanda Financiamento e taxa de juros 2- Mercado do Rio de Janeiro Evolução do Setor Grandes Investimentos Programa

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

Fortalecimento do Cadastro Único como porta de entrada para Programas Sociais para a população de baixa renda

Fortalecimento do Cadastro Único como porta de entrada para Programas Sociais para a população de baixa renda Fortalecimento do Cadastro Único como porta de entrada para Programas Sociais para a população de baixa renda Mesa: Cadastro Único, Bolsa Família e Brasil sem Miséria. Cadastro Único É um mapa representativo

Leia mais

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009

Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Inovações nas infraestruturas de transporte Felipe Jens Odebrecht Investimentos em Infraestrutura 29 de novembro de 2009 Agenda Organização ODEBRECHT Desafios para o Crescimento Sustentável da América

Leia mais

Cenário Brasileiro e Educação

Cenário Brasileiro e Educação Cenário Brasileiro e Educação Prof. José Pio Martins Economista Reitor da Universidade Positivo Agosto/2014 Observações introdutórias Missões do gestor Gerenciar o dia a dia Preparar a organização para

Leia mais

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP AVISO Com base nos Art. 30 e 31 da Lei Complementar Municipal n 16, de 04 de junho de 1992, o Município do Rio de Janeiro torna público seu interesse

Leia mais

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11)

XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) XP Corporate Macaé - FII (XPCM11) PERFIL DO FUNDO Os recursos do Fundo oriundos da 1ª Emissão de Cotas foram investidos na aquisição do Imóvel The Corporate em Macaé-RJ, de forma a proporcionar a seus

Leia mais

EGON BOCKMANN MOREIRA

EGON BOCKMANN MOREIRA EGON BOCKMANN MOREIRA Advogado. Doutor em Direito. Prof. Faculdade de Direito UFPR Prof. Visitante da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Prof. Convidado da Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte

Desafios do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte Nº 1 de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016: transporte A escolha do Rio de Janeiro para ser a sede dos Jogos Olímpicos coroou o bom momento vivido pela cidade e pelo estado, que irá receber investimentos

Leia mais

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes

PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes PPP s em Projetos de Infraestrutura 8º Encontro de Logística e Transportes Maio, 2013 Índice Contexto do Surgimento da LEI das PPPs Comparação Fazer uma PPP não é fácil Características e Requisitos das

Leia mais

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Elaborado por Leandro Felipe (2014) Contém nota pedagógica Introdução O objetivo principal deste caso é ajudar o Prefeito

Leia mais

Mensagem nº 72/2014. Salvador, 30 de setembro de 2014. Senhor Presidente,

Mensagem nº 72/2014. Salvador, 30 de setembro de 2014. Senhor Presidente, Mensagem nº 72/2014. Salvador, 30 de setembro de 2014. Senhor Presidente, Tenho a honra de encaminhar a Vossa Excelência, para a apreciação dessa augusta Assembleia Legislativa, o anexo Projeto de Lei

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade

Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Política Nacional de Mobilidade Urbana e Construção do Plano de Mobilidade Porto Alegre RS Abril de 2015 Política

Leia mais

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011 CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Abril - Junho / 2011 O período entre 1 de Abril e 30 de Junho

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO- PRIVADAS III Fórum Brasileiro sobre a Reforma do Estado Carlos Ari Sundfeld SITUANDO O TEMA DA PPP escassez de recursos orçamentários para projetos de alto custo déficit de projetos

Leia mais

PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS

PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS PROJETOS DE INFRAESTRUTURA EM 6 EIXOS PAC Cidade Melhor Enfrentar os principais desafios das grandes aglomerações urbanas, propiciando melhor qualidade de vida PAC Comunidade Cidadã Presença do Estado

Leia mais

Mapa Estratégico de Minas Gerais

Mapa Estratégico de Minas Gerais Mapa Estratégico de Minas Gerais ORGANIZAÇÃO DAS ÁREAS DE RESULTADO => Desafios setoriais Desdobrados em: => Objetivos Estratégicos Traduzidos em: => Resultados Finalísticos: Indicadores e Metas Materializados

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Julho de 2015 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Brasil: Fenômeno cultural - Legado português: sociedade patrimonialista, individualista, hierárquica e dividida.

Brasil: Fenômeno cultural - Legado português: sociedade patrimonialista, individualista, hierárquica e dividida. Corrupção Brasil: Fenômeno cultural - Legado português: sociedade patrimonialista, individualista, hierárquica e dividida. Utilização do poder público em benefício privado: apego ao assistencialismo, clientelismo,

Leia mais

Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal

Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal Natal - RN Os impactos, processos e dinâmicas na Cidade do Natal Metropolização e Megaeventos Seminário Nacional Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2013 Equipe do Projeto Núcleo RMNatal Prof. Alexsandro

Leia mais

Palavras de Saudação

Palavras de Saudação ESTUDOS E PESQUISAS Nº 327 Palavras de Saudação Luciano Coutinho* Fórum Especial 2009 - Na Crise Esperança e Oportunidade, Desenvolvimento como Sonho Brasileiro, Oportunidade para as Favelas 17 e 18 de

Leia mais

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Belo Horizonte Brasília, Abril de 2012

Balanço 2012 - Copa do Mundo Cidade-sede Belo Horizonte Brasília, Abril de 2012 CodeP0 Balanço 2012 Copa do Mundo Cidadesede Belo Horizonte Brasília, CodeP1 Valores Consolidados R$ mi, abr/12 Total Empreendimentos Investimento Total Federal Local Federal Estádio 1 695,0 400,0 295,0

Leia mais

4 - GESTÃO FINANCEIRA

4 - GESTÃO FINANCEIRA 4 - GESTÃO FINANCEIRA Nos termos do art. 103 da Lei Federal nº 4.320/64, o Balanço Financeiro demonstra a movimentação das receitas e despesas financeiras, evidenciando também operações não propriamente

Leia mais

OUC Região Porto do Rio de Janeiro

OUC Região Porto do Rio de Janeiro OUC Região Porto do Rio de Janeiro Seminário Construção Sustentável Propostas de Diálogo e de Ação para a Sustentabilicade Salvador - Outubro/2011 Objetivo da Operação Urbana Consorciada O Porto Maravilha

Leia mais

10 de abril de 2012 Prefeitura de Belo Horizonte Secretaria Municipal de Desenvolvimento

10 de abril de 2012 Prefeitura de Belo Horizonte Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ações Públicas pela Cidadania e pelo Desenvolvimento Econômico 10 de abril de 2012 Contexto - Belo Horizonte MINAS GERAIS População :19,6 MM PIB: R$ 287 Bilhões IDH: 0,828 RMBH População :4,9 MM PIB: R$

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Agosto de 2014 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

Em R$ milhões. empresas empresas. fiscal. fiscal 5.723 5.440 4.824 3.469 1.398 15.769 16.474 15.797 1.281 1.634 11.535 8.067 6.491 5.266 22.197 21.

Em R$ milhões. empresas empresas. fiscal. fiscal 5.723 5.440 4.824 3.469 1.398 15.769 16.474 15.797 1.281 1.634 11.535 8.067 6.491 5.266 22.197 21. Evolução dos Investimentos Em R$ milhões 20.593 22.197 21.237 15.004 4.824 5.723 5.440 7.772 6.900 1.281 1.634 6.491 5.266 9.465 1.398 8.067 3.469 11.535 15.769 16.474 15.797 empresas empresas fiscal fiscal

Leia mais

9º Encontro Nacional SINAENCO Novas formas de contratação 1º. de dezembro de 2011

9º Encontro Nacional SINAENCO Novas formas de contratação 1º. de dezembro de 2011 A Estruturadora Brasileira de Projetos tem por missão desenvolver, com imparcialidade e transparência, projetos de infraestrutura que contribuam para o desenvolvimento econômico e social brasileiro criando

Leia mais

CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL

CAPÍTULO I DO PLANEJAMENTO GOVERNAMENTAL E DO PLANO PLURIANUAL LEI Nº 1.278/2013 EMENTA: Institui o Plano Plurianual do Município de Triunfo para o período de 2014 a 2017. O Prefeito do Município de Triunfo, Estado de Pernambuco, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Orçamento Anual. Parque Lage Lage Park - Foto: Alexandre Macieira Riotur Licença Todos os direitos reservados a Ascom Riotur

Orçamento Anual. Parque Lage Lage Park - Foto: Alexandre Macieira Riotur Licença Todos os direitos reservados a Ascom Riotur Orçamento Anual Anexo VII: Consolidação dos Quadros Orçamentários Atualização dos Anexos da Lei n.º 5.494 de 24 de julho de 2012 Anexo VIII: Metas Fiscais Anexo IX: Riscos Fiscais Parque Lage Lage Park

Leia mais

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - Objetivo Apresentar a e as principais características do STTP. Conceito de Transporte - Transporte é o movimento de pessoas e cargas de um ponto a outro utilizando

Leia mais

Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização

Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização 8º ENAENCO Financiamentos para Empreendimentos Públicos de Saneamento e Urbanização ROGÉRIO DE PAULA TAVARES Superintendente Nacional Saneamento e Infra-estrutura São Paulo, 29 de novembro de 2007 Fonte:

Leia mais

Resultados do 1T06 Teleconferência

Resultados do 1T06 Teleconferência Resultados do 1T06 Teleconferência 0 Considerações Iniciais AVISO - INFORMAÇÕES E PROJEÇÕES O material exibido é uma apresentação de informações gerais de antecedentes da Rossi Residencial S.A. na data

Leia mais

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas

Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas Infraestrutura Aeroportuária: Desafios e Perspectivas 8 de dezembro de 2011 SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL INFRAERO ANAC Ministério da Defesa DECEA AVIAÇÃO CIVIL PANORAMA INVESTIMENTOS CONCESSÕES INFRAERO

Leia mais

Adensamento em áreas vazias em São Paulo

Adensamento em áreas vazias em São Paulo Ad e n s a me n t oe má r e a sv a z i a se ms ã op a u l o. Adensamento em áreas vazias em São Paulo O potencial imobiliário de São Paulo está bastante limitado devido ao crescimento rápido e desordenado

Leia mais

Estado do Rio de Janeiro

Estado do Rio de Janeiro Julho de 2011 Estado do Rio de Janeiro Formada por 19 municípios. Área: Estado; 5.318,9 km² - 12% do PIB: R$ 169 bilhões 59% do Estado; População: 11,5 milhões de habitantes 72% do Estado; Dos 10 municípios

Leia mais

DIREITO TRIBUTÁRIO I: NOÇÕES GERAIS DO DIREITO FINANCEIRO

DIREITO TRIBUTÁRIO I: NOÇÕES GERAIS DO DIREITO FINANCEIRO DIREITO TRIBUTÁRIO I: NOÇÕES GERAIS DO DIREITO FINANCEIRO QUESTÃO INICIAL Como são aplicados os recursos obtidos por intermédio dos tributos? 1 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Finanças vem do latim finis, que significa

Leia mais

QualiHosp Curso Pré-Congresso

QualiHosp Curso Pré-Congresso QualiHosp Curso Pré-Congresso Desempenho Organizacional Foco: Gestão do Desempenho da Gestão de Pessoas Reflexões teóricas e o nosso caminho no HSL... Questão-chave: Como avaliar o desempenho da gestão

Leia mais

SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014

SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 SUPERVIA CONCESSIONÁRIA DE TRANSPORTE FERROVIÁRIO S.A. 2ª. EMISSÃO PÚBLICA DE DEBÊNTURES RELATÓRIO ANUAL DO AGENTE FIDUCIÁRIO EXERCÍCIO DE 2014 Rio de Janeiro, 30 de Abril de 2015. Prezados Senhores Debenturistas,

Leia mais

Lei nº 542/09/2009. Do Orçamento do Município. Dos Orçamentos das Unidades Gestoras Prefeitura e Câmara Municipal

Lei nº 542/09/2009. Do Orçamento do Município. Dos Orçamentos das Unidades Gestoras Prefeitura e Câmara Municipal M U N I C Í P I O D E C H I A P E T A Lei nº 542/09/2009 Estima a Receita e fixa a Despesa do Município de CHIAPETA para o Exercício de 2010.. OSMAR KUHN, Prefeito Municipal de CHIAPETA, faz saber a todos

Leia mais

Lei nº 590/10/2010. Do Orçamento do Município. Dos Orçamentos das Unidades Gestoras Prefeitura e Câmara Municipal

Lei nº 590/10/2010. Do Orçamento do Município. Dos Orçamentos das Unidades Gestoras Prefeitura e Câmara Municipal M U N I C Í P I O D E C H I A P E T A Lei nº 590/10/2010 Estima a Receita e fixa a Despesa do Município de CHIAPETA para o Exercício de 2011.. OSMAR KUHN, Prefeito Municipal de CHIAPETA, faz saber a todos

Leia mais

Finanças Públicas Estaduais: uma breve análise do impacto da Lei de Responsabilidade Fiscal sobre alguns indicadores orçamentários

Finanças Públicas Estaduais: uma breve análise do impacto da Lei de Responsabilidade Fiscal sobre alguns indicadores orçamentários Revista Economia & Tecnologia (RET) Volume 10, Número 2, p. 71-80, Abr/Jun 2014 Finanças Públicas Estaduais: uma breve análise do impacto da Lei de Responsabilidade Fiscal sobre alguns indicadores orçamentários

Leia mais

Entendendo o tamanho dos Jogos

Entendendo o tamanho dos Jogos Entendendo o tamanho dos Jogos Rio2016 Olimpíadas dos cariocas Legado para a cidade Economia de recursos públicos Entrega no prazo sem nenhum elefante branco mobilidade meio ambiente Aceleração e viabilização

Leia mais

MBA PPPs e Concessões Programa do Curso

MBA PPPs e Concessões Programa do Curso MBA PPPs e Concessões Programa do Curso (Versão preliminar - para consulta pública) MÓDULO BÁSICO (108 horas) O objetivo do Módulo Básico é criar uma base de conhecimento comum para todos os participantes

Leia mais

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS

PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS PESQUISA DO MERCADO IMOBILIÁRIO EM BELO HORIZONTE: ALUGUÉIS Janeiro de 2014 APRESENTAÇÃO DA PESQUISA Esta pesquisa é realizada pela Fundação IPEAD/UFMG com o apoio da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte

Leia mais

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DA PROPOSTA COMERCIAL 1. INTRODUÇÃO Este anexo objetiva apresentar as informações necessárias a orientar a LICITANTE quanto à apresentação e conteúdo da sua PROPOSTA

Leia mais

sustentável Crescimento

sustentável Crescimento sustentável Crescimento A população urbana aumenta de forma significativa, e gestores têm o desafio de buscar soluções criativas e inovadoras para financiar a infraestrutura necessária a esse contingente

Leia mais

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Seminário Ecoinnvacion Eima2013 9 a 10 de Julho de 2013 Edificio del

Leia mais

15 anos + de 700 projetos Segmentos: educação, saúde, imobiliário, varejo, hotelaria, logística, mobilidade, cidades + de 500 cidades analisadas e

15 anos + de 700 projetos Segmentos: educação, saúde, imobiliário, varejo, hotelaria, logística, mobilidade, cidades + de 500 cidades analisadas e 15 anos + de 700 projetos Segmentos: educação, saúde, imobiliário, varejo, hotelaria, logística, mobilidade, cidades + de 500 cidades analisadas e mapeadas Inteligência de Mercado e Soluções Estratégicas

Leia mais

AEAMESP 20ª PLANEJAMENTO E GESTÃO EM CINGAPURA PLANEJAMENTO E GESTÃO EM CINGAPURA SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA

AEAMESP 20ª PLANEJAMENTO E GESTÃO EM CINGAPURA PLANEJAMENTO E GESTÃO EM CINGAPURA SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA PLANEJAMENTO E GESTÃO EM CINGAPURA Marise Rauen Vianna Michel Hoog Chaui do Vale 20ª SEMANA DE TECNOLOGIA METROFERROVIÁRIA AEAMESP PLANEJAMENTO E GESTÃO E EM EM CINGAPURA UM CASO A SER OBSERVADO À LUZ

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

Municipais. Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

Municipais. Tribunal de Contas do Estado da Paraíba Encontro de Gestores Públicos Municipais Tribunal de Contas do Estado da Paraíba Desafios para a nova gestão Receitas Municipais Despesas Municipais FPM IPTU ISS ITBI Taxas Repasses Estaduais Repasses

Leia mais

Mecanismos de Financiamento

Mecanismos de Financiamento Mecanismos de Financiamento Parauapebas, 14 de novembro de 2014. Apoio: Realização: Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana Ministério das Cidades Mecanismos de Financiamento PAC: principal

Leia mais

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012 Financiamento para o desenvolvimento Novembro/2012 Agenda Contexto dos investimentos em infraestrutura no Brasil Desafios para a realização de investimentos em infraestrutura 1 Brasil Média Global Países

Leia mais

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social

BNDES e a Copa 2014. Rodolfo Torres. Novembro de 2011. Área de Infraestrutura Social BNDES e a Copa 2014 Novembro de 2011 Rodolfo Torres Área de Infraestrutura Social Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação do BNDES Agenda Introdução: Eventos Esportivos no Brasil Participação

Leia mais

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES?

UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? UMA MOBILIDADE URBANA OU UMA PSEUDOMOBILIDADE URBANA ESTÁ SENDO CONSTRUÍDA NAS CIDADES? BUENO, Maria Helena Berardo Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Estadual de Goiás - UnUCET ( Unidade

Leia mais

Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 IPPUC

Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 IPPUC Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 Revisão do Plano Diretor O Plano Diretor de 1966 Lei municipal 2828/66 A concepção do plano, diferente do modelo tradicional de crescimento radiocêntrico,

Leia mais

Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014. Mobilidade Urbana e a Copa 2014

Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014. Mobilidade Urbana e a Copa 2014 Grupo de Trabalho Copa do Mundo Brasil 2014 Mobilidade Urbana e a Copa 2014 Novembro de 2009 Participação do Gov. Fed. na Copa de 2014 Setor hoteleiro Estádio Aeroporto Investimentos Federais Porto Mobilidade

Leia mais

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011.

Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. Modelo de Projeto de Lei (Origem Poder Executivo) Dispõe sobre as diretrizes para a elaboração da lei orçamentária de 2011. CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o São estabelecidas, em cumprimento

Leia mais

Agenda. Síntese executiva. Encargos da Concessão. Modelos de Negócio. Contatos Úteis. 2 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.

Agenda. Síntese executiva. Encargos da Concessão. Modelos de Negócio. Contatos Úteis. 2 2011 Accenture. Todos os direitos reservados. EXPOMINAS II Agenda Síntese executiva Encargos da Concessão Modelos de Negócio Contatos Úteis 2 2011 Accenture. Todos os direitos reservados. Sobre o Expominas II OBJETIVOS Gerar benefícios ao setor de

Leia mais

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes

Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 e parecer dos auditores independentes Bungeprev Fundo Múltiplo de Previdência Privada Demonstrações e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos Administradores, Participantes e Patrocinadores Bungeprev Fundo

Leia mais

PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL

PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL PROJETO FORÇA PARA O RIO GRANDE DO SUL, EMENDA AO PROJETO 1. RENÚNCIA FISCAL: Verificar quais são as empresas que possuem o benefício, fazer levantamento, ex. GM,

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados do 4T09 Trisul (TRIS3 BZ) 16 de março de 2010

Transcrição da Teleconferência Resultados do 4T09 Trisul (TRIS3 BZ) 16 de março de 2010 Operadora: Bom dia, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência dos resultados do 4T09 da Trisul. Hoje nós temos a presença do Sr. Jorge Cury Neto, Diretor Presidente, e Sr. Marco Antônio Mattar,

Leia mais

2014 Saneamento na Rede

2014 Saneamento na Rede 2014 Saneamento na Rede A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO E DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO DE EMPREENDIMENTOS DE INFRAESTRUTURA João Alberto Viol, presidente nacional do Sinaenco Copa 2014 e Olimpíadas

Leia mais

Diretrizes para Universalização dos Serviços, Novas Metodologias de Revisão Tarifária e Modernização na Gestão das Empresas Concessionárias

Diretrizes para Universalização dos Serviços, Novas Metodologias de Revisão Tarifária e Modernização na Gestão das Empresas Concessionárias Diretrizes para Universalização dos Serviços, Novas Metodologias de Revisão Tarifária e Modernização na Gestão das Empresas Concessionárias 13, 14 e 15 de março de 2012 Hotel Paulista Plaza São Paulo /

Leia mais

Gestão e Qualidade na Hemodinâmica

Gestão e Qualidade na Hemodinâmica Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012 Gestão e Qualidade na Hemodinâmica Gustavo Cortez Sacramento Supervisor de Enfermagem UTI e Hemodinâmica TÓPICOS SAÚDE Brasil e no EUA

Leia mais

Gestão de contratos de PPP

Gestão de contratos de PPP Gestão de contratos de PPP Workshop Aperfeiçoando as PPP no Brasil Bruno Ramos Pereira Salvador 26 de fevereiro de 2014 Estrutura Apresentação do PPP Brasil CenáriodasPPPsnoBrasil Contexto Riscos e desafios

Leia mais

* Subcomissão Permanente CMACOPOLIM. Carlos Eduardo M.S. Pellegrino Brasília, 07 de junho de 2011

* Subcomissão Permanente CMACOPOLIM. Carlos Eduardo M.S. Pellegrino Brasília, 07 de junho de 2011 Apresentação ao Senado Federal Audiência Pública Conjunta das Comissões de * Serviços de Infraestrutura * Desenvolvimento Regional e Turismo * Assuntos Econômicos * Meio Mi Ambiente, Df Defesa do Consumidor

Leia mais

(EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I) 19.331.000,00 19.331.000,00 1.019.712,35 5,28 12.775.069,85 66,09 6.555.930,15 RECEITAS CORRENTES

(EXCETO INTRA-ORÇAMENTÁRIAS) (I) 19.331.000,00 19.331.000,00 1.019.712,35 5,28 12.775.069,85 66,09 6.555.930,15 RECEITAS CORRENTES RELATÓRIO RESUMIDO DA EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA BALANÇO ORÇAMENTÁRIO ORÇAMENTO FISCAL E DA SEGURIDADE SOCIAL JANEIRO A DEZEMBRO 2014/ BIMESTRE NOVEMBRODEZEMBRO RREO ANEXO I (LRF, Art. 52, inciso I, alíneas

Leia mais

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA

EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA EIXO 4 PLANEJAMENTO E GESTÃO ORÇAMENTÁRIA E FINANCEIRA D 4.10 Aspectos fiscais: receita e necessidade de financiamento do governo central (20h) (Aula 1: Receita Pública) Professor: José Paulo de A. Mascarenhas

Leia mais

Investimentos RIO 2012.2014. Sumário executivo. Sumário executivo

Investimentos RIO 2012.2014. Sumário executivo. Sumário executivo Investimentos Decisão RIO 2012.2014 Sumário executivo Sumário executivo Rio de Janeiro: Localização privilegiada, logística estratégica O Rio de Janeiro avançou extraordinariamente na última década com

Leia mais

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO

A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Luiz Estevam Gonçalves Rio de Janeiro fevereiro de 2015 A PRÁTICA DO ORÇAMENTO PARTICIPATIVO François E. J. de Bremaeker Economista e Geógrafo,

Leia mais

Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida

Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida Construção Civil, Habitação e Programa Minha Casa Minha Vida Ministro Paulo Bernardo Brasília - DF, outubro de 2009 Sumário 1. Situação recente do setor da construção civil 2. Medidas já adotadas pelo

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Porto Alegre Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Porto Alegre: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

Políticas Locais para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas Iniciativas da Cidade do Rio de Janeiro

Políticas Locais para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas Iniciativas da Cidade do Rio de Janeiro Florianópolis Agosto 2010 Políticas Locais para o Enfrentamento das Mudanças Climáticas Iniciativas da Cidade do Rio de Janeiro Paula Serrano do Carmo CHEFE DE GABINETE DO INSTITUTO PEREIRA PASSOS Premissas

Leia mais

PLANEJAMENTO E OBRAS DE AT ATENDIMENTO AOS PLANOS DA CIDADE DO RJ. Carla Damasceno Peixoto

PLANEJAMENTO E OBRAS DE AT ATENDIMENTO AOS PLANOS DA CIDADE DO RJ. Carla Damasceno Peixoto PLANEJAMENTO E OBRAS DE AT ATENDIMENTO AOS PLANOS DA CIDADE DO RJ Carla Damasceno Peixoto PLANEJAMENTO P/ MELHORIA DA CIDADE - RJ Programa de inserção e melhorias das comunidades carentes UPP, PAC, Minha

Leia mais