UFPR receberia cerca de 500 milhões para aderir ao REUNI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UFPR receberia cerca de 500 milhões para aderir ao REUNI"

Transcrição

1 nº 6 Novembro de 2011 Campus Palotina sofre com a falta de infraestrutura O campus de Palotina da Uni- construir m2, até o final de devido aos recursos versidade Federal do Paraná foi 2011, e reformar mais 3.480m2. que ainda não che- criado em 1993, na cidade de Pa- Além de garantir os recursos para garam. Nesta edição lotina, a 600 km de Curitiba. Em equipar essa nova área construída, especial vocês pode- 2008, aderiu ao Programa de Apoio também se comprometeu a contra- rão conferir as con- a Planos de Reestruturação e Ex- tar docentes e servidores técnico- dições precárias que pansão das Universidades Federais -administrativos suficientes para a hoje os docentes do (Reuni) que propunha a criação de implementação dos novos cursos. campus Palotina estão cinco novos cursos, passando de Hoje, estudantes, docentes e submetidos. Entre os 300 alunos para 2200 alunos até o técnicos sofrem diversos proble- problemas estão carga final de mas em relação a falta de estru- horária elevada, laboratórios nos plina por falta de equipamentos bá- Em troca, a Instituição deveria tura física, material e de pessoal, banheiros, cancelamento de disci- sicos, entre outros. UFPR receberia cerca de 500 milhões para aderir ao REUNI O Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), é um projeto do governo federal criado pelo decreto presidencial 6.096, em 24 de abril de 2007, que visa ampliar o acesso e a permanência na educação superior. A Universidade Federal do Paraná aderiu ao programa em 2008, o que garantiu a inclusão da instituição em sua primeira fase. O REUNI incluiu metas de crescimento, tanto na graduação quanto na pós-graduação, a serem atingidas em um prazo de cinco anos. Pelo proposto, a universidade receberia R$ 59,1 milhões de investimentos para edificações, infraestrutura e equipamentos; R$ 189,7 milhões em orçamentos de custeio para bolsas de estudantes, contratações de professores, técnicos administrativos e custeio básico; e R$ 248,5 milhões de recursos totais para a UFPR entre 2008 e GRADUAÇÃO 37% REUNI UFPR 21 novos CURSOS 19 graduações com vagas aumentadas 1548 novas vagas PROMESSAS 235 DOCENTE 396 técnicos Pós-Graduação 1512 novas vagas 24 novos CURSOS m2 Novas construções m2 Reformas

2 Palotina é a maior expressão do REUNI na UFPR Cerca de 30% das vagas de graduação que correspondem ao programa de expansão da Universidade Federal do Paraná foram alocadas em Palotina. Antes de 2008, o campus contava apenas com o curso de Medicina Veterinária, que totalizava cerca de 300 alunos. Para a implantação do programa 20 novas vagas foram acrescentadas no curso de Medicina Veterinária e cinco novos cursos foram criados entre 2009 e Uma comissão foi estabelecida em 2008 pela UFPR para formular um projeto de expansão da Instituição. Neste projeto a equipe técnica traçou que, para receber os 1660 novos alunos o que acontecerá até 2015 quando os novos cursos chegarem a sua maturidade - o Campus Palotina necessita construir edificações que totalizariam m 2 e reformar outros 3.480m 2. Para o diretor do Campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos, o projeto realizado em 2008 está muito próximo das necessidades locais atuais. Esses metros quadrados foram projetados pela equipe de arquitetas do plano diretor na época da implantação do programa. Foram levadas em consideração o contra turno e demais demandas, afirma Barcellos. O prazo estipulado no cronograma da UFPR para a entrega das obras é dezembro de Os mais de m 2 que ainda faltam construir não têm previsão de entrega por ainda não terem sidos licitados. Nunca foi dito pela UFPR que não teria as obras que estão planejadas. Só respondem: vai ter dinheiro para tudo, fiquem tranquilos, comenta Barcellos. Com as demandas oriundas da criação dos novos cursos do Programa REUNI/UFPR, a Instituição julgou necessária a ampliação da área do campus como ação prioritária. Desta forma, foi efetivada a compra de um terreno vizinho ao Campus Palotina no valor de R$ ,00. Os recursos para aquisição do espaço foram disponibilizados pela Secretaria de Educação Superior do Ministério da Educação, no valor de R$ 1 milhão e o restante foi complementado com recursos do Programa REUNI. Com a nova aquisição, a área do campus foi ampliada para m 2 quadrados, o terreno também conta com um prédio edificado de 2.600m 2. Esse prédio não existia no planejamento inicial da expansão. Quando surgiu a oportunidade da Universidade adquirir todo o terreno e o prédio foi avaliado que seria interessante. De fato é uma área que realmente é necessária e compramos a área junto com o prédio, explica Barcellos. OBRAS PROMETIDAS - PALOTINA PROJETO REUNI/UFPR 2.500m 2 Obras prontas 700m 2 Obras em andamento obras não INICIADAS 4.940m 2 Aguardando licitação de complementares Projetos complementares m 2 ENTREGA DEZ/ m m 2 Projetos não iniciados

3 O ônus do REUNI é a sobrecarga de trabalho O Decreto nº6.096/07 que constitui as diretrizes para a adesão ao REUNI, estabelece que a meta global do programa é aumentar a relação de um professor para 18 alunos na graduação das Instituições Federais de Ensino Superior. De acordo com o diretor do campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos, antes da adesão ao programa na UFPR a razão era de um professor para 12 alunos. Quem entrou no REUNI na UFPR entrou na relação de um professor para 28, porque ele não levava em consideração cada setor. Ele dizia que a UFPR tinha que entrar em um professor para 18 alunos. Com previsão de 2200 alunos até 2015, os sessenta e oito novos professores previstos já foram contratados, faltando apenas um, que será efetuado em 2012, conforme informado pela Administração da CURSOS NOVOS Tecnologia em 1 Biocombustíveis Tecnologia em 2 Biotecnologia Tecnológico em 3 AqUicultura 4 Ciências Biológicas 5 agronomia Universidade. Para o docente do Curso de Agronomia, Alexandre Leseur dos Santos, apenas mais um professor para fechar o quadro de docentes do campus não será suficiente. Um professor só contratado para cá é irrisório. Ficarão professores responsáveis por seis, sete disciplinas? Essa é uma conta que não fecha., ressalta Santos. O novo curso de Agronomia, que teve início no começo de 2011, conta com treze professores contratados pelo REUNI que chegaram ao curso antes de suas disciplinas serem ofertadas, para que os mesmos pudessem estruturar os laboratórios e demais demandas que as disciplinas exigem. A docente do Curso de Agronomia, Patrícia da Costa Zonetti, explica que muitos professores terão ainda suas disciplinas ofertadas nos próximos semestres, na medida em que os alunos avancem no curso. Os docentes hoje estão com uma carga horária média de 14 horas-aula antes mesmo de estarem ofertando a disciplinas para que foram contratados, uma vez que não existe professores para as disciplinas básicas que são ofertadas nos dois primeiros anos. Nós acreditamos que vamos ficar sobrecarregados, com mais de vinte horas, se continuarmos dando DOCENTES PALOTINA 300 ALUNOS 25 docentes 1 PROFESSOR PARA 12 ALUNOS 86 docentes as disciplinas básicas e mais a nossa disciplina, complementa Patrícia. Alguns docentes que oferecem suas disciplinas para o primeiro ano dos novos cursos já estão sobrecarregados, como é o caso do coordenador do Curso de Medicina Veterinária, André Luiz Filadelpho, que oferta a disciplina de anatomia animal para os cursos de Agronomia, Ciências Biológicas e Medicina Veterinária. A carga horária dos dois professores da disciplina é de 18 horas-aula, mesmo contando com o auxílio de um colaborador. Vai chegar a hora que esse professor não vai poder mais colaborar e teremos uma carga horária individual de 27 horas aula se não chegarem mais professores. Aqui é a ponta 2200 ALUNOS 1PROFESSOR PARA 25 ALUNOS do iceberg do que vai acontecer com todos até 2015, explica o coordenador. Segundo Vinícius Barcellos, várias medidas estão sendo tomadas para tentar reduzir a carga horária dos docentes no campus, mas é necessário a contratação de mais professores. Para podermos chegar a uma média de carga horária de 12 horas semanais na graduação e na pós-graduação nós precisaríamos de mais 57 professores até o início de 2015, complementa. Ainda para o diretor do Campus de Palotina o REUNI trouxe ônus e bônus. O bônus seria a vinda de mais recursos para a universidade e o ônus o aumento da carga horária para os docentes.

4 Cadê o dinheiro do REUNI? Com apenas 23% das obras realizadas para o projeto de expansão, o campus Palotina sofre com diversos problemas que deveriam ser solucionadas pelos recursos vindos do REUNI. Docentes, técnico-administrativos e estudantes estão submetidos a diversas situações precárias de trabalho, de ensino, de pesquisa e de extensão. Novo bloco didático que deverá ser entregue até dezembro de Um antigo seminário transformado em Universidade Com o atraso das obras e com uma crescente falta de espaço para salas de aula, gabinetes de professores, laboratórios, biblioteca e demais demandas, professores, estudantes e técnicos precisaram ocupar, em condições precárias, o prédio adquirido junto com o terreno. O edifício não apresenta condições ideais de uso, devido aos diversos problemas estruturais. Para os professores do campus Palotina, antes do prédio ser ocupado era necessário realizar uma reforma completa nas instalações. De acordo com o diretor do Setor do campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos, o planejamento inicial era executar uma reforma em todo o edifício, mas, devido às necessidades urgentes apresentadas pelo atraso das obras do Reuni, não foi possível. No começo não pudemos mensurar o tamanho do atraso das obras, nós imaginávamos que teríamos apenas pequenas ocupações temporárias para suprir o problema imediato, explica Barcellos. Uma reforma elétrica foi realizada no local, mas a obra contemplou apenas meio andar do antigo seminário. Neste meio andar há três salas de aula e uma sala de professor, ou seja, onde estão concentrado todos os professores não tem reforma elétrica, não tem ponto de internet, tem que usar wireless que é complementamente precária, conta o professor do curso de Tecnologia em Aquicultuta, Almir Manoel Cunico. Segundo Barcellos o campus está tentando utilizar o espaço da melhor forma possível, mas a previsão é que a permanência desta situação precária que os docentes estão submetidos permanecerá por cerca de dois anos. A Prefeitura da Cidade Universitária (PCU) está elaborando os projetos complementares para a reforma do prédio. Nós temos que esperar os projetos ficarem prontos para em seguida licitar a obra. Corredores do prédio Seminário Salas e laboratórios insalubres Péssimas condições da rede elétrica do prédio do Seminário 4

5 No verão, mais de 40 C o em sala de aula A temperatura na cidade de Palotina no verão atinge em média cerca de 31C o. Com todo esse calor o campus não conta com aparelhos de ar condicionado. No verão a temperatura na sala de aula chega a quase 40C o, é insuportável sem o ar condicionado, relata o aluno do curso de Medicina Veterinária, Cassiano Pazda. Segundo o diretor do campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos, a compra dos aparelhos para os prédios didáticos já está sendo providenciada através de recursos do próprio campus, mas ainda não estão previstas as instalações. Nós vamos tentar viabilizar a instalação dentro do possível, pois a Prefeitura da Cidade Universitária (PCU) exige que, para licitar, seja feito um projeto para cada ar condicionado, conta Barcellos. Entretanto, para os docentes que estão no Bloco do Seminário, esta não poderá ser a solução. Não podemos instalar o ar condicionado porque a rede elétrica não dá conta, mesmo que alguém compre o ar condicionado do bolso, não 40 C o No projeto dos novos prédios, apenas ventiladores de teto foram previstos tem como ligá-lo, explica a representante A PCU informou ao campus que do campus Palotina no será realizado em breve um novo CRAPUFPR, Simone Benghi Pinto. projeto para toda a rede elétrica. Trajeto no meio da mata Um grande bosque separa o prédio do Seminário dos blocos mento e iluminação. No primeiro semestre de 2011, didáticos. Para a comunidade três estudantes foram surpreendidas universitária se locomover entre os dois lados é necessário atravessar um trajeto longo que hoje não conta com nenhum calça- por um homem que apontava em sua direção e praticava atos libidinosos. O ocorrido aconteceu perto da hora do almoço, quando A comunidade universitára percorre cerca de 1km no meio da mata as estudantes percorriam o caminho para chegar ao Restaurante Universitário (RU). Após o episódio, para melhorar a segurança do trajeto, foi disponibilizado um posto de segurança armado. Para as estudantes que sofreram o ataque, a medida tomada ainda não é suficiente. O segurança colocado hoje não dá conta de toda a trilha, pois é relativamente um caminho longo, então ele não consegue cobrir todo esse trajeto. No período noturno, o trajeto é evitado pela comunidade universitária devido à total falta de iluminação. A alternativa para aqueles que pretendem utilizar o RU, a biblioteca ou outro laboratório que está alocado provisoriamente no prédio do Seminário é utilizar a rua que contorna o campus, que também não é segura devido ao elevado número de caminhões que transita a noite. Segundo o diretor do campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos, as melhorias necessárias já estão sendo providenciadas e serão iniciadas ainda em novembro. Essa trilha será toda iluminada, terá um poste a cada três metros e todo o trajeto terá calçamento. A licitação já saiu e o prazo para a execução da obra é de seis meses.

6 Laboratórios nos banheiros de sua disciplina. Particularmente Segundo o diretor do campus eu não vi isso acontecer. Todos Palotina, Vinícius Cunha Barcellos estão perguntando, cadê a verba os laboratórios dos novos cursos do REUNI? indaga o professor não foram estruturados com recur- do curso de Tecnologia em Aqüi- sos da Universidade. O que temos cultura, Carlos Eduardo Zacarkim. observado é que o mérito de ter Para que alunos não perdessem equipamentos se deve muito mais o conteúdo pela falta de labora- ao esforço dos docentes cacifados tórios e para que a pesquisa na pelo seu próprio currículo, que têm Universidade não fosse prejudica- conseguido recursos em outros edi- Laboratório instalado em um banheiro desativado Com os cursos novos sendo estruturados e novos alunos chegando a cada semestre o espaço disponível para que os docentes possam estabelecer seus laboratórios para a pesquisa e para a graduação é insuficiente. Muitos docentes estabeleceram seus laboratórios nos banheiros, em salas improvisadas ou em áreas abertas até que as obras previstas pelo REUNI sejam efetivadas. Nós estamos andando em um carro sem roda, precisa ter um movimento, a universidade precisa funcionar e estamos utilizando a estrutura que tem, explica o professor do curso de Tecnologia em Aquicultuta, Almir Manoel Cunico. Além das péssimas condições da rede elétrica, que não permite que vários equipamentos de pesquisa possam ser ligados, os docentes não receberam as verbas destinadas do REUNI como prometido. O que nós ouvimos quando chegamos é que cada professor teria uma verba vinda do REUNI para conseguir estruturar os laboratórios da, muitos professores investiram recursos próprios para estruturar o mínimo necessário para realizar seu trabalho. Se fossemos esperar os recursos virem de Curitiba, nossas pesquisas não estariam funcionando, conta Zacarkim. Para Zacarkim, que equipou dois laboratórios em um banheiro em conjunto com oito docentes com recursos próprios, a Universidade deve priorizar investir nos novos cursos. Eu nunca pensei que iria ter que tirar dinheiro do bolso para montar laboratório. Nós gastamos mais de R$3.000,00 para montar o nosso, porque se não fosse isso não teria. tais de órgãos de fomento. Para a Associação dos Professores da UFPR apenas a construção dos prédios que faltam no projeto REUNI não resolvem os problemas que a comunidade universitária do campus Palotina enfrenta. Não é aceitável a forma que a Instituição está tratando a estruturação dos novos cursos. Aquilo que deve ser suprido como condição básica para que o curso funcione deve ser oferecido pela Universidade e não simplesmente disponibilizar uma parte dos recurso na forma de edital, afirma o presidente da APUFPR-SSind, Luis Allan Künzle. Laboratório no banheiro estruturado com recursos dos docentes Tanques de pesquisa em céu aberto Laboratório em salas improvisadas estruturado com recurso do docente

7 Comunidade universitária exposta ao formol O curso de Medicina Veterinária, que também aderiu ao REUNI e expandiu suas vagas em 33%, também vem sofrendo com a falta de estruturas adequadas. Para a aluna do curso, Angélica de Paula Teixeira, a falta de recursos para a manutenção dos equipamentos faz com que a pesquisa e os estudos sejam prejudicados. A maioria dos microscópios dos laboratórios estão com a lente estragada ou apresentam alguma dificuldade no uso. O laboratório de anatomia animal e patologia animal, que hoje é utilizado pelos três cursos de graduação oferecidos pelo campus, não possui um sistema de ventilação e exaustão adequado, o que é necessário quando se utiliza o formol para a conservação dos animais. O precário sistema de exaustão do ar satura o ambiente com a presença de gases desprendidos dos tanques de formol, da sala de necropsia e das peças anatômicas dispostas nas bancadas. Esses dois pequenos exaustores são de cozinha, eles são para uso doméstico antigo, não são para retirada de gás, relata o coordenador do Curso de Medicina Veterinária, André Luiz Filadelpho, Os acadêmicos que fazem uso do laboratório precisam, obrigatoriamente, passar pela sala de tanques para ter acesso à sala de aula prática do bloco; tal condição favorece o estreito contato com os gases desprendidos dos tanques. Dentro do laboratório se encontram também gabinetes de professores, o que os expõe a um tempo ainda maior ao formol. A Associação dos Professores da UFPR e docentes solicitaram a instalação de exaustores adequados no laboratório. O pedido deve-se ao entendimento que a Instituição deve oferecer condições salubres aos docentes, técnicos e estudantes que utilizam o espaço. Até o momento a Universidade não apresentou resposta satisfatória ao pedido. Para solucionar o problema de fluxo do laboratório a direção do campus propôs uma reforma temporária até que um novo espaço seja construído. O projeto consiste Tanque de formol As peças retiradas do tanque de formol devem permanecer por um tempo em descanso com os exaustores ligados antes de serem manuseadas. em dividir o laboratório com divisórias compradas com recursos do próprio campus. Diversas rachaduras no laboratório também preocupam os docentes. Não sei até quando essa estrutura vai aguentar. Essa parede um dia vai cair e espero que não seja nas nossas cabeças. relata Filadelpho. FORMOL Aldeído fórmico UTILIZAÇÃO: Muito usado na conservação de tecidos, nos laboratórios de anatomia e como matéria-prima em alguns processos na indústria química. PERIGO: Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Instituto Nacional do Câncer, órgão do Ministério da Saúde, o Formol aumenta o risco de desenvolvimento de câncer em humanos, em especial de nasofaringe e leucemias. É também considerado um dos principais agentes etiológicos da asma ocupacional e da rinite alérgica. Laboratório de anatomia animal - Palotina

8 Biocombustível de qualidade? O curso de Tecnologia em Biocombustíveis foi criado com o programa REUNI/UFPR. Com duração de três anos e meio, o curso teve seu início em 2009 e forma sua primeira turma no próximo semestre. Segundo o coordenador do curso, Helton José Alves, o projeto da graduação é estruturado para a parte de produção e de controle de qualidade. Com a falta de recursos para a compra de máquinas e equipamentos o curso produz apenas dois dos quatro combustíveis a que se propõe. Na parte de controle de qualidade a questão é ainda mais grave, dos 22 itens que devem ser analisados conforme a norma vigente, nenhum é possível. Nós temos uma disciplina que é chamada de controle de qualidade de biocombustíveis, ou seja, ela está funcionando apenas na teoria, pois hoje não temos equipamentos que caracterize o tipo de biocombustível produzido, relata Alves. O coordenador do curso explica que esses equipamentos já foram solicitados à Universidade diversas vezes, mas que ainda não foram viabilizados. Hoje o Curso de Tecnologia em Biocombustíveis necessita de R$ ,00 para a compra de equipamentos e materiais para suprir a infraestrutura básica do curso. Esse valor foi revisado três vezes, está super enxugado. Neste valor não estão considerados os recursos para os equipamentos que já estão no projeto da FINEP e de outros projetos contemplados que estamos esperando que cheguem logo. Produção 1 Etanol Biomassa 4 florestal 2 Biodiesel Viabilizados a partir de junho de biogás Sem previsão Recurso para a compra do equipamento já disponibilizado através de um projeto da FINEP, mas aguarda providências da Universidade para a liberação. Análise Hoje nós não temos condição de avaliar se esse biocombustível que produzimos é realmente o que nós estamos dizendo, e acreditando que ele seja. A verba para a compra de três equipamentos mais caros já foi disponibilizada através de um projeto da FINEPE, porém há cerca de um ano os docentes não conseguem receber o recurso. Frequentemente nós temos conversado com o Reitor e ele tem nos dito que no próximo mês provavelmente a situação será resolvida. Estamos aguardando uma solução. Do total de R$ ,00 solicitados pelos docentes no edital da PROGRAD apenas R$ ,00 foram disponibilizados para o curso, o que corresponde a apenas 7,5% do valor necessário. Aí eu faço a pergunta, será que teremos que esperar uns quatorzes anos para ter a infraestrutura básica? Será que a universidade irá enxergar desta forma esses cursos novos, que ela implantou. Ou será feito alguma coisa direcionada para esses cursos? EVINCI O último Encontro de Iniciação Científica da UFPR (EVINCI), que ocorreu em Curitiba, contou com a participação de docentes e estudantes do campus Palotina. No trajeto até Curitiba, os passageiros sofreram com o transporte oferecido pela Universidade, que apresentou diversos problemas de manutenção. Depois de aproximadamente doze horas de viagem, professores e estudantes não puderam entrar no hotel, devido à diária, que começava apenas ao meio dia. Só nos deixaram colocar a mala, sem direito de café da manhã porque não estava inclu- so na diária., explica a docente do curso de Medicina Veterinária, Bettina Monika Ruppelt Pereira. No evento, para guardar computadores, retroprojetores e outros materiais que seriam usados, alguns professores solicitaram uma sala à PROEC, que deveria ser disponibilizada durante toda a estada em Curitiba. O espaço cedido serviu também para guardar as malas dos docentes e estudantes no último dia, que tiveram suas estadias no hotel garantidas somente até meio dia, uma vez que o ônibus de retorno a Palotina sairia apenas 9 horas da noite.

9 Cursos novos concorrem em editais por estrutura mínima Apesar do incentivo da Instituição para a criação dos novos cebemos. O grande número de pedidos tal no nosso caso é considerada como forma de sobrevivência, porque o recurso não vem de outra fonte, afirma Tostes. cursos, a estrutura mínima para estabelecê-los ainda não foi oferecida pela Universidade. Segundo os docentes de Palotina, para estruturar os labora- efetuado pelo campus Palotina demonstra a carência que os cursos têm enfrentado. Para a APUFPR é dever da Administração da Universidade FDA ABRIL 2011 OUTUBRO 2011 tórios e oferecer os equipamentos mínimos necessários exigidos garantir a estrutura física, humana e material para a constituição 47% 41% pela disciplina é preciso con- dos cursos novos, independente correr nos editais do FDA e da PROGRAD. dos editais. Para Raimundo Alberto Tos- PEDIDOS ATENDIDOS PEDIDOS ATENDIDOS Segundo o diretor do campus, Vinícius Cunha Barcellos, os tes, 1º Secretário da APUFPR- -SSind e docente do curso de 9 PROJETOS SOLICITADOS - R$ ,88 67 PROJETOS SOLICITADOS - R$ ,46 cursos de Palotina têm participado constantemente dos editais Medicina Veterinária em Palotina, a concorrência em editais 5 PROJETOS ATENDIDOS - R$ ,53 30 PROJETOS ATENDIDOS - R$ 257,549,65 do Fundo de Desenvolvimento Acadêmico (FDA). Somos o setor que mais recebe dinheiro, mas também o que mais manda projeto. Percentualmente quando comparamos pedidos e atendimentos, somos o que menos re- que os novos cursos estão submetidos não é justa. Há uma grande distorção em considerar a estruturação de um curso novo pari passu com um curso consolidado. Isso precisa ser modificado. A concorrência em edi- PROGRAD 19% valores SOLICITADOS - R$ ,70 valores ATENDIDOS - R$ ,45 Para Raimundo Alberto Tostes, 1º Secretário da APUFPR-SSind, o desejo dos docentes do campus Palotina é de serem reconhecidos como colegas de Instituição por todos. Hoje nós percebemos que há um abismo entre Palotina e Curitiba. É fácil você alegar que a distância atrapalha e que não é possível realizar trabalhos em conjunto. Só que isso não é motivo para sermos tratados como cidadãos de segunda classe, desabafa Tostes. Apesar de todo o esforço dos docentes e estudantes do campus Palotina, a maioria das bancas formadas de avalição no EVINCI serviram para docentes de Palotina avaliarem trabalhos de Palotina. Outro problema apontado pelos docentes do campus Palotina, foi que os custos das diárias na edição anterior do EVINCI ficaram por conta de cada docente, uma vez que os valores não foram restituídos pela Universidade. Motorista em baixo do ônibus

10 Pós-Graduação em Palotina Docentes esperam implementar dois programas de mestrado no campus Com o intuito de consolidar e qualificar a pesquisa no campus Palotina, em maio de 2011, os docentes encaminharam dois programas de mestrado à Capes. A expectativa pela aprovação dos programas Ciência Animal e Aquicultura - é grande. Para Américo Fróes Garcez Neto, coordenador do projeto de implementação do programa de Ciência Animal, a resposta deve ocorrer ainda este ano. É um desejo de todos aqui do campus ter um programa de pós stricto sensu. A nossa proposta foi bem acolhida em Curitiba e elogiada em sua formatação. A implementação dos dois mestrados também permitirá aos professores do campus Palotina os requisitos necessários para a progressão na carreira em todos os níveis, uma vez que os critérios estabelecidos exigem cada vez mais a vinculação do docente nos programas de pós- -graduação. Com a possibilidade de abertura dos programas, as demandas do campus serão ainda maiores. Estamos lutando, estamos trabalhando, fazemos por idealismo mesmo e quebrando barreiras. Mas esperamos uma contrapartida também. Que a Reitoria nos olhe e enxergue aqui pessoas que querem ajudar, que querem formar alunos, que querem desenvolver pesquisa de qualidade, comenta o coordenador do projeto de implementação do programa de Aquicultura, Eduardo Luis Cupertino Ballester. Condições precárias na pesquisa e na extensão Muitos são os desafios que os docentes sofrem para o desenvolvimento da pesquisa e da extensão no campus Palotina, uma vez que os recursos estruturais e materiais necessários para sua efetivação não são disponibilizados pela Universidade. Segundo o professor do curso de Tecnologia em Aquicultuta, Almir Manoel Cunico as precárias condições oferecidas e a burocracia da Universidade dificultam constantemente a pesquisa no campus. Estamos desenvolvendo nossas pesquisas, no canto de um banheiro, dentro de outro laboratório, com a luz puxada precariamente. Nessas condições estruturais, não é nem que inviabiliza, mas desmotiva. Tudo é muito difícil, complexo, e muito demorado, explica. Algumas pesquisas foram prejudicadas devido às péssimas condições estruturais que estão submetidas. A expectativa que eu tinha do REUNI era chegar aqui e as coisas estarem mais estruturadas. Eu fiquei quase um ano em uma sala infestada de baratas, apareceu um rato e comeu do meu armário os probióticos que eu estava usando em um experimento, então eu saí e levei o laboratório para o banheiro, expõe o docente do curso de Tecnologia em Aquicultura, Eduardo Luis Cupertino Ballester. O atraso das obras também tem inviabilizado muitas pesquisas no campus Palotina. Muitos equipamentos e materiais têm sido comprados com recursos de órgãos de fomento que não podem ser utilizados devido à falta de espaço. Os equipamentos básicos estão chegando, mas é pela FINEPE, pelo esforço do professor que pede FDA, que pede edital da Fundação Araucária e não temos lugar para colocar e montar, relata o docente do Curso de Ciências Biológicas, Alexandre Leandro Pereira Hoje, o campus Palotina representa cerca de 40% de toda a extensão realizada na UFPR. Além das diversas atividades administrativas, segundo Américo Fróes Garcez Neto, docente do Curso de Medicina Veterinária, a elevada carga horária em sala de aula também é um fator que dificulta o desenvolvimento da pesquisa. Mesmo sendo o campus que mais desenvolve a extensão temos tido dificuldade em desenvolver a pesquisa e a extensão devido à alta sobrecarga em sala de aula e de orientação de alunos. Laboratório de pesquisa no corredor

11 Salas de professores... outro problema A maioria dos gabinetes dos docentes do campus Palotina são grandes salas abertas que agrupam cerca de seis professores. A amplitude do espaço faz parte da proposta de integração realizada já na construção das salas. Um dos problemas enfrentado nestas grandes salas é a falta de uma porta, o que permite que computadores e documentos importantes possam ser acessados facilmente. Para o docente do Curso de Ciências Biológicas, Alexandre Leandro Pereira, o espaço também não oferece condições de trabalho adequadas. É impossível desenvolver a ideia, pensar e escrever aqui. Principalmente à tarde. Nós não temos privacidade para falar com o aluno, não tem espaço para se concentrar. Com a falta de espaço para sala de professores, alguns docentes foram deslocados para o prédio do Seminário. Em condições precárias os docentes realizaram reformas básicas nas salas com recursos próprios, O fato de colocarmos dinheiro do nosso bolso, é que o recurso de Curitiba não vem e esse gesto é uma forma de tentar melhorar um pouco as nossas condições de trabalho, conta o professor do curso de Tecnologia em Aquicultuta, Almir Manoel Cunico. Gabinete dos docentes nos prédios novos Gabinete de docentes no prédio do Seminário reformado com recursos próprios Falta de salas de aula podem diminuir o número de vagas ofertadas Até 2015, ano em que se estabiliza a quantidade de estudantes nos novos cursos, o campus Palotina estará recebendo 100 novos alunos por semestre. A perspectiva é que, se as obras não forem concretizadas, faltem 13 salas de aula e diversos laboratórios obrigatórios para oferta das disciplinas. Para o diretor do Campus Palotina, Vinícius Cunha Barcellos as obras são emergenciais e precisam ser concretizadas. Senão teremos que fechar vagas no vestibular e não queremos trabalhar com essa hipótese, já que a Reitoria afirma que não falta dinheiro. Falta de sala: reunião do colegiado de Aquicultura no corredor Sem espaço para depósito, materiais ficam no corredor

12 Para a Administração da Universidade Palotina já é atendida em seus pleitos A Administração da Universidade foi procurada pela APUFPR- -SSind a fim de esclarecer sobre as péssimas condições de trabalho dos docentes do campus Palotina. Apesar do velho prédio do Seminário abrigar laboratórios nos banheiros, apresentar problemas na rede elétrica, não possuir condições adequadas para a pesquisa, o ensino e a extensão, para a Universidade o edifício apresenta condições de uso. A área do campus praticamente dobrou com a aquisição do Edifício Seminário. O prédio já abriga salas de aulas, gabinetes de professores, laboratórios didáticos, laboratórios de pesquisa, biblioteca, restaurante univer- sitário, centro de vivência, núcleo de assistência pedagógica, setor de aquicultura, setor de produção animal, viveiro de plantas, e outras infraestruturas de apoio como almoxarifado, garagem, depósito de inservíveis, galpão para manutenção e manutenção de rede. explica a Administração da Universidade. Para a APUFPR-SSind o bloco do Seminário não apresenta condições de uso e acredita que a Administração da Universidade precisa ter uma política séria para resolver os inúmeros problemas apresentados nesta edição especial do campus Palotina. Em resposta, a Universidade garantiu que já foram aplicados Portanto, vale salientar que a Administração Central atende os pleitos do campus Palotina e dos outros campi da universidade com a realização de obras de reforma e ampliação, contratação de professores e técnicos. Administração da Universidade no campus mais de R$ 10 milhões em obras de ampliação e reformas. Esses valores referem-se a aquisição do terreno que possui o velho prédio do Seminário e a construção dos 3200m 2 que serão entregue até o final de Quando indagada para o prazo de entrega dos m 2 faltantes no projeto do REUNI a Administração da Universidade afirma que o projeto desenvolvido previa apenas recursos financeiros. Cumpre também lembrar que o projeto Reuni, quando de sua pactuação no ano de 2007, no que se refere a infraestrutura, não foi feito por metragem quadrada e sim por valor financeiro, afirma a Universidade. Para a diretoria da APUFPR- -SSind tal análise é errônea, pois a metragem de m 2 consta no projeto REUNI/UFPR. Ainda para o sindicato, uma vez que a Universidade entende que o projeto é apenas financeiro, ela afirma que todos os recursos já foram aplicados. Como solução ao problema a Universidade garante que está comprometida em buscar novos recursos. Compatibilizar este déficit entre expectativa daquela época e necessidade de investimentos para além dos vinculados ao Reuni é um desafio que esta gestão não mede esforços através da busca de recursos orçamentários adicionais, complementa a Administração da Universidade. Outro problema que os docentes enfrentam no campus Palotina são as péssimas condições para o desenvolvimento da pesquisa. Para a Universidade os docentes da UFPR possuem condições de trabalho e de pesquisa comparáveis às melhores universidades da América Latina. Para a diretoria da APUFPR- -SSind a Universidade deve garantir as condições necessárias para o funcionamento dos novos cursos na Universidade Federal do Paraná, o que não está ocorrendo no campus Palotina. EXPEDIENTE Informativo APUFPR-SSind Publicação quinzenal da Associação dos Professores da Universidade Federal do Paraná Seção Sindical do Andes - Sindicato Nacional Diretoria - Gestão 2011/2013 Presidente: Luis Allan Künzle Vice-Presidente: Rodrigo Rossi Horochovski Secretário Geral: Rogério Miranda Gomes Primeiro Secretário: Raimundo Alberto Tostes Tesoureiro Geral: Fabiano Abranches Silva Dalto Primeiro Tesoureiro: José Ricardo Vargas de Faria Diretor Administrativo: Álvaro Tadeu Abelardino Diretora Cultural: Márcia Costa Itiberê da Cunha Diretora de Esportes: Maria Gisele dos Santos Diretora de Imprensa: Melissa Rodrigues de Almeida Diretor Jurídico: Fábio de Almeida Rego Campinho Diretor Social: Marcelo Sandim Dourado Fale Conosco Endereço - Rua Alcides Vieira Arcoverde, 1305, Jardim das Américas CEP Curitiba, PR - Tel.: (41) Produção Studio Art - Comunicação Integrada (41) Equipe de Redação - Larissa Amorim e Guilherme Mikami Projeto Gráfico e Diagramação - Larissa Amorim e Guilherme Mikami Tiragem exemplares / Distribuição gratuita e dirigida Os textos desta publicação estão de acordo com as novas regras

Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP da Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão

Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP da Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão Recomendações à Congregação da EFLCH/UNIFESP da Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão Guarulhos, 1º de Outubro de 2012 Prezados membros da Congregação da Escola de Filosofia,

Leia mais

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva

Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva 1 Universidade Federal do Maranhão Reitor Dr. Natalino Salgado Filho Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Pró-Reitor Dr. Fernando Carvalho Silva Diretora do Departamento de Pós-Graduação Dra. Maria

Leia mais

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação

Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação Plano de gestão 2016-2019 Chapa Consolidação 1. Apresentação Em novembro a comunidade do IFSC Câmpus Canoinhas elegerá seus novos dirigentes: Diretor Geral, Chefe de Departamento de Ensino, Pesquisa e

Leia mais

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP

Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP Boletim Informativo da Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional - UNIFAP COGEO/CAMBINACIONAL/UNIFAP A Coordenação do Curso de Licenciatura em Geografia do Campus Binacional

Leia mais

ATA DA DÉCIMA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA

ATA DA DÉCIMA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA ATA DA DÉCIMA PRIMEIRA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, realizada no dia vinte e seis

Leia mais

GAZETA DO POVO VIDA. Metade das escolas estaduais não tem segurança contra incêndios E CIDADANIA

GAZETA DO POVO VIDA. Metade das escolas estaduais não tem segurança contra incêndios E CIDADANIA GAZETA DO POVO VIDA E CIDADANIA PERIGO Metade das escolas estaduais não tem segurança contra incêndios Sem liberação do Corpo de Bombeiros, as instituições de ensino funcionam irregularmente, colocando

Leia mais

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI

CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSUNI PROCESSO Nº 011/2012 ASSUNTO: Proposta de adequação das diretrizes para a parceria FURB-UFSC. INTERESSADO: Administração Superior. PROCEDÊNCIA: Reitoria. I - HISTÓRICO: Em

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO Nº 32, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO Nº 32, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO Uberaba-MG RESOLUÇÃO Nº 32, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2015, DA REITORA DA UFTM Dispõe sobre os critérios de distribuição orçamentária aos Institutos

Leia mais

Havendo número legal, o senhor Presidente declarou aberta a Sessão. Deu as boas vindas aos presentes, registrou com alegria a presença dos

Havendo número legal, o senhor Presidente declarou aberta a Sessão. Deu as boas vindas aos presentes, registrou com alegria a presença dos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 ATA DA REUNIÃO ORDINÁRIA DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, REALIZADA NO

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE

MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE MINUTA DE RESOLUÇÃO PARA REGULAMENTAÇÃO E MANUTENÇÃO DO REGIME DE TRABALHO EM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA DA UNEMAT RESOLUÇÃO Nº. - CONEPE Regulamenta o regime de trabalho de Tempo Integral, em Dedicação Exclusiva

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA DA ESCOLA TÉCNICA AO SETOR DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNÓLOGICA UFPR: um pouco da história A Escola Técnica Federal do Paraná

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 122, DE 26 DE NOVEMBRO DE 2015 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal do Pampa, em sua 69ª Reunião Ordinária, realizada no dia 26 de novembro de 2015, no uso das atribuições que

Leia mais

18 SEMANAS É PRECARIZAÇÃO SEMESTRE COM 15 SEMANAS SEMESTRE COM SEMANAS EM VEZ DE DOCENTE DOCENTE QUALIDADE. mais PRECARIZAÇÃO.

18 SEMANAS É PRECARIZAÇÃO SEMESTRE COM 15 SEMANAS SEMESTRE COM SEMANAS EM VEZ DE DOCENTE DOCENTE QUALIDADE. mais PRECARIZAÇÃO. Edição Especial Outubro de 2015 SEMANAS EM VEZ DE 18 18 SEMANAS É PRECARIZAÇÃO SEMESTRE COM 15 SEMANAS SEMESTRE COM 18 SEMANAS PESQUISA PESQUISA QUALIDADE PRECARIZAÇÃO DOCENTE DOCENTE DO TRABALHO DO TRABALHO

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais. Campus Juiz de Fora Ata da vigésima sexta Reunião do Conselho do Câmpus Juiz de Fora realizada no dia 07 de maio de 2014.

Leia mais

ATA DA DÉCIMA QUINTA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA

ATA DA DÉCIMA QUINTA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA ATA DA DÉCIMA QUINTA REUNIÃO DA COMISSÃO PERMANENTE DO PROGRAMA DE APOIO A PLANOS DE REESTRUTURAÇÃO E EXPANSÃO DAS UNIVERSIDADES FEDERAIS REUNI NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA, realizada no dia dezoito do

Leia mais

Ampliação da Ufes: sustentação para o desenvolvimento do Espírito Santo. Versão resumida

Ampliação da Ufes: sustentação para o desenvolvimento do Espírito Santo. Versão resumida Ampliação da Ufes: sustentação para o desenvolvimento do Espírito Santo Versão resumida universidade federal do espírito santo Ampliação da Ufes: sustentação para o desenvolvimento do Espírito Santo Campus

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO CONSUN Nº 029 DE 1º DE OUTUBRO DE 2014 Aprova as Diretrizes da Política de Mobilidade Acadêmica da Universidade Federal da Integra ção Latino-Americana UNILA. O Conselho Universitário da Universidade

Leia mais

ASSISTÊNCIA. AUFLA foi uma das instituições mapeadas ESTUDANTIL

ASSISTÊNCIA. AUFLA foi uma das instituições mapeadas ESTUDANTIL ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL AUFLA foi uma das instituições mapeadas por uma pesquisa realizada em 2010 pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que resultou

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.065, DE 08 DE OUTUBRO DE 2010

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.065, DE 08 DE OUTUBRO DE 2010 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.065, DE 08 DE OUTUBRO DE 2010 Dispõe sobre a oferta de cursos de Pós- Graduação lato

Leia mais

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 Apresentamos neste relatório resumido as realizações e atividades da Equipe da Direção-Geral do Campus

Leia mais

DIRETRIZES PARA A GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO IFPB

DIRETRIZES PARA A GESTÃO DAS ATIVIDADES DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DO IFPB Ministério da Educação Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba Pró-Reitoria de Ensino Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Pró-Reitoria de Extensão DIRETRIZES PARA A

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação.

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação. Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação. Resolução nº. 047/13-COPPG Curitiba, 06 de dezembro de 2013 O CONSELHO PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DA

Leia mais

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E

DECISÃO Nº 193/2011 D E C I D E CONSUN Conselho Universitário DECISÃO Nº 193/2011 O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, em sessão de 08/04/2011, tendo em vista o constante no processo nº 23078.032500/10-21, de acordo com o Parecer nº 022/2011 da

Leia mais

Políticas para a Educação Superior

Políticas para a Educação Superior Políticas para a Educação Superior A experiência da UFERSA Prof. Augusto Carlos Pavão Pró-Reitor de Graduação A Universidade Políticas Públicas Expansão Acesso Interiorização SISU Lei das Cotas PIBID Bolsas

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Definições

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Definições UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI Curso de Arquitetura e Urbanismo Laboratório de Planos e Projetos REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I Definições Art.1º O Laboratório de Planos e Projetos (LAPP) agrega

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA INGLÊS SEM FRONTEIRAS NÚCLEO DE LÍNGUAS - NucLi EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PROGRAMA INGLÊS SEM FRONTEIRAS NÚCLEO DE LÍNGUAS - NucLi EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 EDITAL Nº 03, DE 13 DE OUTUBRO DE 2014 Edital nº 03, de 13 de outubro de 2014, da Universidade Federal de Pelotas UFPEL, referente ao processo seletivo simplificado para a função de PROFESSOR BOLSISTA

Leia mais

Ao Ministério de Educação, com cópias para a reitoria do Instituto Federal de Alagoas e para a prefeitura de Murici. CARTA ABERTA DE MURICI-AL

Ao Ministério de Educação, com cópias para a reitoria do Instituto Federal de Alagoas e para a prefeitura de Murici. CARTA ABERTA DE MURICI-AL Maceió, 13 de agosto de 2011. Ao Ministério de Educação, com cópias para a reitoria do Instituto Federal de Alagoas e para a prefeitura de Murici. CARTA ABERTA DE MURICI-AL É louvável a iniciativa do Ministério

Leia mais

Boletim da Coordenadoria de Extensão/PROEC Nº 19/2013

Boletim da Coordenadoria de Extensão/PROEC Nº 19/2013 Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Coordenadoria de Extensão Os Boletins estão organizados neste arquivo em ordem crescente. Boletim da Coordenadoria

Leia mais

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção

8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção 8.1 Políticas de Gestão de Pessoal 8.1.1 Organização e Gestão de Pessoas 8.1.2 Corpo Docente 8.1.3 Requisitos de Titulação 8.1.4 Critérios de Seleção e Contratação 8.1.5 Plano de Carreira e Regime de Trabalho

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015)

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DO PROEX (2015) UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Instituto de Medicina Social Rua São Francisco Xavier, 524 / 7º andar / Bloco D - Maracanã CEP: 20550-013 - Rio de Janeiro - BRASIL TEL: 55-021- 2334-0235 FAX:

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa

Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE PIAGET CPA Edição nº 01 Abril de 2015 Comissão de Avaliação divulga resultados da pesquisa Alunos, docentes e funcionários avaliaram a instituição. Veja o resultado

Leia mais

RESUMO DA 2ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO DIA 22 DE FEVREIRO DE 2013

RESUMO DA 2ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO DIA 22 DE FEVREIRO DE 2013 RESUMO DA 2ª REUNIÃO ORDINÁRIA DO DIA 22 DE FEVREIRO DE 2013 Pontos de pauta discutidos: 1- Plano de Gestão 2012-2016 O Plano de Gestão 2012-2016 foi apresentado pela Reitora, profª Carla, sendo que o

Leia mais

PAUTA LOCAL ESTRUTURA PROPOSTA ANOTAÇÃO DA COMISSÃO

PAUTA LOCAL ESTRUTURA PROPOSTA ANOTAÇÃO DA COMISSÃO PAUTA LOCAL ESTRUTURA Reforma imediata de todos os banheiros de servidores na PRPPG e em todas unidades onde for necessário Abastecimento continuo de materiais basicos de higienie em todos os banheiros

Leia mais

Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016. Diretrizes específicas por unidade setorial. Curso de Graduação

Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016. Diretrizes específicas por unidade setorial. Curso de Graduação Planejamento Estratégico - Setor de Ciências Biológicas UFPR Gestão 2014/2016 Diretrizes específicas por unidade setorial Curso de Graduação Fisioterapia Estudo Preliminar Apresentação Este planejamento

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE - SEE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL CONSELHO SUPERIOR - CONSU

ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE - SEE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL CONSELHO SUPERIOR - CONSU RELATÓRIO DAS DELIBERAÇÕES ACERCA DO III FORUNIVER DECISÕES DO CONSELHO SUPERIOR ACERCA DAS PROPOSTAS ORIUNDAS DO III FÓRUM UNIVERSITÁRIO, REALIZADO ENTRE 13 E 15 DE SETEMBRO DE 2011. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA

VERIFICAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE OFERTA PARA FINS DE RECONHECIMENTO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR - SESu COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS EM ENSINO EM MEDICINA VETERINÁRIA VERIFICAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 886, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 46. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO CONSELHO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTU SENSU EM GENÉTICA E MELHORAMENTO DE LANTAS Aprova o edital 001/2014 PGMP do processo seletivo para o ingresso no Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE DIREITO EDITAL N. 002/SELEÇÃO/2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE DIREITO EDITAL N. 002/SELEÇÃO/2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO FACULDADE DE DIREITO EDITAL N. 002/SELEÇÃO/2015 EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÃO PARA O PROCESSO SELETIVO DE CANDIDATOS AO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010

Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 Portaria nº 64, de 24 de março de 2010 O PRESIDENTE DA COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR CAPES, no uso das atribuições conferidas pelo art. 26, inciso IX, do Decreto nº 6.316,

Leia mais

PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras

PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras PDI 2015-2019 Centro de Ciências Humanas e Letras O Centro de Ciências Humanas e Letras (CCHL) é unidade de ensino e administração da Universidade Federal do Piauí, reconhecida nos Estatutos da Instituição.

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE TANGARÁ DA SERRA O presente documento foi elaborado e aprovado pela Comissão Própria de Avaliação da UNEMAT, com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º XXXX, DE XXX DE XXXX DE 2015. Dispõe sobre a oferta de cursos de Pós-Graduação

Leia mais

Gestão 2010-2014 Relatório Parcial Junho de 2010 a Junho de 2013

Gestão 2010-2014 Relatório Parcial Junho de 2010 a Junho de 2013 Gestão 2010-2014 Parcial Junho de 2010 a Junho de 2013 Prof.ª Dr.ª Nádina Aparecida Moreno Reitora Prof.ª Dr.ª Berenice Quinzani Jordão Vice-Reitora 1 Ensino de Graduação 2 Número de ESTUDANTES de GRADUAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. Portaria n 890, publicada no D.O.U. de 18/9/2009, Seção 1, Pág. 47. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

Planejamento Estratégico. Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR

Planejamento Estratégico. Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR Planejamento Estratégico Departamento de Antropologia / Programa de Pós-Graduação em Antropologia - UFPR Visão Oferecer ensino de excelência em nível de Graduação e Pós-Graduação; consolidar-se como pólo

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação Superior - DAES SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Clipping de Notícias Educacionais

Clipping de Notícias Educacionais Os resultados do Enade são utilizados pelo MEC na elaboração do Índice Geral de Cursos (IGC) e do Conceito Preliminar de Curso (CPC), indicadores de qualidade de instituições de ensino e de seus cursos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 01/2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 01/2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA EDITAL Nº 01/2012 Edital de Seleção de Bolsistas de Extensão para o Projeto de Extensão "Ações de extensão para a inclusão digital da juventude

Leia mais

Projeto de Reestruturação e Expansão REUNI - UFRN

Projeto de Reestruturação e Expansão REUNI - UFRN Projeto de Reestruturação e Expansão REUNI - UFRN Alguns indicadores I n d i c a d o r e s 2006 Acréscimo Número de Alunos Graduação (Regulares, Probásica e Educação a Distância) 23.924 Pós-Graduação (Mestrado

Leia mais

2014 MANUAL DE COMPRAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ PÁG. 1

2014 MANUAL DE COMPRAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ PÁG. 1 2014 MANUAL DE COMPRAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ PÁG. 1 2014 MANUAL DE COMPRAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FUNDAÇÃO SANTO ANDRÉ PÁG. 2 COLABORADORES: Profa. Dra. Katia Cruzes Jorge Luiz Camaforto

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

tj-y L--. qsl).-- ~ f)j1 1

tj-y L--. qsl).-- ~ f)j1 1 .-~- Conselho do Centro ATA DA 6 a REUNIÃO DO CONSELHO DO CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NORTE-RS. 1 Às oito horas do dia dezoito de abril do ano de dois mil e sete, reuniram-se, no Centro 2 de Educação Superior

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/03/2006. Portaria MEC nº 772, publicada no Diário Oficial da União de 24/03/2006. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 12/05/2008 (*) Portaria/MEC nº 561, publicada no Diário Oficial da União de 12/05/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO

Leia mais

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO CENTRO DE EDUCAÇÃO DO PLANALTO NORTE CEPLAN

AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO CENTRO DE EDUCAÇÃO DO PLANALTO NORTE CEPLAN AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DO CENTRO DE EDUCAÇÃO DO PLANALTO NORTE CEPLAN COMISSÃO SETORIAL DE AVALIAÇÃO: Presidente: Nilson Ribeiro Modro Representantes Docentes: - Delcio Pereira - Flávio Marcello Strelow

Leia mais

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Chamada Pública 11/2014 Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Acordo CAPES/FA A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FA) em parceria com a Coordenação

Leia mais

O Presidente da Câmara Superior de Pós-Graduação da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições,

O Presidente da Câmara Superior de Pós-Graduação da Universidade Federal de Campina Grande, no uso de suas atribuições, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONSELHO UNIVERSITÁRIO CÂMARA SUPERIOR DE PÓS-GRADUAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 13/2008 Revoga a Resolução Nº 13/2007 desta Câmara, e dá nova redação

Leia mais

Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA

Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA FL. nº Orientação Complementar 09 Calendário de Compras de 2015 da UNIPAMPA CONSIDERANDO: 1) O grande volume de itens já adquiridos nos últimos anos e os Pedidos de Compras de 2014 que ainda estão em processamento

Leia mais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira INEP Diretoria de Avaliação da Educação

Leia mais

UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014

UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL. BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014 UFMS - PROINFRA/CPO COORDENADORIA DE PROJETOS E OBRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL BANCO DE PROJETOS: 2013 a 2014 DEZEMBRO / 2014 Página 1 de 17 Reitora: Profa. Dra. Célia Maria Silva Correa

Leia mais

Informe da Comissão de Espaço Físico na reunião ordinária da Congregação da EFLCH no dia 1 de novembro de 2012

Informe da Comissão de Espaço Físico na reunião ordinária da Congregação da EFLCH no dia 1 de novembro de 2012 Comissão de Espaço Físico, Infraestrutura, Acessibilidade e Inclusão EFLCH - Campus Guarulhos Informe da Comissão de Espaço Físico na reunião ordinária da Congregação da EFLCH no dia 1 de novembro de 2012

Leia mais

REABERTURA DO EDITAL Nº 090/2015 Referente ao Aviso Nº 097/2015, publicado no D.O.E. de 10.11.2015.

REABERTURA DO EDITAL Nº 090/2015 Referente ao Aviso Nº 097/2015, publicado no D.O.E. de 10.11.2015. REABERTURA DO EDITAL Nº 090/2015 Referente ao Aviso Nº 097/2015, publicado no D.O.E. de 10.11.2015. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA (UNEB), no uso de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Manual de Orientação

Manual de Orientação Manual de Orientação Fone: (47) 3635-6682 Direção de Administração Orientações para solicitação de serviços ou compras I SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS O solicitante deve abrir processo e encaminhar a Coordenadoria

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA - UniFOA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PIBEx REGULAMENTO O Presidente do CONSUN e CONSEPE do Centro

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

www.faculdadelaboro.com.br [98] 3216 9900 Av. Castelo Branco, 605, 4 º andar - São Francisco. São Luís-MA CNPJ: 02.517.198/0001-00

www.faculdadelaboro.com.br [98] 3216 9900 Av. Castelo Branco, 605, 4 º andar - São Francisco. São Luís-MA CNPJ: 02.517.198/0001-00 FACULDADE LABORO UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CENTRO REGIONAL DE BRAGA Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO: Administração e Organização Escolar Convênio de cooperação

Leia mais

IFSP CAMPUS: SUZANO RELATÓRIO ANALÍTICO

IFSP CAMPUS: SUZANO RELATÓRIO ANALÍTICO IFSP CAMPUS: SUZANO RELATÓRIO ANALÍTICO Comissão Própria de Avaliação Institucional: Representante Docente: Fábio Nazareno Machado-da-Silva Representante Técnico-administrativo: Diego Martins Braga Representante

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

INFORME UVV-ES Nº34 28/10-03/11 de 2013 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

INFORME UVV-ES Nº34 28/10-03/11 de 2013 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional HOSPITAL VETERINÁRIO RECEBE NOVOS EQUIPAMENTOS E REFORMAS Obras são necessárias devido ao aumento de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Programa de Pós-Graduação em Educação Física

UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO Programa de Pós-Graduação em Educação Física EDITAL Nº. 003/2015 PPGEF-UNIVASF PROCESSO DE SELEÇÃO DE BOLSAS DE MESTRADO 1. PREÂMBULO A Coordenação do da Universidade Federal do Vale do São Francisco (PPGEF-UNIVASF), torna público o presente Edital

Leia mais

Criado em abril de 1991, o Núcleo

Criado em abril de 1991, o Núcleo UFRN inicia produção de medicamentos Com capacidade de produção de 400 milhões de medicamentos sólidos orais e seis milhões de líquidos orais por ano, destinados exclusivamente aos programas governamentais

Leia mais

1º CONCURSO SEU PROJETO NA TOLEDO PRUDENTE IDÉIAS CRIATIVAS PARA A SALA DE METODOLOGIAS ATIVAS

1º CONCURSO SEU PROJETO NA TOLEDO PRUDENTE IDÉIAS CRIATIVAS PARA A SALA DE METODOLOGIAS ATIVAS 1º CONCURSO SEU PROJETO NA TOLEDO PRUDENTE IDÉIAS CRIATIVAS PARA A SALA DE METODOLOGIAS ATIVAS CONCURSO SEU PROJETO NA TOLEDO PRUDENTE O QUE É? O concurso SEU PROJETO na Toledo Prudente faz parte de um

Leia mais

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar:

Na lista das realizações destacadas, os PROFESSORES podem relembrar: Professor: Muitas razões para votar em Scolforo e Édila O QUE FOI FEITO! Quando um membro de sua comunidade seja professor (a), técnico (a) administrativo ou estudante - apresentar uma crítica sobre algo

Leia mais

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DA ADUFG SINDICATO, REALIZADA EM 05/08/2015.

ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DA ADUFG SINDICATO, REALIZADA EM 05/08/2015. ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DA ADUFG, REALIZADA EM 05/08/2015. Aos dias oito do mês de agosto de dois mil e quinze, no Centro de Cultura e Eventos Prof. Ricardo Freua Bufaiçal, localizado no Campus Samambaia,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DO COLEGIADO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO, REALIZADA

Leia mais

Ata de Reunião Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade da FDSM

Ata de Reunião Análise Crítica do Sistema de Gestão da Qualidade da FDSM FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS Av. Dr. João Beraldo, 1075 Centro Pouso Alegre MG Fone: (35) 3449-8100 Fax: (35) 3499-8102 Rev.: 00 / / Form.: Aprov.: Pág 1 de 1 Ata de Reunião Crítica do Sistema

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação REGULAMENTO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES DA UTFPR PARA A REALIZAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Aprovada pela resolução 139/12-COPPG de 19 de Dezembro de 2012. REGULAMENTO DE AFASTAMENTO DE SERVIDORES

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 27, DE 15 DE JANEIRO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO DOU de 16/01/2014 (nº 11, Seção 1, pág. 26) Institui o Plano Nacional de

Leia mais

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional

Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional Osvaldo Casares Pinto Pró-Reitor Des. Institucional José Eli S. Santos Diretor Dep. Planej. Estratégico junho de 2015 Plano de Desenvolvimento Institucional

Leia mais

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI

PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PROF. DR. CLODIS BOSCARIOLI PLANO DE TRABALHO DIREÇÃO GERAL DO CAMPUS DE CASCAVEL QUADRIÊNIO 2012-2015 Cascavel set/2011. APRESENTAÇÃO Nasci em Umuarama/PR em 31/07/1973. Sou técnico em Contabilidade pelo

Leia mais

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL

1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL 1. REGULAMENTO DO PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO EM TECNOLOGIAS E INOVAÇÕES AMBIENTAIS MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL O Programa de Pós-Graduação em Tecnologias e Inovações Ambientais modalidade mestrado profissional

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO

PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO PLANO DE GESTÃO 2009-2012 1 - APRESENTAÇÃO Os objetivos desse Plano de Gestão estão pautados na missão da Faculdade de Ciências Farmacêuticas como escola pública de excelência, que tem suas atividades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 20. Portaria n 678, publicada no D.O.U. de 26/5/2011, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL

Leia mais

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011)

REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) REGIMENTO DOS LABORATÓRIOS MULTIUSUÁRIOS DO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (RESOLUÇÃO CCS 102/2011) CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO E FINALIDADES Art.1º- Os Laboratórios

Leia mais

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO

CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO CAPÍTULO I DA IDENTIFICAÇÃO Art. 1º O Laboratório de Línguas é um órgão complementar de fomento ao ensino, pesquisa, extensão, e prestação de serviços vinculado ao Centro de Letras e Ciências Humanas sob

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A EDITAL FOPIN 2015 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE M I N UT A INSTRUÇÃO DE SERVIÇO PROPPI N o 06 de 09 de Julho de 2015 EDITAL FOPIN 2015 PROGRAMA DE FOMENTO À PESQUISA DAS

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 101/2008

RESOLUÇÃO N.º 101/2008 MEC - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CONSELHO DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 101/2008 EMENTA: Aprovação do Regimento Interno do Curso de Pós-graduação, nível Especialização, em SMS em Obras de Engenharia

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 25/11/2009, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 25/11/2009, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO PARECER HOMOLOGADO Despacho do Ministro, publicado no D.O.U. de 25/11/2009, Seção 1, Pág. 19. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Sociedade Metropolitana de Educação, Cultura

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Instituto Doctum de Educação e Tecnologia Ltda. UF: MG ASSUNTO: Credenciamento da Faculdade de Ciências Gerenciais

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA

Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA Professor BÓRIS em O DIREITO DE SER CRIANÇA AUTORA Luciana de Almeida COORDENAÇÃO EDITORIAL Sílnia N. Martins Prado REVISÃO DE TEXTO Katia Rossini PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO Linea Creativa ILUSTRAÇÕES

Leia mais