17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) Alterações ao precário em vigor a partir de 16/03/2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) Alterações ao precário em vigor a partir de 16/03/2015"

Transcrição

1 Folheto de Taxas de juro - Particulares 17. CONTAS DE DEPÓSITO (PARTICULARES) Alterações ao precário em vigor a partir de 16/03/ Depósitos à ordem Contas com caderneta (2) Contas com CaixaOrdenado: Conta Caderneta e Conta CaixaCaderneta 0,000% Superior a e até (inclusivé) 0,050% Superior a ,100% Conta CaixaCrescer e Conta CaixaJovem 0,100% Contas com extracto (2) Conta CaixaCrescer Extracto e Conta CaixaJovem Extracto Depósitos obrigatórios (3) 0,100% Até (inclusivé) 0,000% Superior a ,000% Nota Cálculo de juros: juros calculados por escalões (exceto Caixacrescer e CaixaJovem). O montante de juros calculados será arredondado, por excesso ou por defeito, para o cêntimo mais próximo. Mínimo de crédito de juros de 1 euro (ilíquido). Base de cálculo: Act/360. Pagamento de juros com periodicidade mensal. Cálculo de juros: o montante de juros calculados será arredondado, por excesso ou por defeito, para o cêntimo mais próximo. Mínimo de crédito de juros de 1 euro (ilíquido). Base de cálculo: Act/360. Pagamento de juros com periodicidade anual.

2 Alterações ao precário em vigor a partir de 16/02/ Depósitos a prazo Depósitos a taxa fixa Depósito a Prazo Variável Mobilizável (2) e Depósito a Prazo Variável Não Mobilizável (3) 31 d 32 a 91 d 92 a 181 d 182 a 366 d 0,050% 0,200% 0,250% 0,400% 0,100% 0,250% 0,300% 0,500% Nota A mobilização antecipada pode ocorrer a qualquer momento. O montante de cada depósito só pode ser mobilizado parcialmente até ao mínimo de constituição. Serão pagos juros sobre o capital mobilizado se a mobilização ocorrer após o 90º dia de vigência do depósito e em contas com pagamento de juros no fim do prazo. O cálculo de juros é feito à taxa contratual e pelo número de dias contados a partir do 91º dia, inclusive, até à data da mobilização. O saldo remanescente passará a ser remunerado à taxa de juro do escalão aplicável. Depósito a prazo não mobilizável antecipadamente e que pode ser constituído pelos prazos de 181 dias e até 366 dias Outras modalidades de depósito Depósitos a taxa fixa Conta POUPANÇA CAIXA ACTIVA (2) De 250 a (inclusive) 0,175% 0,400% Superior a ,200% 0,500% Conta CAIXAPOUPANÇA Reformado (2) (3) e Conta CAIXAPOUPANÇA Rumos (2) De 250 a (inclusive) 0,100% 0,300% Superior a ,100% 0,400% Conta CAIXAPOUPANÇA (2) De 250 a (inclusive) 0,150% 0,300% Superior a e até ,175% 0,400% 0,200% 0,500% Conta CAIXAPROJECTO (2) Com prémio máximo Até (inclusive) 0,400% 0,600%

3 Superior a ,500% 0,700% Conta CAIXAHABITAÇÃO e Conta CAIXAHABITAÇÃO JOVEM (2) Juros anuais A 366 dias Conta CAIXAPOUPANÇA Superior (4) 0,300% base: posse de cartão Caixa IU (ex-cup) ou ISIC ou Caixa Académica estudante vinculo u1: posse de Cartão de Débito Diferido ou de Cartão de Crédito + serviço Caixadirecta vinculo u2: Vinculo u1 + domiciliação de vencimento ou LDN atribuído Serviço Caixa Família Base (5) Escalão do saldo global das contas do Grupo Serviço de Gestão Automática de Tesouraria Poupança Caixa Empreender (2) Inferior a Igual ou superior a Serviço Caixa Família Mais (5) Escalão do saldo global das contas do Grupo Inferior a Igual ou superior a ,400% 0,500% 0,600% 0,50% + 20% da Eur6M* 0,55% + 20% da Eur6M* 1º e 2º períodos: 0,7% Restantes períodos: 0,50% + 20% da Eur6M** 1º e 2º períodos: 0,8% Restantes períodos: 0,55% + 20% da Eur6M*** 0,050% 0,100% 0,150% 0,150% Nota A mobilização antecipada pode ocorrer a qualquer momento, de forma total ou parcial. Na mobilização parcial o valor a mobilizar não poderá ser inferior ao valor das entregas mínimas, nem o saldo ficar com um montante inferior ao montante mínimo exigido. Em caso de mobilização antecipada serão mobilizadas as entregas de capital (reforços) mais recentes. Serão pagos juros sobre o capital mobilizado se a mobilização ocorrer após o 90º dia de vigência do depósito e em contas com pagamento de juros semestral. O cálculo de juros é feito à taxa contratual e pelo número de dias contados a partir do 91º dia, inclusive, até à data da mobilização. O saldo remanescente passará a ser remunerado à taxa de juro do escalão aplicável. Nota (4) Nota (5) Conta CAIXAPOUPANÇA Reformado: saldo de capital com juros isentos de IRS até A mobilização antecipada pode ocorrer a qualquer momento (mínimo de 1), antes da data de vencimento, de forma total ou parcial, com perda total de juros corridos sobre o capital mobilizado. A mobilização antecipada em cada um das contas do grupo pode ocorrer a qualquer momento, de forma total ou parcial, sem perda de juros se a mobilização ocorrer nas datas de pagamento de juros e com perda total de juros se a mobilização ocorrer fora das datas de pagamento de juros.

4 Folheto de Taxas de juro - Outros Clientes 19. CONTAS DE DEPÓSITO (OUTROS CLIENTES) Alterações ao precário em vigor a partir de 16/03/ Depósitos à ordem Contas com caderneta e contas com extracto (2) Em euros constituídas por Empresas e Outras Pessoas Coletivas Residentes e Não Residentes Depósito à Ordem Mediadores 0,000% Depósito à Ordem Netcaixa 0,000% Superior a e até (inclusivé) 0,050% Superior a ,100% Depósitos obrigatórios (3) Até (inclusivé) 0,000% Superior a ,000% Nota Cálculo de juros: o montante de juros calculados será arredondado, por excesso ou por defeito, para o cêntimo mais próximo. Mínimo de crédito de juros de 1 euro (ilíquido)/mês. Base de cálculo: Act/360. Pagamento de juros com periodicidade mensal. Cálculo de juros: o montante de juros calculados será arredondado, por excesso ou por defeito, para o cêntimo mais próximo. Mínimo de crédito de juros de 1 euro (ilíquido). Base de cálculo: Act/360. Pagamento de juros com periodicidade anual. Alterações ao precário em vigor a partir de 16/02/ Depósitos a prazo Depósitos a taxa fixa Depósito a Prazo Variável Mobilizável (2) e Depósito a Prazo Variável Não Mobilizável (3) 31 d 32 a 91 d 92 a 181 d 182 a 366 d 0,050% 0,200% 0,250% 0,400% 0,100% 0,250% 0,300% 0,500% Nota A mobilização antecipada pode ocorrer a qualquer momento. O montante de cada depósito só pode ser mobilizado parcialmente até ao mínimo de constituição. Serão pagos juros sobre o capital mobilizado se a mobilização ocorrer após o 90º dia de vigência do depósito e em contas com pagamento de juros no fim do prazo. O cálculo de juros é feito à taxa contratual e pelo número de dias contados a partir do 91º dia, inclusive, até à data da mobilização. O saldo remanescente passará a ser remunerado à taxa de juro do escalão aplicável. Depósito a prazo não mobilizável antecipadamente e que pode ser constituído pelos prazos de 181 dias e até 366 dias.

5 19.3. Outras modalidades de depósito Depósitos a taxa fixa Conta CAIXAPOUPANÇA CONDOMÍNIO (2) De 250 a (inclusive) 0,150% 0,300% Superior a e até ,175% 0,400% 0,200% 0,500% Nota A mobilização antecipada pode ocorrer a qualquer momento, de forma total ou parcial. Na mobilização parcial o valor a mobilizar não poderá ser inferior ao valor das entregas mínimas, nem o saldo ficar com um montante inferior ao montante mínimo exigido. Em caso de mobilização antecipada serão mobilizadas as entregas de capital (reforços) mais recentes. Serão pagos juros sobre o capital mobilizado se a mobilização ocorrer após o 90º dia de vigência do depósito e em contas com pagamento de juros semestral. O cálculo de juros é feito à taxa contratual e pelo número de dias contados a partir do 91º dia, inclusive, até à data da mobilização. O saldo remanescente passará a ser remunerado à taxa de juro do escalão aplicável.

Preçário CAIXA GERAL DE DEPOSITOS, SA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário CAIXA GERAL DE DEPOSITOS, SA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário CAIXA GERAL DE DEPOSITOS, SA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO O Preçário completo da Caixa Geral de Depósitos, contém o Folheto

Leia mais

Alterações ao preçário em vigor a partir de 05-01-2015

Alterações ao preçário em vigor a partir de 05-01-2015 Folheto de e Despesas - Particulares 1. CONTAS DE DEPÓSITO 1.1. Depósitos à ordem 1. Comissão de manutenção de contas com caderneta e contas com extrato. 1.3. Conta Extracto, Conta Extracto Emigrante,

Leia mais

destina-se ao conhecimento e uso exclusivo da pessoa ou entidade a quem se encontre dirigido, não podendo o seu conteúdo ser alterado

destina-se ao conhecimento e uso exclusivo da pessoa ou entidade a quem se encontre dirigido, não podendo o seu conteúdo ser alterado pessoa ou entidade a quem 1 pessoa ou entidade a quem 2 pessoa ou entidade a quem 3 pessoa ou entidade a quem ter atitude É ter um Mealheiro Bónus 5% É poder Destriplicar as Compras sem custos É ter um

Leia mais

- Prospecto Informativo -

- Prospecto Informativo - - Prospecto Informativo - Designação: Classificação: Depósito Indexado Depósito Valor Europa 2013-2016 (doravante referido por o Depósito ).. Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia de

Leia mais

Regime Jurídico dos Certificados de Aforro

Regime Jurídico dos Certificados de Aforro Regime Jurídico dos Certificados de Aforro (Decreto-Lei nº 122/2002 de 4 de Maio) A reforma dos certificados de aforro levada a cabo em 1986 com a publicação do Decreto-Lei n.º 172-B/86, de 30 de Junho,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE. (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02 CONDIÇÕES GERAIS DO REALCAP PRESENTE I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: Santander Capitalização S/A (Empresa Incorporadora da Real Capitalização S.A. desde 30/09/2009) CNPJ: 03.209.092/0001-02

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada Pessoa Física - Conta Poupança

Ficha de Informação Normalizada Pessoa Física - Conta Poupança Ficha de Informação Normalizada Pessoa Física - Conta Poupança Data: / / Designação Conta Poupança Conta Corrente Titulada por Menor de 18 Anos ou Pessoa Incapaz No caso de conta titulada por menor de

Leia mais

Regulamento Pecúlio por Morte 01/2011

Regulamento Pecúlio por Morte 01/2011 102 Regulamento Pecúlio por Morte 01/2011 ÍNDICE 1) DAS CARACTERÍSTICAS 05 2) DO objetivo 06 3) DAS definições 06 4) DAS CONDIÇÕES DE INGRESSO 10 5) DO PAGAMENTO DA CONTRIBUIÇÃO, MANUTENÇÃO E DO CANCELAMENTO

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais

Lei 12.996/2014 - Regulamentação

Lei 12.996/2014 - Regulamentação Lei 12.996/2014 - Regulamentação Regulamentada pela Portaria Conjunta PGFN/RFB nº 13, de 30/07/2014, que estabelece as condições para adesão ao Parcelamento ou Pagamento à vista de que tratam o artigo

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO

CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO CONTRATO DE TRABALHO (SEM TERMO) MODELO Observações: 1. O presente modelo de contrato de trabalho destina-se apenas aos contratos de trabalho sem termo, sendo permitido o acréscimo e a eliminação de cláusulas

Leia mais

Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País

Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País 2. Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - DT 2.1. Finalidade Distinguir o pesquisador, valorizando sua produção em desenvolvimento

Leia mais

Este documento é interativo. Aceda às opções com um só clique.

Este documento é interativo. Aceda às opções com um só clique. Este documento é interativo. Aceda às opções com um só clique. I CONSIDERAÇÕES GERAIS - Pagamento de documentos de cobrança - Pagamentos através de Multibanco - Pagamentos por cheque - Pagamentos a partir

Leia mais

Alienou acções nacionais ou estrangeiras detidas durante menos de 12 meses?

Alienou acções nacionais ou estrangeiras detidas durante menos de 12 meses? Mais-valias Alienou acções nacionais ou estrangeiras detidas durante menos de 12 meses? Nesse caso, o saldo anual positivo entre as mais e menos-valias apuradas vai ser sujeito a uma taxa especial de imposto

Leia mais

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO, ADMISSÃO E CESSAÇÃO DE ATIVIDADE DE TRABALHADOR POR CONTA DE OUTREM INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO, ADMISSÃO E CESSAÇÃO DE ATIVIDADE DE TRABALHADOR POR CONTA DE OUTREM INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO INSCRIÇÃO, ADMISSÃO E CESSAÇÃO DE ATIVIDADE DE TRABALHADOR POR CONTA DE OUTREM INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Inscrição, Admissão e Cessação de Atividade

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 11 16 de janeiro de 2014 253

Diário da República, 1.ª série N.º 11 16 de janeiro de 2014 253 Diário da República, 1.ª série N.º 11 16 de janeiro de 2014 253 5 O disposto no artigo 10.º é aplicável à assembleia geral convocada para proceder às alterações estatutárias necessárias para efeitos do

Leia mais

sobre Instrumentos Financeiros

sobre Instrumentos Financeiros A Informação que deve ser Prestada pelos Intermediários Financeiros sobre Instrumentos Financeiros CMVM Comissão do Mercado de Valores Mobiliários OUTUBRO 2012 1 A Informação que deve ser prestada pelos

Leia mais

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES

AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES AUDITORIA GERAL DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS RECOMENDAÇÕES DA AGMVM AOS INVESTIDORES NA BOLSA DE VALORES Praia, 2007 Banco de Cabo Verde AGMVM Auditoria Geral do Mercado de Valores Mobiliários Avenida

Leia mais

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO Manual de GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bolsa de Estudo (4010 v1.12) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

As principais funcionalidades do SRTA no arquivo de Direitos Creditórios são:

As principais funcionalidades do SRTA no arquivo de Direitos Creditórios são: Externa 1/23 1 - CONCEITOS BÁSICOS O documento das regras de negócio visa permitir que os usuários do Sistema de Registro de Títulos do Agronegócio tenham um documento padronizado que descreva as regras

Leia mais

O presente caderno aborda um conjunto de informação considerada relevante sobre a abertura e movimentação de contas de depósito bancário.

O presente caderno aborda um conjunto de informação considerada relevante sobre a abertura e movimentação de contas de depósito bancário. O presente caderno aborda um conjunto de informação considerada relevante sobre a abertura e movimentação de contas de depósito bancário. Por não serem contas de depósito bancário, as Contas de Depósito

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 6546-(314) Diário da República, 1.ª série N.º 252 31 de dezembro de 2014 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 82-C/2014 de 31 de dezembro Altera o Código do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas,

Leia mais

FORMAÇÃO PROFISSIONAL A FORMAÇÃO CONTÍNUA DE TRABALHADORES NAS EMPRESAS

FORMAÇÃO PROFISSIONAL A FORMAÇÃO CONTÍNUA DE TRABALHADORES NAS EMPRESAS FORMAÇÃO PROFISSIONAL A FORMAÇÃO CONTÍNUA DE TRABALHADORES NAS EMPRESAS OBJECTIVOS DA FORMAÇÃO PROFISSIONAL A Formação Profissional tem como objetivos: Proporcionar e promover a qualificação do trabalhador

Leia mais

DimaiDesign. Guia IR 2015. Manual Técnico da Marca

DimaiDesign. Guia IR 2015. Manual Técnico da Marca Guia IR 2015 Índice Apresentação Orientações gerais... 03 Importante... 03 Identificação da fonte pagadora... 04 Dedução da contribuição à previdência de empregado doméstico... 04 Dependentes... 04 Entrega...

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS)

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS) CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA TOUR OPERATOR SISTEM (TOS) As presentes Condições Gerais de Utilização do Sistema Tour Operator Sistem da Schultz Operadora regulam as obrigações entre a proprietária

Leia mais

IV - Bens e direitos que devem ser declarados

IV - Bens e direitos que devem ser declarados IV - Bens e direitos que devem ser declarados Regra geral, devem ser relacionados nessa ficha da Declaração a totalidade dos bens e direitos que, no Brasil ou no exterior, constituam, em 31 de dezembro

Leia mais

A - QUALIFICAÇÃO DAS PARTES I)ARRENDADORA - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF

A - QUALIFICAÇÃO DAS PARTES I)ARRENDADORA - CAIXA ECONÔMICA FEDERAL - CEF Por este instrumento particular, com fundamento nas disposições contidas na Lei 10.188, de 12 de fevereiro de 2.001, alterada pela Lei 10.859, de 14 de abril de 2004, as partes adiante mencionadas e qualificadas

Leia mais

Execução indireta, sob o regime de empreitada por preço global.

Execução indireta, sob o regime de empreitada por preço global. CONTRATO Nº.../2012,, DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS, QUE ENTRE SI FAZEM A JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU - SEÇÃO JUDICIÁRIA DA PARAÍBA E... NA FORMA ABAIXO: A UNIÃO, por intermédio da JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO

Leia mais

CAIXAGEST OBRIGAÇÕES MAIS

CAIXAGEST OBRIGAÇÕES MAIS PROSPETO OIC/FUNDO FUNDO DE INVESTIMENTO MOBILIÁRIO ABERTO DE OBRIGAÇÕES CAIXAGEST OBRIGAÇÕES MAIS 01 de julho de 2015 A autorização do Fundo pela CMVM baseia-se em critérios de legalidade, não envolvendo

Leia mais