1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão, de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão, de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente."

Transcrição

1 Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO - SECRETARIA DA FAZENDA Responsável: Káthia Maria da Silveira Faina Cópia Controlada - Revisão 43 de 17/02/2011 e Aprovado por 1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão, de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. 2. REFERÊNCIA NBR ISO 9001: O QUE DEVE SER FEITO 3.1. Determinação dos requisitos relacionados ao produto As determinações dos requisitos especificadas pelo cliente são identificadas na recepção da Unidade Vapt Vupt, que orienta o cliente quanto à documentação necessária para a realização do serviço solicitado O órgão avalia se tem condições para atender as solicitações dos clientes no que se refere ao prazo para entrega, preço, condição de pagamento, quando for o caso, etc. Caso haja alguma divergência entre o pedido do cliente e as condições do condômino em atendê-lo isso serão resolvidas antes do fechamento da solicitação do serviço. 4. SERVIÇOS REALIZADOS 4.1. Consulta de Pendências e Bloqueios (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas, Jataí e Valparaíso) Cadastro IPVA/Inclusão de Veículos (Não é realizado em Anápolis, Campinas, Cidade Jardim, Itaberaí, Morrinhos, Senador Canedo e Trindade) Emissão de DARE com Termo de Apreensão Eletrônico (Não é realizado em Águas Lindas, Anápolis, Campinas, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jaraguá, Rio Verde, Senador Canedo, Morrinhos e Trindade) Emissão de Certidão Negativa Cálculo antecipado de ICMS Espontâneo DARE 2.1 (Não é realizado em Águas Lindas, Itaberaí, Trindade e Jataí) Emissão de DARE 2.1 IPVA (Não é realizado em Itaberaí, Morrinhos e Trindade) Auto de Infração Emissão do DARE 2.1 (Não é realizado em Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Senador Canedo e Trindade)...6 Página 1 de 20

2 4.8. Recepção das vias de Notas Fiscais Pertencentes ao Fisco (Não é realizado em Águas Lindas, Anápolis, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Emissão de DARE 2.1 Parcelamento na condição de ATIVO, incluindo parcelamento relativo a ICMS, ITCD e IPVA (Não é realizado em Morrinhos e em Águas Lindas, Anápolis e Jataí é realizado somente parcelamento de IPVA) Passe Fiscal (Não é realizado em Águas Lindas, Itaberaí e Trindade) Emissão de Nota Fiscal Avulsa - Conhecimento de Transporte de Cargas (Não é realizado em Valparaíso e Águas Lindas) Emissão de Notas Fiscais Avulsas mercadorias em geral, mudanças, transporte de cargas/passageiros Emissão de Espelho da Empresa (Não é realizado em Itaberaí, Morrinhos e Trindade) Emissão de Demonstrativo DPI (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Emissão de Relação das Empresas que estão no nome do Contador solicitante (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Emissão de Relação Analítica da Dívida Ativa (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Nota Fiscal Avulsa de Serviço de Transporte de Passageiro (Não é realizado em Águas Lindas, Itumbiara e Valparaíso) Nota Fiscal de Mudança (Não é realizado em Águas Lindas) Extrato Cadastral Emissão de formulários para isenção de ICMS e IPVA ao deficiente físico e IPVA para táxi (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo e Trindade) Liberação de Documento Fiscal - Bloco de Nota Fiscal (Não é realizado em Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Concessão de AIDF Autorização de Impressão de Documentos Fiscais (Não é realizado em Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Fiança Crime (Não é realizado em Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Morrinhos, Rio Verde e Trindade)...14 Página 2 de 20

3 4.24. Homologação Cadastro Pessoa Jurídica Micro Empresa/Pequeno Porte ME/EPP (Não é realizado em Águas Lindas) Cadastro de Produtor Rural Pessoa Física (Não é realizado em Águas Lindas, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde, Trindade e Valparaíso) Autenticação do Formulário Trimestral do Registro de Apuração do ICMS e do Livro Fiscal (Não é realizado em Águas Lindas, Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde, Trindade e Valparaíso) Informações sobre Serviços Não Realizados nas Unidades Credenciamento do Contabilista (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Solicitação de Senha do Contador, Gráfica ou Contribuinte via internet (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Diferencial de Alíquotas (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Pagamento do ICMS antecipado das mercadorias: farinha de trigo e arroz (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas e Valparaíso) Prorrogação do Prazo de Uso de Documento Fiscal (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Regularização de Documento Fiscal usado sem Liberação (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Regularização de Documento Fiscal utilizado após o Prazo Regulamentar (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Emissão de Relatório de DARE vencido (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas, Jataí e Valparaíso) Cadastro do Micro Empreendedor Individual MEI Pessoa Física Emissão de Documento de Arrecadação Estadual (DARE / GNRE)...19 DETALHAMENTO 4.1. Consulta de Pendências e Bloqueios (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas, Jataí e Valparaíso) Requisitos especificados Página 3 de 20

4 Solicitação entregue pessoalmente assinado pelo contribuinte ou procuração, exigindo a comprovação das assinaturas Processo de atendimento p.1. Conferir a solicitação juntamente com os documentos do sócio ou procuração. p.2. O atendente entra no Terminal SEFAZ e emite a impressão das pendências e bloqueios e entrega ao contribuinte Cadastro IPVA/Inclusão de Veículos (Não é realizado em Anápolis, Campinas, Cidade Jardim, Itaberaí, Morrinhos, Senador Canedo e Trindade) Requisitos especificados Original e cópia da Nota Fiscal do veículo novo (em Valparaíso são exigidas 2 cópias e em Águas Lindas é necessário apenas a NF original) Roteiro emitido pelo DETRAN Mesmo roteiro quando há transferência de veículo usado procedente de outro Estado da Federação Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação do veículo e consulta o sistema operacional da AGANP, incluindo o veículo no Sistema de Inclusão de Veículos. p.2. O atendente orienta o cliente quanto ao emplacamento do veículo, encerrando o atendimento. OBS 1: De toda inclusão efetuada, o atendente reterá uma via ou cópia da nota fiscal, a qual será encaminhada no final de cada mês para o DEFIS (em Valparaíso são retidas 2 vias). OBS 2: Em Valparaíso a via da nota que é encaminhada ao DEFIS é guardada em pasta arquivo polietileno até o final do mês, quando é protocolada, a outra via fica arquivada em pasta AZ Emissão de DARE com Termo de Apreensão Eletrônico (Não é realizado em Águas Lindas, Anápolis, Campinas, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jaraguá, Rio Verde, Senador Canedo, Morrinhos e Trindade) Requisitos especificados Termo de apreensão Processo de atendimento p.1. Através do Termo de Apreensão Eletrônica o atendente localizará, via sistema, a nota fiscal se o DARE estiver disponível. Caso o DARE não esteja disponível no sistema, o atendente deverá ligar no posto fiscal e pedir a inclusão do mesmo no sistema. p.2. Em caso de Termo de Apreensão manual, o atendente ou contribuinte deverá ligar na barreira para que o fiscal faça o cálculo e encaminhe via impressora para o posto Emissão de Certidão Negativa Requisitos especificados Se Pessoa Física: Página 4 de 20

5 a. CPF b. Certidão de óbito para espólio c. Número do CPF Se Pessoa Jurídica: a. Documento com número do CNPJ Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação exigida e lança os dados no sistema. p.2. Se o sistema não apresentar restrições, o atendente emite a Certidão, carimba e assina, entregando o documento ao cliente encerrando o atendimento. p.3. O atendente poderá orientar o contribuinte a emitir a certidão negativa via internet, pelo site da Sefaz, em serviços Cálculo antecipado de ICMS Espontâneo DARE 2.1 (Não é realizado em Águas Lindas, Itaberaí, Trindade e Jataí) Requisitos especificados Nota Fiscal devidamente preenchida Processo de atendimento p.1. O atendente consulta pauta de valores no sistema. p.2. O atendente confere a documentação e emite no sistema operacional da SEFAZ o DARE e entrega ao cliente para que este confirme os dados apresentados. Em seguida o atendente orienta e encaminha o cliente à rede bancária para pagamento, encerrando o atendimento. OBS: Caso o usuário traga o DARE de fora é necessário carimbá-lo para que ele possa pagar dentro da unidade. (Não é realizado em Itumbiara e Valparaíso) 4.6. Emissão de DARE 2.1 IPVA (Não é realizado em Itaberaí, Morrinhos e Trindade) Requisitos especificados Número da placa do veículo Parcelamento: Proprietário ou terceiros portando procuração. Emissão de parcelamento de IPVA vencido há mais de 90 dias em até 06 vezes e somente 2ª e 3ª parcelas do IPVA do exercício em curso ou de outros exercícios. É necessário entregar cópia da procuração e identidade do Terceiro que portar procuração para que fique arquivado até a quitação deste Processo de atendimento p.1. O cliente informa o número da placa do veículo ao atendente. p.2. O atendente lança os dados fornecidos pelo cliente no sistema AGANP. p.3. O atendente emite o DARE ao cliente para que este confirme os dados apresentados. p.4. Em seguida o atendente orienta e encaminha o cliente à rede bancária para pagamento, encerrando o atendimento. Página 5 de 20

6 4.7. Auto de Infração Emissão do DARE 2.1 (Não é realizado em Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Senador Canedo e Trindade) Requisitos especificados Número de inscrição ou CGC da empresa Intimação Número do auto de infração ou cópia do auto. O auto de infração deverá estar incluso no sistema Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação exigida ao atendente para conferência e confirmação. p.2. O atendente consulta o sistema e lança os dados apresentados pelo cliente (tratando-se de pessoa física, o atendente deverá incluir os dados pessoais do cliente no sistema), inclusive a data para pagamento. Em Valparaíso, se o auto de infração foi emitido no Posto Fiscal de Barreira, o atendente liga para o Posto Fiscal, origem da emissão, que é responsável pelo preenchimento dos dados do DARE 2.1, e este envia o documento para o TID (Terminal Impressão de Documento) da impressora do atendente. OBS: Para cálculo através da intimação, caso a mesma não esteja cadastrada no sistema, o atendente liga para o Núcleo de Processos da Secretaria da Fazenda (NUPRE) de origem do auto (em horário de atendimento local) e solicita que seja feita a inclusão. p.3. O atendente emite o DARE e encaminha o cliente à rede bancária autorizada para pagamento. OBS: Se a mercadoria estiver apreendida e o cliente tiver urgência na liberação, o atendente o orienta a levar uma cópia do DARE devidamente pago/autenticado no NUPRE/Sede da Secretaria da Fazenda, ou passar um fax do comprovante de pagamento ao Posto Fiscal onde a mercadoria estiver apreendida, para que este seja anexado ao seu processo, e a mercadoria possa ser liberada, encerrando o atendimento. Em Valparaíso, o DARE é emitido pelo Agente do Fisco responsável pelo auto de infração e o atendente apenas reemite 2ª via de DARE Recepção das vias de Notas Fiscais Pertencentes ao Fisco (Não é realizado em Águas Lindas, Anápolis, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Requisitos especificados Relação constando o número das Notas Fiscais em 2 (duas) vias Notas Fiscais Em Valparaíso, só há recepção de notas enviadas pelo Posto Fiscal Processo de atendimento p.1. O atendente recebe as Notas Fiscais e a relação, carimba e assina as duas vias da relação, devolvendo a primeira via ao cidadão, encerrando o atendimento. p.2. As vias das Notas Fiscais são arquivadas junto com a relação e ficam aguardando remessa e são recolhidas uma vez por mês, para a Central de Tratamento de Notas Fiscais da Secretaria da Fazenda. Página 6 de 20

7 4.9. Emissão de DARE 2.1 Parcelamento na condição de ATIVO, incluindo parcelamento relativo a ICMS, ITCD e IPVA (Não é realizado em Morrinhos e em Águas Lindas, Anápolis e Jataí é realizado somente parcelamento de IPVA) Requisitos especificados Número da inscrição estadual ou número do parcelamento Processo de atendimento p.1. O atendente abre o sistema operacional da SEFAZ, entra em receita parcelamento de crédito parcela - digita o número do parcelamento, a data do pagamento, que não pode ultrapassar a data prevista de denúncia ou extinção, conforme o caso, o número da parcela, e em seguida emite o DARE Passe Fiscal (Não é realizado em Águas Lindas, Itaberaí e Trindade) OBS: Passe Fiscal é um documento que acompanha a Nota Fiscal de algumas mercadorias controlada pela SEFAZ Requisitos especificados Notas Fiscais com todas as 5 vias preenchidas (1ª via Destino remetente, 2ª via Fisco, 3ª via Fisco destino, 4ª via Fisco Origem e 5ª via Contábil) CNH ou CPF do motorista ou representante legal da empresa. Conhecimento de frete se o destino for fora do estado. CNPJ/CPF do transportador Certificado de registro e licenciamento de veículo CRLV Processo de atendimento p.1. O cliente solicita o Passe Fiscal de Notas Fiscais. p.2. O atendente verifica no sistema se o remetente e destinatário estão com suas inscrições estaduais (CCE) ativas e se o bloco de notas fiscais utilizado teve confecção autorizada e liberação para uso. p.3. Para operação interna, o atendente verifica a inscrição estadual do destinatário. Para operação interestadual, o atendente verifica o CNPJ do destinatário. p.4. O atendente verifica ainda se a pauta de preço dos produtos é maior ou igual à pauta de preços indicada pelo Estado. p.5. Caso a pauta constante na Nota Fiscal seja menor que a pauta do Estado ou as inscrições estaduais do remetente ou destinatário não estiverem ativas ou ainda seja observado qualquer problema na liberação do bloco de notas fiscais, o processo de passe fiscal não poderá ocorrer, devendo as partes regularizarem a situação. p.6. Na operação interna, após as confirmações, emite-se o Passe Fiscal em 2 vias, sendo 1 via do motorista, que deverá acompanhar o bem ou mercadoria em trânsito, e a outra via pertencente ao Fisco. p.7. Na operação interestadual emite-se o Passe Fiscal de Saída em 3 vias, sendo 1 via do motorista, 1 via do funcionário emitente e 1 via do Posto Fiscal da Divisa. p.8. O atendente carimba e assina todas as vias, e em seguida solicita que o cliente também assine todas as vias encerrando o atendimento. Página 7 de 20

8 OBS 1: Em Valparaíso, faz homologação de passe fiscal de entrada das empresas credenciadas junto a SEFAZ para emitirem o passe fiscal na origem. OBS 2: Em Valparaíso faz a baixa de Termo de Passe Fiscal Emissão de Nota Fiscal Avulsa - Conhecimento de Transporte de Cargas (Não é realizado em Valparaíso e Águas Lindas) Requisitos especificados Notas Fiscais das mercadorias a serem transportadas. Original ou cópia de documento do veículo (prestador do serviço) e a Nota Fiscal. A Nota Fiscal não pode estar com a data de saída vencida (mais de 3 dias). CPF do motorista ou requerente para assinar NFA Informar o peso total das mercadorias das notas fiscais transportadas no mesmo veículo Para transportadora cadastrada no CCE/Goiás, não se emite o NFA, pois a mesma terá que emitir seu conhecimento de transporte Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta as Notas Fiscais, documento do veículo e o seu CPF ou do motorista. O atendente verifica no documento do veículo (cópia ou original) se trata de pessoa física, se for, terá um credito presumido sobre o ICMS de 20%. p.2. O atendente calcula o valor do imposto a ser recolhido, a pauta da km com o peso da mercadoria e alíquota, juntamente com a TSE (Taxa de Serviço Estadual). p.3. O atendente emite o a NFA e encaminha o cliente à rede bancária autorizada, com as vias já calculadas e ciente do valor a ser recolhido pelo mesmo, informando-o que após o pagamento, deverá retornar ao posto de atendimento com o comprovante de pagamento. p.4. Com a apresentação do comprovante de pagamento, o atendente retira da NFA a 2ª via SEFAZ/processamento e a 5ª via do funcionário emitente para ficar neste setor e libera as vias a serem transportadas: 1ª via destinatário, 3ªvia remetente (comprovante do contribuinte), 4ª via fisco da UF do destinatário e 6ª via fisco da UF de origem, juntamente com as notas fiscais do cliente. p.5. Será encaminhado semanalmente à SEFAZ (através do Banco Itaú) os lotes de TPDI e CLDI, formados pelas 2ª vias SEFAZ/processamento. p.6. As 5ª vias órgão emissor/funcionários emitente, ficarão arquivados na unidade por um ano, até o dia 31/03 do ano subsequente, sendo posteriormente enviadas para arquivamento ao setor de arquivo competente Emissão de Notas Fiscais Avulsas mercadorias em geral, mudanças, transporte de cargas/passageiros Requisitos especificados Para contribuinte cadastrado no CCE e com liberação de uso de Nota fiscal série única, não é permitida emissão de Nota Fiscal pela repartição Fazendária. Página 8 de 20

9 Para contribuinte cadastrado no CCE, com emissão de Nota Fiscal somente para consumidor, é permitida emissão da Nota Fiscal pela repartição Fazendária em casos eventuais (não com freqüência). Somente proprietário ou representante legal da empresa ou autorização em papel timbrado da empresa com carimbo e CNPJ, para o requisitante assinar o documento. Em Itumbiara e Anápolis, não é solicitado essa autorização é solicitado uma Procuração reconhecida firma. Em Valparaíso, é necessária autorização da AFA de Luziânia, em caso de procuração, esta deverá ser autenticada em Cartório. Notas Fiscais para acobertar produtos primários (oriundos da terra) animal, vegetal, etc., somente será emitido para produtor rural cadastrado no CCE. Se Pessoa Física: a. Dados pessoais do remetente e do destinatário (nome, CPF e endereço). Se Pessoa Jurídica: a. Remetente/destinatário (interno): Inscrição Estadual ou CNPJ. b. Destinatário (interestadual): Inscrição Estadual e CNPJ do destinatário. c. Só poderá assinar a Nota Fiscal, o proprietário da mercadoria ou mediante procuração/autorização com firma reconhecida, ou responsável com papel timbrado (exceto no caso da nota fiscal de mudança residencial operação interestadual e do Regime Tributário Simplificado que tem como exigência a emissão da sua nota fiscal de consumidor final). d. Apresentação da nota fiscal de origem da mercadoria (exceto da nota fiscal de mudança residencial) juntamente com 01 xerox, no caso das vendas, transferência, devolução, conserto, prestação de serviço, etc., ou a declaração de propriedade das mercadorias com firma reconhecida, no caso de venda de mercadorias que já não possuem as notas ficais de origem. e. No caso do prestador de serviço e não contribuinte do ICMS (não possui inscrição estadual), apresentar o contrato social juntamente com a carteira de identidade, para conferência se é realmente sócio da empresa e se é o mesmo que estará assinando a nota fiscal a ser emitida. Caso contrário, procuração/autorização para o requisitante assinar o documento fiscal, em Valparaíso é exigido a procuração Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta os documentos necessários para emissão da nota fiscal. p.2. O atendente verifica através da legislação se a operação solicitada é tributada ou não, para poder orientar o contribuinte sobre o valor a pagar. p.3. Se documento fiscal operação tributada, o valor será o somatório do imposto devido + TSE (Taxa de Serviço Estadual). p.4. Se documento fiscal operação isenta ou não incidência de imposto, o valor será apenas a TSE (Taxa de Serviço Estadual). p.5. O atendente informa ao cliente o valor a ser recolhido, emite a nota fiscal, coleta a assinatura do requerente, entrega o DARE 4.1 a ser pago e encaminha o cliente à rede bancária autorizada. O atendente também informa ao cliente que ele deverá retornar ao posto de atendimento trazendo os comprovantes de pagamento. Página 9 de 20

10 p.6. O atendente entrega-lhe a 1ª via destinatário, 3ª via remetente (comprovante do contribuinte), 4ª via fisco da UF do destinatário e 6ª via fisco da UF de origem, juntamente com o DARE 4.1 via contribuinte, autenticado pelo Banco. Quando for NFA de operação interna, o atendente entrega a 1ª via destinatário juntamente com o comprovante de pagamento DARE 4.1 via contribuinte e a 3ª via remetente (comprovante do contribuinte). p.7. O atendente anexa o DARE 4.1 via do funcionário emitente na 5ª via órgão emissor/funcionário emitente, sendo colocado na pasta de controle. p.8. Após o atendimento será encaminhado diariamente, semanalmente ou mensalmente à SEFAZ, através do Banco Itaú, os lotes de TPDI E CLDI formados pelas 2ª vias SEFAZ/processamento. Os arquivos de TPDI E CLDI ficam em Pasta AZ. p.9. As 5ª vias órgão emissor/funcionário emitente, ficarão arquivadas na sede SEFAZ por tempo indeterminado, sendo posteriormente enviadas ao setor competente para arquivamento. p.9. As 5ª vias órgão emissor/funcionários emitente, ficarão arquivados na unidade por um ano, até o dia 31/03 do ano subsequente, sendo posteriormente enviadas para arquivamento ao setor de arquivo competente Emissão de Espelho da Empresa (Não é realizado em Itaberaí, Morrinhos e Trindade) Requisitos especificados Contador cadastrado junto a Secretaria da Fazenda Número da Inscrição Estadual Procurador ou Sócio Proprietário Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação ao atendente, que confere, consulta o sistema operacional da SEFAZ, emite o espelho e entrega ao cliente. p.2. O contador pode acessar o Sistema de Cadastro do Estado via internet e emitir o espelho cadastral Emissão de Demonstrativo DPI (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Requisitos especificados Contador cadastrado junto a Secretaria da Fazenda Procurador ou Sócio Proprietário Número da Inscrição Estadual Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação ao atendente, que confere, consulta o sistema operacional da SEFAZ, emite o relatório e entrega ao cliente Emissão de Relação das Empresas que estão no nome do Contador solicitante (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Requisitos especificados Contador cadastrado junto a Secretaria da Fazenda Página 10 de 20

11 Procurador ou Sócio Proprietário Número da Inscrição Estadual Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação ao atendente, que confere, consulta o sistema operacional da SEFAZ, emite o relatório e entrega ao cliente Emissão de Relação Analítica da Dívida Ativa (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo, Trindade e Valparaíso) Requisitos especificados Contador cadastrado junto a Secretaria da Fazenda Procurador ou Sócio Proprietário Número da Inscrição Estadual Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação ao atendente, que confere, consulta o sistema operacional da SEFAZ, emite o relatório e entrega ao cliente Nota Fiscal Avulsa de Serviço de Transporte de Passageiro (Não é realizado em Águas Lindas, Itumbiara e Valparaíso) Requisitos especificados Inscrição/autorização do transportador junto à AGR (documento original ou cópia). Não se emite nota fiscal de transporte para contribuinte cadastrado no CCE Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação, pergunta ao cliente o percurso/distância (ida e volta) e efetua o cálculo informando o valor a ser pago. p.2. O atendente emite o documento fiscal (NFA), coleta a assinatura do cliente e o encaminha ao Banco para efetuar o pagamento do DARE 4.1, orientando-o a retornar ao guichê SEFAZ para pegar a NFA (vias destinatário e remetente). p.3. Depois de pago o DARE 4.1 (via destinatário) será anexado à NFA (via destinatário), liberando assim o contribuinte. p.4. Finalizando o serviço, o atendente anexa o DARE 4.1 (via funcionário emitente)à NFA (via funcionário emitente), colocando as vias processamento/funcionário emitente na caixa de controle. p.5. Será encaminhada semanalmente à SEFAZ, através do Banco Itaú os lotes de TPDI e CLDI formados pelas vias processamento/exame de contas. Em Valparaíso o encaminhamento é feito mensalmente Nota Fiscal de Mudança (Não é realizado em Águas Lindas) Requisitos especificados Para mudança interna (dentro do estado) não se emitirá Nota Fiscal Avulsa (salvo se for pela transportadora), o proprietário relaciona as mercadorias (1 a via), com nome, CPF e endereço de origem e de destino. Em Valparaíso a Nota Fiscal (IN 625/03-GSF) é emitida. Anápolis possui um formulário próprio da DFA para operação interna e interestadual, que cobra o frete incluso. Página 11 de 20

12 Ser mudança residencial (móveis, eletrodomésticos e utensílios domésticos usados). Na Unidade de Águas Lindas pode ser realizado uma GUIA DE MUDANÇA para operações internas, conforme RCTE Art "Não se exige a emissão de nota fiscal na saída interna, ressalvadas as situações especiais previstas na legislação tributária: parágrafo II: de mobília caseira e bem de uso ou consumo próprio em quantidade proporcional à família, em razão de mudança residencial" Processo de atendimento p.1. Em caso de mudança operação interna, o atendente confere a relação e carimba, não gera custos. Em Valparaíso o atendente emite a Nota Fiscal (IN 625/03-GSF). p.2. Em caso de mudança operação interestadual, o atendente emite a Nota Fiscal Avulsa (NFA), coleta a assinatura do requisitante (não há necessidade de ser o proprietário da mudança, exceto em Valparaíso onde há necessidade de ser o proprietário), o encaminha ao Banco para efetuar o pagamento do DARE 4.1 no valor da TSE, e o orienta a retornar ao guichê. Caso o transporte não seja efetuado por transportadora ou pelo próprio (veículo em nome do proprietário da mudança), deverá ser pago o ICMS de transporte. p.3. O cliente apresenta o DARE 4.1 quitado ao atendente, e este anexa-o à Nota Fiscal Avulsa. p.4. Finalizando o serviço, o atendente anexa o DARE 4.1 (via funcionário emitente) na NFA (via funcionário emitente), colocando as vias processamento/ funcionário emitente na caixa de controle. Em Valparaíso é colocado em pasta suspensa. p.5. Será encaminhada diariamente à SEFAZ, através do Banco Itaú os lotes da TPDI e CLDI formados pelas 2ª vias Sefaz/processamento. Em Valparaíso é encaminhado mensalmente. p.6. As 3as vias (fisco origem/funcionário emitente, no caso de Itumbiara esta via sai com destinatário por ser Posto de Divisa) ficarão arquivadas na sede SEFAZ por tempo indeterminado, sendo posteriormente enviadas à Delegacia Fiscal de Goiânia para arquivo. Os arquivos de documentos fiscais são fechados por lotes mensais. Em Itumbiara as 5ª vias (Órgão emissor/ Funcionário emitente) e são enviadas à Delegacia Fiscal de Itumbiara. Em Valparaíso (por ser Agenfa) fica mais ou menos 01 ano em arquivo, e após baixa definitiva no sistema, as vias são protocoladas e enviadas para a AFA em Luziânia Extrato Cadastral Requisitos especificados Empresa não pode estar suspensa ou baixada Extrato cadastral anterior ou Autorização formal com carimbo CRC e assinatura do contador CPF ou autorização do proprietário em papel timbrado da empresa e carimbo do CNPJ Página 12 de 20

13 Processo de atendimento p.1. O atendente lança os dados no Sistema de Cadastro do Estado (intranet). p.2. Se não houver irregularidade, o extrato cadastral é impresso. p.3. O atendente carimba e entrega o extrato ao cliente encerrando o atendimento Emissão de formulários para isenção de ICMS e IPVA ao deficiente físico e IPVA para táxi (Não é realizado em Anápolis, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Senador Canedo e Trindade) Requisitos especificados Ser deficiente físico que dirige, com CNH para veículo adaptado, segundo o convênio ICMS 003/2007, veículo automotor novo com características específicas para ser dirigido por motorista portador de deficiência física Processo de atendimento p.1. O atendente imprime o formulário e entrega ao cliente, orienta o preenchimento e informa o local de entrega do formulário e documentos necessários Liberação de Documento Fiscal - Bloco de Nota Fiscal (Não é realizado em Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Requisitos especificados Contribuinte não ter débitos na SEFAZ Pedido de liberação de uso de documento preenchido e assinado pelo proprietário e/ou representante e o primeiro bloco de Nota Fiscal a ser liberado Processo de atendimento p.1. O atendente lança no sistema de Grande Porte os dados contidos no Formulário de Pedido de Liberação de uso do Documento Fiscal. p.2 O atendente emite o documento de liberação em duas vias, carimba e assina as vias do formulário e do termo de liberação. p.3. Entrega a 1ª via do termo de liberação ao contribuinte e a 2ª via fica no posto. OBS: Em Valparaíso as liberações de uso de nota fiscal ficam em pasta suspensa até final do mês quando são protocoladas e encaminhadas para AFA de Luziânia e o protocolo de encaminhamento fica arquivado em pasta AZ durante o exercício Concessão de AIDF Autorização de Impressão de Documentos Fiscais (Não é realizado em Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Requisitos especificados O contribuinte não ter pendências ou bloqueios no sistema de Grande Porte da SEFAZ Apresentar o documento de Autorização de Impressão de Documentos Fiscais - AIDF da gráfica preenchida e assinada pelo responsável da gráfica e pelo contribuinte ou responsável da empresa. Página 13 de 20

14 Documentos pessoais de quem assina pela gráfica e pela empresa (Identidade ou Carteira de Habilitação) para conferência das assinaturas Processo de atendimento p.1. O atendente lança os dados contidos no documento de AIDF no sistema de Grande Porte. p.2. Emite o documento de Concessão de Autorização em três vias. p.3. O atendente entrega duas vias ao cliente e outra via ficará no posto, devidamente carimbada e assinada pelo atendente. OBS: Em Valparaíso, a via do posto das AIDF s é guardada em pasta suspensa até o final do mês, quando são protocolados e enviados mensalmente para Luziânia, o protocolo de entrega é arquivado em pasta AZ mensalmente Fiança Crime (Não é realizado em Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Morrinhos, Rio Verde e Trindade) Requisitos especificados Nome completo do requerente CPF Endereço Completo O valor será informado pelo delegado ou pelo escrivão Em Valparaíso, apresentar, se houver, nº. do Inquérito Policial (IP) e artigo ou lei de enquadramento Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação necessária, acessa o site ww.sefaz.go.gov.br ou o Sistema de Grande Porte no programa PF8, emite o DARE 2.1 e o entrega ao usuário, para que ele confira os dados apresentados. p.2. O atendente encaminha o usuário à rede bancária para que seja efetuado o pagamento e encerra o atendimento Homologação Cadastro Pessoa Jurídica Micro Empresa/Pequeno Porte ME/EPP (Não é realizado em Águas Lindas) Requisitos especificados Solicitação preenchida via internet e assinada pelo contribuinte e pelo contador. Cópia do contrato social registrado na JUCEG Requerimento de enquadramento como ME e EPP da JUCEG CNPJ atualizado Cópia dos documentos pessoais dos sócios - RG, CPF E CNPJ - se o sócio for pessoa jurídica Cópia do comprovante de endereço da empresa e do titular ou sócios, (que deverá ser documento emitido por prestador de serviço público de água, luz ou telefone. no caso do endereço da empresa poderá ser também o alvará de licença); OBS: (*) Documentos originais acompanhados de cópia ou na ausência do original trazer cópia autenticada Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação. p.2. Procede a homologação na página Cadastro de Contribuinte. Página 14 de 20

15 p.3. Assina e colhe assinatura do contribuinte ou contador, retém uma via do documento e devolve outra comprovando a homologação. p.4. Encaminha a documentação para o setor de cadastro de sua jurisdição Cadastro de Produtor Rural Pessoa Física (Não é realizado em Águas Lindas, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde, Trindade e Valparaíso) Requisitos especificados Original e uma cópia da Carteira de Identidade e CPF. Caso a cópia seja autenticada, não há necessidade de apresentar os documentos originais. Apresentar escritura ou contrato de arrendamento original com cópia ou cópia autenticada para inserir no dossiê de cadastro. Comprovante de endereço residencial com cópia Processo de atendimento p.1. O atendente verifica a documentação e preenche a solicitação cadastral no Sistema de Cadastro, conforme documentação. p.2. O atendente entrega a solicitação para conferência e assinatura do contribuinte. p.3. O atendente homologa, imprime em 2 vias, bate o carimbo e assina o mesmo. Neste momento é gerado o numero da inscrição estadual de Produtor Rural. p.4. O atendente entrega uma via da homologação ao contribuinte juntamente com o extrato cadastral emitido pelo sistema. p.5. O atendente envia o dossiê com as cópias dos documentos apresentados com a documentação para a Delegacia Regional ou Fiscal de sua região Autenticação do Formulário Trimestral do Registro de Apuração do ICMS e do Livro Fiscal (Não é realizado em Águas Lindas, Aparecida de Goiânia, Goianésia, Itaberaí, Itumbiara, Jataí, Mineiros, Morrinhos, Rio Verde, Trindade e Valparaíso) Requisitos especificados Caso não tenha havido autenticação anterior dos Livros, o contribuinte terá que apresentar os últimos Livros autenticados. Pedido de Formulário ou de Livros Fiscais preenchido e assinado pelo contribuinte ou representante legal ou contabilista. Registro de Apuração do ICMS relativo aos 3 (três) meses ou o Livro Fiscal encadernado assinado pelo contribuinte ou representante legal ou contabilista Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação exigida. p.2. Se houve autenticação após 11/12/2006 o atendente confere a numeração e o ano a serem autenticados no Sistema de Grande Porte. p.3. O atendente faz a conferência do Formulário e Livros Fiscais, observando se os pedidos conferem com o Formulário ou Livros Fiscais. p.4. O atendente faz a autenticação dos Formulários ou Livros Fiscais no Sistema de Grande Porte e o sistema emite o Termo de Autenticação. Página 15 de 20

16 p.5. O atendente assina e carimba o Termo de Autenticação e entrega ao contribuinte, retendo somente o pedido de autenticação Informações sobre Serviços Não Realizados nas Unidades Para o serviço de Eventos Cadastrais são fornecidos somente formulários e relação de documentos necessários, o cliente é orientado a procurar a Delegacia Fiscal de Goiânia ou a de sua jurisdição Credenciamento do Contabilista (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Requerimento em 2 (duas) vias - formulário 38 Etiqueta do contador Comprovante de endereço Carteira do CRC ou C.I. e CPF Todos os documentos originais com cópias ou cópias autenticadas Processo de atendimento p.1. O cliente apresenta a documentação ao atendente, que confere, consulta no sistema operacional da SEFAZ para verificar se o seu CPF ou CNPJ estão credenciados. p.2. Caso não conste o credenciamento, o atendente o credencia. p.3. O funcionário carimba e assina as vias e entrega a 1ª via do formulário ao cliente e arquiva a 2ª via Solicitação de Senha do Contador, Gráfica ou Contribuinte via internet (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Solicitação de senha via internet preenchida como Contador, Gráfica ou Contribuinte. Carteira do CRC - original com cópia ou cópia autenticada se for contador. Contrato social da Gráfica para conferência dos sócios juntamente com os documentos C.I. e CPF do sócio que está solicitando a senha em seu nome. Se for contribuinte - original com cópia ou cópia autenticada da C.I. e CPF. Se for procuração - original e cópia e C.I. e CPF - originais e cópias ou cópias autenticadas Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação. p.2. O atendente acessa o terminal SEFAZ e gera a matrícula do cliente como pessoa física. p.3. O atendente preenche o Formulário específico dos dados do contador, gráfica ou contribuinte. p.4. Após o preenchimento do formulário, o atendente acessa o outlook ( interno) e envia a Central de Atendimento. p.5. O atendente aguarda a liberação para fazer a senha do Centro de Atendimento via . Página 16 de 20

17 p.6. Após a liberação da senha, o atendente acessa o Terminal SEFAZ e o cliente gera a sua própria senha Diferencial de Alíquotas (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Somente para contribuintes do ICMS optantes pelo Simples Nacional, referente as mercadorias do ativo imobilizado e para consumo da empresa. O contribuinte deverá trazer a 1ª via da Nota Fiscal e cópia Processo de atendimento p.1. O atendente confere a nota fiscal e cópia. p.2. O atendente consulta na Receita Federal se a empresa é optante do Simples Nacional. p.3. Se for optante do Simples Nacional, o atendente acessa o terminal SEFAZ e emite o DARE 2.1 como diferencial de alíquota referente os dados da nota fiscal. p.4. Após a emissão do DARE, o atendente entrega ao contribuinte orientando sobre o dia do seu pagamento Pagamento do ICMS antecipado das mercadorias: farinha de trigo e arroz (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas e Valparaíso) Requisitos especificados Somente das mercadorias - farinha de trigo e arroz. Cadastrado como contribuinte do ICMS. 1ª via e cópia da nota fiscal Processo de atendimento p.1. O atendente confere a mercadoria em relação a nota fiscal e emite no Terminal SEFAZ o DARE. p.2. O atendente entrega o DARE ao cliente, orientando o dia do seu pagamento Prorrogação do Prazo de Uso de Documento Fiscal (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Solicitação da prorrogação, com identificação da empresa e os dados dos jogos ou formulários de notas fiscais que se pretende prorrogar - nº inicial e final e nº da concessão, assinado pelo sócio ou procuração, exigindo a comprovação das assinaturas. Última Nota Fiscal ou Formulário e a(o) primeira em branco Processo de atendimento p.1. O atendente confere a documentação e os blocos. p.2. Consulta pendência e bloqueios no Terminal SEFAZGO. p.3. A prorrogação é feita no módulo CIAF no caminho: REVALIDAÇÃO LEGAL/INCLUSÃO digita-se a inscrição do contribuinte e número da concessão/ na última tela, digita-se as três últimas colunas com o nº inicial e Página 17 de 20

18 final que se pretende prorrogar (só se prorroga até o último nº da concessão) e data de validade que é exatamente a validade original acrescido de dois anos e digitada sem barras. p.4. O atendente emite o Termo de Prorrogação em duas vias, carimba, assina e entrega a via do contribuinte e a outra via fica no posto Regularização de Documento Fiscal usado sem Liberação (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Registrar ocorrência no livro de RUDFTO da seqüência das Notas Fiscais utilizadas, o nº de registro (entradas e saídas) e o nº da página onde foram lançadas. Pedido de liberação de uso (Anexo II, da IN 467/00-GSF). Comprovante de assinatura do sócio ou procurador que assinar o pedido de liberação. Última nota fiscal utilizada sem liberação e a primeira em branco Processo de atendimento p.1. Conferir livro de ocorrência, blocos e pedido de liberação assinado pelo proprietário e/ou representante. p.2 Consulta pendência e bloqueios no Terminal SEFAZ. p.3. O atendente emite o documento de liberação em duas vias, carimba, assina e entrega a via do contribuinte e a outra via fica no posto Regularização de Documento Fiscal utilizado após o Prazo Regulamentar (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim e Campinas) Requisitos especificados Registrar ocorrência no livro de RUDFTO da numeração das notas que foram usados já vencidos Processo de atendimento p.1. Conferir o livro de ocorrência com as notas fiscais que foram usadas sem a revalidação, datar e rubricar a ocorrência com o fim de homologar a espontaneidade conforme previsto no Art. 484 do RCTE. p.2. Após a conferência do livro de ocorrência o contribuinte já poderá revalidar o bloco a partir da 1ª (primeira) não usada Emissão de Relatório de DARE vencido (Realizado nas Unidades Araguaia, Banana Shopping, Buena Vista, Cidade Jardim, Campinas, Jataí e Valparaíso) Requisitos especificados Solicitação verbal assinado pelo contribuinte ou procuração, exigindo a comprovação das assinaturas Processo de atendimento p.1. Conferir a solicitação juntamente com a documentação do sócio ou procurador. p.2. O atendente entra no terminal SEFAZ e emite o relatório dos DARE'S vencidos e entrega ao contribuinte. Página 18 de 20

19 4.36. Cadastro do Micro Empreendedor Individual MEI Pessoa Física Requisitos especificados Original da Carteira de Identidade e CPF. Certificado de Micro Empreendedor Individual fornecido pela Receita Federal no endereço A solicitação deverá ser feita pelo próprio interessado ou mediante procuração Processo de atendimento p.1. O atendente verifica a documentação e preenche a solicitação cadastral no Sistema de Cadastro, conforme documentação. O interessado deverá ser contribuinte do ICMS, caso seja apenas Prestador de Serviço e mesmo assim desejar solicitar a inscrição, deverá formalizar o pedido à Superintendência de Administração Tributária SAT para autorização. p.2. O atendente entrega a solicitação para conferência e assinatura do contribuinte. p.3. O atendente homologa, imprime em 2 vias, bate o carimbo e assina o mesmo. Neste momento é gerado o numero da inscrição estadual do contribuinte. p.4. O atendente entrega uma via da homologação ao contribuinte. p.5. O atendente envia o dossiê com as cópias dos documentos e do certificado à Delegacia Regional ou Fiscal de sua região Emissão de Documento de Arrecadação Estadual (DARE / GNRE) Requisitos especificados CPF ou CNPJ do solicitante Processo de atendimento p.1. No sítio da Sefaz o atendente entra em serviços / pagamento de tributos / escolhe o tributo a ser pago / preenche os campos necessários e gera o documento de arrecadação. p.2. O atendente entrega ao solicitante o documento a ser pago. 5. IDENTIFICAÇÃO E RASTREABILIDADE DARE, Certidão Negativa, Passe Fiscal, NFA, Relatórios Diversos, Extrato Cadastral, Formulários para isenção de ICMS e IPVA ao deficiente físico e IPVA para táxi, Termo de Liberação, Enquadramento de Microempresa, Formulário Cadastral FAC e Termo de Autenticação. 6. PRODUTO DE PROPRIEDADE DO CLIENTE A documentação do cliente entregue ao condômino para execução dos serviços é preservada e arquivada nos órgãos públicos, respeitando-se a legislação pertinente. 7. PRESERVAÇÃO DO PRODUTO Os produtos utilizados na execução dos serviços são preservados em locais Página 19 de 20

20 seguros, na área de atendimento reservado ao condômino. 8. REGISTROS DA QUALIDADE Os registros da execução do serviço são de controle do órgão e devem estar disponíveis para qualquer verificação necessária. 9. ANEXOS Os anexos para execução do serviço são de controle do órgão. Página 20 de 20

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DELEGACIA REGIONAL DE FISCALIZAÇÃO DE GOIÂNIA ATENDIMENTO GERAL Responsável: Maria de

Leia mais

NOTA FISCAL AVULSA - NFA. atualizado em 08/07/2015

NOTA FISCAL AVULSA - NFA. atualizado em 08/07/2015 atualizado em 08/07/2015 2 ÍNDICE 1. CONCEITO...5 2. MODELO E SÉRIES...5 3. NOTA FISCAL AVULSA - SÉRIE 1...6 4. NOTA FISCAL AVULSA - SÉRIE 2...6 5. VALIDADE...7 6. VENDA DO ESTOQUE DA EMPRESA APÓS A BAIXA

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO VAPT VUPT EMPRESARIAL PREFEITURA DE GOIANIA Responsável: Rosana Mérola Martins Cópia

Leia mais

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias;

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias; Portaria SUACIEF nº 12, de 03.05.2010 - DOE RJ de 05.05.2010 Dispõe sobre alterações de prazos para usufruir da anistia concedida pela Lei nº 5647/2010, prorrogada pela lei nº 7508/2010. O Superintendente

Leia mais

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO OUTUBRO 2014 (VERSÃO 1.2) Av. Vereador José Monteiro, nº. 2233, Setor Nova Vila - Bloco A, térreo - CEP: 74.650-900 Goiânia Goiás 1 MANUAL

Leia mais

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO

NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO NOVO EMISSOR DE DOCUMENTOS DE ARRECADAÇÃO MANUAL DE ORIENTAÇÃO DEZEMBRO 2014 (VERSÃO 1.3) Av. Vereador José Monteiro, nº. 2233, Setor Nova Vila - Bloco A, térreo - CEP: 74.650-900 Goiânia Goiás 1 MANUAL

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS 01) ALTERAÇÃO DE DADOS NO CADASTRO IMOBILIÁRIO FISCAL ; - Registro do imóvel (emissão com menos de 1 ano); - CPF e identidade do titular ou dos sócios

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO SEMARH Responsável: Alex Viana Silva Cópia Controlada - Revisão 01 de 01/03/2013 e Aprovado

Leia mais

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos

Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos. Luiz Campos Fundamentos da NF-e Exercícios Práticos Luiz Campos 1 Livro de Apuração do IPI - CFOP CFOP DESCRIÇÃO 1.000 ENTRADAS OU AQUISIÇÕES DE SERVIÇOS DO ESTADO 1.100 COMPRAS PARA INDUSTRIALIZAÇÃO, PRODUÇÃO RURAL,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 0020, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 Publicada no DOE(Pa) de 29.11.05. Alterada pela IN 05/13. Dispõe sobre a apresentação da Declaração de Informações Econômico-Fiscais - DIEF relativa

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO TRE ÁGUAS LINDAS Responsável: Elisabeth Santos de Souza Cópia Controlada

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento do Imposto sobre

Leia mais

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF (RESPONSÁVEL TÉCNICO)

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF (RESPONSÁVEL TÉCNICO) SECRETARIA DA FAZENDA DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL GEAF - GERÊNCIA DE ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COAF - COORDENAÇÃO DE AUTOMAÇÃO FISCAL MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

Microempreendedor Individual. Passo a Passo Como requerer uma Nota Fiscal Avulsa

Microempreendedor Individual. Passo a Passo Como requerer uma Nota Fiscal Avulsa Microempreendedor Individual Passo a Passo Como requerer uma Nota Fiscal Avulsa Acesse o link https://www2.fazenda.mg.gov.br/sol/ctrl/sol/nfae/servico_007?acao=novo&acesso_ex TERNO=1 da Secretaria de Estado

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS

SECRETARIA MUNICIPAL DE FAZENDA DIRETORIA DE TRIBUTOS MOBILIÁRIOS ISS-Londrina-DMS - PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O PROGRAMA ISS-Londrina-DMS - Perguntas (Seqüencia Atual e Anterior) 001-001 - O que é o ISS-Londrina Declaração Mensal de Serviço? O ISS-Londrina-DMS é um sistema Integrado para gerenciamento do

Leia mais

PASSO A PASSO REQUERIMENTO DE NFA MEI. Acessar a página da Secretaria de Estado de Fazenda na internet. Endereço: www.fazenda.mg.gov.

PASSO A PASSO REQUERIMENTO DE NFA MEI. Acessar a página da Secretaria de Estado de Fazenda na internet. Endereço: www.fazenda.mg.gov. 1 PASSO A PASSO REQUERIMENTO DE NFA MEI Acessar a página da Secretaria de Estado de Fazenda na internet. Endereço: www.fazenda.mg.gov.br Clicar em SIARE conforme indicação abaixo: Clicar em Sistema Integrado

Leia mais

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XXI - 2010-5ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2010

IPI ICMS - SP LEGISLAÇÃO - SP ANO XXI - 2010-5ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2010 ANO XXI - 2010-5ª SEMANA DE OUTUBRO DE 2010 BOLETIM INFORMARE Nº 44/2010 IPI ALTERAÇÃO DE ENDEREÇO - ASPECTOS GERAIS Introdução - Emissão de Nota Fiscal/Procedimentos - Utilização Dos Mesmos Livros e Documentos

Leia mais

1. que participe de empresa que se encontre em situação irregular perante a Fazenda Estadual;

1. que participe de empresa que se encontre em situação irregular perante a Fazenda Estadual; Normativos Estaduais PORTARIA SF Nº 086, EM 12.05.2004 O SECRETÁRIO DA FAZENDA, considerando a necessidade de reunir em único ato normativo as regras relativas ao credenciamento de empresa transportadora,

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO DE ATENDIMENTO AO CIDADÃO - SECRETARIA DA PROMOÇÃO SOCIAL DE GOIANÉSIA Responsável: Ueliton Talles

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA GERÊNCIA DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS CORDENAÇÃO DO CADASTRO

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA GERÊNCIA DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS CORDENAÇÃO DO CADASTRO ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA GERÊNCIA DE INFORMAÇÕES ECONÔMICO-FISCAIS CORDENAÇÃO DO CADASTRO ÍNDICE SISTEMÁTICO DO MANUAL DO CADASTRO LISTA DE TELAS...

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEMONSTRAÇÃO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 Para toda remessa de demonstração haverá retorno. Quando a remessa

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO

ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA SISTEMA DE AUTOATENDIMENTO MANUAL DO USUÁRIO 2012 SUMÁRIO 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 O SISTEMA FINALIDADE QUEM PODE ACESSAR MEIO DISPONÍVEL PARA ACESSO PROCEDIMENTOS

Leia mais

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA SECRETARIA DA FAZENDA NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA

RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA SECRETARIA DA FAZENDA NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELA SECRETARIA DA FAZENDA NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA 1. SOLICITAÇÃO DE ISENÇÃO DE IPVA 1.1 TIPOS: Para Deficiente Físico 1. Requerimento do interessado, conforme

Leia mais

Assunto: Identificação: Versão: Folha / Nº: Cartilha ISS Online DOC-IN 1.0 1 / 29. Grupo Assessor Público

Assunto: Identificação: Versão: Folha / Nº: Cartilha ISS Online DOC-IN 1.0 1 / 29. Grupo Assessor Público Cartilha ISS Online DOC-IN 1.0 1 / 29 Guia Rápido de Usuário Cartilha ISS Online DOC-IN 1.0 2 / 29 ISS Online Apresentação O avanço da tecnologia aliado aos novos conceitos de gerenciamento das informações

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ SECRETARIA DA FAZENDA GABINETE DO SECRETÁRIO DA FAZENDA - GSF Home Page: www.sefaz.pi.gov.br COMUNICADO SEFAZ Nº 003/2007 Informa sobre a instituição da Declaração de Informações

Leia mais

MANUAL DA NOTA FISCAL AVULSA PARA O PÚBLICO EXTERNO

MANUAL DA NOTA FISCAL AVULSA PARA O PÚBLICO EXTERNO MANUAL DA NOTA FISCAL AVULSA PARA O PÚBLICO EXTERNO Introdução: A Nota Fiscal Avulsa NFA será emitida para acobertar operações realizadas por emitente não obrigado à inscrição no Cadastro de Contribuintes

Leia mais

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014

DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 DECRETO Nº 4.252 DE 13 DE MARÇO DE 2014 (Dispõe sobre a instituição e obrigatoriedade da nota fiscal eletrônica de serviços, da declaração eletrônica de prestadores e tomadores de serviços, com pertinência

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS DISPOSIÇÕES GERAIS CONCEITOS Lei Complementar

Leia mais

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO.

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. PESSOA JURÍDICA: a) instrumento de constituição primitivo e respectivas alterações, se houver, admitindo-se a Última alteração quando consolidada,

Leia mais

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez

ECF /CF-e SAT Alterações para 2014. Elisangela Marques Perez ECF /CF-e SAT Alterações para 2014 Elisangela Marques Perez PALESTRANTE ELISANGELA MARQUES PEREZ Contadora e consultora tributária, com mais de 14 anos de experiência na área fiscal, especializada em tributos

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: 2 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento

Leia mais

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos.

Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. Orientação para escrituração e emissão de Documentos Fiscais de Entrada / Saída, Devoluções, Cadastro de Produtos. Simples Nacional Senhores empresários, deverão ser escriturados todos os Documentos Fiscais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VISCONDE DO RIO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE VISCONDE DO RIO BRANCO ESTADO DE MINAS GERAIS DECRETO Nº 102/2011 Disciplina a emissão de notas fiscais de serviços no Município, define forma e prazo de recolhimento do ISSQN, cria obrigações acessórias pela internet, e dá outras providências. O

Leia mais

CAPÍTULO I DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA

CAPÍTULO I DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA LEI Nº 2.182, DE 24 DE MAIO DE 2011. Institui a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços no Município de Louveira, define forma, prazo e declarações de recolhimento do ISSQN pelo Sistema Eletrônico e dá outras

Leia mais

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente.

1. OBJETIVO Prestar atendimento ao cidadão de maneira rápida, eficiente e eficaz, de acordo com os requisitos especificados pelo cliente. Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO VAPT VUPT EMPRESARIAL CADASTRO ÚNICO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR Responsável:

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES 1 Entradas de mercadorias de outros Estados sujeitas ao regime da substituição tributária no Rio Grande do Sul ( ICMS ST pago na Entrada ) Procedimentos

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: Apresentação: 02 Método de Acesso ao Sistema Sig Iss: 02 Tela de Abertura: 03 Modo de Acesso: 04 Botões e Telas

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica

Nota Fiscal Eletrônica Nota Fiscal Eletrônica NF-e - Considerações 3,6 bilhões de notas fiscais armazenadas só em SP 26000 campos de futebol 27 voltas ao redor do mundo Podem representar um custo de até 5% no faturamento das

Leia mais

SEFAZ-MA. São Luís-Ma. 2.008

SEFAZ-MA. São Luís-Ma. 2.008 SEFAZ-MA SIISTEMA DE NOTA FIISCAL AVULSA NFA MANUAL PARA O AGENTE FIISCAL São Luís-Ma. 2.008 1 INTRODUÇÃO A Nota Fiscal Avulsa foi criada para substituir a Nota Fiscal Avulsa emitida através do Siat. Ela

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO CÉLULA DE PADRONIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS DE FISCALIZAÇÃO ICMS ANTECIPADO - OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO para recolhimento pelos optantes do Simples Nacional? Na unificação das seguintes modalidades

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa 1 Manual para obtenção de Senha Web da Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa. Artesão, Pessoa física e Prestadores de serviços. 2014. INTRODUÇÃO 2 A Nota Fiscal

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa

Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa 1 Manual para emissão de Nota Fiscal Eletrônica Avulsa NF-e Avulsa Microempreendedor Individual 2014. INTRODUÇÃO A Nota Fiscal Eletrônica Avulsa (NF-e Avulsa)

Leia mais

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO Sumário 1. Introdução 2. Antecipação tributária 3. Produtos sujeitos - Relação

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Matéria publicada originalmente no Diário do Comércio Data: 01/08/2006 01 - CONCEITOS? 1.01.

Leia mais

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015

COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA Portaria CAT 12, de 04-02-2015 Dispõe sobre a emissão da Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica - NFC-e (NF-e, modelo 65) e do Documento Auxiliar da Nota Fiscal

Leia mais

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.

INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com. 1/7 INFORMAÇÕES AOS FORNECEDORES SEJA NOSSO FORNECEDOR REGULAMENTO PARA EMISSÃO DO CRC COCEL (parte integrante do site www.cocel.com.br) INFORMAÇÕES I. O interessado na inscrição no Cadastro de Fornecedores

Leia mais

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP)

CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) CARTILHA TIRA - DÚVIDAS (Elaborada por Bel Contabilidade Eireli EPP) Edição 2013 01) O que é Microempreendedor Individual - MEI? Considera-se Microempreendedor Individual - MEI o empresário individual

Leia mais

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO

PRÉ- REQUISITOS CADASTRO ELETRÔNICO CADASTRO ELETRÔNICO Abaixo seguem as orientações sobre os serviços mais utilizados do Cadastro no efisco - ARE Virtual. OBS: Use sempre o navegador Internet Explorer para acessar o efisco - ARE Virtual

Leia mais

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas

Prefeitura de Rio Verde GO. SEFAZ - Secretaria da Fazenda. DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas Prefeitura de Rio Verde GO SEFAZ - Secretaria da Fazenda DMS e Emissão de Notas Fiscais Eletrônicas DMS e Notas Fiscais Eletrônicas Rio Verde, GO, setembro 2009 1 Sumário INTRODUÇÃO... 03 LEGISLAÇÃO...

Leia mais

Resolução Conjunta SF/PGE Nº 1 DE 28/02/2013 (Estadual - São Paulo)

Resolução Conjunta SF/PGE Nº 1 DE 28/02/2013 (Estadual - São Paulo) Resolução Conjunta SF/PGE Nº 1 DE 28/02/2013 (Estadual - São Paulo) Data D.O.: 01/03/2013 Disciplina os procedimentos administrativos necessários à liquidação de débitos fiscais do Imposto sobre Operações

Leia mais

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade

Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Manual de procedimentos do Alvará de Licença e Funcionamento de Atividade Prefeitura Municipal de São Leopoldo Secretaria Municipal da Fazenda Coordenadoria Tributária Divisão de Tributos Mobiliários Seção

Leia mais

Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra

Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra Dúvidas Freqüentes sobre Sintegra 1 - Qual a legislação pertinente a arquivos eletrônicos e onde encontrá-la? O assunto é tratado pelo Convênio ICMS 57/95 e alterações e pelo Anexo VII ao Regulamento de

Leia mais

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996)

TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 A B C D ICMS SANTA CATARINA TABELA RESUMO DE INFRAÇÕES E PENALIDADES (LEI SC 10297/1996) INFRAÇÃO PENALIDADE % Base Deixar de recolher, total ou parcialmente,

Leia mais

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1. OPERAÇÕES INTERNAS 1.1-BASE DE CÁLCULO - OPERAÇÃO INTERNA No RICMS/SP temos as hipóteses de definição da base de cálculo do ICMS-ST

Leia mais

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF

MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO FISCAL - PAF-ECF SECRETARIA DA FAZENDA DE GOIÁS SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA ESTADUAL GEAF - GERÊNCIA DE ARRECADAÇÃO E FISCALIZAÇÃO COAF - COORDENAÇÃO DE AUTOMAÇÃO FISCAL MANUAL DA EMPRESA DESENVOLVEDORA DE PROGRAMA APLICATIVO

Leia mais

5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ

5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ 5ª Delegacia Regional da Receita Guarapuava PR ALTAIR BATISTA DE SOUZA JOSÉ CLODOALDO MUNHOZ 1. O QUE É NF-e? 2. OBJETIVO DA NF-e 3. LEGISLAÇÃO 4. CONTRIBUINTES OBRIGATÓRIOS 5. ADESÃO VOLUNTÁRIA 6. NECESSIDADES

Leia mais

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe)

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) Versão 4.00 Atualizada em 22/04/2014 1. O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica? A Nota Fiscal Avulsa eletrônica é um serviço disponível nos portais

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ACRE, no uso das atribuições que lhe confere o art. 78, inciso IV da Constituição Estadual, e DECRETO Nº 5.257, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2013. Publicado no DOE nº 10.993, de 22-02-2013. Institui a Nota Fiscal Eletrônica para Consumidor Final - NFC-e e o Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado Público. Outubro/14

[CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado Público. Outubro/14 1 [CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado Público Outubro/14 Sumário 1. Apresentação... 3 2. Ficha Cadastral... 4 3. CCB - Cédula de Crédito Bancário... 4 4. Identificação Civil (RG)... 5 5.

Leia mais

Passos para abertura de Micro e Empresa de Pequeno Porte / Simples. (Legalização Jurídica Receita Federal, SEFAZ, JUCEA)

Passos para abertura de Micro e Empresa de Pequeno Porte / Simples. (Legalização Jurídica Receita Federal, SEFAZ, JUCEA) Passos para abertura de Micro e Empresa de Pequeno Porte / Simples (Legalização Jurídica Receita Federal, SEFAZ, JUCEA) Marcus Alexandre Projeto FlorestaViva Outubro 2006 Simples O que é o Simples? O Simples

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí - AMAVI

Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí - AMAVI Associação dos Municípios do Alto Vale do Itajaí - AMAVI José Ângelo Merini Presidente Paulo Cezar Schlichting da Silva 1º Vice-Presidente Hildon Kühl 2º Vice-Presidente Augustinho Fusinato Secretário

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL FAQ Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Pré-requisitos para ser emissor de MDF-e 02 FAQ - 02 { Obrigatoriedade do MDF-e: Para mais informações

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO 1ª UNIDADE REGIONAL DE TRIBUTAÇÃO REQUERIMENTO DE ALTERAÇÃO/EXCLUSÃO DE TADF 1 ELETRÔNICO Empresa: Inscrição: Sr. Diretor, Pelo

Leia mais

Portaria CAT nº 53, de 12-08-1996 (DOE de 27-08-96 Retificação - DOE de 31-08-96)

Portaria CAT nº 53, de 12-08-1996 (DOE de 27-08-96 Retificação - DOE de 31-08-96) Portaria CAT nº 53, de 12-08-1996 (DOE de 27-08-96 Retificação - DOE de 31-08-96) Dispõe sobre a utilização de crédito acumulado do ICMS. O Coordenador da Administração Tributária, no uso de suas atribuições

Leia mais

7. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPRESSOS... 3

7. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPRESSOS... 3 1 7. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPRESSOS... 3 7.1 Guia de Recolhimento Gare/ICMS...3 7.1.a Campo Data de Vencimento... 3 7.1.b Campo Código Receita... 3 7.1.c Campos: Contribuinte, Endereço, Inscrição

Leia mais

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins

Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins Manual De Sped Fiscal E Sped Pis / Cofins 29/05/2012 1 O Sped fiscal e Pis/Confins é uma arquivo gerado através do sistema da SD Informática, onde este arquivo contem todos os dados de entrada e saída

Leia mais

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A LIVRO - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 19.09.2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - LIVRO, MODELO 1 OU 1-A 2.1 - Documentos Fiscais Registrados

Leia mais

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA

Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Respostas às dúvidas mais frequentes a respeito do SINTEGRA Quando vou transmitir o arquivo o sistema me pede nome de usuário e senha. O que fazer? Você esta tentando transmitir o arquivo no formato TXT.

Leia mais

Nota Fiscal. Eletrônica. Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão

Nota Fiscal. Eletrônica. Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão Nota Fiscal Eletrônica Apontamentos para Contribuintes obrigados a emissão Índice O que é a NF-e... 3 O que é o DANFE... 3 Nota Fiscal Paulista... 3 Quantidade de cópias do DANFE... 4 Papel do DANFE...

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.210/15-GSF, DE 7 DE ABRIL DE 2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.210/15-GSF, DE 7 DE ABRIL DE 2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1.210/15-GSF, DE 7 DE ABRIL DE 2015. Estabelece condições e critérios para implementação do Programa de Cidadania Fiscal - Nota Fiscal Goiana. A SECRETÁRIA DE ESTADO DA FAZENDA DO

Leia mais

Prezado(a) candidato(a),

Prezado(a) candidato(a), Prezado(a) candidato(a), Por favor, fique atento às informações a seguir, as quais garantirão o bom andamento do seu processo de comprovação de informações para o PROUNI na ULBRA. Dedique alguns minutos

Leia mais

I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS

I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS RELAÇÃO DE SERVIÇOS DISPONIBILIZADOS PELO DETRAN NO ESPAÇO DA CIDADANIA DE TERESINA I SERVIÇOS RELATIVOS A VEÍCULOS 1 VISTORIA 2. Certificado de Registro de Veículo - CRV e/ou Certificado de Registro de

Leia mais

PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011.

PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011. PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011.. Publicada no D O E nº 10.636, de 16 de setembro de 2011. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, no uso de suas atribuições legais, e tendo em vista o disposto no

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIARIO CARGA MODULO DOCUMENTOS FISCAIS

TRANSPORTE RODOVIARIO CARGA MODULO DOCUMENTOS FISCAIS TRANSPORTE RODOVIARIO DE CARGA MODULO DOCUMENTOS FISCAIS Osny Afonso de Oliveira Consultor Tributário Técnico Contábil - CRC 1 SP 044544/P-3 1 SERVIÇOS DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO CONSIDERAÇÕES INICIAIS O

Leia mais

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS

MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS MANUAL FUNCIONAL SOBRE NFS-e MUNICÍPIO DE PASSO FUNDO/RS SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. APRESENTAÇÃO...4 1 2. ACESSO AO APLICATIVO...5 3. GERAÇÃO DE NFS-e...6 3.1. Preenchimento dos dados para emissão da NFS-e...6

Leia mais

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO

Manual de orientação Versão II APRESENTAÇÃO Documento de Utilização de Benefício Fiscal APRESENTAÇÃO Prezado Contribuinte, Instituído pela Resolução SEFAZ nº 180 de 05 de dezembro de 2008, o DUB-ICMS (Documento de Utilização de Benefício) é uma

Leia mais

CIRCULAR SUACIEF nº 013/2012 Em 11 de abril de 2012. Assunto Sobre a autorização de impressão de NF para Micro Empreendedor Individual - MEI.

CIRCULAR SUACIEF nº 013/2012 Em 11 de abril de 2012. Assunto Sobre a autorização de impressão de NF para Micro Empreendedor Individual - MEI. CIRCULAR SUACIEF nº 013/2012 Em 11 de abril de 2012 Assunto Sobre a autorização de impressão de NF para Micro Empreendedor Individual - MEI. Senhor Inspetor, Em reunião da qual participei hoje e onde estavam

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e. Prefeitura Municipal de Tupãssi NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e Prefeitura Municipal de Tupãssi PERGUNTAS E RESPOSTAS O QUE É A NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA NFS-e? R NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) é um documento

Leia mais

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe)

Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) Perguntas e Respostas Nota Fiscal Avulsa eletrônica (NFAe) Versão 2.10 Atualizada em 13/02/2012 1. O que é a Nota Fiscal Avulsa eletrônica? A Nota Fiscal Avulsa eletrônica é um serviço disponível nos portais

Leia mais

Ambiente de Pagamentos

Ambiente de Pagamentos GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA COORDENADORIA DA ADMINISTRAÇÃOTRIBUTÁRIA DIRETORIA DE INFORMAÇÕES Ambiente de Pagamentos Manual do Contribuinte Versão 26/09/2011 Índice Analítico 1.

Leia mais

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA COMPROVAÇÃO DE OPERAÇÕES DIFERENCIADAS:. Cópia da nota fiscal emitida nos termos do inciso II do Art.

DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA COMPROVAÇÃO DE OPERAÇÕES DIFERENCIADAS:. Cópia da nota fiscal emitida nos termos do inciso II do Art. DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA COMPROVAÇÃO DE OPERAÇÕES DIFERENCIADAS: 1) BRINDES: Possíveis CFOP S: 2.910 Entrada de bonificação, doação ou brinde 6.910 Remessa em bonificação, doação ou brinde Art. 652 "Considera-se

Leia mais

Versão 2.2 (01/2014)

Versão 2.2 (01/2014) Versão 2.2 (01/2014) Versão 2.2 (01/2014) Sumário INTRODUÇÃO... 7 APRESENTAÇÃO... 7 O QUE É GISSONLINE?... 7 FILOSOFIA DA GISSONLINE... 7 BENEFÍCIOS QUE A GISSONLINE OFERECE... 7 INFORMAÇÃO AO USUÁRIO...

Leia mais

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL

EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS CONSIGNAÇÃO MERCANTIL Cortesia: FARO CONTÁBIL (www.farocontabil.com.br) Autor: Roberto Ferreira de Freitas Data: 21/07/2006 Consignação Mercantil é a operação entre duas empresas

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA

ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA ROTEIRO BÁSICO PARA BAIXA DE EMPRESA Em conformidade com o Novo Código Civil,o processo de baixa de registro de empresas,possui uma ordenação para retirada de certidões negativas e verificação de regularidade

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE SUPERMERCADOS ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD 1 - Informações referentes à Escrituração Fiscal Digital EFD A Escrituração Fiscal Digital é um dos módulos do um sistema púbico

Leia mais

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC

TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC TRANSPORTE DE CARGAS AÉREO - Tratamento Tributário relacionado ao ICMS/SC Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04.11.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - ALÍQUOTAS DO ICMS 2.1 - Operações

Leia mais

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração

Secretaria Municipal da Fazenda Serviço de Cadastro Mobiliário. 1. Documentação necessária para Inscrição e Alteração Cartilha Micro Empreendedor Individual (MEI) Alvará de Licença para Localização e Funcionamento Micro empreendedor Individual (MEI) é a pessoa que trabalha por conta própria e que se legaliza como pequeno

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA ÍCONES PADRÕES UTILIZADOS 2

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA ÍCONES PADRÕES UTILIZADOS 2 ÍNDICE ÍCONES PADRÕES UTILIZADOS 2 PARTE 1 DADOS DO PRESTADOR DE SERVIÇO 4 PARTE 2 SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA EMISSÃO DE NFS-e 7 PARTE 3 ALTERAR SENHA 9 PARTE 4 GERENCIAMENTO DE USUÁRIOS E PERMISSÕES

Leia mais

1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ. Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e)

1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ. Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e) 1º SEMANA EMPRESÁRIO EMPREENDEDOR LUZ E REGIÃO SICOOB - CREDILUZ Tema: Novas sistemáticas contábeis (SINTEGRA NF-e) 17 de Novembro de 2009 SPED SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL DECRETO Nº 6.022/07

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado INSS. Outubro/14

[CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado INSS. Outubro/14 1 [CONFIDENCIAL] Manual para Formalização Consignado INSS Outubro/14 Sumário 1. Ficha Cadastral... 3 2. CCB Cédula de Crédito Bancário... 3 3. Identificação Civil (RG)... 4 4. Identificação Financeira

Leia mais

ÍNDICE. 1 -SIAT ONLINE Considerações Gerais 1.1 - Benefícios Pessoas Físicas. 1.2 - Benefícios Pessoas Jurídicas. 1.3 - Tela Inicial anônimos

ÍNDICE. 1 -SIAT ONLINE Considerações Gerais 1.1 - Benefícios Pessoas Físicas. 1.2 - Benefícios Pessoas Jurídicas. 1.3 - Tela Inicial anônimos ÍNDICE 1 -SIAT ONLINE Considerações Gerais 1.1 - Benefícios Pessoas Físicas. 1.2 - Benefícios Pessoas Jurídicas. 1.3 - Tela Inicial anônimos 1.4 Acesso Restrito Direcionado a Empresas 2 - Consulta Débito

Leia mais

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A

DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE TUPANDI, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A DECRETO Nº 659 DE 26 DE MAIO DE 2014. REGULAMENTA A LEI MUNICIPAL N.º 1.209, DE 02 DE MAIO DE 2014, QUE INSTITUI A NOTA FISCAL ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, A DECLARAÇÃO ELETRÔNICA DE SERVIÇOS, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI -

LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - LISTA DE DOCUMENTOS - PROUNI - Os candidatos pré-selecionados devem entrar em contato com o SAE (Serviço de Assistência ao Estudante) para agendar a entrevista. Telefone: 35-3299-3044 Segue abaixo a relação

Leia mais