Influência do individualismo na arquitetura de interior residencial contemporânea brasileira

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Influência do individualismo na arquitetura de interior residencial contemporânea brasileira"

Transcrição

1 1 Influência do individualismo na arquitetura de interior residencial contemporânea brasileira Carolina Thaís Zdrojewski Master em Arquitetura Instituto de Pós-Graduação - IPOG Florianópolis, SC, 27 de março de 2014 Resumo O objetivo deste estudo é mostrar como o individualismo pode influenciar na arquitetura de interior residencial contemporânea brasileira de classe média, média alta e classe alta. Por meio das inovações tecnológicas e de tantas outras mudanças socioeconômicas da contemporaneidade, a comunicação tem sofrido modificações no século XXI. As formas de relacionamento virtual e os novos perfis familiares têm gerado transformações nos espaços de convívio. Com a internet as pessoas se tornaram mais instrospectivas e criam formas de relacionamento não físicas, tornando-se cada vez mais individualistas. O fato é que esse comportamento atinge a arquitetura, com o desenvolvimento de espaços mais individualizados, personificados e com menos ênfase para os espaços de convivência. Por meio de uma análise breve do individualismo, foi possível identificar sua forte manifestação na sociedade em razão da era da internet e de sua influência na comunicação. O estudo da história da arquitetura residencial brasileira facilitou a percepção de alterações na importância de cada ambiente em uma residência, mudando de acordo com as transformações da sociedade e a chegada das tecnologias. Com o uso da internet e a facilidade de consumir, cada espaço é tão bem-equipado que cada indivíduo pode ter seu próprio espaço completo, dentro de um mesmo lar, sem precisar dividir e, consequentemente, socializar. Por isso é pertinente a atenção para esse comportamento humano e como ele se estabelece na arquitetura de interior residencial. Palavras-chave: Comunicação. Relacionamento. Individualismo. Espaço. Residência. 1. Introdução O comportamento individualista tem sido um fator de influência nos projetos de arquitetura de interior residencial contemporânea brasileira. Esta análise foi feita com base nos perfis de classe média, média alta e alta, pois são os casos em que efetivamente pode-se notar uma influência mais objetiva do individualismo na arquitetura. No século XXI, a contemporaneidade, o consumismo, a era virtual e uma série de novas tecnologias trouxeram mudanças para o homem, vistas nas suas mais diferentes formas de viver, inclusive, na sua maneira de convívio em comunidade. As novas formas de relacionamento, principalmente as virtuais, mudaram o comportamento da geração atual, estabelecendo diferentes modos de convivência e socialização, evidenciando ainda mais traços de individualismo na sociedade. Recuero explica com clareza: A mudança de paradigmas que o surgimento da Rede trouxe para o mundo acabou ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

2 2 por trair os conceitos de comunidades tradicionais. Não há interação física. Não há proximidade geográfica: Estas comunidades estruturam-se fundamentalmente sobre um único aspecto: o interesse em comum de seus membros. A partir deste interesse, as pessoas conseguiriam criar entre si relações sociais independentes do fator físico, e com o tempo essas relações tornar-se-iam de tal forma poderosas que poderiam ser classificadas como laços comunitários. Estruturadas sobre um locus virtual, não físico e nem real, essas comunidades surgiriam através da interação puramente comunicativa entre seus membros. (2000, s/p, grifo da autora). Bauman comenta sobre a fragilidade dos laços humanos em uma sociedade em que não se cultivam os relacionamentos; uma geração contemporânea, tecnológica e consumista que tem afetado diretamente suas dinâmicas de socialização. A realização mais importante da proximidade virtual parece ser a separação entre comunicação e relacionamento. (BAUMAN, 2004, p. 39). De acordo com a teoria de Lipovetsky (2004), a mídia influencia na cultura cotidiana da sociedade, direcionando os valores individualistas e gerando mudanças nos perfis de relacionamento. O objetivo deste estudo não é fazer uma crítica social ou antropológica ao comportamento individualista do ser humano. A intenção é de, a partir de uma análise objetiva e clara, identificar quais são as características principais dessa conduta e como ela pode modificar o espaço arquitetônico residencial contemporâneo. O individualismo pode ser observado não só no espaço residencial como também nos ambientes urbanos, em parques e praças, cada vez mais impessoais, e em shoppings, por exemplo, com a mesma linha de pensamento. Para destacar as mudanças geradas pelo comportamento contemporâneo, é importante fazer uma breve análise de como foi a evolução da residência nos últimos anos e o porquê de suas tranformações na história. O estudo faz um apanhado geral sobre a importância dos ambientes na residência e suas mudanças, abordadas por Lemos (1996), com o passar dos anos e de acordo com os novos perfis familiares. A mudança comportamental dos indivíduos acaba afetando diretamente os ambientes de convivência, sejam eles maiores ou menores, como a própria residência, por exemplo, que deveria ser o local de interação mais íntimo e próximo. As diferentes formas de relacionar-se com a própria família e as novas dinâmicas estabelecidas num lar contemporâneo alteram a demanda do programa de necessidades usual de um projeto de arquitetura de interiores residencial. É um exercício de reflexão para os arquitetos repensarem os usos reais, atuais, dos espaços, no comportamento de cada usuário, cada vez mais individualizado. A tendência de consumir aparelhos eletrônicos e relacionamentos virtuais direciona as pessoas para que fiquem cada vez mais em espaços isolados, conectadas entre si. Geralmente, os ambientes são adaptados e confortáveis o suficiente para que o usuário possa permanecer ali por um longo tempo, interagindo fisicamente o mínimo necessário. Por esses motivos o individualismo influencia a arquitetura residencial, de forma que os espaços estão cada vez mais direcionados para o uso isolado dos indivíduos. Os dormitórios são bem-equipados com eletroeletrônicos, como televisão, computador, telefone, em alguns casos, frigobar. Além disso, a infraestrutura tem comportado um banheiro para cada usuário. Assim os espaços de convivência das casas ficam reduzidos e seu uso ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

3 3 torna-se esporádico. A conduta individualista altera as dimensões, o leiaute e o mobiliário das casas contemporâneas. Evidente que nem tudo é culpa desse comportamento individualista, pois existe uma série de outros fatores socioeconômicos, e outros tantos comportamentais (aqui não citados), que construíram a história da arquitetura residencial ao longo do tempo. A questão é se os arquitetos estão devidamente atentos a essas alterações da sociedade e às suas necessidades reais. Será que os profissionais estão abertos às mudanças e dispostos a mostrar para o cliente, quando pertinente, o grau de importância da arquitetura de interior residencial para a melhoria da sua qualidade de vida, inclusive, na dinâmica de seus relacionamentos com quem habita? 2. A comunicação virtual e as novas formas de relacionamentos Na última década, as casas brasileiras aumentaram em três vezes o número de computadores; desses, 30,7% estão conectados à internet. (IBGE apud LIMA, 2012). A internet é o segundo maior meio de comunicação utilizado pelos brasileiros, de acordo com o Ibope (apud FLORO, 2013). A internet é uma forma de comunicação revolucionária. Segundo Recuero (2000), a internet, também chamada de rede, é a forma mais completa de tecnologia humana, unindo características como a interatividade e a massividade. A revolução na comunicação gerou uma reorganização nos hábitos de socialização, pois não há aproximação física. De acordo com a teoria de Oldenburg (apud RECUERO, 2000), poderíamos identificar três espaços básicos: o primeiro, a casa, onde o indivíduo mora; o segundo, o trabalho, e o terceiro, o lugar de lazer, onde o indivíduo pode socializar. Segundo Recuero (2000), para o século XXI, o terceiro lugar poderia ser a internet, como a tentativa de ser um lugar para o lazer, porém, com mais segurança, já que os espaços públicos, os transportes e as cidades encontram-se em total estado de caos urbano. Mesmo que a intenção inicial do crescimento da internet e das redes sociais tenha sido de fato, ser o terceiro lugar, um espaço virtual de lazer e socialização relativamente seguro, por que é tão comum vermos pessoas reunidas, mas, cada uma com seu aparelho tecnológico e conectada com seu próprio universo? Essa cena parece ter se tornado normal e rotineira e acaba sendo um vício checar o celular e verificar mensagens, mesmo quando se está acompanhado. É uma geração cibernética, viciada em redes sociais todo o tempo, interagindo virtualmente, mesmo estando em grupo, deixando os outros de lado e mantendo o mínimo de contato físico com as pessas ao redor. Talvez as pessoas tenham desaprendido as maneiras originais de socializar do terceiro lugar, desenvolvendo uma forma de interagir sem contato físico, criando uma espécie de comunicação virtual individualista e contemporânea, como refere Bauman: Diferentemente dos relacionamentos reais é fácil entrar e sair dos relacionamentos virtuais. Em comparação com a coisa autêntica, pesada, lenta e confusa, eles parecem inteligentes e limpos, fáceis de usar, compreender e manusear. Entrevistado a respeito da crescente popularidade do namoro pela Internet, em detrimento dos bares para solteiros e das seções especializadas dos jornais e revistas, um jovem de 28 anos da Universidade de Bath apontou uma vantagem decisiva da relação eletrônica: Sempre se pode apertar a tecla de deletar. (2004, p. 8). ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

4 4 3. O individualismo O individualismo, na maioria das vezes, tem um conceito pejorativo de racionalização e egoísmo, quando, na verdade, também estabelece direitos segundo a visão de Singly. Para esse autor, o individualismo é um humanismo, onde cada ser humano pode se desenvolver e tornar-se ele mesmo, desapegando-se o máximo possível das restrições sociais impostas. (2001, p. 11). Para Bauman a individualidade contemporânea é uma fatalidade e não uma escolha (2001). O autor comenta as transformações sociais aceleradas, consequentemente, a dissolução dos laços afetivos, o desapego e a provisoriedade dos seres humanos (2001). Bauman explica a misteriosa fragilidade dos vínculos humanos, o sentimento de insegurança que ela inspira e os desejos conflitantes (estimulados por tal sentimento) de apertar os laços e ao mesmo tempo mantê-los frouxos. (2004, p. 6). A manipulação social da ânsia pela transcendência é inevitável se a vida individual deve ser vivida e a vida em comum deve continuar - mas ela tende a incluir uma manipulação do excedente que desvia mais do que aproxima as chances que a vida cria. (BAUMAN, 2008, p. 12). A insegurança e a desconfiança também podem ser uma resposta a esse comportamento de individualidade cada vez mais presente. Como forma de defesa em uma sociedade cruel e ante a um governo ineficaz, a população fica mais introspectiva e opta por maior privacidade. Assim observa Pallasmaa conforme citação abaixo: Uma cultura que busca controlar seus cidadãos provavelmente promoverá a direção oposta de interação, saindo da individualidade da intimidade e identificação e indo para um isolamento físico e público. Uma sociedade controladora sempre é uma sociedade do olho voyeur e sádico. (PALLASMAA, 2011, p. 46, grifo nosso). O consumismo em massa, a busca incessante por comodidade, conforto e satisfação instantâneos fazem o ser humano se importar cada vez mais consigo e buscar o seu bem-estar imediato. Desde a entrada das nossas sociedades na era do consumo em massa, predominam os valores individualistas do prazer e da felicidade, da satisfação íntima, não mais a entrega da pessoa a uma causa, a uma virtude austera, à renúncia de si mesmo. (LIPOVETSKY, 2004, p. 23). É notável a tendência individualista das pessoas em ações muito rotineiras como ter um carro para uma só pessoa, morar sozinho, pois, mesmo em relacionamentos conjugais, muitos casais optam por morar separados, por exemplo. É óbvio que o individualismo não é o único motivo para todos esses acontecimentos listados, mas é possível visualizar características desse comportamento em diferentes ações diárias do ser humano. Na residência, o traço comportamental individualista fica em evidência na dinâmica que se estabelece nos relacionamentos, ou na ausência deles, no caso de apartamentos para uma pessoa, por exemplo, e como isso se traduz na necessidade de espaços arquitetônicos que são palco para esses convívios. ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

5 5 Dentre vários estudos da arquitetura de diferentes tipologias, principalmente residencial, existe um direcionamento dos projetos para a importância das percepções dos usuários no espaço. Uma das filosofias comentadas é a de Merleau-Ponty (1999), a fenomenologia, que é o estudo da essência da percepção e da consciência, entre outros conceitos mais aprofundados. Para o autor ter a experiência de uma estrutura não é recebê-la passivamente em si; é vivê-la, recolhê-la, assimilá-la, reencontrar seu sentido imanente. (MERLEAU- PONTY apud PALLAMIN, 1996, p. 42). Com ideias semelhantes sobre a percepção da arquitetura, Botton (2007) comenta acerca de uma arquitetura que seria projetada para afastar a mente dos fenômenos e orientá-la para as essências. Nosso domicílio se torna integrado à nossa autoidentidade; ele se torna parte de nosso corpo e ser. (PALLASMAA, 2011, p. 68). A arquitetura é um abrigo, muito mais do que um espaço que responde às necessidades do ser humano; um ambiente correspondente aos seus comportamentos, mas também uma estrutura quase viva, mutante, de acordo com a atualização das formas de vida do indivíduo. Na era dos computadores, deseja-se viver na casa dos avós. Essa nostalgia reflete o desvinculamento cultural com a contemporaneidade. A retomada dos reais anseios físicos e psicológicos é um passo para que a casa sirva às aspirações humanas e poéticas. Verifica-se, então, que a grandeza da arquitetura se reflete mais no poder de conceber aquilo que é casa, do que a habilidade em se desenhar uma casa. A casa só é desenhada depois de concebida e aí é que começa então o ato de se fazer arquitetura. (PODESTÁ, 2000, p. 15). 4. Breve histórico da arquitetura residencial brasileira Em meados do século XIX, a casa urbana brasileira abrigava geralmente uma sala de recepção, em alguns casos, a oficina, ou loja, os dormitórios, também chamados de alcovas, a cozinha e a instalação sanitária, nos fundos da casa, chamada casinha. (LEMOS, 1996). Nesse período e durante muitos anos, os dormitórios eram amplos e abrigavam todos os filhos da casa e algumas dividiam os dormitórios dos filhos de acordo com o sexo, mas independentemente da idade, eles permaneciam convivendo juntos, com suas diferenças, até o momento de saírem de casa, geralmente quando casavam. De acordo com Lemos, as características portuguesas das casas brasileiras foram sofrendo adaptações ao longo dos anos, e, no século XX, as influências ecléticas foram se estabelecendo pela via do neocolonialismo com tendências francesas. Na década de 20 do século XX, a copa se torna o ambiente de estar preferido da família (LEMOS, 1996). A sala de estar torna-se um espaço mais esporádico, e em razão do rádio, a família opta por reunir-se na copa e ali desfrutar da novidade tecnológica da época. Na visão de Lemos (1996), com a popularização da televisão em 1950, a sala de estar muda de configuração, ganha novos mobiliários, sofás mais confortáveis e se torna um living room. O velho rádio na copa, aos poucos é substituído pela sala de estar, ou living room, e a televisão. Será que o living room está sendo substituído, na contemporaneidade, por dormitórios com rádio, televisão, internet e toda a infraestrutura necessária para que não precise sair do ambiente? Um fato interessante, também, é que a geração da década de 60, 70 e 80 do século XX, pôde ter mais acesso às universidades e houve, de forma geral, uma mudança nas zonas rurais, no interior e nas periferias das cidades, para os centros urbanos. Anteriormente, viviam nos ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

6 6 modelos usuais de casa, tendo os quartos divididos entre os irmãos. Nessa mudança para a cidade se estabeliciam um novo pensamento e um desejo de desvinculação com algumas coisas do passado que remetiam à pobreza ou a costumes antiquados para o novo estilo de vida proposto pela modernidade. Olhando sob essa ótica, o fato de pais dessa geração poderam proporcionar a seus filhos espaços separados, cada um com seu dormitório, talvez com suíte, é uma questão de status. O individualismo contemporâneo virtual e a falta de relacionamento e de convívio familiar chegam posteriormente. É importante observar os fatores que desencadearam os desenvolvimentos antropológico, social e econômico da humanidade. Eles escrevem a história movimentando várias áreas da sociedade, inclusive a arquitetura, que se movimenta e muda, e os arquitetos devem estar atentos a essas mudanças. Lemos dá conta de que: 4.1 O individualismo e o espaço residencial Hoje, numa só casa, principamente onde há muitos jovens, existe uma infinidade de aparelhos disponíveis. Agora, os decoradores já sabem que os dormitórios dos moços deverão receber um tratamento adequado com mobiliário que permita a superposição das atividades de estudo, lazer e descanso. A casa seria fragmentada em várias zonas de estar de uso exclusivo, atreladas a uma zona de lazer e comer comunitária. Enfim, antigamente, as famílias rezavam unidas; hoje seus membros ouvem separados... Enfim, a família moderna está estruturada de modo diferente. Novos hábitos emanados de uma nova tecnologia que alterou fundamentalente os meios de comunicação. Os programas de nenecessidade modernos são realmente diversificados daqueles de vinte ou trinta anos atrás. (1996, p. 73). A residência é o espaço-base do ser humano, o lar, onde ele deveria se sentir mais à vontade, mais confortável. Em todas as atividades desempenhadas, a arquitetura estará acompanhando o usuário, não somente como cenário, mas como agente participativo e servidor das ações realizadas. Segundo Pallasmaa (2011), a arquitetura inicia, direciona e organiza o comportamento e o movimento em uma residência. O espaço arquitetônico é um espaço vivenciado, e não um mero espaço físico, e espaços vivenciados sempre transcendem a geometria e a mensurabilidade. (PALLASMAA, 2011, p. 60). Villa (2006) ensina que o aumento populacional criou um défice habitacional em São Paulo, entre 1920 e 1930, gerando a demanda de apartamentos com apenas um dormitório e um banheiro, sem os habituais cozinha, sala e dormitórios. Em proporções menores, o défice habitacional também atingiu, com o passar dos anos, outras cidades do País, inclusive, as do interior. O aumento populacional acelerado, aliado à exploração imobiliária, consequentemente, gerou novas demandas nos programas voltados às necessidades funcionais das residências. A sobreposição de funções, devido à valorização do espaço, e as próprias destinações de cada ambiente já não são necessariamente as mesmas se comparadas com modelos das últimas três décadas. Além disso, os perfis familiares também já não são os mesmos nem suas dinâmicas de relacionamento diário, como se lê: A família tem passado por mudanças estruturais que têm influenciado os espaços residenciais e criado demandas novas e distintas de moradia. Talvez a principal alteração foi a conquista da privacidade o grupo familiar tem deixado de ser um grupo doméstico controlado por uma pessoa para ser um encontro de indivíduos e ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

7 7 vidas individuais, significando que o espaço doméstico tem de responder de outra forma a essas solicitações. (VILLA, 2006, s/p). Em vista dos novos tipos de relacionamento que se estabelecem dentro de uma casa, ou mesmo, a intenção de manter poucos relacionamentos, cresce o número de residências inspiradas nos modelos de lofts, flats e quitinetes. Um exemplo é Caxias do Sul, segunda maior cidade do interior do Rio Grande do Sul, que tem assistido a um aumento populacional acelerado nas últimas décadas. O município, de acordo com a Gazeta de Caxias (2012), aumentou sua população, que era de cerca de 435 mil habitantes, para 465 mil ao longo de três anos. Com esse aumento e as mudanças urbanas, o mercado imobiliário vai se moldando a modelos contemporâneos de arquitetura, inclusive residencial, como o da figura abaixo, de uma quitinete de classe média, que comportaria uma, ou no máximo, duas pessoas. Figura 1 Residencial Du Lac. Planta baixa pavimento tipo, planta baixa apartamentos, perspectiva Fonte: Imóveis Liv (2013). O tipo loft tem uma intenção muito parecida com o da quitinete, mas, nesse caso, o espaço está mais direcionado à individualidade total por conta da falta de privacidade do ambiente. O espaço é mais aberto, sem divisórias, equipado para uma pessoa. Esse tipo de residência era mais adotado por estudantes. Hoje, os lofts são muito procurados por pessoas solteiras, que geralmente trabalham muito, ficam pouco tempo em casa e, quando saem com a família ou amigos, optam por locais públicos. Além disso, a exploração imobiliária faz com que os imóveis escolhidos sejam cada vez menores, e os bairros de moradia sejam mais centrais e mais nobres. A figura 2 demonstra um exemplo de loft dentro de um conceito nomeado pelo próprio nome do complexo Live & Work. Esse conjunto de edifícios em Curitiba associa atividades comerciais a residenciais com diferentes tipos de planta baixa, oferecendo conforto e praticidade, em uma cidade que já sofre com problemas de défice urbano, exploração imobiliária e trânsito congestionado. ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

8 8 Figura 2 Empreendimento de múltiplo uso 7 th Avenue Live & Work. Planta baixa loft e perspectiva Fonte: Grupo Thá (2011). O crescimento do número de opções de residência para uma ou duas pessoas revela o novo contexto social contemporâneo, posto que as pessoas optam por morar sozinhas, muitos casais optam por não ter filhos e morar em uma habitação menor. Talvez esse não seja um traço individualista por si, mas mostra a valorização do ser individual e a influência dessa mudança de comportamento em uma demanda de tipologia residencial de planta baixa cada vez mais solicitada nas cidades. Inserida na tipologia residencial, existe a chamada planta livre que é uma opção de planta baixa que oferece flexibilidade de leiaute organizacional. Essa é uma solução interessante para residências cada vez mais personalizadas e que dão liberdade ao cliente final de poder criar e gerar o seu espaço de acordo com suas necessidades, respeitando os ambientes-base, a instalação hidrossanitária e a chegada da instalação elétrica na edificação. A casa-núcleo de Mies Van Der Rohe é um exemplo modernista (1950) de uma residência com o modelo de planta livre, que já atendia às necessidades habitacionais da época. (COLOMBO, 2011). Com o aumento da industrialização e, principalmente depois da Segunda Guerra Mundial, a demanda por mais moradias aumentou. Sem subsídios terceirizados, o arquiteto começou um estudo sobre o que seria uma casa ideal, inclusive, no quesito custo, para uma nova classe de trabalhadores, que necessitava de mais ou menos cômodos, de acordo com o seu perfil familiar. ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

9 9 Figura 3 Casa-núcleo. Perspectiva e planta baixa Fonte: Colombo (2011). O modelo com base em planta livre continua sendo adotado como uma opção para famílias, ou pessoas solteiras, que pretendem mais tarde mudar o tamanho dos ambientes de sua casa, sem necessariamente fazer grandes reformas ou alterar a estrutura. A demanda que foi gerada devido a motivações econômicas, urbanas e sociais, agora está mais voltada à individualidade, à personificação total dos projetos, com flexibilidade quanto às mudanças e funções e à necessidade do consumidor contemporâneo de alterações instantâneas. A figura que segue mostra uma residência contemporânea (como exemplo de planta livre), podendo acrescentar e mudar ambientes com divisórias de correr ou móveis. Figura 4 Casa Xan. Foto, planta baixa térreo, planta baixa pavimento superior Fonte: Melendez (2014). ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

10 10 Nas residências unifamiliares de classe média e alta, a maioria dos dormitórios é projetada para que os moradores tenham o máximo de autonomia possível em relação ao restante da casa. O quarto é quase um flat, com televisão, computador, internet, videogame, banheiro, escritório e, se possível, frigobar. A intenção, além de oferecer muito conforto, é que o usuário saia o mínimo necessário do seu quarto. Muitas residências, sejam elas casas no modelo de sobrados, ou apartamentos de classe média e média alta, são oferecidas pelas imobiliárias com um banheiro por dormitório. Geralmente, essa característica é a que mais se destaca e dá status ao imóvel. Mesmo que a área dos ambientes seja reduzida e quanto mais ambientes individualizados, com funções definidas, como as suítes, a unidade residencial possa oferecer, mais valor terá o edíficio. No exemplo da figura 5, observa-se a planta baixa de uma apartamento com três suítes na cidade de Curitiba. Figura 5 Planta baixa do Edifício Mandala Fonte: Grupo Thá (2013). Os ambientes de convívio e de possível relacionamento fisico da família tornam-se espaços pouco utilizados, mais direcionados às visitas e, sem notar, a família se distancia dentro da mesma casa. Interessante é observar, que a cozinha, que há algumas décadas também servia de espaço de convívio, hoje é mais um ambiente da zona de serviço da casa. Além disso, as cozinhas são muito mais utilizadas para refeições rápidas, e as sacadas têm sido fechadas com vidro ou, nas casas, os pátios abrigam quiosques e espaços semelhantes, dando lugar para os conhecidos espaços gourmets, com churrasqueia e pia. Nesse espaço, sim, o convívio seria propício, mas sugere algo mais alternativo e esporádico. Geralmente, nas novas configurações de residência, a sala de estar é também a sala de televisão, e se conjuga com a sala de jantar que também, serve de copa. É a sobreposição de funções dos ambientes, mas que, com o tempo, notou-se a ausência de algumas funções. A copa, muito usual na década de 20 do século passado (LEMOS, 1996), usada diariamente, não é mais tão necessária, pois as refeições são rápidas ou feitas fora de casa. A sala de jantar é suficiente. A sala de estar, apenas para receber convidados é um luxo, presente apenas em ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

11 11 casas de classe alta. As salas de televisão vão ganhando importância, não no tamanho, mas no mobiliário, com um programa de necessidades voltado a um home theater. O único local comum da casa, espaço de reunião, que ultimamente tem sido chamado de living, justamente por ser o local de encontro dos moradores, têm no seu programa de necessidades demandas prioritárias mais específicas para momentos de relaxamento e introspecção dos usuários, apresentação de filmes, ou seja, momentos sem maior interação, deixando como aspecto secundário a intenção de dinâmicas de socialização. O apartamento em Florianópolis da figura 6 ilustra um apartamento típico de área limitada, com ambientes pequenos, duas suítes, e uma sala com as funções juntas. Figura 6 Planta baixa do Edifício Naval Clube. Foto living Fonte: Koerich Imóveis (2013) A quantidade de cômodos de uma casa normalmente poderia estar relacionada não só ao perfil comportamental da família, mas ao seu perfil econômico. É sabido que no século XXI, com o défice populacional e a exploração imobiliária o tamanho da propriedade comparada à classe do proprietário não é diretamente proporcional. O fato é que, normalmente, se o cliente tiver mais poder aquisitivo, se puder solicitar ao seu arquiteto, ou puder procurar com seu corretor uma residência com mais cômodos, é por este último que ele vai optar. Mesmo em residências com área reduzida, como nos exemplos das figuras acima, os usuários têm optado por leiautes com mais divisórias e espaços individualizados para cada habitante da casa. Assim cada um tem a opção de ficar mais reservado e desfrutar de maior privacidade. Na contemporaneidade, a oportunidade de ter privacidade e a individualização dos projetos são vistos como privilégio. Em algumas exceções, as famílias, mesmo tendo a possibilidade de ter mais cômodos e deixar cada filho em seu dormitório, com seus equipamentos, a dinâmica familiar estabelecida é de deixar os filhos se relacionarem via divisão dos ambientes, dividindo o mesmo dormitório e tendo menos aparelhos, como televisão e computador na residência. É o caso da residência de uma família em Florianópolis, que tem três filhas com idades diferentes, que dormem no mesmo dormitório, mesmo morando em uma casa com cinco quartos. O quarto das meninas não tem computador, nem televisão, já que a casa só tem duas televisões: uma no quarto do casal e outra na sala, onde é habitual a família reunir-se para todos juntos conversarem, assistirem aos mesmos programas de televisão e comer. Sobre o perfil familiar, incluindo hábitos e o porquê de suas escolhas, ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

12 12 baseadas no desejo de que as filhos aprendessem em casa o valor de se relacionarem e de dividir com os outros, foi colocado um anexo (ANEXO A) neste estudo, com o depoimento da mãe das meninas e sua percepção crítica como agente de mudança desse espaço. 5. Conclusão Com este estudo breve sobre as mudanças havidas na comunicação virtual e o crescente individualismo causado pelos novos perfis de relacionamento contemporâneos, foi possível identificar algumas influências desse comportamento na arquitetura de interior residencial. A contemporaneidade propõe uma vida consumista e tecnológica que permite relacionamentos virtuais rápidos e não físicos, criando novos tipos de laços afetivos, ou seja, mais superficiais. Esse tipo de socialização afeta os perfis familiares e o cotidiano dos indivíduos. Sem fazer uma crítica ao individualismo, buscou-se indentificar traços dessa conduta, saber por que ela tem sido mais evidente nos dias de hoje e de que forma está associada aos meios de comunicação, à tecnologia e ao mundo virtual. Pela análise rápida da história das residências brasileiras, pode-se observar que mudanças na importância dos ambientes, sempre aliada à transformação de sua dimensão, à localização e ao mobiliário estão diretamente relacionadas aos principais eventos socioeconômicos e tecnológicos da população. Dessa forma, o individualismo influencia na arquitetura residencial, alterando os espaços usuais, deixando as plantas baixas residenciais cada vez mais divididas, com espaços individualizados e com menos ênfase aos ambientes de convivência. A tendência de residências menores, com modelos para pessoas solteiras ou casais sem filhos aumentam, e as dinâmicas familiares não são mais as mesmas. Logo, os modelos de plantas baixas devem ser repensados. Os arquitetos seguem os pedidos dos clientes e acabam projetando ambientes individualizados e superequipados. São quase flats dentro de uma casa maior, tamanha é a independência dos dormitórios, ou suítes, das residências contemporâneas de classe média e alta. Os próprios arquitetos devem alertar os seus clientes sobre como vai acontecer a dinâmica cotidiana nesses espaços. O profissional tem a hablidade de perceber, apenas olhando o projeto e o perfil de seus usuários, como cada um vai conviver naquele lugar. O arquiteto deve se conscientizar das mudanças que ocorrem na contemporaneidade, bem como, das tranformações comportamentais do ser humano e de como isso vai alterar a essência do projeto arquitetônico e traduzir isso tudo para a linguagem do cliente, de forma que ele compreenda e tome as melhores decisões acertadas para a melhor opção de um lar. Referências BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, BAUMAN, Zygmunt. Amor líquido: sobre a fragilidade dos laços humanos. Rio de Janeiro: J. Zahar, ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

13 13 BAUMAN, Zygmunt. A sociedade individualizada. Rio de Janeiro: J. Zahar, BOTTON, Alain de. A arquitetura da felicidade. Rio de Janeiro: Rocco, COLOMBO, Luciana Fornari. A casa-núcleo de Mies Van Der Rohe: um projeto teórico sobre a habitação essencial Disnponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/11.130/3782>. Acesso em: 14 mar FLORO, Paulo. Internet é o segundo meio de comunicação mais usado pelos brasileiros Disponível em: <http://blogs.ne10.uol.com.br/mundobit/2014/01/12/internet-e-osegundo-meio-de-comunicacao-mais-usado-pelos-brasileiros/>. Acesso em: 17 mar GAZETA DE CAXIAS. População. Caxias do Sul: WD Caxias, GRUPO THÁ. 7 th Avenue Live & Work Disponível em: <http://www.tha.com.br/portal/empreendimentos/seventhavenue/?gclid=ckyr96cfor0cfe99ogodpcqa1w#/plantas/>. Acesso em: 20 mar GRUPO THÁ. Mandala Disponível em: < Acesso em: 20 mar KOERICH IMÓVEIS. Naval Clube Residencial. Disponível em: <http://www.koerichimoveis.com.br/empreendimentos/naval.html#estagio> Acesso em: 20 mar LEMOS, Carlos. História da casa brasileira. São Paulo: Contexto, LIMA, Eliomar de. IBGE: em 10 anos, número de computadores triplica nos domicílios do Brasil. Disponível em: <http://blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/ibge-em-10-anos-numerode-computadores-triplicam-nos-domicilios-do-brasil/> Acesso em: 14 mar LIPOVETSKY, Gilles. Metamorfoses da cultural liberal: ética, mídia e empresa. Porto Alegre: Sulina, MELENDEZ, Adilson. Equilíbrio sobre a empena. Revista Projeto, Ed São Paulo: Arco, MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: M. Fontes, PALLAMIN, Vera. Forma e percepção: considerações a partir de Maurice Merleau-Ponty. São Paulo: Fauusp, PALLASMAA, Juhani. Os olhos da pele. Porto Alegre: Bookman, ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

14 14 PODESTÁ, Sylvio Enrich de. Casas. Belo Horizonte: AP Cultural, RECUERO, Raquel da Cunha. A internet e a nova revolução na comunicação mundial Disponível em: < Acesso em: 7 mar SINGLY, François de. L individualisme est un humanisme. Lille: L Aube, VILLA, Simone Barbosa. Mercado imobiliário e edifícios de apartamentos: produção de espaço habitável do século XX Disponível em: <http://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/07.078/297>. Acesso em: 15 mar Anexo Anexo A - Depoimento sobre experiência dos dormitórios dos filhos em uma residência unifamiliar: Meu nome é Karen Lopes Wild, sou formada em Direito e pós-graduada em Gestão ambiental e Dinâmica de grupos. Tenho 46 anos, sou casada e tenho três filhas: Hannah, (19), Joanna (17) e Maria (9). Na minha experiência de infância, sempre dividi meu quarto com minha irmã, o que nos ajudou a tornarmo-nos amigas e confidentes. Mais tarde, ao fazer intercâmbio estudantil por um ano, minha família americana também me colocou para dividir quarto com minha irmã americana o que nos aproximou muito. Até hoje mantemos contato e desenvolvemos um sentimento de cumplicidade que mesmo 29 anos depois ainda compartilhamos assuntos do coração e da vida. Quando nossas filhas nasceram, por causa do espaço físico, elas dividiram o quarto. Quando nos mudamos e poderíamos tê-las em quartos diferentes, optamos por ter espaços coletivos para as duas: um quarto de brinquedos, mais livre, e o quarto de dormir. Nesta época só tínhamos as duas mais velhas. Mais tarde, quando chegou a caçula com diferença de 10 anos para a mais velha e de 7 para a filha do meio, por questões de horários de amamentação, necessidade de mais sono, rotinas diferentes, ela teve um quarto exclusivo até ir para a escolinha, com 1 ano e 10 meses, quando ela foi promovida a dormir com as mais velhas. Fato muito importante, na vida das três. O quarto da neném, então, se tornou um lugar de estudos, ganhou mesa, estante, livros e os brinquedos da caçula. Posteriormente, quando estávamos reformando uma casa bem maior, o que oportunizaria que cada uma tivesse seu quarto, nós conversamos com elas sobre vantagens e desvantagens de terem um quarto para cada uma. Na época elas titubearam com a possibilidade e pra mim foi difícil a espera do que elas decidiriam, mas confesso que fiquei MUITO feliz quando elas optaram em continuar a dividir o mesmo quarto. Nós as recompensamos com um belíssimo closet coletivo onde cada uma tinha um espaço, muitos espelhos, banheiro para as três, e no quarto, cada uma ganhou seu espaço e estante. Elas dividiam o ambiente, mas cada uma tinha o seu espaço, bem como o seu closet. Fácil identificar de quem era a bagunça e as características individuais de cada uma. ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

15 15 Elas continuam dividindo o mesmo ambiente e o closet e se dividem legal nele. Muitas vezes, quando algumas invasões acontecem: usar algo da outra sem pedir (perfumes, bijus, roupa, cintos, bolsas), invadir o espaço da outra jogando algo na cama ou estante de quem não é a dona, o tempo costuma fechar e avisamos que se continuar a acontecer o delito o lesado poderá mudar-se para o quarto de hóspedes, indefinidamente. Em geral, com esta possibilidade, os espaços se organizam e quem lesava trata logo de se reavaliar para não perder a companhia da irmã. Até aqui tem dado certo e percebo alguns acertos com esta decisão: 1) Recentemente, nossa filha mais velha passou um tempo estudando fora de casa. Neste lugar, ela teve que dividir o quarto com outra colega. O relato dela é que a colega, que sempre teve quarto individual, espalhava-se e invadia o espaço dela, nunca sabia onde estavam suas coisas e tinha dificuldade em respeitar espaços. A Hannah contou que apesar de sua bagunça pessoal, suas coisas estavam sempre nos espaços limitados que lhe pertenciam: em cima da sua cama, na sua metade da mesa, na sua metade do armário, etc. Ela relatou que isto aconteceu naturalmente devido a ter sempre dividido espaços com as irmãs. 2) Antigamente os filhos saíam de casa mais cedo. Hoje por toda a situação econômica os espaços estão mais mesclados. Os filhos vivem a individualidade de sua vida adulta nos espaços antes regidos pelos pais, hoje mais compartilhados. Existe uma adaptação mútua a esta situação. Creio que muito do conforto e individualidade dos filhos na casa paterna facilita o acomodar-se a situações e os filhos não se dispõem a correr riscos sem necessidade, sendo que o ninho os supre tão bem. Tenho notado que nas conversas familiares existe um desejo subjacente na fala das mais velhas: crescerem, ficarem independentes e terem seu espaço. Sonham em poderem se visitar e até planejam como vão receber umas às outras, bem como o restante da família e amigos. Já imaginam as características da casa de cada uma, etc. Penso que talvez o fato de não terem isto agora, o desejo de saírem do ninho e alçarem o voo seja mais crescente, porém isto ainda é uma hipótese que só no futuro poderei olhar para o passado e ver se foi acertado ou não. Na figura 7, é possível observar o quarto atual das meninas. ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

16 16 Figura 7 Dormitório das filhas da família Wild Fonte: Wild (2014). ISSN Revista Especialize On-line IPOG - Goiânia - 8ª Edição nº 009 Vol.01/2014

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

Construindo do seu jeito

Construindo do seu jeito Construindo do seu jeito Editorial Construindo do seu jeito Qual o seu estilo de viver? Com liberdade ou prefere exclusividade? Preza pela comodidade, tecnologia, estética ou funcionalidade? Não precisa

Leia mais

A RottaEly é uma construtora focada em oferecer o melhor para os clientes, com exclusividade e inovação. Desde a localização do empreendimento até os

A RottaEly é uma construtora focada em oferecer o melhor para os clientes, com exclusividade e inovação. Desde a localização do empreendimento até os capa A RottaEly é uma construtora focada em oferecer o melhor para os clientes, com exclusividade e inovação. Desde a localização do empreendimento até os menores detalhes, a empresa busca em seus projetos

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

Registro de Incorporação Nº R-4-36.611 no 3º Ofício de Registro de Imóveis de Blumenau.

Registro de Incorporação Nº R-4-36.611 no 3º Ofício de Registro de Imóveis de Blumenau. Registro de Incorporação Nº R-4-36.611 no 3º Ofício de Registro de Imóveis de Blumenau. Imagens meramente ilustrativas. Perspectiva artística da fachada. As tonalidades das cores apresentadas podem sofrer

Leia mais

Investimento para Mulheres

Investimento para Mulheres Investimento para Mulheres Sophia Mind A Sophia Mind Pesquisa e Inteligência de Mercado é a empresa do grupo de comunicação feminina Bolsa de Mulher voltada para pesquisa e inteligência de mercado. Cem

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Diferenciais da venda de imóveis

Diferenciais da venda de imóveis Diferenciais da venda de imóveis Conhecimento é a palavra chave para vender imóveis, conquistar e fidelizar clientes! Saiba mais neste informativo que o portal QImóveis elaborou em conjunto com o consultor

Leia mais

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ

PROGRAMA JOVEM APRENDIZ JOVEM APRENDIZ Eu não conhecia nada dessa parte administrativa de uma empresa. Descobri que é isso que eu quero fazer da minha vida! Douglas da Silva Serra, 19 anos - aprendiz Empresa: Sinal Quando Douglas

Leia mais

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? 1 Sandra Gaspar de Sousa Moura RESUMO Este artigo tem a finalidade de mostrar a importância das relações interpessoais dentro do ambiente escolar e como os sujeitos

Leia mais

O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE

O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE 20 a 24 de outubro de 2008 O COMPORTAMENTO DE CONSUMO VIRTUAL COMO EXPRESSÃO DA SUBJETIVIDADE NA CONTEMPORANEIDADE Jaqueline Reinert Godoy 1, Gláucia Valéria Pinheiro de Brida 2 RESUMO: O consumo virtual

Leia mais

?- Período em que participavam das aulas.

?- Período em que participavam das aulas. Iniciativa Apoio como foi a campanha HISTÓRIAS EX ALUNOS 1997 2013 as perguntas eram relacionadas ao:?- Período em que participavam das aulas. - Impacto que o esporte teve na vida deles. - Que têm feito

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

Apartamentos Disponíveis em Salvador

Apartamentos Disponíveis em Salvador Apartamentos Disponíveis em Salvador Não é surpresa que um apartamento em Salvador seja a escolha de muitos compradores que querem viver ou investir nessa linda cidade litorânea. Tem tudo o que um investidor

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Nossos internautas: São bem formados e informados. Frequentadores assíduos do site 58% 52% 53%

Nossos internautas: São bem formados e informados. Frequentadores assíduos do site 58% 52% 53% Audiência Nossos internautas: São bem formados e informados Frequentadores assíduos do site Usam a internet para pesquisar preços e fazer compras Têm renda própria 58% 52% dizem que o site faz parte de

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2012 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 14% da população,

Leia mais

Mude seu ponto de vista sobre como morar

Mude seu ponto de vista sobre como morar Mude seu ponto de vista sobre como morar De tempos em tempos a humanidade descobre uma nova perspectiva de vida. A mente cria desejos. Desejos que abrem espaços. Espaços que se transformam em novos enfoques.

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Valéria Grace Costa ***, Antônio Cláudio Moreira Lima e Moreira, Suzana Pasternak, Maria de Lourdes Zuquim, Simone Cotic Clarissa Souza, Letícia

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es).

Trabalho apresentado no III Congresso Ibero-americano de Psicogerontologia, sendo de total responsabilidade de seu(s) autor(es). A QUALIDADE DE VIDA SOB A ÓTICA DAS DINÂMICAS DE MORADIA: A IDADE ENQUANTO UM FATOR DE ACÚMULO DE ATIVOS E CAPITAL PESSOAL DIFERENCIADO PARA O IDOSO TRADUZIDO NAS CONDIÇÕES DE MORADIA E MOBILIDADE SOCIAL

Leia mais

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail...

Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... FACEBOOK Sumário Aspectos Básicos... 3 Como Empresas usam o Facebook... 3 Introdução ao Facebook... 4 Criando um Cadastro... 5 Confirmando E-mail... 8 Características do Facebook... 10 Postagens... 11

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

Associação Lar do Neném

Associação Lar do Neném Criança Esperança 80 Associação Lar do Neném Recife-PE Marília Lordsleem de Mendonça Abraço solidário Todas as crianças são de todos : esse é o lema do Lar do Neném, uma instituição criada há 26 anos em

Leia mais

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013

MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 AV1 Estudo Dirigido da Disciplina CURSO: Administração Escolar DISCIPLINA: Educação Inclusiva ALUNO(A):Claudia Maria de Barros Fernandes Domingues MATRÍCULA: 52862 DATA: 15/09/2013 NÚCLEO REGIONAL: Rio

Leia mais

estão em evidência hoje?

estão em evidência hoje? estão em evidência hoje? delas. Muito antes de entender quem eram e como pensavam as mulheres, percebemos que era fundamental identificar as diferenças comportamentais entre homens e mulheres. Afinal,

Leia mais

Roteiro VcPodMais#005

Roteiro VcPodMais#005 Roteiro VcPodMais#005 Conseguiram colocar a concentração total no momento presente, ou naquilo que estava fazendo no momento? Para quem não ouviu o programa anterior, sugiro que o faça. Hoje vamos continuar

Leia mais

SE SUA VIDA ESTÁ NO CENTRO DE TUDO, O FOCO É VIVER BEM.

SE SUA VIDA ESTÁ NO CENTRO DE TUDO, O FOCO É VIVER BEM. SE SUA VIDA ESTÁ NO CENTRO DE TUDO, O FOCO É VIVER BEM. Qualidade de vida. É o que todos procuramos, mas, para alcançá-la, dependemos de vários fatores. E todos esses fatores estão somados neste novo empreendimento

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

paraíso Novo rumo no Inspiração one experience Relatos de quem tem história

paraíso Novo rumo no Inspiração one experience Relatos de quem tem história Novo rumo no paraíso Como uma viagem para a ilha de Saint Barths fez a mercadóloga Jordana Gheler trocar a carreira que tinha no Brasil por outra muito mais ensolarada [ depoimento concedido a Ana Luiza

Leia mais

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica

BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica BRINCAR É UM DIREITO!!!! Juliana Moraes Almeida Terapeuta Ocupacional Especialista em Reabilitação neurológica PORQUE AS CRIANÇAS ESTÃO PERDENDO TODOS OS REFERENCIAIS DE ANTIGAMENTE EM RELAÇÃO ÀS BRINCADEIRAS?

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

O poder da conquista

O poder da conquista O poder da conquista VOCÊ E SUA FAMÍLIA VIVENDO ESSA VITÓRIA. Imperator era o título das pessoas que atingiam o mais alto nível de poder na época da República Romana. Hoje você pode conquistar esse lugar

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Nos próximos. 30 minutos. 1 Objetivos 2 Metodologia 3 Perfil do Consumidor 4 Processo de Decisão 5 Conclusões

Nos próximos. 30 minutos. 1 Objetivos 2 Metodologia 3 Perfil do Consumidor 4 Processo de Decisão 5 Conclusões Nos próximos 30 minutos 1 Objetivos 2 Metodologia 3 Perfil do Consumidor 4 Processo de Decisão 5 Conclusões Objetivos do estudo Buscando melhor entender a demanda e relevância da internet no processo de

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO

DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO DIRETRIZES PARA O GERENCIAMENTO DA FLEXIBILIDADE DE PROJETOS ARQUITETÔNICOS UM ESTUDO DE CASO Patrícia Moschen (1); Roberto de Oliveira (2); Mayra Soares de Mesquita Mororó (2); Luiz Fernando Mählmann

Leia mais

Sistema de Ensino CNEC

Sistema de Ensino CNEC 1 SUMÁRIO VOLUME 1 "O homem é um pedaço do Universo cheio de vida." Ralph Waldo Emerson Capítulo 1 O Tempo não para 5 Capítulo 2 Você percebendo-se como sujeito histórico 20 Capítulo 3 O Universo que nos

Leia mais

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial

O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial O poder da presença O valor empresarial da colaboração presencial Sumário executivo À medida que as organizações competem e crescem em uma economia global dinâmica, um novo conjunto de pontos cruciais

Leia mais

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO

PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO PORTAS E JANELAS: A LIGAÇÃO DA CASA COM O MUNDO É dito no ditado popular que os olhos de uma pessoa são as janelas de sua alma, trazendo este pensamento para uma residência, podemos entender que as janelas

Leia mais

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA)

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) REDE PRÓ-MENINO ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil CURSISTA: JACKELYNE RIBEIRO CINTRA MORAIS CPF: 014275241-06 ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) Características

Leia mais

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL

PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 1 RELATÓRIO FINAL PARA CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL PANORAMA SOCIAL Viviani Bovo Campinas - Brasil Panorama Social Viviani Bovo - Brasil 2 Relatório para Certificação

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo

Freelapro. Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Palestrante: Pedro Quintanilha Freelapro Título: Como o Freelancer pode transformar a sua especialidade em um produto digital ganhando assim escala e ganhando mais tempo Quem sou eu? Eu me tornei um freelancer

Leia mais

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída.

PROJETO RFU. Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. PROJETO RFU 1. Tema Chácara prática, com área social integrada e íntima preservada, para uma jovem família descontraída. 2. Contexto Casal com uma filha que moram na cidade e tem uma chácara para lazer.

Leia mais

O ESPAÇO DOMÉSTICO CONTEMPORÂNEO NO DESIGN DE INTERIORES: UMA RELAÇÃO FÍSICA, SOCIAL E SENSORIAL

O ESPAÇO DOMÉSTICO CONTEMPORÂNEO NO DESIGN DE INTERIORES: UMA RELAÇÃO FÍSICA, SOCIAL E SENSORIAL O ESPAÇO DOMÉSTICO CONTEMPORÂNEO NO DESIGN DE INTERIORES: UMA RELAÇÃO FÍSICA, SOCIAL E SENSORIAL Eliana Maria Tancredi Zmyslowski Mestranda Universidade Anhembi Morumbi eliana.zmyslowski@globo.com Resumo

Leia mais

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem

O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem O nascer do sol é um espetáculo que se repete todos os dias, mas sempre é diferente. Assistir a isso no melhor lugar do mundo é um privilégio de quem escolheu o Solar Tambaú. Localizado à beira-mar de

Leia mais

Grupo WTB Experiência e solidez

Grupo WTB Experiência e solidez Grupo WTB Experiência e solidez Fundado em 1999, o Grupo WTB teve um crescimento sustentado e prosperou ao longo dos anos. Hoje, sua marca está presente em vários empreendimentos de sucesso, contando com

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008

Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Rio de Janeiro, 10 de junho de 2008 Humberto Cordeiro Carvalho admitido pela companhia em 1 de julho de 1981. Eu nasci em 25 de maio de 55 em Campos do Goytacazes. FORMAÇÃO Segundo grau Escola

Leia mais

Folheto Informativo, Vol. 4, n.º 21. idos pais. Associação

Folheto Informativo, Vol. 4, n.º 21. idos pais. Associação Folheto Informativo, Vol. 4, n.º 21. idos pais Associação promoção do desenvolvimento, tratamento e prevenção da saúde mental Associação Edição online gratuita i dos pais. Folheto Informativo. Vol. 4,

Leia mais

O Capitão Avape contra o Fantasma Autismo

O Capitão Avape contra o Fantasma Autismo O Capitão Avape contra o Fantasma Autismo Esta é a segunda edição do manual sobre o autismo, elaborado pelo Grupo de Saúde Mental da Avape (Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência), em parceria

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

Nosso Planeta Mobile: Brasil

Nosso Planeta Mobile: Brasil Nosso Planeta Mobile: Brasil Como entender o usuário de celular Maio de 2013 1 Resumo executivo Os smartphones se tornaram indispensáveis para nosso cotidiano. A difusão dos smartphones atinge 26 % da

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

depois do sucesso de vendas do village caribe, a fmac Engenharia lança o village caribe ii. aproveite, pois algumas oportunidades nunca voltam.

depois do sucesso de vendas do village caribe, a fmac Engenharia lança o village caribe ii. aproveite, pois algumas oportunidades nunca voltam. depois do sucesso de vendas do village caribe, a fmac Engenharia lança o village caribe ii. aproveite, pois algumas oportunidades nunca voltam. mapa meramente ilustrativo com distâncias alteradas uma localização

Leia mais

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula.

Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Mídia e educação: O uso das novas tecnologias em sala de aula. Sabrine Denardi de Menezes da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha - Campus São Vicente do Sul RESUMO: A

Leia mais

Bem-vindo à Samambaia!

Bem-vindo à Samambaia! Bem-vindo à Samambaia! UMA DAS MELHORES CIDADES DO DF PARA MORAR Qualidade de vida Segurança Infraestrutura pronta Imagem meramente ilustrativa Aqui, a valorização é intensa. A nova joia do Distrito Federal.

Leia mais

CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens

CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens CONSTRUINDO A IDENTIDADE DE UMA EQUIPE Por: Veronica Ahrens Uma das definições mais simples e de fácil compreensão sobre equipes é: um conjunto de pessoas com um objetivo em comum. Esse objetivo também

Leia mais

Data 23/01/2008. Guia do Professor. Introdução

Data 23/01/2008. Guia do Professor. Introdução Guia do Professor Data 23/01/2008 Introdução A inserção de tópicos da Eletricidade nas escolas de nível básico e médio é fundamental para a compreensão de alguns fenômenos da vida moderna. Você já imaginou

Leia mais

UM BAIRRO QUE TEM TUDO. INCLUSIVE A ROTTAELY.

UM BAIRRO QUE TEM TUDO. INCLUSIVE A ROTTAELY. UM BAIRRO QUE TEM TUDO. INCLUSIVE A ROTTAELY. FUTURO COMPLEXO IMOBILIÁRIO CLUBE CET HIPERMERCADO AV. JOSÉ DE ALENCAR HOSPITAL MÃE DE DEUS CENTRAL de vendas rottaely PARQUE MARINHA DO BRASIL SHOPPING PRAIA

Leia mais

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES

RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES RODA DE CONVERSA SOBRE PROFISSÕES Kátia Hatsue Endo Unesp hatsueendo@yahoo.com.br Daniela Bittencourt Blum - UNIP danibittenc@bol.com.br Catarina Maria de Souza Thimóteo CEETEPS - catarinamst@netonne.com.br

Leia mais

Museu virtual e redes sociais: Uma possibilidade de interação com a comunidade

Museu virtual e redes sociais: Uma possibilidade de interação com a comunidade 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto

NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto 38 a. ASSEMBLEIA & 1º FORUM ANUAL 21 de Maio de 2010 NORMAS DE DESEMPENHO: Alinhamento da Arquitetura Brasileira aos Padrões Mundiais de Projeto Arquiteta Ana Maria de Biazzi Dias de Oliveira anabiazzi@uol.com.br

Leia mais

Gerações Y e Z: Juventude Digital. Geração Y (20 a 29 anos) Geração Z (12 a 19 anos) Target Group Index BrY11w1+w2 (Ago09-Jul10)

Gerações Y e Z: Juventude Digital. Geração Y (20 a 29 anos) Geração Z (12 a 19 anos) Target Group Index BrY11w1+w2 (Ago09-Jul10) Gerações Y e Z: Juventude Digital Quais são as gerações do Brasil? Geração Z 12 a 19 anos 11,6 milhões 18% 27% Baby Boomers acima de 46 anos 17,6 milhões 23% Geração Y 20 a 29 anos 15,3 milhões 32% Geração

Leia mais

48 Os professores optaram por estudar a urbanização, partindo dos espaços conhecidos pelos alunos no entorno da escola. Buscavam, nesse projeto, refletir sobre as características das moradias existentes,

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis.

Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis. Agora você pode morar perto da praia com o conforto e tranquilidade que sempre quis. Posto de gasolina Av. Santos Dummont Restaurante Fagulha Hotel Vila Galé Os bons tempos voltaram. Padaria Foto aérea

Leia mais

PRIMEIRA LINGUAGEM DE AMOR: PALAVRAS DE ENCORAJAMENTO

PRIMEIRA LINGUAGEM DE AMOR: PALAVRAS DE ENCORAJAMENTO 50 Nona Lição AS CINCO LINGUAGENS DE AMOR Alguma coisa em nossa natureza clama por sermos amados. No âmago da nossa existência há o íntimo desejo se sermos amados. O casamento foi idealizado para suprir

Leia mais

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL A CRIANÇA DE SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Por que a criança de seis anos no ensino fundamental? Porque, pelo que entendi, em minha vida inteirinha, para umas coisas serei grande, para outras, pequenininha.

Leia mais

E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1. Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3.

E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1. Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3. E-COMMERCE COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR FRENTE ÀS TRANSAÇÕES ON-LINE 1 Tahinan Pattat 2, Luciano Zamberlan 3. 1 Trabalho de conclusão de curso de Administração da Unijuí 2 Aluno do Curso de Administração

Leia mais

PAR. Torne-se um PAR para que sua vida seja ÍMPAR ACELBRA-RJ

PAR. Torne-se um PAR para que sua vida seja ÍMPAR ACELBRA-RJ PAR Torne-se um PAR para que sua vida seja ÍMPAR ACELBRA-RJ PAR Paciente Ativo e Responsável ACELBRA-RJ Ser um PAR celíaco Flávia Anastácio de Paula Adaptação do Texto de Luciana Holtz de Camargo Barros

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B

Mídias sociais como apoio aos negócios B2B Mídias sociais como apoio aos negócios B2B A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Sabe o que fazer na hora de comprar um imóvel? CONHEÇA SEIS DICAS FUNDAMENTAIS

Sabe o que fazer na hora de comprar um imóvel? CONHEÇA SEIS DICAS FUNDAMENTAIS Sabe o que fazer na hora de comprar um imóvel? CONHEÇA SEIS DICAS FUNDAMENTAIS introdução A aquisição de um imóvel é sempre um momento de muita alegria, mas tem também de muita atenção. Afinal, muito mais

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014

Atividades Pedagógicas. Agosto 2014 Atividades Pedagógicas Agosto 2014 EM DESTAQUE Acompanhe aqui um pouco do dia-a-dia de nossos alunos em busca de novos aprendizados. ATIVIDADES DE SALA DE AULA GRUPO II A GRUPO II B GRUPO II C GRUPO II

Leia mais

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP APLICABILIDADE DE ESTRUTURAS EM AÇO EM EDIFÍCIO RESIDENCIAL VERTICAL DE MÉDIO PADRÃO NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP Autores: Nayra Yumi Tsutsumoto (1); Cesar Fabiano Fioriti (2) (1) Aluna de Graduação

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO

PSICOLOGIA E DIREITOS HUMANOS: Formação, Atuação e Compromisso Social A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO A INFLUÊNCIA DO USO DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO COTIDIANO Dennys Rodrigues de Sousa* (Graduando em psicologia pela Faculdades Metropolitanas de Maringá - UNIFAMMA, Maringá-PR, Brasil); André Henrique Scarafiz,

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 38 Rosa está com 56 anos de idade e vive em um hospital psiquiátrico desde os 28 anos de idade. Em seu prontuário, encontra-se que ela é doente mental desde

Leia mais

Gestão do valor: fundamentos de marketing e satisfação do cliente

Gestão do valor: fundamentos de marketing e satisfação do cliente Gestão do valor: fundamentos de marketing e satisfação do cliente Carlos T. Formoso Professor e pesquisador do NORIE - UFRGS Conceito de marketing: visão ampla Identificação das necessidades dos clientes

Leia mais

CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE

CONDOMÍNIOS VERTICAIS RESIDENCIAIS NA CIDADE DE SÃO PAULO (2000-2008): CONDOMÍNIOS - CLUBE O gráfico das porcentagens do grau de importância da característica para a compra do imóvel revela que os consumidores levam em conta fatores diversos para efetuação desta. Gráfico 9: Percentual do grau

Leia mais

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE

A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Aline Trindade A LIBERDADE COMO POSSÍVEL CAMINHO PARA A FELICIDADE Introdução Existem várias maneiras e formas de se dizer sobre a felicidade. De quando você nasce até cerca dos dois anos de idade, essa

Leia mais

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS

Crianças e Meios Digitais Móveis TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Crianças e Meios Digitais Móveis Lisboa, 29 de novembro de 2014 TIC KIDS ONLINE NO TEMPO DOS MEIOS MÓVEIS: OLHARES DO BRASIL PARA CRIANÇAS DE 11-12 ANOS Educação para o uso crítico da mídia 1. Contexto

Leia mais

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças

A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças A BONITEZA DO OLHAR INFANTIL NA PERSPECTIVA EMANCIPADORA: Ensinar e aprender em diálogo com os saberes das crianças PADILHA, Aparecida Arrais PMSP cidarrais@yahoo.com.br Resumo: Este artigo apresenta uma

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg)

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Jornada de Aprendizado Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Promovendo os microsseguros: Educação Financeira Conteúdo

Leia mais

O Meireles sempre foi um lugar privilegiado. Você só não imaginava que. ele poderia ficar ainda mais. Está chegando ao bairro um empreendimento

O Meireles sempre foi um lugar privilegiado. Você só não imaginava que. ele poderia ficar ainda mais. Está chegando ao bairro um empreendimento O Meireles sempre foi um lugar privilegiado. Você só não imaginava que ele poderia ficar ainda mais. Está chegando ao bairro um empreendimento com o conforto e a elegância que você merece: o Splendido

Leia mais

O QUE É ECONOMIA VERDE? Sessão de Design Thinking sobre Economia Verde

O QUE É ECONOMIA VERDE? Sessão de Design Thinking sobre Economia Verde O QUE É ECONOMIA VERDE? Sessão de Design Thinking sobre Economia Verde Florianópolis SC Junho/2012 2 SUMÁRIO Resumo do Caso...3 Natureza do Caso e Ambiente Externo...3 Problemas e Oportunidades...4 Diagnóstico:

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

Manifeste Seus Sonhos

Manifeste Seus Sonhos Manifeste Seus Sonhos Índice Introdução... 2 Isso Funciona?... 3 A Força do Pensamento Positivo... 4 A Lei da Atração... 7 Elimine a Negatividade... 11 Afirmações... 13 Manifeste Seus Sonhos Pág. 1 Introdução

Leia mais

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA

AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing e Redes Sociais Aluno Max Diniz Cruzeiro O PODER DAS REDES SOCIAIS E SUA INFLUÊNCIA BRASÍLIA - DF 2014 AVM Faculdade Integrada MBA Executivo em Marketing

Leia mais

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA

MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA MATRIZ SWOT VANTAGENS DE SUA UTILIZAÇÃO NO COMÉRCIO VAREJISTA Daniela Vaz Munhê 1 Jenifer Oliveira Custódio Camara 1 Luana Stefani 1 Murilo Henrique de Paula 1 Claudinei Novelli 2 Cátia Roberta Guillardi

Leia mais