REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL THE WAY GRANJA VIANNA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL THE WAY GRANJA VIANNA"

Transcrição

1 REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL THE WAY GRANJA VIANNA Estrada Velha de Sorocaba, nº Jardim Semirames - Cotia/S.P CEP Este regulamento, aprovado pelos condôminos presentes na Assembléia Geral Extraordinária do Condomínio, realizada em 05 de Julho de 2007 tem como finalidade disciplinar à conduta e o comportamento de todos quantos residem neste Condomínio, complementando e na conformidade com o que determina a Lei nº de e de e outras posteriores, como também as determinações da Convenção Condominial. DOS DIREITOS /DEVERES/PROIBIÇÕES. I - SÃO DIREITOS DOS CONDÔMINOS: 1) Usufruir com tranqüilidade, conforto e segurança, das coisas e serviços comuns; 2) Participar ativamente nas relações e atividades condominiais, exprimindo a qualquer tempo e livremente suas opiniões cabíveis ao bem comum. Para tanto deverá registrá-las em livro próprio, disponível na zeladoria. II - SÃO DEVERES DOS CONDÔMINOS: 1) Conhecer, cumprir e fazer cumprir as Leis, a Convenção do Condomínio, o Regulamento Interno, as decisões administrativas do síndico, e, ainda as deliberadas em Assembléias Gerais, ordinárias ou extraordinárias; 2) Na locação de sua unidade autônoma, fazer anexar ao respectivo contrato de locação uma cópia deste regulamento, e, também, fazer constar do contrato uma cláusula explicitando a necessária e obrigatória observância ao mesmo; 3) Contribuir financeiramente para o custeio das coisas comuns, através do pagamento de sua respectiva quota-parte e da taxa de melhoria, destinadas à manutenção das facilidades e a aquisição, conservação, manutenção, modernização, reparação ou reconstrução das coisas comuns; 4) Comunicar a zeladoria, por escrito, com a assinatura do proprietário ou da administradora do imóvel, com firma reconhecida em cartório de notas, a data e hora da entrada da mudança, com antecedência mínima de dois (dois) dias úteis. 4.a) Para mudança de saída da unidade ou retirada parcial de móveis, equipamentos ou objetos de arte, para manutenção, reformas e outros fins, 1

2 dispensa-se à firma reconhecida, desde que a comunicação seja lançada de próprio punho pelo condômino, diretamente no livro de ocorrências do condomínio. Para a mudança também haverá a necessidade da antecedência de 2 (dois) dias úteis; 4.b) Para a saída definitiva da unidade residencial o Condômino ou a este equiparado (promitentes compradores e os cessionários de direitos relativos às unidades autônomas) deverá quitar todo e qualquer débito existente e caso não o faça, não será permitida a entrada do novo morador sem que referido débito seja pago. 4.c) Só será permitida a entrada ou saída de objetos volumosos ou mudanças, de segunda a sexta-feira das 8:00 horas às 18:00 horas e aos sábados das 9:00 horas às 13:00 horas, ficando proibidas aos domingos e feriados. 4.d) Ato contínuo à mudança, atualizar os dados cadastrais junto à Administração. 4.e) Se novo proprietário, apresentar a documentação de transmissão da propriedade e posse da unidade. 5). Permitir a entrada do síndico, subsíndico, subsíndicos de vias, membro do conselho ou do zelador, para inspeções relacionadas com o interesse coletivo que eventualmente se façam necessárias em sua unidade autônoma; 6). Informar imediatamente ao síndico, subsíndicos ou zelador, a incidência de moléstia infecto-contagiosa nas pessoas residentes em sua unidade autônoma; 7). Observar a velocidade máxima de 10 (dez) km/h nas áreas de circulação interna e ao sair da garagem das residências para a via interna principal denominada Main Street e dar a preferência a quem estiver entrando; 8). Estacionar o veículo de acordo com a demarcação da vaga da respectiva residência. 9). Manter o adesivo de identificação no pára-brisa do veículo conforme orientação da administração, devolvendo o mesmo, ainda que danificado, quando da troca ou venda do veículo. Deverá adequar-se as futuras formas de identificação a serem definidas. Os moradores que não se adaptarem não terão o acesso permitido ao Condomínio. 10). Ressarcir os prejuízos causados por si próprio, dependentes, hóspedes, visitantes, ou animais às coisas comuns do condomínio, seus condôminos ou a terceiros em áreas do condomínio, provocados intencionalmente ou por conta de negligência, imperícia ou imprudência. 2

3 11). Tratar com respeito e consideração os funcionários e membros da administração. Toda reclamação ou sugestão deve ser dirigida ao zelador ou ao colegiado gestor e registrada no livro disponível na portaria. 12). Comunicar a portaria com antecedência mínima de 2 (dois) dias úteis, as reformas a serem efetuadas em sua residência. 13). Cumprir, no âmbito do condomínio, os mais rigorosos comportamentos de moralidade, decência e respeito ao próximo. 14). Solicitar que os portões do condomínio permaneçam abertos somente o tempo necessário para a entrada e saída de pessoas ou veículos, salvo nos casos de manutenção, carga ou descarga. 15). Cumprir as normas gerais do condomínio, inclusive aquelas a serem implantadas pelo conselho administrativo na busca do bem comum. 16). Aqueles que não residem nas casas de sua propriedade no condomínio, e manterem desocupada de pessoas, deverão comunicar à Administração o seu domicílio para envio de correspondências tais como: taxas condominiais, rateios, convocações para assembléias, etc. 16.a) Não o fazendo não poderão alegar em juízo ou fora dele a não recepção das correspondências, nem tampouco o desconhecimento do seu conteúdo. 17). Ao informar o seu endereço forneça sempre o número da residência de forma a facilitar a distribuição da correspondência. Na falta deste dado, não poderá o morador em juízo ou fora dele, responsabilizar o condomínio por possíveis atrasos ou extravios das mesmas. 18). O acesso dos empregados domésticos ao Condomínio dependerá de prévio cadastro, ficando responsável pelo cumprimento das normas condominiais os respectivos moradores contratantes. Qualquer que seja a forma de contratação dos empregados domésticos não se vincula o Condomínio a qualquer tipo de responsabilidade contratual trabalhista com os mesmos; 18.a) Prestadores de serviços, eventuais ou não, deverão ser previamente cadastrados, exibir documento de identificação na portaria e autorizar a inspeção de veículos ou volumes. 18.b) Os prestadores de serviços só podem adentrar no Condomínio, com autorização verbal ou por escrita do morador. Em caso de dúvida, poderá ser exigido pelo Porteiro, Síndico, Zelador ou outro responsável o reconhecimento da firma do outorgante na autorização. 3

4 19). Encomenda (s) deve (m) ser retirada (s) pelo (s) morador (es) na Portaria do Condomínio. 20). Fica obrigado o condômino ou outro a este equiparado ou ainda o responsável pela unidade (inquilino comodatário, etc.) a destinar o entulho de sobras de reformas (madeira, concreto, tijolos, carpetes, etc.) de sua unidade para fora das dependências do condomínio. A não retirada pelo morador e efetuada pela Administração será cobrada nas taxas condominiais da unidade, adicionando-se uma multa de 20%, além das demais penalidades pertinentes. 21). No caso de hóspedes (moradores temporários por tempo indeterminado) das residências que porventura necessitem morar, o condômino proprietário ou a este equiparado ou ainda possuidor a qualquer título, deverá notificar o zelador com antecedência de no mínimo 05 (cinco) dias úteis para que seja providenciado apropriada identificação pelo Corpo Diretivo do condomínio mediante aprovação deste mesmo. 22). O playground é limitado ao uso de crianças com até 10 (dez) anos de idade, acompanhadas ou não pelos responsáveis. 23). A responsabilidade dos menores, inclusive nas áreas comuns é total e absoluta dos pais os responsáveis. 24). Cada morador é responsável pela sua integridade física devendo ponderar os riscos a que se expõe, principalmente no uso das áreas comuns; 25). Quanto ao uso do salão de festas: 25.a) Contribuir com uma taxa de utilização do salão de festas, no valor de 50% (cinqüenta por cento) da taxa condominial de modo a cobrir os custos de consumo de energia elétrica e gás, bem como, com a manutenção das condições de funcionalidade dos equipamentos, entretanto é função do requisitante recolher todo lixo (garrafas, latas, etc) e retirar todos os enfeites (bexigas, bunner, enfeites). O valor cobrado será inserido no próximo boleto de cobrança do condômino, após a data da reserva. A locação do salão é vetada ao requisitante que não estiver em dia com as suas taxas condominiais. Em caso de desistência da locação do mesmo sem comprovado motivo justificado, a critério do síndico, a taxa não será devolvida. 25.b) A utilização do Salão de Festas é exclusiva dos moradores do Condomínio, e a sua permanência durante todo o evento é obrigatória. Poderá promover atividades sociais, festas comemorativas, recepções, sendo vedada à cessão do Salão para bazares beneficentes, atividades profissionais e mercantis, atividades político-partidárias, religiosas, e jogos considerados "de azar" pela legislação 4

5 pertinente. Salvo atividades organizadas pelo próprio conselho do condomínio com renda revertida para o mesmo. 25.c) É vedada a cessão do Salão de Festas para comemorações particulares dos moradores das residências nas seguintes datas tradicionais: Véspera e dia de Natal; Véspera e dia de Ano Novo, e, dias de carnaval. 25.d) Quando o número de convidados exceder o total de 70 pessoas (sendo permitido no máximo 210 ou inferior se determinado por órgãos fiscais responsáveis), deverá o Condômino, o promitente comprador, o cessionário, o inquilino ou possuidor a qualquer título, contratar porteiros/seguranças na proporção de 1 para múltiplos 70 convidados, vinculados ao quadro de funcionários do condomínio (controlador de acesso, seguranças ou porteiros) sem gerar prejuízo ao desempenho da função a qual foi contratado pelo condomínio, e sem o condomínio possuir qualquer responsabilidade pela contratação deste, para fazer o controle de acesso dos convidados, bem como auxiliar a inspeção periódica das áreas adjacentes ao salão de festas, não permitindo a circulação dos convidados nas demais áreas comuns e fazendo cumprir as normas gerais do condomínio, as quais já tem conhecimento. O condômino deverá deixar em poder da portaria uma lista com a relação dos seus convidados, para que estes tenham acesso ao condomínio. Não terá acesso permitido convidados não constante na lista. 25.e) A requisição do Salão de Festas deverá ser feita por escrito ao síndico ou responsável, com antecedência mínima de cinco dias. Havendo mais de uma solicitação para o mesmo dia e hora, não haverá preferência e sim ordem de reserva. 25.f) A cessão do Salão de Festas está condicionada à prévia assinatura e preenchimento de solicitação conforme modelo com o responsável, por parte do requisitante, de um termo de responsabilidade, aceitando todas as normas descritas neste termo, onde também ficará expressamente consignado haver recebido as referidas dependências em perfeitas condições, assumindo integralmente o ônus de quaisquer danos, independentemente do valor do aluguel, adicionando-se uma multa de 20% ao dano causado, que se venham registrar desde a entrega do Salão de Festas, inclusive os causados por familiares, convidados, prepostos, pessoal contratado e prestador de serviço. 25.g) O requisitante deverá efetuar vistoria prévia e posterior acompanhado de responsável, para conferência dos equipamentos, acessórios e utensílios das áreas utilizadas. 25.i) A recusa ao pagamento, ou sua demora por mais de 30 (trinta) dias, a partir da data da notificação relativa ao ressarcimento das despesas havidas com reparação dos danos causados, acarretará multa de 10% (dez por cento), juros de 1% (um por cento) e atualização monetária pelo Índice Geral de Preços-Mercado- 5

6 IGP-M (FGV) quando positivo ou outro que o substitua e que reflita a inflação real do período, sobre o montante dos danos apurados e a cobrança judicial do débito, com o pagamento de custas e honorários advocatícios, bem como a perda do direito da requisição do Salão de Festas ou Churrasqueira até o cumprimento das obrigações. 25.j). O locatário do Salão de Festas deverá vetar aos seus convidados a utilização de outras áreas comuns do condomínio, que evidentemente não fazem parte do Salão. Também deverá cuidar para que não haja aglomeração de pessoas na frente do Condomínio ou da Sede Social durante o período em que se utilizar o Salão. As portas das escadas de acesso deverão estar trancadas e a principal mantida fechada durante o evento. 25.k). O salão será recebido pelo requisitante às 10 (dez) horas da manhã do dia do evento e deverá ser entregue às 9 (nove) horas da manhã do dia seguinte; o locatário ficará responsável pela remoção de quaisquer equipamentos (bem como mesas e cadeiras) trazidos ao condomínio até o horário da entrega, deixando o mesmo em condições de realização da faxina. O requisitante deverá fornecer todo o material de higiene dos sanitários. Fica proibido jogar objetos pelas portas, janelas e sacadas, como bitucas de cigarros, copos, confetes, serpentinas, etc. Esses detritos não devem sair da área do salão de qualquer forma. 25.l) O Requisitante assumirá, para todos os efeitos legais, a responsabilidade de manutenção do respeito e das boas normas de conduta e convivência social no decorrer das atividades, comprometendo-se, a reprimir abusos e excessos e afastar pessoas cuja presença seja considerada inconveniente. 25.m) O horário para utilização do salão de festas será até as 22:00h de domingo a quintas-feiras, até as 24:00h nas sextas e aos sábados. Entretanto o nível de ruído deverá ficar restrito a área do Salão e obedecer a lei do silêncio especialmente após as 22:00 horas e após restrito ao uso interno do salão até as 24 horas. Não será permitido o uso de som profissional ou bandas no salão de festas, enquanto não for realizada obra de acústica no mesmo. 25.n) O condomínio não se responsabiliza por quaisquer objetos deixados no salão, bem como por quaisquer incidentes causados ou decorrentes do evento antes, durante ou após o mesmo. 25.o) É proibido deixar os carros nas dependências do condomínio, havendo tolerância de 5 (cinco ) minutos para embarque e desembarque de idosos, crianças de colo e deficientes. Para carga e descarga de material para festa o tempo também é de 30 (trinta) minutos. Após este período o veículo deverá permanecer fora das dependências do condomínio. 25.p) É terminantemente proibido a realização de churrascos ou qualquer outra situação que coloque em risco ou cause danos ao do salão. Exemplos: fogueiras, 6

7 rapel, fogos de artifício, etc. É proibido colar, grudar, fixar, pregar qualquer tipo de objetos em paredes, portas, janelas, pilares ou grades do salão. 26)- Quanto ao uso das piscinas: 26.a) O horário para utilização das piscinas será das 9:00 h até as 22:00h. Os usuários não poderão continuar nas dependências das piscinas fora deste horário; 26.a1) O acesso à piscina é restrito aos moradores do condomínio, desde que portando as respectivas carteirinhas e com o exame médico atualizado com validade prevista de 90 dias; 26.a2) São proibidos na área da piscina alimentos, bebidas e cigarros além de objetos que não tenham relação devida no local; 26.a3) É proibida a entrada para piscina sem passar pelo lava pés ; 26.a4) Com relação as bóias, será permitido só a de uso infantil e é vedado o uso de bolas e brinquedos aquáticos; 26.a5) Toda segunda feira a piscina estará fechada para a devida manutenção. Em casos de feriados, estará liberada para uso, sendo que o dia para manutenção será o subseqüente após o feriado, salvo necessidade emergencial a qual poderá ser fechada com anuência do síndico ou do conselho deliberativo. 26.a6) Acondicionamento de chinelos, camisetas, bermudas e demais acessórios deverá ser em local pré-determinado e visível a todos. 26.a7) Não serão permitidos o uso de bronzeadores oleosos para evitar a danificação dos equipamentos. 26.a8) A responsabilidade dos menores que freqüentem a piscina é total e absoluta dos pais os responsáveis. 26.a9) Só será permitido o ingresso na piscina com trajes adequados. 27)- Quanto ao uso das churrasqueiras: 27.a) Caberá ao condômino contribuir com uma taxa de utilização da churrasqueira, no valor de 10% (dez por cento) da taxa condominial. O valor cobrado será inserido no próximo boleto de cobrança do condômino, após a data da reserva. A locação da churrasqueira é vetada ao requisitante que não estiver em dia com as suas taxas condominiais. Em caso de desistência da locação sem comprovado motivo justificado, a taxa não será devolvida; 7

8 27.b) A limpeza e conservação das mesmas é de responsabilidade do condômino requisitante, e o lixo deverá ser acondicionado em sacos plásticos; 27.c) A locação da churrasqueira é exclusiva dos moradores sendo obrigatória a sua presença durante o evento. O número de convidados não deverá exceder 20, que deverão ter seus nomes apresentados em lista prévia na portaria. Com reserva a ser feita no mês em curso preenchendo modelo a ser fornecido pela zeladoria. Não será permitida a entrada de convidados cujos os nomes não estejam na lista; 27.d) A requisição da churrasqueira deverá ser feita por escrito ao síndico ou responsável, com antecedência mínima de cinco dias. Havendo mais de uma solicitação para o mesmo dia e hora, não haverá preferência e sim ordem de reserva; 27.e) A cessão da churrasqueira está condicionada à prévia assinatura e preenchimento de solicitação conforme modelo com o responsável, por parte do requisitante, de um termo de responsabilidade, aceitando todas as normas descritas neste termo, assumindo integralmente o ônus de quaisquer danos, independentemente do valor do aluguel, adicionando-se uma multa de 20% ao dano causado, que se venham registrar, inclusive os causados por familiares, convidados, prepostos, pessoal contratado e prestador de serviço; 27.f) A recusa ao pagamento, ou sua demora por mais de 30 (trinta) dias, a partir da data da notificação relativa ao ressarcimento das despesas havidas com reparação dos danos causados, acarretará multa de 10% (dez por cento), juros de 1% (um por cento) e atualização monetária pelo Índice Geral de Preços-Mercado- IGP-M (FGV) quando positivo ou outro que o substitua e que reflita a inflação real do período, sobre o montante dos danos apurados e a cobrança judicial do débito, com o pagamento de custas e honorários advocatícios, bem como a perda do direito da requisição da Churrasqueira ou Salão de Festas até o cumprimento das obrigações. 27.g). O locatário da Churrasqueira deverá vetar aos seus convidados a utilização de outras áreas comuns do condomínio, que evidentemente não fazem parte da área. 27.h). O condomínio não se responsabiliza por quaisquer objetos deixados na churrasqueira, bem como por quaisquer incidentes causados ou decorrentes do evento antes, durante ou após o mesmo. 27.i). O Requisitante assumirá, para todos os efeitos legais, a responsabilidade de manutenção do respeito e das boas normas de conduta e convivência social no decorrer das atividades, comprometendo-se, a reprimir abusos e excessos e afastar pessoas cuja presença seja considerada inconveniente. 8

9 27.i) O horário para utilização das churrasqueiras com músicas e ruídos em alturas moderadas será das 8:00 às 22:00h. 28)- Quanto ao uso das quadras poliesportivas: 28.a) O horário para utilização das quadras causando ruídos em alturas moderadas será à partir das 8:00h até as 22:00h. Os usuários não poderão continuar nas dependências das quadras após estes horários. 28.b) O número máximo de convidados para a utilização da quadra é de 10 pessoas, sendo obrigatória a presença de condômino nesta situação, entretanto qualquer morador terá preferência de uso da quadra. Os convidados deverão ter seus nomes apresentados em lista prévia na portaria e não será permitida a entrada de convidados no condomínio cujo nome não conste na lista. 28.c) Fica proibido qualquer uso da quadra que possa danificar o piso (ex. shate, bicicletas...); 28.d) Deverá ser respeitada as tabelas de horários para o uso da quadra desenvolvidas pela comissão responsável. 29)- Quanto ao uso do bosque: 29.a) O uso do bosque e suas áreas comuns serão regulamentados em assembléia gerais extraordinária somente após a sua entrega total. 30) Quanto ao uso da sala de ginástica: 30.a) O horário para utilização da sala de ginástica é das 6:00h às 22:00hs; 30.b). A idade mínima para a utilização da sala de ginástica é de 16 anos. Pessoas menores obrigatoriamente deverão ser acompanhadas pelos pais; 30.c.) A utilização da Sala de ginástica é restrita a moradores; 30.d). O condomínio não possui nenhuma responsabilidades por danos causados a qualquer morador devido ao uso ou mal uso dos equipamentos existentes, aconselhando a cada morador a procurar orientação especializada antes do uso dos equipamentos. 30.e). O morador fica responsável pelo ressarcimento de qualquer dano causado aos equipamentos existentes na sala de ginástica, adicionando-se uma multa de 20% ao prejuízo causado. 9

10 III - DAS PROIBIÇÕES. FICA EXPRESSAMENTE E TERMINANTEMENTE PROIBIDO: 1) Alienar ou alugar vaga nas garagens a não residentes; 2) Manter ou usar em sua unidade autônoma (casa) ou vaga de garagem: instalações, equipamentos ou materiais com perigo potencial, ou ainda, substâncias ou produtos tóxicos, corrosivos, explosivos ou inflamáveis, de modo que possa expor a riscos a saúde, segurança ou tranqüilidade dos demais condôminos, ou, ainda, acarretar o aumento das taxas de seguro de condôminos ou do condomínio; 3) Manter a posse ou guarda de animais de porte ou temperamento agressivo, de maneira a expor a riscos a saúde, segurança ou tranqüilidade dos demais condôminos; 3.a) Será tolerado apenas animal (is) nas unidades autônomas, de porte e temperamento dócil, que não perturbe o sossego do condomínio, devendo este ficar restrito à área da unidade autônoma do condômino e em quantidade razoável; estes deverão manter a carteira de vacina atualizada e apresentá-la sempre que solicitado; 3.b) Quando em trânsito pelas áreas comuns do condomínio o animal deverá fazer uso de coleira, guia e focinheira (conforme lei) e o Condômino ou responsável pelo animal, deverá levar consigo sacos plásticos para que este recolha as fezes e outras sujeiras provocadas pelo animal, destinando-as a locais apropriados (lixeiras); 3.c) Vedado o acesso de quaisquer animais nas dependências sociais do condomínio, sob qualquer pretexto, especialmente no salão de festas, zeladoria, piscinas, quadras, churrasqueiras, administração e áreas adjacentes. 3.d) Em caso de ausência, do condômino ou responsável pelo animal e ficando o mesmo na residência, deverá providenciar pessoa responsável para trata-lo, devendo ainda tal pessoa respeitar as normas vigentes. 4). Fazer uso de quaisquer que seja a fonte de ruído ou som, em volume audível nas unidades vizinhas, no horário compreendido entre 22:00 e 08:00 horas, e fora este horário o nível de ruído não deverá causar transtorno aos demais moradores conforme lei; 5). Realizar obras para reformas ou acréscimos estruturais ou de mobiliário em sua unidade autônoma, fora do horário compreendido das 8:00 às 18:00 horas de 10

11 segunda a sexta feira, e aos sábados das 9:00 às 14:00 horas, sendo proibido este tipo de serviço aos domingos e feriados; 6). Fazer uso ou consenti-lo por parte de seus dependentes, hóspedes ou visitantes, das coisas do condomínio para fins diversos dos quais se destinam, obstando assim seu funcionamento normal ou contribuindo para sua deterioração, desgaste anormal ou prematuro, ou ainda impossibilitando ou dificultando o livre acesso e circulação dos demais; 7). Modificar o aspecto externo das casas com instalações de toldos, aparelhos de ar condicionado, faixas, placas, cartazes e outros que possam alterar sua estética externa; 7.a) Nenhum mecanismo de proteção poderá ser usado com exceção de redes de proteção de cor preta obedecendo à padronização determinada pela administração; 8). Estender, pendurar, depositar ou bater tapetes, roupas e utensílios em janelas, varandas e sacadas, nas quais também não poderão ser instalados varais, antenas ou acessórios externos à área interna da residência ou no quintal; 9). Utilizar empregados do condomínio para serviços particulares, durante horário de trabalho no condomínio. 10). Sobrecarregar a estrutura e lajes das casas ou ainda as instalações elétricas, hidráulicas, telefônicas, de intercomunicação e sinal de televisão de sua unidade autônoma, com o uso indevido de equipamentos não dimensionados em projeto, de maneira que possa comprometer a segurança ou o perfeito funcionamento das coisas, utilidades ou serviços comuns; 11). Depositar nas bacias sanitárias, pias e ralos, objetos que possam congestionar os encanamentos. Jogar cigarros, charutos papeis, alimentos e outros objetos pelas janelas ou sacadas, ou ainda, no piso das dependências comuns; 12). Deixar de acondicionar adequadamente em saco plástico resistente o lixo de sua unidade autônoma e depositar em local determinado para tal, dentro do horário previsto para coleta; 13). Deixar de acondicionar em recipientes vidros quebrados ou materiais que possam ferir ou contaminar seu coletor ou transportador; 14). Deixar objetos ou plantas defronte aos medidores de água, luz e gás; 15). Lavar quaisquer objetos / animais ou instalar e manter piscinas na área da garagem e áreas comuns, sendo apenas permitido o uso da garagem para a lavagem de veículos. 11

12 16). Fazer uso de botijão de gás ou quaisquer outros combustíveis para alimentação de seu fogão ou equipamento similar que não seja o gás da rede de distribuição do condomínio. Salvo os equipamentos elétricos, desde que suportados pelo dimensionamento da instalação elétrica, caso em que o condômino responderá por essa verificação. 17). Realizar conserto de veículos em quaisquer das áreas do condomínio, excetuando-se aqueles de caráter emergencial, com as devidas providencias por parte do condômino para que não haja transtornos, danos ou sujeiras no local ou em veículos próximos; 18). Estacionar ou guardar motocicletas, bicicletas ou similares em quaisquer das áreas comuns do condomínio. Deverá utilizar-se de sua vaga de garagem. 19). O trânsito de operários ou pessoas estranhas ao condomínio, nas áreas comuns. 19.a) Será permitida somente no trajeto portaria/residência e vice-versa, nos dias e horários estabelecidos, se devidamente identificados, sob a anuência do Síndico e conhecimento do Zelador. 19.b) Não se aplica este inciso, se estiver acompanhado do proprietário, de membro do Colegiado Gestor ou do zelador. 20). O manuseio dos cabos destinados a transmissão de sinal de TV/satélite que for comum aos condôminos; 21). Usar para outros fins que não residenciais. 22). Promover o uso dos ralos destinados a captação de água pluviais nos quintais a qualquer outro fim que não o de sua função (ex: destinação de esgoto, fezes de animais,...) 23). Lacrar as caixas de passagem (água pluviais e cabeamento) existente no quintal; 24). Interferir no paisagismo do condomínio, promovendo o plantio ou remanjamento das plantas existentes; IV - DAS PENALIDADES 12

13 1) O condômino que violar as disposições legais (Leis 4.591/64 e /02), a convenção, este regulamento interno, bem como as deliberações em A.G. O e A.G.E.., ficará sujeito a sanção punitiva. 1º. Os pagamentos de multa não abstêm o condômino de ressarcir eventuais danos ao condomínio ou terceiro, condômino ou não, bem como não o exime de suas responsabilidades decorrentes da lei. 2º. As penalidades para infração à Convenção e/ou Regulamento ficam estipuladas, proporcionalmente à gravidade da mesma: a) Notificação sancionadora formalizada textualmente nas infrações consideradas de gravidade leve pelo Síndico, Subsíndico e Conselheiros; b) Pena de suspensão ou proibição indefinida da locação ou uso de qualquer área comum. No caso do uso do Salão de Festas, no curso do evento, poderá o corpo diretivo tomar atitudes que visem o pleno cumprimento das normas, como, por exemplo, promover o desligamento das chaves gerais de energia caso o locatário esteja ultrapassando os limites de som determinados neste. b) 90% (noventa por cento) do valor da parcela mensal de custeio do condomínio, nas infrações consideradas médias e graves pelo Síndico, Subsíndico e Conselheiros; c) 100% (cem por cento) do valor da parcela mensal de condomínio na primeira reincidência, seja qual for à infração, similar ou não à primeira, de natureza leve, média ou grave, assim considera pelo Síndico, Subsíndico e Conselheiros; d) 100% (cem por cento) a 500% (quinhentos por cento) caso o condômino reincida pela segunda ou mais vezes, seja qual for à infração, similar ou não de natureza leve, média ou grave, assim considerada pelo Síndico, Subsíndico e Conselheiros. 2) A multa será imposta pelo Síndico, confirmada pelo Subsíndico e Conselho e será cobrada juntamente com a contribuição condominial da unidade ao qual o infrator está vinculado, no vencimento imediatamente posterior, facultado ao interessado recorrer somente na primeira Assembléia Geral após a infração. A imposição da multa será comunicada por escrito ao infrator ou quem por ele responsável dentro do vínculo de sua relação, não tendo efeito suspensivo o recurso eventualmente interposto. 3) Havendo interesse do infrator recorrer a Assembléia para se defender, deverá comunicar o síndico por escrito e com a máxima urgência afim de que seja incluída sua reivindicação na pauta; 13

14 4) Não havendo interesse em se defender na primeira Assembléia, ou havendo, mas não comparecendo, no dia e hora marcados, considerar-se-á a multa líquida, certa e exigível, não havendo mais possibilidade de recurso para qualquer Assembléia. 5) - Não acarreta efeito suspensivo quanto o pagamento da multa, o fato do infrator solicitar por escrito o direito de se defender em Assembléia, persistindo a obrigação de pagar a multa e o direito de ser reembolsado, caso não seja ratificada. 6) - O pagamento da multa, não abstêm o Condômino de ressarcir eventuais danos ao Condomínio ou terceiros, Condômino ou não, bem como não o exime de suas responsabilidades decorrentes de lei. 7) - Fica expressamente proibido o uso do salão de festas, piscinas e churrasqueiras, para os Condôminos proprietários ou a estes equiparados, moradores em qualquer condição (inquilino, comodatário, etc) e seus familiares caso esteja em atraso com o pagamento da taxa condominial, rateios, multas, etc. 8) - O condômino que tiver comportamento anti-social, ou seja, aquele que se opõe ao convício social, que é contrário à organização, costumes ou interesse da sociedade e gerar incompatibilidade de convivência com os demais condôminos ou possuidores, será constrangido a pagar multa correspondente a 10 (dez) valores atribuído à contribuição para as despesas condominiais independente de deliberação assemblear ( único, art do NCC). 9) Outras penalidades previstas em lei, serão aplicadas se não contrariarem nenhum dispositivo legal. V DAS DISPOSIÇÕES GERAIS 1) Os casos omissos neste regulamento, na Convenção Condominial ou na Lei de Condomínios, serão resolvidos pelo Síndico, Subsíndico e Conselheiros e, se necessário, pela Assembléia específica para tal fim. 2) NÃO SERÁ ACEITA EM QUALQUER HIPÓTESE, POR QUEM QUER QUE SEJA, ALEGAÇÃO DE DESCONHECIMENTO DAS NORMAS ESTABELECIDAS NESTE REGULAMENTO. 3) Os casos omissos neste RI serão apreciados e decididos pelo conselho Diretivo, composto pelo sindico, subsíndico e conselheiros. 14

15 4) Este regimento é uma re-ratificação do regimento discutido nas Assembléias de 31 de janeiro de 2006 e de 08 de maio de Cotia, 05 de Julho de Síndico: Subsíndico: Conselheiro: Conselheiro: Conselheiro: Presidente Mesa: Secretário 15

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO

REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO REGIMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DO LOTEAMENTO CANTO DE AREMBEPE (APLCA) CAPÍTULO I DO OBJETO Art. 1. Este Regimento Interno tem por objetivo primordial a regulamentação das relações entre

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados.

REGIMENTO INTERNO. Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos permanentemente fechados. SEM MARCADOR TEXTO ORIGINAL GRIFADO EM VERDE ALTERAÇÕES A SEREM APROVADAS NA ASSEMBLÉIA REGIMENTO INTERNO Artigo 8º - Fica estabelecido que os portões de entrada que dão acesso ao CONDOMÍNIO serão mantidos

Leia mais

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS

ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS CIRCULAR Nº 003/2015 Curitiba, 05/06/2015. ASSUNTO: REGULAMENTA O USO DE ADESIVOS DE IDENTIFICAÇÃO DOS VEÍCULOS DE CONDÔMINOS A Síndica do Condomínio Le Jardin Residencial, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE

ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO LOTEAMENTO VILLAS DO JACUÍPE Estrada do Coco, Km 31 Barra do Jacuípe CEP 42.833-000 Camaçari/Bahia CNPJ 03.380.253/0001-26 Telefones : (071) 3678-1690 e 3678-2356 E-mail : vjacuipe@oi.com.br

Leia mais

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61

2.2 - A entrada ou saída de pedestres nas dependências da ULIVING BELA VISTA dar-se-á, pela recepção principal Rua Barata Ribeiro, 61 O Regulamento Interno da ULIVING BELA VISTA, localizado na cidade de SÃO PAULO CAPITAL, à Rua Barata Ribeiro nº 61 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento.

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS

REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1 REGULAMENTO INTERNO DO BLOCOS 1. A Administração do Condomínio Condomínio Parque Residencial Vitória Régia II Blocos reger-se-á pela Lei 4.591, de 16/12/1964 e outras Leis que forem aplicáveis, a cujo

Leia mais

CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO INTRODUÇÃO CONDOMÍNIO ROSSI IDEAL JACARANDÁS REGULAMENTO INTERNO O presente instrumento constitui o Regulamento Interno do Condomínio Rossi Ideal Jacarandás, regido pelas disposições da lei 4591 de 16/12/64

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015

REGULAMENTO INTERNO CONDOMINIO CAMÉLIAS APROVADO EM ASSEMBLÉIA DIA 27/052015 O CONDOMÍNIO DAS CAMELIAS reger-se-á, para todos os efeitos de direito, pelo presente Regulamento Interno, Convenção condominial e pela Legislação federal, estadual e municipal em vigor, especialmente

Leia mais

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014

Condomínio Residencial SOLAR DA CHAPADA REGIMENTO INTERNO Aprovado em 06/11/13 e alterado em 13/01 e 31/03/2014 REGIMENTO INTERNO Introdução; Com o intuito de formalizar as ações coletivas e individuais, estabelecendo normas de conduta para a boa convivência e administração do Residencial Solar da Chapada, adotou-se

Leia mais

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local.

MANUAL DO CONDÔMINO. O edital de convocação deve indicar com clareza os assuntos a serem debatidos, a data, horário e local. MANUAL DO CONDÔMINO REGULAMENTO INTERNO Cada prédio possui as suas próprias necessidades e, por isso, tanto a convenção como o regulamento interno devem ser redigidos especialmente para a edificação em

Leia mais

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,...,

29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA. Pelo presente instrumento particular de um lado,..., 29) CONTRATO DE LOCAÇÃO DE QUARTO POR TEMPORADA Pelo presente instrumento particular de um lado,..., brasileira, solteira, professora universitária, inscrita no CPF sob o n...., residente e domiciliada

Leia mais

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada

Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada Contrato de Locação de Imóvel e Mobília por Temporada LOCATÁRIO: Profissão: RG: CPF: Residente e domiciliado: LOCADOR: VILA DOS MANACÁS ATIVIDADES IMOBILIARIAS, empresa estabelecida nesta cidade de Ubatuba/SP,

Leia mais

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO

MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO MODELO REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO... REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO DO CONDOMÍNIO Art. 1º - O presente Regulamento Interno, do Condomínio do Edifício, aprovado em Assembléia Geral

Leia mais

DICAS PARA CONDÔMINOS

DICAS PARA CONDÔMINOS DICAS PARA CONDÔMINOS Área Privativa: É a unidade de cada proprietário incluindo a vaga de garagem. Áreas Comuns: São utilizadas por todos os moradores, como playground, jardins, elevadores, corredores,

Leia mais

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE

MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE MINUTA DO REGIMENTO INTERNO RESIDENCIAL COSTÃO DA BARRA (PARA APROVAÇÃO) CAPÍTULO I FINALIDADE Art. 1 A finalidade primordial deste Regimento Interno é consolidar conceitos, normas de procedimentos, horários

Leia mais

Condomínio do Residencial Villa D'Itália

Condomínio do Residencial Villa D'Itália Prezados moradores, De acordo com a Assembléia Extraordinária realizada no dia 18 de dezembro de 2014, informamos para ciência de todos que alguns itens presentes no Regimento Interno, que foram aprovados

Leia mais

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD

CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD REGULAMENTO INTERNO Todos os condôminos, locatários e usuários do CONDOMÍNIO EDIFÍCIO AHEAD, ficam obrigados a cumprir e respeitar por si, a qualquer título, os termos e condições do presente: 1 - Horário

Leia mais

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF

Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Resolução Nº 003/2011/ASIBAMA-DF Altera o Regimento Interno da Área de Lazer da ASIBAMA-DF A Presidente da ASIBAMA-DF, nos termos do art. 30, inciso I, do Estatuto da ASIBAMA-DF, e considerando o disposto

Leia mais

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO

CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO CONDOMÍNIO DO ED. NUMBER ONE BUSINESS CENTER REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno visa regulamentar o funcionamento do edifício zelando sempre pela segurança e conforto dos condôminos. I REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio:

REGULAMENTO DE OBRAS ANEXO I. Cuidados ao iniciar a obra: Horário de funcionamento do prédio: ANEXO I REGULAMENTO DE OBRAS Cuidados ao iniciar a obra: Toda obra ou reforma na unidade deve ser comunicada ao síndico, com antecedência mínima de 10 dias, através da apresentação de respectivo croqui

Leia mais

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial

Regimento Interno - Empreendimento do PAR - Programa de Arrendamento Residencial Nome do empreendimento REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta e comportamento às quais estão obrigados todos os moradores e toda e qualquer

Leia mais

Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO. Reeditado conforme alterações da. Assembléia Geral Extraordinária. de 18 de Maio de 1994

Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO. Reeditado conforme alterações da. Assembléia Geral Extraordinária. de 18 de Maio de 1994 Condomínio Edifício MAISON DE MOUETTE REGIMENTO INTERNO Reeditado conforme alterações da Assembléia Geral Extraordinária de 18 de Maio de 1994 Projectus Assessoria S/C Ltda - janeiro/95 1.É dever de todos

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9

CENTRO DE CONVIVÊNCIA Associação Residencial Alphaville 9 REGRAS ESPECÍFICAS ESTABELECIDAS PARA FREQUENCIA E USO A, disponibiliza aos seus Associados o Centro de Convivência e Academia, como espaço destinado à prática de atividades esportivas e sociais, fundamentais

Leia mais

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS

RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS RECIBO DE LOCAÇÃO DO SALÃO DE FESTAS ASSOCIADO: QUADRA: LOTE: FASE DATA DA RESERVA: / / VALOR DA DIÁRIA: R$ 151,50 (Cento E Cinquenta E Um Reais E Cinquenta Centavos) FORMA DE PAGAMENTO: À VISTA (EM DINHEIRO)

Leia mais

Edifício Crespi II Manual do Credenciado

Edifício Crespi II Manual do Credenciado Edifício Crespi II Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II

CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II DOS DIREITOS E DEVERES DOS CONDÔMINOS E LOCATÁRIOS CONDOMÍNIO RESIDENCIAL AMORIM II Rua: Manoel Libãnio Amorim nº 86 Massaguaçú Caraguatatuba- SP. 1 REGIMENTO INTERNO RESUMIDO DO ACESSO ÀS DEPENDÊNCIAS

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONDOMINIO XXXXXXXXXXXXX

REGIMENTO INTERNO DO CONDOMINIO XXXXXXXXXXXXX REGIMENTO INTERNO DO CONDOMINIO XXXXXXXXXXXXX Regulamento, aprovado pelos Condôminos presentes na Assembleia Geral do Condomínio, realizada no dia XX de XXXXXX de 20XX. Este Regimento tem como finalidade

Leia mais

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB

REGULAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DAS SEDES DE LAZER DA AMPB Art. 1º. O presente regulamento visa disciplinar o uso do Clube de Areia Dourada, assim como eventuais unidades de lazer a serem construídas ou adquiridas pela Associação dos Magistrados da Paraíba. DOS

Leia mais

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos.

Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum dos condôminos. Lei do Condomínio 10.406/2002 CAPÍTULO VII Do Condomínio Edilício Seção I Disposições Gerais Art. 1.331. Pode haver, em edificações, partes que são propriedade exclusiva, e partes que são propriedade comum

Leia mais

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado

Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado Edifício Centro Empresarial Morumbi Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper

Regulamento Interno para Utilização Associação Veper Regulamento Interno para Utilização Associação Veper A Associação Veper Os dirigentes do Grupo Veper tinham o sonho de oferecer um benefício a mais aos seus colaboradores, um espaço que oferecesse lazer,

Leia mais

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014

ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 ACESSO A SEDE CAMPESTRE DE RATONES REGULAMENTO Nº. 001/2014 Regulamenta o funcionamento da SEDE CAMPESTRE da Associação dos Servidores da UDESC - ASUDESC e dá outras providências. Das disposições preliminares

Leia mais

SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014

SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014 SOCIEDADE BENEFICENTE DOS SUBTENENTES E SARGENTOS DA PMPR COLÔNIA DE FÉRIAS DIRETRIZ TEMPORADA DE VERÃO 2013/ 2014 1. FINALIDADE A presente diretriz tem por finalidade cientificar os associados da SBSS/PMPR

Leia mais

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial.

Rua Engenheiro Niepce da Silva, 144, Portão, Curitiba PR, 80610-280 www.lejardinresidencial.com administrativo@lejardinresidencial. CIRCULAR Nº 003/2014 DATA: 15 de dezembro de 2014 ASSUNTO: LIBERAÇÃO, em caráter provisório, de parte das áreas comuns do condomínio, que foram aprovadas e recebidas da Cyrela. A Síndica do Condomínio

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMINIO EDIFÍCIO JACARANDÁ CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO E USO

REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMINIO EDIFÍCIO JACARANDÁ CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO E USO REGULAMENTO INTERNO DO CONDOMINIO EDIFÍCIO JACARANDÁ CAPÍTULO I DA ADMINISTRAÇÃO E USO Artigo 1º - A administração do Condomínio Edifício Jacarandá é dirigida e fiscalizada por um Síndico e, no impedimento

Leia mais

Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela

Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela Regulamento para Obras nos Apartamentos do Condomínio Residencial Resort Santa Angela DAS NORMAS REGULAMENTARES 1. Todas as empresas prestadoras de serviço, seus funcionários, representantes, são obrigados

Leia mais

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV

Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV Histórico de editais de Assembléias Ordinárias e Extraordinárias realizadas no Condomínio do Residencial Imprensa IV AGE 30/6/2007 Eleição da Comissão de Recebimento das Áreas Comuns; Fixação do Pró-labore

Leia mais

Quais despesas são do inquilino?

Quais despesas são do inquilino? Quais despesas são do inquilino? Veja o que a Lei do Inquilinato diz O inquilino paga todas as despesas ordinárias do condomínio, ou seja, de manutenção. Não são de responsabilidade do inquilino as despesas

Leia mais

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO

CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO CONTRATO DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS IMÓVEIS QUADRO RESUMO CONTRATADA/ADMINISTRADORA: HB IMOBILIÁRIA LTDA., estabelecida na Avenida Hermes Fontes, nº 1950, Luzia, Aracaju, Sergipe, CEP: 49045-760, inscrita

Leia mais

Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA. Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede.

Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA. Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede. Regulamento BEM VINDOS A POUSADA LA VILLA Para sua maior tranquilidade e conforto apresentamos o manual do hospede. Recepção: HORÁRIOS DE FUNCIONAMENTO da recepção dás 8:00 às 12:00 e 13:00 às 18:00. DO

Leia mais

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial

Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Aluguel O que é preciso saber sobre aluguel Residencial Ao alugar um imóvel é necessário documentar a negociação por meio de um contrato, de preferência, escrito. O inquilino deve ler atentamente todas

Leia mais

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC

Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC Regimento da Colônia de Férias em Garopaba/SC CAPITULO I - DA UTILIZAÇÃO Artigo 1º - A Colônia de Férias da ASSUFRGS, localizada em Garopaba/SC, é de uso exclusivo dos seus filiados, servidores da UFRGS,

Leia mais

Edifício New England Manual do Credenciado

Edifício New England Manual do Credenciado Edifício New England Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos de atendimento.

Leia mais

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann

Ordem dos Advogados do Brasil - Seção de Goiás Casa do Advogado Jorge Jungmann REGULAMENTO DO CEL DA OAB-GO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES SEÇÃO I Da Conceituação e da Freqüência Art. 1º. O Centro de Cultura, Esporte e Lazer da Advocacia de Goiás é um espaço reservado aos profissionais

Leia mais

Residencial Real Classic Resort

Residencial Real Classic Resort ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA DO DIA 18/6/2009 Aos 18 (dezoito) dias do mês de junho, do ano de 2009 (dois mil e nove), às 20:15h (vinte horas e quinze minutos), em segunda chamada, no salão de

Leia mais

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO

ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO ARTILHA DO SÍNDICO CARTILHA DO SÍNDICO 1. Função do Síndico O síndico é aquele eleito pelos condôminos, por um período de até dois anos, para administrar e representar o condomínio, seja judicialmente

Leia mais

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA.

2.1 - Estabelecer normas de acesso de pessoas a ULIVING SOROCABA. O Regulamento Interno da ULIVING SOROCABA, localizado na cidade de SOROCABA à Rua Bernardo Ferraz nº 100 estabelece as regras de convivência e as relações entre os usuários do empreendimento. I - HORÁRIO

Leia mais

Contamos com a compreensão e a colaboração de todos para manter uma interação marcada pela gentileza e o profissionalismo.

Contamos com a compreensão e a colaboração de todos para manter uma interação marcada pela gentileza e o profissionalismo. 1 Regulamento Interno Este regulamento define regras e procedimentos para o pleno entendimento entre Hóspedes e a Administração do Hotel, lembrando que o bom senso e o respeito mútuo constituem as melhores

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL

REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL REGULAMENTO INTERNO DA ASSOCIAÇÃO FAZENDA TAMBORÉ RESIDENCIAL FINALIDADE 1. Este regulamento tem por finalidade definir direitos e deveres e orientar a conduta de todas as pessoas que se encontrarem, a

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO

REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO REGIMENTO INTERNO DO LOTEAMENTO FECHADO TERRA PARK CLUB RESIDENCE CAPÍTULO I DA DESTINAÇÃO DO LOTEAMENTO Art. 1º - O TERRA PARK CLUB RESIDENCE é um loteamento dividido em partes de propriedade privativa,

Leia mais

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS

CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS CURSO ADMINISTRAÇÃO DE CONDOMÍNIO ESTUDO DIRIGIDO DA LEGISLAÇÃO E QUESTÕES PRÁTICAS Público alvo: síndicos, condôminos, administradores de condomínio, gerentes de condomínio, advogados e quaisquer pessoas

Leia mais

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno.

ARTIGO 1º - Compete ao Síndico (Artigo 20 da Convenção) a administração geral do condomínio, fazendo cumprir o disposto neste Regimento Interno. Nome do empreendimento Regimento Interno - Programa Minha Casa Minha Vida PMCMV Grau de sigilo #PÚBLICO REGIMENTO INTERNO O presente regimento interno estabelece normas de disciplina, procedimento, conduta

Leia mais

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS

CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS CONTRATO DE FORNECIMENTO DE GÁS NATURAL CANALIZADO CONTENDO AS CONDIÇÕES GERAIS DE FORNECIMENTO DE GÁS CANALIZADO REFERENTES AOS CLIENTES COMERCIAIS DA CEG 1.º PARTES a) CEG: COMPANHIA DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013

PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL PRESIDÊNCIA 19/06/2013 RESOLUÇÃO Nº 96/2013 EMENTA: Dispõe sobre o acesso,

Leia mais

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns

ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns CIRCULAR 001/2014 DATA: 02 de Agosto de 2014 ASSUNTO: Autorização de obras, benfeitorias, acessos, mudanças, uso de elevadores e áreas comuns Senhores Condôminos, Como Síndica do Condomínio Le Jardin,

Leia mais

MANUAL DO CONSTRUTOR

MANUAL DO CONSTRUTOR 1. SOLICITAÇÕES PARA INÍCIO DA OBRA 01 jogo do projeto de arquitetura aprovado; Autorização para Construção emitida pela Associação Jardins Ibiza. 2. IMPLANTAÇÃO DO CANTEIRO DE OBRA 2.1 Fechamento do canteiro

Leia mais

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO:

REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: REGULAMENTO UNIDADE PAULISTA ATENÇÃO: 1) Este regulamento SÓ se aplica aos contratos celebrados na unidade Paulista, por alunos matriculados nos cursos preparatórios para concursos públicos semestrais

Leia mais

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado

Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado Edifício Evolution Business Center Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

REGIMENTO INTERNO MONTES CLAROS MINAS GERAIS

REGIMENTO INTERNO MONTES CLAROS MINAS GERAIS REGIMENTO INTERNO 2009 MONTES CLAROS MINAS GERAIS 1 CADASTRO DE CONDÔMINOS 1. Entende-se como condômino: 1.1. Pessoa que esteja residindo no apartamento. 1.2. Filhos (as) solteiros (as) do condômino, que

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES

CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES CONTRATO DE LOCAÇÃO DE SISTEMA DE ENGENHARIA GERENCIADOR DE OBRAS ON LINE IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES LOCADOR: Obra24horas Soluções Web para Engenharia Ltda., com sede na Rua Formosa, 75 1º andar

Leia mais

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Ff 1 REGULAMENTO GERAL Nº. 001/2007 Regulamenta o funcionamento do clube social da Associação dos Servidores da Secretaria da Administração e Unidades Vinculadas - ASSECAD e dá outras providências. DAS

Leia mais

Contrato Servidor Dedicado

Contrato Servidor Dedicado Contrato Servidor Dedicado Pelo presente instrumento particular de contrato, de um lado, Intersit Tecnologia, sobre o CNPJ 09.131.781/0001-28 com sede em Curitiba PR, doravante denominada CONTRATADA, de

Leia mais

Clube de Campo de São Paulo

Clube de Campo de São Paulo REGULAMENTO DO USO DOS "CHALÉS DO C.C.S.P" 1 - DISPOSIÇÕES GERAIS 1.1 - O uso dos quatro chalés do C.C.S.P construídos na zona residencial "A", doravante denominados "Chalés do CCSP" ou simplesmente "Chalés",

Leia mais

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9

Índice. Noções gerais sobre a organização de condóminos 3. Assembleia de condomínios / inquilinos 5. O Administrador 7. Regulamento do Condomínio 9 GUIA DE CONDOMÍNIO Índice Noções gerais sobre a organização de condóminos 3 Assembleia de condomínios / inquilinos 5 O Administrador 7 Regulamento do Condomínio 9 2 Noções gerais sobre a organização de

Leia mais

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º

1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 1. REGIMENTO INTERNO DO CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU CNPJ/MF N.º 2. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. Todos os ocupantes de unidades residenciais situadas no CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MANSÕES ITAIPU

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios

O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios O que diz a lei sobre inadimplência em condomínios Contribuir com as despesas do condomínio é dever dos condôminos Código Civil, Art. 1.336. São deveres do condômino: I - Contribuir para as despesas do

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO RECREATIVA MERCÚRIO

REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO RECREATIVA MERCÚRIO REGULAMENTO INTERNO DA SEDE SOCIAL DA ASSOCIAÇÃO ASPECTOS LEGAIS RECREATIVA MERCÚRIO DA SEDE SOCIAL Artigo 1º. A Sede Social da Associação Recreativa Mercúrio é uma unidade de lazer, entretenimento, esporte

Leia mais

REGIMENTO INTERNO HOME234

REGIMENTO INTERNO HOME234 REGIMENTO INTERNO HOME234 REGRAS PARA UMA BOA CONVIVÊNCIA E SEGURANÇA 01. Porta Principal: Os hóspedes não podem abrir a porta principal a pessoas que não conhecem, e a ninguém após as 22h00min e deverá

Leia mais

AGES EMPREENDIMENTOS EDUCACIONAIS LTDA SMALL SHOPPING AGES

AGES EMPREENDIMENTOS EDUCACIONAIS LTDA SMALL SHOPPING AGES AGES EMPREENDIMENTOS EDUCACIONAIS LTDA SMALL SHOPPING AGES CARTA CONVITE: N 001/2012 A AGES EMPREENDIMENTOS EDUCACIONAIS LTDA, situada à Avenida Universitária, n 23, Parque das Palmeiras, Paripiranga (BA),

Leia mais

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária

ANEXO 5. Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária ANEXO 5 Detalhamento dos serviços sob responsabilidade da Concessionária 1 Os SERVIÇOS de que trata este Anexo deverão ser prestados no âmbito do SETOR OPERACIONAL DAS ESTAÇÕES e dos EMPREENDIMENTOS ASSOCIADOS.

Leia mais

COSTAS MARIS POUSADA

COSTAS MARIS POUSADA COSTAS MARIS POUSADA Regras para efetivação de Reservas. 1 - Nossas diárias iniciam às 14:00hs e encerram às 12:00hs do dia seguinte com tolerância de 30 minutos após este período, será cobrada mais uma

Leia mais

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da

Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO DO ESPAÇO PARA EVENTOS Que se celebra entre o Sr. Cristiano Carnelós Peyrer, brasileiro, solteiro, portador da cédula de identidade R.G. sob nº 28.266.412-9,

Leia mais

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013.

INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. INSTRUÇÃO DE SERVIÇO Nº 80, DE 05 DE NOVEMBRO DE 2013. A DIRETORA EM EXERCÍCIO DO CÂMPUS DE PARANAÍBA da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve:

Leia mais

Regimento Interno. Residencial Villa D Itália

Regimento Interno. Residencial Villa D Itália Regimento Interno Residencial Villa D Itália O objetivo do presente regulamento interno é estabelecer regras de convivência para que tenhamos um local de moradia agradável, onde o respeito ao outro seja

Leia mais

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação

REGIMENTO INTERNO. CAPÍTULO I Da Aplicação SOCIEDADE AMIGOS DO CURIÓ (SAC) Fundada em 23 de julho de 1980 Rua Prof. Osmarino de Deus Cardoso, 101 CEP 88.036-598 Trindade Florianópolis SC CNPJ 75.329.243/0001-71 www.sacurio.com.br / saccurio@brturbo.com.br

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO RESIDENCIAL FATTO MANSÕES

REGULAMENTO INTERNO RESIDENCIAL FATTO MANSÕES REGULAMENTO INTERNO RESIDENCIAL FATTO MANSÕES O presente Regulamento Interno foi elaborado com a finalidade de proporcionar aos Senhores Condôminos o máximo bem estar social, e excelente convivência. Este

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA

TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA 1 TERMO DE COMPROMISSO PARA APROVAÇÃO DE PROJETO E EXECUÇÃO DE OBRA Termo de compromisso para aprovação de projeto e execução de obra que entre si celebram, de um lado a SOCIEDADE ALDEIA DA SERRA RESIDENCIAL

Leia mais

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO

REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO REGIMENTO DE FUNCIONAMENTO E USO DO HOTEL DE TRÂNSITO Estabelece as normas de funcionamento e uso do Hotel de Trânsito do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (SINPOL/PE), tanto na Sede quanto na

Leia mais

MANUAL DO LOCATÁRIO. Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação

MANUAL DO LOCATÁRIO. Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação MANUAL DO LOCATÁRIO Guia ilustrado com tudo sobre a sua nova locação TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE SEU NOVO LAR VISTORIA E OCUPAÇÃO MANUTENÇÕES E BENFEITORIAS PAGAMENTO E REAJUSTE DESOCUPAÇÃO DO

Leia mais

REGULAMENTO DA HOTELARIA

REGULAMENTO DA HOTELARIA REGULAMENTO DA HOTELARIA I DISPOSIÇÕES GERAIS. Art. 1º. O presente Regulamento, aprovado pela Diretoria Executiva, rege o uso dos serviços de hotelaria disponibilizados pela AMAM aos Associados e seus

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO - N. 1

REGULAMENTO INTERNO - N. 1 REGULAMENTO INTERNO - N. 1 Regulamenta a Convenção do Condomínio Tayayá Resort no que diz respeito ao setor de habitação e o setor de lazer A Assembléia Geral de Instalação do Condomínio Parcial do Complexo

Leia mais

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO

INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO INSTRUMENTO PARTICULAR DE CONTRATO DE LOCAÇÃO Pelo presente instrumento e na melhor forma de direito, as partes, de um lado, na qualidade de LOCADOR, e doravante assim designado, Landlord, e, de outro

Leia mais

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC

Local: Pavilhão de Eventos Maria Celina Vidotto Imhof (Pavilhão da Fenarreco), Rodovia Antonio Heil, 29 - Centro, Brusque/SC REGULAMENTO GERAL DA FEIRA 1 - INTRODUÇÃO As normas que regem a organização, montagem, funcionamento e desmontagem da FECATEX 2017 - Home & Fashion - Primavera Verão 2018- Feira Têxtil de Santa Catarina,

Leia mais

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz.

1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. Revisão: julho/2007 Fl. 01 de 03 1 Objetivo Esta Regulamentação Especial estabelece normas para acesso de pessoas ao Condomínio Edifício São Luiz. 2 Procedimentos 2.1 O acesso de pessoas nas dependências

Leia mais

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES

CAPÍTULO I DAS FINALIDADES REGULAMENTO DA SEDE CAMPESTRE DO SINDICATO DOS SERVIDORES DAS JUSTIÇAS FEDERAIS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SISEJUFE. PREÂMBULO O presente regulamento, objetiva a fixação de normas e regras de utilização

Leia mais

Universidade Federal de Itajubá - Unifei Campus de Itabira

Universidade Federal de Itajubá - Unifei Campus de Itabira Revisão: 001 Página 1 de 7 Dispõe sobre conjunto de regras relativas à concessão do direito de uso dos espaços de convivência vinculados à Diretoria de Infraestrutura, da Universidade Federal de Itajubá

Leia mais

PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: FEHOSP - Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficicentes do Estado de São Paulo REGULAMENTO GERAL

PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: FEHOSP - Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficicentes do Estado de São Paulo REGULAMENTO GERAL PROMOÇÃO E ORGANIZAÇÃO: FEHOSP - Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficicentes do Estado de São Paulo REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I - DEFINIÇÃO E FINALIDADE Art. 1o. - Art. 2o. - A 20ª MOSTRA ESTADUAL

Leia mais

COMPLEMENTO DO REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS DEVERES DOS CONDÔMINOS

COMPLEMENTO DO REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS DEVERES DOS CONDÔMINOS CONDOMÍNIO VILA VERDE SABARÁ Rua Doutor Marino Costa Terra, 1000, Parque Sabará São Carlos- SP COMPLEMENTO DO REGULAMENTO INTERNO CAPÍTULO I DOS DEVERES DOS CONDÔMINOS Artigo 1 : Zelar e fazer zelar pela

Leia mais

MODELO DE REGIMENTO INTERNO I - DISPOSIÇÕES GERAIS

MODELO DE REGIMENTO INTERNO I - DISPOSIÇÕES GERAIS MODELO DE REGIMENTO INTERNO I - DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente Regulamento Interno do Condomínio do Edifício, tem por objetivo explicitar as normas que devem ser obedecidas por todos os moradores,

Leia mais

Central de Atendimento: (11) 3292-6100

Central de Atendimento: (11) 3292-6100 Manual das Normas para uso da Colônia de Férias do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha, Pneumáticos e Afins da Grande São Paulo e Região Uma publicação do Sindicato dos

Leia mais

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS:

REGULAMENTO DIÁRIAS: RESERVAS: REGULAMENTO DIÁRIAS: As diárias iniciam às 13:00 e terminam às 12:00 do dia seguinte, independente do horário em que foi realizado o check-in. Após às 12:00 será cobrada nova diária. Cada diária inclui

Leia mais

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado

Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado Edifício Joviano de Moraes Manual do Credenciado A BrasilPark quer prestar sempre o melhor serviço para seus clientes. Para que isso aconteça, é essencial que você fique atento aos nossos procedimentos

Leia mais

1 Introdução. antes de mudar

1 Introdução. antes de mudar Introdução 1 Introdução antes de mudar Recebendo as chaves do imóvel, o proprietário deverá providenciar junto as concessionárias, as ligações de alguns serviços indispensáveis ao funcionamento de sua

Leia mais

CONTRATO DE COMODATO, DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E OUTRAS AVENÇAS

CONTRATO DE COMODATO, DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E OUTRAS AVENÇAS CONTRATO DE COMODATO, DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E OUTRAS AVENÇAS Pelo presente instrumento particular, de um lado V-SEG SENP TECNOLOGIA LTDA - EPP, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

CONTRATO DE LOCAÇÃO POR TEMPORADA

CONTRATO DE LOCAÇÃO POR TEMPORADA CONTRATO DE LOCAÇÃO POR TEMPORADA IRINALDA CARNEIRO DE MENEZES,brasileira,casada, advogada,portadora do RG Nº 510.955 SSP/PE, Residente e domiciliada na Rua José Paraíso, 103- Apto. 402- Edf. Castelo de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO

ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO JARDIM FLORENÇA AMOJAF REGULAMENTO INTERNO Os proprietários de imóveis da Célula Residencial do Jardim Florença, nesta cidade de Limeira (SP), abaixo assinados, aprovam o presente

Leia mais

CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PROMITENTES VENDEDORES:

CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA. PROMITENTES VENDEDORES: <identificação dos vendedores, nome endereço cpf cgc etc> CONTRATO DE PROMESSA DE COMPRA E VENDA PROMITENTES VENDEDORES: PROMITENTES COMPRADORES:

Leia mais

MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA

MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MINUTA DE CONTRATO DE COMODATO PARA EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA DAS PARTES Pelo presente instrumento particular de contrato, que tem de um lado , brasileiro, residente à ,

Leia mais