Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 01 Histórico da Seguridade Social

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 01 Histórico da Seguridade Social"

Transcrição

1 Comentários do Primeiro Simulado Direito Previdenciário Aula 01 Histórico da Seguridade Social

2 1. (1º Simulado/Prof. Francisco Júnior/Preparatório INSS-2014/2015) Até o século XVIII, não havia sistematização estatal na segurança social, com exceção de uma Lei apontada pela doutrina como o marco da assistência social no mundo, editada na Inglaterra, que instituía contribuição obrigatória para fins sociais. Marque a alternativa que contém o nome e o ano de publicação da referida Lei. a) Poor Law, b) Lei dos Pobres, c) Lei da Caridade, d) Santa Casa de Misericórdia, e) Lei dos Pobres, 1501.

3 2. (1º Simulado/Prof. Francisco Júnior/Preparatório INSS- 2014/2015) No Brasil, adotou-se o sistema de repartição simples, e não o de capitalização. Criado por Bismark, esse sistema securitário leva em consideração o princípio da solidariedade, em que todos participam do financiamento levando-se em consideração o conjunto, e não como uma poupança individual em que cada um recebe com base no que ele próprio depositou. ERRADA.

4 3. (1º Simulado/Prof. Francisco Júnior/Preparatório INSS- 2014/2015) Na Alemanha, século XIX, Otto Von Bismark, de 1883 a 1889, instituiu uma série de seguros sociais destinados aos trabalhadores. Em 1883: Seguro-doença obrigatório para trabalhadores da indústria. Em 1884: Seguro acidente de trabalho. Em 1889: Instituiu o Seguro de invalidez e velhice. Seu sistema era de capitalização. Embora imposto pelo Estado, já continha a noção de solidariedade. ERRADA.

5 4. (1º Simulado/Prof. Francisco Júnior/Preparatório INSS- 2014/2015) Em 1977 foi criado o SINPAS Sistema Nacional de Assistência e Previdência Social, para integrar as áreas de assistência, previdência e médica. Responsável também pela gestão das entidades ligadas ao MPAS. Dentre as alternativas abaixo, qual a que NÃO contém órgão que integrava o referido sistema: a) INPS-Instituto Nacional de Previdência Social, IAPAS-Instituto de Administração Financeira da Previdência Social.

6 b) INAMPS-Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, LBA-Fundação Brasileira de Assistência. c) FUNABEM-Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor, CEME-Central de Medicamentos. d) DATAPREV-Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social. e) INAMPS-Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, LBV-Legião da Boa Vontade. Gabarito: E.

7 Necessidade de Proteção para o Trabalhador O ser humano é um ser social deve haver a solidariedade; Na Antiguidade de Clássica: Nesta época era considerado como ocupação abjeta, relegada a plano inferior. Por isso o trabalho ficava para servos e escravos, que socialmente possuíam status inferior; Aristóteles: Dizia que para se obter cultura era necessário o ócio, razão pela qual deveria existir o escravo; Diz-se que a palavra tripalium vem dessa época.

8 ESTADO MODERNO; é nessa época que o trabalho desponta como o conhecemos hoje, tendo como marco a Revolução Industrial (teares mecânicos, máquinas...); Paralelamente, a Revolução Francesa (1789), com seus ideais libertários, pregava a liberdade absoluta e a igualdade entre os homens; No início da relação de emprego, havia ausência de regras protetivas. Em decorrência disso os trabalhadores viviam analogamente aos escravos;

9 Começam revoltas, greves e movimentos diversos na luta por direitos trabalhistas, fatos que forçaram a intervenção do Estado nas relações de trabalho, na segurança do trabalhador e nas situações de infortúnio; Bismark disse: Por mais caro que pareça o seguro social, resulta menos gravoso que os riscos de uma revolução. (Citado por Castro e Lazzari);

10 Proteção social: Início do século XIX: proteção social, portanto, é o conjunto de medidas de caráter social destinadas a atender certas necessidades individuais; mais especificamente, às necessidade individuais que, não atendidas, repercutem sobre os demais indivíduos e, em última análise, sobre a sociedade. (Citado por Castro e Lazzari)

11 Assistência e Caridade Guildas e Corporações de Ofício: Eram associações de profissionais surgidas na Baixa Idade Média (séculos XIII ao XV) e no final da Idade Média, respectivamente. Tinham por escopo, dentre outros, a assistência mútua, para receberem socorro no caso de perda da capacidade laborativa; Até o século XVIII não havia sistematização estatal na segurança social, exceção na Poor Law, de 1601, na Inglaterra, que instituía contribuição obrigatória para fins sociais, com o intuito assistencial;

12 Formação do Conceito de Bem-Estar Social: Avanços no mundo A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 1789, que inscreve o princípio da Seguridade Social como direito subjetivo assegurado a todos; Os Estados europeus criam proteção gradativa aos trabalhadores, a partir da segunda metade do século XIX até o início do século XX. Institutos como pensão e rendimentos por perda parcial ou total da capacidade de trabalho são implementados;

13 O intervencionismo estatal toma feições definitivas no período que vai da quebra da Bolsa de Valores de Nova Iorque, em 1929, ao período imediatamente posterior à Segunda Guerra Mundial. Nesse período surgem importantes políticas econômicas. É nesse interregno que surge a expressão Estado do Bem-Estar Social (Welfare State)

14 PREVIDÊNCIA NO MUNDO Seguridade = Segurança. Roma e Grécia Antigas: Já prestava, mediante contribuição, assistência aos seus membros. As famílias romanas tinham obrigação de prestar assistência aos servos e clientes. A Lei dos Pobres é o marco inicial da assistência social Inglaterra. Os ocupantes e usuários de terras pagavam impostos para cobrir as contingências dos necessitados que tinham direito à assistência. Inglaterra, século XVIII Passagem da manufatura para a indústria. Problemas Questões sociais. Criação dos sindicatos.

15 Alemanha, século XIX. Otto Von Bismark, de 1883 a 1889, instituiu uma série de seguros sociais destinados aos trabalhadores. Em 1883: Seguro-doença obrigatório para trabalhadores da indústria. Em 1884: Seguro acidente de trabalho. Em 1889: Instituiu o Seguro de invalidez e velhice. Seu sistema era de capitalização. Embora imposto pelo Estado, faltava ainda a noção de solidariedade.

16 Séculos XIX e XX Inglaterra. Em 1897, A Inglaterra, por meio do Workmen's Compensacion Act, criou o seguro obrigatório contra acidentes de trabalho. Em 1907 foi instituído o sistema de assistência à velhice e acidentes de trabalho. Em 1908 criou-se o Old Age Pensions Act para conceder Pensões aos maiores de 70 anos, independentemente de contribuição. EM 1911, estabeleceu-se um sistema compulsório de contribuições sociais que ficavam a cargo do empregador, empregados e Estado.

17 Constitucionalização de direitos sociais e políticos: 1917 México insere pela primeira vez na história a Previdência Social em seu texto constitucional, arrolando e sistematizando direitos sociais. Criada a OIT, em 1919, contemplou a proteção social Inglaterra cria o Plano Beveridge, para proteger o indivíduo contra algumas contingências. Sistema de repartição. Está positivada a SOLIDARIEDADE.

18 No pós-guerra, 50 Estados elaboram novas constituições para se adaptarem às novas exigências políticas e sociais; 1948 Declaração Universal dos Direitos do Homem, na França, prescrevia proteção previdenciária dentre os direitos fundamentais ali elencados.

19 Modelos de Regimes de Previdência (Social-Democrata, Conservador-Corporativo e o Liberal ou Residual ) Regime Social-Democrata: Típico de países nórdicos (Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia); Ênfase na universalidade da cobertura a todos os cidadãos, com redistribuição igualitária de renda; Benefícios com valores altos; Concedia benefícios com e sem contribuições; Tinha uma vasta malha de serviços públicos gratuitos.

20 Regime Conservador-Corporativo: Origem na Europa Ocidental; Tendência e priorizar o seguro social compulsório para atender aos trabalhadores; Possuía benefícios não pagos, assistenciais; Regime Liberal ou Residual: Benefícios contributivos e não contributivos; Combater a pobreza e garantir um patamar mínimo de renda; Possui uma rede pública limitada. Adotado no Reino Unido, Irlanda, Canadá e Estados Unidos.

21 PREVIDÊNCIA NO BRASIL Iniciativa privada: Primeira entidade a atuar na seguridade social foi a Santa Casa de Misericórdia, de Santos, em 1553, prestava serviços assistenciais; 1821 O príncipe regente Pedro de Alcântara concedeu aos professores com 30 anos de serviço uma aposentadoria; Constituição de 1824 tratou dos socorros públicos, sendo este o primeiro ato securitário com previsão constitucional; Em 1835 foi criado o Montepio* Geral dos Servidores do Estado Mongeral primeira entidade de previdência privada no país; *Instituto de previdência Estatal

22 1888 Foi concedida aposentadoria aos trabalhadores dos Correios. Nos anos seguintes, foram criados benefícios para os trabalhadores das estradas de ferro e das forças armadas; A Constituição de 1891 instituiu a aposentadoria por invalidez aos servidores públicos, custeada pela nação; 1919 Surgiu o seguro obrigatório contra acidentes de trabalho, que era uma indenização paga pelos empregadores aos seus empregados acidentados;

23 MARCO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL, a Lei Elói Chaves, Decreto 4.682, de 24/01/1923, criou as Caixas de Aposentadoria e Pensão CAP's para os trabalhadores ferroviários, mediante contribuição dos empregados, dos empregadores e do Estado (ATENÇÃO: O Estado NÃO era o seu administrador!) estabelecendo assistência médica, aposentadorias e pensões; Na década de 20 as CAP s foram estendidas para outras empresas, como as portuárias, marítimas etc.;

24 Na década de 30, as 183 CAP s foram reunidas formando os Institutos de Aposentadoria e Pensão, os IAP s, um sistema mais consistente. Os benefícios sociais foram estendidos para várias categorias de trabalhadores, tanto do setor público quanto do setor privado. Foram criados vários institutos: IAPM-1933, IAPC, IAPB, IAPI, IAPTEC, responsáveis pela gestão e execução da seguridade social;

25 O processo de unificação das CAP s foi de 1930 a 1950, com a criação de diversos outros institutos; A Constituição de 1934 foi a primeira a instituir a tríplice forma de custeio: Governo, empregadores e trabalhadores; A Constituição de 1937 usou pela primeira vez o termo seguro social, mas não trouxe grandes evoluções; A Constituição de 1946 inovou ao utilizar pela primeira vez a expressão previdência social. Ficou assegurado o direito à proteção contra os eventos de doença, invalidez, velhice e morte. Foi a primeira tentativa de sistematizar as normas de proteção social;

26 Em 1960 foi criado o Ministério do Trabalho e Previdência Social. A Lei 3.807, de 26 de agosto de 1960, criou a Lei Orgânica da Previdência Social LOPS, que unificou toda a legislação dos institutos previdenciários Foram unificados os IAP s, com a criação do Instituto Nacional de Previdência Social INPS, centralizando a gestão dos institutos e consolidando o sistema previdenciário brasileiro. Outra alteração importante da LOPS foi a criação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço FGTS.

27 Em 1970 a Lei Complementar nº 07, de 07 de setembro, criou o Programa de Integração Social PIS e meses depois, em 3 de dezembro do mesmo ano, a Lei Complementar nº 8 criou o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público PASEP O Ministério da Previdência e Assistência Social foi desmembrado do Ministério do Trabalho.

28 Em 1977 foi criado o SINPAS Sistema Nacional de Assistência e Previdência Social, para integrar as áreas de assistência, previdência e médica. Responsável também pela gestão das entidades ligadas ao MPAS. Órgãos: INPS-Instituto Nacional de Previdência Social, IAPAS-Instituto de Administração Financeira da Previdência Social, INAMPS- Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social, LBA-Fundação Brasileira de Assistência,

29 FUNABEM-Fundação Nacional do Bem-Estar do Menor, CEME- Central de Medicamentos e DATAPREV-Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social. Todas foram extintas, menos a DATAPREV a CRFB, a Constituição Cidadã, estendeu os benefícios previdenciários a todos os trabalhadores e instituiu no Brasil um novo conceito: o de Seguridade Social. Esta passa a ser formada por três segmentos: Saúde, Previdência e Assistência Social.

30 Coube à Constituição de 1988 reunir na seguridade social as três áreas: Saúde, Assistência Social e Previdência Social; Em 1990, a Lei criou o INSS Instituto Nacional do Seguro Social, com a junção do INPS e IAPAS.

1. ORIGEM E EVOLUÇÃO LEGISLATIVA NO BRASIL.

1. ORIGEM E EVOLUÇÃO LEGISLATIVA NO BRASIL. Capítulo 1 A Seguridade Social Sumário 1. Origem e evolução legislativa no Brasil Questões comentadas de concursos públicos Questões de concursos 1. ORIGEM E EVOLUÇÃO LEGISLATIVA NO BRASIL. A preocupação

Leia mais

Projeto de Ensino. Unidade Universitária de Dourados. Direito da Seguridade Social. Curso de Direito. Evolução Histórica

Projeto de Ensino. Unidade Universitária de Dourados. Direito da Seguridade Social. Curso de Direito. Evolução Histórica Unidade Universitária de Dourados Curso de Direito Projeto de Ensino Direito da Seguridade Social Evolução Histórica Prof. Esp. Eliotério Fachin Dias 2013 1. Evolução Histórica Para compreendermos a Seguridade

Leia mais

HISTÓRICO HISTÓRICO HISTÓRICO

HISTÓRICO HISTÓRICO HISTÓRICO HISTÓRICO Primeira concretização de proteção social: 1601, Inglaterra, com edição da Lei Poor Relief Act (ato de auxílio aos pobres). Instituía contribuição obrigatória para fins sociais. Noção de Seguridade

Leia mais

Histórico da Seguridade Social

Histórico da Seguridade Social Histórico da Seguridade Social Capítulo I Histórico da Seguridade Social 1. Técnico do Seguro Social INSS 2012 FCC Grau de Dificuldade: Médio O INSS, autarquia federal, resultou da fusão das seguintes

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL As conquistas mais definitivas da Previdência Social, como um sistema do trabalhador para o trabalhador, estão ligadas às lições aprendidas com os próprios segurados, no tempo e no espaço Extraído do Livro

Leia mais

CURSOS ON-LINE DIR. PREVIDENCIÁRIO CURSO REGULAR PROFESSOR FÁBIO ZAMBITTE

CURSOS ON-LINE DIR. PREVIDENCIÁRIO CURSO REGULAR PROFESSOR FÁBIO ZAMBITTE Prezados Alunos e Alunas, é um prazer fazer parte desta iniciativa do Ponto dos Concursos, e com isso atingir a todos que não tem tempo ou possibilidade de assistir um curso presencial. Tentarei aqui expor

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO PROFESSOR

PREVIDÊNCIA SOCIAL DO PROFESSOR PREVIDÊNCIA SOCIAL DO PROFESSOR A Política previdenciária brasileira está organizada em pública e privada. A primeira se subdivide em: Regime Geral da Previdência Social RGPS - abrange a população do setor

Leia mais

Apostilas OBJETIVA Técnico do Seguro Social INSS Instituto Nacional do Seguro Social - Concurso Público 2015. Índice

Apostilas OBJETIVA Técnico do Seguro Social INSS Instituto Nacional do Seguro Social - Concurso Público 2015. Índice Índice Seguridade Social - Origem e evolução legislativa no Brasil... 02 Organização e Princípios Constitucionais... 08 INSS... 12 SUS... 22 DRT... 31 Fontes, vigência, hierarquia, interpretação e integração...

Leia mais

O BENEFÍCIO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA O TRABALHADOR RESGATADO DA CONDIÇÃO ANÁLOGA À DE ESCRAVO

O BENEFÍCIO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA O TRABALHADOR RESGATADO DA CONDIÇÃO ANÁLOGA À DE ESCRAVO O BENEFÍCIO DO SEGURO-DESEMPREGO PARA O TRABALHADOR RESGATADO DA CONDIÇÃO ANÁLOGA À DE ESCRAVO *José Carlos Batista Texto elaborado em junho/2010. Resumo: a seguridade social brasileira contempla a concessão

Leia mais

OISS ORNIZATION INTERNATIONAL DE SEGURIDAD SOCIAL BRASIL

OISS ORNIZATION INTERNATIONAL DE SEGURIDAD SOCIAL BRASIL OISS ORNIZATION INTERNATIONAL DE SEGURIDAD SOCIAL EVOLUTION CONSTITUCIONAL DEL CONCEPTO DE SEGURIDAD SOCIAL BRASIL Marisa Vasconcelos Evolução Histórica Mundial Declaração Universal dos Direitos do Homem

Leia mais

PRINCÍPIOS e recomendações para um novo modelo previdenciário

PRINCÍPIOS e recomendações para um novo modelo previdenciário Confederação Confederação Confederação Confederação Confederação da Agricultura e Nacional do Nacional da Nacional das Nacional do Pecuária do Brasil Comércio Indústria Instituições Transporte Financeiras

Leia mais

CRISE NO CUSTEIO DA PREVIDÊNCIA OU FOMENTO DA ECONOMIA

CRISE NO CUSTEIO DA PREVIDÊNCIA OU FOMENTO DA ECONOMIA CRISE NO CUSTEIO DA PREVIDÊNCIA OU FOMENTO DA ECONOMIA Décio Bruno Lopes Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil Vice-Presidente de Assuntos da Seguridade social Deciobruno@anfip.org.br XI CONGRESSO

Leia mais

Direito do Previdenciário

Direito do Previdenciário 2009 Sinopses do Âmbito Jurídico Esta Apostila serve apenas como orientação de estudo e a sua utilização pelo usuário ou por terceiros é de responsabilidade única e exclusiva destes. O acesso e a utilização

Leia mais

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil?

2. O que a Funpresp Exe traz de modernização para o sistema previdenciário do Brasil? Perguntas Frequentes 1. O que é a Funpresp Exe? É a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo, criada pelo Decreto nº 7.808/2012, com a finalidade de administrar

Leia mais

Surgimento e Evolução do Direito do Trabalho

Surgimento e Evolução do Direito do Trabalho 1 Surgimento e Evolução do Direito do Trabalho 1 - Surgimento e Evolução do Direito do Trabalho 1.1 Introdução 1.2 - Os Escravos 1.3 - Os Servos 1.4 - As corporações de ofício 1.5 - A revolução industrial

Leia mais

Os primórdios do seguro social e as regras atuais

Os primórdios do seguro social e as regras atuais Os primórdios do seguro social e as regras atuais Vilson Antônio Romero* RESUMO: O artigo faz uma retrospectiva do sistema de seguro social brasileiro, mencionando os países onde há estruturas de proteção

Leia mais

Especialização em Direito Previdenciário A Seguridade Social

Especialização em Direito Previdenciário A Seguridade Social Especialização em Direito Previdenciário A Seguridade Social Prof. João Ernesto Aragonés Vianna Aula 01 A Seguridade Social (Conceito e seus elementos, conceito de risco social, sua evolução para a necessidade

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada

Conhecimentos Bancários. Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada Conhecimentos Bancários Item 2.3.5- Previdência Privada A previdência privada é uma aposentadoria que não está ligada ao sistema do Instituto Nacional

Leia mais

PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL MPS Ministério da Previdência Social SPS Secretaria de Previdência Social PANORAMA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL Seminário Técnico - CPLP Timor Leste, 06 e 07 de fevereiro de 2008 ASPECTOS CONCEITUAIS

Leia mais

A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil

A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil Seminário Gestão Municipal e os Fundos de Previdência A Conjuntura dos Regimes Próprios de Previdência Social no Brasil Reflexos na Gestão Municipal Certificado de Regularidade Previdenciária CRP e Certidão

Leia mais

Sumário DIREITO PREVIDENCIÁRIO... 03

Sumário DIREITO PREVIDENCIÁRIO... 03 Sumário DIREITO PREVIDENCIÁRIO... 03 1. DIREITO PÚBLICO X DIREITO PRIVADO... 03 2. ORIGEM E EVOLUÇÃO LEGISLATIVA DA SEGURIDADE SOCIAL... 04 3. COMPETÊNCIA, CONCEITUAÇÃO E PRINCÍPIOS CONSTITUCIONAIS...

Leia mais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais

A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais A Aposentadoria dos Servidores Públicos Federais Carlos Alberto Pereira de Castro Curitiba, junho de 2008 Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores públicos passou a ser relevante com as reformas

Leia mais

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde

ESCOLA DO SERVIÇO DE SAÚDE MILITAR NEWSLETTER. Junho de 2013 ARTIGO. Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde ARTIGO CAP Luís Pereira Sistemas de Saúde versus Serviço Nacional de Saúde Cada país da Europa desenvolveu, ao longo de décadas ou de séculos, um modelo de sistemas de saúde que assenta em características

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira

SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira SEGURANÇA SOCIAL E ECONOMIA A experiência brasileira Carlos Alberto Caser Vice-Presidente da ABRAPP Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar Diretor-Presidente da FUNCEF

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES A VEZ DO MESTRE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO CONTRIBUINTES DA PREVIDENCIA SOCIAL JOÃO LINO PEREIRA

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES A VEZ DO MESTRE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO CONTRIBUINTES DA PREVIDENCIA SOCIAL JOÃO LINO PEREIRA UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES A VEZ DO MESTRE CURSO PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO CONTRIBUINTES DA PREVIDENCIA SOCIAL JOÃO LINO PEREIRA RIO DE JANEIRO 2004 UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES A VEZ DO MESTRE

Leia mais

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015

PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 PROVA DE DIREITO PREVIDENCIÁRIO TCE-CE FCC 2015 Direito Previdenciário 67. (Auditor de Controle Externo/TCE-CE/FCC/2015): O princípio constitucional estipulando que a Seguridade Social deve contemplar

Leia mais

O Regime Geral de Previdência Social RGPS

O Regime Geral de Previdência Social RGPS O Regime Geral de Previdência Social RGPS Capítulo 5 O Regime Geral de Previdência Social RGPS Sumário 1. Introdução 2. Os beneficiários do RGPS: 2.1 Os segurados obrigatórios; 2.2. O segurado facultativo;

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL

INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL Ministério da Previdência Social INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL DIRETORIA DE ATENDIMENTO Programa de Educação Previdenciária ria Seguridade Social A Seguridade Social do Brasil compreende um conjunto

Leia mais

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014):

Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário. XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): Prova Comentada TRT/SP Direito Previdenciário XX. (Analista Judiciário Área Judiciária/TRT-2/FCC/2014): 54. Uma vez criados por lei do ente federativo, vinculam-se aos regimes próprios de previdência social

Leia mais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais

A Aposentadoria dos. Emendas Constitucionais A Aposentadoria dos Agentes Públicos P depois das Emendas Constitucionais Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho Mestre em Direito Previdenciário rio Introdução Estudo da aposentadoria dos servidores

Leia mais

CURSOS ON-LINE DIR. PREVIDENCIÁRIO CURSO REGULAR PROFESSOR FÁBIO ZAMBITTE. Aula Zero - Organização da Seguridade Social Brasileira.

CURSOS ON-LINE DIR. PREVIDENCIÁRIO CURSO REGULAR PROFESSOR FÁBIO ZAMBITTE. Aula Zero - Organização da Seguridade Social Brasileira. Aula Zero - Organização da Seguridade Social Brasileira. Prezados Colegas, já visando aos candidatos que se preparam para os futuros concursos da Receita Federal, vamos aqui reproduzir novo curso de direito

Leia mais

Carolina Romano Brocco

Carolina Romano Brocco Carolina Romano Brocco ORIGEM DA PROTEÇÃO SOCIAL Famílias assistência voluntária. Grupos de mútuo associações para a proteção contra os riscos sociais. Lei dos Pobres (Poor Law) de 1601 Inglaterra as Igrejas

Leia mais

APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA GENERALIDADE E DA UNIDADE NO DIREITO PREVIDENCIÁRIO FRANCÊS CONTEMPORÂNEO*

APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA GENERALIDADE E DA UNIDADE NO DIREITO PREVIDENCIÁRIO FRANCÊS CONTEMPORÂNEO* 49 APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA GENERALIDADE E DA UNIDADE NO DIREITO PREVIDENCIÁRIO FRANCÊS CONTEMPORÂNEO* I - INTRODUÇÃO Martha Halfeld Furtado de Mendonça Schmidt** 1. Antes de 1945, quase não se pode

Leia mais

Pensions at a Glance: Public Policies across OECD Countries 2005 Edition

Pensions at a Glance: Public Policies across OECD Countries 2005 Edition Pensions at a Glance: Public Policies across OECD Countries 2005 Edition Summary in Portuguese Panorama das Aposentadorias na OCDE: Políticas Públicas nos Países da OCDE Edição 2005 Sumário em Português

Leia mais

ANA CLAUDIA RIBEIRO ARAGÃO PENSÃO POR MORTE NO REGIME GERAL DA PREVIDENCIÁRIA SOCIAL

ANA CLAUDIA RIBEIRO ARAGÃO PENSÃO POR MORTE NO REGIME GERAL DA PREVIDENCIÁRIA SOCIAL FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA - UNIVEM GRADUAÇÃO EM DIREITO ANA CLAUDIA RIBEIRO ARAGÃO PENSÃO POR MORTE NO REGIME GERAL DA PREVIDENCIÁRIA SOCIAL

Leia mais

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano

RPPS X RGPS. Atuário Sergio Aureliano RPPS X RGPS Atuário Sergio Aureliano RPPS PREVIDÊNCIA NO SERVIÇO PÚBLICO E O SISTEMA PREVIDENCIÁRIO BRASILEIRO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS e REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Origem e evolução legislativa no Brasil. Origem e evolução legislativa no Brasil.

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO. Origem e evolução legislativa no Brasil. Origem e evolução legislativa no Brasil. DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka Origem e evolução legislativa no Brasil Origem e evolução legislativa no Brasil. No Brasil, uma das primeiras manifestações de Seguridade Social são: as santas

Leia mais

EDUARDO RAFAEL WICHINHEVSKI A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA UNIVERSALIDADE E DA PRECEDÊNCIA DA FONTE DE CUSTEIO NA SEGURIDADE SOCIAL

EDUARDO RAFAEL WICHINHEVSKI A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA UNIVERSALIDADE E DA PRECEDÊNCIA DA FONTE DE CUSTEIO NA SEGURIDADE SOCIAL EDUARDO RAFAEL WICHINHEVSKI A APLICAÇÃO DOS PRINCÍPIOS DA UNIVERSALIDADE E DA PRECEDÊNCIA DA FONTE DE CUSTEIO NA SEGURIDADE SOCIAL CURITIBA 2013 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2UNIVERSALIDADE DE COBERTURA

Leia mais

A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO. Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos

A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO. Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos A GESTÃO DA FORÇA DE TRABALHO NO SETOR PÚBLICO SOB O PRISMA PREVIDENCIÁRIO Marcus Vinícius de Souza Maria Thais da Costa Oliveira Santos Painel 46/162 Uma visão de longo prazo da Força de Trabalho no setor

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988 Emendas Constitucionais Emendas Constitucionais de Revisão Ato das Disposições

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO E DA SEGURIDADE SOCIAL

DIREITO PREVIDENCIÁRIO E DA SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO E DA SEGURIDADE SOCIAL Profª. Renata Orsi 1. SEGURIDADE SOCIAL 1.1. CONCEITUAÇÃO A Seguridade Social tem por finalidade assegurar, à população, proteção contra as denominadas contingências

Leia mais

Aula 00 Aula Demonstrativa Curso: Conhecimentos Específicos / Direito Previdenciário Técnico INSS Professor: Bernardo Machado

Aula 00 Aula Demonstrativa Curso: Conhecimentos Específicos / Direito Previdenciário Técnico INSS Professor: Bernardo Machado Aula 00 Aula Demonstrativa Curso: Conhecimentos Específicos / Direito Previdenciário Técnico INSS Professor: Bernardo Machado APRESENTAÇÃO Curso: Direito Previdenciário Técnico INSS Olá, queridos alunos!

Leia mais

IX ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES

IX ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES IX ENCONTRO NACIONAL DE VEREADORES Previdência Pública Servidores e Agentes Políticos Geilton Costa da Silva Conceito primitivo de previdência A raiz da palavra aponta para a faculdade ou ação de prever,

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE DIREITO. Flávia de Oliveira Telles DESAPOSENTAÇÃO: DEVOLUÇÃO OU NÃO DOS PROVENTOS RECEBIDOS

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE DIREITO. Flávia de Oliveira Telles DESAPOSENTAÇÃO: DEVOLUÇÃO OU NÃO DOS PROVENTOS RECEBIDOS UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO FACULDADE DE DIREITO Flávia de Oliveira Telles DESAPOSENTAÇÃO: DEVOLUÇÃO OU NÃO DOS PROVENTOS RECEBIDOS Passo Fundo 2012 Flávia de Oliveira Telles DESAPOSENTAÇÃO: DEVOLUÇÃO

Leia mais

UNIDADE DE APRENDIZAGEM II: GESTÃO E FINANCIAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) Autor: Prof. Dr. José Mendes Ribeiro (DCS/ENSP/FIOCRUZ)

UNIDADE DE APRENDIZAGEM II: GESTÃO E FINANCIAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) Autor: Prof. Dr. José Mendes Ribeiro (DCS/ENSP/FIOCRUZ) UNIDADE DE APRENDIZAGEM II: GESTÃO E FINANCIAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) Autor: Prof. Dr. José Mendes Ribeiro (DCS/ENSP/FIOCRUZ) Gestão do SUS: aspectos atuais A reforma sanitária brasileira,

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC CAMPUS DE VIDEIRA PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PREVIDENCIÁRIO SUZANA TESTA MUGNOL

UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC CAMPUS DE VIDEIRA PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PREVIDENCIÁRIO SUZANA TESTA MUGNOL UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC CAMPUS DE VIDEIRA PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO DO TRABALHO E DIREITO PREVIDENCIÁRIO SUZANA TESTA MUGNOL ERROS MAIS COMUNS COMETIDOS PELO INSS QUANDO DA CONCESSÃO

Leia mais

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS

REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA E REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL COMPARATIVO DE CUSTOS Atualmente, no Brasil, aproximadamente 3000 municípios possuem Regimes Próprios de Previdência. Ao final do ano

Leia mais

RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ

RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ RPPS SERVIDORES PÚBLICOS DO PARANÁ NATUREZA JURÍDICA ESTRUTURA FINANCIAMENTO SERVIDRES ABRANGIDOS DESAFIOS 1 História da Previdência Surge no dia que as pessoas começam a acumular para o futuro, para o

Leia mais

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com.

Actuarial Assessoria e Consultoria Atuarial Ltda Benjamin Constant, 67 Cj.404 CEP 80060 020 Curitiba Pr Fone/Fax (41)3322-2110 www.actuarial.com. Fundação AMAZONPREV Poder Executivo e Assembléia AVALIAÇÃO ATUARIAL Ano Base: 2014 Data Base: 31/12/2013 Índice 1. Introdução... 02 2. Participantes e Beneficiários... 02 3. Data Base dos Dados e da Avaliação...

Leia mais

Direito Tributário Espécies de Tributos Contribuições de Melhoria, Empréstimos Compulsórios e Contribuições Especiais

Direito Tributário Espécies de Tributos Contribuições de Melhoria, Empréstimos Compulsórios e Contribuições Especiais Direito Tributário Espécies de Tributos Contribuições de Melhoria, Empréstimos Compulsórios e Contribuições Especiais Sergio Karkache http://sergiokarkache.blogspot.com Contribuições de Melhoria A contribuição

Leia mais

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária

Introdução à atuária. Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Universidade de Cuiabá Tangará da Serra Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Noções de Atuária Introdução à atuária Aula 01 Prof. Dr. Junio C. Martinez O ATUÁRIO Profissão regulamentada em 03/04/1970

Leia mais

POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL. Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense

POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL. Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense POLÍTICAS SOCIAIS NO BRASIL Profa. Lenaura Lobato Universidade Federal Fluminense DÉCADA DE 20 1as. leis acidentes de trabalho - 1919 velhice, invalidez e morte - 1923 Código de menores - 1927 Departamento

Leia mais

O regime complementar do servidor público

O regime complementar do servidor público O regime complementar do servidor público Leandro Madureira* RESUMO: O servidor que ingressou ou venha a ingressar no serviço publico a partir de 4 de fevereiro de 2013 tem a aposentadoria limitada ao

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ EDNEIA CAMATINI

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ EDNEIA CAMATINI UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ EDNEIA CAMATINI UMA ABORDAGEM SOBRE A APOSENTADORIA POR IDADE DO TRABALHADOR RURAL NA QUALIDADE DE SEGURADO ESPECIAL DO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL Tijucas 2007 1

Leia mais

A REGULAMENTAÇÃO DA PREVIDÊNCIA DOS S ERVIDORES: PROBLEMAS E ALTERNATIVAS. Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho 2007

A REGULAMENTAÇÃO DA PREVIDÊNCIA DOS S ERVIDORES: PROBLEMAS E ALTERNATIVAS. Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho 2007 A REGULAMENTAÇÃO DA PREVIDÊNCIA DOS S ERVIDORES: PROBLEMAS E ALTERNATIVAS Carlos Alberto Pereira de Castro Juiz do Trabalho 2007 Tópicos Problemas do regime antigo e da Previdência em geral O sistema vigente

Leia mais

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL

SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL SEGURIDADE E PREVIDÊNCIA NO BRASIL Subseção DIEESE/CUT-Nacional São Paulo, 02 de agosto de 2014 Sindicato dos Trabalhadores(as) na Administração Pública e Autarquias no Município de São Paulo - SINDSEP

Leia mais

Aula 1 Histórico da Implementação da Política de Saúde no Brasil

Aula 1 Histórico da Implementação da Política de Saúde no Brasil Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Biologia Epidemiologia e Saúde Pública Aula 1 Histórico da Implementação da Política de Saúde no Brasil Histórico - Mundo Na Inglaterra: movimento

Leia mais

Políticas públicas e a assistência a saúde

Políticas públicas e a assistência a saúde Universidade de Cuiabá UNIC Núcleo de Disciplinas Integradas Disciplina: Formação Integral em Saúde História da Saúde no Brasil: Políticas públicas e a assistência a saúde Profª Ma. Kaline A. S. Fávero,

Leia mais

- 45.000 Testes e exercícios. - 5.600 Provas de concursos anteriores. Por R$ 24,90

- 45.000 Testes e exercícios. - 5.600 Provas de concursos anteriores. Por R$ 24,90 CD-ROM APOSTILAS PARA CONCURSOS - 400 Apostilas específicas e genéricas. (PDF e Word) - 45.000 Testes e exercícios. - 5.600 Provas de concursos anteriores. Por R$ 24,90 Pague quando receber o CD-ROM! Saiba

Leia mais

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA

CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA CARTILHA SOBRE A REFORMA DA PREVIDÊNCIA O servidor público e as alterações do seu regime previdenciário Jose Luis Wagner Luciana Inês Rambo Flavio Alexandre Acosta Ramos Junho de 2009 1 1. Introdução Desde

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO. Prof. Fernando Aith

ESCOLA DE GOVERNO. Prof. Fernando Aith ESCOLA DE GOVERNO Prof. Fernando Aith POLÍTICAS DE SAÚDE E O SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO: CONCEITOS, EVOLUÇÃO HISTÓRICA E CONSOLIDAÇÃO DO SUS NO BRASIL 1 ROTEIRO DA AULA 01 1. POLÍTICA, SAÚDE E SISTEMAS

Leia mais

HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo

HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo HISTÓRIA Professores: Pedro Alexandre, Guga, André, Osvaldo Comentário Geral Como sempre foi ressaltado em sala de aula, temas como Grécia, Idade Média, Revolução Francesa, Direitos Civis, refugiados,

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS: QUESTÕES POLÊMICAS Paulo Modesto (BA) http://www.ccjb.org.br Texto base: MODESTO, Paulo (org). Reforma da Previdência: análise e crítica da Emenda

Leia mais

REGRAS GERAIS E DE TRANSIÇÃO PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA PARA O SERVIDOR PÚBLICO E A APLICAÇÃO DA LEI NO TEMPO

REGRAS GERAIS E DE TRANSIÇÃO PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA PARA O SERVIDOR PÚBLICO E A APLICAÇÃO DA LEI NO TEMPO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ UNIVALI CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E JURÍDICAS CEJURPS CURSO DE DIREITO REGRAS GERAIS E DE TRANSIÇÃO PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA PARA O SERVIDOR PÚBLICO E A APLICAÇÃO

Leia mais

Aposentadoria: quem tem direito?

Aposentadoria: quem tem direito? Aposentadoria: quem tem direito? M uitas dúvidas dos diretores regionais do SINTEA/PR referente à aposentadoria e ao tempo de aprendizado profissional foram sanadas durante o 35º Encontro Estadual de Técnicos

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL: AS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS COMO FONTE DE CUSTEIO

SEGURIDADE SOCIAL: AS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS COMO FONTE DE CUSTEIO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS FACULDADE DE DIREITO DEPARTAMENTO DE DIREITO PÚBLICO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DIREITO DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FRANCISCO CARLOS DA

Leia mais

PROJETO RETA FINAL QUESTÕES COMENTADAS. INSS - FCC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 -

PROJETO RETA FINAL QUESTÕES COMENTADAS. INSS - FCC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 - INSS - FCC www.beabadoconcurso.com.br Todos os direitos reservados. - 1 - DIREITO PREVIDENCIÁRIO SÚMARIO UNIDADE 1 Seguridade Social (Origem e evolução legislativa no Brasil; Conceituação; Organização

Leia mais

1/7. Prof. Wilson Roberto

1/7. Prof. Wilson Roberto 1/7 5. Contrato individual de trabalho: Contribuição Sindical, INSS, Salário-família, IRRF trabalho assalariado, PIS/PASEP, e CAGED Contribuição Sindical A contribuição sindical está prevista nos artigos

Leia mais

DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO NO REGIME GERAL DA PREVIDENICA SOCIAL

DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO NO REGIME GERAL DA PREVIDENICA SOCIAL UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ UNIVALI CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, POLÍTICAS E SOCIAIS - CEJURPS CURSO DE DIREITO DA APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO NO REGIME GERAL DA PREVIDENICA SOCIAL DANIELA

Leia mais

Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal. Carlos Alberto Pereira de Castro ria-es, fevereiro de 2011

Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal. Carlos Alberto Pereira de Castro ria-es, fevereiro de 2011 Regras de Aposentadoria e Pensão do Regime Próprio de Previdência Federal Carlos Alberto Pereira de Castro Vitória ria-es, fevereiro de 2011 Roteiro Introdução ao tema Evolução da aposentadoria e da pensão

Leia mais

A Previdência e os Docentes das Instituições Públicas

A Previdência e os Docentes das Instituições Públicas A Previdência e os Docentes das Instituições Públicas Expediente Cartilha produzida pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de - ANDES-SN Setor Comercial Sul (SCS), Quadra 2, Edifício Cedro

Leia mais

A ATUAL TAXATIVIDADE DO CNIS. Em 1989, o Governo Federal determinou a criação do CTN Cadastro

A ATUAL TAXATIVIDADE DO CNIS. Em 1989, o Governo Federal determinou a criação do CTN Cadastro A ATUAL TAXATIVIDADE DO CNIS E a inversão do ônus da prova em favor do segurado? Por Anna Carla M. Fracalossi 1 Em 1989, o Governo Federal determinou a criação do CTN Cadastro Nacional do Trabalhador,

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas.

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criou este material para ajudar você com as

Leia mais

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS E JURÍDICAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO MONICA FOSCARIN BARELA

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS E JURÍDICAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO MONICA FOSCARIN BARELA UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ UNOCHAPECÓ ÁREA DE CIÊNCIAS HUMANAS E JURÍDICAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO MONICA FOSCARIN BARELA ACIDENTES DO TRABALHO E DOENÇAS OCUPACIONAIS NO ENFOQUE

Leia mais

DIREITO PREVIDENCIÁRIO PARA O CONCURSO DO INSS

DIREITO PREVIDENCIÁRIO PARA O CONCURSO DO INSS DIREITO PREVIDENCIÁRIO PARA O CONCURSO DO INSS Primeira Parte Elementos básicos do Direito Previdenciário Célio Cruz Marcos Elesbão Mapas mentais Resumos esquematizados Legislação previdenciária atualizada

Leia mais

História dos Direitos Humanos

História dos Direitos Humanos História dos Direitos Humanos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. Os direitos humanos são o resultado de uma longa história, foram debatidos ao longo dos séculos por filósofos e juristas. O início

Leia mais

A PERCEPÇÃO DO AUXÍLIO-DOENÇA NA ESFERA DO RGPS E AS IMPLICAÇÕES FRENTE À INEXISTÊNCIA DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL

A PERCEPÇÃO DO AUXÍLIO-DOENÇA NA ESFERA DO RGPS E AS IMPLICAÇÕES FRENTE À INEXISTÊNCIA DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE DIREITO KARLA RABELO CREMA A PERCEPÇÃO DO AUXÍLIO-DOENÇA NA ESFERA DO RGPS E AS IMPLICAÇÕES FRENTE À INEXISTÊNCIA DE CONTRIBUIÇÃO SOCIAL CRICIÚMA,

Leia mais

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício?

Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. C/C Itaú. Quando e como receberei o meu benefício? Aposentadoria do INSS. O Itaú explica para você como funciona e esclarece suas dúvidas. O Itaú quer estar presente em todos os momentos da sua vida. Por isso, criamos este material para ajudar você com

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL

PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL MPS Ministério da Previdência Social IV Conferência Brasileiros no Mundo PREVIDÊNCIA SOCIAL NO BRASIL Praia do Forte, 20 de novembro de 2013. 1 SEGURIDADE SOCIAL (CONCEITO AMPLO) CONTRIBUTIVO NÃO CONTRIBUTIVO

Leia mais

FACULDADE DE JAGUARIÚNA ROSÉRIA CARVALHO FIRMO

FACULDADE DE JAGUARIÚNA ROSÉRIA CARVALHO FIRMO FACULDADE DE JAGUARIÚNA ROSÉRIA CARVALHO FIRMO RECONHECIMENTO DOS VÍNCULOS EMPREGATÍCIOS DECORRENTES DE SENTENÇAS TRABALHISTAS PERANTE A PREVIDÊNCIA SOCIAL GARANTIA DE UM DIREITO FUNDAMENTAL Jaguariúna

Leia mais

CAPÍTULO 1 DEFINIÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL

CAPÍTULO 1 DEFINIÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL CAPÍTULO 1 DEFINIÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL Art. 194, CF/88 A seguridade social foi definida no caput do art. 194 da Constituição Federal como um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos

Leia mais

A política de atenção à saúde, previdência e benefícios do servidor público

A política de atenção à saúde, previdência e benefícios do servidor público A política de atenção à saúde, previdência e benefícios do servidor público 1. POLÍTICA E ATENÇÃO À SAÚDE DO SERVIDOR A ausência de uma política nacional de saúde do servidor, articulada em nível central,

Leia mais

A Previdência Social no Brasil. Figura 1 Estrutura simplificada da Seguridade Social no Brasil

A Previdência Social no Brasil. Figura 1 Estrutura simplificada da Seguridade Social no Brasil A Previdência Social no Brasil A estrutura do sistema de seguridade social no Brasil, por tratar-se de um país de dimensões continentais, difere das estruturas da maioria dos países. Sendo constituída

Leia mais

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS

DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS DIREITOS PREVIDENCIÁRIOS 1. INTRODUÇÃO O direito previdenciário é o ramo do Direito que disciplina a estrutura das organizações, o custeio, os benefícios e os beneficiários do sistema previdenciário. A

Leia mais

ANÁLISE DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS DO MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA/RS.

ANÁLISE DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS EFETIVOS DO MUNICÍPIO DE CANDELÁRIA/RS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO PÚBLICA UAB MODALIDADE A DISTÂNCIA PPGA/EA/UFRGS Rosane Maria da Luz Madrid ANÁLISE

Leia mais

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência

ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA. Visão geral de previdência ALTERNATIVAS PARA A APOSENTADORIA Visão geral de previdência Agenda 4Conceitos assistência, previdência, seguro 4Regimes e grandes números 4Sustentabilidade 4Previdência privada 4Saúde-Previdência 2 CONCEITOS

Leia mais

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR

WWW.CONTEUDOJURIDICO.COM.BR UNISAL JOEL DE FREITAS Regimes de Previdência Social no Brasil: Existe um regime próprio previdenciário dos militares das Forças Armadas? LORENA 2011 UNISAL JOEL DE FREITAS Regimes de Previdência Social

Leia mais

PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008

PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008 PORTARIA MPS Nº 403, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2008 DOU 11/12/2008 Dispõe sobre as normas aplicáveis às avaliações e reavaliações atuariais dos Regimes Próprios de Previdência Social - RPPS da União, dos Estados,

Leia mais

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665

Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Medidas Provisórias nº 664 e nº 665 Perguntas e respostas Ministério da Previdência Social Auxílio-Doença Benefício pago ao segurado em caso de incapacitação temporária para o trabalho por doença ou acidente

Leia mais

UNIJUÍ - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

UNIJUÍ - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL UNIJUÍ - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MARCO ANTONIO KUHN A EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA APOSENTADORIA RURAL E A APLICAÇÃO DO PRINCÍPIO DA UNIFORMIDADE E EQUIVALÊNCIA DOS BENEFÍCIOS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIREITO DEPARTAMENTO ECONÔMICO E DO TRABALHO ALINE DE OLIVEIRA MACHADO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIREITO DEPARTAMENTO ECONÔMICO E DO TRABALHO ALINE DE OLIVEIRA MACHADO 2 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE DIREITO DEPARTAMENTO ECONÔMICO E DO TRABALHO ALINE DE OLIVEIRA MACHADO REGIME GERAL DA PREVIDÊNCIA SOCIAL RGPS: FATORES QUE CONTRIBUEM PARA O DÉFICIT

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

OS REFLEXOS TRIBUTÁRIOS DAS RELAÇÕES MUNICÍPIOS X SERVIDORES

OS REFLEXOS TRIBUTÁRIOS DAS RELAÇÕES MUNICÍPIOS X SERVIDORES OS REFLEXOS TRIBUTÁRIOS DAS RELAÇÕES MUNICÍPIOS X SERVIDORES SERVIDORES PÚBLICOS Constituição de 1988 Cargos em Comissão Atividades de Direção, Chefia e Assessoramento Contratos de Prestação de Serviços

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 7.797, DE 2014 Dispõe sobre a concessão de prêmio e de auxílio especial mensal a atletas olímpicos e paraolímpicos. Autora: Deputada MARA GABRILLI

Leia mais

Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público. junho de 2007

Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público. junho de 2007 Audiência Pública na Comissão do Trabalho, Administração e de Serviço Público junho de 2007 Sumário Regulamentação do direito de greve dos servidores públicos Previdência complementar dos servidores da

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - 1. Conceituação a) condição de pessoa como requisito único para ser titular de direitos humanos. b) dignidade humana. 2. Histórico Declaração americana

Leia mais

JOÉSIA SAIBROSA DA SILVA

JOÉSIA SAIBROSA DA SILVA JOÉSIA SAIBROSA DA SILVA DA INSCRIÇÃO E CONTRIBUIÇÃO DOS CONSCRITOS NO REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL. AVM FACULDADE INTEGRADA BRASILIA - DF 2014 JOÉSIA SAIBROSA DA SILVA DA INSCRIÇÃO E CONTRIBUIÇÃO

Leia mais

PREVIDÊNCIA SIMULADO 02

PREVIDÊNCIA SIMULADO 02 PREVIDÊNCIA SIMULADO 02 Nas questões de 01 a 10, marque a alternativa correta: 01) I. Os beneficiários da previdência social subdividem se em dependentes e segurados. Já os segurados, podem ser obrigatórios

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO SÓCIO ECONÔMICO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS ECONÔMICAS PREVIDÊNCIA SOCIAL: Uma análise do Regime Próprio de Previdência dos Servidores

Leia mais