FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO"

Transcrição

1 FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos

2

3 Objetivos desta unidade: Ao final desta unidade, o aluno deverá ser capaz de: 1. Definir e contextualizar ética e a sua abrangência nas organizações. 2. Saber classificar comportamento ético de acordo com uma escala. 3. Conhecer as duas filosofias diferentes sobre a responsabilidade social das empresas.

4 Conceito de Ética Na visão de Maximiniano (2012, p. 397), a responsabilidade social das organizações e o comportamento ético dos administradores estão entre as tendências mais importantes que vão influenciar a teoria e a prática da administração a partir do Terceiro Milênio. A discussão sobre ética e responsabilidade social é antiga, mas faz pouco tempo que passou a nortear o comportamento dos gestores. Isto aconteceu a partir do momento em que casos de poluição, corrupção, desemprego e direitos do consumidor começaram a ganhar mais destaque na mídia. Sob o ponto de vista estritamente filosófico, a ética pode ser definida como a interpretação da moral.

5 Conceito de Ética A palavra ética tem a sua origem na palavra latina ethos, que significa comportamento, hábitos, costumes. A palavra moral tem a sua origem na palavra latina mores, que também significa hábitos e costumes. Muitas pessoas confundem ou acham que ética e moral são palavras sinônimas, uma vez que possuem raízes etimológicas semelhantes. Entretanto, alguns autores fazem distinção, considerando a ética como uma reflexão crítica acerca da moral o que nos leva de volta ao sentido filosófico da ética. Assim, existem hábitos e costumes que são considerados modelos perante a sociedade ou a um grupo específico. A ética tenta refletir o quanto determinado comportamento está alinhado ou não em relação a um comportamento ideal.

6 Conceito de Ética A partir destas reflexões éticas, surgem normas de conduta, que são expressas como um código: por exemplo, o código de ética dos médicos, dos militares, dos jornalistas, da propaganda, dos políticos, de um grupo social ou religioso, de uma organização, entre outros. Assim, o código de ética contém um sistema de valores que devem nortear o comportamento de pessoas, grupos, profissões (administradores) e organizações. Por exemplo, uma pessoa está em uma cama de hospital como um vegetal, mantida viva apenas pelos aparelhos. Sob o ponto de vista moral, que está ligado à opinião, desligar os aparelhos poderia ser uma opção moralmente aceitável. Entretanto, sob o ponto de vista ético, não seria uma atitude correta, pois a lei não permite isso. A ética não admite desvios: não existe uma meia ética.

7 Exemplos de Ética O código de ética da propaganda condena empresas que comparam seus produtos. Também condena a participação de mulheres menores de 25 anos em propagandas de bebidas alcoólicas. A utilização de imagens de bichinhos criados por computação gráfica em propagandas deste tipo também passou a ser controlada por este código de ética. A utilização de recursos de forte apelo popular por programas de TV (por exemplo, pessoas com deformidades físicas ou em situações constrangedoras) é considerado como atitude condenável por muitas emissoras, mas em nome da audiência, algumas ainda continuam a utilizar. Um político que acumula dois cargos, recebe pelos dois cargos trabalhando em apenas um deles, pode muitas vezes fazer isso porque a lei permite. Muitos falam que isso é legal mas não é moral. O correto seria dizer é legal mas não é ético.

8 A Ética na Administração De acordo com os pesquisadores Stoner et al (1995, apud MAXIMINIANO, 2012, p. 399), a ética na administração pode ser abordada em quatro níveis, a saber: 1) Nível Social: Expressa a maneira como as pessoas questionam a presença, o papel e os efeitos das organizações perante a sociedade. Por exemplo: É justo que um executivo ganhe cinquenta vezes mais do que um trabalhador do nível operacional?; É aceitável o fato de empresas bancarem campanhas políticas de candidatos com o intuito de obterem vantagens?; É correto que algumas empresas formem cartéis como forma de controlar o preço de produtos?; Podemos aceitar que algumas empresas subornem funcionários para pagar menos impostos ou para vencerem uma determinada concorrência ou licitação?

9 A Ética na Administração 2) Nível do Stakeholder: Os stakeholders (parte interessada ou seja, clientes, fornecedores, distribuidores, funcionários, comunidade) são pessoas que sofrem, direta ou indiretamente, influência das decisões administrativas de uma organização, representada aqui pelos shareholders (acionistas, gestores e o conselho de administração). Por exemplo: Qual é a obrigação da empresa em informar para os seus consumidores os riscos que seus produtos podem trazer para a saúde (por exemplo, cigarros e bebidas alcoólicas)?; Qual é o impacto da instalação ou operação de uma organização para uma comunidade ou para o meio ambiente?; Que impacto os clientes, fornecedores, distribuidores e funcionários podem sofrer em caso de desativação de uma unidade ou filial de uma organização?

10 A Ética na Administração 3) Nível da política interna: Os questionamentos éticos neste nível abrangem principalmente a relação das organizações com os seus funcionários. Por exemplo: Quais são as obrigações das organizações (além das legais) para com seus funcionários?; Que tipos de compromissos uma empresa pode exigir de seus funcionários?; Até que ponto os funcionários devem ser ouvidos em relação às decisões que as organizações tomam? 4) Nível individual: Este nível diz respeito à maneira como as pessoas devem tratar-se umas às outras. Por exemplo: Que normas de conduta devem orientar o comportamento das pessoas em seus relacionamentos pessoais nas organizações?; Como uma empresa (chefia) pode ajudar seu funcionário em uma questão pessoal?.

11 Sistemas de valores e evolução ética Valores são julgamentos sobre o que é aceitável ou inaceitável ou desejável ou indesejável sobre certa situação, e fornece uma justificativa para alguma decisão. São os valores que formam a base dos códigos de ética. Por exemplo, o filósofo chinês Confúcio (século V a.c.) pregava como maior valor a norma da reciprocidade, também conhecida como Regra de Ouro em algumas culturas: A conduta virtuosa em relação aos outros consiste em tratar os outros como cada um gostaria de ser tratado. Já Aristóteles pregava a virtude (excelência intelectual e moral) e a moderação: O excesso é uma forma de erro, assim como a falta. Portanto, deve-se buscar o meio termo. O filósofo Immanuel Kant pregava que, uma pessoa, ao agir, não deve utilizar outras pessoas como meios para atingir os seus próprios interesses.

12 Sistemas de valores e evolução ética Os sistemas de valores evoluem com o tempo. Isto significa que conceitos como noção de cidadania, virtude coletiva, respeito à pessoa e aos direitos humanos estão ligados à mudança evolutiva dos costumes. Por exemplo, o regime de apartheid era moralmente aceito até o início da década de 90. Entretanto, a partir dos inúmeros conflitos internos entre maioria negra e minoria branca, e por meio da pressão e boicote de outros países a este tipo de segregação, houve uma mudança de costumes. Outro exemplo vem das montadoras de automóvel. A preocupação com a segurança não fazia parte da preocupação dos projetistas de carros, que consideravam acidentes e danos corporais como um risco inerente ao uso do automóvel. Entretanto no dia em que um automóvel da GM foi colocado no banco dos réus pelo advogado Ralph Nader, tudo mudou...

13 Ética absoluta A noção de ética absoluta diz respeito à tipificação de determinados comportamentos como certos ou errados, seja qual for o contexto. Este é o grande problema da ética absoluta: a noção do que é certo ou errado vem da opinião, mas dependendo do contexto, esta ética pode ferir princípios morais. O exemplo que melhor ilustra este fato é a reputação que os bancos suíços construíram em cima do principio ético do sigilo absoluto acerca das contas bancárias secretas. Os bancos suíços conquistaram respeito e admiração por causa deste princípio ético, até o dia em que outros países fizeram pressão ao demonstrar que nem todos os clientes destes bancos eram pessoas respeitáveis, que ganharam dinheiro de forma lícita. Assim, esta ética absoluta do sigilo, antes admirada, teve que ser revista.

14 Ética relativa A noção de ética relativa reconhece que existem determinadas situações que podem influenciar a definição dos valores que a sociedade considera socialmente aceitável. Por exemplo, um funcionário que pede uma nota fiscal em um restaurante com valor superior ao que foi gasto para embolsar a diferença está agindo de modo certo ou errado? Seria aceitável um funcionário fazer isso se uma empresa incentivar esta prática como uma maneira de pagar um adicional sem tributação? E se uma empresa faz um desconto especial caso o cliente concorde em não pedir nota fiscal? Outra situação: a empresa dá um desconto se o pagamento for em dinheiro, à vista, mas não dá nenhum desconto para pagamentos efetuados com cartão de crédito. Isto é certo ou errado?

15 Estágios de Desenvolvimento Moral Como vimos anteriormente, os princípios éticos podem variar de acordo com o contexto temporal, cultural e religioso. Isto significa que em qualquer estágio de desenvolvimento da sociedade, vão existir diferentes princípios éticos. Assim, as pessoas podem optar em adotar valores mais atrasados ou modernos de acordo com as suas convicções, e isto vai influenciar em sua interpretação, resultando em diferentes princípios éticos. Por exemplo, uma pessoa muito conservadora pode ter problemas em trabalhar em equipe com pessoas que possuem uma orientação sexual ou religiosa diferente daquela que ele considera como certa ou moralmente aceitável. A partir destas diferenças de princípios éticos, convencionouse que existem três estágios de desenvolvimento moral: o préconvencional, o convencional e o pós convencional.

16 Estágios de Desenvolvimento Moral Estágio pré-convencional de desenvolvimento moral: Neste estágio, a ética é individualista ou egoísta. Alguns autores consideram que nesse estágio, praticamente não existe ética, pois as pessoas ou grupos agem de acordo com o prazer pessoal ou com os interesses do grupo. Este estágio é também conhecido como estágio de Darwinismo Social, porque estimula a uma competição entre pessoas ou grupos em que somente os mais fortes vão sobreviver (seleção natural). Alguns autores consideram que muitas empresas que praticam concorrência desleal, conseguiram crescer a partir dos seguintes princípios de conduta, típicos deste estágio: 1) Cada um por si; 2) O negócio é levar vantagem em tudo; 3) Os outros que se danem; e 4) O mundo é dos espertos. As empresas aéreas que vivem à custa da detestável prática do overbook também se enquadram nesta categoria. A prática de extorsão por parte de fiscais também está inclusa aqui.

17 Estágios de Desenvolvimento Moral Estágio convencional de desenvolvimento moral: Neste estágio, a ética continua sendo individualista ou egoísta. Entretanto, existem regras de conduta estabelecidas que punem aqueles que se desviam delas. Assim, existe um respeito às regras por conveniência (medo da punição por um comportamento errado). No campo da administração, este estágio corresponde às estratégias que as empresas adotam em virtude da regulamentação ou para atingir determinados segmentos de mercado. Este é o caso, por exemplo, das empresas verdes, que querem associar o respeito ao meio ambiente à sua marca com o objetivo de conseguir entrar em determinados mercados. Também é o caso de montadoras de automóveis, que exportam automóveis qe se adequam às normas europeias ou americanas, muito mais rígidas que as normas brasileiras.

18 Estágios de Desenvolvimento Moral Estágio pós convencional de desenvolvimento moral: Neste estágio, a ética atinge o nível mais alto, por que a conduta individual ou de grupos passa a não depender mais de regras escritas. É o estágio de idealismo moral, em que as regras são respeitadas por convicção e não por obrigação ou medo de punições. São princípios norteadores deste estágio, a saber: Minha liberdade termina onde começa a liberdade do vizinho; Não concordo com nada do que dizes, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-las; Não há o que me obrigue a fazer algo que eu considere moralmente errado; Não importa a opinião da maioria, mas sim valores como justiça, direito, igualdade, liberdade, fraternidade, retidão de caráter; Mulheres e crianças em primeiro lugar; O comandante é o último a abandonar o navio.

19 A Responsabilidade Social As discussões que levaram ao estudo da ética na administração tiveram a sua origem a partir da ideia de que as organizações usam recursos da sociedade, e sendo assim, é justo que elas tenham algum tipo de responsabilidade em relação à sociedade. Este princípio é conhecido como doutrina da responsabilidade social das organizações. Por outro lado, existe um outro princípio, que embasa a doutrina do interesse dos acionistas. Segundo este princípio, as organizações tem obrigações unicamente para com seus acionistas, e não cabe a elas o ônus de resolver problemas sociais. Como podemos ver, os interesses das doutrinas são conflitantes, e decorrem dos benefícios e prejuízos que as organizações trazem para a sociedade. Entre os benefícios, podemos citar a criação de empregos, o pagamento de impostos e salários, a promoção de distribuição de renda, o desenvolvimento de fornecedores e o treinamento de mão de obra. Mas há também prejuízos:

20 A Responsabilidade Social Entre os prejuízos que as organizações podem trazer para a sociedade podemos citar os danos ao meio ambiente, a possibilidade de manipulação dos funcionários, demissões, desemprego, relações suspeitas com o poder, e corrupção de funcionários públicos. A partir destes eventuais prejuízos que as organizações podem trazer para a coletividade, a sociedade reagiu e criou mecanismos éticos de controle das atividades das organizações. Foi assim que surgiram, por exemplo, o código de defesa do consumidor e os dispositivos legais que visam garantir a defesa do meio ambiente. Além disso, surgiram códigos de conduta para administrar comportamentos considerados duvidosos, como por exemplo: 1) Oferecer presentes para compradores; 2) Aceitar presentes de fornecedores ou vendedores; 3) Usar informações da empresa em proveito próprio; 4) Utilizar recursos da empresa para finalidades pessoais; 5) Falar mal ou denegrir a imagem dos concorrentes.

21 Bibliografia Consultada CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 7. ed. São Paulo: Rio de Janeiro: Elsevier, MAXIMIANO, Antônio César Amaru. Teoria geral da administração: da revolução urbana à revolução digital. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2012.

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA SUMÁRIO 1 ÉTICA...03 2 APRESENTAÇÃO...04 3 APLICAÇÃO...05 4 FINALIDADES...06 5 DEFINIÇÕES...07 6 CULTURA ORGANIZACIONAL...08 6.1 MISSÃO...08 6.2 VISÃO...08 6.3 VALORES...08 6.4

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Objetivos desta unidade: Ao final desta

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A.

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA LOGZ LOGÍSTICA BRASIL S.A. APRESENTAÇÃO A LOGZ Logística Brasil S.A. (a Companhia ou LOGZ ) é uma sociedade holding consolidadora de participações em ativos logísticos e tem como objetivo a expansão de suas atividades possibilitando

Leia mais

ÉTICA APLICADA Ética e Moral

ÉTICA APLICADA Ética e Moral ÉTICA APLICADA Ética e Moral ÉTICA é o ramo da filosofia dedicado aos assuntos morais, é ciência que se ocupa do estudo do comportamento humano e investiga o sentido que o homem confere às suas ações.

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: FUNDAMENTOS DA ADMINISTRAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Organizações Nenhuma organização existe

Leia mais

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig

de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética ca Código de Ética Código de Ética Código de Ética Código de Ética Códig de Ética Código CÓDIGO de Ética Código de Ética Código DE de Ética Código de Ética de Ética Código de Ética Código ÉTICA de Ética Código de Ética Código de Ética Fazendo Negócios com Integridade Realizamos

Leia mais

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1

Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 Código de Ética CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 1 CÓDIGO DE ÉTICA GRUPO BONSUCESSO 2 Sumário 1. Introdução...3 2. Postura pessoal e profissional...4 3. Relacionamento com público interno...6 4. Relacionamento

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta 2015 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ALIANSCE I. Abrangência A Aliansce, todas as sociedades, direta ou indiretamente por ela controladas ou sob mesmo controle, e os Shopping Centers

Leia mais

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência

Código de Ética Nas Relações com as Partes Interessadas Com os Clientes e a Concorrência Código de Ética Conduzimos nossos negócios dentro de uma estrutura de padrões profissionais, legislações, regulamentações e políticas internas. Entretanto, temos consciência que essas normas não necessariamente

Leia mais

2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF

2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF 2 CÓDIGO DE ÉTICA RUDLOFF ÍNDICE Sobre o Código de Ética... 05 Missão, Visão e Valores... 06 Colaboadores... 07 Legislação... 08 Conflito de Interesse... 09 Uso adequado dos Bens da Empresa... 10 Publicidade

Leia mais

O uso do Crédito por consumidores que não possuem conta corrente

O uso do Crédito por consumidores que não possuem conta corrente O uso do Crédito por consumidores que não possuem conta corrente Maio de 2015 Slide 1 OBJETIVOS DO ESTUDO Mapear atitudes e comportamentos das pessoas que não possuem conta corrente em banco com relação

Leia mais

MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP

MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP MT/002-14 CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA ARGUS 12/2014 - VINHEDO, SP 1 Código de Ética e Conduta da Argus MENSAGEM DO PRESIDENTE Este Código de Ética e Conduta foi elaborado com a finalidade de explicitar

Leia mais

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL

CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL O CÓDIGO RIP DE CONDUTA EMPRESARIAL Março de 2015 1ª edição MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta da RIP ( Código ) é a declaração formal das expectativas que servem

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DO PRESIDENTE O Código de Conduta Ética das Empresas Concremat contempla os princípios que devem estar presentes nas relações da empresa com seus colaboradores, clientes,

Leia mais

o inimigo na mesa ao lado Crimes digitais: Recursos Humanos

o inimigo na mesa ao lado Crimes digitais: Recursos Humanos Gestão Recursos Humanos Crimes digitais: o inimigo na mesa ao lado Quem está preparado para evitar os chamados crimes digitais, que já ocupam a segunda posição da lista de crimes econômicos mais identificados,

Leia mais

Um mercado de oportunidades

Um mercado de oportunidades Um mercado de oportunidades Como grandes, pequenas e médias empresas se comunicam? Quem são os principais interlocutores e como procurá-los? Como desenvolver uma grande campanha e inovar a imagem de uma

Leia mais

apropriados para uma relação terapeuta e cliente possa ser segura.

apropriados para uma relação terapeuta e cliente possa ser segura. QUESTÕES ÉTICAS EM PSICOTERAPIA Dilemas éticos para o século XXI Roberto Faustino de Paula ÉTICA O termo ética vem do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa), significando um conjunto de valores

Leia mais

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1

GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 1 07/12/15 17:39 GU-0017-15BF-Codigo-Etica2.indd 2 07/12/15 17:39 APRESENTAÇÃO Carta do Presidente do Conselho de Administração Pessoas e equipes são valorizadas na Concessionária

Leia mais

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros

P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Favor indicar sua função na empresa: 37% 23% N=30 7% 13% 7% 13% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria RH e área Corporativa Outros Outros: Agrônomo Agrícola Gestão da Qualidade e Meio

Leia mais

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest

[CÓDIGO DE ÉTICA] Interinvest [CÓDIGO DE ÉTICA] Este documento determina as práticas, padrões éticos e regras a serem seguidos pelos colaboradores, fornecedores e a todos aqueles que, direta ou indiretamente, se relacionem com a Interinvest.

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO Versão 1.0 RES nº 101/2014, 09/12/2014 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Aplicação... 3 3. Conceitos... 3 4. Referências... 4

Leia mais

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino

Unidade III ESPECIALIZAÇÕES. Profa. Cláudia Palladino Unidade III ESPECIALIZAÇÕES DO MARKETING Profa. Cláudia Palladino Marketing social Atuação das empresas hoje e a Responsabilidade social: Obtenção de insumos e processamento de matéria prima de maneira

Leia mais

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade

Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade Pesquisa de opinião Profissional de comunicação e sustentabilidade O Instituto ABERJE de Pesquisas (DATABERJE) realizou uma pesquisa de opinião sobre sustentabilidade com mulheres da área de comunicação,

Leia mais

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos:

A SINIGAGLIA, endossa e pratica de forma sistemática os princípios do Pacto Global 1 da ONU, integrando-os a seus processos: INTRODUÇÃO O regime da livre iniciativa impõe às organizações e seus integrantes a conduzirem-se dentro de um ambiente de respeito e entendimento, zelando para que toda e qualquer forma de relacionamento,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA

CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA CÓDIGO DE ÉTICA RECEBA MAIS QUE TECNOLOGIA Código de Ética e de Responsabilidade Social Propósitos A ACE Schmersal tem uma atuação corporativa pautada em valores éticos e morais. Estes mesmos valores regem

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Código de Conduta e Ética Rev00 de 02/12/2014 Página 1 de 13

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA. Código de Conduta e Ética Rev00 de 02/12/2014 Página 1 de 13 CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Código de Conduta e Ética Rev00 de 02/12/2014 Página 1 de 13 1. Introdução A actuação do Grupo 8, na qualidade de prestador de serviços de segurança privada pauta-se por valores

Leia mais

ENTREVISTA. ConJur Como surgiu a ideia de conciliar nas negociações entre mutuários inadimplentes e construtoras?

ENTREVISTA. ConJur Como surgiu a ideia de conciliar nas negociações entre mutuários inadimplentes e construtoras? ENTREVISTA ConJur Como surgiu a ideia de conciliar nas negociações entre mutuários inadimplentes e construtoras? Carla Boin Surgiu em 2009, quando nos aproximamos devido a uma empatia de ideais, de princípios.

Leia mais

Código de Conduta e Ética

Código de Conduta e Ética CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA BC CONSULT Página 1 de 9 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PRINCÍPIOS... 4 INTEGRIDADE... 4 DISCRIMINAÇÃO... 4 CONFLITO DE INTERESSE... 4 CONFIDENCIALIDADE DE INFORMAÇÕES... 5 PROTEÇÃO AO

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

Padrões de Conduta de Negócios

Padrões de Conduta de Negócios Padrões de Conduta de Negócios A integridade da Dana está em suas mãos A importância destes padrões A Dana Holding Corporation e todas as suas subsidiárias devem conduzir os negócios de uma forma ética

Leia mais

Código de Conduta Empresarial

Código de Conduta Empresarial Código de Conduta Empresarial Conteúdo Mensagem do Conselho de Administração 2 O que é este Código de Conduta 3 Objetivos do Código de Conduta Empresarial do Grupo Camargo Corrêa 3 A quem este Código se

Leia mais

REVIVAL EXPLOSION MINISTRIES APLICAÇÃO PARA ESCOLA DE MINISTÉRIO REVIVAL EXPLOSION 2013

REVIVAL EXPLOSION MINISTRIES APLICAÇÃO PARA ESCOLA DE MINISTÉRIO REVIVAL EXPLOSION 2013 REVIVAL EXPLOSION MINISTRIES WWW.REVIVALEXPLOSION.COM APLICAÇÃO PARA ESCOLA DE MINISTÉRIO REVIVAL EXPLOSION 2013 ESTOU APLICANDO PARA ACEITAÇÃO COMO ALUNO NA ESCOLA DE MINISTÉRIO: CIRCULE SUA SESSÃO DE

Leia mais

Código de Ética LLTECH

Código de Ética LLTECH Código de Ética LLTECH Quem somos A LLTECH é uma empresa que oferece soluções inovadoras para automação e otimização de processos industriais, fornecendo toda a parte de serviços e produtos para automação

Leia mais

ÉTICA. Prof.Archangelo P. Fernandes. www.profbio.com.br

ÉTICA. Prof.Archangelo P. Fernandes. www.profbio.com.br ÉTICA Prof.Archangelo P. Fernandes www.profbio.com.br Ética? Isso é coisa de filósofo! CULTURA CIÊNCIA POLÍTICA ÉTICA ARTE INDUSTRIA DEONTOLOGIA Provem do grego deon, deontos = (dever) e logos = (tratado).

Leia mais

Maria Rita Gramigna. Procrastinação: deixar para amanhã o que pode ser feito hoje.

Maria Rita Gramigna. Procrastinação: deixar para amanhã o que pode ser feito hoje. Maria Rita Gramigna Procrastinação: deixar para amanhã o que pode ser feito hoje. Que motivos levam as pessoas a adiar ações e decisões em seu cotidiano? No ambiente empresarial, é comum a presença de

Leia mais

1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO?

1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO? 1. QUAL O VALOR MÁXIMO DE MULTA A SER COBRADO NO PAGAMENTO DE CONTAS EM ATRASO? Depende de cada caso. De acordo com o art. 52, 1, do CDC - Código de Defesa do Consumidor, quando o fornecimento de produtos

Leia mais

Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL

Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL Governo das Sociedades E RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS 23-2-2015 Carlos Tavares 1. Quando falamos em governo das sociedades e no papel da respectiva regulação, a primeira questão que se nos depara

Leia mais

c. Promover o comportamento ético no ambiente em que atuamos.

c. Promover o comportamento ético no ambiente em que atuamos. Introdução O Código de Ética e Conduta foi aprovado em reunião do Conselho de Administração em 03/08/2015. É um documento que resume as principais políticas e diretrizes que definem as regras orientadoras

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON

CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON CÓDIGO DE ÉTICA e NORMAS DE CONDUTA REVOLUTYON A Revolutyon é uma Empresa regida por uma escala de valores, que se orgulha da qualidade e do caráter de todos os seus Membros. O presente Código de Ética

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para:

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para: Introdução A BRMALLS é uma empresa que atua em diversos estados e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes

Leia mais

A Ética no discurso da Comunicação Pública

A Ética no discurso da Comunicação Pública A Ética no discurso da Comunicação Pública Carla Cristiane Leite Ribeiro 1 Resumo Este artigo trata do conceito de comunicação pública, que atualmente esta em construção, das áreas em que a Comunicação

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ÉTICA PROFISSIONAL

Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ÉTICA PROFISSIONAL Aluno(a): / / Cidade Polo: E-mail: CPF: Curso: ATIVIDADE AVALIATIVA ÉTICA PROFISSIONAL Preencha o GABARITO: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Observação: Nesta atividade há 10 (dez) questões de múltipla escolha. Para

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro RELATÓRIO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro RELATÓRIO RELATÓRIO Evento: Discutindo a Classificação Indicativa: Mídia e Drogas Data: 15 de outubro de 2010 das 14h às 19h Local: Sala Macunaíma Anexo II do Ministério da Justiça, sala 425 Brasília-DF Convite:

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS PROFISSIONAL BÁSICO COMUNICAÇÃO SOCIAL Questão n o 1 a) O candidato deverá apresentar seis dentre as seguintes vantagens: Domínio de tecnologia capaz de produzir bens preferidos por certas classes de compradores Aumento dos índices de qualidade

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA ABRANGÊNCIA Este Código de Ética e Conduta destina-se aos colaboradores e, no que couber, aos prestadores de serviços, visitantes e fornecedores da Panificação Tocantins. INTEGRIDADE

Leia mais

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13 COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO Versão 01-13 1 C Ó D I G O D E É T I C A Introdução A ÉTICA é o ideal de conduta humana, desenvolvido

Leia mais

O sucesso de hoje não garante o sucesso de amanhã

O sucesso de hoje não garante o sucesso de amanhã Com certeza, esse final de século XX e começo de século XXI mudarão nossas vidas mais do que elas mudaram há 30-40 anos atrás. É muito difícil avaliar como será essa mudança, mas é certo que ela virá e

Leia mais

Prezado colaborador, Receba estes Princípios Éticos e de Conduta, que resumem o que já somos e pregam o que nunca devemos deixar de ser.

Prezado colaborador, Receba estes Princípios Éticos e de Conduta, que resumem o que já somos e pregam o que nunca devemos deixar de ser. Prezado colaborador, Fazemos parte de empresas que já nasceram comprometidas com os princípios éticos do exercício da verdade, fundamentais para a nossa credibilidade. Uma identidade cristalina, que nos

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Índice Nossos princípios diretivos 03 Proteção do patrimônio e uso dos ativos 04 Informação confidencial 05 Gestão e Tratamento dos Colaboradores 06 Conflitos de interesse 07

Leia mais

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa

Código de Ética e de Conduta do. Grupo Energisa Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa Caro colaborador, A prática do Código de Ética e de Conduta do Grupo Energisa é tão importante que fazemos questão que cada colaborador tenha seu próprio

Leia mais

Sala de Conselheiros da Previ

Sala de Conselheiros da Previ RESPONSABILIDADE CIVIL PARA EXECUTIVOS Sala de Conselheiros da Previ Directors & Officers Liability Insurance D&O São Paulo, 2012. 1 Conceito do MERCADO Seguro D&O RISCOS D&O LEGAIS CONCEITO D&O COBERTURAS

Leia mais

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores Manual de Conduta ntrodução O Shopping Recife é um empreendimento imobiliário tipo shopping center, sendo primordial que nossos colaboradores atuem com base em valores e objetivos comuns. A postura ética

Leia mais

REGULAMENTO do 1º Concurso de Fotografia Isto é Mackenzie Campinas

REGULAMENTO do 1º Concurso de Fotografia Isto é Mackenzie Campinas 1. O Concurso REGULAMENTO do 1º Concurso de Fotografia Isto é Mackenzie Campinas 1.1. O 1º Concurso de Fotografia Isto é Mackenzie Campinas: será realizado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie - Campus

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA

CÓDIGO DE ÉTICA. da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA CÓDIGO DE ÉTICA da AMBISIDER RECUPERAÇÕES AMBIENTAIS, SA 1 CÓDIGO DE ÉTICA Preâmbulo O presente Código de Ética é um conjunto de princípios e valores fundamentais que se traduzem na prática e no dia-a-dia

Leia mais

MANUAL DO COLABORADOR

MANUAL DO COLABORADOR MANUAL DO COLABORADOR Versão 1 Setembro de 2012 INTRODUÇÃO Ser ético significa pensar e agir de forma correta, a partir de valores estabelecidos e aceitos pela sociedade em que se está inserido. A criação

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL

CÓDIGO DE ÉTICA - PORTAL 1. Disposições Preliminares Este Código de Ética tem como principal objetivo informar aos colaboradores, prestadores de serviço, clientes e fornecedores da Petronect quais são os princípios éticos que

Leia mais

DIREITO ELETRÔNICO. Liliane Krauss 1 (Faculdade de Direito de Salto) RESUMO

DIREITO ELETRÔNICO. Liliane Krauss 1 (Faculdade de Direito de Salto) RESUMO DIREITO ELETRÔNICO Liliane Krauss 1 (Faculdade de Direito de Salto) RESUMO Este trabalho tem como finalidade o estudo do direito eletrônico, devido a ser um assunto bastante recente, bem como a sua aplicação

Leia mais

Código de Ética - Ultra

Código de Ética - Ultra Código de Ética - Ultra Ética na gestão - Equidade, transparência e responsabilidade - Cumprimento das leis - Desenvolvimento sustentável Ética nos relacionamentos - Acionistas e investidores - Colaboradores

Leia mais

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs)

Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) Política Anti-Suborno da ADP Questões Frequentes (FAQs) AS COMUNICAÇÕES ENTRE ADVOGADO E CLIENTE SÃO ESTRITAMENTE CONFIDENCIAIS Este documento destina-se a abordar questões que possam surgir no decurso

Leia mais

1008012-70.2013.8.26.0053 - lauda 1

1008012-70.2013.8.26.0053 - lauda 1 fls. 388 SENTENÇA Processo Digital nº: 1008012-70.2013.8.26.0053 Classe - Assunto Requerente: Requerido: Ação Civil Pública - Violação aos Princípios Administrativos 'MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO

Leia mais

DIREITO PENAL. Exame de Ordem 2009.2 Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL

DIREITO PENAL. Exame de Ordem 2009.2 Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL DIREITO PENAL PEÇA PROFISSIONAL José de Tal, brasileiro, divorciado, primário e portador de bons antecedentes, ajudante de pedreiro, nascido em Juazeiro BA, em 7/9/1938, residente e domiciliado em Planaltina

Leia mais

Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima

Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima Professor Titular de Biologia /FATEA/Lorena/SP Monitor de Educação Profissional/SENAC/Guaratinguetá/SP leclima@hotmail.com. RESUMO 48 Nos

Leia mais

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta

IINSTRUÇÃO DO SISTEMA. Código de conduta 1 de 7 Revisão Data Assunto / revisão / modificação 00 16/04/15 Emissão Inicial. Nome Cargo Data Assinatura Consultor / Gerente EMITENTE Maciel Amaro Técnico / RD Valéria Ap. R. Amaro Diretora administrativa

Leia mais

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza)

Código de Conduta Empresarial da Nestlé. 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Código de Conduta Empresarial da Nestlé 2008, Nestec Ltd. Conceito e Design: Nestec Ltd., Identidade Corporativa e Design, Vevey (Suiza) Introdução Desde a sua fundação, as práticas comerciais da Nestlé

Leia mais

Benchmarking e reengenharia: as melhores práticas que conduzem as empresas

Benchmarking e reengenharia: as melhores práticas que conduzem as empresas Benchmarking e reengenharia: as melhores práticas que conduzem as empresas Carla Maroni 1 StefhanyeMarchioro 1 Fabiana Pereira Rosa 2 O foco da presente pesquisa está centrado em duas importantes ferramentas

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Jeito de Ser Índice 3 Introdução 3 Carta do Presidente 3 Missão do Grupo Marisa 3 Valores do Grupo Marisa 3 Código de Conduta Ética v Áreas de Relacionamento Colaboradores Fornecedores

Leia mais

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS

A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS A CULTURA ORGANIZACIONAL PODE INFLUENCIAR NO PROCESSO DE AGREGAR PESSOAS Juliana da Silva, RIBEIRO 1 Roberta Cavalcante, GOMES 2 Resumo: Como a cultura organizacional pode influenciar no processo de agregar

Leia mais

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS

GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS GUIA ANTICORRUPÇÃO WILSON SONS A Wilson Sons, por meio deste Guia Anticorrupção, pretende disseminar os valores morais e éticos que norteiam seus diversos negócios, reiterando seu princípio de combate

Leia mais

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações:

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações: POLÍTICAS CORPORATIVAS Assunto: Código de Ética e Conduta Objetivo O Código de Ética e Conduta objetiva estabelecer os princípios, conceitos e valores que orientam o padrão ético de todos os Colaboradores

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS

NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 1 de 9 UL NORMAS DE CONDUTA PARA FORNECEDORES GLOBAIS Página 2 de 9 ÍNDICE 1.0 OBJETIVO... 4 2.0 ESCOPO... 4 3.0 DEFINIÇÕES... 4 4.0 PRÁTICAS DE CONTRATAÇÃO... 5 4.1 TRABALHO FORÇADO... 5 4.2 TRABALHO

Leia mais

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores

Política de Combate a Suborno e Corrupção. Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores Revisão Data Itens Alterados Elaboradores Aprovadores 00 12/02/2015 Original Natalia Simões Araujo (Coordenadora Funções Corporativas e Compliance) Antonio Ferreira Martins (Vice- Presidente Jurídico e

Leia mais

PRINCÍPIOS ÉTICOS APLICÁVEIS A TODAS AS ATIVIDADES EMPRESARIAIS

PRINCÍPIOS ÉTICOS APLICÁVEIS A TODAS AS ATIVIDADES EMPRESARIAIS PRINCÍPIOS ÉTICOS APLICÁVEIS A TODAS AS ATIVIDADES EMPRESARIAIS Toda empresa tem o dever ético de cumprir a lei. Em relação ás normas deste conjunto, não pode haver qualquer dúvida quanto ao dever moral

Leia mais

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial

A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial A grande farsa da evolução do processo de gestão empresarial Começo minha reflexão de hoje pensando um pouco na história da Administração, nos princípios de gestão e formas como as empresas hoje são geridas.

Leia mais

2.1.4. Os preços constantes da Ordem de Compra não poderão ser reajustados, salvo mediante expresso consentimento por escrito do PNUD.

2.1.4. Os preços constantes da Ordem de Compra não poderão ser reajustados, salvo mediante expresso consentimento por escrito do PNUD. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS DE ORDEM DE COMPRA 1. ACEITAÇÃO DA ORDEM DE COMPRA Esta Ordem de Compra somente será aceita pelo PNUD mediante a assinatura por ambas as partes e fornecimento de acordo com as

Leia mais

Liderança Organizacional

Liderança Organizacional Liderança Organizacional Mauricio Lima Competência 07 Desenvolvimento de Recursos, Finanças e Legislação Corporativa Fundamentação Teórica Entre as atividades mais importantes do líder está a responsabilidade

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS

CÓDIGO DE ÉTICA DA SOMMA INVESTIMENTOS 1. O CÓDIGO Este Código de Ética (Código) determina as práticas e padrões éticos a serem seguidos por todos os colaboradores da SOMMA INVESTIMENTOS. 2. APLICABILIDADE Esta política é aplicável: 2.1. A

Leia mais

A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades

A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades A Busca pela Construção do Conhecimento e a Transformação das Realidades Como vimos na unidade anterior, é próprio do homem buscar e produzir conhecimento para tentar melhorar sua realidade. Portanto,

Leia mais

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO COMBRASCAN

POLÍTICA ANTICORRUPÇÃO COMBRASCAN O CONTEÚDO DESTA POLÍTICA É DE PROPRIEDADE DA COMBRASCAN E DESTINADO AO USO E DIVULGAÇÃO INTERNA, NÃO SENDO PERMITIDA A REPRODUÇÃO POR MEIO ELETRÔNICO OU FÍSICO, SEM PRÉVIA A AUTORIZAÇÃO DO DEPARTAMENTO

Leia mais

8 DICAS JURÍDICAS. para quem está comprando um imóvel

8 DICAS JURÍDICAS. para quem está comprando um imóvel 8 DICAS JURÍDICAS para quem está comprando um imóvel Apresentação A compra de um imóvel é uma das decisões financeiras que mais comprometem o orçamento e, por isso, deve ser bem avaliada. Quem vai comprar

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING

CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING CÓDIGO DE CONDUTA ÉTICA DO GRUPO HERING O Código de Conduta Ética é um instrumento destinado a aperfeiçoar os relacionamentos da organização e elevar o clima de confiança nela existente. Este Código tem

Leia mais

MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS

MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS MEU FATOR DE SUCESSO A essência do seu trabalho PLANO DE CARREIRA E VANTAGENS Seja Bem Vinda! Em 1995 quando ao lado da minha família idealizei a Fator 5, tinha a meu favor a minha força de vontade, minha

Leia mais

CAPIÍTULO 1 O Comportamento do Consumidor Mudou... Seu Marketing também?

CAPIÍTULO 1 O Comportamento do Consumidor Mudou... Seu Marketing também? CAPIÍTULO 1 O Comportamento do Consumidor Mudou... Seu Marketing também? A principal tarefa dos profissionais de marketing é divulgar seus produtos e serviços para fazer com que as pessoas comprem. Para

Leia mais

TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT,

TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT, TERMO DE ACORDO OS DIRETÓRIOS DE PARTIDOS POLÍTICOS ATUANTES NA 3ª ZONA ELEITORAL, SEDIADOS NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO OESTE, JANGADA e NOBRES/MT, pessoas jurídicas de direito privado ao final identificadas,

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE: DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS

ATENDIMENTO AO CLIENTE: DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS DIFERENCIE-SE DA CONCORRÊNCIA E VENDA MAIS Visa a ampliar a visão de empresários quanto à necessidade de aperfeiçoar o atendimento a clientes como forma de construir

Leia mais

Atividades sugeridas e elaboradas pela autora

Atividades sugeridas e elaboradas pela autora Maria Helena Pires Martins Atividades sugeridas e elaboradas pela autora Caro(a) Professor(a) EU E OS OUTROS As regras da convivência Caro(a) Professor(a) Solicite à Editora Moderna o Guia dos professores

Leia mais

Modelos de Negócios Digitais

Modelos de Negócios Digitais Modelos de Negócios Digitais O que é um modelo de negócio? Um Modelo de Negócios descreve a lógica de criação, entrega e captura de valor por parte de uma organização. Definição do negócio da empresa Negócio

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 Recentemente, escrevi uma crônica cujo texto apresentava algumas possíveis causas para que o processo de formação

Leia mais

EDITAL DE MOBILIDADE UNISINOS 05/2015 Edital para o Programa Top Espanha Santander Universidades 2015

EDITAL DE MOBILIDADE UNISINOS 05/2015 Edital para o Programa Top Espanha Santander Universidades 2015 EDITAL DE MOBILIDADE UNISINOS 05/2015 Edital para o Programa Top Espanha Santander Universidades 2015 O Magnífico Reitor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), no uso de suas atribuições

Leia mais

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A

8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A 8. AS EQUIPES VIRTUAIS PROMOVENDO VANTAGENS COMPETITIVAS NA BUNGE FERTILIZANTES S/A Adriane Hartman Fábio Gomes da Silva Dálcio Roberto dos Reis Luciano Scandelari 1 INTRODUÇÃO Este artigo pretende mostrar

Leia mais

Código de Ética Rastru

Código de Ética Rastru CÓDIGO DE ÉTICA RASTRU O objetivo desse Código de É tica é definir com clareza os princípios éticos que norteiam as ações e os compromissos da organização Rastru, tanto da parte institucional como da parte

Leia mais

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos

I - Você e a DBA. II - Construir relacionamentos O código de ética DBA representa a necessidade de reforço aos valores e à cultura da empresa através da ética. Assim, é fundado nos valores essenciais da corporação e pode ser definido pelas normas padrões

Leia mais

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro

Manual do Fornecedor. Novembro 2012 Rio de Janeiro Manual do Fornecedor Novembro 2012 Rio de Janeiro Caro parceiro, O Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 trabalha para entregar Jogos excelentes, com celebrações memoráveis que

Leia mais

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br

O céu. Aquela semana tinha sido uma trabalheira! www.interaulaclube.com.br A U A UL LA O céu Atenção Aquela semana tinha sido uma trabalheira! Na gráfica em que Júlio ganhava a vida como encadernador, as coisas iam bem e nunca faltava serviço. Ele gostava do trabalho, mas ficava

Leia mais

OS DESAFIOS LOGISTICOS DO COMÉRCIO ELETRÔNICO

OS DESAFIOS LOGISTICOS DO COMÉRCIO ELETRÔNICO OS DESAFIOS LOGISTICOS DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Fabiana Rubim Cintra Murilo Rodrigues da Silva Patrick Beirigo Andrade RESUMO Este artigo tem o objetivo de expor os principais problemas que o comércio eletrônico

Leia mais

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL

TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL TÍTULO: CONTABILIDADE AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO: OS TERMOS UTILIZADOS PELA CONTABILIDADE AMBIENTAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS CONTÁBEIS INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO

Leia mais