DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA."

Transcrição

1 EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, através do Promotor de Justiça que a presente subscreve, vem, com o costumeiro respeito, perante Vossa Excelência, com supedâneo nos arts. 5º, XXXII, 170, V e 129, III, da Constituição Federal; 25, IV, alínea a, da Lei Orgânica Nacional do Ministério Público; 6º, VI e VII, e 81 e seguintes do Código de Defesa do Consumidor, propor AÇÃO CIVIL PÚBLICA, contra COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL, inscrita no CNPJ sob o número / , sediada na Rua Manoel da Nóbrega, nº 1.280, 9º andar, Vila Mariana, São Paulo SP, pelos motivos de fato e de direito que a seguir expõe: 1

2 I OS FATOS Em 1989, a Companhia Sul América de Seguros criou a apólice de vida em grupo nº , chamada apólice 40, figurando como co-seguradora a Brasilseg Seguros S.A, antecessora da Demandada. Em 1º de janeiro de 1998, contudo, a Ré assumiu a posição de emitente única da aludida apólice, a qual passou a ser denominada Seguro Ouro Vida. Tal seguro acenava para o consumidor com a possibilidade de renovação automática e fixação do valor do prêmio levando-se em conta, unicamente, a correção monetária anual, ou seja, a faixa etária do segurado não refletia, nem mesmo indiretamente, na fixação do valor prêmio. Anos se passaram sem que qualquer alteração relevante fosse realizada nos contratos, fazendo com que a massa de segurados, cerca de consumidores (v. fls. 90 do procedimento incluso), criasse a expectativa de que a avença não seria interrompida e que, no momento da ocorrência de algum sinistro, os beneficiários do seguro receberiam exatamente o quantum pactuado. Ocorre que, surpreendentemente, em fevereiro de 2002, a Ré encaminhou correspondência padronizada aos consumidores, informando que o referido seguro seria extinto em , bem como que não haveria renovação das respectivas apólices em virtude da nova conjuntura econômica nacional. (v. fls. 04 do procedimento anexo). Em verdade, a Aliança do Brasil, no aludido comunicado, informou que estaria transferindo automaticamente os segurados para outro plano, qual seja, o Seguro Ouro Vida Grupo Especial, sob o argumento de evitar-se a interrupção de sua proteção, salvo se houvesse manifestação expressa do interessado em não aderir ao novo contrato (v. fls. 04 a 30). Na cláusula 15.1 do contrato antigo, a Ré havia estipulado: A Apólice é emitida com o prazo de vigência de 1 (um) ano e será considerada 2

3 automaticamente renovada ao fim de cada ano de vigência, caso não haja expressa desistência do Estipulante ou da Seguradora, até 30 (trinta) dias antes do seu aniversário. (fls. 162). Impende ressaltar que o Seguro Ouro Vida Especial teve como único destinatário o grupo que compunha a extinta apólice 40, não sendo comercializado para outros consumidores. Nessa nova apólice, além da correção monetária, o valor da mensalidade passou a ser atualizado em função da faixa etária do segurado. Ademais, observam-se outras alterações prejudiciais ao consumidor, dentre as quais, a falta de cobertura em caso de invalidez permanente total por doença. Essas duas modificações foram confirmadas pela Demandada às fls. 59 do procedimento incluso (v. também fls. 153 a 166 e fls. 13 a 29). Somente para que se aquilate a iniqüidade a que se expuseram os consumidores, veja-se o que declarou, às fls. 34 do procedimento, a inditosa Sra. Eliana de Paula Santos, autora da representação, a qual era segurada da Companhia de Seguros Aliança do Brasil desde 1996 e posteriormente se viu atingida pela conduta abusiva: que o referido seguro vem sofrendo reajustes anuais, contudo ditos reajustes jamais interferiram no orçamento da declarante, até mesmo em razão do fato de que ela mesma os considera módicos; que, no entanto, no mês de fevereiro do ano fluente recebera a declarante uma correspondência que lhe fora enviada pela corretora de seguro comunicando-lhe o cancelamento do seu contrato Na audiência realizada na Promotoria de Justiça do Consumidor, a consumidora afirmou ainda o seguinte: que a partir do comunicado a declarante teria a única opção, a fim de não ter interrompida a sua proteção, de aderir ao denominado Seguro Ouro Vida Grupo Especial, com as características estabelecidas no novo contrato; que à declarante não foi dada a oportunidade de permanecer com a apólice anterior, mantendo-se as características do contrato firmado no ano de 1996; que a declarante decidiu continuar a efetuar o pagamento nos moldes impostos pela seguradora, evitando de tal modo interromper automaticamente a proteção que lhe era assegurada; que o pagamento da referida apólice é feito mensalmente, mediante débito automático em sua conta corrente de número /2, da Agência 03468, do Banco do Brasil; que o prêmio mensal, com a alteração do plano passou de R$ 55,13 (cinquenta e cinco reais e treze centavos) a R$ 78,67( setenta e oito reais e sessenta e sete centavos) (V. fl. 34/35) 3

4 Ao analisar-se o instrumento do novel contrato, verifica-se que, a despeito da elevação da importância mensal do prêmio, a exemplo da majoração da ordem de 42,8%, correspondente à faixa etária da segurada Eliana de Paula Santos, nenhuma significativa contraprestação foi estipulada para o fornecedor do serviço em prol dos consumidores, o que denota também uma oneração injustificada dos segurados. II - O DIREITO A conduta da Ré viola flagrantemente o princípio da boa-fé objetiva, que deve nortear todas as relações jurídicas contratuais, sobretudo as de consumo, tanto na conclusão, quanto na execução da avença (art. 4º, III, do CDC). Com efeito, a expectativa legítima dos consumidores infelicitados pela prática aqui anunciada era a continuidade do vínculo, sobretudo após tantos anos de pagamentos. Com o fim das antigas avenças, muitos daqueles que contrataram com a Ré, ainda mais jovens, alcançaram a velhice, e foram surpreendidos com a rescisão unilateralmente imposta, ou, alternativamente, a adesão a novo contrato mais desvantajoso, inclusive com a previsão da majoração do prêmio com o avanço da faixa etária. A prática adotada pela Ré ensejou-lhe vantagem excessiva em prejuízo da parte mais fraca que integrava a avença, circunstância combatida pela artigo 39, V, da Lei 8.078/90. Os contratos de seguro de vida e acidentes pessoais, como se sabe, possuem uma larga importância social, além do interesse individual, sendo uma modalidade de pacto denominada pela doutrina mais atualizada como contratos cativos de longa duração, 1 relações contratuais pós-modernas ou contratos relacionais. 1 Cf. Cláudia Lima Marques, Contratos no Código de Defesa do Consumidor, ERT, 4a. ed., p

5 Baseiam-se tais avenças numa relação de confiança entre os contraentes, sobretudo por parte do consumidor, o qual, dependente do fornecedor, para obter segurança, tem a natural expectativa de permanecer destinatário dos serviços pelos quais pagou por longo lapso de tempo. Conforme assevera Cláudia Lima Marques, a idéia dos seguros está intimamente ligada ao anseio humano de controle dos riscos e de socialização dos riscos atuais e futuros entre todos na sociedade. 2 Em tais contratos, após anos de convivência, depois de pagar fielmente contraprestações mensais durante os anos mais produtivos e saudáveis da sua vida, não interessa ao consumidor desvincular-se do contrato. Interessa-lhe tãosomente a continuidade da relação contratual. É este o seu natural e legítimo anseio. Ao contratar seguro dessa espécie, o consumidor procura um verdadeiro parceiro, aquele com quem estabelecerá relações por um longo período, animado pela expectativa de que lhe sejam prestados os serviços contratados, se e quando necessitar. Sobre a expectativa do consumidor de continuidade da relação jurídica nos contratos cativos de longa duração, importante transcrever o pensamento de Cláudia Lima Marques: O contrato de longa duração, de execução sucessiva e protraída, traz em si expectativas outras que os contratos de execução imediata, baseiam-se mais na confiança, no convívio reiterado, na manutenção do potencial econômico e da qualidade dos serviços, pois trazem implícita a expectativa de mudanças das condições sociais, econômicas e legais na sociedade nestes vários anos de relação contratual... 3 Como se sabe, o Código de Defesa do Consumidor fez ressurgir no direito brasileiro o princípio da boa-fé objetiva, como novo paradigma para as relações contratuais. 4 Mencionado princípio encontrou guarida na norma-objetivo do artigo 4.º, inciso III, e há de servir como critério viabilizador dos ditames constitucionais sobre a ordem econômica (art. 170 da CF), orientando a atividade do intérprete. Já noutro Contratos no Código de Defesa do Consumidor, ERT, 4a. ed., p A abusividade nos contratos de seguro-saúde e de assistência médica no Brasil; in AJURIS, 64/45. Contratos no Código de Defesa do Consumidor, ERT, 2.ª ed., p

6 dispositivo, como corolário da adoção do princípio da boa-fé, acolheu, o CDC, a cláusula geral da boa-fé, como instrumento para o controle das cláusulas abusivas. Encontra-se mencionada cláusula no artigo 51, IV, in verbis: Art São nulas de pleno direito, entre outras, as cláusulas contratuais relativas ao fornecimento de produtos e serviços que:... IV - estabeleçam obrigações consideradas iníquas, abusivas, que coloquem o consumidor em desvantagem exagerada, ou sejam incompatíveis com a boafé ou a eqüidade; Cumpre anotar, neste passo, que conforme magistram Alberto do Amaral Júnior 5 e Ruy Rosado de Aguiar Júnior, 6 este com respaldo na doutrina de Clóvis do Couto e Silva, o princípio da boa-fé tem assento constitucional, eis que decorrência do artigo 3.º, I, da Carta Magna, que estabelece como objetivo fundamental da República Federativa do Brasil constituir uma sociedade justa e solidária. Cuida-se de boa-fé objetiva, que independe da má-fé subjetiva do fornecedor, impondo um dever de agir, segundo determinados padrões de honestidade, a fim de não frustrar a confiança legítima da outra parte. Conforme Cláudia Lima Marques, 7 a qual evoca ensinamentos de mestres europeus, a boa-fé objetiva implica mais além do compromisso expresso, a fidelidade e coerência no cumprimento da expectativa alheia independentemente da palavra que haja sido dada, ou do acordo que tenha sido concluído; representando, sob este aspecto, a atitude de lealdade, de fidelidade, de cuidado que se costuma observar e que é legitimamente esperada nas relações entre homens honrados, no respeitoso cumprimento das expectativas reciprocamente confiadas. É o compromisso expresso ou implícito de fidelidade e cooperação nas relações contratuais, é uma visão mais ampla, menos textual do vínculo, é a concepção leal do vínculo, das expectativas que desperta (confiança). A boa-fé constitui-se numa fonte de deveres, dentre os quais se insere o de lealdade, ou dever anexo de cooperação, conforme prefere Cláudia Lima A boa-fé e o controle das cláusulas contratuais abusivas nas relações de consumo, RDC 6/27. A boa-fé na relação de consumo, RDC 14/20. Contratos no Código de Defesa do Consumidor, ERT, 2.ª ed., p

7 Marques, 8 o qual impõe comportamentos tendentes a viabilizar a realização do desiderato do negócio. 9 A boa-fé objetiva, consoante escólio de Agathe E. Schmidt da Silva, 10 pressupõe, dentre outros elementos que aponta, a reunião de condições para criar, na outra parte, um estado de confiança no negócio celebrado, a fim de que esta expectativa seja tutelada. Ora, sendo legítima, nos contratos de seguro de vida e acidentes pessoais, a expectativa do consumidor na manutenção da relação contratual, eis que condição para a satisfação do objeto do contrato, é contrária à boa-fé a desconstituição do vínculo sempre que este não mais interesse ao fornecedor. Ademais, cláusulas contratuais como a de número 15.1 do extinto contrato terminam por permitir ao fornecedor a variação unilateral do preço do serviço, situação combatida pelo artigo 51 do C.D.C. e artigo 115 do Código Civil revogado, pois a rescisão imposta com a substituição por novo contrato, no qual as prestações pecuniárias do consumidor foram oneradas, nada menos se constitui do que artifício que deixa os vulneráveis consumidores sem alternativa. Ou aceitam o abuso, os ficam sem o seguro. Em casos semelhantes, acerca de contratos cativos de longa duração, a orientação da jurisprudência tem sido firme no sentido do que aqui se propõe: MEDIDA CAUTELAR - Contrato - Seguro-Saúde - Rescisão unilateral pela empresa operadora do sistema com fundamento em motivos de ordem técnico-atuarial - Inadmissibilidade - Liminar deferida para manter contrato avindo entre as partes até solução final da lide - Presença do fumus boni iuris - Incidência do Código de Defesa do Consumidor - Possibilidade de ocorrer dano irreparável ou de difícil reparação à requerente - Decisão mantida - Recurso desprovido. (Agravo de Instrumento n /6 - São Paulo - 5ª Câmara de Direito Privado - Relator: Silvério Ribeiro V.U.) SEGURO - Saúde - Cláusula de rescisão unilateral do contrato - Nulidade - Reconhecimento - Contrato de adesão - Regras limitativas que merecem ser desconsideradas, pois ameaçam o objetivo do próprio contrato e até mesmo o seu equilíbrio Seguro de vida em grupo e acidentes pessoais. (...) Boa-fé objetiva das relações contratuais. Expectativa da segurada, por contrato firmado há Contratos no Código de Defesa do Consumidor, ERT, 2.ª ed., p. 85. Ruy Rosado de Aguiar Junior, A boa-fé na relação de consumo, RDC 14, pp. 26/27. Cláusula geral de boa-fé nos contratos de consumo, RDC 17/146. 7

8 longos anos, de ser mantida a cobertura securitária. Presença da aparência do bom direito e do perigo da demora que autoriza a liminar de manutenção do contrato de seguro, até decisão final da ação principal. 11 A problemática sob testilha já foi objeto de enfrentamento judicial, inclusive em sede de ação civil pública, havendo o Poder Judiciário Paulista, através da 29a. Câmara da Seção de Direito Privado, proferido decisão no mesmo sentido que aqui se postula (Agravo de Instrumento n , relator Desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças). No mesmo sentido manifestou-se o Egrégio Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul 12, reformando a decisão de primeira instância que julgou improcedente a demanda movida contra Companhia de Seguros Aliança do Brasil, a qual praticara a mesma conduta ora guerreada: SEGURO DE VIDA. CANCELAMENTO DA APÓLICE SUBSTITUÍDA POR OUTRA QUE COMPEMPLA FATOR DE REAJUSTE POR FAIXA ETÁRIA. ABUSIVIDADE. Caso em que não se mostra lícita a pretensão da ré de alterar, de forma unilateral, as cláusulas contratuais, com o argumento da impossibilidade de manter o pacto original, face ao aumento da sinistralidade, sob pena de comprometer o equilíbrio financeiro do grupo. Era de conhecimento da ré que, com o passar dos anos, eventos danosos previstos no contrato ocorreriam com maior freqüência. Aumento da sinistralidade que não se revela fator surpresa a justificar a adoção da nova modalidade de reajuste. Apelo provido Também o Tribunal de Justiça do Paraná, que, acompanhando as demais cortes citadas, não acatou o argumento da seguradora Ré acerca da imprevisibilidade do aumento de sinistros e negou provimento ao seu recurso (A.C. nº , 4ª Câmara Cível, Apelante: Companhia de Seguros Aliança do Brasil, j. 6/03/2007). E, por fim, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais: Apelação Cível nº /002, 11ª Câmara Cível, j. 11/07/2007 e Apelação Cível nª /000, 9ª Câmara Cível, Apelante: Companhia de Seguros Aliança 11 A ementa foi citada pelo Desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças em voto proferido no Agravo de Instrumento n (Tribunal de Justiça de São Paulo - Seção de Direito Privado - 29a. Câmara, j. em 02/08/2006). 12 Apelação nº , julgada pela Quinta Câmara Cível, tendo como Relator o Desembargador Umberto Guaspari Sudbrack. Data do julgamento: 12/07/06. O voto citava outro julgamento semelhante na Apelação Cível nº E no mesmo sentido, outros acórdãos do TJRS: A.C. nº e A.C. nº

9 do Brasil, j. 07/02/2006. V DOS PEDIDOS Diante do exposto, requer, o Ministério Público: 1) A citação da ré para, querendo, contestarem a presente ação, sob pena de revelia; 2) A inversão do ônus da prova (art. 6 o, VIII, do C.D.C.); 3) A publicação do Edital previsto no artigo 94 da Lei n.º 8.078/90, para conhecimento dos interessados e eventual habilitação no feito como litisconsortes; 4) A dispensa do pagamento de custas, emolumentos e outros encargos, desde logo, à vista do que dispõe o artigo 18 da Lei n.º 7.347/85 e artigo 87 da Lei n.º 8.078/90; 5) Sejam as intimações ao autor feitas pessoalmente, mediante entrega dos autos com vista na Promotoria de Justiça do Consumidor, sita na Avenida Joana Angélica, n , prédio anexo, 3º andar, nesta Capital, em face do disposto no artigo 236, 2. o, do CPC, 41, IV, da Lei 8.625/93 e 199, inciso XVIII, da Lei Complementar Estadual n.º 11/96. 6) O julgamento, a final, pela procedência desta ação, para: a) condenar a Ré a possibilitar aos segurados que tiveram seus contratos rescindidos, mesmo que contratado o novo seguro, a realizarem a recontratação do seguro aos moldes do pacto do Seguro Ouro Vida, apólice 40, com as mesmas condições anteriormente pactuadas, que vigiam até março de 2002, inclusive, a cláusula 14.1, sobre atualização 9

10 monetária dos capitais segurados e prêmios pelo IGPM/FGV. Deverá ser cominada, em caso de descumprimento do mandamento judicial por parte da Ré, multa diária de R$ ,00, a qual deverá ser revertida para o fundo de que trata o artigo 13 da Lei 7.347/85; b) condenar a Ré a cientificar os segurados que haviam contratado o produto Ouro Vida, apólice 40, no prazo de cinco dias, com cópia da sentença prolatada na ação que se inicia, sobre a possibilidade de retornarem aos contratos originalmente celebrados, cominando-se-lhe, em caso de descumprimento do mandamento judicial, multa diária de R$ ,00, a qual deverá ser revertida para o fundo de que trata o artigo 13 da Lei 7.347/85; c) condenar a Ré a devolver, em dobro, todos os valores cobrados a maior e pagos pelos consumidores que tenham aderido ao contrato Ouro Vida Especial, referentes à diferença dos prêmios, antes e depois da adesão à nova avença, inclusive, estipulados em razão das faixas etárias, considerando-se o escorreito preço do prêmio aquele praticado até março de 2002, apenas atualizado monetariamente pelo IGPM/FGV. d) condenar a ré a indenizar por danos materiais e morais todos os consumidores atingidos com a não renovação do contrato do Seguro Ouro Vida, apólice 40, que vigorou até março de 2002, os quais ficaram sem a proteção securitária ou aos quais foi imposta nova avença. e) declarar a nulidade da cláusula 15.1 do contrato Seguro Ouro Vida, apólice 40. 1

11 Requer a produção de todos os meios de prova em direito admitidos para comprovação do quanto alegado Dá à causa o valor de R$ ,00 (quinhentos mil reais). PEDE DEFERIMENTO. Salvador, 26 de novembro de OLIMPIO CAMPINHO JUNIOR 3º Promotor de Justiça do Consumidor 1

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA ESPECIALIZADA DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA COMARCA DE SALVADOR BAHIA. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DA BAHIA, através do Promotor de Justiça que a presente subscreve,

Leia mais

Processo: 0016178-37.2012.808.0347 Requerente: FABIANO CEZAR NEVES DE OLIVEIRA, JORGETE NEVES DE OLIVEIRA Requerido(a): UNIMED VITORIA SENTENÇA

Processo: 0016178-37.2012.808.0347 Requerente: FABIANO CEZAR NEVES DE OLIVEIRA, JORGETE NEVES DE OLIVEIRA Requerido(a): UNIMED VITORIA SENTENÇA RIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESPÍRITO SANTO PODER JUDICIÁRIO VITÓRIA VITÓRIA - 6º JUIZADO ESPECIAL CÍVEL AVENIDA João Baptista Parra - Ed Enseada Tower. - Sl 1401(Cartório e Sala de Instrução), Sl 1702-A(Sala

Leia mais

É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE.

É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE. É DEVIDO REEMBOLSO POR CANCELAMENTO DE VIAGEM POR PROBLEMAS DE SAÚDE. Apelação cível. Prestação de serviços. Contratação de pacote turístico. Autora que cancelou a viagem poucos dias antes do embarque

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 91 Registro: 2014.0000560120 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 4008523-94.2013.8.26.0577, da Comarca de São José dos Campos, em que é apelante ULYSSES PINTO NOGUEIRA,

Leia mais

Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária

Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária 428 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I Reajuste da mensalidade em função da mudança de faixa etária Raquel de Andrade Teixeira Cardoso 1 INTRODUÇÃO Em razão dos baixos

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação n 2 0002156-94.2010.8.26.0297, da Comarca de Jales, em que é apelante LÚCIA ALVES SANT ANA

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação n 2 0002156-94.2010.8.26.0297, da Comarca de Jales, em que é apelante LÚCIA ALVES SANT ANA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 382 ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N "03520294* Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2011.0000018579 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0142773-50.2009.8.26.0100, da Comarca de, em que é apelante MARITIMA SAUDE SEGUROS S/A sendo apelado LIDIA ZAHARIC.

Leia mais

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica

ACÓRDÃO. Salles Rossi RELATOR Assinatura Eletrônica fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2012.0000382774 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0001561-08.2012.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que é apelante PLANO DE SAÚDE ANA COSTA LTDA, é apelado

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.311.407 - SP (2012/0041104-0) RELATÓRIO O EXMO. SR. MINISTRO RICARDO VILLAS BÔAS CUEVA (Relator): Trata-se de recurso especial interposto por PAULO DONIZETI DA SILVA e sua esposa

Leia mais

lllllll Illlllllll lllll S *02766739*

lllllll Illlllllll lllll S *02766739* .8 PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA ^ ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N I lllllll Illlllllll lllll S *02766739* ^S APELAÇÃO CÍVEL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 9ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 9ª Câmara de Direito Privado ACÓRDÃO Registro: 2014.0000760XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0057XXX- 94.2009.8.26.0405, da Comarca de Osasco, em que é apelante COOPERATIVA HABITACIONAL PLANALTO, é apelado

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas:

VISTOS, relatados e discutidos estes autos, em que são partes as acima identificadas: . ' ESTADO DA PARAÍBA t-n " PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Civel n 200.2004.038313-1/001 Relator: Des. Luiz Silvio Ramalho Júnior Apelante: Executivos Administração e Promoção de Seguros

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA PARAÍBA GABINETE DO DES. ROMERO MARCELO DA FONSECA OLIVEIRA DECISÃO MONOCRÁTICA AGRAVO DE INSTRUMENTO N 200.2010.014.773-1/001 ORIGEM: 8' Vara Cível da Comarca da Capital. RELATOR:

Leia mais

11è 8 3(21 . * ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO

11è 8 3(21 . * ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO 4. * 8 3(21 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAB. DES. MANOEL SOARES MONTEIRO ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2003.018359-0/001 i a Vara Cível da Comarca da Capital RELATOR : Des. MANOEL

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0035092-08.2012.8.19.0004 APELANTE: BANCO BRADESCO S/A APELADO: BRUNO GARCIA DE SÁ RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO DO CONSUMIDOR AÇÃO SOB O RITO SUMÁRIO

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca da Capital 2ª Vara Cível

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO Comarca da Capital 2ª Vara Cível fls. 1 Autos n 0324833-09.2014.8.24.0023 Ação: Cautelar Inominada/PROC Requerente: Associação dos Servidores Civis da Segurança Pública de santa Catarina - ASSESP/SC Requerido: IBBCA 2008 Gestão em Saúde

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 593.196 - RS (2003/0164484-3) RELATOR : MINISTRO HÉLIO QUAGLIA BARBOSA EMENTA RECURSO ESPECIAL. SEGURO. ATRASO NO PAGAMENTO DOS VALORES DEVIDOS PELA SEGURADORA. LUCROS CESSANTES. OCORRÊNCIA.

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2011.0000073868 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 9141018-46.2006.8.26.0000, da Comarca de Campinas, em que é apelante UNIMED CAMPINAS COOPERATIVA DE TRABALHO

Leia mais

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL

TERCEIRA CÂMARA CÍVEL TERCEIRA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N º 42.390-7/2009, DE VITÓRIA DA CONQUISTA. APELANTE: UNIBANCO AIG SEGUROS S/A. APELADO: GERALDO BASTOS GUIMARÃES E OUTRO. RELATOR: JUIZ JOSEVANDO SOUZA ANDRADE SUBSTITUINDO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL

PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL \d \w1215 \h1110 FINCLUDEPICTURE "brasoes\\15.bmp" MERGEFORMAT PODER JUDICIÁRIO DO RIO GRANDE DO NORTE 10ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE NATAL Processo n. 001.08.020297-8 Ação: Ação Civil Pública Autor: Ministério

Leia mais

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro

Vigésima Sétima Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro APELAÇÃO CÍVEL Nº 0460569-74.2012.8.19.0001 APELANTE: ALINE ALMEIDA PERES APELADO: INSTITUTO BRASILEIRO DE MEDICINA DE REABILITAÇÃO LTDA RELATOR: DES. FERNANDO ANTONIO DE ALMEIDA APELAÇÃO CÍVEL DIREITO

Leia mais

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO APELAÇÃO CÍVEL Nº 2008.001.56923 APELANTE: BRADESCO SAÚDE S/A APELADA: VÂNIA FERREIRA TAVARES RELATORA: DES. MÔNICA MARIA COSTA APELAÇÃO

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE

DECISÃO MONOCRÁTICA CONTRATO DE SEGURO DE VIDA E INVALIDEZ PERMANENTE EM GRUPO. PRESCRIÇÃO. INOCORRÊNCIA. SEGURADO COM LESÃO NEUROLÓGICA QUE DÉCIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0402603-95.2008.8.19.0001 APELANTE: SULAMÉRICA SEGUROS DE VIDA E PREVIDENCIA APELADO: FRANCISCO DE SOUZA COELHO JUNIOR RELATOR: DES. LINDOLPHO MORAIS MARINHO DECISÃO

Leia mais

DECISÃO MONOCRÁTICA. Trata-se de ação revisional proposta por FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS em face do BRADESCO SAÚDE S.A

DECISÃO MONOCRÁTICA. Trata-se de ação revisional proposta por FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS em face do BRADESCO SAÚDE S.A Primeira Câmara Cível Apelante: BRADESCO SAÚDE S.A. Apelado: FÁTIMA EUNICE ALVES DOS SANTOS Relator: Des. MALDONADO DE CARVALHO SEGURO SAÚDE. ASSISTÊNCIA MÉDICO- HOSPITALAR. RELAÇÃO DE CONSUMO. REAJUSTE

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.376.550 - RS (2012/0256822-0) RELATOR : MINISTRO MOURA RIBEIRO RECORRENTE : COMPANHIA DE SEGUROS ALIANÇA DO BRASIL ADVOGADOS : CANDIDO RANGEL DINAMARCO E OUTRO(S) MAURO FITERMAN E

Leia mais

EXMO.(A) SR.(A) DR.(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DA COMARCA DE CACHOEIRA DO SUL/RS. URGENTE! PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA

EXMO.(A) SR.(A) DR.(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DA COMARCA DE CACHOEIRA DO SUL/RS. URGENTE! PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA EXMO.(A) SR.(A) DR.(A) JUIZ(A) DE DIREITO DA VARA DA COMARCA DE CACHOEIRA DO SUL/RS. URGENTE! PEDIDO DE TUTELA ANTECIPADA MUNICÍPIO DE CACHOEIRA DO SUL, pessoa jurídica de direito público, inscrita no

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Desembargadores LUIS MARIO GALBETTI (Presidente sem voto), MIGUEL BRANDI E RÔMOLO RUSSO. fls. 300 Registro: 2015.0000529177 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1106882-72.2014.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ANA LIGIA PAES NASCIMENTO, é apelado

Leia mais

(6) Apelação Cível nº 0381210-41.2013.8.19.0001 1

(6) Apelação Cível nº 0381210-41.2013.8.19.0001 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO VIGÉSIMA SEXTA CÂMARA CÍVEL CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL Nº 0381210-41.2013.8.19.0001 44ª VARA CÍVEL DA COMARCA DA CAPITAL APELANTE: EDMILSON JOSÉ RUSSEL DO

Leia mais

Deferido o pleito antecipatório (fl. 17).

Deferido o pleito antecipatório (fl. 17). COMARCA DE PORTO ALEGRE 15ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL 2º JUIZADO Rua Márcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10 Nº de Ordem: Processo nº: 001/1.08.0156898-0, 001/1.08.0214498-9 e 001/1.08.0113910-8

Leia mais

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA

MOARA AGRO MERCANTIL LTDA PLANO DE SAÚDE EMPRESARIAL INADIMPLÊNCIA RESCISÃO UNILATERAL IMPOSSIBILIDADE NECESSIDADE DE NOTIFICAÇÃO PARA PAGAMENTO DO DÉBITO DISPONIBILIZAÇÃO DE PLANO INDIVIDUAL AOS BENEFICIÁRIOS NOS MOLDES DO CONTRATO

Leia mais

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE

Nº 70033432600 COMARCA DE PORTO ALEGRE APELAÇÃO CÍVEL. LICITAÇÃO E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS. CGTEE. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS JURÍDICOS ESPECIALIZADOS NAS ÁREAS TRABALHISTA E PREVIDENCIÁRIA. TÉRMINO DO PRAZO DE VIGÊNCIA DO CONTRATO. AUSÊNCIA

Leia mais

Parecer Jurídico - CAOPCON

Parecer Jurídico - CAOPCON Parecer Jurídico - CAOPCON Procedimento Administrativo nº 0046.15.092147-9 Ementa: CONSUMIDOR CONTRATO DE EMISSÃO E UTILIZAÇÃO DE CARTÕES DE CRÉDITO E DÉBITO CANCELAMENTO UNILATERAL PELA INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

Planos de Saúde - Aspectos Controvertidos - Contrato Coletivo

Planos de Saúde - Aspectos Controvertidos - Contrato Coletivo 471 Planos de Saúde - Aspectos Controvertidos - Contrato Coletivo Sonia Maria Monteiro 1 O CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR NO CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO No plano coletivo de assistência à saúde,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2014.0000353XXX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXXXX-64.2010.8.26.0084, da Comarca de Campinas, em que é apelante MESTRE ENGENHARIA LTDA., é apelado DIRCE

Leia mais

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde 1 Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Publicado em Revista de Direito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro /Cont. de/ RJRJ, Rio de Janeiro, n.80, p. 95-99, jul./set.

Leia mais

ACAO CIVIL COLETIVA REQUERENTE: POLISDEC - INSTITUTO MINEIRO DE POLITICAS SOCIAIS DE PROTECAO E DEFESA DO CONSUMIDOR REQUERIDOS: OI MOVEL S/A E OUTROS

ACAO CIVIL COLETIVA REQUERENTE: POLISDEC - INSTITUTO MINEIRO DE POLITICAS SOCIAIS DE PROTECAO E DEFESA DO CONSUMIDOR REQUERIDOS: OI MOVEL S/A E OUTROS ACAO CIVIL COLETIVA REQUERENTE: POLISDEC - INSTITUTO MINEIRO DE POLITICAS SOCIAIS DE PROTECAO E DEFESA DO CONSUMIDOR REQUERIDOS: OI MOVEL S/A E OUTROS D E C I S Ã O Trata-se de AÇÃO CIVIL COLETIVA proposta

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 45610/2012 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL

QUINTA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO Nº 45610/2012 - CLASSE CNJ - 198 - COMARCA CAPITAL APELANTE: BRADESCO AUTO RE COMPANHIA DE SEGUROS APELADO: HAMILTON DE CARVALHOFERREIRA Número do Protocolo: 45610/2012 Data de Julgamento: 19-9-2012 E M E N T A SEGURO OBRIGATÓRIO (DPVAT) - LEI N. 11.482/07

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 1ª Turma Cível Processo N. Agravo de Instrumento 20130020241390AGI Agravante(s) GOLDEN CROSS ASSISTENCIA INTERNACIONAL

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 447.888 - RO (2002/0084713-3) RELATORA : MINISTRA NANCY ANDRIGHI RECORRENTE : ADMINISTRADORA E CORRETORA DE SEGUROS - RONSEG ADVOGADO : ODAILTON KNORST RIBEIRO RECORRENTE : SUL AMÉRICA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO 2ª Vara Federal de Taubaté SP

PODER JUDICIÁRIO 2ª Vara Federal de Taubaté SP 2ª VARA FEDERAL DE TAUBATÉ - SP Autos n 0000406-44.2015.403.6121 - AÇÃO DE PROCEDIMENTO ORDINÁRIO AUTOR: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SUBSEÇÃO DE TAUBATÉ RÉU: UNIMED DE TAUBATÉ COOPERATIVA DE TRABALHO

Leia mais

Modelo de Petição inicial para o Juizado Especial Cível (para deferir depósito judicial com percentual de reajuste de 11,75%)

Modelo de Petição inicial para o Juizado Especial Cível (para deferir depósito judicial com percentual de reajuste de 11,75%) Modelo de Petição inicial para o Juizado Especial Cível (para deferir depósito judicial com percentual de reajuste de 11,75%) EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DIRETOR DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL DA (indicar a

Leia mais

A ré contesta, defendendo a legalidade do aumento praticado, já que previsto contratualmente. Invoca jurisprudência em seu favor.

A ré contesta, defendendo a legalidade do aumento praticado, já que previsto contratualmente. Invoca jurisprudência em seu favor. Sentença 5o JUIZADO ESPECIAL CÍVEL PROCESSO N.:001/3.09.0027267-6 DEMANDANTE:MARCOS AURELIO ARAUJO DA ROSA DEMANDADO: UNIMED COOP. DE TRAB. MÉDICO LTDA- UNIMED PORTO ALEGRE PUBLICAÇÃO DA SENTENÇA: 26/08/2009

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2015.0000329XX ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº XXXXXX-42.2014.8.26.0565, da Comarca de São Caetano do Sul, em que é apelante LIBERTY INCORPORADORA LTDA, são

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo. Voto nº 23951

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo. Voto nº 23951 10ª Câmara Seção de Direito Privado Apelação com Revisão n 4002213-20.2013.8.26.0562 Comarca: Santos Ação: Compromisso de Venda e Compra e Repetição de indébito Apte(s).: API Assessoria Consultoria e Intermediação

Leia mais

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator

ACÓRDÃO. Rio de Janeiro, 05 de outubro de 2010. Desembargador ROBERTO FELINTO Relator DÉCIMA OITAVA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0355516-46.2008.8.19.0001 Apelante 1 : AZZURRA PARIS VEÍCULOS LTDA. Apelante 2 : SUL AMÉRICA COMPANHIA NACIONAL DE SEGUROS Apelados 1 : OS MESMOS Apelado 2

Leia mais

23 a Câmara Cível / Consumidor do Tribunal de Justiça

23 a Câmara Cível / Consumidor do Tribunal de Justiça Apelação nº 0001938-89.2009.8.19.0008 Apelante: ITAÚ SEGUROS S.A Apelado: SELMA SILVA DE ABREU DIAS Relator Des. SÉRGIO RICARDO DE ARRUDA FERNANDES AÇÃO DE RITO SUMÁRIO. DIREITO DO CONSUMIDOR. CONTRATAÇÃO

Leia mais

^ WÜWJÊ PODER JUDICIÁRIO \j ^ãpl@ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

^ WÜWJÊ PODER JUDICIÁRIO \j ^ãpl@ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ^ WÜWJÊ PODER JUDICIÁRIO \j ^ãpl@ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO QI ' ACÓRDÂO/DECISÂO MONOCRÁTICA *3 ACÓRDÃO REGISTRADO(A)SOBN i l *02570514* S2 Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

2235044-60.2007.8.13.0105 1.0105.07.223504-4/001(1) Número processo:

2235044-60.2007.8.13.0105 1.0105.07.223504-4/001(1) Número processo: Número processo: Relator: do 1.0105.07.223504-4/001(1) Númeração Única: GUILHERME LUCIANO BAETA NUNES Relator do Acórdão: GUILHERME LUCIANO BAETA NUNES Data do Julgamento: 19/01/2010 Data da Publicação:

Leia mais

Nº 70051718773 COMARCA DE LAJEADO A C Ó R D Ã O

Nº 70051718773 COMARCA DE LAJEADO A C Ó R D Ã O Apelação cível. Seguros. Ação de cobrança. Seguro de carga. Agravamento do risco configurado. Negativa de pagamento da cobertura securitária embasada em cláusula contratual que determina a necessidade

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 359 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000557534 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1043649-38.2013.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante AMIL SAÚDE S/A, é apelado FELLIPE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 2 Registro: 2015.0000086160 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0011047-84.2013.8.26.0011, da Comarca de São Paulo, em que é apelante ORDALIA REGINA DA SILVA BUSO, são

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Fórum João Mendes Júnior - 18º Andar, sala 1806, Centro - CEP 01501-900, Fone: 2171-6315, São Paulo-SP

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Fórum João Mendes Júnior - 18º Andar, sala 1806, Centro - CEP 01501-900, Fone: 2171-6315, São Paulo-SP Registro: 2015.0000075537 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Recurso Inominado nº 1008924-47.2014.8.26.0016, da Comarca de São Paulo, em que é recorrente CHAMALEON EVEN EMPREENDIMENTOS

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara Empresarial da Comarca da Capital

Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara Empresarial da Comarca da Capital Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da Vara Empresarial da Comarca da Capital O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, por intermédio do Promotor de Justiça que ao final subscreve, vem,

Leia mais

~14 - 1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D.

~14 - 1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D. AC no 200.2008.042.249-2/001 1 ~14-1891,( Poder Judiciário do Estado da Parai Tribunal de Justiça Gabinete da Desembargadora Maria das Neves çigito de A. D. Ferreira ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL No 200.2008.042.249-2/001

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JAYME QUEIROZ LOPES (Presidente), ARANTES THEODORO E PEDRO BACCARAT.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores JAYME QUEIROZ LOPES (Presidente), ARANTES THEODORO E PEDRO BACCARAT. fls. 1 Registro: 2015.0000378701 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0001863-52.2013.8.26.0481, da Comarca de Presidente Epitácio, em que é apelante UNIÃO NACIONAL DAS INSTITUIÇÕES

Leia mais

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos

VISTOS, RELATADOS E DISCUTIDOS os presentes autos ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. SAULO HENRIQUES DE SÁ E BENEVIDES. ACÓRDÃO APELAÇÃO CÍVEL N. 001.2007.024438-7/001 7a Vara Cível da Capital. RELATOR :Des. Saulo Henriques de Sá e Benevides.

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL Nº 199375-88.2008.8.09.00029 (200891993754) CATALÃO

APELAÇÃO CÍVEL Nº 199375-88.2008.8.09.00029 (200891993754) CATALÃO APELAÇÃO CÍVEL Nº 199375-88.2008.8.09.00029 (200891993754) CATALÃO APELANTE: APELADO: RELATOR: CÂMARA: JANDIRA BORGES DA SILVA HSBC SEGUROS BRASIL S/A DESEMBARGADOR CAMARGO NETO 6ª CÍVEL EMENTA: 1. APELAÇÃO.

Leia mais

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios

Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Órgão 2ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Distrito Federal Processo N. Apelação Cível do Juizado Especial 20110710091144ACJ

Leia mais

SENTENÇA CIDADANIA E DO CONSUMIDOR

SENTENÇA CIDADANIA E DO CONSUMIDOR fls. 253 SENTENÇA Processo nº: 1020149-49.2014.8.26.0506 Classe - Assunto Ação Civil Pública - Turismo Requerente: ANADEC - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DEFESA DA CIDADANIA E DO CONSUMIDOR Requerido: VIBE TOUR

Leia mais

AÇÃO CIVIL PÚBLICA COM PEDIDO DE LIMINAR

AÇÃO CIVIL PÚBLICA COM PEDIDO DE LIMINAR EXMO. SR. JUIZ DE DIREITO DA CAPITAL VARA EMPRESARIAL DA COMARCA DA A COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR DA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, vem, pela presente, por seus procuradores que

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 34 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5. Comarca de CAMPINAS Processo 872/00

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 34 a Câmara SEÇÃO DE DIREITO PRIVADO APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5. Comarca de CAMPINAS Processo 872/00 34 a Câmara APELAÇÃO C/ REVISÃO N 940070-0/5 Comarca de CAMPINAS Processo 872/00 l.v.cível APTE APDO MARCELO AZEVEDO FEITOR CORRETORA DE SEGUROS LTDA OTONIEL QUEIROZ DA SILVA A C Ó R D Ã O TRIBUNAL DE

Leia mais

Parte Autora: SIND TRAB EMPR TELEC OPER DE MESAS TELEF DO EST R G N. Parte Ré: FUNDACAO SISTEL DE SEGURIDADE SOCIAL DECISÃO

Parte Autora: SIND TRAB EMPR TELEC OPER DE MESAS TELEF DO EST R G N. Parte Ré: FUNDACAO SISTEL DE SEGURIDADE SOCIAL DECISÃO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE 11ª Vara Cível da Comarca de Natal Rua Doutor Lauro Pinto, 315, Candelária, NATAL - RN - CEP: 59064-250 Processo: 0807584-66.2015.8.20.5001 Parte Autora:

Leia mais

A CÓRDÃO CÍVEL Nº 71001878719 COMARCA DE PORTO ALEGRE. Vistos, relatados e discutidos os autos. EFN Nº 71001878719 2008/CÍVEL

A CÓRDÃO CÍVEL Nº 71001878719 COMARCA DE PORTO ALEGRE. Vistos, relatados e discutidos os autos. EFN Nº 71001878719 2008/CÍVEL CONSUMIDOR. RESCISÃO DE CONTRATO. SERVIÇO DE INTERNET BANDA LARGA (3G). CONEXÃO DISPONIBILIZADA EM VELOCIDADE MUITO INFERIOR À CONTRATADA. INOBSERVÂNCIA DO DEVER DE INFORMAR POR PARTE DA FORNECEDORA. DIREITO

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE LIMEIRA SP.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE LIMEIRA SP. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE LIMEIRA SP. A AÇÃO CIVIL PÚBLICA COMO VIA PROCESSUAL ADEQUADA A IMPEDIR E REPRIMIR DANOS AO CONSUMIDOR A ação civil pública, disciplinada pela

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA 14ª VARA DA JUSTIÇA FEDERAL EM SÃO PAULO - SP PROCESSO nº DISTRIBUIÇÃO POR DEPENDÊNCIA AO PROCESSO nº 90.0042414-3 MARÍTIMA SEGUROS S/A, pessoa jurídica de

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000166668 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0203107-50.2009.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante VERSAILLES INCORPORADORA SPE LTDA, são

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento nº 0052654-08.2013.8.19.0000 Agravante: Município de Armação de Búzios Agravado: Lidiany da Silva Mello

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE RIO VERDE-GO.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE RIO VERDE-GO. EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DA COMARCA DE RIO VERDE-GO. O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS, pelo Promotor de Justiça abaixo assinado, vem perante Vossa Excelência, com fundamento

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 598.854-4/9-00, da Comarca de

Vistos, relatados e discutidos estes autos de. APELAÇÃO CÍVEL COM REVISÃO n 598.854-4/9-00, da Comarca de TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO 1RIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA ACÓRDÃO REGISTRADO(A) SOB N IIIIIII "02122934* Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CÍVEL

Leia mais

PROCURADORIA DE JUSTIÇA EM MATÉRIA CÍVEL

PROCURADORIA DE JUSTIÇA EM MATÉRIA CÍVEL APELAÇÃO N.º 0192370-4 APELANTE: SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO APELADO: TEREZINHA ALVES DOS SANTOS CUNHA, representada por MARIA DAS GRAÇAS SANTOS CUNHA ÓRGÃO JULGADOR: TERCEIRA CÂMARA CÍVEL RELATOR:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 314 SENTENÇA Processo Digital nº: 1120876-70.2014.8.26.0100 Classe - Assunto Procedimento Ordinário - Compra e Venda Requerente: Marcelo Mendes dos Reis Fracari Requerido: Cyrela Polinésia Empreendimentos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N ACÓRDÃO I MUI mil mu mu uni um um imi mi 111 *03043864* Vistos, relatados e discutidos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA rr PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO Apelação Cível nq 200.2010.004672-7/001 Origem Relatora Apelante Advogado Apelado Advogada : 3 2 Vara Cível da Comarca da Capital :

Leia mais

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário.

Vistos, Embora dispensado (art. 38, Lei nº 9.099/95), é o relato do necessário. Vistos, Como já ressaltado em decisum anterior, a presente demanda foi proposta por MARIA APARECIDA MARQUES AMORIN NUNES em face de UNIMED ARAGUAIA COOPERATIVA DE TRABALHO MÉDICO, objetivando a revisão

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 1 Registro: 2014.0000669915 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0007471-13.2013.8.26.0002, da Comarca de, em que são apelantes ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIÁRIAS E PARTICIPAÇÕES

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO Registro: 2015.0000853162 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 1012384-11.2014.8.26.0576, da Comarca de São José do Rio Preto, em que é apelante ALEX VOLTOLINI, é apelado MOLISE

Leia mais

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0003050-34.2012.8.19.0026 RELATORA: DES. MARIA INÊS DA PENHA GASPAR CLASSIFICAÇÃO REGIMENTAL: 1

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0003050-34.2012.8.19.0026 RELATORA: DES. MARIA INÊS DA PENHA GASPAR CLASSIFICAÇÃO REGIMENTAL: 1 DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL Nº 0003050-34.2012.8.19.0026 RELATORA: DES. MARIA INÊS DA PENHA GASPAR CLASSIFICAÇÃO REGIMENTAL: 1 DIREITO CIVIL. RESILIÇÃO DE CONTRATO COLETIVO DE PLANO DE SAÚDE.

Leia mais

Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003)

Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003) Série Aperfeiçoamento de Magistrados 6 Judicialização da Saúde - Parte I 393 Plano de Saúde - O Envelhecimento e o Reajuste por Faixa Etária Impacto da Lei 9.656 e o Estatuto do Idoso (Lei nº 10.741/2003)

Leia mais

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde

Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Os Reajustes por Mudança de Faixa Etária nos Planos de Saúde Luciana de Oliveira Leal Halbritter Juíza de Direito do TJ RJ Mestre em Justiça e Cidadania pela UGF Sumário: 1. Introdução; 2. Aspectos Gerais;

Leia mais

PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS

PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS PLANOS DE SAÚDE REGULAMENTADOS Com relação a este tema, vamos explanar onde tudo começou: O Estatuto do Idoso (Lei n 10.741, de 01.10.03), reconhecendo a hipossuficiência do idoso, trouxe algumas conseqüências

Leia mais

PARECER. b) Da Natureza dos Contratos: Coletivo ou Individual/Familiar

PARECER. b) Da Natureza dos Contratos: Coletivo ou Individual/Familiar PARECER Plano de Saúde Majoração das Mensalidades Índice de Reajuste Diverso do Aplicado Pela ANS Possibilidade Observância do CDC Devolução de Quantias Pagas a Maior Prescrição a) Introdução No ano de

Leia mais

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente), CLAUDIO GODOY E LUIZ ANTONIO DE GODOY.

ACÓRDÃO. O julgamento teve a participação dos Exmos. Desembargadores CHRISTINE SANTINI (Presidente), CLAUDIO GODOY E LUIZ ANTONIO DE GODOY. fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2014.0000230468 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0015157-53.2013.8.26.0003, da Comarca de São Paulo, em que é apelante SUL AMÉRICA COMPANHIA DE SEGURO

Leia mais

Estado de Mato Grosso Poder Judiciário Comarca de Várzea Grande Juízo da 2ª Vara Cível. Vistos etc.,

Estado de Mato Grosso Poder Judiciário Comarca de Várzea Grande Juízo da 2ª Vara Cível. Vistos etc., Processo Nº. 20271-27.2012 - Código 299671 Vistos etc., 1. DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE MATO GROSSO promove AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONSUMERISTA C/C LIMINAR em desfavor de SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. ( SKY

Leia mais

Pugna a Agravante pela apreciação do recurso pelo órgão Colegiado, caso não haja retratação por parte desta Julgadora.

Pugna a Agravante pela apreciação do recurso pelo órgão Colegiado, caso não haja retratação por parte desta Julgadora. AGRAVO INTERNO na Apelação Cível Nº 0307899-17.2013.8.19.0001 Apelante: QUALICORP ADMINISTRADORA DE BENEFICIOS S/A Apelado: EMILLY DIAS DE LIMA e ENZO DIAS DE LIMA REP/P/S/GUARDIOES BIANCA DIAS ALVARENGA

Leia mais

AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado

AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado AÇÃO CIVIL PÚBLICA Valor de Mercado Resumo: Tomamos a iniciativa de relatar este caso, dado seu interesse e relevância para o segmento segurador, além do significado para os consumidores de seguros, especialmente

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.273.311 - SP (2011/0144262-4) RECORRENTE ADVOGADO RECORRIDO ADVOGADO : VIRGÍNIO ARAÚJO FILHO E OUTROS : EMERSON RIBEIRO DANTONIO : COMPANHIA DE SEGUROS DO ESTADO DE SÃO PAULO : FERNANDA

Leia mais

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Modelo esquemático de ação direta de inconstitucionalidade genérica EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL Legitimidade ativa (Pessoas relacionadas no art. 103 da

Leia mais

3 351ity, '1211. ,ffl O. :Y/ r Gabinete do Desembargador TRIBUNAL DE JUSTIÇA

3 351ity, '1211. ,ffl O. :Y/ r Gabinete do Desembargador TRIBUNAL DE JUSTIÇA 4~~1~1~,- - _ - - - -- 1 1 j : 3 351ity, '1211 "71:\ ikl ESTADO DA PARA(BA t UM I PODER JUDICIÁRIO - 1. TRIBUNAL DE JUSTIÇA,ffl O. :Y/ r Gabinete do Desembargador 1891 III, / Marcos Cavalcanti de Albuquerque

Leia mais

AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONSUMEIRISTA com pedido liminar

AÇÃO CIVIL PÚBLICA CONSUMEIRISTA com pedido liminar EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA CAPITAL VARA EMPRESARIAL DA COMARCA DA O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, por intermédio do Promotor de Justiça que ao final subscreve, vem, respeitosamente

Leia mais

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013

Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 Judicialização da Saúde Indústria de Liminares O que fazer para evitá-las? Sérgio Parra 17/10/2013 LIMINAR = ORDEM JUDICIAL PROVISÓRIA CONCEDIDA NO CURSO DE UM PROCESSO JUDICIAL Fundamentação legal: Art.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 864.760 - GO (2006/0145586-0) RELATORA : MINISTRA JANE SILVA (DESEMBARGADORA CONVOCADA DO TJ/MG) RECORRENTE : UNIÃO RECORRIDO : SALVADOR LAUREANO DE ASSUNÇÃO ADVOGADO : LÁZARO SOBRINHO

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL DA COMARCA DE SÃO PAULO...., brasileiro, casado, médico, portador da Cédula de Identidade RG nº... - SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº... com

Leia mais

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma

PROCESSO: 0000108-40.2010.5.01.0482 - RTOrd A C Ó R D Ã O 4ª Turma Multa de 40% do FGTS A multa em questão apenas é devida, nos termos da Constituição e da Lei nº 8.036/90, no caso de dispensa imotivada, e não em qualquer outro caso de extinção do contrato de trabalho,

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo ACÓRDÃO Registro: 2015.0000941456 Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 4001661-41.2013.8.26.0114, da Comarca de Campinas, em que é apelante

Leia mais

ACÓRDÃO. Ao contrário do que afirma a apelante, não existem provas de que o condutor do veículo de propriedade do segundo promovido

ACÓRDÃO. Ao contrário do que afirma a apelante, não existem provas de que o condutor do veículo de propriedade do segundo promovido ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gah. Des. Genésio Gomes Pereira Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO Cá/EL N 016.2009.000727-5/ 001 RELATOR: Des. Genésio Gomes Pereira Filho APELANTE: Nikanora

Leia mais

P O D E R J U D I C I Á R I O

P O D E R J U D I C I Á R I O Registro: 2013.0000791055 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0024907-79.2012.8.26.0564, da Comarca de São Bernardo do Campo, em que é apelante CRIA SIM PRODUTOS DE HIGIENE

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.12.351388-9/001 Númeração 3513889- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Rogério Medeiros Des.(a) Rogério Medeiros 05/11/2013 14/11/2013 EMENTA:

Leia mais

substituição ao Des. José Di Lorenzo Serpa.

substituição ao Des. José Di Lorenzo Serpa. ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 040.2008.000891-1/001. Relator: Marcos William de Oliveira, Juiz Convocado em substituição ao Des. José Di

Leia mais

CURSO DE DIREITO DA INFORMÁTICA LUIZ MÁRIO MOUTINHO

CURSO DE DIREITO DA INFORMÁTICA LUIZ MÁRIO MOUTINHO 1 CURSO DE DIREITO DA INFORMÁTICA LUIZ MÁRIO MOUTINHO 03/09/2013 2 PROTEÇÃO DO CONSUMIDOR NO COMÉRCIO ELETRÔNICO E AS LIMITAÇÕES DO DECRETO 7.962/2013 3 Conclusões O CDC é mais do que suficiente para a

Leia mais

NCS Nº 70056483696 (N CNJ: 0372996-59.2013.8.21.7000) 2013/CÍVEL

NCS Nº 70056483696 (N CNJ: 0372996-59.2013.8.21.7000) 2013/CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL. SEGUROS. AÇÃO REVISIONAL. CONTRATO DE PLANO DE SAÚDE COLETIVO. REAJUSTE DE MENSALIDADE EM RAZÃO DA SINISTRALIDADE. DESCABIMENTO. APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE DEFESA DO CONSUMIDOR. REPETIÇÃO SIMPLES.

Leia mais