Grade de Agroquímicos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Grade de Agroquímicos"

Transcrição

1 Produção Integrada de Manga PI Manga Grade de Agroquímicos Fungicidas, inseticidas, acaricidas e agroquímicos de uso geral registrado no MAPA para uso na cultura da Manga. Os fungicidas, inseticidas, acaricidas e agroquímicos de uso geral que não constem neste anexo e estejam registrados, podem ser incluídos e deverão cumprir as restrições feitas a produtos ou grupos de pesticidas já citados. Informamos que essa relação é um instrumento de apoio à empresa, devendo a mesma se responsabilizar para atualizar sua grade mensalmente nos sites oficiais (MAPA/ANVISA/AGROFIT). Antes de usar o produto, leia o rótulo, a bula, a receita e conserveos em seu poder. Consulte sempre um Engenheiro Agrônomo. Fonte: Site do Ministério da Agricultura. link AGROFIT (Sistema de agrotóxicos fitossanitários). Responsável pela atualização: Josué de Brito Técnico Agrícola/Valexport Atualização: 03/11/2009 1

2 Fungicidas utilizados na Produção Integrada de Manga PI Manga Nome Técnico Nome Comercial Nº de Registro no MAPA Classe Grupo químico Azoxistrobina Amistar Top 3809 Fungicida Estrobilurina + Triazol Classe Toxicoló gica Dosagem Intervalo (Dia) 100L H 2O Ha Seg. Aplic. Praga alvo Observações III 300 a 600ml 7 AntracnoseColltotrichum gloeosporióides Amistar WG Fungicida Vantigo Fungicida Estrobilurina IV 150g 2 15 Antracnose Colletotrichum Estrobilurina IV 15g 2 15 Antracnose Colletotrichum Incompatível com óleos em geral. Bromuconazol Condor 200 SC Fungicida Sistêmico e de Chinomethionat Morestan BR Fungicida de Difeconazol Flare Fungicida Enxofre Score Fungicida Kumulus DF Fungicida acaricida de Kumulus DFAG Fungicida acaricida de Sulficamp Fungicida Triazol III 400 ml Oídio Quinoxalina III 75 g 14 Oídio Àcaro da mal formação Eriophyes mangiferae Triazol I ml Triazol I ml 7 14 Oídio / Antracnose Colletotrichum gloesporioides 7 14 Oídio Oidium mangifera/antracnose Colletotrichum 20 ml p/ Oídio 50ml p/ Antracnose 20 ml para oídio 50 ml para Antracnose Inorgânico IV 300g Oídio Não misturar com produtos fortemente alcalinos Inorgânico IV 300g Oídio Não misturar com produtos fortemente alcalinos Inorgânico IV 700g *15 Oídio Ácaro da mal formação Eriophyes mangiferae à base de óleo. *Somente para o ácaro, oídio não tem intervalo de aplicação. 2

3 Garant Fungicida Bactericida de Inorgânico IV 250g 7 07 a 10 Antracnose Colletotrichum Incompatível com calda sufocálcica e carbamatos Hidróxido de Cobre Garant BR Fungicida bactericida de Inorgânico III 250g 7 14 Antracnose Colletotrichum Não misturar com produtos à base de fósforo/incompatível com Ziram, Dicloran e Carbamatos. Contact Fungicida de Inorgânico IV a 10 Antracnose Colletotrichum Imcompativel com calda sulfocalcica e carbamatos Imazalil Magnate 500 CE Fungicida e de Imidazol I 200 ml 03 Antracnose Colletotrichum Muito perigoso para o meio ambiente Dithane NT Fungicida acaricida de Manzate Fungicida protetor Ditiocarbamato III 200 g Antracnose Colletotrichum Ditiocarbamato III 200 g Antracnose Colletotrichum de reação fortemente alcalina de reação alcalina Mancozeb Manzate GrDa Fungicida acaricida protetor Ditiocarbamato III 200 g Antracnose Colletotrichum de reação alcalina Mancozeb Sipcam Fungicida de Ditiocarbamato III 200 g 20 Antracnose Colletotrichum fortemente alcalinos Mancozebe + oxicloreto de cobre Cuprozeb Fungicida Ditiocarbamato + inorgânico IV 200 g Antracnose Colletotrichum alcalinos 3

4 CUP Fungicida de Inorgânico IV 200g 07 a 14 Verrugosedamangueira Cobox Fungicida de Inorgânico IV 200g 7 14 Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/verrugose Incompatível com ácido, polisulfeto de cálcio. Oxicloreto de Cobre Cupravit Azul BR Fungicida de Inorgânico IV 300g 7 15 Antracnose Colletotrichum Propose Fungicida bactericida de Inorgânico IV 400g 7 14 Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/verrugose Produto perigoso ao meio ambiente Ramexane 850 PM Fungicida de Inorgânico IV 300g 15 Antracnose Colletotrichum gloeosporioide Incompatível com TMTD, dicloran, carbamatos e cloropropilat. Reconil Fungicida bactericida de Inorgânico IV 400g 07 a 14 Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/verrugose Incompatível com TMTD, DNOC, enxofre cálcico e ditiocarbamatos. Recop Fungicida de Inorgânico IV 200g 07 a 14 Verrugose Elzinoe mangiferae Cobre Atar MZ Fungicida Bactericida de Inorgânico IV 240g 07 a 14 Antracnose Colletotrichum /Verrugose Óxido Cuproso Cobre Atar BR Fungicida Bactericida de Inorgânico IV 240g 7 14 Antracnose Colletotrichum /Verrugose Incompatível com TMTD, carbamatos e calda sulfocálcica Piraclostrobina Comet Fungicida Estrobilurina II 40 ml 7 10 a 14 Antracnose Colletotrichum Prochloraz Sportak 450 EC Fungicida Imidazolilcarboxamida I 110mL Antracnose Colletotrichum Não determinado devido a modalidade de emprego (tratamento póscolheita) Trifloxistrobina Tebuconazol Nativo Fungicida Mesostêmico e Sistêmico Estrobilurina Triazol III 30 ml Antracnose Colletotrichum gloesporioides 4

5 Riza 200 EC Fungicida Triazol I 100mL Oídio Tebuconazol Constant Fungicida Elite Fungicida Triazol III 100mL Vide observação Vide observação Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/oídio Triazol III 100mL Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/oídio Antracnose 15 de aplicação/20 de segurança Oídio 20 de segurança Folicur 200 EC Fungicida Triazol III 100mL Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/oídio Triade Fungicida Triazol III Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/oídio Tetraconazol Domark 100 EC Fungicida Tiabendazol Tecto SC Fungicida Tiofanatometílico Tiofanatometílico Cercobin 500 SC Fungicida Pomme Fungicida Triazol II a 15 Antracnose Colletotrichum Benzimidazol III Antracnose Colletotrichum gloeosporioide/oídio Benzimidazol III ml Benzimidazol III ml Antracnose Colletotrichum AntracnoseColletotrichum gloesporioides 100 ml para Antracnose 200 ml para oídio Incompatível com cúpricos e produtos altamente alcalinos. Triflumizol Trifmine Fungicida Imidazol IV 2550g 7 15 Oídio Inseticidas e s utilizados na Produção Integrada de Manga PI Manga Nome Técnico Nome Comercial Nº de Registro no MAPA Classe Grupo químico Classe Toxicoló gica Dosagem Intervalo (Dia) 100L H 2O Ha Seg. Aplic. Praga alvo Observações 5

6 Bifentrina Brigade 100 EC Inseticida e Bistar 100 EC Inseticida e Capture 100 EC Inseticida e Talstar 100 EC Inseticida e Abamectin Vertimec 18 CE Inseticida acaricida de e Carbosulfano Eltra 400 SC Inseticida/ Fenix 400 SC Inseticida Xeriff 400 SC Inseticida/ Posse 400 SC Inseticida/Acaric ida Piretróide III 30 ml 7 01/ciclo Tripes Selenotripes Piretróide III 30 ml 7 01/ciclo Tripes Selenotripes Piretróide III 30 ml 7 Tripes Selenotripes Piretróide III 30 ml 7 Tripes Selenotripes Avermectinas III 100mL 7 Cochonilha escama farinha Pinnaspis aspidistrae Metilcabamato de benzufuranila II 75mL 15 Tripes Selenotripes II 75mL 15 Tripes Selenotripes II 75mL 15 Tripes Selenotripes No máximo uma aplicação por ciclo da cultura. No máximo uma aplicação por ciclo da cultura. No máximo uma aplicação por ciclo da cultura. No máximo uma aplicação por ciclo da cultura. Incompatível com óleo. Não usar com captara, folpet ou enxofre. Realizar até 04 aplicações por ciclo. I 75mL 15 TripesSelenotripes Carbosulfano Marshal Star Inseticida / Marshal 400 SC Inseticida / Hexitiazoxi Talento 0107 tiazolidinacarbox amida Imidacloprido Provado 200 SC Inseticida I 50ml 7 Tripes Selenotripes II 75mL 15 Tripes Selenotripes II 3g 3 Ácaro da malformação Eriophyes mangiferae 7 Tripes Selenotripes Neonicotinóide III 500 ml/ha Quinometionato Morestan BR Fungicida Quinoxalina III 75 g 14 Ácaro da malformação Eriophyes mangiferae /Oidium mangiferae 6

7 Espinosade Success*0,02 CB Inseticida Espinosinas III 1 a 1,6 L/ha Fentiona Lebaycid Inseticida e 1 07 a 14 Mosca do Mediterrâneo/ Mosca das Frutas Ceratitis Capitata; Mosca das Frutas Anastrepha Obliqua; Moscadacarambolabactrocera carambolae Organofosforado II 100 ml 21 Tripes Selenotripes /Moscasdasfrutas Anastrepha fraterculus e Ceratitis capitata/lagartadefogo Megalopyge lanata. Incompatível com produtos de reação alcalina. Enxofre Sulficamp / Fungicida de Trichlorphon* Dipterex Inseticida de e Inorgânico IV 700g 15 Ácaro da malformação Eriophyes mangiferae Organofosforado II 0,3 L 7 Moscasdasfrutas Anastrepha fraterculus e Ceratitis capitata/lagartadefogo Megalopyge lanata Incompatível com produtos à base de óleo Incompatível com produtos alcalinos Nome Técnico Fitorreguladores utilizados no manejo da planta na Produção Integrada de Manga PI Manga Nome Comercial Nº de Registro no MAPA Classe Grupo químico Classe Toxicolo gica Dosagem Intervalo (Dia) 100L H 2O Ha Seg. Aplic. Alvo Observações Etefon (Precursor de etileno) Ethrel Regulador de crescimento Etileno II 40 a 60 ml Indução floral alcalinos e ferro Metilciclopropeno Smart Fresh Thechnology Regulador de crescimento Cicloalqueno III 2 a 12 mg/m 3 Deve ser usado em uma única aplicação./as diferentes doses são recomendadas de acordo com o menor ou maior incremento no período de póscolheita desejado. 7

8 Metilciclopropeno Smart Fresh Regulador de crescimento Cicloalqueno III 2 a 12 mg/m 3 Deve ser usado em uma única aplicação./as diferentes doses são recomendadas de acordo com o menor ou maior incremento no período de póscolheita desejado. Paclobutrazol Cultar 250 SC Regulador de crescimento Triazol IV 2 a 6 ml/l de água 278 Indução floral Feromônios utilizados no manejo da planta na Produção Integrada de Manga PI Manga Nome Técnico Nome Comercial Nº de Registro no MAPA Classe Grupo químico Classe Toxicolo gica Dosagem Intervalo (Dia) 100L H 2O Ha Seg. Aplic. Alvo Observações 8

9 Trimedilure Bio trimedilure Feromônio sintético Ésteres saturados IV Ceratitis Capitata Deve ser coloca na própria Armadilha Bioceratitis Feromônio Ésteres saturados IV Ceratitis Capitata Quantidade de produto por hectare: Para monitoramento em áreas regulares utilizar 1 armadilha tipo delta ou jackson (1 tablete) por cada 3 hectares em áreas irregulares usar 1 armadilha por cada hectare com pelo menos 50 m entre uma e outra. OBS: Nesta atualização não houve alteração. 9

GRADE DE AGROTÓXICOS PARA A CULTURA DO MELÃO

GRADE DE AGROTÓXICOS PARA A CULTURA DO MELÃO GRADE DE AGROTÓXICOS PARA A CULTURA DO MELÃO Nome Técnico Marca Comercial Classe Grupo Químico Classif. Tox. Amb. g/100 l água Dosagem ml/100 l água Interv. de Enxofre Thiovit Sandoz Acaricida Inorgânico

Leia mais

Produção Integrada do Café

Produção Integrada do Café Produção Integrada do Café Grade de Agroquímicos para a Cultura do Café Fungicidas Agrinose oxicloreto de cobre inorgânico Cercosporiose (Cercospora coffeicola ) 600 g/100 L água 21 IV De contato Antracnose

Leia mais

FUNGICIDAS REGISTRADOS PARA VIDEIRA - NOVEMBRO DE 2009

FUNGICIDAS REGISTRADOS PARA VIDEIRA - NOVEMBRO DE 2009 1 1 AMISTAR WG AZOXISTROBINA ÓLEOS EM GERAL WG ESTROBIRULINA 500 7 7 0,5 1 10 2 3 0,2 2 VANTIGO AZOXISTROBINA ÓLEOS EM GERAL WG ESTROBIRULINA 500 7 7 0,5 1 10 2 3 0,2 3 GALBEN-M BENALAXIL + ACILALINATO

Leia mais

Produção Integrada de Manga PI-MANGA

Produção Integrada de Manga PI-MANGA Produção Integrada de Manga PIMANGA Paulo Roberto Coelho Lopes 1 José Eudes de Morais Oliveira 1 Joston Simão de Assis 1 Aderaldo de Souza Silva 1 Débora Costa Bastos 1 Cynthia Amorim Palmeira dos Santos

Leia mais

Produção Integrada da Batata

Produção Integrada da Batata Produção Integrada da Batata Grade de Agroquímicos para a Cultura da Batata Fungicidas Absoluto clorotalonil isoftalonitrila Pinta-preta (Alternaria solani ) 1,5-2,5 Kg/Ha 7 III De contato Requeima (Phytophthora

Leia mais

1/6 Doenças da Mangueira - Antracnose Colletotrichum gloeosporioides, Antracnose por Carlos Jorge Rossetto É a doença mais importante da mangueira em todo o mundo. Afeta folhas, flores, frutos e ponteiros.

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE UVA PARA PROCESSAMENTO - VINHO E SUCO SÉRIE DOCUMENTOS DE ACOMPANHAMENTO VOLUME 1 GRADE DE AGROQUÍMICOS

PRODUÇÃO INTEGRADA DE UVA PARA PROCESSAMENTO - VINHO E SUCO SÉRIE DOCUMENTOS DE ACOMPANHAMENTO VOLUME 1 GRADE DE AGROQUÍMICOS PRODUÇÃO INTEGRADA DE UVA PARA PROCESSAMENTO - VINHO E SUCO SÉRIE DOCUMENTOS DE ACOMPANHAMENTO VOLUME 1 GRADE DE AGROQUÍMICOS Samar Velho da Silveira Lucas da Ressurreição Garrido Marcos Botton Alexandre

Leia mais

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Mamão PI-Mamão. Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Município: Estado: CEP:

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Mamão PI-Mamão. Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Município: Estado: CEP: Produção Integrada de Mamão PI-Mamão CADERNO DE CAMPO Nº de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Nome do Produtor/Empresa: Endereço: Município: Estado: CEP: Telefone: Fax: E-mail: Home-Page: CP: Responsável

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Manejo Integrado de Pragas CATI / Campinas-SP 11/11/2011 Miguel Francisco de Souza Filho Pesquisador Científico Instituto Biológico - APTA Caixa Postal 70 CEP 13012-970 / Campinas - SP e-mail: miguelf@biologico.sp.gov.br

Leia mais

CONCENTRAÇÃO DE FORMULAÇÃO GRUPO QUIMICO. INGREDIENTE ATIVO (g/kg ou. ml/l) SL BIPIRIDILIO ,05 SR SR SR SR SR

CONCENTRAÇÃO DE FORMULAÇÃO GRUPO QUIMICO. INGREDIENTE ATIVO (g/kg ou. ml/l) SL BIPIRIDILIO ,05 SR SR SR SR SR HERBICIDAS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA UVA - NOVEMBRO DE 2009 NOME COMERCIAL Nº Registro Registrante HELMOXONE 14908 PARADOX 5006 HELM DO BRASIL MERCANTIL LTDA SINON DO BRASIL LTDA MODO DE AÇÃO GRAMOCIL

Leia mais

FUNGICIDAS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA UVA - Junho de 2013

FUNGICIDAS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA UVA - Junho de 2013 Página 1 de 6 AMISTAR WG AZOXISTROBINA 01305 ÓLEOS EM GERAL WG IV S ESTROBIRULINA 500 24 VANTIGO AZOXISTROBINA 10199 ÓLEOS EM GERAL WG IV S ESTROBIRULINA 500 24 GALBEN-M BENALAXIL + ACILALINATO + 4601

Leia mais

PRODUÇÃO INTEGRADA DE GOIABA GRADE DE AGROQUÍMICOS

PRODUÇÃO INTEGRADA DE GOIABA GRADE DE AGROQUÍMICOS PRODUÇÃO INTEGRADA DE GOIABA GRADE DE AGROQUÍMICOS 2004 GRADE DE AGROQUÍMICOS Para possibilitar a implantação da Produção Integrada de Goiaba é necessário que os produtores disponham de meios mínimos para

Leia mais

CARACTERÍSTICAS E CONTROLE DAS PODRIDÕES DE MAÇÃS CAUSADAS PELAS DOENÇAS DE VERÃO DAS MACIEIRAS

CARACTERÍSTICAS E CONTROLE DAS PODRIDÕES DE MAÇÃS CAUSADAS PELAS DOENÇAS DE VERÃO DAS MACIEIRAS CARACTERÍSTICAS E CONTROLE DAS PODRIDÕES DE MAÇÃS CAUSADAS PELAS DOENÇAS DE VERÃO DAS MACIEIRAS Rosa M V Sanhueza Agapomi 15/08/2014 A B C PATÓGENOS QUE CAUSAM DE VERÃO AS DOENÇAS Colletotrichum Botryosphaeria

Leia mais

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agroquímicos. Ciclo 2012/13

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agroquímicos. Ciclo 2012/13 Produção Integrada de maçã PIM Grade de Agroquímicos Ciclo 2012/13 Fungicidas, inseticidas, acaricidas, feromônios e agroquímicos de uso geral registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

AGROTÓXICOS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA VIDEIRA

AGROTÓXICOS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA VIDEIRA AGROTÓXICOS REGISTRADOS PARA A CULTURA DA VIDEIRA AGOSTO/2016 Coordenação: COMITÊ TÉCNICO DE VITICULTURA As tabelas que constam neste encarte registram os fungicidas, inseticidas, acaricidas e herbicidas

Leia mais

Cultura da Mangueira. Novembro 2007

Cultura da Mangueira. Novembro 2007 Cultura da Mangueira Novembro 2007 Produção mundial de manga País 1.000 t (2006)* Índia 11.140 China 3.550 Paquistão 2.242 México 2.050 Tailândia 1.800 Indonésia 1.412 Brasil 1.347 Total * Inclui goiaba

Leia mais

Controle e Manejo de Pragas e Doenças da Maçã 2014. Mancha da Gala. Yoshinori Katsurayama José Itamar da Silva Boneti

Controle e Manejo de Pragas e Doenças da Maçã 2014. Mancha da Gala. Yoshinori Katsurayama José Itamar da Silva Boneti Controle e Manejo de Pragas e Doenças da Maçã 214 Mancha da Gala Yoshinori Katsurayama José Itamar da Silva Boneti Fito Desenvolvimento e Produção Ltda. Vacaria, 15 de agosto de 214 Previsão meteorológica

Leia mais

VII WORKSHOP GTACC (Bebedouro/SP) Eng.Agr. MSc. MÁRCIO AUGUSTO SOARES NOVA AMÉRICA S/A CITRUS marcio.soares@novamerica.com.

VII WORKSHOP GTACC (Bebedouro/SP) Eng.Agr. MSc. MÁRCIO AUGUSTO SOARES NOVA AMÉRICA S/A CITRUS marcio.soares@novamerica.com. VII WORKSHOP GTACC (Bebedouro/SP) Eng.Agr. MSc. MÁRCIO AUGUSTO SOARES NOVA AMÉRICA S/A CITRUS marcio.soares@novamerica.com.br (14) 3332-3388 Localização NOVA AMÉRICA S/A CITRUS (Fazenda Guacho) Nº plantas:

Leia mais

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho

Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho INFORME TÉCNICO APROSOJA Nº 112/2016 09 de março de 2016 Orientações sobre o controle químico de doenças fúngicas para o milho Considerando o pleno desenvolvimento da Safra 2016 de milho, a Associação

Leia mais

Densidade Fósforo(mg.dm -3 ) Potássio(mg.dm -3 ) Nitrogênio 1.600 plantas/ha Baixo Méido Alto Baixo Médio Alto Produtividade P 2 O 5 K 2 O (kg.ha -1 ) (kg.ha -1.ano) (kg.ha -1.ano) (kg.ha -1.ano) Ano 0

Leia mais

ARTIGO DE REVISÃO. BREVE ANÁLISE ECONÔMICA DA PRÁTICA DE MISTURA EM TANQUE Susi M. M. Leite 1, Felipe T. Uemura 2.

ARTIGO DE REVISÃO. BREVE ANÁLISE ECONÔMICA DA PRÁTICA DE MISTURA EM TANQUE Susi M. M. Leite 1, Felipe T. Uemura 2. ARTIGO DE REVISÃO BREVE ANÁLISE ECONÔMICA DA PRÁTICA DE MISTURA EM TANQUE Susi M. M. Leite 1, Felipe T. Uemura 2. 1 Eng.ª Florestal, Dr.ª Docente Associado I da, Fatec Shunji Nishimura, Pompéia SP. 2 Discente

Leia mais

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Relatório PARA

Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos. Relatório PARA Agência Nacional de Vigilância Sanitária Gerência Geral de Toxicologia Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos Relatório PARA 2011 2012 Brasília, 22 de Outubro de 2013 GGTOX/ANVISA

Leia mais

2 Acetamiprido Convence Inseticida 1,5-5,0 ml/planta 60 SL II III Iharabras Neonicotinóide

2 Acetamiprido Convence Inseticida 1,5-5,0 ml/planta 60 SL II III Iharabras Neonicotinóide . GRADE DE INSETICIDAS, ACARICIDAS, FUNGICIDAS DA PRODUÇÃO INTEGRADA DOS CITROS PIC BRASIL Abamectin DVA 8 EC Insetic./Acaric./Nematic. 5,030,0 7 EC I II UPL Avermectina Abamectin Nortox Inseticida/Acaric.

Leia mais

Copyright WISER. All Rights Reserved.

Copyright WISER. All Rights Reserved. Copyright WISER. All Rights Reserved. Marciano Marques Bittencourt Engenheiro Agrônomo 17 anos Atuação Fruticultura e Horticultura no SUL Sediado em São Joaquim - SC MOLECULAS DE ORIGEM NATURAL HIDRÓLISE

Leia mais

Erros e acertos. no controle da pinta preta dos citros. Dr. Geraldo J. Silva Junior Pesquisador Dpto de Pesquisa e Desenvolvimento

Erros e acertos. no controle da pinta preta dos citros. Dr. Geraldo J. Silva Junior Pesquisador Dpto de Pesquisa e Desenvolvimento Erros e acertos no controle da pinta preta dos citros 37ª Semana da Citricultura Cordeirópolis, 27 de maio de 2015 Dr. Geraldo J. Silva Junior Pesquisador Dpto de Pesquisa e Desenvolvimento G. J. Silva

Leia mais

10 / 2013 7 de Junho. Bichado da fruta

10 / 2013 7 de Junho. Bichado da fruta 10 / 2013 7 de Junho Pomoídeas Macieiras e Pereiras Pedrado O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê a ocorrência de precipitação a partir de 7 de Junho, prolongando se por toda a semana Nesta

Leia mais

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014

PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 ANO III / Nº 73 PROGRAMA FITOSSANITÁRIO DE MATO GROSSO DO SUL RELATÓRIO SEMANAL DE 27 DE JANEIRO A 03 DE FEVEREIRO DE 2014 Núcleo 1 Chapadão do Sul Eng. Agr. Danilo Suniga de Moraes O plantio de algodão

Leia mais

Como controlar a pinta preta com redução de custos

Como controlar a pinta preta com redução de custos 36ª Semana da Citricultura Cordeirópolis, 04 de junho de 2014 Como controlar a pinta preta com redução de custos Dr. Geraldo J. Silva Junior Pesquisador Dpto de Pesquisa e Desenvolvimento G. J. Silva Junior

Leia mais

48º Congresso Brasileiro de Olericultura

48º Congresso Brasileiro de Olericultura Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 48º Congresso Brasileiro de Olericultura Lei dos agrotóxicos e implicações em minor crops Dr. Débora Maria Rodrigues Cruz Maringá, 29 de julho de 2008

Leia mais

Art. 4º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 4º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 22, DE 8 DE SETEMBRO DE 2010 O SECRETÁRIO SUBSTITUTO DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA

Leia mais

CONTROLE QUÍMICO DA FLOR PRETA (COLLETOTRICHUM ACUTATUM SIMMONDS) DO MORANGUEIRO EM CONDIÇÕES DE CAMPO

CONTROLE QUÍMICO DA FLOR PRETA (COLLETOTRICHUM ACUTATUM SIMMONDS) DO MORANGUEIRO EM CONDIÇÕES DE CAMPO Controle químico da flor preta (Colletotrichum acutatum Simmonds) do morangueiro em condições de campo. 37 CONTROLE QUÍMICO DA FLOR PRETA (COLLETOTRICHUM ACUTATUM SIMMONDS) DO MORANGUEIRO EM CONDIÇÕES

Leia mais

Como promover o aumento na produção?

Como promover o aumento na produção? Como promover o aumento na produção? 1. Aumento da superfície explorada 2. Aumento no uso de fertilizantes 3.Emprego de métodos de cultivos mais eficientes 4. Uso de variedades melhoradas 5. Proteção vegetal

Leia mais

Parte 2 CONTROLE QUÍMICO / FORMULAÇÃO

Parte 2 CONTROLE QUÍMICO / FORMULAÇÃO Parte 2 COTROLE QUÍMICO / FORMULAÇÃO Curso Integrado de Pragas JPGomes ovember 11th, 2006 Slide 1 PRAGA É todo e qualquer ser vivo, que por um curto ou longo período de tempo, apresenta um nível de proliferação

Leia mais

CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DA MANGUEIRA

CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DA MANGUEIRA CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DA MANGUEIRA Rui Sales Júnior Engº. Agrº, Dr., Professor Fitopatologia, UFERSA, fone 84 3315-1722, Mossoró, RN. E-mail: jrrui@hotmail.com Erika Valente Medeiros UFERSA, fone

Leia mais

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos. Ciclo 2015/16

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos. Ciclo 2015/16 Produção Integrada de maçã PIM Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos Ciclo 2015/16 Agrotóxicos (fungicidas, inseticidas, acaricidas, feromônios, reguladores de crescimento) registrados no Ministério da Agricultura,

Leia mais

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos. Ciclo 2017/18

Produção Integrada de maçã PIM. Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos. Ciclo 2017/18 Produção Integrada de maçã PIM Grade de Agrotóxicos e Agroquímicos Ciclo 2017/18 Agrotóxicos (fungicidas, inseticidas, acaricidas, feromônios, reguladores de crescimento) registrados no Ministério da Agricultura,

Leia mais

Ferrugem de Soja: Estimativas de Custo de Controle, em Passo Fundo, RS. Cláudia De Mori Leila Maria Costamilan

Ferrugem de Soja: Estimativas de Custo de Controle, em Passo Fundo, RS. Cláudia De Mori Leila Maria Costamilan Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento ISSN 1518-6512 Dezembro, 2004 32 Ferrugem de Soja: Estimativas de Custo de Controle, em Passo Fundo, RS Cláudia De Mori Leila Maria Costamilan Foto:

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Conselho Nacional Científico e Tecnológico CNPq PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS PIF CAQUI/SP

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Conselho Nacional Científico e Tecnológico CNPq PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS PIF CAQUI/SP Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Conselho Nacional Científico e Tecnológico CNPq PRODUÇÃO INTEGRADA DE FRUTAS PIF CAQUI/SP GRADE DE AGROQUÍMICOS USO EMERGENCIAL DE AGROQUÍMICOS

Leia mais

Ensaio para avaliação de controle químico de pulgão-do-algodoeiro ( Aphis gossypii RESUMO

Ensaio para avaliação de controle químico de pulgão-do-algodoeiro ( Aphis gossypii RESUMO Ensaio para avaliação de controle químico de pulgão-do-algodoeiro (Aphis gossypii). Luis Alberto Aguillera 1, Alexandre Jacques Bottan 1. (1) Engenheiro Agrônomo, pesquisador do Departamento Técnico da

Leia mais

Tabelas de fungicidas registrados para controle de ferrugem asiática e oídio da soja

Tabelas de fungicidas registrados para controle de ferrugem asiática e oídio da soja Tabelas de fungicidas registrados para controle de ferrugem asiática e oídio da soja Tabelas com fungicidas aprovados na Reunião de Pesquisa de Soja da Região Central do Brasil, realizada em Cornélio Procópio,

Leia mais

Só restaram as carboxamidas para o manejo de doenças na cultura da soja? O que fazer?

Só restaram as carboxamidas para o manejo de doenças na cultura da soja? O que fazer? Só restaram as carboxamidas para o manejo de doenças na cultura da soja? O que fazer? Fernando Cezar Juliatti 1, Daniel Bertolini 2 e Nayara Bauti 3 Laboratório de Micologia e Proteção de Plantas LAMIP

Leia mais

INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011

INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO. Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO Carlos Alberto Domingues da Silva 2011 INSETOS CAUSADORES DA PEGAJOSIDADE NO ALGODOEIRO PRODUÇÃO DE HONEYDEW POR INSETOS E SUAS RELAÇÕES COM A PEGAJOSIDADE

Leia mais

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental

Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Pesquisa, Consultoria e Treinamento Agrícola Ltda. Soluções para Manejo de Pragas, Plantas Daninhas, Biotecnologia Aplicada e Monitoramento Ambiental Estações Experimentais de Pesquisa EEGJaboticabal EEGUberlândia

Leia mais

Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros

Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros Importância da pulverização aérea no controle de pragas dos citros Marcelo Pedreira de Miranda Pesquisador Científico - Fundecitrus PRAGAS DOS CITROS Psilídeo Mosca-das-frutas Minador-dos-citros Bicho-furão

Leia mais

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob o nº 06997

Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob o nº 06997 Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento MAPA sob o nº 06997 COMPOSIÇÃO: Sulfur (ENXOFRE)... 800g/kg (80% m/m) Ingredientes inertes... 200g/kg (20% m/m) PESO LÍQUIDO: VIDE RÓTULO

Leia mais

Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho

Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho ISSN 1679-1150 Recomendações para o Controle Químico da Mancha Branca do Milho 167 Sete Lagoas, MG Dezembro, 2011 A mancha branca (Pantoea ananatis) é considerada, atualmente, uma das principais doenças

Leia mais

RECEITA AGRONÔMICA, O QUE É E COMO EMITIR NO RECEITUÁRIO AGRONÔMICO ONLINE

RECEITA AGRONÔMICA, O QUE É E COMO EMITIR NO RECEITUÁRIO AGRONÔMICO ONLINE RECEITA AGRONÔMICA, O QUE É E COMO EMITIR NO RECEITUÁRIO AGRONÔMICO ONLINE A abordagem deste artigo será baseada na receita agronômica que é um documento obrigatório de porte de quem compra e aplica um

Leia mais

COMPOSIÇÃO: Sulfur (ENXOFRE)... 800 g/kg (80% m/m) Outros ingredientes... 200 g/kg (20% m/m)

COMPOSIÇÃO: Sulfur (ENXOFRE)... 800 g/kg (80% m/m) Outros ingredientes... 200 g/kg (20% m/m) VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICO DO ESTADO DO PARANÁ Registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA sob o n 0241859 COMPOSIÇÃO: Sulfur (ENXOFRE)...

Leia mais

Efeito de acidez da água sobre produtos fitossanitários

Efeito de acidez da água sobre produtos fitossanitários Arbore/dng de triclorfom e o da água Cooperativa dos Agricultores de Plantio Direto Informativo 061 Efeito de acidez da água sobre produtos fitossanitários A qualidade da água é fator fundamental na eficácia

Leia mais

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas

A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas A necessidade do profissional em projetos de recuperação de áreas degradadas Moacyr Bernardino Dias-Filho Engenheiro Agrônomo, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Belém, PA www.diasfilho.com.br Conceito

Leia mais

Relatório de pesquisa agrícola

Relatório de pesquisa agrícola Relatório de pesquisa agrícola Título: Competição de fungicidas no manejo de doenças da soja. Objetivo: Avaliar o desempenho dos fungicidas comerciais no manejo de doenças na cultura da soja na safra 2013/14.

Leia mais

BROMEX VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ

BROMEX VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ BROMEX VERIFICAR RESTRIÇÕES CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO ESTADO DO PARANÁ REGISTRADO NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, SOB Nº 005886-88 Composição: Methyl bromide (Brometo

Leia mais

Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP)

Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP) Reunião do Consórcio Antiferrugem 26 de junho de 2008. Londrina, PR. Relato da situação da ferrugem e do vazio sanitário na região Sul (PR, SC e RS) e Sudeste (MG, SP) Dulândula S. M. Wruck - Epamig Leila

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer n.º 175/COGPA/SEAE/MF MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico. Brasília, 2 de setembro de 2003. Referência: Ofício nº 4548/2001/SDE/GAB, de 26 de outubro de 2001. Assunto:

Leia mais

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC

Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC Serviço Social do Comércio DEPARTAMENTO NACIONAL Estância Ecológica SESC-Pantanal CONCORRÊNCIA N.º 15/0009 - CC ANEXO IV MEMORIAL DE MANUTENÇÃO PAISAGISMO HOTEL SESC MEMORIAL DE MANUTENÇÃO DE JARDIM HOTEL

Leia mais

Na mesma reunião foram realizadas as seguintes considerações que envolvem a Helicoverpa armigera:

Na mesma reunião foram realizadas as seguintes considerações que envolvem a Helicoverpa armigera: NOTA DE ESCLARECIMENTO - DTE/FAEP 19/11/13 A EMBRAPA e a ADAPAR com apoio do Sistema FAEP/SENAR estão realizando o Projeto de Monitoramento e identificação da Helicoverpa armigera Paraná safra 2013/2014.

Leia mais

EFEITO DE DIVERSOS PROGRAMAS DE TRATAMENTO NO CONTROLE DO COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO CAFEEIRO

EFEITO DE DIVERSOS PROGRAMAS DE TRATAMENTO NO CONTROLE DO COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO CAFEEIRO EFEITO DE DIVERSOS PROGRAMAS DE TRATAMENTO NO CONTROLE DO COMPLEXO DE DOENÇAS FOLIARES NA CULTURA DO CAFEEIRO Adriana Novais Martins Eng.ª Agr.ª Dra., Docente da Faculdade de Agronomia e Engenharia Florestal,

Leia mais

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013.

Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. Ano II 20 de maio de 2013. Relatório semanal de 13 a 20 de maio de 2013. A Ampasul participou do 11º Encontro dos cotonicultores da região de Paranapanema/SP e pode ver que naquela região os produtores

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROL DE CALIDAD EN LOS ALIMENTOS-RESIDUOS DE PESTICIDAS EN SAN PABLO - BRASIL

PROGRAMA DE CONTROL DE CALIDAD EN LOS ALIMENTOS-RESIDUOS DE PESTICIDAS EN SAN PABLO - BRASIL Buenos Aires/2009 PROGRAMA DE CONTROL DE CALIDAD EN LOS ALIMENTOS-RESIDUOS DE PESTICIDAS EN SAN PABLO - BRASIL Laboratório de Resíduos de Pesticidas/IB/APTA Legislação de Pesticidas Brasil - Fluxograma

Leia mais

PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO. Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155

PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO. Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155 PULGÃO: TRANSMISSÃO DE VÍRUS E MANEJO Waldir Cintra de Jesus Junior wcintra@fundecitrus.com.br 0800-112155 Tópicos a serem abordados Condições para se ter doença Como os patógenos se disseminam? E os vírus?

Leia mais

Com a aproximação do plantio da soja para safra 2004/05, decisões precisam ser tomadas pelo agricultor para o planejamento da safra e, entre elas, a

Com a aproximação do plantio da soja para safra 2004/05, decisões precisam ser tomadas pelo agricultor para o planejamento da safra e, entre elas, a Com a aproximação do plantio da soja para safra 2004/05, decisões precisam ser tomadas pelo agricultor para o planejamento da safra e, entre elas, a escolha do fungicida a ser utilizado. Para auxiliar

Leia mais

CAPA. Por Francine Pupin e Carolina Dalla Costa

CAPA. Por Francine Pupin e Carolina Dalla Costa CAPA ALIMENTO SEGURO Seguindo a tendência do Alimento Seguro, a União Européia revê a legislação sobre o uso de agroquímicos. Com isso, o Brasil pode alterar o modo de produzir. Por Francine Pupin e Carolina

Leia mais

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Manga PI-Manga. Informações da Parcela Seção 2. Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE:

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Manga PI-Manga. Informações da Parcela Seção 2. Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Produção Integrada de Manga PI-Manga CADERNO DE CAMPO Informações da Parcela Seção 2 Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Produtor/Empresa: Endereço: Município: Estado: Telefone: ( ) Fax:( )

Leia mais

MANUAL DO MODELO VEGETAL MICRO-TOM

MANUAL DO MODELO VEGETAL MICRO-TOM 1 MANUAL DO MODELO VEGETAL MICRO-TOM CAPITULO 4: CONTROLE DE PRAGAS, DOENÇAS E DISTÚRBIOS FISIOLÓGICOS Fernando Angelo Piotto & Lázaro Eustáquio Pereira Peres Introdução A melhor forma de efetuar o controle

Leia mais

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI)

Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez. Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Eng. Agr. M.Sc. Waldemar Sanchez Projetos Bayer para Culturas de Suporte Fitossanitário Insuficiente (CSFI) Agenda Produtos / Culturas / Alvos Projetos Bayer: Investimentos & Prazos Bayer CropScience Visão

Leia mais

CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DE PLANTAS

CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DE PLANTAS Disciplina: Fitopatologia Agrícola CONTROLE QUÍMICO DE DOENÇAS DE PLANTAS Controle Químico de Doenças de Plantas Conceito: Prática de controlar o desenvolvimento de doenças em plantas, baseada na aplicação

Leia mais

1 Litro 018 EC L135729 PORT/5L. Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais

1 Litro 018 EC L135729 PORT/5L. Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais L135729 PORT/5L AGI Code 27884 Mod. 010306 018 EC Acaricida e Insecticida para Tomateiro, Morangueiro, Citrinos, Macieira, Pereira, Flores e Ornamentais Concentrado para emulsão com 18 g/l 1,9% (p/p) de

Leia mais

Manga Espada. Implantação do pomar

Manga Espada. Implantação do pomar Manga Espada Uma das variedades brasileiras mais antigas e comuns. A árvore é muito vigorosa, porte elevado e muito produtiva. O fruto é verde intenso ou amarelo esverdeado, de tamanho médio (em torno

Leia mais

AFRUTOP Produtor: Responsável Técnico: Município: Setor: População Total: População Biolchim:

AFRUTOP Produtor: Responsável Técnico: Município: Setor: População Total: População Biolchim: Produtor: Ailton Porto Viana Responsável Técnico: Sr. Marcondes Município: Dom Basílio Setor: 19 População Total: 1.066 Plantas População Biolchim: 410 Plantas Produtor: Ailton Porto Viana Posicionamento:

Leia mais

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório:

Você atingiu o estágio: Recomendações. NOME: MUNICIPIO: Ipiranga Data de preenchimento do guia: 2012-02-14 Data de devolução do relatório: Guia de sustentabilidade na produção de soja na Agricultura Familiar Relatório individual NOME: Prezado senhor (a), Em primeiro lugar, no nome dacoopafi, da Gebana e da Fundação Solidaridad,gostaríamos

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 682 Página 682 AVALIAÇÃO DO SISTEMA AGCELENCE NA CULTURA DO ALGODOEIRO NO SISTEMA DE PLANTIO ADENSADO NO OESTE DA BAHIA *Cleiton Antônio da Silva Barbosa 1 ; Benedito de Oliveira Santana Filho 1 ; Ricardo

Leia mais

AMEIXA DAMASCO PÊSSEGO

AMEIXA DAMASCO PÊSSEGO AMEIXA DAMASCO PÊSSEGO CADERNO DE CAMPO A SER UTILIZADO NO ÂMBITO DA PROTEÇÃO INTEGRADA 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROPRIETÁRIO Nome: Morada: Nº HF: NIF: Código Postal: - Localidade: Telefone: Telemóvel: Email:

Leia mais

ÁREAS LIVRES DE PRAGAS

ÁREAS LIVRES DE PRAGAS ÁREAS LIVRES DE PRAGAS A movimentação de crescentes quantidades de produtos em um ritmo cada vez mais acelerado tem ocasionado o agravamento de problemas fitossanitários e tem levado os países a impor

Leia mais

USO DE AGROTÓXICOS EM MANGUEIRAS

USO DE AGROTÓXICOS EM MANGUEIRAS USO DE AGROTÓXICOS EM MANGUEIRAS INTRODUÇÃO O uso de agrotóxicos em frutas, cuja produção está orientada para o mercado externo, deve merecer muita atenção dos fruticultores, em virtude da necessidade

Leia mais

OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS

OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS ENTOMOLOGIA OPÇÕES E CUSTOS COMPARATIVOS PARA UM PROGRAMA DE REDUÇÃO DO INÓCULO DA LEPROSE DOS CITROS JOSÉ C.V. RODRIGUES 1, 2, FABIANO Z. UETA 1 e RONALD P. MURARO 1 RESUMO A leprose dos citros apresenta

Leia mais

ESTAÇÃO DE AVISOS DE CASTELO BRANCO

ESTAÇÃO DE AVISOS DE CASTELO BRANCO CIRCULAR Nº 14 / 2009 CASTELO BRANCO, 22 DE JULHO 1 PRUNÓIDEAS Pessegueiros 1.1 - Mosca da fruta (Ceratitis capitata ) As condições climáticas são favoráveis ao aparecimento da mosca da fruta. Já registámos

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS.

ORIENTAÇÕES TÉCNICA PARA A CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE CONTROLE / COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS. 1. OBJETO CONSTITUI O OBJETIVO DESTA LICITAÇÃO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE COMBATE A FORMIGAS CORTADEIRAS NAS ESTAÇÕES EXPERIMENTAIS DE ANHEMBI E ITATINGA DO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ VALMIR CELESTE SILVA LEVANTAMENTO DOS AGROTÓXICOS USADOS POR CITRICULTORES DOS MUNICÍPIOS DE ALTO PARANÁ, GUAIRAÇÁ E PARANAVAÍ-PARANÁ, NO PERÍODO DE 2008-2009. CURITIBA 2011

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA IV - POUCO TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL IV - PRODUTO POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE

CLASSIFICAÇÃO TOXICOLÓGICA IV - POUCO TÓXICO CLASSIFICAÇÃO DO POTENCIAL DE PERICULOSIDADE AMBIENTAL IV - PRODUTO POUCO PERIGOSO AO MEIO AMBIENTE Ag-Bem 1012 VERIFICAR RESTRIÇÕES DE USO CONSTANTES NA LISTA DE AGROTÓXICOS DO PARANÁ ANTES DE USAR O PRODUTO LEIA O RÓTULO, A BULA E A RECEITA, E CONSERVE-OS EM SEU PODER. É OBRIGATÓRIO O USO DE EQUIPAMENTOS

Leia mais

ESTAÇÃO DE AVISOS DE CASTELO BRANCO

ESTAÇÃO DE AVISOS DE CASTELO BRANCO CIRCULAR Nº 04 / 2012 CASTELO BRANCO, 26 DE MARÇO POMÓIDEAS MACIEIRAS e PEREIRAS Pedrado As variedades mais precoces de macieiras e pereiras encontram-se nos seguintes estados fenológicos: pereiras (C3-D3)

Leia mais

IX WORKSHOP GTAC TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA A CITRICULTURA BEBEDOURO, 10 DE MAIO DE 2012

IX WORKSHOP GTAC TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA A CITRICULTURA BEBEDOURO, 10 DE MAIO DE 2012 IX WORKSHOP GTAC TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA A CITRICULTURA BEBEDOURO, 10 DE MAIO DE 2012 ANTONIO DE GOES Departamento de Fitossanidade UNESP Universidade Estadual Paulista JABOTICABAL - SP IX WORKSHOP

Leia mais

ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 5 - REGULAMENTO 5

ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 5 - REGULAMENTO 5 ÍNDICE 1 - APRESENTAÇÂO 2 2 - INFORMAÇÕES SOBRE O CURSO 2 3- INFORMAÇÕES PARA O CANDIDATO 4 4 - SUBSÍDIOS E DESPESAS 4 5 - REGULAMENTO 5 1 1. Apresentação O curso tem por objetivo habilitar técnicos para

Leia mais

Inseticida de contato e adjuvante / espalhante adesivo, do grupo químico hidrocarbonetos alifáticos PRAGAS. Cochonilha-cabeça-deprego

Inseticida de contato e adjuvante / espalhante adesivo, do grupo químico hidrocarbonetos alifáticos PRAGAS. Cochonilha-cabeça-deprego Composição: Mistura de hidrocarbonetos parafínicos, ciclo parafínicos e aromáticos saturados e insaturados provenientes da destilação do petróleo (ÓLEO MINERAL)...800 ml/l (80% v/v) Ingredientes inertes...200

Leia mais

?? 69. Antracnose da videira: sintomatologia, epidemiologia e controle. Sintomatologia ISSN

?? 69. Antracnose da videira: sintomatologia, epidemiologia e controle. Sintomatologia ISSN ISSN 1808-6810?? 69 Circular Técnica Bento Gonçalves, RS Dezembro, 2006 Autores Rosemeire de Lellis Naves Eng. Agrôn., Embrapa Uva e Vinho, Estação Experimental de Viticultura Tropical, Caixa Postal 241,

Leia mais

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/hortalicas...

http://www.emater.mg.gov.br/site_emater/serv_prod/livraria/olericultura/hortalicas... Página 1 de 6 Olericultura Produção Orgânica de Hortaliças Nome Hortaliças : Produção Orgânica Produto Informação Tecnológica Data Abril - 2000 Preço - Linha Olericultura Resenha Informações gerais sobre

Leia mais

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com

CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com CITROS - PRAGAS Foto: tudosobreplantas.net Foto: lookfordiagnosis.com Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora em Fruto Fonte: www.centrodecitricultura.com.br Ácaro da Ferrugem Phyllocoptruta oleivora

Leia mais

Manejo Integrado de Pragas

Manejo Integrado de Pragas Universidade Federal de Viçosa Departamento de Biologia Animal BAN 160 Entomologia Geral Manejo Integrado de Pragas Prof. Eliseu José G. Pereira eliseu.pereira@ufv.br O que é? Exemplos Organismo Praga

Leia mais

Tipos de Sistema de Produção

Tipos de Sistema de Produção Tipos de Sistema de Produção Os sistemas de cultura dominantes conjunto de plantas cultivadas, forma como estas se associam e técnicas utilizadas no seu cultivo apresentam grandes contrastes entre o Norte

Leia mais

?? 68. Controle de doenças fúngicas em uvas de mesa na região noroeste do Estado de São Paulo ISSN 1808-6810

?? 68. Controle de doenças fúngicas em uvas de mesa na região noroeste do Estado de São Paulo ISSN 1808-6810 ISSN 1808-6810?? 68 Circular Técnica Bento Gonçalves, RS Dezembro, 006 Autores Rosemeire de Lellis Naves Eng. Agrôn., Embrapa Uva e Vinho, Estação Experimental de Viticultura Tropical, Caixa Postal 41,

Leia mais

RELATÓRIO. Instituição Executora: Agroteste - Pesquisa e Desenvolvimento Av: Dr. Jaime Ribeiro da Luz, 971 - Sala 59 38.408-188 - Uberlândia / MG.

RELATÓRIO. Instituição Executora: Agroteste - Pesquisa e Desenvolvimento Av: Dr. Jaime Ribeiro da Luz, 971 - Sala 59 38.408-188 - Uberlândia / MG. 1 RELATÓRIO A utilização de produtos naturais (Rocksil e Microgeo) associados a defensivos biológicos (Tricodermil, Boveril, Metarril e Bac Control) em programas de manejo integrado para produção sustentável

Leia mais

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Uvas Finas de Mesa: PI-Uva. Informações da Parcela Seção 2. Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE:

CADERNO DE CAMPO. Produção Integrada de Uvas Finas de Mesa: PI-Uva. Informações da Parcela Seção 2. Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Produção Integrada de Uvas Finas de Mesa: PI-Uva CADERNO DE CAMPO Informações da Parcela Seção 2 Número de Registro do Produtor/Empresa no CNPE: Produtor/Empresa: Endereço: Município: Estado: Telefone:

Leia mais

Formulação / Composição

Formulação / Composição FICHA TÉCNICA Insecticida indicado no combate aos afídeos (piolhos) do pessegueiro, macieira, pereira, citrinos, couve de bruxelas, feijoeiro, pepino, alface, batateira, roseiras, craveiros, crisântemos,

Leia mais

Ficha de Divulgação n.º 03 (Atualizada em maio de 2014)

Ficha de Divulgação n.º 03 (Atualizada em maio de 2014) Oídio ou cinzeiro Ficha de Divulgação n.º 03 (Atualizada em maio de 20) VINHA Estação de Avisos Agrícolas do Algarve Eugénia Neto Phomopsis viticola (Sacc.) Sacc. Biologia Esta doença é causada por um

Leia mais

Moção do Consórcio Antiferrugem sobre o futuro do controle de doenças da soja no Brasil

Moção do Consórcio Antiferrugem sobre o futuro do controle de doenças da soja no Brasil Moção do Consórcio Antiferrugem sobre o futuro do controle de doenças da soja no Brasil Em reunião de apresentação e discussão dos resultados dos ensaios cooperativos de controle de doenças da soja, da

Leia mais

BASF Cana Crescer a cada desafio

BASF Cana Crescer a cada desafio BASF Cana Crescer a cada desafio Pag. 1 Pag. 2 Soluções integradas por todo o ciclo da cana-de-açúcar. Pag. 3 Cada dia nos desafia a crescer. Pag. 4 Buscar oportunidades para produzir mais, melhor e com

Leia mais

Avaliação de Misturas Prontas e de Tanque de Mancozeb + Cúpricos para o Controle da Ferrugem e da Cercosporiose do Cafeeiro

Avaliação de Misturas Prontas e de Tanque de Mancozeb + Cúpricos para o Controle da Ferrugem e da Cercosporiose do Cafeeiro REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO II EDIÇÃO NÚMERO 3 JUNHO DE 2003 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA

DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA DINÂMICA DAS INFESTAÇÕES E ESTRATÉGIAS NO CONTROLE DE PRAGAS MAURO T B SILVA O AMBIENTE AGRÍCOLA Fatores climáticos Plantas hospedeiras Pragas Práticas culturais MUDANÇA NAS PRÁTICAS CULTURAIS 1977 1987

Leia mais

CIRCULAR TÉCNICA. Eduardo Moreira Barros 1, Jacob Crosariol Netto 1

CIRCULAR TÉCNICA. Eduardo Moreira Barros 1, Jacob Crosariol Netto 1 CIRCULAR TÉCNICA Nº27 / 2016 Setembro de 2016 Publicação periódica de difusão científica e tecnológica editada pelo Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt) e dirigida a profissionais envolvidos com

Leia mais

PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (PARA)

PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (PARA) PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (PARA) MONITORAMENTO DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS NOS ALIMENTOS: TRABALHO DESENVOLVIDO PELA ANVISA, COM AS VIGILÂNCIAS SANITÁRIAS DOS ESTADOS DO

Leia mais

Manejo Integrado das Principais Doenças e Pragas da cultura da Soja. Rafael Moreira Soares & Daniel R. Sosa-Gómez

Manejo Integrado das Principais Doenças e Pragas da cultura da Soja. Rafael Moreira Soares & Daniel R. Sosa-Gómez Manejo Integrado das Principais Doenças e Pragas da cultura da Soja Rafael Moreira Soares & Daniel R. Sosa-Gómez FERRUGEM Phakopsora pachyrhizi FERRUGEM ASIÁTICA.Perdas de até 90% - diminui área fotossintética

Leia mais