Dependendo da época e do lugar em que vive o compositor, da sua intenção com a música, dos instrumentos. Muitos tipos de música...

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dependendo da época e do lugar em que vive o compositor, da sua intenção com a música, dos instrumentos. Muitos tipos de música..."

Transcrição

1 Muitos tipos de música... B.B. King, guitarrista e cantor de blues. Dependendo da época e do lugar em que vive o compositor, da sua intenção com a música, dos instrumentos musicais que tem à disposição, do público a que se destina a música e de muitos outros fatores, a composição musical pode pertencer a determinados gêneros e formas musicais. As expressões gêneros e formas musicais muitas vezes recebem definições diferentes de acordo com o estudioso ou teórico musical. Não discutiremos neste material essas diferentes definições, mas sim ressaltaremos que, independentemente do nome utilizado, devemos abarcar todos os tipos de música durante o trabalho na escola. Mas que tipos de música são esses? Inicialmente, abarcaremos os gêneros musicais, que constituem a primeira grande classificação que podemos fazer diante da infinidade de composições musicais existentes no mundo todo, em todas as épocas.

2 Artes Visuais e Música Tocadora de flauta da antiga Roma. Gêneros musicais Essa primeira classificação leva em consideração quem executa a música, em que situações e, de uma maneira geral, por que ela é executada. Dentro dessa perspectiva, consideramos como gêneros: música étnica; música folclórica; música popular; músicas criadas pela indústria cultural; música erudita. Dentro de cada classificação, encontramos composições com uma intenção: religiosa; ou profana. Música tradicional ou étnica É a música de raiz, feita pelo povo, normalmente com caráter de ritual. Esse tipo de música mantém-se há séculos da mesma forma, refletindo as crenças e a vida dos povos. Fazendo parte desse gênero, citamos a indígena, a de tribos africanas, a dos aborígenes australianos, entre outras. Cerimônia tribal da África Central. Esse gênero está praticamente em extinção, pois essas civilizações estão, pouco a pouco, sendo dizimadas, e sua cultura, inclusive a musical, está sendo sufocada pela cultura dos povos que as dominam e está sendo esquecida. Muitas dessas músicas parecem-nos muito estranhas e engraçadas, justamente porque não estamos acostumados a ouvi-las. Além disso, atualmente muitos 154

3 Muitos tipos de música... teóricos e estudiosos consideram a música étnica de certa forma inferior e mais simples do que a música erudita ou dos centros urbanos. Essas idéias são muito questionáveis, pois a música étnica possui uma grande riqueza rítmica, que muitos músicos de orquestra não conseguiriam acompanhar, além de características complexas de composição e execução. Procurem ouvir músicas de povos indígenas, africanos, asiáticos, que ainda vivem de forma mais primitiva, e percebam a quantidade de técnicas vocais que esses povos executam, a quantidade de timbres diferentes que criam por meio de instrumentos musicais feitos apenas com elementos da natureza, a organização de inúmeras pessoas tocando juntas, enfim, a complexidade desse gênero que reflete uma forma de viver, que mostra uma relação direta com a natureza. As crianças gostam muito desse gênero, pois, além de possuir músicas diferentes das que estamos acostumados a ouvir, normalmente possui um ritmo bastante marcado. A criança é bastante sensível ao ritmo de qualquer música, pois ele pode ser considerado como um elemento mais corporal e, como todos sabemos, a criança possui uma relação estreita com seu corpo e suas manifestações. Criar músicas mais repetitivas, em roda, marcando ritmos apenas com palavras como hey-hô, hey-hô e jogando com essas palavras, trabalhando com sua intensidade, mudando os grupos que cantam, dividindo a sala em dois grupos iguais, metade executando o hey bem agudo e a outra metade executando o hô bem grave, por exemplo, são atividades simples, que podem ser desenvolvidas facilmente com crianças pequenas. Música folclórica A música folclórica normalmente é aquela criada e aceita coletivamente, que mostra idéias e sentimentos comuns de um grupo. A maioria das músicas folclóricas é transmitida por tradição oral, tem compositor desconhecido e é divulgada e transformada com o passar do tempo. É característica das regiões interioranas, litorâneas e rurais. São músicas executadas, muitas vezes, por toda a comunidade em situações importantes, como festas de casamento, festas de colheita, festas de trabalho, festas religiosas ou por pura diversão. Na maioria das vezes, são acompanhadas de danças e brincadeiras, mas nem sempre. Como exemplos, temos as cirandas, o frevo, as diversas músicas infantis (Ciranda cirandinha, Eu perdi o meu galinho, Sambalelê etc.), os repentes nordestinos e muitas outras. Ouçam diversas músicas folclóricas, infantis ou não, com seus alunos. Montem um pequeno livro com letras de músicas folclóricas que as turmas conheçam e façam pesquisas sobre músicas folclóricas da sua região, juntamente com seus alunos e outros profissionais da escola. Zé Caboclo. Banda de Pífanos. 155

4 Artes Visuais e Música Lembrem-se de que as músicas folclóricas são muito importantes, mas esse não deve ser o único gênero a ser trabalhado na escola! Música popular É a música feita por autor conhecido e que, normalmente, alcança todas as camadas da sociedade. A maior parte das músicas populares possui grandes produções artísticas e certo apoio da mídia, e é característica dos centros urbanos. Compositores como Raul Seixas, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Roberto Carlos e outros são exemplos típicos da Música Popular Brasileira (MPB) atual. Não somente a MPB deve ser trabalhada na escola mas também a música popular de outros países pode e deve ser explorada. Assim como esta, a música folclórica e étnica de outros lugares do mundo merece atenção e análise por parte do professor e, conseqüentemente, dos seus alunos. As poesias e composições de Vinicius de Moraes, compiladas no disco A arca de Noé, são bons exemplos de músicas populares infantis acessíveis e de boa qualidade para serem trabalhadas na escola. A coleção Palavra Cantada, de Paulo Tatit e Sandra Peres, também oferece uma série de opções de CDs de ótima qualidade com músicas infantis bem estruturadas e com uma variedade grande de opções de atividades para o professor. Raul Seixas, década de Músicas criadas pela indústria cultural São as músicas de massa ou comerciais. Aquelas feitas para serem assimiladas por um grande número de pessoas, com estrutura de composição simples e cuja intenção é o consumo alienado da população. Ela é estritamente ligada à moda e considerada arte de consumo. Às vezes, alguns grupos fazem muito 156

5 Muitos tipos de música... sucesso em um ano e depois somem do mercado completamente. Outras vezes, alguns grupos surpreendem, acabando por fazer parte da MPB. O limite entre a MPB e a música de massa é tênue, assim como, em algumas situações, o limite entre a música folclórica e étnica também é difícil de ser estabelecido. Normalmente, as músicas de massa são as mais conhecidas pelas crianças, e mais apreciadas também, porque todos nós somos bombardeados por esse gênero em todas as rádios, canais de tevê, festas e lojas. Portanto, é impossível eliminar o trabalho com esse gênero, até mesmo porque, de alguma forma, ele está mostrando a realidade humana... Na verdade, a música de consumo entra em nossas vidas sem pedir licença e, por características propositais em sua estrutura de composição, fica na nossa cabeça durante dias! Esse gênero deve ser estudado, apreciado e compreendido. Durante a apreciação desse tipo de música, deve-se, como sempre, saber quem a compôs, quando, que instrumentos são tocados, sobre o que se fala etc., mostrando que, muitas vezes, sua estrutura de composição é repetitiva, quase hipnótica, para que todos a decorem e comprem os discos... Conversar sobre os temas, obviamente de modo coerente com a faixa etária de sua turma, a qualidade da voz dos cantores e dos instrumentistas, a riqueza melódica etc., sem nunca desqualificar o gosto das crianças, é um caminho para que seus alunos sejam críticos e compreendam o significado dessas músicas, mesmo que continuem gostando delas e cantando e dançando nas festas! Música erudita É a feita normalmente por pessoas que estudaram ou estudam música formalmente. Considera-se música erudita toda música que não é popular, étnica, folclórica ou comercial. De acordo com Magnani (1996, p. 112), a música erudita possui, por sua própria natureza, ambições de comunicar mensagens estéticas universalmente válidas. Isso quer dizer que a música erudita segue padrões de composição criados em determinados contextos, ou então rompe com esses padrões. Os períodos da história da música erudita referemse, quase que totalmente, a esses padrões de composição: música medieval, renascentista, barroca, romântica, impressionista etc. Os padrões de composição referem-se ao período histórico em que as músicas eruditas foram compostas. A valsa, a sinfonia, o concerto, as sonatas e muitas outras formas musicais pertencem a esse gênero. Antonio Vivaldi. Muitas vezes, os professores se perguntam se podem trabalhar com esse gênero e como farão isso na escola, principalmente com crianças pequenas. A idéia que eles têm é a de que as crianças devem saber as da- 157

6 Artes Visuais e Música tas, o nome do período, as obras mais famosas etc. Essas são informações importantes, mas podem ser oferecidas por meio de jogos, progressivamente, à medida que as crianças escutam, dançam e trabalham com as músicas de maneira lúdica. Lembrem-se de que, inicialmente, vocês, professores, precisam ter o mínimo de informações sobre o período para depois passar essas informações em quantidade e profundidade coerentes com a faixa etária com a qual trabalham. Vamos pegar o exemplo de uma música medieval o cantochão. Inicialmente, pode-se ouvir o cantochão, conversar sobre a altura das vozes, a maneira como os cantores cantam, a ausência de instrumentos musicais (com exceção do órgão), a ausência de mulheres cantando, a característica do canto recitado etc. Depois, pode-se contar para as crianças que essa música era feita há muito tempo, na época dos castelos e das lutas com espadas, mas que esse tipo de música só era feito nas igrejas e por homens, e que é uma música que fala dos textos da Bíblia. Para uma turma de jardim 1, jardim 2 ou jardim 3, e até mesmo para uma 1.ª série, essas informações são acessíveis e suficientes. Dessa maneira, a música erudita está sendo trabalhada assim como os períodos da história da música. Quanto menores forem as crianças, mais se trabalhará com informações mais básicas. Contudo, isso não quer dizer que o estudo esteja incompleto: apenas que as informações estarão coerentes com o nível de desenvolvimento infantil. 158 Lucca della Robbia. Coro de Meninos. Relevo em mármore.

7 Músicas religiosas Em todos os cinco gêneros de música (étnica, folclórica, popular, indústria cultural e erudita), podemos encontrar músicas religiosas, ligadas à espiritualidade e à religiosidade dos povos. Independentemente da crença religiosa, todos os povos possuem músicas para rezar, agradecer, celebrar, abençoar ou pedir bênçãos aos seus deuses. Muitas músicas indígenas, por exemplo, são executadas em rituais dedicados aos deuses. As músicas da Festa do Divino ou até algumas das festas juninas, que falam dos santos padroeiros, são exemplos de músicas religiosas folclóricas. Algumas músicas gospel e outras músicas religiosas são criadas pela indústria cultural. Muitos compositores de MPB, como o próprio Roberto Carlos, compõem músicas religiosas e, na música erudita, temos os réquiens (música para a missa dos mortos da Igreja Católica), o cantochão, já citado, e muitas outras formas musicais religiosas. Muitos tipos de música... Hans Memlinc, É importante que o professor saiba lidar com a diversidade de religiões que poderá encontrar na sua turma. Esse material não pretende catequizar nem estabelecer comparações entre as religiões, mas mostrar que a necessidade humana da música é tão forte que, até para estabelecer contato com Deus, essa linguagem é utilizada em praticamente todas as religiões. As crianças podem trazer exemplos das músicas de sua religião, mostrar para os outros e, com isso, surge uma oportunidade valiosa para que todos convivam com as diferenças, respeitando-as e valorizando-as. 159

8 Artes Visuais e Música Músicas profanas Considera-se música profana toda aquela que não é religiosa: músicas de divertimento, de dança, para dormir, guerrear, trilhas sonoras, para relaxar etc. Em todos os gêneros, encontramos músicas profanas. Marie Laurencin. Composição, Faça uma lista de intenções das músicas profanas que você conhece. Quando ouvimos ou executamos qualquer música, dentro ou fora da escola, podemos levantar algumas questões importantes referentes aos gêneros musicais: É uma música profana ou religiosa? De que religião? Por quem foi feita essa música? Quem ouve essa música? Em que lugar ela é executada ou ouvida normalmente? Como está estruturada essa música e a que gênero pertence? 160 Antoine Vollon. Natureza Morta. Princípios de composição Usamos o termo gênero para uma classificação mais abrangente, mas existem ainda muitas subdivisões dentro de cada gênero, de acordo com a organização dos elementos formadores do som nas composições. Por exemplo, de acordo com a escolha tímbrica do compositor, podemos classificar as músicas em instrumental, vocal a capella e mista.

9 Música instrumental executada apenas por instrumentos Não importa qual seja o instrumento ou conjunto de instrumentos. Pode ser um tambor, um violino, uma orquestra ou até uma caixinha de fósforos. Se a música for apenas tocada, sem voz, ela é considerada instrumental. Mostrar versões instrumentais de músicas que as crianças conheçam para que sejam identificadas, trabalhar com a execução instrumental e estudar formas musicais que sejam essencialmente instrumentais, como a sinfonia, o concerto, a sonata, o balé, entre outras, são trabalhos importantes para que a criança reconheça e compreenda a música instrumental. Foi a partir do Renascimento que a música instrumental passou a ser mais valorizada, como podemos ver no texto a seguir: Até o começo do século XVI, os instrumentos eram considerados muito menos importantes do que as vozes. Usavam-nos apenas em peças de dança e, naturalmente, também como acompanhamento de canto, mas nessa função nada faziam senão duplicar a voz, isto é, tocar a mesma melodia do canto ou, talvez, na ausência de certos cantores, assumir a parte correspondente a estes. Contudo, durante o século XVI, os compositores passaram a ter cada vez mais interesse em escrever músicas para instrumentos não apenas danças, mas peças destinadas a serem simplesmente tocadas e ouvidas. (BENNET, 1986) Assim, é importante que a criança perceba a relevância da mudança na concepção de música que ocorre nesse período, pois uma música na qual o instrumento apenas acompanha a voz é diferente de uma música em que o instrumento, ou os instrumentos, são a única escolha tímbrica do compositor. Música vocal a capella apenas cantada A música vocal a capella é aquela apenas cantada, sem nenhum tipo de acompanhamento instrumental. Pode ser cantada por uma ou inúmeras pessoas, de ambos os sexos ou não. Os corais, muitas vezes, cantam a capella, mas outras vezes possuem acompanhamento instrumental. Já que usamos a época do Renascimento como exemplo na música instrumental, vamos também falar desse período em relação à música vocal a capella. Muitos tipos de música... Mstislav Rostropovich, violoncelista. Beth Gibbons, cantora. 161

10 Artes Visuais e Música a sociedade entrou numa fase atualmente conhecida como Renascimento. As artes floresceram durante o Renascimento, financiadas por ricaços e pela realeza, que amavam as artes e não pagavam impostos. Um dos mais famosos compositores italianos do Renascimento foi Giovanni da Palestrina ( ). Palestrina era um dos grandes favoritos do Papa e tornou-se famoso por compor somente para vozes, sem acompanhamento instrumental. À diferença do canto gregoriano, a música de Palestrina não era apenas uma melodia cantada em uníssono (todos cantam a mesma nota simultaneamente). Pelo contrário, ele explorou harmonias fantásticas, que provinham do canto simultâneo de diversas melodias independentes. [...] O madrigal A forma musical mais popular para essas músicas era o madrigal. Madrigal é uma peça para pelo menos três vozes, geralmente sem acompanhamento. Durante o Renascimento, famílias ou grupos de amigos se reuniam para cantar esses madrigais, cada pessoa assumindo uma linha vocal diferente e dando cotoveladas em quem desafinasse. [...] (POGUE; SCOTT, 1998) Nesse texto, bem divertido, temos uma idéia de uma música vocal a capella do Renascimento. Qualquer música pode ser executada apenas por vozes, ou apenas por instrumentos. Quando classificamos as músicas nesses grupos, estamos levando em consideração o que o compositor pensou como escolha tímbrica, sabendo que cada intérprete poderá adaptar essa composição como achar melhor. Muitas vezes, os professores perguntam como formar um coral na escola. Isso não é tão simples. Normalmente, um coral infantil possui acompanhamento instrumental, mas isso raramente acontece nas escolas, pois o acompanhador (pessoa que vai tocar teclado ou violão enquanto as crianças cantam) precisa ser remunerado e conhecer bem a linguagem musical. Na verdade, o importante é que as crianças cantem coletivamente. Para estruturar o trabalho básico com canto junto aos alunos, pensem nos passos abaixo. Escolher músicas que as crianças gostem e que sejam acessíveis, que não tenham melodias muito complicadas nem letras de difícil entendimento. Essa é a etapa de escolha e montagem do repertório. Como, normalmente, o professor de arte não tem formação vocal, precisa escolher boas gravações dessas músicas para que as crianças ouçam com atenção cada uma delas. A partir daí, vocês podem: brincar com as músicas dividindo a turma em grupos; criar efeitos sonoros em determinados trechos; repetir muitas vezes a gravação; cantar coletivamente sem acompanhamento, desde que as crianças já estejam seguras. 162

11 Muitos tipos de música... É importante fazer alguns exercícios simples de aquecimento vocal, como relaxamento corporal ativo, rodando o pescoço, abrindo e fechando a boca, fazendo caretas e massagem no rosto, dançando e deixando o corpo preparado para cantar. A respiração pelo diafragma deve ser trabalhada, por meio de exercícios de soltar o ar com pspspspsp, xxxxxx, ccscscscs, zzzzzzzz etc. Dividir a turma e montar um coral a várias vozes, em que cada grupo cante uma melodia diferente, é um passo posterior e exige muito mais preparação do professor. Inicialmente, pode-se dividir a turma em grupos, para que cada grupo cante uma parte da música; colocar algumas crianças cantando, sozinhas, alguns trechos da música; criar efeitos sonoros com a boca para um grupo fazer enquanto o resto da turma canta a melodia normal ou seja, trabalhar com aqueles cinco elementos formadores na execução do canto coletivo. Essa não é uma atividade simples, pois demanda tempo: as músicas devem ser trabalhadas e não apenas cantadas uma ou outra vez. Mas qualquer grupo de crianças e qualquer professor podem montar um coral se forem seguidos esses passos! Música mista cantada e tocada A música mista é aquela na qual as vozes e os instrumentos são executados conjuntamente. Não interessa o número de vozes nem o tipo de instrumento. Esses grupos também não precisam estar executando simultaneamente o tempo todo. A maioria das músicas que ouvimos são mistas e podemos inserir, em todo o trabalho citado no item anterior, do coral, a execução instrumental, trabalhando com a voz e os instrumentos ao mesmo tempo. Obviamente, tomando cuidado para que não vire uma confusão musical! Para isso, é necessário dividir os instrumentos por timbres, trabalhar bem com as crianças para que a execução instrumental não fique mais forte do que a voz, cobrindo a canção, e dar oportunidade para o grupo de instrumentistas executar, sozinho, alguns trechos da música. Capa do CD Acústico MTV (Abril Music, 2001), da banda Capital Inicial. 163

12 Artes Visuais e Música Resumindo De acordo com a época e o lugar em que vive o compositor, e de acordo com a sua intenção com a música, ele fará escolhas diferentes de sons, o que fará com que sua música pertença a determinado gênero ou forma musical. Os gêneros musicais, de acordo com esse material, são: música tradicional ou étnica (feita pelos povos que vivem de forma primitiva, com grande ligação com a natureza), a música folclórica (feita pelas comunidades rurais e tendo compositor anônimo), a música popular (feita nos centros urbanos, com autor conhecido e certo apoio da mídia), as músicas criadas pela indústria cultural (muitas feitas com estruturas de fácil assimilação, com total apoio da mídia, desaparecendo do mercado e sendo substituídas rapidamente) e a música erudita (feita por acadêmicos que rompem ou seguem determinados padrões de composição de diversas épocas). Qualquer um dos cinco gêneros musicais pode ser encontrado nas músicas religiosas (de qualquer religião, mas que tenham sentido de oração, agradecimento, pedido ou contato com Deus) ou nas músicas profanas (toda música que não é religiosa, como as músicas de guerra, para dançar, brincar etc.). De acordo com a escolha tímbrica do compositor ou do intérprete, isto é, do tipo de sons que quer usar em sua composição, as composições musicais podem ser classificadas em instrumental (só tocada), vocal a capella (só cantada, sem acompanhamento instrumental) e mista (executada por instrumentos musicais e vozes). Para encerrarmos esse capítulo, vamos ler um texto que fala, de forma básica, sobre a música erudita brasileira. A música erudita brasileira (JEANDOT, 1990) A música erudita brasileira foi incentivada pela corte portuguesa. Um dos primeiros compositores foi o padre José Maurício Nunes Garcia ( ), que aos 17 anos já compunha e era fortemente influenciado pela música barroca italiana. Entretanto, apesar das qualidades de Garcia, 164

13 Muitos tipos de música... o primeiro compositor brasileiro a alcançar projeção mundial foi Carlos Gomes, que conquistou a platéia italiana com sua ópera Il guarany (1870). O segundo compositor de renome internacional na música erudita brasileira foi o carioca Heitor Villa-Lobos, que desde cedo entrou em contato com vários instrumentos, principalmente o violão. As várias viagens que fez pelo Brasil, pesquisando a música popular e o folclore, forneceram-lhe matéria-prima para suas composições, que constituem uma síntese bem-sucedida entre as raízes musicais brasileiras e as influências estrangeiras (especialmente Stravinsky), do que resulta uma música de valor universal. Iniciador do modernismo musical brasileiro, esse regente e compositor teve participação especial na Semana de Arte Moderna de Seu trabalho sofreu inicialmente alguma resistência, mas a seguir alcançou reconhecimento internacional, destacando-se inicialmente em Paris. Abundante, sua produção abrange vários gêneros, como ópera, sinfonia, música de câmara, música sacra, música para piano. Uma de suas composições mais conhecidas, as Bacchianas, constitui uma síntese muito original entre elementos do folclore brasileiro e a música de Bach. Cabe notar que os expoentes da música erudita brasileira sofreram influência do samba, da polca, do choro, do xote, da mazurca, da quadrilha, do tango brasileiro, do maxixe, como ocorre com a obra de Francisco Mignone e com parte da de Camargo Guarnieri. Outros compositores eruditos ainda podem ser citados por seus méritos, como Osvaldo Lacerda, Almeida Prado, Walter Smetak, Conrado Silva, Gilberto Mendes, entre outros. Villa-Lobos. Faça uma pesquisa sobre Villa-Lobos e sua obra. Com certeza, você usará muito do que pesquisar com suas crianças na escola! 165

14 166 Artes Visuais e Música

Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola

Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola Cultura Juvenil e as influências musicais: pensando a música afro-brasileira e a sua utilização entre os jovens na escola Patrícia Cristina de Aragão Araújo 1 Thaís de Oliveira e Silva 2 A escola existe

Leia mais

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY,

À Procura de Mozart Resumo Canal 123 da Embratel Canal 112 da SKY, À Procura de Mozart Resumo O vídeo nos oferece um relato sobre a vida e obra de Wolfgang Amadeus Mozart. Ele nos é apresentado como único e inigualável devido à sua genialidade na música clássica do século

Leia mais

Marcos de Aprendizagem Música. Eixo Competência Conteúdos Habilidades

Marcos de Aprendizagem Música. Eixo Competência Conteúdos Habilidades Apreciação e Percepção Musical Alcance progressivo do desenvolvimento auditivo musical, rítmico, melódico, harmônico e tímbrico e a memória musical nos processos de apreciação e percepção. Som e suas propriedades

Leia mais

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR *

I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * PSICODRAMA DA ÉTICA Local no. 107 - Adm. Regional do Ipiranga Diretora: Débora Oliveira Diogo Público: Servidor Coordenadora: Marisa Greeb São Paulo 21/03/2001 I - RELATÓRIO DO PROCESSADOR * Local...:

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL

PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA Metodologia da Educação Musical Profª Viviane Beineke PLANEJAMENTO EM EDUCAÇÃO MUSICAL - exemplo de planejamento para a 2ª

Leia mais

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE

O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE O PROCESSO DE MUSICALIZAÇÃO NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE Romero Bomfim dos Santos 1 ; Elida Roberta Soares de Santana²; Bruno Fernandes

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

Pré-Escola 4 e 5 anos

Pré-Escola 4 e 5 anos PREFEITURA MUNICIPAL DE SALVADOR Secretaria Municipal da Educação e Cultura SMEC DIÁRIO DE CLASSE Educação Infantil Pré-Escola 4 e 5 anos DIÁRIO DE CLASSE ESCOLA: CRE: ATO DE CRIAÇÃO DIÁRIO OFICIAL / /

Leia mais

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II

EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II EDUCAÇÃO MUSICAL MATERNAL II Músicas infantis. Danças, músicas e personagens folclóricos. Conhecer textos e melodias folclóricos; Entoar músicas do folclore brasileiro; Dançar músicas folclóricas; Imitar

Leia mais

Alexandre Bortoletto ÂNCORAS MUSICAIS. São Paulo

Alexandre Bortoletto ÂNCORAS MUSICAIS. São Paulo Alexandre Bortoletto ÂNCORAS MUSICAIS São Paulo 2001 2 Alexandre Bortoletto ÂNCORAS MUSICAIS Artigo publicado nas mídias brasileiras entre jornais, revistas e internet sobre o tópico âncoras com abordagem

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre. Aula 13

APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre. Aula 13 APOSTILAS DO QUARTO BIMESTRE 8 ANO. TURMA 801 4º Bimestre Aula 13 Identidade Visual Embora você possa nunca ter ouvido falar em identidade visual, todos nós estamos sempre sendo bombardeados pelas identidades

Leia mais

DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA.

DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA. DANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR: QUANDO A RELIGIOSIDADE ATRAVESSA A PRÁTICA. Amanda Pathiely Serrânia Faria UFG/FEFD 1 Orientador e Coautor: Prof. Dr. Alexandre Ferreira UFG/FEFD 2 Graduanda do curso de Licenciatura

Leia mais

Introdução à participação infantil

Introdução à participação infantil Seção 1 Introdução à participação 1.1 Uma visão bíblica da criança Em muitas culturas, as crianças são subestimadas. No entanto, Deus valoriza as crianças tanto quanto os adultos. Todos os seres humanos

Leia mais

História da Música Ocidental

História da Música Ocidental História da Música Ocidental A Música na Idade Média e no Renascimento Música medieval é o nome dado à música típica do período da Idade Média. Essas práticas musicais aconteceram há quase 1500 anos atrás.

Leia mais

Roda de conversa 3 Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Iramar Rodrigues e Sérgio Figueiredo

Roda de conversa 3 Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Iramar Rodrigues e Sérgio Figueiredo Fundamentos da educação musical Moderadores: Sergio Molina e Adriana Terahata Participantes: Iramar Rodrigues e Sérgio Figueiredo Sergio Molina Roda de conversa número 3 do Projeto A Música na Escola.

Leia mais

A música surgiu com os sons

A música surgiu com os sons Dó A música surgiu com os sons da natureza, já que seus elementos formais - som e ritmo - fazem parte do Universo e, particularmente da estrutura humana O homem pré-histórico deve ter percebido os sons

Leia mais

Aprendizagem na Educação Musical

Aprendizagem na Educação Musical Aprendizagem na Educação Musical Flávia Rizzon Universidade Federal do Rio Grande do Sul Resumo: O presente texto refere-se à importância de reavaliar a didática na área da Educação Musical, relacionando-a

Leia mais

Desafio para a família

Desafio para a família Desafio para a família Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da espiritualidade. O sonho de Deus para a família é que seja um

Leia mais

UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL

UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL Frutos-1 Impact0 LIÇÃO 1 VIVENDO A VIDA COM DEUS 9-11 Anos UNIDADE 1: PRECISA DE SABEDORIA? A BÍBLIA É A AUTORIDADE FINAL CONCEITO CHAVE A BÍBLIA ORIGINOU- SE COM DEUS E NÓS PODEMOS OLHAR PARA ELA COMO

Leia mais

RENASCIMENTO x BARROCO

RENASCIMENTO x BARROCO RENASCIMENTO x BARROCO Palestrina J.S. Bach PERÍODO - Fins do século XIV até o século XVI - Início do século XVII até meados do século XVIII (1600 a 1750, com a morte de J. S. Bach) ORIGEM DO NOME Trouxe

Leia mais

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80.

1) 2) 3) CD 4 Faixas: 80 80. 1ª Aula a) Cumprimentar cada criança cantando seu nome e dando um beijinho com fantoche. Nas primeiras aulas use sempre um fantoche na hora do cumprimento para ganhar a aproximação do aluno. Depois pode

Leia mais

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ

PROJETO PROFISSÕES. Entrevista com DJ Entrevista com DJ Meu nome é Raul Aguilera, minha profissão é disc-jóquei, ou DJ, como é mais conhecida. Quando comecei a tocar, em festinhas da escola e em casa, essas festas eram chamadas de "brincadeiras

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI Texto: Sal. 126:6 Durante o ano de 2014 falamos sobre a importância de semear, preparando para a colheita que viria neste novo ano de 2015. Muitos criaram grandes expectativas,

Leia mais

Identificação do projeto

Identificação do projeto Seção 1 Identificação do projeto ESTUDO BÍBLICO Respondendo a uma necessidade Leia Neemias 1 Neemias era um judeu exilado em uma terra alheia. Alguns dos judeus haviam regressado para Judá depois que os

Leia mais

COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO

COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO COMO FAZER PARA MANTER SEU CLIENTE SEMPRE ATIVO! A FÓRMULA DEFINITIVA DE FIDELIZAÇÃO Parabéns pela opção que você fez de ler este livro digital. Tenha certeza

Leia mais

2. Objetivos 3. Método 3.1 Amostra 3.2 Coleta de dados

2. Objetivos 3. Método 3.1 Amostra 3.2 Coleta de dados O desenvolvimento do canto em crianças de 2 a 6 anos de idade Beatriz Ilari Universidade Federal do Paraná UFPR beatrizilari@ufpr.br Vivian Dell Agnolo Universidade Federal do Paraná UFPR Resumo. Este

Leia mais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais

Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais "LETRAR É MAIS QUE ALFABETIZAR" Entrevista com Magda Becker Soares Prof. Universidade Federal de Minas Gerais Nos dias de hoje, em que as sociedades do mundo inteiro estão cada vez mais centradas na escrita,

Leia mais

E Deus viu que tudo era bom

E Deus viu que tudo era bom E Deus viu que tudo era bom Nunca pensei que fosse assim O Livro do Gênesis é o livro mais fascinante da Bíblia e o mais complicado. Foi escrito milhares de anos depois dos fatos que ele narra. Foram vários

Leia mais

Música é linguagem que organiza, intencionalmente, os sons e o silêncio, no continuum espaço-tempo.

Música é linguagem que organiza, intencionalmente, os sons e o silêncio, no continuum espaço-tempo. CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO MUSICAL SESC/SEDU MÓDULO 1: ELEMENTOS DA MÚSICA PROF. DARCY ALCANTARA (UFES) CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO MUSICAL SESC/SEDU DOMINGO - MANHÃ REVISÃO DOS CONCEITOS DE MÚSICA, RITMO E MELODIA

Leia mais

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR

WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR WWW.MUSICALLEIZER.COM.BR Índice Índice Prefácio Sobre o autor Introdução Como ser produtivo estudando corretamente Você já organizou o seu tempo e os seus dias para estudar? Definir o que vai estudar Organizando

Leia mais

www.portaledumusicalcp2.mus.br

www.portaledumusicalcp2.mus.br Apostila de Educação Musical 1ª Série Ensino Médio www.portaledumusicalcp2.mus.br O QUE É MÚSICA? A música (do grego μουσική τέχνη - musiké téchne, a arte das musas) constituise basicamente de uma sucessão

Leia mais

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS

AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS AULA DE PORTUGUÊS: CRIAÇÃO DE POEMAS Até onde vai a força da Motivação? Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Uma proposta criativa motivadora na sala de aula pode deixar o professor bem impressionado

Leia mais

A Música na Antiguidade

A Música na Antiguidade A Música na Antiguidade Josemar Bessa A palavra música deriva de arte das musas em uma referência à mitologia grega, marca fundamental da cultura da antigüidade ocidental. No entanto muitos estudiosos

Leia mais

Informativo de Música. Por Isa Uehara

Informativo de Música. Por Isa Uehara Informativo de Música Por Isa Uehara Bosque das Letras Abril 2011 Música nas aulas para as crianças do berçário não se traduz apenas em melodia, ritmo ou harmonia. Os sons do entorno, do ambiente que as

Leia mais

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL

COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL 389 COMPOSIÇÃO COMO RECURSO NO PROCESSO ENSINO / APRENDIZAGEM MUSICAL Ruth de Sousa Ferreira Silva Mestranda em Artes pela Universidade Federal de Uberlândia Introdução Este relato de experiência tem como

Leia mais

8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva

8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva 8º Ano 2015 4º Bimestre Artes Prof. Juva Manifestações de Arte Popular No Brasil a arte popular é aquela produzida por alguém que não possui uma instrução acadêmica em arte, mas produz obras que contém

Leia mais

Trabalho para Comunicação Categoria: Relato de experiência

Trabalho para Comunicação Categoria: Relato de experiência AULA EM GRUPO: TOCANDO E CANTANDO EM UM CORAL INFANTO-JUVENIL Shirley Cristina Gonçalves profshirleymusica@yahoo.com.br Universidade Federal de Uberlândia Departamento de Música e Artes Cênicas Trabalho

Leia mais

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00)

COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) PROVA DE APTIDÃO MÚSICA COMPOSIÇÃO Duração Total (03h00:00) 1. ANÁLISE COMPARATIVA (01:00:00) Ouça atentamente os três trechos musicais a serem reproduzidos durante o exame 1.1 Esboce uma representação

Leia mais

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava

O menino e o pássaro. Rosângela Trajano. Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava O menino e o pássaro Era uma vez um menino que criava um pássaro. Todos os dias ele colocava comida, água e limpava a gaiola do pássaro. O menino esperava o pássaro cantar enquanto contava histórias para

Leia mais

(DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina. -Marcadores de várias cores

(DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina. -Marcadores de várias cores (DO LIVRO AS FESTAS DA CATEQUESE PEDROSA FERREIRA) Material a preparar: -Um grande coração de cartolina -Marcadores de várias cores -Folhas cada qual com a sua letra ocantinhodasao.com.pt/public_html Página

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música

Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Copos e trava-línguas: materiais sonoros para a composição na aula de música Andréia Veber Rede Pública Estadual de Ensino de Santa Catarina andreiaveber@uol.com.br Viviane Beineke Universidade do Estado

Leia mais

TONALIDADE X FREQUÊNICA

TONALIDADE X FREQUÊNICA Som, notas e tons TONALIDADE X FREQUÊNICA O violão é um instrumento musical e o seu objetivo é fazer música. Música é a organização de sons em padrões que o cérebro humano acha agradável (ou pelo menos

Leia mais

Poesia do Maternal ao Fundamental: Outros caminhos para o saber

Poesia do Maternal ao Fundamental: Outros caminhos para o saber Poesia do Maternal ao Fundamental: Outros caminhos para o saber Elaine Gai Torres 1 RESUMO Unir poesia, linguagem e brincadeira para compor a interiorização do imaginário infantil inegavelmente significa

Leia mais

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI

DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI DIREITOS AUTORAIS E ACESSO À CULTURA São Paulo, agosto de 2008 MESA 2 LIMITAÇÕES E EXCEÇÕES DA LEI O SR. GUILHERME CARBONI (Instituto de Direito do Comércio Internacional e Desenvolvimento): Gostaria de

Leia mais

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE 2013 Temos lido e ouvido muitos comentários nos últimos dias sobre o processo de formação de Atletas no Brasil, emitidas

Leia mais

Terra de Gigantes 1 APRESENTAÇÃO

Terra de Gigantes 1 APRESENTAÇÃO Terra de Gigantes Juliana de MOTA 1 Alexandre BORGES Carolina de STÉFANI Emilia PICINATO João Paulo OGAWA Luara PEIXOTO Marco Antônio ESCRIVÃO Murilo ALVES Natália MIGUEL Orientado pelos docentes: João

Leia mais

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal):

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO: ELEMENTOS DA MÚSICA. I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): ELEMENTOS DA MÚSICA I. Leia a partitura musical Ciranda da Lia e faça os itens a seguir (ver no portal): 1. O tipo de compasso é... 2. A figura de ritmo de maior duração nesta música chama se... 3. Discrimine

Leia mais

QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel

QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel QUESTÕES ELABORADAS A PARTIR DO TEXTO O CARISMA FUNDADOR Discurso de Chantilly Pe. Henri Caffarel 1. Pe. Caffarel afirma que carisma fundador é muito mais do que uma simples boa idéia. Então, o que ele

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

"Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda pião, o tempo rodou num instante, nas voltas do meu coração"

Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda pião, o tempo rodou num instante, nas voltas do meu coração "Roda mundo, roda gigante, roda moinho, roda pião, o tempo rodou num instante, nas voltas do meu coração" 2 Meta da aula AULA Apresentar os processos de mudança dos valores, dos padrões sociais e das ciências,

Leia mais

Apresentação Reinaldo Arias

Apresentação Reinaldo Arias Apresentação Reinaldo Arias 2011 Projeto musical Música para envolver, encantar e integrar. Essa é a proposta do músico, produtor e compositor Reinaldo Arias. Artista atuante, gravou, produziu e compôs

Leia mais

À medida que o ser humano aprende qualquer coisa, as ligações entre grupos de neurônios mudam a sua composição química.

À medida que o ser humano aprende qualquer coisa, as ligações entre grupos de neurônios mudam a sua composição química. 2 Índice 1 - Objetivo... 3 2 Arquivo Mental... 4 3 - Filtros Cerebrais... 9 4 - Paradigmas e Percepções... 13 5 - Alterações do Mapa Mental... 16 Resumo... 22 Saiba mais...... 24 3 1 - OBJETIVO Este texto

Leia mais

Ensino Religioso História Geografia Auteridade (O Eu, Eu sou, Eu com os outros, Eu e os outros somos Nós)

Ensino Religioso História Geografia Auteridade (O Eu, Eu sou, Eu com os outros, Eu e os outros somos Nós) 1 TEMA Os limites da minha casa 2 AUTOR Franciele Mendes da Luz francieleluz@hotmail.com 3 SÉRIE / CICLO 1º Ciclo 1ª Série 7 anos 4 BLOCOS TEMÁTICOS Ensino Religioso História Geografia Auteridade (O Eu,

Leia mais

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé.

Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9. I A primeira ideia do texto é o apelo à firmeza da fé. 1 Mosaicos #7 Escolhendo o caminho a seguir Hb 13:8-9 Introdução: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e para sempre. Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC-Espiritismo http://www.irc-espiritismo.org.br Palestra Virtual Promovida pelo http://www.irc-espiritismo.org.br Tema: Vida em Sociedade Palestrante: Regina de Agostini Rio de Janeiro 05/02/1999 Organizadores da palestra: Moderador: "Brab" (nick: [Moderador])

Leia mais

Você quer se formar em Música?

Você quer se formar em Música? Você quer se formar em Música? Faça um dos cursos de Graduação em Música oferecidos pela Escola de Música e Artes Cênicas da Universidade Federal de Goiás (EMAC/UFG)! 1) Quais são os Cursos Superiores

Leia mais

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA

FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES DEPARTAMENTO DE MÚSICA FUVEST - VESTIBULAR 2012 PROVA DE APTIDÃO EM MÚSICA Curso: ( ) Licenciatura ( ) Canto ( ) Instrumento ( ) Regência ( ) Composição

Leia mais

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão 1 INDICE Introdução... Pg: 03 Você é muito bonzinho... Pg: 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade... Pg: 05 Evite pedir permissão... Pg: 07 Não tenha medo de ser você mesmo... Pg: 08 Não

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: rádio; publicidade; Tip Top; comunicação; Apuana.

PALAVRAS-CHAVE: rádio; publicidade; Tip Top; comunicação; Apuana. RESUMO Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação Jingle da Agência Apuana Tip Top 1 Camila Sales 2 Fabia Lucia 3 Juliana Lopes 4 Kelly Fajin 5 Priscilla Fernandes 6 Tamires

Leia mais

coleção Conversas #9 - junho 2014 - m i o o Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #9 - junho 2014 - m i o o Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. sou Eu Por do que coleção Conversas #9 - junho 2014 - Candomblé. tã estou sen d o o discri m i na da? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal.

Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. Confira a entrevista do Pastor Juanribe Pagliarin, da Rádio SuperVida FM, concedida para a Onda Gospel, em Portugal. ONDA GOSPEL - Quando revelou ao seu amigo, Luis Melancia a vontade de adquirir a rádio,

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS

METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS METODOLOGIA PARA DESENVOLVIMENTO DE ESTUDOS DE CASOS 1 O Método do Caso e o Ensino em Administração O uso do Método do Caso nas escolas de administração no Brasil é relativamente recente, embora não haja

Leia mais

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA

AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA AULA CRIATIVA DE ORTOGRAFIA Apenas uma experiência que pode ser recriada para outros conteúdos Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br Terminada a audição, eu escrevi na lousa o título da música, o nome

Leia mais

Projeto de Música Pop e Rock

Projeto de Música Pop e Rock Projeto de Música Pop e Rock Docentes: Ângelo Cunha Paulo Bispo Teresa Laranjeira Externato Marista de Lisboa Introdução A Música é única para os seres humanos e como as outras artes, é tão básico como

Leia mais

EU PRATICO O BEM-ESTAR

EU PRATICO O BEM-ESTAR EU PRATICO O BEM-ESTAR LAZER EDUCAÇÃO BEM-ESTAR CULTURA Venha Viver o Sesc na Semana do Comércio em Movimento. Participe de atividades gratuitas: cursos, palestras, oficinas, minicursos, apresentações,

Leia mais

FAQ PROGRAMA BILÍNGUE

FAQ PROGRAMA BILÍNGUE FAQ PROGRAMA BILÍNGUE 1) O que é o bilinguismo? Segundo alguns teóricos, o bilinguismo é qualquer sistema de educação escolar no qual, em dado momento e período, simultânea ou consecutivamente, a instrução

Leia mais

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo

TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo TRADUÇÃO Angelino Junior do Carmo Sumário Obtendo o máximo de Tiago... 5 1. Confiança ou dúvida Tiago 1.1-18... 9 2. Palavras, palavras, palavras Tiago 1.19-27... 12 3. Não discrimine as pessoas Tiago

Leia mais

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro

Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro 1 www.oxisdaquestao.com.br Faltam boas entrevistas ao jornalismo diário brasileiro Texto de CARLOS CHAPARRO A complexidade dos confrontos da atualidade, em especial nos cenários políticos, justificaria

Leia mais

Palavras-chave: Ensino/Aprendizagem; Variações Linguísticas; Relação Professor/Aluno.

Palavras-chave: Ensino/Aprendizagem; Variações Linguísticas; Relação Professor/Aluno. ALFABETIZAÇÃO: UMA REFLEXÃO SOBRE A REALIDADE ESCOLAR Andréia de Fátima Freire Maia, UNICENTRO, PIBID CAPES Marieli Zviezykoski, UNICENTRO, PIBID CAPES Ângela Bona Josefi (Orientadora - UNICENTRO) Resumo:

Leia mais

coração OS DIREITOS DAS CRIANÇAS NA COMUNIDADE DE FÉ Luiz Carlos Ramos CD Aventureiros em Missão, DNTC

coração OS DIREITOS DAS CRIANÇAS NA COMUNIDADE DE FÉ Luiz Carlos Ramos CD Aventureiros em Missão, DNTC OS DIREITOS DAS CRIANÇAS NA COMUNIDADE DE FÉ Luiz Carlos Ramos CD Aventureiros em Missão, DNTC Toda criança, sem exceção, tem direitos que devem ser valorizados por toda comunidade de fé. A criança, mesmo

Leia mais

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções.

Objetivo principal: aprender como definir e chamar funções. 12 NOME DA AULA: Escrevendo músicas Duração da aula: 45 60 minutos de músicas durante vários dias) Preparação: 5 minutos (se possível com introduções Objetivo principal: aprender como definir e chamar

Leia mais

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 8.2 Conteúdo. Música

CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL AULA ARTES. Aula 8.2 Conteúdo. Música Aula 8.2 Conteúdo Música 1 Habilidades: Conhecer a origem da Música, seus principais elementos formadores, e a sua importância na sociedade. 2 Música Origem: Pré-história (marcava o ritmo com as mãos e

Leia mais

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento

TECLADO. (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento TECLADO (aula 1) O Teclado é um instrumento musical eletrônico, composto por teclas onde simulam sons de forma digital! Origem do Instrumento O Piano e o Órgão são os instrumentos musicais mais tradicionais

Leia mais

ATA Nº 052, DA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA ÀS 19 HORAS DO DIA 29 DE JANEIRO DE 2.010

ATA Nº 052, DA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA ÀS 19 HORAS DO DIA 29 DE JANEIRO DE 2.010 ATA Nº 052, DA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA REALIZADA ÀS 19 HORAS DO DIA 29 DE JANEIRO DE 2.010 Presidência VALDIR DE BIASI POMATTI Secretário NESTOR PEREIRA BARRETO Presentes os Senhores Vereadores:Antônio Fávaro,

Leia mais

Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com

Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com O ENSINO DO CANTO POPULAR BRASILEIRO Abordagem Didática: técnica vocal Sebastiana Benedita Coelho de Moraes COUTEIRO; Marília ALVARES. Escola de Música e Artes Cênicas da UFG sabahmoraes@gmail.com INTRODUÇÃO

Leia mais

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Material referente ao texto do Módulo 3: Ações Básicas de Mobilização. O conhecimento da realidade é a base fundamental ao desenvolvimento social, que visa

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO JUNTA DE FREGUESIA DE S. JOÃO DO CAMPO EDITORIAL SUMÁRIO ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 JULHO AGOSTO SETEMBRO EDITORIAL

BOLETIM INFORMATIVO JUNTA DE FREGUESIA DE S. JOÃO DO CAMPO EDITORIAL SUMÁRIO ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 JULHO AGOSTO SETEMBRO EDITORIAL ANO 7 BOLETIM Nº 27 2012 SUMÁRIO BOLETIM INFORMATIVO EDITORIAL JULHO AGOSTO SETEMBRO A Rua principal, a Dr Jaime Cortesão tem estado cortada EDITORIAL MANIFESTAÇÃO EM LISBOA POSTO MÉDICO ao trânsito, devido

Leia mais

Lição 07 A COMUNIDADE DO REI

Lição 07 A COMUNIDADE DO REI Lição 07 A COMUNIDADE DO REI OBJETIVO: Apresentar ao estudante, o ensino bíblico sobre a relação entre a Igreja e o Reino de Deus, para que, como súdito desse reino testemunhe com ousadia e sirva em amor.

Leia mais

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio.

Composição de pequenas músicas a partir de outras já existentes e de versos; a partir de objetos, da voz, do corpo, do silêncio. MÚSICA A música é uma linguagem expressiva importante a ser incentivada desde os primeiros anos de vida. O trabalho com música na escola de Educação Infantil deve respeitar as diferenças regionais e suas

Leia mais

A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais

A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais Dayanne Cristina Moraes de DEUS; Dulcéria TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES; Reila Terezinha da Silva LUZ Departamento de

Leia mais

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos

Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Marketing Educacional como manter e captar novos alunos Baiard Guggi Carvalho Publicitário, consultor em marketing educacional e em tecnologia aplicada à educação N os dias de hoje, se perguntarmos para

Leia mais

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br. Tema: Passes e Curas Espirituais. Palestrante: Alexandre Lobato

Palestra Virtual. Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br. Tema: Passes e Curas Espirituais. Palestrante: Alexandre Lobato Palestra Virtual Promovida pelo IRC- Espiritismo http://www.ircespiritismo.org.br Tema: Passes e Curas Espirituais Palestrante: Alexandre Lobato Rio de Janeiro 09/01/2004 Organizadores da palestra: Moderador:

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Assegurar a satisfação do cliente no pós-venda, desenvolvendo um relacionamento duradouro entre o vendedor e o cliente, além de conseguir indicações através de um sistema de follow-up (acompanhamento).

Leia mais

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade.

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade. PREFÁCIO DA SÉRIE Cada volume da série A Palavra de Deus para Você o transporta ao âmago de um livro da Bíblia e aplica as verdades nele contidas ao seu coração. Os objetivos principais de cada título

Leia mais

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA

RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA RÁDIO ESCOLAR: UMA AÇÃO MULTIDISCIPLINAR COM ARTE E ENGENHARIA Área Temática: Tecnologia e Produção Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Prof. Reginaldo da Nóbrega Tavares

Leia mais

Educação Patrimonial Centro de Memória

Educação Patrimonial Centro de Memória Educação Patrimonial Centro de Memória O que é história? Para que serve? Ambas perguntas são aparentemente simples, mas carregam uma grande complexidade. É sobre isso que falarei agora. A primeira questão

Leia mais

Questões Estruturais do Currículo

Questões Estruturais do Currículo Questões Estruturais do Currículo Embora as questões abaixo sejam divididas em três níveis gerais de ensino, muitas delas podem ser usadas em praticamente qualquer série. Questões Estruturais do Currículo

Leia mais

5. Considerações Finais

5. Considerações Finais 5. Considerações Finais No fim, realizada a viagem do mais complexo (ainda abstrato) ao mais simples e feito o retorno do mais simples ao mais complexo (já concreto) a expressão (...)passa a ter um conteúdo

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE Cuidando de quem cuida Instituto de Capacitação e Intervenção Psicossocial pelos Direitos da Criança e Adolescente em Situação de Risco O TEMPO NO ABRIGO: PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, GARANTIA DE SINGULARIDADE

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi. Roteiro. Perfil profissional do professor

Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi. Roteiro. Perfil profissional do professor Pedagogia Profª Luciana Miyuki Sado Utsumi Abordagens do Processo Educativo, Saberes Docentes e Identidade Profissional Roteiro Reflexões sobre o papel do professor da Educação Infantil Educar, Cuidar

Leia mais