Associação Trilha Verde. Trilha do Brito. Povoado de Luiz Alves Município de São Miguel do Araguaia Estado de Goiás - Brasil

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Associação Trilha Verde. Trilha do Brito. Povoado de Luiz Alves Município de São Miguel do Araguaia Estado de Goiás - Brasil"

Transcrição

1 Trilha do Brito Povoado de Luiz Alves Município de São Miguel do Araguaia Estado de Goiás - Brasil Elaboração: Emsa Empresa Sul Americana de Montagens S/A Eng Agr M.Sc. Danilo Couto CREA-GO 7804-D Goiânia, Agosto de 2006

2 Trilha do Brito A Trilha do Brito foi aberta e é mantida por Valdomiro Moreira dos Santos em ambiente dominado pela Floresta Aluvial. Com uma extensão de metros, está localizada entre o rio Araguaia (Foto 1) e a 2ª Etapa do Projeto de Irrigação Luiz Alves do Araguaia ao norte do Povoado de Luiz Alves, Município de São Miguel do Araguaia, extremo noroeste do Estado de Goiás, ao sul da Ilha do Bananal. Seu Valdomiro (Foto 2) é pessoa simples, um dos moradores mais antigos de Luiz Alves, que organiza anualmente uma caminhada ecológica pela trilha, geralmente no mês de julho, contando com até mais de 60 pessoas, entre moradores locais, turistas e autoridades. Pessoa bem conhecida em Luiz Alves, nascido em 1935 em Amargosa-BA, Seu Valdomiro não teve uma vida fácil até chegar a Luiz Alves em É casado com Benícia Alves da Silva, sua companheira e conterrânea, com quem teve 7 filhos, todos vivos e residentes em Luiz Alves. Este senhor possui uma consciência ambiental invejável e cultura tradicional herdada dos índios karajás, os primeiros habitantes locais que, a partir de 1974, deixaram a região de Luiz Alves e foram para o Parque Indígena do Araguaia (Ilha do Bananal). Foto 1: Rio Araguaia em Luiz Alves, ponto de partida para a Trilha do Brito. Foto 2: Valdomiro Moreira dos Santos, grande conhecedor do uso da biodiversidade do Araguaia, condutor e responsável pela manutenção da Trilha do Brito. Esforçado e comunicativo, ao longo dos anos recebeu capacitação do SENAR, do SEBRAE, IBAMA e Agência Ambiental. Em processo de criação está a Associação Trilha Verde, que procura diversificar a matriz turística de Luiz Alves, com a abertura 1

3 de trilhas para a prática do ecoturismo. Luiz Alves conta hoje com extensas áreas protegidas por lei, constituindo a APA Meandros do Araguaia, Parque Estadual do Araguaia e Floresta Estadual do Araguaia. Ao percorrer a Trilha do Brito com o Seu Valdomiro recebemos uma lição de ecologia, humildade, conhecimento e espiritualidade. Percebemos o quão pouco conhecemos sobre o uso de nossa biodiversidade, principalmente das essências fitoterápicas da rica flora nativa da região de Luiz Alves. Adiante descrevemos a trilha, dividida em três segmentos. Foto 3: Genipapo (Genipa americana) em frutificação, árvore bastante comum na região, que além do valor alimentício, também possui algumas propriedades medicinais. 1º Segmento: de Luiz Alves até o início da trilha (ext.: metros) Partindo do Povoado de Luiz Alves, na confluência do lago com o rio Araguaia, segue-se pela Alameda Araguaia até o final da planta urbana. A partir daí, já podem ser observados alguns atrativos da fauna, flora e do rio Araguaia, assim como a ocorrência de algumas essências fitoterápicas: Genipa americana (genipapo): o chá da casca é bom para cataratas e vistas cansadas (Foto 3). Foto 4: Cambarás (Vochysia divergens), espécie arbórea da flora do Araguaia, característica da Vochysia divergens (cambará): da Floresta Aluvial, reputada como medicinal. cocção da casca obtem-se um xarope utilizado para doenças dos rins, vesícula e reumatismo (Foto 4). 2

4 Prosseguindo chega-se a um colchete, ponto a partir do qual é vedada a entrada de veículos (Foto 6). Daí pode-se tomar dois caminhos: a trilha do Lago do Campo e a trilha do Lago do Brito. A 1ª não está totalmente construída e encontra-se somente com 300 metros de uma extensão total de cerca de metros (Foto 7 e 8). Foto 5: O 1º segmento ainda não compreende a trilha propriamente dita e pode ser realizado por veículo automotor, compreendendo parte no meio urbano acompanhando o rio Araguaia e parte em meio a campos e florestas, que têm sido impactados pela ação das queimadas. Foto 6: Após percorrer metros chega-se à área vedada a veículos. A entrada da trilha está protegida por um colchete, fechado com cadeado, sendo aí o final da planta urbana de Luiz Alves aprovada em Foto 7: Do ponto onde se pode deixar os veículos, está sendo aberta uma trilha que leva ao Lago do Campo, sendo que somente 300 metros estão concluídos. Foto 8: A trilha para o Lago do Campo terá 2000 metros e está sendo aberta pelo Seu Valdomiro sob a vegetação de cipós e árvores entrelaçados, como pode ser observado nesta foto. 2º Segmento: do colchete até a parada para lanche e descanso (ext.: metros) Do colchete, a opção é tomar a a estrada que demanda à Praia do Gorgulho ou a Trilha do Brito. Entrando na Trilha do Brito percebe-se a grandiosidade que a natureza ali resguarda, fornecendo ao homem e aos animais silvestres abrigo, alimento e medicamentos para uma panacéia de doenças. A fauna aí facilmente observada, 3

5 diretamente ou por vestígios, é guariba, onça, anta, caititu, queixada, cervo, bico-debrasa, tatu-canastra, tatu-peba, cutia, paca, jaburu, borboletas azuis, abelhas silvestres. Da flora, temos o inharé (Brosimum rubescens), cambará (Vochysia divergens), pau-jaú (Triplaris gardneriana), amburana (Commiphora leptophloeos), embaúba (Cecropia sp.), cinzeiro (Terminalia sp.), piranheira (Sweetia sp.), tamboril (Enterolobium contortisiliquum), jatobá (Hymenaea courbaril), ipês (Tabebuia spp.), tarumã (Vitex polygama), angelim (Andira spp.), gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium), jacaré (Callisthene fasciculata), cajá (Spondia lutea), orquídea, cipó-de-arraia, cipó d água, cipó-mucunã, cipó-esporãode-galo O inharé (Brosimum rubescens) é o nome indígena de uma árvore muito comum na floresta aluvial que é largamente utilizada pela população tradicional como remédio natural para amenizar dores de uma série de doenças. Utiliza-se tanto a casca quanto o leite extraído por cisão no caule (foto 10) Do caule do inharé, retira-se as cascas que são curtidas em água por 4 a 5 dias, sendo então coado e gelado, tomando-se 3 vezes ao dia para tirar as dores de reumatismo, cólicas, dores de cabeça, stress. Foto 9: Folhas de inharé (Brosimum rubescens), nome indígena de uma árvore muito comum na região, que possui reputadas propriedades medicinais e é largamente utilizada pela população tradicional. Foto 10: O leite do inharé (B. rubescens) extraído por uma cisão no caule da planta, é indicado para dores diversas, como cólicas menstruais, reumatismo e dores de cabeça, canseira do cérebro e formigamento dos pés. 4

6 O leite do inharé, obtido por cisão no caule, pode ser colhido em uma vasilha com água, onde é adicionado açúcar e tomado para canseira do cérebro e formigamento dos pés. As sementes do inharé podem ser colhidas no mês de outubro, quando caem espontaneamente. A viabilidade destas sementes não é alta, sendo que lotes de sementes guardadas por oito meses não apresentaram viabilidade tampouco germinação, nos estudos conduzidos no Plano de Gestão Ambiental do Projeto de Irrigação Luiz Alves do Araguaia. Possivelmente a propagação desta espécie pode ser feita por estaquia. A 1ª parada da trilha é denominada 1º ponto de referência pelo Seu Valdomiro, ou simplesmente salão (Foto 11). É o local onde todos os participantes são organizados em uma roda e, com mãos dadas, solicita-se que um dos participantes reze um Pai Nosso, pedindo a Deus para guiar o povo em paz e a benção a todos os presentes, aos que ficaram e às autoridades de todo o Planeta, pedindo ainda a proteção no trajeto de ida e volta. Neste salão é então purificado o espírito dos participantes, ficando fora pessoas bêbadas ou com trajes de banho, não permitindo fazer a trilha com qualquer ferramenta ou armas. Foto 11: A primeira parada é no salão local onde é feito uma oração para purificação dos participantes. Foto 12: Amburana (Commiphora leptophloeos), desprovida de folhas, árvore com potencial ornamental e que fornece madeira para artesanato e utensílios caseiros. Foto 13: Folhas da cana-de-macaco, planta da qual se extrai medicamento a partir da maceração das raízes, utilizado como diurético. 5

7 Com o espírito desarmado é então iniciada a caminhada, percorrendo a trilha rodeada por plantas medicinais, que mais parece uma grande farmácia viva, vejamos: Amburana (Commiphora leptophloeos), árvore que forma agrupamentos quase homogêneos, com tronco dourado muito ornamental, que fornece madeira para artesanato e utensílios domésticos (Foto 12). Cana de macaco: a raiz macerada em água é diurética e o broto mata a sede Foto 14: Ambiente com cipó-de-arraia, planta cujas raízes aéreas apresentam aspecto interessante, lembrando vassouras de bruxa, das quais é extraído um chá utilizado para cura de ferimentos de arraias. (Foto 13). Cipó-de-arraia; para ferroada de arraia, cozinha-se a raiz do cipó e banha o pé. Se tomado serve para infecção intestinal e colerina (Fotos14) Jacaré (Callisthene fasciculata): árvore de grande porte, quase sempre com orquídeas, devido ao seu tronco bastante rugoso, aspecto do que facilita as condições de germinação e Foto 15: Orquídeas no tronco do jacaré instalação desta epífita. Estas orquídeas (Callisthene fasciculata) produzem frutos comestíveis pela fauna e pelo homem (Foto 15). Cipó-mucunã: as sementes moídas são utilizadas para sarar feridas velhas (Foto 16). Cipó d água: corta-se e bebe-se a seiva para matar a sede (Foto 17). 6

8 Foto 16: Cipó-mucunã, cujas sementes moídas são utilizadas para sarar feridas velhas. Foto 17: Cipó d água, cuja seiva é utilizada para matar a sede. 3º Segmento: da parada para lanche e descanso até o lago do Brito (ext.: metros) O local de descanso é amplo e aprazível, bom para uma boa conversa. Possui relevo levemente movimentado (Fotos 18 e 19), copas se tocando, chão coberto pela folhagem caída. É denominada pelo Seu Valdomiro de sala de recreação, local propício para a instalação de uma infra-estrutura como mesas e bancos feitos com material da própria mata e pontos para pendurar redes para descanso. Ali foi construído um piso sobre uma árvore (Callisthene fasciculata jacaré), que propicia visão favorecida do local (foto 20). Foto 18: Vista da sala de recreação Foto 19: Visão da sala de recreação de cima do piso sobre a árvore. Do ponto para descanso até o lago do Brito, podem ser observadas as seguintes espécies da flora: landi (Calophylum brasiliense), amburana (Commiphora leptophloeos), piranheira (Sweetia sp.), tamboril (Enterolobium contortisiliquum), jatobá-da-mata (Hymenaea courbaril), gonçalo-alves (Astronium fraxinifolium), jacaré (Callisthene fasciculata), cipó d água, inharé (Brosimum rubescens), paineira (Erioteca pubescens). 7

9 As espécies da fauna facilmente avistadas neste segmento da trilha são: onça, jacarés, boto, arraia-de-fogo, bugio (guariba). Alguns atrativos muito interessantes neste segmento despertam todos os sentidos humanos. Com a frutificação do jatobá (Hymenaea courbaril) (foto 21), um som interessante na mata pode ser ouvido: o barulho de muitos bugios quebrando a casca dos frutos para se alimentarem da poupa farinácea. Ainda, no tronco de jatobá podem ser visualizadas inscrições, possivelmente indígenas, muito antigas. Foto 20: Piso sobre árvore, ponto de observação. O jatobá fornece madeira de lei, frutos comestíveis, vinho e resina que possui propriedades medicinais. O vinho é obtido por meio da perfuração de um galho até o centro do cerne, de onde escorre um líquido que é enlatado, de onde se faz o vinho de jatobá, bebida que provoca embriagues. Já da resina de jatobá moída, faz um emplasto com clara de ovo, que cola peito aberto. A casca do landi (Calophylum brasiliense) queimada, afugenta o mosquito da malária. mata. Cheiro de mel de abelhas silvestres e cheiro de macacos podem ser sentidos na Sinais de garras de onça ( rasgos ) no tronco do jacaré (Callisthene fasciculata) são facilmente visualizados (foto 22). Ao que parece, devido à textura rugosa do tronco, esta espécie é preferida por estes animais. Tem ainda a azedinha (mirtaceae) que é utilizada para dor de barriga e a macela do campo (foto 23), para dor de cabeça e indigestão. 8

10 Chegando ao final da trilha, no lago do Brito (fotos 27 e 28), podem ser visualizados jacarés, tartarugas e tracajás, arraia-de-fogo, botos e muitas outras espécies. O local é aprazível e convidativo para um longo descanso e boa conversa (Foto 29). Foto 21: Jatobá-da-mata (Hymenaea courbaril) Foto 22: Marcas das garras de onça no tronco de jacaré (Callisthene fasciculata). Foto 23: Macela do campo Foto 24: Ambiente com cipó-de-arraia 9

11 Foto 25: Paina (Erioteca pubescens) no chão Foto 26: Frutificação do tamboril (Enterolobium contortisiliquum) Foto 27: Lago do Brito, final da trilha Foto 28: Lago do Brito Foto 29: Descanso na mata Foto 30: tronco de jatobá-da-mata (Hymenaea courbaril) 10

12 Figura 1: Imagem de satélite da região do Povoado de Luiz Alves e a Trilha do Brito Figura 2: Imagem de satélite com inclinação panorâmica da região do Povoado de Luiz Alves e a Trilha do Brito 11

13 Figura 3: Imagem de satélite do 1º segmento da Trilha do Brito Figura 4: Imagem de satélite do 2º segmento da Trilha do Brito 12

14 Figura 5: Imagem de satélite do 3º segmento da Trilha do Brito Figura 6: Acesso a Luiz Alves a partir de Goiânia-GO (515 km) 13

15 Elaboração e Apoio: O registro da Trilha do Brito e do excelente trabalho executado pelo Sr. Valdomiro Moreira dos Santos foi desenvolvido no âmbito do Programa de Criação e Implementação do Banco de Germoplasma, integrante do Plano de Gestão Ambiental do Projeto de Irrigação Luís Alves do Araguaia. Elaboração: Emsa Empresa Sul Americana de Montagens S/A Eng Agrônomo Danilo Couto M.Sc. Agronomia (Produção Vegetal) Fone: (62) E.mail: Apoio: Jaburu Agropecuária Ltda. Prefeitura Municipal de São Miguel do Araguaia Secretaria do Planejamento e Desenvolvimento do Estado de Goiás SEPLAN-GO Ministério da Integração Nacional Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis IBAMA 14

PROJETO TRAVESSIA. Cidadânia e Responsabilidade Social

PROJETO TRAVESSIA. Cidadânia e Responsabilidade Social PROJETO TRAVESSIA Cidadânia e Responsabilidade Social PALMAS-TO 2014 Principais Parceiros das edições anteriores CONTATOS Projeto realizado pelo Grupo Pedais e Trilhas do Tocantins Coordenador do Projeto:

Leia mais

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural

Unidade Portugal. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã. AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE. Jardim Botânico de SP: santuário natural Unidade Portugal Ribeirão Preto, de de 2011. Nome: 3 o ano (2ª série) Manhã AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA DE CONTEÚDO DO GRUPO X 4 o BIMESTRE Eixo temático - Natureza amiga Disciplina/Valor Português 3,0 Matemática

Leia mais

Nº 06. sistema agroflorestal

Nº 06. sistema agroflorestal EMEIO AMBIENT Nº 06 sistema agroflorestal Em uma sala de aula na zona rural... Bom dia! Bom dia, professor! Hoje vamos falar sobre o futuro do planeta! O senhor disse que iríamos estudar agricultura e

Leia mais

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN.

PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN. PROJETO VALE SUSTENTÁVEL: RECUPERAÇÃO DE ÁREAS DEGRADADAS VISANDO A CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DA CAATINGA NA REGIÃO DO VALE DO AÇU RN. Elisângelo Fernandes da Silva (E-mail: elisangelo.silva@bol.com.br);

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO SISTEMA NACIONAL DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Previsão Legal Objetivos Categorias Finalidades Gestão do Sistema Quantitativos Outros Espaços Protegidos Distribuição Espacial Relevância O Brasil possui alguns

Leia mais

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2

FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 FLORESTA AMAZÔNICA F 5 M A 2 Editora F-5MA2 Rua Floriano Peixoto Santos, 55 Morumbi CEP 05658-080 São Paulo - SP Tel.: (11) 3749 3250 Apresentação A população crescendo, florestas sumindo, calor aumentando,

Leia mais

CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO CAPÍTULO 4 UNIDADES DE CONSERVAÇÃO Na área dos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália, existem as seguintes unidades de conservação (Anexo II): Parque Nacional de Monte Pascoal Parque Nacional

Leia mais

Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de

Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de Paula Daniel Fogaça (Identificação das árvores e fotos) Camila Pianca (Coordenação do projeto) Complemento das informações do georreferenciamento de árvores presentes nas trilhas no Parque do Zizo. Janeiro

Leia mais

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO

DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO DESMATAMENTO DA MATA CILIAR DO RIO SANTO ESTEVÃO EM WANDERLÂNDIA-TO Trabalho de pesquisa em andamento Sidinei Esteves de Oliveira de Jesus Universidade Federal do Tocantins pissarra1@yahoo.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL

LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL PREFEITURA DO MUNICIPIO DE VALINHOS Estado de São Paulo Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente LAUDO TÉCNICO AMBIENTAL CONDOMÍNIO RESIDENCIAL MOINHO DE VENTO Condomínio residencial Moinho de Vento

Leia mais

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES

A D N E G A 2007 as 4 SÉRIES A G E N D A 2007 as 4 SÉRIES ÍNDICE Proposta da ONU... 04 Compromisso do Brasil... 05 Cada cidade responsável por sua agenda 21... 07 Dia internacional da Água... 09 Dia do Meio Ambiente... 12 Dia da Árvore...

Leia mais

VISÃO DA COMUNIDADE CARENTE A RESPEITO DA CRIAÇÃO DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO, NO MUNICÍPIO DE MIGUEL PEREIRA, RJ Mattos C.F.

VISÃO DA COMUNIDADE CARENTE A RESPEITO DA CRIAÇÃO DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO, NO MUNICÍPIO DE MIGUEL PEREIRA, RJ Mattos C.F. VISÃO DA COMUNIDADE CARENTE A RESPEITO DA CRIAÇÃO DE UMA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO, NO MUNICÍPIO DE MIGUEL PEREIRA, RJ Mattos C.F. Junior¹ A relação da comunidade com o meio-ambiente é uma das mais importantes

Leia mais

TRILHAS. Projeto Trilhas Interpretativas

TRILHAS. Projeto Trilhas Interpretativas TRILHAS Projeto Trilhas Interpretativas O Projeto Trilhas Interpretativas, desenvolvido desde 1996 com uma proposta de educação ambiental informal, realiza atividades de bem estar em áreas naturais. A

Leia mais

PARQUE NATURAL MUNICIPAL PROFESSOR JOÃO VASCONCELOS SOBRINHO MANUAL DE CONDUTA

PARQUE NATURAL MUNICIPAL PROFESSOR JOÃO VASCONCELOS SOBRINHO MANUAL DE CONDUTA PARQUE NATURAL MUNICIPAL PROFESSOR JOÃO VASCONCELOS SOBRINHO MANUAL DE CONDUTA HORÁRIO DE VISITA Todos os dias, de 6 h às 16 h Para visita às trilhas, agendar com um guia pelo telefone: (81) 3701-1549

Leia mais

Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR

Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR Ação de sensibilização ambiental realizada na Ponte do Rio São Jorge/ Parque Nacional dos Campos Gerais- PR Andressa Stefany Teles 1 Flávia Ferreira dos Santos 2 Jasmine Cardozo Moreira 3 RESUMO Impactos

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES MONUMENTO NATURAL DAS ÁRVORES FOSSILIZADAS RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES

RELATÓRIO DE ATIVIDADES MONUMENTO NATURAL DAS ÁRVORES FOSSILIZADAS RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES RELATÓRIO DE ATIVIDADES MONUMENTO NATURAL DAS ÁRVORES FOSSILIZADAS MÊS OUTUBRO/ 2013 RELATÓRIO MENSAL DE ATIVIDADES MISSÃO: Realizar a gestão da UC visando a conservação do patrimônio fossilífero, da biodiversidade

Leia mais

Olinda - Pernambuco - Brasil

Olinda - Pernambuco - Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica Olinda - Pernambuco - Brasil SENDI 2008-06 a 10 de outubro Relocação de Colméias de Abelhas Meloponíneas nas Instalações Elétricas da Cemig

Leia mais

REQUERIMENTO DE INDICAÇÃO Nº, DE 2011 (Da Sra. Deputada Fátima Bezerra e outros)

REQUERIMENTO DE INDICAÇÃO Nº, DE 2011 (Da Sra. Deputada Fátima Bezerra e outros) REQUERIMENTO DE INDICAÇÃO Nº, DE 2011 (Da Sra. Deputada Fátima Bezerra e outros) Requer o envio de Indicação a Sra. Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, sugerindo a criação da Unidade de Conservação

Leia mais

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA

Insígnia Mundial do Meio Ambiente IMMA Ficha técnica no. 2.1 Atividade Principal 2.1 SENTINDO A NATUREZA Objetivo da 2 Os escoteiros estão trabalhando por um mundo onde o habitat natural seja suficiente para suportar as espécies nativas. Objetivos

Leia mais

Palavras-chave: guia didático, ensino de ecologia, material didático, formação de professores

Palavras-chave: guia didático, ensino de ecologia, material didático, formação de professores PREPARAÇÃO DO GUIA DIDÁTICO TRILHA HISTÓRICO-ECOLÓGICA NO MUSEU DA VIDA POR LICENCIANDOS EM BIOLOGIA DA FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA UERJ: BUSCANDO A EMOÇÃO E A REFLEXÃO DOS ALUNOS Daniel Baptista

Leia mais

TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL

TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL TRATAMENTO DE MADEIRA NA PROPRIEDADE RURAL Este folheto indica a maneira de preparar uma solução imunizadora para tratamento de madeira roliça de Eucalipto e

Leia mais

Que ambiente é esse?

Que ambiente é esse? A U A UL LA Que ambiente é esse? Atenção Leia o texto abaixo: (...) Florestas bem verdes, cortadas por rios, lagos e corixos. Planícies extensas, que se unem ao horizonte amplo, cenário para revoadas de

Leia mais

VII Mostra de Trabalhos ABC na Educação Científica - Mão na Massa

VII Mostra de Trabalhos ABC na Educação Científica - Mão na Massa NAS ÁRVORES DO JARDIM DA MINHA ESCOLA TEM... Adriana Ranzani Resumo A pesquisa sobre os animais que vivem nas árvores da escola Ludgero Braga, foi realizada com crianças do 2º ano A, durante o período

Leia mais

Os impactos ambientais de maior incidência no país

Os impactos ambientais de maior incidência no país Os impactos ambientais de maior incidência no país Segundo a Pesquisa de Informações Básicas Municipais Perfil dos Municípios Brasileiros/MUNIC 2008, realizada regularmente pelo Instituto Brasileiro de

Leia mais

GESTÃO DE ARBORIZAÇÃO URBANA: O CASO NOVA PRATA

GESTÃO DE ARBORIZAÇÃO URBANA: O CASO NOVA PRATA GESTÃO DE ARBORIZAÇÃO URBANA: O CASO NOVA PRATA Biólogo João Augusto Bagatini Resp. Técnico da Arborização Urbana de Nova Prata Secretaria Municipal de Planejamento e Ambiente Membro da Sociedade Brasileira

Leia mais

Trilhas e Passeios em Cunha:

Trilhas e Passeios em Cunha: Trilhas e Passeios em Cunha: CIRCUITO MONJOLO Cachoeira do Pimenta Distância: 12km (a partir do centro de Cunha) Percurso: Estrada do Monjolo - 8km em estrada de terra e 4km com calçamento (trechos íngremes)

Leia mais

A Mata Atlântica é uma formação vegetal brasileira. Acompanhava o litoral do país do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões meridional e

A Mata Atlântica é uma formação vegetal brasileira. Acompanhava o litoral do país do Rio Grande do Sul ao Rio Grande do Norte (regiões meridional e Mata Atlântica A Mata Atlântica (floresta pluvial costeira) está situada entre o R.N e o R.S. É um dos hotspots (O conceito dos Hotspots, criado em 1988 pelo Dr. Norman Myers, estabeleceu 10 áreas críticas

Leia mais

Passeios Amazon Explorers

Passeios Amazon Explorers Passeios Amazon Explorers Para os passeios de um dia, sem pernoite, lhe oferecemos a seguinte variedade, cada um com suas especificidades, que lhe proporcionam experiências diferentes e inesquecíveis,

Leia mais

INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ

INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ INFORMATIVO XCM DESAFIO GRUTAS DE BOTUVERÁ 6ª ETAPA DO RANKING CATARINENSE DE MARATON LOCAL Grutas de Botuverá Botuverá/SC 1. PROGRAMAÇÃO: DIA 04 de Junho (sab) HORA 17:00 á 19:00 Retirada do kit. LOCAL

Leia mais

VI - SITUAÇÃO ATUAL DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO

VI - SITUAÇÃO ATUAL DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO VI - SITUAÇÃO ATUAL DA UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1 - INFRA-ESTRUTURA A infra-estrutura do Parque Estadual do Guartelá conta com as seguintes edificações: Portal (foto VI.01): O portal pode ser avistado pela

Leia mais

ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL

ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL ATIVIDADE 02 A PRESERVAÇÃO DO NOSSO PATRIMÔNIO CULTURAL O patrimônio cultural de uma comunidade é o conjunto de referências que compõem o seu dia-a-dia e fazem com que ela tenha uma memória e uma história

Leia mais

duração: duas horas e meia

duração: duas horas e meia Atividades Caminhada para Caraíva duração: duas horas e meia Caraíva fica a 9 quilômetros de distância da Pousada, pela praia. São aproximadamente duas horas e meia de caminhada andando na areia, entre

Leia mais

Parque Natural Municipal da Restinga de Maricá

Parque Natural Municipal da Restinga de Maricá Projeto de criação do Parque Natural Municipal da Restinga de Maricá Flora Fauna Comunidade Movimento Pró-Restinga Está totalmente equivocada a classificação daque-la área como uma APA. O conceito principal

Leia mais

Como crescer soja em Moçambique

Como crescer soja em Moçambique Como crescer soja em Moçambique A soja é uma excelente safra de levantar em sua fazenda A soja é muito nutritivo e é um bom substituto para a carne. Ela pode ser feita em vários tipos diferentes de alimentos,

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. SOS Restinga de Pontal do Paraná

Mostra de Projetos 2011. SOS Restinga de Pontal do Paraná Mostra Local de: Pontal do Paraná. Mostra de Projetos 2011 SOS Restinga de Pontal do Paraná Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: Campo

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO

CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 2º BIMESTRE 6º ANO 2010 QUESTÃO 1 Assinale a afirmativa que descreve

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A FLORESTA ATÉ AO CONCEITO DE SILVICULTURA PRÓXIMA DA NATUREZA. Francisco Castro Rego

REFLEXÕES SOBRE A FLORESTA ATÉ AO CONCEITO DE SILVICULTURA PRÓXIMA DA NATUREZA. Francisco Castro Rego REFLEXÕES SOBRE A FLORESTA ATÉ AO CONCEITO DE SILVICULTURA PRÓXIMA DA NATUREZA Francisco Castro Rego A EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO FRANCISCANO Encontrarás mais verdade nas florestas do que nos livros Nenhum

Leia mais

DECRETO Nº 6.660, DE 21 DE NOVEMBRO DE

DECRETO Nº 6.660, DE 21 DE NOVEMBRO DE DECRETO Nº 6.660, DE 21 DE NOVEMBRO DE 2008: Regulamenta dispositivos da Lei no 11.428, de 22 de dezembro de 2006, que dispõe sobre a utilização e proteção da vegetação nativa do Bioma Mata Atlântica.

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS.

VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS. VALORIZE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS. :: NOBREZA NATIVA As árvores são os maiores seres vivos do Reino Vegetal, os que têm vida mais longa e apresentam diferentes tamanhos e formas. O Rio Grande do Sul possui

Leia mais

Treinamento e Desenvolvimento Território Selvagem Canoar:

Treinamento e Desenvolvimento Território Selvagem Canoar: Prezados, A Território Selvagem, empresa atuante no mercado de turismo de aventura e natureza desde 1999, no ano de 2010 uniu forças com a Canoar (1ª operadora de Rafting do Brasil) tornando-se Território

Leia mais

DIA 1 ROTEIRO GAVIÃO GONZAGA

DIA 1 ROTEIRO GAVIÃO GONZAGA GAVIÃO GONZAGA DIA - O Centro de Lazer Tarundu é diversão garantida. Esportes de aventura, cavalgadas, trilhas pela mata nativa e mini golfe são algumas das atividades ao ar livre. Para os dias chuvosos,

Leia mais

Nosso Território: Ecossistemas

Nosso Território: Ecossistemas Nosso Território: Ecossistemas - O Brasil no Mundo - Divisão Territorial - Relevo e Clima - Fauna e Flora - Ecossistemas - Recursos Minerais Um ecossistema é um conjunto de regiões com características

Leia mais

PORTIFOLIO DE PASSEIOS

PORTIFOLIO DE PASSEIOS GOIÂNIA GO Embora com uma história recente, oferece uma diversidade de atrativos que encantam seus moradores e visitantes. Cidade aberta, ecumênica, bela, multicultural, de gente bonita e empreendedora,

Leia mais

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO

NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO NOVO CÓDIGO FLORESTAL: IMPLICAÇÕES E MUDANÇAS PARA A REALIDADE DO PRODUTOR DE LEITE BRASILEIRO Enio Resende de Souza Eng. Agr. M.Sc. Manejo Ambiental / Coordenador Técnico / Meio Ambiente Gestão do Produto

Leia mais

Discurso Copa 2014. Senhoras Senadoras, Senhores Senadores. Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado

Discurso Copa 2014. Senhoras Senadoras, Senhores Senadores. Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado 1 Discurso Copa 2014 Senhor presidente, Senhoras Senadoras, Senhores Senadores Amigos que nos acompanham pelas redes sociais e pela Agência Senado Promessas são como juramentos. A beleza da promessa está

Leia mais

Manipulação caseira de fitoterápicos. Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim

Manipulação caseira de fitoterápicos. Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim Manipulação caseira de fitoterápicos Módulo 5 Farm. Ms. Ana Cimbleris Alkmim Recomendações gerais Uso de plantas provenientes de modismos deve ser evitado. Duvide sempre das plantas tidas como milagrosas.

Leia mais

FLORESTA PARQUE ECOLOGICO RIO FORMOSO Relatório de Caracterização da Área e Plantio

FLORESTA PARQUE ECOLOGICO RIO FORMOSO Relatório de Caracterização da Área e Plantio FLORESTA PARQUE ECOLOGICO RIO FORMOSO Relatório de Caracterização da Área e Plantio 1. Apresentação: O Plante Bonito é um programa participativo de recuperação de áreas degradadas, que tem o objetivo de

Leia mais

'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus

'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus 'Cachoeira da Onça' é opção de ecoturismo próximo a Manaus Reserva particular de proteção natural mantém preservadas flora e fauna. Local está situado no município de Presidente Figueiredo. A reserva particular

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO

2015 O ANO DE COLHER ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO ABRIL - 1 A RUA E O CAMINHO Texto: Apocalipse 22:1-2 Então o anjo me mostrou o rio da água da vida que, claro como cristal, fluía do trono de Deus e do Cordeiro, no meio da RUA principal da cidade. De

Leia mais

Olá, que bom que você está aqui no Relaxamento Presente.

Olá, que bom que você está aqui no Relaxamento Presente. Olá, que bom que você está aqui no Relaxamento Presente. Um dos grandes dilemas que os pais enfrentam atualmente é em relação à educação dos filhos, e se perguntam constantemente: "Como fazer meu filho

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR

SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DO 5º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2012 CIÊNCIAS

Leia mais

EXCURSÃO AOS APARADOS DA SERRA (Cambará do Sul-RS)

EXCURSÃO AOS APARADOS DA SERRA (Cambará do Sul-RS) EXCURSÃO AOS APARADOS DA SERRA (Cambará do Sul-RS) ORGANIZADOR: Michel Marques Godoy (Serviço Geológico do Brasil - CPRM). DATA: 5ª.feira, dia 22 de outubro de 2015 (com qualquer clima) HORÁRIO: saída

Leia mais

FUNDADORA REALIZADORA APOIO INSTITUCIONAL CONSULTORIA

FUNDADORA REALIZADORA APOIO INSTITUCIONAL CONSULTORIA FUNDADORA REALIZADORA APOIO INSTITUCIONAL CONSULTORIA I ENCONTRO SOBRE INFRAESTRUTURA VERDE E MOBILIDADE INTELIGENTE Apresentação No dia 5 de dezembro de 2012, o projeto Estrada Sustentável realizou o

Leia mais

Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010

Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010 Viagem ao rio Arapiuns - 05 dias Santarém, Pará, Amazônia 2010 1º dia, Santarém - Anã café da manhã no barco saída de Santarém as 06:30, em direção a comunidade de Anã (de 3 a 4 horas de navegação) chegada

Leia mais

Centro Universitário de Belo Horizonte- UNIBH EDUCAÇÃO AMBIENTAL: BIODIVERSIDADE E URBANIZAÇÃO DO PARQUE AGGEO PIO SOBRINHO/BURITIS, BELO HORIZONTE/MG

Centro Universitário de Belo Horizonte- UNIBH EDUCAÇÃO AMBIENTAL: BIODIVERSIDADE E URBANIZAÇÃO DO PARQUE AGGEO PIO SOBRINHO/BURITIS, BELO HORIZONTE/MG Centro Universitário de Belo Horizonte- UNIBH EDUCAÇÃO AMBIENTAL: BIODIVERSIDADE E URBANIZAÇÃO DO PARQUE AGGEO PIO SOBRINHO/BURITIS, BELO HORIZONTE/MG Cleane Fernandes Britis¹; Denílson Martins Sabino

Leia mais

Aula 130 Conteúdos: Gênero textual: Provérbios. Brincadeiras tradicionais. Área do quadrado. Mata atlântica. LINGUAGENS, MAT., CIÊNCIAS DA NAT.

Aula 130 Conteúdos: Gênero textual: Provérbios. Brincadeiras tradicionais. Área do quadrado. Mata atlântica. LINGUAGENS, MAT., CIÊNCIAS DA NAT. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 130 Conteúdos: Gênero textual: Provérbios. Brincadeiras tradicionais. Área do quadrado. Mata atlântica. 3 CONTEÚDO

Leia mais

AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA.

AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA. AS RESERVAS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COMO ALTERNATIVA PARA A CONSERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE E MANUTENÇÃO DA CULTURA CAIÇARA. Ana Carolina de Campos Honora 1 Presentes na região costeira dos Estados

Leia mais

Apêndice B. Animais silvestres mencionados neste livro. Nome científico Nome comum Alimentação Hábitat

Apêndice B. Animais silvestres mencionados neste livro. Nome científico Nome comum Alimentação Hábitat Apêndice B Apêndice B Animais silvestres mencionados neste livro MAMÍFEROS Cebus apella Macaco Prego Frutas, sementes de palmeiras, Floresta, capoeira insetos, pequenos vertebrados e néctar Alouatta spp.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA DE ESTADO DE PRODUÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E MEIO AMBIENTE. CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE-COEMA Câmara Técnica Especial PROCESSO

Leia mais

MOMENTO DE ORAÇÃO (nos cânticos o que está em caracteres tachados não deve ser pronunciado, apenas sua melodia deve ser lembrada com um leve sussurro)

MOMENTO DE ORAÇÃO (nos cânticos o que está em caracteres tachados não deve ser pronunciado, apenas sua melodia deve ser lembrada com um leve sussurro) MOMENTO DE ORAÇÃO (nos cânticos o que está em caracteres tachados não deve ser pronunciado, apenas sua melodia deve ser lembrada com um leve sussurro) Canto inicial: OFERTÓRIO DA COMUNIDADE 1. Nesta mesa

Leia mais

Reveillon - Alter do Chão - 6 dias 27 de Dezembro de 2015 a 01 de Janeiro de 2016

Reveillon - Alter do Chão - 6 dias 27 de Dezembro de 2015 a 01 de Janeiro de 2016 Lago Verde: areia branca, água fresca e cristalina Comece 2016 com o pé direito em meio à tranquilidade e paz da natureza! Alter do Chão localiza-se na margem direita do rio Tapajós, a 32 km de Santarém,

Leia mais

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS

QUEM FAZ O QUÊ? DADOS TÉCNICOS DO CTA ESTATÍSTICAS QUEM FAZ O QUÊ? SETTRAN - SECRETARIA MUNICIPAL DE TRÂNSITO E TRANSPORTES CTA ESTATÍSTICAS CTA - CONTROLE DE TRÁFEGO EM ÁREA AUTOR: AÍLTON BORGES SETTRAN- - Transporte coletivo na cidade... Quem faz o quê?

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC

SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC SECRETARIA DE ESTADO DO MEIO AMBIENTE SEMA DEPARTAMENTO DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E GESTAO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO DEMUC DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA RELACIONADA NO ÂMBITO DOS TEMAS

Leia mais

Figura1: Trajeto da Trilha da Saracura com seus respectivos pontos interpretativos.

Figura1: Trajeto da Trilha da Saracura com seus respectivos pontos interpretativos. PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UMA TRILHA INTERPRETATIVA NA MATA ATLÂNTICA PARA ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS RIO DO SUL Autores: Alessandra Lariza KRUG, Marcelo

Leia mais

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI

Autor: Uriálisson Mattos Queiroz Instituição: Escola de Engenharia Mecânica da Bahia(EEMBA)/IQUALI UTILIZAÇÃO DO GEOPROCESSAMENTO PARA ESTUDOS ECOLÓGICOS DA REGIÃO DA SUB-BACIA DO RIO CAPIVARI-BA NOS MUNICÍPIOS DE CRUZ DAS ALMAS, MURITIBA E SÃO FÉLIX. Autor: Gabriel Barbosa Lobo Instituição: Escola

Leia mais

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A

GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA A A GERAÇÃO DO CONHECIMENTO Transformando conhecimentos em valores www.geracaococ.com.br Unidade Portugal Série: 6 o ano (5 a série) Período: TARDE Data: 15/9/2010 PROVA GRUPO GRUPO VIII 3 o BIMESTRE PROVA

Leia mais

ANÁLISE DOS PARQUES ESTADUAIS MASSAIRO OKAMURA E MÃE BONIFÁCIA COM BASE NO SNUC

ANÁLISE DOS PARQUES ESTADUAIS MASSAIRO OKAMURA E MÃE BONIFÁCIA COM BASE NO SNUC Salvador/BA 25 a 28/11/2013 ANÁLISE DOS PARQUES ESTADUAIS MASSAIRO OKAMURA E MÃE BONIFÁCIA COM BASE NO SNUC Marionil Fátima Simão Pinheiro (*), Augusto Ziebell Mendes * Instituto Federal de Educação, Ciências

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 7º ANO

CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 7º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 1º BIMESTRE 7º ANO 2010 PROVA DE CIÊNCIAS 7º ANO Questão 1 A idade

Leia mais

Bons resultados para comemorar

Bons resultados para comemorar Amapá PUBLICAÇÃO DESTINADA ÀS COMUNIDADES DE RELACIONAMENTO DA ANGLO AMERICAN. ANO 1. N 7. MAI/JUN. 2010 Bons resultados para comemorar Anglo American chega à marca de cem navios embarcados no Amapá e

Leia mais

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura

PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO. Conciliando Biodiversidade e Agricultura PLANEJANDO A CONSERVAÇÃO DO CERRADO Conciliando Biodiversidade e Agricultura DESAFIO Compatibilizar a Conservação e a Agricultura O crescimento da população global e a melhoria dos padrões de vida aumentaram

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARQUE VILLA LOBOS

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARQUE VILLA LOBOS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARQUE VILLA LOBOS OBJETIVO Proporcionar atividades de campo visando sensibilização, conhecimento e conscientização de crianças, adolescentes, adultos e idosos sobre questões

Leia mais

Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental. Dra. Renata Cardoso Vieira

Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental. Dra. Renata Cardoso Vieira Fauna Silvestre no Ambiente Urbano: licenciamento ambiental Dra. Renata Cardoso Vieira Tipologia de Estudos EIA /RIMA laudo de fauna monitoramento de fauna resgate de fauna IN 146/2007 IBAMA Licenciamento

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Arca de Noé

Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio. Arca de Noé Colégio Sagrado Coração de Maria - Rio Rua Tonelero, 56 Copacabana RJ site:www.redesagradorj.com.br / e-mail:cscm@redesagradorj.com.br Arca de Noé Turma: Maternal I A Professora Gisele Data: 1º trimestre/2011

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 6 º ANO

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 6 º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 6 º ANO 2010 Questão1 Observe a ilustração abaixo. Ela

Leia mais

PARECER TÉCNICO Nº 009 /2007(SUPRAM NOR) Nº. 105737/ 2007 Indexado ao(s) Processo(s) Nº: 02213/2005/001/2006

PARECER TÉCNICO Nº 009 /2007(SUPRAM NOR) Nº. 105737/ 2007 Indexado ao(s) Processo(s) Nº: 02213/2005/001/2006 PARECER TÉCNICO Nº 009 /2007(SUPRAM NOR) Nº. 105737/ 2007 Indexado ao(s) Processo(s) Nº: 02213/2005/001/2006 Tipo de processo: Licenciamento Ambiental ( X ) Auto de Infração ( ) 1. Identificação Empreendimento

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR PROMOTOR DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL DO ESTADO DO ESPIRITO SANTO URGENTE Ref. DENÚNCIA GIDEÃO ENRIQUE SVENSSON, brasileiro, casado, vereador e 2º secretário da

Leia mais

** CARNAVAL** MORRODO CARASAL (escalaminhada) CANYON FORTALEZA (interior, trilha do Tigre Preto) CANYON DA PEDRA (interior) Trilhas de nível Difícil.

** CARNAVAL** MORRODO CARASAL (escalaminhada) CANYON FORTALEZA (interior, trilha do Tigre Preto) CANYON DA PEDRA (interior) Trilhas de nível Difícil. ** CARNAVAL** Um carnaval diferente em meio a natureza e suas maravilhas... Alegria e diversão garantida! Preparamos pra você um final de semana inesquecível! MORRODO CARASAL (escalaminhada) CANYON FORTALEZA

Leia mais

AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL. Senhor Presidente,

AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL. Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 31/05/2011. AQUÁRIO PANTANEIRO: O MAIOR AQUÁRIO DE ÁGUA DOCE DO MUNDO ESTARÁ NO MATO GROSSO DO SUL Senhor Presidente, Senhoras

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA INSTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO DE CURITIBA OFICINA DE CAPACITAÇÃO PARA O PLANO DIRETOR: REGIONAL TATUQUARA 03/04/2014 CURITIBA MARÇO/2014 Realizações no dia

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 5º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ

CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 5º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 4º BIMESTRE 5º ANO PROJETO CIENTISTAS DO AMANHÃ 2010 01. Pode ser

Leia mais

Tucumã-do-pará. Astrocaryum vulgare Mart.

Tucumã-do-pará. Astrocaryum vulgare Mart. Tucumã-do-pará Tucumã-do-pará Astrocaryum vulgare Mart. Margaret Cymerys O tucumã-do-pará possui muitas utilidades. Pessoas, peixes e outros animais apreciam os seus frutos; pescadores usam os bichos dos

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADE 1

PLANO DE ATIVIDADE 1 PLANO DE ATIVIDADE 1 Questão-Problema Para que serve e como funciona o filtro? Material - Filtro de Aquário - 2 Garrafas de Plástico 2L - Tesoura - Colher - Copo transparente - Terra - Areia de Aquário

Leia mais

Análise de Viabilidade

Análise de Viabilidade Análise de Viabilidade 1. Identificação Município: Itaúna Localização: Região de Tabuões Bacia Hidrográfica: Rio São Francisco 2. Resultados: Considerando as especulações que estão sendo levantadas com

Leia mais

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública

Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago. Consulta Pública Proposta de Criação da Floresta Estadual José Zago Consulta Pública 2015 Base Legal Lei Federal nº 9.985 de 18 de julho de 2000 Regulamenta o artigo 225 da Constituição Federal e Institui o Sistema Nacional

Leia mais

ECOTURISMO PEDAGÓGICO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL DO MORRO DO OSSO, PORTO ALEGRE (RS): UM OLHAR DOS ALUNOS DO CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURSIMO - EaD

ECOTURISMO PEDAGÓGICO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL DO MORRO DO OSSO, PORTO ALEGRE (RS): UM OLHAR DOS ALUNOS DO CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURSIMO - EaD ECOTURISMO PEDAGÓGICO NO PARQUE NATURAL MUNICIPAL DO MORRO DO OSSO, PORTO ALEGRE (RS): UM OLHAR DOS ALUNOS DO CURSO TÉCNICO EM GUIA DE TURSIMO - EaD Michelle Santos da Silveira 1 Rubilar Ritta Jobim 2

Leia mais

Derivaldo da SILVA 1 Maria do Socorro VIANA³ Centro Universitário do Norte Uninorte, Manaus, Am

Derivaldo da SILVA 1 Maria do Socorro VIANA³ Centro Universitário do Norte Uninorte, Manaus, Am Derivaldo da SILVA 1 Maria do Socorro VIANA³ Centro Universitário do Norte Uninorte, Manaus, Am NOVO AIRÃO MITO, CULTURA E ECONOMIA UM ATRATIVO TURÍSTICO. 2 RESUMO Esta pesquisa visa analisar a história

Leia mais

Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos

Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos Secretaria Municipal de Saúde VISA Ponte Nova Manual Básico para os Manipuladores de Alimentos Elaborado pela Equipe da Vigilância Sanitária de Ponte Nova Índice: 1. Manipulador de Alimentos e Segurança

Leia mais

b e m - v i n d o a o p a r a í s o Imagem Ilustrativa

b e m - v i n d o a o p a r a í s o Imagem Ilustrativa b e m - v i n d o a o p a r a í s o VISTA AÉREA PISCINAS NATURAIS Bem-vindo a Praia do Forte VISTA AÉREA DE PRAIA DO FORTE Admirável beleza Localizado a 75km de Salvador há um verdadeiro paraíso, com belas

Leia mais

Ginkgo biloba L. 64 Exemplares no Parque

Ginkgo biloba L. 64 Exemplares no Parque Ginkgo biloba L. 64 Exemplares no Parque Família Ginkgoaceae Nome Comum Ginkgo, árvore-dos-40-escudos, árvore-das-40-moedas, nogueira-do-japão Origem Noroeste da província de Zhejiang (China) e muito cultivado

Leia mais

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 7º ANO

CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 7º ANO PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE ENSINO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS PROVA 3º BIMESTRE 7º ANO 2010 Questão 1 O reino Animalia, ou reino dos

Leia mais

parque didático cactus-bongert

parque didático cactus-bongert parque didático cactus-bongert parque didático cactus-bongert A abelha Amélia, amiga do Yuppi, vive no pomar do Cactus. O Yuppi decidiu ir visitá-la, mas ao chegar viu que a colmeia se encontrava num grande

Leia mais

As Questões Ambientais do Brasil

As Questões Ambientais do Brasil As Questões Ambientais do Brasil Unidades de conservação de proteção integral Existem cinco tipos de unidades de conservação de proteção integral. As unidades de proteção integral não podem ser habitadas

Leia mais

Como chegar Gestão Estatísticas Festas Populares. Geografia História Pontos Turísticos Tradição Util Pública. Dia da Carpição

Como chegar Gestão Estatísticas Festas Populares. Geografia História Pontos Turísticos Tradição Util Pública. Dia da Carpição Como chegar Gestão Estatísticas Festas Populares Geografia História Pontos Turísticos Tradição Util Pública Dia da Carpição O Dia da Carpição, que acontece no mês de agosto no Distrito de São Francisco

Leia mais

Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais

Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais Os pontos cardeais, colaterais e subcolaterais Dois trópicos e dois círculos Polares Tipos de Escalas Gráfica Numérica 1 : 100.000 Principais projeções cartográficas Cilíndrica Cônica Azimutal ou Plana

Leia mais

Compreendendo o espaço

Compreendendo o espaço Módulo 1 Unidade 2 Compreendendo o espaço Para início de conversa... A forma como você se locomove na cidade para ir de um lugar a outro tem a ver com as direções que você toma e com o sentido para o qual

Leia mais

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA LEGISLAÇÃO AMBIENTAL BRASILEIRA No Brasil, as leis voltadas para a conservação ambiental começaram a partir de 1981, com a lei que criou a Política Nacional do Meio Ambiente. Posteriormente, novas leis

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR

LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR LEVANTAMENTO DOS ANIMAIS SINANTRÓPICOS DA SUB- BACIA HIDROGRÁFICA URBANA PILÃO DE PEDRA, EM PONTA GROSSA PR Leticia Polesel Weiss (leticia_w@hotmail.com) Rosana Pinheiro Maria Aparecida Oliveira Hinsching

Leia mais

JACARÉ RIBEIRÃO VIVO - ASSOCIAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL J A P P A - N E W S. Relatório de Atividades SETEMBRO/2015

JACARÉ RIBEIRÃO VIVO - ASSOCIAÇÃO PARA PRESERVAÇÃO AMBIENTAL J A P P A - N E W S. Relatório de Atividades SETEMBRO/2015 J A P P A - N E W S Relatório de Atividades SETEMBRO/2015 01/09/2015: Participação em reunião do CMSB (Conselho Municipal de Saneamento Básico). 02/09/2015: Participação em reunião (3ª) realizada na Paróquia

Leia mais

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar

Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar A U A U L L A Terra à vista! Nesta aula, utilizaremos os mapas para situar o lugar em que vivemos na superfície da Terra. Vamos verificar que os lugares são agrupados em grandes conjuntos chamados de continentes,

Leia mais