PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: <http://www.pubvet.com.br/texto.php?id=579>."

Transcrição

1 PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Disponível em: < Suplementação de bovinos de corte mantidos em pastejo no período de chuva Paulo José Presídio Almeida 1, Danilo Ribeiro de Souza 2, Fabiano Ferreira da Silva 3, Mara Lúcia Albuquerque Pereira 3, Aires Lima Rocha Neto 4, Saulo Tannus Azevedo 5 1 Zootecnista. Especialista em Bovinocultura de Corte. Mestrando em Zootecnia pela UESB. Bolsista CNPq. 2 Zootecnista. Especialista em Bovinocultura de Corte. Mestrando em Zootecnia pela UESB. Bolsista CAPES. 3 Professor do Curso de Zootecnia da UESB. DTRA e DEBI; 4 Zootecnista. Doutorando em Zootecnia pela UESB. Bolsista FAPESB; 5 Zootecnista. Mestre em Zootecnia pela UESB. Resumo As pastagens representam à forma mais prática e econômica para a alimentação de bovinos, sendo a base para a bovinocultura de corte no Brasil. Existe, no entanto, sazonalidade quantitativa e qualitativa das forrageiras tropicais que comprometem o desempenho regular dos bovinos. Para minimizar os efeitos deste desequilíbrio, de excesso de produção das águas e escassez na seca, e consequentemente baixos índices de produtividade da

2 pecuária, é de importância estratégias de suplementação em períodos ideais, para que com isso, haja uma redução na idade de abate. No período chuvoso as pastagens apresentam elevado crescimento e melhoria no valor nutricional. Portanto a suplementação a pasto com nutrientes específicos, em períodos distintos, é necessária para obtenção de níveis satisfatórios de desempenho animal, com intuito de alcançar máxima eficiência técnica e econômica, ou seja, um manejo racional a baixo custo, objetivando máxima lucratividade. Palavras-chave: bovino, chuva, desempenho, pasto, suplemento Supplementation of beef cattle kept on grazing in the rainy period Abstract The pastures represent to the economic form most practical and for the feeding of bovines, being the base for the cattle of cut in Brazil. It exists, however, quantitative and qualitative seasonality of the tropical forages that compromise the regular performance of the bovines. To minimize the effect of this disequilibrium, of excess of production of waters and scarcity in it dries, and consequently low indices of productivity of the cattle one, it is of importance strategies of supplementation in ideal periods, so that with this, has a reduction in the age of abates. In the rainy period the pastures present high growth and improvement in the nutritional value. Therefore the supplementation the grass with specific nutrients, in distinct periods, is necessary for attainment of satisfactory levels of animal performance, with intention to reach principle efficiency economic technique and, that is, a rational handling the low cost, objectifying maximum profitability. Key-words: bovines, pasture, performance, rain, supplement

3 1. INTRODUÇÃO A produção de carne bovina, na maioria dos países desenvolvidos, se faz baseada no fornecimento crescente de alimentos concentrados nas dietas. Com uma pecuária de corte baseada na produção a pasto, a pecuária brasileira vem se estabelecendo, principalmente nos últimos anos, como uma atividade econômica de grande importância, tanto pra o abastecimento interno, como para exportação, sendo importante geradora de recursos econômicos. Frente à magnitude de sua importância a pecuária nacional é desafiada a produzir cada vez mais de forma mais eficiente, sendo ainda exigida em maiores padrões de qualidade e menores custos. Atualmente com a crescente demanda do mercado por carne de bovinos criados a pasto, o Brasil passa a ter um grande mercado para conquistar. Para obter o animal de qualidade e precoce novas tecnologias devem ser adotadas para a viabilização desta pecuária moderna e de ciclo curto. O Brasil se destaca por possuir o maior rebanho comercial do mundo, 205,9 milhões de cabeças (IBGE, 2006), e uma vasta extensão territorial localizada na região tropical, a qual apresenta alto potencial para produção forrageira. A estratégia de suplementação adequada é aquela que se destina a maximizar o consumo e a digestibilidade da forragem disponível. Este objetivo pode ser atingido através do fornecimento de todos, ou de alguns, nutrientes específicos, os quais permitirão ao animal consumir maior quantidade de matéria seca disponível, e digerir e metabolizar, a forragem ingerida de maneira mais eficiente. Este trabalho tem como objetivo fazer uma revisão sobre as formas de suplementação de bovinos de corte na época da chuva. 2. REVISÃO DE LITERATURA

4 Animais em pastejo durante a estação das águas, normalmente, alcançam ganhos diários de peso médio superiores a 600 gramas. Entretanto, Paulino et al. (2000), têm estabelecido o patamar de 1,3 kg/animal/dia como o limite pelo menos durante o período compreendido entre o início das chuvas e o mês de fevereiro em condições normais de precipitação. Em situações onde o ganho de peso não atinge o patamar estabelecido pelo potencial genético do animal, visualiza-se o uso de alimentação suplementar durante o período das águas. Nesta situação, qualquer tentativa de suplementação deve ser exaustivamente analisada em termos da meta a ser alcançada dentro de um determinado sistema de produção de carne. Apesar do custo do ganho adicional a ser obtido com a suplementação nas águas, isto pode resultar em uma redução considerável no período de engorda do animal, quer seja em pasto ou em confinamento, com possíveis retornos econômicos. Em muitos sistemas de produção de ruminantes na época das águas, que tem como base o uso de pastagens, os nutrientes das forrageiras são suficientes para se obter níveis aceitáveis de desempenho animal. Esse desempenho vai depender muito da espécie que o animal esta pastejando e do manejo do pastejo. As espécies forrageiras tropicais na época da águas apresentam nutrientes em quantidade e qualidade para o desempenho, mas com as irregularidades das chuvas podem ocorrer flutuações no valor nutritivo das pastagens as quais são capazes de influenciar a produção animal (LOPES et al., 1998). Paulino et al. (2003) relatam que mesmo durante o período das águas o conteúdo de nitrogênio (N) nas gramíneas tropicais é geralmente moderado e a taxa de declínio com a maturidade crescente são acentuadas. A suplementação múltipla na época das águas tem sido usada com maior ênfase após o sucesso de seu uso na época seca. Também tem sido usado o argumento de que no período chuvoso, em função do aumento das concentrações protéicas das gramíneas e da alta taxa de degradabilidade ruminal desta fração, haveria um excesso de nitrogênio em relação à disponibilidade de energia. Deste modo, parte do nitrogênio, além de não estar

5 sendo utilizado, estaria consumindo energia para excreção urinária na forma de uréia. A suplementação passa a ter níveis nutricionais diferentes, principalmente menor teor de uréia, devido à mudança sazonal das forrageiras na época das águas em relação à época da seca, com maiores teores de energia, proteína, minerais, vitaminas e digestibilidade (BARBOSA & GRAÇA, 2007). Nessa época os suplementos mais usados são os energéticos com ingredientes protéicos com alto teor de proteína não degradada no rúmen (PNDR) podem ter efeitos benéficos. Andrade & Alcade (1995) sugerem que na época das águas seria conveniente suplementar com proteína de boa qualidade e baixa degradabilidade, mesmo para animais pastejando forragem com elevados níveis de proteína. Desta forma, se no período da seca o objetivo da suplementação protéica é atender os microorganismos ruminais, nas águas esta deverá atender diretamente o animal através de fontes protéicas de baixa degradabilidade ruminal, pois a quantidade de proteína que passa pelo rúmen para ser degradada no abomaso é um fator que contribui para melhorar o desempenho animal. A síntese de proteína microbiana no rúmen atende 60 a 85 % das exigências para mantença, crescimento, gestação e lactação em ruminantes (TIMMERMANS JR. et al., 2000). A produção de N microbiano no rúmen pode ser limitada também pelo suprimento de substratos facilmente fermentescíveis no caso de forragens tropicais; assim pequenas quantidades de grãos, no caso de animais em crescimento, para elevar a quantidade de N microbiano que chega ao intestino delgado pode melhorar a performance do animal. O consumo de energia e proteína do bovino deve ser balanceado para otimizar a fermentação e maximizar a produção de proteína microbial. A relação energia e proteína no rúmen variam de acordo com o sistema de produção, categoria animal, nível de produção, tipo de alimentação. Karges et al. (1992) ao inserirem doses crescentes de proteína não degradável no rúmen de animais que recebiam suplemento energético, obtiveram resposta linear no ganho de peso dos animais e concluíram que

6 proteína a microbiana por si só não foi suficiente para atender as exigências dos animais, limitando o ganho. Porém, Zervoudakis et al. (2000) compararam o desempenho de novilhas recebendo suplementos com fonte de PDR (1030 g/dia) ou PNDR (970 g/dia) durante o período das águas e não encontraram diferença entre os tratamentos. Villela et al. (2006) testando suplementos à base de farelo de soja e farelo de trigo (FSFT), farelo de trigo e uréia (FTU), farelo de algodão 38 % de PB (FA38), farelo de trigo, farelo de algodão 38 % de PB e uréia (FAFTU); todos com 35% de proteína bruta, em animais mestiços holandês-zebu em pastejo de Brachiaria decumbens no período das chuvas, não encontraram efeito da suplementação (500 g/dia) ou da fonte de proteína sobre o fluxo de compostos nitrogenados microbianos ou eficiência microbiana. Marin et al. (2003) encontraram melhor desempenho para animais recebendo suplementação energética em relação à suplementação protéica e mineral durante o período das águas (899, 747, 751 g/animal/dia), respectivamente, porém a suplementação mineral foi a que apresentou melhor resultado econômico. Segundo Poppi & Mclennan, (1995), os tipos de suplementos energéticos para forragens são divididos em três categorias: amido (p.ex., sorgo e cevada), açucares (p.ex., melaço), e fibras (p.ex., polpa de beterraba e abacaxi), sendo que este último são eficientes em captação de amônia, além de apresentarem fibras de alta digestibilidade e baixa proteína, entretanto seu conteúdo de fibra pode ter efeito substitutivo, e preferencialmente deve ser usado em dietas com baixos conteúdos de fibra. Euclides (2000) relata que a importância dos efeitos aditivos e substitutivos é determinada principalmente pela qualidade da forragem, isso porque em forragens de baixa qualidade o consumo não é reduzido significativamente quando o concentrado é fornecido, uma vez que nessas condições a ingestão de forragem já se encontra em níveis baixos; nesse caso, observa-se o efeito aditivo. Se por outro lado a forrageira é de alta qualidade, o fornecimento de concentrado pode promover redução na ingestão de

7 forragem, que é substituída pelo consumo deste. Os efeitos de substituição estão relacionados principalmente com as características qualitativas da forragem e tipo e nível de concentrado suplementar. Detmann et al. (2001) conduzindo experimento com bovinos F1 Limousin x Nelore em pastejo de Brachiaria decumbens durante o período das águas, suplementados com sal mineral (SAL), suplementos à base de milho e farelo de soja, com 20% PB, nos níveis de 1,0 e 2,0 kg/dia (MS1 e MS2), suplementos à base de farelo de trigo e farelo de soja, com 20% PB, nos níveis de 1,0 e 2,0 kg/dia (TS1 e TS2), observaram que o consumo total, de forragem e de FDN foram reduzidos, em média, em 21,2; 33,6 e 28,9%, respectivamente, embora sem efeito significativo, pela suplementação, mostrando a presença de efeito substitutivo; esse efeito tendeu a ser mais acentuado para os suplementos compostos por milho em grão. Hess et al. (1996), ao fornecerem milho ou farelo de trigo a novilhos, durante os meses de chuva, encontraram efeito substitutivo em todos os suplementos e concluíram que, ao fornecerem farelo de trigo e milho em quantidades iguais (0,34% PV), foram observados menores valores de substituição no farelo de trigo, embora, quando ampliado o fornecimento de trigo, para se nivelar ao conteúdo energético do milho, o efeito tenha sido similar. Conforme Caton & Dhuyvetter (1997) fontes energéticas constituídas por fibras prontamente degradáveis, como o farelo de trigo, possuem menor potencial de substituição na suplementação. Góes et al. (2003) avaliando o desempenho de novilhos Nelore em pastejo na época das águas com três tipos de suplementação comerciais: sal mineral (SM), sal proteínado à base de milho, farelo de trigo e uréia (MT) e sal proteínado à base de farelo de trigo e farelo de soja (TS); os animais apresentaram ganhos de peso de 0,60; 0,76; e 0,88 kg/dia e consumo de suplemento de 0,13; 0,23; e 0,20 kg/dia, para SM, TS e MT, respectivamente. Esses autores revelam que a suplementação protéica, no período das águas, apresentou melhor desempenho, quando comparados aos que receberam a suplementação mineral.

8 Paulino et al. (2006) utilizando diferentes formas físicas de soja em suplementos múltiplos para terminação de bovinos ½ Holandês x Zebu em pastejo, no período das águas; os tratamentos consistiram na suplementação (500g/animal/dia) com grão de soja moído (GSM), grão de soja inteiro (GSI) e farelo de soja + milho moído (FSM), e de mistura mineral (controle), observaram que os suplementos GSM, FSM e GSI proporcionaram ganhos adicionais de 143,0; 142,0 e 135,0 g/animal/dia, respectivamente. Os autores concluem que a suplementação com soja proporciona redução do período de terminação de bovinos em pastejo. Lima et al. (2004), trabalhando com novilhos nelore suplementados em pastagens de Brachiaria decumbens durante período das águas, com disponibilidade média de kg MS/ha, testando o fornecimento de 0,0; 0,15; 0,30 e 0,45% do peso vivo dos animais de suplemento a base de milho desintegrado com palha e sabugo (MDPS) casca de café e cama de codorna, observaram ganho médios diários 0,749; 0,734; 0,820 e 0,893 g/dia, respectivamente. Os autores ressaltam que quando se considera a relação receita:despesa, a suplementação mostrou-se economicamente viável em função dos ganhos adicionais conseguidos. Góes et al. (2005) utilizando animais de grupos genéticos diferentes (F1 Santa Gertrudis x Nelore; F1 Simental x Nelore e Nelore) em pastagens de Brachiaria brizantha no período de transição, testando níveis de suplementação de acordo com o peso vivo dos animais, nas quantidades de 0,125; 0,25; 0,5 e 1,0 %PV, mais o grupo controle, que recebia apenas suplementação mineral à vontade; os suplementos foram à base de milho e farelo de soja, com teor de 24% de proteína bruta. Esses autores observaram ganho médio diário de 0,26; 0,47; 0,65; 0,75 e 0,84 kg/dia para os respectivos tratamentos, grupo controle, 0,125; 0,25; 0,5 e 1,0 % PV; e concluíram que a suplementação em níveis crescentes proporcionou maiores ganhos de peso nos níveis de 0,5 e 1,0%, com maior eficiência de uso o suplemento para os níveis de 0,125 e 0,25%.

9 Manella et al. (2002) obtiveram ganhos de peso de 783 g/dia, em pastagens Brachiaria brizantha de durante o período das águas em animais nelores recém desmamados recebendo em média 600 g/dia de concentrado com 43,9% de PB e 73,96% de NDT. Rossi (1995), ao fornecer ração protéica (810 g/dia, 41% PB) associando-se fontes degradáveis e não degradáveis a bovinos Zebu e cruzamentos com raças Européias no período das águas em pastos de Brachiaria brizantha, obteve ganhos médios de 1061 g/dia para os animais suplementados e 725 g/dia para o grupo controle, com mistura mineral. Moraes (2006) trabalhando com animais anelorados em pastagens de Brachiaria decumbens no período de chuva, avaliando o GMD com os seguintes tratamentos: mistura mineral (MM), suplemento de autocontrole (AC) e três freqüências de fornecimento do suplemento (três (3X), cinco (5X) e sete (7X) dias na semana), sendo que no final de sete dias cada animal teve a mesma quantidade de suplemento. O suplemento tinha 40,1% de proteína bruta (PB) e a Brachiaria decumbens 9,97 % de PB. Nesse experimento, os GMD foram de 726; 891; 895; 885 e 892 g/dia para os tratamentos MM, AC, 3X, 5X e 7X, respectivamente. Segundo Moraes (2006) bovinos de corte em pastejo durante o período das águas respondem muito bem a suplementação protéica. Zervoudakis et al., (2001) utilizando novilhos cruzados e suplementação energético/protéico (20% PB) à base de milho e farelo de soja ou farelo de trigo e farelo de soja, no período das águas, não observaram diferenças no desempenho dos animais suplementados e não suplementados mantidos em pastagens de Brachiaria decumbens. A falta de resposta à suplementação nesse trabalho provavelmente se deve às altas disponibilidades de forragem e aos níveis de PB, que foram de 7000 kg/ha e 9% PB, respectivamente. Isso permitiu que os animais selecionassem uma dieta com níveis adequados de nutrientes. Porto et al. (2006) utilizando novilhos ½ Holandês x Zebu sob pastejo, durante o período das águas, avaliaram, além da mistura mineral (T1), os suplementos constituídos de: grão de milho triturado (MT), farelo de algodão

10 (FA), uréia e MM (T2); milho desintegrado com sabugo (MDS), FA, uréia, MM (T3) e milho desintegrado com palha e sabugo (MDPS), FA, uréia e MM (T4); os animais do grupo controle receberam diariamente 60 g/dia de MM, enquanto, para os demais tratamentos foi fornecido 1,0 kg/dia dos suplementos. Os autores concluíram que o uso da suplementação no período das águas pode gerar ganhos adicionais. Contudo, o fornecimento na quantidade de 1 kg de suplementos múltiplos, a base de MT (T2) e MDS (T3) e MDPS (T4), pode causar redução no consumo de matéria seca (MS) e matéria orgânica (MO) de pasto sem alterar o consumo de MS e MO total. Pazdiora et al. (2006) trabalhando com bovinos F1 Nelore X Charolês em pastagem de sorgo AG2501, variedade pastejo, entre janeiro e março, testando os seguintes tratamentos: não suplementados; suplementados a 0,75% do peso vivo (PV) com 100% de farelo de glúten de milho (FGM); suplementados a 0,75% do PV com 33,33% de farelo de arroz desengordurado (FAD) e 66,66% de FGM; suplementados a 0,75% do PV com 66,66% de FAD e 33,33% de FGM e suplementados a 0,75% do PV com 100% de FAD, o ganho médio diário, consumo de matéria seca e o consumo de forragem não sofram influenciados pelos tratamentos. Os autores relatam que o farelo de arroz desengordurado utilizado isoladamente provocou redução no ganho de peso médio diário, provavelmente seja explicado por uma laminite em decorrência de acidose ruminal, já que estes novilhos apresentaram sinais clínicos compatíveis com a enfermidade. Moreira et al. (2003), conduzindo experimento de desempenho com novilhos nelore no final do período das chuvas e início da seca, avaliando o efeito da suplementação protéica (189 g/animal/dia), em comparação ao sal mineral (76g/animal/dia), mantidos em pastagem de grama estrela roxa (Cynodon plectostachyrus Pilger), não observaram diferença no ganho médio diário (GMD) no final das chuvas, os quais foram de 0,76 e 0,73 kg/dia, respectivamente. Os mesmos autores no inicio da estação seca obtiveram diferença no GMD onde a suplementação protéica resultou em maior GMD (0,43 kg/dia), quando comparada à suplementação mineral (0,34 kg/dia).

11 França et al. (2004), Cabral et al. (2005) e Fernandes et al (2005) não observaram benefícios da suplementação no período das chuvas. Tomich et al. (2002) não encontraram diferença nos ganhos de peso de animais suplementados ou não com a mistura múltipla (628 e 599 g/animal/dia), respectivamente, contendo 50% de milho moído durante o período das águas. Segundo Cabral et al. (2005) a suplementação durante o período das águas não tem proporcionado incremento significativo no desempenho dos animais particularmente em condições de elevada oferta de pasto e quando este apresenta um bom valor nutritivo. 3. CONCLUSÃO A produção de animais em pastejo durante o período da chuva, considerando as flutuações na qualidade da forragem, torna-se importante o uso da suplementação alimentar. No entanto, deve-se proceder a essa tecnologia adotando conhecimentos sólidos sobre o assunto, com o intuito de alcançar máxima eficiência técnica e econômica, ou seja, um manejo racional a baixo custo, objetivando máxima lucratividade. Varias são as opções de alimentos disponíveis no mercado. Entretanto, para viabilizar o sucesso da suplementação recomenda-se substituir alimentos convencionais por alimentos alternativos a nível regional ou local, cujos preços são baratos. 4. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS ANDRADE, P; ALCADE, C. R. Nutrição e alimentação de novilho precoce. In: ENCONTRO NACIONAL SOBRE NOVILHO PRECOCE, 1995, Campinas. Anais Campinas: CATI, p BARBOSA, F. A. & GRAÇA, D. S.. Suplementação de bovinos de corte em pastagem na época das águas Disponível em: Acesso em: 20 dez CABRAL, L.S.; COPPEDÊ, C.M., ZERVOUDAKIS, J.T. et al.. Desempenho de bovinos suplementados em pastagens de Panicum maximum cv Tanzânia nas águas. In: 42ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia. Goiânia. Anais... Goiânia, SBZ, 2005 (CD-ROM, Nutrição de Ruminantes).

12 CATON, J.S. & DHUYVETTER, D.V.. Influence of energy supplementation on grazing ruminants: requirements and responses. Journal of Animal Science, 75(2): DETMANN, E.; PAULINO, M. F.; ZERVOUDAKIS, J. T. et al.. Suplementação de Novilhos Mestiços durante a Época das Águas: Parâmetros Ingestivos e Digestivos. Revista Brasileira de Zootecnia, 30(4): , EUCLIDES, V.P.B. Alternativas para intensificação da produção de carne bovina em pastagem. Campo Grande: Embrapa Gado de Corte, p. FERNANDES, L.O.; REIS, R.A.; PAES, J.M.V. et al..suplementação de bovino de corte durante o período das águas manejados em sistema de pastejo rotacionado. In: 42ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia. Goiânia. Anais... Goiânia, SBZ, 2005 (CD-ROM, Nutrição de Ruminantes). FRANÇA, A.F.S.; CARNEIRO, R.B.; ORSINE, G.F. et al.. Suplementação de novilhos nelore em pastagens de Brachiaria brizantha na estação chuvosa. In: 39ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia. Campo Grande. Anais... Campo Grande, SBZ, 2004 (CD-ROM, Nutrição de Ruminantes). GOES, R. H. de T. e B. de; MANCIO, A. B.; LANA, R. de P. et al.. Recria de Novilhos Mestiços em Pastagens de Brachiaria brizantha, com Diferentes Níveis de Suplementação, na Região Amazônica. Desempenho Animal. Revista Brasileira de Zootecnia, v.34, n.5, p , GOES, R. H. de T. e B. de; MANCIO, A. B.; LANA, R. de P. et al.. Desempenho de Novilhos Nelore em Pastejo na Época das Águas: Ganho de Peso, Consumo e Parâmetros Ruminais. Revista Brasileira de Zootecnia, v.32, n.1, p , HESS, B.W.; KRYSL, L.J.; JUDKINS, M.B. et al.. Supplemental corn or wheat bran for steers grazing endophyte-free fescue pasture: effects on live weight gain, nutrient quality, forage intake, particulate and fluid kinetic, ruminal fermentation, and digestion. Journal of Animal Science, 74(5): , IBGE. Diretório de Pesquisa Coordenação da Agropecuária. Pesquisa da Pecuária Municipal, KARGES, K.K.; KLOPFENSTEIN, T.J.; WILKERSON, V.A. et al.. Effects of ruminal degradable protein and escape protein supplements on steers grazing summer native range. Journal of Animal Science, 70(6), p , LIMA, W. D.; REZENDE, C. A. P. de; BAIÃO, A. A. F.. Desempenho de novilhos nelore suplementados em pasto durante época das águas. Ciênc. agrotec., Lavras, v. 28, n. 1, p , jan./fev., LOPES, H.O.S., PEREIRA, E.A., NUNES, I.J., et al. Suplementação de baixo custo para bovinos: mineral e alimentar. Brasília: EMBRAPA-SPI, p. MANELLA, M.Q.; LOURENÇO, A.J.; LEME, P.R. Recria de bovinos Nelore em pastos de Brachiaria brizantha com suplementação protéica ou com acesso a banco de Leucaena leucephala. Desempenho animal. Revista Brasileira de Zootecnia, v.31, n.6, p , MARIN, C. M; ALVES, J. B; BERNARDI, J. R. A. et al. Análise econômica de diferentes níveis de suplementação energético-protéica em relação ao desempenho de bovinos mantidos em pastos de Brachiaria decumbens durante o período das águas. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 40, 2003, Santa Maria. Anais Santa Maria: SBZ, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). MORAES, E.H.B.K. de. Desempenho e exigências de energia, proteína e minerais de bovinos de corte em pastejo, submetidos a diferentes estratégias de suplementação. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, p. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal de Viçosa, MOREIRA, F. B.; PRADO, I. N. do; CECATO, U. et al.. Suplementação com sal mineral proteinado para bovinos de corte mantidos em pastagem de estrela roxa no final do verão. Acta Scientiarum. Animal Sciences, Maringá, v. 25, no. 1, p , PAULINO, M. F.; MORAES, E.H.B.K. DE.; ZERVOUDAKIS, J. T. et al.. Terminação de novilhos mestiços leiteiros sob pastejo, no período das águas, recebendo suplementação com soja. Revista Brasileira de Zootecnia, v.35, n.1, p , 2006.

13 PAULINO, M.F.; MACEDO, T.S.; SALES, M.F.L. et al..suplementação como estratégia de manejo das pastagens. In: Volumosos na produção de ruminantes: Valor alimentício de forragens. Jaboticabal. Anais... p PAULINO, M. F; KABEYA, K. S; VALADADRES FILHO, S. C. et al. Suplementação de Brachiaria decumbens durante o período das águas. In: In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 37, 2000, Viçosa. Anais Viçosa: SBZ, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). PAZDIORA, R. D.; LEITE, D. T.; SILVA, J. H. S. da et al.. Substituição do farelo de glúten de milho por farelo de arroz desengordurado no suplemento de bovinos de corte. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 43. Anais... João Pessoa, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). POPPI, D.P. & McLENNAN, S.R. Protein and energy utilization by ruminant at pasture. Journal of Animal Science, v.73, n.1, p , PORTO, M. O.; PAULINO, M. F.; VALADARES FILHO, S. de C. et al.. Consumo de nutrientes por novilhos mestiços em fase de terminação sob pastejo recebendo milho, sob diferentes formas. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 43. Anais... João Pessoa, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). ROSSI, J.H. Suplementação protéica de bovinos em pastagens de Brachiaria brizantha (Hochst. ex A. Rich) Stapf. cv. Marandu. Jaboticabal: Universidade Estadual Paulista, p. Monografia (Graduação em Zootecnia) Universidade Estadual Paulista, TIMMERMANS JR., S.J.; JOHNSON, L.M.; HARRISON, J.H. Estimation of the flow of microbial nitrogen using milk uric acid or allantoin. Journal Dairy Science, v.83, p , TOMICH, T.R., LOPES H.O.S., PIRES, D.A.A. et al. Suplementação com mistura múltipla contendo uréia como fonte de nitrogênio para bovinos em pastagens de braquiária no período das águas. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 39. Anais... Recife, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). VILLELA, S. D. J.; PAULINO, M. F.; VALADARES, R. F. D. et al.. Fontes de proteína em suplementos múltiplos para bovinos em pastejo no período das águas: eficiência microbiana. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 43. Anais... João Pessoa, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes). ZERVOUDAKIS, J. T.; PAULINO, M. P.; DETMANN, E. et al. Desempenho e características de carcaça de novilhos suplementados no período das águas. Revista Brasileira de Zootecnia, v.30, n.4, p , ZERVOUDAKIS, J. T; PAULINO, M. F; DETMANN, E. Desempenho de novilhas mestiças suplementadas durante o período das águas. In: Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Zootecnia, 37, 2000, Viçosa. Anais Viçosa: SBZ, (CD-ROOM, Nutrição de Ruminantes).

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ...

Quadro 1 Ganho de peso de novilhos (g / cab / d) em pastejo de forrageiras de acordo com a época do ano. ... ... ... Falar em suplementar bovinos de corte, com grãos, nas águas, normalmente é tido como antieconómico. No entanto, sabendo utilizar tal suplementação, é uma alternativa de manejo interessante que pode contribuir

Leia mais

Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto. Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com

Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto. Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com Suplementação de Bovinos de Corte a Pasto Carlos Eduardo Santos Médico Veterinário CRMV SP 4082 carlos-e.santos@dsm.com Sistema brasileiro de produção de carne PASTO 95% da dieta ~200 milhões de cabeças

Leia mais

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas

ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas ARTIGO TÉCNICO Minerthal Pró-águas Suplementação protéica energética no período das águas A bovinocultura de corte brasileira tem sua produção concentrada em sistemas de pastejo e, portanto, dependente

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA

ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA ESTRATÉGIAS DE MANEJO E SUPLEMENTAÇÃO DO PASTO SOBRE CARACTERÍSTICAS DO DOSSEL E DESEMPENHO BIOECONOMICO DE BOVINOS EM RECRIA NA SECA Carlos Alberto Vicente Soares 1 ; Regis Luis Missio 2 1 Aluno do Curso

Leia mais

Suplementação de Bovinos de corte

Suplementação de Bovinos de corte Suplementação de Bovinos de corte Leonardo de Oliveira Fernandes Professor da FAZU Pesquisador da EPAMIG leonardo@epamiguberaba.com.br FAZU/EPAMIG Brasil POTENCIAL DAS PASTAGENS 0,6 a 0,8 kg/bovino/dia

Leia mais

Diferimento de pastagens para animais desmamados

Diferimento de pastagens para animais desmamados Diferimento de pastagens para animais desmamados Marco Antonio Alvares Balsalobre Eng. Agrônomo doutor em Ciência Animal e Pastagens Diretor de Produto da Bellman Nutrição Animal LTDA Mirella Colombo Moscardini

Leia mais

MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE

MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE MODELOS NUTRICIONAIS ALTERNATIVOS PARA OTIMIZAÇÃO DE RENDA NA PRODUÇÃO DE BOVINOS DE CORTE Sebastião de Campos Valadares Filho 1 ; Pedro Veiga Rodrigues Paulino 2 ; Karla Alves Magalhães 2 ; Mário Fonseca

Leia mais

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100),

Custo Unitário do Nutriente (CUN) = A (B 100 x C 100), CÁLCULO DE UM SUPLEMENTO PARA BUBALINOS DE CORTE Para se calcular um suplemento é necessário o conhecimento prévio de quatro fatores: o o o o Composição nutricional da pastagem Consumo da pastagem Identificação

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO

SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL Disciplina: SEMINÁRIOS APLICADOS SUPLEMENTAÇÃO DE REBANHOS DE CRIA E RECRIA DE BOVINOS DE CORTE EM PASTEJO

Leia mais

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE

MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE 1. Introdução MANEJO NUTRICIONAL DE BOVINOS DE CORTE Rogério Marchiori Coan 1 O complexo pecuário brasileiro de corte apresenta diversos pontos de ineficiência, destacando-se a produtividade extremamente

Leia mais

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA

AGROECONÔMICA CONSULTORIA MEIO AMBIENTE E PECUÁRIA PASTAGENS: INTENSIDADE DE MANEJO E ADEQUAÇÃO ESTRATÉGICA. O que mais impressiona na nossa pecuária de corte é a possibilidade de um uso bastante conveniente e de baixo custo das pastagens. O Brasil, um

Leia mais

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA DISSERTAÇÃO Desempenho de Bovinos Submetidos à Suplementação Protéico-Energética em Diferentes Meses da Estação Seca Daniele de Latorre

Leia mais

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS

Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária. Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 1 Manejo de Pastagens e Suplementação na Pecuária Ari José Fernades Lacôrte Engenheiro Agrônomo MS 2 PECUÁRIA NO MUNDO GRAFICO 1: REBANHO MUNDIAL EM 2.008 78,1 17,8 26,5 29,9 51,2 87,0 96,5 138,90 281,9

Leia mais

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE

ÍNDICE MITSUISAL A SUA NOVA OPÇÃO COM QUALIDADE ÍNDICE Suplementos minerais pronto para uso Mitsuisal 40 - Bovinos de corte Mitsuisal 60 - Bovinos de corte Mitsuisal 65 - Bovinos de corte Mitsuisal 80 - Bovinos de corte Mitsuisal 88 - Bovinos de corte

Leia mais

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi.

Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. 0090_mar10 Linha completa de suplementos minerais e proteinados da Guabi. Campinas/SP - 19. 3729 4477 Sales Oliveira/SP - 16. 3852 0011 Pará de Minas/MG - 37. 3231 7300 Além Paraíba/MG - 32. 3466 5555

Leia mais

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS

USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS USO DE CONCENTRADOS PARA VACAS LEITEIRAS Ivan Pedro de O. Gomes, Med.Vet., D.Sc. Professor do Departamento de Zootecnia CAV/UDESC. e-mail: a2ipog@cav.udesc.br A alimentação constitui-se no principal componente

Leia mais

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui.

bovinos de corte A resposta para o X da sua questão está aqui. bovinos de corte A resposta para o da sua questão está aqui. índice Linha Campo Linha PSAI Linha Branca Linha Araguaia Núcleos Rações Linha Phós Aditivos 6 11 12 16 17 21 24 26 2 A Premix está comprometida

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

ARTIGO 240 INTENSIFICAÇÃO DO SISTEMA PRODUTIVO DE BOVINOS DE CORTE: SUPLEMENTAÇÃO Á PASTO

ARTIGO 240 INTENSIFICAÇÃO DO SISTEMA PRODUTIVO DE BOVINOS DE CORTE: SUPLEMENTAÇÃO Á PASTO ARTIGO 240 : SUPLEMENTAÇÃO Á PASTO Enhancing Productive System Of Beef Cattle: Supplement To Pasture Claudio Jonasson Mousquer 1*, Alvair Hoffmann 2, Tiago Adriano Simioni 2, Geferson Antonio Fernandes

Leia mais

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos

Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos FMVZ Unesp Botucatu João Ricardo Ronchesel Henrique Della Rosa Utilização de dietas de alto concentrado em confinamentos Evolução do manejo nutricional

Leia mais

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES

ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES ALIMENTAÇÃO DE CORDEIROS LACTENTES Mauro Sartori Bueno, Eduardo Antonio da Cunha, Luis Eduardo dos Santos Pesquisadores Científicos do Instituto de Zootecnia, IZ/Apta-SAA-SP CP 60, Nova Odessa-SP, CEP

Leia mais

Desempenho de Novilhos Nelore a Pasto no Período das Águas e Terminados em Confinamento

Desempenho de Novilhos Nelore a Pasto no Período das Águas e Terminados em Confinamento 1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos Renato Nascimento Rodrigues Desempenho de Novilhos Nelore a Pasto no Período das Águas e Terminados em Confinamento Pirassununga

Leia mais

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO:

NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. HISTÓRICO E IMPORTANCIA DOS ESTUDOS COM NUTRIÇÃO E ALIMENTAÇÃO: 1750 Europa com o início do processo da Revolução Industrial houve aumento da população nas cidades, com

Leia mais

Daniel da Cunha Peixoto Mateus Leite de Deus Ferreira Pedro Henrique Baeta Fernandes Vinicius Ribeiro Silva

Daniel da Cunha Peixoto Mateus Leite de Deus Ferreira Pedro Henrique Baeta Fernandes Vinicius Ribeiro Silva PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Ciências Biológicas e da Saúde Departamento de Medicina Veterinária Curso de Medicina Veterinária em Betim Daniel da Cunha Peixoto Mateus Leite

Leia mais

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção

O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Leite relatório de inteligência JANEIRO 2014 O uso de concentrado para vacas leiteiras Contribuindo para eficiência da produção Na busca da eficiência nos processos produtivos na atividade leiteira este

Leia mais

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE

O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE 1 O USO DO CREEP FEEDING NA PRODUÇÃO DE GADO DE CORTE Prof. Dr. Antonio Ferriani Branco PhD em Nutrição e Produção de Ruminantes afbranco@uem.br O SISTEMA VACA-BEZERRO Os fatores que afetam mais significativamente

Leia mais

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas

Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Vantagens da integração lavoura-pecuária na recuperação de pastagens degradadas Armindo Neivo Kichel 1 ; José Alexandre Agiova da Costa 1 ; Roberto Giolo de Almeida 1 1 Pesquisador EMBRAPA Gado de Corte,

Leia mais

TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA*

TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA* TAXA DE LOTAÇÃO EM PASTAGEM DE TIFTON 85 SOB MANEJO DE IRRIGAÇÃO E SEQUEIRO NO PERÍODO DA SECA* SENE. G. A. 1 ; JAYME. D. G.²; BARRETO. A. C. 2 ; FERNANDEZ. L. O. 3, OLIVEIRA. A. I. 4 ; BARBOSA. K. A.

Leia mais

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS

USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS USO DO CREEP FEEDING NA CRIAÇÃO DE OVINOS E CAPRINOS José Neuman Miranda Neiva 1, Maria Andréa Borges Cavalcante 2 e Marcos Cláudio Pinheiro Rogério 3 1 Professor do Depto. de Zootecnia da Universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL UNIDERP

UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL UNIDERP UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL UNIDERP ALEXANDRE SCAFF RAFFI DESEMPENHO DE NOVILHOS SUBMETIDOS A DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE SUPLEMENTAÇÃO ALIMENTAR EM PASTAGEM DE

Leia mais

BOI DE CICLO CURTO DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA. Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011

BOI DE CICLO CURTO DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA. Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011 DIA DE CAMPO ESTÂNCIA ANNA SOPHIA Baixada Cuiabana, 17 de junho de 2011 BOI DE CICLO CURTO Adilson de Paula Almeida Aguiar FAZU/CONSUPEC adilson@consupec.com.br (034) 3313-8316/(034) 9972-7838 INTRODUÇÃO

Leia mais

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ Carlos Augusto Oliveira de ANDRADE 1 ; Rubens Ribeiro da SILVA. 1 Aluno do Curso

Leia mais

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: 1415-6938 editora@uniderp.br Universidade Anhanguera Brasil

Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: 1415-6938 editora@uniderp.br Universidade Anhanguera Brasil Ensaios e Ciência: Ciências Biológicas, Agrárias e da Saúde ISSN: 1415-6938 editora@uniderp.br Universidade Anhanguera Brasil de Moraes, André Luís SUPLEMENTAÇÃO DE BOVINOS DE CORTE EM SISTEMA DE PASTEJO

Leia mais

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG

INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA. Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG INTEGRAÇÃO LAVOURA/ PECUÁRIA Wilson José Rosa Coordenador Técnico Estadual de Culturas DEPARTAMENTO TÉCNICO - EMATER-MG - No Brasil o Sistema de Integração Lavoura Pecuária, sempre foi bastante utilizado,

Leia mais

Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte

Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte Manejo e estratégias de suplementação para bovinos de corte Fabiano Alvim Barbosa Médico Veterinário Doutor Produção Animal Professor - Escola de Veterinária - UFMG Setembro, 2012 Alta Floresta - MT ASPECTOS

Leia mais

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica

Cenários. Sistemas de Produção. para a Pecuária de Corte Amazônica Sistemas de Produção Cenários para a Pecuária de Corte Amazônica Centro de Sensoriamento Remoto e Escola de Veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais Aliança da terra Virginia Tech Woods Hole

Leia mais

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Embrapa Gado de Corte. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. ISSN 1517-3747 Julho, 2006 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Gado de Corte Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos 159 Aspectos Práticos da Suplementação Alimentar

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Estratégias de suplementação energética para bovinos em recria em pastagens tropicais durante as águas e seus efeitos na terminação

Leia mais

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot

Sistemas de produção e Índices zootécnicos. Profª.: Valdirene Zabot Sistemas de produção e Índices zootécnicos Profª.: Valdirene Zabot O que é uma CADEIA? É um conjunto de elos onde cada um depende dos demais. Na cadeia de produção da carne e do couro, o bovino é ó elo

Leia mais

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610

EFEITO DA ADUBAÇÃO FOSFATADA SOBRE O RENDIMENTO DE FORRAGEM E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE PASPALUM ATRATUM BRA-009610 REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA - ISSN 1677-0293 P UBLICAÇÃO C IENTÍFICA DA F ACULDADE DE A GRONOMIA E E NGENHARIA F LORESTAL DE G ARÇA/FAEF A NO IV, NÚMERO 08, DEZEMBRO DE 2005. PERIODICIDADE:

Leia mais

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil

Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Universidade de São S o Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Zootecnia Estado Atual e Perspectivas Técnicas T da Pecuária de Corte no Brasil Prof. Dr. Moacyr Corsi Eng Agro.

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização

III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA. EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização III CURSO DE GESTÃO AGROECONÔMICA EM PECUÁRIA DE CORTE: confinamento e terceirização RESULTADOS DO CONFINAMENTO DA COPLACANA EM 2.008 E PERSPECTIVAS PARA O FUTURO Ari José Fernandes Lacôrte Engenheiro

Leia mais

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe)

Proteína: digestibilidade e sua importância na produção. Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Proteína: digestibilidade e sua importância na produção Fabrizio Oristanio (Biruleibe) Introdução Evolução das estimativas protéicas a partir da década de 80 Método fatorial Manutenção Produção Sistemas

Leia mais

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO

APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE LINGO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 8 APLICAÇÃO DA PESQUISA OPERACIONAL AVALIAÇÃO DE FORMULAÇÕES DE RAÇÃO PARA BOVINOS EM CONFINAMENTO UTILIZANDO O SOFTWARE

Leia mais

ESTRATÉGIAS ALIMENTARES NA RECRIA DE BOVINOS NELORE

ESTRATÉGIAS ALIMENTARES NA RECRIA DE BOVINOS NELORE ESTRATÉGIAS ALIMENTARES NA RECRIA DE BOVINOS NELORE Michele Aparecida Prado Alves¹ a ; Flávio Dutra de Resende 2b ; Gustavo Rezende Siqueira 2c ; Matheus Henrique Moretti³ c, Rodolfo Maciel Fernandes³

Leia mais

UNIVERISDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS DE CURITBANOS CURSO DE CIÊNCIAS RURAIS

UNIVERISDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS DE CURITBANOS CURSO DE CIÊNCIAS RURAIS UNIVERISDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS DE CURITBANOS CURSO DE CIÊNCIAS RURAIS ANÁLISE DE CUSTO DIFERENTES REGIMES ALIMENTARES DE BOVINOS DA RAÇA HEREFOD TERMINADOS EM SISTEMA DE CONFINAMENTO E SEMI-CONFINAMENTO

Leia mais

Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado

Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado Análise de Decisão considerando potencial de crescimento como critério de seleção em um rebanho da raça Nelore no Cerrado PAULA, Edson Júnior Heitor de 1 ; MAGNABOSCO, Cláudio de Ulhôa 2 1 Zootecnista,

Leia mais

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo USO DE VIRGINIAMICINA EM BOVINOS NELORE RECEBENDO SAL MINERAL OU PROTEINADO NA ÉPOCA DO VERÃO Michele Aparecida Prado Alves1; Paloma Helena Gonçalves2; Ivanna Moraes de Oliveira3, Gustavo Rezende Siqueira4;

Leia mais

Desempenho de bovinos de corte em pastagem de azevém (Lolium Multiflorum) com ou sem suplementação energética

Desempenho de bovinos de corte em pastagem de azevém (Lolium Multiflorum) com ou sem suplementação energética Desempenho de bovinos de corte em pastagem de azevém (Lolium Multiflorum) com ou sem suplementação energética Steers performance grazing ryegrass (Lolium Multiflorum) with or without energetic supplementation

Leia mais

Suplementação protéico-energética para bovinos criados em pastagens: Aspectos teóricos e principais resultados publicados no Brasil

Suplementação protéico-energética para bovinos criados em pastagens: Aspectos teóricos e principais resultados publicados no Brasil Suplementação protéico-energética para bovinos criados em pastagens: Aspectos teóricos e principais resultados publicados no Brasil Pedro Malafaia, Luciano da Silva Cabral *, Ricardo Augusto Mendonça Vieira

Leia mais

Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE

Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE Universidade Federal de Goiás Escola de Veterinária Depto. De Produção Animal Pós-Graduação em Ciência Animal Metabolismo de Lipídios PEDRO LEONARDO DE PAULA REZENDE Zootecnista Especialista em Produção

Leia mais

Aspectos Relacionados à Terminação de Bovinos de Corte em Confinamento

Aspectos Relacionados à Terminação de Bovinos de Corte em Confinamento 30 Congresso Paranaense de Estudantes de Zootecnia 28 a 31 de outubro de 2009 Maringá, PR. Aspectos Relacionados à Terminação de Bovinos de Corte em Confinamento Luís Carlos Vinhas Ítavo 1, Camila Celeste

Leia mais

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente.

Introdução. Conceitos aplicados a alimentação animal. Produção animal. Marinaldo Divino Ribeiro. Nutrição. Alimento. Alimento. Nutriente. Conceitos aplicados a alimentação animal Introdução Produção animal Marinaldo Divino Ribeiro EMV Depto de Produção ão Animal - UFBA Genética Sanidade Nutrição Alimento Susbstância que, consumida por um

Leia mais

R. Bras. Zootec., v.31, n.6, p.2274-2282, 2002. Marcelo Queiroz Manella 2, Antônio João Lourenço 3, Paulo Roberto Leme 4.

R. Bras. Zootec., v.31, n.6, p.2274-2282, 2002. Marcelo Queiroz Manella 2, Antônio João Lourenço 3, Paulo Roberto Leme 4. Recria de Bovinos Nelore em Pastos de Brachiaria brizantha com Suplementação Protéica ou com Acesso a Banco de Proteína de Leucaena lecocephala. Desempenho Animal Marcelo Queiroz Manella 2, Antônio João

Leia mais

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO

FAZENDA SANTA LUZIA. Maurício Silveira Coelho HISTÓRICO FAZENDA SANTA LUZIA Maurício Silveira Coelho Medico Veterinário CRMV MG 2352 Fazenda Santa Luzia PASSOS/MG E-mail mauricio@josecaboverde.com.br HISTÓRICO Proprietário: José Coelho Vítor e filhos Localização:

Leia mais

EFEITOS DO USO DE CAMA DE FRANGO ASSOCIADA A DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO NO ACÚMULO DE MATÉRIA SECA EM BRACHIARIA BRIZANTHA CV.

EFEITOS DO USO DE CAMA DE FRANGO ASSOCIADA A DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO NO ACÚMULO DE MATÉRIA SECA EM BRACHIARIA BRIZANTHA CV. EFEITOS DO USO DE CAMA DE FRANGO ASSOCIADA A DIFERENTES DOSES DE NITROGÊNIO NO ACÚMULO DE MATÉRIA SECA EM BRACHIARIA BRIZANTHA CV. MARANDU Vilela, L.A.F.³; Portugal, A.F.²*; Carballal, M.R¹; Ribeiro, D.O.³,

Leia mais

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013

Nutrição e alimentação de ovinos. Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 Nutrição e alimentação de ovinos Profª Drª Alda Lúcia Gomes Monteiro 2013 EXIGÊNCIAS NUTRICIONAIS PARA OVINOS Tabelas de Exigências Nutricionais: NRC 1985 Primeira tabela de exigências nutricionais para

Leia mais

Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo

Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo Inclusão de bagaço de cana de açúcar na alimentação de cabras lactantes: desempenho produtivo José Maria de OLIVEIRA Júnior 1 ; Gian Nascimento 2 ; Rafael Mendonça de Carvalho ² ; Wanderson Bahia Paulineli²;

Leia mais

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com

(67) 3471-1173 / (67) 9643-1999 e-mail: agro.neri@hotmail.com Inscrição CNPJ.: 18.603.382/0001-03 - Inscrição Estadual: 28.389.383-4 VIABILIDADE DE IRRIGAÇÃO X BOVINOCULTURA DE CORTE A distribuição de água de maneira artificial em pastagens por meio de irrigação

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA

FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA E ZOOTECNIA MANEJO ALIMENTAR DE CORDEIROS MARIANNA MIETTO MENDES 3 ZOOTECNIA INTRODUÇÃO Mercado; Período de aleitam

Leia mais

ISSN 0104-9046 Setembro, 2005. Padrões de Desempenho e Produtividade Animal para a Recria-Engorda de Bovinos de Corte no Acre

ISSN 0104-9046 Setembro, 2005. Padrões de Desempenho e Produtividade Animal para a Recria-Engorda de Bovinos de Corte no Acre CGPE 5315 ISSN 0104-9046 Setembro, 2005 98 Padrões de Desempenho e Produtividade Animal para a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro de Pesquisa Agroflorestal do Acre Ministério da Agricultura,

Leia mais

(NUTROESTE URÉIA PLUS)

(NUTROESTE URÉIA PLUS) O SEU BOI DÁ LUCRO? No Brasil, a atividade pecuária existe há centenas de anos, alternando períodos de lucratividade alta com outros de baixa rentabilidade. Há neste momento uma crise gerada por vários

Leia mais

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela

Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela 199 Trigo não é somente para alimentar o homem Renato Serena Fontaneli Leo de J.A. Del Duca Aimportância do trigo pode ser aquilatada pela posição ocupada como uma das culturas mais importantes para alimentar

Leia mais

Energy Sources in Multiple Supplements of Self-Feed of Growing Crossbred Steers at Pastures of Brachiaria Decumbens in Wet Season

Energy Sources in Multiple Supplements of Self-Feed of Growing Crossbred Steers at Pastures of Brachiaria Decumbens in Wet Season R. Fontes Bras. de Zootec., Energia em v.34, Suplementos n.3, p.957-962, Múltiplos de 2005 Auto-Regulação de Consumo na Recria de Novilhos Mestiços... 957 Fontes de Energia em Suplementos Múltiplos de

Leia mais

MANIPULAÇÃO DE DIETAS EM CONFINAMENTO

MANIPULAÇÃO DE DIETAS EM CONFINAMENTO MANIPULAÇÃO DE DIETAS EM CONFINAMENTO Flávio Augusto Portela Santos Depto. de Zootecnia ESALQ/USP ABATES ASSISTIDOS: ASSOCON 2006-2007 Total de animais: Machos: Fêmeas: 193.664 cab 177.966 cab 15.698 cab

Leia mais

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL

ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL ATUAL SITUAÇÃO DA PECUÁRIA DE CORTE NO BRASIL Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes NUTRIR FCA-UNESP-FMVZ INTRODUÇÃO CONCEITOS BÁSICOS CENÁRIO DADOS MERCADO DO BOI CONSIDERAÇÕES FINAIS CONCEITOS BÁSICOS

Leia mais

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO

MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO AZ042 Bovinocultura de Leite Aula 09 MANEJO E ALIMENTAÇÃO DE VACAS EM LACTAÇÃO Prof. Rodrigo de Almeida Ciclo de Produção - Curva de Lactação - Consumo de Matéria Seca - Escore de Condição Corporal - Desenvolvimento

Leia mais

Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense

Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense Produção sustentável de grãos e carne bovina na região do Bolsão-Sul-Mato-Grossense Ademir H. Zimmer Júlio Salton Armindo N. Kichel Engº. Agrsº. Pesquisadores Embrapa Gado de Corte e Agropecuária Oeste

Leia mais

RESUMO SUMMARY 1. INTRODUÇÃO

RESUMO SUMMARY 1. INTRODUÇÃO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN 1679-7353 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 2 JANEIRO DE 2004 ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Adubaçã. ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens. (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems)

Adubaçã. ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens. (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems) Adubaçã ção o potássica em sistemas intensivos de manejo de pastagens (Potash Fertilization in Intensive Pastures Management Systems) Alberto C. de Campos Bernardi Pecuária brasileira: 220 milhões de hectares

Leia mais

II SIMBOV II Simpósio Matogrossense de Bovinocultura de Corte

II SIMBOV II Simpósio Matogrossense de Bovinocultura de Corte Associação pasto-confinamento na produção intensiva de carne bovina Gustavo Rezende Siqueira 1 ; Matheus Henrique Moretti 2 ; Rodolfo Maciel Fernandes 2 ; Marcella de Toledo Piza Roth 3 ; Flávio Dutra

Leia mais

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO ELEVADO VALOR NUTRITIVO DE CEREAIS DE INVERNO NA PRODUÇÃO DE RUMINANTES

VANTAGENS E DESVANTAGENS DO ELEVADO VALOR NUTRITIVO DE CEREAIS DE INVERNO NA PRODUÇÃO DE RUMINANTES VANTAGENS E DESVANTAGENS DO ELEVADO VALOR NUTRITIVO DE CEREAIS DE INVERNO NA PRODUÇÃO DE RUMINANTES Sérgio O. Juchem 1, João Carlos Pinto Oliveira 2, Renato Serena Fontaneli 3 A aveia preta é uma alternativa

Leia mais

Recria de bovinos de corte

Recria de bovinos de corte Recria de bovinos de corte Professor: Fabiano Alvim Barbosa Disciplina: Bovinocultura de Corte Sistema de Recria Novilhos são recriados para engorda ou Touros (seleção genética) Novilhas são recriadas

Leia mais

Introdução. Leandro Sâmia Lopes (1), Adauto Ferreira Barcelos (2), Paulo César de Aguiar Paiva (3) (1) Bolsista BIC FAPEMIG/EPAMIG;

Introdução. Leandro Sâmia Lopes (1), Adauto Ferreira Barcelos (2), Paulo César de Aguiar Paiva (3) (1) Bolsista BIC FAPEMIG/EPAMIG; APROVEITAMENTO DO RESÍDUO DE BATATA (SOLANUM TUBEROSUM L.) NAS FORMAS DE RASPA DESIDRATADA E ENSILADA COM CAPIM-ELEFANTE, NA ALIMENTAÇÃO DE BOVINOS. I-AVALIAÇÃO DA SILAGEM DE CAPIM-ELEFANTE COM DIFERENTES

Leia mais

PRODUÇÃO MÉDIA DE LEITE DE VACAS GIROLANDO MANTIDAS EM PASTEJO ROTACIONADO DE TIFTON 85 COM E SEM IRRIGAÇÃO NO PERÍODO CHUVOSO*

PRODUÇÃO MÉDIA DE LEITE DE VACAS GIROLANDO MANTIDAS EM PASTEJO ROTACIONADO DE TIFTON 85 COM E SEM IRRIGAÇÃO NO PERÍODO CHUVOSO* PRODUÇÃO MÉDIA DE LEITE DE VACAS GIROLANDO MANTIDAS EM PASTEJO ROTACIONADO DE TIFTON 85 COM E SEM IRRIGAÇÃO NO PERÍODO CHUVOSO* OLIVEIRA, A.I.¹; JAYME, D.G.²; BARRETO, A.C. 3 ; FERNANDES, L.O. 4 ; SENE,

Leia mais

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP

PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP PLANTIO DE MILHO COM BRAQUIÁRIA. INTEGRAÇÃO LAVOURA PECUÁRIA - ILP Autores: Eng.º Agr.º José Alberto Ávila Pires Eng.º Agr.º Wilson José Rosa Departamento Técnico da EMATER-MG Trabalho baseado em: Técnicas

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DO DESEMPENHO DE BOVINOS POR MEIO DA SUPLEMENTAÇÃO À PASTO

OTIMIZAÇÃO DO DESEMPENHO DE BOVINOS POR MEIO DA SUPLEMENTAÇÃO À PASTO OTIMIZAÇÃO DO DESEMPENHO DE BOVINOS POR MEIO DA SUPLEMENTAÇÃO À PASTO Joanis Tilemahos Zervoudakis 1, Lilian Chambo Rondena Pesqueira Silva 2, Renata Pereira da Silva 2, Antônio José Neto 2, Jefferson

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA AVALIAÇÃO DE DIFERENTES CUSTOS DE ALIMENTAÇÃO PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM SISTEMA DE CONFINAMENTO E SEMI-CONFINAMENTO JEAN FELIPE

Leia mais

EFEITOS DE DIFERENTES NÍVEIS DE RESÍDUO DE PRÉ-LIMPEZA DE SOJA (G. MAX ), SOBRE O GANHO DE PESO DE BOVINOS CONFINADOS

EFEITOS DE DIFERENTES NÍVEIS DE RESÍDUO DE PRÉ-LIMPEZA DE SOJA (G. MAX ), SOBRE O GANHO DE PESO DE BOVINOS CONFINADOS 65 Efeitos de diferentes níveis de resíduo de pré-limpeza de soja (G. Max) sobre o...] 2004 (E) Silvio de Paula Mello, Andréa Bueno, Marcelo Garcia Macedo EFEITOS DE DIFERENTES NÍVEIS DE RESÍDUO DE PRÉ-LIMPEZA

Leia mais

TERMINAÇÃO DE BOVINOS À PASTO

TERMINAÇÃO DE BOVINOS À PASTO i UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS ESCOLA DE VETERINÁRIA E ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA ANIMAL SEMINÁRIOS APLICADOS TERMINAÇÃO DE BOVINOS À PASTO Flávia Martins de Souza Orientador: Dr.

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Processamento de milho e sorgo um foco para reconstituição Juliana Sávia da Silva 1, Ana Luiza Costa Cruz Borges 2, Alessander Rodrigues Vieira

Leia mais

Suplementação da dieta de bovinos de corte como estratégia do manejo das pastagens. Supplementation of beef cattle as strategy of pasture management

Suplementação da dieta de bovinos de corte como estratégia do manejo das pastagens. Supplementation of beef cattle as strategy of pasture management Revista Brasileira de Zootecnia ISSN 1516-3598 (impresso) ISSN 1806-9290 (on-line) www.sbz.org.br R. Bras. Zootec., v.38, p.147-159, 2009 (supl. especial) Suplementação da dieta de bovinos de corte como

Leia mais

XXV CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2015 Dimensões Tecnológica e Sociais da Zootecnia

XXV CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2015 Dimensões Tecnológica e Sociais da Zootecnia XXV CONGRESSO BRASILEIRO DE ZOOTECNIA ZOOTEC 2015 Dimensões Tecnológica e Sociais da Zootecnia Fortaleza CE, 27 a 29 de maio de 2015 SUPLEMENTAÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE MANEJO DE PASTAGENS DE CAPINS TROPICAIS

Leia mais

Curso RLM 2013 Gado de Corte

Curso RLM 2013 Gado de Corte Curso RLM 2013 Gado de Corte Programa de Formulação de Rações de Lucro Máximo Patrocinador Introdução Desenvolvido na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" ESALQ, USP, Piracicaba, sob a coordenação

Leia mais

FATORES A CONSIDERAR SOBRE A PRODUÇÃO DE LEITE A PASTO FACTORS TO CONSIDER ABOUT MILK PRODUCTION ON PASTURE

FATORES A CONSIDERAR SOBRE A PRODUÇÃO DE LEITE A PASTO FACTORS TO CONSIDER ABOUT MILK PRODUCTION ON PASTURE 73 FATORES A CONSIDERAR SOBRE A PRODUÇÃO DE LEITE A PASTO Haroldo Wilson da Silva 1 RESUMO Nessa revisão, abordamos discussões que permeiam questões relacionadas há alguns fatores a considerar sobre a

Leia mais

PRODUÇÃO, UTILIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DO FENO

PRODUÇÃO, UTILIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DO FENO 163 PRODUÇÃO, UTILIZAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DO FENO FURLANETTI, Alessandra Carla 1 BRAMBILLA, Everton 2 Resumo: Este artigo teve como objetivo refletir sobre a obtenção da forragem desidratada de alta qualidade

Leia mais

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO

EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE PRÓBIÓTICOS EM DIETAS PARA BOVINOS NELORE TERMINADOS EM CONFINAMENTO INTRODUÇÃO Aditivos alimentares são utilizados em dietas para bovinos de corte em confinamento com o objetivo

Leia mais

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo

Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP) de Corte da Embrapa Milho e Sorgo Ramon C. Alvarenga¹ e Miguel M. Gontijo Neto¹ Pesquisadores da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas-MG) A Embrapa Milho e Sorgo

Leia mais

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE

SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE SeGurança para produzir mais e melhor! Programa Qualidade Total: SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Autor: Eng. Agr., Dr. Mikael Neumann Ano: 2009 SILAGEM DE MILHO DE ALTA QUALIDADE Mikael Neumann 1 1

Leia mais

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13

artigos 92 Revista UFG / Dezembro 2012 / Ano XIII nº 13 artigos INTEGRAÇÃO LAVOURA-PECUÁRIA-FLORESTA: ALTERNATIVA PARA INTENSIFICAÇÃO DO USO DA TERRA Lourival Vilela 1, Geraldo B. Martha Jr 2, Robélio Leandro Marchão 3 1. Pesquisador da Embrapa Cerrados. E-mail:

Leia mais

SUPLEMENTOS MÚLTIPLOS PARA RECRIA E ENGORDA DE BOVINOS EM PASTEJO

SUPLEMENTOS MÚLTIPLOS PARA RECRIA E ENGORDA DE BOVINOS EM PASTEJO SUPLEMENTOS MÚLTIPLOS PARA RECRIA E ENGORDA DE BOVINOS EM PASTEJO Mário Fonseca Paulino 1, Edenio Detmann 2, Joanis Tilemahos Zervoudakis 2 1 D.S. Professor UFV - Bolsista CNPq, 2 Doutourando UFV-Bolsista

Leia mais

Aditivos nutricionais e Fontes de nitrogênio não protéico no suplemento para recria de novilhos Nelore em pastagens

Aditivos nutricionais e Fontes de nitrogênio não protéico no suplemento para recria de novilhos Nelore em pastagens 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 Aditivos nutricionais e Fontes de nitrogênio não protéico no suplemento para recria de novilhos Nelore em

Leia mais

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br

Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br Med. Vet. Avelino Murta avelino@biocampomg.com.br QUEM SOMOS Localizada em Montes Claros, norte de Minas Gerais, a BIOCAMPO Assistência Veterinária foi fundada em 2010 e atua na área de Reprodução Bovina.

Leia mais

A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina

A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina ISSN 1516-4111X A raça Canchim em cruzamentos para a produção de carne bovina 36 São Carlos, SP Dezembro, 2004 Autor Pedro Franklin Barbosa Eng. Agr., Dr., Pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste, Rod.

Leia mais