Interação Humano-Computador

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Interação Humano-Computador"

Transcrição

1 Interação Humano-Computador IHC_Cap_00.indd i 15/7/ :32:00

2 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier Editora. Consulte também nosso catálogo completo e últimos lançamentos em IHC_Cap_00.indd ii 15/7/ :32:01

3 Simone Diniz Junqueira Barbosa Bruno Santana da Silva Interação Humano-Computador IHC_Cap_00.indd iii 15/7/ :32:01

4 IHC_Cap_00.indd iv 15/7/ :32:01

5 IHC_Cap_00.indd v 15/7/ :32:01

6 2010, Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei no 9.610, de 19/02/1998. Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia por escrito da editora, poderá ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrônicos, mecânicos, fotográficos, gravação ou quaisquer outros. Copidesque: Adriana Araújo Kramer Revisão: Marco Antônio Corrêa Elsevier Editora Ltda. Conhecimento sem Fronteiras Rua Sete de Setembro, º andar Centro Rio de Janeiro RJ Brasil Rua Quintana, 753 8º andar Brooklin São Paulo SP Serviço de Atendimento ao Cliente ISBN Nota: Muito zelo e técnica foram empregados na edição desta obra. No entanto, podem ocorrer erros de digitação, impressão ou dúvida conceitual. Em qualquer das hipóteses, solicitamos a comunicação ao nosso Serviço de Atendimento ao Cliente, para que possamos esclarecer ou encaminhar a questão. Nem a editora nem o autor assumem qualquer responsabilidade por eventuais danos ou perdas a pessoas ou bens, originados do uso desta publicação. B212i CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ Barbosa, Simone Diniz Junqueira Interação humano-computador / Simone Diniz Junqueira Barbosa, Bruno Santana da Silva. Rio de Janeiro: Elsevier, il. - (Série SBC, Sociedade Brasileira de Computação) Inclui bibliografia ISBN Interação homem-máquina. 2. Informática - Aspectos sociais. 3. Tecnologia - Aspectos sociais. 4. Comunicação e tecnologia. 5. Tecnologia da informação. I. Barbosa, Simone D. J. (Simone Diniz Junqueira). II. Sociedade Brasileira de Computação. III. Título. IV. Série CDD: CDU: IHC_Cap_00.indd vi 15/7/ :32:02

7 Aos meus filhos, Gabriel e Eduardo. S. D. J. Barbosa À minha família. B. S. da Silva IHC_Cap_00.indd vii 15/7/ :32:02

8 IHC_Cap_00.indd viii 15/7/ :32:02

9 Agradecimentos Muitas pessoas contribuíram para tornar este livro uma realidade. Somos afortunados por termos ao nosso redor pesquisadores e profissionais altamente qualificados, alunos interessados e motivados, amigos e familiares queridos. Este livro não existiria se não fosse nossa eterna professora e amiga, Clarisse Sieckenius de Souza, que nos despertou o interesse pela área de IHC e sempre nos apoia e nos motiva a aprender mais e a contribuir mais para a área. Interação Humano Computador no Brasil não seria a mesma sem seu pioneirismo e seriedade. Somos gratos a diversas pessoas com quem colaboramos ao longo de todos os nossos anos de atuação na área: a Carla Faria Leitão, Elton José Silva, Jair Cavalcanti Leite, Milene Selbach Silveira, Raquel Oliveira Prates, Sérgio Roberto Pereira da Silva e todos aqueles que passaram pelo Semiotic Engineering Research Group (SERG). Alunos que deveriam aprender conosco muito nos ensinaram. Gostaríamos de agradecer aos egressos do SERG e do Departamento de Informática da PUC-Rio: Adéle, Ana Carolina, André Luiz, Andréia, Ariane, Clarissa, Gilda, Gustavo, Hildebrando, José Eurico, Luciana, Maíra, Marcus, Otávio, Rafael, Rodrigo, Sandra, Sílvia, Thaís, Ugo, Vinícius e Viviane. IHC_Cap_00.indd ix 15/7/ :32:02

10 Agradecemos ao Departamento de Informática da PUC-Rio, que sempre apoiou a área de IHC, firmando seu pioneirismo ao oferecer várias disciplinas de graduação e pós-graduação há mais de uma década e ao reconhecer IHC como uma área de pesquisa legítima, ainda enquanto a área era pouco difundida no país. Nossos pais, Marleny, Carlos, Lélia e Oriovaldo, são grandes responsáveis pelos nossos méritos e por tudo o que alcançamos. Durante os longos meses de pesquisa e redação deste livro, nossos familiares e amigos nos apoiaram incondicionalmente. A todo tempo sentimos sua carinhosa presença, apesar do isolamento e da privação do convívio que esse tipo de empreitada exige dos autores. Luís Fernando, Gabriel, Eduardo, Kamila: este livro também é de vocês. Finalmente, gostaríamos de agradecer novamente a Clarisse Sieckenius de Souza e a Vinícius Costa Villas Bôas Segura pela revisão de partes deste livro, a Antonio Luz Furtado, pela sua colaboração no design da capa, e à equipe editorial da Campus/ Elsevier, pela sua dedicação e apoio ao longo de toda essa jornada. S.D.J. Barbosa & B.S. da Silva Rio de Janeiro, junho de 2010 IHC_Cap_00.indd x 15/7/ :32:02

11 Prefácio Em 2006, um Grupo de Trabalho se reuniu no Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais, IHC 2006, em Natal, para discutir o currículo de Interação Humano Computador (IHC) nas universidades brasileiras (Silveira e Prates, 2007). Visando apoiar aulas de graduação de IHC em cursos de Ciência da Computação, Sistemas de Informação e Engenharia de Computação, tomamos como base o currículo recomendado pelo GT para selecionar o conteúdo incluído neste livro, apoiados pela nossa própria experiência em lecionar disciplinas de IHC por diversos semestres. Sabemos que não é viável abordar todos os aspectos de uma área de conhecimento ampla e multidisciplinar como IHC em um único livro. Além disso, reconhecemos que nem todas as universidades incluem mais de uma disciplina de IHC em suas grades curriculares. Objetivamos então elaborar um livro-texto como material didático de apoio a um curso de introdução à IHC com a duração de um semestre. Além do apoio a aulas de graduação, incluímos material de cunho prático, a fim de que o livro possa ser utilizado também por profissionais que precisem incorporar atividades de IHC em sua prática de trabalho. Os autores podem ser contatados pelo IHC_Cap_00.indd xi 15/7/ :32:02

12 IHC_Cap_00.indd xii 15/7/ :32:02

13 Sumário Capítulo 1 Introdução O Impacto das Tecnologias de Informação e Comunicação no Cotidiano Diferentes Visões sobre a Construção de Sistemas Interativos Objetos de Estudo em IHC IHC como Área Multidisciplinar Benefícios de IHC...13 Capítulo 2 Conceitos Básicos Interface, Interação e Affordance Interação Interface Affordance Qualidade em IHC Usabilidade e Experiência de Usuário Acessibilidade Comunicabilidade...36 IHC_Cap_00.indd xiii 15/7/ :32:02

14 Capítulo 3 Abordagens Teóricas em IHC Introdução Psicologia Experimental Lei de Hick-Hyman Lei de Fitts Psicologia Cognitiva Aplicada Processador Humano de Informação Princípios de Gestalt Percepção de Cores Engenharia Cognitiva Abordagens Etnometodológicas Análise da Conversação Comunicação Usuário Sistema Estudos Etnometodológicos de IHC Teoria da Atividade Princípios da Teoria da Atividade Contradição e Aprendizado Teoria da Atividade em IHC Cognição Distribuída Engenharia Semiótica Semiótica: Signo, Significação, Comunicação e Semiose Sistema Computacional Interativo como Artefato Intelectual Espaço de Design de IHC Comparação com o Design Centrado no Usuário...88 Capítulo 4 Processos de Design de IHC O Que é Design? Perspectivas de Design Processos de Design de IHC Ciclo de Vida em Estrela Engenharia de Usabilidade de Nielsen Engenharia de Usabilidade de Mayhew IHC_Cap_00.indd xiv 15/7/ :32:02

15 4.3.4 Design Contextual Design Baseado em Cenários Design Dirigido por Objetivos Design Centrado na Comunicação Integração das Atividades de IHC com Engenharia de Software Métodos Ágeis e IHC Capítulo 5 Identificação de Necessidades dos Usuários e Requisitos de IHC Introdução Que Dados Coletar? De Quem Coletar Dados? Aspectos Éticos de Pesquisas Envolvendo Pessoas Como Coletar Dados dos Usuários? Entrevistas Questionários Grupos de Foco Brainstorming de Necessidades e Desejos dos Usuários Classificação de Cartões Estudos de Campo Investigação Contextual Capítulo 6 Organização do Espaço de Problema Perfil de Usuário Personas Cenários Análise de Tarefas Análise Hierárquica de Tarefas GOMS (Goals, Operators, Methods, and Selection Rules) Árvores de Tarefas Concorrentes (ConcurTaskTrees CTT) IHC_Cap_00.indd xv 15/7/ :32:02

16 Capítulo 7 Design de IHC Introdução Cenários de Interação Design Centrado na Comunicação Mapa de Objetivos dos Usuários Esquema Conceitual de Signos: Conteúdo (Parte I) Prevenção e Recuperação de Rupturas Comunicativas Modelagem de Tarefas Modelagem da Interação Design da Interface Estilos de Interação Representações da Interface com Usuário Da Interação como uma Conversa para o Design da Interface Esquema Conceitual de Signos: Expressão (Parte II) Projeto do Sistema de Ajuda Desafios de Design de Sistemas Adaptáveis e Adaptativos Capítulo 8 Princípios e Diretrizes para o Design de IHC Introdução Princípios e Diretrizes Gerais Correspondência com as Expectativas dos Usuários Simplicidade nas Estruturas das Tarefas Equilíbrio entre Controle e Liberdade do Usuário Consistência e Padronização Promovendo a Eficiência do Usuário Antecipação Visibilidade e Reconhecimento Conteúdo Relevante e Expressão Adequada Projeto para Erros Padrões de Design de IHC Guias de Estilo IHC_Cap_00.indd xvi 15/7/ :32:02

17 Capítulo 9 Planejamento da Avaliação de IHC Por que Avaliar? O que Avaliar? Quando Avaliar o Uso de um Sistema? Onde Coletar Dados sobre Experiências de Uso? Que Tipos de Dados Coletar e Produzir? Qual Tipo de Método de Avaliação Escolher? Como Avaliar? Por Onde Começar? Preparação Coleta de Dados Interpretação Consolidação e Relato dos Resultados O Framework DECIDE Capítulo 10 Métodos de Avaliação de IHC Avaliação de IHC através de Inspeção Avaliação Heurística Percurso Cognitivo Método de Inspeção Semiótica Avaliação de IHC através de Observação Teste de Usabilidade Método de Avaliação de Comunicabilidade Prototipação em Papel Resumo Comparativo dos Métodos de Avaliação Referências Bibliográficas Índice Remissivo IHC_Cap_00.indd xvii 15/7/ :32:02

18 IHC_Cap_00.indd xviii 15/7/ :32:02

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier.

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Lei_Resp_Fiscal_Book.indb i 04/05/2012 15:51:48 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também nosso

Leia mais

Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação

Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também

Leia mais

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier.

Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também nosso catálogo completo, últimos lançamentos e serviços

Leia mais

Como organizar sua vida financeira

Como organizar sua vida financeira Como organizar sua vida financeira Preencha a ficha de cadastro no fi nal deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Editora Campus/Elsevier. Consulte também

Leia mais

Construindo uma indústria nacional de petróleo offshore. A experiência da Noruega

Construindo uma indústria nacional de petróleo offshore. A experiência da Noruega Construindo uma indústria nacional de petróleo offshore A experiência da Noruega Construindo uma indústria nacional de petróleo offshore A experiência da Noruega Helge Ryggvik Tradução de Edson Furmankiewicz

Leia mais

engenharia_producao.indb 1 23/08/2013 09:00:25

engenharia_producao.indb 1 23/08/2013 09:00:25 engenharia_producao.indb 1 23/08/2013 09:00:25 engenharia_producao.indb 2 23/08/2013 09:00:26 engenharia_producao.indb 3 23/08/2013 09:00:26 2013, Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados e

Leia mais

Arquivologia_para_concurso.indb 1 27/02/2013 11:24:56

Arquivologia_para_concurso.indb 1 27/02/2013 11:24:56 Arquivologia_para_concurso.indb 1 27/02/2013 11:24:56 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também

Leia mais

Introdução à Programação Orientada a Objetos com C++ Antonio Mendes da Silva Filho

Introdução à Programação Orientada a Objetos com C++ Antonio Mendes da Silva Filho Introdução à Programação Orientada a Objetos com C++ Antonio Mendes da Silva Filho introd_00.indd 1 12/4/2010 10:30:04 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações

Leia mais

Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia

Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia Guyton & Hall Perguntas e Respostas em Fisiologia 2 a Edição John E. Hall, PhD Arthur C. Guyton Professor and Chair Associate Vice Chancellor for Research

Leia mais

Consulte também nosso catálogo completo e últimos lançamentos em www.campus.com.br

Consulte também nosso catálogo completo e últimos lançamentos em www.campus.com.br Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Editora Campus/Elsevier. Consulte também nosso catálogo completo e últimos lançamentos

Leia mais

Falso Olho Provisório (para ser substituído) Planos de Negócios que Dão Certo

Falso Olho Provisório (para ser substituído) Planos de Negócios que Dão Certo Falso Olho Provisório (para ser substituído) Planos de Negócios que Dão Certo Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da

Leia mais

Estruturas de Dados com Jogos

Estruturas de Dados com Jogos Estruturas de Dados com Jogos C0075.indd i 27/05/14 4:50 PM C0075.indd ii 27/05/14 4:50 PM Estruturas de Dados com Jogos Roberto Ferrari Marcela Xavier Ribeiro Rafael Loosli Dias Maurício Falvo C0075.indd

Leia mais

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade

Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Relato das experiências da área de IHC nos cursos de graduação e ações na universidade Isabela Gasparini, Avanilde Kemczinski Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) Motivação IHC está relacionada

Leia mais

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas

Análise de Tarefas. Análise Hierárquica de Tarefas Análise de Tarefas Em IHC, a análise de tarefas pode ser utilizada em diferentes momentos do desenvolvimento de software, destacando-se três atividades: (a) análise da situação atual (apoiada ou não por

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013

Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n o 72/2013 SériE Atualização Legislativa Os novos direitos dos empregados domésticos: análise da Emenda Constitucional n

Leia mais

Processos de Design de IHC (Parte II)

Processos de Design de IHC (Parte II) Interface Homem/Máquina Aula 8 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-00.184 Roteiro da Aula de Hoje

Leia mais

Introdução à Ciência da Computação com Jogos

Introdução à Ciência da Computação com Jogos Introdução à Ciência da Computação com Jogos Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Elsevier. Consulte também nosso

Leia mais

Organização do Espaço do Problema (Parte II)

Organização do Espaço do Problema (Parte II) Interface Homem/Máquina Aula 11 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-00.184 Roteiro da Aula de

Leia mais

ESTUDO AVALIATIVO DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE APLICADO AO AMBIENTE WEB.

ESTUDO AVALIATIVO DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE APLICADO AO AMBIENTE WEB. ESTUDO AVALIATIVO DE ACESSIBILIDADE E USABILIDADE APLICADO AO AMBIENTE WEB. Rogério Albuquerque Ribeiro, Claudete Werner Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí - PR - Brasil albuquerque.rogerio@icloud.com

Leia mais

Finanças Públicas Para Concursos

Finanças Públicas Para Concursos Finanças Públicas Para Concursos Teoria e questões comentadas livro_financas_publicas.indb 1 05/09/2013 15:58:51 livro_financas_publicas.indb 2 05/09/2013 15:58:51 SÁVIO NASCIMENTO Finanças Públicas Para

Leia mais

INGLÊS 1000 Questões com Gabarito Comentado

INGLÊS 1000 Questões com Gabarito Comentado INGLÊS 1000 Questões com Gabarito Comentado cap_0.indd 1 27/10/2011 11:48:53 Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da

Leia mais

FAIN FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO

FAIN FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO FACULDADE INDEPENDENTE DO NORDESTE COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO VITÓRIA DA CONQUISTA 2007 COMPOSIÇÃO INSTITUCIONAL

Leia mais

Regimento Interno da Biblioteca Central Zila Mamede

Regimento Interno da Biblioteca Central Zila Mamede MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE SISTEMA DE BIBLIOTECAS DA UFRN BIBLIOTECA CENTRAL ZILA MAMEDE Regimento Interno da Biblioteca Central Zila Mamede Natal RN 2013 UNIVERSIDADE

Leia mais

Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces

Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces Regulamento Interno da Farmácia Escola de Dispensação de Medicamentos do Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Asces Caruaru-PE 2014 REGULAMENTO INTERNO DA FARMÁCIA ESCOLA DE DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS

Leia mais

Capítulo 2 Usabilidade... 24 2.1 Definição de usabilidade... 25 2.2 Resumo... 39 2.3 Leitura recomendada... 39

Capítulo 2 Usabilidade... 24 2.1 Definição de usabilidade... 25 2.2 Resumo... 39 2.3 Leitura recomendada... 39 Prefácio... IX Lista de Siglas e Abreviaturas... XIII Lista de Figuras e Quadros... XVI Capítulo 1 Portal web... 1 1.1 Definição de portal web... 3 1.2 Portal corporativo... 8 1.3 Resumo... 22 1.4 Leitura

Leia mais

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da

A construção de um manual sobre a utilização dos modelos também poderá alavancar o uso das representações. Este conteria a explicação detalhada da 6 Conclusões No âmbito do framework teórico da Engenharia Semiótica, este trabalho faz parte de um esforço conjunto para desenvolver ferramentas epistêmicas que apóiem a reflexão do designer durante o

Leia mais

Projeto de Interação Introdução e Definição de Projeto de Curso

Projeto de Interação Introdução e Definição de Projeto de Curso 1 Projeto de Interação Introdução e Definição de Projeto de Curso 03/11/2014 www.inf.puc-rio.br/~inf1403 2 Referência de Leitura Obrigatória O material desta seção da disciplina presume que os alunos terão

Leia mais

ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO

ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO ESCOLA DE ENFERMAGEM REGIMENTO Organização Administrativa e Técnica TÍTULO II DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA E TÉCNICA CAPÍTULO I DA ESTRUTURA FUNCIONAL Art. 7º A organização administrativa e técnica da

Leia mais

Publicado no DOE de 16/12/2015 pela Portaria SEE nº 4788/2015, de 15/12/2015 PARECER CEE/PE Nº 138/2015-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 30/11/2015

Publicado no DOE de 16/12/2015 pela Portaria SEE nº 4788/2015, de 15/12/2015 PARECER CEE/PE Nº 138/2015-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 30/11/2015 INTERESSADA: AUTARQUIA DO ENSINO SUPERIOR DE GARANHUNS AESGA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS E HUMANAS DE GARANHUNS FAHUG ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE BACHARELADO EM SECRETARIADO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21 DE FEVEREIRO DE 2014 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 009/2014 DE 21

Leia mais

Design de IHC: Cenários de Projeto

Design de IHC: Cenários de Projeto 1 Design de IHC: de Projeto Aula 14 09/05/2012 2 Da aula passada: 1. Definição dos Grupos de Trabalho Quais são? 2. Visita ao Portal da Prefeitura do Rio de Janeiro 3. Levantamento Informal de questões

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FAZENDA EXPERIMENTAL DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS/UFGD TÍTULO I DA NATUREZA, DA CONSTITUIÇÃO, DAS FINALIDADES E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DA FAZENDA EXPERIMENTAL DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS/UFGD TÍTULO I DA NATUREZA, DA CONSTITUIÇÃO, DAS FINALIDADES E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DA FAZENDA EXPERIMENTAL DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS/UFGD TÍTULO I DA NATUREZA, DA CONSTITUIÇÃO, DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Capítulo I Da Natureza Art. 1º. A Fazenda Experimental de Ciências

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Regimento Interno do Núcleo de Prática Jurídica do Curso de Direito da Faculdade do Norte Pioneiro CAPÍTULO I DOS PRINCÍPIOS GERAIS Art. 1º O Núcleo de Prática

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação

DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES. Trabalho de Graduação DESENVOLVIMENTO DE INTERFACE WEB MULTIUSUÁRIO PARA SISTEMA DE GERAÇÃO AUTOMÁTICA DE QUADROS DE HORÁRIOS ESCOLARES Trabalho de Graduação Orientando: Vinicius Stein Dani vsdani@inf.ufsm.br Orientadora: Giliane

Leia mais

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO

ANEXO II DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO ANEXO II NORMAS ESPECÍFICAS DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO E ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - MODALIDADE BACHARELADO DA DEFINIÇÃO E OBJETIVO DO ESTÁGIO Art.

Leia mais

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000

A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 A aplicação da Engenharia Semiótica no design da interface de usuário do software ASK2000 Jair Cavalcanti Leite Universidade Federal do Rio Grande do Norte Campus Universitário, Lagoa Nova 59072-970 Natal,

Leia mais

Regulação. financeira para. advogados

Regulação. financeira para. advogados Regulação financeira para advogados FGV_Serie_16x23_Regulação Financeira_Print_GRAFICA2.indd I Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO)

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SAÚDE ANIMAL Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (FEPAGRO) Portaria FEPAGRO nº 154/2013. O Diretor-Presidente da Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária

Leia mais

Faculdade de Educação e Meio Ambiente FAEMA Instituto Superior de Educação ISE

Faculdade de Educação e Meio Ambiente FAEMA Instituto Superior de Educação ISE REGIMENTO INTERNO DA CLINICA-ESCOLA DE PSICOLOGIA DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E MEIO AMBIENTE - Capítulo I Caracterização do Serviço Clínica-Escola de Psicologia Art. 1º - O SEPsi - Serviço Escola de Psicologia

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO TGI

GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO TGI FMU Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas GUIA DE ORIENTAÇÕES PARA O DESENVOLVIMENTO DO TGI Trabalho de Graduação Interdisciplinar Curso de Design Volume 2 Habilitação: DESIGN GRÁFICO

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (AD1P30)

PIM TECNOLOGIA EM ANALISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS (AD1P30) UNIP Brasília - Coordenação CG/CW/GR/AD Senhores Alunos, Seguem informações importantes sobre o PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Projeto Integrado Multidisciplinar) são projetos obrigatórios realizados elos

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música

Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música Regulamento de Estágio Supervisionado Licenciatura em Música CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º Entende-se, para efeitos dessa resolução, o estágio como ato educativo escolar supervisionado,

Leia mais

Atividades de Ensino de IHC em Duas Instituições de Ensino Superior Brasileiras

Atividades de Ensino de IHC em Duas Instituições de Ensino Superior Brasileiras Atividades de Ensino de IHC em Duas Instituições de Ensino Superior Brasileiras Thiago Adriano Coleti Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti Ibaiti - Pr thiagocoleti@feati.com.br Marcelo

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DE CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO TÍTULO I 3 DA PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU E SEUS OBJETIVOS 3 TÍTULO II 5 DA ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA 5 CAPÍTULO I 5 DA ESTRUTURA 5 CAPÍTULO II 6 DA COORDENAÇÃO DE PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU 6 CAPÍTULO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR

PLANO DE TRABALHO DO PROFESSOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA CAMPUS SANTA ROSA Rua Uruguai, 1675Bairro Central CEP: 98900.000

Leia mais

O Departamento de Informática

O Departamento de Informática Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Mestrado e Doutorado Áreas de Concentração Hipertexto e Multimídia Interação Humano-Computador Otimização e Raciocínio Automático Redes

Leia mais

Interação Humano-Computador: Conceitos Básicos INF 1403 Introdução a IHC Aula 03 19/02/2014 Conteúdo da Aula Interação, Interface e Affordance Critérios de qualidade de uso Usabilidade Experiência do Usuário

Leia mais

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas MANUAL DE VENDAS OBRAS DO AUTOR Como planejar suas vendas sem complicar dicas de estratégias e táticas, mais formulários práticos para o planejamento de vendas, coautoria de Abigail Felicciano. 2.ª ed.

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO NÚCLEO DE INOVAÇÃO E TRANSFERÊNCIA DE TECNOLOGIA CAPÍTULO I DA NATUREZA, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1. O Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia - NITTEC é um Órgão Executivo

Leia mais

Humildade, bondade, sabedoria e persistência nos meus ideais foram às lições que me transmitiste e que ao longo desta caminhada nunca esqueci.

Humildade, bondade, sabedoria e persistência nos meus ideais foram às lições que me transmitiste e que ao longo desta caminhada nunca esqueci. Á memória de meu pai, Jacinto José Maria. Humildade, bondade, sabedoria e persistência nos meus ideais foram às lições que me transmitiste e que ao longo desta caminhada nunca esqueci. Por tudo isso, o

Leia mais

Interface Homem-Computador

Interface Homem-Computador Faculdade de Ciências e Tecnologia do Maranhão Interface Homem-Computador Aula: Engenharia Cognitiva e Semiótica Professor: M.Sc. Flávio Barros flathbarros@gmail.com Conteúdo Engenharia Cognitiva Fundamentos

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

Avisos e Renúncia de Direitos: Este livro é vendido como está, sem garantia de qualquer tipo, seja expressa ou implícita.

Avisos e Renúncia de Direitos: Este livro é vendido como está, sem garantia de qualquer tipo, seja expressa ou implícita. Catia V5 R18 Para iniciantes e especialistas Copyright 2008 da Editora Alta Books. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 5988 de 14/12/73. Nenhuma parte deste livro, sem autorização prévia

Leia mais

ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO

ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO ANEXO REGIMENTO INTERNO DO CURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA CURSO DE MESTRADO EM PSICOLOGIA REGIMENTO INTERNO DO CURSO CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA Coordenação Geral de Integração Escola Comunidade - CGIEC REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

Processo do Design. Atividades básicas:

Processo do Design. Atividades básicas: Design de Interface Processo do Design Atividades básicas: Análise da Situação Atual (identificação do problema) Síntese de uma Intervenção Avaliação da Intervenção Projetada Segunda Parte do Curso Iremos

Leia mais

Federação de Escolas e Faculdades Integradas Simonsen

Federação de Escolas e Faculdades Integradas Simonsen Federação de Escolas e Faculdades Integradas Simonsen Centro de Pós-Graduação Simonsen Manual do Aluno da Pós-Graduação Apresentação Caro Aluno, A Federação de Escolas e Faculdades Integradas Simonsen

Leia mais

1 Um guia para este livro

1 Um guia para este livro PARTE 1 A estrutura A Parte I constitui-se de uma estrutura para o procedimento da pesquisa qualitativa e para a compreensão dos capítulos posteriores. O Capítulo 1 serve como um guia para o livro, apresentando

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente instrumento

Leia mais

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP

SERG 2014 SEMIOTIC ENGINEERING RESEARCH GROUP Interação Humano-Computador Avaliação em IHC: Percurso Cognitivo www.inf.puc-rio.br/~inf1403 4 paradigmas para a avaliação de IHC 1. O rápido e rasteiro (que prima pela informalidade) 2. Os testes de usabilidade

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº 43/2016

Leia mais

Qualidade de Software. Qualidade de Software. Adequado à Especificação. Alguns Atributos de Qualidade. Equipe de Qualidade

Qualidade de Software. Qualidade de Software. Adequado à Especificação. Alguns Atributos de Qualidade. Equipe de Qualidade DCC / ICEx / UFMG Eduardo Figueiredo http://www.dcc.ufmg.br/~figueiredo A qualidade de software tem se aprimorado nos últimos 15 anos Empresas têm adotado novas técnicas Orientação a objetos se difundiu

Leia mais

QUESTÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO

QUESTÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO QUESTÕES DE DIREITO TRIBUTÁRIO Questões solucionadas sob a ótica das posições dominantes do STF e STJ Direito_Tributario-MOILO_1.indd 1 29/11/2012 14:34:52 Direito_Tributario-MOILO_1.indd 2 29/11/2012

Leia mais

REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGIMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) DE PSICOLOGIA CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O TCC é uma atividade acadêmica de natureza científica, técnica, filosófica e ou artística com

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 6 DE JANEIRO DE 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 6 DE JANEIRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 6 DE JANEIRO DE 2015 (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação

Leia mais

GeoGebra: o uso do computador no ensino de geometria plana 1

GeoGebra: o uso do computador no ensino de geometria plana 1 GeoGebra: o uso do computador no ensino de geometria plana 1 Wadames Procópio Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) Brasil professorwadames@yahoo.com.br Antonio Carlos Brolezzi Brasil

Leia mais

EDITAL 2 / 2015 DO PET ODONTOLOGIA SELEÇÃO DE NOVOS INTEGRANTES

EDITAL 2 / 2015 DO PET ODONTOLOGIA SELEÇÃO DE NOVOS INTEGRANTES EDITAL 2 / 2015 DO PET ODONTOLOGIA SELEÇÃO DE NOVOS INTEGRANTES O tutor do Programa de Educação Tutorial - PET, do Curso de Odontologia da Universidade Federal de Uberlândia, no uso de suas atribuições

Leia mais

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia

Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Normas para Elaboração do Trabalho de Conclusão do Curso de Psicologia Petrolina PE Julho de 2015 1 Capítulo I Da natureza do TCC Art. 1º O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) é um componente obrigatório

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS. REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL O presente regulamento fundamenta-se nos termos da LDB 9394, de 20 de dezembro

Leia mais

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos

Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos Atividades Complementares Curso de Gestão em Recursos Humanos APRESENTAÇÃO As Atividades Complementares (AC) são práticas curriculares de caráter independente, interdisciplinar e transversal que visam

Leia mais

Avaliação de IHC: INF1403 Introdução a IHC Aula 7 27/03/2013. Profa. Clarisse S. de Souza

Avaliação de IHC: INF1403 Introdução a IHC Aula 7 27/03/2013. Profa. Clarisse S. de Souza 1 Avaliação de IHC: O método m de Avaliação Heurística Aula 7 27/03/2013 2 Paradigmas de Avaliação (Resumo) Rápido e Rasteiro Testes de Usabilidade Estudos de Campo Avaliação Preditiva Observação de Perguntar

Leia mais

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB

INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB 1 INF1403 Introdução a Interação Humano-Computador (IHC) Turma 3WB Professor: Alberto Barbosa Raposo (abraposo@inf.puc-rio.br Sala 417 RDC) Aula Inaugural 29/Fev/2012 INF 1403 Site da disciplina SERG,

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO 1ª Versão 2 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO 2

Leia mais

Falso Olho Provisório (para ser substituído) Empreendedorismo

Falso Olho Provisório (para ser substituído) Empreendedorismo Falso Olho Provisório (para ser substituído) Empreendedorismo Preencha a ficha de cadastro no final deste livro e receba gratuitamente informações sobre os lançamentos e as promoções da Editora Campus/Elsevier.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES AVALIAÇÃO DE INTERFACES UTILIZANDO O MÉTODO DE AVALIAÇÃO HEURÍSTICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA AUDITORIA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES Rafael Milani do Nascimento, Claudete Werner Universidade Paranaense (Unipar)

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO 1. APRESENTAÇÃO O curso de Sistemas de Informação teve início no segundo semestre de 003 e desde então vem formando profissionais capacitados a atuar no mercado

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA COORDENADORIA DE GRADUAÇÃO REGIMENTO INTERNO 2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE PIRACICABA COORDENADORIA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS E PUBLICAÇÕES. Política Editorial de Periódicos da UEG

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS E PUBLICAÇÕES. Política Editorial de Periódicos da UEG UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS E PUBLICAÇÕES Política Editorial de Periódicos da UEG Regulamento para criação, inserção, exclusão, permanência

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Elaboração: Bruno Márcio Agostini, M. Sc. São João del Rei - MG Julho de 2010 TÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PRELIMINARES O presente

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ JANEIRO / 2007 SUMÁRIO TÍTULO I DA NATUREZA E OBJETOS 3 TÍTULO II DA COORDENAÇÃO DO PROGRAMA 5 CAPÍTULO

Leia mais

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado

Educação Profissional Cursos Técnicos. Regulamento de Estágio Supervisionado Educação Profissional Cursos Técnicos Regulamento de Estágio Supervisionado CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - O presente Regulamento de Estágio Supervisionado refere-se à formação do aluno

Leia mais

Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação. EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016

Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação. EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016 Vice-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Cultura Gerência de Pós-Graduação EDITAL 064/ Vice-Reitoria de Pós-Graduação / 2016 Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas - DOUTORADO

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º O presente Regulamento dispõe sobre o Estágio Supervisionado

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Por que foca?

APRESENTAÇÃO. Por que foca? APRESENTAÇÃO Por que foca? O foca, jornalista iniciante, tem grande dificuldade de encontrar um guia entre os textos técnicos publicados no Brasil. Com a pauta lhe queimando as mãos, ele se inquieta: por

Leia mais

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone

Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012. Clodis Milene Raquel Sílvia Simone Pesquisa sobre Ensino de IHC 2010-2012 Clodis Milene Raquel Sílvia Simone 1 abril a junho de 2013 75 respondentes válidos cursos: graduação pós-graduação stricto sensu pós-graduação lato sensu avulsos

Leia mais

Documento de Análise de Negócio DAN. Template para Entrevista

Documento de Análise de Negócio DAN. Template para Entrevista DISCIPLINA: ENGENHARIA DE SOFTWARE Documento de Análise de Negócio DAN Template para Entrevista Seções: Parte I Definindo o Perfil do cliente ou Usuário 2 Parte II Definindo o Negócio do cliente 2 Parte

Leia mais

Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Educação Especial

Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Educação Especial Programas Brasileiros de Pós-Graduação em Educação Especial FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS DE ALTO NÍVEL EM EDUCAÇÃO ESPECIAL* Deisy das Graças de Souza e Nivaldo Nale** Quando foi proposto, em 1977, o Programa

Leia mais

Marco Polo Monteiro Viana. Sistemas Comerciais. Conceitos, modelagem e projeto

Marco Polo Monteiro Viana. Sistemas Comerciais. Conceitos, modelagem e projeto Marco Polo Monteiro Viana Sistemas Comerciais Conceitos, modelagem e projeto Sistemas Comerciais - Conceitos, modelagem e projeto Copyright Editora Ciência Moderna Ltda., 2013 Todos os direitos para a

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE Aprova as Normas de Estágio Curricular Obrigatório

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ACÕES AFIRMATIVAS RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores Paulo Eduardo Boeira Capeller Dr(ª).

Leia mais

Interação Homem-Computador

Interação Homem-Computador Interação Homem-Computador Apresentação da disciplina, metodologia de ensino, conteúdos, avaliações e bibliografia Prof. MSc. Hugo Vieira L. Souza Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Informação e Comunicação CURSO: Tecnólogo em Sistemas para Internet FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO VICE-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UPF EDITORA

UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO VICE-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UPF EDITORA UNIVERSIDADE DE PASSO FUNDO VICE-REITORIA DE GRADUAÇÃO VICE-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO UPF EDITORA EDITAL DE APOIO À PUBLICAÇÃO DIDÁTICA 01/2015 A Universidade de Passo Fundo (UPF), por intermédio

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS

REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E DAS FINALIDADES Art. 1º. A pós-graduação do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Capítulo I - Definição Artigo 1º. O Estágio, como componente curricular obrigatório no Curso de Graduação

Leia mais

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE

CAPÍTULO I DA CONSTITUIÇÃO E FINALIDADE Preâmbulo Os representantes do CONFAUeD, reunidos em assembléia, no dia 30 de junho de 2011, para instituição dos regimentos dos seus laboratórios e núcleos, após deliberação aprovou o REGIMENTO INTERNO

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

FACULDADE DE VIÇOSA PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E CARREIRA DOCENTE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

FACULDADE DE VIÇOSA PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E CARREIRA DOCENTE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS FACULDADE DE VIÇOSA PLANO DE CARGOS, SALÁRIOS E CARREIRA DOCENTE CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente documento tem por objetivo estabelecer uma política de administração de cargos, salários e carreira

Leia mais