(Graphical mechanics as an example for physics education in WWW) Dietrich Schiel, Iria Muller Guerrini, Renata Moraes de Freitas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "(Graphical mechanics as an example for physics education in WWW) Dietrich Schiel, Iria Muller Guerrini, Renata Moraes de Freitas"

Transcrição

1 Revista Brasileira de Ensino de Fsica vol. 20, no. 4, Dezembro, Mec^anica Graca, um Exemplo de Ensino de Fsica na WWW (Graphical mechanics as an example for physics education in WWW) Dietrich Schiel, Iria Muller Guerrini, Renata Moraes de Freitas Sergio Henrique Oliveira Pereira, Euclydes Marega Junior, M^onica Giacomassi de Menezes de Magalh~aes Centro de Divulgac~ao Cientca e Cultural / USP Caixa Postal 369, CEP , S~ao Carlos, SP Fone (016) Recebido 3 de julho, 1997 Este curso a dist^ancia destina-se a alunos e professores do 2 grau. S~ao realizadas experi^encias quantitativas sobre a mec^anica do ponto material. Os alunos calculam velocidade e acelerac~ao de um puck de mesa de ar em movimento num plano horizontal ou inclinado. S~ao analisados movimento circular e de um corpo sujeito a forca de uma mola. Os alunos enviam seus calculos via Internet a um computador central onde s~ao avaliados automaticamente e estabelece-se um dialogo com monitores reais. Alem disso os alunos programam o computador em linguagem LOGO, simulando os movimentos obtidos experimentalmente. Adicionalmente os alunos obtem orbitas gravitacionais de planetas ou satelites. In this Distance Education Course high school students and teachers execute quantitative experiments with an air puck on an horizontal or inclined plane. There are also analyzed circular movement and the movement of a body accelerated by a spring. Velocity and acceleration are calculated by students and submitted to a central computer which realizes an automatic correction. Results are also commented by real tutors. Students also program their computer in LOGO language, reobtaining the experimental trajectories and additionally extend their work to gravitational orbits of planets or satelites. Introduc~ao E um fato conhecido que, ao desenvolver as primeiras ideias da mec^anica, Newton percebeu que aanalise do movimento n~ao uniforme poderia levar a calculos repetidos num numero extremamente grande de vezes, relativosaintervalos de tempo muito pequenos. Como isto seria impossvel resolveu o problema de forma analtica criando para isto um ramo novo da matematica, o calculo diferencial e integral. Hoje esta impossibilidade esta sendo removida com a velocidade de calculo possvel nos computadores e podemos, por exemplo, prever a trajetoria de uma sonda espacial sem conhecer sua equac~ao analtica. No presente projeto o aluno do 2 grau, que participa deste programa, chega a calcular orbitas gravitacionais sem que venha a saber oquee uma equac~ao diferencial. Para a realizac~ao desta tarefa o aluno e seu professor s~ao orientados a dist^ancia pelo grupo de colaboradores do Centro de Divulgac~ao Cientca e Cultural da Universidade de S~ao Paulo, cidade de S~ao Carlos - SP (CDCC-USP). As ideias basicas para a presente proposta surgiram juntamente com as primeiras aplicac~oes didaticas do computador, no comeco da decada de 70. Tinha sido criado a linguagem BASIC com o objetivo de tornar a programac~ao de computadores acessvel a leigos. Elisha Huggins [1] desenvolveu uma proposta de analisar movimentos gravitacionais registrados de forma estro-

2 408 D. Schiel et al. boscopica com auxlio de programas feitos na citada linguagem. Posteriormente Seymour Papert [2] criou a linguagem LOGO com propositos educacionais e inventouse em S~ao Carlos - SP o puck de Hessel [3] que permite o registro de movimentos bidimensionais a um custo bem inferior a fotograa estroboscopica. Na presente proposta de trabalho o aluno adquire familiaridade com a mec^anica programando seu computador para que este reobtenha resultados obtidos experimentalmente. A facilidade de comunicac~ao via WWW [4] e usada tanto para que o aluno possa rapidamente conferir a correc~ao de seus calculos quanto para obter orientac~ao por monitores. A proposta de Huggins esta presente em trabalhos educacionais em S~ao Carlos desde a visita deste pesquisador ao Brasil em Um primeiro desenvolvimento completo da proposta completa, usando LOGO foi realizado por Roberta Giglioti, que na epoca de seu trabalho tinha entre 13 e 14 anos. Roberta foi premiada por isso no 36 Concurso Cientistas de Amanh~a. Equipamento Este programa destina-se a ser trabalhado em sala-de-aula ou laboratorio. A sala deve ser equipada com 10 ou mais computadores, um dos quais ligado a Internet. O projeto tambem pode ser desenvolvido tendo-se apenas 1 computador. Neste caso a parte experimental pode ser realizada e pode ocorrer a orientac~ao a dist^ancia, via Internet. A parte de programac~ao em LOGO sera porem prejudicada, podendo o professor desenvolv^e-la com alguns poucos alunos, que apresentam os resultados aos demais. O equipamento experimental basico e umpuckde mesa de ar, especialmente projetado - o \puck dehes- sel" (g.1) Em seu trabalho o aluno realiza e analisa experi^encias e programas feitas no computador. ocorre nas seguintes etapas: Isto 1- Familiarizac~ao com a linguagem LOGO, aproveitando a motivac~ao que o aspecto ludico desta linguagem traz. 2 - Realizac~ao de experimentos quantitativos e obtenc~ao de dados sobre a trajetoria descrito a seguir. De posse destes dados o aluno calcula velocidade e acelerac~ao desse corpo. Tabelas interativas permitem que o aluno possa imediatamente vericar, de forma virtual, se esta acertando. Imprevistos, duvidas e problemas conceituais s~ao respondidos por monitores de carne-eosso. Todos os calculos feitos pelo aluno s~ao registrados pela direc~ao do programa. 3 - No nal de cada captulo o aluno faz um programa em LOGO, procurando reobter os resultados experimentais. 4 - Na fase nal o aluno produz programas relativos a situac~oes n~ao realizaveis em laboratorio: o movimento central gravitacional. Figura 1. A Puck de Hessel. O ar (a) de uma bomba de aquario (b) e injetado no sistema e produz um colch~ao de ar em sua base. Uma canetinha (c) esta presa a um anel de ferro no interior de uma bobina (d) na qual passa corrente alternada (60Hz). A canetinha oscila nesta frequ^encia 1 marcando as posic~oes deste corpo sobre uma mesa de vidro. Os experimentos com o puck podem ser realizados por uma pessoa (professor ou aluno). A mesa de vidro aparece marcada por uma sequ^encia de pontos resultantes do funcionamento descrito na legenda da Fig. 1. Enquanto a tinta na mesa esta umida passa-se uma folha de papel sobre a trajetoria, impressionando o papel, que sera analisado individualmente por cada aluno. Como a realizac~ao de cada experimento dura poucos segundos, em menos de 10 minutos podem ser produzidas trajetorias para serem analisados por 40 alunos. 1 A frequ^encia de 60 Hz foi vericada com estroboscopio. Muitas vezes e suposta, equivocadamente, uma frequ^encia de 120 Hz devido a \reticac~ao de meia-onda".

3 Revista Brasileira de Ensino de Fsica vol. 20, no. 4, Dezembro, Conteudo O curso e desenvolvido ao longo do 1 e2 anos do 2 grau, sendo os topicos os tradicionalmente usados nestes anos. A tabela abaixo relaciona os topicos e as atividades. Tabela 1. Sequ^encia da programac~ao do curso. Interatividade Neste programa o aluno e seu professor s~ao constantemente orientados a dist^ancia. Desta forma aluno, professor, professor distante e a direc~ao do programa constituem uma comunidade que permanentemente esta a discutir o conteudo. Contribuem para isto o computador central em S~ao Carlos e o corpo e monitores do CDCC-USP, onde este projeto e orientado. Foram criadas algumas facilidades computacionais especiais, usando a tecnologia inerente aos programas disponveis no world wide web: Tabelas interativas - O aluno preenche uma tabela na pagina www em que esta recebendo orientac~ao. Nesta pagina s~ao colocados os espacos e tempos medidos e velocidade e acelerac~ao calculados pelo aluno. Esta tabela e enviada a direc~ao do projeto onde o computa-

4 410 D. Schiel et al. dor central faz uma primeira correc~ao dos calculos. Esta avaliac~ao e imediatamente devolvida ao participante. Envio e comentario aos programas - Os programas em Logo s~ao feitos no proprio computador usado para a orientac~ao. Um browser contido na pagina de orientac~ao permite localizar o programa e envia-lo via . Estes programas s~ao analisados pela equipe que gerencia o projeto. Dialogo intermediado pelo computador -Oobjetivo principal deste programa e que venha a ser constitudo um grupo de discuss~ao a dist^ancia. Desta forma o dialogo informal constitui uma peca-chave. Com esta nalidade nos locais apropriados ha nas paginas de orientac~ao oportunidade para o envio de perguntas e comentarios via . Evidentemente o e- mail simples tambem constitui ferramenta importante para este dialogo. Para melhor compreens~ao do acima referido sugerimos consultar a pagina deste programa [6]. Exemplo de programa em LOGO Reproduzimos, a ttulo de ilustrac~ao, um programa que permite a simulac~ao do movimento retilneo uniforme, tal como e apresentado na pagina de orientac~ao. Nos primeiros programas oferece-se ao aluno o programa elaborado, em seguida e apresentado apenas o algoritmo e nalmente simples diretrizes para o desenvolvimento proprio de programas. Existe, ainda, a opc~ao de se apresentar o programa pronto e pedir ao aluno explicar a func~ao de cada comando. Percebe-se que este programa obtem os pontos da trajetoria fazendo calculos em loop: cada ponto e obtido a partir do anterior como se aquele fosse o ponto inicial. Interessados podem obter o software Logo no nosso endereco [7] onde encontrar~ao tambem literatura referente. Recomendamos especialmente o texto de Jim Muller [8], que traz aplicac~oes as mais diversas desta linguagem de programac~ao. Primeiros resultados de aplicac~ao O software deste programa foi terminado em outubro No 1 semestre de 1997 foi realizado treinamento de professsores que est~ao para aplica-lo no 2 semestre em mais de 20 escolas na regi~ao proxima de S~ao Carlos. Alem disto esta disponvel na \Rede de Centros de Ci^encia", 23 Centros ligados ao CDCC-USP em 11 Estados brasileiros. Em novembro 1996 este metodo foi usado numa classe do curso noturno na cidade de Americana (Estado de S~ao Paulo). Nesta escola, colegio Jo~ao XXIII, so estava disponvel um computador, adquirido com recursos de projeto nosso. Devido a exiguidade do tempo so foi possvel chegar-se a fazer e analisar experimentos sobre o movimento retilneo uniforme. Foi feita uma avaliac~ao atraves de questionarios respondidos pelos alunos [9,10]. Ressaltam-se no testemunho da professora Walessandra como pontos favoraveis ao projeto: o estmulo para entendimento do conteudo, contato com a tecnologia atual, ampliac~ao dos horizontes e facilidade de comunicac~ao com orientadores distantes, possibilitando atualizac~ao do professor. Para os alunos foram pontos positivos o retorno de respostas nas tabelas interativas, a indicac~ao de erros de calculo. Como pontos a serem melhorados citaram a conex~ao discada a Internet (bastante problematica), tamanho da sala de computac~ao (na Delegacia de Ensino). Sugeriram que o contato com o professor distante deveria ser imediato, durante a execuc~ao do experimento. Demonstraram muita curiosidade com respeito ao instrutor distante, que tipo de pessoa seria, etc.

5 Revista Brasileira de Ensino de Fsica vol. 20, no. 4, Dezembro, Tabela 2. Programa em Logo para simulac~ao de movimento uniforme. A escala mencionada na linha 9 e obtida previamente pelo aluno que mede com a regua uma gura, feita por meio da linguagem Logo, na tela do computador. De 25 a 30 de janeiro de 1997 foi realizado um curso de treinamento com 20 professores de 2 grau da rede publica de ensino que usar~ao esta sistematica em Nesta semana foi cumprida toda a programac~ao constante na tabela 1. Constatou-se que, provavelmente devido ao tempo exguo que o professor dispunha, a maior diculdade consistiu em familiarizar-se com a linguagem Logo. Outro ponto que causou bastante controversia foram os erros experimentais. Alguns professores imaginavam que os resultados inexatos, proprios de qualquer trabalho experimental, fossem confundir o aluno, acostumado a resoluc~ao de problemas onde os resultados n~ao apenas s~ao exatos como constituem numeros inteiros, quadrados perfeitos ou calculos trigonometricos com numeros simples e memorizaveis. Percebe-se aqui a import^ancia do desenvolvimento de um projeto como o presente, deixando claro que o erro e sua discuss~ao fazem parte necessaria da Fsica Experimental. Conclus~ao Com este trabalho mostramos ser possvel inovar o conteudo de Fsica no 2 grau usando o potencial representado pelo computador. O teste-piloto mostra ainda que que os mecanismos de comunicac~ao da Internet constituem um meio valido para o ensino a dist^ancia. Agradecimento Este trabalho n~ao seria possvel sem as contribuic~oes nanceiras de VITAE, FAPESP, CNPq e da pro-reitoria de pesquisa da USP. Contribuiram, ainda, Alvaro Garcia Neto, Luiz Henrique Godoy, Roberta Giglioti e Walessandra Araujo Dias. Refer^encias 1. Huggins E. Graphical Mechanics. Wentworth, COMPress, Inc. / Dartmouth College, 1979.

6 412 D. Schiel et al. 2. Papert S. Logo: Computadores e Educac~ao. S~ao Paulo, Brasiliense, Hessel R. \Discos sustentados por colch~ao de ar, uma nova proposta" - Rev. Ens. Fis.4 (3), Dez Schiel, Dietrich., Magalh~aes, M^onica G. M. Educac~ao a Dist^ancia Usando Tecnologia WWW. - Em Aberto, n 70, MEC/INEP julho Mascarenhas, S. Um Survey Sobre o Uso de Tecnologias Avancadas no Ensino texto de palestra no InfoUSP, S~ao Paulo, CCI/USP, junho Programa projeto de Fsica 7. Programa pagina sobre LOGO, -nal da pagina de abertura. 8. Muller, J. The Logo Sourcebook - Exploring Logo On and O the Computer Download gratuito em (4 Mb, exige acrobat reader) 9. Magalh~aes, M^onica G. M. Relatorio de avaliac~ao de teste-piloto do programa de Fsica - CDCC- USP Dez Magalh~aes, M. e Schiel, D. A Method for Evaluation of a Course Delivered via the World Wide Web in Brazil. The American Journal of Distance Education 11 (2), (1997).

Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 3, Setembro, 2000 421. Marisa Almeida Cavalcante e Cristiane R. C. Tavolaro

Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 3, Setembro, 2000 421. Marisa Almeida Cavalcante e Cristiane R. C. Tavolaro Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 3, Setembro, 2000 421 Projete Voc^e Mesmo Experimentos Assistidos por Computador: Construindo Sensores e Analisando Dados Marisa Almeida Cavalcante e

Leia mais

Utilização de um Software para Criação e Gerenciamento de Cursos Online num Curso para Professores da Rede Pública

Utilização de um Software para Criação e Gerenciamento de Cursos Online num Curso para Professores da Rede Pública Utilização de um Software para Criação e Gerenciamento de Cursos Online num Curso para Professores da Rede Pública Rafael Humberto Scapin Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Av.

Leia mais

EXPERIMENTOS ENVOLVENDO A SEGUNDA LEI DE NEWTON

EXPERIMENTOS ENVOLVENDO A SEGUNDA LEI DE NEWTON EXPERIMENTOS ENVOLVENDO A SEGUNDA LEI DE NEWTON Helena Libardi hlibardi@ucs.br Véra L. F. Mossmann vlfmossm@ucs.br Cristiane Conte Paim de Andrade ccpandra@ucs.br Universidade de Caxias do Sul - UCS Rua

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO 1. EXPERIMENTO DE MOVIMENTO UNIFORME

RESUMO INTRODUÇÃO 1. EXPERIMENTO DE MOVIMENTO UNIFORME A UTILIZAÇÃO DE EXPERIMENTO DE MOVIMENTO UNIFORME PARA A MELHORIA DO ENSINO DE FÍSICA NAS ESCOLAS PUBLICAS DO ESTADO DO TOCANTINS. Jaqueline Jurema da SILVA. (1); Weimar Silva CASTILHO (2). (1) Instituto

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar)

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) 1. OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA 1) Esta aula experimental tem como objetivo o estudo do movimento retilíneo uniforme

Leia mais

Organizador: Prof. Valmir Heckler Disponível em: http://profvalmir.blogspot.com/

Organizador: Prof. Valmir Heckler Disponível em: http://profvalmir.blogspot.com/ Organizador: Prof. Valmir Heckler Disponível em: http://profvalmir.blogspot.com/ Integrantes do Projeto desenvolvido e implementado em 2002 - Paulo Eliseu Weber (estudante), Valmir Heckler (orientador)

Leia mais

Como escrever um bom RELATÓRIO

Como escrever um bom RELATÓRIO Como escrever um bom RELATÓRIO Mas o que é uma EXPERIÊNCIA? e um RELATÓRIO? Profa. Ewa W. Cybulska Profa. Márcia R. D. Rodrigues Experiência Relatório Pergunta à Natureza e a procura da Resposta Divulgação

Leia mais

282 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 19, n ọ 2, junho, 1997. Uma Nova Vis~ao para Conduzir as Atividades

282 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 19, n ọ 2, junho, 1997. Uma Nova Vis~ao para Conduzir as Atividades 282 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 19, n ọ 2, junho, 1997 Uma Nova Vis~ao para Conduzir as Atividades Iniciais do Laboratorio de Eletricidade \A new vision to guide the initial activities

Leia mais

Universidade de São Paulo USP

Universidade de São Paulo USP Abordagem Interdisciplinar em Ciências da Natureza e Matemática para o Ensino Básico em diferentes regiões do Estado de São Paulo (Projeto: 66472). Leila Maria Beltramini, Esther Pacheco de Almeida Prado,

Leia mais

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE

UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE UM LABORATÓRIO WEB PARA ENSINO ORIENTADO A AUTOMAÇÃO E CONTROLE Cleonilson Protásio de Souza 1 e José Tarcísio Costa Filho 2 Universidade Federal do Maranhão 1 Departamento de Engenharia de Eletricidade

Leia mais

UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA

UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II SNEA 2012 São Paulo, SP 749 UTILIZANDO O WINDOWS MOVIE MAKER NA PRODUÇÃO DE VÍDEOS EDUCATIVOS PARA O ENSINO E DIVULGAÇÃO DE ASTRONOMIA USING WINDOWS MOVIE

Leia mais

UM SOFTWARE PARA EXPERIMENTOS SOBRE BATI- MENTO DE ONDAS SONORAS+*

UM SOFTWARE PARA EXPERIMENTOS SOBRE BATI- MENTO DE ONDAS SONORAS+* UM SOFTWARE PARA EXPERIMENTOS SOBRE BATI- MENTO DE ONDAS SONORAS+* Wilton Pereira da Silva Cleide M. D. P. S. e Silva Departamento de Física Universidade Federal de Campina Grande Diogo D. P. S. e Silva

Leia mais

UM ROTEIRO PARA TRABALHAR CONJUNTAMENTE ASTRONOMIA E FÍSICA NO ENSINO MÉDIO

UM ROTEIRO PARA TRABALHAR CONJUNTAMENTE ASTRONOMIA E FÍSICA NO ENSINO MÉDIO II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II SNEA 2012 São Paulo, SP 688 UM ROTEIRO PARA TRABALHAR CONJUNTAMENTE ASTRONOMIA E FÍSICA NO ENSINO MÉDIO A SET OF INSTRUCTIONS TO WORK TOGETHER ASTRONOMY

Leia mais

Medidas elétricas I O Amperímetro

Medidas elétricas I O Amperímetro Medidas elétricas I O Amperímetro Na disciplina Laboratório de Ciências vocês conheceram quatro fenômenos provocados pela passagem de corrente elétrica num condutor: a) transferência de energia térmica,

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 4º BIMESTRE

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 4º BIMESTRE EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO PARALELA 4º BIMESTRE NOME Nº SÉRIE : 1º EM DATA : / / BIMESTRE 3º PROFESSOR: Renato DISCIPLINA: Física 1 VISTO COORDENAÇÃO ORIENTAÇÕES: 1. O trabalho deverá ser feito em papel

Leia mais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais 4.1. Confecção de um Relatório 4.1.1. Organização do relatório Um relatório é uma descrição detalhada, clara e objetiva de

Leia mais

Experimento. Guia do professor. Qual é o cone com maior volume? Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia

Experimento. Guia do professor. Qual é o cone com maior volume? Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia geometria e medidas Guia do professor Experimento Qual é o cone com maior volume? Objetivos da unidade 1. Dado um círculo de cartolina, investigar qual seria o cone com maior volume que se poderia montar;

Leia mais

PLATAFORMA DE REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE ENSINO A DISTÂNCIA

PLATAFORMA DE REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE ENSINO A DISTÂNCIA Congresso de Métodos Numéricos em Engenharia 2015 Lisboa, 29 de Junho a 2 de Julho, 2015 APMTAC, Portugal, 2015 PLATAFORMA DE REDES SOCIAIS COMO FERRAMENTA DE ENSINO A DISTÂNCIA Thiago M. R. Dias 1, Elton

Leia mais

Física Experimental - Mecânica - Colchão de ar linear básico com unidade de fluxo II, sensor e cronômetro microcontrolado - EQ020R.

Física Experimental - Mecânica - Colchão de ar linear básico com unidade de fluxo II, sensor e cronômetro microcontrolado - EQ020R. Índice Remissivo... 5 Abertura... 6 Guarantee / Garantia... 7 Certificado de Garantia Internacional... 7 As instruções identificadas no canto superior direito da página pelos números que se iniciam pelos

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Astronomia, Metodologia, Ensino, Software livre

PALAVRAS-CHAVE: Astronomia, Metodologia, Ensino, Software livre DESENVOLVIMENTO DE UMA METODOLOGIA DE ENSINO DE ASTRONOMIA COM O USO DE SOFTWARE LIVRE FILHO, Valdinei Bueno Lima 1, PRADO, Valdiglei Borges 2, SOARES, Fabrízzio Alphonsus A. M. N. 3, MARTINS, Alessandro

Leia mais

E Possvel Reduzir a Din^amica a Cinematica? Departamento de Fsica. Universidade Federal de Alagoas. Cep 57072-970 Maceio -Alagoas - Brasil

E Possvel Reduzir a Din^amica a Cinematica? Departamento de Fsica. Universidade Federal de Alagoas. Cep 57072-970 Maceio -Alagoas - Brasil Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 18, n ọ 2, junho, 1996 89 E Possvel Reduzir a Din^amica a Cinematica? Antonio Jose Ornellas Farias e Jenner Barretto Bastos Filho Departamento de Fsica Universidade

Leia mais

ESTUDO INICIAL DO MAGNETÔMETRO DE AMOSTRA VIBRANTE. Allan Alves Machado¹; Álvaro Santos Alves²

ESTUDO INICIAL DO MAGNETÔMETRO DE AMOSTRA VIBRANTE. Allan Alves Machado¹; Álvaro Santos Alves² ESTUDO INICIAL DO MAGNETÔMETRO DE AMOSTRA VIBRANTE. Allan Alves Machado¹; Álvaro Santos Alves² 1. Bolsista FAPESB/UEFS, Graduando em Física, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail: allanalvesboy@hotmail.com

Leia mais

O ESTUDO DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA ATRAVÉS DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO

O ESTUDO DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA ATRAVÉS DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO O ESTUDO DA CONSERVAÇÃO DA ENERGIA MECÂNICA ATRAVÉS DE ATIVIDADES EXPERIMENTAIS COM MATERIAIS DE BAIXO CUSTO Jorge Alberto Lenz lenz@utfpr.edu.br Marcos Antonio Florczak florczak@utfpr.edu.br Universidade

Leia mais

No ano de 1687 foi publicado -com o imprimatur de S. Pepys- a Philosophiae naturalis principia mathematica de Isaac Newton (1643-1727).

No ano de 1687 foi publicado -com o imprimatur de S. Pepys- a Philosophiae naturalis principia mathematica de Isaac Newton (1643-1727). 2.1-1 2 As Leis de Newton 2.1 Massa e Força No ano de 1687 foi publicado -com o imprimatur de S. Pepys- a Philosophiae naturalis principia mathematica de Isaac Newton (1643-1727). As três Leis (leges)

Leia mais

QUEDA LIVRE. Permitindo, então, a expressão (1), relacionar o tempo de queda (t), com o espaço percorrido (s) e a aceleração gravítica (g).

QUEDA LIVRE. Permitindo, então, a expressão (1), relacionar o tempo de queda (t), com o espaço percorrido (s) e a aceleração gravítica (g). Protocolos das Aulas Práticas 3 / 4 QUEDA LIVRE. Resumo Uma esfera metálica é largada de uma altura fixa, medindo-se o tempo de queda. Este procedimento é repetido para diferentes alturas. Os dados assim

Leia mais

1 Medida do diâmetro do Sol utilizando uma câmera de orifício Versão 2.0 IBTF - Projeto Acessa Física - Atualizado em 18 de agosto de 2009 Projeto

1 Medida do diâmetro do Sol utilizando uma câmera de orifício Versão 2.0 IBTF - Projeto Acessa Física - Atualizado em 18 de agosto de 2009 Projeto Guia do Professor Experimento Medida do diâmetro do Sol utilizando uma câmera de orifício 1 Caro Professor(a), Esse guia visa apresentar o experimento produzido para trabalhar com a temática Óptica, assim

Leia mais

Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 21, no. 1, Marco, 1999 127. Proposta de um Laboratorio Didatico. para o estudo de Mec^anica

Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 21, no. 1, Marco, 1999 127. Proposta de um Laboratorio Didatico. para o estudo de Mec^anica Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 21, no. 1, Marco, 1999 127 Proposta de um Laboratorio Didatico em Microescala Assistido por Computador para o estudo de Mec^anica (Proposal of a Didactic Laboratory

Leia mais

Guia De Utilização Do Ambiente LMS

Guia De Utilização Do Ambiente LMS Conteúdo Introdução... 2 1. O que é o ambiente LMS... 3 2. Acesso ao ambiente LMS (Learning Management System)... 3 3. Localização e visualização dos cursos disponíveis... 4 4. Navegação entre categorias...

Leia mais

Laboratório de Física Básica 2

Laboratório de Física Básica 2 Objetivo Geral: Determinar a aceleração da gravidade local a partir de medidas de periodo de oscilação de um pêndulo simples. Objetivos específicos: Teoria 1. Obter experimentalmente a equação geral para

Leia mais

Relato do Uso de Simulação Computacional com Modelagem Matemática em Aulas de Cinemática no Ensino Médio

Relato do Uso de Simulação Computacional com Modelagem Matemática em Aulas de Cinemática no Ensino Médio Relato do Uso de Simulação Computacional com Modelagem Matemática em Aulas de Cinemática no Ensino Médio Daniela Cristina Barsotti 1 Rejane Cristina Trombini Pereira 2 Ducinei Garcia 3 Resumo Este trabalho

Leia mais

DIAGNÓSTICO DE DIFICULDADES CONCEITUAIS EM FÍSICA APRESENTADAS POR ACADÊMICOS INGRESSANTES EM CURSOS DA UFGD.

DIAGNÓSTICO DE DIFICULDADES CONCEITUAIS EM FÍSICA APRESENTADAS POR ACADÊMICOS INGRESSANTES EM CURSOS DA UFGD. DIAGNÓSTICO DE DIFICULDADES CONCEITUAIS EM FÍSICA APRESENTADAS POR ACADÊMICOS INGRESSANTES EM CURSOS DA UFGD. DIAGNOSIS OF CONCEPTUAL DIFFICULTIES IN PHYSICS PRESENTED BY STUDENTS IN COURSES OF UFGD. Fernando

Leia mais

O que é um Objeto Educacional? página 01. Objeto Educacional passo a passo página 05

O que é um Objeto Educacional? página 01. Objeto Educacional passo a passo página 05 O que é um Objeto Educacional? página 01 Objeto Educacional passo a passo página 05 O que é um Objeto Educacional A definição de Objeto Educacional, adotada pela equipe do projeto Arte com Ciência, é um

Leia mais

Proposta de ensino de Força peso e Aceleração da Gravidade para o ensino médio com uso de sensores da PASCO

Proposta de ensino de Força peso e Aceleração da Gravidade para o ensino médio com uso de sensores da PASCO Proposta de ensino de Força peso e Aceleração da Gravidade para o ensino médio com uso de sensores da PASCO Gilmar Wagner Guilherme Liguori Mateus H. R. Zaniti Rafael Henrique Campos Rogério Hisashi Honda

Leia mais

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso

Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Engenharia de Requisitos Estudo de Caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2007 Slide 1 Engenharia de Requisitos Exemplo 1 Reserva de Hotel 1. INTRODUÇÃO Este

Leia mais

232 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 2, Junho, 2000. A Avaliac~ao Conceitual de Forca e Movimento

232 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 2, Junho, 2000. A Avaliac~ao Conceitual de Forca e Movimento 232 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 22, no. 2, Junho, 2000 A Avaliac~ao Conceitual de Forca e Movimento (The Force and Motion Conceptual Evaluation) Arthur Marques Moraes e Itamar Jose Moraes

Leia mais

FÍSICA BRINCANDO E APRENDENDO (FI.BR.A.): DEMOSTRAÇÕES EXPERIMENTAIS, MOTIVANDO O APRENDIZADO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO

FÍSICA BRINCANDO E APRENDENDO (FI.BR.A.): DEMOSTRAÇÕES EXPERIMENTAIS, MOTIVANDO O APRENDIZADO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO FÍSICA BRINCANDO E APRENDENDO (FI.BR.A.): DEMOSTRAÇÕES EXPERIMENTAIS, MOTIVANDO O APRENDIZADO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO Área Temática: Educação: Educação Básica, Ensino Médio Equipe Executora: Antonio

Leia mais

O USO DO SOFTWARE WINPLOT NAS AULAS DE CÁLCULO DIFERENCIAL PARA A DISCUSSÃO DO CONCEITO DE COEFICIENTE ANGULAR DA RETA TANGENTE

O USO DO SOFTWARE WINPLOT NAS AULAS DE CÁLCULO DIFERENCIAL PARA A DISCUSSÃO DO CONCEITO DE COEFICIENTE ANGULAR DA RETA TANGENTE O USO DO SOFTWARE WINPLOT NAS AULAS DE CÁLCULO DIFERENCIAL PARA A DISCUSSÃO DO CONCEITO DE COEFICIENTE ANGULAR DA RETA TANGENTE Gisela Hernandes Gomes giselah@mackenzie.com.br Universidade Presbiteriana

Leia mais

Projeto CONDIGITAL Portas da Matemática Guia do Professor

Projeto CONDIGITAL Portas da Matemática Guia do Professor Projeto CONDIGITAL Portas da Matemática Guia do Professor Página 1 de 7 Caro(a) professor(a) Guia do Professor A utilização de simulações digitais como objetos de aprendizagem tem sido difundida atualmente

Leia mais

EDM 426 METODOLOGIA DO ENSINO DE FÍSICA 2 Professor: Maurício Pietrocola Alunos: João César Signorini Cardoso Fábio Gurian Castanho Lafaiete Souza

EDM 426 METODOLOGIA DO ENSINO DE FÍSICA 2 Professor: Maurício Pietrocola Alunos: João César Signorini Cardoso Fábio Gurian Castanho Lafaiete Souza EDM 426 METODOLOGIA DO ENSINO DE FÍSICA 2 Professor: Maurício Pietrocola Alunos: João César Signorini Cardoso Fábio Gurian Castanho Lafaiete Souza SEQÜÊNCIA DIDÁTICA TÓPICO: SEGUNDA LEI DE NEWTON ÊNFASE:

Leia mais

Uma análise qualitativa RESUMO

Uma análise qualitativa RESUMO Mostra Nacional de Iniciação Científica e Tecnológica Interdisciplinar III MICTI Fórum Nacional de Iniciação Científica no Ensino Médio e Técnico - I FONAIC-EMT Camboriú, SC, 22, 23 e 24 de abril de 2009

Leia mais

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO

Pós-Graduação em Educação: Novos Paradigmas GUIA DO ALUNO GUIA DO ALUNO Prezado(a) Aluno(a), O Guia do Aluno é um instrumento normativo que descreve os padrões de qualidade dos processos acadêmicos e administrativos necessários ao desenvolvimento dos cursos de

Leia mais

Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física

Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física Sistema Web de Ensino Voltado aos Conteúdos da Física Fábio Luiz P. Albini 1 Departamento de Informática, Instituto Federal do Paraná (IFPR) Curitiba, Paraná 81520-000, Brazil. fabio.albini@ifpr.edu.br

Leia mais

Colisão com o efeito estilingue

Colisão com o efeito estilingue Colisão com o efeito estilingue Aceito para publicação na Revista Brasileira de Ensino de Física Fernando Lang da Silveira IF-UFRGS lang@if.ufrgs.br Luci F. M. Braun braun.luci@gmail.com Thomas Braun IF-UFRGS

Leia mais

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB!

15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! 7 a e 8 a SÉRIES / ENSINO MÉDIO 15. OLHA QUEM ESTÁ NA WEB! Sua home page para publicar na Internet SOFTWARES NECESSÁRIOS: MICROSOFT WORD 2000 MICROSOFT PUBLISHER 2000 SOFTWARE OPCIONAL: INTERNET EXPLORER

Leia mais

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law Sérgio Leal a,b, João Paulo Leal a,c Horácio Fernandes d a Departamento de Química e Bioquímica, FCUL, Lisboa, Portugal b Escola Secundária com 3.º ciclo Padre António Vieira, Lisboa, Portugal c Unidade

Leia mais

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Clorisval Gomes Pereira Júnior Possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade de Brasília (1993), graduação em Educação Artística pela Universidade de Brasília (1989) e mestrado em Design

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Médio Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Área de conhecimento: CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Componente Curricular:

Leia mais

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site:

09/05/2012. O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: O Professor Plano de Disciplina (Competências, Conteúdo, Ferramentas Didáticas, Avaliação e Bibliografia) Frequência Nota Avaliativa Site: https://sites.google.com/site/professorcristianovieira Esta frase

Leia mais

ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING

ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II SNEA 2012 São Paulo, SP 122 ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING Maria de Fátima Oliveira Saraiva 1, Alexei

Leia mais

Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões

Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões Colégio Estadual Dr. Xavier da Silva EF e EM. PIBID - FÍSICA Disciplina: Física 1º Ano EM Turma:A Atividade Experimental Conteúdo: Colisões Aluno(a): Nº: Data: / /2014 INTRODUÇÃO: a) Se você pudesse escolher

Leia mais

Formação Continuada de Professores de Matemática: possibilidades de aprendizagem com o uso do software Klogo

Formação Continuada de Professores de Matemática: possibilidades de aprendizagem com o uso do software Klogo Formação Continuada de Professores de Matemática: possibilidades de aprendizagem com o uso do software Klogo Ádamo Duarte de Oliveira 1 Suely Scherer 2 Resumo O presente artigo apresenta alguns elementos

Leia mais

RESUMO. Palavras-chave: ensino do Cálculo, software Maple. INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras-chave: ensino do Cálculo, software Maple. INTRODUÇÃO O USO DO SOFTWARE MAPLE NO ENSINO DO CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Carmen Teresa Kaiber, Sandra Pacheco Renz Universidade Luterana do Brasil Brasil kaiber@ulbra.br, sp_renz@yahoo.com.br Campo de Investigación:

Leia mais

Ferramentas para Desenvolvimento Web

Ferramentas para Desenvolvimento Web Ferramentas para Desenvolvimento Web Profa. Dra. Joyce Martins Mendes Battaglia Mini Currículo Bel. em Ciência da Computação - Unib Mestre e doutora em Eng. Elétrica USP Professora /Coordenadora Pesquisadora

Leia mais

A órbita da Lua vista do Sol

A órbita da Lua vista do Sol Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 31, n. 4, 4301 (2009) www.sbfisica.org.br Artigos Gerais A órbita da vista do (The Moon s orbit seen from the Sun) C.E. Aguiar 1, D. Baroni e C. Farina Instituto

Leia mais

Construc~ao de um Aparato Experimental Destinado. a Demonstrac~ao do Efeito Provocado. pela forca de Coriolis. e Tito Jose Bonagamba

Construc~ao de um Aparato Experimental Destinado. a Demonstrac~ao do Efeito Provocado. pela forca de Coriolis. e Tito Jose Bonagamba 166 Revista Brasileira de Ensino de Fsica, vol. 20, n ọ 2, junho, 199 Construc~ao de um Aparato Experimental Destinado a Demonstrac~ao do Efeito Provocado pela forca de Coriolis (Construction of an experimental

Leia mais

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO

TECNICO EM INFORMATICA PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO (s15h PLANO DE ESTAGIO INTEGRADO A PROPOSTA PEDAGOGICA DO CURSO Curso: 500446 - TECNICO EM INFORMATICA Nivel: Tecnico Area Profissional: 0042 - COMERCIO-TEC Area de Atuacao: 0440 - BANCO DADOS/COMERCIO-TEC

Leia mais

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para:

Curso de Educação Profissional Técnica de Nível Médio Subseqüente ao Ensino Médio, na modalidade a distância, para: INSTITUIÇÃO: IFRS CAMPUS BENTO GONÇALVES CNPJ: 94728821000192 ENDEREÇO: Avenida Osvaldo Aranha, 540. Bairro Juventude. CEP: 95700-000 TELEFONE: (0xx54) 34553200 FAX: (0xx54) 34553246 Curso de Educação

Leia mais

Conteúdo Programático de PHP

Conteúdo Programático de PHP Conteúdo Programático de PHP 1 Por que PHP? No mercado atual existem diversas tecnologias especializadas na integração de banco de dados com a WEB, sendo o PHP a linguagem que mais se desenvolve, tendo

Leia mais

Avaliação Ergonômica da Usabilidade da Navegação Estrutural

Avaliação Ergonômica da Usabilidade da Navegação Estrutural Felipe Ferraz Pereira Memoria Avaliação Ergonômica da Usabilidade da Navegação Estrutural Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo Programa

Leia mais

CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA

CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM PROL DA ECONOMIA SOLIDÁRIA ÁREA: ECONOMIA SOCIAL, DA SAÚDE, SOLIDÁRIA E DO TRABALHO Área 6. Economia Social, Economia da Saúde, Economia Solidária e Economia do Trabalho (Trabalho completo) CURSO ABERTO CIRANDAS.NET: ATUANDO EM

Leia mais

Projeto CONDIGITAL Altos e Baixos da Função Guia do Professor

Projeto CONDIGITAL Altos e Baixos da Função Guia do Professor Projeto CONDIGITAL Altos e Baixos da Função Guia do Professor Página 1 de 7 Guia do Professor Caro(a) professor(a) A utilização de simulações digitais como objetos de aprendizagem tem sido difundida atualmente

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA MULTIMIDIA PARA O ENSINO DEDINÂMICA DE MÚLTIPLOS CORPOS

DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA MULTIMIDIA PARA O ENSINO DEDINÂMICA DE MÚLTIPLOS CORPOS DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMA MULTIMIDIA PARA O ENSINO DEDINÂMICA DE MÚLTIPLOS CORPOS Ilmar Ferreira Santos Rodrigo Fernandes de Carvalho UNICAMP - Faculdade de Engenharia Mecânica Departamento de Projeto

Leia mais

Uso de simulações em computador em aulas de laboratório de Física

Uso de simulações em computador em aulas de laboratório de Física Uso de simulações em computador em aulas de laboratório de Física Prof. Dr. V. B. Barbeta e Prof. MSc. J. M. Bechara Departamento de Física, FEI - Faculdade de Engenharia Industrial Fundação de Ciências

Leia mais

XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA

XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA Plutão SAR - SOCIEDADE ASTRONÔMICA DO RECIFE XI CURSO DE INTRODUÇÃO À ASTRONOMIA INTRODUÇÃO TEÓRICA E OBSERVACIONAL R 1 Introdução Este curso destina-se a todas as pessoas interessadas por observações

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 3 Internet, Browser e E-mail. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 3 Internet, Browser e E-mail. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 3 Internet, Browser e E-mail Professora: Cintia Caetano SURGIMENTO DA INTERNET A rede mundial de computadores, ou Internet, surgiu em plena Guerra Fria, no final da década de

Leia mais

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA

CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNAMBUCANO DIREÇÃO DE ENSINO DEPARTAMENTO DE ENSINO SUPERIOR 1. Perfil do Curso CURSO DE LICENCIATURA

Leia mais

Utilização de Softwares Gráficos no Estudo de Funções

Utilização de Softwares Gráficos no Estudo de Funções Universidade Federal do Paraná UFPR Utilização de Softwares Gráficos no Estudo de Funções Amanda Carvalho de Oliveira Juliana Rodrigues de Araújo Marcelo José Cardozo Caldeira Mayara Poyer da Silva Verediana

Leia mais

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4

Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4 Ambiente Moodle 2º Semestre de 2010 Modelo A4 Apresentação dos Professores Carla Kozan- Administração (4º Sem), Direito Matutino (4º Sem), Direito Noturno (4º Sem) Ciências Contábeis (4º Sem), Computação

Leia mais

ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX. SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo

ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX. SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo ADMINISTRAÇÃODEREDES BASEADASEM LINUX SalvadorAlvesdeMeloJúnioreIsmaelSouzaAraújo INFORMAÇÃOECOMUNICAÇÃO Autor Salvador Alves de Melo Júnior e Ismael Souza Araújo Salvador Alves de Melo Júnior: Mestre

Leia mais

Lição 4 Avaliação na EAD

Lição 4 Avaliação na EAD Estudo e Aprendizado a Distância 89 Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: identifi car a fi nalidade de um objetivo de aprendizagem; identifi car o conceito de avaliação da aprendizagem;

Leia mais

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste B. Teste Intermédio. Versão 1

Física e Química A. Teste Intermédio de Física e Química A. Teste B. Teste Intermédio. Versão 1 Teste Intermédio de Física e Química A Teste B Teste Intermédio Física e Química A Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 17.03.2009 11.º ou 12.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação História da Informática na Educação e na Sociedade. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação História da Informática na Educação e na Sociedade. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação História da Informática na Educação e na Sociedade Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após vermos um breve conceito de T.I. e T.I.Cs abordarmos a partir de

Leia mais

Ivan Guilhon Mitoso Rocha. As grandezas fundamentais que serão adotadas por nós daqui em frente:

Ivan Guilhon Mitoso Rocha. As grandezas fundamentais que serão adotadas por nós daqui em frente: Rumo ao ITA Física Análise Dimensional Ivan Guilhon Mitoso Rocha A análise dimensional é um assunto básico que estuda as grandezas físicas em geral, com respeito a suas unidades de medida. Como as grandezas

Leia mais

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br

frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br Internet Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.brcamboriu.edu.br O que é Internet? Uma rede de computadores consiste de dois ou mais computadores ligados entre si e compartilhando

Leia mais

ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM

ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM ESTRATÉGIAS METACOGNITIVAS NA RESOLUÇÃO DE UM PROBLEMA DE OTIMIZAÇÃO COM APOIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM Gilmer Jacinto Peres 1 Instituto Federal do Norte de Minas Gerais gilmerperes@gmail.com Maria

Leia mais

Design pedagógico Módulo IV

Design pedagógico Módulo IV Energia Design pedagógico Módulo IV Escolha do tópico O que um aluno entre 14 e 18 anos acharia de interessante neste tópico? Que aplicações / exemplos do mundo real podem ser utilizados para engajar os

Leia mais

Software Tutorial sobre Sistema Solar

Software Tutorial sobre Sistema Solar Software Tutorial sobre Sistema Solar Alan Correa, Antônio Rocir, Sandro Niederauer Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) Rua 24 de maio, 141 95520-000 Osório RS Brasil {sandroniederauer, alan.sms}@hotmail.com,

Leia mais

Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico e fazer um ajuste linear

Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico e fazer um ajuste linear LABORATÓRIO DE FÍSICA EXPERIMENTAL 1 DEPARTAMENTO DE FÍSICA - DAFIS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ - UTFPR Tratamento de Dados Utilizando o SciDAVis Tutorial Parte 1 Como construir um gráfico

Leia mais

Algoritmos e Programação I

Algoritmos e Programação I Algoritmos e Programação I Introdução a Computação Prof. Fernando Maia da Mota mota.fernandomaia@gmail.com CPCX/UFMS Fernando Maia da Mota 1 Computadores são dispositivos que só sabem fazer um tipo de

Leia mais

DEVELOPMENT APPLETS IN SOFTWARE GEOGEBRA

DEVELOPMENT APPLETS IN SOFTWARE GEOGEBRA GERANDO APPLETS NO SOFTWARE GEOGEBRA Larissa de S. Moreira 1, Gilmara T. Barcelos 2, Silvia C. F. Batista 2 1 Professora do C. E. Cel João Batista de Paula Barroso 2 Doutoranda em Informática na Educação

Leia mais

Dicas para elaborar um relatório científico

Dicas para elaborar um relatório científico Dicas para elaborar um relatório científico Prof. Dr. Jean Jacques Bonvent Laboratório de Física Geral Universidade de Mogi das Cruzes A elaboração de um relatório científico é um exercício bastante importante

Leia mais

Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino '

Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino ' I Motrivivencia Ano X111, N 2 18, p. 103-107 Marco/2002 Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino ' Mario Roberto Guarizi Prof Dr Viktor Shigunov ( Ofientador)3

Leia mais

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01

Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0. Tutorial HTML. versão 4.01 Fone: (19) 3234-4864 E-mail: editora@komedi.com.br Site: www.komedi.com.br HTM3.0 Tutorial HTML versão 4.01 K O M Σ D I Copyright by Editora Komedi, 2007 Dados para Catalogação Rimoli, Monica Alvarez Chaves,

Leia mais

O Uso da Internet como forma de Aprendizado para a Disciplina de Redes de Computadores do Curso de Graduação em Informática da PUCRS

O Uso da Internet como forma de Aprendizado para a Disciplina de Redes de Computadores do Curso de Graduação em Informática da PUCRS O Uso da Internet como forma de Aprendizado para a Disciplina de Redes de Computadores do Curso de Graduação em Informática da PUCRS RESUMO Katia Barbosa Saikoski katia@music.pucrs.br Pontifícia Universidade

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia de Configuração do Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Avisos legais Copyright 2013, CA. Todos os direitos reservados. Garantia

Leia mais

VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA

VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA VERIFICAÇÃO DA APRENDIZAGEM DE UNIVERSITÁRIOS QUE USARAM UM SOFTWARE EDUCATIVO SOBRE LÓGICA Resumo Elaine Pasqualini 1 - FATEC-OURINHOS Sílvia H. de Oliveira Santos 2 - FATEC-OURINHOS Viviane de F. Bartholo

Leia mais

AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS

AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS AULA 4 - ESPELHOS ESFÉRICOS Meta: - Fazer que o estudante comece a pensar no ensino de ciências como algo orgânico que está em profunda transformação; - Fazer com que os alunos percebam, através de uma

Leia mais

CIX DISCUSSÕES METODOLÓGICAS. Estratégias Ludopedagógicas no Ensino da Contabilidade. Romualdo Douglas Colauto Silvia Pereira de Castro Casa Nova

CIX DISCUSSÕES METODOLÓGICAS. Estratégias Ludopedagógicas no Ensino da Contabilidade. Romualdo Douglas Colauto Silvia Pereira de Castro Casa Nova CIX DISCUSSÕES METODOLÓGICAS Estratégias Ludopedagógicas no Ensino da Contabilidade Romualdo Douglas Colauto Silvia Pereira de Castro Casa Nova 1 Uma introdução Doug LEMOV (2011) estudou o comportamento

Leia mais

ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING

ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING II Simpósio Nacional de Educação em Astronomia II SNEA 2012 São Paulo, SP 1 ASTRONOMIA E ASTROFÍSICA A DISTÂNCIA ASTRONOMY AND ASTROPHYSICS BY DISTANCE LEARNING Resumo Produzimos um material didático para

Leia mais

UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista F I P P - Faculdade de Informática de Presidente Prudente

UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista F I P P - Faculdade de Informática de Presidente Prudente 1º TERMO NOTURNO - 2009 31/03/09 3ª feira 20:50 h A ADMINISTRAÇÃO 01/04/09 4ª feira 19:00 h A1/A2 INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO 02/04/09 5ª feira 19:00 h A1 LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA I 02/04/09 5ª feira 20:50

Leia mais

A formação dos professores universitários para ensinar a distância: o estado da arte em Santa Catarina

A formação dos professores universitários para ensinar a distância: o estado da arte em Santa Catarina Anais do XXVI Congresso da SBC WIE l XII Workshop de Informática na Escola 14 a 20 de julho de 2006 Campo Grande, MS A formação dos professores universitários para ensinar a distância: o estado da arte

Leia mais

Demonstrac~oes de Reex~ao Total. (Demonstration of total internal reection for high school students)

Demonstrac~oes de Reex~ao Total. (Demonstration of total internal reection for high school students) 296 Revista Brasileira de Ensino de Fsica vol. 20, no. 3, Setembro, 1998 Demonstrac~oes de Reex~ao Total Interna para Alunos do Segundo Grau (Demonstration of total internal reection for high school students)

Leia mais

Somos a primeira escola de nanças a oferecer cursos de preparação online (ao vivo) para os exames do CFA.

Somos a primeira escola de nanças a oferecer cursos de preparação online (ao vivo) para os exames do CFA. A SHP Training é líder no Brasil na preparação de pro ssionais para quali cações reconhecidas internacionalmente no mercado nanceiro. Somos a primeira escola de nanças a oferecer cursos de preparação online

Leia mais

Questão discursiva número 4 do Provão 2000 do MEC para a Licenciatura em Física

Questão discursiva número 4 do Provão 2000 do MEC para a Licenciatura em Física Questão discursiva número 4 do Provão000 do MEC para a Licenciatura em Física Fernando Lang da Silveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Instituto de Física Caixa Postal 15051 91501-970

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE CURSO A DISTÂNCIA ENTRE USP E UNIVERSIDADE DO TENNESSEE APLICADA AO ENSINO DE ENGENHARIA MECÂNICA

EXPERIÊNCIA DE CURSO A DISTÂNCIA ENTRE USP E UNIVERSIDADE DO TENNESSEE APLICADA AO ENSINO DE ENGENHARIA MECÂNICA EXPERIÊNCIA DE CURSO A DISTÂNCIA ENTRE USP E UNIVERSIDADE DO TENNESSEE APLICADA AO ENSINO DE ENGENHARIA MECÂNICA Silmara A. S. Vicente 1, Márcia M. Maru 2, Rui G. T. de Almeida 3, Linilson R. Padovese

Leia mais

Sistema de Informação Integrado

Sistema de Informação Integrado Sistema de Informação Integrado Relatório de Atividades Centro de Referência em Informação Ambiental, CRIA Novembro, 2005 Trabalho Realizado As atividades básicas previstas para o primeiro trimestre do

Leia mais

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta

INTRODUÇÃO: 1 - Conectando na sua conta INTRODUÇÃO: Com certeza a reação da maioria dos que lerem esse mini manual e utilizarem o servidor vão pensar: "mas porque eu tenho que usar um console se em casa eu tenho uma interface gráfica bonito

Leia mais

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE

O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE O USO DO SOFTWARE GEOGEBRA COMO METODOLOGIA DE ENSINO DE MATEMÁTICA NO 9º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO COLÉGIO SÃO JOÃO BATISTA, CEDRO-CE ¹C. J. F. Souza (ID); ¹M. Y. S. Costa (ID); ²A. M. Macêdo (CA)

Leia mais