O discurso de mídia em relação a mulher 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O discurso de mídia em relação a mulher 1"

Transcrição

1 O discurso de mídia em relação a mulher 1 GLÁUCIA PEREIRA DE SOUZA UNIVERSIDADE CATOLICA DE BRASILIA O objetivo desta comunicação é fazer uma primeira discussão sobre o discurso da mídia em relação à mulher, através da análise de um comercial de shampoo veiculado na televisão para o público feminino, envolvendo a linguagem verbal e não-verbal, tendo como referencial teórico e metodológico a Análise de discurso, criada por Michel Pechêux na França na década de 60 do século XX. A análise é feita a partir dos recursos que a publicidade usa, para manipular e seduzir o seu público-alvo, e assim colocar os processos históricos e ideológicos de construção e representação de sujeito e de sentidos em funcionamento para que haja uma re-interpretação do que está sendo transmitido para o telespectador, considerando as diferentes posições de sujeito aí envolvidas. A linguagem publicitária usa recursos estilísticos e argumentos da linguagem cotidiana para informar e manipular o comportamento e a mentalidade do usuário. Portanto, ela tenta convencer e mudar (ou conservar) a opinião do público, estabelecer relações de sentido com o sujeito-leitor a partir de um discurso que, no caso da propaganda que irei analisar, é direcionado, quase exclusivamente, às mulheres com a finalidade de persuadi-las ao consumo em determinada direção, através de processos de identificação. Para a Análise do Discurso, o discurso não é apenas a transmissão de informação, é efeito de sentido entre locutores (Pêcheux: 1990). O discurso não é a fala, não é o texto. Mas é através da fala e dos textos que atingimos o discurso fazendo sentido, e analisamos as situações em que é produzido; analisamos como a ideologia existente em toda mensagem, que não é mera transmissão de informação, significa para e na relação entre sujeitos, levando em consideração as várias posições enunciativas e o contexto histórico mais amplo em que se produz o discurso. Assim começo minha análise mencionando o contexto imediato uma das condições de produção do discurso - visto nos comerciais do shampoo Seda, que circulou 1 Comunicação apresentada na IV Semana Universitária da Universidade Católica de Brasília, em 2003.

2 2 em vários canais de televisão. Gostaria de dizer que, nesta comunicação, com resultados iniciais de uma pesquisa maior, vou me deter mais na análise da linguagem verbal, deixando para outra ocasião uma analise mais especifica da linguagem não-verbal e das relações entre as duas. Como disse no início, este trabalho busca compreender como a mulher, o feminino, circula em uma sociedade chamada da informação, do conhecimento, mas também uma sociedade do mercado, do consumo. Quem será essa mulher do início do século XXI no Brasil? Que tipo de subjetividade a mídia ajuda a construir, a reproduzir? Sabemos que a mulher, principalmente a partir de meados do século XX, passou a participar mais da vida pública e social, reivindicando direitos e assumindo posições de luta contra o preconceito e a dependência masculina. Trabalhar fora, exigir melhores salários e se firmar como chefe de família foram acontecimentos que começaram a revolucionar a história, mudando o conceito de sexo frágil que vigorava até então e justificava as atitudes violentas e machistas dos homens que subjugavam a mulher, condicionando-a a posição de mãe e esposa sem direito de participação. Mas existe uma ambigüidade na noção de sujeito que precisa ser compreendido através de sua historicidade, indicando que as mudanças não se acontecem tão tranqüilamente nem de forma linear. É o que pretendemos com a análise desse comercial.vejamos então, como essa subjetividade irá ser trabalhada em seu funcionamento. O comercial inicia com quatro amigas reunidas em uma sala de estar, trocando experiências intimas relativas ao cotidiano do casamento. Uma delas conta que para sair da rotina realiza as fantasias do marido. E começa a descrever de como se veste toda vez que precisa usar de artifícios para quebrar o gelo do relacionamento e fazer o seu casamento (o seu marido) pegar fogo. Enquanto ela vai falando são apresentados vários flashes em quadros que mostram cenas nas quais ela usou vestimentas diferentes para seduzir e satisfazer o seu parceiro. Diz as amigas: ontem eu me vesti de camareira, e a cena a mostra vestida de camareira arrumando a cama. Quando ela volta à cena, diz: serviço completo. Noutra ela aparece vestida de vaqueira, bebendo leite, toda vestida de couro de vaca e tendo o som de um mugido de fundo; voltando à cena ela diz: bobeou, eu laço. Na última cena, ela aparece como mulher fatal vestida com roupas sensuais, levando um chicote na mão e dizendo: faça comigo o que quiser. O discurso de mídia em relação a mulher Gláucia Pereira de Souza

3 3 Em cada um desses quadros, ela aparece com um penteado de cabelo diferente, ou seja, a realização dessas fantasias implicou na modificação do cabelo, e para isso teve que recorrer a vários recursos, como escovas e penteados que estragam as madeixas. Assim, logo depois que ela termina de narrar as suas façanhas, uma das amigas comenta: mas o seu cabelo está todo detonado! Ela então responde: pois é, detonei!. O comercial fecha esse quadro da conversa entre as mulheres e dá início a um outro quadro em que mostra a personagem lavando os cabelos danificados com o shampoo Seda e, logo em seguida, o resultado obtido com a lavagem: os cabelos ficaram macios, soltos e brilhantes. A finalização do comercial é dada a partir da chegada do marido, surpreso e feliz, por ver que a esposa, que o espera, está com cabelos sedosos e bonitos. O quadro da encenação é fechado com uma pergunta seguida de resposta. Seus cabelos estão danificados? Use shampoo Seda Ceramidas e troque seu cabelo danificado por um saudável. Como o pensar esse comercial em um contexto-histórico e ideológico, que nos remete a um discurso determinado mais amplo da cidadania, da emancipação, dos direitos adquiridos da mulher, mencionado no início do nosso trabalho? O papel ou função da mulher na sociedade mudou, ou parece que mudou (o comercial nos deixa em dúvida), a partir dos anos 60, no século passado, com os movimentos feministas e, principalmente, com a invenção da pílula anticoncepcional, que proporcionou a revolução cultural na família e no ambiente doméstico, trazendo liberdade, colocando fim ao sexo com finalidade exclusiva de procriação. A propaganda do shampoo, em uma primeira leitura parece estar afinada com essas mudanças, pois valoriza a mulher liberada que fala abertamente de sexo, de fantasias e, mais, que faz, que pratica outros modos de relacionamento íntimo. Uma mulher que nada mais tem, parece, daquela mulher reprimida, que não tinha liberdade e era dominada pelo poder machista; uma mulher que deixou a posição de Amélia e passou a ser mulher de verdade, responsável pelos seus próprios atos e decisões. Mas numa volta ao texto, em uma leitura mais atenta, observamos, contudo, que existem ali dizeres que retomam outros dizeres produzidos antes e em outros lugares, como serviço completo, que estão filiados a formações discursivas, referidas a formações ideológicas, extremamente conservadoras. A AD relaciona, pois, o dito com o já-dito Grupo de Estudos Discursivos

4 4 histórico, mostrando a presença de posições de sujeito e de ideologias diferentes. Quando se veste de camareira para satisfazer as fantasias do marido, o sujeito retorna à posição de submissão que era imposta as mulheres; e para serem boas esposas teriam que ser prendadas, domésticas, ou seja, fazer o serviço completo. Neste processo de mudança da condição feminina no decorrer da história, coexistem posições de sujeito contrárias em uma mesma mulher. Existe o sujeito que se determina pelo que diz, como na frase do comercial: ontem me vesti de camareira... e que, ao mesmo tempo, é determinado pela exterioridade, o que fica evidente na próxima frase: serviço completo, remetendo a um sentido instituído pela história na relação do sujeito com a língua e que faz parte das condições de produção do discurso. Na fantasia de mulher fatal, o sujeito se coloca como objeto sexual, à disposição das fantasias masculinas: uma mulher usável e descartável. Traz também vestígios de um tempo em que mulher era sinônimo de pecado. Santa ou prostituta. Propaga o sexo pelo sexo, satisfazendo apenas às vontades do companheiro e anulando os seus desejos. Já na fantasia de vaqueira ela se mostra como posse do seu marido, como um animal de lucro a ser vendido por cabeça. A posição de sujeito feminino moderno é, na verdade, ambígua, dividida, pois com as transformações da sociedade dita do conhecimento, da tecnologia, diferentemente do que pensam dizem as próprias mulheres, continua funcionando, ao mesmo tempo, um imaginário de sentidos estabilizados sobre a mulher, e sobre o homem e suas relações. Agora é mais complexo, pois não se pode negar certos direitos, mas permanecem alianças, conflitos e confrontos com velhos dizeres e fazeres. Houve um deslocamento da submissão que deixou de vir dos pais ou marido e, agora, é exercida pela mídia e publicidade: a mulher se submete livremente aos encantos e miragens da beleza, vendida em qualquer farmácia ou supermercado. Virou escrava do consumo e o produto é vendido usando a imagem antiga para significar a imagem moderna enunciada. Podemos concluir, provisoriamente, que o shampoo, na verdade, é a personagem principal, uma posição-sujeito, a do mercado, que passa a funcionar como elemento dominante e a estabelecer significado na e para a vida de outros sujeitos. É remédio para quebrar a rotina do casamento que não está bem - uma relação entre sujeitos -, e transformá-lo no casamento dos sonhos. O shampoo-sujeito sabe diagnosticar os problemas O discurso de mídia em relação a mulher Gláucia Pereira de Souza

5 5 e apresentar as soluções. Constitui-se e se reproduz como posição na e para a ideologia das classes dominantes com seus valores, gostos, atitudes, e comportamentos. Bibliografia ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios & procedimentos. Campinas, SP: Pontes, ORLANDI, E. P. Análise de discurso: princípios & procedimentos. Campinas, SP: Pontes, PÊCHEUX, M. Análise automática do discurso (AAD-69). In: GADET, F. e HAK, T. (orgs.) Por uma análise automática do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Trad. Bethânia Mariani... [et al.]. Campinas/SP: Editora da Unicamp, 1990, Grupo de Estudos Discursivos

Subjetividade, afetividade, mídia 1

Subjetividade, afetividade, mídia 1 Subjetividade, afetividade, mídia 1 Edneuza Alves Universidade Católica de Brasília Nesta comunicação, analiso e discuto o relacionamento afetivo do homem moderno através da mídia, tomando como recorte

Leia mais

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN)

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) 25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) Introdução Nesta pesquisa, desenvolve-se um trabalho pautado nos

Leia mais

ESCUTANDO DISCURSIVAMENTE A ESCRITA DE SUJEITOS ADOLESCENTES SOBRE QUESTÕES DE CORPO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA

ESCUTANDO DISCURSIVAMENTE A ESCRITA DE SUJEITOS ADOLESCENTES SOBRE QUESTÕES DE CORPO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA ESCUTANDO DISCURSIVAMENTE A ESCRITA DE SUJEITOS ADOLESCENTES SOBRE QUESTÕES DE CORPO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA Rubens Prawucki (Centro Universitário - Católica de SC) 1- Iniciando as reflexões: O objetivo

Leia mais

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO Janaína Fernandes Possati Faculdade de Letras Centro de Linguagem e Comunicação janainapossati@bol.com.br Resumo: Objetivamos analisar, sob o

Leia mais

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia.

** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança e não pode ser copiado ou reproduzido sem a autorização prévia. * Este texto corresponde à visão da autora Marcia Dib e todas as informações aqui contidas são de inteira responsabilidade da autora. ** O texto aqui reproduzido é de propriedade do MUD - Museu da Dança

Leia mais

CHARGES ELETRÔNICAS: SOM, ANIMAÇÃO, HUMOR E CRÍTICAS

CHARGES ELETRÔNICAS: SOM, ANIMAÇÃO, HUMOR E CRÍTICAS CHARGES ELETRÔNICAS: SOM, ANIMAÇÃO, HUMOR E CRÍTICAS Larissa Fávaro de Oliveira Souza Camila Aparecida Baptista (G - CLCA - UENP/CJ) Vera Maria Ramos Pinto (Orientadora - CLCA - UENP/CJ) Introdução Inserida

Leia mais

Os cinco papeis do homem e da mulher

Os cinco papeis do homem e da mulher Os cinco papeis do homem e da mulher Por Lincoln Máximo Alves 2014 O que uma mulher espera de um homem? Sigla: P.A.P.A.S Pai Amigo Príncipe Amante Servo 1 Papel de PAI A esposa perdeu o pai quando saiu

Leia mais

MULHER VIP DESEJO E FETICHE : REPRESENTAÇÕES ICÔNICAS

MULHER VIP DESEJO E FETICHE : REPRESENTAÇÕES ICÔNICAS MULHER VIP DESEJO E FETICHE : REPRESENTAÇÕES ICÔNICAS Camila Machado de Souza (IC Voluntária - UNICENTRO) Drª Níncia Cecília Ribas Borges Teixeira (Orientadora) ninciaborgesteixeira@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM. A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da

FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM. A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da FANTASIAS SEXUAIS INFANTIS, AS CRIANÇAS FALAM Maria Elisa França Rocha A intenção deste trabalho foi escutar crianças pequenas a respeito da sexualidade, bem como conhecer suas fantasias e as teorias que

Leia mais

A MULHER NAS PROPAGANDAS DE LINGERIE: OS EFEITOS DE SENTIDOS VEICULADOS EM REVISTAS FEMININAS.

A MULHER NAS PROPAGANDAS DE LINGERIE: OS EFEITOS DE SENTIDOS VEICULADOS EM REVISTAS FEMININAS. A MULHER NAS PROPAGANDAS DE LINGERIE: OS EFEITOS DE SENTIDOS VEICULADOS EM REVISTAS FEMININAS. Tânia Maria Augusto Pereira, Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande

Leia mais

5 Discussão dos Resultados

5 Discussão dos Resultados 5 Discussão dos Resultados Este capítulo apresenta a análise e a interpretação dos dados extraídos das entrevistas com as consumidoras de baixa renda. Primeiramente, serão abordadas as buscas pelos valores

Leia mais

PALAVRA CHAVE: Cerveja; Publicidade; mulher.

PALAVRA CHAVE: Cerveja; Publicidade; mulher. REPRESENTAÇÃO FEMININA NAS CAMPANHAS DE CERVEJA 1 Carollyne Vieira Kindermann 2 Nincia Ribas Borges Teixeira 3 Universidade Estadual do Centro Oeste - UNICENTRO RESUMO Na sociedade patriarcal em que vivemos

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS

AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS AS CONTRIBUIÇÕES DO SUJEITO PESQUISADOR NAS AULAS DE LEITURA: CONSTRUÇÃO DE SENTIDOS ATRAVÉS DAS IMAGENS INTRODUÇÃO Ângela Mª Leite Aires (UEPB) (angelamaryleite@gmail.com) Luciana Fernandes Nery (UEPB)

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA O CASAMENTO UMA PALESTRA PARA FILHOS E PAIS

PREPARANDO-SE PARA O CASAMENTO UMA PALESTRA PARA FILHOS E PAIS PREPARANDO-SE PARA O CASAMENTO UMA PALESTRA PARA FILHOS E PAIS Judith Sonja Garbers - Psicóloga Jörg Garbers Ms. de Teologia PERGUNTAS FREQUENTES Quem deve pedir em casamento? Que idade deve ter? Quanto

Leia mais

DIETA DO SEXO - DISCURSOS SOBRE FEMININO/MASCULINO EM UMA PROPAGANDA DE PRESERVATIVOS: MEMÓRIA DISCURSIVA, INTERPRETAÇÃO E DESLIZAMENTO DE SENTIDOS

DIETA DO SEXO - DISCURSOS SOBRE FEMININO/MASCULINO EM UMA PROPAGANDA DE PRESERVATIVOS: MEMÓRIA DISCURSIVA, INTERPRETAÇÃO E DESLIZAMENTO DE SENTIDOS DIETA DO SEXO - DISCURSOS SOBRE FEMININO/MASCULINO EM UMA PROPAGANDA DE PRESERVATIVOS: MEMÓRIA DISCURSIVA, INTERPRETAÇÃO E DESLIZAMENTO DE SENTIDOS Verônica Rodrigues Times 1 Texto e Discurso: delimitando

Leia mais

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com

PDF created with pdffactory Pro trial version www.pdffactory.com Tema:Humor Você vai ler a seguir um fragmento da peça teatral Lua nua, de Leilah Assunção, que foi encenada em várias cidades do país entre 1986 e 1989, sempre com grande sucesso de público e de crítica.

Leia mais

REPRESENTAÇÕES DE CULTURA SURDA DE ALUNOS DA DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE LIBRAS

REPRESENTAÇÕES DE CULTURA SURDA DE ALUNOS DA DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE LIBRAS Introdução REPRESENTAÇÕES DE CULTURA SURDA DE ALUNOS DA DISCIPLINA FUNDAMENTOS DE LIBRAS Ana Rachel Carvalho Leão 1 Este trabalho tem por objetivo apresentar algumas representações sobre cultura surda

Leia mais

Mudanças de paradigmas no estereotipo da mulher na propaganda

Mudanças de paradigmas no estereotipo da mulher na propaganda UMESP Universidade Metodista de São Paulo Mudanças de paradigmas no estereotipo da mulher na propaganda Autoras: Celeste Marinho Manzanete Roberta Baldo Orientador: Profº Dr. Gino Giacomini Filho São Bernardo

Leia mais

O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI

O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI 1517 O GÊNERO MASCULINO NA CONSTRUÇÃO DO TEXTO PUBLICITÁRIO EM JORNAIS DO SÉCULO IX E XXI Flaviano Carvalho de Souza Pibic/CNPq - UFPB Ana Cristina de Sousa Aldrigue PROLING - UFPB Muitas mudanças ocorreram

Leia mais

A CONSTITUIÇÃO DISCURSIVA DE INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS NA MÍDIA: ITAÚ PERSONNALITÉ E BANCO DO BRASIL

A CONSTITUIÇÃO DISCURSIVA DE INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS NA MÍDIA: ITAÚ PERSONNALITÉ E BANCO DO BRASIL 381 A CONSTITUIÇÃO DISCURSIVA DE INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS NA MÍDIA: ITAÚ PERSONNALITÉ E BANCO DO BRASIL Andréia Nogueira Ferreira UNIFRAN Mª Silvia Olivi Louzada UNIFRAN O universo do discurso engloba os

Leia mais

O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista

O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista O Filme Matrix, Segundo a Teoria Marxista Fabíola dos Santos Cerqueira O homem tem de viver em dois mundos que se contradizem (...) O espirito afirma o seu direito e a sua dignidade perante a anarquia

Leia mais

"O Ano Internacional da Mulher:

O Ano Internacional da Mulher: "O Ano Internacional da Mulher: Brasileiras s e Encontram para Falar de s e u s P r o b l e m a s " BRANCA MOREIRA ALVES Faculdades Cândido Mendes Rio Até há alguns anos atrás, não existia o "problema

Leia mais

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1

O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 O Valor Ideológico na Propaganda de Cerveja 1 Nathália Sene GARIERI/ Licenciada em História Aline Rafaela Portílio LEMES Aline Aparecida SILVA Samuel Douglas Farias COSTA RESUMO A propaganda ocupa um largo

Leia mais

Fábio e Valéria Stetner. Alcançando Nações através da restauração da família

Fábio e Valéria Stetner. Alcançando Nações através da restauração da família Famílias com Propósito DELAS e DELES Fábio e Valéria Stetner Alcançando Nações através da restauração da família Best seller: HIS NEEDS HER NEEDS Construindo um Casamento à prova de traições (Willard Harley

Leia mais

O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT

O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT O FUNCIONAMENTO DA INCLUSÃO/EXCLUSÃO, EM RECORTES DE DISCURSOS DE SUJEITOS COTISTAS, NA UNEMAT 1. Introdução Adelita Balbinot 1 Olímpia Maluf-Souza 2 As condições de produção dos discursos em torno das

Leia mais

ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail.

ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail. ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail.com 1. Introdução As línguas se modificam de acordo com as necessidades

Leia mais

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO FACETAS DA MULHER BRASILEIRA: VISÃO DAS BRASILEIRAS SOBRE A IMAGEM DA MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO Fevereiro 2016 A MULHER NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO O que mais incomoda no discurso/posição que a mulher

Leia mais

(Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo

(Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo (Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo Greciely Cristina da Costa * Resumo: A noção de paráfrase é abordada sob distintas perspectivas lingüísticas. Neste trabalho aponto três

Leia mais

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer.

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer. ESTUDO 24 SIRVAM UNS AOS OUTROS Sinônimos: Ajudem-se mutuamente. Cada um use o seu próprio dom para o bem dos outros. O nosso mundo emprega vários critérios para avaliar a grandeza de alguém. É grande

Leia mais

DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA

DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA DITADURA MILITAR: O DISCURSO DE MULHERES NO CONFLITO POR TERRA NA REGIÃO DO ARAGUAIA Juliany Teixeira Reis 1 Judite Gonçalves Albuquerque 2 Esta pesquisa foi inicialmente objeto de uma monografia de graduação

Leia mais

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores?

Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Entrevista Noemi Rodrigues (Associação dos Pescadores de Guaíba) e Mário Norberto, pescador. Por que de ter uma associação específica de pescadores? Noemi: É a velha história, uma andorinha não faz verão,

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 III A JOGOS DIVERTIDOS Fizemos dois campeonatos com a Turma da Fazenda, o primeiro com o seguinte trajeto: as crianças precisavam pegar água em um ponto e levar até o outro,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL IV SEAD - SEMINÁRIO DE ESTUDOS EM ANÁLISE DO DISCURSO 1969-2009: Memória e história na/da Análise do Discurso Porto Alegre, de 10 a 13 de novembro de 2009 A MULHER

Leia mais

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO

A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO A INFORMAÇÃO E A FORMAÇÃO BECK, Eliane Maria Cabral (UNIOESTE)² PALAVRAS-CHAVE: interpretação, interlocutor, contexto. Resumo: Pretende-se, com este trabalho, analisar a transmissão de informação expressa

Leia mais

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Senhora Presidente da CIG, Caras parceiras e parceiro de mesa, Caras senhoras e caros senhores, É com grande

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DO DISCURSO DE ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS DA BOMBRIL

ANÁLISE COMPARATIVA DO DISCURSO DE ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS DA BOMBRIL ANÁLISE COMPARATIVA DO DISCURSO DE ANÚNCIOS PUBLICITÁRIOS DA BOMBRIL Jhonatas Garagnani de Souza Juliano Cesar Teixeira Leandro Manzalli de Oliveira Paula Fernanda L. de Carvalho (G-UENP/CLCA-CJ) Vera

Leia mais

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2

A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 A DOMÉSTICA (FILME CURTA) Final 2 Roteiro de Alcir Nicolau Pereira Versão de OUTUBRO/2012. 1 A DOMÉSTICA (FILME-CURTA) ---------------------------------------------------------------- PERSONAGENS Empregada

Leia mais

Introdução Já acessou rede social Acessam semanalmente Acessam diariamente USA Brasil Argentina México

Introdução Já acessou rede social Acessam semanalmente Acessam diariamente USA Brasil Argentina México O século XIX ficou conhecido como o século europeu; o XX, como o americano. O século XXI será lembrado como o Século das Mulheres. (Tsvi Bisk, Center for Strategic Futurist Thinking, 2008) A Sophia Mind,

Leia mais

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Unidade IV. Ciência - O homem na construção do conhecimento. APRENDER A APRENDER LÍNGUA PORTUGUESA APRENDER A APRENDER DINÂMICA LOCAL INTERATIVA A A Unidade IV Ciência - O homem na construção do conhecimento. 2 A A Aula 39.2 Conteúdos: Anúncio publicitário: A construção de um anúncio publicitário. 3 A A Habilidades: Relacionar linguagem verbal

Leia mais

Jörg Garbers Ms. de Teologia

Jörg Garbers Ms. de Teologia Conhecendo-se O meu cônjuge o ser estranho Jörg Garbers Ms. de Teologia O que valoriza a mulher? Comunicação Dar e receber carinho e amor Sinceridade O que valoriza homem? Atividade em companhia Satisfação

Leia mais

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate )

Roteiro de Áudio. SOM: abertura (Vinheta de abertura do programa Hora do Debate ) Roteiro de áudio. Programa: Hora de Debate. Campanhas.../ Monica G. Zoppi-Fontana 1 Roteiro de Áudio Episódio 1 Combatendo o preconceito: argumentação e linguagem Programa Hora de Debate. Campanhas de

Leia mais

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 GIL, Bruna; BOTTON, Andressa 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Psicóloga, formada pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação

7º Ano 8º Ano 9º Ano. Ficha de avaliação 1. As principais diferenças entre as raparigas na infância e a adolescência são: Aumento das mamas, alargamento da anca e crescimento de pelos púbicos Aparecimento da menstruação, crescimento de pelos

Leia mais

Pesquisa Científica e Método. Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin

Pesquisa Científica e Método. Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin Pesquisa Científica e Método Profa. Dra. Lívia Perasol Bedin A Pesquisa e o Metodo Cientifico Definir modelos de pesquisa Método, entre outras coisas, significa caminho para chegar a um fim ou pelo qual

Leia mais

PROVA ERASMUS DA LINGUA PORTUGUESA 25 DE ABRIL DE 2014 25 DE ABRIL DE 2014

PROVA ERASMUS DA LINGUA PORTUGUESA 25 DE ABRIL DE 2014 25 DE ABRIL DE 2014 PROVA ERASMUS DA LINGUA PORTUGUESA 25 DE ABRIL DE 2014 Nome completo: 25 DE ABRIL DE 2014 PARTE 1: Compreensão da leitura e expressão escrita 1. Leia o seguinte texto e responda com verdadeiro ou falso

Leia mais

A invasão do funk: embates entre racismo e conhecimento na sala de aula

A invasão do funk: embates entre racismo e conhecimento na sala de aula CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS VANESSA COUTO SILVA A invasão do funk: embates entre racismo e conhecimento na sala de aula SÃO PAULO 2012 Introdução Este trabalho buscará uma problematização

Leia mais

Aceite Amar 1. Ed Carlos dos Santos SILVA 2 Thalysa DONATO 3 Lamounier LUCAS 4 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG

Aceite Amar 1. Ed Carlos dos Santos SILVA 2 Thalysa DONATO 3 Lamounier LUCAS 4 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG Aceite Amar 1 Ed Carlos dos Santos SILVA 2 Thalysa DONATO 3 Lamounier LUCAS 4 Centro Universitário Newton Paiva, Belo Horizonte, MG RESUMO O presente trabalho acadêmico refere-se à ONG GPH (Grupo de Pais

Leia mais

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO

NA LOJA DE CHAPÉUS. Karl Valentin. Personagens. Vendedora. Valentin ATO ÚNICO NA LOJA DE CHAPÉUS De Karl Valentin Personagens Vendedora Valentin ATO ÚNICO Bom dia, senhor. O que deseja? Um chapéu. Que tipo de chapéu? Um chapéu pra botar na cabeça. Certamente, meu senhor, um chapéu

Leia mais

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS.

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. Carolina de Paula Machado 1 A análise semântica de uma palavra, que não se paute por uma visão formal,

Leia mais

Desenho animado: um brinquedo ou uma arma na formação da criança?

Desenho animado: um brinquedo ou uma arma na formação da criança? Desenho animado: um brinquedo ou uma arma na formação da criança? Karen Kohn 1 Resumo Esta resenha foi elaborada a partir da análise de alguns desenhos animados, veiculados pela televisão aberta, e posterior

Leia mais

1 O que é terapia sexual

1 O que é terapia sexual 1 O que é terapia sexual Problemas, das mais diversas causas, estão sempre nos desafiando, dificultando o nosso diaa-dia. A vida é assim, um permanente enfrentamento de problemas. Mas existem alguns que

Leia mais

Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder

Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder Os ritos de iniciação: Identidades femininas e masculinas e estruturas de poder Por Conceição Osório Este texto foi apresentado num encontro que teve lugar em Maputo, em 2015, com parceiros da CAFOD (agência

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

APRENDENDO A SER MULHER COM A REVISTA NOVA ESCOLA

APRENDENDO A SER MULHER COM A REVISTA NOVA ESCOLA APRENDENDO A SER MULHER COM A REVISTA NOVA ESCOLA Tatiana da Silva Silveira - IFSUL Angela Dillmann Nunes Bicca - IFSUL Resumo: Neste texto, desenvolvido sob a perspectiva dos Estudos Culturais de inspiração

Leia mais

A Importância da Família na Educação

A Importância da Família na Educação A Importância da Família na Educação Não caminhes à minha frente Posso não saber seguir-te. Não caminhes atrás de mim Posso não saber guiar-te. Educadora Social Dra. Joana Valente Caminha antes a meu lado

Leia mais

Tesouro em vaso de barro. Quando o natural é visitado pelo sobrenatural

Tesouro em vaso de barro. Quando o natural é visitado pelo sobrenatural Tesouro em vaso de barro Quando o natural é visitado pelo sobrenatural Consagração Enchendo o vaso com o tesouro - parte 2 Jz. 14 Sansão desceu até a cidade de Timna e ali viu uma moça filisteia. Voltou

Leia mais

Coleção: Encantando a Gramática. Autora: Pâmela Pschichholz* palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes.

Coleção: Encantando a Gramática. Autora: Pâmela Pschichholz* palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes. Coleção: Encantando a Gramática Autora: Pâmela Pschichholz* Um lugar diferente Em um vilarejo chamado classes Gramaticais moram todas as palavras que existem no mundo. Lá, várias famílias vivem felizes.

Leia mais

Anna Júlia Pessoni Gouvêa, aluna do 9º ano B

Anna Júlia Pessoni Gouvêa, aluna do 9º ano B DEPOIMENTOS A experiência que tive ao visitar o Centro Islâmico de Campinas foi diferente e única. É fascinante conhecer novas culturas e outras religiões, poder ver e falar com outro povo e sentir o que

Leia mais

Técnicas de Apresentação e Negociação

Técnicas de Apresentação e Negociação Curso: Logística Profa. Ms. Edilene Garcia Técnicas de Apresentação e Negociação Roteiro da teleaula APRESENTAÇÕES ORAIS Importância; Técnicas para planejar e executar uma apresentação. NEGOCIAÇÕES EMPRESARIAIS

Leia mais

5 Passos para vender mais com o Instagram

5 Passos para vender mais com o Instagram 5 Passos para vender mais com o Instagram Guia para iniciantes melhorarem suas estratégias ÍNDICE 1. Introdução 2. O Comportamento das pessoas na internet 3. Passo 1: Tenha um objetivo 4. Passo 2: Defina

Leia mais

SENTIMENTOS DE USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS LÍCITAS E ILÍCITAS: PROCESSO DE RESSOCIALIZAÇÃO

SENTIMENTOS DE USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS LÍCITAS E ILÍCITAS: PROCESSO DE RESSOCIALIZAÇÃO SENTIMENTOS DE USUÁRIOS DE SUBSTÂNCIAS LÍCITAS E ILÍCITAS: PROCESSO DE RESSOCIALIZAÇÃO Terezinha Possa 1 Solânia Durman 2 INTRODUÇÃO: Este é um trabalho monográfico do Curso de Especialização em Saúde

Leia mais

As prostitutas de BH perguntam: e a gente, como fica?

As prostitutas de BH perguntam: e a gente, como fica? As prostitutas de BH perguntam: e a gente, como fica? Categories : Copa Pública Date : 18 de setembro de 2012 Maria Aparecida Menezes Vieira, a Cida, de 46 anos, há mais de 20 anos faz ponto na rua Afonso

Leia mais

14 segredos que você jamais deve contar a ele

14 segredos que você jamais deve contar a ele Link da matéria : http://www.dicasdemulher.com.br/segredos-que-voce-jamais-deve-contar-aele/ DICAS DE MULHER DICAS DE COMPORTAMENTO 14 segredos que você jamais deve contar a ele Algumas lembranças e comentários

Leia mais

1 ANÁLISE DISCURSIVA DO TELECURSO 2000 - O MÓDULO DE LÍNGUA. A presente análise se insere no âmbito das pesquisas sobre o emprego da

1 ANÁLISE DISCURSIVA DO TELECURSO 2000 - O MÓDULO DE LÍNGUA. A presente análise se insere no âmbito das pesquisas sobre o emprego da 1 ANÁLISE DISCURSIVA DO TELECURSO 2000 - O MÓDULO DE LÍNGUA PORTUGUESA A presente análise se insere no âmbito das pesquisas sobre o emprego da teleaula no ensino. Para tanto, elegemos analisar um material

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Área - Relações Interpessoais

Área - Relações Interpessoais Área - Relações Interpessoais Eu e os Outros ACTIVIDADE 1 Dar e Receber um Não. Dar e Receber um Sim. Tempo Previsível 60 a 90 m COMO FAZER? 1. Propor ao grupo a realização de situações de role play, em

Leia mais

A INTERPRETAÇÃO DO LIVRO DE IMAGENS: UMA ANÁLISE EM CONSTRUÇÃO

A INTERPRETAÇÃO DO LIVRO DE IMAGENS: UMA ANÁLISE EM CONSTRUÇÃO A INTERPRETAÇÃO DO LIVRO DE IMAGENS: UMA ANÁLISE EM CONSTRUÇÃO Carolina Fernandes 1 Neste trabalho, apresento algumas considerações sobre a (re)construção teóricometodológica do dispositivo de análise

Leia mais

2.4. A (auto) avaliação. Pré-escolar

2.4. A (auto) avaliação. Pré-escolar Guião de Educação. Género e Cidadania Pré-escolar 2.4. A (auto) avaliação Na sequência das questões já analisadas a nível da organização do grupo, há que ter em conta a forma como quem educa processa a

Leia mais

PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO

PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO [ Pág 2 Capa 1 Objectivos 3 Introdução... 4 Como fazer uma negociação eficaz... 5 Preparar a Negociação. 6 Cuidar da Apresentação.. 7 Escolher o Método de Negociação. 8 Regra da

Leia mais

12º Seminário de Extensão O HOMEM E SUA SAÚDE: AÇÕES INICIAIS DE CUIDADOS COM A SAÚDE MASCULINA

12º Seminário de Extensão O HOMEM E SUA SAÚDE: AÇÕES INICIAIS DE CUIDADOS COM A SAÚDE MASCULINA 12º Seminário de Extensão O HOMEM E SUA SAÚDE: AÇÕES INICIAIS DE CUIDADOS COM A SAÚDE MASCULINA Autor(es) RAFAEL PEETZ BONACHELLI Co-Autor(es) IVONÉSIO LEITE DE SOUZA Orientador(es) FÁBIO ROGÉRIO DOS SANTOS

Leia mais

Introdução. De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein

Introdução. De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein Introdução De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein O que a filosofia tem a ver com o dia a dia? Tudo! Na verdade,

Leia mais

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial

O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento de Interação e comunicação de pessoas com surdocegueira e com deficiência múltipla sensorial 1 O uso do passaporte da comunicação no desenvolvimento

Leia mais

A IDENTIDADE SEXUAL DOS JOVENS DA COMUNIDADE CATÓLICA MOVIMENTO ALIANÇA DE MISERICÓRIDA

A IDENTIDADE SEXUAL DOS JOVENS DA COMUNIDADE CATÓLICA MOVIMENTO ALIANÇA DE MISERICÓRIDA A IDENTIDADE SEXUAL DOS JOVENS DA COMUNIDADE CATÓLICA MOVIMENTO ALIANÇA DE MISERICÓRIDA Juliana de Oliveira Mendonça Ribeiro UFMS Resumo: Mesmo diante do apelo sexual do discurso midiático e da liberdade

Leia mais

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO

JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO JOGO DE PALAVRAS OU RELAÇÕES DE SENTIDOS? DISCURSOS DE LICENCIANDOS SOBRE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PRODUÇÃO DE TEXTOS EM UMA AVALIAÇÃO Tatiana Galieta (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) Introdução

Leia mais

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria

A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria A Cura de Naamã - O Comandante do Exército da Síria Samaria: Era a Capital do Reino de Israel O Reino do Norte, era formado pelas 10 tribos de Israel, 10 filhos de Jacó. Samaria ficava a 67 KM de Jerusalém,

Leia mais

1. O que existe por trás do mundo?

1. O que existe por trás do mundo? Existem vários caminhos para se chegar à verdade. Os raciocínios que acabamos de discutir são apenas alguns deles e, talvez, não sejam completos nem suficientes para muitas pessoas. No entanto, existem

Leia mais

QUESTÃO 1 Texto para as questões 1, 2 e 3.

QUESTÃO 1 Texto para as questões 1, 2 e 3. Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSARÁ O 7º ANO EM 2012 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: QUESTÃO 1 Texto para as questões 1, 2 e 3. Considere as afirmações I.

Leia mais

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1

1. Pateo do Collegio conhecia não conhecia não responderam 16 18 0. 1. Pateo do Collegio gostei não gostei não responderam 33 0 1 1. Pateo do Collegio conhecia conhecia 16 18 0 1. Pateo do Collegio gostei gostei 33 0 1 Pateo do Collegio 3% Pateo do Collegio gostei 0% conhecia 53% conhecia 47% gostei 97% Por quê? Aprendi mais sobre

Leia mais

STEVEN CARTER. Sou uma. mulher inteligente. porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa

STEVEN CARTER. Sou uma. mulher inteligente. porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa STEVEN CARTER Sou uma mulher inteligente porque... Dicas para você se valorizar e transformar sua vida amorosa Introdução Você se considera uma mulher inteligente? Antes de responder, tenha em mente o

Leia mais

Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade contemporânea

Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade contemporânea Fazendo Gênero 8 - Corpo, Violência e Poder Florianópolis, de 25 a 28 de agosto de 2008 Porque o homem não muda. Evolui. Um estudo sobre a relação entre masculinidade, paternidade e publicidade na sociedade

Leia mais

ENTREVISTA DE EMPREGO. Prof. Hamilton Ferreira de Assis aprimore.capacitacao@hotmail.com www.aprimore.net

ENTREVISTA DE EMPREGO. Prof. Hamilton Ferreira de Assis aprimore.capacitacao@hotmail.com www.aprimore.net ENTREVISTA DE EMPREGO Prof. Hamilton Ferreira de Assis aprimore.capacitacao@hotmail.com www.aprimore.net CNPJ: 13.103.583/0001-28 Rua Tomé de Souza, 418, Sarandi. Candeias-Ba E-mail: aprimore.capacitacao@hotmail.com

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado?

Pesquisa Instituto Avon / Data Popular. Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Pesquisa Instituto Avon / Data Popular Violência contra a mulher: o jovem está ligado? Com quem falamos? Jovens brasileiros Mulheres Homens Pesquisa online Autopreenchimento Amostra nacional de 16 a 24

Leia mais

Violência Doméstica e Violência no Namoro

Violência Doméstica e Violência no Namoro Violência Doméstica e Violência no Namoro Formanda: Maria do Rosário Pascalino Andrade do Amaral Formadoras: Cândida Ramoa Isabel Leitão Oficina de Formação: C441 A Educação Sexual em Meio Escolar: Metodologias

Leia mais

ORGANIZANDO MEU LAR PARA O SUCESSO Diretora Executiva Isolda Rodrigues

ORGANIZANDO MEU LAR PARA O SUCESSO Diretora Executiva Isolda Rodrigues ORGANIZANDO MEU LAR PARA O SUCESSO Diretora Executiva Isolda Rodrigues FAÇA A DIFERENÇA Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor excede o de rubis Pv 31:10 Seja um exemplo dentro da sua casa Fale com

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

Transcriça o da Entrevista

Transcriça o da Entrevista Transcriça o da Entrevista Entrevistadora: Valéria de Assumpção Silva Entrevistada: Ex praticante Clarice Local: Núcleo de Arte Grécia Data: 08.10.2013 Horário: 14h Duração da entrevista: 1h COR PRETA

Leia mais

FUNÇÕES DA LINGUAGEM. Professor Jailton www.professorjailton.com.br

FUNÇÕES DA LINGUAGEM. Professor Jailton www.professorjailton.com.br FUNÇÕES DA LINGUAGEM Professor Jailton www.professorjailton.com.br Comunicação e Intencionalidade discursiva / Funções Intrínsecas do Texto Elementos básicos da comunicação; Texto e discurso/ a intenção

Leia mais

EMANANCIPAÇÃO E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO FEMININO: AS TRABALHADORAS DOS SUPERMERCADOS

EMANANCIPAÇÃO E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO FEMININO: AS TRABALHADORAS DOS SUPERMERCADOS 1 EMANANCIPAÇÃO E PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO FEMININO: AS TRABALHADORAS DOS SUPERMERCADOS Deanne Teles Cardoso - Mestranda em Geografia/PPG/UFG/CAC/Membro do NEPSA/UFG/CAC. deannetc@hotmail.com José Vieira

Leia mais

Não Aceite Ser Tratada Como Objeto. Exija Respeito 1

Não Aceite Ser Tratada Como Objeto. Exija Respeito 1 Não Aceite Ser Tratada Como Objeto. Exija Respeito 1 Najara Magali KREUSCH 2 Fernando Rodrigues DAMACENO 3 Adriane Rodrigues DAMACENO 4 Aline Beatriz da SILVA 5 Bruna de Oliveira CARVALHO 6 Anderson SACHETTI

Leia mais

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1

FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 FOTONOVELA E SUAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS 1 Francisco José da Silva ROCHA Filho 2 Nathalia Aparecida Aires da SILVA 3 Sebastião Faustino PEREIRA Filho 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal,

Leia mais

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA 1 SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA Bruna Carreira Barcaroli Jéssica Gonçalves Evangelista¹ Orientadora: Profª. Drª. Sheila F. P. de Oliveira Resumo:

Leia mais

O DIZER SOBRE A INTERATIVIDADE NO DISCURSO ACERCA DA TELEVISÃO DIGITAL NO BRASIL: DA AUTONOMIA AO APAGAMENTO DO SUJEITO TELESPECTADOR

O DIZER SOBRE A INTERATIVIDADE NO DISCURSO ACERCA DA TELEVISÃO DIGITAL NO BRASIL: DA AUTONOMIA AO APAGAMENTO DO SUJEITO TELESPECTADOR O DIZER SOBRE A INTERATIVIDADE NO DISCURSO ACERCA DA TELEVISÃO DIGITAL NO BRASIL: DA AUTONOMIA AO APAGAMENTO DO SUJEITO TELESPECTADOR Silmara Cristina Dela Silva 1 Este trabalho é parte de uma pesquisa

Leia mais

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa

FIM DE SEMANA. Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa FIM DE SEMANA Roteiro de Curta-Metragem de Dayane da Silva de Sousa CENA 1 EXTERIOR / REUNIÃO FAMILIAR (VÍDEOS) LOCUTOR Depois de uma longa semana de serviço, cansaço, demoradas viagens de ônibus lotados...

Leia mais

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República

30/09/2008. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, com perguntas respondidas pelo presidente Lula Manaus-AM,

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais