PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de 2013."

Transcrição

1 PORTARIA GSF N 38/2013 Teresina (PI), 10 de junho de Publicado no DOM n 1.528, de Dispõe sobre procedimentos para solicitações referentes ao Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU, inclusive reclamação contra lançamento, no âmbito da Secretaria Municipal de Finanças. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FINANÇAS de Teresina, Estado do Piauí, no uso de suas atribuições legais e, considerando o que dispõem os artigos 484, 517, inciso I, 522, 523 e 524, da Lei Complementar nº 3.606, de 29 de dezembro de 2006, acerca da instauração de processos de reclamação contra lançamento do IPTU, bem como de outras solicitações relativas a este imposto, RESOLVE: Art. 1º Os procedimentos necessários para instrumentalizar as solicitações relativas ao Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU, inclusive reclamação contra lançamento, serão definidos nesta Portaria, os quais deverão ser adotados tanto pelo sujeito passivo, ou seu representante legal, quanto pelo servidor municipal. Parágrafo único. Os documentos necessários para instrução dos pedidos estão definidos no Anexo Único desta Portaria. Art. 2º O sujeito passivo que não concordar com o lançamento de IPTU poderá apresentar reclamação, com efeito suspensivo, no prazo de 30 (trinta) dias, contados da data da notificação do lançamento, conforme disposto no art. 522, da Lei Complementar nº 3.606, de Parágrafo único. A notificação de lançamento do IPTU dar-se-á nos termos do disposto no art. 15, 4º, 5º e 6º, da Lei Complementar nº 3.606, de Art. 3º As solicitações serão protocoladas em uma das Unidades de Atendimento ao Público, da Secretaria Municipal de Finanças SEMF, pelo

2 proprietário do imóvel, seu possuidor ou titular do seu domínio útil, ou por seu representante legal, dirigidas ao Secretário Municipal de Finanças e encaminhadas à Gerência Executiva de IPTU, para análise, devendo ser fundamentadas e instruídas com prova documental dos fatos alegados, nos termos do Anexo Único desta Portaria. 1º Tratando-se de reclamação contra lançamento, a relação contenciosa somente é instaurada nos casos em que o sujeito passivo, no prazo de 30 (trinta) dias, contados da ciência, manifeste discordância com o novo lançamento de que trata o art. 4º desta Portaria ou com o indeferimento do pedido, casos em que os autos dos processos serão encaminhados ao Contencioso Administrativo Tributário, para julgamento da reclamação pela Junta de Julgamento Tributário. 2º No requerimento deverá ser alegado, de uma só vez, todos os fundamentos legais que motivaram a reclamação. 3º Não havendo manifestação de inconformidade pelo sujeito passivo, o processo será concluído na Gerência Executiva de IPTU. Art. 4º A reclamação formalizada até a data limite para pagamento em cota única, bem como aquela formalizada após esta data, porém dentro do prazo definido no art. 2º desta Portaria, julgada procedente, implicará em outro lançamento do imposto, com novo vencimento e opção para pagamento em cota única, nas mesmas condições do lançamento original. 1º Caso o contribuinte não recolha o imposto e nem apresente manifestação contra o novo lançamento, sujeitar-se-á ao pagamento do débito acrescido de multa, juros moratórios e atualização monetária na forma prescrita no art. 38, da Lei Complementar nº 3.606, de º Não será objeto de novo lançamento o imposto cuja reclamação tenha sido indeferida ou que seja declarada intempestiva. 3º A reclamação será rejeitada ou indeferida quando for verificado que a mesma tem objetivo protelatório, de modo a retardar o cumprimento da obrigação tributária. Art. 5º Os processos que tratarem de alteração de nome do contribuinte, instruídos com Registro de Imóvel e Contrato de Compra e Venda ou Contrato de Promessa de Compra e Venda, quitados ou sem cláusula de arrependimento, deverão ser

3 encaminhados à Gerência Executiva de ITBI para proceder à notificação do contribuinte em relação ao lançamento deste imposto. Art. 6º Os processos com pedido de alteração de nome do contribuinte só serão atendidos após a quitação dos débitos existentes, exclusão dos débitos por prescrição ou implantação de isenção, conforme o caso. Art. 7º Em todos os processos formalizados nas Unidades de Atendimento ao Público, relacionados com o Cadastro Imobiliário, deverão ser anexados Memória de Cálculo e Extrato de Débito do imóvel objeto da solicitação, além dos documentos discriminados no Anexo Único desta Portaria. Portaria GSF nº 010/2010. Art. 8º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação e revoga a Gabinete da Secretaria Municipal de Finanças, em Teresina (PI), 27 de maio de Certifique-se, Publique-se, Cumpra-se. ADMILSON BRASIL LUSTOSA FILHO Secretário Municipal de Finanças

4 ANEXO ÚNICO DOCUMENTOS EXIGIDOS PARA FORMAÇÃO DE PROCESSO NA SEMF 1. ALTERAÇÃO DE NOME DO CONTRIBUINTE c) documentos comprobatórios do pedido de alteração (registro de imóvel atualizado, com data de emissão com, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda, contrato de promessa de compra e venda, termo de doação ou permuta, atestado de óbito e formal de partilha, no caso de alteração em favor de algum herdeiro; e) comprovante de endereço do adquirente. 2. ALTERAÇÃO DE ENDEREÇO PARA CORRESPONDÊNCIA

5 por terceiros; d) comprovante de endereço do contribuinte; e e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, máximo 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente. 3. MUDANÇA DE UTILIZAÇÃO DO IMÓVEL d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente. 4. DECLARAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE INSCRIÇÃO NO CADASTRO IMOBILIÁRIO - Requerimento padrão assinado pelo interessado ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de a) qualificação do requerente (nome completo ou razão social, endereço b) cópia de CPF e RG do requerente ou cópia do CNPJ, quando pessoa jurídica; e

6 por terceiros. 5. DECLARAÇÃO EXISTÊNCIA DE INSCRIÇÃO NO CADASTRO IMOBILIÁRIO d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente. 6. IMUNIDADE DO IPTU - Requerimento padrão assinado pelo dirigente da instituição ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público-UAP; a) qualificação do contribuinte (razão social, endereço completo, , telefone, nome de pessoa para contato); b) cópia do CNPJ da instituição e cópia do CPF e RG do dirigente;

7 d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública. 7. ISENÇÃO DE IPTU 7.1. Imóvel residencial com valor venal de até R$ ,00 b) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil; d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente Servidor Municipal imóvel residencial com valor venal de até R$ ,00 - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; b) cópia de CPF e RG do proprietário;

8 d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública Ex - Combatente imóvel residencial - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; b) cópia de CPF e RG do proprietário; c) certidão de ex-combatente; e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública Associações Recreativas, Desportivas e de Serviço Social - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; a) qualificação do contribuinte (razão social, endereço completo, , telefone e nome de pessoa para contato); b) cópia do CNPJ da instituição e cópia do CPF e RG do dirigente; d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública.

9 7.5. Portador de Câncer ou AIDS imóvel residencial com valor venal de até ,00 - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; a) qualificação do contribuinte (nome completo, endereço completo, , telefone e nome de pessoa para contato); b) cópia de CPF e RG do proprietário; c) Exames médicos com laudos comprobatórios da doença; e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública Imóveis Contemplados Com Incentivos Fiscais (Lei nº 2.528/1997) - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; b) cópia de CNPJ da empresa beneficiária; c) cópia do decreto que concedeu o incentivo fiscal e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública Imóveis de Preservação Ambiental

10 - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública Imóveis Tombados - Requerimento padrão assinado pelo proprietário do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Unidade de Atendimento ao Público - UAP; d) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano. 8. RESTITUIÇÃO DE IPTU

11 inscrição imobiliária a) guia do imposto pago, original ou cópia; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço completo, e- mail, telefone e nome de pessoa para contato); c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e) cópia de certidão de registro de imóvel atualizada, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente. 9. RECLAMAÇÃO DE TRIBUTOS NÃO BAIXADOS inscrição imobiliária a) guia do imposto pago, original ou cópia; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e) cópia de certidão de registro de imóvel atualizada, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente. 10. RECLAMAÇÃO CONTRA LANÇAMENTO DO IPTU

12 - Razões de fato e de direito em que se fundamenta a reclamação, contendo: c) documentos comprobatórios da reclamação (registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública; contrato de compra e venda ou documento equivalente; planta baixa, desmembramento ou remembramento aprovados pela SDU; habite-se; convenção do condomínio ou croqui do terreno e/ou da edificação, quando o contribuinte do imóvel for apenas possuidor do mesmo; etc., conforme o caso); por terceiros; e) laudo de avaliação do imóvel elaborado por profissional ou empresa habilitada, quando a reclamação versar apenas sobre o valor venal base de cálculo do IPTU ou apenas sobre a redução do valor do imposto. 11. EXCLUSÃO DE LANÇAMENTO inscrição imobiliária a) documentos comprobatórios da solicitação (cópia de certidão de registro de imóvel atualizada, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública; contrato de compra e venda ou documento equivalente; habite-se; planta baixa, desmembramento ou remembramento aprovados pela SDU; etc., conforme o caso; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço

13 c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e por terceiros. 12. REATIVAÇÃO DE INSCRIÇÃO CANCELADA OU CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO EM DUPLICIDADE inscrição imobiliária a) documentos comprobatórios da solicitação (cópia de certidão de registro de imóvel atualizada, com data de emissão com data de máximo 01 (um) ano ou escritura pública; contrato de compra e venda ou documento equivalente; habite-se; planta baixa, desmembramento ou remembramento aprovados pela SDU; etc., conforme o caso; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e por terceiros. 13. CERTIDÃO DE INTEGRAÇÃO DO IMÓVEL AO CADASTRO IMOBILIÁRIO

14 c) documentos comprobatórios da titularidade do imóvel objeto da solicitação (registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda, contrato de promessa de compra e venda ou outro documento, conforme o caso; d) planta atualizada e aprovada pela SDU, quando houver alteração na área construída; e) comprovante de pagamento da taxa de expediente; e f) instrumento de procuração particular com firma reconhecida ou por terceiros. 14. MEMÓRIA DE CÁLCULO E BOLETIM DE INFORMAÇÕES CADASTRAIS- BIC c) comprovante de pagamento da taxa de expediente; e por terceiros. 15. DESMEMBRAMENTO OU REMEMBRAMENTO DO IPTU

15 inscrição imobiliária a) guia do imposto pago, original ou cópia; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço c) documentos comprobatórios da solicitação (projeto de loteamento, desmembramento ou remembramento aprovados pela SDU; croqui do terreno e edificação, se houver, quando o contribuinte do imóvel for apenas possuidor do mesmo); d) documentos comprobatórios da titularidade do imóvel objeto da solicitação (registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda, contrato de promessa de compra e venda ou outro documento, conforme o caso); e) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e f) instrumento de procuração particular com firma reconhecida ou por terceiros. 16. TRANSFERÊNCIA DE PAGAMENTO DO IPTU inscrição imobiliária a) cópia da guia do imposto pago indevidamente e guia do imposto a ser regularizado com a transferência de pagamento; b) qualificação do contribuinte (nome completo ou razão social, endereço c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil,

16 e) cópia de certidão de registro de imóvel atualizada, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda ou documento equivalente, quando o imóvel que deverá receber o pagamento transferido, não esteja cadastrado em nome do requerente. 17. DECLARAÇÃO DE ISENÇÃO DE IPTU por terceiros; d) comprovante de pagamento da taxa de expediente; e e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão de, no máximo, 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda, contrato de promessa de compra e venda, termo de doação ou permuta ou documento equivalente, conforme o caso, quando o imóvel objeto da solicitação, não esteja cadastrado em nome do requerente. 18. CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITO DE IPTU

17 e por terceiros. 19. PRESCRIÇÃO DE DÉBITO útil do imóvel ou procurador habilitado, devidamente preenchido na Procuradoria Geral do Município; c) Certidão Negativa de Ajuizamento de Execução Fiscal em nome do contribuinte constante na Certidão de Dívida Ativa-CDA; e) registro de imóvel atualizado, com data de emissão com data de máximo 01 (um) ano ou escritura pública, contrato de compra e venda, contrato de promessa de compra e venda, termo de doação ou permuta ou documento equivalente, conforme o caso. 20. CADASTRAMENTO DE IMÓVEL a) documentos comprobatórios da solicitação (cópia do registro de imóvel atualizada, com data de emissão com data de máximo 01 (um) ano ou escritura pública; contrato de compra e venda ou documento equivalente; b) qualificação do contribuinte do imóvel (nome completo ou razão social, endereço

18 c) cópia de CPF e RG do proprietário, possuidor ou titular do domínio útil, e por terceiros.

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título.

O contribuinte do IPTU é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil ou o seu possuidor, a qualquer título. IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO IPTU FATO GERADOR E INCIDÊNCIA O Imposto Predial e Territorial Urbano - IPTU tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou posse de todo e qualquer bem imóvel

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA FORMALIZAR PROCESSOS 01) ALTERAÇÃO DE DADOS NO CADASTRO IMOBILIÁRIO FISCAL ; - Registro do imóvel (emissão com menos de 1 ano); - CPF e identidade do titular ou dos sócios

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA DECRETO Nº 13.346, DE 24 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei Complementar nº 4.403, de 5 de junho de 2013, que Estabelece obrigação de uso do sistema ITBI

Leia mais

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA

ESTADO DO PIAUÍ PREFEITURA MUNICIPAL DE TERESINA LEI Nº 3.256, DE 24 DE DEZEMBRO DE 2003 Institui o programa de recuperação de créditos tributários da fazenda pública municipal REFIM e dá outras providências. Piauí Lei: O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA,

Leia mais

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV,

O Prefeito Municipal de Resende, no exercício das atribuições, que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, em seu artigo 74, inciso XV, DECRETO Nº 5218 DE 09 DE NOVEMBRO DE 2011. EMENTA: Regulamenta os procedimentos de declaração, avaliação, emissão de guias de recolhimento, processo de arbitramento e a instauração do contencioso fiscal

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL INCENTIVO FISCAL. Lei Complementar 405/07

ESTADO DE SÃO PAULO - BRASIL INCENTIVO FISCAL. Lei Complementar 405/07 INCENTIVO FISCAL Lei Complementar 405/07 REQUISITOS EXIGIDOS PARA OBTENÇÃO E CONCESSÃO DO BENEFÍCIO Do beneficiário: Regularidade fiscal no âmbito municipal da empresa e dos sócios; Quitação integral de

Leia mais

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO SMF Nº 2835 DE 05 DE FEVEREIRO DE 2015 Disciplina os procedimentos referentes aos benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O SECRETÁRIO MUNICIPAL DE FAZENDA,

Leia mais

VISTORIA PREVIA ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INICIO DE ATIVIDADE)

VISTORIA PREVIA ALVARÁ DE FUNCIONAMENTO (INICIO DE ATIVIDADE) VISTORIA PREVIA REQUERIMENTO PREENCHIDO E ASSINADO PELO REPRESENTANTE LEGAL DA EMPRESA DECLARACAO A PROPRIO PUNHO INFORMANDO O RAMO DE ATIVIDADE GUIA DE IPTU DO ULTIMO ANO QUITADA LISTA DE DOCUMENTOS DISPONIVEL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 16, DE 04 DE SETEMBRO DE 2015 Publicado no DOE (Pa) de 08.09.15. Revogada pela IN 17/15, efeitos a partir de 11.09.15. Estabelece procedimentos para a fruição do benefício fiscal

Leia mais

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014.

Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. DECRETO Nº 39680 DE 23 DE DEZEMBRO DE 2014 Regulamenta os incentivos e benefícios fiscais instituídos pela Lei nº 5.780, de 22 de julho de 2014. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso das atribuições

Leia mais

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO.

DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. DOCUMENTOS SAC 1. INSCRIÇÃO NO CAU - CADASTRO ÚNICO DO MUNICÍPIO. PESSOA JURÍDICA: a) instrumento de constituição primitivo e respectivas alterações, se houver, admitindo-se a Última alteração quando consolidada,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária

PREFEITURA MUNICIPAL DE AQUIRAZ Secretaria de Finanças e Execução Orçamentária INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 003/ 2013 Dispõe sobre a criação e funcionamento da comissão de avaliação de imóveis para fins de calculo do Imposto sobre transmissão inter-vivos de bens imóveis, e dá outras providências.

Leia mais

D E C R E T O Nº 176 /2008

D E C R E T O Nº 176 /2008 Prefeitura Municipal de Olinda Procuradoria Geral do Município D E C R E T O Nº 176 /2008 Regulamenta a Lei nº 5.534/2006, que dispõe sobre a concessão de incentivos fiscais e econômicos às empresas de

Leia mais

A lei de incentivos fiscais de Campinas

A lei de incentivos fiscais de Campinas A lei de incentivos fiscais de Campinas Lei 12.802/06 com as alterações formuladas na Lei 12.653/06: A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito do Município de Campinas, sanciono e promulgo a seguinte lei:

Leia mais

Cota única e 1ª parcela 11-05-2015. 2ª parcela 10-06-2015. 3ª parcela 10-07-2015. 4ª parcela 10-08-2015. 5ª parcela 10-09-2015. 6ª parcela 13-10-2015

Cota única e 1ª parcela 11-05-2015. 2ª parcela 10-06-2015. 3ª parcela 10-07-2015. 4ª parcela 10-08-2015. 5ª parcela 10-09-2015. 6ª parcela 13-10-2015 INFORMAÇÕES REFERENTE AO LANÇAMENTO DO IPTU 2015. O lançamento e forma de pagamento do IPTU do ano de 2015, foi regulamentado pelo Decreto nº 5.714/2015 Para fins de lançamento do Imposto Predial e Territorial

Leia mais

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais,

DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições legais, DECRETO Nº 36.777 DE 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (D.O. RIO DE 18/02/2013) Regulamenta os arts. 5º a 9º e 23, da Lei nº 5.546, de 27 de dezembro de 2012, que instituem remissão, anistia e parcelamento estendido,

Leia mais

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH

PREFEITURA DE SÃO LUÍS SECRETARIA MUNICIPAL DE URBANISMO E HABITAÇÃO - SEMURH Documentos pessoais do requerente; Certidão Negativa do IPTU; Documento de responsabilidade técnica emitido pelo CREA ou CAU; Declaração do engenheiro ou arquiteto responsável pela obra; Aprovação do projeto

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 286/2014

PREFEITURA MUNICIPAL DE VIANA ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 286/2014 DECRETO Nº 286/2014 Dispõe sobre o recadastramento imobiliário do município de Viana. O PREFEITO MUNICIPAL, Estado do Espírito Santo, no uso de suas atribuições legais que lhe conferem a Lei Orgânica do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano

PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano PREFEITURA MUNICIPAL DE GRAVATÁ Secretaria de Planejamento e Orçamento Secretaria Executiva de Planejamento Urbano 2014 CONCEITOS GERAIS DOS SERVIÇOS E Lei nº 3401/06 ( Plano Diretor), Lei nº 3420/07 (Código

Leia mais

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014

LEI Nº 1.265 DE 25 DE JUNHO DE 2014 Dispõe sobre a campanha de fiscalização e melhoria da arrecadação de tributos, mediante o sorteio de prêmios e dá outras providências. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE JACOBINA-BA, no uso de suas atribuições

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ

O PREFEITO MUNICIPAL DE TERESINA, ESTADO DO PIAUÍ 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 4.448, DE 17 DE SETEMBRO DE 2013. Publicado no DOM n 1.555, de 18.09.2013. Institui o Programa de Recuperação de Créditos Tributários e não Tributários do Município de Teresina RETRIMT

Leia mais

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia

Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Instrução Normativa 004 de 16 de maio de 2005 da Bahia Publicado no D.O.E. de 17 de maio de 2005. Orienta os órgãos da Administração Pública do Poder Executivo Estadual, quanto à incorporação de imóveis

Leia mais

COM AS ALTERAÇÕES PROCEDIDAS PELOS DECS.: 16.833 DE 29/11/1994 16.873 DE 31/12/1994

COM AS ALTERAÇÕES PROCEDIDAS PELOS DECS.: 16.833 DE 29/11/1994 16.873 DE 31/12/1994 DECRETO DE Nº 15.756/92 19 DE FEVEREIRO DE 1992 (Publicado no DOM de 20/02/92) COM AS ALTERAÇÕES PROCEDIDAS PELOS DECS.: 16.833 DE 29/11/1994 16.873 DE 31/12/1994 EMENTA: Regulamenta o Livro Quarto, Título

Leia mais

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0

Apresentação. E&L ERP Administração de Receitas Tributárias. rias. PostgreSQL 8.3. Domingos Martins ES. v. 1.0 Apresentação 1 E&L ERP Administração de Receitas Tributá PostgreSQL 8.3 Domingos Martins ES v. 1.0 2 Receitas Tributá Introdução: Com a crescente necessidade de gerar sua própria receita, os Municípios

Leia mais

DECRETO Nº 1358, DE 08 DE JUNHO DE 2015 D E C R E T A: DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

DECRETO Nº 1358, DE 08 DE JUNHO DE 2015 D E C R E T A: DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 1358, DE 08 DE JUNHO DE 2015 Regulamenta a Lei 9.499, de 26 de novembro de 2014, que instituiu o Programa Nota GYN, no Município de Goiânia e dispôs sobre a geração e

Leia mais

Autor : Chefe do Executivo.

Autor : Chefe do Executivo. 1 LEI COMPLEMENTAR Nº 1551/2002 + Lei Complementar nº 1.602/2002 + Lei Complementar N 1.797/2006. Dispõe sobre incentivos para o desenvolvimento das atividades econômicas no Município de Louveira e dá

Leia mais

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n", 3194/96. Senhor Presidente,

ORDEM DO DIA FLS.394 , ESTADO DE SÃO PAULO. OFíCIO GP. N. 196/2012 Proc. n, 3194/96. Senhor Presidente, ORDEM DO DIA FLS.394 "R" U~,.-:.-L.C. _~"'''' "'-'~ (".':N,~ -..,.~:..:-.;::..-

Leia mais

MUNICÍPIO DE CAUCAIA

MUNICÍPIO DE CAUCAIA LEI N 1765, DE 25 DE AGOSTO 2006. Institui o Programa de Recuperação Fiscal - REFIS no Município de Caucaia, e dá outras providências. A PREFEITA MUNICIPAL DE CAUCAIA, no uso de suas atribuições legais,

Leia mais

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - de.:il/q±j0=1 O\ LEI COMPLEMENTAR N 256/03 de 1Ode Julho de 2003

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - de.:il/q±j0=1 O\ LEI COMPLEMENTAR N 256/03 de 1Ode Julho de 2003 Prefeitura Municipal de São José dos Campos Ver LC n 314/06 ~BLIC~DO (~) NO JOR~ AL BOLETIM DO MUNIClPKJ MID o o w.... Nlt) li),(-s

Leia mais

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN

PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PROCURADORIA GERAL DA FAZENDA NACIONAL - PGFN PORTARIA N.º 3 DE 22 /11 /2005 Dispõe sobre a prova de regularidade fiscal perante a Fazenda Nacional e dá outras providências. O PROCURADOR-GERAL DA FAZENDA

Leia mais

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO.

5º REVOGADO. 6º REVOGADO. 7º REVOGADO. 8º REVOGADO. 9º REVOGADO. CAPÍTULO II DO PARCELAMENTO DE DÉBITO Art. 163. O débito decorrente da falta de recolhimento de tributos municipais poderá ser pago em até 96 (noventa e seis) parcelas mensais e sucessivas, observado o

Leia mais

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013 PUBLICADO (A) NO JORNAL ~~1~J.. ~~e 14~:fâ LEI COMPLEMENTAR N 490/13 DE 11 DE ABRIL DE 2013 Institui Programa de Incentivo Tributário para empreendimentos habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida

Leia mais

Tributação Pag.: 2.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho

Tributação Pag.: 2.1 Descrição dos Fluxos de Trabalho 2.1 FLUXOGRAMA - ISS Tributação Pag.: 2.1 Previsão legal na legislação Municipal Registro da Empresa no Cadastro Mobiliário Enquadrada no ISS? Somente Alvará Sociedade de Profissionais Qual Modalidade?

Leia mais

Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto

Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto Resolução Conjunta SF/PGE - 5, de 21-8-2008: Disciplina os procedimentos administrativos necessários ao recolhimento de débitos fiscais do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias

Leia mais

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Clipping. Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de novembro de 2014 Veículo: Minas Gerais Data: 28/11/2014 Editoria: Diário do Executivo Página: 18 Clipping Minas Gerais - Caderno 1 - Diário do Executivo - página 18 Ano 122 - Nº 225, Belo Horizonte, sexta-feira, 28 de

Leia mais

Secretaria da Fazenda

Secretaria da Fazenda DÚVIDAS FREQUENTES IPTU 1) O QUE SIGNIFICA I.P.T.U? IPTU Imposto Predial e Territorial Urbano 2) QUAL A LEGISLAÇÃO PERTINENTE? Constituição Federal Código Tributário Nacional Estatuto das Cidades Código

Leia mais

CURSO SOBRE TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL PANORAMA DO SISTEMA TRIBUTÁRIO MUNICIPAL

CURSO SOBRE TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL PANORAMA DO SISTEMA TRIBUTÁRIO MUNICIPAL CURSO SOBRE TRIBUTAÇÃO MUNICIPAL PANORAMA DO SISTEMA TRIBUTÁRIO MUNICIPAL FUNÇÃO DOS TRIBUTOS FUNÇÃO FISCAL OU ARRECADATÓRIA; FUNÇÃO EXTRAFISCAL OU REGULATÓRIA NECESSIDADE ARRECADATÓRIA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS

Leia mais

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências.

LEI Nº 5.196. Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. LEI Nº 5.196 Disciplina a cobrança do IPTU, estimula a criação de loteamentos, e dá outras providências. O POVO DE PELOTAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, POR SEU PREFEITO, FAZ SABER QUE SUA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 24, DE 17 DE SETEMBRO DE 2007 Publicada no DOE(Pa) de 19.09.07. Retificação no DOE(Pa) de 25.09.07. Institui a Declaração de Bens e Direitos, relativa ao Imposto sobre Transmissão

Leia mais

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026.

Código de Processo Civil, encontramos regras nesse sentido nos artigos 1003 e seguintes, 1022 e seguintes, artigo 1026. Escritura pública de inventário e partilha Documentos Necessários A relação de documentos necessários para uma escritura pública de inventário e partilha, especialmente quando contemplam bens imóveis,

Leia mais

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013.

DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. DECRETO N.º 3.952, DE 02 DE OUTUBRO DE 2013. Disciplina a liberação, o cancelamento e a baixa de Alvará de Localização e Funcionamento no município de Erechim. O Prefeito Municipal de Erechim, Estado do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU LEI Nº 6.071, DE 17 DE MAIO DE 2.011 P. 44.656/09 Altera as redações dos artigos 96 e 98 da Lei Municipal nº 1.929, de 31 de dezembro de 1.975, acrescenta a estes outros dispositivos relacionados ao parcelamento

Leia mais

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013.

DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. DECRETO Nº 18.480, DE 6 DE DEZEMBRO DE 2013. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais para o exercício de 2014. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso das atribuições

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN No-328, DE 22 DE ABRIL DE 2013 Altera a Resolução Normativa - RN 4, de 19 de abril de 2002, que dispõe sobre o parcelamento de débitos tributários e não tributários para com a

Leia mais

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda.

Bradesco Administradora de Consórcios Ltda. Prezado(a) Consorciado(a), Para melhor atendê-lo, elaboramos este Guia Prático de Contratação de Imóvel destacando as modalidades de aquisição, fases do processo, documentos necessários, emissão e registro

Leia mais

Portaria CAT 29, de 4.3.2011.

Portaria CAT 29, de 4.3.2011. Portaria CAT 29, de 4.3.2011. LEGISLAÇÃO ESTADUAL (Diário Oficial do Estado de São Paulo) Portaria COORDENAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CAT/SP nº 29, de 04.03.2011 D.O.E.: 05.03.2011.

Leia mais

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014.

DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. DECRETO Nº 18.885, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2014. Estabelece o Calendário Fiscal de Arrecadação dos Tributos Municipais, o valor da Unidade Financeira Municipal (UFM) e os preços do metro quadrado de terrenos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CODÓ ESTADO DO MARANHÃO LEI Nº 1552, DE 18 DE AGOSTO DE 2011. Disciplina a dação em pagamento de obras, serviços e bem móvel como forma de extinção da obrigação tributária no Município de Codó, prevista no inciso XI do artigo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ DECRETO N. 4.489 Publicado no Diário Oficial Nº 8708 de 08/05/2012 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, e considerando o disposto na Lei

Leia mais

DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012.

DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012. Publicado no DOM de 15 de setembro de 2012. DECRETO Nº 9.795, DE 14 DE SETEMBRO DE 2012. Aprova o Regulamento Do Imposto de Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis ITIV. A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NATAL,

Leia mais

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA

IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA IMPOSTO SOBRE A PROPRIEDADE DE VEÍCULOS AUTOMOTORES IPVA Informações Gerais Como consultar o valor do IPVA? É possível consultar o valor do IPVA

Leia mais

Prefeitura Municipal De Belém Gabinete do Prefeito

Prefeitura Municipal De Belém Gabinete do Prefeito LEI N.º 7.934, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1998 Dispõe sobre alterações na legislação tributária municipal e dá outras providências. seguinte lei: A Câmara Municipal de Belém estatui e eu sanciono a Art. 1 o

Leia mais

Saiba quais os documentos necessários para solicitar Troca de Titularidade com Débitos

Saiba quais os documentos necessários para solicitar Troca de Titularidade com Débitos Saiba quais os documentos necessários para solicitar Troca de Titularidade com Débitos Preparamos uma lista de documentos que você deverá levar a uma de nossas lojas para ser atendido: Pessoa Física: Novo

Leia mais

Sumário. Prefácio. Capítulo 1 Aspectos constitucionais dos tributos municipais 1

Sumário. Prefácio. Capítulo 1 Aspectos constitucionais dos tributos municipais 1 Prefácio XV Capítulo 1 Aspectos constitucionais dos tributos municipais 1 1 Princípios gerais constitucionais 1 2 Limitações constitucionais ao poder de tributar dos Municípios 12 3 Substituição tributária

Leia mais

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei;

O Sr. Prefeito Municipal de Volta Redonda, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei; DECRETO N.º 9185 EMENTA: Institui o DCU SIMPLES, um conjunto de Programas de Ação do Departamento de Controle Urbanístico da Secretaria Municipal de Planejamento, para aprovação de projetos e licenciamento

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade.

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

DECRETO Nº 2.547-R DE 13/07/2010 DOE-ES de 14/07/2010

DECRETO Nº 2.547-R DE 13/07/2010 DOE-ES de 14/07/2010 GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº 2.547-R DE 13/07/2010 DOE-ES de 14/07/2010 Introduz alterações no RICMS/ES, aprovado pelo Decreto n.º 1.090- R, de 25 de outubro de 2002. O GOVERNADOR

Leia mais

Lei Municipal N.º 2.956

Lei Municipal N.º 2.956 1 Prefeitura Municipal de Volta Redonda Gabinete do Prefeito EMENTA: Institui o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Econômico do Município, cria Incentivos Fiscais e dá outras providências. A aprova e

Leia mais

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A:

DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. O PREFEITO MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE, no uso de suas atribuições legais, D E C R E T A: DECRETO Nº 18.432, DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. Regulamenta o procedimento administrativo da Transferência de Potencial Construtivo (TPC), previsto nos arts. 51 e seguintes da Lei Complementar nº 434, de

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 04, DE 25 DE MARÇO DE 2015 Disciplina os procedimentos relativos ao reconhecimento de não-incidência, de isenção e de dispensa de pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU SECRETARIA MUNICIPAL DE ECONOMIA E FINANÇAS DEPARTAMENTO DE DÍVIDA ATIVA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BAURU SECRETARIA MUNICIPAL DE ECONOMIA E FINANÇAS DEPARTAMENTO DE DÍVIDA ATIVA PARCELAMENTO ADMINISTRATIVO FÁCIL ATENÇÃO! (O PARCELAMENTO ESPECIAL TEVE VIGÊNCIA DE 05/07 A 30/12/2011 - FORAM MANTIDAS AS INFORMAÇÕES, COM O TEXTO GRIFADO, APENAS PARA EVENTUAL CONSULTA EM RELAÇÃO AOS

Leia mais

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA

LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA SUCESSÕES: LEI Nº 11.441/2007 ESCRITURA PÚBLICA DE INVENTÁRIO E PARTILHA DOCUMENTOS ROTEIRO INTRODUÇÃO DOCUMENTOS NECESSÁRIOS ...una mala política legislativa, consagrada a través del tiempo, no se sabe

Leia mais

PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011.

PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011. PORTARIA Nº 477 DE 09 DE SETEMBRO DE 2011.. Publicada no D O E nº 10.636, de 16 de setembro de 2011. O SECRETÁRIO DE ESTADO DA FAZENDA, no uso de suas atribuições legais, e tendo em vista o disposto no

Leia mais

LEI Nº 6.202, DE 19 DE JANEIRO DE 2015.

LEI Nº 6.202, DE 19 DE JANEIRO DE 2015. PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS GABINETE DO PREFEITO LEI Nº 6.202, DE 19 DE JANEIRO DE 2015. Dispõe sobre o Imposto de Transmissão Inter vivos de Bens imóveis e Direitos a eles Relativos ITBI, e dá outras

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO ASSESSORIA TÉCNICO-LEGISLATIVA DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 DECRETO Nº 110, DE 10 DE DEZEMBRO DE 2009 PUBLICADO EM PLACAR Em / / Dispõe sobre a regulamentação da Lei Complementar nº 187, de 12 de agosto de 2009, que autoriza a transação tributária para fins de

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - SF...

SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - SF... Sumário SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO - SF... 1 O que faz a SF e quais são suas unidades?... 1 Quais são as unidades da SUREM?... 1 Quais são os tributos administrados pela

Leia mais

Documento de Visão Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI

Documento de Visão Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI Sistema de Arrecadação de IPTU - SAI Versão 1.1R01 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor (es) 12/08/2008 1.0 Documento inicial Márcio Roehe 26/08/2008 1.1 Revisão Ajustes e complementação Roberto

Leia mais

Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989

Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989 Manual para preenchimento da Guia de ITBI Lei Municipal 3.398, de 22 de fevereiro de 1.989 e alterações, Decreto 069 de 03 de março de 1989 C:\SiteMogi_2009\Manual para preenchimento da Guia2.doc 1 Instruções

Leia mais

LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009

LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009 LEI Nº 3.601 DE 11 DE AGOSTO DE 2009 ALTERA dispositivos da Lei Municipal nº 3.194, de 03 de janeiro de 2006, que dispõe sobre a política habitacional de interesse social do Município, voltada para a população

Leia mais

INSTITUI IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO "INTERVIVOS" E DIREITOS A ELES RELATIVOS.

INSTITUI IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO INTERVIVOS E DIREITOS A ELES RELATIVOS. LEI Nº 1449/88 INSTITUI IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO "INTERVIVOS" E DIREITOS A ELES RELATIVOS. Eu, Paulo Alberto Duarte, Prefeito do Município de Lages, comunico a todos os habitantes deste Município, que

Leia mais

PROGRAMA DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS DO ESTADO DE SÃO PAULO

PROGRAMA DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS DO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA DE PARCELAMENTO DE DÉBITOS DO ESTADO DE SÃO PAULO PERGUNTAS E RESPOSTAS ÍNDICE 1. Aspectos Gerais 2. Garantias 3. Peculiaridades dos débitos de IPVA 1. Aspectos Gerais 1.1.1. Quadro Resumo Débitos

Leia mais

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica

Estado de Mato Grosso Município de Tangará da Serra Assessoria Jurídica MENSAGEM PROJETO DE LEI xxx/gp/2012 Tangará da Serra/MT, xx de xxxxxxxxxx de 2012. Excelentíssimo Senhor Presidente, Excelentíssimos (a) Senhores (a) Vereadores (a), Cumprimentando-o cordialmente, vimos

Leia mais

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias;

b) 40% (quarenta por cento) das penalidades pecuniárias por descumprimento de obrigações acessórias; Portaria SUACIEF nº 12, de 03.05.2010 - DOE RJ de 05.05.2010 Dispõe sobre alterações de prazos para usufruir da anistia concedida pela Lei nº 5647/2010, prorrogada pela lei nº 7508/2010. O Superintendente

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA COHAB-ARAUCÁRIA Nº 03, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2014. Súmula: Estabelece normas e procedimentos para a realização de inscrição dos mutuários, relaciona os documentos necessários a instruir

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE Cidade Monumento da História Pátria Cellula Mater da Nacionalidade

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO VICENTE Cidade Monumento da História Pátria Cellula Mater da Nacionalidade Institui o imposto sobre transmissão intervivos, a qualquer título, por ato oneroso, de bens imóveis, por natureza ou acessão física e de direitos reais sobre imóveis, exceto os de garantia, bem como cessão

Leia mais

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - PUBLICADO (A) NO JORNAL

Prefeitura Municipal de São José dos Campos - Estado de São Paulo - PUBLICADO (A) NO JORNAL PUBLICADO (A) NO JORNAL LEI COMPLEMENTAR N. 568, DE 16 DE NOVEMBRO DE 2015. BOLETIM DO MUNICIPIO N ~~. de.j.f.j.jj.j.d.~ Institui o Programa de Pagamento Incentivado para os débitos tributários e não tributários

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO

ESTADO DO TOCANTINS PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO NACIONAL PROCURADORIA GERAL DO MUNICÍPIO LEI N.º 2.178, DE 02 DE JUNHO DE 2.014. *VERSÃO IMPRESSA ASSINADA Dispõe sobre o Programa de Recuperação e Estímulo à Quitação de Débitos Fiscais REFIS PORTO 2014 e dá outras providências. Eu, PREFEITO

Leia mais

TRIBUTAÇÃO PELO IPTU: GEOINFORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO CADASTRAL

TRIBUTAÇÃO PELO IPTU: GEOINFORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO CADASTRAL TRIBUTAÇÃO PELO IPTU: GEOINFORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO CADASTRAL Lauro Marino Wollmann Agente Fiscal da Receita Municipal Secretaria da Fazenda - Porto Alegre Porto Alegre, 20 de novembro de 2014. Para exigir

Leia mais

Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009

Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009 Parcelamento de débitos do ICMS Resolução SF nº 81, de 30.10.2009 Encaminhamos a Resolução nº 81 do Secretário da Fazenda do Estado de São Paulo, publicada no DOE de 4 de novembro de 2009, estabelecendo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTÂNCIA VELHA DECRETO MUNICIPAL N.º 102/2014, de 11 de dezembro de 2014. REGULAMENTA PROCEDIMENTOS, RELATIVOS A AIDOF, NOTAS FISCAIS DE SERVIÇO, ESCRITURAÇÃO FISCAL E REQUERIMENTOS E APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS FISCAIS

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015. Capítulo I Disposições Gerais PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR nº 38/2015 Institui o Programa de Recuperação Fiscal REFIS do Município de Jaboticabal, e dá outras providências. Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º Fica instituído, nos

Leia mais

GUIA DO COMPRADOR. Rua Irineu Ferlin, 301 Marau RS Fone (54) 3342 3448 www.marodimimoveis.com.br. Pag 1

GUIA DO COMPRADOR. Rua Irineu Ferlin, 301 Marau RS Fone (54) 3342 3448 www.marodimimoveis.com.br. Pag 1 Pag 1 CRECI J 23 004 Rua Irineu Ferlin, 301 Marau RS Fone (54) 3342 3448 www.marodimimoveis.com.br 1 - QUAL A VANTAGEM DE SE COMPRAR UM IMÓVEL NO SEU LANÇAMENTO? 2 - O QUE SIGNIFICA COMPRAR UM IMÓVEL NA

Leia mais

MANUAL - UTILIZAÇÃO DE CRÉDITO PARA ABATIMENTO DE IPTU - INDICAÇÃO DE IMÓVEL

MANUAL - UTILIZAÇÃO DE CRÉDITO PARA ABATIMENTO DE IPTU - INDICAÇÃO DE IMÓVEL MANUAL - UTILIZAÇÃO DE CRÉDITO PARA ABATIMENTO DE IPTU - INDICAÇÃO DE IMÓVEL 1 Sumário 1. Introdução... 4 2. Créditos... 4 2.1. Geração de Crédito... 4 2.1.1. Exemplo do cálculo do crédito de uma NFS-e

Leia mais

Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011

Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011 PMHIS Seminários Temáticos Instrumentos para oferta de moradias nas áreas centrais e consolidadas FERNANDA FURTADO Universidade Federal Fluminense Novembro de 2011 1 Bases e recortes da questão Terra,

Leia mais

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito?

DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS. Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? DÚVIDAS E ESCLARECIMENTOS Quais as formas de que disponho para quitar meu débito? À vista: Emitir DAE (Documento de Arrecadação Estadual) para pagamento à vista na sede da Procuradoria Geral do Estado,

Leia mais

DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005

DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005 DECRETO N. 3.032 DE 26 DE DEZEMBRO DE 2005. Publicado no DOE em 27 de dezembro de 2005 ALTERA O REGULAMENTO DO ICMS, APROVADO PELO DECRETO N 35.245, DE 26 DE DEZEMBRO DE 1991, RELATIVAMENTE AO PARCELAMENTO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº 4.190-ANTAQ, DE 24 DE JUNHO DE 2015. APROVA A PROPOSTA DE NORMA QUE DISPÕE SOBRE O PARCELAMENTO E A RECUPERAÇÃO DE CRÉDITOS ADMINISTRADOS PELA AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ANTAQ.

Leia mais

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial

MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial MÓDULO IV - Gestão social da valorização imobiliária para a inclusão territorial Produção social da valorização imobiliária A valorização imobiliária é definida por: Distribuição de investimentos públicos

Leia mais

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto.

Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Orientações para aquisição de Bens Imóveis Parabéns! Agora que a sua cota já está contemplada e você já recebeu sua CARTA DE CRÉDITO, você poderá concretizar o seu projeto. Lembrando que a análise do seu

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 342, DE 2015 Altera o Decreto-Lei nº 1.876, de 15 de julho de 1981, e o Decreto-Lei nº 2.398, de 21 de dezembro de 1987, para isentar da cobrança de laudêmio, foro e taxa de

Leia mais

Edição nº 51/2015 Brasília - DF, quinta-feira, 19 de março de 2015. Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015. Seção I Disposições Gerais

Edição nº 51/2015 Brasília - DF, quinta-feira, 19 de março de 2015. Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015. Seção I Disposições Gerais Corregedoria PROVIMENTO Nº 44, DE 18 DE MARÇO DE 2015 Estabelece normas gerais para o registro da regularização fundiária urbana. Seção I Disposições Gerais Art. 1º. O processo e os atos de registro da

Leia mais

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o

5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o 5) COMPROMISSO PARTICULAR DE VENDA E COMPRA E OUTRAS AVENÇAS PARTES CONTRATANTES COMPROMISSÁRIO VENDEDOR:..., brasileiro, solteiro, produtor rural, inscrito no CPF sob o n.... e no RG sob o n...., residente

Leia mais

ANEXO I PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO FLORIDO MINAS GERAIS CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMPO FLORIDO LEI Nº 710/98

ANEXO I PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO FLORIDO MINAS GERAIS CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMPO FLORIDO LEI Nº 710/98 ANEXO I PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO FLORIDO MINAS GERAIS CÓDIGO TRIBUTÁRIO DO MUNICÍPIO DE CAMPO FLORIDO LEI Nº 710/98 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPO FLORIDO MINAS GERAIS LEI Nº 710/1998 INSTITUI O SISTEMA

Leia mais

FAQ Perguntas Frequentes

FAQ Perguntas Frequentes FAQ Perguntas Frequentes Índice 01. Incorporação Imobiliária...3 02. Contrato...4 03. Pagamento e Boletos...5 04. Financiamento...6 05. Distrato e Transferência...8 06. Documentações...9 07. Instalação

Leia mais

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL

SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL SUPERINTENDENCIA ADMINISTRATIVA DE CONTROLE, FISCALIZAÇÃO E OBRAS SACFO. Município de Sumaré MANUAL DE ORIENTAÇÃO DO PROFISSIONAL 1 APROVAÇÃO DE PROJETOS TRANSCRIÇÃO DE TRECHOS LEGISLAÇÃO PERTINENTE CÓDIGO

Leia mais

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE

PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE PARCELAMENTO ORDINÁRIO PORTO ALEGRE 1 A - PARCELAMENTO ORDINÁRIO DE TRIBUTOS MUNICIPAIS 1 Em regra, os créditos tributários junto à Fazenda Municipal de Porto Alegre podem ser pagos em até 24 (vinte e

Leia mais

ITCMD. Perguntas mais frequentes:

ITCMD. Perguntas mais frequentes: ITCMD Perguntas mais frequentes: 1. Quando nasce a obrigação de pagar o ITCMD? O ITCMD é o imposto estadual incidente sobre a transmissão de quaisquer bens ou direitos a título gratuito (ato não oneroso).

Leia mais

DECRETO Nº 23581. De 09 de janeiro de 2006

DECRETO Nº 23581. De 09 de janeiro de 2006 DECRETO Nº 23581 De 09 de janeiro de 2006 Cria a Comissão de Locação de Imóveis e estabelece procedimentos para celebração, prorrogação e rescisão de contratos de locação. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS,

Leia mais

PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1

PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1 PORTARIA/LEMG nº 58, DE 1º DEZEMBRO DE 2014. Diário do Executivo Minas Gerais - Pag. 42 Terça-Feira, 02/012/2014 - Caderno 1 Dispõe sobre o credenciamento de empresas especializadas na avaliação de imóveis

Leia mais