INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO"

Transcrição

1 INFORMÁTICA E EDUCAÇÃO : PARA UMA BOA INFORMÁTICA EDUCATIVA, UM BOM PEDAGOGO Jorge, A. M. UEM Eixo Temático: Didática: Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Não contou com financiamento Resumo Uma sociedade em constante mudança traz consigo também constantes desafios à Educação. O advindo das novas tecnologias faz com que seja necessária a antecipação e, até mesmo, a promoção destas como respostas imediatas a este ritmo acelerado de informações. Dentre as novas tecnologias, uma das mais significativas, senão a mais significativa é o computador. Isto porque, vem se tornando uma valiosa ferramenta pedagógica no auxílio à construção do conhecimento pelos alunos. A abordagem teórica apóia-se em Seymour Papert que [...] fundamentando-se na teoria construtivista de Piaget, define o termo construcionismo para a construção do conhecimento do aluno por meio do computador (PENATI, 2005, p.33). Segundo Papert (1988) a criança, auxiliada pelas interações com o mundo e as relações afetivas vinculadas, faz suas próprias construções cognitivas e é valendo-se da relação amigável que as crianças têm com o computador que ele [...] propõe-se a explicar as relações aprendiz-computador para produzir o máximo de aprendizagem com o mínimo de ensino (PENATI, 2005, p.33). No contexto histórico atual, o computador tem se mostrado cada vez mais presente na vida das pessoas. Ao se preparar as crianças para tomarem parte deste novo modelo de sociedade, é preciso incluir a matéria Informática no currículo escolar. No artigo que se segue, discute-se que ao ensinar as crianças a lidarem com esta nova tecnologia, é importante fazê-lo concomitantemente à matéria trabalhada em sala de aula e que os professores, ao contrário de resistir em se aperfeiçoar, devem visualizá-la como um instrumento muito valioso à educação. Para tanto, será utilizada a metodologia de pesquisa bibliográfica acerca da proposta pedagógica que fundamenta a construção do conhecimento pelo aluno com o professor no papel de facilitador deste processo e pretende-se com este que os professores deixem de lado paradigmas educacionais para aderirem de fato à nova demanda educacional. Palavras-chave: 1 Educação. 2 Informática. 3 Crianças. 4 Currículo escolar. 5 Demanda Educacional. Introdução

2 7420 No presente artigo, discute-se a importância da informática na Educação nos tempos atuais. Com seus percalços e contribuições para a aprendizagem na sociedade que, para Teruya (2006), é a Sociedade do Conhecimento. Segundo ela, entramos em uma Era onde não mais é suficiente dominar conhecimentos sobre determinado elemento ou procedimento e sentir-se garantido para uma vida. Na sociedade que nos é apresentada e na qual nos encontramos inseridos, o maior valor está naquele que utiliza das informações já absorvidas para fazer relações e utilizá-las para aprender muitas outras mais. O cenário que vislumbramos dispõe de inúmeros elementos tecnológicos com a função de agilizar tarefas, encurtar distâncias e reduzir o tempo gasto na execução. O computador é o principal, ou melhor, o centro destes elementos. Mudam as necessidades, muda a visão de Mundo, mudam também as expectativas para os novos profissionais. E qual a principal instituição incumbida de preparar os indivíduos para o Mundo? A Escola. Será demonstrado aqui a necessidade de se inserir os alunos, o mais cedo possível, no uso dos computadores já que podem ser elementos pedagógicos presentes no dia-a-dia como a matemática, o português e as ciências e que se relacionam entre si. Porém, ao mesmo tempo que a lei se preocupa em colocar os alunos em contato com as novas tecnologias, ela limita a ação dos professores com a obrigação de seguir planejamentos, diretrizes e currículos. Seymour Papert (1994) estabelece o termo construcionismo para designar uma abordagem educacional que nega a instrução como feita e acabada sem variações de metodologias e enfoca a atenção na construção do conhecimento pelo aluno e o professor com o papel de facilitador deste processo no ambiente informatizado. O presente artigo objetiva, portanto, discutir o desenvolvimento de uma prática pedagógica neste ambiente informatizado para que o aluno construa seu conhecimento com o professor no papel de facilitador deste processo. E, com isso, demonstrar aos professores das séries iniciais do ensino fundamental a importância em se aperfeiçoarem nesta área para atender às necessidades dos alunos e o quão isto se tornou fundamental na vida escolar e social destes alunos. Corroborando a idéia de que não é necessário um instrutor de informática para tal tarefa, e sim, um professor capacitado em Pedagogia que o possibilite atuar em ambiente informatizado.

3 7421 Para Uma Boa Informática Educativa, Um Bom Pedagogo A utilização de computadores na educação é tão remota quanto o advento comercial dos mesmos. Esse tipo de aplicação sempre foi um desafio para os pesquisadores preocupados com a disseminação dos computadores na nossa sociedade (VALENTE). No Brasil, a utilização da informática aplicada à educação, segundo o livro do projeto EDUCOM (Educação com computador), se deu no início da década de 1970, tendo como pioneiras a universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Estadual de Campinas (UNICAMP) e Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Que foram as entidades responsáveis pelas primeiras investigações sobre o uso de computadores na educação brasileira motivadas pelos acontecimentos mundiais e experiências como a dos Estados Unidos e França. Segundo ALTOÉ (2005), as primeiras iniciativas se deram a partir de discussões relacionadas ao uso de computadores no ensino, em um seminário de ensino de física, em 1971, na Universidade de São Carlos no estado de São Paulo e, posteriormente, nas primeiras demonstrações do uso do computador na educação, em 1973, na I Conferência Nacional de Tecnologia Aplicada ao Ensino Superior, no Rio de Janeiro. A Universidade Federal do Rio de Janeiro, inclusive, foi a primeira a ter atividades sistematizadas com o auxílio de computadores. Em 1973, o Núcleo de Tecnologia Educacional para a saúde (NUTES) e o Centro Latino-Americano de Tecnologia Educacional (CLATES), utilizaram-se deles para o desenvolvimento de simulações que avaliavam formativa e somativamente os alunos da disciplina de Química. Na UFRGS, no mesmo ano, o computador era utilizado como recurso auxiliar do professor no ensino e na avaliação, sustentadas por diferentes bases teóricas e linhas de ação desenvolvidas com alunos de graduação e pós-graduação em Educação (ALTOÉ, 2005). Efetivamente, um ambiente informatizado de aprendizagem começou a se tornar presente nas salas de aula brasileiras a partir da criação do projeto Educom Educação com computadores criado pelo governo Central, dentro da política modernizante então vigente no país ( ), e como iniciativa de reconhecimento da informática como ferramenta de apoio às mais variadas atividades da sociedade que emergia por meio da criação de centros-piloto.

4 7422 A partir de então, cada vez mais, um número maior e mais variado de funções, antes realizadas pelo ser humano, estão sendo facilitados pelos computadores. O computador também aproxima pessoas que estão distantes e imediatizam serviços que dependiam de tempo para serem concluídos. A implementação do computador no cotidiano das pessoas causou uma mudança de conceitos à sociedade atual. E a mudança da sociedade - e as relações existentes nela - implicam também a necessidade de mudanças na educação. O tipo de homem necessário para a sociedade de hoje é diferente daquele aceito em tempos passados (ALTOÉ, 2006). Nesse contexto, aquele que não atende a estas demandas atuais é, automaticamente, excluído deste meio que busca pessoas ativas, inovadoras e autônomas sustentadas pelo novo paradigma do aprender a aprender. O lema aprender a aprender e ao longo da vida já é um consenso nos programas de capacitação e treinamento em serviço. Contraditoriamente, a nova base tecnológica, sob as relações capitalistas, tem significado uma negação da possibilidade de vida e da natureza humana pela negação da distribuição de riqueza, muito embora detenha uma virtuosidade de melhoria da vida humana. (TERUYA, 2006, p.24) Contudo, não se pode deixar de observar que a sociedade passa por mudanças de tempos em tempos e, já é consenso que não há como resistir aos avanços e surgimento de novos paradigmas, haja vista eles nos atropelam e quem não está preparado fica pra traz numa seleção natural pós-moderna. Para garantir aos futuros cidadãos igual acesso ao modelo de sociedade contemporâneo já existe uma preocupação em inserir o aprendizado com os computadores no ambiente escolar. A possibilidade do uso do que Papert(1994) chama de máquina do conhecimento na educação de fato é uma realidade cada vez mais presente nas escolas brasileiras segundo orientações dos próprios Parâmetros Curriculares Nacionais: Não basta visar à capacitação dos estudantes para futuras habilitações em termos das especializações tradicionais, mas antes trata-se de ter em vista a formação dos estudantes em termos de sua capacitação para a aquisição e o desenvolvimento de novas competências, em função de novos saberes que se produzem e demandam um novo tipo de profissional, preparado para poder lidar com novas tecnologias e linguagens, capaz de responder a novos ritmos e processos. Essas novas relações entre

5 7423 conhecimento e trabalho exigem capacidade de iniciativa e inovação e, mais do que nunca, aprender a aprender. Isso coloca novas demandas para a escola. A educação básica tem assim a função de garantir condições para que o aluno construa instrumentos que o capacitem para um processo de educação permanente. (BRASIL 1998) Sendo assim, é de comum acordo que os meios tecnológicos e, principalmente o computador, devem estar ao alcance de todos os alunos da educação básica, que compreende desde a 1ª série do ensino fundamental até o último ano do ensino médio segundo o próprio PCN, bem como a sua instrumentalização apreensão das funções e ferramentas - necessária. Por conseguinte, esbarramos em outros empecilhos que impedem a sua plena execução: 1) nem todos os cidadãos brasileiros em idade escolar de fato freqüentam a escola; 2) mesmo para os que freqüentam, deve-se considerar outros fatores externos limitantes do pleno aprendizado como, por exemplo, a vivência. Já previstos no PCN, estes fatores são determinantes para o nível de aprendizado do aluno e, talvez mais ainda, na assimilação de novas tecnologias. Não é novidade pra ninguém que o aluno com maiores condições financeiras tem também maior acesso às novas tecnologias e, conseqüentemente, mais contato com elas e mais facilidade em aprender e lidar com as mesmas. Tudo isto dito anteriormente nos remete a um agravante de proporções incalculáveis, algo que Libâneo(2005) se refere como exclusão digital quando deveria ser inclusão digital, mas que não será aprofundado neste trabalho por ser o objetivo tratar, justamente, do oposto. As preocupações em propor este trabalho estão alicerçadas em fatos irreparáveis, fatos estes que trazem a necessidade da instrumentalização nos computadores o mais cedo possível para preparar os alunos para competirem igualmente no mercado de trabalho e, até mesmo, simplesmente exercerem sua cidadania. Instrumentalização consiste em colocar o aluno em contato com as ferramentas disponíveis ao se utilizar estas máquinas. Para tanto, parte-se aqui do princípio de que não basta apenas ensinar a usar as ferramentas disponíveis em um computador ao aluno e acreditar que o preparou de maneira eficiente. Fosse assim, correr-se-ia o risco de voltar ao já experimentado método tecnicista cujos meios não trazem contribuições para a discussão proposta. Papert(1994) usa o termo Construcionismo quando compara o ato de letrar a criança no uso desta tecnologia ao método Construtivista de Jean Piaget, pois acredita que a criança constrói o seu conhecimento no ambiente virtual e, neste processo, também acaba por

6 7424 incorporar elementos que a tornará apta para resolver problemas do dia a dia e em sala de aula. A intermediação do professor neste processo torna-se fundamental para direcionar os conteúdos e demonstrar onde e como procurar assuntos relevantes para o entendimento de conteúdos dados em sala de aula. Desta forma, a proposta apresentada aqui é demonstrar aos professores das séries iniciais o quão importante se tornou o que pode-se chamar Letramento Digital na vida escolar e social dos alunos. Entendendo que há certa resistência dos mais tradicionais em reciclarem seus conceitos e se aperfeiçoarem. Mas, se não o fizerem, estes alunos buscarão de alguma maneira que pode não ser a mais indicada. E para os que apresentam empecilhos de ordem financeira e de capacidades, estejam estes conscientes de que existem programas gratuitos e intuitivos as próprias crianças sabem utilizar. Justifica-se este pelo fato de as escolas estarem vinculadas a diretrizes e planejamentos que, de certa forma, limitam a autonomia em se inovar as metodologias e, portanto, seriam estas tentativas de se implantar o construcionismo nas possibilidades apresentadas. Ressaltando que a proposta oportuniza o aprofundamento de conhecimentos de intervenções dentro da perspectiva construcionista e da atuação do professor e do próprio aluno no ambiente informatizado e na construção do conhecimento. REFERÊNCIAS ALTOÉ, Anair; SILVA, Heliana da. O Desenvolvimento Histórico das novas tecnologias e seu emprega na Educação. In: ALTOÉ, Anair; COSTA, MARIA Luiza Furlan; TERUYA, Teresa Kazuco. Educação e Novas Tecnologias. Maringá: Eduem, 2005, p BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental Introdução aos Parâmetros Curriculares Nacionais Brasília: MEC/SEF, LIBÂNEO, José C.. Adeus professor, adeus professora? Novas exigências educacionais e profissão docente. 9. ed. São Paulo (SP): Cortez Editora, v p. PAPERT, S. A Máquina das Crianças; repensando a escola na era da informática. Porto Alegre: Artes Médicas, 1994 PENATI, Marisa M. Construindo a prática pedagógica em uma perspectiva construcionista com alunas do Curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Maringá Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Estadual de Maringá.

7 7425 TERUYA, T. K. Trabalho e Educação na Era Midiática. 1. ed. Maringá: Eduem, p.

A RESISTÊNCIA DAS PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM RELAÇÃO AO USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA

A RESISTÊNCIA DAS PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM RELAÇÃO AO USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA 1 A RESISTÊNCIA DAS PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA EM RELAÇÃO AO USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA FUGIMOTO, Sonia Maria Andreto ALTOÉ, Anair INTRODUÇÃO A temática sobre o uso das tecnologias na educação

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA

FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA ATUAÇÃO EM AMBIENTE INFORMATIZADO: RELATO DE EXPERIÊNCIA Resumo BALADELI, Ana Paula Domingos UEM annapdomingos@yahoo.com.br ALTOÉ, Anair UEM aaltoe@uem.br Eixo temático: Comunicação

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA

SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA SOFTWARE EDUCACIONAL: RECURSO PEDAGÓGICO PARA Resumo MELHORAR A APRENDIZAGEM NA DISCIPLINA DE MATEMÁTICA Clara Celina Ferreira Dias Universidade Federal de Santa Maria UFSM claracelinafd@professor.rs.gov.br

Leia mais

LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias

LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias LOGO: Educação Matemática e Novas Tecnologias Denice Aparecida Fontana Nisxota MEMEGAIS 1 denice@unemat.br, Adriana Cristina da SILVA 2 crystinaadri@hotmail.com Cleyton Borges dos SANTOS 3 cleyton.borges@gmail.com

Leia mais

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes 1) O que é o projeto Inovaeduc? O projeto Inovaeduc é um projeto pedagógico / educacional que contempla um conjunto de soluções tecnológicas educacionais que objetivam

Leia mais

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs

Palavras-chave: Informática na Educação, Computador na Escola, Blogs O USO DO BLOG NO PROCESSO EDUCACIONAL: RELATO DE EXPERIÊNCIA DA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA CÂNDIDA ZASSO DE NOVA PALMA. Franciele Liliane Vendruscolo 1 Kássia Quadros Ferreira 2

Leia mais

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1

FORMAÇÃO DOCENTE: UMA REFLEXÃO SOBRE O USO DAS TIC NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APRENDIZAGEM 1 AYRES, Sandra Regina Braz; MILANESI, Irton; MILHOMEM, André Luiz Borges. Formação Docente: Uma reflexão sobre o uso das TIC no desenvolvimento de projetos de aprendizagem. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE CURTA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

Minicurso: Utilizando Visual Basic no Desenvolvimento de Software Educacional

Minicurso: Utilizando Visual Basic no Desenvolvimento de Software Educacional Minicurso: Utilizando Visual Basic no Desenvolvimento de Software Educacional Odette Mestrinho Passos odette@ufam.edu.br Rene Ferreira La Spina Dourado dourado.spina@gmail.com OBJETIVO Colocar em forma

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA

II ENCONTRO DE MATEMÁTICA Perspectivas atuais para pesquisa em : Ensino e TECNOLOGIA EDUCACIONAL: POSSIBILIDADES DE INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR DE MATEMÁTICA E O ALUNO NO AMBIENTE ESCOLAR Ediênio Farias Célia Gomes Resumo: O presente

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA - 1 - A FORMAÇÃO DO PROFESSOR PARA O USO DO COMPUTADOR NUM PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARADIGMÁTICA Tecnologias e Mídias Educacionais Marilei Andrade S. Bülow Mestranda em Educação PUCPR Elizete Lúcia Matos

Leia mais

O COMPUTADOR NA ESCOLA: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E SUA PRÁTICA PEDAGÓGICA

O COMPUTADOR NA ESCOLA: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E SUA PRÁTICA PEDAGÓGICA O COMPUTADOR NA ESCOLA: PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA E SUA PRÁTICA PEDAGÓGICA FUGIMOTO, Sonia Maria Andreto (UEM) ALTOÉ, Anair (Orientadora/UEM) Introdução O desenvolvimento das tecnologias de informação

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS

A UTILIZAÇÃO DO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS A UTILIZAÇÃO DO USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS Juliana Cristina de Santana¹ Quitéria Medeiros² UFRPE RESUMO: Pesquisas em vários níveis de ensino evidenciam preocupações de educadores relacionadas

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM O USO DAS TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS COMO FERRAMENTA DIDÁTICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM Luiz Carlos Chiofi Universidade Estadual de Londrina - PDE luizquinzi@seed.pr.gov.br Marta Regina Furlan

Leia mais

Linguagem de programação como eixo do processo de aprendizagem

Linguagem de programação como eixo do processo de aprendizagem Linguagem de programação como eixo do processo de aprendizagem Orientadora: Olinda Mioka Chubachi Matrícula SIAPE: 1153156 Orientando: Yago de Jesus Vitória Matrícula UFF: 012005/06 Palavras-chave: Linguagem

Leia mais

Tema: Capacitación profesional. 7.- El acceso y la reinserción al mercado laboral mediante el e-learning. SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya 1

Tema: Capacitación profesional. 7.- El acceso y la reinserción al mercado laboral mediante el e-learning. SCHLÜNZEN, Elisa Tomoe Moriya 1 TelEduc: Um Ambiente Virtual na Formação de Educadores à Distância para a Potencializar a Inclusão Social, Digital e Escolar de Pessoas com Necessidades Especiais PNE s. Tema: Capacitación profesional

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s.

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s. INFORMÁTICA EDUCATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM UMA ESCOLA PÚBLICA: PROCESSOS DE POTENCIALIZAÇÃO DOS SABERES E PRÁTICAS Jardel Silva 1 Alex Sandro C. Sant Ana 2 RESUMO Aliada às discussões

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC)

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) Divina Rosangela de Souza Costa UCG Joana Peixoto UCG Comunicação Formação e profissionalização docente O presente trabalho tem

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 O USO DO COMPUTADOR COMO FERRAMENTA PARA TRABALHAR COM PESSOAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA. Jane Aparecida de Souza Santana (FCT/Unesp) Ms. Flaviana dos Santos Silva Profª Drª Elisa Tomoe Moriya Schlünzen

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE Bruna Cardoso Cruz 1 RESUMO: O presente trabalho procura conhecer o desempenho profissional dos professores da faculdade

Leia mais

Palavras-chave: AVA, informática, matemática e aprendizagem.

Palavras-chave: AVA, informática, matemática e aprendizagem. INTEGRAÇÃO ENTRE MATEMÁTICA E INFORMÁTICA EM AMBIENTES VIRTUAIS Solange Sardi Gimenes Washington Romao Dos Santos Jonathan Toczek RESUMO A Informática oferece recursos que auxiliam na aprendizagem, tornando

Leia mais

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO

ANAIS ELETRÔNICOS - 1ª JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO DO IFTO ANÁLISE DOS DISCURSOS DOS PROFESSORES QUE NÃO UTILIZAM ATIVIDADE EXPERIMENTAL DE BAIXO CUSTO DE FÍSICA Hipollyto Kapristano Amorim S. de OLIVEIRA (1); Weimar Silva CASTILHO (2). (1) Instituto Federal de

Leia mais

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS

A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS 1 A HISTÓRIA DA MATEMÁTICA COMO MEDIADOR DIDÁTICO CONCEITUAL NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA DOS ANOS INICIAIS Lúcia Helena Bezerra Ferreira Universidade Federal do Piauí luchbf@gmail.com RESUMO

Leia mais

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA Daricson Caldas de Araújo (IFPE) daricsoncaldas@gmail.com RESUMO Este artigo de revisão de literatura

Leia mais

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Henrique Daniel Froelich rikedaniel@yahoo.com.br Resumo: Para se viver

Leia mais

PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA

PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA PROFESSORES E O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: EM BUSCA DE UMA FORMAÇÃO CONTINUADA GONÇALVES, Claudia Cristine Souza Appel UFPR clauealex@yahoo.com.br BRITO, Glaucia da Silva UFPR glaucia@ufpr.br Eixo Temático:

Leia mais

QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO.

QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO. RESUMO QUANTO VALE O MEU DINHEIRO? EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PARA O CONSUMO. Francinilda Raquel Cardoso Silva (1); José Jorge Casimiro dos Santos (2) Faculdade São Francisco da Paraíba raquelmk06@gmail.com ¹

Leia mais

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE

O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE O ENSINO DE PROGRAMAÇÃO PARA CRIANÇAS DA REDE PÚBLICA DE CAMPINA GRANDE Diogo Cabral de Sousa (1); Augusto José Silva Firmo (1); Lucas de Luna Lima (2); Rafaela Quinto da Costa Melo (3); José Luiz Cavalcante

Leia mais

O uso do computador na escola sob o olhar de Valente

O uso do computador na escola sob o olhar de Valente O uso do computador na escola sob o olhar de Valente The role of computer use at school through the vision of Valente Carlos Alessandro Barbosa carlosalessandrob@gmail.com Instituto de Ensino Superior

Leia mais

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi

RESUMO. 140 Saber Digital. Gabriela do Carmo Fernandes gabihfernandes.gcf@gmail.com Discente da FAETERJ Paracambi 140 Saber Digital O USO DA TECNOLOGIA EM PROL DA EDUCAÇÃO: IMPORTÂNCIA, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES ENCONTRADAS POR INSTITUIÇÕES DE ENSINO E DOCENTES COM A INTEGRAÇÃO NOVAS TECNOLOGIAS À EDUCAÇÃO. Gabriela

Leia mais

Licenciatura em Espanhol

Licenciatura em Espanhol Licenciatura em Espanhol Rebeka Caroça Seixas Apresentação e Objetivos Estamos bem adiantados em nosso curso. Já falamos sobre o conceito de arte, conhecendo um pouco de cada linguagem artística. Hoje,

Leia mais

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática

O Uso de Softwares Educativos... Pacheco & Barros. O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática O Uso de Softwares Educativos no Ensino de Matemática José Adson D. Pacheco & Janaina V. Barros - UPE Resumo: O presente artigo avalia a utilização de softwares educativos de matemática na sala de aula

Leia mais

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo SILVEIRA, Lisiane Fernandes da 1 - UFPR FINK, Rosane 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO. Prof. Msc Milene Silva

PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO. Prof. Msc Milene Silva PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO Prof. Msc Milene Silva Conteúdo: Concepções Pedagógicas Conceitos de Educação; Pedagogia; Abordagens Pedagógicas: psicomotora, construtivista, desenvolvimentista e críticas. Função

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA

A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA A IMPORTÂNCIA DO USO DA INFORMÁTICA NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA Gabriela Staub 1 Luciana Mendes da Costa 2 Maria Preis Welter³ RESUMO O presente trabalho bibliográfico tem como finalidade

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM

O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM José Cícero Santos (UFAL) [cjnego2007@gmail.com] Aldisío Alencar Gomes (UFAL) [aldisioalencar@gmail.com] Ana Paula Perdigão Praxedes

Leia mais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais

Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Internet e Ensino: Saberes indispensáveis aos Imigrantes digitais Cristina Novikoff c_novikoff@yahoo.com.br UNIGRANRIO Natália Xavier Pereira nxpereira@hotmail.com UNIGRANRIO Resumo:O uso da tecnologia

Leia mais

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Nilson Duarte Rocha 1 Lúcio Jorge Hammes 2 Resumo Este artigo apresenta a epistemológica para a efetivação de uma educação ambiental transformadora do sujeito-aluno

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 432 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná

Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná Colégio Estadual Vicente Tomazini - Ensino Fundamental, Médio e Normal Francisco Alves - Paraná PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE METODOLOGIA PARA O ENSINO DE PORTUGUÊS E ALFABETIZAÇÃO FORMAÇÃO DE DOCENTES

Leia mais

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS

METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS METODOLOGIAS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS EXATAS GT 06 Formação de professores de matemática: práticas, saberes e desenvolvimento profissional Maria Madalena Dullius, Univates, madalena@univates.br Angélica

Leia mais

TECNOLOGIA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES

TECNOLOGIA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES TECNOLOGIA E FORMAÇÃO DE PROFESSORES Grupo de Estudo de Tecnologia e Educação Matemática - GETECMAT 15/09/2011 Camila de Oliveira da Silva Tópicos iniciais para discussão... Formação inicial do professor

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS DO INEP SOBRE A CORRELAÇÃO ENTRE O PERFIL PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DA CIDADE DE SÃO CARLOS QUE ATUAM NA EDUCAÇÃO BÁSICA E, A BUSCA POR FORMAÇÃO CONTINUADA E INOVAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA

GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA www.uniube.brpropepmestradorevista GESTÃO EDUCACIONAL E TECNOLOGIA SILVA, Eduardo Alex Carvalho Ribeiroi Lívia Rodrigues Acadêmico do Curso de Licenciatura Plena em Ciências Biológicas do Centro Federal

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. A Revolução do Ensino a Distância SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ A Revolução do Ensino a Distância Enir da Silva Fonseca Coordenador de Pólo EAD Campus Guarujá UNAERP - Universidade de Ribeirão Preto

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA JOÃO AUGUSTO DOS REIS NETO 1, JOÃO HENRIQUE OLIVEIRA PEREIRA 2, ANTONIO FERNANDES

Leia mais

RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ

RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ RECURSOS TECNOLÓGICOS E LABORATORIAIS DAS ESCOLAS DO NÚCLEO REGIONAL DE GOIOERÊ Débora Patrícia Miranda 1 Letícia dos Santos Marangoni Sigoli Ronaldo Celso Viscovini Vanessa de Araújo Zanquetta INTRODUÇÃO

Leia mais

MATEMÁTICA INTERATIVA: REFLEXÕES DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA USANDO OBJETOS DE APRENDIZAGEM

MATEMÁTICA INTERATIVA: REFLEXÕES DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA USANDO OBJETOS DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA INTERATIVA: REFLEXÕES DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA USANDO OBJETOS DE APRENDIZAGEM Nicélio José Gesser Universidade Federal de Santa Catarina niceliogesser@gmail.com Sonia Palomino Bean Universidade

Leia mais

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS

JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS JOGOS ONLINE NA CONSTRUÇÃO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS Lucas Gabriel Seibert Universidade Luterana do Brasil lucasseibert@hotmail.com Roberto Luis Tavares Bittencourt Universidade Luterana do Brasil rbittencourt@pop.com.br

Leia mais

Nossa Aula de cada Dia! 1

Nossa Aula de cada Dia! 1 Nossa Aula de cada Dia! 1 O titulo é sugestivo e enseja um olhar bastante critico para a utilização consciente e correta para atingir os objetivos propostos nos pilares e princípios contidos na atual LDB

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O USO PEDAGÓGICO DAS TECNOLOGIAS EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA

UM ESTUDO SOBRE O USO PEDAGÓGICO DAS TECNOLOGIAS EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA UM ESTUDO SOBRE O USO PEDAGÓGICO DAS TECNOLOGIAS EM CURSOS DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA SOUZA, Jediane Teixeira de SEE-SP jediane.teixeira@terra.com.br MANRIQUE, Ana Lúcia PUC/SP manrique@pucsp.br Área

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS

FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS FORMAÇÃO CONTINUADA A DISTÂNCIA: UM CAMINHO POSSÍVEL? PROPOSTA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTOS Santos SP - Maio/ 2010 Marta Fernandes Garcia Secretaria de Educação Prefeitura

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA EM GRUPO

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA EM GRUPO FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E ENSINO DE MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA EM GRUPO MONIKE CRISTINA SILVA BERTUCCI Universidade Federal de São Carlos mobertucci@yahoo.com.br RESUMO Este artigo relata uma

Leia mais

Palavras chaves: Formação de professores. Prática inovadora. Planejamento docente.

Palavras chaves: Formação de professores. Prática inovadora. Planejamento docente. REPENSANDO O PLANEJAMENTO DIDÁTICO PARA UMA PRÁTICA INOVADORA EM UM CURSO DE FORMAÇÃO DOCENTE. Cecilia Gaeta Universidade Federal de São Paulo UNIFESP (professora convidada) Martha Prata-Linhares Universidade

Leia mais

XII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa Universidade de Fortaleza 22 à 26 de Outubro de 2012

XII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa Universidade de Fortaleza 22 à 26 de Outubro de 2012 XII Encontro de Pós-Graduação e Pesquisa Universidade de Fortaleza 22 à 26 de Outubro de 2012 AVALIAÇÃO DO USO DO SOFTWARE GEOGEBRA NO ENSINO DE GEOMETRIA: REFLEXÃO DA PRÁTICA NA ESCOLA. Eimard Gomes Antunes

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Luciana Pereira de Sousa 1 Carmem Lucia Artioli Rolim 2 Resumo O presente estudo propõe discutir o contexto da formação dos pedagogos para o ensino da

Leia mais

ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO 43 ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO Luiza Lúlia Feitosa Simões 1 RESUMO Informática Educativa é o uso do computador no ambiente

Leia mais

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA

O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA O PEDAGOGO E O CONSELHO DE ESCOLA: UMA ARTICULAÇÃO NECESSÁRIA SANTOS *, Josiane Gonçalves SME/CTBA josiane_2104@hotmail.com Resumo Os tempos mudaram, a escola mudou. Refletir sobre a escola na contemporaneidade

Leia mais

A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE

A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES E O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO NA PERSPECTIVA DOCENTE Raquel Silva Borges, Bolsista PET (Re) Conectando Saberes - UFU Ana Paula de Assis, Bolsista PIBID- Subprojeto

Leia mais

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu.

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu. CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: INDICATIVOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE E DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO NUM CURSO DE PEDAGOGIA G1 Formação de Professores

Leia mais

Pedagogia Estácio FAMAP

Pedagogia Estácio FAMAP Pedagogia Estácio FAMAP # Objetivos Gerais: O Curso de Graduação em Pedagogia da Estácio FAMAP tem por objetivo geral a formação de profissionais preparados para responder às diferenciadas demandas educativas

Leia mais

ABORDAGENS E PERSPECTIVAS DO ENSINO DE FÍSICA NOS ANOS INICIAIS E FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

ABORDAGENS E PERSPECTIVAS DO ENSINO DE FÍSICA NOS ANOS INICIAIS E FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL ABORDAGENS E PERSPECTIVAS DO ENSINO DE FÍSICA NOS ANOS INICIAIS E FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Resumo Edna Luiza de Souza 1 - UFPR Nilson Marcos Dias Garcia 2 UTFPR-DAFIS/PPGTE e UFPR-PPGE Grupo de Trabalho:

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO

INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO: O BINÔMIO COMPUTADOR E EDUCAÇÃO por Wesley José Silva Setembro, 2004 A informática hoje vem sendo uma das soluções a ser implantada na didática de ensino aprendizagem, tendo como

Leia mais

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS

O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS O USO DO EDITOR DE APRESENTAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES EDUCATIVAS Mário Sérgio de Andrade Mendonça, mariomendonc@gmail.com Eduardo Machado Real, eduardomreal@uems.br UEMS Universidade Estadual

Leia mais

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA

O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA O EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO E A ESCOLA Karine Gantes Monteiro (kahh_gtm@hotmail.com) 1 Márcia Lorena Martinez (marcialorenam@hotmail.com) 2 Thaís Gonçalves D Avila (thais.avila@ig.com.br) 3 Vagner

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL ALVES, Ana Paula PUCPR SAHEB, Daniele PUCPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias e Práticas Agência Financiadora: não contou com financiamento Resumo

Leia mais

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO

ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO ESPAÇO INCLUSIVO Coordenação Geral Profa. Dra. Roberta Puccetti Coordenação Do Projeto Profa. Espa. Susy Mary Vieira Ferraz RESUMO A inclusão é uma realidade mundial. Desde a Declaração de Salamanca em

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

Centro de Estudos em Avaliação Educacional/UFRJ

Centro de Estudos em Avaliação Educacional/UFRJ CURRÍCULO: CONCEITOS BÁSICOS Centro de Estudos em Avaliação Educacional/UFRJ O termo currículo é encontrado em registros do século XVII, sempre relacionado a um projeto de controle do ensino e da aprendizagem,

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA

A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA A INFORMÁTICA E O ENSINO DA MATEMÁTICA Nélia Caires da Silva Acadêmico de Matemática da FACITEC Andreia Júlio de Oliveira Rocha MSc. Em Ensino de Ciências Naturais e Matemática FACITEC Resumo Essa pesquisa

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES

A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES 1 A ESCOLA ITINERANTE DE INFORMÁTICA DA PREFEITURA DO RECIFE COMO INSTRUMENTO DE INCLUSÃO DIGITAL LIMITES E POSSIBILIDADES Recife PE Maio 2009 Flávia Barbosa Ferreira de Santana Universidade Federal de

Leia mais

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado

Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Organização Curricular e o ensino do currículo: um processo consensuado Andréa Pereira de Souza Gestora da Formação Permanente na Secretaria Municipal de Educação do município de Mogi das Cruzes. Cintia

Leia mais

A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS

A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS A TÉCNICA RODÍZIO DE PAINÉIS Oscar Medeiros Filho oscarfilho@usp.br AMAN/ AEDB RESUMO O mundo passa por um período de rápidas transformações socioculturais. Impulsionadas pelo crescimento exponencial do

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade I ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Ementa A teoria construtivista: principais contribuições, possibilidades de trabalho pedagógico. Conceito de alfabetização: história e evolução.

Leia mais

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS VIEIRA, Débora Cristina de Oliveira PUCPR mmdvieira@hotmail.com MARTINS, Pura Lúcia Oliver - PUCPR Pura.oliver@pucpr.br Eixo Temático: Didática: Teorias,

Leia mais

A ABORDAGEM DO ESPAÇO RURAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE GEOGRAFIA DO ENSINO MÉDIO

A ABORDAGEM DO ESPAÇO RURAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE GEOGRAFIA DO ENSINO MÉDIO A ABORDAGEM DO ESPAÇO RURAL NOS LIVROS DIDÁTICOS DE GEOGRAFIA DO ENSINO MÉDIO Erineide da Costa e Silva / IFRN erineide@cefetrn.br Nubelia Moreira da Silva/ IFRN nubelia@cefetrn.br ANUNCIANDO O PERCURSO

Leia mais

Elaboramos muitas soluções para problemas que não são concretos e continuamos sem soluções para os problemas concretos das redes de ensino.

Elaboramos muitas soluções para problemas que não são concretos e continuamos sem soluções para os problemas concretos das redes de ensino. Problemas e novas perspectivas na formação inicial de professores no Brasil Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Elaboramos muitas soluções para problemas que não são concretos e continuamos sem

Leia mais

Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem. (Mário Quintana).

Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem. (Mário Quintana). Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história. (Bill Gates). Os verdadeiros analfabetos

Leia mais

REFLETINDO A PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE ROBÓTICA EDUCACIONAL E O ENSINO DE MATEMÁTICA NA BASE DE DADOS DA CAPES

REFLETINDO A PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE ROBÓTICA EDUCACIONAL E O ENSINO DE MATEMÁTICA NA BASE DE DADOS DA CAPES REFLETINDO A PRODUÇÃO CIENTIFICA SOBRE ROBÓTICA EDUCACIONAL E O ENSINO DE MATEMÁTICA NA BASE DE DADOS DA CAPES Edvanilson Santos de Oliveira Universidade Estadual da Paraíba - UEPB edvanilsom@gmail.com

Leia mais

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2

Curso de Pedagogia Ementário da Matriz Curricular 2010.2 1ª FASE 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL A Biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão neurológica nos processos básicos: os sentidos

Leia mais

INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL

INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE EDUCACIONAL: PERSPECTIVAS SOB O OLHAR DA EDUCAÇÃO ESPECIAL CAMARGO, Renata Gomes UFSM re_kmargo@hotmail.com Eixo Temático: Diversidade e Inclusão Agência Financiadora: não contou

Leia mais

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE

O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE 1 O ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO NA EDUCAÇÃO NÃO FORMAL NA MODALIDADE A DISTÂNCIA NO CURSO DE LICENCIATURA EM FÍSICA DA UFRPE Recife, maio/2010 Ana Paula Teixeira Bruno Silva Universidade Federal

Leia mais

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br

Programa de Pós Graduação em Educação da FCT/UNESP, Presidente Prudente, SP. depenna05@yahoo.com.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 799 INTERVENÇÃO EM ARTE COM O AUXÍLIO DO SOFTWARE PHOTOSHOP Denise Penna Quintanilha Programa de Pós Graduação em

Leia mais

Documento da Comissão Pesquisa em Ensino de Física PEF. Das Origens à Situação Atual

Documento da Comissão Pesquisa em Ensino de Física PEF. Das Origens à Situação Atual Documento da Comissão Pesquisa em Ensino de Física PEF Das Origens à Situação Atual A Pesquisa em Ensino de Física no Brasil tem sua origem em órgãos e projetos educacionais que se preocupavam com a melhoria

Leia mais

O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O PROCESSO AVALIATIVO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Thayssa Stefane Macedo Nascimento Graduanda do curso de Pedagogia da UFPI RESUMO O presente trabalho discute acerca da avaliação na educação infantil tendo como

Leia mais

PROJETO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA

PROJETO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA PROJETO DE INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA COLÉGIO CRISTO REI IRMÃS AGOSTINIANAS MISSIONÁRIAS INICIAÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA. Aplicação das múltiplas habilidades e competências desenvolvidas no decorrer

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

Uma experiência sobre mediação pedagógica no curso de Pedagogia UMESP São Paulo

Uma experiência sobre mediação pedagógica no curso de Pedagogia UMESP São Paulo Uma experiência sobre mediação pedagógica no curso de Pedagogia UMESP São Paulo Na sociedade globalizada que estamos vivendo, as formas clássicas de ensinar, dada as transformações tecnológicas, já não

Leia mais

O ALCANCE DAS TICs NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

O ALCANCE DAS TICs NA PRÁTICA PEDAGÓGICA O ALCANCE DAS TICs NA PRÁTICA PEDAGÓGICA Rodrigo Rocha Ribeiro de Souza Universidade Tuiuti do Paraná ruoderik@yahoo.com.br Resumo: Os avanços tecnológicos mudaram por completo as relações até hoje estabelecidas

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos Elaboração de Projetos 2 1. ProjetoS John Dewey (1859-1952) FERRARI, Márcio. John Dewey: o pensador que pôs a prática em foco. Nova Escola, São Paulo, jul. 2008. Edição especial grandes pensadores. Disponível

Leia mais

APROVADO EM: I APRECIAÇÃO

APROVADO EM: I APRECIAÇÃO INTERESSADO(A): Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso SEDUC EMENTA : Projeto Reorganização da Trajetória Escolar para alunos com Distorção idade/ano escolar RELATOR(A) : Consª Carmen Lúcia de

Leia mais

Proposta de atividade para a disciplina Cálculo Diferencial e Integral com uso software Winplot

Proposta de atividade para a disciplina Cálculo Diferencial e Integral com uso software Winplot Proposta de atividade para a disciplina Cálculo Diferencial e Integral com uso software Winplot para os conteúdos: gráficos de equações e área de uma região em coordenadas polares Egídio Rodrigues Martins

Leia mais

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação

MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Introdução Mídias na educação MÍDIAS NA EDUCAÇÃO Michele Gomes Felisberto; Micheli de Oliveira; Simone Pereira; Vagner Lean dos Reis Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha Introdução O mundo em que vivemos

Leia mais

Tarcia Paulino da Silva Universidade Estadual da Paraíba Tarcia_cg@hotmail.com. Roseane Albuquerque Ribeiro Universidade Estadual da Paraíba

Tarcia Paulino da Silva Universidade Estadual da Paraíba Tarcia_cg@hotmail.com. Roseane Albuquerque Ribeiro Universidade Estadual da Paraíba Tecnologias Assistivas e Inclusão Digital: A importância do computador no processo de aprendizagem de crianças com deficiência intelectual da APAE- Campina Grande/ PB Tarcia Paulino da Silva Universidade

Leia mais