Manual do Estágio Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do Estágio Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO ÁREA DA SAUDE E BEM-ESTAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA Manual do Estágio Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética COORDENAÇÃO Mônica Magdalena Descalzo Kuplich ELABORAÇÃO NDE e Conselho do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética 2014

2 APRESENTAÇÃO O Estágio Supervisionado em Estética constitui etapa de fundamental importância, visto que representa o momento que favorece ao aluno articular, de forma sistemática e orientada, a teoria e a prática, permitindo-lhe instrumentalizar-se para o exercício profissional. O Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética ULBRA contempla em sua matriz curricular o Estágio Supervisionado em Estetica (204 horas) no sexto semestre, organizado de forma que permita a aquisição de habilidades e competências a diversas áreas de atuação do Tecnólogo em Estética e Cosmética conforme preconizado Res. CONSUN 163 de 27 de novembro de 2002 e Diretrizes Curriculares (Resolução CNE/CP nº 3, de 18/12/2002, publicada no DOU em 23/12/2002). Através do programa do Estágio Supervisionado em Estética, realizado na ULBRA, os alunos regularmente matriculados na disciplina de Estágio Supervisionado em Estética - Curso de Estética e Cosmética/ULBRA terão a oportunidade de relacionamento com o futuro campo de trabalho. Na intenção de esclarecer e propiciar o melhor entendimento de questões relativas aos Estágios, a Comissão de Estágio, representada pelo Coordenador e NDE e Conselho do Curso de Estética e Cosmética, preparou este Manual, que consiste em um instrumento de apoio e orientação para os procedimentos de estágio. O Manual permitirá ao aluno desenvolver, durante o seu estágio, atitudes de autoavaliação, auto-correção bem como melhor relacionamento com as pessoas envolvidas neste processo. Comissão de Estágio 2

3 SUMÁRIO 1 REGULAMENTO 4 2 CONCEITUAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO 4 3 OBJETIVOS Objetivos Gerais Objetivos Específicos Estética capilar Estética corporal Estética facial 6 4. COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO Comissão de Estágio Atribuições da Comissão de Estágio Atribuições do Coordenador de Atividades - Estágio Atribuições dos Supervisores Acadêmicos 7 5 REQUISITOS PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ESTÉTICA Em Relação ao Aluno 8 6 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO 8 7 SISTEMA DE AVALIAÇÃO 8 ANEXOS 9 3

4 1 REGULAMENTO O Estágio Supervisionado em Estética do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética da Universidade Luterana do Brasil possui regulamento de acordo com Res. CONSUN 163 de 27 de novembro de 2002 e Diretrizes Curriculares (Resolução CNE/CP nº 3, de 18/12/2002, publicada no DOU em 23/12/2002) (Anexo 1). O Estágio Supervisionado em Estética consta na matriz curricular do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética da Universidade Luterana do Brasil, sendo condição obrigatória a prévia aprovação de disciplinas de formação profissional indispensáveis para o desenvolvimento de atividades no estágio; estar regularmente matriculado na disciplina de Estágio Supervisionado em Estética (802343) bem como o cumprimento da carga horária total (204 horas) do estágio para a integralização curricular (Anexo 2). 2 CONCEITUAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO ESTÁGIO O Estágio Curricular Supervisionado em Estética é entendido como um conjunto de atividades curriculares indispensáveis ao processo de formação profissional objetivando: A. Garantir ao formando a aquisição de visão crítica e abordagem sistêmica das competências relacionadas com a atividade laboral em estética, atuação em equipe multiprofissional, com atividades referentes aos procedimentos em estética capilar, facial e corporal, através de atividades práticas, o conjunto de conhecimentos adquiridos nas diversas disciplinas do curso. B. Capacitá-los tecnicamente a encontrar, no que se refere às atividades atribuídas ao Tecnólogo em Estética e Cosmética, soluções adequadas aos procedimentos em estética e cosmética e, ao mesmo tempo, atuar buscando a redução da dependência tecnológica no setor. As atividades serão desenvolvidas durante o semestre letivo, sob condições programadas e com acompanhamento direto dos Supervisores Acadêmicos, visando articular de forma sistemática e orientada teoria e prática, tendo como referência básica a realidade concreta dentro de uma determinada perspectiva do exercício profissional. Nesse entendimento ressaltam como características gerais as seguintes: O Estágio Curricular em Estética proporcionará a complementação do ensino/aprendizagem, constituindo-se em instrumento de integração, sob a forma de treinamento prático, aperfeiçoamento técnico-científico, cultural e de relacionamento humano. 4

5 O Estágio será desenvolvido em locais que ofereçam condições plenas para a realização das atividades programadas, a saber, Laboratorio de Estetica - ULBRA. O plano de trabalho do Estágio Supervisionado em Estética foi elaborado de comum acordo entre a Coordenação, NDE e Supervisão Acadêmica. A carga horária total do Estágio Supervisionado em Estética deverá ser cumprida em um semestre. As atividades de Estágio obedecerão à regulamentação própria, elaborada e aprovada em conjunto pela Comissão de Estágio, Coordenação do Curso e NDE. A supervisão acadêmica do Estágio deverá ser feita de forma obrigatória e sistematicamente por docentes pertencentes à Comissão do Estagio Supervisionado em Estética A avaliação do Estágio obedecerá a normas elaboradas pela Comissão de Estágio Supervisionado em Estética. Os trabalhos de acompanhamento de atividades do Estágio serão obrigatórios, devendo ser elaborados pelo aluno, segundo normas estabelecidas pela Comissão de Estágio. Os Estágios serão regidos pelas disposições legais vigentes. 3 OBJETIVOS 3.1 Objetivos Gerais Propiciar ao aluno do Curso Superior de Tecnologia em Estética e Cosmética da Universidade Luterana do Brasil experiência prática do exercício profissional em tecnologia em estética e cosmética, relacionando o conteúdo teórico à prática, oportunizando uma visão do campo de trabalho, das relações humanas, da ética profissional e propiciando a aplicação de técnicas e procedimentos em estética na assistência ao paciente e treinamento no exercício profissional competente nas áreas de atuação do Tecnólogo em Estética e Cosmética. 3.2 Objetivos Específicos Estética capilar - Capacitado para atuar multidisciplinarmente no segmento da estética, beleza e imagem pessoal. - Capacitado para avaliar os tipos de pele de couro cabeludo e haste capilar. - Competência para realizar a higienização da pele do couro cabeludo e haste capilar. 5

6 - Apto para realizar massagem e drenagem linfática da cabeça e cabelo. - Capacitado a realizar procedimentos estéticos superficiais e orientar o uso de cosméticos. - Habilitado para aplicar recursos elétricos não invasivos em estética capilar. - Capacitado a aplicar terapias alternativas, assim como técnicas que utilizem recursos naturais Estetica corporal - Capacitado para atuar multidisciplinarmente no segmento da estética, beleza e imagem pessoal. - Capacitado a avaliar desordens estéticas corporais. - Apto para executar procedimentos estéticos que promovam melhora do contorno corporal. - Capacitado para realizar massagem e drenagem linfática corporal com objetivo estético e relaxante. - Habilitado para aplicar recursos elétricos não invasivos em estética corporal. - Apto a aplicar procedimentos que visem melhorar a qualidade da pele no pré e póscirúrgico estético. - Capacitado a aplicar terapias alternativas, assim como técnicas que utilizem recursos naturais Estética facial - Capacitado para atuar multidisciplinarmente no segmento da estética, beleza e imagem pessoal. - Capacitado a avaliar os diferentes tipos de pele e orientar uso de cosméticos. - Competência para realizar a higienização e limpeza da pele. - Em conjunto com outros profissionais, capacitado no restabelecimento das funções normais da pele. - Apto a realizar procedimentos superficiais na acne, revitalização, hidratação e clareamento da pele. - Apto para aplicar recursos elétricos não invasivos em estética facial. - Competência para realizar massagem e drenagem linfática facial com objetivo estético e relaxante. - Apto a aplicar procedimentos que visem melhorar a qualidade da pele no pré e póscirúrgico estético. - Capacitado a aplicar terapias alternativas, assim como técnicas que utilizem recursos naturais. 6

7 4. COORDENAÇÃO E SUPERVISÃO 4.1 Comissão de Estágio A Comissão de Estágio é constituída pelo Coordenador do Curso, NDE, Coordenador de Atividade e por Supervisores Acadêmicos, professores do Curso de Estetica e Cosmética, da Universidade Luterana do Brasil. Esta comissão é responsável pela estruturação, organização, desenvolvimento e avaliação do estágio curricular dos alunos do Curso de Estetica e Cosmética. 4.2 Atribuições da Comissão de Estágio a. Organizar e estruturar o estágio curricular supervisionado. b. Avaliar e assegurar a qualidade técnico-didática do estágio. 4.3 Atribuições da Coordenação de Atividades - Estágio a. Planejar e coordenar as atividades do estágio supervisionado, junto aos Supervisores Acadêmicos. b. Elaborar o programa de estágio com o apoio dos supervisores acadêmicos. c. Designar os supervisores acadêmicos de estágio. d. Realizar reuniões periódicas com os supervisores acadêmicos para planejamento, acompanhamento e avaliação dos estágios. e. Assegurar a qualidade técnico-pedagógica do estágio. f. Verificação do cumprimento das normas contidas no manual de estágio. g. Registro e documentação dos alunos (Termo de compromisso anexo 3). 4.4 Atribuições dos Supervisores Acadêmicos a. Elaborar os programas de estágio, com apoio da coordenação de estágio. b. Assegurar o cumprimento dos programas de estágio. c. Reunir-se periodicamente com os estagiários para acompanhamento e avaliação dos trabalhos d. Identificar e analisar problemas, levantando alternativas de soluções, em conjunto com a coordenação de estágio. e. Atender os acadêmicos que necessitem de orientação para o melhor desenvolvimento do estágio. f. Manter registro das atividades dos estagiários e do estágio g. Avaliar o desempenho dos estagiários, proceder aos registros acadêmicos no diário de classe. 7

8 5 REQUISITOS PARA O ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ESTETICA 5.1 Em Relação ao Aluno A realização do Estágio Curricular dar-se-á através da matrícula na disciplina de Estágio Supervisionado em Estetica. O aluno deve solicitar à Comissão de Estágio, por escrito, vaga para a realização do estágio através de uma ficha de inscrição (Anexo 4), anexando copia da Carteira de vacinação e Atestado médico atualizado. Será considerado apto a cursar o estágio, o aluno que tiver cursado com aprovação, as disciplinas profissionalizantes do curso de estética. 6 DESENVOLVIMENTO DO ESTÁGIO Os estagiários realizarão atividades práticas do exercício profissional no Laboratorio de Estetica e atividades de orientação e complementação curricular na Universidade, a serem previamente determinadas pela Comissão de Estágio, tais como: relatórios e estudo de caso. 7 SISTEMA DE AVALIAÇÃO A freqüência do estagiário será relatada em fichas de freqüência (Anexo 5) entregues à Comissão de Estágio mensalmente, previamente visadas pelo Supervisor Acadêmico. As faltas excepcionais ou o não cumprimento dos horários acordados, deverão ser justificadas, cabendo à Comissão de Estágio, a avaliação e decisão sobre a recuperação das mesmas. Não se aplica a Lei n6202/75, referente às alunas gestantes 1. Será considerado aprovado o aluno que desempenhar satisfatoriamente as atividades de cada um dos itens de avaliação, sendo que a nota mínima para aprovação na disciplina é 6.0, conforme preconiza o Regimento Geral da Universidade. 8

9 ANEXOS 9

MANUAL DE ATENDIMENTO SUPERVISIONADO EM PROCEDIMENTOS DE ESTÉTICA E COSMÉTICA

MANUAL DE ATENDIMENTO SUPERVISIONADO EM PROCEDIMENTOS DE ESTÉTICA E COSMÉTICA 0 UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA CURSO DE TECNOLOGIA EM ESTÉTICA E COSMÉTICA MANUAL DE ATENDIMENTO SUPERVISIONADO EM PROCEDIMENTOS DE ESTÉTICA E COSMÉTICA BELÉM PARÁ 2014 1 UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA - UNAMA DIRETOR

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA AGRONÔMICA 2014 São Luis de Montes Belos Goiás Faculdade Montes Belos Curso de Engenharia Agronômica São Luis de Montes Belos - Goiás COORDENADOR

Leia mais

Bacharelado em Educação Física

Bacharelado em Educação Física Bacharelado em Educação Física Estágio Curricular O Estágio Curricular possivelmente seja uma das mais ricas experiências do acadêmico que optou pelo Curso de Bacharelado em Educação Física. As situações

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Elaboração: Bruno Márcio Agostini, M. Sc. São João del Rei - MG Julho de 2010 TÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PRELIMINARES O presente

Leia mais

REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR

REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR REGULAMENTO 1 ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO ENGENHARIA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS Foz do Iguaçu PR Ministério da Educação 1 Disposições Gerais O presente regulamento tem por objetivo estabelecer os critérios

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BIOMEDICINA DA FAAPE NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º. O estágio curricular do Curso de Biomedicina da Faculdade do Agreste de Pernambuco ASCES constitui um

Leia mais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

CURSO: EDUCAR PARA TRANSFORMAR. Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Fundação Carmelitana Mário Palmério Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Educação de Qualidade ao seu alcance EDUCAR PARA TRANSFORMAR O CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO: LICENCIATURA

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PSICOLOGIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Res. Consun nº 90/10, de 24/11/2010. DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Art. 2º Art. 3º Este instrumento apresenta

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

a) Estar regularmente matriculados no curso;

a) Estar regularmente matriculados no curso; (35) 3690-8900 / 3690-8958 (fax) br ESTÁGIO CURRÍCULAR SUPERVISIONADO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ANO LETIVO 2014) 1 Caracterização Os cursos de Engenharia de Produção do Brasil são regidos pelas

Leia mais

. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

. REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES . REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LETRAS LICENCIATURA - DA USJT DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES O Curso de Letras - Licenciatura - objetiva a formação pedagógica, ao contemplar uma visão

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS CURSO DE GRADUAÇÃO EM FARMÁCIA CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO Art. 1º- Considera-se estágio, as atividades de aprendizagem social, profissional, proporcionadas ao

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016.

RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. RESOLUÇÃO Nº. 074, DE 20 DE ABRIL DE 2016. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS, no uso de suas atribuições legais e considerando o Parecer nº 43/2016

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 3 ANEXO 5 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1.1 Disposições Preliminares Artigo 1 o - As atividades de Estágio Supervisionado que integram a Matriz Curricular do Curso de Administração, da Faculdade

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ENGENHARIA CIVIL Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 44/15, de 09/12/2015. CAPÍTULO I AS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA EM PSICOLOGIA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA EM PSICOLOGIA CLÍNICA ESCOLA PARA ATENDIMENTO PSICOLÓGICO (CEAP) CEAP O Núcleo de Prática em Psicologia - CEAP do Curso de Bacharelado em Psicologia da AJES Instituto Superior de Educação do Vale do Juruena, da entidade

Leia mais

O estágio curricular, obrigatório ou não, é um componente do Projeto Pedagógico do Curso de Farmácia. CAPÍTULO II

O estágio curricular, obrigatório ou não, é um componente do Projeto Pedagógico do Curso de Farmácia. CAPÍTULO II Regulamento dos estágios supervisionados do Curso de Farmácia (obrigatórios e não obrigatórios) para alunos ingressantes a partir do primeiro semestre de 2014 Art. 1 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado em Farmácia

Regulamento de Estágio Supervisionado em Farmácia CURSO DE FARMÁCIA Regulamento de Estágio Supervisionado em Farmácia Ji-Paraná RO, 2014 SUMÁRIO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE FARMÁCIA... TÍTIULO I - FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 03 03

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO IV - DA ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E CONTROLE

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO IV - DA ORGANIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E CONTROLE REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PRODUÇÃO CULTURAL CAPÍTULO I - DO CONCEITO, FINALIDADES E OBJETIVOS CAPÍTULO II - DAS ÁREAS, CAMPOS E ATIVIDADES CAPÍTULO III - DAS ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ COORDENAÇÃO DO CURSO DE ENGENHARIA ELÉTRICA - CEE PROJETO DISCIPLINADOR DO ESTÁGIO CURRICULAR - CEE/UNIFAP Estabelece diretrizes e normas necessárias

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO EM SERVIÇO SOCIAL OBRIGATÓRIO COORDENNAÇAO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL Profª Msc Liana Maria Ibiapina do Monte SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CARACTERIZAÇÃO TERMINOLOGIA

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MATRIZ CURRICULAR 2011

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MATRIZ CURRICULAR 2011 CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MATRIZ CURRICULAR 2011 PALMAS TO 2011 APRESENTAÇÃO Este Regulamento de Estágio do Curso de Administração visa servir de referência

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 211/2005-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio do Curso de Turismo da Universidade Estadual do Centro- Oeste, UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO:

Leia mais

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica:

TÍTULO I DA NATUREZA, DAS FINALIDADES CAPÍTULO I DA NATUREZA. PARÁGRAFO ÚNICO Atividade curricular com ênfase exclusiva didático-pedagógica: REGULAMENTO GERAL PARA REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO IFRR N A regulamentação geral de estágio tem por objetivo estabelecer normas e diretrizes gerais que definam uma política

Leia mais

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas

UNIÃO DINÂMICA DE FACULDADES CATARATAS Centro Universitário Dinâmica das Cataratas REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CAPÍTULO I CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS Art. 1º Art. 2º Art. 3º Art. 4º Estágio Supervisionado em Administração (ESA), é a disciplina

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DE LICENCIATURA DO IFPE NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO

MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO MANUAL DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ADMINISTRAÇÃO 1 SUMÁRIO Lista de Anexos... 3 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 5 3. DEFINIÇÕES... 5 4. OBJETIVOS... 6 5. PLANEJAMENTO E COMPETÊNCIAS...

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS.

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS. REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS INGLÊS. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL O presente regulamento fundamenta-se nos termos da LDB 9394, de 20 de dezembro

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA CUMPRIMENTO DOS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

DIRETRIZES GERAIS PARA CUMPRIMENTO DOS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DIRETRIZES GERAIS PARA CUMPRIMENTO DOS CURRÍCULOS DOS CURSOS DE ENSINO MÉDIO I. INTRODUÇÃO E EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Compete à Unidade de Ensino Médio e Técnico (Cetec) orientar as unidades de ensino, expedindo

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO

CAPÍTULO I DAS DIRETRIZES DO CURSO RESOLUÇÃO CAS Nº 07 / 2007 De 05 de agosto de 2007 Reformula o Projeto Político Pedagógico do Curso de Licenciatura em Pedagogia, a ser implantado a partir do 2º semestre do ano letivo de 2007. CONSIDERANDO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS UNESP FRANCA Dispõe sobre o cumprimento da carga horária das Atividades de Estágio Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º O presente instrumento

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM ESTÉTICA

CURSO TÉCNICO EM ESTÉTICA CURSO TÉCNICO EM ESTÉTICA ATUAÇÃO Técnico em Estética é uma ocupação da área da Saúde, cuja formação está regulamentada nacionalmente. O exercício dessas ocupações está sob supervisão do Fisioterapeuta

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA FACULDADE ASCES

REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA FACULDADE ASCES REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, NATUREZA E FINALIDADES DOS ESTÁGIOS Art. 1º. O Estágio é um componente curricular

Leia mais

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO

REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO REGIMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO Res. CONSUN nº 49/03, 10/12/03 Art. 1 o O presente documento objetiva fornecer as orientações

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E NATUREZA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E NATUREZA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA FACULDADE ASCES CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E NATUREZA Art. 1º O Estágio é um componente curricular do processo de formação acadêmica,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE

RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 119/2010/CONEPE Aprova as Normas de Estágio Curricular Obrigatório

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento para Atividades Práticas do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM.

R E S O L U Ç Ã O. Fica aprovado o Regulamento para Atividades Práticas do Curso de Enfermagem, bacharelado, da Faculdade do Maranhão FACAM. RESOLUÇÃO CSA N 10/2010 APROVA O REGULAMENTO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS DO CURSO DE ENFERMAGEM, BACHARELADO, DA FACULDADE DO MARANHÃO FACAM. O Presidente do Conselho Superior de Administração CSA, no uso

Leia mais

Licenciatura em Educação Física

Licenciatura em Educação Física Licenciatura em Educação Física Estágio Curricular O Estágio Curricular talvez seja um dos primeiros grandes desafios do acadêmico que optou pelo Curso de licenciatura em Educação Física. As situações

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA CURSO DE ZOOTECNIA. Regulamento do Estágio Supervisionado I e II

UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA CURSO DE ZOOTECNIA. Regulamento do Estágio Supervisionado I e II UNIVERSIDADE DO OESTE PAULISTA CURSO DE ZOOTECNIA Regulamento do Estágio Supervisionado I e II Presidente Prudente 2009 DOS OBJETIVOS Art. 1º. O Estágio Supervisionado do curso de graduação em Zootecnia

Leia mais

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras

REGULAMENTO E MANUAL. Pedagogia e Letras INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE BARRETOS Mantido pelo Centro de Educação e Idiomas de Barretos Autorizado pela Portaria 71 de 11/01/2005 DOU Pedagogia Reconhecido pela portaria nº 663 de 11/05/2009 DOU

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CACOAL 2010 CAPÍTULO I DO CONCEITO, FINALIDADE E OBJETIVOS Art. 1º O Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

ANEXO C REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO. Da caracterização

ANEXO C REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO. Da caracterização ANEXO C REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO SUPERVISIONADO Regulamento aprovado pela Comissão de Curso em 02 de setembro de 2014 Este anexo regulamenta o Estágio Curricular Obrigatório Supervisionado

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CAMPUS UNIVERSITÁRIO DO MARAJÓ- BREVES FACULDADE DE LETRAS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS/PORTUGUÊS INTRODUÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO INTRODUÇÃO Considerando o objetivo de formação de docentes em que a atividade prática de prestação de serviços especializados é relevante à sociedade, torna-se necessário

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÈDICAS DA SANTA CASA DE SÃO PAULO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÈDICAS DA SANTA CASA DE SÃO PAULO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE DE CIÊNCIAS MÈDICAS DA SANTA CASA DE SÃO PAULO CURSO DE GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1. APRESENTAÇÃO O objetivo deste manual é orientar o desenvolvimento dos estágios

Leia mais

Manual de Estágio. Serviço Social

Manual de Estágio. Serviço Social Manual de Estágio Serviço Social Sumário Manual de Estágio SERVIÇO SOCIAL INTRODUÇÃO... 03 1. ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL... 03 2. INFORMAÇÕES INICIAIS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO ES...

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE FISIOTERAPIA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE FISIOTERAPIA FACULDADE DE MEDICINA NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE FISIOTERAPIA CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - Normatizar o funcionamento e a composição da Comissão Orientadora de Estágio (COE) e o oferecimento das

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Art.1º - Disposições legais: lei 11.788/2008; Decreto 87.497/1982; Decreto 2.080/1996; Resolução CONSUNI Nº 06/2002; Resolução CEPEC 0880/2008; Resolução

Leia mais

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO EDUCAÇÃO FÍSICA 1 OBJETIVO Padronização e estruturação das normas técnicas, deveres e direitos das partes envolvidas e diretrizes do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Engenharia de Alimentos é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes

Leia mais

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 54/2009/CONEPE Aprova Normas Específicas do Estágio Curricular do

Leia mais

AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DO LIMOEIRO-AESLI FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DO LIMOEIRO-FACAL

AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DO LIMOEIRO-AESLI FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DO LIMOEIRO-FACAL AUTARQUIA DE ENSINO SUPERIOR DO LIMOEIRO-AESLI FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DO LIMOEIRO-FACAL CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CEPE RESOLUÇÃO N 001/2012 Limoeiro, junho de 2012 SUMÁRIO I Regulamento...03

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA Secretaria de Estado da Educação Diretoria de Educação Básica e Profissional

ESTADO DE SANTA CATARINA Secretaria de Estado da Educação Diretoria de Educação Básica e Profissional ESTADO DE SANTA CATARINA Secretaria de Estado da Educação Diretoria de Educação Básica e Profissional Programa Estadual Novas Oportunidades de Aprendizagem na Educação Básica- PENOA Florianópolis, 2016.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013 UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ FACULDADE DE MATEMÁTICA CURSO DE MATEMÁTICA REGULAMENTO N 001, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2013 Estabelece os procedimentos necessários à sistematização do Estágio Curricular Supervisionado

Leia mais

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel

Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS Instituto de Informática Síntese do Projeto Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação PUC Minas/São Gabriel Belo Horizonte - MG Outubro/2007 Síntese

Leia mais

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE

REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS ESPECÍFICOS DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA DA FACULDADE FASIPE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1.º O presente Regulamento dispõe sobre o Estágio Supervisionado

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE ENGENHARIA AMBIENTAL REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente instrumento regulamenta as atividades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 118/2004-CEPE/UNICENTRO Aprova o Regulamento de Estágio Supervisionado de Graduação do Curso de Administração da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO: Faço

Leia mais

Poder Executivo Ministério da Educação Universidade Federal do Amazonas Faculdade de Ciências Agrárias Gabinete do Diretor EDITAL 04/2016.

Poder Executivo Ministério da Educação Universidade Federal do Amazonas Faculdade de Ciências Agrárias Gabinete do Diretor EDITAL 04/2016. EDITAL 04/2016. A FCA, considerando o convênio entre o Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas (OCB-AM) e a torna público as condições de seleção e ingresso para estágio curricular

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO MULTIDISCIPLINAR EM SAUDE COLEGIADO DO CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Instrução normativa Nº 01/2011 Revoga a Instrução Normativa N 02/2008 da comissão

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 53 de 28/01/2013 - CAS RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

RESOLUÇÃO N o 53 de 28/01/2013 - CAS RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES Regulamento de Estágios Estágios Não Obrigatórios Remunerados (ENOR) e Estágios Curriculares Obrigatórios (ECO) de alunos dos cursos superiores da Universidade Positivo. Aprovado pela Resolução n o 53

Leia mais

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO

Recife/PE 2010 ESTÁGIO REGULAMENTO ESTÁGIO REGULAMENTO Recife/PE 2010 2 CAPÍTULO I PRINCÍPIOS GERAIS DO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1.º O presente regulamento visa cumprir a Política de estágios da Escola Superior de Marketing-ESM

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES. CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Versão 2016.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES. CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Versão 2016.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA Versão 2016.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO RIBEIRÃO PIRES, FEVEREIRO DE 2016 Prezado acadêmico Este manual destina-se

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade estabelecer as normas relativas à elaboração, acompanhamento,

Leia mais

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS

RESOLUÇÃO 001/2014 DA CONCEPÇÃO E DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO 001/2014 Dispõe sobre o Estágio Curricular Supervisionado do curso em atendimento ao que prevê o Projeto Pedagógico do Curso de Administração. A Coordenação do Curso de Administração, no uso

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento da Faculdade Católica do Tocantins (Facto), mantida

Leia mais

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

REGULAMENTO PARA A REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS DE GUANAMBI Distrito de Ceraíma, s/n - Zona Rural - Cx Postal

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Em consonância

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 47/2007 Dispõe sobre normas para a realização de Estágios Curriculares Supervisionados

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE BIOMEDICINA - BACHARELADO. Ji-Paraná Rondônia Junho, 2014.

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE BIOMEDICINA - BACHARELADO. Ji-Paraná Rondônia Junho, 2014. REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO CURSO DE BIOMEDICINA - BACHARELADO Ji-Paraná Rondônia Junho, 2014. REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO EM BIOMEDICINA - BACHARELADO TÍTULO I APRESENTAÇÃO A programação

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Educação Física - Área de Saúde e Qualidade de Vida - Bacharelado Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FACULDADE DE MEDICINA DO TRIÂNGULO MINEIRO RESOLUÇÃO Nº 005, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003, DA CONGREGAÇÃO. Aprova o Regulamento do Estágio em Análises Clínicas do Curso de Graduação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I

REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA. Título I. Das Disposições Gerais. Capítulo I 1 REGIMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE PSICOLOGIA IMS/CAT/UFBA Título I Das Disposições Gerais Capítulo I Dos Objetivos e da Estruturação Geral do Serviço de Psicologia Art. 1º - O Serviço de Psicologia é parte

Leia mais

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO

Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO Universidade Federal da Integração Latino Americana MANUAL DO ESTAGIÁRIO MANUAL DO ESTAGIÁRIO PROGRAD - Pró-Reitoria de Graduação DEAC - Divisão de Estágios e Atividades Complementares Sumário 1. Apresentação...

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades Complementares constituem ações a serem desenvolvidas ao longo do curso, criando

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2014.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2014.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADES INTEGRADAS DE RIBEIRÃO PIRES CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA 2014.1 PLANO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Prezado acadêmico Este manual destina-se a orientar o aluno de Licenciatura em Educação

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

Regulamento do estágio curricular supervisionado obrigatório do curso de graduação em administração pública

Regulamento do estágio curricular supervisionado obrigatório do curso de graduação em administração pública SUMÁRIO 1. Objetivo 2. Aplicação 3. Referências 4. Definições 5. Siglas 6. Condições Gerais 7. Elegibilidade para realização do estágio curricular supervisionado obrigatório 8. Admissão no estágio curricular

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR 2008 Diretora Geral: Profª. Drª. Irmã Olga de Sá Vice-Diretora: Profª. Irmã Raquel Godoi Retz Coordenação Pedagógica: Prof. Ms José Luiz de Miranda Alves Coord. do Núcleo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 Prezado(a) Aluno(a): Estas normas foram elaboradas com o objetivo de fornecer subsídios

Leia mais

ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP

ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP ANEXO REGULAMENTO INTERNO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE FISIOTERAPIA DA FACULDADE DE APUCARANA - FAP RESOLUÇÃO Nº 03, DE 27 DE JULHO DE 2004. Baixa o Regulamento do Trabalho de Conclusão do Curso

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO 1) PERFIL DO CURSO: SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO ADMINISTRAÇÃO CORAÇÃO EUCARÍSTICO A missão do Curso de Administração da PUC Minas consiste em atender às necessidades de adaptação às transformações ambientais,

Leia mais

EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA)

EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA) EDITAL Nº 017, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014 PROCESSO DE SELEÇÃO DE ESTUDANTES NO ÂMBITO DO PROGRAMA DE MONITORIA (VOLUNTÁRIA) O DIRETOR DE IMPLANTAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012. RESOLUÇÃO CONSEACC/SP 04/2012 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CAMPUS SÃO PAULO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO

ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO 1) UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE PEDAGOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO Itaberaí/2012 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE ITABERAÍ CURSO DE

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL

INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL NORMAS COMPLEMENTARES DE ESTÁGIO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL Art. 1 o O Estágio regulamentado pela Lei N o 11.788, de

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. por. Fábio Zschornack Clarissa Tarragô Candotti CONCEPÇÃO E COMPOSIÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR

REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO. por. Fábio Zschornack Clarissa Tarragô Candotti CONCEPÇÃO E COMPOSIÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS por Fábio Zschornack Clarissa Tarragô Candotti CONCEPÇÃO E COMPOSIÇÃO DO ESTÁGIO CURRICULAR Conforme

Leia mais

Regimento de estágio não obrigatório

Regimento de estágio não obrigatório PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO - CEA Regimento de estágio não obrigatório Faculdade de Ciências Contábeis Maio 2009 1 CONTEÚDO Apresentação 3 Definição

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 Aprovar ad referendum do Conselho Universitário- CONSUN, o Regulamento para a Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade do Contestado - UnC. A Presidente do Conselho Universitário

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Artes Visuais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Artes Visuais ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Artes Visuais São as seguintes as disciplinas de Estágio Supervisionado do Curso de Artes Visuais (licenciatura): Estágio Supervisionado I (ART30049) 120 horas Propõe

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO 2008 REGULAMENTO DE ESTÁGIO NÃO OBRIGATÓRIO DA FACULDADE DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO TÍTULO I ESTÁGIO NATUREZA Art. 1º Os Estágios realizados na Faculdade de Ciência

Leia mais

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI

Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE Conselho Universitário - CONSUNI REGULAMENTO DA CLÍNICA ESCOLA E SERVIÇOS DE PSICOLOGIA - CESP Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 11/15 de 08/04/15. CAPÍTULO I DO OBJETIVO DO REGULAMENTO Art. 1º A Clínica Escola de Psicologia é o ambiente

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular Supervisionado do da

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Aprovado pela Resolução Consuni nº 26/10, de 08/09/2010. CAPÍTULO I DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais