Desafios na sociedade de informação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desafios na sociedade de informação"

Transcrição

1 FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Desafios na sociedade de inform mação Ana Cristina Fonseca Coimbra 2012

2 FACULDADE DE ECONOMIA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Desafios na sociedade de informação Trabalho realizado na unidade curricular de Fontes de Informação Sociológica Docente: Paulo Peixoto Ano lectivo: 2012/2013 Imagem da capa: Fotografia da autora, 2012 Ana Cristina Fonseca Coimbra 2012

3 ÍNDICE 1. Introdução Os desafios da sociedade de informação A publicidade e os jovens Os idosos e o silêncio da informação O poder da guerra de palavras numa guerra militar Descrição Detalhada da Pesquisa Avaliação da página da Internet Ficha de Leitura Conclusão Referências Bibliográficas Anexo A Página da Internet avaliada Anexo B Texto de suporte da ficha de leitura

4 1. INTRODUÇÃO Através da avaliação contínua da disciplina de Fontes de Informação Sociológica do primeiro ano da licenciatura de sociologia, decidi optar pelo tema Desafios na sociedade de informação de entre a possibilidade de escolha de mais dois temas A Europa e os migrantes no século XXI e Envelhecimento e dinâmicas sociais. Assim, a escolha do meu tema deteve se essencialmente na vontade de querer explorar mais relativamente aos desafios que esta nova sociedade de informação pode trazer aos indivíduos. De entre todos os textos disponibilizados na página da disciplina de Fontes de Informação Sociológica relativamente aos desafios da sociedade de informação, a minha decisão recaiu sobre o texto do autor Vladimir Volkoff cujo titulo do livro é Pequena história da desinformação do cavalo de Tróia à Internet. Assim, Vladimir Volkoff demostra através da sua obra que o ser humano é um consumidor ativo de informação e por isso de tão bem a conhecer, muitas vezes altera a, com o intuito de satisfazer os seus desejos e interesses. Então isto quer dizer que a informação não é algo garantido e muito menos totalmente verídico. Em suma o autor na sua obra analisa as grandes operações de desinformação da história que vão desde o mítico cavalo de tróia à tão recente internet. Ora, a primeira coisa que me chamou a atenção foi definitivamente o título do livro de Volkoff. O conceito desinformação era definitivamente algo novo para mim, por isso despertou logo a minha atenção. Assim foi feita a minha escolha relativamente ao texto e tema a trabalhar. Com este trabalho pretendo abordar três pontos que na minha opinião, são fundamentais para a compreensão do conceito de desinformação ou excesso de informação Então para tentar explorar da melhor forma possível os desafios da informação nos dias de hoje vou focar este trabalho em três temas: a publicidade alimentar e os consumidores adolescentes; os idosos como vítimas do silêncio de informação e por fim o poder da guerra de palavras numa guerra física. No primeiro tópico, irei descrever como a publicidade alimentar chega aos adolescentes ou classes mais influenciáveis da sociedade e quais os impactos da sua chegada. No segundo ponto irei abordar qual a relação entre o silêncio de informação, ou seja, a falta de informação e o número assaltos ao domicílio em pequenas povoações. Por fim, tenho como objetivo demostrar que através das palavras, da persuasão é possível vencer, por exemplo, uma batalha, manipulando o adversário através da intoxicação. 1

5 Todas as referências iram ser realizadas no estilo Chicago Décima Quinta Edição, citando livros, revistas, artigos, teses de doutoramento e sites da Internet. 2

6 2.1. PUBLICIDADE E JOVENS Comecemos então por definir o termo publicidade. Publicidade é o conhecimento público, divulgação, difusão (Varios Autores s.d.) de mensagens cujo objetivo principal não é informar, nem esclarecer, mas sim influenciar. Então desde já é possível deduzir que a publicidade não é a divulgação de informações necessariamente corretas ou verídicas. A publicidade pode ser definida quanto: À maneira como é divulgada e a forma como chega ao público; Aos objetivos que se propõe atingir; À via que utiliza. Quanto à forma como a publicidade pode ser difundida, esta pode ser aberta ou fechada. Considera se a forma da publicidade aberta quando esta é reconhecida como publicidade logo à primeira vista. Considera se a publicidade fechada quando o consumidor não se apercebe logo de imediato que se encontra perante um anúncio de publicidade. Dentro deste tipo de publicidade existe ainda a publicidade dissimulada, oculta e sublimar. A publicidade dissimulada é quando, um anúncio está camuflado, por exemplo num jornal, sob a forma de notícia (C. Afonso, Publicidade, Adolescentes e Alimentação 1994a), um exemplo de publicidade oculta quando alguma pessoa famosa se associa a alguma marca como consumidor e por fim como publicidade sublimar temos como exemplo o refrigerante Coca Cola, que visa essencialmente atingir o inconsciente a pessoa capta a mensagem sem se aperceber (C. Afonso, Publicidade, Adolescentes e Alimentação 1994b). Quanto à forma como a informação chega ao público a publicidade pode ser: privada coletiva (diferentes anunciantes com a mesma campanha em seu benefício) associada (anunciantes de produtos diferentes focados na mesma campanha). Relativamente aos seus objetivos a publicidade tem cinco categorias: De lançamento (coloca se algum produto novo no mercado) De expansão (o produto atinge novos mercados) De manutenção (manter o seu estatuto no mercado) De recordação (para não cair no esquecimento) De prestígio (os anúncios não focam o produto, mas sim a empresa) Por fim em relação à via utilizada a publicidade pode ser direta em que ocorre um envio individual do produto que se quer promover e pode ser também indireta neste tipo de via a mensagem destina se a mais que uma pessoa, ou a uma classe. Todo este processo de difusão de informação tem como objetivo principal o alcance de determinados fins comerciais e atua principalmente no irracional, ou seja, na parte mais inconsciente da pessoa, onde as mensagens mais irracionais podem chegar. 3

7 Tomemos como exemplo o slogan do refrigerante Coca Cola em 1927 Pure as Sunlight, ora provavelmente nem os produtores deste refrigerante acreditam verdadeiramente na completa pureza desta bebida, mas no entanto, o que interessava não era se a Coca Cola era pura, no sentido de saudável, mas sim influenciar a inconsciência dos consumidores que o era. Assim, sendo o principal objetivo da publicidade influenciar, existem por norma grupos mais vulneráveis para tal fim. Sendo a adolescência a passagem entre duas fases etárias de extrema importância, da infância à fase adulta, é natural que o adolescente seja influenciável pois esta etapa tem como tarefa principal o desenvolvimento da identidade pessoal (Pires e Brandão 2011) e a imitação dos diferentes papéis dos outros faz parte da criação da identidade do adolescente. É praticamente automático um jovem, depois da escola ou trabalho, quando chega a casa, sentar se no sofá e ligar a televisão, faz parte da rotina. E como elemento da rotina a televisão influencia nos, marca a nossa forma de pensar e responder a certas filosofias de vida por parte dos outros indivíduos. Então a publicidade televisiva tornou se um fenómeno marcante na nossa comunicação (Shmidt 1991). Os assuntos do dia a dia da sociedade são marcados pelo que a televisão nos expõe, somos por isso indivíduos frequentemente influenciados pela comunidade televisiva. Ora, mas para além da influência que a televisão tem nos adolescentes para materiais físicos, como a vontade de querer usar roupas de marca, ou ter o telemóvel mais recente, os programas televisivos podem também influenciar o adolescente num ponto em que se passa uma simples vontade de querer para uma necessidade de querer ter. Então para além das influências dos grupos, da família, dos valores fisiológicos, das experiências pessoais ou conhecimentos, existe também a influência da televisão (Carvalho 2009) A ANACOM realizou em Setembro de 2011 um estudo (Lima e Cardoso 2011) no qual pretendia analisar as tendências de consumo e apropriação de televisão em Portugal em comparação com outros meios de comunicação e outras plataformas. Assim, cerca de 99.0% dos indivíduos, em Setembro de 2011, tem algum tipo de aparelho de televisão em casa. E a esmagadora maioria considera que a televisão é a plataforma mais importante para se obter informações sobre acontecimentos recentes ou acontecimentos que já aconteceram há algumas horas. Com este estudo, podemos então perceber que a televisão é já uma componente indispensável na vida de praticamente toda a sociedade, por isso se entende o seu alargado espetro de atuação tanto em adultos como, principalmente, nos jovens, que despendem grande parte do seu tempo focados num ecrã. Então quais as possíveis consequências de toda esta absorção de informação? Com o consumo de televisão vem necessariamente o encontro dos indivíduos com a 4

8 publicidade. E como a publicidade tem influência nos comportamentos podem surgir alguns problemas, principalmente com os jovens. Existem de facto, determinadas massas televisivas produzidas para expor, difundir determinados alimentos unicamente com fins comerciais. A televisão é então uma das muitas novas tecnologias que influenciam grande parte dos jovens de hoje. A alimentação na adolescência é de extrema importância daí ser também de extrema importância a educação e informação alimentar nesta idade. Assim, as mensagens publicitárias, já que têm uma relação tão próximas com os jovens, deveriam ser um meio de transmissão de bons conceitos e comportamentos alimentares, no entanto, muitas vezes, os produtos publicitados não são saudáveis (Cabral 1989) e apenas existem para fins lucrativos. Então, podem surgir nos jovens duas doenças que derivam essencialmente da má publicidade, pois esta pode levar à total ou parcial identificação do consumidor com o ambiente que rodeia o produto (C. Afonso 1994) Através da exposição de apenas 30 segundos de publicidades variadas os jovens tornam se vulneráveis às políticas dos media. Ou seja, a exposição de alimentos inofensivamente calóricos de uma forma natural torna os jovens consumidores dos produtos publicitados e por isso vítimas do excesso de informação. Daqui podem resultar distúrbios alimentares como a obesidade, que tem como base, para além de outros factores, como a má repartição do tempo, a influência causada pelos maus anúncios televisivos. Ora, com tanto tempo a ver televisão, os jovens ficam sem tempo para o desporto que é vital para uma saúde inquestionável. Existe também o outro lado do problema. Quando a má publicidade traz o patamar que a alimentação perfeita é não comer, e os jovens na formação da sua identidade imitam esta atitude, encontramos o outro extremo dos distúrbios alimentares. A criação do mito que a magreza é sinal de beleza é já uma generalização e tem uma incidência cada vez maior principalmente nas adolescentes. 5

9 2.2. OS IDOSOS E O SILÊNCIO DA INFORMAÇÃO Se separarmos o conceito por palavras, o silêncio da informação é a falta, ou quando existe, a omissão de informação. Especificamente no caso dos idosos o silêncio no campo da informação pode trazer vários problemas tanto a nível físico como a nível psicológico. Esta fase da vida que surge a partir dos cinquenta anos é uma etapa que se caracteriza essencialmente pelo isolamento social e pelo surgimento de sentimentos de inutilidade (Pires e Brandão, PSI 12 B Parte 2, Psicologia 12º ano Ensino Secundário 2011b). Então é natural que a informação chegue a esta classe de uma forma fácil. Como vimos, 99% da população portuguesa tem televisão, factor de elevada importância para combater a solidão. No entanto, essa quantidade de população é apenas uma amostra, não existiam inquiridos de aldeias isoladas nem terras que não estão comtempladas no mapa. Segundo dados no INE num estudo realizado à situação demográfica em Portugal entre 2007 e 2009 existe uma diminuição bastante significativa da taxa de natalidade, de 11% para 9.4%. A taxa bruta de natalidade segue, assim, a evolução contrária nos últimos anos em alguns países com níveis de natalidade fracos (Carrilho e Patrício 2010) QUADRO I NATALIDADE E FECUNDIDADE EM PORTUGAL FONTE:

10 Com estes resultados podemos concluir que o número de idosos em Portugal tem vindo a aumentar o processo de envelhecimento da população portuguesa expresso no índice de envelhecimento, que é hoje de 112 idosos por cada 100 jovens e em 2046 será de 238 pessoas com mais de 65 anos por cada 100 até aos 14 anos (Instituto Nacional de Estatística 2008) no entanto as políticas de adaptação dos mesmos à então sociedade de informação continuam em estado latente. GRÁFICO I Nº DE IDOSOS COM TELEVISÃO EM PORTUGAL FONTE OBERCOM, 2011 Quais as consequências da falta de informação em idosos? O que faz disto um problema é a desigualdade que existe na quantidade de informação disponível entre as principais fachas etárias. Ora se os idosos têm, a maior parte deles, um grande défice de informação já os adultos tem informação disponível a mais que pode ser utilizada de uma forma imprópria vitimizando os idosos. A utilização de informações erradas ou dissimuladas podem levar os idosos a sofrerem graves consequências. Foquemo nos em dois exemplos: Assaltos ao domicílio Compra de produtos inexistentes Existem vários contextos para uma pessoa idosa poder ser vítima de crime, ou seja, muitas vezes uma pessoa idosa como já se encontra frágil fisicamente devido essencialmente ao avanço da idade e sobretudo ao isolamento que é vítima o contexto em que ocorre o crime é diferente do idoso que não sofre isolamento. O idoso pode ser vitimizado através: Família; 7

11 Instituições; Na rua; Na sua casa quando este vive sozinho. Quando o indivíduo sofre de violência em casa diz se que este é vítima de violência doméstica. Nestas situações o indivíduo tem uma diminuta significância pessoal para a família, tendo por isso uma relação muito fria com a maior parte das pessoas à sua volta, pois sentem se sempre algo a mais na vida dos outros. Estes componentes tornam o individuo mais favorável à vitimização, o que ajuda muito o papel dos agressores. Em contexto de instituição, a pessoa idosa pode ser vítima de crime no momento em que lhe tiram a sua liberdade e a sujeitam às regras e horários das instituições. Acompanhado deste sentimento vem o de abandono por parte da família e a falta de intimidade pessoal. Ora, mas quando o idoso vive só em sua casa, os casos de vitimização podem ser um pouco mais complicados. Quando a pessoa não tem nenhum familiar ou amigo que a visite esta fica consequentemente mais isolada e um alvo mais fácil para comportamentos criminais, como assaltos, burlas ou mesmo violência física. Existem por fim, crimes em contexto de rua quando os agressores se apercebem da rotina do idoso e o assaltam. (Associação Portuguesa de Apoio à Vítima 2002) Tomemos como exemplo a notícia do Jornal de Notícias de 5/11/12 que relata o assalto a um casal de idosos nas Caldas da Rainha, enquanto este dormia foi assaltado por dois indivíduos que os agrediram e levaram as suas peças em ouro e outros objetos (Jornal de Notícias 2012b). Este exemplo pode demostrar a falta de informação por parte dos idosos. Ora, neste exemplo o assalto realizou se fora do contexto de isolamento total do idoso. Com isto quero dizer que muitas vezes nos locais mais isolados, em que existem muitos poucos habitantes nalguma aldeia, a maior parte das pessoas passam, por necessidade, grande parte do seu tempo sozinhas e por conseguinte sem acesso a informação. Neste contexto ocorrem a maior parte dos crimes. Um conjunto de indivíduos num grupo mais ou menos numeroso batem à porta de um idoso e passam por aquilo que não são, pedem dinheiro e os idosos dão. Tudo a favor de uma causa ou instituição que não existe. Existe também a possibilidade de o individuo ser vítima de falta de informação quando adquire produtos que não existem, ou seja, quando o idoso é vítima de burla. 8

12 A formação de negócios ou produtos que não existem é cada vez mais comum por parte dos assaltantes e tem como objetivo principal extorquir o máximo de dinheiro à população idosa que essencialmente por falta de informação não percebe quando está a ser enganada. Mais uma vez este tipo de crimes é mais frequente quando a pessoa está em casa sozinha e vive num local mais isolado. Tomemos a notícia de 14 de Novembro do Jornal de Notícias como exemplo. Uma mulher de 85 anos foi burlada [ ] em Ponte de Lima, ao entregar a dois falsos médicos cerca de euros em dinheiro que guardava em casa [ ].O caso ocorreu na freguesia da Ribeira, concelho de Ponte de Lima, cerca das 11 horas, com a abordagem à idosa, que vive sozinha com o marido [ ] (Jornal de Notícias 2012a). Assim concluo que a realidade de informação dos idosos é exatamente o oposto da realidade de informação dos jovens e adultos. Esta disparidade de quantidade e qualidade de informação trás implicações sérias para os idosos, podendo essas implicações terem efeito nas próprias vidas dos mesmos. 9

13 2.3. O PODER DA GUERRA DE PALAVRAS NUMA GUERRA MILITAR Ora segundo Vladimir Volkoff, em Pequena história da desinformação do cavalo de Tróia à Internet existe um tipo de informação falaciosa que tem como principal objetivo atingir o adversário em cenário de guerra fornecendo lhe informações erradas para que o adversário tome as decisões errados e nós as corretas. Então se é possível fornecer aos outros informações erróneas relativamente a algum assunto favorecendo nos ao mesmo tempo porque não utilizar isso no dia a dia? Utilizar informações falsas é errado pois embora haja um favorecimento de pelo menos uma das partes, a utilização frequente desta forma de passar mensagens pode prejudicar uma sociedade ou até mesmo um país inteiro, gerando um conflito permanente. Assim, em tempos de guerra e de incertezas sociais é muito fácil recorrer à manipulação da informação tendo como principal tutor a emoção (Romano 2008). Ou seja, quando tudo aparenta perdido, quando as incertezas reinam na sociedade, os indivíduos tomam muitas das suas decisões baseados na emoção. Embora a objetividade devesse ser a característica principal da informação difundida tal era de impossível concretização pois não é possível a um individuo desligar se do social onde pertence. Então a linguagem pode ser uma forma de vitimizar alguém, pode ser uma forma de terrorismo pois exerce sobre as pessoas violência simbólica ou psicológica. As palavras são como doses minúsculas de veneno que podemos engolir sem darmos conta (Romano 2008). Portanto é muito fácil ser se vítima das palavras basta só existir uma boa capacidade de persuasão de um dos lados e o veneno está lançado. No caso específico de uma situação de guerra o controlo da informação que é difundida é um elemento essencial para que não sejam vistas ou ouvidas mensagens ou noticias que possam abalar o nosso lado. Toda a magnitude que a linguagem possa causar deve ser para o lado do inimigo. Durante a II Guerra Mundial, por exemplo, a intoxicação foi vital para o desmembramento militar da Jugoslávia ou durante o golpe de estado de 24 de Abril de 1994 quando a tão famosa música nacional de José Afonso passou nas rádios portuguesas, iniciou se a revolução. Ambos começaram através da circulação de ideias falsas e ambos acabaram com o derrube do adversário. Em suma, a informação pode ser então uma arma muito poderosa que deve ser bem gerida pois através dela é possível influenciar tanto o indivíduo como a sociedade. Tudo depende dos interesses do informador. 10

14 3. DESCRIÇÃO DETALHADA DA PESQUISA A pesquisa para a realização deste trabalho baseou se em procura de documentos na Internet utilizando assim estudos do Instituto Nacional de Estatística mais especificamente sobre a taxa de fecundidade e natalidade em Portugal e a quantidade de idosos com televisão em casa, de teses de Licenciatura e Doutoramento disponíveis na íntegra em PDF; pesquisa no catálogo da biblioteca da FEUC na tentativa de encontrar alguma livro relacionado com a sociedade de informação e na biblioteca do CES. Então depois da tentativa de pesquisa de livros da biblioteca da FEUC e do CES percebi que em livros não iria encontrar muita informação, por isso cingi me à utilização dos documentos recolhidos na Internet, aos dados do INE, a artigos de jornais e à informação recolhida no texto do livro utilizado para a ficha de leitura Pequena história da desinformação do cavalo de Tróia à Internet de Vladimir Volkoff, Assim, para encontrar a informação na internet, uma vez que foi o meu poço principal de informação, tentei pesquisar no motor de busca Google as palavras principais dos meus subtítulos. No meu primeiro subtítulo Publicidade e Jovens procurei no Google a palavra publicidade tentando depois relacioná la com os jovens e os problemas da atualidade característicos da idade da adolescência. Seguidamente para o segundo subtítulo designado Os idosos e o silêncio de informação foquei me essencialmente na situação dos jovens isolados que por falta de informação aceitam produtos ou confiam em pessoas que apenas estão interessadas em exercer corrupção nos idosos. Para este subtema para além das fontes da internet já referidas (INE e trabalhos académicos) utilizei uma notícia do Jornal de Notícias de Novembro de 2012 com o objetivo de demostrar a realidade publicitada já pelos jornais. Finalmente no último subtítulo O poder da guerra de palavras numa guerra militar tentei demostrar o papel da intoxicação numa guerra militar. Como a força das palavras pode vencer a força física em contexto de guerra. A utilização de factos históricos relativamente à recorrência da persuasão nas guerras militares foi um factor determinante. Então juntamente com toda a informação recolhida em trabalhados académicos na internet conciliei utilizando como principal linha de orientação, os tópicos do excerto do livro Pequena história da desinformação do cavalo de Tróia à Internet. Através do surgimento da informação que eu considerava mais pertinente surgiu também a possibilidade de analisar e expor dois estudos do INE para ajudar a complementar o trabalho. 11

15 4. AVALIAÇÃO DA PÁGINA DA INTERNET A página da internet que eu decidi abordar designa se Sociedade da informação Wikipédia, a enciclopédia livre. Escolhi esta página para avaliar pois foi uma das primeiras páginas que utilizei para tentar perceber qual o contexto do tema do meu trabalho. No entanto não utilizei esta página para citar, daí ela não aparecer nas referências bibliográficas. A página está disponível no site: se em português no entanto é possível encontrá la numa enorme variedade de outras línguas. É uma página editada por qualquer pessoa uma vez que é uma enciclopédia livre, não tenho por isso um autor específico. Daqui se retira já o subcritério da fiabilidade que se inclui dentre do critério da validade de uma página. Ora, é óbvio que não se pode por qualquer conteúdo na página sem qualquer relação com o tema, no entanto, as informações tem sempre a hipótese de ser fiáveis ou não. Logo o prestígio do autor é muito baixo, pois nem se sabe quem é o autor. Relativamente à validade é ainda possível falar de autenticidade e acessibilidade. Assim, a autenticidade desta página é garantida pois é constantemente actualizada pelos diversos utilizadores, a sua última utilização foi de 17 de Outubro de 2012 (12h51min), logo foi actualizada à relativamente pouco tempo. A sua acessibilidade é também bastante boa uma vez que é muito fácil aceder ao site, a informação está bem sinalizada sendo por isso muito fácil chegar até aos diversos tópicos existentes ( sociedade de informação ; adaptação do homem a um novo paradigma da sociedade ) existindo sete ligações externas, sendo por isso muito rápido encontrar toda a informação relativamente ao tema e também informações relacionadas. É uma página que embora tenha uma grande amplitude uma vez que consegue abranger uma grande variedade de assuntos não tem um alcance muito elevado na minha opinião uma vez que esta página não se destina a por exemplo crianças, existem termos demasiados complexos para a devida compressão do assunto em causa. Relativamente à profundidade da página é algo também um pouco negativo pois aborda os assuntos de uma forma muito superficial, apenas o suficiente para escolhermos um tema ou o outro. A avaliação é semelhante relativamente ao conteúdo do site, uma vez que a página pode tanto conter informações verdadeiras ou falsas, mais uma vez devido à facilidade de edição da página e relativamente ao formato da página devido à inexistência de conteúdo áudio, apenas existe leitura. Em contrapartida tem avaliação positiva relativamente à pertinência do período de tempo uma vez que é uma página que cobre a informação durante um vasto período de tempo, à integridade da informação, pois considero que toda a informação exposta é objetiva e neutra, não existindo juízos de valor específicos. 12

16 Em relação à categoria, singularidade da página penso que o tem uma vez que mais nenhuma página tem, tendo por isso uma avaliação positiva, tal o grau de recuperação da informação, no site da wikipédia é possível recuperar a informação que já não está disponível online, devido à opção histórico. Relativamente grafismo esta é uma página com incapacidade de aumentar o tamanho das letras do texto o que pode dificultar a compreensão a alguns leitores, no entanto um aspeto mais positivo é relativo à cor da página do site. Este tem o fundo branco com letras pretas, uma cor neutra que permite uma melhor concentração e consequente uma maior absorção da informação pesquisada. Nesta página da Internet existe apenas uma imagem que, na minha opinião, não elucida muito o tema. Por fim, este é um sítio sem qualquer tipo de publicidade, outro aspeto positivo, que ajuda numa melhor concentração. Para concluir avalio este sítio Sociedade da informação Wikipédia, a enciclopédia livre com uma avaliação boa pois os apetos positivos sobrepõem se aos aspetos negativos. 13

17 5. FICHA DE LEITURA Título do Livro: Pequena história da desinformação do cavalo de Tróia à Internet Autor: Vladimir Volkoff Localização: Biblioteca da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra Local da publicação: Lisboa Ano da publicação: 2000 Editora: Editorial Notícias Páginas consultadas: Assunto: Posição da sociedade relativamente à informação pública, o que pode afetar a informação que recebemos, tipos de informação e desinformação. Palavras chave: informação, comunicação, intervenientes na transmissão da informação, desinformação, sociedade moderna. Resumo: O mundo está rodeado de factos, no entanto grande parte deles não são informação. Segundo Vladimir Volkoff (primeiro escritor dedicado à questão do que é politicamente correto ), existem três tipos de falácias de informação, contudo não consideradas desinformação: publicidade, propaganda e intoxicação. Desinformação é pois, um tipo de informação falsa, manipulação voluntariamente. Desde a idade média ou cavalo de tróia até aos dias de hoje ou internet, a credibilidade do que circula à nossa volta é muito duvidosa e depende, para além do informador, do informado e do canal da informação, de muitos outros factores externos que nos são facilmente controláveis a favor dos nossos interesses. Desenvolvimento: Na nova sociedade em que vivemos existe então demasiada circulação de informação que não nos permite compreender afinal o que é verdadeiro e o que o é. Ora, se existe tanta informação, de onde provém ela? De agentes destacados para cumprir determinados objectivos e irem de encontro a interesses muito específicos. Assim, a informação que nos é transmitida tem como principais intervenientes: o informador o agente que nos transmite a informação, real ou manipulada, dependendo dos interesses e dos fins para o qual está destacado; o canal de informação que pode influenciar fortemente a informação que nos é transmitida, pois mesmo que não exista malícia por parte de quem nos transmite a informação, o canal de informação pode falhar e distorcer a informação involuntariamente através de ruídos durante a transmissão de informação ao telefone, por exemplo e por fim, o último agente que intervém na transmissão de informação é designado informado. 14

18 Este agente tal como os dois anteriores pode também provocar alterações na informação de uma forma involuntária, por exemplo através da subjectividade natural do ser humano, o que se pode tornar um problema grave quando a informação já se encontra modificada através dos processos anteriores. Portanto, o que deveria chegar até ao informado como informação, chega muitas vezes já tão modificado que pode ser considerado desinformação. Em suma, a informação nunca pode ser totalmente verdadeira pois depende de vários fatores externos à própria noção de informação; nunca é totalmente objetiva, devido à subjetividade proveniente do ser humano, pois é ele que manipula a informação e por fim, a informação mais viável é aquela que tem mais realidades sobre o mesmo facto, ou seja, se um determinado facto tem diferentes opiniões de pessoas diferentes, quer dizer que não existiu combinação de ideias entre as diferentes pessoas, logo a informação é mais verdadeira. Assim, a objetividade apenas é considerada na informação de caráter científico, onde a mesma experiência realizada por vários experimentados leva sempre aos mesmos resultados. Tudo o que tem origem na opinião pública não tem, segundo o autor, qualquer tipo de rigor ou veracidade. A desinformação é então, o transporte de informação voluntariamente errada de um agente para outro, tendo o primeiro interesses consideráveis na passagem de informação errónea, pois isso ajuda a cometer atos colectivos ou a difundir juízos desejados pelos desinformadores. Mas, no entanto, podemos distinguir dois tipos de desinformação, a desinformação, deliberada e a não deliberada. Ou seja, antes de qualquer malícia por parte do desinformador, existem só os interesses profissionais na transmissão de informação destorcida da realidade, por exemplo, pretende se obter da opinião pública certas atitudes para se executar certas ações. Depois existe a informação que é totalmente falsa e provém de desinformadores voluntariamente desinformados e com interesse em propagar informação errada, passamos então da desinformação não deliberada a deliberada. Consideremos agora três processos que poderiam ser considerados desinformação, pois são uma alusão falsa à realidade, mas no entanto não o são. O que há de comum entre estes três processos é o facto de eles não deixarem ver para além daquilo que nos é transmitido, devido essencialmente à capacidade de persuasão dos seus intervenientes. Comecemos então pela propaganda. 15

19 A propaganda pressupõe a transmissão a um determinado público de uma informação que lhe deve ser útil e que o informador não toma nunca como falsa, pois aquela é a única realidade que lhe é exposta, não a podendo por isso tomar como falsa. No entanto, com o passar dos anos a definição de propaganda passou a ter um sentido mais pejorativo e passou a significar o domínio da opinião e das ideias públicas. Um exemplo de propaganda é a propaganda política. O que difere então a propaganda da desinformação é o facto desta de apresentar a rosto descoberto, ou seja, não se realiza por processos ocultos, aliás o grande objectivo da propaganda é mesmo a absorção da informação pelo maior número de pessoas possíveis. Agora, a publicidade, outro processo de transmissão de informação falsa, é em alguns aspetos semelhante à propaganda pois também visa a transmissão da sua informação ao maior número de pessoas possíveis, mas, no entanto, esta não procura a veracidade a cem por cento, pois o seu objetivo principal não é informar mas sim, influenciar, exercer uma ação psicológica sob o público. Por isso, tal como a propaganda esta tem carácter pejorativo e explora também, mas de uma forma mais intensa, o irracional, ou a imaginação do seu público, com informações utópicas. A publicidade tem assim fins políticos e comerciais. Por fim, o último processo é a intoxicação. Este conceito surge como algo bastante negativo, quase como um envenenamento para a informação. Assim, o objectivo principal da utilização deste processo na manipulação da informação é a afetação do adversário de uma forma muito subtil. Ou seja, utilizar a intoxicação significa fornecer ao nosso adversário informações erradas que o levarão mais tarde a cometer erros que nos irão beneficiar a nós, transmissores das informações falsas. Este processo é muito utilizado na tática militar, por exemplo. Concluindo, a desinformação é então a manipulação da opinião pública por processos ocultos e com objetivos políticos. Por conseguinte, um dos exemplos mais conhecidos de desinformação é o cavalo de Tróia. Ora, segundo Virgílio, os gregos, depois de dez anos de cerco a Pallas, cidade de Tróia, decidiram, para conseguirem conquistar a cidade, construir um cavalo de madeira, esconder militares gregos lá dentro e coloca lo às portas da cidade, assim, conseguiriam entrar muito mais facilmente em Pallas e conquistá la. Tudo isto se passou então sem qualquer explicação de nenhuma das partes, ou seja, tudo se realizou por processos ocultos, no entanto, as evidências existiam. Existia um misterioso cavalo de madeira gigante oferecido pelo povo inimigo, então, naquela altura, existia a capacidade de se protegerem contra a futura tomada de posse dos gregos pela cidade, havia portanto a capacidade de se protegerem contra a desinformação. No entanto, a influência da opinião pública fez toda a diferença para a introdução do cavalo na cidade, Sinone influenciou os Troianos com a opinião que aquele cavalo era uma oferenda dos gregos à deusa da cidade. Assim entrou o cavalo de madeira na cidade, assim conquistaram os gregos Tróia. 16

20 Em suma, desta história concluímos que: o cavalo de madeira foi o suporte para a desinformação; o tema da desinformação era a proteção de Pallas pelos Troianos e a opinião pública (Sinone) influenciou fortemente o desfecho desta história. Um desinformado é então levado muitas vezes a tornar se desinformador, involuntariamente, mas uma falta de vontade que depois o conduz à propagação da informação de uma forma irracional. Outro exemplo de desinformação, mas menos épico é o exemplo do Sun Tzu. Sun Tzu foi um general chinês que era apologista da guerra sem combate, ou seja, para este general, a forma mais eficaz de vencer o inimigo era através da desinformação. Assim, o general sabia que para derrotar um país, para destruir a sua identidade bastava deixar de acreditar nos seus valores mais nucleares, como os valores tradicionais e isto bastava, já nem era preciso as más intenções de outros intervenientes. Exemplo desta desacreditação, através da desinformação: a superioridade da Igreja cristã sobre o paganismo. Foi também com a manipulação da informação que Filipe II da Macedónia conseguiu vencer o seu principal inimigo, Demóstenes, em Atenas. Esquino, agente de Filipe, forneceu ao seu companheiro informação sobre o também seu inimigo Demóstenes. Assim, através da manipulação de opinião Filipe consegui alcançar os seus objetivos e vencer o inimigo. Através da desinformação também a igreja conseguiu sobreviver durante muito tempo. Manipulando a opinião pública, passando a ideia de instituição perfeita através de processos ocultos. Muitos destes processos tinham como objetivo principal favorecer a política pois era ela que sustentava a igreja. Em suma, conclui se que, embora a sociedade esteja sobcarregada de informação, devido a vários fatores externos à própria noção de informação, apenas uma pequena quantidade pode ser considerada cem por cento verdadeira. A outra quantidade é informação criada por desinformadores que se focam em modificá la tornando a utópica e irracional para interesses políticos e comerciais. Linguagem: Considerei este texto bastante acessível e com uma linguagem bastante fácil. Consegui por isto, uma ótima retenção da informação o que me facilitou uma melhor compreensão do texto. Pontos fracos e fortes: Durante a leitura deste texto não encontrei qualquer dificuldade em ler e compreender a informação presente, talvez pela utilização frequente de exemplos muito concretos e também pela estruturação do texto por pontos. Achei este texto portanto, muito interessante e útil, para a compreensão dos seus conceitos fulcrais. Por fim, por ter sido este um dos primeiros escritores a tratar o tema da desinformação e do que se pode considerar politicamente correto, considero este texto inovador, pois ao invés de o autor apenas tentar definir informação, define também a desinformação. 17

21 6. CONCLUSÃO A escolha deste tema foi realizada essencialmente pela curiosidade do título do livro. Já a escolha da imagem da capa teve como principal objetivo demostrar como o Homem se deixa consumir pela informação que vai tomando conhecimento ao longo da vida. Durante a elaboração deste trabalho, um dos meus maiores objetivos foi expor o tema de forma a elucidar os leitores para a nova sociedade que emerge nos dias de hoje, a sociedade de informação. Comecei por realizar uma ficha de leitura relativamente a um livro de Vladimir Volkoff que relata pequenas histórias sobre a sociedade de informação e alguns elementos que a caracterizam, como a publicidade, a intoxicação e propaganda. Neste trabalho deparei me imensas vezes com o conceito de desinformação, conceito não muito bem definido, pois não quer dizer exatamente o contrário do conceito de informação. Resume se à transmissão de informações falsas de uma forma propositada, no entanto como o conceito de informações falsas é muito subjetivo não existe com clareza a diferença entre informação e desinformação. Os conceitos de publicidade, falta de informação e informação nas pessoas mais idosas e a intoxicação fizeram também parte do meu estudo, considerei importante a referencia a estes dois tópicos uma vez que os três são derivados da transmissão errónea de informações sem nunca chegar ao conceito de desinformação. As dificuldades que eu considero terem sido mais relevantes na elaboração deste trabalho prendem se essencialmente com a recolha de informação relevante para os tópicos escolhidos. Contudo o balanço da realização deste trabalho é bastante positivo pois adquiri informações uteis para a minha vida futura académica. 18

22 7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS o Afonso, Claúdia Isabel Pontes Neves. Publicidade Adolescentes e Alimentação. Tese de licenciatura em Ciências da Nutrição, Porto: Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, 1994a e b. o Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Projeto Titónio Para o Atendimento de Pessoas Idosas Vítimas de Crime. Compreender, 2002: o Cabral, A. Televisão, publicidade e alimentação das crianças. O consumidor, 1989: o Carrilho, José Maria e Patrício, Lurdes. Revista de Estudos Demogáficos. A Situação Demográfica Recente em Portugal, s.d. de s.d. de 2010: o Carvalho, Érica Blascovi de. Alimentação, Atividade Física e Qualidade de Vida dos Ecolares do Município de Vinhedo/SP. Influências das Propagandas de Televisão na Alimentação de Crianças e adolescentes, _ql_af/escolares/escolares_cap3.pdf (acedido em 17 de Novembro de 2012). o Carvalho, Érica Blascovi de. Alimentação, Atividade Física e Qualidade de Vida dos Ecolares do Município de Vinhedo/SP. Tese de Licenciatura em Nutrição, Brasil: Puc Campinas, o Instituto Nacional de Estatística. INE: número de idosos aumentará um milhão até de Junho de numero deidosos aumentara um milhao ate 2050 (acedido em 18 de Novembro de 2012). o Jornal de Notícias. Jornal de Notícias. Idosa de Ponte de Lima burlada em 50 mil euros, 14 de Novembro de 2012a. o Jornal de Notícias. Jornal de Notícias. Casal de idosos assaltado e agredido nas Caldas da Rainha, 05 de Novembro de 2012b. o Lima, Tiago, e Gustavo (org) e Hespanha, Rita (org) Cardoso. A Televisão na Sociedade em Rede. Obercom Observatório de Comunicação, Setembro de o Pires, Catarina e Brandão, Sara. PSI 12 B Parte 2, Psicologia 12º ano Ensino Secundário. Porto: Areal Editores, 2011a e b o Romano, Vicente A Intoxicação Linguística página 13,

23 o Shmidt, L. "Estratégias e "Eficácias" da publicidade no público consumidor juvenil. Expresso, a revista 1030 (1991). o Varios Autores, VA. Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora com Acordo Ortográfico. Porto: Porto Editora, s.d. o o Instituto Nacional de Estatística. Revista de Estudos Demográficos: A Situação Demográfica Recente em Portugal. Revista de Estudos Demográficos, Lisboa, nº48, pp 107, Lima, Tiago; Cardoso, Gustavo (org); Espanha, Rita (org). A Televisão na Sociedade em Rede. Obercom Observatório de Comunicação, Lisboa. Setembro

24 ANEXO A Página da internet avaliada

ETAPA 1. Planificar o trabalho

ETAPA 1. Planificar o trabalho ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTA MARIA DA FEIRA Este guião foi construído com base no Modelo PLUS: uma estratégia para a pesquisa e uso de informação e aplica-se ao 2º e 3º ciclos e Secundário. A designação

Leia mais

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que?

Tu e a publicidade. A publicidade está em toda a parte. Exercício. Início. Sabia que? 1 Tu e a publicidade Temas abordados A publicidade à nossa volta. Objectivos da aprendizagem Compreender as diferentes utilizações da publicidade, tais como vender, convencer ou expor um ponto de vista.

Leia mais

Combate ao Trabalho Infantil

Combate ao Trabalho Infantil Didier Dias Coimbra, Maio de 2010 Ficha Técnica: Autor: Didier da Costa Dias Título: Combate ao Trabalho Infantil Nº de estudante: 2009110228 Licenciatura: Sociologia Unidade Curricular: Fontes de Informação

Leia mais

GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO

GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO GUIÃO COMO FAZER UM TRABALHO BE-CRE 2012/2013 1ª Etapa Penso sobre o tema 2ª Etapa Onde vou encontrar a informação? 3ª Etapa Seleciono os documentos 4ª Etapa Recolho a informação 5ª Etapa Trato a informação

Leia mais

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyui opasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas

Leia mais

Universidade de Coimbra Faculdade de Economia. Sociedade da Informação

Universidade de Coimbra Faculdade de Economia. Sociedade da Informação Universidade de Coimbra Faculdade de Economia Sociedade da Informação Sónia Nunes Coimbra, 2007 Ficha Técnica Titulo: Sociedade da Informação Trabalho realizado por: Sónia Vanessa Cristo Nunes, aluna nº

Leia mais

Diversidade. Linguística. na Escola Portuguesa. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC)

Diversidade. Linguística. na Escola Portuguesa. Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC) Diversidade Linguística na Escola Portuguesa Projecto Diversidade Linguística na Escola Portuguesa (ILTEC) www.iltec.pt www.dgidc.min-edu.pt www.gulbenkian.pt Actos de Fala Quadro Geral Significado e contexto

Leia mais

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes Como fazes os teus trabalhos escritos? Há dois métodos para fazer trabalhos 1-Vais à Net copias a informação, colas num novo documento, imprimes e já está! 2-Pesquisas informação em fontes diversas, retiras

Leia mais

1. Capa 2. Índice 3. Introdução 4. Desenvolvimento 5. Conclusão 6. Bibliografia 7. Anexos

1. Capa 2. Índice 3. Introdução 4. Desenvolvimento 5. Conclusão 6. Bibliografia 7. Anexos BE AGRUP AMENTO DE ESCOLAS GIL VICENTE ESCOLA SECUNDÁRIA COM 2º E 3º CICLOS GIL VICENTE B I B L I O T E C A E S C O L A R MATERIAIS DE APOIO PEDAGÓGICO TRABALHO DE PESQUISA A ESTRUTURA DE UM TRABALHO De

Leia mais

Utilização da internet: uma prática relativamente recente

Utilização da internet: uma prática relativamente recente 2. PRÁTICAS E MOTIVAÇÕES DE USO DA INTERNET Utilização da internet: uma prática relativamente recente A utilização da internet pelos portugueses é, na maioria dos casos, relativamente recente. Cerca de

Leia mais

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto

O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia O consumo de conteúdos noticiosos dos estudantes de Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto Metodologia da Investigaça

Leia mais

Os desafios da sociedade de informação

Os desafios da sociedade de informação Os desafios da sociedade de informação Carlos Frazão 2012146190 Coimbra, 2012 Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra Os desafios da sociedade de informação Disciplina: Fontes de Informação Sociológica

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015

PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015 PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015 1/10 PROJECTO 1 - Curso de Preparação para a Parentalidade Adoptiva Depois de tudo te amarei Como se fosse sempre antes Como se de tanto esperar Sem

Leia mais

COMBATE AO TRABALHO INFANTIL EM PORTUGAL

COMBATE AO TRABALHO INFANTIL EM PORTUGAL Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra COMBATE AO TRABALHO INFANTIL EM PORTUGAL Bárbara Rodrigues Coimbra Maio de 2010 Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra COMBATE AO TRABALHO INFANTIL

Leia mais

1ª Etapa: A Escolha do Tema

1ª Etapa: A Escolha do Tema O que é um trabalho escrito? Realizar um trabalho escrito é pegar num tema, clarificá-lo e tomar uma posição sobre o mesmo. Para isso, deve utilizar-se bibliografia adequada. Quando é pedido a um aluno

Leia mais

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1

Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Alto Taquari em Pauta: uma experiência interdisciplinar em jornalismo digital 1 Aparecido Marden Reis 2 Marli Barboza da Silva 3 Universidade do Estado de Mato Grosso, Unemat - MT RESUMO O projeto experimental

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

P3 Tratamos tudo por tu. Duarte Pereira e Ivan Mendes

P3 Tratamos tudo por tu. Duarte Pereira e Ivan Mendes P3 Tratamos tudo por tu Duarte Pereira e Ivan Mendes Conteúdo 1.Introdução... 2 2. O caso p3... 3 2.1 Estatística... 3 3. Público-alvo... 4 4. Objetivos de Comunicação... 5 5. Vantagens desvantagens...

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Expressar curiosidade e desejo de saber; Reconhecer aspetos do mundo exterior mais próximo; Perceber a utilidade de usar os materiais do seu quotidiano;

Leia mais

UM JEITO DE AMAR A VIDA

UM JEITO DE AMAR A VIDA UM JEITO DE AMAR A VIDA Maria do Carmo Chaves CONSCIÊNCIA DO MUNDO FICHA TÉCNICA EDIÇÃO: Vírgula (Chancela Sítio do Livro) TÍTULO: Um jeito de amar a vida AUTORA: Maria do Carmo Chaves (escreve de acordo

Leia mais

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR.

ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. ANÁLISE DOS PONTOS DE VISTA IDEOLÓGICOS COMO REFERÊNCIA NA FORMAÇÃO DO PÚBLICO LEITOR. Autor: Wagner de Araújo Baldêz 1 - UFOP. Orientador: William Augusto Menezes 2 - UFOP. O objetivo desse artigo é relatar

Leia mais

1. Inquéritos. Introdução

1. Inquéritos. Introdução Oi mpact odasr edess oci ai s navi dadosadol es cent es Es col abás i caesecundár i aol i vei r ajúni or T r abal hodeár eadepr oj ect o Do12ºF Gr upo3 AnoL ect i vo20102011 Introdução A crescente utilização

Leia mais

Pobreza e Exclusão Social

Pobreza e Exclusão Social Sérgio Nuno Damas Coimbra, 2010 Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Fontes de Informação Sociológica Professor Paulo Peixoto Licenciatura em Sociologia 2º Semestre Tema: Pobreza e Exclusão Social

Leia mais

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes

A criança preocupada. Claudia Mascarenhas Fernandes A criança preocupada Claudia Mascarenhas Fernandes Em sua época Freud se perguntou o que queria uma mulher, devido ao enigma que essa posição subjetiva suscitava. Outras perguntas sempre fizeram da psicanálise

Leia mais

PARECER DA UMAR. V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não Discriminação. UMAR União de Mulheres Alternativa e Resposta

PARECER DA UMAR. V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não Discriminação. UMAR União de Mulheres Alternativa e Resposta PARECER DA UMAR V Plano Nacional para a Igualdade de Género, Cidadania e Não Discriminação UMAR União de Mulheres Alternativa e Resposta Contactos: e-mail: umar.sede@sapo.pt; T. 218873005 www.umarfeminismos.org

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão de Santarém. Plano de Marketing

Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Gestão de Santarém. Plano de Marketing Plano de Marketing Curso: Marketing e Publicidade Cadeira: Marketing II Docente: Dr. Fernando Gaspar Discente: Alexandra Marujo_9006 Ano lectivo: 2007/2008 1 Índice Introdução.pg 3 Macro ambiente..pg 3

Leia mais

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins

- GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins - GUIA DO EMPRESÁRIO - Lucros Bons e Lucros Ruins Planeta Contábil 2008 Todos os Direitos Reservados (www.planetacontabil.com.br) 1/5 Lucros Bons e Lucros Ruins Podemos pensar que lucrar é sempre bom,

Leia mais

Faculdade de Economia Universidade de Coimbra. Envelhecimento e Desigualdades Sociais. Ricardo Almeida

Faculdade de Economia Universidade de Coimbra. Envelhecimento e Desigualdades Sociais. Ricardo Almeida Faculdade de Economia Universidade de Coimbra Envelhecimento e Desigualdades Sociais Ricardo Almeida Coimbra, 2012 Faculdade de Economia Universidade de Coimbra Envelhecimento e Desigualdades Sociais

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

Atenção: Revista em desenvolvimento

Atenção: Revista em desenvolvimento Editorial Atenção: Revista em desenvolvimento Estamos iniciando nossa primeira edição, de um produto até agora novo, não na tecnologia empregada que já é sucesso na Europa, e sim em seu conteúdo. As revistas

Leia mais

Curso Completo de Marketing Multinível MARKETING DE ATRAÇÃO

Curso Completo de Marketing Multinível MARKETING DE ATRAÇÃO Curso Completo de Marketing Multinível MARKETING DE ATRAÇÃO MARKETING DE ATRAÇÃO Uma das estratégias mais poderosas que você pode usar para trabalhar com contatos frios é o marketing de atração. Esse é

Leia mais

Protecção do Consumidor

Protecção do Consumidor Protecção do Consumidor na Era 2.0 Fevereiro 2010 Fevereiro 2009 Protecção do Consumidor na Era 2.0 Protecção do Consumidor na Era 2.0 Destaques 3 Atitudes em Relação à Publicidade... 4 O Consumidor face

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade

Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Programa e Metas Curriculares de Português do Ensino Secundário Oralidade Helena C. Buescu, Luís C. Maia, Maria Graciete Silva, Maria Regina Rocha 10.º Ano: Oralidade Compreensão do Oral Objetivo Compreender

Leia mais

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado

ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE. Por: Alexandre Maldonado ROI COMO SABER DEFINITIVAMENTE O RESULTADO DAS AÇÕES DE MARKETING DO SEU E- COMMERCE Por: Alexandre Maldonado Autor do site Marketing para E- commerce www.marketingparaecommerce.com.br TERMOS DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

Guia para pais de proteção infantil na Internet

Guia para pais de proteção infantil na Internet Guia para pais de proteção infantil na Internet INTRODUÇÃO As crianças são o maior tesouro que temos, são o nosso futuro. Por isso, é necessário guiá-las no decorrer da vida. Essa responsabilidade, no

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO Este guia pretende ajudar os professores e os alunos na criação de guiões de pesquisa de informação. Os guiões de pesquisa podem ser mais ou menos detalhados,

Leia mais

Os desafios do sector alimentar

Os desafios do sector alimentar Os desafios do sector alimentar Nuno von Amann de Campos, Presidente da ACMedia Dos vários estudos organizados pela ACMedia no âmbito do programa «Educar para os Media» a prioridade continua a ser dada

Leia mais

OFICINA: SEXUALIDADE

OFICINA: SEXUALIDADE OFICINA: SEXUALIDADE Daniele Costa Tatiane Fontoura Garcez APRESENTAÇÃO A oficina tem como tema a Sexualidade, será realizado no Instituto Estadual de Educação Bernardino Ângelo, no dia 25/08/2014, segunda-feira,

Leia mais

Guia de Segurança em Redes Sociais

Guia de Segurança em Redes Sociais Guia de Segurança em Redes Sociais INTRODUÇÃO As redes sociais são parte do cotidiano de navegação dos usuários. A maioria dos internautas utiliza ao menos uma rede social e muitos deles participam ativamente

Leia mais

SOLO NETWORK. Guia de Segurança em Redes Sociais

SOLO NETWORK. Guia de Segurança em Redes Sociais (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41) 4062-6971 (48) 4062-6971 (51) 4062-6971 (61) 4062-6971 (71) 4062-7479 Guia de Segurança em Redes Sociais (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41)

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (3 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Revelar curiosidade e desejo de saber; Explorar situações de descoberta e exploração do mundo físico; Compreender mundo exterior mais próximo e do

Leia mais

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012

Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 Sociedade da Informação e do Conhecimento Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias 2012 06 de novembro de 2012 60% das pessoas dos 16 aos 74 anos utilizam Internet

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES A proteção e a promoção dos direitos da infância e adolescência também devem ser contempladas na forma como falamos e comunicamos este assunto. Alguns cuidados com a comunicação são fundamentais para proteger

Leia mais

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA ESTUDOS DE Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA A EMPRESA O Grupo Marktest tem consolidado ao longo dos últimos 26 anos uma forte posição nas áreas dos Estudos de Mercado, da informação e na área

Leia mais

Plano de Marketing de IV (Ivo Vieira) como independente para presidente da Junta de freguesia da Lapa

Plano de Marketing de IV (Ivo Vieira) como independente para presidente da Junta de freguesia da Lapa Escola Superior de Gestão de Santarém Marketing I Plano de Marketing de IV (Ivo Vieira) como independente para presidente da Junta de freguesia da Lapa Docente: Dr. Vitor Antunes Discente: Ivo Vieira nº

Leia mais

Do Jornalismo aos Media

Do Jornalismo aos Media Do Jornalismo aos Media Estudos sobre a realidade portuguesa Rogério Santos Universidade Católica Editora Índice Introdução 7 Parte I Elementos para a história dos media em Portugal Jornalismo português

Leia mais

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social Semana da Liberdade de Escolha da Escola / School Choice Week & I Conferência da Liberdade de Escolha da Escola / 1st School Choice Conference Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Leia mais

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002

Plano de Comunicação para o QCA III. Relatório de Execução de 2002 Plano de Comunicação para o QCA III Relatório de Execução de 2002 Após o período de lançamento do QCA III o ano de 2002 foi de consolidação dos projectos iniciados e de apresentação dos primeiros resultados.

Leia mais

6 O SignificadO do LucrO

6 O SignificadO do LucrO 6 O Significado do Lucro Para que haja uma compreensão total e absoluta do processo de apuração de resultados econômicos Lucro ou Prejuízo é mister que entendamos porque a apuração de resultados é tão

Leia mais

1ª Edição do CURSO DE FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO Corações Capazes de Construir Iniciativa e responsabilidade da Associação Corações com Coroa (CCC)

1ª Edição do CURSO DE FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO Corações Capazes de Construir Iniciativa e responsabilidade da Associação Corações com Coroa (CCC) 1ª Edição do CURSO DE FORMAÇÃO DE VOLUNTARIADO Iniciativa e responsabilidade da Associação Corações com Coroa (CCC) OBJECTIVOS: Formar equipas de voluntariado da CCC. Promover o conhecimento em torno das

Leia mais

E-BOOK LIDERANÇA. Os 5 comportamentos indispensáveis para um líder de sucesso! PRISCILLA BELLETATE. - Coach de Liderança -

E-BOOK LIDERANÇA. Os 5 comportamentos indispensáveis para um líder de sucesso! PRISCILLA BELLETATE. - Coach de Liderança - E-BOOK LIDERANÇA Os 5 comportamentos indispensáveis para um líder de sucesso! PRISCILLA BELLETATE - Coach de Liderança - SUMÁRIO Capítulo 1 - Introdução Capítulo 2 Os 5 comportamentos Capítulo 3 - Conclusão

Leia mais

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA

COMO ESCREVER UM ENSAIO FILOSÓFICO 1. Artur Polónio CENTRO PARA O ENSINO DA FILOSOFIA SOCIEDADE PORTUGUESA DE FILOSOFIA 1 Artur Polónio Índice 1. O que é um ensaio filosófico? 2. O que se espera que um estudante mostre ao escrever um ensaio? 3. Como escolher o título do ensaio? 4. Como se prepara um ensaio? 5. Como se deve

Leia mais

Cap 1 A teoria e a prática da Educação. Ramiro Marques

Cap 1 A teoria e a prática da Educação. Ramiro Marques Cap 1 A teoria e a prática da Educação Ramiro Marques Aristóteles dedica um espaço importante de A Política ao tema da educação, preocupando-se com a discussão de vários assuntos: fim pacífico da Educação,

Leia mais

- relaciona informação de diferentes classes da CDU no tratamento de um tema -utiliza as funcionalidades de pesquisa avançada no catálogo.

- relaciona informação de diferentes classes da CDU no tratamento de um tema -utiliza as funcionalidades de pesquisa avançada no catálogo. ÁREA: Conhecimento e utilização da Biblioteca Cumprir as regras de funcionamento da biblioteca - cumpre as regras de comportamento na BE - cumpre as regras de acesso, manipulação, preservação e arrumação

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA Divisão do Centro de Documentação e Biblioteca 214 AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTILIZADORES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA REALIZAÇÃO MARIA JOÃO T.M.BARREIRO COORDENAÇÃO NATÉRCIA GODINHO APOIO

Leia mais

Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos.

Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos. 1. Ensine a Regra Aqui ninguém toca aos seus filhos. Cerca de uma em cada cinco crianças é vítima de violência ou abuso sexual. Ajude a impedir que a sua criança seja uma vítima. Ensine-lhe a Regra Aqui

Leia mais

Lic. Marketing e Publicidade. Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral

Lic. Marketing e Publicidade. Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral Lic. Marketing e Publicidade Marketing 1º Ano/2º Semestre Pós laboral Trabalho realizado por: Maria Marques, 7005 Docente: Dr. Fernando Gaspar SANTARÉM Licenciatura em Marketing & Publicidade 1 de 10 2007/2008

Leia mais

Usabilidade e Acessibilidade dos Museus Online. Ivo Gomes

Usabilidade e Acessibilidade dos Museus Online. Ivo Gomes Usabilidade e Acessibilidade dos Museus Online Ivo Gomes Análise aos websites dos Museus Nacionais Em colaboração com o Público Digital Análise aos websites dos Museus Nacionais O Público Digital pediu

Leia mais

Prof. Jefferson Costa www.jeffersoncosta.com.br

Prof. Jefferson Costa www.jeffersoncosta.com.br Prof. Jefferson Costa www.jeffersoncosta.com.br Preservação da: confidencialidade: Garantia de que o acesso à informação seja obtido somente por pessoas autorizadas. integridade: Salvaguarda da exatidão

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

João Pedro Moreira Marta. Desemprego e População Qualificada

João Pedro Moreira Marta. Desemprego e População Qualificada João Pedro Moreira Marta Desemprego e População Qualificada Coimbra, 2013 Desemprego e População Qualificada Trabalho realizado no âmbito da unidade curricular de Fontes de Informação Sociológica Licenciatura

Leia mais

Como Levar o Seu Blog Para o Próximo Nível

Como Levar o Seu Blog Para o Próximo Nível Como Levar o Seu Blog Para o Próximo Nível Trazido Até Você Por http://virtualmarketingpro.com/blog/joaofilho/ Como Levar o Seu Blog Ao Próximo Nível Termos e Condições Aviso Legal O escritor esforçou-se

Leia mais

Relatório Grupos de Matemática Yahoo

Relatório Grupos de Matemática Yahoo Helena Margarida Fernandes Neves Março 2013 Relatório Grupos de Matemática Yahoo Mestrado em Ensino de Matemática no 3.º Ciclo do Ensino Básico e no Secundário Universidade de Coimbra Meios Computacionais

Leia mais

Pobreza e Exclusão Social

Pobreza e Exclusão Social Pobreza e Exclusão Social Fontes de Informação Sociológica Carlos Ramos Coimbra, 2010 Ficha Técnica Titulo: Pobreza, Exclusão Social e Integração Este trabalho foi elaborado por Carlos Miguel Pereira Ramos,

Leia mais

É Natural Educar Assim 1

É Natural Educar Assim 1 É Natural Educar Assim 1 Luana da Silva de ANDRADE 2 Larissa Santos de ASSIS 3 Luana Cristina KNOD 4 Rafaela Ritz dos SANTOS 5 Simone Cristina KAUFMANN 6 Tamires Lopes SILVA 7 YhevelinSerrano GUERIN 8

Leia mais

O Segredo do Nosso Insucesso

O Segredo do Nosso Insucesso Escola Básica de 2º e 3º Ciclos José Maria dos Santos Pinhal Novo O Segredo do Nosso Insucesso Professor Jorge Pires ( Subcoordenador do Departamento de Línguas ) Na sequência da solicitação do presidente

Leia mais

CONSTRUIR A DEMOCRACIA DO FUTURO. Carlos Braga

CONSTRUIR A DEMOCRACIA DO FUTURO. Carlos Braga CONSTRUIR A DEMOCRACIA DO FUTURO Carlos Braga Em DEFESA DA DEMOCRACIA e do nosso FUTURO: A defesa e permanente construção da Democracia passa por uma atitude cívica activa de participação, de procura da

Leia mais

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing

3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing 26 3 As Mídias Sociais como Ferramentas de Marketing O surgimento das mídias sociais está intimamente ligado ao fenômeno da geração de conteúdo pelo usuário e ao crescimento das redes sociais virtuais

Leia mais

Universidade de Coimbra. Faculdade de Economia

Universidade de Coimbra. Faculdade de Economia Faculdade de Economia Profissões de Risco Os Professores como Profissão de Risco Trabalho Realizado por: Luísa Pereira Nº: 20080925 Faculdade de Economia Profissões de Risco Professores como Profissão

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

COMBINADOS PARA O SEMESTRE:

COMBINADOS PARA O SEMESTRE: COMBINADOS PARA O SEMESTRE: Temas de redação serão dados durantes as aulas. É importante pesquisá-los e estudá-los, pois alguns deles serão utilizados para as produções em sala ou em simulados; Toda a

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE)

PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE) PROGRAMA DE ACÇÃO COMUNITÁRIO RELATIVO À VIGILÂNCIA DA SAÚDE PROJECTO DE PROGRAMA DE TRABALHO 1998-1999 (Art. 5.2.b da Decisão Nº 1400/97/CE) 1. INTRODUÇÃO As actividades da União Europeia no domínio da

Leia mais

O QUE É A METAFÍSICA?

O QUE É A METAFÍSICA? Álvaro de Campos O QUE É A METAFÍSICA? O QUE É A METAFÍSICA? Na opinião de Fernando Pessoa, expressa no ensaio «Athena», a filosofia isto é, a metafísica não é uma ciência, mas uma arte. Não creio que

Leia mais

Plano de Aula 1. Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo

Plano de Aula 1. Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo Plano de Aula 1 Nível de Ensino: Básico e Secundário. Tópico : Finanças Tema: Consumo Competências - Comparar as taxas associadas aos diferenets cartões de crédito. - Comparar as taxas com a inflação.

Leia mais

A MÍDIA E A ILUSÃO DO TÃO DESEJADO CORPO PERFEITO

A MÍDIA E A ILUSÃO DO TÃO DESEJADO CORPO PERFEITO A MÍDIA E A ILUSÃO DO TÃO DESEJADO CORPO PERFEITO 2013 Sabrine Schmitt Psicóloga. Graduada na Universidade Católica de Petrópolis em 2010. Coordenadora do Espaço Liberté, atuando com atendimentos clínicos,

Leia mais

Licenciatura em Serviço Social. Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice. Infância e Família. Ano letivo 2014/2015

Licenciatura em Serviço Social. Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice. Infância e Família. Ano letivo 2014/2015 Licenciatura em Serviço Social Intervenção Social na Infância, Adolescência e Velhice Ano letivo 2014/2015 Infância e Família Porque damos cada vez mais atenção às nossas crianças (nas sociedades ocidentais)?

Leia mais

PASTORAL DIGITAL. na ótica do Diretório de Comunicação

PASTORAL DIGITAL. na ótica do Diretório de Comunicação PASTORAL DIGITAL na ótica do Diretório de Comunicação Para a Igreja, o novo mundo do espaço cibernético é uma exortação à grande aventura do uso do seu potencial para proclamar a mensagem evangélica. Mensagem

Leia mais

AVÓS DE HOJE PROBLEMAS E SOLUÇÕES

AVÓS DE HOJE PROBLEMAS E SOLUÇÕES AVÓS DE HOJE PROBLEMAS E SOLUÇÕES 2 ÍNDICE Introdução... p. 4 Estudo Empírico... pp. 5-7 Ouçamos os nossos avós... pp. 5-6 Como agir? O que fazer?... pp. 6-7 Conclusão... p. 7 Bibliografia... p. 8 Agradecimentos...

Leia mais

MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01. Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota

MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01. Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota MÍDIA MATERIAL DE REFERÊNCIA TEÓRICA 01 Prof. Rodrigo Duguay a partir de material base da Profa. Dra. Karla Patriota MÍDIA Definição Mídia. Sf (ing. mass media) Propag. 1 Veículo ou meio de divulgação

Leia mais

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com

TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS DE TEXTOS E ARGUMENTAÇÃO LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTOS prof. ALEMAR RENA alemarrena@gmail.com TIPOS RELACIONADOS À FUNÇÃO REFERENCIAL: RESUMO RESUMO DESCRITIVO > Resume estrutura temática > Inclui

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

Câmara Municipal das Caldas da Rainha

Câmara Municipal das Caldas da Rainha CARTÃO MUNICIPAL DO IDOSO REGULAMENTO PREÂMBULO O ano de 1999, foi proclamado pela O.N.U. como o Ano Internacional das Pessoas Idosas, tendo por lema Uma Sociedade para todas as Idades - Resolução 47/5

Leia mais

Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015

Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015 Instituto Rubem Alves Plano Anual 2015 Proponente: Instituto Rubem Alves CNPJ nº 17.030.336/0001-08 Período: 01/01/2015 a 31/12/2015 Segmento: Patrimônio Cultural Preservação de acervos - Plano Anual Lei

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO JOGO NO ENSINO DA MATEMÁTICA

A IMPORTÂNCIA DO JOGO NO ENSINO DA MATEMÁTICA A IMPORTÂNCIA DO JOGO NO ENSINO DA MATEMÁTICA Raquel Alves carinaferrao@live.com.pt Rita Brito britoarita@gmail.com RESUMO A Matemática é uma ciência de grande consideração para o desenvolvimento social

Leia mais

Inquérito à Aprendizagem ao Longo da Vida

Inquérito à Aprendizagem ao Longo da Vida Instrumento de notação do Sistema Estatístico Nacional (Lei n.º 6/89, de 15 de Abril), de resposta obrigatória. Registado no INE sob o n.º 9477. Válido até 31-12-2003. DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS SOCIAIS

Leia mais

Our Mobile Planet: Portugal

Our Mobile Planet: Portugal Our Mobile Planet: Portugal Compreender o Consumidor de Telemóveis Maio de 2013 Informações Confidenciais e de Propriedade da Google 1 Resumo Executivo Os smartphones tornaram-se uma parte indispensável

Leia mais

compreender manual títono. para o atendimento de pessoas idosas vítimas de crime parte I ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE APOIO À VÍTIMA (APAV)

compreender manual títono. para o atendimento de pessoas idosas vítimas de crime parte I ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE APOIO À VÍTIMA (APAV) manual títono. para o atendimento de pessoas idosas vítimas de crime parte I compreender ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE APOIO À VÍTIMA (APAV) PROJECTO TÍTONO PESSOAS IDOSAS VÍTIMAS DE CRIME 3 4 ÍNDICE 7_ NOTA

Leia mais

vivem cada vez mais tempo,

vivem cada vez mais tempo, Portuguesas vivem cada vez mais tempo, mas com menos saúde Têm uma esperança de vida que é das maiores do mundo, mas desfrutam de muito menos anos saudáveis do que as mulheres dos países mais bem classificados

Leia mais

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET

ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET ABUSO ON LINE E PORNOGRAFIA INFANTIL PELA INTERNET A internet está cada vez mais presente na vida de crianças e adolescentes Atualmente, milhões de usuários estão conectados à internet em todo o mundo,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS

Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Como elaborar um plano de divulgação para a expansão das abordagens de MIFS Um bom plano de divulgação deverá assegurar que todos os envolvidos estão a par do que está a ser proposto e do que irá acontecer

Leia mais

O CAMINHO DO KYOKUSHIN (1979)

O CAMINHO DO KYOKUSHIN (1979) O CAMINHO DO KYOKUSHIN (1979) A Filosofia de Mas Oyama (Tradução para português do Senpai Luís Pinto) Índice: Prefácio As aspirações A assiduidade A coragem O sucesso exige educação Os pais As razões para

Leia mais

R I T A FERRO RODRIGUES

R I T A FERRO RODRIGUES E N T R E V I S T A A R I T A FERRO RODRIGUES O talento e a vontade de surpreender em cada projecto deixou-me confiante no meu sexto sentido, que viu nela uma das pivôs mais simpáticas da SIC NOTÍCIAS.

Leia mais

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas:

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas: Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas O Ministério da Saúde lançou, nesta sexta-feira (10) no Rio de Janeiro (RJ), uma campanha publicitária alertando sobre os

Leia mais