PESQUISA: INDICADORES DE TRABALHO DECENTE EMPRESA- HOTEL TROPICAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PESQUISA: INDICADORES DE TRABALHO DECENTE EMPRESA- HOTEL TROPICAL"

Transcrição

1 PESQUISA: INDICADORES DE TRABALHO DECENTE EMPRESA- HOTEL TROPICAL A Rede Tropical de Hotel foi criada em 20 de agosto de 1959 como Realtur S/A Hotelaria ligada a Real Transportes Aéreos S/A. Atualmente possui matriz situada no Rio de Janeiro e 3 hotéis em Manaus; João Pessoa e Porto Seguro. Hotel de Manaus dispõe de 594 quartos e 530 funcionários dos quais, 150 são sindicalizados.

2 Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro e Similares do Estado do Amazonas Pesquisa realizada no dia 01/03/2012 na sede do sindicato em Manaus-AM Total de Trabalhadores na base: 60 mil, dos quais 25 mil com carteira assinada. Distribuição por gênero: 60% mulheres e 40% homens Média de idade dos trabalhadores: 20 a 35 anos

3 Oportunidades de emprego RESULTADOS PRELIMINARES DA PESQUISA Terceirizados se concentram nos serviços gerais: lavanderia, parte das camareiras e parte dos recursos humanos. Em situações de grande movimento - são terceirizados garçons e garçons de bar auxiliares de cozinha. Terceirizados não recebem pontuação nem direito aos 10% de taxa de serviço Não há política para empregar imigrantes ou trabalhadores em situação vulnerável Trabalho inaceitável Nenhuma denúncia de uso de trabalho escravo ou infantil

4 Salário adequado e trabalho produtivo Salário médio: R$ 800,00 Menor salário: R$ 638,00 (piso da categoria) Benefícios: cesta básica; vale transporte e vale alimentação Existe um tipo de PLR atípica a partir da regulamentação da taxa 10%de serviço cuja distribuição é negociada com o sindicato: 39% empresa; 3% sindicato; 58% trabalhadores Não há avaliação de desempenho e nem plano de cargos e salários

5 Jornada decente Jornada é de 44 Horas semanais e as horas extras são feitas em períodos de grande movimento no Hotel Em relação à solicitação das horas extras: Os trabalhadores são avisados antes, mas há casos que são avisados na última hora prejudicando a vida familiar A média de horas extras semanais gira em torno de 25 a 30 horas A empresa não vê com bons olhos os trabalhadores que se recusam as fazer horas extras

6 Estabilidade e garantia no trabalho A média de permanência no trabalho dos trabalhadores mais velhos é de 10 anos e dos mais novos de 5 anos Levando-se em consideração que houve uma drástica redução do número de funcionários nos últimos 10 anos de quase 800 funcionários, conclui-se que os funcionários mais antigos são os sobreviventes do processo de reestruturação da empresa

7 Equilíbrio entre Trabalho e vida familiar Em relação à possibilidade de acompanhar filhos, cônjuges e pais em consultas e exames médicos as restrições são bastante grandes, há repetidas situações em que o Hotel Tropical não aceita nem os atestados médicos como comprovação de ausência no trabalho. Não existe tolerância por parte da empresa em relação ao comparecimento de reuniões escolares dos filhos Tempo de deslocamento em média é de duas horas, mas pode chegar a três em alguns casos

8 Tratamento justo no emprego O Hotel Tropical adotou práticas antisindicais: Um dirigente teve seu espaço de atuação restringida porque ficou isolado sem acesso aos demais trabalhadores, devido a um remanejamento de posto praticado pela empresa. Outro dirigente chegou a ser demitido em processo de campanha eleitoral do sindicato sendo reintegrado posteriormente. Em determinados momentos os dirigentes tiveram dificuldades para distribuir material do sindicato no local de trabalho

9 Trabalho seguro Trabalho dos garçons causa bastante cansaço Móveis pesados ocasionam lesões na coluna das camareiras Acidentes rotineiros na cozinha (queimaduras, choque térmico e cortes) Intensificação do ritmo de trabalho (hotel tinha 1400 funcionários hoje tem 530) -Ocorrência de LER/DORT e estresse

10 Proteção social na empresa A empresa adota a licença maternidade de 4 meses e os homens de cinco dias (estabelecida na lei). Não há relato de demissões de funcionárias que retornam da licença maternidade, nem de demissões ou não cumprimento de direitos em relação a trabalhadores afastados por doenças ou acidente de trabalho

11 ,. Diálogo Social A empresa respeita o direito de sindicalização, mas ao mesmo tempo, a empresa cria obstáculos para acesso dos dirigentes ao local de trabalho para distribuir material e conversar com os trabalhadores. Não há OLT e a CIPA é considerada inoperante Em 2010 houve uma paralisação dos garçons, os quais posteriormente foram demitidos

PESQUISA SOBRE TRABALHO DECENTE. COTEMINAS Companhia de Tecidos Norte de Minas

PESQUISA SOBRE TRABALHO DECENTE. COTEMINAS Companhia de Tecidos Norte de Minas PESQUISA SOBRE TRABALHO DECENTE COTEMINAS Companhia de Tecidos Norte de Minas Empresa do setor têxtil, fundada em 1967 em Montes Claros (MG) por José Alencar. Possui 14 unidades no Brasil, 5 nos EUA, uma

Leia mais

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para rotinas de Departamento Pessoal. 2. DEFINIÇÕES TRCT: Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho. DP: Departamento Pessoal; DP Central: Departamento Pessoal de

Leia mais

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas BANCÁRIOS Uma História marcada por lutas e conquistas 1 932 18/04/1932 1ª Greve dos Bancários Iniciada em Santos, formada por funcionários do Banco Banespa que reivindicavam melhorias salariais e das condições

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002217/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/10/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR053080/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.035134/2010-15 DATA DO

Leia mais

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013.

NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. NEGOCIAÇÃO COM COREN PARA ACORDO COLETIVO DE TRABALHO - PERÍODO DE 1º MAIO DE 2012 A 30 DE ABRIL DE 2013. GARANTIA DA DATA BASE Fica estabelecido primeiro de maio como data base da categoria REAJUSTE SALARIAL

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO Mediador - Extrato Instrumento Coletivo CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2008/2009 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000053/2009 DATA DE REGISTRO NO MTE: 05/02/2009 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR001382/2009 NÚMERO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000096/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 18/01/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064426/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.042751/2011-40 DATA DO

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO TERCEIRIZADAS NA SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO... 02 3. CONCEITOS... 02 4. NORMAS APLICÁVEIS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS... 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 03 6. PROCEDIMENTOS... 03 7. CONTROLE DE REGISTROS...

Leia mais

DIÁLOGO SOCIAL BASF AMÉRICA DO SUL BRASIL

DIÁLOGO SOCIAL BASF AMÉRICA DO SUL BRASIL DIÁLOGO SOCIAL NA BASF AMÉRICA DO SUL E NO BRASIL Convenção 87 e 98 da OIT 1986 1º Encontro (Brasil) dos Trabalhadores no Grupo BASF Solidariedade Internacional Seminário: Padrão da Indústria Química Maio/1993

Leia mais

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2

Expediente: Autor: Érika Andreassy Editor Responsável: Érika Andreassy Diagramação: Érika Andreassy Abril/ 2012 2 A mulher no mercado de trabalho e na organização sindical Expediente: Produzido pelo Instituto Latinoamericano de Estudos Socioeconômicos. Praça Padre Manuel da Nóbrega, 16-4º andar. Sé - São Paulo SP.

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2015 SIND DOS TEC DE SEGURANCA DO TRABA DO ESTADO DE SERGIPE, CNPJ n. 32.804.817/0001-09, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). WALTER DE SOUZA MONTEIRO,

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO ABRIL DE 2015

PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO ABRIL DE 2015 1 PROGRAMA DE PROTEÇÃO AO EMPREGO ABRIL DE 2015 COMO SURGIU A IDEIA 2 Na crise internacional de 2008, um grupo de sindicalistas, empresários e representantes do governo, preocupados com os poucos instrumentos

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2009/2010 Termo de CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO que entre si fazem, o Sindicato dos Empregados em Edifícios e em Empresas de Compra, Venda Locação e Administração de Imóveis

Leia mais

MANUAL MANUAL DO PONTO ELETRÔNICO

MANUAL MANUAL DO PONTO ELETRÔNICO Código: MT.GPES.001 Data: 30/08/2010 Versão: 1 Página: 1 de 7 DESCRIÇÃO DO PROCEDIMENTO: 1. INTRODUÇÃO CONSIDERANDO QUE O REGISTRO DE PONTO ESTÁ PREVISTO NA CONSOLIDAÇÃO DAS LEIS DO TRABALHO CLT, NO ARTIGO

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001554/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/08/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR032670/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.023032/2010-49 DATA DO

Leia mais

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL

A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL A MULHER TRABALHADORA NO SETOR DA HOTELARIA E GASTRONOMIA EM SÃO PAULO E NO BRASIL Um estudo de perfil sócio-econômico para subsidiar ações estratégicas na categoria MARÇO DE 2010 ALOISIO LEÃO DA COSTA

Leia mais

CAPÍTULO I - DA DATA BASE. CLÁUSULA 1ª: DATA BASE Fica reconhecida e garantida como data-base da categoria a data de 1º de maio.

CAPÍTULO I - DA DATA BASE. CLÁUSULA 1ª: DATA BASE Fica reconhecida e garantida como data-base da categoria a data de 1º de maio. 1 SINDICATO DOS SERVIDORES DAS AUTARQUIAS DE FISCALIZAÇÃO PROFISSIONAL E ENTIDADES COLIGADAS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Rua Álvaro Alvim, 37/811-812 e 814 Centro CEP.: 20031-010 - Rio de Janeiro/RJ Tel.:

Leia mais

Análise de déficit de trabalho decente Trabalho Doméstico em São Luís

Análise de déficit de trabalho decente Trabalho Doméstico em São Luís 1 SEDE NACIONAL Rua Dona Brígida 299 - Vila Marina São Paulo/ SP Fone: (+ 55 11) 3105-0884 / Fax: (+ 55 11) 3107-0538 observatorio@os.org.br www.os.org.br Análise de déficit de trabalho decente Trabalho

Leia mais

TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO TERMO ADITIVO Á CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 1 Entre as partes, de um lado o SINDICATO DOS EMPREGADOS VENDEDORES E VIAJANTES DO COMÉRCIO, PROPAGANDISTAS, PROPAGANDISTAS VENDEDORES E VENDEDORES DE PRODUTOS

Leia mais

PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO:

PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO: PROJETO: REDUÇÃO DA INFORMALIDADE POR MEIO DO DIÁLOGO SOCIAL CONVÊNIO FOMIN/BID ATN/ME 11684-BR RELATÓRIO CIRCUNSTANCIADO: VISITAS DE SENSIBILIZAÇÃO AOS ATORES SOCIAIS DO POLOTO DE BARES E RESTAURANTES

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ001437/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/07/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR018284/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.012545/2014-58 DATA DO

Leia mais

INSTRUÇÃO Nº 003/ 2011

INSTRUÇÃO Nº 003/ 2011 Publicado no DOE em 17 de março de 2011 INSTRUÇÃO Nº 003/ 2011 Orienta os órgãos e entidades da Administração Pública do Poder Executivo Estadual sobre os encargos sociais a serem utilizados na fixação

Leia mais

Único - O trabalho noturno terá remuneração superior à do diurno na razão de 20% (vinte por cento) de acréscimo sobre a hora normal.

Único - O trabalho noturno terá remuneração superior à do diurno na razão de 20% (vinte por cento) de acréscimo sobre a hora normal. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO que celebram a Empresa DATAMEC S.A. Sistemas e Processamento de Dados, doravante denominada DATAMEC, neste ato representada por seu Gerente de Recursos Humanos e bastante procurador

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002285/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 10/10/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR055933/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46301.001820/2011-96 DATA DO

Leia mais

Dirceu Medeiros Direito do Trabalho

Dirceu Medeiros Direito do Trabalho Dirceu Medeiros Direito do Trabalho Aulão EVP TRT-PE 6ª Região Assuntos em percentual de possibilidade Provas de Direito do Trabalho Princípios, Fontes e Generalidades do Direito do Trabalho 3,8% Proteção

Leia mais

CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA

CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA CONHEÇA A SUA CONVENÇÃO COLETIVA O objetivo dessa seção é detalhar as cláusulas da convenção coletiva vigente para o período de 2011/2012, que foi assinada entre o seu Sindicato e o SEAC sindicato patronal

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000566/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/12/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR070788/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.014471/2010-70 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR070380/2015 DATA E HORÁRIO DA TRANSMISSÃO: 29/10/2015 ÀS 14:41 SINDICATO DE HOTEIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE NOVO HAMBURGO, CNPJ

Leia mais

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL

SALÁRIOS, REAJUSTES E PAGAMENTO PISO SALARIAL CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DF000336/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 26/05/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR025512/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46206.006915/2014-27 DATA

Leia mais

s bandeiras de luta do movimento sindical atual, eu significado e importância para os trabalhadore

s bandeiras de luta do movimento sindical atual, eu significado e importância para os trabalhadore s bandeiras de luta do movimento sindical atual, eu significado e importância para os trabalhadore 40 HORAS SEMANAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL A luta pela redução da jornada acontece desde os primórdios do

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2000/2001 Acordo Coletivo de Trabalho que entre si fazem, de um lado, a Federação Única dos Petroleiros e os seguintes sindicatos: Sindicato do Ramo Químico/Petroleiro do Estado

Leia mais

Plano de lutas PLENO EMPREGO

Plano de lutas PLENO EMPREGO Plano de lutas PLENO EMPREGO a) Impulsionar, junto com as outras centrais sindicais, a campanha nacional pela redução constitucional da jornada de trabalho sem redução de salários; b) Exigir a restrição

Leia mais

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SINDICATO DO COMÉRCIO VAREJISTA DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM SINDICATO DOS EMPREGADOS NO COMÉRCIO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 Convenção Coletiva de Trabalho que entre

Leia mais

NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010

NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010 NEGOCIAÇÃO ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2009-2010 Ata da 6ª reunião entre o Serviço Federal de processamento de Dados (SERPRO) e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados,

Leia mais

ACORDO EM DISSÍDIO COLETIVO (Período de 1º de setembro de 2012 e término em 31 de agosto de 2013)

ACORDO EM DISSÍDIO COLETIVO (Período de 1º de setembro de 2012 e término em 31 de agosto de 2013) 1 ACORDO EM DISSÍDIO COLETIVO (Período de 1º de setembro de 2012 e término em 31 de agosto de 2013) SUSCITANTE: SINDICATO DOS BIOMÉDICOS PROFISSIONAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO, entidade sindical profissional

Leia mais

Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro

Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro Remuneração, Incentivos e Benefícios Profª Ma. Máris de Cássia Ribeiro Vendrame Visão do Futuro A Empresa será reconhecida como uma organização comprometida com a valorização do homem O Significado dos

Leia mais

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: NÚMERO DO PROCESSO: DATA DO PROTOCOLO: Página 1 de 8

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: DATA DE REGISTRO NO MTE: NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: NÚMERO DO PROCESSO: DATA DO PROTOCOLO: Página 1 de 8 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO ENTRE A EMPRESA MOINHO CANUELAS LTDA E O SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA SINDALIMENTAÇÃO-BA 2013/2014 NÚMERO DE REGISTRO

Leia mais

PARECER N.º 115/CITE/2012

PARECER N.º 115/CITE/2012 PARECER N.º 115/CITE/2012 Assunto: Parecer prévio ao despedimento de trabalhadoras grávida e lactante, incluídas em processo de despedimento coletivo, nos termos do n.º 1 e da alínea b) do n.º 3 do artigo

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: ES000068/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 27/02/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR073742/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46207.000791/2012-02 DATA

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ000529/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 04/04/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR002949/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.003317/2014-97 DATA DO

Leia mais

1º Rol de negociação 2013 a 2014

1º Rol de negociação 2013 a 2014 1º Rol de negociação 2013 a 2014 Celebram entre si o SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE MATERIAIS PLÁSTICOS E SIMILARES DE CHAPECÓ E REGIÃO OESTE DE SANTA CATARINA com CNPJ Nº 80.623.929/0001-06,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2012/2013 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000748/2012 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/05/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023675/2012 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.006375/2012-81 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO SUSCITANTE: SINDICATO DOS PSICÓLOGOS NO ESTADO DE SÃO PAULO - SINPSI-SP, Entidade Sindical Profissional, com registro no MTb sob nº012.228.026.60-5 e inscrita no CNPJ/MF

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

Ferramentas para Campanhas Globais

Ferramentas para Campanhas Globais Ferramentas para Campanhas Globais Coalisões sindicais globais Normas trabalhistas internacionais Ação direta Fortalecimento do relacionamento entre trabalhadores Engajamento de acionistas: investimento

Leia mais

MUDANÇAS NA CONVENÇÃO COLETIVA

MUDANÇAS NA CONVENÇÃO COLETIVA MUDANÇAS NA CONVENÇÃO COLETIVA 2013 TABELA DE PISOS SALARIAIS O C U P A Ç Õ E S R$ POR HORA R$ POR MÊS Mestre de obra 15,00 3.300,00 Encarregado de obra e Encarregado administrativo de obra 10,91 2.400,20

Leia mais

O número de dias de trabalho médio por mês é calculado pela fórmula:

O número de dias de trabalho médio por mês é calculado pela fórmula: Este trabalho foi realizado a pedido da Pró-Reitoria de Administração e Planejamento e trata-se de um estudo com base no Manual de Orientação para Preenchimento da Planilha de Custo e Formação de Preços,

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2011/2012 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RJ002443/2011 DATA DE REGISTRO NO MTE: 22/11/2011 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061733/2011 NÚMERO DO PROCESSO: 46215.043450/2011-33 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO - 2009/2011 Que entre si celebram, de um lado, E de outro lado, SINDICATO DOS AEROVIÁRIOS DE PORTO ALEGRE, com sede na Rua Augusto Severo, 82 - Porto Alegre RS, CEP 90.240-480,

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES CAMPANHA SALARIAL 2015 Proponente: SINDICATO DOS EMPREGADOS EM ESTABELECIMENTOS PRIVADOS DE SAÚDE E EM EMPRESAS QUE PRESTAM SERVIÇOS DE SAÚDE E ATIVIDADES AFINS DO ABCDMRPRPG

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2013/2015 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MT000224/2013 DATA DE REGISTRO NO MTE: 24/04/2013 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR016542/2013 NÚMERO DO PROCESSO: 46210.000650/2013-11 DATA

Leia mais

1.1 Segurança do trabalho

1.1 Segurança do trabalho 1.1 Segurança do trabalho A Segurança do Trabalho pode ser entendida como o conjunto de medidas adotadas, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. Convenção Coletiva De Trabalho 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000317/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 28/02/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR010344/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.000931/2014-28 DATA

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DATAMEC 2012-2013

PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DATAMEC 2012-2013 PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DATAMEC 2012-2013 CLÁUSULA REAJUSTAMENTO Os salários fixos ou a parte fixa dos salários mistos, vigentes em 30/04/2012, terão reajuste linear pelo índice do Dieese mais 4,5 % a

Leia mais

ILUSTRISSIMO DOUTOR DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO DE SÃO PAULO SP.

ILUSTRISSIMO DOUTOR DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO DE SÃO PAULO SP. ILUSTRISSIMO DOUTOR DELEGADO REGIONAL DO TRABALHO DE SÃO PAULO SP. O Sindicato dos farmacêuticos no Estado de São Paulo SINFAR, entidade sindical de primeiro grau, com Carta Sindical processo nº MTIC 362.322

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: MA000069/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 12/03/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR009520/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46223.001823/2014-42 DATA

Leia mais

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT PREVENÇÃO ÀS LER/DORT Introdução Durante os dias 19, 20 e 23 de julho o Datafolha ouviu os trabalhadores paulistanos sobre sua vida no trabalho (atividades desempenhadas, carga horária, realização de horas

Leia mais

PROPOSTAS PARA O COMBATE A ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO

PROPOSTAS PARA O COMBATE A ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO PROPOSTAS PARA O COMBATE A ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO PROPOSTAS PARA O COMBATE A ALTA ROTATIVIDADE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO Considerando como movimentos desejáveis, tanto

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2010/2011 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: PB000247/2010 DATA DE REGISTRO NO MTE: 01/07/2010 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR021198/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46224.001800/2010-02 DATA DO

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2010/2012 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR061795/2010 NÚMERO DO PROCESSO: 46219.010162/2010-81 DATA DO PROTOCOLO: 27/10/2010 SINDICATO DOS EMPREGADOS EM CASAS DE DIVERSOES DE SAO

Leia mais

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO O SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES DE CARGAS EM GERAL E PASSAGEIROS NO MUNICÍPIO DO RIO DE

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2014 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS001824/2014 DATA DE REGISTRO NO MTE: 20/08/2014 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR051876/2014 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.013428/2014-81 DATA

Leia mais

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014:

PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016. São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: PROPOSTA DE CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015 / 2016 CLÁUSULA 1ª - DO PISO SALARIAL São fixados os seguintes salários para admissão a partir de 1º de maio de 2014: a) Fica afixado o piso salarial da

Leia mais

RESUMO DA PAUTA UNIFICADA DE REIVINDICAÇÕES EMPREGADOS NO COMÉRCIO VAREJISTA DE VINHEDO E ITATIBA - NEGOCIAÇÃO COLETIVA 2010/2011

RESUMO DA PAUTA UNIFICADA DE REIVINDICAÇÕES EMPREGADOS NO COMÉRCIO VAREJISTA DE VINHEDO E ITATIBA - NEGOCIAÇÃO COLETIVA 2010/2011 RESUMO DA PAUTA UNIFICADA DE REIVINDICAÇÕES EMPREGADOS NO COMÉRCIO VAREJISTA DE VINHEDO E ITATIBA - NEGOCIAÇÃO COLETIVA 2010/2011 1 REAJUSTE SALARIAL: salários fixos ou parte fixa dos salários mistos reajustamento

Leia mais

PROPOSTA DE PAUTA ESPECÍFICA PARA O BRB - CAMPANHA SALARIAL 2012/2013

PROPOSTA DE PAUTA ESPECÍFICA PARA O BRB - CAMPANHA SALARIAL 2012/2013 PROPOSTA DE PAUTA ESPECÍFICA PARA O BRB - CAMPANHA SALARIAL 2012/2013 CLAÚSULAS GERAIS 1) Prorrogação do acordo 2011/2012, até que seja assinado novo acordo coletivo. 2) Renovação das cláusulas que não

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA 2009/2010

CONVENÇÃO COLETIVA 2009/2010 CONVENÇÃO COLETIVA 2009/2010 Convenção Coletiva de Trabalho que firmam entre si, de um lado, o SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DO ESTADO DA BAHIA - SINEPE-BA, com sede a Av. Antônio Carlos Magalhães,

Leia mais

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016

Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000921/2016 DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/05/2016 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023133/2016 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.002652/2016-61 DATA DO PROTOCOLO: 24/05/2016 Convenção Coletiva

Leia mais

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009

RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 RESOLUÇÃO CFP Nº 009/2009 Dispõe sobre o reajuste, direitos e deveres dos empregados do Conselho Federal de Psicologia. O CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA, no uso de suas atribuições legais, estatutárias

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA GERAL CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO PROCESSO PGT/CCR/PP/Nº 10355/2013 ORIGEM: PRT 1ª REGIÃO PROCURADOR OFICIANTE: DR. JOÃO CARLOS TEIXEIRA INTERESSADO 1: UNIÃO FEDERAL INTERESSADO 2: ARPOADOR DE HOTÉIS E TURISMO LTDA. SINDICATO DOS TRABALHADORES

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO AERO AGRÍCOLA 2006/2007 Que fazem de um lado, o SINAERO Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Empresa de Táxi Aéreo, Aeroclubes, Aviação Agrícola e de Garimpo, Prestadores

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: GO000599/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/07/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR044135/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46208.008883/2015-65 DATA

Leia mais

As bandeiras de luta do movimento sindical atual, o seu significado e importância para os trabalhadores

As bandeiras de luta do movimento sindical atual, o seu significado e importância para os trabalhadores As bandeiras de luta do movimento sindical atual, o seu significado e importância para os trabalhadores 40 HORAS SEMANAIS SEM REDUÇÃO SALARIAL A luta pela redução da jornada acontece desde os primórdios

Leia mais

III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL. William Mendes,

III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL. William Mendes, III Reunión, Lima, octubre 2010 A AUTOREFORMA SINDICAL E A HISTÓRIA DOS BANCÁRIOS DA CUT BRASIL William Mendes, Secretário de Formação da CONTRAFCUT-CUT 1. INTRODUÇÃO No final dos anos setenta e início

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.004/2.005 (Empregados em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas)

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.004/2.005 (Empregados em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas) CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2.004/2.005 (Empregados em Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas) Pelo presente instrumento, de um lado o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TURISMO, HOSPITALIDADE

Leia mais

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA

SINDICATO DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DE ALIMENTAÇÃO E AFINS DO ESTADO DA BAHIA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES 2014-2015 DOS EMPREGADOS DA EMPRESA ADINOR INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE ADITIVOS LTDA. 1ª Cláusula - REAJUSTE SALARIAL A Empresa reajustará o salário de seus empregados em 100% (cem

Leia mais

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE 20ª CLÁUSULA PAGAMENTO DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE OUTROS ADICIONAIS

ADICIONAL DE PERICULOSIDADE 20ª CLÁUSULA PAGAMENTO DO ADICIONAL DE PERICULOSIDADE OUTROS ADICIONAIS COMPANHIA DO METROPOLITANO DE SÃO PAULO METRÔ SINDICATO DOS METROVIÁRIOS CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE CLÁUSULA - VIGÊNCIA E DATA-BASE CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA CLÁUSULA - ABRANGÊNCIA SALÁRIOS,

Leia mais

Saúde do Bancário. Guia de direitos

Saúde do Bancário. Guia de direitos Saúde do Bancário Guia de direitos 1 Expediente: Publicação do Sindicato dos Bancários de Campinas e Região. Presidente: Jeferson Boava. Diretora de Imprensa: Maria Aparecida da Silva. Jornalista: Jairo

Leia mais

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/. ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: RS000453/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 23/03/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR011961/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46218.004269/2015-13 DATA DO

Leia mais

TERMO ADITIVO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES

TERMO ADITIVO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES TERMO ADITIVO A ACORDO COLETIVO DE TRABALHO PARTES ACORDANTES São partes signatárias do presente Termo Aditivo ao Acordo Coletivo de Trabalho, a Empresa CONCESSIONÁRIA AEROPORTO RIO DE JANEIRO S.A., com

Leia mais

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento.

ACORDO COLETIVO. Parágrafo 5º - As horas serão remuneradas com base no salário do mês de seu efetivo pagamento. ACORDO COLETIVO Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Juiz de Fora, registro sindical nº. 10.610, inscrito no CNPJ sob nº. 20.453.643/0001-06, sito a rua Halfeld, 805/603 Juiz de Fora MG 36010-000,

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SESC-AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período

Leia mais

PROVA DISCURSIVA (P 4 )

PROVA DISCURSIVA (P 4 ) PROVA DISCURSIVA (P 4 ) Nesta prova, faça o que se pede, usando os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO DE TEXTOS DEFINITIVOS DA PROVA DISCURSIVA

Leia mais

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF

PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF PAUTA DE REVINDICAÇÃO - 2015/2016 ELENCO DE REIVINDICAÇÃO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL AR/DF CLÁUSULA PRIMEIRA VIGÊNCIA E DATA-BASE As partes fixam a vigência do presente

Leia mais