SITUAÇÃO ATUAL Impactos causados por gargalos e desbalanceamento da Matriz de Transportes Custo de Logística: Resultado: Agricultura e Mineração:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SITUAÇÃO ATUAL Impactos causados por gargalos e desbalanceamento da Matriz de Transportes Custo de Logística: Resultado: Agricultura e Mineração:"

Transcrição

1 Reunião do Conselho Superior de Infraestrutura FIESP O PROGRAMA DE CONCESSÕES São Paulo, 12 de Setembro de 2013

2 SITUAÇÃO ATUAL Impactos causados por gargalos e desbalanceamento da Matriz de Transportes Custo de Logística: Boston Logistics Group: Brasil = 12% do PIB; EUA = 8% do PIB. Fundação Dom Cabral: Brasil = 13% do Faturamento das Empresas Impacto em empresas de bens de capital = 22% Impacto em empresas de construção = 21% Banco Mundial: 15,4% do PIB - 2 vezes EUA e > América Latina (Chile e México) Resultado: Perda de Competitividade, Produção e Empregos Agricultura e Mineração: não otimiza vantagens comparativas Indústria: dificuldades na competição internacional Externalidades Negativas: acidentes; engarrafamento; poluição.

3 Fonte: ANTT 2005 MATRIZ DE TRANSPORTES ATUAL

4 COMPARAÇÃO DA MATRIZ DE TRANSPORTES COM PAÍSES DE PORTE EQUIVALENTE Rússia 81% 8% 11% Canadá 46% 43% 11% Austrália 43% 53% 4% EUA 43% 32% 25% China 37% 50% 13% Brasil 25% 58% 17% Ferroviário Rodoviário Aquaviário, outros

5 PERSPECTIVA PARA 2031 Racionalização da Matriz de Transportes Fonte: SPNT/MT PNLT 2011 (revisão de metas) Outros: dutoviário e cabotagem

6 INVESTIMENTO PÚBLICO RODOVIAS, FERROVIAS E HIDROVIAS (1995 A 2015) Valor executado em 2013 (até agosto): R$ 5,6 bilhões 36,8 bilhões 6,4 bilhões PAC

7 CORREDORES LOGÍSTICOS ESTRUTURANTES¹ Estudadas as dez cadeias produtivasmais representativas²em valor bruto de produção e volume movimentado; Setores presentes em todo o Brasile demandantes de todos modais; Representam ~80% do volume de movimentação nos portos e ferrovias. 1)Estudo desenvolvido por EPL/MBC/Accenture 2) Fonte: IBGE; Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; ANTF; BNDES; Análise time de projeto. Utilizados dados de 2010.

8 PRODUÇÃO E EXPORTAÇÃO SOJA E MILHO Fonte: CNA

9 A PARTIR DA ANÁLISE DE CADEIAS, FORAM MAPEADOS OS PRINCIPAIS CORREDORES LOGÍSTICOS DO PAÍS 1 Amazônico 6 Integração Nacional (Terrestre e marítimo) 11 Paraná e Sta. Catarina Centro- Norte 7 Centro- Sudeste 12 Rio Grande do Sul Minério exp. Carajás 8 Paulista 13 Mercosul e Bioceânico MAPITOBA 9 Minério e Aço Sudeste 12 5 Nordestino 10 Sudeste Industrial

10 PORTFÓLIO DE PROJETOS A PARTIR DOS ESTUDOS E PLANOS DISPONÍVEIS Analisados mais de 20 relatórios e identificadas mais de 4 mil sugestões >20 relatórios projetos Levantamento dos projetos PNLT PNLP Planos Mestres Portuários PNIH CNI CNT IIRSA... PIL Compilação da lista de projetos 42% 15% 44% Rodovias Ferrovias Portos e Hidrovias CNI SEP PIL 13% 5% 5% PAC Fontes dos projetos Outros 8% 27% 18% 24% CNT PNLT Outros: IIRSA, PNTH, PNIH, IBP, BNB, PPA, ANTAQ, PROSEFER e EPL

11 Organização da análise de projetos ANÁLISE DOS PROJETOS projetos Investimento necessário (Valores preliminares) projetos INVESTIMENTO R$ (MI) Projetos compilados Excluídos Comprometidos Projetos do PAC e PIL Foco do Estudo Projetos duplicados, poucas informações, transporte exclusivo de passageiros, ou não constituem obras de infraestrutura Sem info. de investimento Comprometido Sugerido & Não comprometido

12 364 Manaus Porto Velho Santarém 163 Belém / V. Conde MALHA RODOVIÁRIA AMPLIAÇÃO DE CAPACIDADE 135 Itaqui Pecém Suape Salvador Aratu Ilhéus Santos Itaguaí Rio de Janeiro Paranaguá S F. Sul Itajaí / Navegantes 101 Vitória Hidrovias estruturantes Concessões 1ª Etapa (1,5 mil km) + Estaduais 1994/97 PAC Concessões 2ª Etapa /09 + Fase II da 3ª Etapa (3,8 mil km) 2011 PAC Duplicação e Pavimentação Rio Grande PIL Concessões c/ Duplicação (7,1 mil km) Estruturantes

13 Belém / V. Conde MALHA FERROVIÁRIA AMPLIAÇÃO DA MALHA Manaus Santarém Açailândia Itaqui Pecém Ligação Pacífico Porto Velho Estreito Parnamirim Eliseu Martins Salgueiro Suape Lucas do Rio Verde Figueirópolis Uruaçu Barreiras Salvador Aratu Ilhéus Rondonópolis Belo Horizonte Maracaju Estrela d Oeste Santos Itaguaí Rio de Janeiro Paranaguá S F. Sul Itajaí / Navegantes Vitória Hidrovias Estruturantes Malha Explorada Malha - PAC Malha - PIL Ligação Pacífico Rio Grande Em Estudo

14 Programa de Investimentos em Logística PIL Rodovias

15 APERFEIÇOAMENTO DO MODELO DE CONCESSÕES BRASILEIRO DIRETRIZES DO PROGRAMA: Não pedagiar usuários em deslocamentos urbanos; Garantir ampliação tempestiva da infraestrutura com duplicações concluídas em 5 anos; Pedágio somente será cobrado quando concessionário duplicar 10% dos trechos sob sua responsabilidade.

16 INVESTIMENTOS PREVISTOS

17 CONDIÇÕES PARA GARANTIR O SUCESSO DO PIL Relação Risco x Retorno adequada: TIR do Projeto: 7,2% ao ano; TIR do Acionista: acima de 15% ao ano (já descontada a inflação e o IR). Financiamento: Project Finance; Prazo adequado: 5 anos carência + 20 anos para amortização; TJLP + até2%; 70% do Investimento. Apoio ao Equity: Até 49% do capital próprio. Simplificação do Licenciamento Ambiental.

18 CRONOGRAMA DO PIL - RODOVIAS Trecho Extensão Publicação Edital Leilão Contrato BR-262/ES/MG 375,6 31/7/ /9/2013 9/12/2013 BR-050/MG/GO 436,6 31/7/ /9/2013 9/12/2013 BR-101/BA 772,3 29/8/ /10/ /1/2014 BR-153/GO/TO+TO ,0 26/9/ /11/ /2/2014 BR-060/153/ ,5 26/9/ /11/ /2/2014 BR-163/MS 847,2 25/10/ /12/ /3/2014 BR-163/MT+MT ,9 25/10/ /12/ /3/2014 BR-040/DF/GO/MG 936,8 4/11/ /12/ /3/2014 BR-116/MG 816,7 4/11/ /12/ /3/2014 TOTAL 7.026,60

19 Programa de Investimentos em Logística PIL Ferrovias

20 APERFEIÇOAMENTO DO MODELO DE CONCESSÕES BRASILEIRO Constituição de rede nacional integrada, abrangendo principais centros consumidores e áreas de forte expansão da produção Dobrar extensão da malha ferroviária atualmente em uso; Ferrovias de alta capacidade e sem interferência com centros urbanos; Velocidade de projeto: 80 km/h; Interoperabilidade de toda a rede ferroviária nacional.

21 NOVO MODELO FERROVIÁRIO Fim do monopólio Separação de infraestrutura e transporte Atividade de transporte aberta à livre concorrência Ferrovia como opção de transporte para amplo conjunto de cargas Tarifas compatíveis com os ganhos de eficiência do modal ferroviário

22 INVESTIMENTOS PREVISTOS Ferrovias 5 anos 30 anos Total Investimento (R$ Bilhões) Valor estimado da implantação das novas linhas e adequação das linhas existentes. Valor estimado da manutenção das linhas ao longo da operação.

23 FUNCIONAMENTO DO NOVO MODELO FERROVIÁRIO União Fortalecimento da VALEC executar função comercial que viabiliza o sucesso do modelo: Compra e Venda de Capacidade; Instrumento para a interoperabilidade. Concessionária TARIFA DE FRUIÇÃO CESSÃO DO DIREITO DE USO TDCO TARIFA PELA DISPONIBILIDADE DE CAPACIDADE OPERACIONAL VALEC / EBF Usuários PREÇO DE VENDA

24 CONDIÇÕES PARA GARANTIR O SUCESSO DO PIL Relação Risco x Retorno adequada: TIR do Projeto: 7,5% até8,5% ao ano (depende do risco de engenharia); TIR do Acionista: acima de 18% ao ano (jádescontada a inflação e o IR). Financiamento: Project Finance; Prazo adequado: 5 anos carência + 25 anos para amortização; TJLP + até1%; 70% do Investimento. Apoio ao Equity Até 49% do capital próprio. Eliminação do risco de inadimplemento da VALEC: MP n 618/2013: R$ 15 bilhões de capital na VALEC para honrar pagamentos do PIL; Adiantamento de 15% do CAPEX; Vinculação de recebíveis.

25 Trecho Ouro Verde - Estrela D Oeste - Dourados Lucas do Rio Verde - Campinorte Palmas - Anápolis CRONOGRAMA DO PIL - FERROVIAS Extensão Publicação Edital Leilão Contrato /10/ /12/ /3/ /10/ /12/ /3/2014 Maracaju - Lapa /11/ /1/ /4/2014 Rio de Janeiro - Vila Velha /11/ /1/ /4/2014 Feira de Santana - Ipojuca /11/ /1/ /4/2014 Uruaçu - Campos /11/ /1/ /4/2014 Mairinque - Rio Grande /12/2013 5/2/2014 6/5/2014 Feira de Santana - Parnamirim 580 9/12/2013 7/2/2014 9/5/2014 Belo Horizonte - Candeias /12/ /2/ /5/2014 Lapa - Paranaguá /12/ /2/2014 3/6/2014 Ferroanel Sul 53 12/1/ /3/ /6/2014 Açailândia - Barcarena 457 Aguardando TCU TOTAL

26 Principais obras do Governo Federal em São Paulo

27 RODOANEL (convênio DNIT/Governo SP) Trechos OESTE e SUL CONCLUÍDOS e trecho NORTE EM ANDAMENTO Valor total: R$ 13,2 bilhões, sendo R$ 3,7 bilhões de responsabilidade do Governo Federal Valor repassado pelo GF: R$ 2 bilhões Trecho NORTE Ext. 44 Km. Interligaráos trechos Oeste e Leste. Prevê acesso à rodovia Fernão Dias (BR-381), além de ligação exclusiva de 3,6 km para o Aeroporto Internacional de Guarulhos. Ordem de início em fev/2013. Obras iniciadas: início do Ramo 100 do trevo Raimundo Pereira de Magalhães, emboques de 3 túneis e fundações de 6 Obras de Arte Especiais. Previsão de conclusão: 1ºsem/2016

28 FERROVIA NORTE-SUL (EXTENSÃO SUL) Trecho: Ouro Verde/GO-Estrela d Oeste/SP Extensão: 681,56 km Estados: GO/MG/SP Investimento até ago/2013: R$ 684,3 milhões Investimento previsto até dez/2013: 1,4 bilhão Previsão de conclusão: 30/06/2014

29 HIDROVIA DO TIETÊ Intervenções previstas: adequação de pontes e canais, melhorias em eclusas, implantação de eclusas e substituição de pontes Obras buscam reduzir o tempo de transporte da carga na hidrovia. Valor total: aprox. R$ 1,6 bilhão Governo Federal:R$ 900 milhões Governo Estadual:R$ 700 milhões Já foram assinados 2 Termos de compromisso (proteção de pilares) entre DNIT e Governo SP Estáprevista a assinatura de TCs: Dragagem do Canal de Anhembi Ampliação do vão da Ponte ferroviária Ayrosa Galvão Atracadouro na eclusa de Bariri

30 FERROANEL SP TRAMOS NORTE E SUL Investimentos previstos no Programa de Investimentos em Logística PIL Leilão previsto para mar/2014; Encontra-se em fase de estudos; Atualmente, o transporte ferroviário de cargas pela RMSP é feito por meio do compartilhamento das linhas da CPTM. Tramo Norte: ligação entre Jundiaí e Manoel Feio, acompanhando traçado do Rodoanel Norte e do Expresso Jundiaí. Ext. 90 km. Tramo Sul: Ligação entre Ribeirão Pires e Evangelista de Souza, acompanhando traçado da linha desativada da Ferroban e do Rodoanel Sul. Ext. 60 km. Tramo Norte Tramo Sul

31 CONCESSÕES RODOVIÁRIAS EM SÃO PAULO NOVA DUTRA Concessionária da Rodovia Presidente Dutra S/A Empresa Controladora: Grupo CCR Trecho Objeto da concessão: BR-116/RJ/SP, trecho Rio de Janeiro São Paulo Extensão do Trecho Concedido: 402 km

32 CONCESSÕES RODOVIÁRIAS EM SÃO PAULO AUTOPISTA RÉGIS BITTENCOURT S/A Empresa Controladora: ARTERIS S/A Trecho Objeto da concessão: BR-116/SP/RJ, trecho São Paulo Curitiba Extensão do Trecho Concedido: 402 km

33 CONCESSÕES RODOVIÁRIAS EM SÃO PAULO AUTOPISTA FERNÃO DIAS S/A Empresa Controladora: ARTERIS S/A Trecho Objeto da concessão: BR-381/MG/SP, trecho Belo Horizonte São Paulo Extensão do Trecho Concedido: 562 km

34 CONCESSÕES RODOVIÁRIAS EM SÃO PAULO TRANSBRASILIANA CONCESSIONÁRIA DE RODOVIAS S/A Empresa Controladora: GRUPO BRVIAS Trecho Objeto da concessão: BR-153/SP Divisa MG/SP Divisa SP/PR Extensão do Trecho Concedido: 321 km

35 CONSIDERAÇÕES FINAIS O Governo Federal vem procurando promover a qualificação, recapacitação e modernização da infraestrutura de transportes, tendo como meta a redução do custo logístico e o aumento da produtividade dos serviços de transporte. O processo de planejamento e a carteira de empreendimentos de transportes permitirão a eliminação de gargalos. As iniciativas estão sendo estruturadas em um processo integrado e visam fortalecer o desenvolvimento regional e contribuir para redução das desigualdades.

36 CÉSAR BORGES Ministro de Estado dos Transportes Tel. (61) / 7002 / 7003 Fax (61)

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA

55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA 55º Fórum Nacional de Secretários de Planejamento INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA Salvador/BA, 06 de Setembro de 2013 PREMISSA BÁSICA O setor de Transportes como catalisador do desenvolvimento nacional Estruturando

Leia mais

Concessões de Infraestrutura Logística no Brasil: a segunda fase do Programa de Investimento em Logística

Concessões de Infraestrutura Logística no Brasil: a segunda fase do Programa de Investimento em Logística ESTUDOS E PESQUISAS Nº 636 Concessões de Infraestrutura Logística no Brasil: a segunda fase do Programa de Investimento em Logística Maurício Muniz, Ian Guerriero e Renato Rosenberg * Fórum Nacional (Sessão

Leia mais

Programa de Investimentos em Logística

Programa de Investimentos em Logística Programa de Investimentos em Logística Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro Bernardo Figueiredo Presidente da Empresa de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos

Leia mais

Logística e Desenvolvimento Econômico

Logística e Desenvolvimento Econômico Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna rede de infraestrutura Logística eficiente Modicidade tarifária Programa de Aceleração

Leia mais

CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA. Palestra Logística Ferroviária. Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014

CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA. Palestra Logística Ferroviária. Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014 CÂMARA DE COMÉRCIO ARGENTINO BRASILEIRA Palestra Logística Ferroviária Vicente Abate - Presidente da ABIFER São Paulo, 09 de dezembro de 2014 ABIFER, há mais de 37 anos ABIFER NOSSA MISSÃO Fomentar o crescimento

Leia mais

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos

Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Programa de Investimentos em Logística: Rodovias, Ferrovias e Portos Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna rede de infraestrutura

Leia mais

PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM LOGÍSTICA 2015-2018

PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM LOGÍSTICA 2015-2018 PROGRAMA DE INVESTIMENTO EM LOGÍSTICA 2015-2018 Maurício Muniz Secretário do Programa de Aceleração do Crescimento SEPAC Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão NOVA ETAPA DE CONCESSÕES Investimentos

Leia mais

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI

José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI José de F. Mascarenhas Presidente do Conselho de Infraestrutura da CNI Os nós da infraestrutura OS CENÁRIOS CONSIDERADOS Patinando na infraestrutura deficitária Atingindo a velocidade de cruzeiro Para

Leia mais

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro

O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro O Programa de Investimentos em Logística: Um Projeto Estratégico do Estado Brasileiro Bernardo Figueiredo Presidente da Empresa Brasileira de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico

Leia mais

II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO

II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO II - INFRA-ESTRUTURA PARA O DESENVOLVIMENTO aceleração do desenvolvimento sustentável no Brasil. Dessa forma, o país poderá superar os gargalos da economia e estimular o aumento da produtividade e a diminuição

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. Agosto de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL Agosto de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO

Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Logística e desenvolvimento regional PRISCILA SANTIAGO Brasília, 27 de agosto de 2013 O setor de transporte no Brasil Agente indutor de desenvolvimento e integração; Histórico de baixos investimentos em

Leia mais

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013

QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL. 31 de julho de 2013 QUESTÕES FUNDAMENTAIS DA LOGÍSTICA NO BRASIL 31 de julho de 2013 PRINCIPAIS CADEIAS PRODUTIVAS Soja, milho e bovinos AGROPECUÁRIA AÇÚCAR E ÁLCOOL Soja, milho e bovinos Cana de açúcar MINERAÇÃO E SIDERURGIA

Leia mais

Maurício Muniz Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento Casa Civil

Maurício Muniz Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento Casa Civil SEMINÁRIO INTERNACIONAL: DESTRAVANDO OS INVESTIMENTOS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL E NA AMÉRICA LATINA EM 2016: A VISÃO DA ENGENHARIA Maurício Muniz Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento Casa

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RELATÓRIO I ESTUDO DE DEMANDA

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RELATÓRIO I ESTUDO DE DEMANDA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES RELATÓRIO I ESTUDO DE DEMANDA TRECHO Estrela D Oeste (SP) - Dourados (MS) Audiência Pública nº 139/2013

Leia mais

ANTT Panorama, desafios e projetos

ANTT Panorama, desafios e projetos ANTT Panorama, desafios e projetos Competências legais Em que atua a ANTT? Exploração da infraestrutura ferroviária Transporte ferroviário de cargas e passageiros Transporte rodoviário interestadual e

Leia mais

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades

Ferrovias. Infraestrutura no Brasil: Projetos, Financiamentos e Oportunidades Ferrovias OBJETIVOS Ferrovias Novo modelo de investimento/exploração das ferrovias Quebra do monopólio na oferta de serviços de transporte ferroviário Expansão, modernização e integração da malha ferroviária

Leia mais

O setor aquaviário e o comércio exterior

O setor aquaviário e o comércio exterior O setor aquaviário e o comércio exterior Associação de Comércio Exterior do Brasil AEB ENAEX 2011 - Encontro nacional de comércio exterior Rio de Janeiro, RJ 19 de agosto de 2011 Fernando Antonio Brito

Leia mais

Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país

Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Gargalos logísticos e o novo corredor de exportação agrícola pelo norte do país Seminários Folha de S.Paulo - Fórum de Exportação Daniel Furlan Amaral

Leia mais

PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS

PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS PAINEL 2014 PACTO PELA INFRAESTRUTURA NACIONAL E EFICIÊNCIA LOGÍSTICA TEMA: CENÁRIOS PARA INVESTIMENTOS BRASÍLIA, 03 DE SETEMBRO DE 2014 Luis Henrique T. Baldez Presidente Executivo OBJETIVOS E PRINCÍPIOS

Leia mais

Navegação interior no Brasil e o avanço dos Investimentos públicos e privados

Navegação interior no Brasil e o avanço dos Investimentos públicos e privados Navegação interior no Brasil e o avanço dos Investimentos públicos e privados Adalberto Tokarski Diretor CT Log Junho de 2014 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS A ANTAQ Criada pela Lei nº10.233,

Leia mais

O DNIT e o Investimento em Infraestrutura de Transportes

O DNIT e o Investimento em Infraestrutura de Transportes O DNIT e o Investimento em Infraestrutura de Transportes Adailton Cardoso Dias Diretor de Pesquisa e Planejamento Brasília 06 de Outubro de 2015 Infraestrutura Federal Rodovias* % km Pavimentadas 53,8

Leia mais

Estudos preliminares de CONCESSÕES / PPP. Operacionalização do Plano Diretor Rodoviário do Estado do Espírito Santo - DER/ES

Estudos preliminares de CONCESSÕES / PPP. Operacionalização do Plano Diretor Rodoviário do Estado do Espírito Santo - DER/ES Estudos preliminares de CONCESSÕES / PPP Operacionalização do Plano Diretor Rodoviário do Estado do Espírito Santo - DER/ES Objetivos $ Aumentar a competitividade da economia Escoar com eficiência a produção

Leia mais

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS

MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS MATRIZ DE TRANSPORTE COM FOCO NAS FERROVIAS Matriz de Transportes do Brasil Aquaviário Rodoviário Ferroviário Dutoviário e Aéreo 58% 25% 4% 13% Fonte: PNLT Matriz de Transportes Comparada Ferroviário Rodoviário

Leia mais

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Francisco Luiz Baptista da Costa Brasília, 16.07.2014 Ferrovias Expansão da Malha Santarém Barcarena Miritituba Pecém Açailândia

Leia mais

Programa de Investimento em Logística

Programa de Investimento em Logística Programa de Investimento em Logística HÉLIO MAURO FRANÇA Empresa de Planejamento e Logística Logística e Desenvolvimento Econômico Imperativos para o desenvolvimento acelerado e sustentável: Ampla e moderna

Leia mais

Tráfego de Carga e Passageiros na Malha Ferroviária da RMSP. Tem Solução?

Tráfego de Carga e Passageiros na Malha Ferroviária da RMSP. Tem Solução? Tráfego de Carga e Passageiros na Malha Ferroviária da RMSP. Tem Solução? Secretaria dos Transportes Planejamento de Transportes SECRETARIA DOS TRANSPORTES set/2008 Tráfego de Carga e Passageiros na Malha

Leia mais

Considerações sobre Infraestrutura Logística, Transporte Sustentável de Cargas, e Mobilidade Urbana no Brasil

Considerações sobre Infraestrutura Logística, Transporte Sustentável de Cargas, e Mobilidade Urbana no Brasil Considerações sobre Infraestrutura Logística, Transporte Sustentável de Cargas, e Mobilidade Urbana no Brasil Seminários IBRE Infraestrutura no Brasil Perspectivas e Desafios nas Áreas de Construção, Saneamento,

Leia mais

Reunião Pública. 17 de novembro de 2015. Relações com Investidores

Reunião Pública. 17 de novembro de 2015. Relações com Investidores Reunião Pública 17 de novembro de 2015 Relações com Investidores Índice Pag. 3 1.Desempenho 9M15 2.Endividamento 3.Investimentos 4.Compromisso Arteris 1. Desempenho 9M15 Operacional e Financeiro Destaques

Leia mais

Plano Nacional de Logística & Transportes

Plano Nacional de Logística & Transportes INICIATIVA PARA LA INTEGRACIÓN DE LA INFRAESTRUCTURA REGIONAL SURAMERICANA IIRSA Plano Nacional de Logística & Transportes Taller de Casos Exitosos Bogotá, Colômbia, 4 de novembro de 2008 Engº Francisco

Leia mais

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury

Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados. Setembro 2011 Paulo Fleury Infraestrutura: situação atual e investimentos t planejados Setembro 2011 Paulo Fleury Agenda Infraestrutura Logística Brasileira PAC: Investimentos e Desempenho PAC: Investimentos e Desempenho Necessidade

Leia mais

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL

64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL 64 FÓRUM DE DEBATES BRASILIANAS.ORG LOGÍSTICA E INTEGRAÇÃO TERRITORIAL NO BRASIL PALESTRA: DESAFIOS DA INFRAESTRUTURA AQUAVIÁRIA Painel - Um modelo institucional para a infraestrutura logística dentro

Leia mais

Ministério dos Transportes A INFRAESTRUTURA PARA GRANDES EVENTOS NO BRASIL: RIO + 20 COPA DO MUNDO EM 2014 JOGOS OLÍMPICOS EM 2016

Ministério dos Transportes A INFRAESTRUTURA PARA GRANDES EVENTOS NO BRASIL: RIO + 20 COPA DO MUNDO EM 2014 JOGOS OLÍMPICOS EM 2016 Ministério dos Transportes A INFRAESTRUTURA PARA GRANDES EVENTOS NO BRASIL: RIO + 20 COPA DO MUNDO EM 2014 JOGOS OLÍMPICOS EM 2016 Brasília/DF, 2 de dezembro de 2010 Ligações entre as cidades-sede Rodovias

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Transporte de Cargas e Indústria. Dalmo Marchetti MDIC 31/07/2013

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Transporte de Cargas e Indústria. Dalmo Marchetti MDIC 31/07/2013 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Desenvolvimento da Produção Seminário Ferrovias Transporte de Cargas e Indústria Dalmo Marchetti Gerente Setorial do Deptº de

Leia mais

CORREDOR MULTIMODAL DO SÃO FRANCISCO

CORREDOR MULTIMODAL DO SÃO FRANCISCO CORREDOR MULTIMODAL DO SÃO FRANCISCO SUMÁRIO DO PROJETO Contexto geral do projeto: potencias benefícios Eixo de integração e desenvolvimento regional Corredor facilitador do comércio interno: produção

Leia mais

A A Mineração e o Novo Cenário Socioeconômico Painel 3: A Infraestrutura no Brasil e a Expansão da Produção dos Bens Minerais José de Freitas Mascarenhas Vice-Presidente e Presidente do Coinfra (CNI) Belo

Leia mais

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE

APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE APRESENTAÇÃO CARAMURU ALIMENTOS A HIDROVIA QUE GARANTE COMPETITIVIDADE E SUSTENTABILIDADE Novembro/2011 Introdução A demanda mundial por produtos originados de recursos naturais renováveis e não-renováveis

Leia mais

DNIT Diretoria de Infraestrutura Aquaviária. Corredor do Rio Tocantins

DNIT Diretoria de Infraestrutura Aquaviária. Corredor do Rio Tocantins Corredor do Rio Tocantins DNIT Diretoria de ADMINISTRAÇÕES Infraestrutura Aquaviária HIDROVIÁRIAS Demandas de Infraestrutura CNA / BRASIL PAC INVESTIMENTOS INICIADOS AÇÕES INVESTIMENTOS PREVISTOS CORREDOR

Leia mais

Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro. Plano de Expansão e Modernização Portuária Sustentáveis

Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro. Plano de Expansão e Modernização Portuária Sustentáveis Fórum Porto-Cidade do Rio de Janeiro Plano de Expansão e Modernização Portuária Sustentáveis Dalmo Marchetti Gerente Setorial do Deptº de Transportes e Logística do BNDES Rio de Janeiro, 09/11/2012 Associação

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura. Rio de Janeiro Abril de 2012

Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura. Rio de Janeiro Abril de 2012 Apoio do BNDES a Concessões e PPPs em Infraestrutura Rio de Janeiro Abril de 2012 O que apoiamos Projetos de Infraestrutura Energia elétrica; Telecomunicações; Saneamento Ambiental; Logística e transportes;

Leia mais

Carta de Infraestrutura Inter. B Consultoria Internacional de Negócios

Carta de Infraestrutura Inter. B Consultoria Internacional de Negócios BR-060 (GO). PAC2; divulgação. Setembro/2013 Carta de Infraestrutura Inter. B Consultoria Internacional de Negócios 31 de março de 2014 Ano 1, nº 3 Setor Rodoviário BR-262(MS). PAC2; divulgação. Outubro/2012

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Matriz de Transporte Brasil Estado de São Paulo Modal Participação Modal Participação Rodoviário 61,20% Ferroviário 20,70% Hidroviário 13,60% Dutoviário 4,20% Aéreo 0,40% Rodoviário 93,10% Ferroviário

Leia mais

Visão Geral do Programa de Portos

Visão Geral do Programa de Portos Visão Geral do Programa de Portos São Paulo, 3 de setembro de 2013 O que é a EBP? Aporte de capital em partes iguais Um voto cada no Conselho Desenvolvimento de projetos de infraestrutura: Em parceria

Leia mais

CONCESSÕES DE RODOVIAS

CONCESSÕES DE RODOVIAS RODOVIAS CONCESSÕES DE RODOVIAS 1995-2002 Tarifa média ponderada R$ 10,4 1.316 km concedidos em 6 rodovias 2003-2010 Tarifa média ponderada R$ 3,8 3.305 km concedidos em 8 rodovias 2011-2014 Tarifa média

Leia mais

Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG

Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG Conselho de Política Econômica Industrial - FIEMG Infraestrutura de transportes no Brasil: políticas para elevar a oferta e a eficiência dos modais de transporte PAULO RESENDE, Ph.D. Núcleo FDC de Infraestrutura,

Leia mais

OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA II. Projetos Logísticos

OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA II. Projetos Logísticos OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA II Projetos Logísticos São Paulo, 07 de maio de 2012 Ranking Competitividade Global 2010-2011 Global País/ Economia Rank Suiça 1 Suécia 2 Cingapura 3 Estados Unidos

Leia mais

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira

Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Objetivo Promoção da competitividade e desenvolvimento da economia brasileira Fim das barreiras à entrada Estímulo à expansão dos investimentos do setor privado Modernização da infraestrutura e da gestão

Leia mais

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013

SUPERPORTO DO AÇU. Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU Rio de Janeiro Junho de 2013 SUPERPORTO DO AÇU X PORTOS BRASILEIROS Típico Porto brasileiro: estrangulado pelo crescimento da cidade X Superporto do Açu: Complexo Industrial de 90Km²

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes DNIT Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes Eng. Luiz Guilherme Rodrigues de Mello, Dsc. Ministério dos Transportes DNIT VALEC ANTT EPL CODOMAR Ministério dos

Leia mais

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015

1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1º BALANÇO DO PAC 2015 RESULTADOS ATÉ JUNHO DE 2015 1. RESULTADOS GERAIS No novo ciclo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), entre 2015 e 2018, serão investidos de R$ 1,05 trilhão. Nesse período,

Leia mais

PROJETOS DE TRANSPORTES NO BRASIL

PROJETOS DE TRANSPORTES NO BRASIL GEIPOT Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes PROJETOS DE TRANSPORTES NO BRASIL Eixo Mercosul Chile Eixo Brasil Paraguai Bolívia Peru - Chile IIRSA Integração da Infra-estrutura Regional na

Leia mais

A Experiência do Ministério dos Transportes na execução da estratégia

A Experiência do Ministério dos Transportes na execução da estratégia A Experiência do Ministério dos Transportes na execução da estratégia MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Secretaria de Política Nacional de Transportes SPNT Orlando Figueiredo Filho O contexto das mudanças SETOR

Leia mais

Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE

Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE Eixo de integração Centro-Oeste - Logística ABDE AIE/DELOG/GESET Novembro/2011 Agenda Vetores Estratégicos e Metas a Alcançar Centro-Oeste: Desafios e Oportunidades Conclusão Atuação do BNDES 2 Vetores

Leia mais

Ministério dos Transportes. Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária

Ministério dos Transportes. Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Seminário Empresarial Brasil-China Investimentos em Infraestrutura Ferroviária Paulo Sérgio Passos Ministro de Estado dos Transportes Brasília, 16.07.2014 Brasil e China: Economias Complementares China

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - 2010

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - 2010 Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF Brasília, 22 de Fevereiro de 2011 BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS - Coletiva de Imprensa ANTF - Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários

Leia mais

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil

Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Logística e infraestrutura para o escoamento da produção de grãos no Brasil Denise Deckers do Amaral 1 - Economista - Assessora Técnica - Empresa de Planejamento e Logística - EPL, Vice Presidente da Associação

Leia mais

A regulação do transporte aquaviário e da exploração da infraestrutura portuária

A regulação do transporte aquaviário e da exploração da infraestrutura portuária A regulação do transporte aquaviário e da exploração da infraestrutura portuária Tiago Pereira Lima Diretor da ANTAQ 12º Fórum Portos Brasil 2011 Maio 2011 Fatos Gerais sobre o Brasil Área Total:8.514.876

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES TRANSPORTE NO BRASIL. Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES 1 TRANSPORTE NO BRASIL Fórum Intermodal FGV-CELog São São Paulo, abril de de 2006 2 1 ROTEIRO GERAL DA PALESTRA 1) Função Transporte e Eficiência; 2) Considerações

Leia mais

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012

BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 BALANÇO DO TRANSPORTE FERROVIÁRIO DE CARGAS NO BRASIL DE 2012 Rodrigo Vilaça Presidente-Executivo da ANTF São Paulo, 03 de Abril de 2013 Malhas Sul, Oeste, Norte e Paulista www.all-logistica.com Ferrovia

Leia mais

Afirmações sobre o Futuro

Afirmações sobre o Futuro 1 2 Afirmações sobre o Futuro Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações materiais entre os resultados,

Leia mais

Categoria: Construção de Ferrovia

Categoria: Construção de Ferrovia Projeto 015 : Construção do contorno ferroviário de São Francisco do Sul E2 Ferroviária LOCALIZAÇÃO: São Francisco do Sul - SC INTERVENÇÃO: Construção Categoria: Construção de Ferrovia EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME:

Leia mais

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP

Plano Nacional de Logística Portuária PNLP Programa de Investimentos, Arrendamentos e TUPs, e o Potencial do Pará como novo Corredor de Exportação LUIS CLAUDIO S. MONTENEGRO Diretor de Informações Portuárias SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA

Leia mais

PROGRAMA DE CONCESSÃO EM PORTOS

PROGRAMA DE CONCESSÃO EM PORTOS SENADO FEDERAL COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA PROGRAMA DE CONCESSÃO EM PORTOS Edinho Araújo Ministro-chefe da Secretaria de 1 Programa de Investimentos em Logística Investimentos projetados R$ 198,4 bilhões

Leia mais

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR

IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR IX SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE LOGISTICA SECRETARIA DE PORTOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SEP/PR Setor Portuário Brasileiro Estimativa do aumento da Movimentação nos Portos (em milhões de toneladas) 2.400

Leia mais

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados

Mobilidade Urbana. Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Mobilidade Urbana Linhas gerais, resultados e desafios selecionados Apresentação A política de desenvolvimento urbano é estratégica para a promoção de igualdade de oportunidades, para a desconcentração

Leia mais

O sistema de Transporte Hidroviário no Brasil. Seminário Internacional sobre Hidrovias - Antaq Brasília, 4 de março de 2009

O sistema de Transporte Hidroviário no Brasil. Seminário Internacional sobre Hidrovias - Antaq Brasília, 4 de março de 2009 O sistema de Transporte Hidroviário no Brasil Seminário Internacional sobre Hidrovias - Antaq Brasília, 4 de março de 2009 Hidrovia Paraná-Paraguai PAC FERROVIAS, HIDROVIAS E MARINHA MERCANTE Terminais

Leia mais

Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO

Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Carga TRANSPORTE E LOGÍSTICA NO BRASIL VISÃO DO SETOR PRIVADO SEMINÁRIO SOBRE TRANSPORTE E LOGÍSTICA BANCO MUNDIAL / MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Eng Luis

Leia mais

Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande. Portuária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS. Categoria: Dragagem / Derrocamento

Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande. Portuária. TIPO: Eixo Estruturante. LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS. Categoria: Dragagem / Derrocamento Projeto 018 : Dragagem no porto de Rio Grande E9 Portuária TIPO: Eixo Estruturante LOCALIZAÇÃO: Rio Grande - RS Categoria: Dragagem / Derrocamento EXTENSÃO/QUANTIDADE/VOLUME: 2.000.000 m³ JUSTIFICATIVA:

Leia mais

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009

Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Gargalos no Sistema de Transporte de Cargas no Brasil Bruno Batista Diretor Executivo da CNT Brasília, Abril de 2009 Panorama do Transporte Composição da Matriz de Transportes comparação outros países

Leia mais

Ferrovias em expansão

Ferrovias em expansão Ferrovias em expansão Brasil pode ter acréscimo de 8.040 quilômetros de ferrovias. Atualmente, 4.849 km estão em obras O o transporte de carga e oito para passageiros. conta com mais 19 projetos no papel

Leia mais

Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário

Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário Seminário Nacional IV Brasil nos Trilhos Apoio do BNDES ao Setor Ferroviário Nelson Siffert Área de Infraestrutura Brasília -Agosto/2010 O BNDES Evolução dos Ativos 386,6 R$ bilhões 277 151 152 164 175

Leia mais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais

Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Integração latino-americana no contexto da crise mundial: a perspectiva empresarial 27/09/2011 Comissão de Assuntos Sociais Temas da Apresentação 1. Exportação de Serviços de Engenharia e Integração Regional

Leia mais

TRANSPORTE E LOGÍSTICA

TRANSPORTE E LOGÍSTICA FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SANTA CATARINA AGENDA TRANSPORTE E LOGÍSTICA 2015 Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina Glauco José Côrte Presidente da FIESC Mario Cezar de Aguiar

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL

OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL OBRAS DE INFRAESTRUTURA NO BRASIL Estudo realizado com 259 empresas; Faturamento das empresas pesquisadas representando mais de 30% do PIB brasileiro; O objetivo principal é mapear e avaliar a importância

Leia mais

Logística e Escoamento da Safra

Logística e Escoamento da Safra Logística e Escoamento da Safra Carlos Eduardo Tavares Economista da Superintendência de Logística Operacional da CONAB/MAPA Brasília (DF), outubro de 2015 Contextualização Monitoramento da Safra Agrícola

Leia mais

Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação. Apoio

Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação. Apoio Impactos dos investimentos previstos no PIL 2015 nos corredores logístico de exportação Apoio s previstos no PIL 2015 no Corredor Logístico Centro-Norte s estimados em R$ 29,5bilhões com o PIL 2015 Rodovias

Leia mais

NOVO MODELO E PAPEL DA VALEC VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA DA VALEC CAPACIDADE DAS CONCESSIONÁRIAS VERTICAIS

NOVO MODELO E PAPEL DA VALEC VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA DA VALEC CAPACIDADE DAS CONCESSIONÁRIAS VERTICAIS Maio/2014 NOVO MODELO E PAPEL DA VALEC VIABILIDADE ECONÔMICA E FINANCEIRA DA VALEC CAPACIDADE DAS CONCESSIONÁRIAS VERTICAIS AQUISIÇÃO DE CAPACIDADE JUNTO À VALEC Novo Modelo de Exploração de Ferrovias

Leia mais

Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte

Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte Processo Brasileiro de Privatização dos Modais de Transporte Prof. Manoel de Andrade e Silva Reis - FGV 1 Sumário Matriz Brasileira de Transportes Características do Sistema Logístico Brasileiro O Plano

Leia mais

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO. IV Brasil nos Trilhos. Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS

PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO. IV Brasil nos Trilhos. Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO IV Brasil nos Trilhos Maurício Muniz Brasília, 11/08/2010 FERROVIAS INVESTIMENTOS DA UNIÃO 2000-2010* (RAP + Pago) R$ milhões 2.500 904 998 125 133 112 57 133 279

Leia mais

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA

MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Rodrigo Vilaça Diretor-Executivo da ANTF São Paulo, dia 11 de maio de 2010 MODAL FERROVIÁRIO DE CARGA Fórum de Transporte Multimodal de Cargas Os entraves na Multimodalidade e a Competitividade Associação

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DO PAC: UMA COMPARAÇÃO DAS METODOLOGIAS

AVALIAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DO PAC: UMA COMPARAÇÃO DAS METODOLOGIAS Avaliação dos investimentos do PAC: uma comparação das metodologias utilizadas pela Casa Civil, ONG Contas Abertas e Ipea 17 AVALIAÇÃO DOS INVESTIMENTOS DO PAC: UMA COMPARAÇÃO DAS METODOLOGIAS UTILIZADAS

Leia mais

LINHA 13 DA CPTM UM EXEMPLO DE GERENCIAMENTO INTELIGENTE

LINHA 13 DA CPTM UM EXEMPLO DE GERENCIAMENTO INTELIGENTE LINHA 13 DA CPTM UM EXEMPLO DE GERENCIAMENTO INTELIGENTE copyright Seminário de Mobilidade Inteligente - Business França Setembro 2015 1 INDICE 1 BREVE APRESENTAÇÃO DO GRUPO 2 PROJETO LINHA 13 - CPTM 3

Leia mais

1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários. Santos e Pará

1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários. Santos e Pará 1ª Consulta Pública dos Arrendamentos Portuários Santos e Pará 06/12/2012 16/05/2013 05/06/2013 28/06/2013 04/07/2013 07/08/2013 12/08/2013 Lançamento da MP dos Portos Aprovação da MP pelo Congresso Nacional

Leia mais

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes

Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Indicadores de Desempenho do Sistema Transportes Estratégia Unindo Ações OBJETIVOS ESTRATÉGICOS Fortalecer a capacidade de planejamento buscando o alinhamento das esferas de governo e sociedade Incorporar

Leia mais

Desafios e oportunidades para concessão e parcerias público-privadas em infraestrutura na esfera federal

Desafios e oportunidades para concessão e parcerias público-privadas em infraestrutura na esfera federal BRASIL Junho/2016 Desafios e oportunidades para concessão e parcerias público-privadas em infraestrutura na esfera federal Os investimentos em infraestrutura logística no Brasil, que chegaram a 0,72% do

Leia mais

Otimização dos impactos econômicos regionais

Otimização dos impactos econômicos regionais Otimização dos impactos econômicos regionais Financiado pelo CNPq Faculdade de Tecnologia da Universidade de Brasília Laboratório de Infraestruturas INFRALAB Contexto Desbalanço da Matriz de Transportes

Leia mais

Ministério dos Transportes

Ministério dos Transportes Ministério dos Transportes VI Congresso Internacional de Transportes da Amazônia Política Nacional de Transportes Belém, 01 de setembro de 2015 Ministério dos Transportes - Competências Possui como principais

Leia mais

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas

Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Portos Brasileiros: Diagnósticos, Políticas e Perspectivas Congresso Internacional NAVEGAR 2010 Carlos Campos Neto Carlos.campos@ipea.gov.br Porto Alegre, agosto de 2010 2/33 Sumário Diagnóstico Marco

Leia mais

Infraestrutura e Logística do Brasil. Bahia. Situação atual e perspectivas futuras. Ministério dos Transportes. Salvador/BA, 20 de maio de 2013

Infraestrutura e Logística do Brasil. Bahia. Situação atual e perspectivas futuras. Ministério dos Transportes. Salvador/BA, 20 de maio de 2013 Infraestrutura e Logística do Brasil Bahia Situação atual e perspectivas futuras Salvador/BA, 20 de maio de 2013 Ministério dos Transportes Dimensão dos Transportes no Brasil/Bahia Malha Rodoviária Federal

Leia mais

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail. Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.com Algumas Questões Estamos no caminho correto do desenvolvimento

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

MRS Logística. Seminário Logística, Infraestrutura e Agronegócio. Famasul SENAR. Claudenildo dos Santos Chaves. 20 de julho de 2012 Campo Grande - MS

MRS Logística. Seminário Logística, Infraestrutura e Agronegócio. Famasul SENAR. Claudenildo dos Santos Chaves. 20 de julho de 2012 Campo Grande - MS MRS Logística Seminário Logística, Infraestrutura e Agronegócio Famasul SENAR Claudenildo dos Santos Chaves 20 de julho de 2012 Campo Grande - MS A MRS e sua malha 2 2 MRS Uma Visão Geral Alguns fatos

Leia mais

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012

Financiamento para o desenvolvimento. Novembro/2012 Financiamento para o desenvolvimento Novembro/2012 Agenda Contexto dos investimentos em infraestrutura no Brasil Desafios para a realização de investimentos em infraestrutura 1 Brasil Média Global Países

Leia mais

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades

balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades balanço 1Oº março >> junho 2014 A gente FAZ um brasil de oportunidades Metrô de Salvador Linha 1 Trecho Lapa - Acesso Norte Salvador BA apresentação O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) completa

Leia mais

PROJETO NORDESTE COMPETITIVO

PROJETO NORDESTE COMPETITIVO PROJETO NORDESTE COMPETITIVO III FÓRUM NORDESTE 2030 Ilana Dalva Ferreira Analista de Políticas e Indústria da CNI Gerência Executiva de Infraestrutura Aracaju, 24 de março de 2014 2 2 1 3 5 PROJETOS PRIORITÁRIOS

Leia mais

O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências

O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências O Modelo para a Malha Ferroviária Nacional: Investimentos, Oportunidades e Troca de Experiências Brasil nos trilhos, setembro/2012 Apresentação do Secretário do PAC Máurício Muniz Imperativos para o desenvolvimento

Leia mais

COMISSÃO PORTOS RIO DE JANEIRO INVESTIMENTOS PRIVADOS NA MODERNIZAÇÃO DOS PORTOS

COMISSÃO PORTOS RIO DE JANEIRO INVESTIMENTOS PRIVADOS NA MODERNIZAÇÃO DOS PORTOS COMISSÃO PORTOS RIO DE JANEIRO INVESTIMENTOS PRIVADOS NA MODERNIZAÇÃO DOS PORTOS Edinho Araújo Ministro-chefe da Secretaria de Portos 1 Programa de Investimentos em Logística Investimentos projetados R$

Leia mais

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE

CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE CONCESSÕES FERROVIÁRIAS WORKSHOP ABDE CENTRO-OESTE NOVEMBRO/2011 CONCESSÕES FERROVIÁRIAS ATUAIS FERROVIA km ALL - Malha Oeste (ex - NOVOESTE) 1.945 Ferrovia Centro-Atlântica S.A. - FCA 8.066 MRS Logística

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007 Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007 IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 18412/2007-0 Ano Orçamento: 2007 UF: SP Nome do PT: Adequacão de Trecho Rodoviário - São Paulo

Leia mais