APÊNDICE Cadastro de Poços Tubulares do SIAGAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APÊNDICE 7.7.3-1. Cadastro de Poços Tubulares do SIAGAS"

Transcrição

1 APÊNDICE Cadastro de Poços Tubulares do SIAGAS

2 Nome: POÇO ALT - 01 Prefeitura Mun de Altamira Abastecimento doméstico Torc Engenharia /09/2005 : Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 27/09/ , Diabasio penatecaua Formacao maecuru Aquífero no Ponto Topo (m): 120 Base (m): 140 Aquífero: Maecuru Captação: Única Confinado Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 20/03/2005 Não Nível Dinâmico (m): Vazão Específica Coeficiente de Armazenamento: Vazão Livre (m3/h): 80 0,2 4 Rebaixamento Air-lift 1

3 POÇO ALT - 02 Serafim Vancerlading Abastecimento doméstico Cêramica Santa Clara : 27/09/2005 Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 10/08/ ÁLVARO-ALTAMIRA , , , Diabasio penatecaua Aquífero no Ponto Aquífero: Rocha cristalina Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: Única Livre Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 20/08/2002 Não ,5 Rebaixamento Air-lift 2

4 Nome: POÇO ALT - 03 Roberto José de Oliveira Abastecimento doméstico Colinas Loteamento Morada do Forte /09/2005 : Abandonado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 04/03/ POÇOS BRASIL , , , Diabasio penatecaua Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 142 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Nível Medido Bombeando Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 15/08/2005 Não ,5 Rebaixamento Air-lift 3

5 Nome: POÇO ALT- 04 Fabio Abastecimento doméstico Fazenda Padrão Km /09/2005 : Parado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 12/07/ ÁLVARO-ALTAMIRA , , Diabasio penatecaua Formacao maecuru Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 192 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Total Topo (m): 192 Base (m): 217 Aquífero: Rocha sedimentar Captação: Única Confinado Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 20/07/2005 Não Rebaixamento Bomba submersa 4

6 POÇO ALT- 05 Sec de Obras Abastecimento doméstico Centro : 26/09/2005 Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 26/05/ : Aluviões Aquífero no Ponto Aquífero: Aluvionar Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 15 Única Livre Parcial (m): Nível Medido Bombeando Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 20/10/2000 Não ,5 15 Rebaixamento Bomba submersa 5

7 Nome: POÇO ALT Prefeitura Mun de Altamira Abastecimento doméstico Parque de Exposição Municipal /09/2005 : Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 27/01/ SR ALVARO De (m): Até (m): Polegadas: Milímetros: , , Diabasio penatecaua Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 115 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 04/02/1998 Não ,153 2,3 Rebaixamento Método: Unidade: Bomba submersa 6

8 Nome: POÇO ALT - 07 Rod Br- 230 / Km- 15 Abastecimento doméstico Ecopalma /09/2005 : Parado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 20/09/ , , Diabasio penatecaua Formacao maecuru (m): Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 182 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Total Topo (m): 182 Base (m): 204 Aquífero: Rocha sedimentar Captação: Única Confinado Penetração: Parcial Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 7

9 Nome: POÇO ALT - 08 Igreja Católica Abastecimento doméstico Comunidade Santa Ana /09/2005 : Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 14/04/ ÁLVARO-ALTAMIRA De (m): Até (m): Polegadas: Milímetros: , , , Diabasio penatecaua Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 138 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Total (m): Nível Medido Bombeando Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 30/04/2002 Não ,692 9 Rebaixamento Bomba submersa 8

10 Nome: POÇO ALT- 09 Dr Gilberto Melo Posto Arco Iris Rios Amazonas, Xingu, Iriri 27/09/2005 : Parado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 06/05/ PERCUSSÃO SR ALVARO , , Diabasio penatecaua Formacao maecuru Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 180 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Total Topo (m): 180 Base (m): 197 Aquífero: Rocha sedimentar Captação: Única Confinado Penetração: Parcial (m): Nível Medido Bombeando Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 04/09/2005 Não Rebaixamento Bomba submersa 9

11 POÇO ALT - 10 Igreja Catolica Comunidade Santa Ana /09/2005 : Bombeando Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 27/08/ ÁLVARO-ALTAMIRA , , , Diabasio penatecaua Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): 27/08/ : De (m): Até (m): Polegadas: Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 146 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Nível Medido Bombeando Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 10/12/2002 Não ,75 9 Rebaixamento Bomba submersa 10

12 Nome: POÇO ALT - 11 Prefeitura Mun de Altamira Agrovila Vale Piauiense /09/2005 : Parado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 10/03/ ÁLVARO-ALTAMIRA , , Diabasio penatecaua Aquífero no Ponto Topo (m): 0 Base (m): 156 Aquífero: Rocha cristalina Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste 23/10/2003 Não Rebaixamento Bomba submersa 11

13 : POÇO VX /10/1998 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: Método: Rotativo 0 30 JOSÉ REINALDO , ,6 Planalto 0 30 Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 30 Única Livre Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): Fazenda Libe Abastecimento doméstico/animal Fazenda Libe /09/2005 Equipado 12

14 : POÇO VX - 02 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento urbano Secretaria de Educação Municipal /09/2005 Equipado 10/02/1998 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: Método: Rotativo 0 61 JOSÉ REINALDO , , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 61 Única Confinado Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 13

15 : POÇO VX - 03 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 21/09/ JOSÉ REINALDO , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 18 Única Livre Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento doméstico Centro de Saúde Especial /09/2005 Bombeando 14

16 : POÇO VX - 04 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 10/6/ JOSÉ REINALDO , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 18 Única Livre Parcial (m): 21/9/ S 10 Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento urbano Escola Mun. Aliança P/Progresso /09/2005 Bombeando 15

17 : POÇO VX - 05 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento urbano Área de Captação /09/2005 Bombeando 21/03/2000 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: Método: 0 22 JOSÉ REINALDO , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 22 Única Livre Parcial (m): 21/9/ S 20 Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 10/08/2004 Não Rebaixamento Air-lift 16

18 POÇO VX - 06 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento doméstico Área de Captação : 21/09/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 01/10/ JOSÉ REINALDO , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 24 Única Livre Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 02/03/2000 Não ,5 5 rebaixamento Bomba centrifuga 17

19 : POÇO VX - 07 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Abastecimento urbano Comunidade N. Senhora da Aparecida /09/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 21/09/ JOSÉ REINALDO , Formação Alter do Chão Topo (m): 0 Base (m): 24 Aqüífero: Alter do Chão Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): 24/2/ S 3 Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 21/09/2005 Não ,5 3 Rebaixamento Air-lift 18

20 POÇO VX - 08 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu Escola Municipal E.F.Pe. Eurico Krautler : 21/09/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 15/08/ JOSÉ REINALDO 0 24 Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 24 Única Livre Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 21/09/2005 Não Rebaixamento Air-lift : 19

21 POÇO VX - 09 Prefeitura Municipal de Vitória do Xingu : 21/09/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 21/09/ JOSÉ REINALDO 0 24 Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 24 Única Livre Parcial Nível da Medido Água Bombeando (m): (S/N)? Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 21/09/2005 Não 8 6 Nível Dinâmico (m): Vazão Específica (m3/h/m): Coeficiente de Armazenamento: 12 1,25 Vazão Livre (m3/h): Permeabilidade (m/s): Transmissividade (m2/s): Vazão Após Estabilização (m3/h): 5 Tipo do Teste: Rebaixamento Bomba centrifuga 20

22 POÇO VX - 10 Correios Abastecimento doméstico Correios : 21/09/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 21/09/ JOSÉ REINALDO : , Formação Alter do Chão Topo (m): 0 Base (m): 24 Aqüífero: Alter do Chão Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 21/09/2005 Não ,5 5 Rebaixamento Bomba centrifuga 21

23 : 21/09/2005 Equipado 21/09/2005 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: Método: rotativo 0 18 LORIVAL FURTADO , Formação Alter do Chão Aqüífero: Alter do Chão Topo (m): Base (m): Captação: Penetração: 0 18 Única Livre (m): POÇO VX - 11 Rosaldo Macedo da Silva Abastecimento doméstico Vitória do Xingu Parcial Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 21/09/2005 Não Rebaixamento Air-lift 22

24 POÇO SJP - 01 Prefeitura de Senador José Porfírio Abastecimento urbano Centro : 23/9/2005 Parado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 23/3/ KATAOKA , , Formação Alter do Chão Topo (m): 0 Base (m): 120 Aqüífero: Alter do Chão Captação: Única Confinado Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 23/3/1996 Não 12,5 24 Rebaixamento Air-lift 23

25 : POÇO SJP - 02 Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: Topo (m): Base (m): Aqüífero: Captação: Penetração: (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): Prefeitura de Senador José Porfírio Abastecimento urbano Senador José Porfírio

26 POÇO SJP - 05 Prefeitura de Senador José Porfírio Abastecimento múltiplo Senador José Porfírio : 23/9/2005 Equipado Profundidade Inicial (m): Profundidade Final (m): Perfurador: 23/9/ , Formação Alter do Chão Topo (m): 0 Base (m): 35 Aqüífero: Alter do Chão Captação: Única Livre Penetração: Parcial (m): Surgência: Nível Estático (m): Duração do Teste (h): 25

1 - PRÓLOGO 2 - INTRODUÇÃO 3 - METODOLOGIA

1 - PRÓLOGO 2 - INTRODUÇÃO 3 - METODOLOGIA 1 - PRÓLOGO A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais - CPRM e a Fundação de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Recife - FIDEM, entregam à comunidade o presente trabalho, que se constitui em

Leia mais

Os dados apresentados são o resultado até o momento do inventário de poços que está sendo realizado no entorno da área da UHE São José.

Os dados apresentados são o resultado até o momento do inventário de poços que está sendo realizado no entorno da área da UHE São José. 1. INTRODUÇÃO Os dados apresentados são o resultado até o momento do inventário de poços que está sendo realizado no entorno da área da UHE São José. Os poços são apresentados na forma de ficha cadastral,

Leia mais

HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA

HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA HIDROGEOLOGIA DO OESTE DE SANTA CATARINA PROESC Introdução O Projeto Oeste de Santa Catarina (PROESC), é o resultado de um convênio firmado entre a CPRM-Serviço Geológico do Brasil e o Governo do Estado

Leia mais

A1.2 Águas subterrâneas. A1.2.0 Introdução 1

A1.2 Águas subterrâneas. A1.2.0 Introdução 1 A1.2 Águas subterrâneas Os objetivos desta seção consistem em avaliar o potencial e as disponibilidades das águas subterrâneas, bem como determinar suas principais limitações e áreas mais favoráveis à

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- HIDROLOGIA

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- HIDROLOGIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- HIDROLOGIA EXERCÍCIO DE REVISÃO 1ª PARTE (ÁGUA SUBTERRÂNEA) 1- Como pode ser classificado um manancial de abastecimento? 2- De que são constituídos

Leia mais

ABERTURA DE POÇOS ARTESIANOS (POÇO TUBULAR PROFUNDO)

ABERTURA DE POÇOS ARTESIANOS (POÇO TUBULAR PROFUNDO) ABERTURA DE POÇOS ARTESIANOS (POÇO TUBULAR PROFUNDO) Prof. D.Sc. José Augusto Costa Gonçalves Engenharia Ambiental-Universidade Federal de Itajubá MG jaucosta@gmail.com Uma das alternativas para solucionar

Leia mais

SUELI YOSHINAGA * LUCIANA MARTIN RODRIGUES FERREIRA ** GERALDO HIDEO ODA* REGINALDO ANTONIO BERTOLO *** MARA AKIE IRITANI* SEIJU HASSUDA*

SUELI YOSHINAGA * LUCIANA MARTIN RODRIGUES FERREIRA ** GERALDO HIDEO ODA* REGINALDO ANTONIO BERTOLO *** MARA AKIE IRITANI* SEIJU HASSUDA* CARTA ORIENTATIVA AO USUÁRIO DA ÁGUA SUBTERRÂNEA: UMA PROPOSTA DE REPRESENTAÇÃO CARTOGRÁFICA DE ESTUDOS HIDROGEOLÓGICOS PARA O PLANEJAMENTO TERRITORIAL - REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS, SÃO PAULO, BRASIL.

Leia mais

OBRAS EM EXECUÇÃO REFERENTES A MAIO/2014

OBRAS EM EXECUÇÃO REFERENTES A MAIO/2014 NÚMERO DO PROCESSO OBJETO OBRAS EM EXECUÇÃO REFERENTES A MAIO/2014 VALOR (R$) RECURSO TOTAL (R$) CONVÊNIO PRÓPRIO FISICO % SITUAÇÃO VALOR REALIZADO (R$) OBSERVAÇÕES OBRAS DE RESTAURAÇÃO E DUPLICAÇÃO DA

Leia mais

ZONEAMENTO DE EXPLOTAÇÃO DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA CIDADE DO RECIFE - PE

ZONEAMENTO DE EXPLOTAÇÃO DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA CIDADE DO RECIFE - PE ZONEAMENTO DE EXPLOTAÇÃO DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NA CIDADE DO RECIFE - PE Waldir Duarte Costa 1, João Manoel Filho 2, Almany Costa Santos 2, Waldir Duarte Costa Filho 3, Adson Brito Monteiro 2 e Francisco

Leia mais

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU

ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU ppt_monumentos_catarat_7quedas_pafonso_vggrande COMPARANDO QUATRO DOS MAIORES MONUMENTOS FLUVIAIS NOS RIOS IGUAÇU, PARANÁ, SÃO FRANCISCO E XINGU 1. O médio rio Iguaçu abre as numerosas cataratas ao cair

Leia mais

Obras da BR-230/PA (Transamazônica)

Obras da BR-230/PA (Transamazônica) Audiência Comissão de Integração Nacional, de Desenvolvimento Regional e da Amazônia (CINDRA), da Câmara dos Deputados Obras da BR-230/PA (Transamazônica) MIGUEL DE SOUZA Secretário de Gestão dos Programas

Leia mais

PERFURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO. Maio/2.014 ÍNDICE

PERFURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO. Maio/2.014 ÍNDICE PERFURAÇÃO E INSTALAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO Serviços de engenharia - perfuração e instalação do poço tubular profundo no Residencial Cidade de Todos os IX na cidade de Porto Velho/RO, com o respectivo

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES

COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PARECER DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 001 / 2012 EMENTA : APRESENTAÇÃO COM DISPENSA DE LICITAÇÃO PARA, locação de imóveis destinados aos atendimentos das finalidades precípuas

Leia mais

ANEXO II DO REGULAMENTO TÉCNICO 001/08 -RELATÓRIO DE TESTES DE BOMBEAMENTO-

ANEXO II DO REGULAMENTO TÉCNICO 001/08 -RELATÓRIO DE TESTES DE BOMBEAMENTO- ANEXO II DO REGULAMENTO TÉCNICO 001/08 -RELATÓRIO DE TESTES DE BOMBEAMENTO- Secretaria de Recursos Hídricos 1) IDENTIFICAÇÃO Folha 01/15 Processo N o : 1.1) CONTRATANTE: Nome Completo : CPF / CNPJ: ; CPF

Leia mais

REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS

REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS A) - QUANDO O CORPO HÍDRICO FOR UM AQUÍFERO (ÁGUA SUBTERRÂNEA/POÇO) 01 - Para todos os usos apresentar:

Leia mais

Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo

Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo Ricardo Hirata Reginaldo Bertolo Bruno Conicelli Carlos Maldaner Sumário o Importância da água subterrânea para o abastecimento da RMSP o Condições de

Leia mais

Anexo 6.4-1 Registros e listas de presença das reuniões com membros do Sistema S

Anexo 6.4-1 Registros e listas de presença das reuniões com membros do Sistema S 3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS Anexo 6.4-1 Registros e

Leia mais

RELATORIA NACIONAL DO DIREITO HUMANO À MORADIA ADEQUADA E TERRA URBANA

RELATORIA NACIONAL DO DIREITO HUMANO À MORADIA ADEQUADA E TERRA URBANA AO MINISTÉRIO DAS CIDADES Ministro Márcio Fortes de Almeida E-mails: cidades@cidades.gov.br e gabinete.ministro@cidades.gov.br AO GOVERNO DO ESTADO DE GOIÁS Governador Alcides Rodrigues Filho E-mails:

Leia mais

Considerando a deliberação do plenário da Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do Conselho Estadual de Recursos Hídricos de Pernambuco,

Considerando a deliberação do plenário da Câmara Técnica de Águas Subterrâneas do Conselho Estadual de Recursos Hídricos de Pernambuco, RESOLUÇÃO CRH Nº 01, 25 DE MARÇO DE 2009. Dispõe sobre a obrigatoriedade de realização de Testes de Bombeamento de PRODUÇÃO e de AQÜÍFERO com elaboração e apresentação de Relatório Técnico e dá outras

Leia mais

O que são e como funcionam os Aquíferos e as Águas Subterrâneas

O que são e como funcionam os Aquíferos e as Águas Subterrâneas Águas subterrâneas: uso atual e potencial para a Segurança Hídrica Encontro Temático: Água, Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional São Paulo 23 e 24 de setembro de 2015 Osvaldo Aly Jr Engenheiro

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IRACEMA - RR

PREFEITURA MUNICIPAL DE IRACEMA - RR CNPJ:.6.8/00-67 Telefone: Página: 1 Exercício: DEMONSTRATIVO DA DESPESA POR ESTRUTURA E FUNÇÕES - (ANEXO 9 - LEI 43/64) Órgão: - CÂMARA MUNICIPAL DE IRACEMA LEGISLATIVA 435.000,00 0,000 AGRI TOTAL ÓRGÃO

Leia mais

HIDROGEOLOGIA AVANÇADA. Reservas e Projetos de Abastecimento de Comunidades

HIDROGEOLOGIA AVANÇADA. Reservas e Projetos de Abastecimento de Comunidades HIDROGEOLOGIA AVANÇADA PARTE II Aula 05 Reservas e Projetos de Abastecimento de Comunidades Prof. Milton Matta 1- INTRODUÇÃO O Capítulo de Projetos e Análises de poços tem como principal objetivo transmitir

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Projeto Estruturador Revitalização do Rio das Velhas Meta 2010/2014 Palestrante: Wanderlene Ferreira Nacif Gerência de Monitoramento

Leia mais

QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE

QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE Miriam Suzana Rodrigues Schwarzbach 1 Resumo - Em 1997, o Departamento Municipal de Água

Leia mais

Regulamento para o processo eleitoral de renovação dos membros e diretoria do Comitê da Região Hidrográfica Coruripe Biênio 2010 / 2012

Regulamento para o processo eleitoral de renovação dos membros e diretoria do Comitê da Região Hidrográfica Coruripe Biênio 2010 / 2012 Regulamento para o processo eleitoral de renovação dos membros e diretoria do Comitê da Região Hidrográfica Coruripe Biênio 2010 / 2012 Da participação no processo e do número de vagas Art. 01 - É facultada

Leia mais

FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL

FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL FONTES DE ABASTECIMENTO POR ÁGUAS SUBTERRÂNEAS NO MUNICÍPIO DE BARRAS/PIAUÍ - BRASIL Francisca Cardoso da Silva Lima Centro de Ciências Humanas e Letras, Universidade Estadual do Piauí Brasil Franlima55@hotmail.com

Leia mais

Hidrovia Tapajós s / Teles Pires

Hidrovia Tapajós s / Teles Pires MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES Hidrovia Tapajós s / Teles Pires Apresentação: Edison de Oliveira Vianna Jr E-mail: edison.vianna@transportes.gov.br Colaboração: Rodrigo Cardoso Paranhos E-mail: rodrigo.paranhos@transportes.gov.br

Leia mais

Justiça Eleitoral - TRE/BA ELO - Cadastro Eleitoral Lista completa de Mesas Receptoras de Justificativas 21/09/2012 13:11 1

Justiça Eleitoral - TRE/BA ELO - Cadastro Eleitoral Lista completa de Mesas Receptoras de Justificativas 21/09/2012 13:11 1 1 Zona : 5 Município: 38490 - SALVADOR PRÓXIMO AO IGUATEMI Endereço: AV. ANTÔNIO CARLOS MAGALHÃES, 148, PERNAMBUÉS Local: ESTAÇÃO RODOVIÁRIA DE SALVADOR 2 Zona : 8 Município: 38490 - SALVADOR Endereço:

Leia mais

Anexo 5.3 - presentação do

Anexo 5.3 - presentação do RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 5.3 - presentação do Plano Mestre e Plano Urbanístico Básico Os Planos

Leia mais

Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.25, n.1, p.26-30, 2010.

Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.25, n.1, p.26-30, 2010. Revista Educação Agrícola Superior Associação Brasileira de Educação Agrícola Superior - ABEAS - v.25, n.1, p.26-30, 2010. LOCAÇÃO E ESCAVAÇÃO DE BARRAGENS SUBTERRÂ- NEAS Marluce A. de Azevedo 1 ; José

Leia mais

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48

FORD C-MAX + FORD GRAND C-MAX CMAX_Main_Cover_2014_V3.indd 1-3 23/08/2013 10:01:48 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 12,999,976 km 9,136,765 km 1,276,765 km 499,892 km 245,066 km 112,907 km 36,765 km 24,159 km 7899 km 2408 km 76 km 12 14 16 9 10 1 8 12 7 3 1 6 2 5 4 3 11 18 20 21 22 23 24 26 28 30

Leia mais

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS Um programa para integrar objetivos ambientais e sociais na gestão das águas Superintendência de Desenvolvimento da Capital -

Leia mais

CARGO: ENGENHARIA CIVIL II

CARGO: ENGENHARIA CIVIL II MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO DE DOCENTES DO QUADRO EFETIVO EDITAL

Leia mais

Informativo Caema. Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015

Informativo Caema. Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015 Informativo Caema Informativo Semanal da Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão ANO I - N 19 - São Luís, 08 de outubro de 2015 Caema monta maquete de estação de tratamento de água e apresenta ações

Leia mais

APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. 45101.04122211.053 FO 3.3.90.35 00 2.000

APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. 45101.04122211.053 FO 3.3.90.35 00 2.000 45101 - SECRETARIA DAS CIDADES RECURSOS DE TODAS AS FONTES 45101.04122211.053 45101.04122211.054 APOIO E INCENTIVO TÉCNICO E FINANCEIRO A ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS. ELABORAÇÃO DE PROJETOS E EXECUÇÃO

Leia mais

ENSAIO DE BOMBEAMENTO EM POÇO TUBULAR PROFUN- DO: UMA METODOLOGIA PARA ESTUDO HIDRODINÂMICO EM AQÜÍFEROS FRATURADOS

ENSAIO DE BOMBEAMENTO EM POÇO TUBULAR PROFUN- DO: UMA METODOLOGIA PARA ESTUDO HIDRODINÂMICO EM AQÜÍFEROS FRATURADOS ENSAIO DE BOMBEAMENTO EM POÇO TUBULAR PROFUN- DO: UMA METODOLOGIA PARA ESTUDO HIDRODINÂMICO EM AQÜÍFEROS FRATURADOS MARIA GERALDA DE CARVALHO 1 AMÍLCAR PEREIRA DA SILVA JÚNIOR 2 JENESCA FLORÊNCIO VICENTE

Leia mais

AUTORES: TELES, Maria do Socorro Lopes (1); SOUSA, Claire Anne Viana (2)

AUTORES: TELES, Maria do Socorro Lopes (1); SOUSA, Claire Anne Viana (2) Saneamento Ambiental na periferia da cidade de Santana do Cariri/CE Brasil AUTORES: TELES, Maria do Socorro Lopes (1); SOUSA, Claire Anne Viana (2) INSTITUIÇÃO(ÕES): (1) Universidade Regional do Cariri

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO CURSO DE CAPACITAÇÃO EM VIGILÂNCIA DA QUALIDADE DA ÁGUA PARA CONSUMO HUMANO GABARITO DA UNIDADE 3 (PDF) Página 8 Como diferenciar essas três formas de abastecimento de água para consumo humano? Vamos exercitar?

Leia mais

Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP

Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP Situação das Reservas e Utilização das Águas Subterrâneas na Região Metropolitana de São Paulo Autores : Reginaldo Bertolo; Ricardo

Leia mais

PS200 PS600 PS1200 ETAPUMP Altura manométrica 0-50 0-180 0-240

PS200 PS600 PS1200 ETAPUMP Altura manométrica 0-50 0-180 0-240 SISTEMAS DE BOMBAS SOLARES Existe uma relação natural entre a disponibilidade de energia solar e as necessidades de água. A necessidade de água cresce em dias de radiação elevada de sol, por outro lado

Leia mais

BALANÇO GERAL - 2014 ANEXO II / 4.320

BALANÇO GERAL - 2014 ANEXO II / 4.320 Aquis./ BALANÇO GERAL - 214 ANEXO II / 4.32 Exercício de 1991 2 - Constr. de meio fios em div. ruas e aven.,2,2 Constr. Pont. cor. sec. loc. Faz. Campo Seco,1,1 Constr. de meio fios div. ruas e av.,1,1

Leia mais

O Pacto das Águas é uma ferramenta de:

O Pacto das Águas é uma ferramenta de: O Pacto das Águas é uma ferramenta de: Construção de visão estratégica e consensual sobre os recursos hídricos no Ceará Envolvimento dos diversos atores (públicos e privados) na elaboração de um Plano

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO V S ALBANO-ME, CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSOS

PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO V S ALBANO-ME, CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSOS CONTRATO Nº 239/2015, FIRMADO ENTRE A PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO E A EMPRESA V S ALBANO-ME, OBJETIVANDO A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A REALIZAÇÃO DE CURSOS PARA SECRETARIA MUNICIPAL

Leia mais

Tipos de Poços. escavação..

Tipos de Poços. escavação.. O que é um poço Tubular Chamamos de poço toda perfuração através da qual obtemos água de um aqüífero e há muitas formas de classificá-los. Usaremos aqui uma classificação baseada em sua profundidade e

Leia mais

DECRETO DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006

DECRETO DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006 DECRETO DE 13 DE FEVEREIRO DE 2006 Institui o complexo geoeconômico e social denominado Distrito Florestal Sustentável - DFS da BR-163, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições

Leia mais

SANEAMENTO AMBIENTAL I CAPTAÇÕES DE ÁGUA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA EDUARDO RIBEIRO DE SOUSA

SANEAMENTO AMBIENTAL I CAPTAÇÕES DE ÁGUA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA EDUARDO RIBEIRO DE SOUSA SANEAMENTO AMBIENTAL I CAPTAÇÕES DE ÁGUA EDUARDO RIBEIRO DE SOUSA LISBOA, SETEMBRO DE 2001 ÍNDICE DO TEXTO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. CAPTAÇÕES DE ÁGUAS SUBTERRÂNEAS... 1 3. CAPTAÇÕES DE ÁGUAS SUPERFICIAIS...

Leia mais

LOCAIS DE INSCRIÇÃO EM TODO O ESTADO

LOCAIS DE INSCRIÇÃO EM TODO O ESTADO LOCAIS DE INSCRIÇÃO EM TODO O ESTADO Águas Lindas de Goiás Área Especial II / III, Setor 12, ao lado da Paróquia São Pedro Apóstolo, CEP 72910-000. Alexânia Secretaria do Trabalho, Avenida 15 de Novembro,

Leia mais

PROJETOS DE LEI - LEGISLATIVO:

PROJETOS DE LEI - LEGISLATIVO: 1 EXPEDIENTE PARA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 01/04/2013, ÀS 18:00 HORAS. Esta pauta está sujeita a alterações 1. CHAMADA DOS VEREADORES LEITURA BÍBLICA: E o mar se levantou, porque um grande vento assoprava.

Leia mais

Agência das Bacias PC J ^ 19 343/2,00

Agência das Bacias PC J ^ 19 343/2,00 Rua Alfredo Guedes, 949 Agência das Bacias PC J ^ 9 343/2,00 346.90 Piracicaba SP Brasil www.aaenciadci.org.br Imigrantes. Uma delas se encontra em etapa de gerenciamento de investigação detalhada e plano

Leia mais

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014.

Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. CENACID Centro de Apoio Científico em Desastres Avaliação das áreas atingidas pelas inundações e alagamentos em União da Vitória / PR, em junho de 2014. Toda divulgação de material bibliográfico e as fotos

Leia mais

Sugestões de avaliação. Geografia 6 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. Geografia 6 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação Geografia 6 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Associe as formas de relevo às suas características. (A) Montanhas (B) Planaltos (C) Planícies (D) Depressões ( ) Superfícies

Leia mais

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA... 4.6.2-2 4.6. PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO SOCIAL... 4.6.2-2 4.6.2. PROJETO

Leia mais

HIDRÁULICA DE POÇOS. Prof. Marcelo R. Barison

HIDRÁULICA DE POÇOS. Prof. Marcelo R. Barison HIDRÁULICA DE POÇOS Prof. Marcelo R. Barison Infiltração e Escoamento - as zonas de umidade do solo - Aqüífero Livre; Aqüífero Confinado. TIPOS DE AQÜÍFEROS Representação Esquemática dos Diferentes Tipos

Leia mais

RESULTADO PRELIMINAR DAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO PERÍODO AVALIADO: 01/09/2014 a 28/02/2015

RESULTADO PRELIMINAR DAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO PERÍODO AVALIADO: 01/09/2014 a 28/02/2015 RESULTADO PRELIMINAR DAS AVALIAÇÕES DE DESEMPENHO PERÍODO AVALIADO: 01/09/2014 a 28/02/2015 12695 CONTROLADORIA INTERNA DO MUNICIPIO AVALIAÇÃO ESPECIAL DE DESEMPENHO 46.00 92.00 SD 12678 FUNDO MUNICIPAL

Leia mais

SENADO FEDERAL SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA PARA ACOMPANHAR A EXECUÇÃO DAS OBRAS DA USINA DE BELO MONTE PAUTA DA 3ª REUNIÃO

SENADO FEDERAL SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA PARA ACOMPANHAR A EXECUÇÃO DAS OBRAS DA USINA DE BELO MONTE PAUTA DA 3ª REUNIÃO SENADO FEDERAL SUBCOMISSÃO TEMPORÁRIA PARA ACOMPANHAR A EXECUÇÃO DAS OBRAS DA USINA DE BELO MONTE PAUTA DA 3ª REUNIÃO (2ª Sessão Legislativa Ordinária da 55ª Legislatura) 29/06/2016 QUARTA-FEIRA às 14

Leia mais

POÇOS TUBULARES. Prof. Marcelo R. Barison 2009

POÇOS TUBULARES. Prof. Marcelo R. Barison 2009 POÇOS TUBULARES Prof. Marcelo R. Barison 2009 Introdução Poço mais antigo antigo Egito reinado de Mentuhotip 11º dinastia (~1990 ac) número de trabalhadores 3.000 para escavar 14 poços HOJE poços = abastecimento

Leia mais

EFEITO DA ÁGUA EM MINAS A CÉU-ABERTO

EFEITO DA ÁGUA EM MINAS A CÉU-ABERTO EFEITO DA ÁGUA EM MINAS A CÉU-ABERTO redução da resistência ao cisalhamento em superfícies potenciais de ruptura devido à poropressão ou mesmo a mudanças no teor de umidade do material; o aumento das forças

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DA LAVRA DA PEDRA MORISCA DA REGIÃO DE CASTELO DO PIAUÍ NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DA LAVRA DA PEDRA MORISCA DA REGIÃO DE CASTELO DO PIAUÍ NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS RESUMO UTILIZAÇÃO DO RESÍDUO DA LAVRA DA PEDRA MORISCA DA REGIÃO DE CASTELO DO PIAUÍ NA CONFECÇÃO DE TIJOLOS ECOLÓGICOS SILVEIRA, Leonardo 1 ; MELO, Marcus 2 ; LUZ, Adão 3 1 Centro de Tecnologia Mineral CETEM

Leia mais

Estudantes Universitários

Estudantes Universitários Prêmio 3M para Estudantes Universitários Prêmio 3M para Jornalistas Edição 2007 O Instituto 3M de Inovação Social Organismo social criado em 2005 e fundado em 2006 Objetivo: promover e difundir ações de

Leia mais

ABC da Agricultura Familiar. Barragens, cacimbas e poços amazonas

ABC da Agricultura Familiar. Barragens, cacimbas e poços amazonas ABC da Agricultura Familiar Formas de garantir água nas secas 2 Barragens, cacimbas e poços amazonas Barragens, cacimbas e poços 2004 FL- 15651 1111111//111//111//11/111/111111111111///1111111//11//111//111//1/111/111/1

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA: O presente aditamento tem por objeto alterar a CLÁUSULA SEGUNDA do termo primordial, que passa a ter. a seguinte redação:

CLÁUSULA PRIMEIRA: O presente aditamento tem por objeto alterar a CLÁUSULA SEGUNDA do termo primordial, que passa a ter. a seguinte redação: PRIMEIRO TERMO ADITIVO AO CONTRATO Nº 162/2013, que celebram entre si a PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO e a empresa GOTA COMÉRCIO E CONSTRUÇÕES LTDA - ME, objetivando a AQUISIÇÃO DE MATERIAIS

Leia mais

901 30 01238-001 (11) 3515-8900 / ( 11) 3515-8904 210, 112 70862-530 (61) 3035-5114 / (61) 3035-5121 272, 1º

901 30 01238-001 (11) 3515-8900 / ( 11) 3515-8904 210, 112 70862-530 (61) 3035-5114 / (61) 3035-5121 272, 1º Termo de Referencia para Contratação de Consultoria técnica para tecnologias de processamento de produtos florestais não madeireiros e de roças tradicionais O Instituto Socioambiental é uma organização

Leia mais

CONSTRUÇÃO DE POÇO TUBULAR UTILIZANDO O MÉTODO DE PERFURAÇÃO POR JATO D ÁGUA: UMA OPÇÃO PARA AS LOCALIDADES ISOLADAS E DE DIFÍCIL ACESSO NA AMAZÔNIA

CONSTRUÇÃO DE POÇO TUBULAR UTILIZANDO O MÉTODO DE PERFURAÇÃO POR JATO D ÁGUA: UMA OPÇÃO PARA AS LOCALIDADES ISOLADAS E DE DIFÍCIL ACESSO NA AMAZÔNIA CONSTRUÇÃO DE POÇO TUBULAR UTILIZANDO O MÉTODO DE PERFURAÇÃO POR JATO D ÁGUA: UMA OPÇÃO PARA AS LOCALIDADES ISOLADAS E DE DIFÍCIL ACESSO NA AMAZÔNIA Rainier Pedraça de Azevedo 1, Marcos de Sá Araújo 2

Leia mais

EXPEDIENTE PARA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 13/07/2015, ÀS 18:00 HORAS.

EXPEDIENTE PARA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 13/07/2015, ÀS 18:00 HORAS. 1 EXPEDIENTE PARA SESSÃO ORDINÁRIA DO DIA 13/07/2015, ÀS 18:00 HORAS. 1. CHAMADA DOS VEREADORES LEITURA BÍBLICA: Destilam sobre os pastos do deserto, e os outeiros os cingem de alegria. Salmos 65:12 PROCESSO

Leia mais

9º Lugar. População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB :

9º Lugar. População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB : População: 62.204 hab. Área do Município: 1,589,52 km² Localização: Região Sul Goiano PIB (2005): R$ 505,5 milhões PIB : per capita R$ 7.701,00 9º Lugar Principais distâncias: Goiânia: 154 km Brasília:

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO EXERCÍCIO: 200 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: Projeto/Atividade Objetivo Denominação da Meta Unid.

Leia mais

Catálogo de Produtos

Catálogo de Produtos Catálogo de Produtos Catálogo Online HUESKER Versão 07/14 Liderança e inovação em engenharia com geossintéticos. Fornecemos as melhores soluções com geossintéticos para diversas aplicações. 150 anos de

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) UHE Belo Monte - Indicadores socioambientais do empreendimento Descrição do Indicador de Desempenho Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios

Leia mais

3. Região do Bolsão FIGURA 14. Região de Planejamento do Estado de Mato Grosso do Sul - Bolsão

3. Região do Bolsão FIGURA 14. Região de Planejamento do Estado de Mato Grosso do Sul - Bolsão 3. Região do Bolsão FIGURA 14. Região de Planejamento do Estado de Mato Grosso do Sul - Bolsão R egião localizada à NE do Estado, com características muito próprias, devido à sua estreita ligação e proximidade

Leia mais

PROPOSTA TÉCNICA PARA CONSTRUÇÃO DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NA ÁREA URBANA DE CUIABÁ - MT

PROPOSTA TÉCNICA PARA CONSTRUÇÃO DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NA ÁREA URBANA DE CUIABÁ - MT PROPOSTA TÉCNICA PARA CONSTRUÇÃO DE POÇOS TUBULARES PROFUNDOS NA ÁREA URBANA DE CUIABÁ - MT Marco Aurélio de Carvalho 1 & Kurt João Albrecht 2 Resumo - Esta proposta foi formulada baseando-se em um banco

Leia mais

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA IV TERMO DE ADMINISTRAÇÃO CUSTOS FIXOS, VARIÁVEIS E TOTAIS DA

AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA IV TERMO DE ADMINISTRAÇÃO CUSTOS FIXOS, VARIÁVEIS E TOTAIS DA AJES FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÀO DO VALE DO JURUENA IV TERMO DE ADMINISTRAÇÃO CUSTOS FIXOS, VARIÁVEIS E TOTAIS DA SMEC MÊS DE AGOSTO DE 2013 ACADÊMICOS: CRISTIANO ANDRÉ FERNANDES FELIPE

Leia mais

Francisco, Minas Gerais

Francisco, Minas Gerais Flúor na Água Subterrânea e Endemia de Fluorose Dentária no Município de São S Francisco, Minas Gerais Equipe de pesquisa Departamento de Geologia IGC/UFMG Leila Nunes Menegasse Velásquez Lúcia Maria Fantinel

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO ADMINISTRATIVO PARA AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEIS E LOCAÇÃO DE TANQUES PARA ARMAZENAMENTO DE COMBUSTÍVEL, QUE ENTRE SI FAZEM A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CASTILHO E A EMPRESA SMALL DISTRIBUIDORA DE

Leia mais

de Saneamento Básico do Município de

de Saneamento Básico do Município de Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL A apresentação se dará em duas etapas: 1ª etapa - Resultado da Análise Técnico- operacional

Leia mais

Sérgio Ricardo Dutra Santana Gestor Ambiental Responsável pela Elaboração. José Vicente Naves Responsável Técnico CREA SP: 5060483503

Sérgio Ricardo Dutra Santana Gestor Ambiental Responsável pela Elaboração. José Vicente Naves Responsável Técnico CREA SP: 5060483503 Sérgio Ricardo Dutra Santana Gestor Ambiental Responsável pela Elaboração José Vicente Naves Responsável Técnico CREA SP: 5060483503 EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA - EMBRAPA Rodovia SP 340,

Leia mais

CARTA CONTRATO N 253/2013, PREFEITURA MUNICIPAL

CARTA CONTRATO N 253/2013, PREFEITURA MUNICIPAL CARTA CONTRATO N 253/2013, celebrado entre a PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO e a empresa CONSTRUTORA SEM FRONTEIRAS LTDA-EPP, objetivando CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA, na forma a

Leia mais

VOLUME III TOMO 1. Plano de Requalificação Urbana Plano de Articulação Institucional

VOLUME III TOMO 1. Plano de Requalificação Urbana Plano de Articulação Institucional VOLUME III TOMO 1 Plano de Requalificação Urbana Plano de Articulação Institucional Nota do IBAMA Esta fase do licenciamento ambiental Licença de Instalação se caracteriza pela análise, monitoramento e

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL

COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL 2003. do PORTARIA Nº 260/DGAC, DE 17 DE FEVEREIRO DE Aprova e Efetiva o Plano Específico de Zoneamento de Ruído Aeródromo Nacional de Aviação - Goiânia.

Leia mais

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA

LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LAUDO GEOLÓGICO GEOTÉCNICO GUARITUBA LOCALIZAÇÃO E ACESSO A região de Guarituba esta localizada no Município de Piraquara entre o rio Iguaçu e o rio Itaqui. Os principais acessos à área são a PR 415 e

Leia mais

Anexo 7.4 6 Roteirização Escolas Urbanas e Rurais

Anexo 7.4 6 Roteirização Escolas Urbanas e Rurais 9 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 7.4 6 Roteirização Escolas Urbanas e Rurais PROGRAMA DE MONITORAMENTO

Leia mais

Meta C Caracterização Hidrogeológica dos Aqüíferos

Meta C Caracterização Hidrogeológica dos Aqüíferos S U F C G E Rede Cooperativa de Pesquisa COMPORTAMENTO DAS BACIAS SEDIMENTARES DA REGIÃO SEMI-ÁRIDA DO NORDESTE BRASILEIRO HIDROGEOLOGIA DA BACIA SEDIMENTAR DO RIO DO PEIXE Meta C Caracterização Hidrogeológica

Leia mais

Anexo 3.3-2 Registro Fotográfico das Atividades de Capacitação de Mão de Obra

Anexo 3.3-2 Registro Fotográfico das Atividades de Capacitação de Mão de Obra 6 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 3.3-2 Registro Fotográfico das Atividades de Capacitação de Mão de

Leia mais

É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir

É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir É preciso amor pra poder pulsar, É preciso paz pra poder sorrir, É preciso chuva para florir A Articulação no Semi-Árido Brasileiro (ASA) é uma rede/fórum de organizações da sociedade civil, que reúne

Leia mais

6365-EIA-G90-001d iii Leme Engenharia Ltda

6365-EIA-G90-001d iii Leme Engenharia Ltda SUMÁRIO 1. Introdução... 5 2. Procedimentos Metodológicos Específicos... 5 3. Levantamento Bibliográfico... 9 4. Geoespacialização das Cavidades no Contexto Regional... 12 5. Prospecção Exocárstica nas

Leia mais

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue:

ESCLARECIMENTO VIII. Em resposta ao questionamento formulado por empresa interessada em participar da licitação em referência, informamos o que segue: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COMISSÃO ESPECIAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA N 1/2011 ESCLARECIMENTO VIII Brasília, 20 de abril de 2011. AOS INTERESSADOS

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE TANGARÁ DA SERRA MATO GROSSO

PREFEITURA MUNICIPAL DE TANGARÁ DA SERRA MATO GROSSO 1 00 PODER LEGISLATIVO 02000 SECRETARIA DA CÂMARA MUNICIPAL 9991 RESERVA DE CONTINGÊNCIA 50.85 001 Total 50.85 99.99.01.00.00 Da Câmara Municipal 50.85 50.85 Total 50.85 50.85 2 12 SERVIÇO DE ÁGUA E ESGOTO

Leia mais

Prefeitura Municipal de Toropi Desenvolvimento com Qualidade de vida.

Prefeitura Municipal de Toropi Desenvolvimento com Qualidade de vida. Prefeitura Municipal de Toropi Desenvolvimento com Qualidade de vida. Município de Toropi Localização: Região Centro Porto Alegre = 360 Km Santa Maria = 60 Km Limites territoriais = Norte Jari; Sul São

Leia mais

LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO

LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO LEI 31/2009, DE 3 DE JULHO, NA REDACÇÃO DA LEI 40/2015, DE 1 DE JUNHO COORDENADOR DE PROJECTO, DIRECTOR DE OBRA E DIRECTOR DE FISCALIZAÇÃO DE OBRA, ELABORAÇÃO DE PROJECTOS DE ENGENHARIA ESPECIFÍCOS, E

Leia mais

Saneamento Básico Municipal

Saneamento Básico Municipal Saneamento Básico Municipal Apresentação COMISSÃO INTERNA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Componentes da Comissão Instituídos pela Portaria N 019/2015 e 031/2015. Carina Aparecida

Leia mais

Nº de Registro: 923 Chave:

Nº de Registro: 923 Chave: ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO OUVIDORIA Nº de Registro: 923 Chave: Informações da Abertura Data do Registro: 16/08/2014 11:48:38 Nome: DOUGLAS FABIANO DE MELO CPF: 330.346.108-23

Leia mais

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA

I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA I-021 PERDAS DE ÁGUA NO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - UFPA Evaristo C. Rezende dos Santos 2 José Almir R. Pereira 1 Lindemberg Lima Fernandes 2 Rui Guilherme

Leia mais

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO

ESTADO DO AMAZONAS PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO CONTRATO Nº 314/2014, FIRMADO ENTRE A PREFEITURA MUNICIPAL DE PRESIDENTE FIGUEIREDO E A EMPRESA M C W CONSTRUÇÕES, COMÉRCIO E TERRAPLANAGEM LTDA, OBJETIVANDO A AQUISIÇÃO DE AREIA ASFÁLTICA USINADA A QUENTE

Leia mais

1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural...

1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural... Dossiê Geoprospectus 2013 2 Índice 1 - A Empresa... 2 - Dados Cadastrais... 3 - Áreas de Atuação... 4 - Serviços Oferecidos... 4.1 - Petróleo e Gás Natural... 4.1.1 - Engenharia do Petróleo... 4.1.2 -

Leia mais

Clique para editar o estilo do título mestre

Clique para editar o estilo do título mestre ABCP... Completando 75 anos em 2011 hoje presente em 12 capitais brasileiras é mantida pela indústria brasileira de cimento, com o propósito de promover o desenvolvimento da construção civil. Clique para

Leia mais

Serviço Geológico do Brasil CPRM

Serviço Geológico do Brasil CPRM Serviço Geológico do Brasil CPRM UNDERSTANDING RISK SEÇÃO: CRESCIMENTO URBANO SEM RISCOS DE DESLIZAMENTOS Conhecimento, Prevenção, Preparação, Resposta e Mudança de Hábitos Belo Horizonte, novembro de

Leia mais

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS

SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA REDE DE ÁGUA CASAS DE BOMBAS RESERVATÓRIOS NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO HIDRÁULICO E EXECUÇÃO DE REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA POTÁVEL Deverão ser obedecidas as normas

Leia mais

Como podemos melhorar nossas vidas e o PAC

Como podemos melhorar nossas vidas e o PAC seminário 10 anos de actionaid no brasil Como podemos melhorar nossas vidas e o PAC Nós, movimentos sociais, organizações da sociedade civil e grupos beneficiários da política pública de habitação reunidos

Leia mais

PROJETO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO

PROJETO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO PROJETO PARA PERFURAÇÃO DE POÇO TUBULAR PROFUNDO Município de Abdon Batista Rua João Santin, 30 - Centro Abdon Batista - SC Local - Rodovia SC 390, Km 1,5 - Saída para Campos Novos - Parque Municipal Responsável

Leia mais

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DAS SECRETARIAS DE OBRAS E AGRICULTURA PROJETO DE TRABALHO

SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DAS SECRETARIAS DE OBRAS E AGRICULTURA PROJETO DE TRABALHO SOFTWARE DE GERENCIAMENTO DAS SECRETARIAS DE OBRAS E AGRICULTURA PROJETO DE TRABALHO INTRODUÇÃO O avanço da tecnologia trouxe inúmeros benefícios à população. Quando usada de maneira saudável e inteligente,

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014 MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Secretaria Executiva - SECEX Departamento de Políticas para o Combate ao Desmatamento - DPCD COFA, RJ 04/04/2014 1 Desmatamento na Amazônia 1988-2013 Desmatamento (km

Leia mais